Imprimir
Sistema Ocepar - Paraná Cooperativo - Informe Diário

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 2979 | 23 de Novembro de 2012

FÓRUM COOP I: Cooperativas contribuem de forma decisiva para o desenvolvimento do PR, diz Richa

A forma de atuação e os benefícios proporcionados pelo cooperativismo no Estado do Paraná foram ressaltados pelo governador Beto Richa, na noite desta quinta-feira (22/11), em Carambeí, na região paranaense dos Campos Gerais. Ele esteve na abertura do Fórum Coop 2012, evento que encerra as comemorações do Ano Internacional das Cooperativas, realizado pela Associação do Parque Histórico de Carambeí (APCH) e Sistemas Ocepar e OCB, numa promoção intergrada das cooperativas Batavo, Castrolanda, Capal e Bom Jesus. “Estamos aqui para demonstrar o respeito e a consideração do governo ao cooperativismo, que contribui de forma decisiva para o desenvolvimento econômico e social do Paraná. O setor gera 1,5 milhão de empregos, recolhe R$ 1,2 bilhão em impostos, participa com 55% do PIB agropecuário paranaense e exportou US$ 2,2 bilhões. Nossa intenção é fortalecer cada vez mais o cooperativismo”, afirmou Richa. “O cooperativismo paranaense, nos últimos trinta anos, não mudou apenas a paisagem rural do Estado, com o florescimento de novas culturas agrícolas mas também ajudou a mudar a fisionomia urbana das nossas cidades, criando renda e impostos que ajudaram a viabilizar a pavimentação de ruas, a construção de escolas e creches, bibliotecas, hospitais, enfim, todas as obras necessárias para melhorar a vida das pessoas”, acrescentou.

Apoio – O governador lembrou que, no último dia 25 de outubro, sancionou a lei estadual complementar de apoio ao cooperativismo e listou várias outras ações que, segundo Richa, demonstram a sinergia do governo com o setor, entre as quais, o repasse de recursos por meio do Banco Regional de Desenvolvimento (BRDE). “Ano passado, a agência paranaense do BRDE contratou R$ 750 milhões em operações de crédito à produção. Desse total, R$ 287 milhões foram destinados às cooperativas. Neste ano, até o final de outubro, o BRDE já havia repassado R$ 360 milhões para atender as necessidades de financiamento do setor, montante que equivale praticamente à metade dos recursos liberados pelo BRDE no Estado nesse mesmo período”, ressaltou Richa.

Patrulha do Campo - Ele falou ainda sobre o lançamento do programa Patrulha do Campo, no último dia 12, atendendo a um pleito das cooperativas do Paraná. “O programa vai repassar máquinas e equipamentos a consórcios municipais a fim de recuperar as nossas estradas rurais. Trinta patrulhas de um total de 60 que serão compradas pelo Estado até 2014 já podem ser usadas pelas prefeituras. Além das máquinas, o governo dará suporte às prefeituras nos projetos de engenharia, com investimento inicial de R$ 110 milhões em favor de 200 municípios paranaenses. Os projetos técnicos reduzirão os impactos ambientais das obras, além de cobrir gastos futuros com a manutenção das estradas rurais”, afirmou. O governador também citou os investimentos realizados pelo Programa Paraná Competitivo, que também está beneficiando as cooperativas, e também em infraestrutura, principalmente no porto de Paranaguá. “Estão assegurados aportes de R$ 235 milhões em 2013 para melhoria e ampliação das instalações portuárias e até 2014 esperamos investir R$ 1,6 bilhão, entre recursos públicos e privados”, friosu.

Cooperativas de origem holandesa – O governador também destacou o trabalho das cooperativas de origem holandesa instaladas na região dos Campos Gerais. “Mais de 100 anos atrás, os pioneiros de imigrantes holandeses que se estabeleceram aqui enfrentaram as adversidades típicas da adaptação ao um novo país. Com trabalho árduo e perseverança, eles se uniram em torno de seus objetivos, venceram obstáculos e deixaram como legado a primeira grande experiência de cooperativismo no nosso país. A criação da Batavo em Carambeí, da Castrolanda, em Castro, e da Capal, em Arapoti, constitui uma das mais belas e bem sucedidas páginas da história do cooperativismo. Não apenas pelos altíssimos níveis de produtividade de sua bacia leiteira mas por sua inestimável contribuição ao modelo de cooperativismo construído no Paraná”, afirmou. “Por tudo isso, parece-nos bastante adequado que a realização deste evento que marca o Ano Internacional das Cooperativas, justamente declarado pela Assembleia Geral da ONU, tenha como pano de fundo o grandioso panorama dos Campos Gerais, onde o cooperativismo lançou suas sementes mais férteis”, sublinhou Richa.

Crescimento – Em seu pronunciamento, o presidente do Sistema Ocepar, João Paulo Koslovski, ressaltou que o cooperativismo paranaense deve registrar mais um ano de crescimento. “Deveremos passar dos R$ 32 bilhões alcançados em 2011 para R$ 35 bilhões neste ano, valor que pode ser ultrapassado em função do desempenho do segundo semestre. Lembramos ainda que o cooperativismo de crédito já atingiu mais de R$ 12 bilhões de ativos e que elas respondem por mais de 20% da aplicação dos recursos do crédito rural no Paraná. O ramo saúde atende a mais de 1,8 milhão de usuários. O setor está avançando também em outros ramos como educação, infraestrutura, transportes, trabalho”, ressaltou. “Assim, o cooperativismo paranaense está contribuindo para construir um mundo melhor, mais justo e com distribuição de renda”, acrescentou.

Moeda comemorativa – Koslovski presenteou o governador com a moeda cunhada pelo Banco Central em comemoração ao Ano Internacional das Cooperativas. Ela foi entregue em conjunto pelos presidentes das cooperativas, Batavo, Renato Greidanus, da Castrolanda, Frans Borg, da Capal, Eric Bosh, da Bom Jesus, Luiz Roberto Baggio,pelo gerente geral da Coopagrícola, Prentice Balthazar Junior e pelo presidente da APHC, Dick de Geus.

Presenças Prestigiaram ainda a aberturado Fórum Coop 2012 o secretário da Agricultura, Norberto Ortigara; os deputados estaduais Elio Ruschi, Pedro Lupion, Marcelo Rangel e Plauto Miró; o cônsul do reino dos países baixos para o Paraná e Santa Catarina, Robert W. de Ruijter; o prefeito de Carambeí, Leon Larocca; o diretor de Acompanhamento e Recuperação de Créditos do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Nivaldo Assis Pagliari. Também estavam presentes o presidente da Jucepar, Ardisson Naim Akel, o diretor financeiro da Faep, Luiz Biscaia, o superintendente do Sistema OCB, Renato Nóbile e o superintendente do Sescoop Nacional, Luiz Tadeu Prudente, e dirigentes cooperativistas de todas as regiões do Estado.

{vsig}noticias/2012/novembro/23/forum_coop/{/vsig}

FORUM COOP II: Lideranças discutem realidade e potencialidades do setor

Logo após a abertura oficial do Fórum Coop 2012, foi realizado, nesta quinta-feira (22/11), um painel com o tema “O Ano Internacional do Cooperativismo. Quais são as nossas realidades e potencialidades?”. Participaram o presidente do Sistema Ocepar, João Paulo Koslovski, e os presidentes das cooperativas Batavo, Renato Greidanus, da Castrolanda, Frans Borg, da Capal, Eric Bosch, da Bom Jesus, Luiz Roberto Baggio, e da Fundação ABC, Luciano Klüppel, e o gerente geral da Coopagrícola, Prentice Balthazar Junior.

Desafios – Após a apresentação de cada um dos participantes, Koslovski destacou os desafios que o setor precisa enfrentar para o crescimento sustentável das cooperativas. “O cooperativismo brasileiro, com certeza, está vivendo um momento ímpar para se consolidar como o melhor instrumento de defesa econômica das pessoas. Dessa forma, nós temos que continuar crescendo, mas com segurança. Para atingir esse objetivo, devemos investir fortemente no comprometimento do cooperado porque todos os dias ele espera algo novo e, na maioria das vezes, necessário para que possa desenvolver adequadamente as suas necessidades. O cooperado é o dono e é ele quem vai direcionar as ações da cooperativa. O dirigente pode, dentro de um grupo homogêneo, definir as prioridades e assim ele vai ter o comprometimento desse cooperado”, disse o presidente da Ocepar.

Outros pontos – Ele alertou ainda para a importância da profissionalização da gestão das cooperativas e falou sobre a necessidade dos dirigentes estarem sempre atentos ao que ocorre com a economia mundial, pois ela pode dar sinais sobre o direcionamento das atividades. Para Koslovski, o trabalho conjunto entre as cooperativas também é uma saída para o fortalecimento do setor. “O cooperativismo tem um desafio muito grande em relação ao seu processo de crescimento e a intercooperação é o caminho. Com essa visão estratégica, podemos buscar a viabilização dos negócios dos nossos cooperados”. Na avaliação do presidente da Ocepar, é necessário ainda intensificar a mobilização do cooperativismo visando garantir políticas públicas adequadas às peculiaridades do setor. “Estamos gerando renda e desenvolvimento. Precisamos brigar para termos melhores condições e o mesmo tratamento dado às empresas mercantis”, frisou.

Palestra - A programação do primeiro dia do Fórum Coop foi encerrada com palestra do presidente da Associação Parque Histórico de Carambeí, que falou sobre a contribuição da imigração holandesa apra o agronegócio nacional.  

{vsig}noticias/2012/novembro/23/Painel/{/vsig}

FORUM COOP III: Para Renato Nóbile evento marca a evolução do cooperativismo no PR

Na opinião do superintendente da OCB – Organização das Cooperativas Brasileiras, Renato Nóbile a realização do Forum Coop é um sucesso, não apenas pela excelente presença do público presente mas pelos temas debatidos. “Podemos dizer que o Forum Coop é mais um degrau na escala de evolução do cooperativismo paranaense e fico feliz de ter tido a oportunidade de ter sido convidado”, frisou.

Ferramenta democrática - Nóbile, que acompanha o evento desde sexta-feira (22/11), quando foi realizado o segundo Encontro de Núcleos Cooperativos da Ocepar neste ano, disse que este modelo de discussão praticado pelo Sistema Ocepar há várias décadas é um exemplo a ser copiado. “Ao presenciarmos as apresentações, as discussões, saímos mais convictos de que é uma ferramenta democrática para discutir assuntos do sistema. Este modelo que começou aqui no Paraná está sendo levado pela OCB a nível nacional como uma assertiva de funcionamento. E pode muito bem ser copiada por outras organizações estaduais no País”.

Delegações - Renato Nóbile elogiou a iniciativa da Ocepar em fechar as comemorações do Ano Internacional das Cooperativas no Estado, com um evento como o Fórum Coop. “Vemos que as cooperativas atenderam o chamamento da Ocepar e vieram para cá em grande número com delegações de várias cooperativas e até um grupo de estudantes da Universidade Federal de Santa Maria, do Rio Grande do Sul. As cooperativas organizadoras e a Ocepar estão de parabéns pelo evento”, disse o representante da OCB.

Intercooperação - Ele fez questão de destacar o painel com os dirigentes cooperativistas sobre a intercooperação realizada na região dos Campos Gerais, onde as cooperativas constituídas por holandeses sempre procuraram trocar experiências para poderem se desenvolver conjuntamente. “Uma experiência que está sendo irradiada agora para outras regiões, este modelo que está sendo chamado de cooperativismo de nova geração com força na intercooperação, onde se unem para desenvolver conjuntamente uma unidade de negócios, como é o caso da indústria de leite da Castrolanda e da Batavo. Fantástico, estão minimizando os custos e aproveitando a expertise individual num processo coletivo e agregando outras cooperativas no processo”, destacou Nóbile.

Reconhecimento- Outro ponto de destaque do evento na opinião de Renato Nóbile “foi a presença do governador Beto Richa, juntamente com seu secretário da Agricultura, Norberto Ortigara, que vieram acompanhados por vários deputados estaduais, uma forma de reconhecimento do governo a importante contribuição dada pelas cooperativas paranenses no desenvolvimento, tanto econômico como social no Paraná, fato mencionado por diversas vezes no discurso do governador”. No final da abertura Nóbile, juntamente com o presidente do Sistema Ocepar e presidentes das cooperativas anfitriãs fizeram a entrega ao governador Beto Richa, da moeda cunhada pelo Banco Central em comemoração ao Ano Internacional das Cooperativas. 

Renato Nobile POCB

FORUM COOP IV: O importante trabalho do Sescoop no cooperativismo brasileiro

 

Com 13 anos de existência, o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop), já capacitou cerca de 2 milhões e 600 mil pessoas  e 1 milhão e 800 mil com promoção social. “Com certeza números que aferem que estamos no caminho certo”, lembrou o superintendente do Sescoop Nacional, Luiz Tadeu Prudente Moraes ao participar do Forum Coop, que acontece em Carambeí (PR) até sábado. Ele destacou o nível das palestras realizadas durante o evento e também sobre o painel sobre intercooperação apresentado na noite de sexta-feira (22/11) com presidentes das cooperativas Capal, Batavo, Castrolanda, Coopagrícola, Bom Jesus e Fundação ABC. “Os dirigentes estão muito bem preparados, aqui existem diferenciais importantes, onde a realizada está acima de uma média e estão preparando as pessoas para um futuro diferente. Tenho participado de muitos eventos onde as cooperativas estão falando para a sociedade sobre os seus valores, seus diferenciais, seus princípios. Esta é a linha que temos que manter para mostrar nossa força, como o evento aqui, trazer pessoas de fora do sistema para falar sobre como é que atuam em suas áreas”, disse Tadeu.

Avaliação- Fazendo uma rápida avaliação dos trabalhos do Sescoop em 2012, Tadeu Santos disse que neste ano o foco principal foram as questões estruturantes. “Investimos muito na questão da informatização do sistema, para que as informações cheguem o mais rápido possível em toda base, afinal estamos num País de extensão continental”. Para o próximo ano, Tadeu disse que a meta é “implantar o mais breve possível o ensino a distância, estamos com programas direcionados a diversos ramos do cooperativismo com assuntos específicos atendendo as demandas dos estados. O Sescoop Nacional teve alterado o seu Conselho, com outras pessoas, novos integrantes que vieram para contribuir e entraram com um planejamento formatado”, destacou. 

Tadeu Sescoop Nacional

FORUM COOP V: Programação desta sexta contempla palestras e colheita de trigo

O Fórum Coop 2012 prossegue nesta sexta-feira (23/11), em Carambeí, nos Campos Gerais, com apresentação de palestras e será finalizado com a dinâmica da colheita do trigo. De manhã, o diretor do Rabobank, Antônio Carlos Ortiz, falou sobre o tema “Forças e tendências moldadas à agricultura e à escala de produção agrícola". Na sequência, o doutor em Agribusiness, Marcos Jank, falou sobre as tendências da economia brasileira. Já o gerente de Segurança e Produtos da Monsanto, Luciano Fonseca, tratou sobre transferência de tecnologia nos Estados Unidos.

Programação - A programação da tarde contempla a participação de Wayne Reeves, dos Estados Unidos, que trata sobre transferência de tecnologia nos EUA, e do diretor da Itaipu, Cícero Bley, que vai abordar o tema “Biotecnologia e sustentabilidade. Também haverá o Fórum dos Diretores Executivos das Cooperativas. 

{vsig}noticias/2012/novembro/23/Programacao/{/vsig}

FÓRUM COOP VI:Cooperativas do ABC apresentam modelo de integração

No Encontro de Núcleos Cooperativos, os presidentes da Batavo, Renato Greidanus, da Castrolanda, Frans Borg, e da Capal, Erick Bosch, apresentaram o modelo de intercooperação adotado pelas três cooperativas, conhecidas como ABC. O painel foi coordenado pelo presidente da Ocepar, João Paulo Koslovski. “É um exemplo de três cooperativas que, sem perder a identidade jurídica, estão integrando os seus negócios. Hoje em dia é necessário aglutinarmos forças para termos produtos em quantidade e qualidade para competirmos no mercado”, ressaltou Koslovski.

Unidades de negócios – A Batavo, a Castrolanda e a Capal estão trabalhando juntas em três unidades de negócios: leite, trigo e suínos. De acordo com Frans Borg, no modelo que elas adotam, uma das cooperativas lidera determinado projeto e as demais se associam a ele. “A capitalização é feita diretamente na unidade de negócios e a estrutura é mais enxuta”, explicou. Segundo Renato Greidanus, juntas, as três cooperativas possuem 2283 cooperados e 1700 colaboradores. O faturamento soma R$ 2,6 bilhões por ano e o patrimônio líquido é de R$ 842 milhões. O primeiro projeto executado em parceria foi na área de leite, entre a Castrolanda e a Batavo. As duas possuem capacidade total de dois milhões de litros de leite ao dia e estão captando 1, 2 milhão de litros por dia. Os produtos fornecidos são: leite UHT, creme de leite UHT, leite condensado, leite concentrado e bebidas lácteas.

Outros negócios – As três cooperativas também planejam construir ummoinho, cujo projeto será executado em duas fases, sendo que a primeira deve ser concluída em dezembro de 2013. Serão investidos R$ 80 milhões e o empreendimento terá capacidade de moagem de 240 mil toneladas por dia. Em suínos, serão aplicados outros R$ 105 milhões em um frigorífico que está sendo construído em Castro. O presidente da Capal disse que a cooperativa está participando diretamente dos projetos ligados a suínos e trigo. “Estamos conversando para nos integrar ao programa de leite”, acrescentou. Ainda de acordo com ele, uma das preocupações dessa iniciativa é o benefício gerado ao cooperado. “O apoio dos cooperados é importante já que todo esse trabalho é feito em benefício deles”, frisou.

Plano de ação 2013- Depois da apresentação das cooperativas ABC, o superintendente da Ocepar, José Roberto Ricken, tratou sobre o plano de ação das cooperativas do Paraná para 2013. As propostas contemplam ações no âmbito do cooperativismo brasileiro, como maior participação no Conselho da OCB e o aprimoramento da representação do setor nos Conselhos Especializados da Organização. Ele também falou sobre a mobilização que deverá ser feita no Congresso Nacional contemplando, por exemplo, o acompanhamento de projetos como o ligado ao ato cooperativo e à nova lei cooperativista. Ricken falou ainda sobre as propostas que deverão ser apresentadas junto ao governo federal em relação a programas como o Prodecoop, Procap-Agro, Pronaf, Procapcred entre outros, e a sugestões de criação de novos programas, entre os quais o de garantia de renda. “A ideia é que ele assegure garantia de produção e preço”, esclareceu. Também foram tratadas de ações no âmbito estadual, que contemplam ações junto à Adapar (Agência de Defesa Agropecuária) e o acompanhamento das medidas que serão estabelecidas no Paraná visando a implementação do novo Código Florestal Brasileiro. Houve ainda o lançamento do Programa de Certificação dos Conselheiros das Cooperativas do Paraná, iniciativa do Sistema Ocepar que visa contribuir para a qualificação e melhoria da gestão das cooperativas.

{vsig}noticias/2012/novembro/22/forum_coop_carambei/{/vsig}

FÓRUM COOP VII:Encontro de Núcleos reúne 200 cooperativistas em Carambeí

Cerca de 200 lideranças cooperativistas de todo o Estado participaram, na tarde desta quinta-feira (22/11), do Encontro de Núcleos Cooperativos promovido pelo Sistema Ocepar em Carambeí, na região paranaense dos Campos Gerais. Tradicionalmente realizado de forma descentralizada, reunindo os cooperativistas por região para discutir temas de interesse do setor, desta vez foi promovido dentro da programação do Fórum Coop 2012, evento em comemoração ao Ano Internacional das Cooperativas. “É o nosso evento oficial para celebrar a data”, ressaltou na abertura o superintente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken. “É uma ocasião especial para comemorarmos esse reconhecimento da ONU, ao declarar 2012 como o Ano Internacional das Cooperativas. Isso ocorreu graças ao trabalho que as cooperativas fazem em benefício de um bilhão de pessoas em todo o mundo ligadas ao setor”, disse ainda o presidente do Sistema Ocepar, João Paulo Koslovski. O encontro foi aberto às 14h, na Associação dos Funcionários da Cooperativa Batavo, com a presença do superintendente do Sistema OCB, Renato Nóbile, do superintendente do Sescoop Nacional, Luiz Tadeu Prudente, do diretor de Acompanhamento e Recuperação de Créditos do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Nivaldo Assis Pagliari. Estavam ainda presentes os coordenadores de núcleos cooperativos.

Boas vindas – “É um motivo de muito orgulho e satisfação recebê-los aqui. Tenho certeza de que vamos sair daqui com mais conhecimento. O cooperativismo é um instrumento importante para o crescimento do Paraná e de todos os lugares onde as cooperativas estão inseridas”, afirmou o presidente da Cooperativa Batavo, Renato Greidanus, ao dar boas vindas aos participantes. O presidente da Cooperativa Agrária e coordenador do Núcleo Centro Sul, Jorge Karl, falou em nome dos demais coordenadores. “Foi uma justa escolha promover o Encontro de Núcleos neste local, que é o berço do cooperativismo no Estado do Paraná. Também é aqui que podemos conferir a importante colaboração da imigração holandesa para o desenvolvimento da região e do Paraná”, destacou Karl. “Estamos comemorando o Ano Internacional das Cooperativas e o Paraná tem se destacado no cooperativismo. A Ocepar tem contribuído para esse reconhecimento por meio de um trabalho profissional realizado em defesa do setor”, acrescentou. O profissionalismo do cooperativismo do Paraná também foi destacado pelo diretor do BRDE. “As cooperativas do Paraná são muito profissionais e o banco vai fazer todos os esforços para atender às demandas do setor”, afirmou Nivaldo Assis Pagliari.

Experiência - De acordo com Renato Nobile, o Sistema OCB está adotando o formato dos Encontros de Núcleos Cooperativos do Paraná em âmbito nacional, com duas reuniões já programadas para ocorrer em dezembro, nas regiões Norte e Nordeste do País. “Nós estamos levando a experiência desenvolvida por vocês para todo o Brasil, em reconhecimento ao trabalho realizado pelos paranaenses, cujas cooperativas são exemplo não somente em termos de produção como também de organização do setor”, disse o superintendente do Sistema OCB.

Fórum Futuro 10 – Após os pronunciamentos, houve a apresentação do trabalho que vem sendo realizado na área de infraestrutura por meio do Fórum Permanente Futuro 10 Paraná, composto por 16 entidades representativas, entre as quais está a Ocepar. O painel foi conduzido pelo superintendente adjunto da Ocepar, Nelson Costa, e teve a participação do assessor da diretoria da Fiep, João Arthur Mohr, que fez uma explanação sobre as prioridades existentes nos diferentes modais de transporte levantadas pelo Fórum e que vem sendo discutidas e negociadas com o governo federal.

{vsig}noticias/2012/novembro/22/forum_coop_carambei_I/{/vsig}

C.VALE: Líderes cooperativistas visitam o Sistema Ocepar

 

Um grupo de 28 agricultores, líderes cooperativistas nas regiões em que a C.Vale atua, esteve na manhã desta sexta-feira (23/11), na sede do Sistema Ocepar, em Curitiba. Eles foram recepcionados pelo superintendente adjunto, Nelson Costa, e pelo analista técnico e econômico, Gilson Martins, que explicaram sobre a constituição do Sistema, que é formado pelo Sindicato e Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar), pelo Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop), e pela Federação das Cooperativas (Fecoopar). O grupo também recebeu informações contextualizando o cooperativismo no Paraná, no Brasil e no mundo. Antes de visitar o Sistema Ocepar, o grupo fez uma viagem de imersão por Carambeí e Castro, num roteiro organizado pela Cooptur – Cooperativa Paranaense de Turismo, e que teve a finalidade de conhecer o berço do cooperativismo e da cultura holandesa no Paraná. 

{vsig}noticias/2012/novembro/23/CVale/{/vsig}

SESCOOP: Inscrições para o curso sobre fechamento de balanço permanecem abertas

Quem ainda não confirmou presença no curso de fechamento de balanço ainda tem tempo para garantir sua vaga. As inscrições para o treinamento seguem até o dia 11 de dezembro. O treinamento será realizado pelo Sescoop/PR, nos dias 18 e 19 de dezembro, na sede da entidade, em Curitiba. A capacitação é destinada aos profissionais que atuam nas áreas contábil, controladoria e de auditoria interna das cooperativas do Paraná e tem como objetivo promover uma atualização sobre as alterações ocorrida nas leis, visando o cumprimento das Normas Brasileiras de Contabilidade. As orientações serão repassadas pelo consultor Dorly Dickel.

Programação – A programação contempla uma abordagem sobre as principais mudanças ocorridas na legislação contábil e fiscal em 2012. Também, uma avaliação de ativos e passivos, com a aplicação das normas contábeis do Comitê de Pronunciamentos Contábeis, aprovadas pelo Conselho Federal de Contabilidade. Dorly Dickel vai ainda tratar dos aspectos fiscais e tributários, focando a apuração do resultado de atos cooperativos e atos não cooperativos, os ajustes no encerramento do exercício (Lucro Real) e a tributação do ganho de aplicações financeiras. No tópico “Elaboração das demonstrações contábeis” serão discutidos os seguintes itens: Destinações legais e estatutárias; Balanço Patrimonial; Demonstração das sobras ou perdas e resultados abrangentes; Demonstração das mutações do Patrimônio Líquido (DMPL); Demonstração do Fluxo de Caixa (DFC); Demonstração do Valor Adicionado (DVA) e Notas explicativas.

UNIODONTO: Cooperativa recebe Prêmio IMPAR

A Uniodonto recebeu na segunda-feira (19/11) um certificado referente ao 2.º lugar conquistado na categoria Planos Odontológicos no Prêmio IMPAR - Índice de Marcas de Preferência e Afinidade Regional - anunciado pela Rede Independência de Comunicação (RIC TV).  A cerimônia de premiação foi realizada no auditório da Faculdade Assis Gurgacz, em Cascavel, no Paraná, e contou com a presença de empresários, autoridades e representantes das marcas homenageadas. Após a abertura, os participantes contaram com a palestra “Estratégia e Inovação – o segredo de pessoas e organizações vencedoras”. Em seguida, foi realizada a entrega dos certificados às empresas vencedoras e um brinde.

O PrêmioO IMPAR é desenvolvido pela RICTV Record, considerada a mais completa pesquisa do gênero no Sul do Brasil. Os vencedores do prêmio são definidos a partir de pesquisas realizadas pelo IBOPE Inteligência com o consumidor, que aponta as marcas de produtos e serviços de sua preferência. O resultado do estudo tem a missão apresentar dados para o desenvolvimento socioeconômico e sustentável do estado, além de promover o reconhecimento das empresas mais citadas pelos entrevistados. O Prêmio é reconhecido pelo Sistema Fecomércio e pela Associação Comercial do Paraná. (Imprensa Uniodonto)

SICREDI I: Mais de R$ 2 milhões em negócios realizados na Assembleia Itinerante de Consórcios Sicredi

A Sicredi Parque das Araucárias PR/SC realizou na noite de terça-feira (20/11), na cidade deVideira, a Assembleia Nacional Itinerante de Consórcios. Além de Videira, também houve a participação dos associados e das Unidades de Atendimento do meio-oeste catarinense: Caçador, Fraiburgo e Treze Tílias. Durante o evento os presentes que somaram mais de 250 pessoas, foram recepcionados na I AM Bier/Mediterrâneo, onde puderam conhecer todas as linhas de créditose modalidades de consórcio.

 

Sicredi Consórcios– Investir no Sicredi Consórcios é investir na realização de seus sonhos. São planos de consórcio sob medida para o associado que deseja investir em um imóvel, automóvel, motocicleta, caminhão, utilitário, trator, equipamento agrícola ou rodoviário ou ainda, um serviço. Diversos segmentos, prazos e planos que atendem a todas as necessidades. Segundo o Assessor de Negócios da cooperativa, Evandro Benichio “o consórcio é uma ótima oportunidade para quem precisa conquistar o que sempre quis de forma programada, através de capital próprio e sem utilização de empréstimos” comentou Benichio.

Expansão - Segundo o presidente da Sicredi Parque das Araucárias, Clemente Renosto, “o produto Consórcio tem crescido muito no Sistema Sicredi. Em apenas seis anos, já somos a décima primeira maior administradora do país, contando hoje com mais de 93 mil cotas e mais de 3 milhões de carteira ativa. O produto é excelente e tem sido muito bem recebido pelo nossos associados e só tende a crescer”, destacou o Presidente.

 

Assembleia Itinerante - A Assembleia Itinerante foi proferida  pelo Analista de Mercado do Sicredi, Joel Queiroz da Silva. Para o analista, “o consórcio é mais uma modalidade de investimento, tanto para pessoa física como jurídica, de pequeno, médio e grande porte. O consórcio é uma excelente oportunidade para o empresário renovar sua frota, comprar um imóvel comercial ou realizar outras operações livre de juros, fazendo de uma forma planejada e gastando muito menos”, destacou Silva.

Resultado da Assembleia - Além de uma linda festa, o evento gerou muitos negócios para a cooperativa. Foram mais de 35 cotas comercializadas somando mais de R$ 2 milhões em vendas na noite do evento.

 

Sobre o Sicredi -O Sicredi é um sistema composto por 113 cooperativas de crédito, integradas horizontal e verticalmente. A integração horizontal representa a rede de unidades de atendimento (1.182 unidades de atendimento), distribuídas em 10 Estados* - 905 municípios. No processo de integração vertical, as cooperativas estão organizadas em quatro Cooperativas Centrais, uma Confederação, uma Fundação e um Banco Cooperativo, que controla as empresas específicas que atuam na distribuição de seguros, administração de cartões e de consórcios. Mais informações no site sicredi.com.br. (Assessoria de Imprensa)

 {vsig}noticias/2012/novembro/23/Sicredi_Consorcio/{/vsig}

SICREDI II: Etiqueta Empresarial para colaboradores da Sicredi Vale do Piquiri

 

Em quatro dias, divididos em turmas, colaboradores da Sicredi Vale do Piquiri participaram do treinamento Etiqueta Empresarial, com a consultora Samar Jordão, ouvidora geral da FAE Curitiba. O objetivo foi promover a equipe dicas, que no cotidiano, auxiliam no comportamento adequado no contato profissional. “Sem dúvida, entre dois profissionais com igual capacidade técnica, o que souber se apresentar melhor irá se destacar”, lembra a consultora. A especialista destacou detalhes que podem ser melhorados, desde, o relacionamento com os demais colegas, a vestuário e hábitos comportamentais que fazem total diferença. Entre os aspectos abordados, estiveram: pontualidade, relacionamento, roupas, educação, linguagem corporal, tom de voz, uso adequado do celular e internet, entre outros. “A consultora conseguiu simplificar um assunto que outros complicam. Levo para o meu cotidiano dicas preciosas que irão fazer a diferença”, disse o assessor de captação Márcio Araujo.

Benefícios - De acordo com estudiosos do assunto, a etiqueta empresarial permite ao profissional tornar-se agradável, viver com mais segurança e espontaneidade. Ela mostra que a boa apresentação pessoal, tanto no que se refere a atitudes quanto ao modo de se vestir, é o resultado do balanceamento ideal entre o bom gosto e o bom senso. A mesma capacidade que o profissional tem para ocupar o cargo deve transparecer na sua preocupação em se autoproduzir para exercer sua função adequadamente. “Aprender sempre é uma atitude que é incentivada aqui na cooperativa. Com certeza, o tema abordado, contribui diretamente para um melhor atendimento aos associados”, comentou o superintendente Moacir Niehues. (Imprensa Sicredi)

{vsig}noticias/2012/novembro/23/Sicredi_Piquiri/{/vsig}

 

SICREDI III: Seguro minimiza perdas causadas pelo vendaval e chuva de granizo

No total foram 13 cidades no oeste paranaense atingidas pela chuva, vento e pedras de gelo (com cerca de 20 cm de diâmetro) na madrugada do dia 25 de setembro. Bastaram 20 minutos sobre a cidade de Maripá para que seus moradores contabilizassem muitos prejuízos: “a situação é terrível quando a gente recebe uma chuva de pedra na cabeça, o pior que minha casa é de forro e não de laje, eu olhava para o rosto da minha esposa e via somente água suja escorrendo pela cabeça. O prejuízo foi bem maior do que eu pensava que seria. Neste momento percebi o quanto é bom ter o Seguro Residencial Sicredi, que acionei rapidamente a seguradora. Graças a rapidez, a atenção e a dedicação dos peritos, logo os valores foram disponibilizados e resolvi o meu problema...” relata o associado Arlindo Hein.

Antecipação - Já o associado Gérson Luis Martins lembra que antecipou a contratação do Seguro Sicredi “a gente nunca sabe o dia de amanhã e o que pode acontecer. O valor é bem acessível, com parcelas que cabem no bolso. De madrugada quando começou o vendaval fiquei muito assustado,. Me lembrei do seguro e me preocupei apenas em proteger minha família”. Cada história tem uma particularidade, para a agricultora Sueli de Fátima Roder a história é antiga: “sou uma das primeiras associadas da Sicredi de Maripá e sempre contratei seguro. No começo tinha apenas do barracão, depois fiz da estrebaria e da casa, agora durmo tranquila, porque se acontecer algum imprevisto não fico desamparada. Sempre que precisei a Sicredi me ajudou.”

Estragos - Tanto na cidade quanto na zona rural o estrago foi grande. Casas, carros, animais, árvores, aviários, pocilgas, galpões, enfim, as pedras de gelo provocaram estragos por onde passaram. Se não bastassem as pedras também ventos com cerca de 105Km/h levaram embora coberturas inteiras, jogando a distâncias superiores a 100 metros. Em resposta, o Seguro Sicredi já atendeu 164 sinistros, o que sugere que tenha atingido diretamente cerca de 600 pessoas. Os valores de indenizações até agora chegam perto de um milhão de reais, “mas temos ainda muitos processos em fase de fechamento por parte da Seguradora, o que pode aumentar em muito o montante de valores, reforçando o que cumpre com o papel de agregar renda aos associados, que uma vez não tendo o seguro teriam que arcar integralmente como os prejuízos”, comenta o Assessor de Seguros da Cooperativa Vale do Piquiri Thiago Couto.

Vantagens - Conheça opções inteligentes e acessíveis para trazer tranquilidade ao seu dia-a-dia. Fazendo um seguro no Sicredi você protege sua família, seu patrimônio e concorre a 4 prêmios de R$10 mil por mês. “Toda a equipe da Sicredi de Maripá fica à disposição para esclarecer qualquer dúvida dos associados, e preparada para recomendar o seguro que atenda cada caso específico”, reforça o Gerente da Unidade de Atendimento da Sicredi de Maripá Eduardo Anschau. (Imprensa Sicredi)

Sueli Roder Large

P1010364 Large

AGROGEGÓCIO: Paraná mantém 3ª posição no ranking das exportações

As exportações totais do Paraná, entre janeiro-outubro de 2012, somaram US$ 15,15 bilhões, uma elevação de 4%, relativamente a igual período de 2011 (US$ 14,58 bilhões).  As importações somaram US$ 16,07 bilhões.  Como resultado, o saldo da balança comercial paranaense foi deficitário em US$ 916 milhões. É o que apontam os dados da Secretaria do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do MDIC.  Já os dados da Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio (SRI) do Ministério da Agricultura (MAPA) mostram que no acumulado janeiro a outubro de 2012, as exportações do agronegócio paranaense igualmente cresceram 4%, passaram de US$ 10,75 para US$ 11,16 bilhões. As exportações do agronegócio representam 74% do valor total das exportações paranaenses. Os principais agregados (complexo soja, carnes, sucroenergético, produtos florestais) somam US$ 9,27 bilhões, significando 83% da pauta das exportações do agronegócio estadual.  O Paraná vem mantendo a 3ª posição no ranking das exportações do agronegócio brasileiro, participando com 13,8%. Os estados de São Paulo e Mato Grosso respondem por 21% e 14,2%, respectivamente, ocupando o primeiro e segundo lugares.

Complexo Soja - No período em análise, as exportações do complexo soja (grão, farelo, óleo bruto e óleo refinado), passaram de US$ 4,86   para US$ 5,09 bilhões e o complexo ocupa a primeira posição nas exportações do agronegócio estadual (45,6%). As exportações de soja em grão, carro chefe das exportações paranaenses, cresceram em função do maior preço no mercado internacional e do ligeiro aumento na quantidade embarcada. Com isso, a receita somou US$ 3,28 bilhões contra US$ 3,04 bilhões em igual período de 2011.  O volume embarcado passou de 6,2 para 6,3 milhões de toneladas. Com relação ao farelo de soja, o aumento se deu através da expansão nos preços do farelo, somando US$ 1,22 bilhão. O volume embarcado apresentou passando de 2,92 para 2,85 milhões de toneladas.

Complexo Carnes - O agregado  carnes (aves, bovina, suína e outras) mostra estabilidade nas exportações em relação do período janeiro-outubro de 2011. Ocupa a segunda posição no agronegócio paranaense, participando com 17,3%. A receita gerada somou US$ 1,93 bilhão. Já as exportações de carne de frango (in natura e industrializada), apesar da queda no preço médio de exportação somaram US$ 1,56 bilhão e um volume embarcado de 895 mil toneladas contra 811 mil toneladas no mesmo período de 2011. As exportações de carne suína apontam recuo quando comparadas a igual período de 2011, com receita de US$ 113 milhões contra US$ 127 milhões. A quantidade exportada passou de 52 mil toneladas para 47 mil toneladas. As vendas externas de carne bovina caíram de US$ 45,7 milhões para US$ 43,7 milhões.

Complexo Sucroalcooleiro - As exportações do complexo sucroenergético foram de US$ 1,20 bilhão contra US$ 1,35 bilhão em igual período de 2011 (queda de 11%).  Mesmo assim, o setor passa para a terceira posição nas exportações do agronegócio estadual. A receita com o açúcar somou US$ 1,08 bilhão, queda de 10,7% relativamente ao mesmo período de 2011 e o volume comercializado diminuiu, passando de 2,22 milhões para 2,05 milhões de toneladas.

Produtos Florestais - As vendas de produtos florestais somaram US$ 1,00 bilhão, aumento de 6% em relação a igual período de 2011 (US$ 983 milhões). O complexo contribuiu com 9,4% das exportações do agronegócio estadual.

Cereais, Farinhas e Preparações - Merece destaque as exportações de milho em grão via Porto de Paranaguá que alcançaram US$ 790 milhões e um volume comercializado de 3,05 milhões de toneladas. Já o Brasil exportou um volume de 13,0 milhões de toneladas e receita gerada de US$ 3,44 bilhões, superando o recorde registrado em 2007 (10,9 milhões de toneladas). A expectativa brasileira, com essa janela de mercado, é alcançar 20 milhões de toneladas em 2012.

Principais Mercados - Por destino das exportações é importante ressaltar o crescimento do comércio internacional para os mercados: Índia (131%); Irã (125%); Uruguai (50%); Malásia (48%); Egito (42%), Chile (21%); China (15%) As exportações foram negativas para os mercados da Rússia (-56%); Emirados Árabes (-31%), Países Baixos (-30,4%); Alemanha (-21%); e França (- 19%). (DTE/FAEP) 

MARKETING: Campanha de valorização das cooperativas vai ao ar neste domingo

A nova campanha de marketing institucional das cooperativas paranaenses, coordenada pelo Sistema Ocepar, estreia neste final de semana nas principais emissoras do estado. No domingo, no intervalo dos programas: Fantástico (RPC/Globo), Domingo Espetacular (RIC/Record), Silvio Santos (Massa/SBT) e Terceiro Tempo/Futebol (Band), irá ao ar o primeiro de um minuto, de uma série de sete filmes com depoimentos de pessoas sobre os mais diversos ramos do cooperativismo. Com roteiro de Antonio Sergio Cescatto, diretor de criação da Heads Propaganda, os filmes foram produzidos pela Cronos e com direção de Gustavo Brandau.

Produção- Durante duas semanas as equipes de produção captaram imagens em cooperativas de Curitiba, região metropolitana e nas cidades de Carambeí e na Lapa. Segundo Samuel Milléo Filho, que coordenou toda campanha, a ideia deste ano é mostrar aos telespectadores os principais atributos que o cooperativismo oferece, tanto nos produtos industrializados como nos serviços prestados pelas 240 cooperativas filiadas ao sistema. “Semelhante do que fizemos na campanha anterior, nestes filmes também utilizamos uma trilha cantada que remete ao tema escolhido pela ONU, para comemorar 2012 como o Ano Internacional das Cooperativas, ou seja, que as cooperativa constroem um mundo melhor. Serão sete filmes muito bonitos e que com certeza encherão de orgulho aquelas pessoas que participam do cooperativismo e passará uma mensagem positiva aos telespectadores, para que ao comprar produtos ou utilizar serviços , passem a escolher aqueles ofertados pelas nossas cooperativas, pelo fato de serem produzidos com garantia de origem, feitos aqui no estado, onde geram renda e distribuem riquezas”, lembrou.

Slogan - Esta é a sexta campanha de marketing coordenada pela Ocepar com apoio das cooperativas paranaenses. Na televisão ela ficará no ar nos meses de novembro e dezembro de 2012, janeiro, fevereiro, março e abril de 2013. Além da TV serão produzidos spots para rádio e também anúncios para os jornais e revistas das cooperativas. Milléo também lembra que neste ano a campanha traz como slogan principal “Cooperativas. Juntos a Gente Faz Melhor”. 

Veja na net - A partir de segunda-feira (26/11) os filmes estarão disponíveis para serem assistidos no canal TV Paraná Cooperativo no YouTube no link: http://www.youtube.com/user/sistemaocepar?feature=results_main.

 

{vsig}noticias/2012/novembro/23/Campanha/{/vsig}


Versão para impressão


Assessoria de Imprensa do Sistema Ocepar - Tel: (41) 3200-1150 / e-mail: imprensa@ocepar.org.br