Imprimir
CABECALHO

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4578 | 17 de Maio de 2019

ELICOOP 2019: Encontro Estadual de Lideranças Cooperativistas reúne cerca de 270 mulheres em Marechal Rondon

 

A Cooperativa Agroindustrial Copagril foi a anfitriã do Encontro Estadual de Lideranças Femininas Cooperativistas – Elicoop 2019, cuja abertura aconteceu na manhã de quarta-feira (15/05), na Associação Atlética Cultural Copagril (AACC), em Marechal Cândido Rondon, com programação até quinta-feira (16/05). O evento foi promovido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR) e reuniu cerca de 270 mulheres integrantes de 20 cooperativas do Paraná: Frísia, Cocamar, Coopavel, Camisc, Coagru, Copacol, Castrolanda, Bom Jesus, C.Vale, Lar, Integrada, Agrária, Cooprossel, Coopertradição, Primato, Sicredi Campos Gerais PR/SP, Sicoob Unicoob Meridional, Sicredi Aliança PR/SP, Cativa e Copagril.

 

Abertura - A abertura contou com a presença da diretoria executiva da Copagril e da representante do Sescoop/PR, Fabianne Rastzke. Na ocasião, o diretor-presidente, Ricardo Sílvio Chapla, desejou as boas-vindas a todas as mulheres integrantes das comitivas e as parabenizou pela iniciativa de participação. “Felizmente a mulher está participando cada vez mais dos negócios nas propriedades rurais, bem como tem aumentado seu envolvimento com as cooperativas, o que é muito bom para todos nós. Parabéns por vocês estarem aqui hoje representando as suas cooperativas e esperamos que tenham bom proveito de todas as atividades preparadas para este grande encontro anual”, declarou.

 

Palestra - O público presente também assistiu a um vídeo institucional da cooperativa anfitriã e outro vídeo do movimento brasileiro de estímulo à valorização das cooperativas, o Somoscoop.

Em seguida foi a vez de prestigiarem a palestra “Mulheres na TPM – Transformação Para Melhor”, ministrada por Helda Elaine. Com entusiasmo e bom humor, a palestrante transmitiu uma mensagem de amor, de valorização da vida e da família e falou da importância de sonhar para poder realizar. “Podemos até ser pobres na vida, mas não podemos ser pobres de sonhos. Nós temos que nos permitir sonhar, mas também realizar”, frisou. 

 

Felicidade - A palestrante também chamou a atenção das mulheres presentes sobre o que realmente gera felicidade. “Muitas vezes deixamos de reunir a família e os amigos porque estamos preocupados com o que iremos servir, como está a arrumação da casa… quando na verdade as pessoas somente se importam com a forma como são tratadas, portanto, o carinho é mais importante”, salientou. 

 

TCC - Helda também alertou sobre o predomínio do uso do TCC (televisão, celular e computador), os quais são úteis, porém deve-se evitar que eles aproximem quem está longe e afastem quem está perto. “Algumas vezes nós sabemos quem se separou, quem engravidou, mas esquecemos de ver como está o nosso filho que está no quarto… Então temos que cuidar bem de quem amamos e dar valor às relações interpessoais”, enfatizou. Em seguida, foram realizadas algumas dinâmicas com as mulheres e uma foto oficial do evento.

 

Programação -Na parte da tarde aconteceram as oficinas enfocando "O papel da mulher cooperativista", com Carmem Machado e Evandro Teixeira. À noite houve jantar especial de confraternização. Já na quinta-feira (16/05), segundo dia de programação, a abertura foi às 08h30, quando aconteceu um Talk Show envolvendo cooperadas da Copagril, tendo como mediadora Aline Castro e como tema "A mulher cooperativista". Logo após houve palestra sobre "O empoderamento e a felicidade", com Aline Castro, seguida do almoço de encerramento. (Imprensa Copagril)

 

{vsig}2019/noticias/05/17/elicoop/{/vsig}

UNIPRIME ALLIANCE: Samy Dana: para onde o País está caminhando?

 

uniprime 17 05 2019O Brasil tende a fechar este ano com crescimento ainda menor que as projeções atuais de 1,45%; a inflação deve continuar sob pleno controle e o desemprego em leve queda. Difícil é prever para onde vai o dólar, atrelado aos cenários interno e externo. A previsão é de Samy Dana, professor da FGV (Fundação Getúlio Vargas), com doutorado em administração e Ph.D. in Business, comentarista econômico em diversos meios de comunicação, em evento comemorativo aos 22 anos de fundação da Cooperativa de Crédito Uniprime Alliance, na noite de quarta-feira (15/05). A palestra, com o tema "Perspectivas e Oportunidades do Brasil", reuniu mais de 600 Cooperados, em sua grande maioria do setor de saúde do Oeste e Sudoeste do Estado, no Teatro Municipal Sefrin Filho, em Cascavel. 


Conhecimento - Ao abrir o evento, a presidente do Conselho de Administração da Uniprime Alliance, Maryam Olympia Yasbick Spricido, lembrou que a melhor forma de comemorar é "compartilhar conhecimento, para manter nossos Cooperados sempre preparados para enfrentar os desafios e oportunidades de nosso País”. Segundo ela, o cenário é de grandes transformações, com muitas mudanças desafiadoras. "A Uniprime Alliance busca uma renovação constante, mas sempre mantendo os nossos valores, pelos quais fundamos e pelos quais existimos: respeito às pessoas, respeito ao meio ambiente e atuação sempre com responsabilidade social", disse.


Gestão - Ainda segundo a presidente do Conselho de Administração, neste ambiente é que se concentra a gestão da Cooperativa, "focada 100% nos cooperados, disponibilizando soluções financeiras personalizadas. O equilíbrio entre a inovação tecnológica e o atendimento humanizado, aliado aos nossos valores sociais, financeiros e econômicos destacam a Uniprime Alliance como modelo de Cooperativa", concluiu.


Opinião pública - Em sua palestra, Samy Dana lembrou que muitas vezes a opinião pública é envolvida pelo chamado "recency effect", em que valorizamos demais o passado recente. "Isto pode fazer a gente mais pessimista do que a visão histórica nos mostra".  A longo prazo, segundo ele, o Brasil continua sendo o País preferido dos grandes investidores internacionais, que priorizam indicadores como população, mercado consumidor, extensão territorial, concorrência interna e riscos políticos. Segundo ele, EUA, Rússia, China e Brasil se destacam sob estes critérios, mas, dentre estes, o Brasil possui boas condições de competição.


PIB - Ao abordar a evolução do PIB nos últimos anos, Samy Dana lembra que de números negativos em 2015 e 2016, o Brasil evoluiu para crescimento positivo de 1,0% em 2017 e 1,1% em 2018, devendo passar de 1% em 2019, embora em sua opinião, não deva alcançar a projeção de 1,45%.  


Diagnóstico - Em linguagem familiar à plateia, Samy Dana resumiu seu diagnóstico: "o que vemos é uma melhora gradual do quadro clínico. O paciente (Brasil)  ainda não está de todo saudável, mas está em processo de recuperação", disse. Segundo o Economista, a aprovação da reforma da previdência já não deve exercer forte influência nos índices de crescimento deste ano, mas é de extrema importância, porque rompe o ciclo vicioso de endividamento crescente do País, de vital importância para que o Brasil retome investimentos. (VS Com - Ass. Impr. Uniprime Alliance). 

 

 

SICREDI UNIÃO PR/SP: Programa A União faz a Vida tem início em Prado Ferreira e Porecatu

 

sicredi uniao 17 05 2019Programa lançado, professores habilitados e as atividades do programa A União Faz a Vida, desenvolvido pelo Sicredi União PR/SP acabam de ter início nas salas de aula da rede municipal dos municípios de Prado Ferreira e Porecatu, no Norte do Paraná. Os professores envolvidos na formação oferecida pela cooperativa de crédito receberam seus certificados nos últimos dias 7 e 8 de maio respectivamente.

 

Mais que parceria - Em Porecatu, 85 professores passaram pela formação. O programa foi instalado em toda a rede municipal, composta por sete instituições de ensino, incluindo os Centros Municipais de Educação Infantil, e atenderá 828 alunos.  “Como fora mencionado nos discursos do prefeito Fábio Luiz de Andrade e do Secretário Municipal de Educação Valdinei de Alcântara Dias, ambos professores, na verdade não estabelecemos apenas uma parceria com a Cooperativa Sicredi e sim um grande encontro, uma vez que a metodologia utilizada no programa A União Faz a Vida é a mesma utilizada no fazer pedagógico da rede municipal de ensino do nosso município”, comentou a coordenadora local do programa, Gracieli Ramos Bernardo.

 

Transformação social - Segundo ela, todos estão bastante satisfeitos e foram muito bem assistidos nos aspectos pedagógicos, que envolvem formação, assessoria, materiais e recursos utilizados. “Ressaltamos, de  forma especial, o modo respeitoso e afetivo que todos da cooperativa local, diretoria e profissionais especialistas do programa tiveram com o nosso corpo docente, valorizando-os e empoderando-os como agentes de transformação social”, afirmou.

 

Valores importantes - Em Prado Ferreira, 34 professore receberam o certificado de formação e o programa também atingirá toda a rede, contemplando 484 alunos. O secretário municipal de Educação e Cultura, Wilson Herber Filho, destacou que o programa veio ao encontro da política educacional adotada nas instituições de ensino do município. “O programa trabalha valores importantes e já praticados em nossas escolas, que é o trabalhar de modo coletivo e cooperativista.  Estamos muito empolgados com esse trabalho e temos certeza que irá contribuir para avançarmos ainda mais”, disse o secretário. (Assessoria Sicredi União PR/SP)

 

 

COCAMAR: Presidente da cooperativa acompanha atividades na Expoingá

 

O presidente da Cocamar, Divanir Higino, participou de várias atividades ao longo da quinta-feira (16/05) na 47ª Expoingá, no Parque Internacional de Exposições em Maringá. No final da manhã, acompanhado do superintendente Administrativo e Financeiro Alair Zago, Higino integrou um grupo de lideranças de vários segmentos da cidade que se reuniu com o governador Ratinho Júnior e vários secretários de Estado, para apresentar algumas reivindicações.

 

Produtoras - Logo após o almoço, o presidente e o gerente de Cooperativismo, João Sadao, receberam dezenas de cooperadas e esposas de produtores associados, que representavam vários municípios da região de Maringá, no estande da cooperativa. Higino ressaltou que a Cocamar está oferecendo o curso modular que faz parte do Programa de Desenvolvimento de Liderança Feminina, com 40 vagas, a ser ministrado neste ano em parceria com a empresa Trecsson, conveniada da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Ele falou também sobre a importância da preparação das produtoras, que hoje representam cerca de 15% do quadro associativo da cooperativa.  

 

Encontro - Em seguida, todos se deslocaram para o Espaço Central de Eventos do Parque, próximo ao estande, onde aconteceu o 3º Encontro de Mulheres que Fazem a Diferença no Agronegócio Brasileiro. Promovida pela Sociedade Rural de Maringá (SRM), a realização teve o apoio da Cocamar e reuniu mais de 400 participantes. 

 

Empreendedoras - Discursando na abertura do Encontro, Higino destacou que “com seus resultados e conquistas, as mulheres estão sabendo fazer a diferença na atividade agropecuária”. Ele mencionou que muitas produtoras ingressavam no setor, quase sempre, pressionadas por um infortúnio familiar. Mas hoje, diante de toda a modernidade que oferece, o campo se tornou atraente para o público feminino e são inúmeros os exemplos de empreendedorismo. Higino parabenizou a Sociedade Rural pela iniciativa e fez uma saudação, em especial, a duas palestrantes: a ex-secretária de Agricultura de São Paulo, Mônika Bergamaschi, e à cooperada Carolina Rodrigues Vieira, que conduz com a mãe Dinorah e o filho Cláudio uma propriedade em Ibaiti, na região norte do Estado. (Imprensa Cocamar)

 

{vsig}2019/noticias/05/17/cocamar/{/vsig}

 

COCAMAR II: Vice-governador e secretários são recebidos na Cocamar

 

cocamar II 17 05 2019Com o governo do Estado instalado transitoriamente em Maringá, a Cocamar Cooperativa Agroindustrial foi visitada no início da manhã desta sexta-feira (17/05) pelo vice-governador Darci Piana e três secretários: Norberto Ortigara, da Agricultura, Pecuária e do Abastecimento, Sandro Alex, de Infraestrutura e Logística, e Márcio Nunes, de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. Eles estavam acompanhados, entre outros, do deputado federal Luiz Nishimori  e os prefeitos Tarcisio Marques dos Reis, de Paiçandu, e Édilen Henrique Xavier, de Doutor Camargo, e do diretor de pecuária da Sociedade Rural de Maringá, Jucival Pereira de Sá.  

 

Recepção - O grupo visitante foi recebido pelo presidente Divanir Higino e o vice-presidente José Cícero Aderaldo, o conselheiro Norberto Tormena (representante do Conselho de Administração), os superintendentes Alair Zago, Arquimedes Alexandrino e Osmar Liberato, e o gerente técnico Renato Watanabe. Após um café, eles se reuniram para tratar sobre vários assuntos relacionados a demandas da Cocamar e do segmento agropecuário na região. E, concluindo a visita, as autoridades realizaram um giro pelo parque industrial da cooperativa. 

 

Cooperativa - Entre as principais cooperativas agropecuárias brasileiras, a Cocamar possui 14,5 mil produtores cooperados que são atendidos em 76 unidades operacionais distribuídas pelas regiões noroeste e norte do Paraná e nos Estados do Mato Grosso do Sul e São Paulo. Com cerca de 2,8 mil colaboradores, detém um dos maiores e mais diversificados parques industriais do cooperativismo brasileiro, sendo reconhecida também por suas iniciativas inovadoras. (Imprensa Cocamar)

 

 

DIÁRIO DOS CAMPOS: Cooperativas empregam cem mil trabalhadores no Paraná

 

diario dos campos 17 05 2019Nos últimos dez anos a quantidade de contratações feitas por cooperativas quase dobrou, superando a marca de 101 mil empregos diretos no estado. Os dados são do Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Sistema Ocepar), e indicam que o estado é responsável por mais da metade dos postos de trabalho gerados pelas cooperativas de todo o país - 198 mil, de acordo com o Sistema OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras). No cálculo, são consideradas as 215 organizações registradas junto ao Ocepar. 

 

Ricken - Em entrevista ao jornal Diário dos Campos, o presidente do sistema, José Roberto Ricken, afirmou que na região de Ponta Grossa as cooperativas geram aproximadamente 6,2 mil empregos diretos. “A concentração é principalmente na bacia leiteira, com a Unium, junto ao trato dos suínos, na Alegra. Mais de 90% desse total é referente à atividade da agroindústria regional”, disse Ricken. Já em relação à região Centro-Sul do Paraná, que para o sistema Ocepar vai desde Paranaguá até Guarapuava – passando por Ponta Grossa – a expressividade no cenário estadual é ainda maior. “Essa faixa territorial é responsável por aproximadamente um quarto da movimentação econômica do cooperativismo paranaense”, aponta o presidente. 

 

Pessoas - O Ocepar também estima que cerca de dois milhões de pessoas dependem economicamente das estratégias adotadas pelo setor. “As cooperativas paranaenses demonstram seu firme compromisso com o desenvolvimento sustentável do Brasil. Além das carteiras assinadas, centenas de milhares de empregos indiretos são gerados como desdobramento dos investimentos das organizações, no campo e na cidade”, afirma Ricken, ressaltando que  atualmente o setor investe cerca de R$ 2 bilhões direcionados em sua maioria para projetos da agroindústria, logística, armazenagem, além de estruturas de atendimento e modernização tecnológica. 

 

Expectativas - Para o presidente do sistema Ocepar, as expectativas de crescimento do setor cooperativista dependem da economia nacional. “Dependemos da volta dos investimentos pesados para poder mensurar a variação do segmento. Hoje não temos perspectivas à curto prazo, apesar do alto potencial, mas a meta é continuar crescendo 10% ao ano”, destaca José Roberto Ricken, lembrando que essa é a média histórica da última década. 

 

Ramos - Com presença nas zonas urbanas e rurais as 215 cooperativas registradas no sistema Ocepar têm a maior parte dos seus trabalhadores atuando no ramo agropecuário: cerca de 79% das vagas são direcionadas a este setor. Em segundo lugar destacam-se as organizações ligadas a crédito, com mais de 12 mil funcionários, e em terceiro as cooperativas do ramo da saúde, que somam mais de seis mil empregados em todo o estado. A avaliação da direção do Ocepar é de que, ao potencializar os negócios dos seus associados, cria-se um círculo virtuoso de desenvolvimento social, com consequências positivas para a economia paranaense, num processo de interiorização dos investimentos e do emprego. 

 

Saldo de empregos - Segundo o Cadastro Geral dos Empregados e Desempregados (Caged), divulgado pelo Governo Federal, foram criadas 40.256 novas vagas com carteira assinada no Paraná em 2018, o que representa um aumento de 230% em relação a 2017. Considerando que apenas as cooperativas criaram 8.260 postos de trabalho no mesmo ano, elas são responsáveis por um quarto de todo o saldo de empregos do estado no ano passado. (Millena Sartori/Diário dos Campos)

 

 

MILKPOINT: PR: Cooperativas atingem 100 mil colaboradores

 

milkpoint 17 05 2019As cooperativas paranaenses elevaram o faturamento e ampliaram o número de contratações no decorrer de 2018. Números revelados pelo Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Ocepar) apontam que a quantidade de colaboradores cresceu 8,8% no ano, e que somados todos os registrados, alcançou a marca de 100 mil trabalhadores junto às 215 cooperativas do Sistema. No último dia do ano foram contabilizados exatos 101.228 funcionários no setor, dos quais, 81,4% estavam registrados junto ao setor agropecuário abrangia, 11,9% no de crédito e 6,1% no da saúde. 

 

Dados - Em um levantamento mais amplo, dados mostram que em dez anos o número de funcionários do setor quase dobrou, com 49.390 pessoas contratadas. A maioria das oportunidades ocorre em municípios do interior, em todas as regiões do Paraná (96% dos empregos gerados) e em estados vizinhos, principalmente Mato Grosso do Sul e Santa Catarina. 

 

Desenvolvimento - “As cooperativas paranaenses demostram seu firme compromisso com o desenvolvimento sustentável do Brasil. São 100 mil pessoas contratadas diretamente pelo setor, além de centenas de milhares de empregos indiretos gerados como desdobramentos dos investimentos das cooperativas, no campo e nas cidades. Milhares de famílias estão economicamente ligadas ao cooperativismo”, afirma o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken. “Anualmente, o setor investe cerca de R$ 2 bilhões, direcionados em sua maioria para projetos de agroindústria, logística, armazenagem, além de estruturas de atendimento e modernização tecnológica”, completa. 

 

Campos Gerais - A região dos Campos Gerais dá a sua contribuição nesses números. Somente as três maiores cooperativas agroindustriais, por exemplo, a Frísia, Capal e Castrolanda empregam, juntas, 4.870 pessoas, e contam com 4.763 cooperados. A cooperativa dos Campos Gerais que mais emprega é a Castrolanda, sediada em Castro, a qual tem 3,2 mil colaboradores registrados. Muitos deles se referem aos colaboradores que trabalham nas três unidades de leite da intercooperação, com fábricas em Ponta Grossa, Castro e Itapetininga (SP).

 

Expansão - O ano de 2018 foi positivo para o setor. As 215 cooperativas registradas no Sistema Ocepar atingiram crescimento em todos os indicadores sociais e econômicos, como o faturamento, que teve alta de 19,5%, alcançando o montante de R$ 83,7 bilhões. O número de associados também expandiu, 14,5%, passando para 1.768.253. (MilkPoint/Portal A  Rede).

 

POLÍTICA: Cartão do Caminhoneiro entra em vigor no dia 20 de maio

 

politica 17 05 2019O presidente Jair Bolsonaro e o ministro das Minas e Energia, Bento Albuquerque, confirmaram nesta quinta-feira (16/05) que o Cartão do Caminhoneiro, criado pela Petrobras, entrará em testes a partir da próxima segunda-feira (20/05). A medida, que havia sido anunciado mais cedo pela estatal, foi um dos assuntos desta quinta-feira durante a transmissão semanal ao vivo do presidente em sua página oficial no Facebook. 

 

Piloto - A operação com o Cartão do Caminhoneiro começará em caráter de teste em três estados na segunda-feira: Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro. Nos demais estados, a previsão é que o serviço ente em operação no dia 25 de junho. 

 

Garantia - "Cartão esse que possibilitará mais segurança, facilidade e flexibilidade e garantir o preço do combustível, na forma de um cartão pré-pago, por até 30 dias. Se o preço subir, o caminhoneiro vai ter a garantia do preço do diesel e, se o preço cair, ele pode pegar o dinheiro do cartão pré-pago e comprar mais combustível e assim utilizá-lo", explicou o ministro Bento Albuquerque.

 

Pré-pago - Além dos autônomos, o Cartão do Caminhoneiro Petrobras será disponibilizado para transportadores e embarcadores. A solução funcionará como cartão pré-pago na compra de diesel, em postos com a bandeira Petrobras nos principais corredores rodoviários do país.

 

Funcionamento - Segundo a Petrobras, durante o período de testes, os caminhoneiros poderão realizar um pré-cadastramento pelo site www.cartaodocaminhoneiro.com.bre utilizar o serviço de forma segura. Após o lançamento definitivo, o cadastro poderá ser feito também via aplicativo, call center ou presencialmente, em locais a serem divulgados.

 

Prazo - Feito o cadastro, o caminhoneiro poderá transferir valores para seu cartão e fazer a conversão dos valores para litros de óleo diesel, que podem ser utilizados em até 30 dias na rede de postos Petrobras credenciada. 

 

Site  - "O Cartão do Caminhoneiro Petrobras também é uma conta digital, permitindo que as transações sejam realizadas sem a presença do cartão físico, por meio do site e do aplicativo. Os valores em reais para conversão em litros de diesel estarão sempre disponíveis no site, no aplicativo e nos postos credenciados. O crédito em litros de diesel também pode ser revertido, a qualquer tempo, para reais, dentro dos 30 dias, descontando-se uma taxa cujo valor será previamente informado aos usuários", informou a estatal, em nota.

 

Política - Sobre o preço do combustível, Bolsonaro disse tratar-se de uma política da Petrobras, baseado na variação cambial e no preço internacional do barril de petróleo, mas que poderia ser revista, caso se mostre "equivocada". "Lógico que se a gente puder rever isso aí, sem prejuízo da empresa, não tem problema nenhum. Às vezes a política pode ter algum equívoco", disse. 

 

Preço - O ministro das Minas e Energia defendeu que os preços vão cair se for ampliada a produção de combustível no país.  

 

CNH - O presidente Bolsonaro voltou a defender a ampliação da validade da Carteira Nacional de Habilitação de cinco para 10 anos e o aumento do limite máximo de pontos por infrações na carteira, de 20 para 40. Segundo ele, o assunto será discutido na semana que vem com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, para saber se será editada uma medida provisória (MP) ou enviado um projeto de lei propondo as alterações. Se for por meio de MP, as mudanças terão validade imediata.  

 

Uma ou outra - O presidente ainda defendeu que os motoristas multados no trânsito sejam punidos apenas com pontos ou em valor pecuniário. As duas sanções juntas, como ocorre hoje, é injusta, na visão de Bolsonaro. 

 

Medidas - "Não pode ser punido duas vezes pela mesma infração. Ou você tem a punição pecuniária, o dinheiro, ou você tem o ponto na carteira. Estamos estudando para ver se acabamos de vez com a indústria da multa que existe no Brasil", disse.

 

MP 870 - Ainda durante a live, Bolsonaro disse que a Medida Provisória (MP) nº 870, que definiu a estrutura de seu governo, deve ser votada na semana que vem na Câmara dos Deputados. Ele voltou a dizer que espera que o texto seja mantido na íntegra. 

 

Alteração - Na semana passada, a comissão especial que analisa a matéria introduziu modificações no texto, como a que retira o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) do Ministério da Justiça e Segurança Pública para transferi-lo ao Ministério da Economia. Depois, a MP ainda precisa passar pelo Senado.

 

Soberania - "A gente espera que ela seja aprovada sem alterações. Se tiver, é responsabilidade e um direito do Paramento. O Parlamento é soberano para alterar ou não. E o que for feito nós respeitaremos no lado de cá", disse. 

 

Do hotel - Alivefoi realizada diretamente do hotel onde Bolsonaro ficou hospedado em Dallas, nos Estados Unidos, onde ele cumpriu agenda de dois dias, para receber homenagem da pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos. Além do ministro Bento Albuquerque, o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, também participou da transmissão, que durou 30 minutos. (Agência Brasil)

 

(Foto: Marcos Corrêa/PR)

 

ECONOMIA I: PIB cai 0,1% no primeiro trimestre deste ano

 

economia I 17 05 2019O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, que soma todos os bens e serviços produzidos no país, recuou 0,1% no primeiro trimestre deste ano, na comparação com o último trimestre do ano passado. O dado é do Monitor do PIB, da Fundação Getulio Vargas (FGV), divulgado na manhã desta sexta-feira (17/05).

 

Comparativos - Na comparação com o primeiro trimestre do ano passado, no entanto, houve alta de 0,5%. Considerando-se apenas o mês de março, houve quedas em relação a fevereiro deste ano (-0,4%) e a março de 2018 (-1,7%). No acumulado de 12 meses, houve alta de 0,9%.

 

Indústria - Na passagem do último trimestre do ano passado para o primeiro trimestre deste ano, a queda de 0,1% foi puxada principalmente pelo recuo de 0,8% da indústria. A agropecuária teve queda de 0,3%. Por outro lado, os serviços evitaram queda maior, ao apresentar crescimento de 0,2%.

 

Demanda - Sob a ótica da demanda, a queda foi puxada pelos investimentos, que recuaram 1,9%. As exportações também caíram (-1,4%). O consumo das famílias cresceu 0,3% e o consumo de governo, 0,4%. As importações cresceram 0,8%. (Agência Brasil)

 

(Foto: Arquivo/Agência Brasil)

 

 

ECONOMIA II: Campos Neto: não se pode trocar inflação sob controle por crescimento

 

economia II 17 05 2019O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, disse na quinta-feira (16/05) que não se pode trocar inflação sob controle por crescimento econômico. Em audiência pública na Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso Nacional, ele  afirmou que a estratégia já foi testada no passado e não deu certo, gerando recessão. "Achar que a gente vai trocar inflação controlada, um sistema de credibilidade no longo prazo, por um crescimento de curto [prazo], isso é voo de galinha. Não dura e quando volta a crise é grande e nós gastamos um bom tempo tentando recuperar isso", acrescentou. 

 

Caminho - Campos Neto ressaltou que a melhor forma de ter crescimento econômico é com inflação sob controle e expectativas de inflação dentro da meta. Segundo ele, reduzir juros para a economia crescer foi um erro que gerou a crise de 2014, com perda de credibilidade e “enorme” saída de recursos do país.

 

Investimentos - Para o presidente do BC, o desempenho recente da economia foi decepcionante. E destacou que é preciso resolver a situação fiscal e, assim, o país voltará a ter investimentos. “Ficamos decepcionados com o resultado”, disse. Também afirmou que não existe país com inflação e juros baixos e com o cenário fiscal desarrumado.

 

Expectativa- Campos Neto acrescentou que existia a expectativa no mercado financeiro de que, após eleição, a questão fiscal fosse rapidamente resolvida. Entretanto, como isso não ocorreu, o mercado está em processo de espera pelas reformas. "Incertezas continuam no ar, isso explica um pouco esse adiamento da decisão de investir", afirmou. 

 

Queda - No entanto, o presidente do BC reforçou que a expectativa é de retomada do crescimento econômico adiante. Na quarta-feira (15/05), o BC informou que a atividade econômica registrou recuo no primeiro trimestre deste ano. O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) apresentou queda de 0,68%, segundo dados dessazonalizados - ajustados para o período.

 

Previsto - Na ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), divulgada na terça-feira (1405), o BC adiantou que a economia poderia apresentar recuo no primeiro trimestre. Segundo o documento, o processo de recuperação gradual da atividade econômica sofreu interrupção no período recente, mas a expectativa é de retomada adiante.

 

Prolongamento - De acordo com o documento, o arrefecimento da atividade observado no final de 2018 teve continuidade no início de 2019. “Em particular, os indicadores disponíveis sugerem probabilidade relevante de que o Produto Interno Bruto (PIB) tenha recuado ligeiramente no primeiro trimestre do ano, na comparação com o trimestre anterior, após considerados os padrões sazonais”, diz a ata.

 

Concentração - Na audiência, o executivo também afirmou que depois da crise financeira global de 2008, os países trocaram a competição entre os bancos, com maior número de instituições no mercado, pela estabilidade, com concentração bancária. “Acharam que o sistema concentrado tinha menos vulnerabilidade. Isso não só aconteceu no Brasil como em vários outros países”, disse.

 

Fatores - Campos Neto avaliou, entretanto, que o principal fator responsável pelos juros altos no país é a inadimplência. Segundo ele, a inadimplência é responsável por 37,5% do spread (diferença entre taxa captação dos recursos pelos bancos e os juros cobrados dos clientes). Também citou outros fatores como o custo financeiro (23%), operacional (25%) e o lucro (15%)

Ajuda - Segundo ele, “micromedidas” como estímulo ao cooperativismo e às fintechs (empresas de inovação tecnológica no mercado financeiro), por exemplo, vão ajudar a baixar o custo do crédito no país. (Agência Brasil)

 

(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

 

 

ECONOMIA III: Governo aprova programas de desligamento de empregados de sete estatais

 

economia III 17 05 2019Sete empresas estatais federais tiveram as propostas de programas de desligamento voluntário (PDV) aprovadas pelo Ministério da Economia. Segundo a Secretaria de Coordenação e Governança das Estatais, os programas devem resultar no desligamento de mais de 21 mil empregados e proporcionar economia de R$ 2,3 bilhões por ano.

 

Anúncio - O Ministério da Economia só nomeou quatro das sete empresas com propostas de PDV: Correios, Petrobras, Infraero e Embrapa. Essas companhias já tinham anunciado que pretendiam reduzir o quadro este ano. A pasta não informou as outras três estatais, alegando questões estratégicas, porque caberá a cada empresa decidir se anuncia o PDV.

 

Intenção - A secretaria informou que a expectativa é que os programas aprovados sejam finalizados ainda este ano. Os programas de desligamento voluntário, explicou o órgão, visam à redução de custos, com aumento da produtividade das empresas estatais.

 

Outros - De acordo com a secretaria, além dos sete planos aprovados, o governo estuda a adoção de mais quatro programas de empresas distintas ainda para este ano.(Agência Brasil)

 

 

ECONOMIA IV: Receita aumenta para R$ 5 milhões teto de parcelamentos de dívidas

 

economia IV 17 05 2019Os contribuintes que devem até R$ 5 milhões podem parcelar débitos com a Receita Federal. O Diário Oficial da União publicou na quarta-feira (16/05) instrução normativa que amplia em cinco vezes o valor máximo de parcelamento ordinário. O limite anterior, de R$ 1 milhão, não era reajustado desde 2013. 

 

Cinco anos - O parcelamento ordinário permite que os débitos com o Fisco sejam renegociados em até 60 parcelas (cinco anos). No entanto, diferentemente dos parcelamentos especiais, também chamados de Refis, não há desconto nas multas e nos juros.

 

Adequação - A instrução normativa foi necessária depois que o Ministério da Economia revogou uma portaria conjunta da Receita Federal e da Procuradoria-Geral de Fazenda Nacional (PGFN) de 2009 que unificava os procedimentos para o parcelamento de débitos nos dois órgãos. A Receita administra as dívidas tributárias (tributos em atraso). A PGFN cuida da dívida ativa da União, que reúne os débitos cobrados na Justiça.

 

Cálculos - Segundo a portaria, o valor de cada parcela será obtido mediante a divisão do valor da dívida consolidada pelo número de parcelas pedidas, desde que a prestação mínima corresponda a R$ 200 para devedor pessoa física ou R$ 500 para devedor pessoa jurídica. (Agência Brasil)

 

(Foto: Arquivo/Agência Brasil)

 


Versão para impressão


RODAPE