cabecalho informe

DIGITAL AGRO: Evento apresenta tendências e discute a transformação tecnológica da agropecuária

 

Teve início, nessa quarta-feira (12/06), a Digital Agro 2019. Além de poder visitar e conhecer as principais empresas que estão apostando no poder da tecnologia no campo, os visitantes também assistiram a palestras e conheceram os serviços e soluções que as startups levaram para o evento.

 

Governador - O primeiro dia da terceira edição da feira contou com a participação do governador do Paraná, Ratinho Júnior, que elogiou a estrutura e a importância do evento. “A tecnologia para o agronegócio é fundamental. O Paraná é o maior produtor de alimentos por metro quadrado do mundo, e a agricultura está saindo da enxada e migrando para os smartphones e tablets, que facilitam a gestão e refletem em maior produtividade. É por isso que feiras como essa são muito importantes para o produtor rural continuar nesse caminho”, ressaltou.

 

Palestras - O fundador da Hypercubes, Fábio Teixeira, com formação pela Singularity University, no Vale do Silício, nos Estados Unidos, abriu a programação de palestras da Digital Agro 2019. Teixeira falou sobre o uso de satélites e sensores especiais para a produção de imagens hiperespectrais. Esse tipo de imagem, utilizada também na plataforma desenvolvida por ele, é capaz de identificar alterações moleculares em uma plantação, monitorar com precisão o solo da propriedade, fornecendo dados já processados e auxiliando na tomada rápida de decisão. “Nós queremos popularizar essa tecnologia, torná-la cada dia mais acessível. A nossa ideia é que ela esteja disponível para os produtores no fim do primeiro semestre de 2020”, explicou Teixeira.

 

Automação e robótica - Em "Robótica e implementos inteligentes na agricultura arável”, o engenheiro agrônomo e professor do Departamento de Agroecologia da Universidade de Aarhus, na Dinamarca, Ole Green, falou sobre o uso cada vez mais frequente da automação e da robótica na agricultura. “Hoje já podemos contar com a ajuda de ferramentas como a Inteligência Artificial e Big Data para elevarmos a nossa produtividade e tornarmos o agronegócio um ramo sustentável”, ressaltou Green, que também é fundador e CEO da Agrointelli, empresa focada na sustentabilidade da agricultura arável.

 

Palestras técnicas - Além disso, palestras técnicas foram ministradas em miniauditórios espalhados pelo pavilhão principal. No estande da UPL, empresa especializada em proteção de cultivos e soluções para otimizar a produtividade agrícola, a engenheira agrônoma e consultora comercial, Alessandra Decicino, falou sobre a participação das mulheres no processo de gestão. “Cada vez mais as mulheres têm se tornado protagonistas, buscando a capacitação e a profissionalização no agronegócio. E essa é uma ótima notícia quando pensamos na governança e sucessão familiar, porque está fazendo com que a mulher se torne, também, a essência do negócio”, disse Alessandra.

 

Continuidade - A feira continua nesta quinta-feira (13/06), no Parque Histórico de Carambeí, com demonstrações práticas, palestras técnicas e apresentação de diversas startups.

 

Sobre a Frísia Cooperativa Agroindustrial - Fundada em 1925, a Frísia é a cooperativa mais antiga do Paraná e segunda do Brasil. Localizada na região dos Campos Gerais, tem sua produção voltada ao leite, carne e grãos, principalmente, trigo, soja e milho. A cooperativa é resultado da união do trabalho de todos os cooperados e colaboradores; da diversificação da produção, englobando a produção leiteira, de grãos e de proteína animal; e da alta qualidade do que é feito e comercializado, com animais de excelente genética, rastreamento e investimento em tecnologia, infraestrutura e mão de obra. Os valores da cooperativa são Fidelidade, Responsabilidade, Intercooperação, Sustentabilidade, Integridade e Atitude (FRISIA).

 

Sobre a Fundação ABC - A Fundação ABC é uma instituição de pesquisa agropecuária que realiza trabalhos para desenvolver e adaptar novas tecnologias, com o objetivo de melhorar as produtividades de forma sustentável aos mais de cinco mil produtores rurais filiados às cooperativas Frísia, Castrolanda e Capal, além dos agricultores contribuintes. O trabalho da fundação abrange uma área de 467,2 mil hectares, além de uma bacia leiteira de mais de 678 milhões de litros/ano. A instituição também realiza projetos de pesquisa com empresas privadas, por contratos de cooperação técnica, e mantém vínculos com empresas de pesquisa pública. A sede é em Castro (PR) e os cinco campos demonstrativos e experimentais ficam estrategicamente espalhados pela área de atuação. (Imprensa Frísia)

 

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias