Início Sistema Ocepar Comunicação Informe Paraná Cooperativo Últimas Notícias AGRO: Com o Programa Agro Verde, cooperados da Cocamar podem ingressar no mercado de carbono

 

 

cabecalho informe

AGRO: Com o Programa Agro Verde, cooperados da Cocamar podem ingressar no mercado de carbono

cocamar 21 06 2024Para que seus cooperados tenham acesso ao mercado de carbono, a Cocamar Cooperativa Agroindustrial lançou, na sexta-feira (14/06), o Programa Agro Verde em parceria com a Agoro Carbon Alliance.

Oportunidade - De acordo com a cooperativa, ao contar com os serviços e a alta credibilidade da Agoro Carbon Alliance, passa a ser oferecida aos cooperados a oportunidade de ingressarem nesse próspero mercado e, ao mesmo tempo, aumentarem sua produtividade a partir da adoção de práticas regenerativas, sendo reconhecidos como produtores sustentáveis.

Isenção - O gerente técnico de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) da cooperativa, Emerson Nunes, explica que um dos benefícios do Programa é a isenção de altos custos para mensuração e validação de projeto destinado a pagamentos de crédito de carbono.

Diagnóstico - “A empresa faz o diagnóstico da propriedade, identificando os possíveis créditos a serem gerados, além de prestar assessoria e consultoria agronômica personalizada durante todo o período do projeto”. detalha.

Práticas regenerativas - Nunes cita ainda que a intenção não é somente gerar créditos de carbono por meio do sequestro e redução de gases de efeito estufa (GEE), mas, principalmente, promover o uso de práticas regenerativas na pecuária e na agricultura “para maximizar a produtividade da propriedade, melhorando a conservação do solo e tornando a produção agropecuária mais sustentável, além de multiplicar as fontes de renda”.

Etapas - O Programa Agro Verde vai ser desenvolvido em etapas, tendo como foco, inicialmente, práticas voltadas ao sequestro (remoção) e redução de carbono na pecuária e no sequestro de carbono no solo da agricultura.

Voluntário - O mercado a ser explorado é o voluntário, em que diferentes segmentos desenvolvem e regulam os projetos de carbono, segundo padrões estabelecidos, comprando ou vendendo créditos de carbono de forma voluntária, sem que isso seja exigido por autoridades.

Como participar - O cooperado deve atentar para algumas práticas elegíveis ao projeto. No caso de pecuária regenerativa, é necessário promover a reforma de pastagens degradadas ou a substituição de forrageiras por espécies mais produtivas, bem como a inclusão de diferentes espécies de gramíneas no sistema ou, ainda, de leguminosas forrageiras.

Sistema - “A biodiversidade deve fazer parte do sistema, com o manejo adequado da adubação em pastagem, aumentando a produção de biomassa vegetal e proporcionando mais matéria orgânica no solo”, cita o gerente Emerson Nunes.

Rotativo - A adoção de pastejo adaptativo em vários piquetes (rotativo, no caso, em que o número de animais é ajustado para corresponder à disponibilidade de pastagens), assegura a longevidade das pastagens, em práticas que podem ocorrer de forma isolada ou em conjunto.

Sistema ILP - Sistemas integrados como Integração Lavoura-Pecuária (ILP) vão ser aceitos como adicionalidade a partir da conversão de sistemas convencionais agrícolas ou pecuários. Áreas já implantadas também podem ser incluídas, desde que uma nova área esteja sendo iniciada na propriedade ou a rotação seja implementada há mais de três anos.

Adicionalidades - Na agricultura regenerativa o uso de práticas de cobertura vegetal no solo é contabilizado como adicionalidades, recomendando-se o consórcio de plantios de cobertura com a cultura comercial durante a mesma safra, tomando como exemplos o consórcio milho com braquiária, a rotação de cultura comercial com outra de cobertura, e plantios de cobertura em culturas perenes.

Métricas - A metodologia selecionada pela Agoro Carbon para quantificar as reduções de emissão de GEE e as remoções de CO2 por meio do estoque de carbono orgânico no solo (SOC), resultantes da adoção de práticas aprimoradas de manejo de terras agrícolas (ALM) é a VM-0042.

Padrão - A certificação será direcionada para a Verra (Verified Carbon Standard), atualmente o maior padrão no mercado voluntário de carbono, com 72% de participação em todo o mundo e 90% na emissão de créditos em soluções baseadas na natureza.

Onde saber mais - Para participar, os cooperados devem atender a algumas exigências legais, ambientais e agronômicas. Mais informações podem ser obtidas em sua unidade de opção. (Assessoria de Imprensa Cocamar)

 

icone prcoop icone instagram icone facebook icone X icone linkedin icone youtube icone flickr icone endereco