Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4852 | 26 de Junho de 2020

SEMINÁRIO I: Gestão é ciência e não arte, diz professor Nadim Habib, da Nova School

 

Discutir como um modelo de gestão e governança de excelência pode ajudar na construção de uma cultura organizacional vencedora, a partir de práticas focadas nas pessoas, na eficiência e na busca por melhores resultados. Com este objetivo, o Sistema Ocepar promoveu na manhã desta quinta-feira (25/06) o Seminário de Gestão das Cooperativas do Paraná. “Temos como propósito fomentar a adoção de boas práticas, por este motivo, Programa de Excelência da Gestão implantado pelo Sistema Ocepar, por meio do Sescoop/PR, é importante e prioritário. A realização deste Seminário marca o início da quarta fase do Programa. Nosso propósito é estimular a reflexão sobre o tema, orientar quanto à adoção de boas práticas e dar visibilidade para as ações que estão trazendo resultados”, afirmou o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken.

 

Tirando proveito da tecnologia - O Seminário de Gestão foi organizado pela Coordenação de Gestão Estratégica do Sistema Ocepar. Participaram diretores de cooperativas, líderes e demais profissionais ligados às atividades de gestão e governança. “Ficamos três horas reunidos e, por volta do meio dia, tínhamos 135 pessoas conectadas. Chegamos a ter 200 participantes online. Se esse evento fosse presencial, certamente, teríamos uma presença menor. Isto mostra que, em meio a dificuldades, também surgem oportunidades. A utilização da tecnologia para reuniões e eventos online, é algo que veio para ficar”, disse Ricken.  “O Sescoop/PR vem se reinventando nessa questão digital para continuar oferecendo às cooperativas instrumentos para que elas possam investir no desenvolvimento das pessoas”, completou o superintendente do Sescoop/PR, Leonardo Boesche.

 

Palestrante internacional - O formato online permitiu a primeira participação de um palestrante internacional em um Seminário de Gestão. O professor Nadim Habib, da Nova School of Business Economics de Lisboa (Portugal) abriu a programação abordando o tema “Um olhar estratégico dos impactos da pandemia e as novas perspectivas para a economia global”.

 

Um novo jeito de trabalhar - Em sua fala, o professor Nadim estacou que “embora a pandemia seja um choque, ela só acelerou um processo de mudança que já vinha acontecendo”. “Agora temos que achar um novo jeito de trabalhar, investir mais no processo produtivo e olhar para a administração da empresa como uma ciência e não uma arte”, afirmou.

 

Adotem práticas que funcionem - De acordo com Nadim, “a crise tem maior impacto nas empresas mais fragilizadas e cria oportunidades para as empresas que sabem o que estão fazendo”. “Os países mais desenvolvidos são os que mais adotam práticas de gestão. Mas não inventam, eles adotam o que já existe, com disciplina. Vocês estão a gerir pessoas, clientes, dinheiro, e existem práticas que funcionam. Parem de inventar e adotem o que funciona”, frisou.

 

Reação à crise - Como os setores econômicos estão reagindo à crise foi o tema tratado pelo decano e professor da Escola da Escola de Negócios da PUC/PR, Bruno Fernandes. “Boa parte das previsões se confirmaram. Quem mais sofreu com essa crise foram as empresas que atuam no final das cadeias produtivas, disse o professor, lembrando que o setor de serviços teve queda média de 11%, sendo que o turismo foi o que mais sofreu, com queda 54,5%.  Na outra ponta, entre os setores que enfrentaram bem crise, o e-commerce apresentou o maior nível crescimento: 122% em transações e 39% em faturamento. “Os negócios que já estavam preparados para o e-commerce se beneficiaram desse movimento de migração que acabou sendo acelerado. A experiência de países que já passaram pela pandemia mostra os hábitos antigos de consumo ainda não se estabilizaram”, contou.

 

Empregos - De acordo com o professor a crise também forçou as empresas a adotarem o trabalho remoto de maneira abrupta, ou seja, sem que houvesse preparo prévio, inclusive de hábitos, rotinas e infraestrutura. “Estudos já mostram que empresas e empregados estão se acostumando e vendo as vantagens no trabalho remoto, como menos deslocamentos e uma menor necessidade de espaços físicos.  A tendência no pós-crise é que o trabalho presencial seja retomado, mas não em sua totalidade, abrindo possibilidades para que o empregado possa fazer de 1 a 2 dias de home office”, disse. Bruno Fernandes também ressaltou que esta crise está sendo cruel do ponto de vista de eliminação de trabalho. “Segundo pesquisadores, algumas perdas serão permanentes. São empresas que vão mudar a forma de trabalho. A perspectiva é que após a crise, a produtividade seja retomada, mas não por aumento de mão de obra, mas por mudanças de processos”, concluiu.

 

Oportunidades - Na opinião do professor, um ponto positivo é que essa crise foi uma oportunidade de acelerar o processo de transformação digital. “Será que essa mudança, principalmente em relação à tecnologia, não é uma oportunidade de trabalhar a proximidade e o relacionamento com os cooperados, principalmente, com as novas gerações? Também não será uma oportunidade de alavancar a imagem da empresa, apoiando causas sociais e mostrando que o cooperativismo sempre teve um diferencial nesse aspecto?”, questionou.

 

Boas práticas - Na parte final do Seminário de Gestão houve apresentação dos cases de boas práticas da Cocamar e da Sicredi Integração PR/SC. “Há 20 anos temos trabalhado com a profissionalização da gestão, sempre buscando um modelo de gestão transparente que traga resultado tanto para a cooperativa quanto para o cooperado”, disse a gerente executiva de TI e Gestão da Cocamar, Paula Cristina Agulhas Rebelo. “De fato, a pandemia só acelerou mudanças que vinham ocorrendo. O Sicredi já vinha se preparando, atuando na contramão dos bancos, ampliando sua estrutura de atendimento e intensificado a participação do cooperado. O que precisamos agora é aprimorar novos meios para manter contato com o quadro social”, disse Rafael Reis, diretor executivo da Sicredi Integração PR/SC.

 

{vsig}2020/noticias/06/26/seminario_I/{/vsig}

SEMINÁRIO II: Especialistas participam de seminário sobre gestão

 

seminario II 26 06 2020Nesta quinta-feira (25/06), a Cooperativa Bom Jesus participou de uma live com o tema Seminário de Gestão, em evento organizado pelo Sistema Ocepar. Pela Bom Jesus participaram do evento o diretor presidente, Luiz Roberto Baggio; o diretor vice-presidente, Milton Locatelli; o diretor secretário, Marcelo Kosinski; o gerente administrativo, Eurico Woitowicz; o gerente contábil, Alceu Opolis; o coordenador de crédito, Sérgio Baggio; e os colaboradores da área de controladoria, Josias Alves e o auditor patrimonial, Guilherme Krainski. 

 

Objetivo - O Seminário de Gestão teve como objetivo demonstrar como a utilização contínua do modelo de excelência apoia a construção de uma cultura organizacional vencedora, a partir de práticas de gestão focadas nas pessoas, na eficiência e na busca por melhores resultados. 

 

Protagonismo - Durante o evento, Luiz Roberto Baggio destacou que o cooperativismo é protagonista em gestão na sociedade. "Estamos padronizando toda a evolução da nossa governança e do nosso compliance. Nós, enquanto cooperativas, não importa o ramo, a atividade, estamos nos transformando em exemplo de gestão com a sociedade, porque somos baseados em princípios e valores. Em relação a princípios, qual é a empresa que não quer adotar o que  nós temos? Somos protagonistas de um modelo e de um processo de evolução, em especial no Paraná", afirmou. . 

 

Participação - O seminário, que teve a participação do presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, e foi assistido por várias cooperativas paranaenses, constou de  palestras com Nadim Habib, professor da Nova School of Business and Economics de Lisboa (Portugal); Bruno Fernandes, decano e professor da Escola de Negócios da PUC/PR, além de apresentação de cases de sucesso com Paula Rebelo, gerente executiva de TI e Gestão da Cocamar, e Rafael Preis, diretor executivo do Sicredi Integração PR/SC. (Imprensa Cooperativa Bom Jesus)

 

Foto: Sergio Baggio/Bom Jesus

COVID-19 I: Confira o comunicado 63 do Comitê de Acompanhamento do Sistema Ocepar

 

Nesta sexta-feira (26/06), o Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 do Sistema Ocepar divulgou o  comunicado 63, com informações relacionadas ao cooperativismo paranaense, entre as quais o Seminário de Gestão, realizada no dia 25 de junho, entre outros assuntos relevantes, como a Solução de Consulta da Receita Federal, que trata  de Contribuições Sociais Previdenciárias. Veja abaixo:

 

1. O Sistema Ocepar realizou o Seminário de Gestão, de  forma virtual, no dia 25 de junho, a fim de proporcionar o compartilhamento de boas práticas de gestão para as cooperativas paranaenses, com aproximadamente 200 participantes, que acompanharam as palestras dos professores Nadim Habib, da Nova School de Lisboa (Portugal), e Bruno Fernandes, da PUCPR, e os cases das cooperativas Cocamar e Sicredi Integração PR/SC.

 

2. No dia 25 de junho, o Sistema OCB reuniu o Grupo Técnico – Crédito Rural de forma retoma, para avaliar o Plano Safra 2020-2021, com a participação da Ocepar e cooperativas agropecuárias.

 

3. O Sistema OCB realizou, de forma virtual, também no dia 25 de junho, reunião com o Grupo Técnico – Frigoríficos, para tratar da Portaria Conjunta nº 19 sobre o protocolo de prevenção da Covid-19 em frigoríficos e laticínios, com a participação da Fecoopar, Ocepar e das cooperativas agropecuárias.

 

4. No dia 23 de junho, o Receita Federal publicou a Solução de Consulta nº 53 – Contribuições Sociais Previdenciárias, que traz interpretação sobre o recolhimento da contribuição previdenciária para o produtor rural pessoa jurídica que optar por contribuir sobre a folha de saláriosPara acessar clique aqui.

 

O Comitê - O Sistema Ocepar constituiu o Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 com objetivo de monitorar, receber, avaliar e comunicar seus públicos sobre as informações mais recentes ligadas à disseminação e precauções que devem ser tomadas diante da epidemia da doença. O grupo é formado pela Diretoria Executiva, coordenações de Gestão Estratégica e de Comunicação Social, com assessoramento jurídico e colaboração da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa).

COVID-19 II: Confira o comunicado 62 do Comitê de Acompanhamento do Sistema Ocepar

 

O Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 do Sistema Ocepar emitiu, nesta quinta-feira (25/06), o comunicado 62, com mais informações ligadas ao cooperativismo paranaense, como a reunião institucional ocorrida com a Cooperativa Coamig e a realização do Fórum das Fiações, ambos no dia 24 de junho. Traz, ainda, a publicação da Lei Federal 14.016, que trata sobre o combate ao desperdício de alimentos e a doação de excedentes, que também abrange as cooperativas. Confira abaixo.

 

1. O Sistema Ocepar realizou de forma virtual, no dia 24 de junho, a Reunião da Autogestão com a Cooperativa Coamig, contando com a participação do presidente, diretores e gestores.

 

2. No dia 24 de junho, o plano de ação para o Dia C – Dia de Cooperar, que neste no será celebrado no dia 4 de junho, foi um dos assuntos tratados na reunião do Comitê de Acompanhamento da Covid-19 do Sistema Ocepar.

 

3. A Ocepar realizou de forma virtual, no dia 24 de junho, o tradicional Fórum das Fiações, com objetivo de discutir as tendências de recuperação e retomada de mercado para algodão e fios.

 

4. No dia 23 de junho, o Governo Federal publicou a Lei nº 14.016, que dispõe sobre o combate ao desperdício de alimentos e a doação de excedentes de alimentos para o consumo humano. Pela lei, empresas produtoras e fornecedoras de alimentos - incluídos aqueles in natura, produtos industrializados e refeições prontas - ficam autorizadas a doar excedentes não comercializados e ainda próprios ao consumo humano. Para acessar, clique aqui

 

O Comitê - O Sistema Ocepar constituiu o Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 com objetivo de monitorar, receber, avaliar e comunicar seus públicos sobre as informações mais recentes ligadas à disseminação e precauções que devem ser tomadas diante da epidemia da doença. O grupo é formado pela Diretoria Executiva, coordenações de Gestão Estratégica e de Comunicação Social, com assessoramento jurídico e colaboração da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa).

 

COVID-19 III: Ações das cooperativas que foram destaque na semana

 

covid III 26 06 2020A Área Covid-19 do Portal Paraná Cooperativo traz hoje as notícias da semana referentes às ações da cooperativas do Paraná frente à pandemia do novo Coronavírus. O espaço é atualizado toda sexta-feira, a partir de notícias publicadas no Informe Paraná Cooperativo. Saiba quais são as ações solidárias que as cooperativas estão promovendo nesse momento de crise. Lá, é possível acessar também os comunicados do Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 do Sistema Ocepar. Há ainda uma seção de perguntas e respostas, com esclarecimentos relativos à pandemia. Leia e pregistigie porque #TodoDiaDiaDeCooperar. Clique aqui e confira

COOPERATIVISMO: Câmara aprova a realização permanente de assembleias digitais

 

cooperativismo 26 06 2020A Câmara aprovou, nesta quinta-feira (25/06), o relatório do deputado Enrico Misasi (SP) à MP 931/2020, que trata da realização de assembleias gerais ordinárias por cooperativas durante a pandemia de Covid-19. Após reunião com a OCB, o deputado decidiu mudar seu relatório que, inicialmente, autorizava as assembleias virtuais apenas durante a pandemia. Agora, com a alteração na Lei 5.764/71 fica permitida a participação e votação virtual de forma permanente.

 

Nove meses - Outra solicitação da OCB atendida foi a ampliação da permissão de realização de AGOs em 2020 até nove meses (setembro) após o término do exercício social. O deputado Evair de Melo (ES), presidente da Frencoop, atuou diretamente nesse pleito para contemplar mais uma demanda das nossas cooperativas, em especial daquelas que ainda não possuem infraestrutura necessária para realização de AGOs por meios virtuais.

Continuidade - Vale destacar, também, que o texto assegura a continuidade dos mandatos administrativos nas cooperativas e, também, nas unidades estaduais até o momento da realização da AGO. (Clique aqui para conferir)

 

Publicação eletrônica - A publicação eletrônica de editais, embora defendida pela OCB e Frencoop, não foi acolhida pelo relator. A matéria segue, agora, para avaliação do Senado. (OCB)

 

FOTO: Michel Jesus / Câmara dos Deputados

 

SICREDI VALE DO PIQUIRI: Cooperativa está entre as melhores empresas para mulheres trabalharem em 2020

 

sicredi vale piquiri 26 06 2020A cooperativa Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP foi premiada na quarta edição GPTW Mulher realizado pelo GPTW Brasil (Great Place to Work). A condecoração reconhece empresas de médio e grande porte que adotam políticas internas inclusivas para mulheres, além de clima organizacional e boas práticas favoráveis ao desenvolvimento de lideranças femininas. 

 

Empresas inscritas - Na edição deste ano, o Ranking Mulher contou com 640 empresas inscritas, representando mais de 661 mil colaboradores. No total, 70 empresas foram premiadas, sendo 35 de grande porte e a outra metade de médio porte. A Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP foi destaque na premiação entre empresas de médio porte.

 

Promoção de lideranças - Nos últimos anos, o Sicredi, por meio das cooperativas filiadas, vem desenvolvendo iniciativas para estimular a participação feminina na instituição. Os projetos realizados têm encorajado mulheres no aprimoramento profissional e na atuação junto ao cooperativismo. Nos estados do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro, a consolidação dos Comitês Mulher tem reforçado o compromisso da instituição financeira cooperativa com a igualdade de gênero visando ao cumprimento do quinto Objetivo do Desenvolvimento Sustentável (ODS), estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU) e que trata sobre o tema.  

 

Comitês - Os Comitês Mulher desenvolvido por 24 cooperativas do Sicredi, nos três estados, têm como objetivo incentivar, por meio de palestras, encontros e eventos, a formação de lideranças femininas no cooperativismo e também nas comunidades. O processo já resultou em 62 integrantes eleitas coordenadoras de núcleo e 15 nomeadas como conselheiras das cooperativas nas eleições realizadas pelas cooperativas, em 2019. 

