Imprimir
CABECALHO

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4562 | 24 de Abril de 2019

DIA DO APRENDIZ: Cooperativas celebram a data destacando a importância dos jovens aprendizes

Nesta quarta-feira (24/04) é celebrado o Dia do Aprendiz. O cooperativismo paranaense também está comemorando a data com várias atividades. Atualmente mais de dois mil jovens ocupam uma vaga de aprendiz em cooperativas do Paraná, por meio do Programa Jovem Aprendiz Cooperativo, iniciativa que capacita jovens para o mercado de trabalho, com foco no setor cooperativista, criado há 12 anos e presente em 171 municípios do Estado.

Campanha virtual - “Para valorizarmos a importância dos jovens aprendizes, promovemos uma campanha virtual, fomentando o trabalho que realizam no cooperativismo e incentivamos o envio desses conteúdos por toda a rede”, informa a analista de Desenvolvimento Cooperativo do Sescoop/PR, Mariana Balthazar. Entre os dias 17 e 23 de abril, foi realizada uma mobilização nacional em busca de depoimentos dos jovens que participam do programa e sobre os valores do projeto para a sociedade conhecer mais sobre a aprendizagem.

Animação - Ainda de acordo com Mariana, nesta quarta-feira será lançada uma animação nas redes sociais dos sistemas com os depoimentos recolhidos pelas unidades estaduais do Sescoop, mostrando a experiência que um jovem ganha, além do trabalho em si. “Um infográfico com números do programa será transmitido, destacando a relevância desses jovens para disseminar e garantir o futuro do cooperativismo”, acrescenta a analista.

Informações - O infográfico destaca desde que, desde que foi iniciado, o Programa Aprendiz Cooperativo já ampliou em cinco vezes a contratação de aprendizes nas cooperativas. Em âmbito nacional, já são nove os cursos aprovados no Catálogo Nacional de Aprendizagem. De 2010 a 2018, o programa já formou 54.547 jovens aprendizes no Brasil. Clique aqui para ver o infográfico.

Visita - Nas cooperativas, o Dia do Aprendiz está sendo lembrado de diversas maneiras. Em Campo Mourão, na região Centro-Oeste do Paraná, por exemplo, as turmas de aprendizes participaram de visitas técnicas ao Parque Industrial da Coamo. A ação teve como intuito agregar conhecimento aos aprendizes, onde eles puderam vivenciar na prática os processos industriais de fabricação dos Alimentos Coamo.

Pato Branco e Astorga - Em Pato Branco, na região Sudoeste, os jovens aprendizes ganharam um cartão, com a foto deles e a mensagem “Esperamos que o que você começou aqui floresça onde você estiver”, junto com uma caixa de chocolates. Em Astorga, no Noroeste do Estado, a Nova Produtiva, que atualmente possui 21 jovens aprendizes, produziu um vídeo com depoimentos de jovens que estão atuando como aprendizes e profissionais contratados após passar por essa experiência. Clique aqui para conferir o material da Nova Produtiva.

Programa - O Programa Aprendiz Cooperativo é operacionalizado por instituições de ensino e tem dois objetivos básicos: primeiro, atender a Lei nº 10.097, que determina a contratação, na condição de aprendiz, de jovens na faixa etária de 14 a 24 anos e, em segundo, prepará-los para trabalhar nas cooperativas. Oferecendo ao aprendiz uma formação integral, tendo como princípio valores cooperativistas, o programa insere do jovem no mercado de trabalho e oportuniza o primeiro emprego.

Cursos - No Paraná, além dos três cursos presenciais “Aprendizagem em Serviços Administrativos no Cooperativismo”, “Aprendiz Cooperativo de Processos de Transformação na Indústria de Alimentos” e “Aprendiz em Serviços Operacionais de Supermercados”, o Sescoop/PR disponibiliza, em parceria com o Senac, o curso “Aprendizagem em Comércio e Serviços”, na modalidade a distância, atendendo às demandas das unidades mais distantes ou onde não há estrutura para o desenvolvimento dos demais cursos.

Abrangência - O Programa Aprendiz Cooperativo possui atualmente 100 turmas em andamento no Estado. Até o final do ano, devem ser abertas mais 14 turmas, com a inclusão de mais 471 jovens no Programa. Conta com a parceria de aproximadamente 80 cooperativas no Estado.

{vsig}2019/noticias/04/24/dia_aprendiz/{/vsig}

ANTT: Agência publica tabelas de frete contemplando reajuste acumulado do diesel

transporte cargas 24 04 2019A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) publicou, na edição desta quarta-feira (24/04) do Diário Oficial da União (DOU), a Resolução nº 5.842, as novas tabelas com o piso mínimo de frete, contemplando o reajuste do diesel acumulado em mais de 10%. Conforme a Lei 13.703/2018, que institui a tabela, os valores devem ser atualizados sempre que o preço do óleo diesel sofrer oscilação superior a 10%. Na última semana, a Petrobras anunciou um aumento de 4,8% no preço do diesel nas refinarias. A alta foi um pouco abaixo do anunciado na semana anterior pela empresa, de 5,7%, e que terminou sendo suspensa a pedido do presidente Jair Bolsonaro. De acordo com a ANTT, o aumento da variação do diesel em relação ao valor da última tabela, publicada em janeiro, foi de +10,69%.

Valores - Nas tabelas, os valores são discriminados por quilômetro rodado e por eixo carregado. Eles também se diferenciam conforme as especificidades das cargas, sendo divididas em: carga geral, a granel, frigorificada, perigosa e neogranel.

Comparativo - A Gerência Técnica da Ocepar (Getec) fez um comparativo entre os pisos vigentes na Resolução anterior da ANTT (nº 5.839) com a atual para se ter uma ideia de quanto foi o aumento, por exemplo, nos valores referentes ao transporte de carga a granel, como grãos. A variação entre diferentes distâncias ficou entre 3% e 4,30%. O transporte de soja de Campo Mourão, no Centro-Oeste do Paraná, até o Porto de Paranaguá, que representa uma distância entre 501 e 600 quilômetros, sofreu um reajuste de 3%. Veja no quadro.

antt tabela 24 04 2019

 

 

 

 

 

 

 

Clique aqui para conferir na íntegra a Resolução nº 5.842, com as novas tabelas de preço mínimo do frete

(Com informações da ANTT)

 

ELICOOP: Evento reúne jovens cooperativistas em Palotina

 

Trocar ideias, promover a integração e, também, planejar. Com esse propósito, 40 jovens cooperativistas participam em Palotina, região Oeste do Paraná, do Elicoop Jovem.  O encontro é preparatório para o Jovemcoop 2019, que será realizado dias 24 e 25 de julho, também em Palotina.

 

Recepção - Os participantes foram recebidos, na manhã desta terça-feira (23/04), pelo presidente da C.Vale, Alfredo Lang. “Vocês devem participar e motivar outras pessoas a participarem das atividades de suas cooperativas. Isso ampliará o conhecimento e sensibilizará as novas gerações sobre os benefícios do sistema na vida econômica e social das pessoas”, destacou Lang. Na sequência, os participantes conheceram o abatedouro de aves da C.Vale. O gestor da indústria, Neivaldo Burin, esclareceu dúvidas sobre a cadeia produtiva do frango e comercialização. 

 

Oficina - No período da tarde, os jovens participaram de uma oficina, conduzida pela Escola de Criatividade, empresa especializada na área de educação e consultoria corporativa, com foco no ensino de técnicas ao estímulo da criatividade. 

 

Programação - A programação do Elicoop Jovem continua na manhã desta quarta-feira (24/04). Promovido pelo Sistema Ocepar, por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo do Paraná (Sescoop), o encontro tem o propósito de viabilizar projetos de formação voltados a jovens cooperados e filhos de associados. As atividades foram coordenadas pelas analistas técnicas do Sescoop/PR, Eliane Goulart Festa e Cristina Moreira. (Imprensa C.Vale)

 

{vsig}2019/noticias/04/24/elicoop/{/vsig}

ENERGIA: Giro técnico inicia roteiro de visitas a usinas em Santa Catarina e Paraná

 

Está iniciando, nesta quarta-feira (24/04), o Giro Técnico realizado pelo Sistema Ocepar com apoio do Centro Internacional de Energias Renováveis – Biogás (CIBiogás-ER). Até sábado (27/04), cerca de 20 profissionais das cooperativas paranaenses Cerpa, Frísia, Frimesa, Lar, Cocari, Coopavel, C.Vale, Copagril e Copacol, além de representantes da Ocepar e da CIBiogás estarão cumprindo um roteiro de visitas por empresas e usinas que atuam com geração de energia renovável, nos estados de Santa Catarina e Paraná. 

 

Embrapa Suínos e Aves - O primeiro ponto de parada, na manhã desta quarta, foi a Unidade de Referência Tecnológica da Embrapa Suínos e Aves, em Concórdia (SC). Trata-se de uma unidade descentralizada da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, cuja missão é "viabilizar soluções de pesquisa, desenvolvimento e inovação para a sustentabilidade da suinocultura e avicultura em benefício da sociedade brasileira". Dos laboratórios da Embrapa Suínos e Aves surgiram conhecimentos que mudaram a trajetória das duas atividades. Durante a visita, o grupo conheceu a Estação de Tratamento de Dejetos de Suínos (ETDS), a unidade de purificação de biometano (Biogásfort), a unidade de compostagem e o biodigestor modelo indiano. Eles também foram ao Laboratório de Estudos em Biogás.

 

Parque Eólico - À tarde, os participantes do Giro Técnico se deslocam para Tubarão (SC), onde, nesta quinta-feira (25/04), conhecem o Parque Eólico e Fotovoltaico Engie, composto pela Usina Fotovoltaica Cidade Azul, uma das primeiras usinas solares fotovoltaicas conectadas ao Sistema Interligado Nacional (SIN). Ela entrou em operação em 2014 e emprega diferentes tecnologias. Possui capacidade instalada de 3 MW é dividida em três circuitos de 1 MW cada, com três tecnologias distintas de módulos fotovoltaicos: silício amorfo microcristalino, silício policristalino e disseleneto de cobre, índio e gálio (CIGS). Já a Central Eólica Tubarão foi projetada e implantada no âmbito do Programa de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) da ENGIE Brasil e entrou em operação em 2015. Com tecnologia nacional, possui uma torre de concreto de 120 metros de altura e um rotor de 110 metros de diâmetro. Sua potência instalada é de 2,1 MW, por meio de uma única unidade geradora.

 

Mais - Em Santa Catarina, eles vão visitar também o aterro sanitário com aproveitamento energético do biogás, em Itajaí, na sexta-feira (26/04). Ainda neste dia, eles irão até a Chácara Marujo, em Castro, na região paranaense dos Campos Gerais. No sábado (27/04), o grupo permanece no município, onde também visita aTermoelétrica Rickli e a uma Unidade de Produção de Leitões.

 

Objetivo - “Estas visitas estão sendo promovidas com o intuito de proporcionar o aprimoramento de conhecimentos, realizar troca de experiências e capacitar os técnicos das cooperativas para tomada de decisão em investimentos de geração de energias renováveis, garantindo sustentabilidade e qualidade de energia para o setor cooperativista”, afirma o analista técnico de Desenvolvimento Técnico da área de mercado, Moisés K. Tokarski.

FGCOOP I: Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito cresce em 2018

 

fgcoop I 24 04 2019O Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito (FGCoop), que acaba de completar cinco anos, cresceu 29,91% no total de ativos e registrou incrementos de 29,66% em seu patrimônio e de 19% em suas receitas. Esses percentuais fazem parte do relatório de gestão – 2018, apresentado na quarta-feira passada (17/04), durante sua assembleia geral ordinária, realizada na sede da OCB, em Brasília.

 

Presenças - A AGO contou com as presenças de representantes da OCB, do Banco Central e do Conselho Consultivo do Ramo Crédito (CECO). Os representantes do cooperativismo de crédito aprovaram por unanimidade as demonstrações financeiras apresentadas pelo presidente do Fundo, Bento Venturim, e pelo diretor executivo, Lúcio Cesar de Faria. (Confira o relatório)

 

Conquistas - À frente do Fundo nos últimos três anos, Venturim fez questão de destacar as conquistas de sua gestão, dentre elas a realização dos Fóruns FGCoop que possibilitou que os sistemas de crédito compreendessem o objetivo do monitoramento, de pró-atividade na detecção de problemas e contribuição para a busca de soluções sistêmicas e, também, o cumprimento de seu objeto social que é garantir os depósitos dos associados de cooperativas liquidadas extrajudicialmente.

 

Operações - “Sobre isso, gostaria de enfatizar que essas operações, que envolveram 3,6 mil associados ocorreram antes do início das operações de assistência financeira ou se deram quase que simultaneamente à aprovação da reforma estatutária que nos possibilitou agir preventivamente”, ressaltou.

 

Gestão - O presidente comentou, ainda, que no que diz respeito à gestão, o projeto prioritário foi o de autogestão em tecnologia da informação, com o objetivo de garantir estrutura tecnológica e segurança em TI, envolvendo hospedagem de dados e arquivos, backup, contingência e o novo site, interativo e adaptável ao uso em celulares, lançado recentemente.          

 

Agradecimento - Por fim, Bento Venturim, agradeceu ao Sicoob (seu sistema de origem) pela confiança na indicação de seu nome; aos companheiros de Conselho de Administração, pela divisão das decisões estratégicas; à Diretoria Executiva e equipe do FGCoop, por traduzirem em ações as diretrizes de fortalecimento do SNCC; ao Banco Central, pela interlocução em vários momentos; aos bancos cooperativos e às cooperativas associadas, pela parceria.

 

Conselho de Administração - Durante a AGO também ocorreu a eleição dos novos integrantes do Conselho de Administração do FGCoop, que será empossado assim que o Banco Central homologar a lista abaixo:

 

Nova direção - Houve ainda a eleição dos novos presidente e vice-presidente do FGCoop: João Carlos Spenthof, do Sistema Sicredi, e Francisco Silvio Reposse Júnior, do Sistema Sicoob, respectivamente. Ambos tomarão posse, logo após a homologação de seus nomes pelo Banco Central. O mandato é de três anos. (Informe OCB)

 

FGCOOP II: Dirigente do Sicredi é eleito presidente do Fundo Garantidor

 

fgcoop II 24 04 2019Os dirigentes das principais instituições do cooperativismo de crédito brasileiro estiveram reunidos em Brasília no dia 17 de abril para a realização da Assembleia Geral do Fundo Garantidor das Cooperativas de Crédito (FGCoop). Além da apresentação das demonstrações financeiras, a reunião definiu os nomes que irão compor os conselhos de administração do FGCoop até 2022. Durante o encontro, também foi realizada a plenária do Conselho Consultivo Nacional do Ramo Crédito (Ceco), da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), na qual foi feito um balanço dos 10 anos da Lei Complementar 130, importante marco para o desenvolvimento do cooperativismo de crédito no Brasil.

 

Eleição - Com exercício até o ano de 2022, João Spenthof foi eleito presidente do Conselho de Administração do FGCoop por unanimidade – Francisco Silvio Reposse Junior (Sicoob) será o vice. Também ficaram definidos os conselheiros titulares de administração da entidade: Celso Ramos Regis (OCB/MS, representando as cooperativas de crédito não filiadas a centrais); Álvaro Jabur (Uniprime, representando as cooperativas de crédito de dois níveis); e José Maria de Azevedo (Unicred). E, ainda, foram escolhidos os conselheiros suplentes: Luis Alberto Pereira (OCB/GO), Leonel Pedro Cerutti (Cecrers), Cledir Assisio Magri (Cresol), Mário Augusto Moura Flores (Unicred), Márcio Port (Sicredi) e José Alves Sena (Sicoob). Outra pauta do dia foi a prorrogação do mandato dos conselheiros fiscais até 2020.

 

Honra - “Recebo com muita honra e responsabilidade essa atribuição de assumir a presidência do Conselho de Administração do FGCoop. O Fundo tem a função de proteger os depósitos dos integrantes das cooperativas de crédito e equipara nossa segurança com as dos bancos tradicionais, gerando confiança e promovendo a continuidade do crescimento sustentável do Sistema Nacional de Cooperativas de Crédito (SNCC)”, destacou Spenthof.

 

Plenária - Após a assembleia do FGCoop, a reunião teve sequência com a realização da Plenária do Ceco, aberta pelo anfitrião do encontro Marcio Lopes de Freitas, presidente da OCB. O dirigente abriu seu discurso destacando o êxito do trabalho realizado por Bento Venturim na gestão 2016/2019 do FGCoop e saudando o retorno, em 2018, de Manfred Alfonso Dasenbrock, presidente da SicrediPar, à coordenação do Ceco. “O trabalho de Venturim aliou competência com a essência do cooperativismo, que é de fazer as pessoas felizes lá na ponta. A volta de Dasenbrock à coordenação do Ceco retoma um ciclo de 10 anos atrás, quando trabalhamos pela Lei Complementar 130”, ressaltou.

 

Agenda prioritária - Ainda durante a plenária, Dasenbrock expôs o trabalho de criação de uma agenda prioritária realizado pelo grupo, com destaque para temas como o relacionamento das cooperativas de crédito com fundos constitucionais e elaboração do Documento de Diretrizes Estratégicas do Sistema Nacional de Cooperativas de Crédito. Também foram apontados alguns dos temas da pauta de 2019 do Ceco, entre eles o aprimoramento da LC 130. “Nos últimos 10 anos, vivemos um avanço muito grande do cooperativismo de crédito e muito disso se deve à conquista da criação da LC 130. Essa trajetória só foi possível pela união de esforços do SNCC e pela relação de parceria e proximidade do segmento com o Banco Central do Brasil”, contextualizou, complementando com a consideração que o Brasil tem hoje um dos melhores ambientes regulatórios para o segmento em âmbito mundial.

 

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.700 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi)

 

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

 

SICOOB TRÊS FRONTEIRAS: Portas são abertas para cooperados mirins durante visita técnica em agência

 

Alunos do 5° ano da Escola Municipal Professora Suzana Moraes Balen, do bairro Porto Belo, visitaram uma das agências do Sicoob Três Fronteiras em Foz do Iguaçu no último dia 10. A visita técnica foi direcionada para que as crianças pudessem conhecer um pouco sobre o funcionamento do Sicoob bem como as funções de cada colaborador.

 

Cooperadas - As crianças são cooperadas da Cooperativa Mirim Cooperbalen, iniciativa do Sicoob Três Fronteiras e do Instituto Sicoob junto à instituição de ensino, desde o ano de 2015. No programa, os alunos aprendem os princípios, valores e vivenciam o dia a dia do cooperativismo.

 

Aprendizado - A aluna Isabelly Duarte Leal falou sobre a experiência de visitar uma cooperativa de verdade e o que vem aprendendo com o projeto. "Lá eu aprendi mais sobre o Capital Social. Já na Cooperbalen eu aprendi sobre como trabalhar em equipe, a ajudar os demais e a reciclar o lixo", explica.

 

Identificação - Após a visita, as crianças ficaram com a tarefa de identificar semelhanças entre a cooperativa mirim e o Sicoob, especialmente no que diz respeito à prática dos sete princípios cooperativistas. "A visita ampliou a visão deles sobre o que é o Sicoob e que os valores trabalhados em sala de aula fazem parte também de todas as cooperativas", afirma a professora, Karen Aline Sosa Zampoli.

 

Sobre as Cooperativas Mirins - Cooperativa Mirim é uma metodologia desenvolvida pelo Instituto Sicoob em parceria com as cooperativas Sicoob locais. Trata-se de uma associação de alunos que, sob a orientação de um professor, se unem voluntariamente visando satisfazer aspirações e necessidades econômicas, sociais e culturais comuns, por meio da vivência e prática do cooperativismo.

 

Direção e coordenação - As cooperativas fundadas são dirigidas e coordenadas pelos próprios alunos e tem por finalidade o desenvolvimento de competências, hábitos e atitudes por meio de uma prática pedagógica que dissemina os princípios do cooperativismo, harmonizando-os aos interesses com a comunidade e obtendo responsabilidades sociais, morais e econômicas. Os alunos produzem trabalhos artesanais e dividem os resultados financeiros proporcionalmente entre os membros da cooperativa.

 

Mais - Em Foz do Iguaçu, além da Cooperbalen, há mais uma cooperativa mirim em funcionamento e uma em processo de reativação: a Cooperlike, da Escola Municipal Najla Barakat e Cooper 10, da Escola Municipal Osvaldo Cruz, respectivamente. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

{vsig}2019/noticias/04/24/sicoob_metropolitano_I/{/vsig}

SICOOB METROPOLITANO I: Presente na Produshow 2019 em Pitanga

 

sicoob metropolitano I 24 04 2019Entre os dias 10 e 12 de abril, o Sicoob Metropolitano esteve presente na Produshow 2019, tradicional feira de tecnologia e novidade para o campo promovida pela Producerta Cereais na cidade de Pitanga (PR).

 

Visitantes - Neste ano, mais de 400 visitantes estiveram no stand da cooperativa e puderam conhecer sobre os produtos e serviços disponíveis. Além disso, também foram ofertadas soluções especiais para atender o produtor rural nas diversas fases do seu empreendimento.

 

Vitrine - “A Produshow é uma vitrine em que o agricultor busca as novidades e oportunidades oferecidas pelo mercado. É sempre uma honra poder prestigiar o evento e contribuir com taxas mais baixas e atendimento personalizado para que o produtor rural possa investir em seu negócio”, afirma o gerente de relacionamento da agência de Pitanga, Fabio Junior Fernandes. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

SICOOB METROPOLITANO II: Voluntários entregam kits de Páscoa em Maringá

 

Colaboradores voluntários do Sicoob Metropolitano comemoraram a Páscoa com uma boa ação. A chamada equipe de Multiplicadores, que também é responsável pelo desenvolvimento das atividades do Instituto Sicoob na cooperativa, se reuniu para montar e distribuir kits com chocolates.

 

Doação - Ao todo, foram doadas 200 caixas de bombom para cerca de 140 crianças do Centro Integrado de Atenção Psicossocial (CIAPS) e para 40 idosos do Lar dos Velhinhos, em Maringá (PR). A ação, que é promovida anualmente, faz parte do calendário de ações sociais do Sicoob Metropolitano.

 

Emocionante - Segundo o assistente de agência, Flavio Suzuki Gonçalves Lamas, ver as crianças felizes em receber carinho, atenção e uma pequena lembrança é emocionante. “Ajudando o próximo, podemos rever nossos problemas e pensar como são pequenos comparados às dificuldades de outras pessoas”, afirma.

 

Kits - Além da equipe de multiplicadores, os colaboradores da agência Centro de Maringá, em parceria com a Paróquia Santa Isabel, se reuniram para entregar kits com doces, lanche, refrigerante, suco e geladinho para cerca de 300 pessoas do Núcleo Papa João XXIII. A ideia de participar da ação partiu dos próprios colaboradores, que ajudaram na compra dos produtos.

 

Gratificante - Para a gerente de Relacionamento, Luciane Candida de Lima Martins, é muito gratificante ver o sorriso e a alegria das crianças e das famílias. “Somente quem participa sabe a felicidade que estes gestos nos proporcionam. Além disso, percebi que todos sempre estão dispostos a ajudar, o que precisamos é ter a iniciativa”, explica. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

{vsig}2019/noticias/04/24/sicoob_metropolitano_II/{/vsig}

SICREDI VALE DO PIQUIRI: Ação social de Páscoa é realizada em prol de crianças e famílias carentes

 

Ovos de Páscoa, barras de chocolates e outros doces arrecadados pelos Comitês Mulher e Jovem da Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP foram doados a crianças e famílias carentes dos municípios de Palotina, Assis Chateaubriand e Maripá, no Oeste do Paraná, na última semana.

 

Mobilização - Os voluntários se mobilizaram para a coleta, montaram kits e cestas de doces e, com o apoio da comunidade que contribuiu com as doações, foi possível proporcionar uma Páscoa mais doce e feliz para mais de 1000 crianças e famílias carentes cadastradas nos programas assistenciais dos municípios. Entidades e associações beneficentes (Pastoral da Criança; Adav – Assis; Carta – Palotina; Adefipal – Palotina) também receberam doações.

 

Pontos de arrecadação - Além das agências do Sicredi vários comércios também foram pontos de arrecadação e ajudaram a tornar a ação ainda mais especial. Os Comitês Mulher e Jovem do Sicredi agradecem a generosidade e apoio de todos que contribuíram a realização deste movimento. (Imprensa Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP)

 

{vsig}2019/noticias/04/24/sicredi_vale/{/vsig}

 

SICREDI RIO PARANÁ: “Executivo por um Dia” visa interação entre universitários e o cooperativismo

 

Com a participação de estudantes de duas faculdades, a Sicredi Rio Paraná PR/SP realizou o “Executivo por um Dia”, projeto idealizado pela equipe de Gestão de Pessoas da cooperativa de crédito. A ideia foi levar o modelo cooperativista mais próximo dos estudantes. 

 

Funcionamento - Para o participante Edson Henrique Pereira, 21 anos, estudante do curso de Administração da Unoeste (Universidade do Oeste Paulista), o interessante foi ver na prática como funciona uma cooperativa.  “Achei que essa atividade agregou muito conhecimento para mim, já que passei o dia com eles, pude saber a rotina, como se comportam e tomam decisões. Consegui ver que o Sicredi é bem diferente, é bem mais saudável”, afirma. 

 

Modelo de negócio - Durante a manhã, eles também aprenderam um pouco mais sobre o modelo de negócio cooperativista e sobre como funciona uma instituição financeira. A condução das atividades foi feita pelo presidente da Sicredi Rio Paraná PR/SP, Jorge Guedes e parceria ao diretor Executivo, Vanderlei de Oliveira. 

 

Seleção - A seleção aconteceu com uma palestra na faculdade e uma redação sobre o que os estudantes acreditam que um executivo faz. Então, foram selecionados seis estudantes de cada uma das instituições de ensino participantes, Fatec (Faculdade de Tecnologia de Presidente Prudente) e Unoeste. 

 

Mais - Os interessados em saber mais sobre esse projeto podem acessar as redes sociais da cooperativa @sicredirioparana. (Imprensa Sicredi Rio Paraná PR/SP)

 

{vsig}2019/noticias/04/24/sicredi_rio_parana/{/vsig}

FRÍSIA: ExpoFrísia tem recorde de inscrições de animais

 

frisia 24 04 2019A ExpoFrísia teve a maior inscrição de animais para a exposição em sua história. São 313 bovinos registrados para esta 14ª edição, sendo 194 da variedade Holandês Preto e Branco e 119 da Vermelho e Branco. A feira acontece entre os dias 25 e 27 de abril, em Carambeí, município dos Campos Gerais do Paraná.

 

Expositores - O coordenador da Pecuária Leiteira da Frísia, Jefferson Pagno, explica que as mais de três centenas de animais são de 25 expositores, todos da região dos Campos Gerais. Ele conta que o ano está positivo para o segmento devido a um conjunto de fatores. “Estamos passando por um bom momento da cadeia leiteira, favorecendo muito o desempenho do produtor rural. Também há uma maior profissionalização nas propriedades, o que estimula o criador a investir. Temos na cooperativa, por exemplo, um grupo de produtores que utiliza sêmen de animais com genética superior”.

 

Interesse - Pagno reforça que a ExpoFrísia é valorizada pelos expositores, o que soma para o maior interesse na participação nos julgamentos. “A ExpoFrísia é uma das etapas do Circuito Nacional da Raça Holandesa, ou seja, a pontuação adquirida na feira é acrescida na soma geral da competição. Ninguém quer ficar de fora e perder posição”, conta o coordenador. O Circuito Nacional é organizado pela Associação Brasileira de Criadores de Bovinos da Raça Holandesa (ABCBRH).

 

Cenário do mercado - Outro fator é o cenário do mercado do leite, que está positivo e reflete em toda a cadeia. O coordenador da Frísia lembra que, com o mercado aquecido, as empresas do segmento, tanto indústria como fornecedores de insumos, contratam mais profissionais, situação que vai na contramão do momento do País.

 

Jurado - A feira promovida pela Frísia tem como jurado este ano Yan Jacobs, do Canadá. Jacobs nasceu e se criou na Jacobs Farm, em St-Francois Est, em Québec. Atualmente, a fazenda da família tem 215 vacas. Nas pistas, a Jacobs Farm já foi por sete vezes “Melhor Criador” na World Dairy Expo em Madison (EUA) e também na Royal Winter Fair, em Toronto. Como jurado, Yan Jacobs já esteve em vários países ao redor do mundo, sendo que no ano passado julgou nos Estados Unidos. Além disso, nos últimos anos, ele teve a oportunidade de julgar inúmeras exposições em Quebec. Em 2016, Yan foi jurado auxiliar na World Dairy Expo.

 

Parceria - No dia 26 de abril, a Frísia lança oficialmente a parceria com a OnFarm, startup que cria soluções para melhorar a qualidade do leite e diminuir a quantidade de antibióticos na produção. Além disso, com a tecnologia empregada há agilidade para ações de prevenção de doenças e eficiência no manejo. 

 

Sobre a Frísia Cooperativa Agroindustrial - Fundada em 1925, a Frísia é a cooperativa mais antiga do Paraná e segunda do Brasil. Localizada na região dos Campos Gerais, tem sua produção voltada ao leite, carne e grãos, principalmente, trigo, soja e milho. A cooperativa é resultado da união do trabalho de todos os cooperados e colaboradores; da diversificação da produção, englobando a produção leiteira, de grãos e de proteína animal; e da alta qualidade do que é feito e comercializado, com animais de excelente genética, rastreamento e investimento em tecnologia, infraestrutura e mão de obra. Os valores da cooperativa são Fidelidade, Responsabilidade, Intercooperação, Sustentabilidade, Integridade e Atitude (FRISIA). (Imprensa Frísia)

 

Programação ExpoFrísia 2019

25 de abril (quinta-feira)

15h às 18h – Julgamento da Raça Holandês Vermelho e Branco e Gado Jovem

18h – Solenidade de Abertura

19h – Clube de Bezerras

26 de abril (sexta-feira)

8h30 às 12h – Palestra sobre Pecuária de Leite

13h às 15h – Palestra sobre Pecuária de Suínos

15h às 18h – Julgamento da Raça Holandês Preto e Branco e Gado Jovem

18h às 20h – Julgamento da Raça Holandês Vermelho e Branco e Gado Adulto

27 de abril (sábado)

10h30 às 12h30 – Copa dos Apresentadores

14h às 17h30 – Julgamento da Raça Holandês Preto e Branco e Gado Adulto

17h30 – Premiação dos Produtores-destaque

18h30 – Solenidade de encerramento

 

SERVIÇO

ExpoFrísia 2019

25 a 27 de abril

Parque de Exposições Frísia, anexo Parque Histórico

Carambeí (PR)

www.expofrisia.com.br

Entrada gratuita

 

 

SOJA: Brasil pode ganhar mais com a cultura se priorizar a qualidade do grão

 

soja 24 04 2019O teor médio de proteína da soja brasileira, entre as safras 2014/15 a 2016/17, foi aproximadamente 2% superior ao dos grãos produzidos nos Estados Unidos. Por outro lado, os grãos defeituosos causaram prejuízos anuais de R$ 1 bilhão à sojicultura nacional. Os resultados são de um estudo feito pela Embrapa Soja (PR) sobre aspectos econômicos relacionados à qualidade de grãos no Brasil a partir de dois atributos: teor de proteína e percentual de grãos avariados (defeituosos). “Esse trabalho pretende introduzir a discussão sobre os aspectos relacionados à qualidade da soja para que se possa realizar a devida valoração de atributos qualitativos na comercialização”, explica o analista econômico da Embrapa Marcelo Hirakuri.

 

Estados - O estudo foi feito em dez estados: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais, Bahia e Tocantins, que juntos são responsáveis por cerca de 93% da produção nacional.

 

Perdas grandes - Em relação aos grãos avariados, grande parcela da soja colhida excedeu a tolerância de 8% de grãos defeituosos permitida por lei. Algumas regiões apresentaram amostras de até 30% de grãos avariados, que representam a soma dos mofados, ardidos, queimados, fermentados, imaturos, chochos, germinados e danificados por percevejo. “Esses casos representam prejuízo para o produtor, porque o armazenador pode descontar o percentual que estiver avariado, já que esse material tem baixa qualidade para a indústria”, avalia o pesquisador Irineu Lorini, da Embrapa.

 

Grãos avariados - “No caso de grãos avariados, a perda econômica estimada alcançou um valor superior a R$ 1 bilhão, considerando o percentual da produção que excedeu o limite de 8%, a quantidade excedida e o preço da soja pago nos estados”, calcula Hirakuri. Os principais defeitos observados foram os grãos fermentados e danificados por percevejos, que responderam por 84,6% dos defeitos existentes nos grãos de soja avariados.

 

Menores - As menores perdas econômicas foram observadas nos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, uma vez que pequena parcela da soja colhida excedeu o limite tolerado. Os estados de Minas Gerais, São Paulo, Bahia e Tocantins tiveram perdas econômicas entre R$ 10,4 milhões e R$ 19,5 milhões.

 

Teor de proteína é diferencial competitivo - A soja é valorizada principalmente por seu alto teor de proteína, que é superior ao de outras oleaginosas. Por isso, o grão tornou-se matéria-prima indispensável para produção de farelo proteico, utilizado principalmente na fabricação de rações para aves, suínos, bovinos e animais de pequeno porte. “A qualidade é um aspecto favorável, tanto para a indústria brasileira consumidora de soja quanto para países que importam o grão em larga escala, como é o caso da China”, explica Hirakuri.

 

Proteína - Enquanto o teor médio de proteína da soja brasileira nas três safras analisadas foi de 36,69%, o da soja norte-americana foi de 34,70%, entre 2006 e 2015, caindo para 34,1% na safra 2017, segundo a United States Soybean Export Council. “O Brasil poderia explorar comercialmente esse fato, porque cada tonelada brasileira exportada tem 2% a mais de proteína, se comparada à soja americana”, frisa Lorini. Em 2017, a China, por exemplo, importou quase 65% da soja em grão mundialmente exportada para produzir farelo internamente, em vez de importar o produto derivado. “No entanto, a valoração do grão é quantitativa e medida em toneladas e não se considera a proteína embutida”, explica.

 

Proteína por estado - Na safra 2016/17 o teor médio de proteína nos grãos de soja variou de 32,03% a 41,35% nas 903 amostras analisadas. O estado que apresentou a maior média no teor de proteína foi a Bahia, com 38,16%, e o Paraná foi o estado com a menor média: 36,74%.

 

Cálculo - A Embrapa fez um cálculo do valor pago por percentual de proteína na soja e as médias variaram entre R$ 25,57 e R$ 28,79 por tonelada, considerando o preço pago em cada estado e o teor de proteína obtido. O menor valor médio pago por percentual de proteína no grão em 2017 foi observado no estado de Mato Grosso, onde a tonelada da soja teve o preço de venda mais baixo no ano: R$ 938,06. Hipoteticamente se for considerado um valor único em todo o Brasil para a tonelada de soja, quanto maior o teor proteico obtido em cada região, menor seria o valor pago pelo percentual de proteína no grão.

 

Pagamento - Por exemplo, embora a cotação da soja na Bahia (R$ 1.006,47/t) tenha sido levemente inferior àquela verificada para Minas Gerais (R$ 1.017,75/t) em 2017, o valor pago por percentual de proteína na tonelada do grão no estado do Nordeste foi significativamente inferior. Isso porque a Bahia apresentou a maior média no teor de proteína brasileira com 38,16%.

 

Ideal - Quanto mais alto for o teor de proteínas nos grãos, tanto melhor será para a produção de farelos com teores de proteína mínimos exigidos pela legislação, atingindo-se até o ideal para a produção do farelo com alto teor de proteína. “Quanto maior o teor de proteínas nos grãos utilizados para produzir farelos, menores serão os processos industriais necessários para se adequar aos padrões”, explica o pesquisador José Marcos Gontijo Mandarino, da Embrapa Soja.

 

Valoração - Lorini explica que, no momento, o Brasil não faz a valoração econômica da proteína de soja porque o produtor recebe por tonelada entregue, independentemente do teor de proteína. “Caso venha a ser valorizada a qualidade, o produtor teria um bônus, se o teor de proteína for superior à média ou a um referencial mínimo”, explica. “Por outro lado, o preço sofreria um deságio se o teor de proteína fosse menor que esse referencial. O importante é que temos informação sobre a qualidade da soja produzida no País e que ela pode fazer parte da valoração do produto no mercado”, conclui. (Assessoria de Imprensa da Embrapa Soja)

 

CANA-DE-AÇÚCAR: Conab confirma recorde na produção brasileira de etanol com 33,14 bilhões de litros

cana de acucar 24 04 2019O Brasil deve alcançar produção total de 33,14 bilhões de litros de etanol, o que representa aumento de 21,7% ou 5,9 bilhões de litros, em relação ao período passado. O recorde se mantém também para a quantidade de etanol hidratado, com 23,58 bilhões de litros, 45,2% ou 7,3 bilhões de litros a mais que o ciclo anterior. O cenário confirma o novo recorde de produção de etanol do país, batendo o índice anterior de 30,5 bilhões na safra de 2015/2016. No hidratado, o maior volume até então alcançado havia sido de 19,6 bilhões de litros, na safra 2010/2011.

 

Levantamento - Os dados são do 4º Levantamento da Safra de Cana-de-açúcar 2018/2019 divulgado nesta terça-feira (23/04) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O estudo mostra também que houve redução com relação ao anidro, que é utilizado na mistura com a gasolina. A produção ficou em 9,56 bilhões de litros, 13,1% a menos que no período antecedente.

 

Queda de preços - De acordo com o superintendente de Informações do Agronegócio da Conab, Cleverton Santana, o aumento na produção de etanol nesta safra deveu-se, principalmente, à queda de preços do açúcar no mercado internacional e a um cenário mais favorável para o etanol no mercado interno, frente à alta do dólar e do petróleo. “Esses fatores fizeram com que as unidades de produção aumentassem a destinação de cana-de-açúcar para a produção de etanol nesta safra”, explica. A produção de açúcar atingiu 29,04 milhões de t, um decréscimo de 23,3% ou 8,8 milhões de t, se comparado à temporada passada.

 

Safra - A safra da cana foi de 620,4 milhões de toneladas, apresentando redução de 2% em relação à anterior de 633,26 milhões de t.. A área colhida ficou em 8,59 milhões de hectares, o que representa uma diminuição de 1,6% se comparada a 2017/18.

 

Sudeste - Na região Sudeste, principal produtora do país, com São Paulo e Minas Gerais abrangendo quase 64% do total nacional, a produção total foi de 400,3 milhões de t, com redução de 4,1% em relação à safra 2017/2018, por problemas climáticos e devolução de terras arrendadas.

 

Nova safra - A pesquisa realizada em campo, que permitiu a coleta de dados por parte dos técnicos da Conab para este estudo, servirá também para a divulgação do 1º Levantamento da Safra de Cana-de-Açúcar 2019/2020. “A cana-de-açúcar é uma cultura semi-perene, não é necessário que seja feita toda a sua colheita para que haja um replantio”, explica Cleverton. “Isso nos permite aproveitar a viagem a campo para realizar duas pesquisas distintas: uma de fechamento da safra atual e outra de estimativas para o início da próxima”, explica o superintendente.

 

Safra 2019/20 - A divulgação do 1º Levantamento da Safra de Cana-de-Açúcar 2019/2020 será no dia 7 de maio, em Brasília. Clique para acessar a íntegra do Boletim de Cana 4º Levantamento(Mapa)

 

PREVIDÊNCIA I: Maia pedirá hoje a líderes indicações de nomes para comissão especial

 

previdencia I 24 04 2019Após aprovação da admissibilidade da reforma da Previdência pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), no fim da noite de terça-feira (23/04), o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que gostaria de instalar a comissão especial (segunda etapa da apreciação da proposta) até quinta-feira (25/04), mas afirmou que depende da indicação dos membros pelos

partidos.

 

Responsabilidade - Ele disse que a eventual instalação do colegiado seria uma demonstração de responsabilidade dos parlamentares com a sociedade e com a recuperação da economia. “Amanhã [quarta-feira] começo a pedir aos líderes para indicarem membros. Assim que se constituir metade mais um dos membros da comissão especial, vou pedir a instalação da comissão já que estamos três semanas atrasados”, disse Maia.

 

Uma semana - “Vamos ver se a gente ganha pelo menos uma semana, lembrando que na próxima semana praticamente o tempo de trabalho aqui na Câmara, com o feriado na quarta, será pequeno. O ideal é que a gente possa fazer esse pedido amanhã e rapidamente ter a maioria para instalar a comissão especial e começar a trabalhar”, completou.

 

Aprovação - Ao comentar a aprovação da reforma, Maia destacou essa ter sido a "primeira de três vitórias" que se quer "daqueles que têm responsabilidade". 

 

Desorganização - Questionado sobre a desorganização do governo na condução dos trabalhos na CCJ, Maia destacou que os apoiadores da reforma terão 60 dias para se organizarem antes da votação na comissão especial. “O governo precisa trabalhar de maneira efetiva sua base e sua maioria. Cada um de nós que acredita precisa se envolver, precisa defender. Precisamos compreender que mais importante do que discurso são os resultados”, disse Maia, comentando a atuação de parlamentares aliados do governo que se estenderam em discursos, atrapalhando a tramitação da reforma. (Valor Econômico)

 

PREVIDÊNCIA II: Governo oferece R$ 40 mi em emendas para deputados que votarem pela reforma

 

previdencia II 24 04 2019Líderes de cinco partidos governistas confirmaram à Folha que o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM-RS), ofereceu destinar um extra de R$ 40 milhões em emendas parlamentares até 2022 a cada deputado federal que votar a favor da reforma da Previdência

no plenário da Câmara.

 

Proposta - A proposta foi feita na casa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEMRJ), na semana passada. A estratégia de Onyx representa um acréscimo de 65% no valor que cada deputado pode manejar no Orçamento federal de 2019 para obras e investimentos de infraestrutura em seus redutos eleitorais.

 

Salto - Hoje, os congressistas têm direito a R$ 15,4 milhões em emendas parlamentares. Com os R$ 10 milhões extras por ano, esse valor pularia para R$ 25 milhões. O extra viria de rubricas de fora do volume reservado para as emendas, mas, segundo os deputados, o ministro não entrou em detalhes sobre a fonte.

 

Direito - Os deputados têm direito a emendas impositivas e, caso seja aprovada a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) do Orçamento impositivo, a partir de 2020, também passarão a ser de execução obrigatória os recursos de bancada.

 

Valores - Os valores propostos por Onyx, no entanto, não estão dentro de nenhum desses recursos. Segundo técnicos, não existe a previsão legal de “emendas extra orçamentárias”, mas a prática é recorrente entre políticos.

 

Confirmação - A Folha confirmou a existência da proposta com deputados do DEM, PP, PSD, PR, PRB e Solidariedade. Todos passaram a informação mediante a condição de que não tivessem o nome publicado.

 

Questionamento - A reportagem enviou questionamentos no fim da tarde e início da noite desta terça-feira (23/04) ao presidente da Câmara e ao ministro da Casa Civil do governo Jair Bolsonaro (PSL), mas não obteve resposta.

 

Promessa de campanha - Uma das principais promessas de campanha de Jair Bolsonaro foi colocar um fim no chamado “toma lá dá cá”, que é a antiga prática de governos obterem apoio no Congresso em troca de cargos federais, verbas do Orçamento ou outras benesses da máquina pública.

 

Previdência - A reforma da Previdência é a principal proposta deste início de gestão Bolsonaro. O texto foi apresentado ao Congresso Nacional no dia 20 de fevereiro. A proposta elaborada pela equipe econômica do ministro Paulo Guedes promete uma economia de mais de R$ 1 trilhão aos cofres públicos nos próximos dez anos. O texto está em fase inicial de tramitação e foi votado na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) na noite desta terça (24/04).

 

Dificuldade - A proposta teve dificuldade nesta primeira fase, na qual teve a votação adiada pelo menos três vezes: a previsão inicial do governo era que a constitucionalidade fosse analisada até o meio de março. Na CCJ, a proposta andou apenas depois de o governo ceder e fechar acordo com os partidos do centrão para desidratar o texto já no primeiro colegiado. A CCJ é responsável por avaliar a constitucionalidade da proposta.

 

Segunda fase - O governo e Maia defendiam que só se mexesse no texto na segunda fase. Após a votação de admissibilidade, a PEC precisa passar ainda por uma comissão especial, na qual terá analisado o mérito de toda a proposta. Lá, a expectativa é que o texto seja ainda mais desidratado: já há consenso entre líderes da maioria dos partidos para que sejam alterados os pontos referentes à aposentadoria rural e ao BPC (Benefício de Prestação Continuada), pago a idosos miseráveis.

 

Plenário - Depois, se aprovada, a PEC irá ao plenário, onde precisará do apoio de pelo menos 308 deputados, em dois turnos, dos 513 deputados para seguir adiante. A previsão de aliados de Maia é que a reforma seja votada no plenário da Casa apenas no segundo semestre deste ano.

 

Cobrança - Partidos do chamado centrão —PP, PR, PTB, PSD, PRB, entre outros— cobram da gestão Bolsonaro participação no governo e maior empenho na liberação das emendas para aprovar a medida.

 

Sem acordo - Segundo os parlamentares ouvidos pela Folha, apesar da proposta de Onyx, não foi celebrado um acordo. Alguns deles dizem desconfiar da palavra do Planalto, afirmando que nada garante que o governo irá cumprir a promessa pelos próximos quatro anos. Uma ala defende a liberação dos recursos e vê com bons olhos a iniciativa de negociação do governo.

 

Contrapartida - Segundo eles, é natural que parlamentares busquem contrapartidas para seus estados e municípios em votações de temas difíceis. (Folha de São Paulo)

 

INFRAESTRUTURA: MME deve acelerar mudanças de modernização do sistema elétrico

 

infraestrutura 24 04 2019O grupo de trabalho criado pelo Ministério de Minas e Energia (MME) no início deste mês para elaborar propostas para a modernização do setor elétrico terá 180 dias para concluir os trabalhos, mas medidas infralegais pontuais devem ser implementadas ao longo dos próximos meses, a fim de acelerar mudanças que não exigem alterações legais, disse Ricardo Cyrino, secretário de energia da pasta, em entrevista ao Valor.

 

Diálogo - O diálogo com o setor é regra no processo de modernização. "Temos estudado tudo que foi feito", disse o secretário, lembrando que as conversas sobre o tema começaram em 2015, quando veio o projeto de lei da portabilidade da conta de energia. Em 2016 foi feita uma consulta pública sobre abertura do mercado livre e, em 2017, foi lançada a consulta pública 33, que discutiu exaustivamente a reformulação do modelo do setor elétrico.

 

Soluções e propostas - "O grupo de trabalho vai olhar tudo que já foi discutido, através de diálogo, e vamos aproveitar o que foi feito, sem partir do zero. Queremos assegurar que todas as soluções e propostas pensadas tenham consistência e que sejam tratadas com a devida profundidade."

 

Diagnóstico - O grupo de trabalho terá 110 dias para elaborar um diagnóstico sobre o que será feito, mas medidas podem ser tomadas antes disso. "É claro que se tivermos diagnósticos intermediários poderemos agir antes" disse o secretário. "Temos objetivos de longo prazo e medidas infralegais que podemos fazer antes por meio de resoluções e decretos. Estamos fazendo um mapeamento do que pode ser feito no curto prazo de forma consistente", disse. Um exemplo são dois decretos publicados pelo MME, um no ano passado e um neste ano, que vão reduzir os subsídios concedidos à consumidores rurais e irrigantes na conta de luz.

 

Entidades - As discussões envolverão também os responsáveis por entidades ligadas ao governo como o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e a Empresa de Pesquisa Energética (EPE). Eles também estiveram ontem num workshop realizado pelo MME com a presença de representantes de empresas, associações e entidades do setor elétrico. 

 

Finalidade - O encontro teve a finalidade de explicar o funcionamento do grupo de trabalho, que foi dividido em dez temas, como viabilização da expansão da oferta, mecanismos de formação de preços, isenção de novas tecnologias e abertura do mercado livre de energia.

 

Macrotemas - "Temos alguns macrotemas que serão aprofundados", disse Cyrino. O MME fez uma reunião inicial com representantes das muitas associações do setor elétrico em janeiro e, posteriormente, o secretário de energia se reuniu 28 vezes de forma individual com cada uma delas, a fim de conseguir evoluir nas conversas e abordar mais temas.

 

Pesquisa - Antes do workshop desta terça-feira (23/04), o ministério fez ainda uma pesquisa, na qual enviou 60 perguntas para as empresas de energia incluindo questões como acabar com a exigência de as distribuidoras contratarem a totalidade das cargas do ambiente regulado quando houver a abertura do mercado livre e se as distribuidoras devem ser remuneradas apenas pelo serviço do fio. Ao responder, os agentes precisavam escolher entre as alternativas "concordo", "neutro", "discordo" e "não tenho opinião formada sobre o tema".

 

Confirmação - "A pesquisa foi feita de forma rápida com o objetivo de confirmar o que ouvimos das associações, já que alguns temas não tiveram tempo para serem explorados e detalhados nas reuniões", disse Cyrino. Segundo ele, como a pesquisa "não foi exaustiva", pode ser que o ministério faça outras. (Valor Econômico)

 

CAGED: Março registra queda no número de empregos, revela pesquisa

caged 24 04 2019O mercado de trabalho formal apresentou, em todo o país, saldo negativo de 43.196 empregos com carteira assinada em março. Segundo dados divulgados nesta quarta-feira (24/04), em Brasília, pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), da Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia, foram registradas 1.216.177 admissões e 1.304.373 demissões no período.

Mês anterior - No mês anterior, o saldo havia ficado positivo, com 173.139 admissões (1.453.284 admissões e 1.280.145 demissões). Com isso, no acumulado do bimestre (fevereiro/março), o saldo está em 129.943.

Maior perda - A maior perda registrada em março foi no setor de comércio, que apresentou uma diminuição de 28.803 vagas, seguido de agropecuária (-9.545), construção civil (-7.781), indústria da transformação (-3.080) e serviços industriais de utilidade pública (-662).

Setores - Três setores tiveram resultados positivos: serviços (4.572), administração pública (1.575) e extrativa mineral (528).

Estados - Os estados que apresentaram os piores resultados foram Alagoas (-9.636 vagas), São Paulo (-8.007), Rio de Janeiro (-6.986), Pernambuco (-6.286) e Ceará (-4.638).

Saldo positivo - Os que anotaram saldo positivo foram Minas Gerais (5.163), Goiás (2.712), Bahia (2.569), Rio Grande do Sul (2.439), Mato Grosso do Sul (526), Amazonas (157), Roraima (76) e Amapá (48).

Salário - O salário médio das admissões registradas em março ficou em R$ 1.571,58, valor que, se comparado ao mesmo período do ano anterior, representa perda real de R$ 8,10 (-0,51%).

Médio - Já o salário médio que era pago no momento da demissão apresenta queda maior, de R$ 29,28 na comparação com março de 2018 – valor que representa perda real de -1,69%. (Agência Brasil)

 

RELAÇÕES EXTERNAS I: Brasil muda procedimento de defesa comercial

 

relacoes externas I 24 04 2019O governo brasileiro deflagrou modificações nos procedimentos de defesa comercial contra fornecedores estrangeiros acusados pela indústria nacional de avançar no mercado brasileiro com práticas desleais de comércio.

 

Novidade - Uma novidade, segundo o secretário de Comércio Exterior, Lucas Ferraz, é a forma concomitante da investigação antidumping e da avaliação de interesse público com maior racionalização e transparência para evitar insegurança jurídica.

 

Excesso - A constatação é de que tanto houve um excesso de sobretaxas contra produtos estrangeiros em certo momento, como depois o uso elevado de uma "prerrogativa subjetiva", impulsionada pela Secretaria de Assuntos Internacionais do Ministério da Fazenda para suspender certas sobretaxas.

 

Secretaria - Agora, o Getip, grupo técnico de avaliação de interesse público, deixa de existir. Foi criada uma Secretaria de Interesse Público para criar sinergia com a equipe que fará a investigação antidumping. Essa investigação e a avaliação de interesse público ocorrerão de forma concomitante no âmbito da Secretaria de Comércio Exterior.

 

Fim da disputa - "Acaba-se com essa disputa entre dois processos antagônicos, no qual a correção de uma distorção resultou em outra distorção e gerou uma certa insegurança jurídica", diz Lucas Ferraz. "Agora, não existirá rivalidade, as investigações serão conduzidas de forma harmônica, teremos mais transparência tanto na investigação do dumping como na avaliação de interesse público. Serão conduzidas de forma harmônica, tanto na fase preliminar como na aplicação final de medidas [antidumping]."

 

Modelo - Segundo o secretário, o Brasil segue em muito os modelos europeu e canadense, resultando em melhores práticas internacionais. Ele diz que o que motivou mudanças pelo governo foi a constatação de aplicação desproporcional de medidas antidumping em relação ao que se esperaria de um país com as características e a dimensão econômica do Brasil.

 

Instrumentos - O país participa pouco do comércio internacional, com apenas 1,3% das trocas globais, mas tem se destacado como um dos maiores utilizadores de instrumentos de defesa comercial (sobretaxas antidumping, antissubsídios, salvaguardas). Ele lembra que, em 2012 e 2013, o Brasil foi o que mais aplicou medidas antidumping contra importações com preços considerados deslealmente baixos. Em 2015, só perdeu para a Índia. Depois, até por causa da crise econômica, houve ligeira queda.

 

Situação atual - Atualmente, há 89 sobretaxas antidumping em vigor e 24 investigações em curso, contra produtos estrangeiros, incluindo alho, alto-falante, cadeados, escovas de cabelo, laminados, pneus. Ferraz reitera que a reformulação do Departamento de Defesa Comercial, incluindo avaliação sobre interesse público, não tem nada a ver com o plano do governo de aumentar a inserção do Brasil na economia global, que inclui aumento das exportações e redução gradual das tarifas de produtos importados.

 

Rigor - Na prática, parece claro que será mais rigorosa a aplicação de medida antidumping para frear a entrada de um produto estrangeiro.

 

Normalidade - O secretário diz que o objetivo não é diminuir ou aumentar a aplicação artificial de medidas antidumping, mas colocar o país em trajetória de maior normalidade no uso de defesa comercial. "Não vai haver limitação de aceitação de petições [de investigações contra importados]", disse. "Estamos totalmente comprometidos com a aplicação de defesa comercial para combater práticas desleais." (Valor Econômico)

 

RELAÇÕES EXTERNAS II: Acerto com UE pode sair em maio

 

relacoes externas II 24 04 2019O governo de Jair Bolsonaro alimenta a expectativa de concluir o acordo de livre-comércio entre Mercosul e a União Europeia (UE) em rodada de negociação marcada para 13 a 17 de maio em Buenos Aires. "Tivemos sinalizações concretas tanto por parte de sócios do Mercosul quanto da União Europeia [UE] para finalizar [a negociação] até o meio do ano", disse o secretário de Comércio Exterior, Lucas Ferraz. 

 

Otimismo - "Nós, na nova gestão, estamos muito otimistas de que essa seja a última rodada de negociação", afirmou. "Pela primeira vez há elementos concretos colocados na mesa por ambas as partes." A negociação Mercosul-UE já dura 20 anos. Segundo Ferraz, houve mais avanços nos últimos meses que em dez anos de discussões. Exemplifica que a negociação de bens industriais está "99% concluída". Mas reconhece a persistente dificuldade na área agrícola - os europeus resistem a melhorar a oferta para o Mercosul. 

 

Cota de carros - O secretário evita mencionar os avanços de que fala. Mas fontes que acompanham a negociação dizem que o Mercosul ofereceu à UE uma cota imediata para entrada de carros europeus com tarifa menor, para compensar um período de 15 anos para o Mercosul eliminar a alíquota de importação nesse segmento. 

 

Cabotagem - O Brasil oferece concessão para a UE também na cabotagem praticada entre Brasil, Argentina e Uruguai, abrindo para empresas europeias. 

 

Bruxelas - Também o governo de Mauricio Macri gostaria de concluir a negociação com a UE antes da eleição na Argentina, em outubro. Em Bruxelas, no entanto, há bem menos otimismo. A avaliação é de que não há chances de se fechar acordo antes da eleição para o Parlamento Europeu, na última semana de maio. (Valor Econômico)

 

Foto: EBC

 

SAÚDE: Novo Código de Ética Médica entra em vigor na próxima terça-feira

 

saude 24 04 2019Respeito à autonomia do paciente, inclusive aqueles em fase terminal; preservação do sigilo profissional; direito de exercer a profissão de acordo com a consciência; e possibilidade de recusa de atender em locais com condições precárias são alguns dos pontos previstos no novo Código de Ética Médica, apresentado nesta terça-feira (23/04) pelo Conselho Federal de Medicina (CFM).

 

Princípios - O documento é composto por 26 princípios listados como fundamentais para o exercício da medicina, além de cerca de 120 normas que condicionam infratores a penas disciplinares. O código atualizado entra em vigência na próxima terça-feira (30/04), 180 dias após sua publicação no Diário Oficial da União. A versão anterior vigorava desde abril de 2010.

 

Discussões a análises - O presidente do CFM, Carlos Vital, lembrou que foram quase três anos de discussões e análises. Para ele, os debates, abertos à participação da categoria por meio de entidades ou manifestação individual, permitiram modernizar o texto anterior, contemplando mudanças decorrentes de avanços científicos e tecnológicos e novos contextos na relação em sociedade.

 

Participação - O trabalho contou com a participação dos conselhos regionais de medicina, representantes de entidades e consultores especialistas das áreas de bioética, filosofia, ética médica e direito. Foram promovidos três encontros regionais e três nacionais para debater e deliberar sobre exclusão, alteração e adição de itens ao texto vigente

 

Novidades - Entre as novidades do novo código de ética está o respeito ao médico com deficiência ou doença crônica, assegurando ao profissional o direito de exercer as atividades nos limites de sua capacidade e sem colocar em risco a vida e a saúde de seus pacientes.

 

Telemedicina - Também ficou definido que o uso de mídias sociais pelos médicos será regulado por meio de resoluções específicas, o que valerá também para a oferta de serviços médicos a distância mediados por tecnologia. O novo código, portanto, transfere a regulação da chamada telemedicina para resoluções avulsas, passíveis de frequentes atualizações.

 

Pesquisas - No âmbito das pesquisas em medicina, o novo código prevê a criação de normas de proteção de participantes considerados vulneráveis, como menores de idade e pessoas com deficiência física ou intelectual. Quando houver situação de diminuição da capacidade do paciente de discernir, além do consentimento de seu representante legal, será necessário seu assentimento livre e esclarecido na medida de sua compreensão.

 

Placebo - Ainda no âmbito das pesquisas, o novo código permite os chamados placebos de mascaramento, mantendo a vedação ao uso de placebo isolado - quando não é usada nenhuma medicação eficaz. De acordo com o texto, fica vedado ao médico manter vínculo de qualquer natureza com pesquisas médicas em seres humanos que usem placebo de maneira isolada em experimentos, quando houver método profilático ou terapêutico eficaz.

 

Prontuário - As novas regras também autorizam o médico, quando requisitado judicialmente, a encaminhar cópias do prontuário de pacientes sob sua guarda diretamente ao juízo requisitante. No código anterior, o documento só poderia ser disponibilizado a um perito médico nomeado pelo juiz em questão.

 

Autonomia - Entre as diretrizes mantidas estão a consideração à autonomia do paciente, a preservação do sigilo médico-paciente e a proteção contra conflitos de interesse na atividade médica, de pesquisa e docência. Fica vedado ao médico desrespeitar o direito do paciente ou de seu representante legal de decidir livremente sobre a execução de práticas diagnósticas ou terapêuticas, salvo em caso de risco iminente de morte.

 

Dignidade - Em caso de situação clínica irreversível e terminal, o novo código estabelece que o médico evite a realização de procedimentos diagnósticos e terapêuticos considerados desnecessários e propicie aos pacientes sob sua atenção todos os cuidados paliativos apropriados.

 

Ato Médico - O código assegura a proibição à cobrança de honorários de pacientes assistidos em instituições que se destinam à prestação de serviços públicos; e reforça a necessidade de o médico denunciar aos conselhos regionais instituições públicas ou privadas que não ofereçam condições adequadas para o exercício profissional. (Agência Brasil)

 

 


Versão para impressão


RODAPE