Imprimir
CABECALHO

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4582 | 23 de Maio de 2019

FEBRE AFTOSA: Fóruns sobre o fim da vacinação no PR reúnem grande número de participantes

Cerca de 3.450 pessoas já participaram dos quatro fóruns “Paraná livre de febre aftosa sem vacinação” realizados até o momento pelo governo do Estado, em parceria com diversas entidades, com o propósito de discutir a suspensão da vacina contra febre aftosa no Estado. Os eventos já ocorreram em Paranavaí, no dia 14 de maio, na região Noroeste, com aproximadamente 800 pessoas; em Cornélio Procópio, no Norte, com 700 participantes, no dia 15 de maio; em Guarapuava, no Centro-Sul, no dia 21 de maio, com 650 participantes, e nesta quarta-feira (22/05), em Pato Branco, no Sudoeste, com 1.300 pessoas.

Cascavel - Nesta quinta-feira (23/05), Cascavel, na região Oeste, recebe o debate, das 13h às 16h, no anfiteatro Emir Sfair, com a expectativa de reunir aproximadamente 800 participantes, entre os quais o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken. “Agora é hora de agir. O setor cooperativista tem investido muito no aspecto sanitário e vamos investir mais ainda com o novo status, pois é uma grande responsabilidade para todos os segmentos produtivos e as conquistas serão de todos também”, afirma Ricken. O último evento ocorre no dia 29 de maio, em Curitiba.

Apoio - O Sistema Ocepar apoia a iniciativa, juntamente com a Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, Adapar, Emater, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Sistema Faep/Senar, Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores Familiares do Estado do Paraná (Fetaep), além de entidades locais que colaboram com recursos físicos, como prefeituras, Sociedades Rurais de Cornélio Procópio e Pato Branco, Fiep e Unicentro.

Status - Após a campanha de vacinação de maio de 2019, que atinge bovinos e búfalos de até 24 meses, o Paraná deixa de vacinar contra febre aftosa. Em setembro, o Ministério da Agricultura vai publicar um ato normativo que mudará o status do Estado para Área Livre de Febre Aftosa sem Vacinação, e a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) reconhecerá a condição do Paraná em 2021.

Competitividade - Na avaliação do superintendente da Ocepar, Robson Mafioletti, que está acompanhando a realização de todos os fóruns, a discussão sobre a mudança de status do Paraná é antiga e o setor produtivo do estado fez a lição de casa, participando, em conjunto com a Adapar, Seab e demais parceiros, dos esforços e investimentos para a melhoria das condições de fiscalização sanitária. “Chegou o momento de consolidar este trabalho, alcançando o status livre de febre aftosa sem vacinação, que amplia a competitividade da agropecuária paranaense no mercado internacional”, afirmou. “Os fóruns são importantes pois levam informações técnicas e mercadológicas aos produtores, para que todos estejam preparados para as mudanças”, completou. 

{vsig}2019/noticias/05/23/aftosa/{/vsig}

RECONHECIMENTO: Cooperativas recebem certificados da CRIAI

reconhecimento 23 05 2019As cooperativas Integrada, Capal, Castrolanda, Lar, Copagril, C.Vale, Coopavel e Coamo receberam o certificado da Comissão de Defesa dos Direitos da Criança, do Adolescente, do Idoso e da Pessoa com Deficiência (CRIAI), que prestou homenagem aos parceiros da entidade que desenvolvem ações em favor da infância e da juventude. A entrega ocorreu durante a audiência púbica sobre adoção e apadrinhamento afetivo realizada na tarde desta quarta-feira (22/05), na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), em Curitiba, por iniciativa da CRIAI, dentro da programação da Semana Estadual da Adoção. O contador da Ocepar, Maurício Roesner, representou as cooperativas na solenidade.

 

COPAGRIL: Dia de Campo sobre o milho safrinha será realizado na sexta-feira

A Estação Experimental Copagril será o local de encontro dos produtores rurais da região oeste paranaense que participarão do Dia de Campo Milho Safrinha 2019, promovido pela cooperativa, em Marechal Cândido Rondon (PR).

Tecnologia de ponta - De acordo com o responsável pela área experimental, Darci Augusto Sonego, é um evento esperado pelos associados e demais produtores rurais da região. “Todos os anos a cooperativa apresenta ao público do evento as tecnologias de ponta em híbridos de milho, com alternativas para que os produtores escolham os materiais que melhor se adaptam à nossa região, diante das suas características e das condições de clima e de solo em que a cultura é cultivada”, enfatiza.

Ambiente didático - Segundo ele, o campo experimental da Copagril é um ambiente didático onde foram preparados em torno de 40 híbridos de milho para apreciação pelo público. “Será uma ótima oportunidade para os produtores tirarem dúvidas com a nossa equipe de agrônomos e representantes das empresas parceiras”, salienta Sonego.

Tolerância - Conforme Sonego, 2019 foi um ano atípico devido ao verão bastante quente e devido ao plantio antecipado do milho, o que impactou na cultura. “Sendo assim, no dia de campo os produtores poderão ver quais híbridos apresentaram maior tolerância diante deste tipo de intempéries climáticas: verão chuvoso, úmido e com altas temperaturas. A partir do que observar em nosso evento, o material que o produtor escolher para o próximo plantio provavelmente será uma boa escolha”, assegura.

Tem mais - No Dia de Campo também haverá demonstrações de pastagens de inverno, exposição de máquinas agrícolas e o Programa de Correção e Adubação de Solo Copagril (ProSolo), que disponibiliza um sistema altamente tecnológico de agricultura de precisão.

Programação - A programação do evento será das 08 às 12 horas e das 13h30 às 17h30. A Estação Experimental fica na rodovia PR-491, saída para Nova Santa Rosa. A entrada será franca. (Imprensa Copagril)

copagril 23 05 2019

 

 

COCAMAR I: Desafio no Campus 2 busca solução para cinzas das caldeiras

Como dar destinação inovadora e sustentável às cinzas das caldeiras geradas pelo trabalho diário na Cocamar? A resposta tem que ser viável em logística, mercado, econômica e financeiramente, sem ferir legislações. Essa proposta provocante foi feita aos universitários pelo Direto no Campus 2, parceria organizada pela Cocamar e que tem a parceria da Universidade Estadual de Maringá (UEM) e Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Enunciado - Após terem se inscrito até o dia 15, os acadêmicos dos cursos de gestão, agrárias e engenharias da UEM ainda não sabiam qual seria o desafio específico, apenas que seria uma solução ambiental para o descarte de resíduos industriais. O enunciado oficial, junto a informações estatísticas, foi apresentado pela equipe da Cocamar na tarde de segunda-feira (20/05), no Anfiteatro Adelbar Sampaio da UEM.

Produto - “Toda indústria, todo processo produtivo, acaba por gerar resíduos e impactar o meio ambiente. Se encontrarmos uma solução, através dos alunos da UEM, podemos criar um produto, inclusive um mercado, quem sabe gerando empregos e renda para a nossa região”, espera Natália Cavalin Paganini, coordenadora ambiental da Cocamar.

Mentorias - De acordo com o regulamento, os alunos vão participar até a primeira semana de julho, de mentorias nas áreas de mercado e negócios, processos e insumos, e legislação ambiental. A apresentação final dos projetos, para uma banca avaliadora, está prevista para ocorrer em 23 de julho.

Ano passado - O Direto do Campus 1, no segundo semestre de 2018, desafiou alunos de Engenharia de Alimentos da UEM a desenvolver uma bebida vegetal, um néctar ou um fermentado não alcoólico com matérias-primas produzidas por cooperados. Para isso, receberam uma caixa, na qual pelo menos um ingrediente deveria ser usado. No fim, demonstraram o produto pronto, incluindo sugestão de embalagem, com informações como tabela nutricional. O vencedor foi um “suco bronzeador”, com cenoura e beterraba, na receita. (Imprensa Cocamar, com informações da Assessoria de Comunicação da UEM)

{vsig}2019/noticias/05/23/cocamar/{/vsig}

COCAMAR II: Casas de Apoio recebem recursos doados pelos cooperados

Na terça-feira (21/05), a Cocamar completou em Nova Andradina (MS), e entrega de recursos a entidades que oferecem apoio a familiares de pacientes com câncer. Os R$ 138 mil, no total, são parte de um complemento de sobras do exercício 2018 e foram doados pelos cooperados durante a Assembleia Geral Ordinária realizada no início de fevereiro.

Nova Andradina - Na cidade do Mato Grosso do Sul, a instituição beneficiada foi a Associação Voluntária Projeto Vida Nova, mantenedora da Casa de Apoio Mamãe Aldegonda, que abriga pacientes atendidos pela unidade local do Hospital de Câncer de Barretos. Para manter a casa, o projeto conta com recursos repassados por vários municípios da região, que também se utilizam dos serviços, além de doações da comunidade.

Londrina - A distribuição dos recursos começou semanas antes, por Londrina (PR), onde representantes da cooperativa visitaram a Casa de Apoio Madre Leônia e a Casa de Apoio Esperança. Ambas recepcionam pessoas que acompanham seus enfermos em hospitais e nem sempre dispõem de recursos para hospedar-se em hotéis, oferecendo-lhes, gratuitamente, acomodações e alimentação.

Maringá e Jussara - O mesmo tipo de atendimento é oferecido por duas entidades de Maringá (PR), igualmente contempladas: a Rede Feminina de Combate ao Câncer e o Lar Fraterno Amor ao Próximo, e também a Ame, de Jussara. Elas foram estruturadas por voluntários para que familiares de pacientes acometidos pela doença, em especial os de baixa renda, pudessem também ser assistidos ao acompanhá-los em seus tratamentos. Muitos, por não terem condições de hospedar-se ou alimentar-se, acabam sofrendo privações e necessidades.

Presidente Prudente - Os representantes da Cocamar estiveram também em Presidente Prudente (SP), onde formalizaram a doação à Casa de Apoio Geraldo Ribeiro de Souza, que segue o mesmo modelo de atendimento das similares de Londrina Maringá e Jussara. (Imprensa Cocamar)

{vsig}2019/noticias/05/23/cocamar_II/{/vsig}

SICREDI CAMOS GERAIS: Rede de atendimento na capital paranaense é ampliada com a chegada ao Champagnat

Na última terça-feira (21/05), Curitiba ganhou mais uma agência do Sicredi, instituição financeira cooperativa com mais de 4 milhões de associados. O novo ponto de atendimento da Sicredi Campos Gerais PR/SP está localizado na Avenida Padre Anchieta, 1982, no bairro Champagnat. Essa é a terceira de quatro inaugurações previstas pela instituição financeira cooperativa para a capital paranaense em 2019.

Importante - Para o presidente da Sicredi Campos Gerais PR/SP, Popke Ferdinand Van Der Vinne, a expansão em Curitiba é importante porque proporciona que mais pessoas tenham acesso ao modelo cooperativista. “Oferecemos soluções financeiras para agregar renda e contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos nossos associados e das comunidades onde estamos inseridos. Diferente do que acontece nos bancos tradicionais, os associados são os donos do negócio, participando ativamente da gestão. Além disso, os recursos aplicados na instituição permanecem na área de atuação de cada cooperativa”, explica.

Mais uma agência - Ainda no primeiro semestre, o Sicredi vai inaugurar mais uma agência, desta vez no Jockey Plaza Shopping, no bairro Tarumã. “Chegaremos a oito pontos de atendimento da nossa cooperativa na capital paranaense. Somente com as unidades inauguradas em 2019, a Sicredi Campos Gerais PR/SP investiu cerca R$ 7 milhões e está gerando mais de 100 empregos diretos e indiretos na área de atuação da cooperativa”, finaliza o diretor executivo, Márcio Zwierewicz.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.700 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi Campos Gerais PR/SP)

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

{vsig}2019/noticias/05/23/sicredi_campos_gerais/{/vsig}

SICREDI ALIANÇA: Prêmio é entregue na reinauguração da agência de Marechal C. Rondon

O Sicredi, instituição financeira cooperativa presente em 22 estados brasileiros e no Distrito Federal, reinaugurou, na manhã desta quarta-feira (22/05), a agência Avenida Maripá, em Marechal Cândido Rondon (PR). A cooperativa Sicredi Aliança PR/SP possui atuação no oeste do Paraná e no norte de São Paulo, está presente em 17 municípios com 20 agências e está prestes a comemorar a importante marca de 50 mil associados.

Presenças - A solenidade contou com a presença do presidente do Conselho de Administração, Adolfo Rudolfo Freitag; do vice-Presidente, Ildo Vorpagel Hoffmann; do Diretor Executivo, Fernando Barros Fenner; do gerente da agência, Moacir Dupont; do Vice-Prefeito Municipal, Ilario Hofstaetter; do Presidente da Associação Comercial e Empresarial de Marechal Cândido Rondon, Ricardo Leites de Oliveira; do Presidente do Sindicato Rural, Edio Luiz Chapla; do Comandante do Batalhão de Polícia de Fronteira, Tenente Coronel Saulo de Tarso Sanson Silva; do Pastor Carlos Kracke, de associados, conselheiros, coordenadores de núcleo, representantes dos Comitês Jovem e Mulher, colaboradores e demais convidados.

Ambiente mais acolhedor - Para o gerente, Moacir Dupont, o objetivo da revitalização da agência é proporcionar um ambiente mais acolhedor. “A cooperativa pensa no bem-estar do associado. Queremos que aqui seja a sua segunda casa e por isso, é importante recebê-los em um local agradável. Tudo foi pensado para bem atender os nossos mais de 8 mil associados com conforto e privacidade. Todos estão convidados para nos visitar e quem ainda não é associado, venha nos conhecer. Estamos à disposição para conversar sobre as soluções financeiras que temos à disposição”, disse.

Parceria - “O Sicredi é um grande parceiro das iniciativas da Acimacar e esta parceria vem de longa data. Assim como a Associação Comercial, o Sicredi busca o melhor para os seus associados. Ano após ano, a nossa parceria se consolida trazendo bons resultados para a comunidade rondonense e é onde podemos unir o cooperativismo ao associativismo, buscando mais desenvolvimento local. Parabéns por acreditar em nosso município”, ressaltou o Presidente da Associação Comercial e Empresarial de Marechal Cândido Rondon, Ricardo Leites de Oliveira.

História - O vice-prefeito, Ilário Hofstaetter, destaca que o Sicredi faz parte da história de Marechal Cândido Rondon. “A cidade tem um carinho muito grande pela cooperativa. O Sicredi colabora diretamente no desenvolvimento de Marechal Cândido Rondon e nós temos que agradecer pelas inúmeras parcerias que firmamos. Essa reinauguração demostra que o Sicredi também acredita no potencial de Marechal Cândido Rondon. Desejamos cada vez mais sucesso”, destacou.

Orgulho - De acordo com o presidente do Conselho de Administração, Adolfo Rudolfo Freitag, é motivo de orgulho comemorar mais essa conquista na cidade que também é a cidade sede da nossa cooperativa Sicredi Aliança PR/SP. “Os associados merecem uma agência moderna, bonita e aconchegante. Muitos duvidaram da ideia que nasceu há 33 anos, a partir da determinação de 21 agricultores. Hoje somos quase 50 mil e mais de 20 mil somente em Marechal Cândido Rondon. Aqui temos quatro agências e a Sede Regional onde geramos 179 empregos. O sentimento é de gratidão pela confiança. Estamos alcançando solidez pois existem pessoas que acreditam em nosso jeito de ser”, expôs.

Vem investir e ganhar - Na ocasião também foi feita a entrega de um prêmio de R$5 mil da Campanha “Vem investir e ganhar”. A contemplada foi a empresa associada da agência Avenida Maripá, Agrícola Horizonte, representada pelo empresário Osvino Ricardi e pelo Diretor Financeiro, Décio Swarowsky.

Foco - A Campanha “Vem investir e ganhar” tem como foco o depósito a prazo e vai sortear até outubro R$230 mil em premiações, incluindo três sorteios mensais de R$5 mil e dois carros 0 km: um Ford KA SE e um Jeep Compass, sendo a maior campanha da história da cooperativa.

Números da sorte - Ao participar, o associado ganha números da sorte. Cada R$100 aplicados dão direto a um número da sorte. Se aplicados em até 06 meses: 1 número da sorte. Se aplicados entre 06 e 12 meses: 2 números da sorte. Se aplicados entre 12 e 24 meses: 3 números da sorte e se aplicados a partir de 24 meses: 4 números da sorte. A promoção vale para todos os associados da Sicredi Aliança PR/SP – pessoa física e pessoa jurídica -, tanto no Paraná quanto em São Paulo. Para conferir os números, basta acessar: https://www.sicredi.com.br/promocao/investireganhar/.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.600 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi)

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

{vsig}2019/noticias/05/23/sicredi_alianca/{/vsig}

SICREDI UNIÃO PR/SP: Londrina ganha a sétima agência da cooperativa

sicredi uniao 23 05 2019Com as presenças de associados, autoridades, convidados e diretores, a Sicredi União PR/SP inaugurou a sétima agência em Londrina, desta vez na avenida Bandeirantes, na noite da última terça-feira (21/05). A inauguração abriu o calendário de expansão da cooperativa de crédito em Londrina, que até o final deste ano terá mais três agências na cidade - nas avenidas Ayrton Senna e Inglaterra e na região central – além de um novo espaço para a agência já consolidada da zona norte, que será transferida para um prédio, na mesma região, mais moderno e amplo.

Crescimento - “O cooperativismo de crédito cresce a uma média de 25% ao ano nos últimos 15 anos. E o segmento que cresce a esta velocidade não é por acaso. É porque está fazendo algo de diferente”, destacou o presidente da Sicredi União PR/SP, Wellington Ferreira.

Relacionamento - A diferença, ressaltou ele, está no relacionamento, no uso da tecnologia para aproximar pessoas, na participação dos associados nas decisões e também porque o modelo de negócio tem propósito e se instala nas cidades visando ao desenvolvimento regional e humano. Ferreira lembrou da trajetória da Sicredi União, que começou com 20 pessoas, há cerca de 34 anos, e hoje está entre as quatro maiores cooperativas de crédito do Brasil.

Pioneirismo - Representando o prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, o secretário de Gestão Pública, Fábio Cavazotti, destacou o papel do empreendedorismo e do pioneirismo. “A história do cooperativismo tem muito a ver com a história de desenvolvimento do Norte do Paraná. As pessoas chegaram por aqui cheias de sonhos, empreenderam e construíram suas vidas. O cooperativismo também envolve pessoas, sonhos e vontade de crescer”.

Diferenciais - A nova agência está localizada em frente ao Hospital Evangélico e é gerenciada por Suelen Lopes. Seguindo um modelo atual, em que o atendimento presencial cede espaço para os meios digitais, a nova agência da cooperativa de crédito terá caixas eletrônicos e uma equipe para auxiliar em todos os atendimentos bancários e relacionamento. “O nosso associado encontrará aqui todos os serviços oferecidos pelas instituições financeiras. Só não temos caixas físicos,” informou Suelen.

Comunidade - Na agência, há espaços também para coworking e sala de reunião, com 18 lugares, que podem ser utilizados pelos associados. “Se um associado precisa receber um grupo ou precisa fechar um negócio, ele pode utilizar nossa sala de reunião”, exemplificou a gerente. “Queremos ter uma atuação bem presente junto à comunidade. Embora estejamos numa área de serviços médicos, estamos abertos para todos os segmentos”, acrescentou.

Olho no olho - Carla Sonoda, gerente de Desenvolvimento da Regional Norte, destacou que a cooperativa tem, entre seus pilares, o relacionamento com os associados. “Muitos de nossos associados gostam de ir às nossas agências, conversar sobre seus negócios e esse relacionamento olho no olho nos fortalece”, comentou.

Expansão - A Sicredi União PR/SP está num processo de expansão em todas as regionais em que atua – Norte e Noroeste do Paraná, Leste e Centro-Leste Paulista - e terminará 2019 com 25 novas agências. A cooperativa está presente em 110 municípios.

Presença - Em Londrina, além da nova agência, na avenida Bandeirantes, a Sicredi tem endereços nas avenidas Tiradentes, Saul Elkind, Duque de Caxias, Higienópolis e Santos Dumont, e ainda no distrito de Guaravera, onde é a única instituição financeira presente. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

 

INSTITUTO SICOOB I: Professores da região de Peabiru participam de curso de reciclagem do Programa Cooperjovem

instituto sicoob I 23 05 2019No dia 3 de maio, o Instituto Sicoob promoveu em Peabiru um evento de reciclagem do Programa Cooperjovem. Participaram 22 professores de 6 escolas da região, que já estão há cerca de 4 anos no projeto.

Conteúdos e conceitos - Durante o encontro, os educadores retomaram os conteúdos e conceitos abordados no ano anterior, durante as etapas de capacitação. O objetivo do curso, chamado de Formação Continuada, é reforçar a metodologia do programa de forma prática, para que os professores continuem aplicando o Cooperjovem em sala de aula e orientando os alunos no desenvolvimento de projetos baseados nos valores e princípios do cooperativismo.

Presenças - Representando o Sicoob Metropolitano, cooperativa que apoia o Instituto Sicoob na realização dos projetos e programas em Peabiru e região, estiveram presentes o assessor institucional, Adilso Carniel e esteve o gerente da agência local, André Luiz Gonçalves Lopes. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

INSTITUTO SICOOB II: Cooperativa Mirim Cooperamor realiza AGO para prestação de contas

Cerca de 90 crianças que integram a Cooperativa Mirim Cooperamor se reuniram no último dia 15 para a realização da Assembleia Geral Ordinária (AGO), em que apresentaram a prestação de contas das atividades realizadas no último ano. A reunião ocorreu na sede do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos de Astorga, contou com a participação de representantes do Instituto Sicoob e do Sicoob Metropolitano, que é a cooperativa madrinha do projeto.

Futuro - Representando o Sicoob Metropolitano, esteve presente o gerente Institucional na Unidade Administrativa, Hermenegildo Rubim, que falou sobre a importância do projeto para o futuro das crianças e da comunidade. “Na cooperativa mirim, a criança vivencia princípios e valores cooperativistas e se insere em um ambiente comunitário, de produção, de administração, de zelar pelo bem comum e de valorização de si própria”, afirma.

Cooperativa Mirim - É uma metodologia desenvolvida pelo Instituto Sicoob em parceria com as cooperativas Sicoob locais. Se trata de uma associação de alunos que, sob a orientação de um professor, se unem voluntariamente visando satisfazer anseios e necessidades econômicas, sociais e culturais comuns, por meio da vivência e prática do cooperativismo.

Finalidade - As cooperativas fundadas são dirigidas e coordenadas pelos próprios alunos e tem por finalidade o desenvolvimento de competências, hábitos e atitudes por meio de uma prática pedagógica que dissemina os princípios do cooperativismo, harmonizando-os aos interesses com a comunidade e obtendo responsabilidades sociais, morais e econômicas. Os alunos produzem trabalhos artesanais e dividem os resultados financeiros proporcionalmente entre os membros da cooperativa. (Imprensa Sicoob Unicoob)

{vsig}2019/noticias/05/23/instituto_sicoob_II/{/vsig}

SICOOB COOESA: 25 anos são celebrados com cooperados, dirigentes, conselheiros, colaboradores e autoridades

Para comemorar seus 25 anos, o Sicoob Cooesa promoveu uma grande festa. O evento, realizado no último dia 16, reuniu dirigentes, conselheiros, colaboradores, cooperados, autoridades e convidados no Salão Nobre do Clube Cassazum, em Belém (PA).

Homenagens - A noite foi de celebração e teve muitas homenagens, em especial para os membros dos Conselhos de Administração e Fiscal, além de uma apresentação de Dança do Ventre com a Companhia de Dança Arare. Para fechar a noite, os presentes assistiram um show com o cantor Mahrco Monteiro.

Trajetória - O Sicoob Cooesa nasceu em 1994, a partir da união de servidores da Assembleia Legislativa do Estado do Pará. "Nascemos em um momento de crise e tivemos a necessidade de nos organizar. O cooperativismo tem esse impulsionamento de se reinventar sempre. Durante este tempo todo, nos reinventamos. Éramos específicos da Assembleia Legislativa, depois ampliamos para os servidores de todo o Estado e, hoje, somos de livre admissão. Qualquer cidadão pode se tornar associado da cooperativa. Eu, que sou sócia fundadora, sinto muito orgulho em participar deste momento”, afirma a presidente da Sicoob Cooesa, Francisca Uchôa.

Pontos de atendimento- Atualmente, o Sicoob Cooesa cooperativa possui pontos de atendimento em Castanhal, Santarém e duas agências em Belém. Há ainda projetos para atingir outros municípios, como Bragança, Monte Alegre e os demais da região do Tapajós. (Imprensa Sicoob Unicoob)

{vsig}2019/noticias/05/23/sicoob_cooesa/{/vsig}

UNIPRIME NORTE DO PR: Cooperativa oferece vantagens para linha de crédito socioambiental

uniprime norte pr 23 05 2019A história da sustentabilidade tem um viés curioso. A prática existe há mais de 200 anos, quando nossos antepassados poupavam recursos naturais a fim de resguardar matéria-prima para usos futuros. Porém, foi somente nos anos 90, que o termo "sustentabilidade" foi estruturado, quando a ONU (Organização das Nações Unidas) colocou oficialmente a prática na agenda global dos países, exigindo que eles se adequassem a uma lista estruturada de práticas sustentáveis.

Ambientes corporativos - Mais recente ainda é a sustentabilidade para os ambientes corporativos. O sociólogo e escritor britânico John Elkington trouxe o tema para dentro das salas de reuniões ao criar o “Triple Bottom Line”, expressão que define que, para ser sustentável, uma organização ou um negócio deve ser financeiramente viável, socialmente justo e ambientalmente responsável.

Linhas de crédito - E, para ajudar as empresas e empreendedores a adequarem seus negócios aos parâmetros sustentáveis, a Uniprime possui as Linhas de Crédito Socioambientais, com vantagens financeiras para o cooperado que planeja iniciar ou ampliar sua atuação em projetos responsáveis com ênfase Ambiental e Social.

Procura - "Além de crédito para aquisição de veículos híbridos e adaptados, destaco especialmente a linha de crédito para painéis fotovoltaicos, atualmente um recurso com alta procura pela população. Essas placas promovem uma economia significativa de energia, fazendo com que o investimento seja altamente vantajoso a médio e longo prazo. Entre os diferenciais da linha de crédito da Uniprime estão o financiamento de até 90% do valor dos painéis, taxas diferenciadas, prazo de até 60 meses para pagar e o retorno de parte dos juros pagos na distribuição das sobras", explica Wilson Hirata, gerente da gência Uniprime Londrina.  (Imprensa Uniprime Norte do Paraná)

 

UNIMED LONDRINA: Serviço de urgência ou emergência atende em novo número

unimed londrina 23 05 2019O SOS Unimed Londrina está com novidades! A principal delas é o novo número de telefone para acionar o serviço. A partir do dia 16 de junho, os clientes devem ligar para 0800-1234-777, caso precisem solicitar uma ambulância para atendimento médico ou esclarecer dúvidas de saúde.

Base - A base de serviço também irá mudar de endereço. A nova base ficará na sede administrativa da Unimed Londrina, na Av. Ayrton Senna, 1065. O espaço foi reformado para receber as equipes e as novas ambulâncias.

Aprimoramento - “Estas novidades vão aprimorar a qualidade do nosso serviço, que agora contará com equipes próprias e ambulâncias com tecnologia avançada para transporte de vidas”, destaca a gerente de Negócios da Unimed Londrina, Zenaide Leão. No início, o serviço do SOS Unimed Londrina era terceirizado.

Serviço - O SOS Unimed Londrina é um serviço particular de atendimento de urgência ou emergência, disponível 24 horas por dia, sete dias por semana.

Procedimentos - Ao ligar para o SOS, a equipe realiza atendimento pré-hospitalar, na qual o solicitante e/ou cliente é atendido inicialmente por uma técnica auxiliar em Regulação Médica (TARM) que, após a coleta de dados contratuais/cadastrais do cliente, encaminha a ligação para o médico regulador.

Análise - De forma rápida e eficiente, este médico analisa o quadro do cliente, em alguns casos faz orientação médica por telefone e/ou encaminha a ambulância até a casa do paciente. (Imprensa Unimed Londrina)

 

SAÚDE I: BNDES cria linha de crédito para o setor e assume risco

saude I 23 05 2019O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES) criou uma linha de crédito voltada à inovação que deve atender, principalmente, as fabricantes do setor de saúde. As empresas elegíveis são aquelas com faturamento anual entre R$ 3 milhões e R$ 300 milhões, que poderão contratar empréstimos de R$ 1 milhão a R$ 10 milhões.

Diferencial - O diferencial do produto é que a empresa poderá usar o fundo garantidor (FGI) do BNDES, em vez de dar uma garantia real para a contratação da linha. No momento da assinatura do contrato, a empresa paga cerca de 3% do valor do empréstimo para compor o fundo garantidor. "É a primeira vez que o BNDES oferece uma linha de crédito direta em que o risco é do banco. Também ajudará muitas empresas da nova economia que não têm ativos imobilizados para dar como garantia", disse Joaquim Levy, presidente da instituição. A taxa de juros é TJLP mais o spread básico do banco, que é de 1,3% ao ano. O prazo de amortização varia conforme o segmento do interessado.

Elegíveis - As empresas de todos os setores são elegíveis ao financiamento. Mas, segundo fontes, a nova linha de crédito deve atender, principalmente, as fabricantes de equipamentos médicos que desde 2012 negociavam uma linha de crédito nesses moldes junto ao BNDES. "Nosso setor investe muito em pesquisa, mas temos dificuldade para acessar um financiamento para inovação porque o que existe são empréstimos indiretos [via bancos comerciais], com juros altos e exigência de garantia", disse Franco Pallamolla, presidente da Abimo, associação da indústria de equipamentos médicos. "Uma opção é a Finep, mas o processo dos editais é burocrático e leva entre seis e oito meses para aprovação", complementou.

Prazo de resposta - Na linha do BNDES, o prazo de resposta da solicitação é de três meses. A indústria de equipamentos médicos movimenta R$ 11 bilhões, sendo que 40% da demanda vem do mercado nacional - a exportação atinge cerca de 80 países. Segundo Levy, o montante contratado deve ser entre R$ 200 milhões e R$ 500 milhões, podendo superar essas cifras se houver demanda. O financiamento foi lançado, ontem, na Hospitalar, feira do setor de saúde. "Nossa ideia é oferecer já na Hospitalar. Às vezes, na própria feira, há uma forte demanda. Isso aconteceu na Agrishow com o Moderfrota [programa voltado para máquinas e equipamentos agrícolas], em que colocamos um recurso adicional de cerca de R$ 500 milhões que se esgotou numa tarde, na feira", disse o presidente do banco de fomento.

Carteira - No setor de saúde, o BNDES possui uma carteira de R$ 11 bilhões, sendo que R$ 7 bilhões são financiamentos concedidos para instituições de saúde filantrópicas e públicas e Santas Casas, e os demais R$ 4 bilhões, para indústria de equipamentos e exportação. No ano passado, o setor de saúde movimentou R$ 637 bilhões, o que representa 9,3% do PIB. Deste valor, 57% são provenientes do setor privado (inclui gastos com medicamentos, pagamento de planos de saúde individual e médico particular), e 43%, da área pública, segundo dados da Anahp, associação dos hospitais privados.

Operadoras - Questionado sobre se o banco de fomento tem alguma ação para operadoras de planos de saúde, cujos reajustes giram na casa dos 20%, o presidente do BNDES pontuou que não atua diretamente com as operadoras, mas espera que uma linha de crédito mais acessível para os prestadores de serviço de saúde impacte a cadeia toda.

Anúncio - Essa linha de crédito foi anunciada uma semana após o BNDES ter lançado um financiamento direto para empresas com faturamento superior a R$ 1 bilhão, por ano. O valor mínimo emprestado para essas empresas é de R$ 10 milhões. "São programas complementares. A linha de crédito anterior também pode ser usada para modernizar e melhorar a gestão", disse Levy. O banco de fomento também está preparando um programa de apoio à gestão das Santas Casas, instituições de saúde que atravessam há anos uma série crise financeira. (Valor Econômico)

 

SAÚDE II: Mesmo com campanha de vacinação, aumentam os casos de gripe

saude II 23 05 2019A campanha de vacinação contra a gripe no Paraná mostra que 69,19% do público-alvo foi imunizado. Mesmo assim, os casos da doença seguem em alta. Boletim da Secretaria de Estado da Saúde informa que aumentou o número de casos confirmados e de mortes provocados pela gripe: são 109 casos, com 31 mortes. Na semana anterior o boletim apresentava 74 casos graves confirmados de Influenza com 22 óbitos em todo o Estado.

Mortes - As mortes foram registradas pelas Regionais de Saúde de Paranaguá, Foz do Iguaçu, Cascavel, Campo Mourão, Umuarama, Paranavaí, Maringá, Apucarana, Londrina, Toledo e Curitiba.

Importância - A Secretaria da Saúde insiste sobre a importância da vacinação contra a gripe. “A aproximação do inverno provoca aumento do número de casos e por isso reforçamos a necessidade de que o público-alvo estabelecido pelo Ministério da Saúde receba a dose da vacina que está à disposição em todas as unidades de saúde do Estado”, afirma a enfermeira da Divisão de Vigilância do Programa de Imunização, Vera Rita da Maia.

Segura - Ela destaca ainda que a vacina contra gripe é segura e reduz as complicações que podem evoluir para casos graves da doença, internações e óbitos.

Campanha nacional - A campanha nacional de vacinação contra a gripe começou no dia 10 de abril e segue até o dia 31 de maio. A meta do Ministério da Saúde é imunizar 90% dos grupos de crianças com idade entre seis meses e cinco anos incompletos; gestantes; puérperas; idosos, povos indígenas, professores, trabalhadores da saúde, portadores de doenças crônicas não transmissíveis, população privada de liberdade, adolescentes e jovens de 12 a 20 anos sob medidas socioeducativas, funcionários do sistema prisional e policiais civis e militares. (Agência de Notícias do Paraná)

 

AGRONEGÓCIO: Cooperativas ajudam a melhorar gestão do negócio

agronegocio 23 05 2019Esse ano, a programação do Encontro Nacional das Cooperativas Agropecuárias (Enca), um dos eventos mais importantes e tradicionais do agronegócio do país, que acontece nos dias 4 e 5 de junho, em Campinas (SP) pretende levar conhecimento aos líderes cooperativistas de todo o país. Para falar com propriedade sobre os enfrentamentos, riscos e também sobre as soluções e oportunidades do setor, diversos presidentes de cooperativas estarão relatando suas experiências.  

Coopercitrus - O presidente da Cooperativa de Produtores Rurais (Coopercitrus), Fernando Degobbi, ministrará palestra no dia 5 de junho sobre a Expansão Territorial – Desafios e Oportunidades. A Coopercitrus é considerada uma das maiores cooperativas do Brasil e a maior do Estado de São Paulo na comercialização de insumos, máquinas e implementos agrícolas. Com mais de 60 filiais, apoio técnico e estrutura para o atendimento das mais diversas culturas em São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso, Paraná, Goiás e Tocantins, a cooperativa conta com uma carteira de associados de mais de 35 mil agropecuaristas, além do apoio de milhares de colaboradores. Em 2018, registrou um faturamento de R$ 4,11 bilhões.

Plano de expansão - A Coopercitrus possui um plano de expansão e chegará em breve em Goiás, com uma loja em Itumbiara, além das inaugurações nos municípios de Alfenas (MG) e Votuporanga (SP). Em Minas, o carro-chefe será o café, com armazém para recebimento de grãos em parceria com a trading chinesa Cofco International, que armazenará os grãos e terá preferência na compra. Em Goiás, o armazenamento de insumos que gerará negócios. Só em 2018, a cooperativa movimentou R$ 1,1 bilhão no segmento de defensivos agrícolas.

Cana-de-açúcar - Na Coopercitrus, a produção de cana-de-açúcar é o atual carro-chefe dos negócios e o mercado melhorou. “Nos últimos anos, devido à estratégia de diversificação de culturas, café, grãos e pecuária ganharam mais espaço na Coopercitrus. No entanto, a cana de açúcar ainda ocupa a maior área de cultivo desde que os preços internacionais de açúcar se estagnaram em patamares baixos, o que reduz a rentabilidade e faz com que a Cooperativa se aproxime mais dos produtores com suporte técnico, financeiro e comercial”, explica Degobbi.

Pequeno e médio - Por meio da cooperativa, o presidente da Coopercitrus afirma que é possível que o pequeno e médio cheguem ao mesmo nível do grande produtor. E a cooperativa tem feito de tudo para atingir esse propósito, ajudando os cooperados a aumentar a produtividade, reduzir custos e otimizar recursos com tecnologias e inovações. Com isso, a redução com os custos está na casa dos 30%. “Sem dúvida, o que tem viabilizado as atividades agrícolas atualmente é o uso racional de recursos, suporte técnico, consequentemente, menores custos por unidades produzidas”, avalia. (Assessoria de Imprensa)

 

REUNIÃO DE TRIGO: Inscrições de trabalhos prorrogadas até 31 de maio

reuniao trigo 23 05 2019A Comissão Brasileira de Pesquisa de Trigo e Triticale ampliou para o dia 31 de maio o prazo para inscrição e envio de trabalhos para a 13ª edição da Reunião da Comissão Brasileira de Pesquisa de Trigo e Triticale (RCBPTT). A Reunião, que acontece entre os dias 3 e 4 de julho, em Passo Fundo, reúne pesquisadores de todo o país em subcomissões técnicas para discutir os resultados e analisar as pesquisas desenvolvidas sobre as culturas do trigo e triticale nas áreas de Ecologia, Fisiologia e Práticas Culturais; Fitopatologia; Entomologia; Melhoramento, Aptidão Industrial e Sementes; Solos e Nutrição Vegetal e Transferência de Tecnologia e Socioeconomia.

Modalidades - A Reunião possui duas modalidades de participação de trabalhos: apresentação oral nas respectivas subcomissões ou em forma de pôster. Para ambas, os trabalhos devem ser relacionados às culturas do Trigo e/ou do Triticale. Podem ser inscritos em uma das seguintes subcomissões técnicas: Ecologia, Fisiologia e Práticas Culturais; Fitopatologia; Entomologia; Melhoramento, Aptidão Industrial e Sementes; Solos e Nutrição Vegetal e Transferência de Tecnologia e Socioeconomia.

Requisitos - Para participar da seleção, o autor responsável pelo trabalho deve possuir inscrição regular no evento e enviar o trabalho pelo formulário no site http://reuniaodetrigo.com.br/. O aceite dos trabalhos e a modalidade de apresentação serão divulgados no mês de junho no site da Reunião. A partir das discussões e apresentações de trabalhos científicos será publicado o livro: Informações Técnicas para Trigo e Triticale – Safra 2019.

Fórum - Paralelamente à Reunião do Trigo, acontece o Fórum do Trigo 2019. As palestras e painéis acontecem no dia 2 de julho com a participação de cerca de 400 pessoas entre pesquisadores, produtores rurais, representantes da indústria e de empresas de agroquímicos. Nesta edição, a programação tem como temas as safras passadas e as perspectivas da cultura do trigo, debates relativos à armazenagem, legislação, comercialização e qualidade industrial.

Data - Os eventos acontecem entre 2 a 4 de julho, no auditório da Faculdade de Ciências Econômicas, Administrativas e Contábeis (FEAC) da Universidade de Passo Fundo (UPF). As inscrições para a participação no evento podem ser realizadas com desconto antecipadamente através do site http://reuniaodetrigo.com.br/ ou no local, durante o evento. Mais informações através do e-mail reuniaodetrigo2019@fbeventos.com. A promoção é da Biotrigo Genética, com o patrocínio das empresas Basf, Syngenta, Bayer, Coamo, Granotec, Agrária, Apasem, FMC e apoio da Embrapa Trigo.

Programação - Fórum do Trigo 2019 contará com palestras e painéis sobre as safras passadas e as perspectivas da cultura do trigo, armazenagem, legislação, comercialização e qualidade industrial. (Assessoria de Imprensa)

 

SANIDADE: Peste suína africana pode ampliar venda de carne de porco para China

sanidade 23 05 2019A peste suína africana representará uma janela de oportunidades para a exportação de carne suína brasileira aos países asiáticos, em especial para a China. A avaliação foi feita nesta quarta-feira (22/05) pela ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa),Tereza Cristina, durante audiência pública na Câmara dos Deputados.

Viagem - A ministra acaba de retornar de uma viagem à Ásia, onde visitou Japão, Vietnã, Indonésia e China. "Hoje, por causa da peste africana, os chineses precisam importar muita carne suína”, disse. “E a quantidade que eles [chineses] precisam de carne suína, o mundo inteiro, junto, não tem condições de suprir", acrescentou. "Se tivermos juízo e cumprirmos o que está no protocolo, teremos muito mercado.”

Credibilidade - Tereza Cristina ressaltou que, para os produtores brasileiros terem sucesso na empreitada, será fundamental que o país tenha credibilidade, oferecendo produtos que cumpram todos os requisitos exigidos pela China.

Doença contagiosa - A peste suína africana é uma doença altamente contagiosa que, apesar de não acometer seres humanos, se dissemina rapidamente entre os animais. De acordo com a Embrapa, o vírus foi detectado em setembro de 2018 em suínos na China e na Romênia. A doença foi também detectada em javalis, na Bélgica.

Outros países - Segundo a ministra, outros países asiáticos estão passando pelo mesmo problema. No entanto, a dimensão ainda não está clara, porque até o momento os governos não divulgaram de forma clara a gravidade da situação.

Impacto - A ministra já havia dito que a peste africana afetará as vendas de soja para os chineses, uma vez que o alimento é usado como ração, mas que, por outro lado, poderia representar oportunidades para a exportação de carne de porco. "Imagina 200 milhões de animais a menos consumindo soja", disse, durante a audiência.

Venda - No primeiro trimestre de 2019, as vendas de soja triturada do Brasil para China (US$ 4,75 bilhões) corresponderam a 9% do valor arrecadado com o total de exportações (US$ 52,6 bilhões). No período, de cada US$ 100 que o país captou com a venda do produto em todo o mundo, US$ 77,48 vieram da China. (Agência Brasil)

 

INFRAESTRUTURA: Portos lançam edital de obra que permitirá acesso de navios maiores

infraestrutura 23 05 2019O Governo do Paraná lançou o edital para remoção de formações rochosas que são obstáculos para a navegação na entrada do Porto de Paranaguá. A obra, chamada de derrocagem, é aguardada há décadas pela comunidade portuária e vai permitir que os portos paranaenses recebam navios maiores, com capacidade de carga superior.

Investimento previsto - O investimento previsto é de quase R$ 32 milhões com recursos próprios dos Portos do Paraná. “Estas rochas estão localizadas na área de manobra dos navios e limitam a profundidade na entrada da baia. Com a remoção, junto com os investimentos de dragagem, teremos ganhos operacionais efetivos”, explica o diretor-presidente, Luiz Fernando Garcia.

Remoção - Na obra, considerada emergencial, serão removidos seis maciços de rochas que somam 22,3 mil metros cúbicos. A menor delas tem 361 metros cúbicos e a maior 8 mil. As formações são parte de um complexo conhecido como Pedra da Palangana, com mais de 200 mil metros cúbicos, e está localizada no canal principal de acesso ao Porto de Paranaguá, um pouco à frente do Terminal de Contêineres.

Projeto executivo - De acordo com o diretor de Engenharia e Manutenção dos portos, Rogério Barzellay, o edital prevê a contratação do projeto executivo e da execução da obra. “O projeto básico já foi feito e a obra já está licenciada pelo Ibama. Nossa previsão é que o processo de contratação seja finalizado nos próximos seis meses. Depois disso, a expectativa é que a empresa vencedora do certame finalize a obra em até oito meses”.

Obra - A licença para a execução da derrocagem está inserida na licença de instalação 1144/2016, da dragagem de aprofundamento de 2017. O procedimento ocorrerá em várias etapas. Primeiro, um grupo de mergulhadores verifica se existem peixes ou outros animais marinhos nas rochas. Em seguida, utilizam um dispositivo que emite vibrações sonoras que repelem os organismos para fora da área de impacto das explosões.

Menor impacto - A fim de garantir o menor nível de impacto possível aos organismos presentes na área a ser derrocada, antes da primeira explosão é realizado ainda o monitoramento acústico com um dispositivo sensível às frequências sonoras emitidas por golfinhos e botos e que permite identificar se ainda há algum desses animais próximos à região de impacto.

Passo seguinte - O passo seguinte é a instalação de uma cortina de bolhas que reduz o impacto da explosão e impede a reaproximação dos animais. Antes da detonação, os mergulhadores permanecem espaçados para continuar a verificação da área.

Sequência - Na sequência, uma barcaça equipada com perfuradores se posiciona em cima das rochas e, então, faz furos nas pedras que são carregados com explosivos. Após a explosão, uma draga mecânica equipada com guindaste e grab (concha) ou escavadeira recolhe os pedaços menores das rochas e os deposita em uma barcaça com cisterna. No cais, outro guindaste pega as rochas da barcaça e carrega os caminhões que levam o material para o destino determinado pelo Ibama.

Acompanhamento - Todo o procedimento será acompanhado, desde a contratação até um ano após a conclusão da obra, por um monitoramento ambiental específico.

Exigência - O projeto básico desenvolvido pelos Portos do Paraná determina a utilização de explosivos menores, com malha com mais furos. Além disso, o as demais operações do porto não serão interrompidas durante todo o período. Outras exigências são que o responsável técnico seja um profissional com experiência nesse tipo de trabalho e que todas as licenças exigidas pelos órgãos ambientais sejam cumpridas. “A nossa preocupação é que a obra seja executada com eficiência e total segurança para os trabalhadores e toda fauna local”, reforçou o diretor de Engenharia e Manutenção.

Após os trabalhos - Finalizada a derrocagem, a empresa fará uma batimetria de categoria A, que mede a profundidade da área e é usada para garantir a segurança e a eficiência do tráfego de embarcações. Os resultados desta medição serão encaminhados à Marinha para validação e determinação de um novo calado, que corresponde à altura de água necessária para o navio flutuar livremente. (Agência de Notícias do Paraná)

 

GOVERNO FEDERAL: Detalhes das medidas para aquecer economia devem sair em junho

economia 23 05 2019Em meio aos sucessivos cortes nas projeções para o Produto Interno Bruto (PIB) deste ano, o Ministério da Economia prepara o lançamento de medidas para tentar aquecer a atividade no país. As ações envolvem principalmente facilitação de crédito e iniciativas voltadas ao mercado de capitais.

Detalhamento - O secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues, prometeu que parte das ações deve ser detalhada pelo Ministério da Economia no dia 3 de junho, em São Paulo, em conjunto com representantes do Banco Central (BC), da Superintendência de Seguros Privados (Susep) e da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Iniciativas - Ele afirmou que o governo trabalha em "uma série" de iniciativas conjunturais, microeconômicas e estruturais. "Tem uma sequência muito grande de medidas." Uma delas é uma campanha para que detentores de contas no PIS/Pasep resgatem seus recursos. A estimativa é que 14,5 milhões de pessoas sejam beneficiadas e R$ 22 bilhões sejam injetados na economia. Essa medida, contudo, foi tentada duas vezes no governo Michel Temer, com resultados abaixo do que se esperava.

Perde-perde - "Esses detentores não estão usando, é um jogo de perde-perde. Haverá uma campanha intensa de divulgação para entregar o dinheiro a quem de fato pertence", disse. "Vamos dar liberdade total para eles usarem como desejarem", completou.

Recuperação judicial e falência - Além disso, o governo vê como necessária uma ação voltada a empresas em processo de recuperação judicial e falência. A estimativa oficial aponta que há R$ 283 bilhões em empréstimos concedidos a companhias nessa situação. "Precisamos melhorar essa área da economia para irrigar canais de crédito que hoje estão travados", disse. "Já estamos em diálogo intenso com o Congresso e entendemos que neste ano o sistema recuperacional e falimentar será substancialmente alterado", afirmou.

Reunião - Nesta semana, o ministro da Economia, Paulo Guedes, teve reunião com presidentes dos principais bancos públicos para discutir ações voltadas à melhora da atividade no país.

Caminhos - O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Levy, afirmou que no encontro foram debatidos "caminhos" para a atividade do país. "Temos que trabalhar para crescer e gerar emprego. Não é fácil, mas nosso entusiasmo está nisso", disse na terça-feira (21/05). "Foi nesse sentido [a reunião]. De encontrar caminhos",

completou.

Novo financiamento - No caso do BNDES, o banco já anunciou neste mês um novo financiamento a médias empresas e estima contratações de R$ 2 bilhões em financiamento ao ano com a nova linha. "Nosso banco é voltado a infraestrutura, pequena e média empresas e sustentabilidade", afirmou Levy.

Infraestrutura - Ele defendeu ainda um choque de infraestrutura no país e disse que o banco planeja continuar apoiando o setor. Ele disse também que o governo está acompanhando a medida provisória sobre o saneamento, que tramita no Congresso e que pode destravar investimentos no setor.

Renegociação de dívidas - Na terça-feira (21/05), o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, anunciou que vai iniciar um programa de renegociação de dívidas para reabilitar consumidores que hoje estão fora do mercado. De acordo com Guimarães, "serão oferecidos descontos de 40% a 90% na renegociação". A estimativa é que a medida envolva 300 mil pequenas e médias empresas e 2,8 milhões de pessoas físicas. Com isso, novos produtos poderão ser oferecidos aos consumidores. (Valor Econômico)

 

LEGISLATIVO: Câmara aprova texto-base de MP da reforma ministerial e transfere Coaf para Economia

legislativo 23 05 2019O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou, nesta quarta-feira (22/05), o texto principal da Medida Provisória 870/19, que reorganiza a estrutura ministerial do Poder Executivo, diminuindo o número de pastas e redistribuindo atribuições. Para concluir a votação, os deputados precisam analisar dois destaques pendentes apresentados ao projeto de lei de conversão da matéria, de autoria do senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE). Uma nova sessão extraordinária foi marcada para a manhã desta quinta-feira (23/05).

Votação - Na principal votação desta quarta, o Plenário mudou a MP original e tirou o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) do Ministério da Justiça e Segurança Pública, retornando-o ao Ministério da Economia, órgão ao qual pertencia antes da MP ser editada. Foram 228 votos a favor da mudança contra 210.

Alteração - A alteração, entretanto, é feita no texto da lei de criação do Coaf (9.613/98), sem a inclusão do órgão na estrutura do Ministério da Economia.

O Coaf- O Coaf foi criado em 1998 e é responsável por investigações relacionadas à lavagem de dinheiro a partir de informações repassadas pelo sistema financeiro sobre movimentações suspeitas de recursos.

Argumento - Os defensores da transferência para o Ministério da Justiça, sob o comando de Sérgio Moro, argumentaram que isso facilitaria o combate à corrupção. Já os que votaram a favor de sua permanência na área econômica disseram que esse é o padrão adotado em vários países pela proximidade técnica do tema.

Atribuições - O Ministério da Economia assumiu ainda as atribuições dos ministérios da Fazenda, do Planejamento e do Trabalho, extintos. Incorporou também as atividades da Previdência Social, que já estavam no antigo Ministério da Fazenda desde o governo anterior.

Registro sindical - O projeto de lei de conversão retorna para a pasta econômica as competências sobre registro sindical, política de imigração laboral e cooperativismo e associativismo urbano. Por outro lado, o Ministério da Economia perde para o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações a atribuição de definir políticas de desenvolvimento da indústria, do comércio e dos serviços.

Fusão - Um acordo entre os partidos acabou com a polêmica possibilidade de criação de mais um ministério, mantendo o previsto Ministério do Desenvolvimento Regional, criado pela MP para aglutinar as pastas das Cidades e da Integração Nacional.

Política indigenista - Outra mudança feita pela comissão mista na MP e mantida pelo Plenário é a volta do Conselho Nacional de Política Indigenista ao Ministério da Justiça, saindo do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. Entre as atribuições do conselho estão os direitos dos índios e o acompanhamento das ações de saúde desenvolvidas em prol das comunidades indígenas. Já as situações relacionadas à produção agrícola em terra indígena continuam com o Ministério da Agricultura.

Meio Ambiente - Quanto ao Ministério do Meio Ambiente, ele perde para o Ministério da Agricultura a atribuição de gestão, em âmbito federal, do Serviço Florestal Brasileiro (SFB), criado pela Lei 11.284/06. Além disso, a sua competência sobre florestas públicas deverá ser exercida em articulação com o Ministério da Agricultura.

ANA - Para o Ministério da Integração Nacional, o projeto de lei de conversão direciona a Agência Nacional de Águas (ANA), antes vinculada ao Meio Ambiente.

CNRH - Também para o Ministério da Integração a pasta perde o Conselho Nacional de Recursos Hídricos (CNRH) e a atribuição de definir a política para o setor. Em razão disso, ficará com esse ministério a parcela de compensação pelo uso de recursos hídricos devida pelas hidrelétricas que antes cabia ao MMA.

Políticas e programa ambientais - Quanto às políticas e programas ambientais para a Amazônia, o texto faz referência apenas à Amazônia e não mais à Amazônia Legal, que engloba também os estados do Mato Grosso, Tocantins e metade do Maranhão (até o meridiano de 44º), segundo define a Lei 1.806/53. Contudo, continua na estrutura do Ministério do Meio Ambiente o Conselho Nacional da Amazônia Legal.

Relatório - O relatório do senador Bezerra Coelho retorna à pasta a atribuição de realizar o zoneamento ecológico econômico.

ONGs - Sobre as organizações não governamentais, o projeto de lei de conversão muda a redação da atribuição dada pela MP 870/19 à Secretaria de Governo da Presidência da República.

Atribuições - Em vez de supervisionar, coordenar, monitorar e acompanhar as atividades e as ações dos organismos internacionais e das ONGs no território nacional, o órgão deverá “coordenar a interlocução” do governo federal com essas organizações e acompanhar as ações e os resultados da política de parcerias com elas, promovendo “boas práticas para efetivação da legislação aplicável”.

Agricultura - A MP especifica, entre as atribuições do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, a de controle de resíduos e contaminantes em alimentos.

Vigilância - Entretanto, o Ministério da Saúde também continua com a atribuição de vigilância em relação aos alimentos, exercida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Destaques pendentes - Os dois destaques pendentes de análise pelo Plenário tratam de atribuições dos auditores-fiscais da Receita Federal e da gestão do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT).

Destaque - O destaque do Novo pretende retirar do texto a proibição de os auditores compartilharem com outros órgãos e autoridades indícios de crimes que não sejam relacionados àqueles contra a ordem tributária ou relacionados ao controle aduaneiro.

Excluir - Já o destaque do PSB quer excluir mudança do projeto de lei de conversão que tira a gestão do FNDCT da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) para remetê-la ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

Outros pontos aprovados - Confira outros pontos do projeto de lei de conversão da MP 870/19:

- em vez de extinguir o Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, como previsto no texto original, o relatório coloca o conselho no Ministério da Cidadania;

- estabelece ressalva para cargos em comissão e funções de confiança do Ministério das Relações Exteriores para viabilizar a transferência de alguns cargos do ministério para a Secretaria de Gestão da Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia;

- servidores da administração pública federal poderão ser cedidos a órgãos paraestatais do serviço social autônomo para exercer cargo em comissão, mas isso não contará como tempo de efetivo exercício para fins de progressão e promoção;

- extingue o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, criado para assessorar o presidente da República na formulação de políticas e diretrizes específicas destinadas ao desenvolvimento econômico e social;

- extingue o Conselho Nacional de Integração de Políticas de Transporte (Conit); e

-acaba com a necessidade de sabatina pelo Senado Federal de indicações para o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). (Agência Câmara)

 

OCDE: Brasil já adota 30% dos instrumentos da Organização e supera demais candidatos

ocde 23 05 2019O Brasil supera, com bastante folga, seus cinco concorrentes pelo ingresso na Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) em termos de instrumentos legais adotados por cada país. Um levantamento inédito da Confederação Nacional da Indústria (CNI) demonstra que o Brasil já incorporou voluntariamente 74 dos 249 acordos, arranjos, recomendações, declarações ou decisões vinculantes da OCDE - o equivalente a 30% do total.

Grau de adesão menor - Os outros cinco candidatos têm um grau de adesão bem menor: são 45 instrumentos internalizados pela Argentina, 42 pela Romênia, 41 pelo Peru, 18 pela Bulgária e apenas nove pela Croácia.

Indústria - "Na leitura da indústria, o Brasil está a um passo de conseguir o início do processo de acessão na OCDE", afirma a gerente de política comercial da CNI, Constanza Negri. Para ela, uma vez iniciado, esse processo poderia durar de um ano e meio a dois anos, devido ao alto grau de incorporação de normas pelo Brasil. Outros países, como a Colômbia, levaram até cinco anos para completar todos esses procedimentos.

Sem frustração - Segundo a especialista, não há motivos para frustração caso o sinal verde dos sócios da OCDE não seja dado agora ao Brasil. O aval pode sair nas próximas reuniões do conselho de representantes da entidade, principal instância técnica, que costumam ocorrer mensalmente. Um encontro de ministros dos países-membros está acontecendo hoje em Paris, sede da organização, e discute-se a possibilidade de ampliar o número de integrantes. Há divergências, no entanto, entre Estados Unidos e Europa em torno do ritmo e do escopo da ampliação.

Obrigatórios - Conforme um documento que serve de guia para acesso de novos membros, divulgado pela OCDE em 2017, sete instrumentos são considerados obrigatórios para o ingresso na entidade. O Brasil já incorporou quatro deles: a Declaração sobre Investimento Internacional e Empresas Multinacionais, a Recomendação sobre os Princípios para Formulação de Políticas da Internet, os Princípios de Governança Corporativa e a Convenção sobre o Combate ao Suborno de Funcionários Públicos Estrangeiros em Transações Comerciais.

Outros acordos - Outros dois acordos - o Código de Liberalização dos Movimentos de Capitais e o Código de Liberalização de Operações Correntes Intangíveis - estão em processo de negociação. Ainda não houve pedido brasileiro sobre um instrumento, que define "boas práticas de estatística", mas o próprio governo não prevê dificuldades. Com a estrutura do IBGE, o país não teria problemas.

Boas políticas - "Fala-se normalmente da OCDE como um clube de países ricos, mas seria mais justo dizer que é um clube da riqueza em boas políticas", diz Constanza.

Vinculativos - No caso da OCDE, instrumentos conhecidos como decisões são juridicamente vinculativos para todos os membros, ou seja, há obrigação de implementá-los. Embora não sejam tratados internacionais, acarretam o mesmo tipo de obrigações legais.

Princípios gerais - Já as declarações estabelecem princípios gerais ou metas de longo prazo e definem compromissos políticos, mas não possuem caráter vinculante. Finalmente, as recomendações são atos que, apesar de não serem juridicamente vinculantes, representam a vontade política dos países-membros e, como tal, impõem forte incentivo para a sua implementação. (Valor Econômico)

 


Versão para impressão


RODAPE