Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5154 | 14 de Setembro de 2021

JORNALISMO: 14º Prêmio Ocepar entrega troféus a profissionais da imprensa de Cascavel

Jornalistas que atuam em órgãos de imprensa estabelecidos em Cascavel, no Oeste do Paraná, receberam, na tarde desta segunda-feira (13/09), os troféus da 14ª edição do Prêmio Ocepar de Jornalismo – o anúncio oficial dos vencedores foi on-line, no dia 12 de agosto, durante transmissão pela TV Paraná Cooperativo. Como os profissionais participaram de forma virtual, os troféus foram enviados para Cascavel, para serem entregues aos vencedores nas categorias Jornalismo, Telejornalismo e Mídia Cooperativa. Numa cerimônia comandada pelo presidente da Coopavel e diretor da Ocepar, Dilvo Grolli, os jornalistas Camila Fretag, Katuscia da Silva, Handrey Zoz, Eliane Mendonça, da Catve TV, Jairo Eduardo Lemos, da revista Pitoco, e Jean Paterno, da revista Coopavel, receberam seus respectivos troféus pela conquista. “O cooperativismo é grande. Ele gera riquezas, distribui oportunidades e compartilha prosperidade. E nossa imprensa, competente e preparada, ajuda muito ao mostrar tudo isso”, destacou Grolli.

Serviço relevante - O vice-presidente da Coopavel, Jeomar Trivilin, agradeceu a colaboração da imprensa por prestar um serviço tão relevante à comunidade. “Temos muito a agradecer. O Show Rural, um dos maiores eventos do mundo em transmissão de conhecimentos para o campo, deve agradecimentos efusivos à imprensa e aos jornalistas”, afirmou o coordenador do evento, Rogério Rizzardi. A imprensa de Cascavel é especial: divulga as coisas daqui com propriedade, entusiasmo e profissionalismo, destacou o presidente da Acic Genesio Pegoraro.

O concurso - A 14ª edição do Prêmio Ocepar de Jornalismo reuniu 86 trabalhos em seis categorias. A imprensa de Cascavel subiu ao pódio em três delas: Telejornalismo, Jornalismo Impresso e Mídia Cooperativa. O tema central do concurso foi Cooperativismo: força econômica e social que faz a diferença. Abaixo, conheça os vencedores dos troféus e de prêmios em dinheiro (1º lugar R$ 10 mil; 2º R$ 4 mil e 3º R$ 3 mil):

TELEJORNALISMO

1º LUGAR

Veículo: CATVE TV

Jornalista: CAMILA REGINA FRETAG

Produtora: KATUSCIA DA SILVA

Imagem e Edição: HANDREY ZOZ

Editora-Chefe: ELIANE MENDONÇA

Tema: “Cooperativismo mirim transformando a realidade social de crianças e adolescentes no Oeste do Paraná”

 

JORNALISMO IMPRESSO

3º LUGAR

Veículo: REVISTA PITOCO

Jornalista: JAIRO EDUARDO FABRÍCIO LEMOS

Tema: “Made in Nova Aurora”

 

MÍDIA COOPERATIVA

3º LUGAR

Veículo: REVISTA COOPAVEL

Jornalista: JEAN CARLO PATERNO

Tema: “Cooperativismo - Trabalho, dignidade e uma chance para recomeçar”

(Com informações da Assessoria de Imprensa da Coopavel)

 

{vsig}2021/noticias/09/14/jornalismo/{/vsig}

CRESERV PINHÃO: Cooperativa alia aprendizado sobre cooperativismo com solidariedade; participantes da Gincoop arrecadam 4,5 ton de alimentos

creserv pinhao 14 09 2021Nesta terça-feira (14/09), 74 cooperados da Cooperativa de Crédito Mútuo dos Servidores Públicos de Pinhão (Creserv Pinhão) participam da Gincoop, um treinamento em formato de gincana que tem como foco trabalhar a doutrina cooperativista de maneira dinâmica e lúdica, promovido virtualmente pelo Sistema Ocepar, por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR), em parceria com a Cooperativa Paranaense de Turismo (Cooptur). A Gincoop também terá a presença de colaboradores e conselheiros da Creserv Pinhão.

Expectativa - De acordo com colaboradora Rosane Fagundes de Oliveira, a expectativa é grande em relação à atividade. “Estamos muito animados com o evento e os momentos de diversão e aprendizado que serão proporcionados aos nossos cooperados, pincipalmente neste momento de pandemia, que nos obriga a manter o distanciamento e, consequentemente, não podemos promover esses encontros. Assim, a Gincoop veio para sanar essa necessidade e temos certeza de que será um sucesso”, afirma.

Arrecadação de alimentos - E, antes mesmo da Gincoop começar, os cooperados já foram estimulados a colocar em prática um dos princípios do cooperativismo, o interesse pela comunidade. “As seis equipes que participam da Gincoop arrecadaram 4,5 toneladas de alimentos não perecíveis, que serão doados a 176 famílias carentes do município de Pinhão, selecionadas pela cooperativa através de um pré-cadastrado feito pelas escolas municipais que atendem essas comunidades”, conta Rosane.

20 anos - Segundo a gerente Simone do Carmo Lisboa, a ideia de aliar a promoção de uma ação solidária com a Gincoop surgiu como uma forma de abrir as comemorações dos 20 anos da Creserv, que serão celebrados em 2022. “Nós estávamos buscando fazer algo inovador para dar o pontapé inicial nas comemorações. Quando a Eliane Festa, analista do Sescoop/PR, nos apresentou a Gincoop, ficamos encantados com a dinâmica e percebemos o quanto poderia motivar nossos cooperados e incentivar a prática do cooperativismo. E, como todos os anos a Creserv tem a tradição de promover uma atividade social para a comunidade, em conjunto com nossos cooperados, tivemos a ideia de unir o Gincoop com essa ação social. Quando apresentamos a proposta aos nossos cooperados, eles abraçaram a ideia, formaram suas equipes e trouxeram um resultado incrível”, afirma Simone.  

A cooperativa - A Cresev Pinhão foi fundada em 2002, em Pinhão, na região Centro-Sul do Paraná, por aproximadamente 90 cooperados. Atualmente, o quando social é formado por 1.397 cooperados ativos, em sua maioria servidores públicos municipais. Até o mês de agosto, a cooperativa contabilizava patrimônio líquido de R$ 5, 4 milhões e ativos de R$ 15,48 milhões. Em 2020, a Creserv Pinhão distribuiu cerca de 330 mil em sobras liquidas entre os cooperados.

 

SISTEMA OCB: Começa a Semana Inovacoop

sistema ocb 14 09 2021Cooperativistas de todo o país participam da Semana Inovacoop, realizada pelo Sistema OCB, a partir desta segunda-feira (13/09) e que vai até sexta-feira (17/09). O evento começou em grande estilo com a palestra Competitividade e inovação, ministrada pelo escritor, empreendedor, mentor, palestrante Maurício Benvenutti.

Referência em inovação - Ele foi sócio da XP Investimentos e, atualmente, é sócio do StartSe e autor do livro Incansáveis, best-seller de negócios que está na 5ª edição. Há 3 anos no Vale do Silício, se tornou referência brasileira em inovação, sendo reconhecido no Congresso Nacional como Personalidade Brasileira de 2017.

Pequenas coisas - Segundo ele, inovar não precisa, necessariamente, envolver uma tecnologia inacessível. “A inovação está nas pequenas coisas. Uma pesquisa mostra que 95% das inovações que usamos no nosso dia-a-dia, não têm nenhuma tecnologia de foguete envolvida, mas verificam a jornada do consumidor, bem como os ruídos dentro desse processo e, por fim, entregam um serviço ou produto que agregam valor ao usuário de alguma forma”, comenta.

Relações de trabalho - O especialista também falou sobre o futuro das relações de trabalho, destacando dois pontos essenciais de uma grande onda de tendência de mercado: a valorização cada vez maior das habilidades humanas e exigência de habilidades tecnológicas.

Potencialização - Além disso, ressaltou a necessidade de se compreender como o online potencializa o analógico, especialmente num mundo onde as pessoas são muito mais abertas para o novo. “A gente aceita muito e, por isso, demanda muito mais”.

Outros destaques - Outros destaques da palestra de Maurício Benvenutti dizem respeito à transformação digital, à transição de ciclos, à revisão do modelo de negócios e à requalificação profissional constante.

Três pilares - Segundo o presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, desde 2019, quando foi o realizado o 14º Congresso Brasileiro do Cooperativismo, a instituição vem atuando com base em três pilares, indicados pelos participantes do evento e que fazem parte do Planejamento Estratégico do Sistema OCB.

Impulso digital - “Desde o nosso congresso, temos tentado acelerar esse impulso digital em todas as cooperativas, trazendo a inovação como parte do processo de gestão estratégica. De lá para cá, temos falado sobre integridade, que tem que fazer parte do DNA de todas as instituições e empresas e cooperativas. Falamos também sobre a sustentabilidade, que tem que ser integral, passando pelo meio ambiente, pela saúda das empresas e, claro, da saúde das pessoas; e, por fim, a inovação”, lembrou o líder cooperativista.

Despertamento - Além disso, o presidente do Sistema OCB também discorreu sobre o objetivo da Semana Inovacoop. “Tudo que vamos apresentar ao longo desta semana é um pouco de como nós imaginamos que pode ajudar a despertar esse ambiente de cultura de inovação no cooperativismo brasileiro. Não temos a pretensão de ensinar ninguém a inovar, mas de despertar para essa nova realidade e possibilidade que já bate à nossa porta”, conclui.

Pré-lançamento - Nesta segunda-feira também foi feito o pré-lançamento do livro Inovação No Cooperativismo, um material que dará visibilidade para tudo aquilo que as coops têm feito de inovador, inclusive sobre como começar a criar a cultura de inovação na sua cooperativa. O livro será lançado, oficialmente, no fim deste ano do ano.

Startups - O que também começou nesta segunda-feira foram os encontros entre cooperativas e startups selecionadas no programa Inovacoop Conexão com Startups. O resultado sai a partir da semana que vem. Confira a programação, aqui

Confira a programação - Se você não viu ou quer ver de novo a palestra de abertura da nossa Semana Inovacoop, que vai até sexta-feira (13/09), clique aqui. E para conferir a programação, acesse por aqui. (OCB)

COCAMAR I: Produtores da região de Maringá dão a largada na semeadura de soja

cocamar I 14 09 2021Produtores associados da Cocamar, nas imediações de Maringá (PR), estão iniciando, nesta segunda-feira (13/09), a semeadura da safra de soja 2021/22. É o caso de Luiz Alberto Palaro, de Floresta.

Solos variados - Palaro mantém cultivos em três regiões, as quais apresentam diferentes tipos de solos: desde o argiloso no município onde reside, passando pelo misto/arenoso em Tuneiras do Oeste, no noroeste do Paraná, e o arenoso típico do oeste paulista, onde a cooperativa desenvolve há três anos, em parceria com usinas, um programa de plantio de soja voltado à renovação de áreas de canaviais.

Adepto a tecnologias - Tecnificado e receptivo a adoção de novas tecnologias, o produtor - que é assistido pela equipe técnica da Cocamar -, mantém um histórico de produtividade de soja, em Floresta, sempre acima das médias regionais.

Mais cedo - No município vizinho, os produtores costumam semear soja mais cedo de olho em encaixar no calendário, na sequência, a safra de milho de milho, cujo período ideal seria até o dia 10 de março. Já em Tuneiras do Oeste e no oeste de São Paulo a operação deve começar em outubro.

Confiante - Reconhecido pelo capricho, o cuidado com o solo e a assertividade na escolha das variedades, Palaro mostra não ter medo das oscilações climáticas, um problema recorrente na agricultura. “As chuvas do final de semana foram poucas, mas estamos confiantes que vai continuar chovendo nos próximos dias”, comenta o produtor. Sempre na vanguarda, ele foi o primeiro em Floresta, na safra passada (2020/21) a utilizar drone para a pulverização da lavoura.

Fim do vazio - A semeadura de soja começou nesta segunda-feira (com o fim do vazio sanitário) e deve ganhar volume nas próximas semanas. (Imprensa Cocamar)

 

COCAMAR II: Academia de Líderes visa apoiar e fortalecer jovens lideranças

cocamar II 14 09 2021Para a troca de experiências e conhecimentos entre jovens produtores cooperados e cooperadas que exerçam papel de liderança em suas regiões, a Cocamar inicia as atividades de sua Academia de Líderes, que tem como propósito oferecer a oportunidade de um constante aprimoramento.

Influenciador - “O líder é aquele que se distingue por suas iniciativas em prol da comunidade onde está inserido”, observa o gerente de Cooperativismo, João Sadao. É, também, um influenciador no que se refere ao desenvolvimento da atividade rural, observa.

Desafios - A Academia de Líderes Cocamar é voltada para a formação e interação de cooperados e cooperadas com idade de 30 a 45 anos e visa contribuir para que as lideranças identificadas em seu quadro de cooperados, espalhados pelas regiões norte e noroeste do Paraná, oeste de São Paulo e sul do Mato Grosso do Sul, preparem-se e sejam ainda mais assertivas em sua atuação, tendo em vista os inúmeros desafios a que está sujeito o setor produtivo.

Agenda - Por isso, foi organizada uma agenda com a participação de especialistas de renomadas instituições, em diferentes áreas, destinada a levar conhecimentos ao seleto grupo de cooperados.

Digital - Quatro temas vão ser apresentados e discutidos de forma digital (via Zoom), nos meses de setembro, outubro e novembro, sempre das 16 às 19h.

Programa - Dia 21/9, Comunicação Assertiva para Gestores, com o prof. José Camurça;

- dia 19/10, Criatividade e Inovação, com o prof. Jorge Bruno;

- dia 26/10, Visão Estratégica da Gestão Financeira nos Negócios, a ser ministrado pelo prof. Fred Regis.

- dia 16/11, Visão Estratégica dos Cenários Econômicos e os Impactos da Pandemia no Agro, com o prof. Anderson Pellegrino.

Outros projetos - O gerente comenta que assim como a Academia de Líderes é voltada para a formação de jovens cooperados e cooperadas, há projetos mantidos pela cooperativa para ambos os gêneros e diferentes faixas etárias. O público feminino conta com o programa Mulher + Agro Cocamar; os jovens de até 30 anos, o Jovem + Agro Cocamar e, para as crianças, o Turminha da Cocamar. As iniciativas têm o apoio do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR).

Informações - O cooperado interessado em obter mais informações, deve dirigir-se à sua unidade de atendimento. (Imprensa Cocamar)

CASTROLANDA: Ciclo de palestras promove conhecimento para mulheres cooperativistas

castrolanda 14 09 2021Fortalecer a presença feminina no agronegócio é um dos compromissos da Castrolanda. No mês de agosto, a Comissão Mulher Cooperativista deu início ao 1º Ciclo de Mecanização Agrícola, em parceria com a Tratornew, concessionária New Holland nos Campos Gerais. O evento, realizado por videoconferência, é destinado às cooperadas, esposas e filhas de cooperados da Castrolanda.

Palestras - O Ciclo é composto por quatro palestras ministradas por profissionais da New Holland e parceiros e trata de temas relacionados às tecnologias no agronegócio. O primeiro encontro online aconteceu no dia 19 de agosto e abordou a mecanização no plantio e pulverização.

Ideia - A ideia do Ciclo surgiu a partir do Dia de Campo Feminino, que era realizado anualmente pela Comissão Mulher Cooperativista com visitas para conhecer técnicas e maquinários agrícolas nas propriedades. Com a impossibilidade de realizar o evento presencial por conta da pandemia de Covid-19, a Castrolanda e a Tratornew decidiram elaborar palestras, por videoconferência, com temas escolhidos pelas mulheres cooperativistas, conforme explica o Analista de Relacionamento com o Cooperado, William Santos.

Levantamento - “Realizamos um levantamento com para saber quais seriam os assuntos mais interessantes de acordo com a realidade delas. Temos a palestra com profissionais da Tratornew e elas também podem tirar as suas dúvidas. Inicialmente, abrimos 25 vagas para a primeira palestra e tivemos um público de quase 30 participantes. Isso mostra que a temática atrai a atenção das mulheres cooperativistas, visto que elas estão cada vez mais envolvidas tanto na gestão da propriedade como na parte operacional”, conta William.

Conteúdo - De acordo com a Coordenadora de Marketing da Tratornew, Cíntia Schlüter, o material das palestras é preparado para tratar desde a parte básica até as questões mais avançadas da mecanização agrícola. “Queremos dar esse embasamento para que, quando elas chegarem em uma colheita, ‘batam o olho’ e lembrem que aprenderam sobre isso. As palestras ajudam a abrir o patamar de conhecimento e envolvimento delas na área. Elas só vão poder expressar uma opinião se tiverem conhecimento de causa. Então, pensamos em uma forma de contribuir e criamos esse ciclo para fortalecer ainda mais a presença das mulheres na área e esse laço de parceria entre fábrica, concessionária e Castrolanda”.

Envolvimento - Jeanine Rabbers é filha de cooperado e conta que há três meses tem se envolvido mais nos negócios da família e o conhecimento adquirido no Ciclo tem auxiliado neste processo. “Eu gostei muito por ser uma atividade destinada só para nós, mulheres. Também podemos fazer parte dos negócios do campo e aprender sobre coisas da lavoura, como funcionam os maquinários. Gostei muito de conhecer as formas de plantio, que agora tudo é computadorizado. Antes, lavoura e parte de fazenda era só para os homens, mas agora as mulheres também estão participando e vendo um campo aberto para isso”.

Como participar - As cooperadas, esposas e filhas de cooperados da Castrolanda que tiverem interesse em participar das palestras do Ciclo de Mecanização Agrícola podem realizar a inscrição com o setor de Relacionamento com o Cooperado.

Programação - Programação das próximas palestras

- 16/09, às 16h30: Mecanização na colheita de grãos

- 07/10, às 16h30: Pecuária leiteira e tecnologias na mecanização para uma melhor nutrição animal

- 11/11, às 16h30: Agricultura digital e seus impactos financeiros

Comunicação Castrolanda

Sobre a Castrolanda - O compromisso com a transformação faz parte do DNA da Castrolanda. Uma cooperativa que transforma vidas, negócios e a comunidade ao redor. Com sete décadas anos de história, a Cooperativa Castrolanda é formada por mais de 1100 cooperados no Estado do Paraná e interior de São Paulo. Com 4,5 bilhões de reais de faturamento e aproximadamente 3700 colaboradores, possui unidades de negócios divididas em operações agrícola, carnes, leite, batata e administração e industrial - carnes, leite e batata. O objetivo das áreas de negócio é coordenar, desenvolver e fomentar as atividades dos cooperados, seguir presente em todos os elos da cadeia produtiva, agregar valor através das indústrias e crescer com sustentabilidade. (Imprensa Castrolanda)      

 

SICREDI PROGRESSO: Cooperativa realiza entrega de prêmio para associada

sicredi progresso 14 09 2021A associada Maria de Lourdes Rocha Pinheiro, da agência da Vila Pioneiro em Toledo/PR, foi mais uma contemplada da Sicredi Progresso PR/SP na campanha “Poupança Premiada”. Ela recebeu R$ 5.000,00 de premiação, na última sexta-feira (10/09). É a segunda entrega que a cooperativa realiza nessa campanha.

Cartão - Maria recebeu o cartão de premiação das mãos do gerente da agência, Walmir Fogaça Kitaiski e do conselheiro fiscal, Eudes Luiz Dallagnol, seu filho Marcony Rocha também participou do momento. Feliz com a entrega, a poupadora conta sobre o momento em que foi avisada. “Há alguns anos tenho relacionamento com o Sicredi através da poupança. Estava trabalhando quando soube que tinha sido contemplada e claro fiquei super feliz”.

Ação - Criada com o objetivo de estimular as pessoas a pouparem, o Sicredi vem realizando desde março deste ano a campanha “Poupança Premiada”. A ação contempla os estados do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro e fará a distribuição de R$ 2,5 milhões em prêmios para os associados. A cada R$ 100,00 aplicados na Poupança é gerado um número da sorte para concorrer nos sorteios que acontecem pela Loteria Federal. As aplicações na modalidade programada (quando o poupador autoriza o débito mensalmente em sua conta), as chances de ganhar são em dobro. A participação é automática, quem depositar já está concorrendo.

Comemoração - O gerente da agência da Vila Pioneiro, Walmir Fogaça Kitaiski, diz que realizar essa entrega é motivo de comemoração. “Nossa agência foi contemplada pela primeira vez na campanha por meio da nossa associada Maria. Aqui na Sicredi Progresso, além de poupar, os associados concorrem a prêmios, isso é um grande diferencial”, reforça.

Sorteio - A campanha sorteia toda segunda-feira, cinco prêmios no valor de R$ 5.000,00. Em outubro haverá um sorteio especial de R$ 500 mil no dia 31, ocasião em que se comemora o dia internacional da poupança; E em dezembro, no dia 20, um dos poupadores será contemplado com R$ 1 milhão de reais.

Dupla sertaneja - A edição deste ano da campanha traz como destaque a dupla sertaneja César Menotti & Fabiano, que são associados do Sicredi. Com uma adaptação da música “Leilão”, as peças incentivam as pessoas a investirem e participarem da promoção.

Sobre a Sicredi Progresso PR/SP - Com 40 anos de atuação a Sicredi Progresso PR/SP está presente na vida de aproximadamente 50 mil associados. Nossa história, construída na essência da cooperação, nos permite ter atualmente 20 agências distribuídas na área de ação nos estados do Paraná e São Paulo. Destas, 13 estão no Paraná e outras 7 em São Paulo. Nosso capital humano conta com mais de 300 colaboradores focados nos valores do cooperativismo e na oferta de produtos e serviços financeiros adequados aos associados, de um jeito simples e próximo. A Sicredi Progresso integra o Sistema Sicredi que hoje está em 24 estados e no Distrito Federal. (Imprensa Sicredi Progresso PR/SP)

 

UNIMED CASCAVEL: Abertas as inscrições para o Desafio Virtual Agita Unimed

unimed cascavel 14 09 2021Mantendo sua tradição de promoção a saúde e práticas de esporte e lazer, a Unimed Cascavel criou um evento inédito na região Oeste do Paraná para incentivar as pessoas a manterem hábitos saudáveis e viverem melhor, seja por meio da alimentação, da prática de exercícios e do equilíbrio emocional.

Práticas e hábitos saudáveis - Mesmo em um cenário ainda complexo relacionado a pandemia e aglomeração de pessoas, a ideia da cooperativa é manter a sua tradição de fomento as práticas e hábitos saudáveis, proporcionando à sociedade um evento que pode ser realizado por qualquer pessoa, de qualquer idade. A ideia é que toda família participe, se desafie e mude seus hábitos em busca da saúde.

Data - O Desafio Virtual Agita Unimed será realizado de 5 a 16 de novembro de 2021 e as inscrições já estão abertas. Em casa ou em qualquer lugar, os participantes irão se inscrever e terão 12 dias para realizar o desafio, nas seguintes modalidades: movimento, alimentação ou equilíbrio.

Movimento - Na modalidade movimento, o participante poderá optar pela prática de corrida em três opções: 3k, 6k ou 12k ou ainda realizar a meta de 10 mil passos em um dia, que poderá ser realizado correndo ou caminhando. Outra opção dentro dessa categoria é a de realizar 1h contínua de qualquer atividade física. Essa é considerada a modalidade mais democrática pois o participante poderá comprovar sua participação por exemplo com 1h de exercícios feitos na academia, 1h em uma partida de futebol, basquete, beach tênnis, enfim, qualquer atividade que seja realizada durante 60 minutos de forma ininterrupta.

Alimentação - Já no desafio da alimentação, é necessário comprovar que manteve uma alimentação saudável com o consumo de frutas, verduras e legumes durante o período do desafio.

Equilíbrio - E para quem vai realizar a prova de equilíbrio, a comprovação será por atividades que mostrem a pessoa em busca do equilíbrio emocional, como por exemplo, meditação, yoga, relaxamento, entre outros.

Categorias - Para realizar a inscrição, o participante pode optar por uma das três categorias: Beneficiários Unimed (onde os clientes terão desconto no valor da inscrição), público geral e kids, que está subdividido em idades de (2 e 3 anos, 4 e 5 anos, 6 e 7 anos ou 8 a 10 anos).

Kids - Para a kids, as atividades devem ser supervisionadas por um adulto. Serão também três modalidades: movimento, alimentação e equilíbrio. Na categoria de movimento, a sugestão é montar um circuito em casa mesmo, chamado de “Circuito funcional maluco” onde os “mini participantes”, com ajuda de um adulto, devem montar um circuito que passe pela casa toda fazendo a criança andar, correr, arremessar, rastejar, engatinhar, zig-zaguear, pular com um pé só, andar de costas, de lado, dar cambalhota ou dar estrela. Podem ser utilizados os materiais como: sofá, cadeiras, mesa, puff, almofadas, tapete, escada, bolas, vassoura/rodo, baldes, fita crepe para demarcar o chão, enfim, qualquer objeto avulso ou móvel de casa.

Rotina saudável - Na modalidade de alimentação, basta manter uma rotina saudável de alimentação, priorizando o consumo de frutas, legumes e verduras durante o período do desafio. Já na categoria de equilíbrio, o objetivo é a boa ação, aqui as crianças devem doar brinquedos, livros para as instituições que atendam crianças carentes.

Inscrições - As inscrições podem ser feitas de 13 de setembro até 08 de outubro, e a dica é realizar o mais breve possível, pois a quantidade disponibilizada para participação é limitada. Após inscrito, o participante terá 12 dias (5 a 16 de novembro de 2021) para registrar as atividades no site do evento.

Validação - Somente as atividades realizadas entre as 0h do dia 5 de novembro e 23h59 de 16 de novembro de 2021 serão aceitas para a validação da participação no desafio. Atividades concluídas antes ou após o prazo estipulado não serão aceitas para fins comprobatórios de realização do desafio.

O kit - Para todas as categorias o participante inscrito receberá em sua casa um kit contendo uma camiseta em poliamida, uma buffer e uma caixa mágica que contempla uma medalha. Essa caixa é mágica pois possui um “código” que será revelado ao participante apenas após a conclusão do seu desafio, dando assim acesso a sua “recompensa”, que é a medalha.

Como participar - A inscrição deve ser realizada por meio do site: www.unimedcascavel.coop.br/desafiovirtual.

Confirmação - Após a confirmação do pagamento, o participante receberá o seu Kit Atleta em casa. O registro das atividades deve seguir algumas diretrizes, sendo elas: Na modalidade ‘movimento’, o registro deve ser via aplicativo de corrida, GPS (Garmin, Apple Watch) ou foto da atividade realizada. Na modalidade ‘alimentação’ o comprovante de ser da foto do prato ou do cardápio seguido durante o desafio. Já em ‘equilíbrio’, assim como as demais, precisa ser enviada a imagem da prática realizada. Na kids, todas as atividades devem ser registradas por meio de fotos do desafio realizado.

Validação - É importante validar o resultado na plataforma Ticket Agora, conforme orientação descrita no regulamento, disponível em www.unimedcascavel.coop.br/desafiovirtual .

Aprovação - Após o envio dos comprovantes é só aguardar a aprovação da organização para receber a chave-segredo da caixa mágica para liberar sua medalha de participação.

Valores - Para os beneficiários Unimed, incluindo a Kids, os Kits de participação têm um valor de R$ 29,90 mais R$ 5,00 de taxa de conveniência, com validação do número do CPF e do cartão Unimed. Para o público geral R$ 39,90 mais R$ 5,00 de taxa de conveniência.

Redes sociais - Acompanhe as redes sociais da Unimed Cascavel para ficar por dentro das novidades e atualizações do Desafio.

LinkClique aqui, faça sua inscrição e desafie-se! (Imprensa Unimed Cascavel)

DIGICAMPO: Dia de Campo de Trigo será na sexta-feira

embrapa 14 09 2021A Embrapa Soja, o IDR-Paraná e a Fundação Meridional promovem, na sexta-feira (17/09), das 8h30 às 10h, o DigiCampo, o dia de campo de trigo, em formato digital, onde serão apresentadas as coleções de cultivares de trigo e triticale das instituições. Além disso, o pesquisador da Embrapa Soja, José Salvador Foloni, ministra palestra sobre as vantagens de plantar trigo em relação ao pousio. O evento é gratuito e será transmitido pelos canais do da Embrapa Soja e IDR-Paraná, no Youtube. O evento contará com a participação do chefe-geral da Embrapa Soja Alexandre Nepomuceno, do diretor-presidente do IDR-Paraná Natalino Avance de Souza e do Diretor-Presidente da Fundação Meridional Josef Pfann Filho. (Assessoria de Imprensa da Embrapa Soja)

Programação

8h30 – 8h45: Boas-vindas dos representantes da Embrapa, IDR e Meridional

Alexandre Nepomuceno (Chefe-geral da Embrapa Soja)

Natalino Avance de Souza (Diretor-Presidente do IDR-Paraná)

Josef Pfann Filho (Diretor-Presidente da Fundação Meridional)

8h45 – 9h: Lançamento BRS Jacana

9h – 9h15: Cultivares de trigo da Embrapa

9h15 – 9h30: Cultivares de trigo do IDR-Paraná

9h30 – 09h45: Vantagens de plantar trigo em relação ao pousio

Pesquisador da Embrapa Soja José Salvador Foloni

09h45 – 10h: Perguntas dos participantes e encerramento

DIGICAMPO – Dia de Campo de Trigo

Data: 17 de setembro (sexta-feira)

Horário: 8h30 – 10h

Local: Canais da Embrapa Soja e IDR-Paraná no Youtube

 

FIEP: Evento apresentará o potencial de movimentação de cargas nos portos do Paraná

fiep 14 09 2021A Federação das Indústrias do Paraná (Fiep) promove, nesta quarta-feira (15/09), em Curitiba, um evento para apresentar o potencial de movimentação de cargas nos portos do Paraná. No encontro, que contará com a presença de lideranças do setor produtivo paranaense e integrantes do governo do Estado, com transmissão ao vivo para investidores nacionais e estrangeiros, também será abordado o projeto da Nova Ferroeste, que ampliará a capacidade de escoamento da produção para os terminais portuários.

Palestrantes - Entre os palestrantes estarão o diretor-presidente do Porto de Paranaguá, Luiz Fernando Garcia da Silva; o diretor comercial e institucional do Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP), Thomas Lima; o consultor do empreendimento do Porto Guará, Luiz Henrique Tessuti Dividino; e o coordenador do Grupo de Trabalho do Plano Estadual Ferroviário, Luiz Henrique Fagundes.

Evolução - Eles apresentarão a evolução da movimentação de cargas nos portos, além dos investimentos públicos e privados previstos para ampliar a capacidade portuária do Paraná. Como, para acompanhar o aumento da movimentação nos portos, é necessário ampliar também a infraestrutura de transportes que escoa a produção até o litoral, o evento detalhará ainda o projeto da Nova Ferroeste. Com 1.285 quilômetros de extensão, o traçado proposto ligará os municípios de Maracaju (MS) e Paranaguá (PR). Quando a ferrovia estiver concluída, será o segundo maior corredor de grãos e contêineres do país por volume de carga.

Transmissão ao vivo - O evento será realizado no Campus da Indústria do Sistema Fiep, das 9h às 11 horas de quarta-feira. Devido às limitações de público em decorrência da pandemia, a participação presencial será restrita a convidados. Porém, o encontro será transmitido ao vivo pelo Canal da Indústria do Sistema Fiep.A inscrição é gratuita e pode ser feita por este link.(Agência Fiep de Notícias)

 

 

COMÉRCIO EXTERIOR I: Superávit da balança atinge US$ 2,04 bilhões até segunda semana de setembro

comercio exterior 14 09 2021Até a segunda semana de setembro, a balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 2,04 bilhões, em um crescimento de 20,6%, pela média diária, em relação ao mesmo período do ano passado. A corrente de comércio (soma das exportações e importações) alcançou US$ 16,09 bilhões, em alta de 53,9%. No acumulado do ano, o superávit chegou a US$ 54,15 bilhões, subindo 43,4%, e a corrente de comércio atingiu US$ 341,86 bilhões, um aumento de 36,5%, na comparação com o período de janeiro a setembro de 2020. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (13/09) pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia.

Exportações - As exportações em setembro, até a segunda semana, cresceram 49,3% e somaram US$ 9,07 bilhões, enquanto as importações subiram 60,4% e totalizaram US$ 7,03 bilhões. Já no acumulado desde janeiro, as exportações cresceram 37,4% e somaram US$ 198,01 bilhões, com as importações subindo 35,2% e alcançando US$ 143,85 bilhões.

Por setores O desempenho das exportações brasileiras por setores, até a segunda semana de setembro, apresentou crescimento de 34,9% na Agropecuária; de 55,3% na Indústria Extrativa; e de 50,7% na Indústria de Transformação.

Agropecuária - Na Agropecuária, o crescimento nas vendas foi impulsionado por soja (+90,3%); café não torrado (+18,7%); arroz com casca, paddy ou em bruto (+730,6%); especiarias (+69,2%) e madeira em bruto (+139%).

Indústria de Transformação - Já a Indústria de Transformação teve crescimentos mais expressivos nas vendas de carne bovina fresca, refrigerada ou congelada (+158,8%); carnes de aves e suas miudezas comestíveis, frescas, refrigeradas ou congeladas (+107,2%); óleos combustíveis de petróleo ou de minerais betuminosos, exceto óleos brutos (+137,1%); ferro-gusa, spiegel, ferro-esponja, grânulos e pó de ferro ou aço e ferro-ligas (+104,9%) e celulose (+50,2%).

Indústria Extrativista - Por fim, na Indústria Extrativista destaque para as vendas de minério de ferro e seus concentrados (+45,3%); óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos, crus (+81,9%); minérios de cobre e seus concentrados (+77,4%); outros minerais em bruto (+28,5%) e minérios de metais preciosos e seus concentrados (+1.444,9%).

Importações por setores Até a segunda semana de setembro, todos os setores também registraram crescimento nas importações. A Agropecuária registrou alta de 46,71%; a Indústria Extrativista aumentou as compras do exterior em 254,3%, enquanto a Indústria de Transformação registrou aumento de 54,1%.

Influências - A alta das importações na Agropecuária foi influenciada pela expansão das compras de milho não moído, exceto milho doce (+508,9%); pescado inteiro vivo, morto ou refrigerado (+95,2%); trigo e centeio, não moídos (+17,5%); látex, borracha natural, balata, guta-percha, guaiúle, chicle e gomas naturais (+88,1%) e cacau em bruto ou torrado (+46.586,1%).

Destaques - Na Indústria Extrativa, os destaques foram os aumentos nas compras de gás natural, liquefeito ou não (+667,6%); carvão, mesmo em pó, mas não aglomerado (+111,3%); óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos, crus (+129,3%); minérios de cobre e seus concentrados (+249,2%) e minério de ferro e seus concentrados (+843%).

Produtos - Já na Indústria de Transformação as importações foram puxadas pelas altas de adubos ou fertilizantes químicos, exceto fertilizantes brutos (+173,1%); medicamentos e produtos farmacêuticos, exceto veterinários (+247,3%); óleos combustíveis de petróleo ou de minerais betuminosos, exceto óleos brutos (+66,6%); partes e acessórios dos veículos automotivos (+74,9%) e motores e máquinas não elétricos, e suas partes, exceto motores de pistão e geradores (+116,2%). (Ministério da Economia) 

Veja os principais resultados da balança comercial

FOTO: Pixabay

 

COMÉRCIO EXTERIOR II: Exportações do agronegócio atingem US$ 10,9 bilhões em agosto

comercio exterior II 14 09 2021A balança comercial do agronegócio registrou valor recorde no mês de agosto, motivada, principalmente, pela alta dos preços internacionais das commodities exportadas pelo Brasil. O valor exportado foi de US$ 10,90 bilhões, cifra 26,7% superior aos US$ 8,60 bilhões exportados no mesmo mês de 2020.

2013 - Somente em 2013, as exportações brasileiras do agronegócio alcançaram o mesmo patamar de US$ 10 bilhões para os meses de agosto.

Participação menor - Apesar do recorde do valor exportado, a participação do agronegócio no total das exportações do país caiu de 49,4% (agosto/2020) para 40,1% (agosto/2021).

Importações - As importações de produtos do agronegócio subiram de US$ 912,47 milhões, em agosto de 2020, para US$ 1,25 bilhão, em agosto de 2021 (+37,2%). Os valores foram influenciados pela alta dos preços internacionais, como no caso do trigo e óleo de palma, com aumento do preço médio importado em 23,1% e 67,6%, respectivamente. Desta forma, o saldo da balança comercial do agronegócio alcançou US$ 9,64 bilhões.

Soja - O complexo soja (em grãos, farelo e óleo), principal setor exportador do agronegócio brasileiro, atingiu divisas de US$ 4,02 bilhões, o que significou incremento de 53,6% em relação aos US$ 2,62 bilhões exportados em agosto de 2020.

Resultado - O aumento do volume exportado de soja em grãos e a forte elevação dos preços internacionais resultaram em US$ 3,14 bilhões de exportações em agosto de 2021 (+52,5%).

Oferta recorde - A oferta da oleaginosa foi recorde na safra brasileira 2020/2021, com 136 milhões de toneladas de soja, incremento de 8,9%, favorecendo a capacidade de exportação, de acordo com a análise da Secretaria de Comércio e Relações Internacionais (SCRI) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Produtos florestais - O setor de produtos florestais foi um dos setores que ultrapassou a cifra de US$ 1 bilhão em exportações no mês de agosto. O valor exportado chegou a US$ 1,25 bilhão (+40,5%), em virtude da forte elevação dos preços médios de exportação (+31,2%).

Celulose - No setor, as exportações de celulose foram as mais importantes, com US$ 610,67 milhões (+47,2%). Houve recorde no volume exportado de celulose para agosto, com 1,35 milhão de toneladas (6,9%).

Carnes - As vendas externas de carnes somaram US$ 2,09 bilhões (+40,5%), marca inédita para o mês de agosto desde o início da série histórica em 1997. Os preços médios de exportação das carnes subiram (+34,8%), assim como houve expansão no volume das vendas externas (+4,2%). O resultado está relacionado à oferta, demanda e custos da produção mundial, aponta o estudo da SCRI.

Produção mundial - Espera-se redução da produção mundial de carne bovina para 60,8 milhões de toneladas (-1,1%), com redução do abate na Argentina, Austrália e no Brasil, o que pressiona fortemente os preços internacionais.

Bovina - A carne bovina, principal proteína animal exportada pelo país, totalizou US$ 1,17 bilhão em agosto de 2021 (+55,6%), com alta no preço médio exportado de 41,3%). Os volumes cresceram 10,1%, segundo os analistas da Secretaria. A China aumentou as aquisições do produto in natura de US$ 325,18 milhões em agosto de 2020 para US$ 633,15 milhões em agosto de 2021 (+94,7%). Em volume, foram 105,86 mil toneladas (+35,3%).

Frango - As exportações de carne de frango chegaram a US$ 663,55 milhões (+35,2%). Houve elevação na quantidade exportada em 3,8% e incremento do preço médio de exportação em 30,3%. (Mapa)

>> Nota à imprensa - agosto 2021

>> Balança Comercial do Agronegócio - agosto 2021

>> AGROSTAT - Sistema de Estatísticas de Comercio Exterior do Agronegócio Brasileiro

FOTO: iStock

 

VBP: Soja, milho e carne bovina puxam valor da produção agropecuária, que supera R$ 1,1 trilhão para este ano

vbp destaque 14 09 2021O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) de 2021, calculado com base nas informações de agosto, está estimado em R$ 1,106 trilhão, maior 9,7% do que o obtido em 2020 (R$ 1,008 trilhão).

Lavouras - O valor da produção das lavouras foi de R$ 749,9 bilhões e o da pecuária, R$ 356,5 bilhões. A lavouras tiveram um crescimento de 11,9% em valores reais, e a pecuária, 5,4%.

Produtos - Os produtos que mais impulsionaram o VBP foram o arroz (3,9%), cana-de-açúcar (4,3%), milho (6,8%), soja (28,5%) e trigo (38,6%).

Produção e preços - De acordo com José Garcia Gasques, coordenador de Avaliação de Políticas e Informação do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento, a contribuição desses cinco produtos deve-se a bons resultados de produção e de preços. Eles respondem por 81% do VBP das lavouras.

Pecuária - Na pecuária, os que mais contribuíram para o aumento do VBP foram carne bovina (6,8%) e de frango (12,5%).

Comércio internacional - O comércio internacional, por intermédio das exportações, tem sido uma variável relevante para o crescimento. Nos primeiros seis meses do ano, o faturamento das exportações de carnes foi de U$ 11,1 bilhões e do complexo soja, de U$ 34,2 bilhões.

Decisivos - Segundo o coordenador da pesquisa, os preços têm sido decisivos este ano. “Considerando as carnes de frango e carne bovina, trigo, soja, milho e algodão, observa-se que esses produtos apresentam os maiores preços dos últimos 17 anos. Observa-se ainda que, o café, obtém neste ano o maior preço recebido pelos produtores dos últimos nove anos” argumenta.

Contribuição negativa - Por outro lado, há um grupo grande de produtos que vem apresentando contribuição negativa ao VBP. Muitos deles, como banana, batata-inglesa, café, feijão, laranja, tomate, suínos e ovos, têm peso relevante no IPCA. “Por isso, deve haver um acompanhamento mais de perto desses produtos”, alerta Gasques.

Café - A contribuição negativa do café, por exemplo, teve, neste ano, forte queda de produção, em compensação, apresentou elevado aumento nos preços recebidos. “O aumento de preços não evitou uma queda do VBP do café, pois a redução na produção foi muito forte ( -29,6%)”, comenta Gasques.

VBP por estado - Os resultados regionais mostram uma liderança do estado de Mato Grosso, Paraná, São Paulo, Rio Grande do Sul e Minas Gerais, que representam 63% do VBP de 2021.

O que é VBP - O VBP mostra a evolução do desempenho das lavouras e da pecuária ao longo do ano e corresponde ao faturamento bruto dentro do estabelecimento. Calculado com base na produção da safra agrícola e da pecuária e nos preços recebidos pelos produtores nas principais praças do país, dos 26 maiores produtos agropecuários do Brasil.

IGP-DI- O valor real da produção, descontada a inflação, é obtido pelo Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) da Fundação Getúlio Vargas. A periodicidade é mensal com atualização e divulgação até o dia 15 de cada mês. (Mapa) 

>> Resumo VBP 

>> VBP completo 

>> VBP regional 

>> Quadro geral

vbp tabela I 14 09 2021

vpb tabela II 14 09 2021

 

PESQUISA IBGE: Paraná registra crescimento na produção de frangos, porcos e leite no 2º trimestre

O Paraná ampliou a participação na produção de proteínas no 2º trimestre de 2021 em relação ao mesmo período do ano passado. Dos cinco itens avaliados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na sua Pesquisa Trimestral do Abate de Animais, em três o Estado apresentou expansão. O crescimento mais significativo foi em relação ao abate de cabeças de frango (6,6%), seguido pelo abate de suínos (6,2%) e na produção de leite (6,1%). Já a carne bovina e a produção de ovos tiveram retração de -18,3% e -2,1%, respectivamente.

Consolidação - O bom desempenho consolidou o Paraná como maior produtor de carne de frango do País, vice-líder em carne suína e leite e terceiro principal produtor de ovos. Em relação à proteína bovina, o Estado ocupa a nona posição.

Abate total - No total, o Paraná abateu 516.845.488 cabeças entre maio e julho deste ano, entre frangos (513.873.245), porcos (2.669.822) e bois (302.421), aumento de 6,53% no comparativo com os mesmos três meses de 2020.

China - O secretário estadual da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, explica que a evolução dos números tem relação direta com a maior presença da China na compra de proteína animal do Paraná, especialmente por causa do surto de peste suína africana que atingiu o país oriental.

Impacto - “O Paraná é o maior produtor brasileiro de carne, seja ela de porco, boi, frango ou peixe, e as vendas tiveram um impacto muito considerável, especialmente com o aumento da demanda por parte dos chineses. Toda essa movimentação do setor é muito positiva porque movimenta a economia e colabora muito para o desenvolvimento do Estado, um dos principais produtores de alimento do mundo”, afirmou.

Empregos - Ortigara ressaltou que a onda de crescimento traz com ela geração de empregos e desenvolvimento econômico em diversos pontos do Estado. Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), vinculado ao Ministério da Economia, o Estado abriu mais de 132 mil vagas de emprego com carteira assinada de janeiro a julho deste ano. “Como o ambiente político no Paraná é muito bom, há uma retomada interessante no processo de crescimento”, disse o secretário.

Frango - No 2º trimestre de 2021 foram abatidas 1,52 bilhão de cabeças de frangos no País, representando aumento de 7,8% em relação ao mesmo período de 2020. Esse resultado significou o melhor 2º trimestre na série histórica, iniciada em 1997.

Maior incremento - O Paraná obteve o maior incremento no período, com mais 31,60 milhões de cabeças, seguido por Goiás (25,68 milhões), Rio Grande do Sul (20,56 milhões), São Paulo (6,90 milhões), Santa Catarina (5,78 milhões), Minas Gerais (4,81 milhões), Mato Grosso do Sul (3,89 milhões), Bahia (3,31 milhões), Pernambuco (1,84 milhão) e Pará (1,71 milhão).

Liderança - Evolução que faz o Estado liderar amplamente o abate de frangos, com 33,7% da participação nacional, seguido por Rio Grande Sul (13,2%) e Santa Catarina (13,2%). Ou seja, de cada três frangos que vão para os diferentes mercados consumidores, internos ou externos, um tem origem paranaense.

Trimestre - Foram abatidas no Estado 516.845.488 cabeças neste 2º trimestre de 2021, ante 482.275.314 cabeças no 2º trimestre de 2020.

Suínos - O 2º trimestre de 2021 foi de recorde no abate de suínos no Brasil desde o início da série histórica em 1997. Foram abatidas 13,04 milhões de cabeças de suínos, com alta de 7,6% ante ao mesmo período de 2020.

Unidades da Federação - O abate de 923,56 mil cabeças de suínos a mais em relação ao mesmo recorte do ano passado foi impulsionado por altas em 18 das 25 unidades da Federação: Rio Grande do Sul puxou a fila, com um aumento de 273,47 mil. Santa Catarina (222,13 mil), Paraná (156,58 mil), Mato Grosso do Sul (86,97 mil), Goiás (73 mil), Minas Gerais (69,47 mil), São Paulo (19,96 mil) e Mato Grosso (1,19 mil) aparecem na sequência.

Santa Catarina - Com isso, Santa Catarina continua liderando o abate de suínos, com 28,5% da participação nacional, seguido por Paraná (20,5%) e Rio Grande do Sul (17,5%). O Estado abateu 2.669.822 cabeças entre maio e julho deste ano, contra 2.513.245 no mesmo período do ano passado.

Bovinos - Já em relação à carne bovina, houve uma redução significativa no plantel, com o Paraná acompanhando a curva nacional. Foram abatidos, de acordo com o levantamento do IBGE, 7,08 milhões de cabeças de boi sob algum tipo de serviço de inspeção sanitária, o que representa queda de 4,4% ante o 2° trimestre de 2020. É o resultado mais baixo para o período desde 2011.

Redução - O abate de 328,33 mil cabeças de bovinos a menos no 2º trimestre de 2021 frente ao mesmo período de 2020 foi ocasionado por reduções em 21 das 27 unidades da Federação. As maiores reduções foram no Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais, Rondônia e Bahia.

Mato Grosso - O Mato Grosso continua liderando o abate de bovinos, com 15,7% da participação nacional, seguido por Mato Grosso do Sul (11,3%) e Goiás (11%). O Paraná é nono – foram 302.421 cabeças em 2021 contra 370.078 em 2020.

Leite - A produção de leite em expansão no trimestre consolidou o Estado como vice-líder de marcado, ampliando a vantagem para o Rio Grande do Sul. Minas Gerais com 24,7% da captação nacional é a principal produtora, seguida por Paraná (13,9%) e Rio Grande do Sul (12,8%).

Produção - Entre maio e julho de 2021, o Estado produziu 806.853 litros, ante 760.535 no mesmo período de 2020. Foi o crescimento mais relevante, seguido por Rio Grande do Sul (19,96 milhões) e Bahia (12,27 milhões).

Comparativo - No comparativo com o mesmo trimestre de 2020, a queda de 59,47 milhões de litros de leite captados em nível nacional é proveniente de reduções registradas em 15 das 26 estados participantes da pesquisa. As quedas mais significativas ocorreram em Minas Gerais (-51,97 milhões), São Paulo (-33,46 milhões), Rondônia (-33,32 milhões), Mato Grosso (-10,43 milhões) e Rio de Janeiro (-7,91 milhões).

Ovos - A produção de ovos de galinha alcançou a marca de 985,70 milhões de dúzias no 2º trimestre de 2021, aumento de 0,9% em relação ao apurado no 2º trimestre de 2020. O resultado representa a maior produção já registrada em um 2º trimestre e a quarta maior produção da série histórica da pesquisa, iniciada em 1987.

Representatividade menor - O Paraná, porém, perdeu um pouco de representatividade, caindo para a terceira posição do ranking, ultrapassado pelo Espírito Santo. Foram 88. 373 milhões de dúzias no período, ante 90.282 do 2º trimestre de 2020.

Quantitativamente - Quantitativamente, os maiores acréscimos ocorreram em Minas Gerais (5,22 milhões), Ceará (4,72 milhões), Mato Grosso do Sul (4,24 milhões) e Bahia (4,14 milhões). A maior queda entre 2ºs trimestres dos dois anos foi observada em São Paulo (-10,90 milhões), entretanto, se comparados ao trimestre imediatamente anterior, a sua produção, na realidade, se manteve estável.

São Paulo - Responsável por 27,5% da produção nacional no 2º trimestre de 2021, São Paulo continua como maior produtor de ovos, seguido pelo Espírito Santo, com 9,1%, Paraná (9%) e Minas Gerais (8,9%). (Agência de Notícias do Paraná)

FOTOS: Gilson Abreu e Ari Dias /AEN

{vsig}2021/noticias/09/14/pesquisa_ibge/{/vsig}

SERVIÇOS: Setor cresce 1,1% em julho e atingem maior nível em cinco anos

servicos destaque 14 09 2021O volume de serviços cresceu 1,1% na passagem de junho para julho, quarta taxa positiva seguida, acumulando no período ganho de 5,8%. Com isso, o setor está 3,9% acima do nível pré-pandemia, em fevereiro de 2020, e também alcança o patamar mais elevado desde março de 2016. Mesmo com o avanço, o setor ainda está 7,7% abaixo do recorde histórico, alcançado em novembro de 2014. Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada nesta terça-feira (14/08) pelo IBGE.

Comparação - Na comparação com julho de 2020, o volume de serviços avançou 17,8%, quinta taxa positiva consecutiva. No acumulado do ano, o setor cresceu 10,7% frente a igual período do ano anterior. Em 12 meses, ao passar de 0,4% em junho para 2,9% em julho, manteve a trajetória ascendente iniciada em fevereiro deste ano (-8,6%).

Atividades - O resultado do setor em julho foi puxado por apenas duas das cinco atividades, em especial, pelos serviços prestados às famílias (3,8%), que acumulam ganho de 38,4% entre abril e julho. Já os serviços profissionais, administrativos e complementares avançaram 0,6%, com crescimento de 4,3% nos últimos três meses, e superaram, pela primeira vez, o patamar pré-pandemia, ficando 0,5% acima de fevereiro de 2020.

Maiores perdas - “Essas duas atividades são justamente aquelas que mais perderam nos meses mais agudos da pandemia. São as atividades com serviços de caráter presencial que vêm, paulatinamente, com a flexibilização e o avanço da vacinação, tentando recuperar a perda ocasionada entre março e maio do ano passado”, explica o analista da pesquisa, Rodrigo Lobo.

Famílias - Nos serviços prestados às famílias, destaque para o desempenho dos segmentos de hotéis, restaurantes, serviços de buffet e parques temáticos, que costumam crescer em julho devido às férias escolares. Já nos serviços profissionais, administrativos e complementares, destaque para as atividades jurídicas, serviços de engenharia e soluções de pagamentos eletrônicos.

Abaixo do nível pré-pandemia - Apesar do avanço em julho, serviços prestados às famílias operam 23,2% abaixo do patamar de fevereiro de 2020. Essa é a única das cinco atividades que ainda não superou o nível pré-pandemia.

Incompreensível - “Isso é compreensível já que se trata da atividade em que há a maior concentração de serviços prestados de forma presencial. É uma atividade que lida com restrições de oferta. Alguns estabelecimentos fecharam e outros reabriram, mas ainda não operam com plena capacidade. No lado da demanda, há pressão por conta da falta de avanço da massa de rendimento das famílias e do nível de desemprego elevado, que impedem que esse serviço cresça na mesma forma que os demais apurados dentro do setor”, acrescenta Rodrigo Lobo.

Demais atividades tiveram variação negativa abaixo de um ponto percentual - Com impactos negativos no índice geral, serviços de informação e comunicação (-0,4%), transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (-0,2%) e os outros serviços (-0,5%) tiveram variações abaixo de um ponto percentual.

Maior pressão negativa - “A atividade que mais pressionou negativamente foram os serviços de informação e comunicação. Os segmentos de telecomunicações e serviços de tecnologia da informação apresentaram taxas positivas, mas houve uma pressão muito significativa da parte de audiovisual, edição e agências de notícias, que recuaram 11,6% na passagem de junho para julho”, acrescenta o analista da PMS.

Unidades da federação - Em julho, 15 das 27 unidades da federação tiveram crescimento no volume de serviços, na comparação com o mês anterior. Entre os locais com taxas positivas, o impacto mais importante veio de São Paulo (1,4%), seguido por Rio Grande do Sul (3,4%), Minas Gerais (1,2%), Pernambuco (4,1%) e Paraná (1,5%). Já o estado do Rio de janeiro (-4,4%) registrou a principal retração no período.

Serviços não presenciais vêm sustentando crescimento do setor - Embora as atividades presenciais tenham crescido em julho, Rodrigo Lobo observa que são as atividades não presenciais que vêm sustentando a recuperação do setor de serviços desde a fase mais aguda da pandemia, entre março e maio do ano passado. De junho do ano passado a julho deste ano, o setor soma 13 taxas positivas, com exceção da taxa de março passado, que teve variação negativa devido ao fechamento de atividades consideradas não essenciais por conta da segunda onda do novo coronavírus.

Presencial - “Com o avanço da vacinação e a maior flexibilização das atividades econômicas, os serviços de caráter presencial seguem avançando, mas ainda num ritmo inferior ao de fevereiro de 2020. O que sustenta o setor de serviços no patamar um pouco abaixo de março de 2016 são os serviços de caráter não presencial, como serviços de tecnologia da informação, serviços financeiros, e armazenagem, serviços auxiliares aos transportes e correio, que obtiveram ganhos de receita mais expressivos”, detalha Rodrigo Lobo.

Financeiros - Entre os serviços financeiros, estão as corretoras de títulos e valores mobiliários, e com a bolsa de valores. A armazenagem inclui serviços de gestão de portos e terminais. E nos serviços auxiliares aos transportes e correio estão os serviços de navegação de apoio marítimo, como os rebocadores de plataformas de petróleo e as atividades de agenciamento marítimo, que envolvem, por exemplo, os procedimentos de carga e descarga de contêineres dos navios.

Índice de atividades turísticas cresce, mas ainda não retornou ao nível pré-pandemia - A PMS mostra ainda que o índice de atividades turísticas avançou 0,5% em julho na comparação junho. É a terceira taxa positiva seguida, período em que acumulou crescimento de 42,2%. O turismo ainda necessita crescer 32,7% para retornar ao patamar pré-pandemia, em fevereiro do ano passado.

Taxas positivas - Oito das 12 unidades da federação observadas nesse indicador apresentaram taxas positivas, com destaque para Pernambuco (9,5%), Santa Catarina (9,4%), Bahia (6,1%) e Rio de Janeiro (2,1%). No campo negativo, ficaram São Paulo (-0,4%), Paraná (-1,6%), Goiás (-1,9%) e Distrito Federal (-0,3%).

Mais sobre a pesquisa - A Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) produz indicadores que permitem acompanhar o comportamento conjuntural do setor de serviços no país, investigando a receita bruta de serviços nas empresas formalmente constituídas, com 20 ou mais pessoas ocupadas, que desempenham como principal atividade um serviço não financeiro, excluídas as áreas de saúde e educação. Há resultados para o Brasil e todas as unidades da federação. Os resultados podem ser consultados no Sidra. (Agência IBGE de Notícias)

FOTO: Brisa Gil

 

servicos tabela 14 09 2021

 

ANATEL: Agência adia conclusão sobre edital do 5G

anatel 14 09 2021A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) adiou nesta segunda-feira (13/09) a conclusão da análise do edital do leilão do 5G. O adiamento ocorreu após pedido de vista feito pelo conselheiro Moisés Queiroz Moreira. A data para retomada da discussão não foi definida.

Regras - As regras foram avaliadas durante reunião extraordinária do Conselho Diretor da Anatel, na qual foram discutidos ajustes no edital para a disponibilização do espectro de radiofrequências para a prestação dos serviços de telecomunicações pelas operadoras. Serão disponibilizadas as frequências de 700 MHz, 2,3 GHz, 3,5 GHz e 26 GHz.

Nova tecnologia - O 5G é uma nova tecnologia que amplia a velocidade da conexão móvel e reduz a latência, permitindo novos serviços com conexão com segurança e estabilidade que abrem espaço para o uso de novos serviços em diversas áreas, como indústria, saúde e agricultura, e na produção e difusão de conteúdos.

Valor - A proposta de leilão tem valor previsto de R$ 44 bilhões e está estruturada com foco em investimentos e oferta da tecnologia a todos os municípios com mais de 600 pessoas, e não na arrecadação de recursos para o governo.

Complexidade - Após a reunião, o presidente da Anatel, Leonardo Euler de Morais, falou sobre a complexidade do edital e disse que a análise da agência trará mais rigidez à licitação.

Maior certame licitatório - Segundo Morais, o edital é maior certame licitatório realizado na história do Brasil. Ele informou que, em 20 anos, R$ 160 bilhões deverão ser investidos obrigatoriamente pelas operadoras, inclusive a cobertura de 30 mil quilômetros de rodovias federais.

Forma de deliberação - “Tão importante quanto o tempo de deliberação é a forma de deliberação, a forma como tem sido construído esse edital para que ele não tivesse um viés arrecadatório, mas um viés com muitos compromissos de investimentos, como nunca feito antes história do Brasil, sem precedentes no mundo inteiro”, afirmou. (Agência Brasil)

FOTO: Akitada31 / Pixabay

 

SAÚDE I: Brasil passa dos 21 milhões de casos acumulados

O Brasil ultrapassou a marca dos 21 milhões de pessoas infectadas pela covid-19 nesta segunda-feira (13/09). Entre domingo e segunda (12 e 13/09), foram registrados 6.645 novos casos, chegando a um total de 21.006.424.

Acompanhamento - Ainda há 342.625 casos em acompanhamento. O nome se refere ao número de casos ativos de pessoas que tiveram o diagnóstico confirmado e estão sendo atendidas por equipes de saúde ou se recuperando em casa.

Óbitos - O total de pessoas que perderam a vida para a pandemia alcançou 587.066 pessoas. Nas últimas 24 horas, foram confirmadas 215 mortes em decorrência da doença.

Investigação - Ainda há 3.437 falecimentos em investigação. Nessas situações, os diagnósticos dependem de resultados de exames concluídos apenas após o paciente já ter morrido.

Recuperadas - O número de pessoas que se recuperaram da covid-19 chegou a 20.076.733. Isso corresponde a 95,6% das pessoas infectadas no Brasil desde o início da pandemia.

Balanço diário - Os dados estão no balanço diário do Ministério da Saúde, divulgado na noite desta segunda-feira (13/09). A atualização não trouxe dados do Rio de Janeiro e Ceará.

Dados - Os dados em geral são menores aos domingos e segundas-feiras em razão da dificuldade de alimentação do sistema pelas secretarias estaduais de Saúde. Já às terças-feiras os resultados tendem a ser maiores pela regularização dos registros acumulados durante o fim de semana.

Estados - As unidades da Federação com maior número de mortes são: São Paulo (147.258), Rio de Janeiro (63.880), Minas Gerais (53.698), Paraná (37.116) e Rio Grande do Sul (34.462). Na parte de baixo da lista estão Acre (1.816), Amapá (1.962), Roraima (1.968), Tocantins (3.716) e Sergipe (6.003).

Número de casos - São Paulo também lidera no número de casos, com 4.300.644, seguido de Minas Gerais (2.097.095) e Paraná (1.479.670). As unidades da Federação com menor número de casos são Acre (87.914), Amapá (122.603) e Roraima (126.855).

Vacinação - Segundo a última atualização do painel de vacinação do Ministério da Saúde, o sistema marcava 210,5 milhões de doses aplicadas, sendo 137,7 milhões da primeira dose e 72,7 milhões da segunda dose ou dose única. Nas últimas 24 horas, foram aplicadas 430,6 mil de doses.

PNI - Quando considerados apenas os dados consolidados no sistema do Programa Nacional de Imunizações (PNI), foram aplicados 200,4 milhões de doses, sendo 131,3 milhões da primeira dose e 69 milhões da segunda dose ou dose única. Há 10 milhões de doses aplicadas que aguardam registro, sendo 6,2 milhões da primeira dose e 3,7 milhões da segunda dose ou dose única.

Distribuição - Ainda conforme o painel de vacinação, foram distribuídos 259,4 milhões de doses, sendo entregues 256,4 milhões de doses e 3 milhões de doses que foram enviadas e estão em processo de distribuição. (Agência Brasil)

 

saude I tabela 14 09 2021

SAÚDE II: Sesa divulga mais 1.924 casos confirmados e 44 mortes pela Covid-19

saude II 14 09 2021A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) divulgou nesta segunda-feira (13/09) mais 1.924 casos confirmados e 44 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus. Os números são referentes a meses ou semanas anteriores e não representam as notificações das últimas 24 horas.

Soma - Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma agora 1.473.335 casos confirmados e 37.896 mortos pela doença.

Meses - Os casos confirmados divulgados nesta segunda são de setembro (1.491), agosto (259), julho (32), junho (97), maio (44) e abril (1) de 2021.

Internados - O boletim relata que há 816 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 internados. São 582 em leitos SUS (340 em UTIs e 242 em enfermarias) e 234 em leitos da rede particular (139 em UTIs e 95s em enfermaria).

Exames - Há outros 1.420 pacientes também internados, 768 em leitos de UTI e 652 em enfermarias, que aguardam resultados de exames. Eles estão nas redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Óbitos - A Secretaria da Saúde informa que das 44 pessoas que faleceram 19 são mulheres e 25 homens, com idades que variam de 26 a 99 anos. Os óbitos ocorreram entre 9 de abril a 13 de setembro de 2021.

Uma morte - Os pacientes que foram a óbito residiam em Curitiba (12), Pinhais (3), Londrina (3), Cascavel (3), São José dos Pinhais (2), Colombo (2), Campo Largo (2), União da Vitória (1), Sengés (1), Pérola (1), Prudentópolis (1), Primeiro de Maio (1), Porto Amazonas (1), Paranaguá (1), Palmeira (1), Nova Fátima (1), Nova Aurora (1), Marechal Cândido Rondon (1), Irati (1), Foz do Iguaçu (1), Fazenda Rio Grande (1), Candói (1), Bela Vista do Paraíso (1) e Apucarana (1).

Fora do Paraná - O monitoramento registra 6.335 casos de residentes de fora do Estado, sendo que 220 pessoas foram a óbito. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o informe completo.

Acesse os relatórios de Exclusão de casos de Correções de municípios.

 


Versão para impressão


RODAPE