cabecalho informe

TRABALHO II: Paraná amplia criação de empregos pelo sétimo mês consecutivo

 

trabalho II 22 11 2019O Paraná confirmou a onda de crescimento e pelo sétimo mês consecutivo apresentou saldo positivo na geração de empregos. De acordo com levantamento divulgado nesta quinta-feira (21/11) pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), vinculado ao Ministério da Economia, o Estado abriu 7.406 postos de trabalho no mês passado. Foi o melhor outubro desde 2013, marcando uma evolução de 7% em relação ao mesmo período de 2018 (6.937).

 

Acumulado do ano - No acumulado do ano são 66.901 novas vagas. O Estado está entre os que mais geraram oportunidades de trabalho no País neste ano, junto com São Paulo, Minas Gerais e Santa Catarina.

 

Novos investimentos - O governador Carlos Massa Ratinho Junior destacou o bom momento econômico do Paraná, aliando investimento em desenvolvimento regional à atração de novos investimentos. “São quase R$ 20 bilhões em investimentos privados apenas neste ano. Organizamos o Estado para facilitar a vida de quem quer gerar emprego e renda”, afirmou o governador.

 

Carências - Ratinho Junior lembrou que o Paraná atua para corrigir carências no setor de infraestrutura com foco no desenvolvimento regional. O governador citou o investimento em reforma e duplicação de rodovias, ampliação de aeroportos e da capacidade do Porto de Paranaguá. “Criamos um ambiente favorável para investimentos”, disse.

 

Reflexo - Para o secretário da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost, esse índice é motivo para se comemorar, já que reflete, também, os esforços do Departamento do Trabalho. “Todas as ações da Secretaria são voltadas para acelerar a colocação dos trabalhadores no mercado e diminuir o desemprego”, afirmou Leprevost.

 

Lançamento - Ele lembrou que foi lançado recentemente o Emprega Mais Litoral, com foco nas contratações temporárias para a temporada de verão nas praias paranaenses. “Ainda em outubro o Paraná liderou o ranking nacional de quantidade de vagas ofertadas nas Agências do Trabalhador. Somos hoje o único estado do país com mais vagas disponíveis nas agências do que trabalhadores inscritos para se colocar no mercado”, enfatizou.

 

Setores - Os setores de comércio (3.199) e serviços (2.488) e foram os que mais empregaram em outubro, puxados pelo aquecimento da economia com a aproximação do fim do ano. “O comércio está sentindo o impacto das festas de fim de ano, vendendo mais e contratando mais”, explicou Suelen Glinski, economista do Departamento do Trabalho da Secretaria de Justiça, Família e Trabalho.

 

Destaque - No acumulado do ano, destaque para a retomada da construção civil. De janeiro a outubro o setor criou 10.656 pontos, crescimento de 8,8% em relação ao mesmo período do ano passado. “Essa retomada é importante porque mostra a confiança dos empresários do ramo, criando um ambiente favorável e expectativa futura”, disse a economista.

 

Indústria de transformação - O terceiro setor que mais contratou foi a indústria de transformação, evidência que já havia sido detectada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que destacou o Paraná com o maior índice de crescimento na atividade industrial do País entre janeiro e agosto, com 6,7%. Em outubro foram 1.271 novas vagas no setor.

 

Subsetores - Os subsetores que mais contrataram no mês de outubro na indústria foram produtos alimentícios, bebidas e álcool etílico (423), mecânica (413) e metalúrgica (248).

 

Cidades - Curitiba lidera a criação de vagas nos dez primeiros meses de 2019, com saldo de 22.256, seguida por Maringá (5.217), São José dos Pinhais (3.528), Cascavel (3.375) e Pato Branco (2.374).

 

Capital - No mês de outubro, o destaque também ficou para a capital, com a abertura de 2.559 postos, acompanhado por São José dos Pinhais (533), Cascavel (470), Toledo (433) e Maringá (335). “Os grandes centros urbanos, que sofreram muito com a longa crise, estão dando sinais de recuperação, o que é muito importante para a economia como um todo”, afirmou Suelen Galinski.

 

Região - A região Sul foi quem apresentou melhor resultado no mês passado, com a geração de 27.304 novas vagas. O Nordeste teve 21.776, o Sudeste 15.980, a região Norte registrou 4.315 e o Centro-Oeste, 1.477.

 

Estados - Entre os estados, 23 tiveram variação positiva, com destaque para Minas Gerais com 12.282 vagas; São Paulo (11.727) e Santa Catarina (11.579). Já o saldo foi negativo no Rio de Janeiro (-9.942), o Distrito Federal (-1.365), Bahia (-589) e Acre (-367).

 

Brasil - O País também obteve resultado positivo pelo sétimo mês consecutivo na geração de empregos formais. O saldo registrado é de 70.852 novas vagas, resultado de 1.365.054 admissões e 1.294.202 desligamentos no período.

 

Carteira assinada - O Paraná é o estado do Sul com maior número de trabalhadores com carteiras assinadas até 31 de outubro deste ano. De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), o estoque paranaense é de 2.670.695 pessoas, contra 2.546.066 do Rio Grande do Sul e 2.090.400 de Santa Catarina.

 

Impacto direto - Para a economista Suelen Glinski, do Departamento do Trabalho da Secretaria de Justiça, Família e Trabalho, o número é importante devido ao impacto direto nos mais diversos setores da economia. “É algo muito relevante, por representar contratações com melhores salários, geração de impostos e consequentemente o desenvolvimento do Estado”, afirmou.

 

Estoque - No país, o estoque total de empregos em 39,252 milhões, superior aos 38,695 milhões registrados em outubro de 2018. (Agência de Notícias do Paraná)

 

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias