Imprimir
CABECALHO

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4536 | 18 de Março de 2019

SISTEMA OCEPAR I: Pré-assembleia em Cafelândia reúne 105 participantes do Núcleo Oeste

Na manhã desta segunda-feira (18/03), na Associação dos Funcionários da Copacol (Aercol), em Cafelândia (PR), foi realizada a primeira pré-assembleia do Sistema Ocepar, de uma série de quatro que ocorrerão nesta semana em todos os Núcleos Cooperativos da entidade. Participaram 105 representantes de cooperativas do Oeste do Estado.

Abertura - O evento foi aberto pelo coordenador do Núcleo Oeste e presidente da C.Vale, Alfredo Lang. Ele deu boas-vindas aos presentes e passou a palavra ao presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, que enalteceu o fato dessa ser a 53º reunião de núcleos cooperativos. “É uma oportunidade para prestar contas das ações do sistema e ouvir as cooperativas em suas demandas. Estamos inovando, afinal, além de anteciparmos de maio para março a realização da primeira etapa do ano dos Encontros de Núcleos, estamos promovendo, pela primeira vez na história do sistema, as pré-assembleias. Nos espelhamos no êxito das nossas cooperativas que, ao longo do tempo, aprimoraram esta forma de prestar contas. Assim, podemos levar a um maior número de pessoas a nossa prestação de contas de 2018 e o que pretendemos realizar em 2019”, afirmou.

Metodologia - Ainda de acordo com Ricken, nesta oportunidade está sendo aplicada uma metodologia diferente de execução dos eventos. “Teremos uma palestra com o ex-secretário da agricultura de Santa Catarina, Airton Spies, que falará sobre competividade e sustentabilidade. Em seguida, apresentaremos, com nossos superintendentes da Ocepar e Sescoop/PR e do gerente da Fecoopar, um resumo do relatório de atividades”. O presidente lembrou que, na ocasião, serão indicados os delegados que irão participar, em maio, em Brasília, no Congresso Brasileiro de Cooperativismo (CBC), representando o Paraná. “Também vamos eleger aqui a nova coordenação do Núcleo Oeste e a nova diretoria do Sincoopar Oeste, hoje presidida por Dilvo Grolli”, explicou. Ao final, foi eleito para ser o novo coordenador do Núcleo Oeste o presidente da Copacol, Valter Pitol, em substituição a Afredo Lang, da C.Vale. Também foram indicados para a diretoria da Ocepar pela região Oeste, além de Pitol, Dilvo Grolli, presidente da Coopavel, e Valter Vanzella, presidente da Frimesa.

Momento político - Em seu pronunciamento, Ricken destacou o cenário político vivido no país. “Passamos por um momento diferente, com expectativas em relação aos governos estaduais e federais e ao Congresso. Se havia esperança de mudança, isso aconteceu. Precisamos contribuir para que dê certo, tanto em âmbito estadual como federal. Precisamos avançar e nossas cooperativas necessitam ter segurança para continuarem investindo como sempre fizeram, gerando emprego e renda na cidade e no campo”. Outro ponto ressaltado foi o bom crescimento apresentado pelas cooperativas no exercício de 2018. “Crescemos R$ 13 bilhões no faturamento, de 2017 para 2018, passando para R$ 83,5 bilhões. Geramos quase 100 mil empregos diretos, realizamos 8.776 eventos de formação profissional e promoção social, com quase 220 mil participações. No ano passado, as cooperativas do Paraná exportaram ainda US$ 3,9 bilhões e recolheram mais de R$ 2 bilhões em impostos”, frisou o presidente do Sistema Ocepar.

Cooperativas anfitriãs - Na sequência, a presidente do Sicredi Nossa Terra, Maura Carrara, e da Copacol, Valter Pitol, realizaram apresentações sobre as cooperativas anfitriãs.

Presenças - Participaram do evento desta segunda, em Cafelândia: o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, o coordenador do Núcleo Oeste e presidente da C.Vale, Alfredo Lang, o vice-coordenador e presidente da Primato, Ilmo Werle Welter, os anfitriões do evento, Valter Pitol, presidente da Copacol, e a presidente do Sicredi Nossa Terra, Maura Carrara, os diretores da Ocepar, Dilvo Grolli, presidente da Coopavel, Jaime Basso, presidente da Sicredi Vale do Piquiri e vice da Central Sicredi, Ricardo Chapla, presidente da Copagril, Urbano Inácio Frey, membro do Conselho Fiscal da Ocepar e diretor secretário da cooperativa Lar, e James Fernando Morais, membro do Conselho Fiscal do Sescoop/PR e vice-presidente da Copacol.

Continuidade - Seguindo a mesma programação, o Sistema Ocepar dará continuidade à realização das pré-assembleias juntamente com os Encontros de Núcleos nesta terça-feira (19/03), em Mangueirinha, com cooperativistas do Sudoeste; na quarta-feira (20/03), em Londrina, com representantes do Norte e Noroeste, e na quinta-feira (21/03), em Ponta Grossa, com lideranças do Centro-Sul. As atividades ocorrem das 8h30 às 13h.

Fotos: Assessoria Copacol

{vsig}2019/noticias/03/18/sistema_ocepar_I/{/vsig}

SISTEMA OCEPAR II: Airton Spies fala sobre competitividade e sustentabilidade da economia

sistema ocepar II 18 03 2019Fundamentos da competitividade e sustentabilidade da economia. Esse foi o tema da palestra ministrada por Airton Spies, na manhã desta segunda-feira (13/03), em Cafelândia (PR), durante a programação da pré-assembleia do Sistema Ocepar, que ocorreu junto com o Encontro de Núcleo da região Oeste. Doutor em Economia dos Recursos Naturais, mestre em Ciências Agrícolas e ex-secretário da Agricultura e Pesca do Estado de Santa Catarina, ele disse ao Informe PR Cooperativo quais pontos abordou em sua apresentação.

Necessidade - “Nós falamos principalmente sobre a necessidade das organizações e os próprios produtores se ajustarem continuamente a novos parâmetros de concorrência saudável, para sobreviver e persistir, durar dentro desse ambiente econômico que estamos inseridos”, disse Spies.

Condição - De acordo com ele, os fundamentos e os princípios que dão essa condição de sustentabilidade e competitividade são importantíssimos para que as cooperativas e todos os seus negócios sejam estruturados para dar resultados. “Mas há um detalhe: algumas coisas são internas nas organizações, como a sua própria eficiência. E há outros fatores que são externos, como, por exemplo, a logística, a infraestrutura, a legislação, a burocracia, o sistema tributário, o sistema trabalhista, a educação, que fornece a qualificação dos trabalhadores. Tudo isso também afeta a competividade”, afirmou.

Setor agropecuário - “Principalmente para o setor agropecuário, isso é extremamente importante porque o Brasil é superavitário na produção de alimentos e precisa exportar, senão não temos onde colocar toda a nossa produção”, complementou.

Mercado internacional - Ainda de acordo com ele, hoje a competividade das empresas também deve ser analisada pelo prisma do mercado internacional. “E, para poder bater em todas as portas desse mercado, temos que apresentar produtos de alta qualidade, produzidos a custo competitivo e especialmente dentro de uma organização logística que seja capaz de oferecer esses produtos onde quer que o consumidor esteja no mundo. Ao preparar os seus negócios para serem competitivos, nós conseguimos também dar mais longevidade e sobrevivência às organizações ao longo do tempo”, sublinhou.

Exemplos - “O Brasil está cheio de exemplos de organizações que não fizeram o dever de casa e sucumbiram, faliram, desapareceram. E há outras que têm histórias bem construídas de sucesso, de longa duração. E é claro que o sistema cooperativo do Paraná é um exemplo de sucesso”, continua Spies. “Nós vimos a apresentação dos resultados de 2018, que são bastante animadores, principalmente para o país, que tecnicamente passou por sua pior recessão, em 2017, mas o crescimento ainda é muito baixo, 1,1% no ano passado. A nossa economia ainda anda com o freio de mão puxado, mas nós discutimos aqui justamente todos os princípios e fatores que precisam ser mudados no Brasil para tornar a nossa economia mais competitiva. Nosso país figura hoje no ranking mundial de competitividade em 72º lugar, mesmo tendo a oitava maior economia. É claro que o Brasil tem muito dever de casa a fazer e, ao fazer o dever de casa, ele vai melhorar muito”, afirmou ainda.

Clique aqui e confira na íntegra a entrevista de Airton Spies concedida ao coordenador de Comunicação do Sistema Ocepar, Samuel Milléo Filho

 

SISTEMA OCEPAR III: Realização das pré-assembleias é bem recebida pelas lideranças cooperativistas

As lideranças cooperativistas que acompanharam a realização da primeira pré-assembleia do Sistema Ocepar, ocorrida junto com o Encontro de Núcleo do Oeste, na manhã desta segunda-feira (18/03), em Cafelândia (PR), avaliaram positivamente a iniciativa. “Vejo com bons olhos e todos os associados participantes dos Núcleos veem da mesma forma. Uma oportunidade de poder compartilhar com um número maior de cooperativistas as importantes ações realizadas pelo Sistema Ocepar. Nos núcleos, temos até mais tempo para detalhar o que foi realizado e dar oportunidade para que, não só o presidente da cooperativa possa tomar conhecimento sobre os resultados e as ações que serão desenvolvidas, mas, também, o cooperado. Assim, as decisões serão mais assertivas. O Ricken está de parabéns por esta inovação nas reuniões de núcleos. Com certeza, será a primeira de muitas pela frente”, disse o coordenador do Núcleo Oeste e presidente da C.Vale, Alfredo Lang.

Desafio – Sobre a função de coordenar regionalmente os núcleos, Lang disse que é um desafio. “Precisamos ter a sensibilidade de ouvir todos os ramos regionais sobre seus anseios e demandas. Respeitar suas peculiaridades e levar para o Sistema as demandas. Precisa haver uma habilidade para perceber o que é melhor par ao grupo e não para esta ou aquela cooperativa. E o coordenador tem assento na diretoria da Ocepar e pode também discutir com todos os demais diretores todos os meses”, afirmou.

Democratização -  Para a presidente da Sicredi Nossa Terra, Maura Carrara, por meio das pré-assembleias, o Sistema Ocepar proporciona a ampliação do conhecimento sobre as atividades que a entidade executa. “Esta iniciativa do Sistema Ocepar é importante para democratizar as informações. Assim, dá oportunidade para que mais pessoas tomem conhecimento daquilo que a entidade faz e o que ela representa, não só para as cooperativas mas, também, para os próprios cooperados de todos os ramos. Isso fortalece ainda mais a presença do sistema em sua base principal, que são as cooperativas”, afirmou Maura. De acordo com ela, há muitos anos a Sicredi Nossa Terra realiza as pré-assembleias. “Estamos incluindo 15 novos municípios na área de ação em São Paulo, com a participação de mais de 25% do nosso quadro social”, acrescentou.

Coleta de óleo - Ao fazer a apresentação de sua cooperativa, que foi uma das anfitriãs do evento em Cafelândia, a presidente da Sicredi Nossa Terra falou ainda sobre uma proposta de coleta de óleo. “Aproveitei a oportunidade para lançar uma importante ação ambiental: “O planeta está em suas mãos”, com a finalidade de auxiliar na recolha correta de óleo doméstico, e que vem ao encontro da preservação de nossas águas. Não é mais novidade que o óleo de cozinha é um terrível fator contaminante para a água e o solo. Muitas pessoas querem realizar a reciclagem ou o descarte consciente de seu óleo de cozinha usado, mas não sabem onde e como entregar esse material. Pensando nisso, estamos distribuindo o Oliplanet Sicredi, um coletor simples, mas que facilita muito na hora de colocar o óleo dentro das garrafas pets. Estamos distribuindo para os cooperados em todas as pré-assembleias e, assim, contribuindo para a preservação do meio ambiente, pois um litro de óleo jogado de forma incorreta pode contaminar cerca de 20 mil litros de água”, explicou.

Elogio - “Uma iniciativa que tem que ser elogiada”, afirmou o presidente da Copacol, Valter Pitol, sobre as pré-assembleias do Sistema Ocepar. “O Sistema Ocepar sempre trouxe para os núcleos um resumo de suas ações no semestre, mas realizar essas pré-assembleias é uma ideia interessante e que democratiza ainda mais os resultados, sejam números ou ações realizadas e que impactaram diretamente na vida dos cooperados. Na assembleia anual da Ocepar vão sempre um ou dois diretores. Já aqui nos núcleos temos a oportunidade de trazer um maior número de cooperados, o que facilita este contato direto”, acrescentou.

Sobre a cooperativa - Na manhã desta segunda, Pitol falou sobre os resultados obtidos pela Copacol, que também foi uma das anfitriãs do evento. “O ano de 2018 foi razoável, um ano bom. Conseguimos atender aos anseios e a expectativa dos produtores cooperados. Centramos nosso trabalho em planejamento mas, também, na organização do nosso quadro social, cooperados, jovens e mulheres, para que possam também participar das decisões da cooperativa. Quando a família participa de forma integrada, é mais fácil implementar mudanças, afinal, os integrantes se comprometem em levar a frente nosso planejamento e assim todos podem se beneficiar. Ter cooperados cada vez mais capacitados e preparados é uma meta da cooperativa e acredito que estamos fazendo um bom trabalho neste sentido. Em 2018, a cooperativa alcançou um faturamento de R$ 3,84 bilhões, recebemos 1,3 milhão de toneladas de cereais, abatemos 560 mil aves por dia, 140 mil tilápias, 30 mil suínos entregues para a Frimesa e 1 milhão de litros de leite por mês. São números que demonstram a diversificação de nossos cooperados. E essa integração cria um equilíbrio melhor dentro da cooperativa e todos crescem”, completou.

Fotos: Assessoria Copacol

{vsig}2019/noticias/03/18/sistema_ocepar_III/{/vsig}

 

GETEC: Informe traz expectativas do mercado financeiro sobre indicadores econômicos

gerencia tecnica destaque 18 03 2019A Gerência de Desenvolvimento Técnico da Ocepar (Getec) divulga, nesta segunda-feira (18/03), mais uma edição do Informe Expectativas de Mercado, com base nas informações do Boletim Focus, do Banco Central, levantadas com instituições financeiras sobre as projeções relativas à economia nacional, contemplando o Produto Interno Bruto (PIB), IPCA (Índice de Preços ao Consumidor), taxa Selic e câmbio para 2019, 2020 e 2021.

Informações – Mais informações podem ser obtidas com Maiko Zanella (maiko.zanella@sistemaocepar.coop.br / 41 3200-1115) ou com Jessica Raymundi (jessica.costa@sistemaocepar.coop.br / 41 3200-1133).

Clique aqui para acessar na íntegra o Informe Expectativas de Mercado

 

WOCCU: CEO do Conselho Mundial de Cooperativas de Crédito visita o Brasil

 

woccu 18 03 2019Em viagem ao Brasil, o presidente e CEO do Conselho Mundial de Cooperativas de Crédito (Woccu, na sigla em inglês), Brian Branch, conhecerá de maneira detalhada, nesta segunda e terça-feira (18 e 19/03), a atuação da Central Sicredi PR/SP/RJ, em Curitiba. O executivo vai visitar as principais áreas da central, que reúne 31 cooperativas nos estados do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro, possui mais de 1,23 milhão de associados e está presente em 476 municípios, sendo a única instituição financeira em 57 cidades do Paraná. Além disso, o executivo vai conhecer algumas das agências do Sicredi que foram inauguradas recentemente.

 

Reconhecimento - A atuação do Sicredi no oferecimento de serviços financeiros e desenvolvimento das regiões onde atua sempre foi reconhecida pelo Conselho Mundial de Cooperativas de Crédito. Em 2018, a instituição financeira cooperativa recebeu o Grouth Award, concedido pelo Woccu pelo crescimento na base de associados às cooperativas de todo o mundo. No mesmo ano, o Sicredi recebeu o prêmio internacional do Conselho pelo desenvolvimento de lideranças femininas no cooperativismo de crédito com o Athena Award 2018.

 

Conferências - “O Sicredi participa das conferências anuais realizadas pelo Woccu que proporcionam o compartilhamento de ideias e troca de experiências do setor. A vinda do Brian Branch ao Brasil para conhecer mais de perto as ações que desenvolvemos e a nossa experiência também é muito importante. Juntos podemos pensar nos desafios que o setor nos apresenta e as possíveis soluções”, explica o presidente nacional do Sistema Sicredi e da Central PR/SP/RJ, Manfred Dasenbrock.

 

Campos Gerais - Na terça-feira, o presidente do Conselho Mundial de Cooperativas de Crédito visitará a Sicredi Campos Gerais PR/SP, em Ponta Grossa, para conhecer integrantes do Comitê Mulher, ação que ajuda a inspirar mulheres para a promoção de lideranças femininas. O executivo ainda vai conhecer a fábrica de alimentos Alegra, uma das cooperativas de origem holandesa que constitui o grupo Unium e o Parque Histórico de Carambeí.

 

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.600 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi)

 

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

SICREDI INTEGRAÇÃO: Período de Assembleias 2019 é encerrado com participação recorde de associados

 

sicredi integracao 18 03 2019A Sicredi Integração PR/SC realizou, entre os dias 11 e 21 de fevereiro, as Assembleias de Núcleo 2019. Nesta edição foram realizadas 14 reuniões, que contaram com a presença de 2 mil associados - o que representa um aumento de 71% de participação na comparação com 2018.

 

AGO - O encerramento do processo assemblear ocorreu com a realização da Assembleia Geral Ordinária de Delegados (AGO), realizada no dia 28 de fevereiro. No encontro, conduzido pelo presidente da Sicredi Integração PR/SC, Luiz Roberto Baggio, os delegados validaram os votos das Assembleias de Núcleo, com destaque para a eleição do novo Conselho Fiscal, que terá mandato até 2021. 

 

Presenças - O evento contou com a presença do secretário de Agricultura e Abastecimento do Paraná, Norberto Ortigara, que traçou um panorama sobre as perspectivas do agronegócio paranaense. Contou também com a participação do presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, que destacou o crescimento consistente das cooperativas do Paraná e os desafios para os próximos anos.

 

Destaques - Os destaques de 2018 da Sicredi Integração PR/SC foram: o atingimento da marca de 30 mil associados - no ano em que a cooperativa completa 30 anos de história, representando um crescimento de 13% do quadro social; crescimento de 22% no volume de recursos administrados e de 29% no patrimônio líquido.

 

Participação efetiva - “A Assembleia dá a oportunidade ao associado de participar de forma ainda mais efetiva de sua cooperativa. A Sicredi Integração PR/SC agradece a presença dos associados que mais uma vez, contribuíram para o crescimento do cooperativismo de crédito e para o desenvolvimento econômico das comunidades”, afirma Luiz Roberto Baggio.

 

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.600 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi Integração PR/SC)

 

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

SICREDI CAMPOS GERAIS Assembleias reúnem mais de 10 mil pessoas

 

A Sicredi Campos Gerais encerrou, na sexta-feira (15/03), em Ponta Grossa, o ciclo de Assembleias 2019. Desde o dia 02 de fevereiro, foram realizados 23 eventos, nos 14 municípios onde a cooperativa possui agência. Ao todo, os encontros somaram mais de 10 mil pessoas, entre associados e convidados. O recorde de público foi na agência Ponta Grossa Nova Rússia, com 675 participantes.

 

Delegados - Na sexta-feira, a cooperativa realizou, em sua Sede Regional, a Assembleia Geral de Delegados, reunindo associados representantes de cada uma das 26 agências, além de conselheiros, diretores e gerentes. No encontro foram homologadas as decisões tomadas nas reuniões de núcleo, e a ata deste evento remetida para aprovação do Banco Central do Brasil. 

 

Gestão democrática - De acordo com o presidente da Sicredi Campos Gerais, Popke Ferdinand Van Der Vinne, a participação nas assembleias reforça o modelo de gestão democrático onde os associados participam ativamente das decisões da cooperativa e acompanham o planejamento e as ações que vem sendo realizadas. “Cada vez mais percebemos essa consciência do associado em acompanhar e participar da vida da cooperativa. A prova disso é o aumento da participação nas assembleias”, comemora o presidente. “Tivemos mais de 10 mil pessoas presentes, o que representa um recorde histórico”, revela.

 

Distribuição dos resultados - Durante as assembleias, a Sicredi levou aos associados uma prestação de contas completa, falando sobre as inaugurações, ações na comunidade e resultados de 2018. “Alcançamos um resultado de R$ 49 milhões. Deste montante, a proposta aprovada por unanimidade nas assembleias foi de direcionar R$ 12,3 milhões aos associados, sendo 30% em conta corrente e 70% na conta capital”, revela o diretor executivo, Márcio Zwierewicz.

 

Diferenciais - Conforme Zwierewicz, essa distribuição dos resultados é apenas um dos diferenciais da Sicredi. “Além da distribuição dos resultados, que é algo muito relevante, temos muitos outros diferenciais. Nossa estrutura valoriza o associado oferecendo agências adequadas e confortáveis e um sistema de tecnologia simples e prático. Na Sicredi, o associado escolhe a forma de ser atendido”, ressalta.

 

Aniversário Premiado - Durante as assembleias, a diretoria teve a oportunidade de apresentar para os associados a campanha promocional comemorativa aos 30 anos da Sicredi Campos Gerais. Denominada Aniversário Premiado, a promoção ocorre de fevereiro a agosto. Serão sorteados 27 prêmios de R$ 10 mil (um por agência), e mais três carros zero quilômetro. Para participar, basta adquirir um produto ou serviço nas agências da Sicredi Campos Gerais. O regulamento da promoção está disponível em www.sicredi.com.br/promocoes. (Imprensa Sicredi Campos Gerais PR/SP)

 

{vsig}2019/noticias/03/18/sicredi_campos_gerais/{/vsig}

SICREDI VALE DO PIQUIRI: 3º Encontro Regional celebra Dia Internacional da Mulher

 

O Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP promoveu, no dia 9 de março, o 3º Encontro Regional da Mulher, com mais de 1.700 associadas. Na oportunidade, as mulheres de todos os municípios da área de atuação da cooperativa no Paraná comemoraram o Dia Internacional da Mulher em grande estilo.

 

Organização - O encontro foi organizado pelo Comitê Mulher da Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, criado em 2016. Segundo Cláudia Bonatti, Gerente de Desenvolvimento do Cooperativismo da Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, o Comitê tem por objetivo fomentar o aumento da participação do quadro feminino na vida e na gestão da Cooperativa. “É gratificante poder perceber o quanto o Comitê contribuiu para o desenvolvimento pessoal e profissional destas mulheres e na descoberta de que elas são líderes, são empoderadas e de como a participação delas é importante para a trajetória da Cooperativa e para a construção de um mundo melhor”, comenta.

 

Programação -  A noite promovida pelas mulheres teve como tema: “As várias faces da Mulher Empoderada” e foi dividida em várias partes. A primeira foi a acolhida e boas-vindas do presidente da cooperativa, Jaime Basso, que destacou a importância da mulher na vida da sociedade onde ela vive e na gestão da cooperativa também. “É um motivo de grande alegria poder reunir tantas mulheres para conversar sobre temas tão relevantes e atuais. Nestas três primeiras edições do evento e em todas as outras que virão, nosso objetivo sempre será valorizar a mulher e dizer que a participação dela faz a diferença em nosso empreendimento”, complementa.

 

Proximidade - Em seguida, as mulheres do Comitê foram apresentadas e comentaram sobre a importância de estarem mais próximas da cooperativa, desenvolvendo ações que a aproximam da comunidade local. “Fazer parte do Comitê tem sido maravilhoso. Como cidadã, o Comitê tem me proporcionado atuar na sociedade e ajudar a transformar o meio em que eu vivo. E como profissional, tenho me aperfeiçoado e aprendido muito através das capacitações que recebemos.”, comenta Débora Domingues da Costa, membro do Comitê Mulher.

 

Primeira palestra - A primeira palestra da noite foi conduzida pela Promotora de Justiça de Palotina, Cristiane Aparecida Ramos, que conversou sobre o cenário da violência doméstica no Brasil, sobre como as mulheres podem se proteger e como devem agir nestas circunstâncias. “É importante discutirmos o tema e não ficarmos caladas diante de tantos acontecimentos. Por isso, convido a todas a dizerem ‘Basta!’ a tanto sofrimento. Nossa luta pela equidade de direitos entre homens e mulheres será eterna.”, enfatizou Cristiane.

 

Empoderamento - A noite encerrou com a participação da professora e Doutora em Educação, Emilia Cipriano que abordou o tema principal do encontro: “As várias faces da Mulher Empoderada”. A palestra apresentou o assunto de forma lúdica, dinâmica e trouxe reflexões significativas para as participantes. “É extremamente importante poder dialogar com as mulheres sobre o empoderamento feminino, que é algo tão estruturante para nossa sociedade, no sentido de as mulheres serem realmente potências dos seus espaços, em uma construção coletiva.”, afirma.

 

Apresentação musical - E, antes de voltarem para casa, as convidadas foram presentadas por uma apresentação musical do grupo “Talentos da Vale”, formado por colaboradoras da cooperativa que preparou um lindo repertório. (Imprensa Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP)

 

{vsig}2019/noticias/03/18/sicredi_vale_piquiri/{/vsig}

INSTITUTO SICOOB: Nova diretoria e Conselho Fiscal da Cooperativa Mirim COOAL são apresentados na AGO

 

A COOAL, cooperativa mirim de São João, realizou no dia 12 de março sua Assembleia Geral Ordinária (AGO). A reunião ocorreu no Rotary Club e contou com a participação de representantes do Instituto Sicoob e do Sicoob Integrado, que é a singular madrinha do projeto.

 

Prestação de contas e eleição - Na oportunidade, a cooperativa fez a prestação de contas do exercício 2018 e apresentou à comunidade os trabalhos realizados ao longo do ano. Na ocasião, também foram eleitos os novos membros da diretoria e do Conselho Fiscal para o exercício 2019/2020.

 

Projeto - O conselheiro do Sicoob Integrado, Irineu Alves de Oliveira, participou da AGO e falou sobre a importância do projeto. “Estamos desenvolvendo as crianças desde cedo para o senso da cooperação e da solidariedade, para que cresçam cidadãos conscientes. A cooperativa mirim colabora para que eles entendam o sentido do cooperativismo, algo que será útil para toda a vida”, afirma. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

{vsig}2019/noticias/03/18/instituto_sicoob/{/vsig}

ALEGRA FOODS: Super Rio apresenta tendências da indústria alimentícia

 

alegra 18 03 2019Entre os dias 19 e 21 de março (terça a quinta-feira), o Rio de Janeiro receberá o maior evento de profissionais dos setores de supermercado, panificação, hotelaria, franchising, conveniência e restaurante. A 31ª edição da Super Rio Expofood, promovida pela Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (ASSERJ), acontecerá no centro de convenções Riocentro e vai apresentar, além de um espaço para exposição, diversas palestras e painéis sobre as últimas novidades da indústria alimentícia contando com a participação de grandes players do mercado.

 

Visitantes - No ano passado, a Super Rio contou com a presença de mais de 48 mil visitantes e neste ano a expectativa é de um número ainda maior. Serão mais de 500 expositores, incluindo os 200 maiores supermercadistas do País.

 

Alegra - Entre os participantes está a Alegra, marca que possui uma linha completa de produtos que utilizam carne suína na composição, como linguiças defumadas, linguiças frescais, presuntaria, salames e copa, temperados, ingredientes para feijoada, cortes salgados, cortes in natura, entre outros: são mais de 60 opções de produtos, exportados para mais de 20 países. Além disso, a Alegra conta com a certificação North American Meat Institute (NAMI) de bem-estar animal para suínos, concedida pelo World Quality Services (WQS), reconhecida como uma das entidades mais rigorosas de segurança alimentar do mundo.

 

Evento gratuito - O evento é gratuito mediante comprovação de vínculo com o setor. Mais informações pelo e-mail credenciamento@superrioexpofood.com.br ou telefone (21) 2494-3039.

 

Sobre a Alegra - A fabricante de alimentos Alegra é a união das cooperativas de origem holandesa, Frísia, Castrolanda e Capal, que constituem o grupo Unium. Uma empresa que combina condições de trabalho ideais aliando tecnologia, equipamentos de última geração, preocupação com o bem-estar dos animais e sustentabilidade em seu parque industrial, sempre primando pela excelência em seu produto final, que utiliza as melhores carnes suínas.

 

Conquista - Em 2017, a marca conquistou o reconhecimento internacional quanto às Práticas de Bem-estar Animal no abate, tornando-se a primeira planta brasileira a receber essa certificação em bem-estar suíno, pela WQS. Mais informações em www.alegrafoods.com.br. (Imprensa Alegra Foods)

 

SERVIÇO

Super Rio Expofood

Data: 19 a 21 de março (quarta a quinta-feira)

Horário: das 14h às 22h

Local: Riocentro (Rua Salvador Allende, 6555 – Jacarepaguá | Rio de Janeiro - RJ)

Mais informações: http://www.superrioexpofood.com.br

COCARI: AGO apresenta planejamento e presta contas aos cooperados

 

Na quinta-feira (14/03), a Cocari reuniu diretores, representantes dos Conselhos de Administração e Fiscal, cooperados, colaboradores, assessores e convidados na Associação Atlética da cooperativa, em Mandaguari (PR), para a prestação de contas de 2018 e apresentação do planejamento para o ano de 2019. Os temas abordados foram anteriormente debatidos nas pré-assembleias, promovidas em toda a área de ação da Cocari, nos municípios do Paraná, Goiás e Minas Gerais. Ao todo, foram 29 reuniões com os associados e representantes da cooperativa.

 

Prestação de contas - A Assembleia Geral Extraordinária (AGE) e a Assembleia Geral Ordinária (AGO) apresentaram pautas envolvendo a reforma estatutária, o balanço patrimonial do exercício de 2018 e a aprovação do planejamento para 2019. O presidente da Cocari, Vilmar Sebold, ressaltou o dinamismo do mercado e relembrou a greve dos caminhoneiros que gerou impacto nas atividades da cooperativa, destacando que “A Cocari não passou por tudo isso sem sentir as turbulências”. Sebold enfatizou as expectativas para o ano. “Para 2019 esperamos comemorar safras cheias, preços dignos e que as promessas do novo governo sejam implementadas para que tenhamos um país justo e previsível”, afirmou.

 

Balanço - O vice-presidente da cooperativa, Marcos Trintinalha, falou sobre os resultados e sobre a evolução da Fábrica de Rações e da Fiação Cocari, comentando o desenvolvimento das atividades no decorrer do exercício. Os superintendentes de João Paulo Burihan Faria (Financeiro e de Suprimentos), Éric Heil de Araújo (Comercial) e Jacy Cesar Fermino da Rocha (Logística Integrada) apresentaram o balanço de seus respectivos setores. 

 

Eleição - Durante a AGO foram eleitos os cooperados para compor o Conselho Fiscal de 2019. Os eleitos são: Antonio Marcos Sossai, Miquéias Tagliari e Clóvis Gonçalves Becaria, como efetivos; e Edson Tateyama, João Carlos Barison e Paulo Paggi Jr, para suplentes. Houve uma homenagem a Juliano Aparecido Sacheta, Aguinelo Luiz Feltrin, Celso Santana de Oliveira e Valter Luiz Milani, que se despediram do conselho. 

 

Saldo positivo - O presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, participou do evento e mencionou os impactos da instabilidade política e econômica no setor cooperativista. “O cooperativismo continua. A gente sabe das dificuldades, mas também sabe dos sucessos. Mesmo com a crise a Cocari fechou com o faturamento positivo, isso não é um acaso, é mérito do profissionalismo no trabalho da Cocari”, afirmou.

 

Homenagens - Vilmar Sebold também foi homenageado pela sua trajetória de 40 anos no cooperativismo. Nesse momento foi entregue uma placa comemorativa e o presidente relembrou sua entrada na Cocari, em 1999. “Ninguém faz nada sozinho, tem muita gente que trabalhou bastante também todos esses anos”, destacou. Na oportunidade, Angelo Trintinalha, que recentemente deixou a gerência de Recursos Humanos da cooperativa, recebeu uma placa de homenagem por seus 42 anos de trabalho na Cocari. (Imprensa Cocari)

 

{vsig}2019/noticias/03/18/cocari/{/vsig}

COAMO: Dia 27 de abril começa a Copa de Cooperados

 

A cada dois anos, a cena se repete com os associados atletas e dirigentes da Coamo amantes do futebol suíço entrando em campo para mostrar seu talento e promover uma grande integração por meio do futebol suíço.

 

15edição - Em 2019 será realizada a 15ª edição da Copa Coamo de Cooperados - Futebol Suíço. Considerado o maior evento esportivo rural do país, começa no dia 27 de abril, com jogos na Regional Vale do Ivaí, reunindo associados nas etapas de Engenheiro Beltrão, Fênix, São João do Ivaí, Ivaiporã e Faxinal, além de familiares e comunidade.

 

Fases regionais - As fases regionais serão realizadas de 27 de abril a 06 de julho compreendendo 33 etapas que irão classificar os 33 campeões para participar no dia 27 de julho da grande final da Copa Coamo em Campo Mourão.

 

Participantes - Conforme disposto no artigo 5º do Regulamento Geral da Copa Coamo, poderá participar do evento somente o cooperado com cadastro ativo na Coamo até 29/03/2019 e só poderá integrar uma equipe e participar da Unidade onde estiver cadastrado (local de acerto) até 31/12/2018.

 

Inscrição - Cada equipe deverá inscrever no mínimo 10 (dez) atletas e no máximo 12 (doze) atletas, e inscrever também um técnico e um dirigente responsável. Durante o jogo cada equipe deverá manter no mínimo 3 (três) atletas nascidos até 31/12/1976.

 

Integração - A Copa Coamo visa a integração dos cooperados nas atividades da Coamo despertando a consciência de participante na sociedade cooperativista. Bem como, a ampliação da sua inserção social e a confraternização com a família Coamo.

 

Grande evento - “A Copa Coamo é um grande evento, um grande projeto de esporte e lazer criado em 1993 e mantido ao longo desses anos com muito sucesso. Em 2019 chegamos a 15ª edição, com a prática de uma atividade esportiva saudável e organizada, proporcionando momentos de lazer e descontração entre os cooperados e familiares, sendo um jeito gostoso de viver o cooperativismo”, explica o presidente de honra da Copa Coamo e presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini.

 

Expectativa - O presidente da Comissão Central Organizadora (CCO) da Copa Coamo, Marcelo Sumiya, informa que é grande a expectativa com relação a 15ª edição do maior evento rural esportivo do Brasil Rural. “Tudo está sendo preparado com muito esmero e dedicação para que a Copa Coamo deste ano repita o sucesso da integração das edições anteriores. A expectativa é reunir mais de 30 mil pessoas entre associados – atletas e dirigentes, familiares e também a comunidade participante nas 33 regionais.” (Imprensa Coamo)

 

{vsig}2019/noticias/03/18/coamo/{/vsig}

UNIMED LONDRINA: Curso gratuito de gestantes é ofertado para pacientes da Unidade Básica de Saúde

 

unimed londrina 18 03 2019A Unimed Londrina irá oferecer gratuitamente o Curso de Gestantes para pacientes atendidas pela Unidade Básica de Saúde (UBS) do Jardim Guanabara (região Sul de Londrina). A UBS será parceira da Cooperativa e indicará para os cursos as gestantes que realizam o pré-natal na unidade.

 

Atendimento - Ao longo do ano, o curso irá atender 44 mulheres encaminhadas pela UBS. Elas receberão o mesmo atendimento, orientação e materiais que as clientes gestantes da Unimed Londrina recebem nos encontros.

 

Suporte completo - Segundo o analista de Promoção em Saúde da Unimed Londrina, Rodrigo da Silva, o objetivo dessa inclusão é proporcionar um suporte completo às gestantes que não possuem o plano de saúde da operadora. “É muito importante para nós colaborarmos com a comunidade. Queremos que mais mulheres desfrutem do conhecimento que o curso oferece”, conta o analista.

 

Primeira gestação - Uma das participantes indicadas pela UBS é Aline Diniz, que está em sua primeira gestação. “É tudo muito novo para mim. Então vai ser bem útil o curso. As informações que eu tenho de cuidados com o bebê foram recebidas pelo pré-natal que realizo no postinho e pelas pesquisas na internet”, comenta a gestante. Aliny vai participar do curso intensivo, que será realizado no dia 5 de abril.

 

Modalidades - O curso de gestantes da Unimed Londrina é divido em duas modalidades: intensivo, realizado em um único encontro, e extensivo, divido em sete encontros. As aulas são ministradas pela enfermeira da Unimed Londrina, Gheisa Lopes. Ela discute assuntos peculiares à gestação, mudanças físicas e psicológicas da gestante, nutrição, tipos de parto e os cuidados com recém-nascidos, como amamentação, vacinas indicadas para o bebê, entre outros. (Imprensa Unimed Londrina)

 

DIA DO BIBLIOTECÁRIO: Evento chama a atenção para a importância do profissional de biblioteconomia

Em comemoração ao Dia do Bibliotecário (celebrado em 12 de março), o Conselho Regional de Biblioteconomia da 9ª Região (CRB-9 Paraná) promoveu, em 15 de março, evento de congraçamento e reflexão sobre a profissão. Uma tenda foi montada no pátio da Reitoria da Universidade Federal do Paraná, em Curitiba, com o objetivo de chamar a atenção sobre a importância destes profissionais para a formação da consciência crítica e cidadã. Bibliotecários, estudantes e público em geral puderam acompanhar discussões sobre temas variadas, tais como fake new e pós-verdade, biblioteca escolar e biblioativismo. O ciclo de debates foi encerrado com show musical de Estrela Leminski e Téo Ruiz. O evento contou com o apoio da UFPR, Sinditest, EBSCO e SophiA.

Protagonismo - A abertura do evento foi feita pelo reitor da UFPR, Ricardo Marcelo Fonseca, e pelo presidente do CRB-9 Paraná, Adriano Lopes. Na opinião do reitor, o bibliotecário é um “agente fundamental” para a disseminação da cultura e do conhecimento. “Contra a corrente da ignorância que tenta nos atropelar, o papel deste profissional (bibliotecário), talvez, mais do que nunca em nossa história, assume protagonismo. Vamos aprofundar o diálogo para que o curso de biblioteconomia volte para nossa universidade”, afirmou.  

Biblioteca nas escolas -  Segundo o presidente do Conselho Regional de Biblioteconomia, o setor está mobilizado para o efetivo cumprimento da Lei N° 12.244/2010, que dispõe sobre a universalização das bibliotecas nas instituições de ensino no país. Até 2020, todas as escolas brasileiras devem ter biblioteca e um profissional da área contratado para o suporte aos estudantes. “Temos cobrado, por meio de ofício, bem como por visita de nossa fiscal, a abertura das bibliotecas e a presença dos profissionais. O bibliotecário é um elemento de intermediação para que uma pessoa encontre a informação que busca, de forma precisa e que resolva a sua necessidade. Estamos numa luta que importa a toda a sociedade, para que hajam bibliotecas nas escolas, o que é fundamental para a formação dos estudantes desse país”, concluiu.  

História - O Dia do Bibliotecário (12 de março) foi instituído pelo Decreto n. 84.631 de 9/4/1980. É a data do nascimento do bibliotecário, escritor e poeta Manuel Bastos Tigre. Engenheiro e bibliotecário por vocação, deixou a engenharia para atuar na biblioteconomia. Foi o 1º bibliotecário concursado do Museu Nacional no Rio de Janeiro. Manuel Bastos Tigre trouxe um enfoque comum a todos os bibliotecários: “Disseminar a informação e o conhecimento, a fim de promover o desenvolvimento cultural e social do país”. O primeiro curso de biblioteconomia no Brasil foi em 1915, na Biblioteca Nacional.

{vsig}2019/noticias/03/18/bibliotecario/{/vsig}

COOPERATIVAS: Nova feira faz teste no Centro de Curitiba e abre espaço para o produtor

 

cooperativas 18 03 2019Moradora do centro de Curitiba, a professora Aline Barbosa, 28 anos, foi surpreendida com frutas e verduras à venda, na sexta-feira (15/03), em plena Travessa Jesuíno Marcondes, em frente à Praça Osório. As barracas repletas de alface, cenoura, tomate, couve, milho e geleias artesanais de frutas, vindos diretamente de propriedades rurais da Grande Curitiba, fazem parte da Feira das Cooperativas, que começou a funcionar no local dentro das celebrações pelos 326 anos de Curitiba. O aniversário da capital será comemorado no dia 29 de março.

 

Teste - A Feira das Cooperativas estreou em teste, inicialmente, com barracas de hortifrutigranjeiros (convencionais e orgânicos) de agricultores da Cooperativa de Processamento Alimentar e Agricultura Solidária de São José dos Pinhais (Copasol), da Cooperativa de Processamento de Alimentos da Agricultura Familiar e Solidária de Agudos do Sul (Copasol Sul), da Cooperativa Central de Reforma Agrária (CCA Paraná) e da Cooperativa Terra Livre.

 

Receptividade - “É muito bom ver estes produtos à venda aqui, bem no Centro. Vou vir sempre”, afirmou Aline, que poderá adquirir hortifrutigranjeiros no novo ponto todas as sextas-feiras, das 8h às 14h.

 

Qualidade - A terapeuta Edna Ferreira, 51 anos, também pretende vir toda semana para fazer compras na Feira das Cooperativas. “A qualidade é muito boa e a gente ainda pode conversar com os agricultores e saber como eles produzem”, disse ela, que voltou para casa, nas Mercês, com sacolas cheias de couve, alface, mandioca, tomate, pepino e abóbora.

 

Pró-Metrópole - O secretário municipal de Agricultura e Abastecimento (Smab), Luiz Gusi, lembrou que a Feira das Cooperativas é uma iniciativa da Prefeitura através do Programa de Desenvolvimento Produtivo Integrado da Região Metropolitana de Curitiba (Pró-Metrópole). “Além da abertura da feira, estamos capacitando agricultores de 11 municípios da Região Metropolitana de Curitiba, através de uma parceria com o Sebrae-PR”, observou ele.

 

Valorização - Segundo Gusi, as iniciativas têm como objetivo valorizar a agricultura familiar regional junto ao mercado consumidor curitibano, apostando na maior oferta de produtos e melhor qualidade dos alimentos cultivados pelos produtores da Grande Curitiba.

 

Convênio - O convênio com o Sebrae-PR, por exemplo, beneficia produtores familiares de Cerro Azul, Rio Branco do Sul, Agudos do Sul, São José dos Pinhais, Almirante Tamandaré, Campo Largo, Piraquara, Colombo, Tijucas do Sul, Araucária e Morretes.

 

Comemoração - Aline Pasda, presidente da Copasol Sul, comemorou a oportunidade de poder vender os produtos dos agricultores associados diretamente à população. “A gente vai poder entender melhor os gostos da população, saber o que podemos melhorar e também oferecer mais opções”, avaliou ela, que representa cerca de 50 produtores de Agudos do Sul.

 

Alimentação - Além das barracas de hortifrutigranjeiros, a Feira das Cooperativas tem um trailer de salgados e área de alimentação coberta. (Bem Paraná)

 

MP 871: Segurado especial terá novas regras para comprovar atividade rural

 

mp 871 18 03 2019A partir de quarta-feira (20/03), os trabalhadores rurais interessados em se aposentar não precisarão mais recorrer aos sindicatos para obter a declaração de atividade rural, documento necessário para dar entrada no pedido. Eles agora poderão se dirigir diretamente às agências do INSS, onde preencherão uma autodeclaração de exercício de atividade rural. Não será necessário que a autodeclaração seja ratificada por entidades públicas credenciadas pelo Pronater, o Programa Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural na Agricultura Familiar e na Reforma Agrária, ou por outros órgãos públicos. Todo o trabalho de exame e ratificação da autodeclaração entregue pelo trabalhador rural será feito pelo próprio INSS.

 

MP 871 - A simplificação das regras de comprovação da atividade rural foi determinada pela Medida Provisória número 871, publicada em 18 de janeiro deste ano. A intenção do governo é melhorar a gestão do INSS, combater fraudes e irregularidades, e reduzir os gastos com o pagamento de benefícios indevidos. Como anteriormente o segurado já precisava formalizar seu requerimento junto ao INSS, a Medida Provisória, na prática, também ajuda a desburocratizar a concessão do benefício, eliminando a necessidade de comprovação no trabalho no campo por meio do sistema sindical e facilitando o acesso à previdência social. O trabalhador poderá se dirigir diretamente ao INSS, sem intermediários.

 

Agendamento - Para o governo, o reconhecimento do tempo de serviço e de outros direitos dos trabalhadores por meio dos sindicados é de um tempo em que o Estado brasileiro não tinha capacidade de atender a toda a população. O INSS diz que o segurado especial poderá continuar agendando seu atendimento pelo número 135, e que o tempo médio de espera é de 14 dias.  É bom lembrar que o procedimento é integralmente gratuito.

 

CNIS - De acordo com a Medida Provisória, a partir de janeiro de 2020 a comprovação do exercício da atividade rural será feita exclusivamente pelas informações constantes no sistema do Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS), mantido pelo Ministério da Economia.

 

Modelo - Para facilitar a vida do segurado, o modelo de formulário de autodeclaração está disponível na internet (Declaração Rural ou Declaração Pescador), no portal do INSS (https://www.inss.gov.br/orientacoes/formularios/ - Declaração do Pescador Artesanal ou Declaração do Trabalhador Rural) e em todas as agências da Previdência Social. O documento poderá ser preenchido pela internet ou pessoalmente na agência. Depois, haverá a confirmação automatizada pelo INSS. Para isso, o INSS vai acessar as bases de dados de órgãos públicos.

 

DAP - A Medida Provisória previu que a DAP (Declaração de Aptidão do Pronaf) seja usada como meio de prova do trabalho rural do segurado especial. A DAP é emitida pela Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Isso vai unificar as políticas rurais da agricultura familiar na busca de informações mais seguras e redução de irregularidades.

 

Trabalho articulado - A simplificação dos procedimentos foi possível a partir de um trabalho articulado da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, do Ministério da Economia, da Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo e do INSS. Em conjunto, foi desenvolvida uma ferramenta de atendimento ao segurado que, além de mais ágil, será bem mais simples para o trabalhador rural.  (Mapa)

 

INFRAESTRUTURA I: Porto de Paranaguá faz 84 anos

 

infraestrutura I 18 03 2019O Porto de Paranaguá comemorou, neste domingo (17/03), o 84º aniversário, mantendo o desempenho que o coloca entre os portos mais importantes da América Latina e o segundo maior do Brasil. O desafio para o futuro é melhorar a relação com a comunidade e contribuir ainda mais para o desenvolvimento do litoral do Estado.

 

Importância - Saudando os trabalhadores, operadores, prestadores de serviços e a diretoria do Porto de Paranaguá, o governador Carlos Massa Ratinho Júnior se pronunciou, na sexta-feira (13/03), dizendo que o Porto é o Paraná. “Sem o Porto de Paranaguá o Estado não seria o que é. É muito importante que, com esses 84 anos de história, o Porto continue se desenvolvendo, inovando e melhorando cada dia mais a sua eficiência porque isso melhora, automaticamente, a vida de muita gente”, afirmou o governador.

 

Pujança - Para o diretor-presidente dos Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia, os 84 anos são comemorados com muita pujança. “Nossa missão é continuar em desenvolvimento, contribuindo, principalmente, para o crescimento do município e de todo o Litoral. Neste aniversário, reafirmamos nosso desejo de que o Porto continue sendo indutor de desenvolvimento de toda a região”, disse.

 

Projetos - Entre os projetos de atenção à região para este ano, Garcia destaca a criação de um fundo de compensação, que permita desenvolver e minimizar os impactos da atividade portuária nos municípios dos portos. Segundo ele, o setor jurídico da empresa já avalia a possibilidade, e uma ideia inicial foi apresentada ao Governo Federal para aprovação da Secretaria Nacional de Portos.

 

Foco - “Independentemente deste fundo, estamos focados na tarefa de zelar mais por Paranaguá e Antonina, que são as cidades mais afetadas pelo porto. Neste e nos próximos anos, queremos contribuir para melhorar a qualidade de vida da população”, afirmou o diretor-presidente.

 

Orgulho - O secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, disse que os principais agentes construtores da história do Porto de Paranaguá são os trabalhadores. “Além de cartão postal, é orgulho dos paranaenses. Esse sucesso é construído pelo trabalho de cada trabalhador, de cada portuário, que se dedica para que o porto continue orgulhando o Estado”, afirmou o secretário.

 

Trabalhadores - No quadro, atualmente, são cerca de 500 funcionários. Segundo o registro do Departamento de Recursos Humanos dos Portos do Paraná, o funcionário com mais tempo de casa é Jacimir Passos, que completa 70 anos em maio.

 

Carreira - Admitido no dia 4 de abril de 1964, no próximo mês ele completa 55 anos de trabalho no Porto de Paranaguá. Entrou como auxiliar administrativo e já passou por diversos setores. Há 30 anos, é conferente de capatazia. Hoje, trabalha nas balanças dos Silos Públicos. “São muitas histórias, diversos superintendentes. O Porto é minha casa. Tenho muito orgulho de trabalhar aqui. Não fosse minha idade, não pararia”.

 

Escala - Entre funcionários próprios, operadores portuários, prestadores de serviços e trabalhadores avulsos, são mais de 4 mil trabalhadores acessando as áreas do Porto de Paranaguá diariamente.

 

Avulsos - Segundo o Órgão Gestor de Mão de Obra do Trabalhador Portuário Avulso do Porto Organizado de Paranaguá (OGMO), são 2.387 trabalhadores avulsos. Em média, são 880 trabalhadores escalados diariamente para as operações portuárias em Paranaguá.

 

Estiva - A principal categoria é a estiva, que, sozinha, é composta de 1.121 trabalhadores.

 

Mensagem - Em mensagem especial pelo aniversário, o secretário Nacional de Portos, Diogo Piloni se refere ao Porto de Paranaguá como um colosso que movimenta mais de 53 milhões de toneladas de carga. “Paranaguá é o segundo maior porto do país, o primeiro considerando o agronegócio. A nossa expectativa, da parte do Governo Federal, é apoiar o crescimento desse porto para que continue ocupando seu espaço na economia e no setor portuário nacional”, diz Piloni.

 

Histórico - Antes de ser porto, o terminal de Paranaguá era apenas um atracadouro que recebia as mercadorias às margens do Rio Itiberê, desde 1840, sob gestão de empresas particulares. O porto foi batizado de Dom Pedro II, em homenagem ao Imperador do Brasil, em 1873. Ele próprio visitou a estrutura em 1880.

 

Marco zero - Seguindo nessa linha do tempo, em 1885, o Porto de Paranaguá foi estabelecido como o marco zero para a linha férrea que atravessaria a Serra do Mar até a Capital. Em 1928, onde hoje está localizado, foi lançado 1° caixão construído com concreto armado, projetado para formar o segmento do cais. Em 17 de março de 1935, com a atracação do Navio “Almirante Saldanha”, foi oficialmente inaugurado.

 

Social - Além de referência no comércio exterior do país e do Estado, ao longo dessa história, o Porto de Paranaguá tem também uma grande importância social. Isso porque foi a porta de entrada para os primeiros imigrantes que povoaram o Paraná. Tem localização geográfica estratégica e está constantemente se transformando para se tornar mais dinâmicos e eficiente.

 

Capacidade - Atualmente, com capacidade de movimentação de todos os tipos de carga, os terminais são competitivos e oferecem as melhores soluções de negócios para o atendimento aos mercados nacional e internacional. Considerando os números de 2018, O Porto chegou a movimentar 145 mil toneladas por dia. (Agência de Notícias do Paraná)

 

INFRAESTRUTURA II: Governo libera R$ 54,7 milhões para investimentos na PR-323

 

infraestrutura II 18 03 2019Em visita à 45ª edição da Expo Umuarama na noite de sexta-feira (15/03), o governador Carlos Massa Ratinho Junior anunciou um pacote de R$ 54,7 milhões em investimentos na PR-323. Foram assinadas três licitações de obras e projetos de duplicação e ampliação da capacidade de tráfego da rodovia, que é um importante corredor da malha estadual e proporciona ligação com países do Mercosul.

 

Modernização - Na cerimônia, o governador disse que um dos principais focos do Estado é a modernização das rodovias estaduais, como a 323. Segundo ele, o agronegócio paranaense vem dobrando a cada dez anos, mas a infraestrutura não acompanhou o ritmo. “Então, já que somos líderes, precisamos ter uma boa logística para que nosso produto possa chegar ao Porto de maneira mais rápida, eficiente e barata”, disse.

 

Novo pacote - Ratinho Junior salientou que o Governo está focado em projetos e que em abril vai lançar um novo pacote para o Estado, que prevê terceiras faixas, duplicações e viadutos em diversos municípios paranaenses. Paralelo a isso, o ele reafirmou que trabalha com o governo federal na concessão de rodovias do Anel de Integração, com foco na redução de tarifas e na modernização.

 

Localização privilegiada - “O Paraná está no centro da América do Sul e em uma das regiões com maior concentração de consumidores e de dinheiro. Com essa localização privilegiada, podemos ser o ramal logístico de tudo que se produz no Centro-Oeste, Sudeste e Sul e é isso que estamos projetando para o nosso futuro”, afirmou.

 

Trechos - O Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR) investirá aproximadamente R$ 50 milhões na execução da obra de duplicação de 4,2 quilômetros da PR-323 entre o trevo Gauchão e o acesso a Mariluz, no perímetro urbano de Umuarama. Essa obra inclui ainda a implantação de 3 km de vias marginais, além de duas trincheiras – no trevo Gauchão e no acesso a Mariluz.

 

Melhoria - O secretário de Estado da Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, disse que intervenções previstas vão melhorar as condições operacionais e garantir segurança e fluidez, além de contribuir com o desenvolvimento da região. “Com isso, estamos tirando a 323 das páginas policias, já que era comum ocorrer acidentes nela, e a colocando nas pranchetas dos engenheiros, com a seriedade que essa obra tão importante para a região merece”, disse.

 

Vias marginais - Também foi liberada a licitação para contratação do projeto para implantação de 5,2 km de vias marginais no perímetro urbano de Umuarama. Com valor previsto de R$ 1,5 milhão, abrange o trecho da PR-482 (para Maria Helena) até o acesso II de Umuarama.

 

Readequação - O projeto vai contemplar a readequação de 2,3 km da pista existente para permitir a implantação das marginais lateralmente ao trecho já duplicado, além de uma interseção em desnível no prolongamento da Rua Ariovaldo Rodrigues de Moraes e implantação de duas passarelas.

Aguardados - O prefeito de Umuarama, Celso Luiz Pozzobom, disse que as obras anunciadas pelo governador são esperadas há muito tempo pela população. “São projetos importantes, aguardados pela cidade, que vão resolver gargalos antigos, melhorar o tráfego e dar mais segurança para as pessoas”.

 

Cianorte - Foi autorizado ainda o lançamento de edital para contratar o projeto de duplicação da PR-323 no perímetro urbano de Cianorte, estimado em R$ 3,2 milhões. O trecho terá 15,4 km de extensão de pistas duplas e implantação de 17,2 km de vias marginais, além da duplicação do viaduto e remodelagem da interseção da Avenida Paraíba (PR-082), implantação de quatro trincheiras (Avenida Pernambuco, Avenida Maranhão, Cianortinho e entroncamento com a PR-567), duplicação da ponte sobre o Rio Catingueiro e três passarelas.

 

Em andamento - A esses três investimentos anunciados para a PR-323, se somam outras intervenções. A duplicação dos 20,8 km entre Paiçandu e Dr. Camargo está na fase de implantação da drenagem e terraplenagem. O Estado investe R$ 73,2 milhões na obra, que inclui a implantação de 3,8 km de marginais, dois viadutos e uma trincheira.

Está em fase final de licitação a contratação do projeto para implantação de terceiras faixas no trecho da PR-323 entre Umuarama e Francisco Alves. O investimento de R$ 3,2 milhões contemplará melhorias ao longo de 63 km – entre elas 45 km de terceiras faixas.

 

Aeroporto - No evento, também foi firmado um protocolo de intenções entre a Secretaria de Infraestrutura e Logística e a Prefeitura de Umuarama para compra de equipamentos para o Aeroporto Municipal Orlando de Carvalho.

 

Convênio - O objetivo é firmar um convênio no valor total de R$ 7,4 milhões, com previsão de repasse de R$ 7,2 milhões da Secretaria e contrapartida de R$ 200 mil do município, que fará a licitação da obra.

 

Transformação - “Esse aeroporto vai transformar Umuarama a partir do momento que os vôos regulares começarem a sair daqui para Curitiba, São Paulo e outras capitais”, disse o governador. “Queremos movimentar o projeto regional de aviação do Estado, não só em Umuarama, mas em outros municípios também, para atrair investimentos para nossa economia”, acrescentou.

 

Presenças - Participaram da solenidade os secretários de Estado do Desenvolvimento Sustentável e Turismo, Marcio Nunes; da Agricultura, Norberto Ortigara; e do Desenvolvimento Urbano, João Carlos Ortega; os deputados estaduais Jonas Guimarães e Delegado Fernando; prefeitos da região Noroeste do Estado. (Agência de Notícias do Paraná)

 

INFRAESTRUTURA III: Quais as melhorias esperadas para os aeroportos que serão leiloados no Paraná

Quatro aeroportos do Paraná estão no lote de leilão cujo edital foi publicado nesta segunda-feira (18/03) no Diário Oficial da União (DOU) – e que deve ser executado em 2020. Além do Afonso Pena, em São José dos Pinhais, e do Bacacheri, em Curitiba, também os aeroportos de Foz de Iguaçu e Londrina devem ser os primeiros do estado a terem a operação transferida para a iniciativa privada. A Gazeta do Povo listou algumas das características de cada um e as melhorias esperadas.

Reinvindicações - Ainda que não tenha ingerência direta nos espaços que serão concedidos em leilão, o governo do Paraná apresentou uma série de reivindicações à União. Segundo o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex de Oliveira, algumas modificações pedidas nas atuais estruturas são imprescindíveis para propiciar as condições esperadas para o desenvolvimento do Paraná.

Prioridade - Para isso, ele listou a prioridade número 1 de cada aeroporto. Em Foz do Iguaçu seria, por exemplo, o aumento da pista, principalmente para comportar aviões maiores, principalmente vindos do exterior. Como segundo maior destino turístico do país – e com potencialidade de crescimento, Foz enfrentaria limitações relacionadas aos 2.195 metros de pista.

Fatores - Segundo Wilson Rocha Gomes, professor da Academia de Ciências Aeronáuticas da Universidade Positivo, uma série de fatores precisa ser considerada no momento de projetar as dimensões de uma pista de pousos e decolagens. Altitude, temperatura média e pressão interferem na estimativa da necessidade de espaço para as aeronaves.

Necessidades futuras - Também é preciso projetar as necessidades futuras, num horizonte de 20 anos, do tipo de avião que será usado e também das condições do pavimento, para suportar o peso. Gomes reforça que, nos últimos tempos, a pista de Foz apresentou vários problemas operacionais e esteve em obras. Já Sandro Alex mencionou que também é esperada a melhoria do terminal de passageiros.

Londrina - Já relacionado a Londrina, o secretário espera maior número de voos e de destinos. Essa situação não está diretamente nas mãos da futura concessionária, mas a gestão pode tentar negociar com as companhias aéreas. Sem espaço disponível para ampliações de pista, teria demanda retraída para uma circulação maior de passageiros – foram 486 mil em 2018 –, mas também dependeria de melhorias no sistema ILS, para pousos em condições climáticas adversas.

Bacacheri - Sobre o Bacacheri, na capital, também sem possibilidade de expansão – já que está encravado na área urbana –, a expectativa principal é de melhorias na estrutura para passageiros. O aeroporto é voltado para voos executivos, aulas de aviação e aeronaves usadas em operações policiais e de salvamento. No ano passado, foram 14 mil decolagens, com 16 mil passageiros embarcados. Segundo o professor, há a demanda de melhorias no acesso, que costuma ser complicado.

Afonso Pena - Em relação ao principal aeroporto do Paraná, o Afonso Pena, o secretário levou a Brasília o pedido de construção da terceira pista, com a perspectiva de aumento na circulação de voos internacionais. Para o professor, é necessário dimensionar exatamente a demanda para avaliar o investimento. Atualmente, não haveria a necessidade, diante do fluxo estimado de passageiros e cargueiros (principalmente voltados à importação)."

Gatilho - Como o custo da obra é muito alto, uma hipótese é a aplicação de um “gatilho”, como existe em outros aeroportos com administração privada, que preveem a execução do projeto apenas caso alguns indicadores de fluxo e procura sejam atingidos. Também é esperada a instalação de equipamentos que permitam a operação em condições meteorológicas adversas. (Gazeta do Povo)

FOCUS: Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%

focus 18 03 2019O mercado financeiro reduziu a projeção de crescimento da economia em 2019. A estimativa para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – soma de todos os bens e serviços produzidos no país – caiu de 2,28% para 2,01% neste ano. Foi a terceira redução consecutiva.

Próximos anos - Para 2020, a estimativa de crescimento do PIB permaneceu em 2,80%. Em 2021 e 2022, a expectativa segue em 2,50% de crescimento do PIB.

Focus - As projeções estão no boletim Focus, publicação semanal elaborada com base em estimativas de instituições financeiras sobre os principais indicadores econômicos. Ela é divulgada às segundas-feiras, pelo Banco Central.

Inflação - A estimativa para a inflação este ano subiu pela segunda vez seguida. A previsão para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) passou de 3,87% para 3,89%. Em relação a 2020, a previsão para o IPCA permanece em 4%. Para 2021 e 2022, também não houve alteração na projeção: 3,75%.

Meta - A meta de inflação deste ano, definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), é 4,25%, com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%. A estimativa para 2020 está no centro da meta (4%).

Intervalo - Essa meta tem intervalo de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Para 2021, o centro da meta é 3,75%, também com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual. O CMN ainda não definiu a meta de inflação para 2022.

Taxa Selic - Para controlar a inflação e alcançar a meta, o BC usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic. Para o mercado financeiro, a Selic deve permanecer no seu mínimo histórico de 6,5% ao ano, até o fim de 2019.

Copom - Nesta terça e quarta-feira (19 e 20/03), será realizada a segunda reunião deste ano do Comitê de Política Monetária (Copom) do BC, responsável por definir a Selic. O Copom reúne-se a cada 45 dias.

Queda - Para o fim de 2020, a projeção para a taxa caiu de 8% ao ano para 7,75% ao ano. Para o final de 2020 e 2021, a expectativa permanece em 8% ao ano.

Referência - A Selic, que serve de referência para os demais juros da economia, é a taxa média cobrada nas negociações com títulos emitidos pelo Tesouro Nacional, registradas diariamente no Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic). A manutenção da Selic, como prevê o mercado financeiro, indica que o Copom considera as alterações anteriores nos juros básicos suficientes para chegar à meta de inflação.

Tendência - Ao reduzir os juros básicos, a tendência é diminuir os custos do crédito e incentivar a produção e o consumo.

Segura - Para cortar a Selic, a autoridade monetária precisa estar segura de que os preços estão sob controle e não correm risco de ficar acima da meta de inflação.

Demanda - Quando o Copom aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Dólar - A previsão do mercado financeiro para a cotação do dólar permanece em R$ 3,70 no fim deste ano e em R$ 3,75, no fim de 2020. (Agência Brasil)

 

IBC-BR: Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC

ibc br 18 03 2019A atividade econômica iniciou o ano em queda. O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) dessazonalizado (ajustado para o período) apresentou retração de 0,41%, em janeiro, em relação a dezembro, segundo dados divulgados sexta-feira (18/03) pelo Banco Central (BC).

Comparação - Na comparação com janeiro de 2018, o crescimento chegou a 0,79% (sem ajuste para o período). Em 12 meses encerrados em janeiro, o indicador apresentou crescimento de 1%.

Avaliação - O IBC-Br é uma forma de avaliar a evolução da atividade econômica brasileira e ajuda o BC a tomar suas decisões sobre a taxa básica de juros, a Selic. O índice incorpora informações sobre o nível de atividade dos três setores da economia: indústria, comércio e serviços e agropecuária, além do volume de impostos.

Antecipação - O indicador foi criado pelo BC para tentar antecipar, por aproximação, a evolução da atividade econômica. Mas o indicador oficial é o Produto Interno Bruto (PIB), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

PIB - Para instituições financeiras consultadas pelo BC, o PIB deve crescer 2,01%, neste ano. (Agência Brasil)

 

ECONOMIA: Corte no orçamento pode se aproximar de R$ 20 bi

 

economia 18 03 2019A área econômica prepara um contingenciamento forte de gastos com base no primeiro relatório bimestral de avaliação de receitas e despesas, a ser finalizado nesta semana. O motivo é a combinação de frustração de receitas administradas no primeiro bimestre, que, mesmo subindo em relação ao ano passado, ficaram abaixo do previsto pelo governo, e a incerteza em torno da privatização da Eletrobras, que está levando os técnicos a retirarem os R$ 12,2 bilhões previstos na conta do ano.

 

Número - As fontes evitam falar um número para o bloqueio, dado que as contas ainda estão sendo fechadas, mas afirmaram que será um número bem superior a R$ 5 bilhões. A informação foi antecipada na sexta-feira pelo Valor PRO. Nos bastidores, se menciona a possibilidade de se aproximar de R$ 20 bilhões. O corte orçamentário é um instrumento para que o governo administre suas contas para cumprir a meta fiscal e o teto de gastos.

 

Falta de acordo - Outro fator que levará à indicação de contingenciamento, efetivado em decreto posterior ao relatório bimestral, é a falta de acordo em torno da revisão do contrato da cessão onerosa do pré-sal entre Petrobras e União. Esse elemento poderia ser um fator a permitir o governo sinalizar que os leilões das áreas contíguas seriam feitos neste ano, gerando receita primária.

 

Ágio - Mas, sem o acordo, isso ainda não pode ser feito. O resultado com elevado ágio do leilão de aeroportos na última sexta-feira (15/03), cujo volume previsto de pagamento de outorga ficou em R$ 2,4 bilhões, pode amenizar o corte de gastos. Segundo uma fonte, contudo, a dúvida é se os trâmites burocráticos permitirão incorporar esse dado no relatório, elevando a estimativa de receita para o ano. Outra fonte ressaltou que o volume a ser arrecadado com os leilões de aeroportos é muito pouco diante da necessidade de receitas apontada nas estimativas atuais da área técnica.

 

Arrecadação - O comportamento da arrecadação neste início não está tão ruim, pois cresce em termos reais na comparação com o ano passado. De acordo com levantamento feito pelas economistas Vilma Pinto e Juliana Damasceno, do núcleo de economia do setor público do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/ FGV), no primeiro bimestre houve alta de 1%, acima da inflação, no ingresso de recursos administrados pela Receita Federal.

 

Estimativa - O volume considera uma estimativa de arrecadação em fevereiro, dado ainda não divulgado oficialmente, de R$ 113 bilhões, com alta real de 5,5% sobre fevereiro do ano passado. De acordo com Vilma Pinto, o desempenho da receita nesse início de ano está positivamente afetado por dois fatores: o aumento do valor em dólar das importações, que ampliou as receitas ligadas a esse segmento, e a mudança nas regras de compensação tributária (que teriam reduzido o uso desse instrumento).

 

Base de comparação - De outro lado, a base de comparação do primeiro bimestre do ano passado, explicou, estaria inflada pela arrecadação gerada pelo Programa de Regularização Tributária (PRT), reduzindo o ritmo de crescimento deste ano. Vilma também apontou que o ritmo ainda fraco de atividade econômica não está ajudando o desempenho das receitas do governo federal, que poderiam estar crescendo mais.

 

Abaixo do esperado - Apesar da alta das receitas nesse início de ano, uma fonte do governo destaca que o resultado está abaixo do esperado. Além disso, as estimativas de receitas para o ano estão inferiores ao previsto no Orçamento de 2019 e, por isso, será preciso contingenciar. (Valor Econômico)

 

EUA: Bolsonaro tem reuniões com ex-secretário do Tesouro e empresários

eua 18 03 2019Em Washington (EUA), o presidente Jair Bolsonaro tem reuniões nesta segunda-feira (18/03) com o ex-secretário do Tesouro norte-americano Henry "Hank" Paulson, participa de cerimônia de assinatura de atos e janta com executivos do Conselho Empresarial Brasil-Estados Unidos.

Bilateral - É a primeira viagem internacional com caráter bilateral. Antes, o presidente foi a Davos, na Suíça, para o Fórum Econômico Mundial.

Reunião - Às 15h30, Bolsonaro se reúne com Henry "Hank" Paulson. No final da tarde, participa da cerimônia de assinatura de atos. As atenções estão voltadas para o Acordo de Salvaguardas Tecnológicas entre o Brasil e os Estados Unidos.

Base de Lançamentos - A medida permitirá o uso comercial da Base de Lançamentos Aeroespaciais de Alcântara (MA). Estima-se que, em todo o mundo, exista uma média de 42 lançamentos comerciais de satélites por ano.

Blair House - O presidente da República está hospedado na Blair House, um palácio no qual ficam os convidados do governo norte-americano. A construção, de meados do século XIX, fica próxima à Casa Branca.

Complexo - O prédio foi comprado em 1942 pelo governo dos Estados Unidos e tornou-se um complexo formado por quatro casas interligadas, incluindo o edifício original.

Trump - Nesta terça-feira (19/03) está previsto o encontro de Bolsonaro com o presidente Donald Trump. Haverá uma declaração à imprensa no Rose Garden. Em seguida, ele irá ao cemitério de Arlington.

Retorno - Bolsonaro deve chegar a Brasília na quarta-feira (20/03). Em seguida, no dia 21, irá para o Chile onde participa da Cúpula do Prosur, grupo que se destina a implementar medidas de interesse dos países da América do Sul. (Agência Brasil)

 

INTERNACIONAL: Com Brexit, carne e açúcar do Brasil perdem fatia na União Europeia

 

internacional 18 03 2019Em meio aos tormentos do Reino Unido sobre como fazer o Brexit, sua saída da União Europeia (UE), uma coisa pelo menos parece certa: o Brasil e outros exportadores agrícolas vão perder fatias de mercado na Europa.

 

Mercado comum - Com o Brexit, o mercado comum passa de 28 para 27 membros e quase 200 concessões individuais serão modificadas e 400 linhas tarifárias estão sujeitas a mudanças, representando a maior alteração nos compromissos de um membro da Organização Mundial do Comércio (OMC).

 

Maior importador e exportador agrícola - A UE é o maior importador e exportador agrícola do mundo e essencial no equilíbrio desse mercado. Qualquer mudança nas suas cotas, pelas quais permite a entrada de volume limitado com tarifa menor, terá impacto comercial significativo para os exportadores.

 

Insatisfação - A insatisfação é generalizada entre os exportadores agrícolas sobre o plano de repartição de cotas que a UE definiu, para ser aplicada quando os britânicos deixarem o mercado comum europeu. Uma parte das atuais cotas passaria a ser do Reino Unido. Na prática, traz mais custos logísticos e incertezas aos exportadores.

 

Várias cotas - O Brasil tem várias cotas específicas que vão encolher no mercado comum europeu, nos casos de açúcar, frango e carne bovina.

 

Açúcar - Pelo que Bruxelas propõe, uma cota destinada especificamente ao açúcar brasileiro, hoje de 388,1 mil toneladas, será reduzida para 348,5 mil toneladas, com o resto devendo ser oferecido em outra cota pelo Reino Unido. Uma cota que o Brasil divide com outros exportadores de açúcar vai passar de 372,9 mil toneladas para 341,5 mil toneladas.

 

Frango - No caso do frango (salgado, processado, congelado etc.), várias cotas específicas somadas para o Brasil declinam de 338,6 mil toneladas para 261,6 mil toneladas - contração de 22,7%. Uma cota para carne bovina sem osso cairá de 10 mil toneladas para 8.951 toneladas. Outra cota para carne de peru congelada recuará de 3.110 toneladas para 2.692 toneladas.

 

Compensações - O Brasil e outros exportadores voltaram a cobrar da UE compensações pela redução das cotas. Os exportadores insistem que a UE ofereceu a entrada de parte dos produtos com tarifa menor em razão de concessões que recebeu. Se um país deixa o mercado comum europeu, é problema dos europeus.

 

Resistência - De seu lado, a UE resiste e diz que ninguém a convence a alterar sua repartição de cotas. Também recusa a cobrança do Brasil e de outros exportadores para oferecer compensações. Bruxelas tampouco diz se aceitará buscar alguma compensação alternativa, por exemplo, facilitando certas licenças de importação.

 

Reino Unido - Do lado do Reino Unido, na semana passada, o governo de Theresa May revelou um "regime tarifário temporário" para o caso de o país fazer um Brexit brusco. Os parlamentares acabaram recusando a ideia de sair da UE sem um acordo. Mas o plano tarifário do governo alimentou a inquietação de exportadores agrícolas para o que pode vir pela frente.

 

Livres de alíquotas - Pelo plano, 87% das mercadorias importadas pelo Reino Unido seriam livres de alíquotas. Tarifas seriam aplicadas para produtos de especial interesse do Brasil, como carne bovina, frango e açúcar, além de fertilizantes, carros, cerâmica.

 

Previsão - Além disso, o governo britânico previu não aplicar tarifa de importação sobre bens atravessando a fronteira entre Irlanda e Irlanda do Norte (a primeira permanece na UE, a segunda sai com o Brexit). Significa que os produtores de carne bovina irlandeses, os principais concorrentes do Brasil na Europa, teriam livre acesso ao mercado britânico. A medida é claramente ilegal, atropelando um dos princípios básicos da OMC, pela qual o que for dado a um país tem que ser oferecido a todos.

 

Cotas autônomas - Londres previu no seu "regime temporário tarifário", no caso de um dia ser aplicado, cotas autônomas, vistas por certos exportadores como um modo de melhor acomodar produtores europeus, antigos sócios no mercado comum.

 

Término - Ninguém sabe como terminará o Brexit. O plano original era para o Reino Unido sair da UE no dia 29 deste mês. Agora vai pedir prorrogação do prazo. O que parece provável, do lado dos exportadores, é retaliar a União Europeia em algum momento pela recusa em dar compensação pela perda de mercado que terão. (Valor Econômico)

 


Versão para impressão


RODAPE