Imprimir
CABECALHO

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4569 | 06 de Maio de 2019

14º CBC: Delegação do PR se prepara para participar do evento mais importante do cooperativismo

cbc 06 05 2019Cem lideranças das cooperativas do Paraná, comandadas pelo presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, partem nesta terça-feira (07/05) para Brasília (DF), com o propósito de participar do evento mais importante do cooperativismo: o Congresso Brasileiro do Cooperativismo (CBC), que está na 14ª edição e será realizado pelo Sistema OCB, entre os dias 8 e 10 de maio. São esperados ao todo 1,5 mil participantes, com um único objetivo: planejar e construir, juntos, o futuro que querem para o movimento cooperativista do país.

Celebração – O Congresso marca ainda a celebração dos 50 anos da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), que, aliás, surgiu a partir de um consenso durante o 4º CBC, em 1969. Desde então, a entidade realiza a representação nacional das cooperativas junto aos três poderes da República, Legislativo, Executivo e Judiciário.

Temas  As discussões do 14º CBC serão pautadas em torno de seis temas: Comunicação, Governança e Gestão, Inovação, Intercooperação, Mercado e Representação. Os participantes podem se preparar com antecedência por meio dos documentos-base, que trazem cenários e reflexões sobre cada assunto, além de sugestões de propostas, com o objetivo de ajudar a nortear os debates. Clique aqui para saber mais.

ProgramaçãoClique aqui para conferir a programação completa do evento. (Com informações da OCB)

 

GETEC: Informe traz expectativa do mercado sobre indicadores econômicos

getec 06 05 2019A Gerência de Desenvolvimento Técnico da Ocepar (Getec) divulga, nesta segunda-feira (06/05), mais uma edição do Informe Expectativas de Mercado, com base nas informações do Boletim Focus, do Banco Central, levantadas com instituições financeiras sobre as projeções relativas à economia nacional, contemplando o Produto Interno Bruto (PIB), IPCA (Índice de Preços ao Consumidor), taxa Selic e câmbio para 2019, 2020 e 2021.

Informações – Mais informações podem ser obtidas com Maiko Zanella (maiko.zanella@sistemaocepar.coop.br / 41 3200-1115) ou com Jessica Raymundi (jessica.costa@sistemaocepar.coop.br / 41 3200-1133).

Clique aqui para acessar na íntegra o Informe Expectativas de Mercado

 

COAMO: Linha de alimentos é apresentada na Apas Show 2019

 

coamo 06 05 2019Os Alimentos Coamo, por meio das marcas Coamo, Primê, Anniela e Sollus, participa mais uma vez Apas Show, maior evento para supermercados do mundo, entre os dias 6 e 9 de maio, no Expo Center Norte, em São Paulo. O estande da cooperativa é o 532, localizado no Pavilhão Verde. O evento, que engloba feira e congresso, tem integrado, com sucesso, empresários, indústria, compradores nacionais e internacionais em uma verdadeira plataforma de negócios que movimenta bilhões. Somente em 2018 a geração de negócios alcançou US$ 100 milhões e trouxe números expressivos, como 1.423 reuniões, 50 compradores internacionais de 23 países, e 185 empresas participantes.

 

Área ampliada - Em 2019, a Apas Show terá a área de exposições ampliada – serão agora cinco pavilhões frente aos quatro até então ocupados, garantindo ainda mais espaço para expositores internacionais, salas de reunião de negócios e atendimento exclusivo ao público estrangeiro. No Congresso de Gestão Internacional do evento, as mais de 60 palestras girarão em torno da temática “SuperHack: Hackeando o Supermercado”. “A ideia com os debates no Congresso deste ano é encontrar formas de inovar, buscar alternativas e modelos para facilitar o dia a dia das lojas, atender as novas necessidades dos consumidores e maximizar negócios. Não importa mais se a loja é online ou física, o que importa para o cliente é fazer as compras de forma conveniente. Ele quer ter acesso fácil a qualquer produto, pelo menor custo, na melhor hora e lugar”, explicou o diretor Erlon Ortega.

 

Tradicional - Segundo o superintendente Comercial da Coamo, Alcir José Goldoni, a Coamo é tradicional no evento e valoriza essa oportunidade ímpar de relacionamento com os clientes. “É o momento que dedicamos aos nossos clientes para estreitar o relacionamento com a troca de ideias e informações da Coamo e da sua linha alimentícia, como também e principalmente agradecer a parceria. Também é um evento que nos permite prospectar novos negócios para a cooperativa.”

 

Alimentos de qualidade - Goldoni ainda ressalta que a Coamo tem alimentos de qualidade para apresentar e está entre os grandes expositores do evento. “Os Alimentos Coamo são diferenciados pela sua origem, que vem dos campos dos associados, donos da cooperativa. Eles produzem alimentos com responsabilidade e qualidade. Quando você sabe da onde vem a matéria-prima do alimento que se está industrializando é possível assegurar a segurança deste produto para o consumidor final. Essa qualidade começa nos campos com o uso de sementes de qualidade e certificadas e está em todas as demais etapas do processo de transporte e industrialização. ”

 

Imagem - Durante o evento, a Coamo também irá destacar a renovação do uso de imagem da Ana Maria Braga como a personalidade dos Alimentos Coamo. O superintende Comercial da Coamo ressalta que “Nesse último ano a repercussão da mensagem sobre qualidade e sabor com economia foi fortalecida com a presença da Ana Maria Braga, nos meios de comunicação e nos pontos de vendas. Foi além das expectativas e nesse novo projeto apresentaremos novidades e que tornaram os Alimentos Coamo ainda mais diferenciados e que surpreenderão os clientes e consumidores.” 

 

Satisfação - De acordo com o presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini, a Coamo participa há muitos anos da Apas Show expondo os produtos industrializados do seu quadro social. “Este é um evento que participamos com grande satisfação. Sempre procuramos mostrar aos nossos parceiros a qualidade dos nossos produtos. É a produção dos associados da Coamo transformada em alimento seguro. E para atender a demanda que temos, estamos construindo em Dourados/MS, e que está em fase final, duas indústrias de produtos originados da soja, que nos permite duplicar a produção de óleo refinado, gordura vegetal e de margarinas”, enfatiza Gallassini. (Imprensa Coamo)

 

NOVA PRODUTIVA: Campeões de produtividade de soja são premiados

O programa Nova Mais da Cooperativa Agroindustrial Nova Produtiva reconheceu as lavouras que mais produziram na safra 2018/2019, encerrando a quinta etapa do programa. Cerca de 150 pessoas participaram, no dia 26 de abril, da cerimônia de premiação, nas dependências do Libanu’s Buffet, em Astorga (PR).

Objetivo - O programa tem por objetivo difundir aos cooperados participantes, tecnologias para elevação da produtividade de suas áreas de soja e milho, através da aplicação e acompanhamento de técnicas difundidas pela Nova Produtiva. Para participar, os cooperados devem inscrever uma área/talhão da sua propriedade com no mínimo 24,2 hectares. Nesta etapa, participaram 73 cooperados atendidos pela sede e entrepostos.

Condução - A cerimônia foi conduzida pelo diretor vice-presidente Waldenir Romani, responsável pela coordenação técnica do programa, que também conta com diversos profissionais da área técnica da cooperativa. Romani explicou que a cada fechamento de safra é realizada uma comparação da média de produtividade dos participantes do programa, com a média de todos os cooperados da área de ação da cooperativa. “É fantástico o nível maior de produtividade dos participantes do programa. Hoje o Nova Mais está consolidado, se tornando uma competição saudável entre os agricultores inscritos”.

Referência - O diretor-presidente da Nova Produtiva, Tácito Octaviano Barduzzi Júnior posicionou o programa como uma referência na excelência em produtividade, oferecendo aos produtores rurais acesso às novas tecnologias para extraírem o máximo de resultados em suas lavouras. “Buscamos beneficiar todo o ciclo produtivo das culturas, desde a correção do solo até a colheita, para que a cultura possa expressar o máximo da sua capacidade produtiva e o agricultor ganhar mais”, disse Barduzzi.

Proposta - Para o gerente regional de vendas da Syngenta (sede Londrina), Rafael Manuel de Oliveira, a credibilidade do programa Nova Mais cumpre a proposta, que é o aumento da produtividade na região. Oliveira apontou que mesmo com a seca no período da safra de soja 2018/2019, o rendimento foi superior em 22% perante as regiões que não implantaram o programa. Ele enalteceu a assistência proporcionada pela área técnica da Nova Produtiva, classificando como diferencial no rendimento da produção por hectare.

Primeiros colocados - Os três primeiros colocados foram: 3º Lugar - João Sgorlon (Unidade de Sabáudia), representado pelo irmão Luiz Carlos Sgorlon, 2º Lugar - Tercílio Herek (Unidade de Sabáudia), e o campeão - Claudemir Donisete Facchini (Unidade de Ângulo). Cada ganhador foi contemplado com uma viagem a um resort em Foz do Iguaçu. Após a premiação foi servido o jantar de confraternização.

Milho - Ainda este ano no mês de setembro, haverá a premiação do programa Nova Mais referente à cultura do milho. (Assessoria Nova Produtiva)

{vsig}2019/noticias/05/06/nova_produtiva/{/vsig}

UNIUM: Programa orienta crianças sobre benefícios do consumo de trigo

Levar informações sobre saúde e segurança pessoal e ambiental: esse é o objetivo do Agrinho, maior programa de responsabilidade social do Sistema Faep (Federação da Agricultura do Estado do Paraná), voltado à crianças do meio rural. O programa conta com apoio de instituições públicas e privadas e leva às escolas da rede pública do Paraná uma visão ampla dos temas.

Projetos - Com diferentes projetos que abrangem os mais diversos assuntos, este ano um dos assuntos trabalhados pelo Agrinho é o trigo, alimento que, embora seja conhecido pelos seus benefícios, muitas vezes é banido da dieta, sem necessidade. E para mostrar a trajetória do trigo até chegar às mesas, o Moinho de Trigo Herança Holandesa, que faz parte da intercooperação Unium, recebeu crianças do Centro Municipal de Educação Infantil Professora Sophia Adamowicz, de Ponta Grossa (PR).

Auxílio - O especialista comercial do Moinho, Luís Henrique Alves, explica que o apoio do Moinho auxilia para que o objetivo do projeto seja alcançado. “Abrimos as portas para que as crianças e os professores entendam a forma com a qual o Moinho de Trigo trabalha e trata todos os processos. Temos total preocupação e comprometimento em fornecer produtos de primeira qualidade”, comenta Alves.

Estrutura e processos - Durante a visita, os alunos conheceram a estrutura e parte dos processos que fazem parte do Moinho. “É uma forma de estender aos pequenos alunos um conhecimento que pode ser disseminado aos pais e à comunidade referente ao trigo e ao glúten. Além disso, colabora para despertar o senso crítico das crianças por meio de fatos”, diz o especialista comercial.

Sobre a Unium - A Unium é a marca institucional das indústrias das cooperativas Frísia, Castrolanda e Capal e representa os projetos em que as cooperativas paranaenses atuam em parceria. As marcas reunidas pela Unium são reconhecidas pela qualidade e excelência, e entre elas está a Alegra. A Unium também conta com três marcas de lácteos: Naturalle - de produtos livres de aditivos -, Colônia Holandesa e Colaso. No setor de grãos, a Unium conta com a marca Herança Holandesa - farinha de trigo produzida em uma unidade totalmente adequada à ISO 22.000, o que a qualifica com elevados padrões de exigência. (Imprensa Unium)

{vsig}2019/noticias/05/06/unium/{/vsig}

PRIMATO: Programa Jovem Aprendiz recebe novos participantes

 

primato 06 05 2019O cooperativismo se mostra diferenciado em vários aspectos, mas um deles é a educação. O Projeto Jovem Aprendiz busca, através da capacitação, inserir jovens de 14 a 23 anos (no ato da inscrição) para que possam desenvolver suas habilidades, ter o entendimento do ambiente de trabalho e sobre o negócio em que está inserido. Esse projeto faz parte do Sescoop/PR, que faz a gestão de capacitação e educação do Sistema Ocepar.

 

Nova fase - Com este objetivo que na terça-feira passada (30/04) foram apresentados os participantes da nova fase do Projeto Jovem Aprendiz, após o processo seletivo da Primato Cooperativa Agroindustrial.

 

Nova turma - A nova turma passou pelo processo seletivo que aconteceu de 01 a 10 de março. “Após isso os candidatos selecionados através de triagem foram convocados, no dia 19 de março, para preenchimento de formulário de seleção. As entrevistas individuais ocorrem entre 25 a 29 de março pelo setor de recrutamento e seleção da Primato, até a devolutiva dos aprovados”, explicou o gerente de gente e gestão da Primato, Edivan Junior Meneghetti. Na última terça-feira (30/04), foi feito o lançamento das turmas dando as boas-vindas a todos.  “Para este ano são 46 vagas, divididos em duas turmas, sendo uma para Aprendiz Administrativo e outra Aprendiz Supermercado”, enfatizou Edivan.

 

Satisfação - Os participantes receberam as boas-vindas do presidente da Primato, Ilmo Werle Welter. “É com muita satisfação que recebemos os nossos novos jovens aprendizes aqui na Primato. Este projeto que é desenvolvido pelas cooperativas através do Sescoop/PR e a Gerar, empresa que faz a gestão aqui em Toledo, é muito importante para nós, afinal, vocês tem um oportunidade única para aprender na prática como é atuar em uma empresa, ter o relacionamento com outros colegas e superiores, enfim, um aprendizado para toda a vida de vocês. Aproveitem e sejam bem-vindos”, concluiu.

 

Apresentação - O evento ainda contou com a apresentação da cooperativa através do vídeo institucional, questões de segurança no trabalho, além do kit do aluno, com assinatura dos contratos e bolsas para anotações e estudos.

 

PIC - A partir de maio as turmas vão passar pelo Programa de Integração Colaboradores (PIC), sendo a turma de Aprendizes Administrativos no dia 16 de maio e os Aprendizes Supermercados no dia 30. “Após este intensivo, passam a fazer o curso apenas nas segundas-feiras a tarde, das 13h30 às 17h30 e se apresentam nas respectivas unidades, com uniformes e crachás”, concluiu Edivan. (Imprensa Primato)

 

COCARI: Ganhadores da XIV Campanha Solidária recebem prêmios

 

Foi realizada, no dia 03 de maio, a entrega dos prêmios da XIV Campanha Cocari Solidária, na sede da Cocari em Maringá (PR), às 10 horas. Compareceram à entrega o presidente da Cocari, Vilmar Sebold; o vice-presidente, Marcos Trintinalha; o diretor executivo, João Carlos Obici; o superintendente de Logística Integrada, Jacy Cesar Fermino da Rocha; o superintendente  Comercial Éric Heil de Araújo; o superintendente Financeiro, João Paulo Burian Faria; e o assessor de recursos humanos, Angelo Trintinalha.  Todos os ganhadores retiraram seus respectivos prêmios. 

 

Responsabilidade Social - O presidente agradeceu a todos aqueles que colaboraram em mais uma edição da Campanha. “Eu agradeço a todos que contribuíram, foram mais de 600 mil reais arrecadados pelas entidades, que foram integralmente revertidos para elas e serão investidos em infraestrutura, manutenção e projetos. O benefício que a Cocari tem com a promoção dessa campanha é contribuir com a sociedade por meio dessas entidades”, afirmou. Vilmar Sebold ressaltou, ainda, que a Cocari não conseguiria contribuir de forma tão significativa, sem a ajuda das pessoas. “O prêmio é apenas uma forma de reconhecer a participação das pessoas na campanha. Todos participam porque sabem da importância dessas iniciativas que fazem a sociedade dar certo. A Cocari sozinha não conseguiria alcançar todas essas 113 entidades de formas direta, mas, com a ajuda da comunidade, essas instituições puderam ser atendidas”, reconheceu. 

 

Frutos - O idealizador da campanha e assessor de recursos humanos da Cocari, Angelo Trintinalha, ressaltou a satisfação em encerrar mais uma Campanha Cocari Solidária. “Para nós, encerrar mais uma campanha é uma enorme satisfação, porque sabemos que conseguimos ajudar muitas instituições. Ver os ganhadores felizes é muito gratificante! Nós vemos o dinheiro arrecadado sendo investido pelas instituições e gerando uma qualidade de atendimento melhor para a sociedade, isso faz todo o trabalho valer a pena”, afirmou.

 

Prêmio - Maria Luiza Tonussi de Oliveira, de Ivaiporã-PR, ganhou o primeiro prêmio, um carro zero quilômetro no valor de R$ 37.149,55. Duas motos Honda, zero quilômetro, foram sorteadas para Angelo Aparecido de Almeida, de Rio Bom-PR, e para Claudemir José Trindade, de Marumbi-PR. Bruno Nardi  Zucoli, de Itambé-PR, ganhou uma TV de 49”. E o quinto prêmio, uma TV de 40” saiu para Arlindo Ferreira da Silva, de Jandaia do Sul-PR. 

 

Surpresa - A ganhadora do carro afirmou que o prêmio foi uma grata surpresa. “Eu não esperava. Fui contemplada com apenas um cupom. A emoção é muito forte de receber o prêmio, isso faz com a gente queira colaborar nos próximos anos também”, afirmou Maria Luiza.

 

Recado - O ganhador de uma das motocicletas, Angelo Aparecido Almeida, deixou um recado para que as pessoas participem das próximas edições da Campanha. “Não é fakenews, é real! Colaborem”, afirmou. (Imprensa Cocari)

 

{vsig}2019/noticias/05/06/cocari/{/vsig}

SICREDI: Anunciada parceria com a Samsung Pay

sicredi 06 05 2019O Samsung Pay, serviço de pagamentos móveis da Samsung, tem um novo parceiro em seu portfólio no Brasil: o Sicredi. A novidade está disponível para associados da instituição financeira cooperativa que possuem os cartões Sicredi Mastercard e Sicredi Visa1 e também beneficia quem utiliza a Máquina de Cartões do Sicredi. Com o acordo, os clientes passam a ter acesso ao serviço de pagamento móvel, simples, seguro e que é aceito em uma série de estabelecimentos comerciais, aplicativos e lojas online habilitados por todo o país. 

Praticidade - A parceria traz praticidade às transações dos associados do Sicredi, que agora podem realizar pagamentos na função crédito sem a necessidade de utilizar o cartão, bastando apenas que a autorização aconteça através de senha (PIN) ou impressão digital utilizando smartphones e smartwatches elegíveis.3

Conveniência e segurança - “Esta é mais uma parceria que leva conveniência e segurança para os associados, tornando o seu dia a dia mais prático e descomplicado”, ressalta a superintendente de Planejamento e Controle de Produtos do Banco Cooperativo Sicredi, Gisele Rodrigues.

Estabelecimentos comerciais - O Samsung Pay é aceito em uma série de estabelecimentos comerciais, aplicativos e lojas online habilitados por todo o país², trazendo simplicidade, praticidade e segurança às transações financeiras. “Sempre colocamos o consumidor em primeiro lugar quando tomamos nossas decisões e a parceria com a Sicredi não foi diferente. Quanto mais abrangente for nosso portfólio, mais conveniência para o consumidor, que ganha cada vez mais opções para fazer suas compras com comodidade e rapidez”, diz Paulo César do Nascimento, Gerente Sênior de Samsung Pay no Brasil.

Samsung Pay: Pioneiro no Brasil - Há mais de dois anos, a Samsung foi pioneira e lançou o Samsung Pay no Brasil com o intuito de oferecer aos usuários uma nova maneira de efetuar transações. Graças às tecnologias NFC e MST (tecnologia proprietária da Samsung), os consumidores não precisam mais se preocupar com seus pagamentos, podendo realizá-los em praticamente todos os estabelecimentos do País por meio de seu smartphone ou smartwatch.

Mais informações - Para mais informações sobre o Samsung Pay, acesse os links https://www.samsung.com.br/samsungpay/ e https://news.samsung.com/br/.

* Parceria abrange os cartões Sicredi Mastercard Black, Sicredi Mastercard Platinum, Sicredi Mastercard Gold, Sicredi Mastercard Internacional, Sicredi Visa Platinum, Sicredi Visa Gold, Sicredi Visa Touch, Sicredi Visa Internacional, Sicredi Visa Empresarial.

** Para verificar os parceiros, acesse o site https://www.samsung.com.br/samsungpay/#parceiros.

*** O serviço está disponível para todos os consumidores brasileiros que possuam um dos smartphones compatíveis com o serviço – Galaxy Note9, Galaxy S10+, Galaxy S10, Galaxy S10e, Galaxy S9, Galaxy S9+, Galaxy Note8, Galaxy S8, Galaxy S8+,Galaxy S7, Galaxy S7 edge, Galaxy S6 edge+, Galaxy A9, Galaxy A8, Galaxy A8+, Galaxy A5 (2016 e 2017), Galaxy A7 (2016 e 2017) e Galaxy Note 5. Galaxy S6, Galaxy S6 edge, Galaxy J5 Pro, Galaxy J7 Pro e Galaxy A6+ (estes somente com a tecnologia NFC). Além disso, os smartwatches Galaxy Watch Active e Galaxy Watch (ambos somente com a tecnologia NFC), Gear S3 Frontier, Gear S3 Classic e Gear Sport (este somente com a tecnologia NFC) também são compatíveis com o sistema de pagamentos em lojas físicas

Sobre a Samsung Electronics Co., Ltd. - Samsung inspira o mundo e cria o futuro com ideias e tecnologias inovadoras. A companhia está redefinindo o mundo de TVs, smartphones, wearables, tablets, eletrodomésticos, sistemas de conexão e memória, sistema LSI, fundição de semicondutores e soluções LED. Para saber mais sobre as últimas notícias, por favor, visite a Sala de Imprensa da Samsung em http://news.samsung.com/br.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.600 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi)

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

SICREDI UNIÃO PR/SP: Inauguração da agência de Icaraíma reúne centenas de pessoas

 

sicredi uniao 06 05 2019Centenas de pessoas prestigiaram a inauguração da agência de Icaraíma, da Sicredi União PR/SP. O evento foi na quinta-feira (02/05) na própria agência, que fica na avenida Hermes Vissoto, 576 e foi prestigiado por centenas de pessoas. Entre elas estiveram o prefeito Marcos Alex de Oliveira, secretários municipais, presidentes de entidades de classe, além de diretores da cooperativa, o padre e o pastor.

 

Primeira da cidade - Trata-se da primeira agência da Sicredi na cidade, que antes da inauguração já tinha cerca de 200 associados. Para o gerente da agência, José Augusto Ramos, a inauguração foi um momento histórico. “Nossa instituição cooperativa quer ser parceira e amiga da comunidade. Vamos fazer juntos para fazer a diferença?”, convidou.

 

Parceria - O prefeito agradeceu a parceria da Sicredi, que antes de inaugurar a agência implantou alguns de seus programas sociais, como a escola de informática, que oferece cursos gratuitos para a comunidade, e o programa A União Faz a Vida, que está funcionando em todas as escolas municipais da cidade e incentiva que o aluno seja protagonista da aprendizagem. “Banco não retorna recursos para os seus clientes. Já a Sicredi se instalou na cidade não para tirar dinheiro da comunidade, mas para alavancar a economia e retornar o investim ento para a comunidade”, destacou Oliveira.

 

História - O presidente da Sicredi União PR/SP, Wellington Ferreira, contou a história da cooperativa, que começou unindo 25 produtores rurais que não tinham acesso ao crédito. Hoje são mais de 200 mil associados e 1,3 mil colaboradores. “As pessoas foram acreditando e fomos crescendo. Na Sicredi todos somos donos, porque é um empreendimento coletivo”.

 

Homenagem - Ao final da cerimônia foram homenageados os sócios-fundadores da agência na cidade. São pessoas físicas que acreditaram na proposta da instituição. Para este ano, o plano de expansão da cooperativa prevê inaugurar o total de 25 agências, sendo 14 em São Paulo e 11 no Paraná. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

 

EXPEDIÇÃO SAFRA: Mercado mexicano abre as portas para o milho brasileiro

 

expedicao safra 06 05 2019Na busca por não ser mais tão dependente dos Estados Unidos (EUA), os olhos do México estão voltados para outros parceiros comerciais e, no agronegócio, o destaque é para o Brasil. De acordo com a Associação Brasileira de Produtores de Milho (Abramilho), nos últimos anos os mexicanos têm mostrado interesse nos produtos brasileiros e vêm buscando formas de incrementar o comércio. Somente em 2017, por exemplo, o país importou 567 mil toneladas de milho brasileiro. Para levantar dados de produção, demandas e oportunidades deste mercado, a equipe da Expedição Safra visita o país entre os dias 05 e 13 de maio, em um roteiro extraordinário.

 

Qualidade - De acordo com o jornalista do Núcleo de Agronegócio da Gazeta do Povo da Expedição Safra, Marcos Tosi, não é apenas a questão comercial que tem despertado o interesse dos mexicanos pelo milho brasileiro, mas também a qualidade. “Quando eles exportaram o nosso milho, em 2017, gostaram muito da qualidade. O milho que eles compram dos EUA para ração animal é o branco, mais mole e que, devido ao período de estocagem e à movimentação nos terminais graneleiros, acaba sofrendo com perda de qualidade. O milho brasileiro é o amarelo e tem chegado em perfeito estado lá, o que agrada muito aos mexicanos”, explica Tosi. 

 

Autossuficiência - O México também é produtor do grão, mas só tem autossuficiência na produção de milho branco para consumo humano. Todo ano precisa importar mais de 15 milhões de toneladas para uso na alimentação animal: gado, frangos e suínos. “Levando em consideração a qualidade do produto, o Brasil sai na frente. Se conseguirmos nos manter também competitivos no preço, as chances da demanda aumentar são muitas”, ressalta Tosi. 

 

Soja - Sendo o terceiro maior item da pauta agropecuária, a soja também é um grão muito importante para os mexicanos. Nos últimos dois anos, a receita de exportação de soja brasileira por parte do México saltou de R$ 46 milhões para R$ 134 milhões, conforme informações da Expedição Safra. Os técnicos e jornalistas pretendem acompanhar e entender melhor esta questão durante seu roteiro mexicano. “A soja é um capítulo a parte e vamos conferir esse desempenho durante nossa viagem”, ressalta Tosi. 

 

Outras oportunidades - Além do milho e da soja, o México deve aumentar o embarque de carne de frango. Segundo dados da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), em janeiro, os embarques desta proteína para os mexicanos tiveram um aumento de 30%. Isso se deve também ao credenciamento de 26 novos frigoríficos brasileiros que ocorreu no fim do ano passado. No total, atualmente, são 46 abatedouros autorizados a exportar frango para este país. “Segundo a Associação Brasileira de Proteína Animal, existem planos de aumentar ainda mais a exportação de frango, carne suína e ovos para o México”, complementa Marcos Tosi. 

 

Roteiro - A Expedição mexicana passará por regiões da Cidade do México, Veracruz, Texcoco e San Luis Potosí. A equipe visitará empresas e propriedades do agronegócio local. Também fazem parte do roteiro encontros técnicos na Secretaria da Agricultura e Desenvolvimento Rural (Sagarpa), no Centro Internacional de Melhoramento de Milho e Trigo (CIMMYT), no polo produtivo de grãos de San Luis Potosí e no maior terminal logístico graneleiro do país, o Porto Veracruz. 

 

Outros Roteiros - No Brasil, a equipe passou por 12 estados entre outubro de 2018 e março de 2019. Os estados visitados foram: Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Goias, Maranhão, Tocantins, Bahia, Piauí. O encerramento do ciclo foi apresentado durante a ExpoLondrina 2019, em uma palestra que mostrou principais conclusões e desafios da temporada. A safra brasileira 2018/19, mesmo com dificuldades climáticas, conseguiu fechar em 115,8 milhões de toneladas, praticamente o mesmo desempenho do ano anterior. 

 

América do Sul - A equipe também passou pela América do Sul – Paraguai, Argentina e Uruguai – onde constatou a recuperação da Argentina em relação a safra anterior, a quebra no Paraguai por problemas climáticos e o potencial de utilização da hidrovia Paraguai-Paraná para transportar grãos brasileiros. As reportagens estão reunidas no site www.expedicaosafra.com.br

 

Sobre a Expedição Safra - A Expedição Safra faz um levantamento técnico-jornalístico da produção de grãos da América do Sul à América do Norte. O projeto percorre 12 estados brasileiros nas etapas de plantio e colheita. Para ampliar a discussão sobre mercado, desde a temporada 2010/11 a equipe realiza roteiros extraordinários, com incursões à Alemanha, Holanda, Bélgica, França, China, Índia, Israel, Rússia e ao Canal do Panamá. Neste ano, a Expedição irá ao México que, devido aos conflitos comerciais com os Estados Unidos, tem aumentado o comércio de produtos agropecuários com o Brasil, abrindo uma janela de novas oportunidades. A Expedição Safra é uma iniciativa do Núcleo de Agronegócio Gazeta do Povo e é apresentada pelo Sistema Confea-Crea, com o patrocínio da Caixa Econômica Federal, Sementes e Fertilizantes Castrolanda, Agrotec, Alta, Solaris e Expo Londrina. O apoio logístico é do Groupe Renault. (Assessoria de Imprensa)

 

AGRONOMIA: Seminário vai discutir responsabilidades do profissional na prescrição de receituário

“Responsabilidades do profissional na prescrição do receituário agronômico” é o tema do Seminário Regional que será realizado na Secretaria Municipal de Educação da Lapa (PR), no dia 10 de maio, das 13h30 às 17h. O evento é organizado pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR), Adapar e Associações dos Engenheiros Agrônomos, com apoio da Prefeitura da Lapa.

Programação – Serão apresentadas palestras tratando sobre a emissão do receituário agronômico e as fiscalizações do Crea e da Adapar e uma sobre diagnóstico e emissão de receituário eletrônico.

 

agronomia programacao 06 05 2019

RPCS: Ponta Grossa sedia a VI Reunião Paranaense de Ciência do Solo

rpcs 06 05 2019A Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e o Núcleo Estadual Paraná da Sociedade Brasileira de Ciência do Solo (Nepar) estão organizando a VI Reunião Paranaense de Ciência do Solo: o desafio da produção agropecuária com baixo impacto ambiental. O evento ocorre de 28 a 31 de maio, no Premium Vila Velha Hotel, em Ponta Grossa (PR). Os organizadores esperam receber aproximadamente 450 participantes, sendo que a metade do público deve ser constituída por alunos da graduação e pós-graduação das áreas de Ciências Agrárias e a outra parte por docentes, pesquisadores, técnicos, representantes e empresários do setor agropecuário. O evento ocorre bienalmente e de forma itinerante.

Clique aqui para saber mais sobre a VI Reunião Paranaense de Ciência do Solo

 

LÁCTEOS: Pujança da região sul será destaque no Interleite 2019

 

lacteos 06 05 2019O sul do Brasil produz mais leite do que a Argentina. A produção dessa região duplicou de 2000 para cá e o leite tornou-se uma atividade essencial na maioria dos estabelecimentos rurais. É possível reeditar esse crescimento? Esse tema estará em debate no Interleite Sul 2019 – programado para os dias 8 e 9 de maio, no Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nês, em Chapecó – considerado o mais qualificado e respeitado seminário técnico e mercadológico do setor, no Brasil.

 

Crescimento fenomenal - De 2000 a 2017, o Sul do Brasil teve um crescimento fenomenal, tornando-se a maior região produtora, passando o Sudeste, que tem em Minas Gerais o maior Estado produtor de leite do País. O Sul cresceu a uma média de 6,0% ao ano, contra 3,2% do Brasil. Retirando o Sul, as demais regiões cresceram apenas 2,2% ao ano. O Sul, portanto, não só cresceu quase 3 vezes mais do que o restante do Brasil, como foi responsável por quase 52% do acréscimo da produção do País no período.

 

Comparativo - Comparado com a Argentina, os dados são igualmente impressionantes. De 2000 a 2017, a Argentina cresceu apenas 303 milhões de litros, ao passo que o Sul acrescentou mais de 7 bilhões de litros, ou 23 vezes mais. Hoje, o Sul produz 12 bilhões de litros/ano, contra 10,1 bilhões da Argentina. No ano 2000, a Argentina produzia quase a mesma coisa – 9,8 bilhões – ao passo que o Sul produzia somente 4,9 bilhões. 

 

Nova Argentina - “O Sul é a nova Argentina, exportando seu leite para o restante do País”, observa o CEO da AgriPoint Marcelo Pereira de Carvalho. “A pergunta que fica, porém, é até que ponto esse sucesso será continuado. É possível manter taxa semelhante de crescimento para os próximos anos? Esta é a pergunta de fundo do Interleite Sul 2019”.

 

Razões - São várias as razões para esse fenômeno, como a base genética construída ao longo dos anos; a estrutura fundiária baseada em pequenas propriedades; a tradição com produção animal, vinda da avicultura e suinocultura integradas; as questões culturais e forte ligação com a atividade; a presença de cooperativas e a organização social da região. Enquanto o crescimento nas demais regiões é muito mais fruto do empreendedorismo individual, no Sul o avanço é realmente coletivo.

 

Espaço - “Há espaço para crescimento, mas não sem desafios. O primeiro deles é a sucessão familiar. Propriedades pequenas evidentemente têm um limite, ainda que muito bem exploradas. Outro ponto relacionado à sucessão familiar é o investimento em automação. Já são quase uma centena de robôs instalados no País, a maioria no Sul. A ordenha robótica permite melhor qualidade de vida, contribui para a questão da falta de mão de obra e para o interesse dos herdeiros em permanecer, mas também incorre em comprometimentos financeiros. Não é uma solução para todos. A estruturação de condomínios de produção e projetos iniciais de integração sugerem que o crescimento pode vir de novas formas de associação e de otimização de custos”, destaca Marcelo. 

 

Programa e inscrição - Os principais painéis do Interleite Sul 2019 abordarão os temas Economia e Mercado; Estratégias de Negócio para Viabilizar o Produtor de Leite Familiar; obtendo o Máximo da Produção de Silagem; Otimizando o Investimento na Propriedade Leiteira Para Ganhar Dinheiro; Conforto e Bem-Estar Animal e Um Olhar Sobre o Novo. Também estarão em pauta temas como automação e robótica, terceirização de atividades, otimização de investimentos.  

 

Site - O site Interleite Sul traz a programação completa e o canal para inscrição. (Assessoria de Imprensa do evento)

 

COMÉRCIO EXTERIOR I: Em viagem à Ásia, ministra quer ampliar participação de produtos agrícolas brasileiros

 

comercio exterior I 06 05 2019A ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) informou na sexta-feira (03/05) que pretende amplia a presença de produtos brasileiros na Ásia. A partir de segunda-feira (06/05), a ministra, junto com comitiva, inicia viagem de 16 dias por quatro países do continente asiático – Japão, China, Vietnã e Indonésia.

 

Pauta - Durante a visita, a ministra vai discutir com as autoridades japonesas a abertura de mercado para material genético, abacate, estabilizantes, extrato de carne e carnes bovinas. Na China, alguns dos debates serão sobre exportação de produtos de organismos geneticamente modificados, suco de laranja, novas tecnologias, melão, status sanitário de produtos brasileiros e possibilidade de habilitação de frigoríficos e empresas de lácteos.

 

Encontro - Na visita, a ministra participará do Encontro de Ministros da Agricultura do G20, que ocorrerá em Niigata (Japão) no dia 11 de maio. Com isso, terá reuniões com autoridades de outros países, além da Ásia. Com o vice-ministro da Agricultura da Rússia, por exemplo, Tereza Cristina pretende tratar de soja, pescado, farinhas e trigo.

 

Vietnã - No Vietnã e na Indonésia, a ideia é abrir para a venda de bovinos vivos, farinha e melão. “Olho no olho, conversa franca, com o intuito de abrir novos mercados, novos segmentos para nossa agropecuária”, disse a ministra, em entrevista à imprensa nesta sexta-feira, na sede do ministério.

 

China - Com o surto de peste suína africana atacando os rebanhos chineses, o Brasil quer ampliar o fornecimento de carnes para a China, que é a maior produtora e consumidora da proteína suína no mundo.

 

Objetivo - Tereza Cristina destacou que o objetivo é mostrar às autoridades chinesas que o Brasil tem condições de ser um grande fornecedor e dispõe de serviços sanitários de credibilidade. Estima-se que o país asiático perdeu cerca de 30% de rebanho de suínos em decorrência da doença.

 

Oportunidade - “É uma boa oportunidade para o Brasil se colocar, já temos grandes rebanhos de aves, bovinos e suínos. Temos espaços para colocar nossas proteínas à disposição do governo chinês, mas para isso temos de ter estratégia, conversa”, destacou.

 

Plantas - O Brasil tem 79 plantas de frigoríficos com possibilidade de serem habilitadas para exportar para a China. Em visita no ano passado, técnicos chineses vistoriaram 11 frigoríficos. Desses, um foi reprovado e dez tiveram de fornecer informações adicionais. Agora, os chineses solicitaram ao Brasil a lista dos estabelecimentos autorizados a vender para a União Europeia, que totalizam 33.

 

Estabelecimentos inspecionados - Além dessa lista, a comitiva brasileira levará dados sobre estabelecimentos inspecionados, mas que não são habilitados para a União Europeia; lista de produtores de suínos habilitados para outros mercados exigentes como Estados Unidos e Japão e produtores de bovinos, aves e asininos habilitados para outros mercados exigentes com exceção da União Europeia.

 

Disposição - “Amplia [o pedido da China da lista dos habilitados para a União Europeia] e não restringe a possibilidade de habilitação. É uma demonstração das autoridades chinesas que eles estão dispostos de ir além do que está no papel para habilitar mais estabelecimentos brasileiros”, disse o secretário de Comércio e Relações Internacionais, Orlando Leite Ribeiro, ao explicar a inclusão da lista com as habilitadas para a União Europeia. O secretário participou da coletiva e integra a delegação.

 

Críticas - Sobre nota da Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo) de que as habilitações para China privilegiam grandes indústrias nacionais, a ministra disse ter ficado “perplexa” com as críticas, já que a vigilância sanitária da China solicitou uma lista para analisar as 79 empresas. A ministra destacou que o propósito da viagem é de aproximação. “As coisas nesse mercado não são simplistas e não são para amador, tem muitas variáveis e implicações”, ressaltou a ministra. 

 

EUA e China - Outro tema é o impacto para o Brasil de um possível acordo entre Estados Unidos e China, que prevê redução de tarifas para os norte-americanos e poderá alavancar em US$ 30 bilhões as exportações para os chineses, incluindo soja e carnes. “Queremos medir a temperatura do problema interno que estão tendo [peste suína] e o protocolo com os Estados Unidos”, ressaltou a ministra.  

 

Comitiva - Cerca de 100 empresários, parlamentares e representantes de associações produtoras irão integrar a comitiva. Os custos da viagem serão arcados por cada integrante. (Mapa)

 

COMÉRCIO EXTERIOR II: Exportador lucra com guerra EUA-China

 

A guerra comercial entre Estados Unidos e China acabou por beneficiar exportadores brasileiros. No ano passado, o Brasil aumentou em US$ 8,1 bilhões as vendas para o mercado chinês, aproveitando que os produtos americanos ficaram mais caros no país asiático. O repentino aumento de competitividade dos brasileiros ajudou a impulsionar as exportações para a China, que bateram recorde no ano passado.

 

Principal destino - A China é o principal destino dos produtos brasileiros no exterior há anos. Em 2018, foram exportados para lá US$ 64,2 bilhões, salto de 35% ante o ano anterior. Metade do crescimento veio do aumento nas vendas de produtos que antes sofriam mais pesadamente com a concorrência americana, segundo estudo feito pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) para o Estado.

 

Reação - Como reação às barreiras impostas à China por Donald Trump, que começaram a vigorar em julho do ano passado, o governo chinês elevou a tarifa de importação para produtos americanos. Em mais de cem deles, a taxa subiu para 25% – antes variavam de 3% a 13%. Para verificar se o Brasil aproveitou a oportunidade e em quais áreas saiu ganhando, a CNI cruzou dados de 382 bens americanos que sofreram sobretaxa com a pauta de exportações do Brasil para a China. 

 

Ganho - Houve ganho em diversos setores, mas a soja se destacou, de acordo com o levantamento. Os embarques do produto dispararam e as vendas aumentaram 35%, em relação ao ano anterior. Só desse item foram US$ 7 bilhões a mais em exportações para o mercado chinês.

 

Encomendas - Sem saber como ficaria o comércio com os Estados Unidos compradores chineses também anteciparam encomendas, o que acabou por beneficiar outros produtos e setores. O estudo da CNI mostra que foram quase US$ 600 milhões a mais em embarques de carne bovina, o produto mais vendido depois da soja na lista analisada. Também tiveram alta embarques de milho, algodão, suco de laranja e caixas de marcha para veículos, entre outros.

 

Pedidos - O aumento nos pedidos da China ajudou a empurrar as exportações brasileiras no ano passado, que somaram no total US$ 239,5 bilhões, mas o ganho poderia ter sido maior. Logo que o aumento nas tarifas foi anunciado, a CNI estimou que havia potencial de crescimento de até 77% nas vendas para o mercado chinês. Parte dessa expectativa não se realizou.

 

Estratégia - “Pode-se tirar proveito de uma guerra comercial, mas não fazer planejamento estratégico pensando nela. Ganha quem já está preparado e tem capacidade de aumentar rapidamente a oferta”, diz Carlos Abijoadi, diretor de desenvolvimento industrial da CNI.

 

Produtos agrícolas - O ganho no mercado chinês se concretizou porque a lista imposta por Pequim continha muitos produtos agrícolas, nos quais o Brasil é competitivo. A safra brasileira foi forte e os exportadores estavam preparados. “O produtor aproveitou a janela para raspar estoques”, disse José Augusto de Castro, presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB).

 

Manufaturados - No caso dos EUA, as sobretaxas recaíram mais sobre manufaturados. Com isso, o ganho brasileiro foi bem menor por lá, de US$ 1,7 bilhão no total – boa parte veio do aumento das vendas de petróleo e derivados.

 

Desafiador - O cenário neste ano tende a ser mais desafiador para os exportadores brasileiros. As negociações entre EUA e China correm desde o fim de 2018 e há expectativa de que um acordo saia em breve, diz Renata Amaral, diretora da BMJ, especializada em comércio exterior.

 

Janela - Apesar de Trump ter deflagrado a guerra com os chineses, é de interesse dos americanos que os dois países cheguem a bom termo, já que a China é a maior credora dos EUA. Se a estimativa se concretizar, a janela de oportunidade para o Brasil se fecha. (Agência Estado)

 

comercio exterior II tabela 06 05 2019

MEIO AMBIENTE: Estado já aplicou 930 autos de infração ambiental neste ano

 

meio ambiente 06 05 2019A Secretaria de Desenvolvimento Sustentável e Turismo e as equipes do Batalhão de Polícia Ambiental Força Verde aplicaram 930 autos de infração ambiental em 2019, em 190 municípios do Paraná, por desmatamento irregular (51%), posse ilegal ou maus tratos a animais (18%), efluentes industriais (17%) e pesca fora dos lugares permitidos por lei (5%). Cerca de 90% foi registrado pela polícia, o que resultou em mais de R$ 5 milhões em multas.

 

Percentual - O número representa quase 40% de tudo o que foi aplicado em 2018, com 2.570 autos de infração. O volume é resultado do fortalecimento da parceria entre o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e a Força Verde. Além disso, o sistema de autuação e registro da ocorrência passou a ser digital.

 

Cunho - Segundo Ivo Good, chefe da fiscalização do IAP, os fiscais e policiais atuam para cuidar das questões ambientais essenciais ao Estado e para recuperar o dano causado, mas o trabalho também tem um olhar de evitar o dano ambiental. “A fiscalização tem um cunho auxiliar fundamental, mas a principal necessidade é esse engajamento pela ação preventiva. Cuidado com meio ambiente é a base do desenvolvimento sustentável do futuro do Estado”, defende.

 

Educação ambiental - Good destaca que uma ação fundamental é a educação ambiental nas escolas e nas comunidades, além da maior presença física das forças de autuação. Para isso, foi criada na estrutura da secretaria uma diretoria de Políticas Ambientais e a coordenação de educação ambiental e projetos sustentáveis, com atuação em todo o Paraná.

 

Proteção - Para o coronel Adilson Luiz Correia dos Santos, comandante da Força Verde, os esforços estão voltados para proteger toda a sociedade. “Esse trabalho integrado na fiscalização é de suma importância para o meio ambiente. Toda a população ganha com a eficiência dos órgãos ambientais”, afirma.

 

Irregularidades - A maioria dos autos lavrados neste ano leva em conta desmatamentos irregulares, principalmente nas regiões Centro e Sul do Estado. Eles incidem sobre duas medidas ilegais: retirar mata nativa sem avisar os órgãos competentes ou ferir uma licença de uma área específica. Para ações dessa natureza, o IAP e a Força Verde impõem aos infratores um termo de compromisso destinado a recuperar o dano.

 

Lançamento de efluentes - Os órgãos também fiscalizam o lançamento de efluentes em desacordo com a licença adquirida pela empresa e a posse de animais silvestres ou maus tratos – somente em Curitiba e Região, nesse trimestre, foram 250 animais recuperados.

 

Ações - A fiscalização ambiental envolve ações de controle e vigilância para impedir atividades consideradas lesivas ao meio ambiente. As punições acontecem mediante sansões administrativas, além de medidas destinadas a promover a recuperação do dano ambiental, conforme a legislação ambiental.

 

Ato administrativo - Ao lavrar um auto de infração ambiental, o fiscal ou policial está praticando um ato administrativo. Todos os processos administrativos referentes à infração ambiental pelo fiscal do IAP são encaminhados ao Ministério Público do Paraná (MP-PR) para conhecimento. O órgão pode ou não ingressar com uma ação civil pública ou penal contra o infrator. Quando a ocorrência é atendida por policiais da Força Verde, os infratores são autuados tanto administrativamente como criminalmente, de forma imediata, seja por prisão em flagrante, termo circunstanciado ou informação imediata ao MP-PR.

 

Denúncias - O IAP e a Força Verde recebem denúncias pelos canais oficiais (0800 643 0304 e 181, ou ainda pelo e-mail denunciaambiental@pm.pr.gov.br) e também atuam ostensivamente no campo, para verificar problemas ou fiscalizar o cumprimento das decisões administrativas já tomadas.

 

Estratégia é aliar sustentabilidade e desenvolvimento econômico - A Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e Turismo está revisando a legislação relativa ao licenciamento ambiental para aliar sustentabilidade com o desenvolvimento econômico do Estado. Segundo o secretário Márcio Nunes, a revisão vai permitir que o órgão ambiental dedique maior atenção à análise de grandes empreendimentos, com maior potencial de risco.

 

Eficiência - “Queremos dar eficiência, celeridade e segurança jurídica nos procedimentos administrativos de licenciamento ambiental. Seremos muito rígidos na questão dos crimes ambientais, mas vamos simplificar procedimentos para alavancar o crescimento e a melhoria da qualidade de vida”, afirma o secretário.

 

Programas - Além dessas medidas, o governo do Paraná defende programas únicos de conversão de multas federais e estaduais. “Entre as reivindicações que o governador Carlos Massa Ratinho Junior apresentou ao ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, nesta semana está essa conversão de multas, que tem um potencial para gerar R$ 350 milhões para projetos ambientais e de saneamento básico”, completa Nunes. (Agência de Notícias do Paraná)

 

PARANÁ: Governador sanciona lei que reduz estrutura do Estado

 

parana 06 05 2019O governador Carlos Massa Ratinho Junior sancionou na sexta-feira (03/05) a lei 19.848/19 que reduz e moderniza a máquina pública estadual. Nesta primeira etapa da reforma administrativa do Estado o número de secretarias está sendo cortado de 28 para 15 haverá a eliminação de 339 cargos.

 

Assembleia - O projeto proposto pelo Governo do Estado foi aprovado pela Assembleia Legislativa do Paraná no final de abril e prevê economia anual de R$ 10,6 milhões aos cofres públicos a partir da redução de pastas e extinção dos cargos comissionados e funções gratificadas.

 

Ágil e eficaz - O governador Ratinho Junior ressalta que a medida proposta por ele faz com que a estrutura pública fique mais ágil e eficaz, como quer a sociedade. “É uma ação que tem resultado financeiro, com economia aos cofres públicos, e que aumenta a eficiência da gestão”, afirmou.

 

Corte - Além de extinguir secretarias, o atual governo cortou 261 dos 2.515 cargos em comissão da administração direta. As funções de gestão pública passaram de 906 para 857, redução de 49. Na Receita Estadual houve um corte de 29 cargos, passando de 89 para 60.

 

Duas etapas - Na sequência, segundo Ratinho Junior, o governo vai encaminhar para a Assembleia Legislativa as propostas de mais duas etapas da reestruturação administrativa: junção de autarquias e redução da estrutura física do Estado. A economia anual das três etapas gira em torno de R$ 30 milhões.

 

Enxugamento - Com a redução da estrutura, o novo organograma do Governo do Estado passa a ter as seguintes pastas:

Casa Civil

Controladoria-Geral do Estado – CGE

Procuradoria-Geral do Estado – PGE

Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura –SECC

Secretaria de Estado do Planejamento e Projetos Estruturantes – SEP

Secretaria de Estado da Administração e da Previdência – SEAP

Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento – SEAB

Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas – SEDU

Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística – SEIL

Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo – SEDEST

Secretaria de Estado da Educação e do Esporte – SEED

Secretaria de Estado da Segurança Pública – SESP

Secretaria de Estado da Saúde – SESA

Secretaria de Estado da Fazenda – SEFA

Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho – SEJUF

(Agência de Notícias do Paraná)

 

FOCUS: Mercado faz corte expressivo em projeção do crescimento do PIB em 2019

focus 06 05 2019Em sua décima redução consecutiva, a mediana das projeções do mercado para o crescimento da economia em 2019 caiu de 1,70% para 1,49% na pesquisa semanal Focus divulgada pelo Banco Central nesta segunda-feira (06/05) com estimativas coletadas até o fim da semana passada, numa série de cortes que teve início logo após divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) de 2018.

Ponto médio - Para 2020, o ponto-médio das estimativas para a economia brasileira permaneceu em um crescimento de 2,50% pela segunda semana seguida, vindo de um pico recente de 2,80% atingido no começo de março.

Redução - No fim de março, acompanhando o movimento das principais consultorias e instituições financeiras do mercado, o BC reduziu sua estimativa para o crescimento da economia em 2019 dos 2,4% previstos em seu trimestral Relatório de Inflação (RI) de dezembro para 2,0%.

Crescimento - A economia brasileira cresceu 1,1% em 2018, após evolução de 0,1% no quarto trimestre, frente ao terceiro, feitos os ajustes sazonais, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). (Valor Econômico)

 

ECONOMIA: Banco Central define na quarta-feira se mantém Selic em 6,5%

 

economia 06 05 2019O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) faz nesta terça-feira (07/05) a terceira reunião de 2019 para definir a taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 6,5% ao ano. Na quarta-feira (08/05), após a segunda parte da reunião, será anunciada a taxa.

 

Permanência - Instituições financeiras consultadas pelo BC preveem que a Selic deve permanecer este ano no atual patamar.

 

Reunião - O Copom reúne-se a cada 45 dias. No primeiro dia da reunião, são feitas apresentações técnicas sobre a evolução e as perspectivas das economias brasileira e mundial e o comportamento do mercado financeiro. No segundo dia, os membros do Copom, formado pela diretoria do BC, analisam as possibilidades e definem a Selic.

 

Atuação diária - O Banco Central atua diariamente por meio de operações de mercado aberto – comprando e vendendo títulos públicos federais – para manter a taxa de juros próxima ao valor definido na reunião.

 

Taxa média - A Selic, que serve de referência para os demais juros da economia, é a taxa média cobrada em negociações com títulos emitidos pelo Tesouro Nacional, registradas diariamente no Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic).

 

Indicativo - A manutenção da Selic no atual patamar, como prevê o mercado financeiro, indica que o Copom considera as alterações anteriores nos juros básicos suficientes para chegar à meta de inflação, objetivo que deve ser perseguido pelo BC.

 

Tendência - Ao reduzir os juros básicos, a tendência é diminuir os custos do crédito e incentivar a produção e o consumo. Entretanto, as taxas de juros do crédito não caem na mesma proporção da Selic. Segundo o BC, isso acontece porque a Selic é apenas uma parte do custo do crédito.

 

Segurança - Para cortar a Selic, a autoridade monetária precisa estar segura de que os preços estão sob controle e não correm risco de ficar acima da meta de inflação. Quando o Copom aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

 

Meta - A meta de inflação, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é 4,25%, com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%, neste ano.

 

Histórico - De outubro de 2012 a abril de 2013, a taxa Selic foi mantida em 7,25% ao ano e passou a ser reajustada gradualmente até alcançar 14,25% em julho de 2015. Nas reuniões seguintes, a taxa foi mantida nesse patamar.

 

Ciclo - Em outubro de 2016, foi iniciado um longo ciclo de cortes na Selic, quando a taxa caiu 0,25 ponto percentual para 14% ao ano. Esse processo durou até março de 2018, quando a Selic chegou ao seu mínimo histórico, 6,5% ao ano, e depois disso foi mantida pelo Copom nas reuniões seguintes. (Agência Brasil)

 

 

INTERNACIONAL: China pode cancelar negociação em Washington após ameaça, diz jornal

 

internacional 06 05 2019A China está considerando cancelar uma viagem de seu principal negociador comercial, Liu He, a Washington nesta semana, segundo informou o jornal “The Wall Street Journal”. Pequim foi surpreendida pela ameaça do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de cobrar novas tarifas sobre US$ 200 bilhões do comércio com o país, segundo o jornal, citando fontes.

 

Ameaça - Os chineses não querem negociar sob ameaça, disse a fonte ao jornal. As negociações entre os países estão na reta final, antes de um possível encontro entre Trump e o presidente da China, Xi Jinping.

 

Descontentamento - A fonte interpreta a atitude surpreendente de Trump no Twitter como um possível descontentamento do presidente americano com os rumos das negociações, nas quais os chineses estariam pouco dispostos a ceder em pontos-chave. (Valor Econômico, com agências)

 

LEGISLATIVO: Comissão debate reajuste nos preços dos planos de saúde

 

legislativo 06 05 2019A Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados realiza audiência pública nesta terça-feira (07/05), para discutir a política de reajuste nos preços dos planos de saúde.

 

Convidados - Foram convidados para o debate:

- o diretor de Normas e Habilitação da Agência Nacional de Saúde Suplementar – ANS, Rogério Scarabel;

- o gerente-geral de Regulação da ANS, Rafael Pedreira Vinhas;

- a advogada e pesquisadora do Programa de Saúde do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor – IDEC, Ana Carolina Navarrete Munhoz Fernandes da Cunha;

- o economista-chefe da Associação Brasileira de Planos de Saúde – Abramge, Marcos Paulo Novais.

 

Contrato coletivo - O deputado Felipe Carreras (PSB-PE), autor do requerimento para realização da audiência, lembra que os planos de saúde regidos por contrato coletivo não têm o reajuste controlado pela ANS. “A mesma fica no máximo com o poder de acompanhar os critérios utilizados para o reajuste, cabendo apenas às partes comunicar a agência em até 30 dias da sua efetiva aplicação”, informou Carreras.

 

Readequação - Ele defendeu a readequação na legislação para que a população brasileira, que está envelhecendo, não venha a pagar reajustes desproporcionais e não tenham seu plano cancelado na fase da vida em que mais necessitarão de cobertura.

 

Hora e local - A audiência será às 14 horas, no plenário 8. O debate será interativo. (Agência Câmara)

 


Versão para impressão


RODAPE