Imprimir
CABECALHO

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4574 | 13 de Maio de 2019

CBC: Definidas as diretrizes prioritárias para os próximos anos

 

cbc 13 05 2019Nesta sexta-feira (10/05), ocorreu em Brasília o encerramento do 14º Congresso Brasileiro do Cooperativismo – o evento mais importante do setor no país. O congresso contou com a presença de um público formado por 1,3 mil pessoas, entre elas autoridades mundiais e nacionais do cooperativismo, dirigentes e cooperados, embaixadores, ouvintes e imprensa.

 

Plenária - E como o tema do CBC é O cooperativismo do futuro se constrói agora, a sexta-feira foi marcada pela realização de uma plenária na qual os congressistas presentes votaram, dentre as diretrizes estabelecidas durante as sessões temáticas ocorridas na quinta-feira (09/05), aquelas consideradas prioritárias para os próximos anos. Todas as propostas que tiveram 50% + 1 dos votos nas votações daquele dia foram levadas à plenária, que também contou com a presença especial do ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni

 

Prioritárias - Com base no grau do impacto que a diretriz tem para o cooperativismo como um todo e com a urgência na implementação, aquelas que alcançaram 75% ou mais na nota total máxima nos dois critérios foram consideradas prioritárias. Confira abaixo as diretrizes priorizadas para o cooperativismo brasileiro nos próximos anos:

 

COMUNICAÇÃO

1.         Ampliar o alcance de programas que trabalham conceitos de cooperativismo e cooperação nas escolas, como o Cooperjovem e cooperativas mirins;

2.         Divulgar o cooperativismo brasileiro e seus benefícios por meio de estratégias e ferramentas de comunicação, como mídia convencional, plataformas digitais, entre outras;

3.         Criação de uma campanha nacional de comunicação para estimular o papel das cooperativas escolares (mirins ou de alunos) na promoção do cooperativismo.

 

GOVERNANÇA E GESTÃO

1.         Identificar e promover boas práticas de governança e gestão em cooperativas de todos os setores e portes;

2.         Implementar mecanismos de governança cooperativa para relacionamento com os cooperados, como a Organização do Quadro Social, a educação cooperativista e a fidelização;

3.         Promover a importância do processo de sucessão nas cooperativas;

4.         Adotar sistema de qualificação em gestão “a distância” ou semipresencial para todos os gestores de cooperativas, em parceria com instituições de ensino reconhecidas e qualificadas;

5.         Estabelecer em estatuto social a capacitação obrigatória dos candidatos à conselheiros e dirigentes;

6.         Definir grade curricular mínima de capacitação para certificação de conselheiros, bem como definir ferramentas para avaliação de sua performance;

7.         Coibir a criação de cooperativas clandestinas por parte do Sistema OCB.

 

INOVAÇÃO

1.         Incentivar a capacitação de jovens sucessores para propiciar que estejam aptos a ocuparem cargos eletivos nas suas cooperativas;

2.         Criar um canal e-commerce para compras entre as cooperativas;

3.         Desenvolver programa de capacitação em inovação para conselheiros, dirigentes e colaboradores do Sistema OCB e das cooperativas;

4.         Incentivar startups e aceleradoras a desenvolver soluções para o cooperativismo;

5.         Promover a intercooperação para o compartilhamento e acesso a novas tecnologias.

 

INTERCOOPERAÇÃO

1.         Elaborar programa de intercâmbio de conhecimentos e boas práticas entre cooperativas;

2.         Atuar sobre a legislação para facilitar a intercooperação viabilizando o ato cooperativo;

3.         Promover negócios entre as cooperativas por meio de feiras, eventos e plataformas digitais;

4.         Criar mecanismos de comunicação para facilitar a troca de informações entre cooperativas do mesmo ramo e ramos diferentes;

5.         Instaurar fórum permanente de intercooperação no Sistema OCB.

 

MERCADO

1.         Adequar, aprimorar ou criar linhas de crédito adequadas para todos os segmentos do cooperativismo, sem interromper as atuais políticas de fomento ao modelo de negócio cooperativista;

2.         Criar e regulamentar instrumentos de capitalização e captação de investimentos pelas cooperativas, analisados por ramo;

3.         Fomentar a inserção de cooperativas no e-commerce;

4.         Obter o reconhecimento dos órgãos que contratam, bem como daqueles que fiscalizam os processos licitatórios, da possibilidade de participação de cooperativas em contratações públicas de bens e serviços, conforme previsto na legislação vigente (Lei 8.666/1993 e Lei 12.690/2012);

5.         Realizar parcerias entre cooperativas ou com terceiros para investimentos em logística, transporte, produção de insumos, terminais de distribuição de produtos e exportação.

 

REPRESENTAÇÃO

1.         Criar rede virtual com os parlamentares da Frencoop para municiá-los de informações e demandas do cooperativismo;

2.         Fortalecer a atuação de representação das OCEs e as Frencoops estaduais;

3.         Fortalecer a Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop) no Congresso Nacional;

4.         Manter a atual Lei 5.764/1971, permitindo adequações por outras legislações, como a utilização de tecnologia para realização virtual de assembleias e adesão de cooperados, ampliando as fontes de financiamento, assegurando um procedimento semelhante a recuperação judicial, dentre outros pontos;

5.         Buscar reconhecimento, tanto na formulação de políticas como em processos de contratações públicas, do registro na OCB como um importante instrumento de verificação do cumprimento da legislação cooperativista;

6.         Interceder junto ao Governo Federal para estruturação de um programa de melhoria de infraestrutura da rede de internet para os municípios do interior e zona rural;

7.         Assegurar a participação de representantes do cooperativismo como vogais de juntas comerciais e garantir que as OCEs atuem como parceiras nas análises de atos constitutivos das sociedades cooperativas, de forma a ampliar o conhecimento dos órgãos de registro público sobre as especificidades do tipo societário cooperativo e adequar os procedimentos e exigências a realidade do setor;

8.         Reduzir a alíquota previdenciária para os cooperados autônomos;

9.         Atuar junto à Frencoop para que seja encaminhado para votação o adequado tratamento tributário do ato cooperativo (PLP 271/2005);

10.       Regulamentar o art. 79, da Lei 5764/1971, inserindo imunidade tributária às cooperativas com base nas instituições sem fim lucrativo;

11.       Reduzir a alíquota do ISSQN do trabalhador autônomo vinculado a cooperativas;

12.       Garantir maior representatividade da base de cooperativas nos conselhos especializados por ramos, com mecanismos que garantam que o representante dos estados colha a opinião da base, e implementar câmaras técnicas para o desenvolvimento de soluções para os ramos;

13.       Ampliar a participação do cooperativismo em conselhos nacionais, estaduais e municipais de interesse;

14.       Inserir na Diretoria da OCB representantes de cada um dos ramos do cooperativismo;

15.       Criar uma comissão técnica com a participação de representantes das cooperativas para acompanhar a modernização da legislação cooperativista, especialmente em relação à definição de ato cooperativo e impacto da reforma tributária no cooperativismo;

16.       Alterar o estatuto social da OCB Nacional para possibilitar a participação das cooperativas no processo de eleição da sua Diretoria e do seus Conselhos Fiscal e de Ética, garantindo que cada cooperativa, central, federação e confederação registradas tenham direito a voto;

17.       Ampliar os canais de comunicação entre o Sistema OCB e as lideranças cooperativas;

18.       Atuar junto ao Executivo para inserir na educação brasileira temas de cooperativismo e empreendedorismo coletivo;

19.       Ampliar os canais de comunicação do cooperativismo com o poder público, assegurando o papel da OCB como órgão técnico-consultivo do governo e representante nacional do segmento em todos os fóruns e instâncias de interesse, conforme prevê a Lei Geral das Cooperativas (art. 105 da Lei 5.764/1971);

20.       Tornar o Sescoop o centro de referência do cooperativismo, defender seus recursos e combater as iniciativas do governo e do Legislativo de estatização ou realocação dos recursos;

21.       Fomentar a criação de novas faculdades do cooperativismo, visando a criação posterior de universidades;

22.       Garantir a participação da Confederação Nacional das Cooperativas (CNCoop) nas instâncias governamentais de discussão e deliberação de temas trabalhistas e sindicais;

23.       Criar selo de qualidade para as cooperativas brasileiras.

 

Cooperativismo fantástico - Ao final na votação, o presidente do Sistema OCB, Márcio Freitas, reiterou que o sucesso do CBC deve ser creditado aos líderes cooperativistas que deixaram suas atividades para contribuir com seu tempo, dedicação, conhecimento e cooperação. E completou: “Vocês estão fazendo um cooperativismo fantástico. Tenho muita responsabilidade em representar vocês, mas é uma honra representar tudo isso que vocês fazem. Cada um do seu jeito, seu sotaque. Desde as cooperativas pequenas. Vocês são muito bons.” (Informe OCB)

 

GETEC: Informe técnico traz expectativa do mercado sobre indicadores econômicos

 

A Gerência de Desenvolvimento Técnico da Ocepar (Getec) divulga, nesta segunda-feira (13/05), mais uma edição do Informe Expectativas de Mercado, com base nas informações do Boletim Focus, do Banco Central, levantadas com instituições financeiras sobre as projeções relativas à economia nacional, contemplando o Produto Interno Bruto (PIB), IPCA (Índice de Preços ao Consumidor), taxa Selic e câmbio para 2019, 2020 e 2021.

 

Informações - Mais informações podem ser obtidas com Maiko Zanella (maiko.zanella@sistemaocepar.coop.br / 41 3200-1115) ou com Jessica Raymundi (jessica.costa@sistemaocepar.coop.br  / 41 3200-1133).

 

Clique aqui para acessar na íntegra o Informe Expectativas de Mercado

 

SANIDADE: Fóruns regionais irão debater fim da vacinação contra aftosa no PR, a partir do dia 14

 

Terão início, nesta terça-feira (14/05), os Fóruns Regionais com o tema "Paraná Livre de Febre Aftosa sem Vacinação". O primeiro ocorre em Paranavaí, no noroeste do estado, e os demais em Cornélio Procópio (15/05), na região norte; Guarapuava (21/05), no centro-sul; Pato Branco (22/05), no sudoeste; Cascavel (23/05), no oeste, e Curitiba (29/05), no leste. “Estarão em pauta assuntos de extremo interesse para as cooperativas paranaenses. Por isso, estamos convidando nosso público a participar das discussões em todas as regiões”, afirma o superintendente da Ocepar, Robson Mafioletti. 

 

Promoção - Os eventos são promovidos pelo governo do Estado, com apoio da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (Seab); Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Sistema Faep/Senar, Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores Familiares do Estado do Paraná (Fetaep), Emater e Sistema Ocepar, além de entidades locais que apoiam com recursos físicos, como a Prefeitura Municipal de Paranavaí, Sociedade Rural de Cornélio Procópio, Fiep, Unicentro e Sociedade Rural de Pato Branco.

 

Discussões - A ideia é debater os próximos passos que deverão ser tomados após o Paraná ter obtido autorização do Mapa, com o aval do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, para antecipar a suspensão da vacinação contra a febre aftosa do rebanho bovino a partir deste mês de maio, quando ocorre a última imunização do gado no estado. A aprovação do pedido ocorreu no dia 24 de abril, durante a realização da 2ª Reunião do Bloco V do Plano Estratégico do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA), no auditório do Sistema Ocepar, em Curitiba. 

 

Oficialização - Assim, o status do Paraná mudou para área livre febre aftosa sem vacinação, que será oficializada em setembro, quando o Mapa irá publicar um ato normativo de reconhecimento da condição do Estado. 

 

(Foto: Agência de Notícias do Paraná)

 

sanidade programacao 10 05 2019

 

 

COPAGRIL: Clientes dos Supermercados Copagril ganham motos em promoção

 

Foi realizado neste sábado (11/05), no Supermercado Copagril 2, de Marechal Cândido Rondon, o primeiro sorteio da promoção Show de Prêmios, promovida pelos Supermercados Copagril e a Parati, ocasião em que foram conhecidos os dois primeiros ganhadores da campanha, que, ao longo da promoção, sorteará 5 motos Honda Biz 0 quilômetro e um Volkswagen Gol 0 km. Os ganhadores das duas primeiras motos foram Ingrid R. Glucksberg e Leandro Patrício dos Santos, ambos residentes em Marechal Cândido Rondon.

 

Participação - Para participar da promoção, os ganhadores compraram refrescos em pó da marca Trink e biscoitos recheados Hot Cracker ou biscoitos recheados Cartoon, receberam cupons, preencheram corretamente e depositaram nas urnas da campanha.

 

Mais prêmios - Todos os clientes que já preencheram cupons ainda estão concorrendo, já que serão sorteadas mais duas motos Biz no dia 9 de agosto e uma moto Honda Biz, além do veículo gol,  no dia 13 de dezembro.

 

Chances - A campanha continua valendo em todos os Supermercados Copagril e os clientes ainda podem preencher cupons para aumentar as chances de serem contemplados pela promoção. A cada cinco refrescos mais um pacote de biscoitos Cartoon ou Hot Cracker o cliente recebe um cupom para concorrer.  (Imprensa Copagril)

 

{vsig}2019/noticias/05/13/copagril/{/vsig}

CAPAL I: Cooperados estão entre os melhores criadores e expositores de bovinos da raça Holandesa do Brasil

 

Cooperados da Capal estão entre os melhores criadores e expositores do Brasil de gado da raça Holandesa. A definição é da Associação Brasileira dos Criadores de Bovinos da Raça Holandesa (ABCBRH), e foi anunciada em evento ocorrido em Carambeí (PR), no fim de abril. O ranking dos premiados é baseado no resultado de exposições de três Estados: Paraná, Minas Gerais e São Paulo.

 

Vermelho e branco - Os produtores Pedro Elgersma, Adriaan Frederik Kok e Korstiaan Bronkhorst se destacaram na premiação com animais referências em genética, além do trabalho em manejo. Na variedade Vermelho e Branco, Kok venceu como melhor afixo, criador e expositor de gado jovem e adulto, além de ser o campeão pela vaca vitalícia e reservada de 4 anos.

 

Conquistas - Já Bronkhorst, disputando também na Vermelho e Branco, teve as conquistas: reservada bezerra sênior, reservada novilha intermediária, novilha sênior campeã e reservada, júnior 2 anos campeã e reservada, júnior 3 anos campeã, campeã e reservada jovem, 5 anos reservada e reservada grande campeã.

 

Grande destaque - Na variedade Preto e Branco, Pedro Elgersma foi o melhor afixo, criador e expositor gado adulto. Somado a isso, também teve a vaca campeã 1 ano parida, reservada 2 anos júnior, reservada 3 anos sênior, reservada vaca jovem, campeã 5 anos, reservada vaca adulta e, por fim, a grande campeã.

 

Genética e manejo - “A premiação é resultado do trabalho que a gente faz em cima da genética e do manejo. Em toda a exposição fazemos um trabalho para que os animais cheguem na pista em condições, como dieta balanceada e cabresto”, explica Ronald Elgersma, filho de Pedro. Os sêmens dos animais são importados dos Estados Unidos e Canadá. Atualmente, a propriedade de Pedro Elgersma tem 200 vacas em lactação, todas da raça Holandês, variedade Preto e Branco, com produção de 34 a 35 litros/vaca por dia.

 

Sobre a Capal:

Fundada em 1960, a Capal Cooperativa Agroindustrial conta atualmente com quase 3.000 associados, distribuídos em 14 unidades de negócios, nos estados do Paraná e de São Paulo. A cadeia agrícola responde por cerca de 70% das operações da cooperativa, produzindo mais de 640 mil toneladas de grãos por ano, com destaque para soja, milho e trigo. A área agrícola assistida ultrapassa os 140 mil hectares. (Imprensa Capal)

 

{vsig}2019/noticias/05/13/capal_I/{/vsig}

 

CAPAL II: Superação de “subidas” de Arapoti foi destacada por corredores no Desafio de Rua Capal

 

Antes mesmo do sol raiar, participantes do 6º Desafio de Rua Capal compareceram no feriado do Dia do Trabalhador em frente à sede da cooperativa, em Arapoti (PR). Desta vez eles acordaram cedo não para cumprir expediente, mas para participar de uma atividade esportiva. Em pouco mais de uma hora, a rua Saladino de Castro estava repleta pelos cerca de mil inscritos na corrida, que disputaram as modalidades de 5 e 10 quilômetros, além da caminhada.

 

Esportista - O soldador Antônio Inácio de Oliveira, cearense que mora em Arapoti há 27 anos, foi o vencedor da corrida na modalidade 5 km, na categoria entre 40 e 49 anos. “Essas subidas são difíceis, ainda mais porque não tive muito tempo para treinar. Mas graças a Deus tive o prazer e a honra de conseguir essa vitória.” Ele treinou apenas nos últimos 15 dias antes da corrida, porém, o que colaborou para o seu sucesso foi a prática do ciclismo, esporte em que já tem experiência.

 

Melhoria - A competição foi aberta para funcionários da cooperativa e para a comunidade. A assistente administrativa da Capal, Gesibel Ferreira Rosa, disputou a modalidade de 5 km, vencendo com pouco mais de 23 minutos na categoria 16 a 29 anos. Esse é o quarto desafio que ela participa e, em cada edição, estipula uma meta. “A primeira corrida fiz em 28 minutos e fui baixando. Tinha colocado que concluiria em 25 minutos e consegui em 23”.

 

Dificuldade - Ronaldo Adriano Leite, que  trabalha no setor de rações da unidade de Ibaiti, venceu na modalidade de 5 km, na categoria de 30 a 39 anos. “A maior dificuldade é a subida, treinei no último mês somente, sofri um pouco, mas fiz o trajeto em 21 minutos. Se eu treinasse mais, o faria pelo menos em 18 minutos.

 

Participação - A corrida contou com a presença de competidores de cidades do Paraná e São Paulo, com a verificação do tempo via chip. Os resultados dos competidores podem ser conferidos em www.chronomax.com.br. No site, é possível acompanhar o vídeo da chegada de cada participante e baixar o certificado. Os melhores colocados conquistaram prêmios em dinheiro. Os corredores que completaram a prova receberam medalhas.

 

Sucesso - O diretor-presidente do Conselho de Administração da Capal, Erik Bosch, elogiou o trabalho de organização. “Gostaria de parabenizar o trabalho da nossa equipe, que foi muito bem feito, tudo bem organizado”. Bosch, assim como o presidente-executivo Adilson Fuga, participaram do desafio na modalidade de 10 km. “Foi uma excelente corrida, o desafio já está no calendário da cooperativa. É muito bom ver as pessoas se dedicando, ver as ruas da cidade tomadas por corredores que superam seus limites. O evento foi um sucesso. 

 

Sobre a Capal

Fundada em 1960, a Capal Cooperativa Agroindustrial conta atualmente com quase 3.000 associados, distribuídos em 14 unidades de negócios, nos estados do Paraná e de São Paulo. A cadeia agrícola responde por cerca de 70% das operações da cooperativa, produzindo mais de 640 mil toneladas de grãos por ano, com destaque para soja, milho e trigo. A área agrícola assistida ultrapassa os 140 mil hectares. (Imprensa Capal) 

 

{vsig}2019/noticias/05/13/capal_II/{/vsig}

PRIMATO: Cooperativa faz lançamento da Campanha de Safra Verão

 

A agricultura brasileira é uma das mais competitivas do mundo e é desenvolvida em grande parte por pequenos produtores rurais, que contam com a parceria, principalmente, das cooperativas, para conseguir que o custeio seja feito com melhores preços e prazos. O Ministério da Agricultura promove a liberação de recursos por meio de linhas de crédito, como Programa de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) entre outras.

 

Lançamento - Com o objetivo de auxiliar os cooperados e agricultores da região de sua atuação, a Primato Cooperativa Agroindustrial fez o lançamento da Campanha Safra Verão 2019/20, no dia 6 de maio, em sua Associação em Toledo.  O Evento contou com a participação da diretoria, gerentes, encarregados e os profissionais da área técnica da Primato.

 

Detalhes -  “O evento serviu para apresentação das informações sobre a Campanha Safra Verão 2019/20, com dados, prazos e preços que estão disponíveis para cooperados e produtores rurais de toda a região de abrangência da Primato”, enalteceu o presidente da cooperativa, Ilmo Werle Welter, ao acrescentar que é “fundamental esse lançamento para que possamos dar mais um impulso nesta área de atuação que iniciamos em janeiro de 2017 e que  vem trazendo cada vez mais bons resultados para todos os envolvidos”.

 

Campanha - A Campanha Safra Verão teve início na terça-feira (07/05) e vai até o dia 21 de maio. “Por isso convidamos todos nossos cooperados e agricultores da região a consultar em sua unidade de negócios os profissionais que vão dar toda as informações sobre as linhas de crédito e os programas disponíveis para a próxima safra”, concluiu o presidente. (Imprensa Primato)

 

{vsig}2019/noticias/05/13/primato/{/vsig}

SICREDI UNIÃO PR/SP: Seguro de Vida premia morador de Graciosa

 

O lavrador Josival Moreira da Silva, que mora em Graciosa, distrito de Paranavaí, é o quarto associado da Sicredi União PR/SP que teve a felicidade de ser sorteado pelo Seguro de Vida (Icatu Seguros). Ele ganhou o valor de R$ 40 mil e ficou surpreso quando recebeu a notícia. “Esta é a primeira vez que ganho em um sorteio e ainda tive a sorte de receber um prêmio muito bom. Fiquei muito feliz porque vai me ajudar muito esse valor”, comemora.

 

Planos - Silva é associado da agência Graciosa há 16 anos, e conta que sempre fez seguro de vida para garantir a tranquilidade de sua família caso algum imprevisto aconteça. “Gosto do atendimento e dos serviços da Sicredi União, tanto que minhas filhas estão abrindo conta lá também”, destaca, ao citar que vai usar o prêmio para pagar dívidas. “Se der vou entrar em um consórcio de carro e fazer um lance inicial”, planeja.

 

Outros premiados - Além de Silva, a Sicredi União PR/SP também registrou outros três associados contemplados neste início de ano: dois ganharam o prêmio de R$ 10 mil, por meio do Seguro Residencial (Seguradora Mapfre) e o outro levou o prêmio de R$ 50 mil por ter adquirido Seguro de Vida.

 

Promoção - A premiação é realizada pelo Sistema Sicredi – instituição financeira cooperativa com mais de quatro milhões de associados e atuação em 22 estados brasileiros com mais de 1,6 mil agências – que promove quatro sorteios mensais, em âmbito nacional, com prêmios de R$ 10 mil para o Seguro Residencial e até R$ 200 mil para o Seguro de Vida - conforme o produto adquirido.

 

Motivação - O assessor de Seguros da Sicredi União PR/SP, João Francisco Aleixo, informa que o associado participa dos sorteios durante todo o período de vigência do seguro. “Esse benefício é um diferencial da instituição financeira cooperativa e, de fato, motiva as pessoas a fazerem seguro. Assim, os associados não só concorrem a prêmios, mas também usufruem de mais tranquilidade por estarem amparados em caso de imprevisto.” (Imprensa Sicredi PR/SP)

 

SICOOB OURO VERDE: Curso de esculturas em papel conta com o apoio do Sicoob em Rolândia

 

sicoob ouro verde 13 05 2019No dia 22 de abril, teve início mais uma turma do curso de esculturas em papel no Instituto Lar Samuel, de Rolândia. Durante as aulas, que são gratuitas, o artista plástico Edson Massuci ensina aos participantes a técnica papier-collé, que utiliza papel, cola e tecido. 

 

Programa - O curso conta com apoio do Sicoob Ouro Verde e integra o programa Arte Dá Vida, que faz parte das ações de responsabilidade social mantidas pela cooperativa. A colaboradora responsável pelos projetos sociais do Sicoob Ouro Verde, Emmy Bofinger, conta que inicialmente o público-alvo eram apenas os idosos.

 

Ampliação - “Diante da grande procura, ampliamos esse público e passamos a receber as inscrições de todas as idades, inclusive adolescentes. Agora, mais pessoas podem participar dessa iniciativa, que proporciona aprendizado, trabalha a mobilidade motora e promove momentos de convivência”, explica.

 

Exposição - Ao final do curso, que terá duração de quatro meses, os trabalhos executados pelos alunos serão expostos e uma das obras de cada aluno será colocada à venda na lojinha do Lar Samuel. O valor arrecadado irá beneficiar a entidade, que acolhe crianças há 35 anos. (Imprensa Sicoob Ouro Verde)

 

 

COPOM: Instituições financeiras reduzem para 1,45% projeção do PIB de 2019

 

O mercado financeiro continua a reduzir a estimativa de crescimento da economia brasileira neste ano. Pela 11ª vez seguida caiu a projeção para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país. Desta vez, a estimativa foi reduzida de 1,49% para 1,45%. Para 2020, a projeção foi mantida em 2,50%, assim como para 2021 e 2022.

 

Inflação - A estimativa de inflação, calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) permaneceu em 4,04%, neste ano. Para 2020, a previsão segue em 4%. Para 2021 e 2022, também não houve alteração: 3,75%. 

 

Metas - A meta de inflação deste ano, definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), é de 4,25% com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%. A estimativa para 2020 está no centro da meta: 4%. Essa meta tem intervalo de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Para 2021, o centro da meta é 3,75%, também com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual. O CMN ainda não definiu a meta de inflação para 2022.

 

Selic - Para controlar a inflação, o BC usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic. Para o mercado financeiro, a Selic deve permanecer no seu mínimo histórico de 6,5% ao ano até o fim de 2019. Para o fim de 2020, a projeção segue em 7,50% ao ano. Para o fim de 2020 e 2021, a expectativa permanece em 8% ao ano.

 

Conformidade - A Selic, que serve de referência para os demais juros da economia, é a taxa média cobrada nas negociações com títulos emitidos pelo Tesouro Nacional, registradas diariamente no Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic). A sua manutenção neste ano, como prevê o mercado financeiro, indica que o Copom considera as alterações anteriores nos juros básicos suficientes para chegar à meta de inflação.

 

Instrumento - Ao reduzir os juros básicos, a tendência é diminuir os custos do crédito e incentivar a produção e o consumo. Para cortar a Selic, a autoridade monetária precisa estar segura de que os preços estão sob controle e não correm risco de ficar acima da meta de inflação. Quando o Copom aumenta a taxa, a meta é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços, porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

 

Dólar - A previsão do mercado financeiro para a cotação do dólar segue em R$ 3,75 no fim de 2019 e em R$ 3,80 no fim de 2020.

 

Fonte - Os números são do boletim Focus, publicação semanal elaborada com base em perspectivas de instituições financeiras sobre os principais indicadores econômicos. O boletim é divulgado às segundas-feiras, pelo Banco Central (BC).

ECONOMIA I: Presidente Bolsonaro diz que governo vai corrigir tabela do Imposto de Renda

 

O presidente Jair Bolsonaro informou neste domingo (12/05) que o governo vai fazer a correção na tabela do Imposto de Renda Pessoa Física para o ano que vem. Em entrevista à Rádio Bandeirantes, Bolsonaro afirmou que orientou o ministro da Economia, Paulo Guedes, que a tabela do IR deve ser corrigida “no mínimo” com a inflação. O governo também estuda aumentar os limites de deduções.

 

Recomendação - “Hoje em dia, o Imposto de Renda é redutor de renda. Falei para o Paulo Guedes que, no mínimo, neste ano temos que corrigir de acordo com a inflação a tabela para o ano que vem. E, se for possível, ampliar o limite de desconto com educação, saúde. Isso é orientação que eu dei para ele [Guedes]. Espero que ele cumpra, que orientação não é ordem. Mas, pelo menos, corrigir o Imposto de Renda pela inflação, isso, com toda a certeza, vai sair”, afirmou Bolsonaro.

 

Disparidade - A defasagem na tabela do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) chega a 95,46%, divulgou o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco Nacional) em janeiro. O levantamento foi feito com base na diferença entre a inflação oficial pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulada de 1996 a 2018 e as correções da tabela no mesmo período.

 

Penalização - Desde 2015, a tabela do Imposto de Renda não sofre alterações. De 1996 a 2014, a tabela foi corrigida em 109,63%. O IPCA acumulado, no entanto, está em 309,74%. De acordo com o Sindifisco Nacional, a falta de correção na tabela prejudica principalmente os contribuintes de menor renda, que estariam na faixa de isenção, mas são tributados em 7,5% por causa da defasagem. (Agência Brasil)

(Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

ECONOMIA II: Ministério estuda medidas para aumentar rentabilidade do FGTS

 

A Secretaria Especial de Fazenda do Ministério da Economia confirmou  na tarde de =sexta-feira (10/05) que promove estudos para melhorar a gestão do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e aumentar a rentabilidade para o trabalhador. Segundo a pasta, no entanto, as discussões estão em fase inicial e serão acompanhadas pela sociedade e pelo Congresso Nacional com total transparência.

 

Processo - “A Secretaria Especial de Fazenda informa que estão sendo realizados estudos para aprimoramento da gestão do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, com o objetivo de melhorar a sua rentabilidade para o trabalhador. Esse projeto ainda está em fase inicial e todo o processo será conduzido com total transparência e em diálogo com o Congresso Nacional e demais agentes econômicos envolvidos, respeitando os contratos firmados e a função social do fundo”, informou o órgão.

 

Distorção - Atualmente, o FGTS rende o equivalente à taxa referencial (TR) mais 3% ao ano. Desde 2018, o fundo também distribui metade do lucro líquido do ano anterior a todos os trabalhadores. Apesar da distribuição do lucro, o rendimento é inferior à inflação. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA) registrou inflação acumulada de 4,94% nos 12 últimos meses terminados em abril.

 

Alterações - Em entrevista coletiva, concedida no Rio de Janeiro, o secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues, disse que o rendimento do FGTS equivale a um imposto cobrado do trabalhador, por ser inferior à inflação. Ele também falou que o governo estuda forma de flexibilizar o saque do fundo, mas que isso exigiria mudanças na lei e diálogo com o Congresso.

 

Estoque - Atualmente, o FGTS tem um patrimônio de R$ 525 bilhões. Em 2016, o governo do ex-presidente Michel Temer liberou o saque em contas inativas (que não recebem mais depósitos do FGTS) para cerca de 26 milhões de trabalhadores. Na época, a medida injetou R$ 44 bilhões na economia.

 

Saques - Formado por 8% do salário bruto do trabalhador depositados mês a mês pelo empregador, o FGTS só pode ser sacado nas seguintes situações: aposentadoria, compra da casa própria e demissão sem justa causa. Em caso de algumas doenças graves, como câncer, o dinheiro também pode ser sacado pelo empregado. (Agência Brasil)

 

SAFRA: Brasil pode superar EUA na produção de soja em 2019/20, prevê USDA

 

safra 13 05 2019O Brasil poderá colher uma safra recorde de 123 milhões de toneladas de soja na temporada 2019/20, que será plantada a partir de setembro, e, com isso,  superar os Estados Unidos na produção da oleaginosa no mesmo período, previu nesta sexta-feira (10/05) o Departamento de Agricultura norte-americano (USDA).

 

Queda - Em suas primeiras estimativas para a temporada 2019/20, o USDA estimou a safra dos EUA em 112,95 milhões de toneladas, queda de 8,7 por cento ante o recorde de 123,66 milhões de toneladas do período 2018/19, por conta de uma área plantada menor e também produtividades esperadas mais baixas.

