cabecalho informe

REUNIÕES INSTITUCIONAIS II: Cenários econômico e financeiro da Cocamar são apresentados pelo Sistema Ocepar

Com a participação de integrantes dos Conselhos de administração, executivo, fiscal, superintendentes, gestores e lideranças da Cocamar, de Maringá, foi realizada, na manhã desta quarta-feira (27/05), mais uma reunião institucional do Sistema Ocepar, com a apresentação dos cenários econômico e financeiro da cooperativa. O encontro contou com 55 participações por videoconferência, entre as quais, estiveram presentes o presidente-executivo Divanir Higino, o presidente do Conselho de Administração, Luiz Lourenço, o vice-presidente, José Cícero Aderaldo, José Roberto Ricken, presidente do Sistema Ocepar, superintendentes, gestores e técnicos.

Covid-19 - A reunião iniciou com uma apresentação sobre as providências que a cooperativa tomou, no sentido de reduzir os riscos em relação à pandemia do novo coronavírus. Segundo Divanir Higino, “desde que surgiram as primeiras notícias sobre a pandemia, foi constituído um comitê de crise para auxiliar nas tomadas de medidas para evitar qualquer contaminação nos funcionários e cooperados. Imediatamente dispensamos os colaboradores de risco, solicitamos para que nossos cooperados para que evitassem de vir na cooperativa. Para isso, disponibilizamos canais de comunicação para que as atividades não fossem interrompidas. Distribuímos máscaras para uso obrigatório, estamos fazendo o controle diário da temperatura, uso de álcool gel a cada 30 minutos, colocamos em todos os locais tapetes sanitizantes, avisos para manter o distanciamento de dois metros e, diante de qualquer suspeita, realizamos a desinfecção do local. Nosso compromisso aqui é não ficarmos doentes para que possamos continuar trabalhando por todos”, lembrou.

Isolamento - O presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, deu as boas-vindas para todos os participantes e fez alguns comentários sobre os trabalhos que estão sendo realizados por toda equipe de forma remota desde 20 de março, devido a necessidade de isolamento social por conta da Covid-19. “Estamos em nossas casas, mas não deixamos de trabalhar e atender todas as demandas recebidas, até estamos atuando muito mais do que de forma presencial. Neste período realizamos muitas videoconferências para resolver inúmeros assuntos de interesse das cooperativas e foram muitas as conquistas”, frisou. Ele reforçou sobre a necessidade de focar mais ainda na comunicação remota. “Esta é uma situação que jamais imaginaríamos viver. Estamos reaprendendo a nos comunicar, sem contato, de forma virtual. Temos tecnologia disponível para isso e vamos avançar ainda mais neste aspecto. Um exemplo é esta reunião de hoje, que se não houvesse pandemia, nossa equipe teria pegado estrada até Maringá para fazer esta mesma apresentação que estamos fazendo online. Menos riscos, menos despesas, sem viagens”.

Demandas - O dirigente falou que essas reuniões servem para afinar ainda mais a sintonia com a cooperativa e suas lideranças. “Além de apresentar o cenário econômico do sistema cooperativista e da cooperativa, temos a oportunidade de tratar de temas de interesse direto. Entre esses temas está o novo Plano Safra, que deverá ser anunciado pelo governo no dia 15 de junho, apresentamos mais uma vez uma proposta de política focada no desenvolvimento de nossas cooperativas agropecuárias, como redução dos juros, maior volume de recursos para comercialização, manter o programa Prodecoop, manter investimentos do BNDES, entre outros pontos”, destacou Ricken.

Apresentações - O encontro, que durou uma hora, teve apresentação dos cenários econômicos e financeiros, feita pelo do coordenador de Desenvolvimento Cooperativo, João Gogola Neto. Ele mostrou uma retrospectiva dos principias números do cooperativismo em 2019, quando o setor cooperativista atingiu um faturamento de R$ 87,6 bilhões, reunindo um total de 2.184.722 cooperados em todos os ramos e gerou 107.588 empregos diretos. Na sequência, foram apresentados os indicadores gerais do cooperativismo e da cooperativa. Já o gerente técnico da Ocepar, Flávio Turra falou rapidamente sobre o momento do agronegócio no Paraná e no Brasil, em especial, em relação ao crescimento do PIB e perspectivas para este ano de 2020 em decorrência dos impactos da pandemia.

Avaliação - No final do encontro, o presidente-executivo da Cocamar, Divanir Higino, ressaltou que a coronavírus veio para incomodar. “Este momento será um desafio para testar quem se preparou para esses momentos ou não. Junto com a pandemia veio crises em diversos segmentos, entre eles do álcool. Mas por outro lado, os preços dos produtos agrícolas foram impulsionados pela alta do dólar. Hoje, mais de 80% da soja na cooperativa já foi comercializada. Honramos com todos nossos contratos, a carteira de cooperados está tudo em ordem. Acreditamos que estamos numa situação diferenciada e isso se deve ao nosso planejamento. Nos preparamos para situações como essas. Agora podemos ver quem se preparou, se planejou, teve capacidade de gestão sairá melhor”. Sobre a reunião, tanto Higino como Luiz Lourenço, elogiaram a condução do presidente Ricken e de toda equipe. “Uma reunião muito enxuta, mas muito produtiva e que nos traz um alento de que estamos no caminho certo”, disse Divanir. Lourenço parabenizou a equipe por trazer todas as informações necessárias, “em especial neste momento complicado, onde de forma transparente nos deixou bem informados”.

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias