Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4902 | 04 de Setembro de 2020

COMPLIANCE EXPERIENCE: Próximo evento da série vai debater compliance e investigações internas

Como colocar em prática o processo de investigações internas? A ideia é discutir esse tema no segundo encontro da série Compliance Experience, que será realizado dia 10 de setembro, por videoconferência. A iniciativa é do Sistema Ocepar, executada por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR), com o propósito de contribuir para a sustentabilidade das cooperativas do Paraná. Num ciclo de quatro encontros, serão apresentadas as melhores práticas e experiências das organizações nos processos de integridade e conformidade de suas atividades. O primeiro evento da série ocorreu no dia 1º de setembro e debateu o tema "Compliance e privacidade dos dados". Os próximos serão realizados dias 15 e 22 de setembro.

Palestrantes - Desta vez, a programação contempla a apresentação da palestra “Compliance e as investigações internas no meio corporativo”, às 15h30, com Alessandra Gonsales, sócia-fundadora da LEC e do GCAA, especialista em implantação de programas anticorrupção, de lavagem de dinheiro e Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Ela possui ampla experiência em compliance e direito corporativo e tem participado ativamente das principais discussões sobre os temas no Brasil.

Investigações internas - Depois, às 16h30, será a vez de Luciana Silveira falar sobre “Processo de investigações internas na prática: assédio moral e sexual”. Ela é Chief Compliance Officer da Neoway e foi responsável pela implementação e gerenciamento do Programa de Compliance Global da CBMM no Brasil, Estados Unidos, Holanda, Suíça e Cingapura.

Inscrições e informações - Os eventos são destinados a profissionais das cooperativas do Paraná. Os interessados em participar do segundo evento devem efetivar as inscrições até o dia 9 de setembro. Clique aqui. Mais informações com Alfredo Benedito Kugeratski Souza (alfredo.souza@sistemaocepar.coop.br / 41 99926-5723) ou Daniely Andressa da Silva (daniely.andressa@sistemaocepar.coop.br / 41 99682-6401).

 

gestao folder 04 09 2020

COOPERJOVEM: Castrolanda realiza evento virtual para 400 professores

 

Cerca de 400 professores de escolas municipais de Castro e Piraí do Sul, na região paranaense dos Campos Gerais, participaram de uma videoconferência promovida pela Cooperativa Castrolanda, com foco no Programa Cooperjovem. Durante quase duas horas, os educadores acompanharam manifestações dos presidentes, Willem Bouwman e José Roberto Ricken, da Castrolanda e do Sistema Ocepar, respectivamente, e da secretária municipal de Educação de Castro, Rejane de Paula Nocera. E ainda tiveram a oportunidade de ouvir uma palestra do educador e professor Marcos Meier. O encontro foi mediado pelo coordenador de Desenvolvimento Cooperativo do Sescoop/PR, Humberto Bridi.

 

Transformação - A tônica principal da fala dos dirigentes foi de utilizar a filosófica cooperativista para transformar a sociedade. “Temos em nossas mãos uma ferramenta de extrema importância para o desenvolvimento do Brasil. E contamos com todos os professores para educar as futuras gerações com foco no cooperativismo, como uma forma alternativa de desenvolvimento econômico e social”, lembrou Bouwman.

 

Filosofia de vida - Nesta mesma linha, Ricken fez um relato de toda sua trajetória, desde o dia em que foi matriculado num colégio agrícola, em Guarapuava, onde, pela primeira vez, teve contato com a filosofia cooperativista. “Um dos professores trouxe para sala de aula uma apostila editada pelo Inda (Incra), em parceria com a Acarpa (Emater), Ocepar e Assocep, e que tinha por objetivo disseminar os principais conceitos do cooperativismo junto aos estudantes de colégios agrícolas. Formar nova lideranças. Foi ali que tive o primeiro contato com a cooperação e gostamos tanto que fundamos uma cooperativa na escola”, disse. “Depois, passei em agronomia na UFPR, onde havia um módulo de cooperativismo. Formado, fui trabalhar numa cooperativa agropecuária e, depois, entrei na Organização das Cooperativas Brasileiras e, mais tarde, vim para Ocepar. Quero, com este meu depoimento, não falar da minha vida, mas mostrar para as senhoras e senhores educadores o quanto vocês são importantes na formação dessas crianças. Quais caminhos elas terão na vida. Ensinar a cooperar é muito mais do que ser cooperativista. É mostrar para essas crianças que, através da filosofia, elas poderão ser excelentes profissionais, seja numa cooperativa ou não, e estarão mais preparadas para a vida”, frisou Ricken.

 

Quinta geração - O dirigente fez questão de lembrar aos professores que eles estão trabalhando com a quinta geração de cooperativistas no Paraná. “A missão do programa é preparar as crianças hoje para que sejam os adultos melhores amanhã. Vocês estão trabalhando com a quinta geração de cooperativistas no Brasil. Aí na região os imigrantes construíram um cooperativismo forte, esta ideia, trazida por eles da Europa, foi disseminada em todo o Paraná. A primeira geração criou as cooperativas, a segunda as colocou para funcionar, a terceira fez elas crescerem e a quarta as aperfeiçoou. A missão da quinta é dar continuidade, através dos desafios dos novos tempos”, lembrou o presidente do Sistema Ocepar.

 

Representatividade - “A Castrolanda é uma cooperativa fundamental para o desenvolvimento de toda a região onde ela está presente. Semelhante a ela, temos 221 cooperativas que irão movimentar neste ano de 2020, mesmo com esta pandemia, mais de 100 bilhões de reais e com mais de 2 milhões de pessoas integradas. Sessenta por cento de tudo que é produzido na agropecuária paranaense, passa por nossas cooperativas. Não dá para imaginar fazer uma safra sem nossas cooperativas”, frisou.

 

Duas décadas - Ricken lembrou que o Cooperjovem tem 20 anos. “Iniciamos em 2000 e hoje estamos reformulando o programa, para que seja mais efetivo e atinja um maior número de crianças em todo o Estado. O Cooperjovem tem como berço dois princípios do cooperativismo: o quinto, que é Educação, Informação e Formação, e o sétimo, Interesse pela Comunidade. A nossa missão é disseminar a cultura da cooperação, muito mais nobre cooperar do que competir. Se todos soubessem que o melhor caminho é cooperando não seguiriam outros caminhos. Até posso ir mais rápido sozinho, mas juntos, vamos muito mais longe”, finalizou o dirigente.

 

Novos tempos - Já o palestrante Marcos Meier abordou com os professores sobre os desafios dos educadores nesses novos tempos de aulas on-line. Falou das diferenças que existiam no passado no processo educativo, como é hoje e como será daqui para frente. “No nosso tempo de escola, a mentalidade era fazer o aluno memorizar e copiar. Mas eu me pergunto, se todos eles tinham livros nas mãos, por que memorizar então? Depois entrou a internet. O que estava na memória não precisa mais, afinal, tudo está nos livros e na internet. Basta ir ao Google”.

 

Novo discurso - Meier afirma que os educadores mudaram. “A gente mudou nosso discurso, agora é importante construir o conhecimento. De nada adianta ter a informação se não temos o conhecimento. As escolas pararam de colocar tudo no quadro para o aluno copiar. A escola mudou...(risos) sei que muita gente ainda faz isso”. Segundo ele, “para construir conhecimento, o aluno precisa interagir, fazer perguntas, questionar. E nada melhor do que fazer isso através de debates em sala de aula. O aluno já tem agora o conhecimento, pode assistir aula no Youtube e outras plataformas”.

 

Questionar - “O conhecimento passou a ser acessível. A escola precisa dar um novo passo. Se esta informação está disponível, conhecimento e as informações estão acessíveis, agora a nossa missão é pegar o aluno a incentivá-lo a continuar fazendo isso, mas dentro das escolas na relação com os professores e demais colegas, aprofundar, interligar conceitos, sempre no ambiente escolar. Precisamos incentivá-los a criar textos contrários e a favor sobre aquilo que estamos discutindo, para poder colocar o conhecimento em prática. Se eu consigo colocar meu conhecimento em prática isso se chama inteligência. E a última pontinha da pirâmide é a sabedoria. Se utilizo esta inteligência para fazer o bem comum para sociedade com ética, isso é sabedoria. Os alunos precisam da aprendizagem significativa”, lembrou Meier.

 

Cooperando - E ele completou: “a melhor forma de fazer isso é cooperando. As cooperativas estão auxiliando nesta formação de pessoas que são fundamentais para a estruturar melhor nosso país, mais ético e democrático”.

 

{vsig}2020/noticias/09/04/cooperjovem/{/vsig}

COVID-19 I: Confira o comunicado 112 do Comitê de Acompanhamemnto

covid 19 destaque 04 09 2020A participação do presidente do Conselho de Administração da Cooperativa Cocamar, Luiz Lourenço, em reunião ocorrida nesta quinta-feira (03/09) para iniciar as discussões estratégicas sobre o novo ciclo do planejamento estratégico do cooperativismo paranaense é um dos destaques do comunicado 112, emitido na manhã desta sexta-feira (04/09), pelo Comitê Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 do Sistema Ocepar. Confira abaixo todas as informações do boletim.

1. No dia 2 de setembro, a reunião do comitê do Sistema Ocepar contou com a participação do presidente do Conselho de Administração da cooperativa Cocamar, representante do Núcleo Noroeste e diretor da Ocepar, Luiz Lourenço, para iniciar as discussões estratégicas em relação ao novo ciclo do Plano Paraná Cooperativo - PRC.

2. O Sistema Ocepar, por meio do SescoopP/PR, realiza, no próximo dia 25 de setembro, o primeiro Encontro Virtual das Lideranças Femininas Cooperativas.

3. O Sistema Ocepar, no dia 3 de setembro, realizou de forma virtual Reunião da Autogestão com a cooperativa Uniodonto Maringá e participação do corpo diretivo e gestores.

4. No dia 3 de setembro, a Receita Federal do Brasil – RFB, publicou a Portaria Conjunta SEPRT/RFB nº 55, que suspende o cronograma de novas implantações do Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas - eSocial previsto na Portaria SEPRT nº 1.419, de 23 de dezembro de 2019. Clique aqui para acessar a portaria conjunta SEPRT/RFB nº 55.

O Comitê - O Sistema Ocepar constituiu o Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 com objetivo de monitorar, receber, avaliar e comunicar seus públicos sobre as informações mais recentes ligadas à disseminação e precauções que devem ser tomadas diante da epidemia da doença. O grupo é formado pela Diretoria Executiva, coordenações de Gestão Estratégica e de Comunicação Social, com assessoramento jurídico e colaboração da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa). Desde que o trabalho remoto foi adotado pela instituição, em 20 de março, os integrantes se reúnem diariamente, por meio de videoconferência, para analisar cenários e discutir o andamento das atividades visando atender as demandas das cooperativas. O Comitê tem ainda divulgado os comunicados para informar as principais ações de interesse do cooperativismo paranaense que estão sendo executadas pelo Sistema Ocepar nesse período de pandemia.

 

COVID-19 II: Destaques da área destinada ao coronavírus no Portal PR Cooperativo são atualizados

covid II 04 09 2020A Área Covid-19 do Portal Paraná Cooperativo é atualizada toda sexta-feira com as notícias que foram destaques durante a semana no Informe Paraná Cooperativo e na Rádio Paraná Cooperativo. Lá, é possível acessar também os comunicados do Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 do Sistema Ocepar. Há ainda uma seção de perguntas e respostas, com esclarecimentos relativos à pandemia. Clique aqui e confira.

 

REUNIÃO INSTITUCIONAL: Presidente da Uniodonto Maringá se apresenta como “cooperativista de longa data e de carteirinha”

No final da manhã desta quinta-feira (03/09), a diretoria da cooperativa Uniodonto Maringá, liderada pelo seu presidente Vampré Luiz Cardoso Oliveira, participou de encontro virtual com o Sistema Ocepar, oportunidade em que foi apresentada a situação econômico-financeira da cooperativa, utilizando indicadores e comparativos com outras cooperativas paranaenses do mesmo ramo. O intuito é manter a qualidade da gestão, credibilidade perante terceiros, transparência perante o quadro social e, principalmente, a  solidificação do sistema cooperativista.  Durante a 55ª reunião na modalidade virtual, aberta pela gerente de Desenvolvimento Cooperativo do Sistema Ocepar, Maria Emília Pereira Lima, foram tratados outros assuntos, como intercooperação, as atividades desenvolvidas pela entidade no período de quarentena, expectativa de mercado e atividades finalísticas do Sescoop/PR.

Virtual - O presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken,  após comentar sobre alguns ganhos proporcionados pelas atividades virtuais, em decorrência da pandemia da Covid-19, que permitem contatos mais frequentes com as cooperativas, às vezes quase que simultâneos, discorreu sobre as ações de representação institucional desempenhadas pela entidade em defesa dos interesses do cooperativismo paranaense. E enfatizou a preocupação com os cuidados que devem ser observados para evitar o aumento do contágio do coronavírus.

Perspectivas - “A questão da pandemia nos preocupa muito ainda. E temos certeza de que ninguém passará imune a ela. O momento impôs restrições e tivemos de nos reinventar para dar continuidade aos trabalhos, de forma remota. E podemos dizer que isso proporciona perspectivas diferentes, com o surgimento de outras oportunidades. E temos que aproveitá-las bem. Portanto, precisamos nos planejar para isso. O nosso propósito é estarmos bem alinhados com as cooperativas e com a OCB e dar continuidade às atividades e, assim, com visão proporcionada pelo planejamento, articularmos bem o futuro. Afinal, está na essência do cooperativismo a organização das pessoas para que tenham mais oportunidade e mais renda”, enfatizou o presidente do Sistema Ocepar. 

Comunicação - Ricken destacou ainda que a pandemia ressaltou a importância da comunicação para dar continuidade às atividades do setor cooperativista. “As ferramentas que dispomos é que permitem dar prosseguimento às atividades de forma virtual, que têm sido efetivas e com resultado bom para todos. É a comunicação que viabiliza o andamento de tudo isso, por meio de uma modalidade menos arriscada, menos onerosa e mais produtiva. Por isso, vamos investir muito nisso”, disse. 

Agenda - Como previsto no roteiro da reunião, em seguida, o analista técnico Jessé Aquino Rodrigues fez a apresentação dos números do cooperativismo e do ramo saúde no estado, enfatizando o cenário econômico e financeiro da Uniodonto Maringá. Por fim, a gerente de Desenvolvimento Cooperativo, Maria Emília Pereira, apresentou as atividades finalísticas do Sescoop/PR, expondo programas e ações de capacitação profissional, promoção social, monitoramento e gestão que estão à disposição das cooperativas paranaenses. Ricken reforçou a apresentação da gerente, ao afirmar que “esta é a forma de devolver às cooperativas, por meio de serviços, a contribuição delas, com o Sescoop/PR atuando como instrumento de desenvolvimento e capacitação do setor”.

Agradecimento - O presidente da Uniodonto Maringá, Vampré Oliveira, agradeceu ao Sistema Ocepar a oportunidade da reunião institucional, classificando-a de “muito interessante e com uma apresentação muito vem feita”, ao completar que “como cooperativista de longa data e de carteirinha, quero elogiar o trabalho do Sistema Ocepar, pois essa devolutiva é muito importante para sabermos se estamos no caminho certo. Com isso, a gente se sente inserido no cooperativismo e ficamos muito orgulhosos de fazer parte do sistema”. Pela cooperativa, também participaram do encontro o superintendente José Olímpio Limonta e o gerente geral Darci Arruda. Fundada em junho de 1996, a cooperativa, com sede em Maringá, no noroeste paranaense, que faturou R$ 6,8 milhões em 2019, atualmente tem 95 cooperados e 12 funcionários.

{vsig}2020/noticias/09/04/reuniao_institucional/{/vsig}

 

COOPCAFÉ: Ricken participará de live sobre agronegócio e reforma tributária no dia 12/09

O presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, é um dos convidados para participar de uma live, no dia 12 de setembro, das 10h às 11h, promovida pelo portal BR Cooperativo, do Rio de Janeiro. Além do dirigente paranaense, participam do debate o deputado federal e presidente da Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop), Evair de Melo e o presidente do Sistema OCB de Goiás, Luís Alberto Pereira, que irão abordar a força do agronegócio cooperativo, pós-derrubada do veto da Lei do Agro no Congresso Nacional, e os possíveis efeitos da reforma tributária no setor cooperativista. A apresentação ficará a cargo do jornalista Cláudio Montenegro, editor executivo do portal e revista BR Cooperativo e presidente da Comunicoop, cooperativa responsável pela produção da live e do portal. A transmissão da live CoopCafé será no canal do YouTube: /portal BRcooperativo e também pelo Facebook (@portalbrcooperativo).

 

coopcafe 04 09 2020

 

COOPERATIVISMO: Confira os boletins da OCB com informações de interesse do setor atualizadas até 3 de setembro

cooperativismo 04 09 2020 O Sistema OCB publica, semanalmente, diversos boletins com informações relevantes e de interesse do cooperativismo brasileiro. Confira abaixo as publicações atualizadas até esta quinta-feira (03/09), que tratam de política, economia, reforma tributária, pleitos do cooperativismo em tramitação no Congresso Nacional, normativos e medidas tributárias publicadas pelo governo que impactam nas cooperativas. Há ainda um apanhado sobre as ações que estão sendo executadas pela entidade para reduzir o impacto da pandemia nessa crise.

- Análise Política: orçamento, reforma administrativa e auxílio emergencial. https://bit.ly/3dvDvOv

- Análise Econômica: efeitos da pandemia no PIB brasileiro. https://bit.ly/2UCWjUD

- Reforma Tributária: o que pensam as confederações patronais. https://bit.ly/395tshh

- Pleitos do cooperativismo: temos 82 demandas das coops vinculadas à Covid-19. Veja como estão. https://bit.ly/2UD17rV

- Normativos: resumo dos principais normativos federais relacionados à Covid-19, com link e análise da OCB. https://bit.ly/3anoYlY

- Medidas Tributárias: infográfico com as respostas tributárias do governo à crise que tenham impacto nas cooperativas. https://bit.ly/2KrNgjn

- Acompanhe essas e outras ações da OCB para diminuir o impacto desta crise em: https://www.somoscooperativismo.coop.br/covid-19

 

RECEITA FEDERAL: Novo normativo tem impacto positivo para coops exportadoras

O Diário Oficial da União desta quinta-feira (03/09) trouxe uma boa notícia para as cooperativas agropecuárias exportadoras. Trata-se da Instrução Normativa da Receita Federal nº 1974/2020, que impacta positivamente o setor por conceder mais liberdade de opção logística ao importador, garantir disponibilidade imediata do produto descarregado, reduzir os custos logísticos e possibilitar a utilização de qualquer berço para atracação e operação de descarga.

Descargas de granéis sólidos - A partir do ano de 2012, a descarga de granéis sólidos nos portos brasileiros foi normatizada pelas regras instituídas pela Receita Federal, por meio da Instrução Normativa 1282, que tornou o processo mais burocrático e moroso, gerando filas e aumentando o tempo médio de atracação de navios. Tudo isso acarretando o aumento dos custos portuários.

Impacto nos custos - Esses fatores, por consequência, impactaram sobremaneira no custo do produto, o que refletiu em toda a cadeia produtiva até o consumidor final, repercutindo na própria redução da competitividade do produto brasileiro em comparação ao mercado internacional.

Restrições - Além disso, a normativa de 2012 aplicou restrições à escolha do importador sobre a modalidade de desembaraço aduaneiro de seus lotes, conferindo a obrigatoriedade de realizar consulta aos recintos alfandegados sobre a disponibilidade para recepção do produto importado e, havendo, arcar com os respectivos custos.

Mobilização - “Todo esse contexto fez com que a OCB, juntamente com outras entidades de representação do agro brasileiro, iniciasse um trabalho intenso junto aos Poderes Públicos Estadual e Federal, demonstrando os prejuízos logísticos enfrentados por conta da interpretação do Normativo de 2012. O objetivo foi apresentar a necessidade de desburocratizar operações e procedimentos aduaneiros nesse sentido”, explicou o presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas.

Vigência - Assim, a alteração desta Instrução Normativa, que entra em vigor a partir do dia 1º de outubro trará benefícios significativos para o setor, otimizando processos e adequando a norma ao fluxo dinâmico das operações portuárias. (OCB)

COANORP: Cooperativa Agropecuária Norte Paranaense é constituída em Astorga

Foi realizada, no dia 28 de agosto, na Associação dos Funcionários da Cooperativa Agroindustrial Nova Produtiva, em Astorga (PR), a assembleia de constituição da Cooperativa Agropecuária Norte Paranaense – Coanorp, com a participação de 48 cooperados fundadores.

Coordenação - Os trabalhos foram coordenados por Waldenir Romani. A mesa diretiva contou com a presença do diretor-presidente da Nova Produtiva, Tácito Otaviano Barduzzi Júnior. Romani iniciou agradecendo a presença de todos e esclareceu que a cooperativa a ser constituída é originada do desmembramento da Cooperativa Agroindustrial Nova Produtiva, aprovado pela Assembleia Geral Extraordinária. Suas finalidades são: a prestação de serviços e oferta de produtos aos seus associados voltada à diversas macro atividades (grãos, sementes, insumos e bens de consumo), o objeto social, o estímulo, o desenvolvimento progressivo e a defesa de suas atividades socioeconômicas de natureza comum, bem como, a venda da produção agropecuária de seus associados nos mercados locais, nacionais e internacionais, e a compra ou produção de bens de consumo para distribuição aos seus associados.

Inclusão automática - Romani ainda ressaltou que, por se tratar de desmembramento da Nova Produtiva, os cooperados da Nova que exerçem a atividade de cultivo de lavouras de verão e inverno (grãos), ou ainda culturas perenes, além de pecuária, serão automaticamente incluídos como associados da Coanorp, denominação aprovada por unanimidade entre os associados fundadores e cuja sede administrativa está localizada em Astorga.

Eleição - Na sequência, foi realizada a eleição para a Diretoria e Conselho de Administração, constituídos da seguinte forma:

Conselho de Administração:

1. Waldenir Romani - Diretor-presidente

2. José Florêncio Moreli - Conselheiro vice-presidente vogal

3. Osvaldo Luis Nicolino - Conselheiro vogal

Conselho Fiscal:

Conselheiros Fiscais Efetivos

1. Daniel Antônio de Marchi

2. José Valentin Berlese

3. Alonso Kenedy Tondato

 

Conselheiros Fiscais Suplentes

1. João Nabarro Sanches

2. Alécio Reis Roque Gallette

3. Fabio Imbriani

(Assessoria Nova Produtiva)

{vsig}2020/noticias/09/04/coanorp/{/vsig}

BOM JESUS: Reunião online é realizada com cooperados do grupo de Alinhamento Estratégico

bom jesus 04 09 2020No dia 2 de setembro, a Cooperativa Bom Jesus realizou uma reunião online com o grupo Alinhamento Estratégico. Participaram do evento cooperados que fazem parte do grupo, Conselheiros de Administração e Fiscal, e gerentes da Bom Jesus, além de convidados, como representantes da John Deere e do Sistema Ocepar, tais como Robson Mafioletti, superintendente da Ocepar, e Alfredo Kugeratski, coordenador de gestão estratégica do Sescoop/PR. O evento foi conduzido pela diretoria executiva da Bom Jesus, com o diretor-presidente, Luiz Roberto Baggio, o diretor vice-presidente, Milton Locatelli, e o diretor secretário, Marcelo Kosinski. O evento contou com palestra especial do presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken.

Otimismo - Ricken abriu o evento com otimismo em relação ao cooperativismo estadual. "O que estamos percebendo nesse momento? É um momento inusitado, nenhum de nós imaginávamos que estaríamos em setembro numa relação desconfortável em relação à pandemia, desconfortável em relação à política econômica do país, com bastante incerteza, mas a nossa atividade nunca teve tanta demanda. E talvez possa ser um ano que consigamos um dos melhores resultados da história do cooperativismo", afirmou Ricken em sua fala inicial. Ele apresentou o projeto PRC200, na qual projeta os R$ 200 bilhões de faturamento das cooperativas ligadas ao Sistema Ocepar. Ricken destacou que a Ocepar projeta em 2020 o faturamento de R$ 102 bilhões das cooperativas, assim atingindo a meta do PRC100.

Importância - Baggio destacou a importância da Ocepar e do cooperativismo. "A gente sempre conversa: nós somos cooperativa! Não temos que nos comparar a revendas ou multinacionais, (como cooperativas) trabalhamos de forma articulada", e completou "Nós somos um grupamento, cooperativas! E nunca esteve tanto na moda a condição de cooperar, inclusive mundialmente". Em sua participação, Baggio apresentou a visão macroeconômica mundial e destacou a brasileira, além dos diferenciais da Cooperativa Bom Jesus e o destaque na defesa dos negócios do produtor, como exemplo, a participação do Baggio no CNPA (Conselho Nacional de Política Agrícola) - veja mais aqui.

Números e indicadores - Marcelo apresentou os números e indicadores da cooperativa. "Estamos mostrando a transparência da Cooperativa com seus cooperados". Em sua apresentação, mostrou os números de soja, milho, feijão e trigo, além dos insumos.

Projetos - Milton apresentou os projetos em andamento da Cooperativa Bom Jesus, projetos de novos negócios e o momento econômico dos cereais e insumos, além de informações importantes sobre o mercado aos cooperados presentes. "A primeira reflexão que temos é da pandemia, não estamos acostumados com esse momento. Trouxe novos momentos ao agro e a Bom Jesus, um exemplo é essa live. Agora teremos um novo normal, como será nossa AGO, nosso Dia de Campo de Inverno... A pandemia teve reflexos negativos, mas teve reflexos positivos", afirmou em sua fala inicial. (Imprensa Bom Jesus)

 

C.VALE: Um dia histórico de cooperação

Na área de ação da C.Vale várias cooperativas e segmentos organizados se uniram e fizeram a diferença no Dia C, Dia de Cooperar . São elas: C.Vale, Sicredi, Sicoob, Uniprime, Copercaf, Cerpa, Cotriguaçu, Unimed, Cresol, Copacol, Copagril, Coamo, Integrada, Lar, Cooper Alfa, Coopersa, Cotripal, Sulcred, Ceriluz, Ufpr, Sebrae, Yara, Giro, Ihara, associações comerciais, prefeituras, igrejas, empresas e imprensa.

Hospitais beneficiados - Foram beneficiados os hospitais: Beneficente Moacir Micheletto/Assis Chateaubriand; Santa Casa de Misericórdia Maria Antonieta/Goioerê; Regional de Cruz Alta; Municipal Bom Pastor/Turvo; Beneficente de Santa Bárbara e São Luiz Gonzaga, além de pastorais/igrejas, Cras, associações de catadores de materiais recicláveis e de apoio aos portadores de câncer, lar de idosos e de crianças, asilos, albergue, banco de sangue e Apae. (Imprensa C.Vale)

{vsig}2020/noticias/09/04/cvale/{/vsig}

INOVAÇÃO I: Programa levará tecnologias 4.0 para o agronegócio

inovacao 04 09 2020Os Ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), da Economia (ME) e da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) lançaram, nesta quinta-feira (03/09), o edital do programa Agro 4.0, que recebe inscrições até o dia 26 de setembro. Serão investidos R$ 4,8 milhões em 14 projetos pilotos de adoção e de difusão de tecnologias 4.0.

Objetivo - O objetivo do programa é promover, por meio destas tecnologias, o aumento de eficiência e de produtividade, e redução de custos no agronegócio brasileiro. O edital, na modalidade concurso, é voltado a empresas usuárias de tecnologias 4.0 do setor produtivo, especialmente, produtores rurais e agroindústrias, que irão realizar a adoção de tecnologias 4.0 em suas unidades, fazendas ou plantas. Estas empresas poderão submeter propostas de projetos em parceria com demais Instituições.

Prioridade - O secretário-adjunto de Inovação, Desenvolvimento Rural e Inovação do Mapa, Pedro Correa Neto, destaca que a agricultura digital é uma das prioridades de inovação para o Mapa e o Programa Agro 4.0 é um dos grandes promotores de difusão de tecnologia no ecossistema do agro. “Ações como essa fortalecem a rede de inovação no agronegócio brasileiro, conectando soluções desde os produtores rurais até as startups, incrementando as ações por meio de conectividade, internet das coisas, aprendizagem virtual, blockchain e inteligência artificial", diz.

Estímulo - "Essa iniciativa visa estimular o ambiente de inovação digital no agronegócio por meio de soluções práticas e aplicadas às cadeias de valor nos segmentos dentro e fora da porteira, como também em ecossistema de cadeias produtivas. Estamos alavancando o futuro do agronegócio com soluções digitais", avalia o diretor do Departamento de Apoio à Inovação para a Agropecuária do Mapa, Cleber Soares.

Disseminação - “O Programa Agro 4.0 irá possibilitar e gerar uma maior disseminação de tecnologias digitais no agronegócio, com foco em aumento de eficiência, produtividade e redução de custos junto a produtores e indústrias” explicou Igor Calvet, presidente da ABDI.

Temáticas - Ao todo, o edital contempla quatro categorias, relacionadas à cadeia produtiva do agronegócio, incluindo empresas dos setores primário, secundário e terciário. Para cada categoria, foram identificadas temáticas de aplicação, às quais os projetos deverão estar alinhados: (i) segmento de insumos (fertilizantes, defensivos, rações, máquinas e equipamentos); (ii) segmento primário (agricultura, pecuária, pesca, aquicultura); (iii) segmento secundário (fabricação de produtos alimentícios); e (iv) integração de segmentos, incluindo segmento terciário (integração de elos da cadeia - abrangendo serviços de tecnologia da informação e comunicação, logística, entre outros).

Premiação - A premiação varia de R$ 300 mil para até quatro projetos nas categorias 1, 2 e 3; a R$ 600 mil para até dois projetos na categoria 4. Os projetos selecionados serão conhecidos ainda em 2020 e terão, a partir da divulgação, um prazo de sete meses para a execução e outros 12 meses para o monitoramento dos resultados.

Consulta pública - Previamente ao lançamento do edital, foi realizada uma consulta pública com ampla participação dos setores relacionados ao agronegócio e mais de 80% dos contribuintes manifestaram interesse em participar do edital.

Plano Nacional de IoT - Regulamentado em 2019, o Plano Nacional de Internet das Coisas – IoT tem o objetivo de implantar a Internet das Coisas como ferramenta de desenvolvimento sustentável da sociedade brasileira. Para a definição das estratégias do Plano, o BNDES sugeriu quatro verticais de aplicação de IoT: indústria, saúde, rural e cidades. Para cada vertical, foi criada uma Câmara. A Câmara Agro 4.0, liderada pelo Mapa e pelo MCTI, tem como objetivo promover ações de expansão da internet no campo e a aquisição de tecnologias e serviços inovadores no ambiente rural. O Programa Agro 4.0 da ABDI foi listado, na última reunião, como uma das iniciativas acompanhadas pela Câmara.

Conectividade ao campo - O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, destaca a importante missão de levar conectividade ao campo, aliada às novas tecnologias. “O Plano Nacional de Internet das Coisas (IoT.Br) é estratégico para a inovação e competitividade do Brasil em setores como o agronegócio, saúde, indústria, turismo e cidades inteligentes, que foram as áreas definidas como prioridades pelo MCTI no âmbito do Plano. Dentro do agronegócio, as aplicações da Internet das Coisas e outras tecnologias 4.0 vão desde a coleta de dados para a melhoria do solo até a aplicação precisa de defensivos, por exemplo”. (Mapa, com informações da ABDI)

 

INOVAÇÃO II: Paraná vai avançar no agronegócio com criação de laboratório

inovacao II 04 09 2020O Governo do Estado lançou, na quarta-feira (02/08), o projeto de criação do Laboratório de Inovação i-Lab Agro. Ligado ao Sistema Estadual de Agricultura do Paraná (Seagri), ele tem como objetivo tornar o Estado mais competitivo também na área de tecnologia para o agronegócio, da mesma forma que já é na produção de alimentos.

Primeira experiência - Esta é a primeira experiência de um laboratório de inovação voltado ao tema agro dentro do setor público brasileiro. “A determinação do Governo é de ser moderno e inovador. A Secretaria da Agricultura está inovando e traz isso para dentro do Governo”, disse o secretário de Planejamento e Projetos Estruturantes, Valdemar Bernardo Jorge. “

Mudança de paradigma - Segundo ele, é perceptível a mudança de paradigma. “As ações de governo, além de serem realizadas para o cidadão, passam a ser realizadas com o cidadão”, afirmou. “Queremos uma gestão colaborativa, conhecer o território, deliberar com os experts e, depois, tomar decisão e ir para o campo de ação.”

Avanços - O secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, fez uma exposição dos avanços ocorridos no mundo em relação à agropecuária e que resultam particularmente na moderna digitalização e na nova mecanização. Elas incluem, entre outros, o uso da agricultura de precisão, drones, satélites, robôs, máquinas elétricas, inteligência artificial e internet das coisas. “Fazer cada vez melhor com menos recursos e mais sustentabilidade”, resumiu.

Analógico - De outra parte, segundo ele, o serviço público não acompanhou esse processo com o mesmo dinamismo. “A grosso modo, o serviço público continua analógico”, disse o secretário. Por isso, Ortigara destacou o desafio colocado ao novo laboratório de inovação de ouvir experiências mundo afora para possibilitar que o Estado preste um serviço ainda melhor.

Processo - A ideia do Laboratório de Inovação i-Lab Agro nasceu na Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), mas logo foi expandida para os outros órgãos do Sistema Seagri – Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná-Iapar-Emater (IDR-Paraná) e Centrais de Abastecimento do Paraná (Ceasa).

Experiência - Com a experiência adquirida em outros projetos de inovação desenvolvidos pelo Governo, o Serviço Social Autônomo Paraná Projetos, ligado à Secretaria do Planejamento e Projetos Estruturantes, uniu-se à Secretaria da Agricultura e do Abastecimento e ambos assumiram fazer a prototipação do laboratório.

Eventos - O evento de quarta-feira foi o primeiro de uma série de palestras visando a divulgação do sistema de laboratórios de inovação. Foram apresentadas a experiência de transferência de tecnologia da Embrapa Soja, a trajetória da Frísia Cooperativa Agroindustrial diante do processo de inovação, além de uma análise sobre como as pessoas tomam decisões, feita por cientistas comportamentais do Banco Mundial.

Outros modelos - A previsão é que nas próximas seis quartas-feiras, até meados de outubro, outros modelos sejam discutidos com a intenção de ter referências nacionais e internacionais sobre inovação em governo, economia comportamental e transformação digital. Os eventos contam com o apoio da Escola de Liderança, vinculada à Secretaria do Planejamento e Projetos Estruturantes, e da Superintendência Geral de Inovação do Paraná.

Capacitação - Posteriormente, serão promovidos eventos para capacitação de facilitadores e mentores em metodologias de inovação. Eles terão a tarefa de conduzir oficinas de ideação e prototipação do laboratório e darão início ao processo de priorização de iniciativas de inovação a serem desenvolvidas na primeira fase.

Informações - As informações sobre o laboratório e todas as etapas de desenvolvimento podem ser consultadas no site http://agrogov.live. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Seab

 

FAO: Índice de preços globais de alimentos sobe pelo 3º mês seguido

fao 04 09 2020O preço global dos alimentos subiu pelo terceiro mês em agosto, impulsionado por cereais, óleos vegetais e açúcar, disse a agência das Nações Unidas para alimentação nesta quinta-feira (03/09).

Variações mensais - O índice de preços da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), que mede variações mensais em uma cesta de cereais, oleaginosas, laticínios, carne e açúcar, atingiu uma média de 96,1 pontos mês passado, ante 94,3 em julho.

Aumento - O indicador aumentou 1,9% ante o mês anterior, mas teve uma alta de 7% na comparação anual.

Cereais - A FAO, sediada em Roma, também disse em comunicado que a colheita global de cereais segue caminhando para um recorde anual em 2020.

Para baixo- A FAO revisou para baixo sua estimativa para a safra de cereais de 2020 em 25 milhões de toneladas, principalmente devido às expectativas de queda na produção de milho dos Estados Unidos.

Colheita recorde - Porém, apesar da redução, a agência ainda espera uma colheita recorde este ano, de cerca de 2,765 bilhões de toneladas, alta de 3% ante os níveis de 2019. "Colheitas recordes de milho são esperadas na Argentina e no Brasil, enquanto a produção global de sorgo [cereal utilizado na alimentação animal] deve crescer em 6% em relação ao ano anterior. A produção mundial de arroz 2020 também deve atingir um novo recorde de 509 milhões de toneladas", disse a FAO.

Consumo - A previsão para o consumo de cereais em 2020/21 atingiu 2,746 bilhões de toneladas, uma alta de 2% em relação a 2019/20.

Estoques globais - A estimativa para estoques de cereal globais no fim da temporada em 2021 é de 895,5 milhões de toneladas, uma queda de 33,4 milhões de toneladas desde julho. (Reuters/Agência Brasil)

 

MERCADO: Soja acumula quatro semanas de altas em Chicago nesta sexta

Apesar de o mercado atuar com estabilidade na manhã desta sexta-feira (04/09), ainda sobe e testa leves altas na Bolsa de Chicago entre as posições mais negociadas da soja. Os futuros da commodity subiam entre 0,25 e 1,50 ponto nos principais contratos, levando o novembro a US$ 9,67 e o março/21 a US$ 9,73 por bushel.

Ganhos - Os ganhos levam a dez sessões consecutivas de avanço e o mercado da soja na Bolsa de Chicago chega ainda ao seu quarto ganho semanal motivado, principalmente, pela demanda da China nos EUA. E como explicam os especialistas, não é a só a soja que vem sendo comprada pelos chineses, mas outros produtos - com grande destaque para o milho - também estão na pauta e favorecendo a subida de preços de outras commodities.

China - Enquanto a China vai comprando mais, o mercado internacional especula quanto a nova safra norte-americana se perdeu por conta do clima adverso nos EUA, especialmente em agosto.

Tendência altista - Para Steve Cachia, consultor da Cerealpar, "o mercado de soja na Bolsa de Chicago mantém a tendência altista apesar dos comentários de que a quebra da safra americana talvez não seja tão grande quanto esperado. Com isso, a demanda volta a oferecer suporte, com novas compras de soja americana pela China e expectativa de maiores volumes confirmados nos próximos dias e semanas".

Novo boletim - Assim, as expectativas para o novo boletim mensal de oferta e demanda do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) do dia 11 também são grandes para os traders.

Quinta-feira - Veja como fechou o mercado nesta quinta-feira (03/09):

+ Movimento de alta para soja em Chicago dá sinais de desgaste e precisa de novidades para buscar os US$10 por bushel

(Notícias Agrícolas)

SOJA: Volume exportado pelo Paraná já supera o total de 2019

soja 04 09 2020

O volume de soja embarcado pelo Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá nos últimos oito meses já supera em 5,1% o total exportado no ano de 2019. De janeiro a agosto, foram quase 11,15 milhões de toneladas exportadas do grão. No ano passado inteiro, de janeiro a dezembro, foram pouco mais de 10,6 milhões de toneladas da oleaginosa embarcadas pelo complexo.                                      

 

Todos os graneis - Considerando todos os graneis movimentados, o volume chegou a cerca de 14,9 milhões de toneladas de soja, farelo e milho. Faltando ainda quatro meses para o fechamento do ano, o corredor já movimentou quase 74% do volume total registrado em 2019 – 20,2 milhões de toneladas.

 

Contramão - “A atividade portuária foi na contramão dos demais setores da economia mundial. Isso porque nós abastecemos outros países com alimentos. O Paraná é um grande produtor, considerado celeiro do mundo. Nós conseguimos abastecer o mercado interno e mandar o excedente para o mercado externo”, destaca o presidente da empresa pública Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia.

 

Negociação - Nos oito meses de 2019, o complexo paranaense exportou em torno de 13,9 milhões de toneladas de granéis sólidos – soja, farelo e milho. No mesmo período, em 2020, foram 14,9 milhões de toneladas. Aumento de 7%.

 

Fatores - O bom momento é motivado, principalmente, pelo tempo seco, câmbio favorável e a safra recorde de soja. Em agosto, os valores de comercialização do produto atingiram R$ 135,00. O recorde para a saca é de R$ 139,00, em setembro de 2012.

 

Comercialização - A comercialização está bem adiantada no Brasil. A safra 2021 já tem quase 60 milhões de toneladas negociadas, a um preço médio de R$ 122,00 a saca. O que chama a atenção dos especialistas do setor é a antecipação da venda das próximas duas safras, com mais de 3 milhões de toneladas negociadas.

 

Inédita - “Essa venda antecipada é inédita. Os países querem garantir o abastecimento futuro, com um temor de falta de alimentos, devido à pandemia. Além disso, a soja está com um excelente valor para o mercado chinês, o que favorece as negociações”, explica Garcia.

 

Soja - A alta registrada no volume de soja exportado pelo Porto de Paranaguá, de janeiro a agosto, na comparação de 2020 e 2019, impressiona. Este ano, com as quase 11,15 milhões de toneladas, o total de soja em grão embarcado pelo corredor é 52,63% maior que as 7,3 milhões de toneladas do ano passado.

 

Farelo - As exportações do farelo de soja nesses oito meses também estão maiores. Com quase 3,2 milhões de toneladas do produto movimentadas pelo corredor este ano, o volume está 10,3% superior que no ano passado, no período, com pouco mais de 2,9 milhões de toneladas.

 

China - O principal destino da soja em grãos é a China (91%), com outros 14 países comprando 10% do produto que sai via Paranaguá. Já o farelo de soja, 23% é enviado para Holanda, 18% para França e 13% para Coreia do Sul. O restante é destinado para outros 15 países.

 

Milho - O volume de milho embarcado, aos poucos, começa a crescer, principalmente pela chegada da nova safra. Porém, na comparação do acumulado de 2020 com 2019 ainda apresenta queda. Este ano, apenas 546.334 toneladas do produto foram exportadas pelo Corredor do Porto de Paranaguá. Em 2019, de janeiro a agosto, foram mais de 3,7 milhões de toneladas do produto embarcadas.

 

Desempenho atípico - Como explicam os operadores do complexo, a queda de mais de 85% se justifica pelo desempenho atípico do milho no mercado em 2019. Este ano, porém, a soja é que ganhou mais espaço.

 

Boletim - Segundo o último boletim Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, aproximadamente 67% das lavouras de milho (segunda safra 19/20) já foram colhidas e 59% da produção total esperada (11,7 milhões de toneladas) já estão vendidas. (Agência de Notícias do Paraná)

 

INFRAESTRUTURA: Governo prevê investimentos privados de mais de R$ 40 bi em ferrovias

infraestrutura 04 09 2020O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, disse nesta quinta-feira (03/09) que o governo tem como meta atrair mais de R$ 40 bilhões de investimentos privados no sistema ferroviário brasileiro nos próximos anos.

Dobro - “O que está sendo plantado agora vai fazer com que a participação do modo ferroviário na matriz [de transportes] dobre nos próximos oito anos. Isso vai criar competição entre os operadores e vai ter repercussão imediata no frete”, disse o ministro durante a conferência online Indústria em Debate: Infraestrutura e Retomada da Economia, promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Exemplo - Ele citou como exemplo a renovação de concessão de duas estradas de ferro administradas pela mineradora Vale, a Estrada de Ferro Vitória a Minas e a Estrada de Ferro Carajás, que vai permitir o investimento privado de R$ 17 bilhões na malha ferroviária.

Ferrogrão - Entre as obras citadas pelo ministro, estão o projeto de concessão da Ferrogrão, nova ferrovia que ligará Sinop, no norte de Mato Grosso, a Itaituba, no Pará, em análise no Tribunal de Contas da União (TCU), e deve atrair R$ 12 bilhões em investimentos, e o trecho da Ferrovia Norte-Sul, que vai ligar o Porto de Itaqui (MA) ao Porto de Santos e terá R$ 2,8 bilhões de investimento.

Assessoramento - Freitas destacou que entidades ambientais internacionais estão assessorando na elaboração de projetos para que já “nasçam com o selo verde”. “Precisamos fazer projetos sustentáveis por uma razão muito simples, para ter acesso a mais uma forma de funding (financiamento). A gente sabe que os fluxos financeiros vão estar atrelados aos padrões ambientais”. (Agência Brasil)

FOTO: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

 

ECONOMIA: Endividamento e inadimplência crescem no país em agosto, diz CNC

O percentual de famílias endividadas (com atraso ou não) e inadimplentes (com contas em atraso) aumentou em agosto deste ano. O endividamento atingiu 67,5% das famílias brasileiras, de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira (03/09) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), acima dos 67,4% de julho deste ano e dos 64,8% de agosto do ano passado.

Inadimplência - Já a inadimplência chegou a 26,7% das famílias em agosto, percentual superior aos 26,3% de julho deste ano e aos 24,3% de agosto do ano passado.

Condições de pagar - As famílias que não terão condições de pagar suas contas chegou a 12,1% acima de julho (12%) e de agosto do ano passado (9,5%).

Poupança - Segundo o presidente da CNC, José Roberto Tadros, as famílias com maior renda têm aumentado a poupança em detrimento do consumo, principalmente de serviços, mas as famílias com renda mais baixa têm tido mais necessidade de crédito.

Redução de parcelas - De acordo com a CNC, embora estejam mais endividadas, as famílias reduziram a parcela média da renda comprometida com dívidas em agosto. Entre as famílias endividadas, 21,4% afirmaram ter mais da metade da renda mensal comprometida com o pagamento destas dívidas, a terceira queda consecutiva depois de ter atingido 22,4% em abril. (Agência Brasil)

CÂMBIO: Dólar fecha no menor nível em um mês em dia de reforma administrativa

cambio 04 09 2020No dia em que a proposta de reforma administrativa chegou ao Congresso Nacional, o dólar fechou no menor nível em um mês e teve o melhor desempenho entre as principais moedas do planeta. O dólar comercial encerrou esta quinta-feira (03/09) vendido a R$ 5,291, com recuo de R$ 0,026 (-1,27%). A cotação está no menor valor desde 4 de agosto, quando tinha fechado em R$ 5,284.

Terceiro dia - Esse foi o terceiro dia consecutivo de queda no dólar. Desde quando fechou e R$ 5,61, em 26 de agosto, a moeda norte-americana recuou 5,73%. Em 2020, a divisa acumula alta de 31,83%.

Fatores - Além do envio da reforma administrativa, que pode resultar na diminuição de gastos públicos no longo prazo, o dia foi marcado pela divulgação de que a produção industrial cresceu 8% em julho na comparação com o mês anterior. O dado indica início de recuperação na economia, após a crise provocada pela pandemia do novo coronavírus.

Ações - O desempenho do dólar não se repetiu no mercado de ações. O índice Ibovespa, da B3 (a bolsa de valores brasileira), encerrou a quinta-feira aos 100.721 pontos, com recuo de 1,17%. Pela manhã, o índice subiu, mas reverteu o movimento e passou a cair, acompanhando as bolsas estrangeiras.

Nova York - Em Nova York, o índice Nasdaq (das empresas de tecnologia) caiu 5% e o S&P 500 cedeu 3,5%, depois de baterem recordes seguidos nos últimos dias. Além da realização de lucros, quando os investidores vendem ações para embolsarem ganhos recentes, as bolsas norte-americanas caíram por causa da divulgação de dados que trouxeram receios de uma recuperação lenta e prolongada da economia norte-americana. (Agência Brasil, com informações da Reuters)

 

REFORMA ADMINISTRATIVA: Proposta prevê criação de novos vínculos

reforma administrativa 04 09 2020A reforma administrativa apresentada nesta quinta-feira (03/09) pelo governo federal prevê a criação de novos tipos de vínculos e maior tempo para efetivação no cargo. Secretários do Ministério da Economia concederam entrevista coletiva sobre a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) da Nova Administração Pública.

Novos vínculos - A matéria prevê a criação de novos vínculos. O regime jurídico único dará lugar a vínculos distintos. No ingresso por concurso público, haverá estabilidade após três anos para cargo típico de Estado e o cargo por prazo indeterminado.

Seleção simplificada - No ingresso por seleção simplificada, haverá vínculo por prazo determinado, que substituirá a contratação temporária, e ainda cargos de liderança e assessoramento, em substituição a cargos comissionados e funções gratificadas.

Estágio probatório - Segundo o ministério, o estágio probatório atual é uma “mera formalidade”. No Executivo federal, o percentual de servidores desligados no período de estágio probatório (dado de 2016 até junho de 2019) é de 0,4%.

Experiência - Na proposta, o estágio probatório cede lugar ao vínculo de experiência, que durará pelo menos dois anos. Essa etapa passa a fazer parte do concurso público em que não há direito automático ao cargo e os mais bem avaliados ao final do vínculo de experiência serão efetivados. Após o vínculo de experiência, haverá ainda um ano de experiência antes de o servidor passar a ter estabilidade.

Desligamento de servidor - O desligamento de servidor atualmente ocorre por sentença judicial transitada em julgado. Há ainda a possibilidade de desligamento por infração disciplinar, que não tem regulamentação. Segundo o Ministério da Economia, no governo federal, em 2018, foram desligados 388 servidores (0,07% da força de trabalho).

Engessado - Para o ministério, o modelo atual é engessado, com “manutenção de servidores em atividades em que não há mais demanda e incapacidade de adaptações e ajustes”.

Proposta - A proposta é que não será mais necessário aguardar trânsito em julgado para a demissão. Valerá também decisão judicial proferida por órgão colegiado. Será mantida a demissão por insuficiência de desempenho, que deverá ser regulamentada por lei ordinária e não mais por lei complementar.

Definição em lei - Outras hipóteses de demissão, para os cargos com prazo indeterminado, serão definidas em lei. De acordo com o ministério, não será permitida demissão arbitrária, por questões político-partidárias.

Acumulação de cargos - A PEC também prevê a simplificação das regras de acumulação de cargos, em que o servidor pode acumular mais de um cargo, observada compatibilidade de horário. A exceção é para o ocupante de cargo típico de Estado, em que será possível acumular cargo somente de docência ou na área de saúde.

Eliminação de benefícios - A proposta prevê a eliminação dos seguintes benefícios: licença prêmio (a cada cinco anos, três meses de licença - não existe no governo federal desde 1999); aumentos retroativos; férias superiores a 30 dias por ano; adicional por tempo de serviço (aumento automático do salário em 1% a cada ano); aposentadoria compulsória como punição; parcelas indenizatórias sem previsão legal; adicional ou indenização por substituição não efetiva (casos de sobreaviso, sem ocupação efetiva); redução de jornada sem redução de remuneração, salvo por saúde; progressão ou promoção baseada exclusivamente em tempo de serviço; e incorporação ao salário de valores referentes ao exercício de cargos e funções.

Novos princípios - O texto da emenda constitucional também altera o Artigo 37 da Constituição Federal e inclui nove novos princípios da administração pública. Assim, passam a figurar como princípios da administração pública a imparcialidade, a transparência, a inovação, a proporcionalidade, a responsabilidade, a subsidiariedade, a unidade, a coordenação e a boa governança. Eles se juntam aos princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência.

Cooperação - A proposta também prevê que União, estados, Distrito Federal e municípios poderão cooperar com órgãos ou entidades públicas e privadas para prestar serviços, compartilhar recursos humanos e capacidade instalada.

Fases da mudança - A primeira fase das mudanças será por meio do Novo Regime de Vínculos e Modernização Organizacional da Administração Pública, com o envio da PEC ao Congresso Nacional.

Projetos de lei - Depois serão necessários projetos de lei sobre gestão de desempenho; modernização das formas de trabalho; consolidação de cargos, funções e gratificações; arranjos institucionais; diretrizes de carreiras; e ajustes no Estatuto do Servidor.

Terceira fase - Na terceira fase, o governo enviará o Projeto de Lei Complementar (PLP) do Novo Serviço Público, com o novo marco regulatório das carreiras; governança remuneratória; e direitos e deveres do novo serviço público.

Tramitação - De acordo com o secretário especial adjunto da Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia, Gleisson Rubin, o envio desses projetos de lei pelo governo ao Congresso vai depender do ritmo de tramitação da PEC no Congresso Nacional. “Trata-se de questões novas que a PEC está trazendo.”

Autonomia - A proposta prevê ainda maior autonomia organizacional para o Executivo. O presidente da República poderá, se não houver aumento de despesa: extinguir cargos (efetivos ou comissionados), funções e gratificações; reorganizar autarquias e fundações; transformar cargos, quando vagos, mantida a mesma natureza do vínculo; reorganizar atribuições de cargos do Poder Executivo; extinguir órgãos. A criação de novos órgãos, entidades ou a transformação que resulte em aumento de despesa continua dependendo de aprovação pelo Legislativo.

Servidores atuais - A estabilidade dos servidores que já ingressaram no serviço público continua nos mesmos termos da Constituição atual. Os vencimentos dos servidores atuais não serão reduzidos. (Agência Brasil)

FOTO: Palácio do Planalto

 

BENEFÍCIO: Governo edita medida provisória com auxílio emergencial de R$ 300 até dezembro

beneficio 04 09 2020A Medida Provisória 1000/20 oficializa o auxílio emergencial de R$ 300 que será pago em quatro parcelas, entre setembro e dezembro. O valor havia sido antecipado pelo governo na última terça-feira (01/09) e é metade do que foi repassado entre abril e agosto.

MP - A MP foi publicada na edição desta quinta (03/09) do Diário Oficial da União, que também traz a Medida Provisória 999/20, de crédito extraordinário. Ela libera R$ 67,6 bilhões para o Ministério da Cidadania pagar o benefício. O dinheiro virá da emissão de títulos públicos (novas dívidas).

Residual - O novo benefício, que o governo chama de “auxílio emergencial residual”, será pago automaticamente aos atuais beneficiários, que não vão precisar requerer as novas parcelas. A medida provisória, porém, proíbe o pagamento para quem mora no exterior, esteja preso em regime fechado ou tenha bens de valor total superior a R$ 300 mil.

Sem direito - Também não terá direito quem recebeu, em 2019, rendimentos superiores a R$ 40 mil e alguns tipos de dependentes de contribuinte do Imposto de Renda, como cônjuge e filho ou enteado com menos de 21 anos ou menos de 24 ainda estudando.

Limite - A MP limita o recebimento do auxílio a duas cotas por família, mas garante duas cotas para a mulher provedora de família monoparental.

Cofres do governo - O texto que entrou em vigor nesta quinta determina ainda que os recursos que não forem sacados pelos beneficiários ou não movimentados em prazo definido em regulamento retornarão para os cofres do governo.

Criação - O auxílio emergencial foi aprovado pelo Congresso Nacional com o objetivo de atender as pessoas que perderam renda em razão da pandemia. A Lei 13.982/20 previa o pagamento por três meses (abril a junho). O governo acrescentou mais dois (julho e agosto) por decreto. Tiveram direito ao benefício os trabalhadores informais, desempregados, microempreendedores individuais (MEIs) e contribuintes individuais do INSS.

Destinação - No total, foram destinados R$ 254,2 bilhões para o pagamento do auxílio de R$ 600, um custo mensal de R$ 50,8 bilhões.

Tramitação - A MP 1000/20 será analisada diretamente no Plenário da Câmara, conforme o rito sumário de tramitação definido pelo Congresso Nacional durante o período de calamidade pública. (Agência Câmara de Notícias)

FOTO: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

 

SAÚDE I: Brasil chega a 4 milhões de casos acumulados

O Brasil atingiu pouco mais de 4 milhões de casos acumulados de covid-19, segundo informa o balanço do Ministério da Saúde divulgado nesta quinta-feira (03/09). Desde o início da pandemia, 4.041.638 pessoas foram infectadas com o coronavírus. Entre quarta e quinta-feira (02 e 03/09), as secretarias de saúde acrescentaram às estatísticas 43.773 novos pacientes diagnosticados com a doença. Na quarta, o sistema de dados sobre a pandemia trazia 3.997.865 casos desde o início da pandemia.

Mortes - Ainda conforme a atualização, a pandemia do novo coronavírus é responsável por 124.614 mortes. Nas últimas 24 horas, foram registrados 834 novos óbitos em decorrência da doença.

Recuperados - O boletim informa também que a taxa de recuperados aumentou, e já passa de 80% do número total de vítimas. O Brasil registra 3.247.610 pacientes recuperados - 80,4% do total de infectados. Outras 669.414 pessoas ainda estão sob cuidados médicos e são consideradas casos em acompanhamento.

Queda - Na quarta-feira (02/09), o Ministério da Saúde apresentou o novo boletim epidemiológico que apontou queda de 11% nas mortes na comparação entre a última semana epidemiológica (35ª) e a anterior (34ª). Se considerado o número de casos, o número semanal ficou estabilizado. (Agência Brasil)

saude I quadro 04 09 2020

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

saude I tabela I 04 09 2020

 

SAÚDE II: Boletim registra 2.228 novos casos de coronavírus

saude II 04 09 2020A Secretaria de Estado da Saúde confirma nesta quinta-feira (03/09) 2.228 novos casos e 50 óbitos pela infecção causada pelo novo coronavírus. O Paraná soma 136.391 casos e 3.411 mortes em decorrência da doença. Há ajustes nos casos confirmados detalhados ao final do texto.

Internados - São 1.006 pacientes internados com diagnóstico confirmado de Covid-19: 857 pacientes estão em leitos SUS (389 em UTI e 468 em leitos clínicos/enfermaria) e 149 em leitos da rede particular (48 em UTI e 101 em leitos clínicos/enfermaria).

Exames - Há outros 1.243 pacientes internados, 515 em leitos UTI e 728 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo vírus Sars-CoV-2.

Óbitos - A secretaria estadual informa a morte de mais 50 pacientes. Todos estavam internados. São 23 mulheres e 27 homens com idades que variam de 34 a 94 anos. Os óbitos ocorreram entre 23 de julho a 03 de setembro.

Residência - Os pacientes que faleceram residiam em: Curitiba (22), Araucária (3), Campo Largo (2), Colombo (2), Ponta Grossa (2), São José dos Pinhais (2), além de um óbito registrado nos seguintes municípios: Almirante Tamandaré, Cambé, Dois Vizinhos, Foz do Iguaçu, Guaratuba, Itambaracá, Itaperuçu, Ouro Verde do Oeste, Paranaguá, Pato Branco, Pérola d´Oeste, Pinhais, Quedas do Iguaçu, Ribeirão do Pinhal, Santana do Itararé, Telêmaco Borba e Toledo.

Fora do Paraná - O monitoramento da secretaria estadual registra 1.474 casos de pessoas que não moram no Estado. Destas, 38 foram a óbito.

Ajustes - Alteração de município

Um caso confirmado no dia 24/06 em Cianorte foi transferido para Jussara;

Um caso confirmado no dia 01/09 em Laranjeiras do Sul foi transferido para Dois Vizinhos;

Um óbito confirmado no dia 15/06 em Contriguaçu/MT foi transferido para Adrianópolis. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o informe completo.

 


Versão para impressão


RODAPE