 

Fatores - A projeção foi feita enquanto os EUA estão lidando com estoques elevados de grãos, em meio a uma disputa comercial com a China que reduziu os embarques norte-americanos, especialmente de soja. Diante de grandes safras globais, as cotações da commodity na Bolsa de Chicago atingiram mínimas em mais de uma década. Os EUA estão iniciando o plantio da safra 2019/20.

 

Quebra -  Na safra 2018/19, o Brasil poderia ter colhido mais de 120 milhões de toneladas e rivalizado com os EUA, mesmo com uma grande produção norte-americana, mas uma seca em importantes produtores, como o Paraná, reduziu a colheita brasileira para 117 milhões de toneladas, segundo o USDA.

 

Estimativa - Para o USDA, a produção do Brasil em 2019/20 deverá crescer com um plantio maior e também uma recuperação das produtividades, após a seca de 2018/19. O país sofreu com falta de chuva e altas temperaturas em dezembro e janeiro últimos. A perda só não foi maior porque o tempo melhorou a partir de fevereiro, segundo analistas.

 

Anterior - A maior colheita de soja já vista pelo Brasil foi na temporada 2017/18, com 122 milhões de toneladas, quando os brasileiros superaram os norte-americanos na produção da oleaginosa, segundo o USDA.

 

Exportação - O Brasil, maior exportador de soja do mundo, já à frente dos EUA, exportaria 75 milhões de toneladas em 2019/20, enquanto os norte-americanos, 53 milhões. Em 2018/19, as exportações brasileiras foram estimadas pelo USDA em 78,5 milhões de toneladas, versus 48,3 milhões dos EUA. (Notícias Agrícolas/Reuters)

 

 

EUA X CHINA: China continua “cautelosamente otimista” em discussões com os EUA, apesar de novas tarifas

 

China e Estados Unidos concordaram em realizar mais reuniões sobre comércio em Pequim, disse o vice-premier Liu He, apesar de o presidente norte-americano Donald Trump ter ordenado o  começo do processo de impor tarifas a todas as importações restantes do país asiático. 

 

Cautela - Liu expressou otimismo calculado sobre a possibilidade de chegar a um acordo, mas disse que havia “problemas de princípio” nos quais a China não recuaria.

 

Continuidade - “As negociações não foram interrompidas”, disse Liu, principal negociador da China nessas discussões, em Washington, na sexta-feira, de acordo com informações da televisão estatal chinesa veiculadas neste sábado (11/05). “Pelo contrário, eu acho que pequenos obstáculos são normais e inevitáveis durante negociações entre dois países. Olhando para a frente, ainda estamos cautelosamente otimistas”, disse Liu.

 

Contrário - Mas o otimismo de Liu foi fragilizado pelo secretário de Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, que disse à CNBC na sexta-feira que não haveria mais conversas planejadas com a China “por enquanto”.

 

Resposta - E no sábado, Trump publicou no Twitter: “Uma maneira fácil de evitar tarifas? Faça seus bens e produtos no bom e velho Estados Unidos. É muito simples!”

 

Nervosismo - Os Estados Unidos subiram o tom na escalada da guerra de tarifas com a China na sexta-feira ao elevar a tributação em US$ 200 bilhões dos produtos chineses em meio a conversas de última hora para resgatar um acordo comercial. Trump havia adiado o início das novas tarifas, enquanto as negociações entre Washington e Pequim progrediam. Mas, na sexta-feira, o presidente norte-americano emitiu ordens para aumentar as tarifas, dizendo que a China “quebrou o acordo” ao recuar em compromissos que havia prometido durante meses de negociações.

 

Posição firme - A China se opõe com veemência às últimas elevações de tarifas dos EUA e, como nação, precisa responder a isso, disse Liu a um pequeno grupo de repórteres chineses em um vídeo. “No momento, os dois lados chegaram a um entendimento mútuo em muitas coisas, mas, francamente, também há diferenças. Acreditamos que essas diferenças são problemas significativos de princípio”, disse Liu. “Nós absolutamente não podemos fazer concessões em questões de princípio.”

 

Impacto - As medidas de Trump colocariam aproximadamente US$ 300 bilhões de importações chinesas sujeitas a tarifas punitivas, disse o representante comercial norte-americano Robert Lightizer, em um comunicado na sexta-feira. Disse ainda que uma decisão final não foi tomada sobre novas obrigações, que viriam depois de um aumento de tarifas no começo da sexta-feira, de 10% a 25%, em US$ 200 bilhões de importações chinesas. (Reuters)

 


Versão para impressão


RODAPE