Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4842 | 12 de Junho de 2020

OCEPAR: Governador Ratinho Junior participa da próxima reunião da diretoria

 

ocepar 12 06 2020 O governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior, e o vice-governador, Darci Piana, são os convidados especiais da 14ª reunião ordinária da diretoria da Ocepar, referente à gestão 2019/2023, que será realizada remotamente no dia 23 de junho, das 13h30 às 16h30. Eles vão tratar da situação do Estado nas áreas de saúde, economia e finanças. Também serão abordadas as parcerias estratégicas com o cooperativismo paranaense.

 

Plano Safra - Um outro tema de destaque da pauta da reunião da diretoria será o Plano Safra 2020/2021.

 

Clique aqui para conferir a pauta completa da reunião

 

DIA C: Sistema Ocepar promoverá semana de celebração virtualmente e com transmissão pelas redes sociais

Na quarta-feira (10/06), 120 profissionais das áreas de cooperativismo, comunicação, assessores que trabalham com programas sociais e sustentabilidade nas cooperativas paranaenses participaram de uma videoconferência, com objetivo de detalhar sobre a mobilização do Sistema Ocepar para celebrar o Dia C – Dia de Cooperar no Paraná. O encontro contou com a presença do presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, do superintendente, Leonardo Boesche, da gerente de Desenvolvimento Cooperativo, Maria Emília Pereira Lima, coordenadores e técnicos.

Princípios - Boesche, que fez a abertura da videoconferência, fez questão de destacar o comprometimento de todas as cooperativas. “Neste momento será necessária uma mobilização ainda maior por parte de todos os envolvidos com o Dia C. Vivemos um momento em que milhares de pessoas estão sem trabalhar, onde nossos profissionais de saúde estão enfrentando um desafio enorme, sendo assim, precisamos ser solidários e fazer aquilo que sempre soubemos fazer com excelência: cooperar. Este envolvimento com as causas locais, faz parte dos nossos princípios, que é o interesse pela comunidade”.

 

Redes sociais - Ele lembrou da importância de potencializarmos nossas ações nas mídias sociais. “Precisamos ocupar as redes na internet para mostrar aquilo que estamos realizando. É uma forma de divulgar sem custo e, quem sabe, nos tornarmos top trend, como o assunto mais comentado nas mídias sociais num só dia”, frisou.

 

Todo dia - “Importante frisar que o Dia C não é somente um dia ou uma semana, ele tem duração até novembro, quando se encerram as inscrições de projetos. Anualmente aproveitamos o Dia Internacional do Cooperativismo para realizarmos uma mobilização estadual e chamar a atenção da sociedade. Como diz a nossa hashtag: Todo dia é dia de cooperar. Contamos com o apoio de todas as cooperativas para que nos ajudem neste desafio de realizar uma semana toda de celebração virtual. Vivemos um momento delicado com a Covid-19, mas não podemos deixar de nos mobilizar e, mesmo distantes, estamos sempre juntos. E juntos somos mais fortes e podemos mostrar nossa força para o Brasil o quanto o cooperativismo contribuí”, destacou Boesche.

 

Momento - Ricken, que estava participando de uma reunião institucional em outra videoconferência, realizou o encerramento do encontro do Dia C. Ele destacou o momento que o país e o Estado do Paraná passam com a pandemia. “Mesmo que seja diferente, delicado, complexo, temos a certeza de que faremos um dos maiores Dia C que já realizamos. Estamos envolvendo toda equipe do Sistema Ocepar neste sentido, para que possamos mobilizar cooperativas dos sete ramos e, assim, mostrar tudo aquilo que fizemos em benefício das pessoas e nossas cidades com ações sociais e também econômicas para amenizar os impactos da pandemia”, frisou.

 

Ações - “Todo dia é de cooperar para todos nós que estamos aqui reunidos”, reforçou Ricken. Segundo o dirigente, “nossa responsabilidade com as comunidades é real. Onde temos nosso endereço e de onde nunca vamos sair. Neste ano deveremos atingir a uma movimentação financeira próxima dos R$ 100 bilhões. Qual outro segmento econômico, num momento de tantas incertezas irá crescer?? Isso se deve ao trabalho de cada um de vocês, dos cooperados e dirigentes”. Lembrou que, mesmo que o evento seja de forma virtual, “terá o mesmo peso que o presencial. Desde que iniciamos esta pandemia, nossas cooperativas vêm fazendo a diferença com ações práticas com doações mais diversas, desde máscaras, álcool em gel, alimentos e muito mais para poder ajudar neste momento de dificuldades”, salientou.

 

Pandemia - Durante apresentação realizada pelos coordenadores do Dia C no Paraná, Fabiane Ratzke e Samuel Milléo Filho, foi anunciado que, conforme orientação das autoridades de saúde para a manutenção do isolamento social e não aglomeração devido à pandemia da Covid-19, a celebração do Dia Internacional do Cooperativismo e do Dia de Cooperar – Dia C, ocorrerão de forma virtual, por meio de uma transmissão pelos canais oficiais do Sistema Ocepar. “Teremos uma celebração totalmente diferente de anos anteriores, será num ambiente digital, onde o Sistema Ocepar liderará e nossas cooperativas serão as principais protagonistas com uma programação focada na divulgação das principais ações e dos talentos culturais”, destacou Fabiane.

 

Programação - Todo primeiro sábado de julho se comemora o Dia Internacional do Cooperativismo e, neste ano, será em 4 de julho, quando será realizada a primeira transmissão online do Dia C, com abertura do presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, e com um mestre de cerimônia especial para conduzir toda a transmissão. “Neste dia, além de ouvirmos a mensagem do presidente Ricken, vamos poder acompanhar diversas apresentações culturais das nossas cooperativas. Desta forma, solicitamos para que cada cooperativa envie um vídeo de 5 minutos com apresentações dos seus artistas locais, desde que sejam vinculados a cooperativa, pode ser música, dança, teatro etc. Vamos valorizar nossos talentos cooperativos nesse dia”, frisou Fabiane. Milléo lembrou que “no sábado, além da transmissão ao vivo, em estúdio, do Dia de Cooperar também teremos, a partir das 15h30, uma conexão com a live que o Sistema OCB realizará direto de Brasília. A ideia é celebrar esta importante data com a participação de todas as unidades estaduais. No final do dia, o evento encerra com um show ao vivo da banda Skank, direto de Belo Horizonte, em parceria com o Sistema Ocemg.”

 

Semana - A partir de segunda-feira, dia 06 de julho, acontecerão as lives da Semana da Cooperação até sexta-feira, dia 10/07, sempre no período da tarde. Cada dia da semana teremos uma participação diferente de lideranças do cooperativismo e personalidades do estado. “Neste dia, o espaço será para que as cooperativas possam divulgar seus projetos e ações voltados para o Dia de Cooperar, em especial, com foco no combate à pandemia do novo coronavírus. Cada cooperativa poderá produzir e nos enviar um vídeo de até 1 minuto de duração para que seja veiculado na programação da semana. O prazo para envio dos vídeos é dia 26 de junho e somente de projetos inscritos até o dia 17 de junho no site do Dia C”, lembrou Fabiane. Ela também destacou que, durante toda semana, será promovida uma campanha de arrecadação para os hospitais que mais estejam necessitando. “Durantes nossas lives do Dia C, teremos um QR-Code específico na tela, para que todos os cooperativistas e demais internautas possam contribuir, fazendo uma doação para esta ação em prol de nossos hospitais”, disse.

 

 

Clique aqui para baixar a apresentação em PPT da proposta do Dia C no Paraná

 

{vsig}2020/noticias/06/12/dia_c/{/vsig}

REUNIÃO INSTITUCIONAL: Panorama econômico-financeiro da Uniodonto Londrina é discutido em videoconferência

O diretor vice-presidente da Uniodonto Londrina, Adalberto Baccarin, e o gerente Cláudio Braga receberam, na tarde de quarta-feira (10/06), a equipe do Sistema Ocepar, liderada pelo presidente da entidade, José Roberto Ricken, para discutir o cenário econômico-financeiro da cooperativa odontológica sediada em Londrina, Norte do Paraná, durante a 21ª reunião institucional ocorrida virtualmente, dentro das atividades do Programa de Autogestão.

30 anos - Baccarin lembrou que a cooperativa está completando 30 anos de fundação e que, ao longo de sua história, vem mantendo um bom relacionamento com cooperativas dos demais ramos, num processo de intercooperação. “A Uniodonto Londrina sempre teve extrema facilidade de conexão. Temos parceiros de cooperação em diversas áreas. Desde a nossa criação, a Unimed sempre foi parceira de primeira hora. Temos ainda uma boa relação com as cooperativas de crédito, com o pessoal da área rural, como a Integrada. Então, temos caminhado par e passo no que é possível junto com o sistema cooperativista”, disse.

Perfil conservador - Ainda de acordo com ele, a cooperativa odontológica tem um perfil bastante conservador e procura desenvolver um trabalho cauteloso com seus cooperados. “A cooperativa em nenhum momento explodiu em número de vidas, por exemplo. Nós sempre entendemos que precisamos ter as coisas na mão”, disse, referindo-se ao número de beneficiários atendidos que, até o final de 2019 somava 18.044, segundo o Sistema de Autogestão. E, em relação aos profissionais cooperados, afirmou: “A Uniodonto de Londrina já chegou a ter 400 cooperados há 15 anos. Hoje, temos 130 cooperados, mas entre 90 e 95% são atuantes. Antes, eram 400 cooperados mas apenas 20% a 30% deles participavam das atividades da cooperativa. Hoje nós diminuímos em número mas melhoramos muito em qualidade”, ressaltou.

Gestão - O vice-presidente da cooperativa disse que ficou satisfeito em tomar conhecimento que o Sistema Ocepar tem entre suas diretrizes estratégicas o fomento à inovação e o aprimoramento da gestão e da governança cooperativista. Ele destacou que o Sistema Uniodonto está empenhado, junto com o Sescoop Nacional, em desenvolver uma ferramenta única para o aprimoramento da gestão. “Não tem sentido as singulares, por exemplo, terem um ônus nas despesas, sendo que a gestão é a mesma em todos os lugares. O plano de contas, as prestações de contas, são as mesmas. Quer dizer, hoje são quatro sistemas diferentes, quatro contabilidades diferentes. Então, a gente precisa criar realmente uma interação muito maior em cima disso”, frisou.

Legislação - Baccarin destacou ainda que atualmente a cooperativa tem o desafio de se adequar a duas legislações especialmente. Uma delas é a Resolução Normativa (RN) 443, da Agência Nacional de Saúde (ANS), que dispõe sobre a adoção de práticas mínimas de governança corporativa, com ênfase em controles internos e gestão de riscos, para fins de solvência das operadoras de planos de assistência à saúde. A Uniodonto Londrina também está atenta à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que dispõe sobre o tratamento de dados pessoais, inclusive nos meios digitais, por pessoa natural ou por pessoa jurídica de direito público ou privado. “A RN 443, da ANS, vai transformar muito a nossa realidade, baseando-se firmemente em cima dos riscos das cooperativas, ou seja, a gestão de risco deverá ser mais ainda avaliada”, disse. “E agora, em agosto, deve começar a vigorar a Lei Geral de Proteção de Dados, que sabemos que serve para todos, mas na área da saúde essa tramitação legal das informações é extremamente delicada. São dois momentos importantes que teremos que passar e estamos trabalhando para enfrentar com toda segurança”, disse.

AdaptaçãoO vice-presidente da Uniodonto Londrina discorreu sobre a cooperativa odontológica a pedido do presidente do Sistema Ocepar, que, na abertura da reunião, falou sobre como a entidade adaptou sua rotina de atividades durante esse período de isolamento social devido à pandemia do novo coronavírus. Ricken afirmou que essa situação inusitada não impediu o trabalho de atendimento às demandas das cooperativas do Paraná e que a tecnologia está possibilitando realizar diversas ações de forma virtual. “Nós tínhamos uma preocupação muito grande sobre como iríamos atender as cooperativas nesse período e, com alegria, a gente percebe que até é mais fácil realizar diversas atividades nesse formato que estamos adotando. A nossa equipe está trabalhando remotamente em todas as áreas, com bom desempenho e atendendo as cooperativas no que elas precisam. Vamos fazer o que é necessário e bem feito”, afirmou.

Impactos - Ele ressaltou a importância de avaliar os reflexos da pandemia no setor. “Nós discutimos muito o que precisamos fazer nesse momento. Primeiro, é preciso acompanhar os impactos nas cooperativas. Eu sei que a área odontológica sofreu com isso. A primeira reação da população com a questão do isolamento social decorrente da pandemia foi não ir a lugar nenhum, nem ao dentista, ou seja, suspendeu tudo. Houve, sim, uma diminuição muito grande das atividades. Tomara que, aos poucos, isso volte à condição de normalidade,” afirmou. “Mas tudo isso vai passar e estamos que estar prontos para novas perspectivas. Esse momento pode até demorar, mas temos que nos manter ativos. As nossas agroindústrias, por exemplo, não pararam nem um dia porque não dava para parar. Se isso ocorresse, imagine o caos. Imagine um abatedouro, um laticínio parar, o que seria feito com a produção. Na greve dos caminhoneiros houve uma paralisação de 12 dias e quase ficamos doidos pois já o mercado já estava ficando desabastecido. Nosso grande compromisso é garantir o abastecimento. Produzir e manter o fornecimento de alimentos para a população”, sublinhou.

Saúde - “O segundo grande compromisso nosso é fazer de tudo para a área da saúde. O Sistema Unimed hoje está sendo muito testado. Os profissionais estão na linha de frente com um risco muito grande”, acrescentou o presidente do Sistema Ocepar. Ainda de acordo com ele, um outro segmento bastante atingido foi o de transporte. “Principalmente nos primeiros dias, houve muitas dificuldades, sendo que o pessoal passou até necessidade. E se o transporte parar, teremos um grande problema pois os produtos não vão chegar até os locais onde serão consumidos”, acrescentou.

Crédito - Ricken também destacou o trabalho das cooperativas de crédito. “O crédito está dando uma importante contribuição agora. O Sicoob, por exemplo, está sendo o primeiro sistema cooperativo a se habilitar no Pronampe, um programa que vai viabilizar financiamento para micro e pequenas empresas, junto com outras instituições financeiras. Hoje o cooperativismo tem uma permeabilidade importante. Todos os municípios têm uma representação do crédito e há trinta anos não havia nada disso ou era bem menos significativo”, lembrou.

Defesa - O dirigente falou ainda sobre como a entidade, em parceria com a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), cooperativas e G7, grupo das principais federações paranaenses que representam o setor produtivo – atualmente coordenado pela Ocepar, tem se mobilizado para contemplar as necessidades do setor junto ao poder público, bancos, entre outros organismos. “Hoje estamos muito mais coesos com as entidades parceiras, órgãos de governo, entre outros, e isso, com certeza, vai trazer uma consequência boa para nós”, pontuou. Ele finalizou comentando sobre o propósito e as diretrizes estratégicas que estão norteando as ações do Sistema Ocepar, enfatizando que o objetivo é fazer o que é essencial e relevante para o desenvolvimento das cooperativas paranaenses.

Participações - A reunião institucional de quarta-feira teve ainda a participação do superintendente da Ocepar, Robson Mafioletti, da gerente de Desenvolvimento Cooperativo do Sescoop/PR, Maria Emília Pereira, do coordenador de Desenvolvimento Cooperativo, João Gogola Neto, do coordenador da Gerência de Desenvolvimento Técnico, Silvio Krinski, e do analisa do Sescoop/PR, Emerson Barcik. Foi ainda acompanhada por diversos outros profissionais do Sistema Ocepar. A pauta do encontro contemplou apresentações sobre a representação institucional do Sistema Ocepar, perspectivas de mercado, cenários econômico e financeiro da cooperativa, atividades finalísticas do Sescoop/PR e Dia C – Dia de Cooperar.

{vsig}2020/noticias/06/12/reuniao_institucional/{/vsig}

COVID-19: Comitê de Acompanhamento divulga comunicado 53

 

covid 19 comite 12 06 2020No comunicado 53, divulgado na manhã desta sexta-feira (12/06), o Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 informa sobre a reunião institucional do Programa de Autogestão ocorrida na quarta-feira (10/06) com a Uniodonto Londrina. Outro destaque é a publicação do Decreto nº 10.393, que institui a nova estratégia nacional de educação financeira. Veja abaixo.

1. No dia 10 de junho, o Sistema Ocepar realizou reunião da Autogestão de forma virtual, com a cooperativa Uniodonto Londrina contando com a participação do diretor vice-presidente, Adalberto Baccarin, e do gerente Cláudio Braga.

2. No dia 9 de junho, o Governo Federal publicou o Decreto nº 10.393, que institui a nova Estratégia Nacional de Educação Financeira – Enef e o Fórum Brasileiro de Educação Financeira - FBEF. Para acessar, clique aqui.

O Comitê - O Sistema Ocepar constituiu o Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 com objetivo de monitorar, receber, avaliar e comunicar seus públicos sobre as informações mais recentes ligadas à disseminação e precauções que devem ser tomadas diante da epidemia da doença. O grupo é formado pela Diretoria Executiva, coordenações de Gestão Estratégica e de Comunicação Social, com assessoramento jurídico e colaboração da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa).

 

BANCOOB: Cooperativismo de crédito sai na frente junto ao Pronampe

bancoob 12 06 2020Em coletiva de imprensa na manhã de quarta-feira (10/06), o Governo Federal anunciou o início das operações do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe). Com ele, cerca de 4,5 milhões de micro e pequenas empresas terão acesso a crédito barato para fazerem girar seu capital e voltarem às atividades pós pandemia.

Bancoob - Em seu pronunciamento, o secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos da Costa, ressaltou - com entusiasmo - que, na lista dos bancos habilitados para já oferecer a linha de crédito, o Bancoob (Banco Cooperativo do Brasil) é o primeiro. "Hoje já temos uma instituição habilitada a receber propostas do Pronampe que é o Bancoob. Já está lá no portal, foi a primeir", frisou. Como twitou hoje à tarde o senador Jorginho Mello, autor do projeto: "é o Bancoob puxando a fila do Pronampe".

Confiança - O Secretário complementou: "Temos muita confiança de que os demais bancos também vão operar essa linha. Este é um momento de união, de trabalho conjunto. Os bancos participaram de todo o processo de desenho desse produto e estamos confiantes que vai funcionar". Outras 12 instituições estão em processo para, em breve, oferecerem as vantagens de empréstimos pelo Pronampe, basta algumas adequações tecnológicas.

Como vai funcionar - O Fundo Garantidor de Operações (FGO) vai disponibilizar R$ 15,9 bilhões, do Tesouro Nacional, às agências bancárias, para avalizar empréstimos tomados por pequenos negócios, no âmbito do Pronampe. A linha de crédito é voltada para capital de giro e a estimativa do governo é que o crédito atinja 4,5 milhões de micro e pequenas empresas, além de microempreendedores individuais (MEI), público beneficiário do programa.

Empréstimo - Para contratar os empréstimos, os interessados devem buscar as instituições financeiras habilitadas (a lista poderá ser consultada no Portal do Empreendedor). O limite do empréstimo do Pronampe é equivalente a 30% do faturamento da sua empresa no ano de 2019, a taxa de juros máxima é igual a Selic + 1,25% ao ano e o prazo de pagamento é de 36 meses, com carência de 8 meses. (Informe OCB)

 

SICOOB: Com aumento na concessão de crédito no 1º tri, sistema reforça sua atuação na justiça financeira

sicoob 12 06 2020Durante o primeiro trimestre de 2020, o Sicoob registrou um valor de R$ 64,3 bilhões no volume de Operações de Crédito, cerca de 22% a mais do que o computado de janeiro a março do ano anterior. Atuando com taxas mais justas do que as praticadas pelo mercado bancário, o sistema cooperativista mostra, mais uma vez, sua força no estímulo à justiça financeira dos cooperados.

Aumento - As receitas das Operações de Crédito aumentaram 9,1%, se aproximando de R$ 2,8 bilhões, com relação ao mesmo período do ano passado. Como principal consequência, a entidade teve alta de 29,3% em suas sobras líquidas, somando R$ 897,6 milhões em recursos que retornam a seus cooperados ou no desenvolvimento das cooperativas. Termo utilizado para representar o lucro líquido das cooperativas financeiras, o valor das ‘sobras líquidas’ também indica o volume de recursos que serão distribuídos entre os cooperados do sistema, já que a instituição não tem fins lucrativos.

Ativos totais - Os ativos totais avançaram 15,6%, registrando saldo de R$ 121,5 bilhões em março de 2020, ante R$ 105 bilhões no 1T19. Já o patrimônio líquido somou R$ 23,8 bilhões, 8% superior ao registrado no primeiro trimestre de 2019.

Depósitos totais - Ainda nos três primeiros meses do ano, houve progressão de 19,7% em depósitos totais, atingindo R$ 77,8 bilhões. Em relação aos depósitos à vista, o Sistema cresceu 40,6%, com R$ 19,1 bilhões registrados. Os depósitos a prazo somaram R$ 47 bilhões, acréscimo de 10,6%. Os depósitos na poupança avançaram 23,6% se comparado ao primeiro trimestre de 2019, registrando R$ 6,6 bilhões.

Comparação - Na comparação com o primeiro trimestre de 2019, o Sicoob aumentou as provisões em 26,1%, chegando a R$ 4 bilhões, contra R$ 3,2 bilhões no ano passado. A recomposição foi necessária, explica a entidade, para proteção de resultados futuros frente ao cenário ocasionado pelo coronavírus, que requer maior busca por crédito por parte da sociedade.

Destaques - Entre os destaques do período, está a evolução do número dos cooperados em 8,5%, passando de 4,37 milhões em março de 2019 para 4,74 milhões no mesmo mês de 2020. "São cerca de 2,5 mil novos cooperados por dia útil. No Sicoob, promovemos a justiça financeira, principalmente em comunidades menores e onde os bancos não atuam, contribuindo para o desenvolvimento do Brasil, além de estimularmos a cooperação entre indivíduos, com o sentimento de pertencimento e com a responsabilidade socioeconômica em todo o País", afirma Marco Aurélio Almada, presidente do Bancoob.

Pleno atendimento - Atualmente, o Sicoob é a única instituição com pleno atendimento financeiro em 308 municípios brasileiros, chegando a 1.882 cidades em todo território nacional e somando 3.394 pontos de atendimentos. Somente de janeiro a março, foram inaugurados 92 locais para atendimento, contrapondo as instituições financeiras tradicionais, que reduzem constantemente a presença física em diversas localidades.

Portfólio - Com amplo portfólio de produtos e serviços financeiros - conta corrente, crédito, investimento, cartões, previdência, consórcio e seguros -, o Sicoob destaca-se como uma alternativa segura para pessoas físicas e jurídicas, já que pratica taxas bem mais justas no mercado.

Tecnologia para ampliar atuação - Além da presença física em todo o Brasil, o Sicoob investe cada vez mais em seus canais digitais e observa que o planejamento é acertado. Entre janeiro e março de 2020, cerca de 40 mil cooperados realizaram sua filiação pelo aplicativo Sicoob Faça Parte, totalizando R$ 43 milhões em Operações de Crédito e R$ 37,6 milhões em depósitos.

Canais digitais - As transações em canais digitais representaram 77% do total de operações financeiras e não financeiras do Sicoob. Isso denota que o avanço tecnológico, com reforço na usabilidade e na segurança, transforma-se em resultados positivos para o sistema. Somente o App Sicoob representou mais de 56% das operações do sistema no período.

Sobre o Sicoob - O Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil, Sicoob, possui 4,7 milhões de cooperados em todo o país e está presente em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal. É composto por mais de 390 cooperativas singulares, 16 cooperativas centrais e a Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob (Sicoob Confederação). Integram, ainda, o Sistema, o Banco Cooperativo do Brasil do Brasil (Bancoob) e suas subsidiárias (empresas/entidades de: meios eletrônicos de pagamento, consórcios, DTVM, seguradora e previdência) provedoras de produtos e serviços especializados para cooperativas financeiras. A rede Sicoob é a quarta maior entre as instituições financeiras que atuam no país, com mais de 3 mil pontos de atendimento. As cooperativas integrantes do Sistema oferecem aos cooperados serviços de conta corrente, crédito, investimento, cartões, previdência, consórcio, seguros, cobrança bancária, adquirência de meios eletrônicos de pagamento, dentre outras soluções financeiras. Mais informações acesse: www.sicoob.com.br. (Imprensa Sicoob)

 

SICOOB SUL: Agência em Irati está em novo endereço

A agência do Sicoob Sul em Irati (PR) ganhou novas instalações. Mais moderno e aconchegante, o espaço foi todo estruturado de acordo com as novas diretrizes da marca Sicoob. A conclusão e entrega da obra ocorreram em maio.

Novo endereço - A gerente Lorena Santana Filus explica que, além da revitalização, a agência também ganhou novo endereço. Agora, o ponto de atendimento está localizado na área central de Irati, onde estão concentradas as instituições financeiras que atendem a comunidade.

Estacionamento próprio - “Contamos com estacionamento próprio, para oferecer todo o conforto que nosso cooperado merece. Além disso, o ambiente moderno está sendo muito elogiado. Essa mudança é um grande avanço nesses 10 anos do Sicoob em Irati, apesar do momento que estamos vivendo será um ano de transformação. Tenho orgulho de fazer parte”, afirma.

Localização - A nova agência do Sicoob Sul em Irati está localizada na Rua XV de Novembro, 437. (Imprensa Sicoob Unicoob)

{vsig}2020/noticias/06/12/sicoob_sul/{/vsig}

ram

SICOOB METROPOLITANO: Monitores são entregues para UTI do Hospital Universitário de Maringá

sicoob metropolitano 12 06 2020Na quarta-feira (10/06), o presidente do Conselho de Administração do Sicoob Metropolitano, Luiz Ajita, participou da entrega de dez monitores para as novas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) do Hospital Universitário de Maringá, destinadas ao tratamento de pacientes da Covid-19.

Inciativa - Os equipamentos foram adquiridos graças a uma iniciativa da Associação Comercial de Maringá (Acim), que arrecadou R$ 1,5 milhão para colaborar com a saúde pública de Maringá (PR). A campanha envolveu dezenas de pessoas físicas e jurídicas, como o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Paraná (Sinduscon-PR/Noroeste), além de recursos da própria entidade. O Sicoob Metropolitano também contribuiu com uma doação no valor de R$ 500 mil.

Aquisições - Com o valor arrecadado, foram comprados dez respiradores, dez monitores, 20 oxímetros, 20 armários para instrumentos e medidores de sinais vitais. As doações também possibilitaram a aquisição de macas, álcool gel e máscaras para os profissionais de saúde.

Presenças - Participaram também da entrega dos monitores o presidente da Acim, Michel Felippe Soares, o presidente do Sinduscon-PR/Noroeste, Rogério Yabiku e a diretora-superintendente do HUM, Elisabete Mitiko Kobayashi. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

SICREDI RIO PARANÁ: Cooperativa promove #challenge em ação do Dia C

sicredi rio parana 12 06 2020A famosa ação do desafio nas redes sociais, o conhecido #challenge, é o tema do Dia C, Dia de Cooperar, da Sicredi Rio Paraná PR/SP. A ação é simples, basta fazer um vídeo contando o que você faz para cooperar com o próximo, quais suas ações de voluntariado. Então, poste nas redes sociais e marque @sicredirioparana ou #sicredirioparana.

Todas as pessoas - O desafio é estendido para todas as pessoas. O incentivo esse ano é que as ações sejam digitais, para evitar o contato físico, devido à pandemia do coronavírus.

O que é o Dia C? - É um grande movimento nacional de estímulo de iniciativas voluntárias diferenciadas, contínuas e transformadoras, realizadas por cooperativas.

Tema - O tema do Dia C, “Atitudes simples movem o mundo”, propõe mostrar que atitudes simples podem mudar a realidade das comunidades, e que as ações das cooperativas impactam diretamente a vida de muitas pessoas. O objetivo é ilustrar que existem várias possibilidades de atuar em ações duradouras, que visam transformar a realidade da comunidade local, contribuindo para o desenvolvimento contínuo, sustentável e responsável. (Imprensa Sicredi Rio Paraná PR/SP)

Clique aqui para conferir o vídeo sobre a ação

 

UNIMED LONDRINA: Cooperativa e LEC confeccionam máscaras personalizadas em prol social

unimed londrina 12 06 2020Para contribuir no combate ao novo coronavírus, a Unimed Londrina e o time de futebol LEC (Londrina Esporte Clube) firmaram uma parceria para confeccionar e comercializar máscaras de tecido personalizadas. Um kit com três máscaras será vendido por R$ 5 ou trocado por 1 kg de alimento não perecível. Todo o valor e alimento arrecadados serão destinados a três instituições sociais da cidade.

Itens - O kit é composto por três máscaras personalizadas, com o escudo do LEC e as listras verticais nas cores azul e branco. Os interessados podem adquirir somente no Estádio Vitorino Gonçalves Dias os kits no tamanho pequeno e grande.

Parceria - Além da cooperativa médica, a iniciativa contou com a parceria da empresa Karilu e do Ipeddia (Instituto de Desenvolvimento e Pesquisa em Diagnóstico). Os três parceiros ficaram responsáveis por doarem as máscaras ao LEC.

Entidades beneficiadas - A ação beneficiará o Nuselon (Núcleo Social Evangélico de Londrina), Apae Londrina e Centro Saúde Especial Getexcel.

Outras ações - A Unimed Londrina doou em abril quase R$ 50 mil em equipamentos para o Hospital Universitário de Londrina (HU) reativar o sistema de videoconferência destinado a tirar dúvidas de médicos que atendem pacientes com covid-19 na região norte do Paraná.

Programa - Por meio do programa Ecobanners, a Cooperativa comprou mais de 2 mil máscaras de tecido para doar à Secretaria Municipal do Idoso. As máscaras foram confeccionadas pelas costureiras do Retraço Novo, projeto social que capacita mulheres do distrito de Lerrovile.

Aventais - Também pelo programa Ecobanners, a Retraço Novo produziu aventais com materiais de lona utilizadas pela Unimed Londrina em campanhas de venda. A vestimenta foi doada para uma cooperativa de reciclagem de Londrina e utilizada pelos funcionários como EPIs (equipamentos de proteção individual) ao recolher os resíduos do HU. (Imprensa Unimed Londrina)

 

UNIMED CURITIBA: Campanha reforça a importância do distanciamento físico como demonstração de cuidado

Desde o início da pandemia provocada pelo novo coronavírus, a Unimed Curitiba realiza diversas ações que reforçam o “Tempo de Cuidar”, conceito que destaca a necessidade de atitudes colaborativas com o outro e com o mundo. Seguindo a recomendação de que todos, sempre que possível, devem #ficaremcasa, a maior cooperativa de saúde do Estado lançou uma nova campanha que enfatiza a importância do distanciamento físico como demonstração de cuidado com o próximo.

Frases - Com frases como “estender a mão a todos é manter distância” e “Abraçar a todos é manter distância”, as peças são inspiradas nas pequenas ações do dia a dia e promovem reflexões sobre os cuidados especiais e mudanças de hábitos no contexto atual da saúde, principalmente no que diz respeito ao distanciamento físico. A campanha pode ser vista pelas ruas da cidade e em meios de comunicação online.

Propósito - Se hoje, mais do que nunca, o mundo precisa de mais cuidado, um plano de saúde que tem como conceito cuidar das pessoas para que elas possam aproveitar a vida com saúde e bem-estar não poderia falar de outra coisa neste momento de enfrentamento do novo coronavírus. O propósito é lembrar as pessoas da necessidade do isolamento e distanciamento físico, além do uso de máscara facial, da etiqueta da tosse e da higienização frequente das mãos, como medidas necessárias para diminuir o impacto da Covid-19 na população.

Dia C - A campanha faz parte do Dia C - Dia de Cooperar e é oportuna neste momento em que especialistas e autoridades de saúde estão preocupados com o relaxamento da população nas medidas de segurança e o consequente acréscimo no número de infectados. Por isso, assuma seu protagonismo neste “Tempo de Cuidar” e faça a sua parte para evitar que o vírus se espalhe: se puder, fique em casa e #fiqueseguro. (Imprensa Unimed Curitiba)

{vsig}2020/noticias/06/12/unimed_curitiba/{/vsig}

C.VALE: Campanha do Agasalho arrecada mais de 17 mil peças

Mesmo em meio à pandemia do novo coronavírus, a edição de 2020 da Campanha do Agasalho Aqueça Corações, promovida há 13 anos pela C.Vale e núcleos femininos da cooperativa, arrecadou mais de 17 mil peças entre roupas, cobertores e calçados. O volume recorde de donativos recebidos pelas indústrias e unidades do Paraná e Rio Grande do Sul, entre 6 abril e 8 de maio, foi repassado a entidades assistenciais da área de atuação da C.Vale. “A solidariedade dos associados, funcionários e da população vai garantir um inverno mais aquecido para os menos favorecidos”, destacou a assessora de cooperativismo da C.Vale, Mirna Klein Fúrio.

Diferença - Mais uma vez o comprometimento dos funcionários das indústrias fez a diferença. Uma ação dos Grupos de Melhoria Contínua do abatedouro de aves arrecadou mais de 8.140 peças. Destaque para o GMC-040 - Abate em Ação, composto por Altencio de Oliveira, Maria Cleudi dos Santos, Leandro Bezerra, Andressa Estevam, Lilia Ribeiro, Denise Dockhorn, Juniomar de Oliveira e Carolina Pereira, que arrecadaram 35% dos donativos da indústria. As doações também foram entregues para entidades assistenciais dos municípios de origem dos trabalhadores do frigorífico. Todos donativos arrecadados foram lavados, esterilizados e embalados antes de serem entregues. (Imprensa C.Vale)

{vsig}2020/noticias/06/12/cvale/{/vsig}

COAMO: Cooperativa participa de carregamento histórico no porto de Paranaguá

A Coamo Agroindustrial Cooperativa, por meio de seu terminal no Porto de Paranaguá, está participando de um momento histórico, com o carregamento de farelo de soja em um graneleiro de 292 metros de comprimento e 45 de boca (largura), o maior já recebido no complexo até hoje. O navio Pacific South sairá do Porto de Paranaguá com 103 mil toneladas de farelo de soja, sendo que a maior parte, cerca de 84 mil toneladas, sairão da Coamo.

Momento histórico - De acordo com Edenilson Carlos de Oliveira, diretor de Logística e Operações da Coamo, o momento, também, é histórico para a cooperativa que vem aumentando o volume de exportação. “Para atender esse carregamento houve um grande esforço evolvendo as três indústrias de esmagamento de soja – Campo Mourão, Dourados e Paranaguá –, e a equipe de logística da cooperativa para transportar o farelo até o Porto”, salienta.

Origem - De bandeira das Ilhas Marshall, o navio Pacific South veio do porto de Xangai, na China, e atracou no Porto de Paranaguá final da tarde de segunda-feira (08/06). Segundo a empresa responsável pela operação, o carregamento deve levar cerca de cinco dias, se as condições do tempo ajudarem e não houver paralisações por chuva ou umidade excessiva. O farelo irá para o porto de Amsterdã, na Holanda.

Volume - O volume de 103 mil toneladas - suficiente para carregar 3.400 caminhões - supera, em 13 mil toneladas, o recorde anterior registrado há pouco mais de um ano. Em 27 de maio de 2019, o navio chinês Lan Hua Hai, de 254 metros, carregou 90 mil toneladas de farelo de soja. Desta vez, a embarcação é 38 metros maior. Em média, os navios graneleiros recebidos no Porto de Paranaguá medem entre 199 e 229 metros de comprimento. Esses, em geral, costuma receber pouco mais de 60 mil toneladas de carga (soja, milho ou farelo).

Corredor de Exportação - O Corredor de Exportação é formado por nove terminais privados, entre eles a Coamo. Além de dois terminais públicos: um silo vertical, com capacidade estática de cem mil toneladas, e um silo horizontal, com capacidade total de 60 mil toneladas. (Imprensa Coamo)

{vsig}2020/noticias/06/12/coamo/{/vsig}

COPAGRIL: Produtores são orientados sobre manejo de entressafra para melhorar o solo

copagril 12 06 2020Após término do ciclo do milho 2ª safra, antecedendo a semeadura da cultura de verão, é importante planejar o manejo pós-colheita da área com o objetivo de preparar o ambiente para implantação da cultura de verão, pensando em diminuir a incidência de plantas daninhas e, dependendo da técnica utilizada, contribuindo na melhoria da qualidade física, biológica e química do solo.

Solo - Após a colheita do milho 2ª safra, sendo esse para grãos ou silagem, o solo fica desprotegido, mesmo que possua uma boa quantidade de palha, visto que, a palhada do milho safrinha não é suficiente para recobrir todo o solo de maneira uniforme de modo a formar uma barreira física para impedir a emergência e desenvolvimento de plantas daninhas.

Manejo de cobertura - Uma das formas para criar essa barreira física é semear culturas durante o período de entressafra. Pensando nisso, a Copagril recomenda algumas opções como, por exemplo, o cultivo de braquiária junto com o milho segunda safra ou semeadura de aveia ou nabo após a colheita. E, seguindo essa mesma linha, existe a opção dos mix de sementes que são misturas de vários tipos de sementes de plantas de cobertura, como aveias, centeio, nabos e ervilhacas em proporções ideais para formar essa barreira.

Emergência - Todas as opções citadas diminuem consideravelmente a emergência e desenvolvimento de plantas daninhas, além de contribuir para a diminuição do banco de sementes da área. Essa metodologia de manejo também proporciona benefícios químicos, físicos e biológicos ao solo conforme as características da cultura implantada. Sendo esse o manejo mais indicado.

Manejo químico - O manejo químico é outra opção de controle de plantas daninhas para esse período, com a utilização de herbicidas pré-emergentes. Esse tipo de manejo serve para controlar plantas daninhas antecipadamente, deixando um período residual no solo para que não haja a emergência de plantas invasoras antes da semeadura do verão. Esse manejo é recomendado após a primeira chuva pós-colheita do milho utilizando herbicidas sistêmicos e pré-emergente em conjunto. Com isso, já é realizado o controle das plantas emergidas, principalmente a buva que possui sua emergência favorecida no inverno com temperatura abaixo de 10 ºC e umidade no solo, e evita a emergência de outras invasoras.

Lavoura limpa - Ambos os métodos citados auxiliam para a condução da lavoura limpa, diminuindo a matocompetição inicial e, dependendo da situação, contribui para a diminuição de aplicações de herbicidas durante o desenvolvimento da lavoura. Implantar a lavoura no limpo é um dos fatores que contribui para alta produtividade.

Equipe técnica - A equipe técnica da Copagril está disponível para recomendar a melhor opção de manejo se sua lavoura. Os profissionais da cooperativa podem ser contatados nas Unidades Copagril e também diretamente com o setor de assistência técnica. (Imprensa Copagril)

 

COCAMAR: Plano Safra abre o Ciclo de Debates

Para manter os cooperados informados sobre os detalhes do novo Plano Safra Agrícola e Pecuário 2020/21, a ser anunciado pelo governo federal no dia 17 deste mês, a Cocamar vai promover às 16h30 daquele mesmo dia uma videconconferência para analisar e debater as medidas.

Participantes - Será a primeira edição do Ciclo de Debates Cocamar, no canal da cooperativa no YouTube, com a participação de Guilherme Valente, gerente financeiro da Cocamar, e dois convidados do Sistema Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Ocepar): Robson Mafioletti, superintendente, e Flávio Turra, gerente de desenvolvimento técnico.

Tecnologia de aplicação- Também como parte da programação do Ciclo, uma outra videoconferência está agendada para o dia 25 de junho, quando vai ser abordado o tema Tecnologia de Aplicação de Defensivos – com participantes ainda a serem definidos. (Imprensa Cocamar)

 

INFRAESTRUTURA: Ferroeste ingressa no PPI e passará por processo de desestatização

infraestrutura 12 06 2020A Estrada de Ferro Paraná Oeste S.A. (Ferroeste) foi qualificada na quarta-feira (10/06) no âmbito do Programa de Parcerias de Investimentos (CPPI) do governo federal, o que deve acelerar o seu processo de desestatização. O pedido foi feito pelo Governo do Estado e significa que a União vai ajudar o Paraná com apoio técnico regulatório necessário em diversas áreas, da modelagem e meio ambiente à atração de investidores.

Leilão - A expectativa é colocar a Ferroeste em leilão na B3 até o final de 2021 já com o Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA), o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e seu respectivo Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) concluídos. O modelo de concessão (total ou parcial) será discutido nos próximos meses em um Comitê de Governança do Projeto.

Extensão - Esse cronograma prevê, ainda, a viabilidade da extensão (até 1.371 quilômetros) de uma nova ferrovia entre Maracaju (MS) e Cascavel (PR), a revitalização do atual trecho ferroviário entre Cascavel a Guarapuava, a construção de uma nova ferrovia entre Guarapuava e Paranaguá e a construção de um ramal multimodal entre Cascavel e Foz do Iguaçu. Essa modelagem já está em fase de EVTEA. O estudo foi contratado em 2019 pelo Governo do Estado.

Conquista - “É uma conquista importante para o Paraná. A Ferroeste foi totalmente remodelada nos últimos meses e estamos viabilizando junto ao governo federal investimentos em outro patamar, o que permitirá a construção de novos ramais e melhorará a malha férrea do Estado para as próximas décadas”, destaca o governador Carlos Massa Ratinho Junior.

Comitê - O próximo passo é a formação de um comitê com um representante do Ministério da Economia, por meio da Secretaria Especial do Programa de Parcerias de Investimentos, que o coordenará; um representante do Ministério da Infraestrutura; um representante da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT); e dois representantes indicados facultativamente pelo Governo do Estado, a convite do governo federal.

Acompanhamento - Competirá ao comitê acompanhar a execução do projeto em todas as etapas necessárias para sua implementação. O prazo para conclusão dos trabalhos será de 360 dias a partir da publicação do ato normativo de sua criação, prorrogáveis por igual período de necessário.

Resolução - A resolução foi assinada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e pela secretária especial do Programa de Parcerias de Investimentos do Ministério da Economia, Martha Seillier.

Ferroeste - Segundo o secretário de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, já foram investidos mais de R$ 30 milhões nesse projeto e a adesão ao PPI significa que o Paraná terá toda condição técnica necessária para atrair recursos com segurança jurídica.

Novos traçados - “O Estado terá novos traçados na linha férrea e teremos capacidade de aumentar ainda mais a produção do agronegócio e das indústrias pesadas”, pontua. “É mais uma parceria bem-sucedida com o governo federal para transformar a infraestrutura”.

Processo - André Gonçalves, presidente da Ferroeste, afirma que o processo de qualificação exige viabilidade e consistência na operação, modelo de negócio que foi alcançado nos últimos 18 meses com recordes de movimentação de contêineres, lucro e novas parcerias. A estatal que opera a malha ferroviária entre Cascavel a Guarapuava encerrou o primeiro quadrimestre de 2020 com lucro de R$ 1,66 milhão, maior resultado da história da empresa para o período.

Consistente - “O projeto é consistente, foi bem construído e é considerado um dos mais viáveis para investimentos no Brasil porque facilita o carregamento próximo aos produtores e a entrega com segurança nos navios, além de se aliar aos projetos em andamento da nova roupagem ferroviária, com conexão até Paranaguá, Foz do Iguaçu e o Mato Grosso do Sul”, afirma Gonçalves.

Outro patamar - Ele reforça que os investimentos privados vão colocar o Paraná em outro patamar logístico, barateando o escoamento do agronegócio e tirando fluxo pesado de caminhões das estradas. “Assumimos a empresa com a missão de melhorar a logística para o setor produtivo e vamos entregar os projetos para uma nova malha, muito mais robusta. Esses investimentos permitirão ganho inestimável para a economia paranaense”, acrescenta o presidente da Ferroeste.

PPI - Os projetos qualificados no PPI têm prioridade nacional perante os agentes públicos, nas esferas administrativa e de controle da União, estados, Distrito Federal e municípios. O PPI atua na coordenação e monitoramento dos projetos em apoio aos ministérios setoriais e aos demais entes federativos, em especial no que diz respeito ao planejamento, modelagem e acompanhamento dos empreendimentos.

Modelos mais eficientes - O objetivo do governo federal é buscar modelos mais eficientes de oferta e gestão de serviços públicos, promoção da concorrência, segurança jurídica e propostas de melhorias regulatórias com vistas a atrair investidores nacionais e estrangeiros. O modelo será essencial para alavancar novos negócios ao País depois da pandemia do novo coronavírus.

Qualificados - Na quarta-feira (10/06) foram qualificados sete arrendamentos portuários, duas rodovias (além da inclusão das rodovias paranaenses no PND), relicitações de dois aeroportos, áreas em Oferta Permanente para exploração e produção de petróleo e gás natural, terminais pesqueiros, empreendimentos turísticos e parques nacionais.

Anel de Integração - A reunião de quarta-feira (10/06) também qualificou o novo Anel de Integração no Programa Nacional de Desestatização (PND). A formatação final ainda está em fase de estudos pela Empresa de Planejamento e Logística (EPL) e a estimativa é de que o Paraná tenha 4.114 quilômetros de rodovias (2.806 federais e 1.308 estaduais) mais modernas e com custo reduzido no pedágio. Os investimentos estão estimados em R$ 33,6 bilhões e o leilão deve ocorrer no terceiro trimestre de 2021.

Trechos - Devem fazer parte do novo Anel de Integração, além do polígono original, a PR-280 (Sul), a PR-323 (Noroeste), a PR-092 (Norte Pioneiro), a BR-163 (Guaíra a Cascavel e Cascavel a Barracão), a BR-476 (Palmas a Curitiba) e a BR-153 (Santo Antônio da Platina até Alto do Amparo), além do Contorno Norte de Curitiba. Os trechos compõem oito lotes do projeto de concessão das Rodovias Integradas do Paraná. (Agência de Notícias do Paraná)

 

COMÉRCIO EXTERIOR: Exportações do agro em maio somam US$ 10,9 bilhões e são recorde para o mês

comercio exterior 12 06 2020O agronegócio brasileiro registrou valor recorde nas exportações de maio com US$ 10,9 bilhões (+17,9%) e correspondeu a 60,9% do total exportado pelo país. O desempenho reflete, principalmente, os embarques de soja em grão (US$ 5,2 bilhões), carne bovina (US$ 780 milhões), açúcar (US$ 767 milhões) e café verde (US$ 468 milhões).

Importações - As importações de produtos do agronegócio diminuíram de US$ 1,18 bilhão (maio 2019) para US$ 835,78 milhões em maio deste ano, recuo de 29,3%. De acordo com o Boletim da Balança do Agronegócio, divulgado na quarta-feira (10/06) pela Secretaria de Comércio e Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o saldo da balança totalizou US$ 10 bilhões.

China - O mercado chinês adquiriu 44,9% do valor total exportado pelo Brasil em produtos do agronegócio, chegando a US$ 4,91 bilhões em aquisições (+50,4%). O país asiático foi o maior importador da soja em grão brasileira, das carnes (bovina, suína e de aves), do açúcar e da celulose.

Soja - O país asiático importou 71,5% de soja em grãos, o que corresponde a US$ 3,70 bilhões do grão.

Carne - Já as aquisições de carne brasileira foram de US$ 870,84 milhões, considerando o mercado de Hong Kong. Desta forma, 55% do valor total exportado pelo Brasil foi para a China nesse mês de maio.

Açúcar - A China aparece novamente como maior importadora de açúcar, adquirindo 21,7% de todo o valor exportado pelo Brasil do produto ou US$ 166,42 milhões. De acordo com a análise da SCRI, a quebra da safra indiana de açúcar e o aumento das aquisições chinesas do produto explicam o incremento de nossas exportações, alcançando no total US$ 767 milhões.

Celulose - A celulose também foi destaque para o mercado chinês que adquiriu US$ 242,03 milhões, ou 41,4% do total exportado pelo Brasil. (Mapa)

Confira a nota e o resumo da Balança Comercial do Agronegócio

Confira o Agrostat - Sistema de Estatísticas de Comercio Exterior do Agronegócio Brasileiro  

FOTO: Theo Marques

 

PRODUÇÃO PECUÁRIA: Abate de frangos no 1° trimestre é o maior da série histórica da pesquisa

O abate de frangos no 1º trimestre de 2020 totalizou 1,51 bilhão de cabeças, novo recorde na série histórica iniciada em 1987. Esse resultado ficou 5,0% acima do mesmo período do ano passado e foi 2,8% superior ao 4° trimestre de 2019. O mês com o maior resultado no trimestre foi março, que apresentou uma expressiva diferença em relação a março de 2019: 12,8% a mais. Os dados são da Estatística da Produção Pecuária, divulgada na quarta-feira (10/06) pelo IBGE, e que reflete apenas 15 dias dos efeitos do isolamento social para o combate da Covid-19.

Unidades da federação - Das 25 unidades da federação que têm estabelecimentos com abate de frangos inspecionado por fiscalização sanitária, 17 tiveram aumentos que contribuíram para a adição de mais 72,44 milhões de cabeças de frangos em relação ao 1° trimestre de 2019. O Paraná, que detém mais de um terço (33,5%) da produção nacional, teve também o maior aumento, 38,31 milhões de cabeças.

Suínos - O abate de suínos, que chegou a 11,88 milhões de cabeças, foi recorde para um primeiro trimestre desde o início da série histórica, em 1997. O resultado ficou 5,2% acima do mesmo período de 2019 e 0,2% abaixo do trimestre imediatamente anterior. Tal como ocorreu com os frangos, março foi o mês com maior atividade, 9,6% acima do mesmo mês em 2019. Santa Catarina, estado que contribui com 28,3% do total da produção nacional, teve um aumento de 352,09 milhões de cabeças em relação ao primeiro trimestre de 2019.

Exportações para a China - Um dos fatores que estimularam o aumento no abate de suínos e frangos foi o mercado externo. Houve um recorde de exportações de carnes para um primeiro trimestre, para suínos e bovinos, além de ser o segundo melhor primeiro trimestre da série para frangos, só ficando atrás do trimestre equivalente de 2017. “A China aumentou bastante a participação nas nossas exportações das três proteínas. O país está sendo afetado pela peste suína africana, portanto eles tentam compensar a perda na sua produção interna com as carnes brasileiras”, explica o analista da pesquisa, Bernardo Viscardi.

Abate de bovinos cai 10,2% e registra menor patamar - Por outro lado, o resultado do abate de bovinos no primeiro trimestre, de 7,25 milhões de cabeças, foi o mais baixo desde 2012, ficando 10,2% abaixo do trimestre anterior e 8,5% inferior ao 1° trimestre de 2019. O abate de 672,49 mil cabeças a menos do que no 1° trimestre de 2019 foi puxado por Goiás (-157,68 mil cabeças) e Mato Grosso (-120,70 mil cabeças). “Vários fatores podem ter contribuído para essa redução, desde o consumo interno até as variações de preços. Um diferencial observado, por exemplo, foi que, devido à melhoria dos preços dos bezerros, os produtores de carne preferiram poupar as fêmeas do abate para que elas possam gerar mais bezerros. Isso reduziu o número de fêmeas abatidas em relação ao primeiro trimestre de 2019”, analisa Viscardi.

Leite cru - Já a aquisição de leite cru foi recorde para um primeiro trimestre, com 6,30 bilhões de litros, com aumento de 1,8% em relação ao 1° trimestre de 2019. O mês de maior captação dentro do primeiro trimestre de 2020 foi janeiro, com 2,23 bilhões de litros de leite. O setor leiteiro tem um comportamento cíclico, com o primeiro trimestre do ano apresentando queda na produção em relação ao último trimestre do ano anterior. Neste trimestre, o ciclo se repetiu: a diferença foi de -5,5%. (Agência IBGE de Notícias)

CÂMARA: Plenário encerra sessão após impasse sobre MP que reduziu contribuições ao Sistema S

camara 12 06 2020Foi encerrada a sessão virtual do Plenário da Câmara dos Deputados de quarta-feira (10/06) sem que ocorresse a votação do projeto de lei de conversão à Medida Provisória 932/20. O texto do Poder Executivo cortou pela metade as contribuições recolhidas pelas empresas para financiar o Sistema S nos meses de abril, maio e junho.

Redução - O relator, deputado Hugo Leal (PSD-RJ), reduziu a vigência da medida de três para dois meses (abril e maio). “A MP visa aliviar temporariamente os encargos das empresas, uma vez que todos os setores precisam dar uma contribuição para aliviar os efeitos da crise financeira e social provocada pela pandemia de Covid-19”, disse.

Emenda - Após as discussões, Hugo Leal resolveu acatar uma emenda do PL para reduzir em 25% a contribuição devida no mês de junho. A ideia causou polêmica, já que vários parlamentares apontaram ruptura de um acordo de procedimentos para votação da MP 932, reclamando da alteração do parecer do relator minutos antes da votação.

Impasse - Diante do impasse, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, decidiu encerrar a sessão virtual. Desta forma, a MP 932 passará a trancar a pauta do Plenário. Maia anunciou ainda que a próxima sessão virtual está marcada para terça-feira (16/06). (Agência Câmara de Notícias)

FOTO: Maryanna Oliveria / Câmara dos Deputados

 

SENADO: MP que previne demissões durante a pandemia será votada na próxima terça

senado 12 06 2020O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, transferiu para a próxima terça-feira (16/06) a votação da medida provisória que permite redução de salários e jornada e suspensão de contratos durante a pandemia de covid-19 (MP 936/2020). Originalmente marcada para quarta-feira (10/06), a matéria foi adiada após os líderes não chegarem a um consenso sobre o tema. A sessão deliberativa de quarta foi cancelada.

Complementação - A MP determina que o governo federal pagará complementação de salário aos trabalhadores atingidos pelas medidas. As regras valem para quem tem carteira assinada e para os contratos de aprendizagem e de jornada parcial. Davi remarcou a votação para a próxima terça-feira (16/06), a partir das 14h.

Validade - Apesar de ter validade até agosto, a proposta prevê que a compensação do governo só valerá por até 60 dias para os trabalhadores com contratos suspensos. Como a MP foi publicada no dia 1º de abril, esse prazo já se esgotou. A Câmara dos Deputados acrescentou ao texto a possibilidade de prorrogação da ajuda, mas essa regra ainda precisa da sanção presidencial para ser aplicada — o que está em vigor é apenas o texto original da MP, que não admite prorrogação.

Justificativa - Davi Alcolumbre justificou o adiamento a partir da “complexidade” da medida provisória e da sua repercussão no Congresso: o texto recebeu mais de mil emendas de deputados e senadores. “Vários líderes partidários pediram a suspensão e a transferência [para terça]. O relator vai tentar construir o entendimento para a possibilidade de fazer um texto de conciliação. Este projeto é importante para a segurança jurídica das empresas e a garantia dos empregos”, explicou o presidente.

Emendas rejeitadas - O relatório do senador Vanderlan Cardoso (PSB-GO) rejeita todas as emendas e faz apenas uma alteração no texto que veio da Câmara dos Deputados: a correção dos valores de indenização trabalhista, que passa a ser feita pela inflação, deve ser aplicada a partir da data do vencimento da obrigação, em vez de sobre todo o prazo decorrido entre a condenação e o cumprimento da sentença. O senador considerou esta mudança apenas um ajuste de redação, de modo que o texto não precisará retornar à Câmara para revisão e poderá seguir diretamente para a sanção presidencial.

Pauta trancada - Como a MP 936 está trancando a pauta do Senado, os demais projetos agendados para votação nesta quarta também foram adiados. Entre eles estão o PL 1.142/2020, com medidas para prevenir a disseminação da covid-19 junto aos povos indígenas, quilombolas e comunidades tradicionais; e o PL 1.389/2020, que busca fortalecer o setor de assistência social durante a pandemia.

Agenda - Na próxima semana, o colégio de líderes do Senado vai se reunir na segunda-feira (15/06), a partir das 10h, para organizar a agenda da semana. Na quarta-feira (17/06) haverá sessão conjunta do Congresso Nacional, para a votação de vetos presidenciais, com horário ainda a ser definido. (Texto e foto: Agência Senado)

 

SAÚDE I: Brasil tem 40,9 mil mortes e 802 mil infectados

saude I 12 06 2020O Brasil ultrapassou as 40 mil mortes, segundo atualização do Ministério da Saúde divulgada no início da noite desta quinta-feira (11/06). O balanço apontou 1.240 novas mortes e 30.412 novos casos de covid-19 nas últimas 24h. Com esses acréscimos às estatísticas, o país chegou a 40.919 falecimentos em função da pandemia do novo coronavírus e 802.828 pessoas infectadas. O país conta ainda com 416.314 pessoas em observação e 345.595 estão recuperados.

Aumento - O balanço traz um aumento de 3,9% no número de casos em relação a ontem, quando o total estava em 772.416. Já as mortes aumentaram 3,1% em comparação com o dado de ontem, quando foram contabilizadas 39.680.A taxa de letalidade (número de mortes pela quantidade de casos confirmados) ficou em 5,1%. A taxa de mortalidade (falecimentos por 100.000 habitantes) foi de 19,5.

Estados - Os estados com maior número de óbitos são São Paulo (10.145), Rio de Janeiro (7.363), Ceará (4.663), Pará (4.030) e Pernambuco (3.633). Ainda figuram entres os com altos índices de vítimas fatais em função da pandemia Amazonas (2.400), Maranhão (1.360), Bahia (1.013), Espírito Santo (962), Alagoas (681) e Paraíba (570).

Mais casos - Os estados com mais casos são São Paulo (162.520), Rio de Janeiro (75.775), Ceará (73.879), Pará (64.126) e Amazonas (53.989). (Agência Brasil)

 

SAÚDE II: Paraná tem 627 novos casos e acumula 8.457 diagnósticos da Covid-19

saude II 12 06 2020A Secretaria de Estado da Saúde, em informe emitido nesta quinta-feira (11/06), divulga 627 novos casos da Covid-19, o maior número desde o início do monitoramento da pandemia no Estado. O boletim traz também mais cinco óbitos pela infecção. O acumulado é agora de 8.457 diagnósticos e 280 mortos em decorrência da doença.

Internados - Nesta quinta-feira, há 393 pacientes com diagnóstico confirmado internados, sendo 282 em leitos do SUS (131 em UTI e 151 em leitos clínicos/enfermaria) e 111 em leitos da rede privada (42 em UTI e 69 em leitos clínicos/enfermaria).

Pacientes - Os cinco pacientes que faleceram estavam internados. São duas mulheres e três homens, com idades que variam de 61 a 84 anos. Os óbitos ocorreram entre os dias 5 e 10 de junho. Os pacientes residiam nos municípios: Terra Boa, Rondon, Wenceslau Braz, Tapejara e Paiçandu.

Municípios - 295 cidades paranaenses têm ao menos um caso confirmado da Covid-19. Em 99 municípios há registro de óbitos pela doença.

Fora do Paraná - O monitoramento da Secretaria da Saúde registra 112 casos de residentes de fora. Oito pessoas foram a óbito.

Ajustes - Um caso confirmado dia 13 de maio, em Pinhais, foi transferido para Curitiba, e outro confirmado dia 8 de junho, em Coronel Vivida, foi excluído por erro de notificação. (Agência de Notícias do Paraná)

 

ANS: Agência divulga números de abril sobre os planos de saúde

1ans 12 06 2020A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) divulgou na quarta-feira (10/06) os dados do setor de planos de saúde relativos ao mês de abril. As informações estão disponíveis para consulta por meio da Sala de Situação, ferramenta do portal da ANS.

Total - Em abril de 2020, o setor totalizou 46.996.546 beneficiários em planos de assistência médica em todo o Brasil, mantendo a tendência de estabilidade, com pequenas oscilações em relação a períodos anteriores. O segmento exclusivamente odontológico totalizou 25.691.209 beneficiários.

Modificações - A ANS ressalta que os números podem sofrer modificações retroativas em função das revisões efetuadas mensalmente pelas operadoras.

Tabelas - Confira nas tabelas abaixo a evolução de beneficiários por tipo de contratação do plano e por UF (abril de 2020 e abril de 2019). Na Sala de Situação, é possível obter os dados mês a mês. (ANS)

Clique aqui para acessar.

2ans 12 06-2020

 

 

 

 

 

3ans 12 06-2020

 

 

 

 

4ans 12 06-2020

 

 

 

 

 

 

 

 

CREA-PR: Em tempos de pandemia, conselho ressalta a importância da correta manutenção de sistemas de climatização

A falta de manutenção e limpeza de aparelhos de ar condicionado pode causar uma série de problemas de saúde, como enxaqueca e problemas nas vias respiratórias, além de afetar o bom funcionamento do equipamento. A manutenção preventiva e limpeza adequada ajudam também a diminuir a emissão de poluentes no ambiente e diminuem o consumo de energia do aparelho, aumentando sua vida útil.

Novas exigências - Para evitar esses danos, há dois anos, o Ministério da Saúde estabeleceu novas exigências como manutenções preventivas mensais e até mesmo o monitoramento dos ambientes por meio de análises feitas a cada seis meses. O artigo 1º da lei Nº 13.589, de 4 de janeiro de 2018, diz que “todos os edifícios de uso público e coletivo que possuem ambientes de ar interior climatizado artificialmente devem dispor de um Plano de Manutenção, Operação e Controle – PMOC”. 

Procedimento - Segundo o Conselheiro do Crea-PR, engenheiro mecânico Elmar Pessoa Silva, antes dessa lei entrar em vigor existia apenas uma portaria da Anvisa, mas muitas empresas e órgãos públicos não a respeitavam. “Agora, todo estabelecimento deve providenciar o PMOC, que deve conter os dados de identificação do ambiente, do proprietário e do engenheiro responsável técnico pelo serviço. Deve contar também com a descrição dos equipamentos de climatização instalados, os seus componentes internos e externos e a periodicidade que devem ser realizadas as verificações e serviços”, explica o Engenheiro.

Fiscalização - O Crea-PR fiscaliza toda obra em construção e na finalização, para que o Plano de Manutenção, Operação e Controle seja implantado.

Lei respeitada - Ainda de acordo com o conselheiro, em Foz do Iguaçu, a maioria das empresas como hotéis, motéis, restaurantes, shoppings, supermercados, clínicas médicas e veterinárias, respeita a lei. “Entretanto, quando o Crea-PR vai ao estabelecimento que não possui o documento, o proprietário é notificado e tem o prazo de um mês para que um Engenheiro Mecânico ou da Câmara de Mecânica providencie o plano de manutenção”, esclarece.

Pandemia - Para o engenheiro, neste período de pandemia a correta manutenção dos sistemas de climatização pode contribuir para diminuir a disseminação da Covid-19. “Se em todos os locais públicos e privados os sistemas foram bem mantidos, bem limpos, com certeza isso vai ajudar muito. Além disso, é importante que empresas e órgãos públicos mantenham ao máximo sua ventilação natural nos ambientes. Janelas e portas devem estar constantemente abertas para o ar circular, respeitando as normas da Organização Mundial da Saúde”, orienta.

Profissional habilitado - Para garantir a segurança dos sistemas, toda e qualquer operação que envolva do projeto à manutenção de sistemas de ar condicionado deve ser realizada por um profissional habilitado com registro no Crea-PR. No caso específico dos sistemas de climatização, esse trabalho deve ser feito por um Engenheiro Mecânico. A falta desse profissional para averiguar as condições do aparelho pode trazer riscos à saúde dos usuários e danos ao equipamento como já citado.

Orientação - A orientação do Crea-PR é que a operação de instalação e manutenção de sistemas de ar condicionado venha sempre acompanhada de uma Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) emitida pelo Conselho. A Anotação de Responsabilidade Técnica é uma importantíssima conquista da sociedade e das profissões. A ART identifica de forma legal, objetiva e rastreavel, que a obra ou serviço foi planejada e executada por um ou mais profissionais legalmente habilitados pelo Crea, e que cabe exclusivamente a este, ou a estes profissionais a responsabilidade técnica pela obra ou serviço realizado, sem prejuízo às responsabilidades cíveis e criminais caso ocorram. “Quanto à contratação de empresas e profissionais, orientamos aos proprietários que verifiquem o devido registro da empresa junto ao Crea-PR e que exijam a ART do serviço e o Plano de Manutenção, Operação e Controle”, sugere o gerente da regional Cascavel do Crea-PR, Engenheiro Civil Geraldo Canci.

Equipamentos domésticos - Equipamentos domésticos também necessitam de correta manutenção. “No caso das residências, a limpeza deve ser realizada com a retirada do filtro que deve ser lavado normalmente em água corrente e, se necessário, usando sabão neutro. Em seguida o filtro deve ser colocado para secar à sombra. Tal operação deve ser realizada a cada 60 dias, mas em caso de ambientes com excesso de poeira e partículas, essa manutenção deve ser mensal”, conclui Elmar Pessoa Silva.

Sobre o Crea-PR - O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR), criado no ano de 1934, é uma autarquia responsável pela regulamentação e fiscalização dos profissionais da empresa das áreas da engenharia, agronomias e geociências. Além de regulamentar e fiscalizar, o Crea-PR também promove ações de orientação e valorização profissional por meio de termos de fomentos disponibilizados via Editais de Chamamento. (Assessoria de Imprensa do Crea-PR)

{vsig}2020/noticias/06/12/crea/{/vsig}

ARTIGO: A consciência de poupar

*Juliana Olivieri Refundini

O artigo de hoje propõe a vocês não só a refletir, mas também a agir em busca de obter equilíbrio financeiro mesmo nos momentos de crise.

A primeira etapa para conseguir começar a poupar, é ter consciência sobre qual é a sua renda e quais são as suas reais necessidades. Saber como você está gastando o seu dinheiro, é tão ou mais importante do que saber quanto você ganha!

O passo seguinte, é viabilizar sobras. Como assim, sobras? Nada mais é, do que fazer exatamente o inverso do que descrevi acima. É gastar menos que o seu orçamento permite, com o objetivo de preservar uma parte do recurso e direcioná-lo para um investimento.

Muitas pessoas argumentam que não têm renda suficiente para começar a investir. Mas será que o seu estilo de vida está condizente com a sua renda? Por isso, tomar consciência de qual é a sua real necessidade e até onde você pode gastar, é fundamental para viabilizar as “sobras” que comentei a pouco.

Uma regrinha fácil para ajudá-lo a definir quanto da sua renda você deve investir mensalmente, é a do 50-20-30: você divide sua renda em 3 partes: 50% são para as despesas fixas, 20% destinados a investimento e/ou pagamento de dívidas financeiras e 30% reservados para seus gastos variáveis, tais como passeios, diversão, compras, entre outras coisas.

Certo, mas e se você não conseguir destinar 20% neste momento? Sem problemas, entenda que o importante é ter em vista que poupar é necessário para ter uma vida financeira próspera e equilibrada, ainda que você comece com 5% ou 10% de seus ganhos mensais. Comece a poupar agora mesmo, independente do valor que poderá dispor e colherá os frutos no futuro!

O melhor investimento que você pode fazer é guardar dinheiro! Parece retórico, mas é simples e fundamental, pois ao investir o seu dinheiro você investirá em si próprio e em seu futuro, assegurando inclusive, que você tenha melhores oportunidades e conquiste sua liberdade financeira. Tendo você acumulado reservas, em determinados momentos oportunidades surgem, e você estará preparado para elas.

Entender a lógica e a dinâmica do mercado financeiro, também será muito importante para que você faça as melhores escolhas, como também, as mais adequadas ao seu perfil e objetivo de investimento. Lembre-se que você é o senhor de seu destino e, por mais que você diga que sua renda não é tão grande assim, não será desculpa para não se planejar e iniciar seus investimentos. Colha no amanhã o que você está poupando e plantando hoje!

O assunto “mercado financeiro” para algumas pessoas ainda é de difícil compreensão. Mas não é tão difícil assim! Sugiro a você que navegue em nosso canal, garanto que sua visão de mercado financeiro ficará mais clara e fácil. Envie também suas perguntas e dúvidas.

Gostaria de saber sobre outro assunto da área financeira? Fale com a gente através do e-mail: faleconosco@uniprimebr.com.br

*Juliana Olivieri Refundini é colaboradora Uniprime e profissional com Certificação CFP®


Versão para impressão


RODAPE