 

Reconhecimento internacional - Esse trabalho rendeu ao Sicredi o reconhecimento internacional Athena Award, concedido pelo Conselho Mundial das Cooperativas de Crédito (WOCCU), em 2018. Inclusive, uma das colaboradoras da Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, Claudia Bonatti, é uma das “peers” da Rede Global de Lideranças Femininas da entidade. 

 

Inclusão e empoderamento - “Os conceitos de inclusão e empoderamento, tão discutidos nos últimos anos, refletem a essência de igualdade e democracia presentes no sistema cooperativo. Por isso, a atuação do Sicredi, em essência, visa encorajar mulheres na busca pelo aprimoramento de capacidades para garantir maior atuação feminina nas cooperativas, principalmente nos comitês e diretorias”, analisa gerente de Desenvolvimento do Cooperativismo da Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, Cláudia Bonatti.

 

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4,5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.900 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP)

 

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

INTEGRADA: Mercado em alta

integrada 26 05 2020Diante do cenário político e econômico nos mercados internos e externos, a valorização da moeda norte-americana frente ao real tende a continuar nos próximos meses. A afirmação é do consultor da MB Agro, Alexandre Mendonça de Barros, durante transmissão ao vivo (live), ocorrida na quarta-feira (24/06), em multiplataformas, no canal do Youtube e na página do Facebook da Integrada. Segundo o consultor, a média deve variar entre R$ 5 a R$ 5,50 para cada US$ 1. Clique aqui https://youtu.be/0-OhRiDRy_I e assista à apresentação completa, com o tema A evolução do agronegócio no cenário atual e suas perspectivas.

 

Cenário agrícola- Sob a moderação do superintendente comercial da cooperativa, João Bosco de Azevedo, Barros traçou, além do cenário cambial, um panorama sobre o cenário agrícola nacional e internacional. O consultor avaliou que, ao contrário do que se esperava, o consumo por alimentos continua em alta, mais especificamente os produtos da linha básica. No caso das commodities, mais precisamente o trigo, “houve uma maior demanda de produtos como macarrão e biscoitos”, completa o consultor. Mesmo com o aumento no número de desempregados no Brasil, resultado da pandemia, o especialista frisou que a economia irá começar a retomar de forma gradual nos próximos meses. 

 

Safra - O consultor da MB Agro afirmou que, pelos altos preços da soja, há uma tendência de aumento na área plantada na safra 2020/21. Com o câmbio em alta, muitos produtores têm aproveitado para travar a sua produção. Só na Integrada, de acordo com o superintendente comercial, João Bosco de Azevedo, mais de 40% da próxima safra de soja já foi fixada na cooperativa.

 

Mundo - No cenário global do agronegócio, o milho de inverno tende a ter uma boa safra, principalmente no estado do Mato Grosso.

 

Clima - Contudo, o cenário climático delineia um quadro com alta probabilidade de La Niña, fenômeno que esfria as águas do oceano Pacífico e que resulta em menos chuva para a região sul do Brasil.

 

Estimativa de produção- A estimativa de produção de milho no Brasil é de 61 milhões de toneladas. Antes do início da safra e também da estiagem, que afetou as principais regiões produtoras, incluindo o Paraná, calculou-se uma produção de 80 milhões de toneladas.

 

Trigo - Para o trigo, Barros afirma que os estoques e o uso mundial do cereal estão alinhados. No entanto, na Argentina, principal produtor e exportador de trigo e, também, um dos principais fornecedores para o Brasil, há a possibilidade de haver entrave no câmbio argentino, pois a alta do dólar frente ao peso argentino, tem elevado os custos de produção. Por isso, o cenário é incerto.

 

Paraná - A princípio, os números para o trigo são positivos para o Paraná. De acordo com dados do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (Seab), estima-se uma produção de 3,54 milhões de toneladas de trigo, volume 65% maior no comparativo com o mesmo período da safra anterior, quando foram produzidas 2,14 milhões de toneladas.

 

Queda na produção- Para o milho, o cenário estimado para o Paraná é de queda na produção. De acordo com o órgão, os paranaenses devem produzir nesta segunda safra 11,26 milhões de toneladas, volume 15% menor no comparativo com o mesmo período da safra anterior, quando foram produzidas 13,24 milhões de toneladas. (Imprensa Integrada)

COCARI: Cooperativa realiza Dia de Campo Digital; primeira unidade da série de eventos é Itambé

 

cocari dia de campo 26 6 20A cooperativa transmitiu,  às 18h15 desta quinta-feira (25/06), o primeiro evento técnico on-line, inaugurando o calendário desta safra: o Dia de Campo realizado na unidade de Itambé (PR). O evento é parte do cronograma da cooperativa, promovido para a disseminação de tecnologias aplicadas em lavouras localizadas nas regiões das unidades. Este Dia de Campo, em especial, trouxe informações aos produtores de modo a permitir o aumento na produtividade da cultura do milho.

  

Público Mais de 12 mil pessoas foram alcançadas pela exibição, que contou com mais de 4 mil visualizações. O evento foi acompanhado por espectadores de pelo menos 18 municípios.

 

Inovação - Para o presidente da cooperativa, Vilmar Sebold, esta é outra nova experiência da Cocari, que aposta em inovações com a certeza do excelente preparo técnico de sua equipe para atender os produtores rurais. “O nosso objetivo é que os produtores, ao final deste evento virtual, tenham maior conhecimento e façam melhor análise de oportunidades daquilo que eles podem fazer nas suas culturas”, ressaltou.

 

Banco de dados - O presidente lembrou que, neste novo formato de realização, as práticas e informações do Dia de Campo ficarão registradas. “Depois do evento, é só recorrer ao arquivo e consultar aquilo que nos interessa e pode ser benéfico para a cultura e para a condução da lavoura”, destacou.  

 

Planejamento - O superintendente de Logística Integrada, Jacy Cesar Fermino da Rocha, também apoiou a realização do evento e convidou os produtores a agendarem um horário com a equipe técnica da Cocari para analisarem as condições de milho safrinha 2021.

 

Melhores custos Conforme o gerente de Negócios de Insumos, Christiano de Camargo, a cooperativa busca, ao longo do ano, as melhores oportunidades de aquisição dos defensivos agrícolas, dos fertilizantes, das sementes e dos produtos da nutrição vegetal utilizados na lavoura de milho safrinha. Durante o evento, o gerente comentou sobre os custos de produção negociados pela cooperativa, para oferecer as melhores condições na condução da lavoura.

 

Prevenção - Segundo o gerente da unidade de Itambé, Vanilton de Nez Pereira, o evento foi realizado em parceria com o Departamento Técnico da unidade e empresas apoiadoras, com o objetivo de trazer informações obtidas no campo experimental. Todos os trabalhos foram conduzidos atendendo às orientações sanitárias de contenção do coronavírus.

 

Milho safrinha “Recentemente, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou uma estimativa de 102 milhões de toneladas de milho para a safra 2020. Desse total, 75% do cereal será extraído com produção na safra de inverno. Ou seja, o milho safrinha está dominando, praticamente, a produção brasileira. No município de Itambé, em 96,5% da área agricultável é implantada a cultura de milho safrinha, segundo levantamento do Detec, para a safra deste ano. A grandiosidade da cultura fez com que empresas investissem ainda mais em pesquisa e melhoramento genético buscando trazer melhores resultados e ganhos financeiros ao produtor”, informou o gerente.

 

Sorteios - A transmissão contou também com sorteios de produtos agropecuários e Kits da Cocari para quem acompanhava o evento pelas redes sociais da cooperativa no Facebook e no Youtube, além da atração musical com a dupla Jean Carlos e Eduardo, colaboradores da Cocari.

 

Assista ao evento - O link de acesso para o Dia de Campo Digital em Itambé continua disponível nas redes sociais da Cocari. Acesse os perfis @cocaricoop e confira o evento completo. (Imprensa Cocari)

COOPAVEL: Vídeo que explica projeto vai abrir oficialmente o Show Rural Edição de Inverno

 

coopavel 26 06 2020Um vídeo com a participação do presidente Dilvo Grolli, do coordenador Rogério Rizzardi e de toda equipe de apoio e produção abre oficialmente, neste fim de semana, as atividades do Show Rural Coopavel Edição de Inverno. Em formato único e inovador, o projeto é o primeiro voltado à disseminação de conhecimentos técnicos para o campo se utilizando para isso inteiramente de plataformas virtuais.

 

Detalhes - Nesse episódio, Dilvo, Rogério e equipe vão detalhar o que é o Show Rural Edição de Inverno, como ele foi arquitetado, amadurecido e também de suas etapas de produção. O presidente da Coopavel fará um paralelo dessa nova proposta com o Show Rural Coopavel que há 32 anos acontece de forma presencial sempre no início do mês de fevereiro. “Há muito queríamos abrir espaço para apresentar com mais amplitude e detalhes as culturas de inverno e agora surgiu a oportunidade de materializar essa ideia”, afirma Dilvo Grolli.

 

Trigo - O Show Rural Coopavel Edição de Inverno será um palco principalmente para a cultura do trigo, que tem enorme potencial de crescimento no País. O Brasil produz menos da metade do que consome e com as novas tecnologias disponíveis a cultura se mostra produtiva e rentável. Dilvo informa que além da triticultura e de todas as suas fases, envolvendo de mercado às etapas de cultivo, o evento mostrará em detalhes outras opções de inverno como triticale, aveia, adubação verde e até fruticultura. “Há um potencial enorme de crescimento a essas atividades e o Show Rural Coopavel Edição de Inverno mostrará isso”, afirma ele.

 

Novos episódios- Novos episódios serão apresentados regularmente, com duração aproximada de dez minutos cada. O coordenador Rogério Rizzardi, que é agrônomo, observa que, além de mostrar em detalhes todas as fases de desenvolvimento dessas culturas, o Show Rural de Inverno abrirá espaço para a participação de grandes pesquisadores e conhecedores de cada uma dessas opções de cultivo. Eles informarão sobre tratos culturais e quanto à tomada de decisões capazes de melhorar resultados. A exemplo da primeira edição do Show Rural Coopavel, em 1989, a primeira desse novo evento também contará com a participação de 15 empresas.

 

Versátil - A versatilidade é uma das características do Show Rural Coopavel Edição de Inverno. Ao mesmo tempo em que mostra a importância, o potencial e tudo o que se refere a culturas de inverno, ele vai manter cada episódio sempre disponível aos agricultores, técnicos e outros interessados. “Devido às plataformas virtuais, os conteúdos do evento estarão sempre à mão para aprendizado, estudos e pesquisas”, diz a gerente do Show Rural Adriana Gomes.

 

Opções - Para acompanhar os episódios do Show Rural Coopavel Edição de Inverno, as opções são as seguintes: Youtube (canal Show Rural Coopavel), Instagram (@showrural); Facebook (/showruraloficial) e site (www.showrural.com.br). (Imprensa Coopavel)

 

C.VALE: Barreiras que salvam

 

Antes mesmo do Governo Federal publicar, no dia 20 de março, o seu primeiro decreto com medidas de contenção à Covid-19, a C.Vale, cooperativa agroindustrial com sede em Palotina, Oeste do Paraná, já havia adotado, no dia 13 março, várias ações preventivas. O Comitê de Gestão do Coronavírus entrou em operação no dia 17 do mesmo mês. 

 

Medidas - De lá para cá, uma infinidade de medidas de contingência foi implementada em todas as áreas de ação da cooperativa. 

-Uma das primeiras medidas foi restringir a circulação de pessoas, suspendendo treinamentos, viagens e visitas.

-Comunicação interna, através de aparelhos de televisão, rádio indoor, WhatsApp, e-mail, intranet, revista e vídeo conferência viraram rotina.

-Semanalmente integrantes do Comitê de Gestão se reúnem.

-Relatório são enviados semanalmente para o Ministério da Agricultura, Associação Brasileira de Produção Animal e Ocepar. 

-Todos os funcionários receberam kit com máscaras. 

-Dispenser com álcool em gel foram espalhados por todos os locais da cooperativa. 

-Atendimento com distanciamento, de no mínimo um metro e meio, foi adotado por todas as unidades de negócios. 

-Funcionários com mais de 60 anos, gestantes, jovens aprendizes menores de 18 anos e pessoas com alguma comorbidade, que não conseguem trabalhar em home-office, tiveram seus contratos suspensos por 60 dias. Nessa modalidade, o Governo Federal paga 70% e a empresa 30% dos salários. A C.Vale passou a pagar 50% - o que representa um abono de 20%  sobre os salários.

-Ônibus de transporte de funcionários são sanitizados diariamente.

-Líderes nos ônibus restringem o embarque de funcionário com qualquer problema de saúde. Se durante o trajeto tiver algum problema, ele é direcionado para uma tenda ambulatorial para checagem.

-Funcionário que tiver qualquer sintoma gripal é orientado a permanecer em casa e comunicar pelo telefone (44) 3649-7475. Uma equipe da C.Vale fará visita domiciliar. 

-Todas as pessoas passam por um túnel de sanitização.

-Aferida a temperatura de todos. Acima de 37,8  é retido para checagem. 

-Catracas, vestiários, pátio e área administrativa são higienizados rotineiramente.

-Para evitar aglomeração, o fluxo de entrada nos vestiários foi alterado.

-Máscaras tipo ninja são substituídas no intervalo do almoço.

-Profissionais de algumas áreas usam também protetor acrílico (capacete).

-Fiscais cobram o cumprimento das normativas de segurança. Eles têm autoridade para aplicar penalidade disciplinar. 

-Fixadas divisórias em acrílico nas mesas dos refeitórios.

-Ampliado os horários de refeições para reduzir aglomerações.

-Funcionários recebem individualizado, bandeja, prato, talheres, copos, guardanapo e luvas (descartáveis) para se servir no refeitório. 

-Uma nova praça de alimentação foi montada na indústria para o pessoal administrativo. 

-Todos os funcionários foram imunizados com a vacina trivalente influenza (H1N1).

-Foram adquiridos 500 testes rápidos e convencionais do Covid-19.

 

Covid-19 - A Covid-19 é uma doença infecciosa causada pelo coronavírus da síndrome respiratória aguda grave 2 (Sars-Cov-2). Os sintomas mais comuns são febre, coriza, congestão nasal e tosse seca. Outros sintomas menos comuns são dores musculares, de garganta, de cabeça, diarreia, conjuntivite, erupção cutânea na pele, perda do olfato e do paladar. Sintomas mais graves, dificuldade de respirar ou falta de ar, dor ou pressão no peito, convulsão, confusão mental e desorientação. (Imprensa C.Vale)

 

{vsig}2020/noticias/06/26/cvale/{/vsig}

LEGISLATIVO: Leandre vai votar pelo adiamento das eleições municipais para novembro

 

legislativo 26 06 2020Após aprovação no Senado, chegou na Câmara dos Deputados a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 18/20, que adia as eleições municipais em razão da pandemia do novo coronavírus. De acordo com a proposta, a eleição deste ano será transferida para dia 15 de novembro, com realização do segundo turno, em cidades com mais de 200 mil eleitores, no dia 29 de novembro.

 

Unificadas - “Eu gostaria que as eleições fossem unificadas, que não existisse mais reeleição para cargos executivos, e que os mandatos fossem de cinco anos. Mas essa discussão não pode ser feita agora. Pela condição sanitária que a gente se encontra, não temos alternativa além de seguir o que a ciência determina. Se os especialistas estão falando em adiar a eleição para novembro, vamos seguir esta orientação. Eu faço parte da comissão especial que debate a pandemia do coronavírus e estou vendo que a situação está cada dia pior”, afirmou a deputada federal Leandre Dal Ponte (PV-PR). 

 

Antes - A princípio, as eleições municipais deste ano estavam marcadas para os dias 4 e 25 de outubro, respectivamente primeiro e segundo turnos. 

 

Tramitação - Leandre explica que a matéria começou a tramitar no Senado Federal, pois havia maior consenso sobre o adiamento das eleições. Já a Câmara dos Deputados, segundo ela, está bastante dividida sobre o tema. 

 

Novas datas - Além de postergar cerca de um mês a data das eleições, a PEC 18/20 também traz novas datas para outras etapas do processo eleitoral de 2020, como registro de candidaturas e início da propaganda eleitoral gratuita, por exemplo. O texto ainda autoriza adiar as eleições para um período ainda maior, com limite para dia 27 de dezembro de 2020, em municípios que ainda não tiverem condições sanitárias. 

 

Votação - Apesar de o texto da PEC já estar na Câmara dos Deputados, a Mesa Diretora da Casa ainda não divulgou a data de votação da proposta. (Assessoria de Imprensa da deputada federal Leandre Dal Ponte)

PSR: Governo anuncia liberação de orçamento recorde para o Programa de Seguro Rural em 2020

 

psr 26 05 2020O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) publicou na terça-feira (23/06) cronograma de liberação do orçamento para o Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR) (Resolução nº 74). Do valor total a ser liberado, R$ 280 milhões serão destinados para a contratação de apólices para as culturas de inverno, como o milho 2ª safra e trigo; R$ 535 milhões para as culturas da soja, milho 1ª safra, arroz, feijão e café; R$ 70 milhões para as frutas; R$ 10 milhões para a modalidade de pecuária; R$ 10 milhões para a modalidade de florestas e R$ 50 milhões para as demais culturas.

 

Contratação - “Com esse apoio do Governo Federal será possível fomentar a contratação de aproximadamente 220 mil apólices, proporcionando a cobertura de 15 milhões de hectares e R$ 43 bilhões de valor segurado”, ressalta o diretor do Departamento de Gestão de Riscos do Mapa, Pedro Loyola.  

 

Destaque - Outro destaque é a destinação do orçamento exclusivo de R$ 50 milhões para a contratação de apólices de grãos nos meses de setembro e outubro nas regiões Norte e Nordeste. Essa medida, que teve início em 2019, tem como objetivo alavancar as contratações nessas regiões. “A contratação do seguro ainda está concentrada nos estados do Centro-sul do país, é preciso aumentar a oferta de seguros nas demais regiões, com a inserção de novas seguradoras, criação de novos canais de distribuição, sejam nas instituições financeiras, cooperativas, revendas de insumos, além de aumentar o número de corretores de seguros especializados atuando nesse mercado. Em 2019, conseguimos dobrar o número de contratações em relação ao ano anterior. Esperamos que em 2020 o resultado seja ainda mais significativo”, explica.

 

Projeto-piloto - Também serão alocados R$ 50 milhões para um projeto-piloto que deverá atender produtores enquadrados no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). De acordo com Loyola, essa iniciativa visa proporcionar para esse público específico condições melhores na contratação do seguro. “Precisamos criar condições diferenciadas para que esse perfil de produtor comece a contratar o seguro. Em breve, divulgaremos os detalhes do projeto”.

 

Cronograma - O cronograma foi aprovado durante a última reunião do Comitê Gestor Interministerial do Seguro Rural (CGSR), realizada no dia 22 de junho, quando também foi aprovada a Resolução nº 73, que definiu novas regras operacionais para as seguradoras habilitadas no PSR. 

 

Clima - O clima é o principal fator de risco para a produção rural. Ao contratar uma apólice de seguro rural, o produtor pode minimizar suas perdas ao recuperar o capital investido na sua lavoura. Desde o ano de 2005, o governo federal, por meio do PSR, auxilia o produtor na aquisição do seguro rural, pagando parte do valor da apólice (prêmio).

 

Contratação - O produtor que tiver interesse em contratar o seguro rural deve procurar um corretor ou uma instituição financeira que comercialize apólice de seguro rural. Atualmente,14 seguradoras estão habilitadas para operar no PSR. A subvenção econômica concedida pelo Ministério da Agricultura pode ser pleiteada por qualquer pessoa física ou jurídica que cultive ou produza espécies contempladas pelo Programa. Para os grãos em geral, o percentual de subvenção ao prêmio pode variar entre 20% e 40%, a depender da cultura e tipo de cobertura contratada. No caso das frutas, olerícolas, cana-de-açúcar e demais modalidades (florestas, pecuário e aquícola), o percentual de subvenção ao prêmio será fixo em 40%. (Mapa)

 

FOTO:  Mayke Toscano Secom-MT/Fotos Públicas

ENERGIA ELÉTRICA: Aneel autoriza novas tarifas para consumidores da Copel

 

energia eletrica 26 06 2020A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que regula o sistema no Brasil, determinou reajuste médio de 0,41% para os consumidores atendidos pela Companhia Paranaense de Energia (Copel). Contudo, para a categoria de clientes residenciais, que representa 81% da base da empresa, haverá redução de 0,95% na tarifa. O benefício alcança 3,8 milhões de famílias. Para comércio e serviços atendidos em baixa tensão, a redução é de 0,83%. Por fim, para a iluminação pública, a redução é de 0,93%.

 

Anúncio - O anúncio foi feito pela Aneel nesta quinta-feira (25/06), em reunião ordinária transmitida por rede social de vídeos. Consideradas as demais classes consumidoras, a Aneel definiu um reajuste médio de 0,41% para a área de concessão da Copel. Os clientes atendidos em alta tensão terão reajuste médio de 1,13%.

 

Redução - A redução para a grande base de clientes, assim como o reajuste abaixo da inflação dos últimos 12 meses para os demais, foram possíveis a partir da adoção, pela Aneel, da chamada Conta-Covid. O IGP-M do período foi de 6,51%.

 

Covid - A Conta-Covid é uma medida estrutural, possível graças a uma operação de mercado desenhada pelos Ministérios de Minas e Energia e Economia, além da própria Aneel, com dois objetivos claros. O primeiro é aliviar o bolso dos consumidores neste momento de crise.

 

Liquidez - O segundo objetivo é garantir que as empresas fornecedoras de energia elétrica tenham liquidez para superar os efeitos da pandemia do novo coronavírus, como a queda no consumo e o aumento na inadimplência.

 

Dólar - A alta do dólar influencia no cálculo. A moeda americana é utilizada para calcular o valor da energia gerada pela usina de Itaipu. Outros fatores são a composição de custos, do sistema de transmissão e demais encargos setoriais. A revisão tarifária anual de cada distribuidora é estabelecida para a data em que a concessão federal foi originada - no caso da Copel, 24 de junho.

 

Isentos - Hoje, 295.915 famílias não pagam pela energia elétrica no Paraná. Elas estão incluídas nos programas para atenção à população em situação de vulnerabilidade e são diretamente beneficiadas pelas medidas adotadas para o setor pelo Governo Federal e pela Aneel durante a pandemia do novo coronavírus. Desse total, 160 mil já faziam parte do programa Luz Fraterna, mantido pelo Governo do Paraná. As demais integram cadastro federal. (Agência de Notícias do Paraná)

SAÚDE I: Brasil atinge 54,9 mil mortes, 1,22 milhão de casos e soma 673.729 recuperados

 

O país teve 1.141 novas mortes registradas em função da covid-19 nas últimas 24 horas, de acordo com atualização do Ministério da Saúde divulgada no início da noite desta quinta-feira (25/06). Com esses acréscimos às estatísticas, o país chegou a 54.971 óbitos em função da pandemia do novo coronavírus. A atualização diária traz um aumento de 2,1% no número de óbitos em relação a quarta-feira (24/06), quando o total estava em 53.830.

 

Casos - O balanço também teve 39.483 novos casos registrados, totalizando 1.228.114. O acréscimo de pessoas infectadas marcou uma variação de 3,3% sobre o número de quarta-feira (24/06), quando os dados do ministério registravam 1.188.631 de pessoas infectadas. Do total, 499.414 estão em observação e 673.729 foram recuperados. 

 

Incidência - A taxa de letalidade (número de mortes pelo total de casos) ficou em 4,5%. A mortalidade (óbitos por 100.000 habitantes) foi de 26,2. Já a incidência (casos confirmados por 100.000 habitantes) ficou em 584,4.

 

Estados - Os estados com maior número de óbitos são: São Paulo (13.759), Rio de Janeiro (9.450), Ceará (5.875), Pará (4.748) e Pernambuco (4.488). Ainda figuram entres as unidades da Federação com altos índices de mortes Amazonas (2.731), Maranhão (1.871), Bahia (1.601), Espírito Santo (1.490), Alagoas (958) e Paraíba (842). São Paulo também lidera entre os estados com maior número de casos (248.587), seguido de Rio de Janeiro (105.897), do Ceará (102.126), do Pará (94.036) e do Maranhão (74.925). (Agência Brasil) 

 

FOTO: Rovena Rosa / Agência Brasil

 

anexo saude I 26 6 20

SAÚDE II: Sesa confirma 851 novos casos de coronavírus e mais 17 mortes

 

saude II 26 06 2020A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) confirmou 851 novos casos e mais 17 óbitos pela infecção causada pelo novo coronavírus. O Paraná soma 17.618 diagnósticos positivos e 526 mortes em decorrência da doença. No informe divulgado nesta quinta-feira (25/06) há ajustes de municípios de residência e exclusão de casos já confirmados por duplicidade.

 

Internados - Dos 535 pacientes internados com diagnóstico confirmado de Covid-19, 425 estão em leitos SUS (180 em UTI e 245 em leitos clínicos/enfermaria) e 110 em leitos da rede particular (42 em UTI e 68 em leitos clínicos/enfermaria).

 

Resultados - Há outras 863 pessoas em leitos UTI e enfermaria que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo vírus Sars-CoV-2.

 

Óbitos - A secretaria estadual informa a morte de mais 17 pacientes. Todos estavam internados. São cinco mulheres e 12 homens com idades que variam de 45 a 87 anos. Os óbitos ocorreram entre 13 e 25 de junho.

 

Residência - Os pacientes que faleceram residiam em: São José dos Pinhais (3), Toledo (3), Cascavel (2), Curitiba (2) e Londrina (2). Os municípios de Araucária, Assaí, Mallet, Teixeira Soares, Umuarama registraram uma morte.

 

Municípios - No Paraná, 339 municípios têm ao menos um caso confirmado de Covid-19. Mercedes, Palmital, Ribeirão Claro e Sabáudia registraram confirmações pela primeira vez. Em 125 municípios há óbitos pela doença.

 

Fora do Paraná - O monitoramento da secretaria registra 203 casos de Covid-19 de pessoas que não residem no Estado. Treze morreram.

 

AJUSTES:

- Um caso confirmado em 17/6 no Rio de Janeiro (RJ) foi transferido para Londrina.

- Um caso confirmado em 22/6 em Campina Grande do Sul foi transferido para Belém (PA).

- Um óbito em 24/6 em Campina Grande do Sul foi transferido para Caxias do Sul (RS).

- Um caso confirmado foi excluído por dupla notificação.

 

Confira o informe completo.


Versão para impressão


RODAPE