cabecalho informe

APRE/EMBRAPA FLORESTAS: Workshop vai discutir sanidade florestal

apre embrapa 22 09 2020Nos dias 22, 23 e 24 de setembro, será realizada a sétima edição do workshop organizado pela Associação Paranaense de Empresas de Base Florestal (Apre) e pela Embrapa Florestas. Pela primeira vez, o tradicional evento será transmitido pela internet, seguindo o protocolo de enfrentamento ao novo coronavírus para preservar a integridade física dos participantes. Nessa edição, o encontro vai discutir “Os cuidados com as florestas plantadas: proteção e sanidade”.

Inscrições - As inscrições continuam abertas e custam R$ 450,00 para profissionais de empresas associadas à Apre; R$ 550,00 para profissionais de empresas associadas à Associação Catarinense de Empresas Florestais (ACR) e à Associação Gaúcha de Empresas Florestais (Ageflor); e R$ 650,00 para profissionais de empresas não associadas.

Programação - A programação do evento foi dividida em quatro blocos: Questão das pragas em florestas plantadas; Efeitos da Matocompetição e a interação com as pragas na floresta; Monitoramento, estimativas e cenários de perdas não planejadas; e Como se organizar para proteção florestal - a experiência das empresas florestais. Como o evento será on-line, a interação entre os palestrantes e os participantes acontecerá ao fim de cada bloco, para possibilitar a troca de experiências e também a solução de dúvidas.

Sanidade - De acordo com os organizadores, o workshop Apre/Embrapa Florestas foi idealizado para tratar de um dos temas mais importantes no setor florestal, que é a sanidade das florestas plantadas. Por isso, as duas entidades convidaram referências no segmento de cuidados silviculturais com as florestas plantadas para discutir assunto.

Tecnologias - Um dos palestrantes será Alexandre Coutinho Vianna Lima, engenheiro florestal, mestre em proteção de plantas e doutor em Ciências Florestais, que vai falar sobre “Tecnologias aplicadas no monitoramento e classificação de danos por pragas e doenças”. O especialista irá abordar questões relacionadas ao cenário de produtos fitossanitários registrados para controle de pragas em culturas florestais, técnicas utilizadas em monitoramento de agentes danosos, danos causados e medidas de manejo assertivo no manejo integrado de pragas. Lima, que também é diretor Florestal da MIP Florestal, vai mostrar aos produtores de florestas de eucalipto e pinus que “o monitoramento é a base de coleta de dados para tomar a melhor decisão e que as tecnologias estão cada vez mais presentes não só na agricultura, mas também no cultivo e manejo silvicultural”. Entre as novidades no mercado nessa área, ele destaca as técnicas de diagnóstico de danos por meio do monitoramento remoto, utilizando imagens de satélite e drones.

Análise de riscos - Para tratar da análise de riscos de pragas, importação de inimigos naturais e agrotóxicos no manejo de pragas florestais, o gerente de Pesquisa e Desenvolvimento em Manejo Florestal da Bracell, José Eduardo Petrilli Mendes, irá discutir a necessidade de mudança do manejo integrado de pragas e das oportunidades que devem surgir nessa área. Segundo Mendes, hoje há uma maior disseminação das informações relacionadas aos riscos de introdução de novas pragas, as possibilidades e os entraves para a evolução no uso de inimigos naturais, além de novas regras para a classificação dos agrotóxicos nos âmbitos federal e de certificações florestais. Dessa forma, o objetivo da palestra “é informar sobre possíveis alterações do manejo integrado de pragas e engajar as pessoas para participarem ativamente dos processos de transformação do manejo integrado de pragas”.

Manejo integrado - Além de Lima e Mendes, outro palestrante que já adiantou o que irá abordar na palestra "Manejo Integrado de pragas - Integração de sistemas" foi Carlos Frederico Wilcken, diretor da Faculdade de Ciências Agronômicas da Universidade Estadual Paulista (Unesp). De acordo com ele, a palestra vai focar no controle biológico, com apresentação de casos de pragas exóticas de eucalipto no Brasil e a abordagem do manejo integrado de pragas.

Controle - “Precisamos mostrar como está a situação das infestações de pragas em cada região e como estão controlando essas pragas, para promover o debate. Para isso, vamos atualizar as informações sobre o avanço das pragas florestais no Brasil e no mundo e os resultados recentes dos programas de controle biológico no Brasil. Hoje, há o risco de introdução de novas pragas, mas também existe a possibilidade de instalação de biofábricas de inimigos naturais e de bioinseticidas para o manejo das pragas florestais”, destaca.

Programação - Confira abaixo a programação completa, com os dias e horários de cada palestra:

Questão das pragas em florestas plantadas – 22 de setembro – 10h às 12h30

- Visão geral sobre pragas em florestas plantadas - Edson Tadeu Iede, especialista em Entomologia;

- Manejo Integrado de Pragas - Integração de sistemas - Carlos Wilcken/Unesp;

- Debate com palestrantes.

Efeitos da Matocompetição e a interação com as pragas na floresta – 22 de setembro – 14h às 17h30

- Resistência de plantas daninhas a herbicidas - Artur Arrobas Martins Barroso (UFPR);

- A influência do manejo de plantas daninhas no ataque de pragas na cultura de Pinus - Mariane Nickele (UFPR);

- Portfólio Futuragro - Francisco de Assis Solak;

- Análise de riscos de pragas, controles biológico e químico no MIP Florestais - Rafaela Freitas Pavani (Ibá);

- Debate com palestrantes.

Monitoramento, estimativas e cenários de perdas não planejadas – 23 de setembro – 14h às 17h

- Tecnologias aplicadas no monitoramento e classificação de danos por pragas e doenças - Alexandre Coutinho Vianna Lima (MIP Florestal);

- Precisão: o grande desafio no manejo de florestas plantadas - Julio Eduardo Arce (UFPR);

- Modelagem biológica e análises de impacto financeiro no suprimento de madeira - Cesar Junio Santana (Remsoft);

- Debate com palestrantes.

Como se organizar para proteção florestal: a experiência das empresas florestais – 24 de setembro – 14h às 17h30

- Monitorando o impacto sobre a produtividade - Eduardo Moré de Mattos (Geplant);

- Integração do sistema de monitoramento de pragas, doenças e de plantas daninhas - Mariane Bueno Camargo (Klabin);

- Mensuração dos danos e estratégias para redução de perdas - Áreas com Macaco prego - Dieter Liebsch (Arauka Ambiental);

- Aplicativo para o Manejo Integrado de Pragas (MIP) para formigas cortadeiras na região Sul do Brasil - Wilson Reis (Epagri e Embrapa Florestas)

- Debate com palestrantes

SERVIÇO

7º Workshop Apre/Embrapa

Data: 22, 23 e 24 de setembro de 2020

Transmissão via web

Informações e inscrições: http://www.apreflorestas.com.br/evento/7o-workshop-embrapa-florestas-apre/

Dúvidas: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. – (41) 3233-7856

(Assessoria de Imprensa do evento)

 

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias