COAMO: Comunicação impressa da cooperativa completa 45 anos

Em novembro de 1974, circulou pela primeira vez o Informativo Coamo, que foi o início da comunicação impressa da cooperativa. “O nome não importa, e sim a mensagem que chegará até os senhores. Seremos mais um elo entre a cooperativa e os cooperados”, constava no primeiro dos cinco parágrafos do Editorial inaugural da publicação.

Primeira edição - A capa da primeira edição apresentou uma foto aérea de armazéns da cooperativa, matéria contendo informações da comercialização da soja safra 1974/75, balancete das contas encerradas em 30 de setembro de 1974, dicas da cultura da soja e matéria sobre o título de Cidadão Honorário ao então presidente da Coamo Fioravante João Ferri, por ocasião do 27º aniversário de Campo Mourão.

Primeiro editor - O primeiro editor foi o engenheiro agrônomo Claudio Francisco Bianchi Rizzatto, na época, assessor de Cooperativismo da Acarpa, hoje Emater, que trabalhava no convênio Coamo/Acarpa, e é atual vice-presidente da Coamo. “Sentimos que precisava mais. Por isso, a ideia do surgimento de um jornal para mostrar a Coamo aos seus cooperados, foi muito importante. Eu tirava fotos, escrevia e diagramava a edição, depois levava à gráfica que fazia tudo letrinha por letrinha no sistema de tipografia onde a composição das páginas era manual. As fotos, por exemplo, eram no sistema clichê. A gráfica imprimia uma provinha para revisão e quando o gráfico errava, eu corrigia e ele tinha que imprimir de novo”, recorda Rizzatto.

Edição 10 - Em agosto de 1975, com a edição número 10, o órgão de divulgação da cooperativa mudou de nome. Passou de Informativo para Jornal Coamo e trouxe em seu editorial: “Com esta edição do Jornal Coamo estamos iniciando uma nova caminhada... Esta mudança não teve outra intenção senão dar mais expressão de jornal, pois entendemos que o antigo nome dava a ideia de boletim e muito pouco de jornal.”

Mudanças - Passados 45 anos da primeira edição, Claudio Rizzatto, que colaborou como editor do jornal de novembro de 1974 a maio de 1975, afirma que a comunicação impressa Coamo – que começou como um Informativo, passou para um Jornal e hoje é uma Revista –, vem mantendo e cumprindo seu objetivo como elo entre a cooperativa e os cooperados. “A Revista Coamo se adequou a modernidade com a missão de publicar a cada edição reportagens e assuntos de interesse dos cooperados. Desta maneira, eles ficam por dentro do que acontece na Coamo e no agronegócio.”

Despertamento - Segundo ele, a revista tem que despertar este sentimento nos cooperados. “Eles têm que sentir que a revista é deles e que fazem parte das matérias, dos assuntos, e assim, a revista tem que trazer a vida e o cotidiano da Coamo com transparência e qualidade. Por isso, é que cada edição da nossa Revista Coamo é uma nova conquista dos leitores.”

Cooperados leitores - A associada Claudete Vitti, de Engenheiro Beltrão (Centro-Oeste do Paraná), é uma leitora assídua da Revista Coamo. Quando chega uma nova edição no Entreposto ela leva para casa e faz uma leitura minuciosa de todos os assuntos. “A revista é bastante útil, pois traz várias informações e análises sobre a agropecuária. Temos que nos manter informados sempre”, diz.

Objetivo - Durante vários anos, a associada trabalhou como pedagoga e sabe da importância de difundir o conhecimento, e esse tem sido um dos objetivos da Revista Coamo. “Informação é fundamental para qualquer área. A Revista Coamo proporciona uma visão mais ampla do agronegócio, com isso podemos gerenciar e melhorar a atividade e o nosso dia a dia.”

Modelo - A associada destaca que algumas reportagens da revista podem servir de modelo como, por exemplo, os casos de diversificação de atividades. “São novas oportunidades que podemos implantar na propriedade. São novas perspectivas de negócio e possibilidade de melhorar a geração de renda.”

Divulgação e transparência - Dona Claudete comenta ainda que a Revista Coamo é elo de divulgação e transparência entre a cooperativa e os cooperados, já que publica as ações, os investimentos e os resultados. “É uma maneira de ficarmos inteirados de tudo que acontece com a Coamo”, frisa.

Início - Antonio Gancedo, cooperado da Coamo em Luiziana (Centro-Oeste do Paraná), recorda do início da publicação impressa Coamo, quando ainda era um Informativo, ou boletim como ele descreve. “Naquela época, o agricultor era chamado de lavrador, usava tração animal e tinha pouca tecnologia. Assim como o campo foi evoluindo, o informativo evoluiu passou para um jornal e hoje é uma revista. Nesses 45 anos, foram várias as publicações de novas tecnologias que ajudaram desenvolver a agropecuária”, destaca.

Crescimento - Ele cita também a evolução da Coamo com novas indústrias e entrepostos, sempre reportados pela comunicação impressa da cooperativa. “Acompanhamos o crescimento da cooperativa pelas páginas do jornal e da revista. São momentos históricos e marcantes na vida da Coamo e dos seus associados.”

Avanço - Na visão do associado, a mudança do jornal para a revista foi um grande avanço, deixando a publicação mais bonita, facilitando a leitura e o arquivamento das edições. “É por meio da revista que os leitores ficam por dentro do que está acontecendo com a Coamo e o agronegócio. É um instrumento importante de transparência, não só para os cooperados como, também, para os seus familiares e comunidade em geral", diz o assessor de Comunicação da Coamo, Ilivaldo Duarte.

Informação - O presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini, comenta que nesses 49 anos de Coamo, uma das atividades foi manter o quadro social, comunidade e governantes sempre informados sobre tudo da cooperativa. “A Revista Coamo colabora e presta esse serviço, de forma clara e objetiva. São 497 edições acompanhando toda a trajetória da Coamo. Nosso objetivo é manter o cooperado por dentro das novas tecnologias, tendências de mercado e de produção para que possam produzir sempre mais. A Revista Coamo se preocupa em mostrar o melhor caminho”, assinala. (Imprensa Coamo)

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn