Imprimir
CABECALHO

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4549 | 04 de Abril de 2019

SISTEMA OCB: Superintendentes alinham estratégias

sistema ocb 04 04 2019Alinhar nacionalmente as estratégias do cooperativismo brasileiro para este ano. Este foi o objetivo do Encontro de Superintendentes do Sistema OCB, que ocorreu nesta quarta-feira (03/04), em Brasília, e que contou com representantes dos estados. A programação foi conduzida pelo superintendente da unidade nacional, Renato Nobile, e pelas gerentes Karla Oliveira (Sescoop) e Tânia Zanella (OCB).

Envolvimento - Nobile destacou a importância do envolvimento das organizações estaduais no processo de transição que envolve a reclassificação dos ramos do cooperativismo – atualmente 13 e, a partir de 31/12, apenas sete. “Além de divulgar essa novidade, as organizações estaduais têm um papel essencial que é o ajuste, de acordo com essa nova conceituação, nos seus sistemas internos. Vale destacar que os estados têm até o dia 31/10 para concluir essa fase e nos informar sobre as mudanças ocorridas em seus sistemas. Isso é importante para que nós, do nacional, realizemos a atualização no nosso sistema, até o dia 31/12”, comenta.

Status - O superintendente da unidade nacional também informou sobre o status da coleta de informações para o Anuário do Cooperativismo Brasileiro. O documento será composto de dados mundiais, além de números e subsídios socioeconômicos das cooperativas do país. Segundo Nobile, a expectativa é de que o material seja publicado no início do primeiro semestre deste ano.

14º CBC - A gerente geral da OCB, Tânia Zanella, apresentou o panorama de inscrições para a 14ª edição do Congresso Brasileiro do Cooperativismo, que ocorrerá entre os dias 8 e 10 de maio, em Brasília, e que deve receber cerca de 1,5 mil representantes das cooperativas do país. O evento discutirá seis temas: comunicação, governança e gestão, inovação, intercooperação, mercado e representação.

Jovens embaixadores - Além disso, ela lembrou que o processo de seleção dos 20 jovens embaixadores do cooperativismo recebeu 171 inscrições, oriundas de 20 estados e que os vídeos campeões podem ser conferidos no canal do Sistema OCB no Youtube. Informou, também, que já a seleção das 20 mulheres cooperativistas contou com 493 inscritas, representando 23 estados. Tânia apresentou, por fim, a programação preliminar do evento.

Contribuição Confederativa - Tânia Zanella aproveitou a ocasião para relembrar que a Contribuição Confederativa a ser recolhida pelas cooperativas vence no dia 30 de junho. Essa contribuição é recolhida em favor das entidades sindicais que, legitimamente, representam a categoria econômica: Sindicatos de Cooperativas (1º grau), Federações (2º grau) e CNCoop (grau máximo).

Prioridades para 2019 - A gerente geral do Sescoop, Karla Oliveira, destacou algumas das prioridades, a partir do planejamento estratégico, para este ano. Dentre as diversas ações estão, por exemplo:

- Reestruturar o modelo de negócios e da gestão, com definição de papéis, ampliando a eficiência, eficácia e efetividade da atuação do Sescoop;

- Aprimorar a comunicação com os diversos públicos;

- Estruturar e implantar mecanismos de integridade;

- Aprimorar e integrar ferramentas de desenvolvimento profissional;

- Ampliar a valorização do Sescoop, realizando uma pesquisa de impacto das ações;

- Revisar normativos e atribuições das áreas finalísticas com foco na melhoria do atendimento;

- Fomentar a geração do conhecimento.

Indicadores institucionais - A gerente de Planejamento do Sistema OCB, Priscila Topolski frisou que também faz parte das ações para 2019 a implantação de indicadores institucionais que medirão a atuação de todos os entes do Sistema OCB (nacional e estaduais), com foco em resultados que embasem as tomadas de decisão. Segundo ela, a partir de julho, os materiais orientativos serão disponibilizados aos estados para que, juntos, consigam trabalhar de forma integrada a qualidade dos dados, a fim de demonstrar os resultados do movimento cooperativista ao país. (Informe OCB)

 

 

UNIMED DO BRASIL: Mês Unimed leva onda de cuidado a todo o país

 

unimed brasil 04 04 2019A Unimed traz no mês de abril um projeto nacional em prol da saúde e bem-estar dos brasileiros: o Mês Unimed. Com a iniciativa, o maior sistema cooperativo de saúde do mundo, com 345 cooperativas, une esforços para promover em todo o Brasil uma série de eventos culturais, educacionais e esportivos, aproveitando sua capilaridade.

 

Movimento nacional - O Mês Unimed reforça o movimento nacional Mude1Hábito, criado pela Unimed para encorajar a melhoria de qualidade de vida das pessoas a partir da mudança de pequenos hábitos. Segundo a gerente de Comunicação e Marketing da Unimed do Brasil, representante institucional do Sistema Unimed, Aline Cebalos, abril é um mês especialmente selecionado por contar com o Dia Mundial da Saúde, celebrado no dia 7/4.

 

Cuidado - “O Mês Unimed chega para criar uma grande onda de cuidado em todo o país. Essa ação converge com o propósito da Unimed, de ser uma marca cuidadora, e com o nosso Jeito de Cuidar Unimed, iniciativa que visa tornar qualquer experiência com a marca a melhor possível”, ressalta.

 

Grandeza - Para o diretor de Desenvolvimento de Mercado da Unimed do Brasil, Darival Bringel de Olinda, trata-se de um empreendimento do tamanho do Sistema Unimed, portanto nacional – a Unimed está representada em 84% do território brasileiro. “O fato de sermos um sistema cooperativista nos permitiu atingir o tamanho e a representatividade que temos atualmente. O Mês Unimed é uma forma prática e inteligente de aproveitar essa característica para levar ações e mensagens que façam realmente a diferença na vida das pessoas, até em regiões remotas do Brasil”, afirma o dirigente.

 

Identidade visual - As ações que farão parte do Mês Unimed contarão com identidade visual própria e terão divulgação nas redes sociais do Sistema Unimed e no hotsite desenvolvido especialmente para a iniciativa: unimed.me/mesunimed. Lá, os interessados podem acessar mais informações sobre o projeto e as atividades que acontecerão na sua região.

 

Sobre o Mude1Hábito - O conceito do Mude1Hábito se baseia em resultados de uma pesquisa da Duke University, dos Estados Unidos, que demonstra que cerca de 40% de tudo que fazemos cotidianamente não são decisões de fato, mas repetições de hábitos que já estamos acostumados a fazer. Sendo assim, conclui-se que mudar esses comportamentos, geralmente automáticos e inconscientes, é importante para a adesão a um novo estilo de vida, mais voltado à saúde e ao bem-estar.

 

Pesquisa - Como apoio para a sua criação, foi desenvolvida uma pesquisa junto à Brandwatch para averiguar quais hábitos os brasileiros mais gostariam de mudar. O tópico mais mencionado foi ‘alterar os hábitos de alimentação’, seguido por ‘começar uma atividade física’, ‘usar menos o celular ou a internet’, ‘dormir com mais qualidade’ e ‘parar de procrastinar’.

 

Grande adesão - Lançado como campanha institucional em 2017, o Mude1Hábito logo ampliou sua dimensão na estratégia de marca da Unimed, tornando-se um movimento. De acordo com Darival Bringel de Olinda, isso se deve à grande adesão das Unimeds ao assunto em curto espaço de tempo, englobando suas ações em prol da saúde na causa. “Com a extensão do Mude1Hábito reforçamos a vocação da Unimed em cuidar das pessoas, afinal somos um sistema cooperativista formado por médicos”, ressalta o dirigente.

 

Sobre a Unimed - A Unimed, maior sistema cooperativo de saúde do mundo, possui 52 anos de atuação no mercado de saúde suplementar. A marca nasceu com a fundação da Unimed Santos (SP), em 1967, e hoje é composta por 345 cooperativas médicas, com assistência para cerca de 18 milhões de beneficiários em todo País. Entusiasta do movimento SomosCoop, da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), a Unimed conta com mais de 115 mil médicos, 119 hospitais próprios e 2.506 hospitais credenciados, além de pronto-atendimentos, laboratórios e ambulâncias para garantir a qualidade da assistência médica, hospitalar e de diagnóstico complementar prestada aos beneficiários das cooperativas. (Unimed do Brasil / Informe OCB)

 

COOPERATIVISMO: Câmara aprova Padre Theodor Amstad como patrono do movimento

 

cooperativismo 04 04 2019Em 1902, um padre suíço chamado Theodor Amstad criou um tipo novo de empresa no interior do Rio Grande do Sul: uma cooperativa de crédito – a primeira do Brasil. Na época, ele mal poderia imaginar que 117 anos depois, esse modelo de negócios, baseado na cooperação entre as pessoas, seria considerado uma das ferramentas mais eficazes de transformação socioeconômica em todas as partes do país.

 

Patrono - É por isso que o padre Theodor Amstad deve receber, com a validação do Congresso Nacional, o título de Patrono do Cooperativismo Brasileiro. No dia 27 de março, a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados aprovou o PL 4.280/2012 que confere o título ao religioso visionário. O autor da proposição é o deputado Giovani Cherini (RS), integrante da Diretoria da Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop).

 

Senado - O projeto de lei segue, agora, para aprovação do Senado Federal, mas lá, no Rio Grande do Sul, a importância da atuação do suíço em prol da disseminação da cultura cooperativista já foi reconhecida. Em 2003, por meio de uma lei estadual, o governo gaúcho concedeu ao padre o título de Patrono do Cooperativismo.

 

Primeira cooperativa brasileira - Theodor Amstad nasceu em 9 de novembro de 1851, em Beckenried, na Suíça. No ano de 1885 chegou ao Brasil e se dedicou a prestar assistência econômica, social e cultural aos colonos do Rio Grande do Sul, dando início ao movimento de fundação das associações de lavradores e cooperativas no estado.

 

Nova Petrópolis - O padre foi o responsável por constituir a em 1902 a primeira cooperativa de crédito brasileira no município de Nova Petrópolis/RS, batizada como Caixa de Economia e Empréstimos Amstad. A cooperativa continua em atividade, porém agora com o nome de Cooperativa de Crédito de Livre Admissão de Associados Pioneira da Serra Gaúcha, a Sicredi Pioneira/RS. (Informe OCB)

 

Foto: Site Sicredi Pioneira/RS

 

SICREDI: Agente financeiro que mais liberou recursos pelo Pronaf em 2018

 

sicredi 04 04 2019Mais uma vez, o Sicredi – instituição financeira cooperativa com mais de 4 milhões de associados e atuação em 22 estados e no Distrito Federal – é destaque no ranking de desembolsos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Entre janeiro e dezembro de 2018, o Sicredi realizou aproximadamente 20 mil operações, totalizando mais de R$ 1,2 bilhão liberados por meio do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), que presta atendimento diferenciado aos pequenos agricultores, sendo o agente financeiro com o maior volume de operações nesta categoria.

 

Desempenho - O ranking anual do BNDES identifica o desempenho das instituições financeiras nas operações indiretas, aquelas em que o banco de desenvolvimento participa indiretamente no repasse de recursos por meio de um agente financeiro a ele credenciado, como no caso do Sicredi.

 

Inovagro - Na lista do BNDES, o Sicredi também foi classificado na primeira posição nos financiamentos do Inovagro, financiamento para incorporação de inovações tecnológicas nas propriedades rurais; nos financiamentos do Pronamp, para investimentos dos médios produtores rurais; e, também, liderou nos repasses da Moderagro, para projetos de modernização e expansão da produtividade nos setores agropecuários.

 

Foco no associado - Segundo Antonio Sidinei Senger, superintendente de Crédito Rural e Direcionados do Banco Cooperativo Sicredi, o bom desempenho da instituição é resultado do foco nos associados. “A agricultura familiar é fundamental para o desenvolvimento do País, pois, além da sua relevância para a economia, é dela que deriva grande parte dos alimentos que chegam à mesa das famílias. Nós apoiamos fortemente nossos associados desse segmento, buscando conhecer a realidade de cada um e dar suporte ao seu crescimento e, por consequência, das suas regiões”, afirma. 

                      

Total liberado - No total, o Sicredi liberou, em 2018, aproximadamente R$ 4,1 bilhões por meio do Pronaf, em mais de 120 mil operações. Este montante corresponde às operações realizadas com recursos do BNDES e de outras fontes de recursos, como a captação de poupança juntos aos associados da instituição financeira cooperativa.

 

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.600 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi)

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

SICREDI FRONTEIRAS: Processo Assemblear 2019 é encerrado com novidade na distribuição do resultado

 

Na última sexta-feira (29/03), na nova sede administrativa da Sicredi Fronteiras PR/SC/SP, em Capanema, no Sudoeste do Paraná, foi realizada a Assembleia Geral da cooperativa. Este é o momento no qual as decisões tomadas em cada município são homologadas. Isto acontece sempre após as Assembleias de Núcleo, efetuadas em cada município que a Sicredi Fronteiras possui agências, onde os sócios, donos do negócio, recebem o balanço geral da cooperativa, conhecendo assim suas diversas ações realizadas durante o ano, no campo econômico, cultural, ambiental, social e educacional.

 

Presenças - A Assembleia Geral contou com a presença das seguintes autoridades: Presidente da Sicredi Fronteiras PR/SC/SP – José César Wunsch; Manfred Alfonso Dasembrock - Presidente da Sicredi Participações e Central Sicredi PR/SP/RJ - Conselheiro da Woccu - Conselho Mundial das Cooperativas de crédito; Vices presidentes da Cooperativa Sicredi Fronteiras – Srs. Jorge Luiz Hoppe e Paulo Alencar da Silva; Conselheiros de Administração - Sidnei José Giusti, Arnildo Borner, Nilo Carlos Sagin, Fabio Vendramin, Sérgio Sartori, Cesar Augusto Tedesco, Moacir José Moltocaro, Ivan Pavan; Coordenador do Conselho Fiscal da Cooperativa – Marcos Odair Nos; Conselheiros Linor José Filipin, Nicolau Valdir Muller, Celso Miki Hirose, Jair Valentin Giongo, Jair Antonio Walter; Diretor Executivo da Central Sicredi PR/SC/RJ, Maroan Tohmé; Diretor de Desenvolvimento da Central Sicredi, Adilson Fidelis de Sá; Diretora Executiva da Cooperativa Sicredi Fronteiras, Adriana Mêes; Diretor de Negócios, José Carlos Steffen; Diretor de Operações, Fábio Júnior Câmera; Inspetor Interno da Cooperativa Sicredi Fronteiras PR/SC/SP, Lucas Oliveira Nunes. 

 

Convidado de honra - Luiz Carlos Cabreira, Sócio Fundador da Panelli Motta Cabreira (empresa pioneira na prestação de serviços de Executive Search no Brasil) foi o convidado de honra desta reunião e ministrou uma palestra para os presentes.

 

Reuniões - Com início no dia 4 de fevereiro, no estado de São Paulo, as Assembleias de Núcleo chegaram aos estados de Santa Catarina e Paraná no dia 18/02, com as primeiras reuniões nas cidades de Realeza e Santa Izabel do Oeste, encerrando em Pranchita, no dia 18/03. 

 

Total de participantes - O total geral de participantes, nos três estados onde a Sicredi Fronteiras atua, foi de 8.874 pessoas, entre convidados e cooperados, que ajudaram as decidir os rumos da cooperativa. “Somos uma instituição feita de pessoas, para pessoas. A presença expressiva de associados fortalece o modelo democrático e participativo de gestão do Sicredi”, afirmou José César Wunsch, presidente da Sicredi Fronteiras PR/SC/SP.

 

Visão - Durante estes encontros, os donos do negócio puderam observar como foi o Sicredi em nível nacional, tendo a visão da grandiosidade que é o sistema, que está presente em mais de 22 estados brasileiros, com mais de 4 milhões de associados. Na sequência, houve uma Assembleia Extraordinária, quando foram lidas e votadas pequenas mudanças no estatuto. 

 

Prestação de contas - Depois, os cooperados tiveram acesso à prestação de contas, ficando a par dos resultados do passivo, ativo e demonstrativo referentes ao exercício de 2018. Juntamente com a prestação de contas, eles aprovaram, em Assembleia, a maneira que eles gostariam que a distribuição do resultado acontecesse. 

 

Conta corrente - Por isso, este ano, eles receberão, após as destinações legais, a sua participação no resultado da cooperativa, referente ao exercício de 2018, em conta corrente.

 

Distribuição - Portanto, desde o dia 02 de abril de 2019, estão sendo distribuídos os mais de R$ 9,3 milhões de reais entre os cooperados, proporcionalmente aos negócios realizados durante o ano anterior. Além disso, todos os associados da cooperativa receberam R$ 4,5 milhões de reais de juros pagos sobre o capital social que possuem integralizado, o que representa uma participação superior a 38% sobre todo o resultado gerado durante o ano, que foi de R$ 35 milhões. 

 

Diferencial - A distribuição do resultado é um dos principais diferenciais entre um banco e uma cooperativa de crédito. Através deste recurso, é gerado o ciclo virtuoso do Sicredi, que garante o desenvolvimento da comunidade pois, ao utilizarem produtos e serviços, os associados ajudam a multiplicar o capital econômico da cooperativa.

 

Geração de valor- Dessa forma, a cooperativa disponibiliza ainda mais recursos e soluções financeiras que geram valor tanto para o associado, quanto para a comunidade, beneficiada com o aquecimento da economia local, com a geração de emprego, e com projetos sociais realizados pelas cooperativas.

 

Ano favorável - De acordo com o presidente da Sicredi Fronteiras PR/SC/SP, José César Wunsch, 2018 foi um ano bastante favorável para a cooperativa, que cresceu no seu quadro social, chegando aos 62 mil cooperados, e que inaugurou agências nas cidades de Mairiporã e Campo Limpo Paulista, em São Paulo. 

 

2019 - “Para 2019, pretendemos trabalhar fortemente com o Comitê Jovem e com o Comitê Mulher, dar continuidade na formação dos nossos executivos e dos coordenadores de núcleo, além de crescer na carteira de crédito em R$ 50 milhões e os depósitos em poupança e conta corrente na ordem de R$ 700 milhões”, afirmou Wunsch.

 

Distribuição do resultado - Os resultados financeiros demonstram a rentabilidade e a qualidade da gestão da Sicredi Fronteiras. Prova da solidez financeira, que permite disponibilizar aos associados, crédito para financiar seus negócios e projetos pessoais.

Para saber o valor da sua participação nos resultados, acesse sua conta através do App do Sicredi, Internet Banking ou vá até a agência mais próxima de você.

 

Sobre o palestrante - Luiz Carlos Cabreira é ex-Chairman do Brazil National Committee da AESC - Association of Executive Search and Leadership Consultants. Foi membro do America’s Council de 2006 a 2012 e do Board of Directors da AESC de 2011a 2012. É Conselheiro Consultivo da Aliança de Misericórdia e Ex-conselheiro do IBGC - Instituto Brasileiro de Governança Corporativa. É o único sul-americano agraciado com o Prêmio Internacional 2011 Gardner W. Heidrick, oferecido anualmente pela AESC. Foi professor da Escola de Engenharia Mauá por mais de dez anos e leciona no MPA (Mestrado Profissional em Administração) e no OneMBA da Escola de Administração de Empresas de São Paulo, Fundação Getúlio Vargas, há mais de trinta anos. É também Professor do IBGC e da EMI – Escola de Marketing Industrial. E co-autor de “Transição 2000”, livro da McGraw-Hill, co-autor de “Se eu fosse você, o que eu faria como Gestor de pessoas”, da Editora Campus-Elsevier, e Articulista da Revista Você S/A. Cabrera é Engenheiro Metalurgista com Pós-Graduação em Administração pela Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas e extensão em Business Administration na USC - University of Southern California. (Imprensa Sicredi Fronteiras PR/SC/SP)

 

{vsig}2019/noticias/04/04/sicredi_fronteiras/{/vsig}

SICREDI UNIÃO PR/SP: Cooperativa participa da ExpoLondrina pelo nono ano consecutivo


sicredi uniao I 04 04 2019A instituição financeira cooperativa Sicredi União PR/SP estará, pelo nono ano consecutivo, participando da Exposição Agropecuária e Industrial de Londrina. Entre as linhas de crédito rural disponíveis aos associados estarão Moderfrota e Pronaf Mais Alimentos, para aquisição de máquinas e equipamento; Crédito com recurso livre para aquisição de máquinas e equipamentos; Crédito com recurso livre para custeio pecuário (aquisição); e Crédito Rural com recurso controlado para custeio pecuário (aquisição).

 

Crédito facilitado - De acordo com o assessor de negócios de crédito rural da cooperativa, Gilberto Rauber, a proposta é disponibilizar crédito facilitado, tendo em vista que a feira apresenta um leque de produtos e, por isso mesmo, é uma oportunidade para fechar bons negócios.

 

Atendimento - Segundo Rauber, a cooperativa terá condições de atender todos os projetos de financiamento agropecuário que estiverem de acordo com as regras estabelecidas para a liberação dos recursos. Ele destaca que a Sicredi UniãoPR/SP é a terceira instituição financeira em volume de recursos rurais liberados dentro do Sistema Sicredi e o maior agente privado junto ao BNDES. 

 

Estande - O estande da Sicredi na Exposição, este ano, estará bastante movimentado, com uma agenda de palestras e apresentações culturais. Também terá um espaço para coworking, facilitando a vida dos associados que queiram estar na exposição e que precisam de um espaço para trabalhar. A gerente de desenvolvimento da Regional Norte, Carla Sonoda, informa que os colaboradores da Sicredi União estarão preparados para todas as demandas de seus associados e de quem estiver visitando a ExpoLondrina e quiser conhecer melhor o cooperativismo de crédito.

 

Agência Móvel - Mais uma vez, o estande da Sicredi União na ExpoLondrina será sua agência Móvel, bem mais ecológica do que a construção de uma estrutura para o evento e ocupará seu tradicional espaço, em frente à sede administrativa da Sociedade Rural do Paraná, a entidade organizadora da exposição. A ExpoLondrina acontece de 5 a 14 de abril, no Parque de Exposições Ney Braga, em Londrina (PR). (Imprensa Sicredi União PR/SP)

 

 

SICOOB TRÊS FRONTEIRAS: Iniciado ciclo de pré-assembleias em cidades da área de atuação

 

O Sicoob Três Fronteiras, cooperativa com sede em Foz do Iguaçu, deu início ao ciclo de pré-assembleias para prestação de contas do exercício de 2018 com reuniões nas cidades de Missal, São Miguel do Iguaçu, Santa Terezinha de Itaipu, Medianeira e Matelândia.

 

Continuidade - Até esta sexta-feira (05/04), as pré-assembleias continuam nas demais cidades onde a singular possui agências: Foz do Iguaçu e Itaipulândia. A Assembleia Geral Ordinária (AGO), onde as sobras e demais números serão levados para apreciação e votação dos delegados, será no dia 10 de abril. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

{vsig}2019/noticias/04/04/sicoob_tres_fronteiras/{/vsig}

SICOOB MERIDIONAL: Palestra do Projeto Escola de Pais será promovida em parceria com Prefeitura de Toledo

 

O Sicoob Meridional firmou parceria com a Secretaria Municipal de Toledo (PR) para a realização de uma palestra para os pais e responsáveis dos alunos dos Centros Municipais de Educação Infantil e das Escolas Municipais. Conduzida pelo fonoaudiólogo André Weffort, a palestra abordará o tema “Aprendizagem: Fundamental na constituição do sujeito”.

 

Projeto - O evento, que acontece no dia 22 de abril, a partir das 19h30 no Centro Cultural Ondy Hélio Niederauer (Jardim Paulista), faz parte do Projeto Escola de Pais, uma iniciativa que visa promover a reflexão e o fortalecimento dos laços familiares, seja em casa ou na escola.

 

Linhas de crédito - Na ocasião, a equipe do Sicoob Meridional estará presente no evento para recepcionar os participantes e apresentar a linha de crédito consignado disponibilizada pela cooperativa. Com taxas e condições especiais, o empréstimo é oferecido para funcionários de empresas públicas e privadas conveniadas e também para aposentados e pensionistas do INSS. O valor das parcelas é fixo e descontado diretamente no contracheque ou no benefício. (Imprensa Sicoob Unicoob)

COPAGRIL: Cooperativismo é difundido em escolas pelo Programa Cooperjovem

 

Promover a educação, o treinamento e a informação é um dos princípios do cooperativismo dos quais a Cooperativa Agroindustrial Copagril busca constantemente atender, contribuindo assim com o desenvolvimento das pessoas envolvidas em sua área de ação. Um dos focos deste processo são os alunos das escolas municipais, onde é desenvolvido o programa Cooperjovem, que através de uma parceria entre a cooperativa e o Sescoop/PR (Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo do Paraná) incentiva a integração da escola, família e da comunidade, beneficiando o processo educacional e potencializa ainda mais a qualidade da educação.

 

Ciclo - Através deste programa, a Copagril está realizando um ciclo de 38 palestras em 27 escolas da sua área de atuação, que têm por objetivo levar às crianças que estudam do 1º ao 5º ano do ensino fundamental o que é a cooperação e como ela beneficia as pessoas quando adotada em seu dia a dia.

 

Escolas - Já foram realizadas palestras nas escolas Criança Feliz, 25 de Julho, São João Batista, Érico Veríssimo, Jean Piaget, Antônio Rockenbach e Osvino Weirich e mais 20 escolas dos municípios de Marechal Cândido Rondon, Quatro Pontes, Pato Bragado, Mercedes e Guaíra ainda serão atendidas até o dia 12 de abril com a palestra que é ministrada pela Assessora de Cooperativismo da Copagril Patricia Carine Thomaz e que conta também com a presença do mascote da cooperativa Popy, que deixa o encontro ainda mais especial para as crianças.

 

Informações - As informações levadas aos alunos visam auxiliar no desenvolvimento de boas atitudes com a família, com colegas de sala, professores, na comunidade e com a natureza, zelando pelo respeito, empatia, igualdade e a amizade para conviver em harmonia. 

 

Orientações - As palestras buscam também fornecer aos alunos do 4º e 5º ano orientações para auxiliar nas redações do Prêmio de Redação Cooperjovem Paraná edição 2019, que premiará a melhor redação sobre o tema “Por que o Cooperjovem merece o Oscar da educação?”.

 

Reconhecimento - O objetivo do Prêmio é reconhecer publicamente as melhores produções de texto que estejam, de fato, vinculadas ao tema, com o intuito de promover a reflexão dos alunos quanto à importância da pesquisa, do hábito da leitura e do aprimoramento da escrita. (Imprensa Copagril)

 

{vsig}2019/noticias/04/04/copagril/{/vsig}

ALEGRA: Conheça os cinco melhores cortes de suínos para preparar churrasco

 

Ao contrário do que muitos imaginam, a carne suína é saudável e ainda conta com sabor único. De acordo com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa, a carne suína é a proteína mais consumida em todo o mundo, sendo o Brasil o quarto maior produtor e exportador do alimento: são produzidas aproximadamente 3,76 milhões de toneladas anualmente. 

 

Saudável - O especialista em churrasco e consultor da Alegra, Chef Dobis, explica que esse tipo de carne, assim como as outras, pode ser grelhada, cozida e assada, com uma diferença: é mais saudável. “Dependendo do corte, a carne suína chega a ter menos colesterol e gordura que o frango, por exemplo”, conta Dobis. 

 

Churrasco - Uma das formas de degustar uma boa carne de suíno é no churrasco. Popular desde a década de 70, a prática é unanimemente uma paixão nacional, que reúne familiares e amigos em qualquer lugar. “O churrasco com a carne de suíno ainda é menos comum entre os brasileiros, mas aos poucos está se tornando mais popular”, comenta o Chef. 

 

Nutrientes - A proteína é rica em fósforo, potássio, vitaminas B6 e B12, entre outros nutrientes. “Hoje, podemos afirmar que o aproveitamento da carne suína é de 100%. O segredo é escolher uma que seja certificada e que dê a garantia de que é de procedência, para não ter problemas”, alerta. 

 

Cortes - Confira cinco cortes selecionados pelo especialista:

1. Filé Mignon: macia e saborosa, essa parte é derivada do lombo suíno e pode ser encontrada em cortes como bife, medalhão e escalope - pedaço desossado. É possível encontrar a peça já preparada, como o Filé Mignon Suíno Temperado Alegra, feito com alho, cebola, alecrim, pimenta branca, páprica, salsa e cebolinha, pronto para o churrasco.

2. Costela: quem resiste a uma saborosa costela? Essa peça é a que faz o maior sucesso entre os consumidores e é também a que contém mais gordura. O preparo exige atenção (e tempo) para manter a suculência, podendo ser marinada ou feita com diferentes temperos e assada em fogo lento.

3. Lombo: também chamado de lombinho, esta peça é equivalente ao contra-filé bovino e é considerado um corte leve. Ele completa os pratos das refeições do dia a dia e, claro, é um corte que não pode faltar no churrasco do fim de semana. O preparado dessa parte da carne suína merece atenção: por ser mais delicado, é preciso ter cuidado para que não fique ressecado.

4. Picanha: pode ser temperada de várias formas, conforme preferência. É uma das peças mais saborosas, chamada de sub-corte da alcatra. Também temperada com especiarias naturais, a Picanha Suína Temperada Alegra é uma opção prática para grelhar na churrasqueira.

5. Maminha: retirada do pernil suíno, a maminha combina com vários pratos e acompanhamentos. Pode ser preparada como bife e grelhada na churrasqueira. Assim como a costela, contém grande quantidade de gordura, por isso, é suculenta, saborosa e macia. A dica é cortar em fatias sempre contra as fibras da carne.

 

Sobre a Alegra - A fabricante de alimentos Alegra é a união das cooperativas de origem holandesa, Frísia, Castrolanda e Capal, que constituem o grupo Unium. Uma empresa que combina condições de trabalho ideais aliando tecnologia, equipamentos de última geração, preocupação com o bem-estar dos animais e sustentabilidade em seu parque industrial, sempre primando pela excelência em seu produto final, que utiliza as melhores carnes suínas. Em 2017, a marca conquistou o reconhecimento internacional quanto às Práticas de Bem-estar Animal no abate, tornando-se a primeira planta brasileira a receber essa certificação em bem-estar suíno, pela WQS. Mais informações em www.alegrafoods.com.br. (Imprensa Alegra)

 

{vsig}2019/noticias/04/04/alegra/{/vsig}

FEIJÃO: Clima e redução de área plantada fazem preço do produto disparar

feijao 04 04 2019O mês de abril pode ser muito bem-vindo pela dona de casa, já que marca a colheita da 2ª safra do feijão no sul do Brasil. Isso porque, com um possível aumento de oferta do produto, existe a perspectiva de que os preços voltem a patamares menores. Hoje, o quilo do feijão carioca é vendido por preços superiores a R$ 8 nos supermercados de Curitiba, segundo pesquisa do Disque Economia, Serviço da Secretaria Municipal de Abastecimento de Curitiba.

Curitiba - Em Curitiba, no ano, o preço do quilo do feijão carioca subiu 110,54% e do preto, 40,95%. Os números são do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo -15 (IPCA-15), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que mede a prévia da inflação mensal.

Fatores - Essa alta teve como causa dois fatores preponderantes: clima e redução da área plantada, segundo Maiko Zanella, analista de Desenvolvimento e Técnico da Área de Mercado do Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Ocepar). Ele explica que, desde 2016, os produtores têm dado preferência ao plantio da soja na safra de verão, reduzindo a área cultivada da primeira safra de feijão, que é colhida em janeiro. “A soma dos fatores fez com que a safra apresentasse uma quebra de 25%”, diz. A soja paga melhor ao produtor do que o feijão, pois tem o preço negociado no mercado de commodities.

Estiagem - Além da redução de área, outro fator que contribuiu para impulsionar o preço do feijão carioca foi a estiagem que entre novembro e janeiro atingiu as lavouras nas regiões produtoras do Sul e do Sudeste, provocando queda da produtividade. O feijão que está chegando no mercado agora é o mais tardio, que foi menos castigado pela falta de chuvas.

Segunda safra - Já os prognósticos para essa 2º safra, que é a principal e responde por 62% da produção de feijão no Estado, são bons para 95% do total plantado, conforme o último relatório de acompanhamento das lavouras datado de 25 de março, do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento do Paraná (Seab). A produção desta 2ª safra deve ser de 436.146 toneladas. Na primeira safra foram produzidas 246.777’ toneladas. (Portal Bem Paraná)

 

EXPEDIÇÃO SAFRA: Balanço do ciclo 2018/19 será apresentado na ExpoLondrina

 

A equipe da Expedição Safra já percorreu 12 estados brasileiros desde outubro de 2018 para fazer o levantamento técnico jornalístico da produção de grãos no país. Com o encerramento do ciclo 2018/19, a equipe irá apresentar nesta quinta-feira (05/05), durante a Expo Londrina, o seu balanço com principais conclusões sobre esta safra e quais os principais desafios encontrados. O evento será realizado no Auditório Milton Alcover, às 8h30 da manhã. 

 

Estados visitados - Os estados visitados pelos especialistas foram: Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Goias, Maranhão, Tocantins, Bahia, Piauí. Na ocasião, serão debatidas as oportunidades e desafios encontrados nos estados ao longo da temporada, tendências climáticas, o desempenho do ciclo paranaense de verão e as apostas para o ciclo de inverno. 

 

Palestrantes - Os temas serão apresentados pelo coordenador da Expedição Safra, Giovani Ferreira, pelo chefe do Departamento de Economia Rural da Secretaria da Agricultura e Abastecimento (Deral/Seab), Salatiel Turra, pelo supervisor de assistência técnica e Agricultura de precisão da Cooperativa Castrolanda, Roberto Simão de Carli, pelo meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Inmet/Mapa), Luiz Renato Lazinski, e pelo gerente da Caixa Econômica Federal Luiz Gastão Pinto Júnior. 

 

Sobre a Expedição Safra - A Expedição Safra faz um levantamento técnico-jornalístico da produção de grãos da América do Sul à América do Norte. O projeto percorre 12 estados brasileiros nas etapas de plantio e colheita. Para ampliar a discussão sobre mercado, desde a temporada 2010/11 a equipe realiza roteiros extraordinários, com incursões à Alemanha, Holanda, Bélgica, França, China, Índia, Israel, Rússia e ao Canal do Panamá. Neste ano, a Expedição irá ao México que, devido aos conflitos comerciais com os Estados Unidos, tem aumentado o comércio de produtos agropecuários com o Brasil, abrindo uma janela de novas oportunidades. A Expedição Safra é uma iniciativa do Núcleo de Agronegócio Gazeta do Povo e é apresentada pelo Sistema Confea-Crea, com o patrocínio da Caixa Econômica Federal, Sementes e Fertilizantes Castrolanda, Agrotec, Alta, Solaris e Expo Londrina. O apoio logístico é do Groupe Renault. (Assessoria de Imprensa)

 

SERVIÇO

Expedição Safra na Expo Londrina 2019

Data: 05/04

Horário: 8h30

Local: Auditório Milton Alcover – No Parque Governador Ney Braga

Endereço: Av. Tiradentes, 6275 – Londrina, PR

 

expedicao safra programacao 04 04 2019

PARANAGUÁ: Governo fará o projeto executivo para obra em via de acesso ao porto

 

O governador Carlos Massa Ratinho Junior anunciou nesta quarta-feira (03/04) a contratação do projeto executivo de engenharia para restauração e ampliação de capacidade da Av. Ayrton Senna da Silva, um dos principais acessos ao Porto, no Litoral. A revitalização da via é fundamental para aumentar a capacidade de escoamento das exportações do Estado.

 

Citação - A licitação acontecerá nos próximos dias e o projeto deve estar concluído em oito meses. “A revitalização do trecho é fundamental para a logística estadual, uma vez que a Avenida Ayrton Senna representa um funil de toda a produção estadual”, afirmou o governador.

 

Caminho inverso - “O Porto de Paranaguá olhava muito para o mar e pouco para as cidades, queremos um caminho inverso. Ele tem que ser o que a Itaipu é para o Oeste do Paraná, ajudar no desenvolvimento do Litoral”, enfatizou. “A gente quer ganhar tempo para que a falta de investimento das últimas décadas possa ser revista rapidamente para honrar tudo aquilo que o Litoral já fez pelo Estado”.

 

Responsabilidade - A responsabilidade pela avenida é do Governo Federal, mas a importância do trecho para o desenvolvimento da região fez com que a administração dos Portos do Paraná assumisse a incumbência pelo projeto, que nunca foi realizado.

 

Ações - O projeto executivo vai prever a modernização viária, aumento das capacidades de tráfego e acessibilidade, além de ciclovia e iluminação de oito quilômetros de extensão no trecho entre o entroncamento com a BR-277 e o Porto de Paranaguá. O custo máximo para elaboração é de R$ 3,3 milhões.

 

Mudança de postura - O secretário de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, disse que a obra é aguardada há décadas pela população e pelo Porto de Paranaguá, e significa uma mudança de postura de médio e longo prazos. “Estamos falando do município. O Porto é responsável pelas suas circunstâncias. Temos um compromisso com o Litoral”, afirmou.

 

Porto e a cidade - Segundo o diretor-presidente dos Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia, o projeto executivo deve conter oito subgrupos que futuramente podem ser executados em diferentes estágios. Ele também destacou a importância da Avenida Ayrton Senna para o desenvolvimento das operações do Porto de Paranaguá e da comunidade local.

 

Via importante - “É uma via importante para a operação portuária e para os moradores locais. Queremos melhorar nossa relação com a comunidade, fazer com que os Portos do Paraná sejam indutores de desenvolvimento e que passem a investir em obras que melhorem a qualidade de vida de quem mora aqui”, explicou.

 

Aliança inédita - Para o prefeito de Paranaguá, Marcelo Elias Roque, o projeto marca uma aliança inédita entre município, Estado e a administração dos Portos do Paraná. “Temos cinco mil caminhões que entram todos os dias na cidade em direção aos terminais portuários. É a primeira vez que estamos vendo o Porto e o Governo investirem juntos na infraestrutura da nossa cidade”, disse ele. “É uma via que precisa de restauração, tem trechos esburacados, iluminação deficitária, sem passagem de nível. A revitalização resolve um gargalo histórico”.

 

Empresários - Juarez Moraes e Silva, presidente do Terminal de Contêineres do Paraná (TCP), disse que a liberação desses recursos atende também a uma reivindicação dos empresários que trabalham no desenvolvimento econômico do Estado. “O projeto pensa Paranaguá como um corredor portuário que não conflita com a cidade, para que ambos funcionem de maneira independente. A união do público e do privado vai fazer do Porto de Paranaguá referência em todo País”, completou.

 

Outras obras - A administração dos Portos do Paraná realiza em paralelo uma série de obras para o desenvolvimento regional. A mais adiantada é a construção do novo viaduto na entrada de Paranaguá, onde a BR-277 se divide entre as avenidas Ayrton Senna e Bento Rocha. O projeto e a execução são coordenados pelo DER (Departamento de Estradas de Rodagem). O investimento dos Portos é de R$ 12,7 milhões e a entrega da obra será em junho.

 

Estrutura - O novo viaduto terá aproximadamente 900 metros de extensão, 6 metros de altura e mais de 7 metros de largura. Com a finalização, será permitida a circulação de caminhões com altura de até 5,5 metros de altura sob o viaduto.

 

Recuperação - A outra obra é a recuperação da Avenida Bento Rocha, importante via de acesso ao Porto de Paranaguá, que deve ser concluída em dezembro. Os investimentos somam R$ 15,9 milhões e incluem pavimentação de concreto, nova sinalização vertical e horizontal e nova ciclovia em 2,9 quilômetros de extensão.

 

Participações - Participaram do lançamento do projeto os deputados estaduais Galo, Nelson Justus e Artagão Júnior; os diretores dos Portos do Paraná; os prefeitos de Guaratuba (Roberto Justus), Pontal do Paraná (Marcos Fioravante), Morretes (Osmair Coelho), Antonina (José Paulo Azim), Matinhos (Ruy Rechert) e Guaraqueçaba (Hayssan Zahoui); e o capitão dos Portos do Paraná, Rogério Antunes Machado. (Agência de Notícias do Paraná)

 

{vsig}2019/noticias/04/04/paranagua/{/vsig}

INFRAESTRUTURA I: Governo e bancada do Sudoeste debatem recuperação da PR 280

 

O chefe da Casa Civil, Guto Silva, e deputados da região Sudoeste trataram na terça-feira (02/04), em Curitiba, da recuperação da PR 280. Conhecida como Corredor do Sudoeste, a rodovia é uma das mais importantes da região e apresenta sérios problemas de degradação.

 

Pacote de concessões - É uma das estradas estaduais que poderá fazer parte do pacote de concessões da União, o que só deverá ocorrer após o encerramento dos atuais contratos de concessão do Anel de Integração, em 2021.

 

Reunião - A possibilidade da concessão foi um dos assuntos tratados na reunião com os deputados e, segundo Silva, também haverá consulta da sociedade antes da definição do modelo e da decisão de integrar ou não o leilão federal. Participaram do encontro o presidente da Assembleia Legislativa, Ademar Traiano, e os deputados Anibelli Neto, Luciana Rafagnin, Luiz Fernando Guerra, Nelson Luersen, Paulo Litro e Wilmar Reichembach.

 

Licitação - O chefe da Casa Civil informou que, devido à urgência da obra, o Governo do Estado pretende licitar os projetos executivos dos trechos mais críticos da PR 280 para que esses lotes possam ser recuperados, seja com recursos próprios ou por meio de financiamento, já no início do próximo ano. “Não dá para esperar. Queremos realizar obras em pelo menos 80 a 100 km da rodovia no prazo mais curto possível”, disse.

 

Investimentos - Ele adiantou que a PR 280 estará no pacote de investimentos em projetos na área de infraestrutura que o governador vai liberar. E convidou os deputados que representam a região para contribuir com sugestões de trechos e de obras necessárias. “Todos queremos resolver o problema da PR 280. A ideia é que juntos possamos buscar o melhor encaminhamento para isso”, afirmou.

 

Próxima semana - Na próxima semana, o grupo de deputados e mais representantes do setor produtivo da região terão uma reunião de trabalho com o governador Ratinho Junior e o chefe da Casa Civil para avaliar as possibilidades e avançar no projeto de revitalização da PR 280. (Agência de Notícias do Paraná)

 

{vsig}2019/noticias/04/04/infraestrutura_I/{/vsig}

INFRAESTRUTURA II: Pedágios podem ter tarifa menor antes da duplicação de rodovias

 

infraestrutura II 04 04 2019O governo estuda introduzir uma novidade no modelo de concessões das rodovias federais. Trata-se da modalidade de "tarifa dinâmica", que vai garantir ao usuário um pedágio reduzido no início da concessão, enquanto os trechos permanecerem em pista simples. Com a nova modalidade, o reajuste só será autorizado em cada trecho por vez conforme as obras de duplicação da rodovia forem concluídas.

 

Proposta - A proposta de aperfeiçoamento das concessões rodoviárias foi apresentada nesta quarta-feira (03/04) pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, em audiência pública na Câmara dos Deputados. Ele destacou que a duplicação passa ser uma condição para a concessionária cobrar "tarifa cheia" do pedágio.

 

Remuneração - A inovação apresentada pelo ministro promete calibrar melhor a remuneração dos investidores observando a relação entre o ritmo de investimento na rodovia e o custo do pedágio para os motoristas.

 

Tarifa - O secretário nacional de Transportes Terrestres do Ministério da Infraestrutura, Jamil Megid Júnior, explicou que as concessões atuais partem de uma "tarifa média", sem considerar o cumprimento do cronograma de investimentos. Isso, segundo ele, provoca a discussão se o pedágio deveria cair quando a duplicação não é feita, mecanismo que não está previsto nos atuais contratos.

 

Estímulo - Freitas avalia que a tarifa dinâmica, além de assegurar um valor de pedágio mais condizente com as entregas feitas pelas concessionárias, vai estimular o investidor a acelerar as obras de duplicação.

 

Risco - Megid explicou que não há risco de a tarifa ficar cara nas praças de pedágio dos trechos duplicados, pois a lógica de amortizar os investimentos ao longo de todo o prazo de concessão será preservada.

 

Setor privado - O secretário afirmou ainda que a novidade, antecipada nesta quarta pelo ministro na Comissão de Viação e Transportes, não foi apresentada ao setor privado. Segundo ele, os estudos estão sendo concluídos pelos técnicos do ministério. A decisão de aplicar o novo modelo de cobrança de pedágio, disse o secretário, será tomada na avaliação de cada nova concessão de rodovia, para saber se haverá viabilidade.

 

Previdência - Em sua passagem pela Câmara, o ministro aproveitou para defender a aprovação da reforma da Previdência, pelo viés de melhora nas condições de atração de investimentos para o país. "A reforma Previdência vai dar sinalização de queda do risco de insolvência. Ela vai trazer o investidor. Vamos mais do que dobrar o fluxo de investimento estrangeiro direto, em muito pouco tempo. Isso significa 1,5 a 2 pontos no PIB, só por causa

disso. Então, é fundamental para nós que estamos operando a infraestrutura do país."

 

Mercado - Freitas disse que mantém contato permanente com representantes do mercado, que demonstram estar confiantes na condução da política econômica no Brasil. "O investidor estrangeiro está doido para vir para cá. Converso com eles todos os dias. O grande medo, que tem afastado esse investidor, é o risco de insolvência", afirmou na audiência.

 

Ferrovias - Ao discutir temas do setor ferroviário, o ministro manifestou apoio ao Projeto de Lei 261/18, em tramitação no Senado, que propõe a introdução do regime de autorização para alavancar investimentos privados. Se aprovado, a autorização deverá conviver com o regime de concessão ferroviária, modelo que obriga a concessionária transferir os ativos à União no encerramento do contrato.

 

Interesse privado - "Isso vai despertar o interesse do privado em tomar risco, muito em função da perpetuidade [na posse dos ativos] em que ele toma o risco, faz o investimento e não tem a obrigação de devolver aquele bem para o Estado ao fim do período de concessão, o que não faz o menor sentido porque a propriedade do bem é dele, já que ele vai tomar o risco e fazer os investimentos", afirmou o ministro. Ele ressaltou que este modelo já é adotado com sucesso em outros países. (Valor Econômico)

 

ANP: Venda de combustível cresce 5,7% em fevereiro, liderada por etanol e diesel

 

anp 04 04 2019O consumo de combustíveis cresceu 5,7% em fevereiro, ante igual mês do ano passado, e fechou o primeiro bimestre com uma alta acumulada de 4,8%, puxada mais uma vez pelo diesel e pelo etanol. As vendas no mês retrasado somaram 10,8 bilhões de litros, de acordo com a Agência Nacional de Petróleo (ANP).

 

Diesel - Tradicionalmente vinculada ao desempenho da economia, sobretudo ao agronegócio e à indústria, a comercialização de diesel cresceu 6,2% em fevereiro, para 4,4 bilhões de litros. A alta acumulada no ano é igualmente de 6,2%. No ano passado, para efeitos de comparação, as vendas do combustível aumentaram 1,4%.

 

Gasolina - Já o consumo de gasolina mantém a trajetória de queda iniciada em 2018, em meio à perda de competitividade do produto para o etanol e caiu 5,6% em fevereiro para 3 bilhões de litros. No primeiro bimestre houve uma retração de 6,7%.

 

Etanol hidratado - As vendas de etanol hidratado, por sua vez, avançaram 39,2% em fevereiro, para 1,7 bilhão de litros, e acumulam uma expansão de 37% no ano. Esse aumento sustentou o crescimento do mercado do Ciclo Otto (veículos leves cujos motores operam com etanol e/ou gasolina) como um todo.

 

Equivalência energética - Tradicionalmente vinculado ao consumo das famílias, esse segmento subiu 2,8% no primeiro bimestre, em gasolina equivalente - medida que considera a equivalência energética do etanol frente a gasolina.

 

GLP - O gás liquefeito de petróleo (GLP), outro mercado tradicionalmente vinculado ao consumo das famílias, cresceu 0,3% em fevereiro. No primeiro bimestre, contudo, a queda foi de 0,7%. O mercado de GLP é associado, sobretudo, ao segmento residencial, embora também seja vendido para comércio e indústrias.

 

Óleo combustível - O consumo de óleo combustível, ligado principalmente ao despacho das termelétricas, por sua vez, caiu 8,4% no segundo mês do ano. A queda nos dois primeiros meses é de 17,7%. Já entre os destaques positivos, as vendas de querosene de aviação (QAV) cresceram 5,2%, num sinal de que o mercado doméstico de aviação mantém o movimento de reaquecimento registrado no ano passado. No primeiro bimestre, o consumo registrou expansão de 4,5%. (Valor Econômico)

 

PREVIDÊNCIA: Ministro da Economia admite mudanças na proposta de reforma

 

previdencia 04 04 2019O ministro da Economia, Paulo Guedes, insistiu que o atual sistema previdenciário “está condenado”, mas reconheceu nesta quarta-feira (03/04) que caberá ao Congresso definir os pontos que permanecerão na reforma da Previdência. Por quase seis horas e meia, ele participou de audiência pública na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara dos Deputados, que analisa a admissibilidade da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 6/19.

 

Comparação - Guedes comparou o sistema de repartição simples – em vigor hoje e no qual os trabalhadores pagam os benefícios dos aposentados – a um avião sem combustível que se dirige para alto-mar. Ele disse ser apenas um equacionador que elaborou uma proposta. “Cabe ao Congresso decidir se colocaremos nossos filhos e netos nesse avião”, afirmou.

 

Capitalização - O ministro iniciou sua participação na audiência pública defendendo a criação de um sistema de capitalização individual, para que no futuro cada trabalhador tenha uma conta para depositar suas contribuições para aposentadoria. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que acompanhou o ministro na maior parte do tempo, avaliou ontem que esse item dificilmente será aprovado.

 

Alterações - Durante o debate, o ministro da Economia admitiu também alterações nas propostas de mudanças nas aposentadorias rurais e no Benefício Assistencial de Prestação Continuada (BPC) pago a idosos carentes. Na semana passada, 13 partidos apresentaram um documento em que se posicionam contra a proposta do Executivo, devido aos eventuais impactos especialmente nos pequenos municípios.

 

Soberania - Pela manhã, ao embarcar em Israel de volta ao Brasil, o presidente da República, Jair Bolsonaro, havia comentado as resistências à reforma da Previdência. “O Parlamento é soberano para fazer polimentos e tirar alguma coisa”, disse. “Nós gostaríamos que não tivesse mudanças, mas não existe projeto sem mudança”, acrescentou Bolsonaro, segundo a Agência Brasil. “A boa Previdência é a que passa.”

 

Desconstitucionalização - A PEC 6/19 pretende reformar as aposentadorias dos trabalhadores do setor privado e dos servidores públicos de todos os Poderes e de todos os entes federados (União, estados e municípios). A idade mínima será de 65 anos para os homens e 62 para as mulheres, considerando ainda o tempo de contribuição. Haverá regras de transição para os atuais contribuintes.

 

Dispositivos - O texto retira da Constituição vários dispositivos que hoje regem a Previdência Social, transferindo a regulamentação para lei complementar. O objetivo, diz o governo, é conter a diferença entre o que é arrecado pelo sistema e o montante usado para pagar os benefícios. Em 2018, o deficit previdenciário total – setores privado e público mais militares – foi de R$ 266 bilhões.

 

Críticas - No debate com Paulo Guedes, a “desconstitucionalização” foi criticada por vários integrantes da CCJ, sob o argumento de que fere cláusulas pétreas da Constituição, que prevê um sistema solidário com contribuições de trabalhadores, empregadores e governo. Como nas demais questões, o ministro realçou que cabe aos deputados decidir se mantêm ou não a medida.

 

Parecer - Indicado pelo presidente da CCJ, deputado Felipe Francischini (PSL-PR), o relator da reforma da Previdência, deputado Delegado Marcelo Freitas (PSL-MG), reiterou que apresentará o parecer na próxima terça-feira (09/04). Ele disse que o relatório enfrentará todas as questões levantadas pelos integrantes do colegiado na audiência pública com o ministro da Economia.

 

Bate-boca - Em vários momentos da audiência pública, Paulo Guedes discutiu com integrantes da CCJ. Os questionamentos de parlamentares que se opõem à reforma da Previdência incomodaram, e o ministro procurou reagir prontamente. Mas também se desculpou em algumas oportunidades: “Sou muito respeitoso, mas não tenho familiaridade com esse tipo de ambiente”.

 

Questionamentos - Ao ser questionado por parlamentares sobre eventuais alternativas à reforma da Previdência, como reforma tributária, com taxação de grandes fortunas, e fim de subsídios e renúncias fiscais, Guedes foi duro. “Escutei todo mundo e agora é a minha vez de falar”, afirmou. “Este governo tem só três meses, vocês estão há 18 anos no poder, por que não votaram essas mudanças?”

 

Favorecimentos - Em resposta a eventuais favorecimentos na proposta de reforma do sistema de proteção social dos militares (PL 1645/19), que é acompanhada de uma reestruturação de carreiras e impacto fiscal líquido de R$ 10,45 bilhões, Guedes desafiou os parlamentares a mudar o texto. “Cortem vocês”, disse. “Têm medo de fazer isso?”

 

Juristas - A CCJ deve votar o parecer do deputado Delegado Marcelo Freitas sobre a admissibilidade da PEC 6/19 até o próximo dia 17, segundo estimativa do relator. Nesta quinta-feira (04/04), o colegiado volta a discutir a reforma da Previdência, desta vez com juristas. (Agência Câmara)

 

Veja os principais pontos da reforma da Previdência

Entenda a tramitação da reforma da Previdência

 

PARANÁ: Comissão da Assembleia aprova reforma administrativa

 

parana 04 04 2019A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa do Paraná aprovou nesta quarta-feira (03/04) o projeto de lei de autoria do Poder Executivo, que redesenha a estrutura organizacional da Administração Direta.

 

Economia - O projeto de lei prevê uma economia de R$ 10,6 milhões anuais aos cofres públicos, resultado da redução do número de secretarias (de 28 para 15) e da extinção de 339 cargos comissionados e funções gratificadas. Objetivo da proposta é reorganizar o Estado, aumentar a eficiência e economizar recursos públicos. A meta é economizar entre R$ 30 milhões e R$ 40 milhões quando todo o processo estiver concluído.

 

Cálculos - Os cálculos foram realizados por técnicos das secretarias da Fazenda, Planejamento, Administração, Casa Civil e da Procuradoria-Geral do Estado. O estudo indica que dos 2.515 cargos em comissão da administração direta foram cortados 261. As funções de gestão pública passaram de 906 para 857, uma redução de 49. Já na Coordenação da Receita Estadual houve um corte de 29 cargos, passando de 89 para 60. No total, foram eliminados 339 cargos.

 

Vinculação - A proposta muda a vinculação do Simepar e do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (que saem da Governadoria e passam, respectivamente, para a Secretaria de Desenvolvimento Sustentável e a Casa Civil) e extingue o Departamento Estadual de Arquivo Público como órgão de regime especial, passando suas competências à Secretaria de Estado da Administração e da Previdência.

 

Primeira etapa - Esta é a primeira etapa da reforma e a mais ampla. O projeto de lei define as competências de cada pasta, a vinculação dos órgãos da administração indireta e a distribuição dos servidores efetivos de carreira com a fusão das secretarias. Outras duas etapas da reforma tratarão da junção de autarquias e da redução da estrutura física do Estado. (Agência de Notícias do Paraná)

 


Versão para impressão


RODAPE