Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5132 | 11 de Agosto de 2021

COMUNICAÇÃO: Vencedores do 14º Prêmio Ocepar de Jornalismo serão revelados em evento on-line, nesta quinta-feira

 

Está chegando o grande momento de conhecer os vencedores da décima quarta edição do Prêmio Ocepar de Jornalismo. Eles serão revelados nesta quinta-feira (12/08) durante evento on-line, com transmissão ao vivo pela TV Paraná Cooperativo, a partir das 17h. Na oportunidade, os profissionais vão saber em qual colocação ficaram no concurso e, ainda, quem receberá os Prêmios Especiais Ramo Crédito e Unimed. Esta edição teve um total de 86 trabalhos inscritos, dos quais 14 são finalistas. A relação foi anunciada pela Comissão Julgadora no dia 3 de agosto.

 

Primeira vez - Segundo o coordenador do Prêmio, o jornalista Samuel Milléo Filho, pela primeira vez desde sua criação, em 2004, a solenidade de anúncio dos vencedores ocorrerá de forma virtual e será transmitida ao vivo pela internet. “Isto se faz necessário devido à pandemia da Covid-19, em cumprimento com todos os protocolos sanitários que o momento exige”, destaca. “Apesar da distância, faremos um evento especial, dedicado a todos os 86 profissionais que produziram excelentes trabalhos, mesmo diante de toda situação que vivemos desde março de 2020, quando fomos tomados pela pandemia do coronavírus”, conclui Milléo.  

Valores - O concurso é dividido em seis categorias: Jornalismo Impresso, Telejornalismo, Radiojornalismo, Mídia Cooperativa, Prêmio Especial Unimed e Prêmio Especial Ramo Crédito. Ao todo são R$ 88.000,00 em premiações, cujo valor é distribuído da seguinte forma, já descontados todos os impostos: 1º lugar: R$ 10.000,00, 2º lugar: R$ 4.000,00 e 3º lugar: R$ 3.000.00. Nos dois prêmios especiais, cada vencedor receberá R$ 10.000,00. Para concorrer, os participantes tiveram que produzir matérias com o tema: “Cooperativismo, força econômica e social que faz a diferença.”  

Serviço - O Prêmio Ocepar de Jornalismo é uma iniciativa do Sistema Ocepar, que conta com o apoio financeiro da Central Sicredi PR/SP/RJ e Federação Unimed do Paraná, e apoio institucional da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná (Sindijor/PR) e do Sindicato dos Jornalistas do Norte do Paraná. Veja abaixo a lista dos finalistas, em ordem alfabética de autoria dos trabalhos inscritos e não de classificação. Dessa relação também sairão os vencedores das Categorias Especiais, Crédito e Unimed.  

SERVIÇO

Anúncio dos vencedores do 14º Prêmio Ocepar de Jornalismo 

Data: 12/08/2021 

Horário: 17h

Transmissão ao vivo: TV Paraná Cooperativo 

RELAÇÃO DOS FINALISTAS POR ORDEM ALFABÉTICA DE AUTORIA PRINCIPAL DOS TRABALHOS INSCRITOS:

Veículo: REDE MASSA – TV IGUAÇU - SBT

Jornalista/Produtora: ALINE RODRIGUES PERES

Repórter: LUCIAN PICHETTI BRENDLER

Repórter Cinematográfico: JEFERSON RODRIGO WEISS

Editor de Imagem: GABRIEL MACHADO DE SOUZA

Editora: MILENA GONÇALVES DE MACEDO

Tema: “Cooenf-Pr: Cooperativa de enfermagem na linha de frente”

 

Veículo: CATVE TV

Jornalista: CAMILA REGINA FRETAG

Produtora: KATUSCIA DA SILVA

Imagem e Edição: HANDREY ZOZ

Editora Chefe: ELIANE MENDONÇA

Tema: “Cooperativismo mirim transformando a realidade social de crianças e adolescentes no Oeste do Paraná”

 

Veículo: TV NAIPI – REDE MASSA - SBT

Jornalista: CRISLAINE FLORENCIO NERES

Repórter Cinematográfico: RAHVI DUARTE BATISTA

Editor de Imagem: YURI IAWAMOTO

Tema: “Cooperativismo nozes”

 

Veículo: RÁDIO BANDA B – CURITIBA

Jornalista: DENISE MELLO

Produtor e editor: ANTÔNIO NASCIMENTO

Tema: “As cooperativas do Paraná na contramão da pandemia”

 

Veículo: RÁDIO CBN CURITIBA

Jornalista: FÁBIO TOMICH BUCHMANN

Tema: “Solidariedade que salva”

 

Veículo: RÁDIO BANDNEWS CURITIBA

Jornalista: FELIPE HARMATA MARINHO

Jornalista: Lorena Pelanda

Tema: “Cooperativas de saúde criam alternativas para amenizar os impactos do isolamento social em idosos”

 

Veículo: REVISTA PITOCO

Jornalista: JAIRO EDUARDO FABRÍCIO LEMOS

Tema: “Made in Nova Aurora”

 

Veículo: REVISTA COOPAVEL

Jornalista: JEAN CARLO PATERNO

Tema: “Cooperativismo - Trabalho, dignidade e uma chance para recomeçar”

 

Veículo: REDE MASSA TV NAIPI - SBT

Jornalista: MARIANA KOJUNSKI PINTO

Repórter Cinematográfico: RAHVI DUARTE BATISTA

Editora de Imagens: SANDY STEFANNY DOS SANTOS

Tema: “A realização do sonho pelo cooperativismo”

 

Veículo: JORNAL DIÁRIO DOS CAMPOS

Jornalista: MILLENA EDUARDA SARTORI

Tema: “Castrolanda, Frísia e Capal conquistam recorde com faturamento de mais de R$ 10 bi em ano de pandemia”

 

Veículo: RÁDIO COMUNITÁRIA FM

Jornalista: RODRIGO ALCANTARA DÁVILA

Tema: “Cooperativas paranaenses: exemplos de inovação e desenvolvimento para o Brasil”

 

Veículo: REVISTA C.VALE

Jornalista: SARA FERNEDA MESSIAS

Coautores: ALMIR TREVISAN e RENAN TADEU PEREIRA

Tema: “Fé e cooperativismo contra o coronavírus”

 

Veículo: REVISTA GLOBO RURAL

Jornalista: WILHAN AVILA SANTIN

Tema: “As gigantes do cooperativismo”

 

Veículo: RÁDIO INFORMATIVO COAMO

Jornalista: WILSON BIBIANO LIMA

Tema: “Cooperativismo em verso e prosa”

 

comunicacao flyer 11 08 2021

 

REVISTA PR COOPERATIVO: Edição de agosto destaca as ações de voluntariado do Dia de Cooperar

destaque revista pr cooperativo 11 08 2021A edição de agosto da Revista Paraná Cooperativo destaca as ações de voluntariado do Dia de Cooperar (Dia C). O programa nacional, coordenado pelo Sistema OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras), tem por objetivo promover a responsabilidade social e a prática dos valores do cooperativismo. O Dia C incentiva e busca dar visibilidade às ações socioambientais realizadas pelo setor cooperativista. No Paraná, é coordenado pelo Sistema Ocepar. Em 2021, os cooperativistas do estado realizaram 451 iniciativas de voluntariado, com ênfase nas ações de arrecadação de alimentos e recursos para ajudar hospitais e entidades sociais. As cooperativas paranaenses, conforme demonstra a matéria de Capa desta edição, estão engajadas também no Agro Fraterno, movimento solidário para ajudar famílias carentes atingidas pela crise econômica, situação que se agravou com a pandemia.

Sistema Ocepar - No Paraná, o protagonismo das cooperativas nas comunidades deu o tom da celebração promovida pelo Sistema Ocepar, no dia 3 de julho. Evento virtual “transportou” os visitantes para um ambiente composto por um auditório e um espaço de exposição, a Expo PRCoop. A ideia propôs fazer com o que as pessoas que visitassem o site do evento se sentissem de fato numa feira. A celebração foi prestigiada por lideranças cooperativistas, e contou com uma programação também de entretenimento, com apresentações musicais e de circo.

Entrevista - O entrevistado desta edição é o presidente do Sistema Ocemg (Organização das Cooperativas do Estado de Minas Gerais), Ronaldo Scucato. O dirigente relata como foi criado o Dia C e quais os impactos positivos do programa de voluntariado. Com quase 70 anos de atuação no setor, o líder revela suas impressões sobre oportunidades e desafios ao cooperativismo brasileiro. “Desde a constituição da primeira cooperativa no mundo ocidental, há 177 anos, o cooperativismo permanece forte e resiliente diante das intempéries das economias”, disse.

Fórum - Outro destaque desta edição é a cobertura do Fórum dos Presidentes das Cooperativas Paranaenses, evento virtual realizado no dia 22 de julho, e que reuniu mais de 250 lideranças do setor. Durante o Fórum, foram apresentadas as diretrizes do PRC200, o novo planejamento estratégico do cooperativismo do Paraná. Realizado durante o ano que marca o 50º aniversário da Ocepar, o evento homenageou os ex-presidentes da entidade, e foi prestigiado por autoridades como a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, o presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, o vice-governador Darci Piana, e o secretário de Agricultura, Norberto Ortigara.

Clique aqui para conferir na íntegra a edição de agosto da revista Paraná Cooperativo

 

FAZENDA: Novos membros do Conselho de Contribuintes e Recursos Fiscais tomam posse

fazenda 11 08 2021O secretário da Fazenda, Renê Oliveira Garcia Junior, empossou nesta terça-feira (10/08), durante reunião online, os novos integrantes do Conselho de Contribuintes e Recursos Fiscais (CCRF) para o mandato de dois anos, entre os quais estão Rogério Croscato e Devair Mem, do Sistema Ocepar.

Julgamento - Vinculado à Secretaria da Fazenda (Sefa), o Conselho é responsável pelo julgamento em segunda instância administrativa dos recursos de contribuintes que recorreram de multas e já perderam em primeira instância.

Impostos - O CCRF trata dos três impostos de competência da Receita Estadual, a quem cabe o julgamento em primeira instância – Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), que apresenta o maior número de processos; Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCMD), com um volume pequeno; e Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), com volume baixíssimo de processos. 

Aprimoramento - Além dessas questões, o CCRF tem como objetivo o aprimoramento do Sistema Tributário, dentre outras atividades determinadas pelo seu Regimento Interno. 

Trabalho exemplar - “Os conselheiros que foram reconduzidos, que realizaram um trabalho exemplar e de considerável qualidade técnica, cujos currículos apresentados são de invejável conteúdo, com certeza virão se somar aos conhecimentos dos novos conselheiros no mandato que se inicia,”, disse presidente do Conselho e chefe de gabinete do diretor da Receita Estadual, Ademir Furlanetto. 

Órgão Colegiado - O Conselho de Contribuintes e Recursos Fiscais é um órgão colegiado de segunda e última instância dos procedimentos administrativos fiscais, formado por 12 conselheiros indicados pelo Estado (seis titulares e seis suplentes) e outros 12 por entidades de setores econômicos da iniciativa privada (também seis titulares e seis suplentes). 

Auditores fiscais - Os indicados pelo Estado são necessariamente auditores fiscais em atividade. Os demais precisam ter curso superior e, preferencialmente, ter experiência na área de direito em geral e direito tributário. As sessões acontecem de segunda a quinta-feira, das 16h30 às 18 horas. 

Membros - Os membros que tomaram posse, representando o Estado, são Roberto Zaninelli Covelo Tizon, presidente da Primeira Câmara; Cícero Antonio Eich, vice-presidente da Primeira Câmara; Maristela Deggerone, presidente da Segunda Câmara; Gilberto Calixto, vice-presidente da Segunda Câmara. Os conselheiros titulares são: Sérgio Augusto Martins Lebre e Leonardo Felipe Brito Ramos e os suplentes Beatriz do Carmo Langiano Geiser, Luciana Nara Trentin, Margarete Maria Mazzola, Odair Fernando Swarofsky, Paulo Cesar Bissani e Rodrigo Tourinho Dantas. 

Iniciativa privada - Pela iniciativa privada, tomaram posse Carlos Eduardo Makoul Gasperin (Federação das Indústrias), João Alberto Graça (Federação de Transportes e Cargas), Leonardo Piantavini (Federação da Agricultura), Paulo Cesar Pereira Gruber (Federação do Comércio de Bens, Serviço e Turismo), Rogério dos Santos Croscato (Organização das Cooperativas), Solange Aparecida Leal Padilha Gebrim (Associações Comerciais e Empresariais). Como suplentes: Aliene Martinez de Barros Detzel (Federação das Indústriais), Armando Santos Lira (Conselho Regional de Contabilidade), Devair Antonio Mem (Organização das Cooperativas), Eleutério Czornei (Federação da Agricultura) e Renata Buffara Bueno Canto (Associação Comercial). (Com informações da Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Sefa

 

 

COOPERATIVISMO: Presidente da Unimed defende ato cooperativo em comissão geral da Câmara

cooperativismo 11 08 2021O presidente da Unimed do Brasil, Omar Abujamra Junior, defendeu, nesta terça-feira (10/08), a atenção à Lei Geral do Cooperativismo (5.764/71), que completa 50 anos em 2021, em especial ao princípio constitucional do adequado tratamento tributário das sociedades cooperativas. Ele participou, a convite do deputado Evair de Melo (ES), presidente da Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop), da comissão geral realizada pela Câmara dos Deputados para discutir a situação da saúde do Brasil.

Assistência à saúde - Abujamra afirmou considerar fundamental a discussão da assistência à saúde, agregando a força dos setores público e privado em prol de um futuro que garanta o fortalecimento do setor de forma sustentável e capaz de continuar a prestar atendimento e qualidade de vida à população brasileira. Para isso, no entanto, ele lembrou que há pontos de atenção que precisam ser considerados para que se alcance o equilíbrio almejado.

Revisão do Marco Regulatório - “Além da importância da Lei do Cooperativismo, destacamos também a necessidade de revisão do Marco Regulatório de Saúde Suplementar, para ampliar o acesso aos serviços de saúde; atenção às demandas da categoria médica pela valorização e qualificação de seu trabalho; e a busca de soluções político institucionais que estimulem as ações de saúde compartilhadas entre os setores público e privado”, complementou.

Compromisso - O presidente também reforçou o compromisso da Unimed Brasil e sua disposição para construir caminhos e colaborar para o desenvolvimento de um sistema de saúde cada vez mais integrado e plural. Ele lembrou que a Unimed do Brasil representa o maior sistema privado de cuidados com a saúde do país, com mais de 18 milhões de beneficiados e presença em 86% do território nacional. “Estamos nas grandes metrópoles e nas pequenas cidades do interior. Em várias delas, nossos hospitais são pilares fundamentais da infraestrutura assistencial”.

Avanços - Ainda segundo Abujamra, durante a crise causada pela pandemia do coronavírus, a Unimed do Brasil entregou 14 novos hospitais, contratou mais de 11 mil profissionais de saúde e coordenou iniciativas de responsabilidade social que captaram R$ 4 milhões para beneficiar 45 instituições e mais de 22 mil famílias. “Colocamos em ação o princípio cooperativista de interesse pela comunidade ao dar as mãos aos poderes públicos em várias cidades, promovendo parcerias com o SUS, doações de equipamentos de proteção e iniciativas de combate à fome”, concluiu.

Assista - Para assistir a sessão, clique aqui. (OCB)

 

SICREDI PARQUE DAS ARAUCÁRIAS: Cooperativas entregam equipamentos para hospitais de Pato Branco

sicredi parque 11 08 2021Um grupo de oito cooperativas de vários segmentos realizaram recentemente a entrega de equipamentos de saúde para hospitais e para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), de Pato Branco, no Sudoeste do Paraná. Os equipamentos foram adquiridos com recursos arrecadados na Feijoada do Bem, evento beneficente realizado em julho por conta do Dia de Cooperar, o Dia C.

Entrega - A entrega foi realizada de forma simbólica, por meio de cheques com o valor investido na compra dos equipamentos. Para os hospitais São Lucas e Policlínica foram repassados cerca de 26 mil itens, entre luvas e máscaras hospitalares, distribuídas de forma equivalente entre as duas instituições. O investimento total foi de R$ 11.836.

UPA - Para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) foi doada uma bomba de infusão, cujo investimento foi de R$ 5.680. Além de representantes das cooperativas, estiveram presentes na entrega Felipe Balen, Sérgio Luiz Wolker, Gabriela Izidro e Fabiola Carla Fressato Hecke, representando, respectivamente, a UPA, o Instituto de Saúde São Lucas e a Policlínica Pato Branco.

Necessidade - Os equipamentos foram adquiridos de acordo com a necessidade verificada junto a cada uma das instituições.

Iniciativa - O Dia de Cooperar é uma iniciativa nacional criada com o objetivo de promover a intercooperação, através de ações de responsabilidade social. A Feijoada do Bem foi promovida pelas cooperativas Coopertradição, Cresol, Evolua, Sicoob, Sicredi, Unicred, Unimed e Uniprime. O evento arrecadou cerca de R$ 17 mil, valor utilizado integralmente na compra dos insumos e equipamentos de saúde. (Imprensa Sicredi Parque das Araucárias PR/SC/SP)

 

SICREDI FRONTEIRAS I: Mais de 17 toneladas em alimentos são arrecadadas com ações do Dia C

sicredi fronteiras I 11 08 2021A Cooperativa Sicredi Fronteiras PR/SC/SP participa desde 2015 do Dia de Cooperar, Dia C. Esta data é celebrada junto com o Dia Internacional do Cooperativismo e considera iniciativas de responsabilidade social dos ramos de cooperativismo atuantes no Brasil, incluindo o cooperativismo de crédito, e estão alinhadas com os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável propostos pela Organização das Nações Unidas (ONU). As iniciativas contam com o apoio da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB).

Ações solidárias - Em 2021, assim como no ano passado, as ações solidárias começaram a ser desenvolvidas antes mesmo da data de celebração, 3 de julho.

Desafio - Diante da pandemia, a cooperativa se viu desafiada a manter-se saudável, em todos os aspectos, e desta forma buscou estar cada vez mais próximos das pessoas, mesmo de longe. Com isso, a solidariedade se fez presente por meio de 4 ações com foco em responsabilidade social, realizadas no Paraná, Santa Catarina e em São Paulo, onde a Sicredi Fronteiras possui agências.

Resultado - O resultado das ações do Dia C de 2021 na cooperativa foi surpreendente. A Sicredi Fronteiras, em parceria com o Comitê Jovem, esteve nos supermercados da região arrecadando alimentos não perecíveis. Com este movimento, foi possível arrecadar 14 toneladas de alimentos.

Download - Através da ação de fomento ao download do Aplicativo Sicredi, que consistia na doação 1 kg de alimento pela cooperativa a cada download do App realizada pelos associados, a Sicredi Fronteiras arrecadou 686 kg de alimentos em prol da comunidade. Desta maneira, 686 associados agora conseguem realizar a gestão de suas finanças de uma maneira prática e segura, sem sair de casa.

Fatura - O mesmo movimento ocorreu para os associados que optassem pela inibição da fatura impressa, que arrecadou 1.117 kg de alimentos, ou por colocar suas faturas no débito em conta, ação que reverteu 1.190 kg de alimentos não perecíveis.

Alimentos - Essas 4 ações realizadas pela cooperativa renderam o montante de mais de 17.671 toneladas de alimentos não perecíveis. Um resultado extraordinário.

Repasse - Segundo Daiane Wesseler Alexandre, assessora de Desenvolvimento do Cooperativismo, esses alimentos serão repassados para as famílias carentes e entidades beneficentes. “Os alimentos arrecadados no município auxiliarão pessoas do próprio município, ou seja, o associado auxilia a própria comunidade onde reside. Esse movimento vem ao encontro do propósito do Sicredi, que é construir juntos uma sociedade mais próspera”, comenta.

Poder de mobilização - De acordo com o presidente da cooperativa, José César Wünsch, a ação demonstrou o poder de mobilização do cooperativismo. “Nós como Cooperativa precisamos nos unir para diminuir os impactos causados pela pandemia de Covid- 19. Com isso em mente, resolvemos ajudar a comunidade arrecadando alimentos não perecíveis. Foram mais de 17 toneladas de alimentos que auxiliarão nas comunidades onde estamos inseridos. Obrigado a todos os envolvidos nessa ação que atuou diretamente nos 3 pilares: ambiental, econômico e social” concluiu o presidente. (Imprensa Sicredi Fronteiras PR/SC/SP)

 

SICREDI FRONTEIRAS II: Agência é reinaugurada em Ampére

sicredi fronteiras II 11 08 2021Atenta às necessidades de seus associados e buscando estar cada vez mais próxima, levando os benefícios de uma cooperativa de crédito nas cidades onde está presente, a Sicredi Fronteiras PR/SC/SP reinaugurará sua agência em Ampére (PR) no dia 20 de agosto.

Design moderno - Projetada com um design moderno, que visa oferecer aos associados um atendimento mais personalizado, a agência oferece também uma experiência ainda mais colaborativa e apresenta aspectos da marca do Sicredi, fazendo com que o espaço da agência se torne também um local de proximidade e convivência entre os associados.

Localização - Ideal tanto para as transações financeiras quanto para os associados fazerem negócios, o novo espaço, com 580m² no térreo e 580 m² de estacionamento no subsolo estará localizado na Rua Brasília, 978 – Centro e preserva a padronização nacional das agências do Sicredi, o que é fundamental para que a instituição financeira proporcione uma experiência única em todos os lugares do Brasil.

Vigésimo aniversário - Para Wilson Mello, gerente de agência em Ampére, a reinauguração veio no ano em que a agência completará seu vigésimo aniversário. “Estamos muito ansiosos pela nova agência, principalmente pelo novo ambiente que será entregue aos associados”. Atualmente a agência hoje possui quase 4 mil associados, que são atendidos por 20 colaboradores.

Agradecimento - “Gostaríamos de agradecer a todos os associados pela confiança depositada em toda a equipe durante esses 20 anos. É uma enorme satisfação podermos entregar uma casa nova aos associados. Convidamos para que todos venham conhecer e desfrutar deste novo ambiente. Aos que ainda não são associados, fica o nosso convite para que venham conhecer o espaço. Estamos prontos para atendê-lo”, afirma Mello.

Cuidados - A cooperativa tomou todos os cuidados ao mudar a agência de endereço, inclusive cerimônia de reinauguração para será realizada em formato de live, transmissão ao vivo, para evitar qualquer tipo de aglomeração. O horário de atendimento na agência será de segunda a sexta-feira, das 9h às 15h, sempre atentando para as normas e medidas preventivas do Ministério da Saúde e demais órgãos oficiais. Mais informações pelo telefone: (46)3547-3030.

Transmissão - Assista à reinauguração da agência de Ampére, na sexta-feira, 20 de agosto, às 19h30min através dos canais oficiais da Cooperativa Sicredi Fronteiras no Youtube e Facebook (@sicredifronteiras). (Imprensa Sicredi Fronteiras PR/SC/SP)

 

SICOOB CONFIANÇA: Cooperado financia trator pelo Pronamp

sicoob confianca 11 08 2021Reforçando seu compromisso de oferecer os melhores produtos e serviços para contribuir com o desenvolvimento do agro, só este ano, o Sicoob Confiança já ampliou em 130% sua carteira de crédito rural. Esse crescimento só foi possível graças ao trabalho realizado pelas equipes da cooperativa, que visitam propriedades da região e conversam com os produtores para entender suas necessidades e apresentar as soluções mais adequadas a cada perfil.

Necessidade - Em uma dessas visitas, o cooperado de Quatro Pontes (PR), Gilberto Selhorst, comentou que havia adquirido novas terras e por isso, precisava de um novo trator. O gerente da agência, Márcio Schell, explicou a ele a respeito da possibilidade de enquadrar o financiamento no Pronamp, uma linha de crédito destinada a financiar bens novos, como máquinas, equipamentos, caminhões e embarcações, estruturas de armazenagem e outros serviços necessários ao empreendimento.

Enquadramento - “No Plano Safra passado, ele ainda se enquadrava em Pronaf, que é uma linha para pequenos produtores. Orientei que o ideal era esperar até julho, mês em que se iniciou o Plano Safra 2021/2022, para e encaminhar o projeto para financiar o trator pelo Pronamp, que é destinada a produtores de porte médio. Ele seguiu o que eu disse e conseguiu financiar o trator. Afinal, no Sicoob, queremos que o cooperado tenha as melhores condições para realizar sonhos. E é por isso que estamos cada vez mais ao lado do produtor rural, conquistando grandes amizades, gerando riquezas e desenvolvendo a economia local”, afirma o gerente.

Apoio - O cooperado, que está muito feliz com a conquista, agradeceu o apoio da cooperativa. “Conquistamos mais um fruto do nosso trabalho em parceria com o Sicoob, que sempre são atenciosos com a gente e buscam a melhor forma de nos ajudar”, ressalta Gilberto. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

COCAMAR I: Tema inovador, bioanálise do solo abre Dia de Campo

O Dia de Campo de Inverno Digital da Cocamar foi aberto na tarde de segunda-feira (09/08) com uma apresentação, a cargo da pesquisadora Iêda Mendes, da Embrapa Cerrados de Brasília (DF), da inovadora tecnologia de bioanálise de solo desenvolvida por aquela instituição. Na transmissão ao vivo conduzida a partir das 16h pelo coordenador técnico das Unidades de Difusão de Tecnologias (UDT) da cooperativa, Rodrigo Sakurada, participou também o pesquisador Henrique Debiasi, especialista em solos da Embrapa Soja de Londrina (PR).

O que é - Trata-se de uma tecnologia única em todo o mundo, resultado de mais de 20 anos de pesquisas. A bioanálise do Solo é uma avaliação qualitativa de solo e quantifica os principais grupos de organismos biológicos que são bioindicadores da saúde do solo e estão relacionados ao seu potencial produtivo.

Memória - “A bioanálise reflete tudo que foi feito anteriormente com ou sem sistema de plantio direto, integração lavoura-pecuária e consórcio, por exemplo. É como se tivesse a memória do solo. E as enzimas são os indicadores de toda a biologia do solo, que refletem gerações passadas de organismos que já estiveram presentes ali”, explica a pesquisadora.

Ajuda - Em resumo, a metodologia diagnostica a saúde do solo e ajuda na tomada de decisão para transformar um ambiente adverso em altamente produtivo. Iêda observa, ainda, que a análise biológica mostra porque áreas quimicamente semelhantes podem ser biologicamente diferentes.

Análise - A bioanálise de solo foi desenvolvida para preencher a lacuna causada pela ausência do componente biológico nas análises de rotina de solos. A BioAS, como é conhecida, consiste na análise das enzimas arilsulfatase e β-glicosidase, associadas aos ciclos do enxofre e do carbono, respectivamente.

Bioindicadores - “Por estarem relacionadas direta ou indiretamente ao potencial produtivo e à sustentabilidade do uso do solo, as enzimas funcionam como bioindicadores e ajudam a avaliar a saúde dos solos”, explica Iêda. Em seu estágio atual, a tecnologia está delineada para cultivos anuais de grãos e fibras no bioma Cerrado, mas em breve deve chegar ao Paraná.

Valores de referência - Nas análises químicas, pela comparação dos valores obtidos para uma amostra de solo com os das tabelas de interpretação, atribui-se o nivel de fertilidade. Posteriormente, para cada cultura/tipo de solo, define-se a quantidade de fertilizantes, ou de corretivos, a serem aplicados. De forma análoga, pesquisas desenvolvidas pela Embrapa permitiram formular tabelas de interpretação dos biondicadores, as quais estabelecem valores de referência para avaliar o estado do funcionamento biológico do solo.

Sistemas de manejo - Valores elevados desses bioindicadores indicam sistemas de produção e/ou práticas de manejo do solo adequadas e sustentáveis. Ao contrário, valores baixos servem de alerta ao agricultor para uma reavaliação do sistema de produção e adoção de boas práticas de manejo, por isso a bioanálise pode auxiliar nas tomadas de decisões relacionadas aos sistemas de manejo adotados nas propriedades agrícolas.

Qualidade biológica - Devido à relativa facilidade de correção da acidez e fertilidade de solo, é muito comum que as áreas agrícolas sob uso intensivo possuam qualidade química do solo adequada, mas não necessariamente associada a uma qualidade biológica também adequada.

Complementar - Nesses casos, a bioanálise permite revelar aspectos relacionados ao funcionamento da maquinaria biológica do solo que passam despercebidos nas análises de fertilidade e que podem impactar significativamente o desempenho econômico das lavouras. Constitui-se, portanto, em análise complementar à de fertilidade, ao considerar aspectos da saúde do solo que não podem ser diretamente inferidos a partir das análises de rotina tradicionais.

Relação - Entretanto, ressalta-se que há uma relação intrínseca entre a qualidade química e a qualidade biológica de um solo.

“Adubando” - Práticas como a correção da acidez superficial e subsuperficial, e adubações corretivas e/ou de manutenção, estão intimamente associadas ao desenvolvimento das plantas. Consequentemente, plantas bem nutridas aportam maiores quantidades de resíduos ao solo, “adubando” as comunidades microbianas do solo com carbono e outros nutrientes.

Insumos - Ou seja, é possível ter um solo com baixa qualidade, mas cujas elevadas produtividades estejam relacionadas a entradas de insumos em doses muito acima das recomendadas para solos bem manejados, uma condição que não é sustentável em longo prazo, pois pode resultar em contaminações do ambiente e prejuízos aos agricultores.

Quando coletar - A coleta da amostra é realizada pós-colheita (mesmo período da coleta da análise química) e deve ser da camada de 0 cm a 10 cm. É a camada diagnóstica, que reflete o solo como um todo. “Com o diagnóstico, posso inferir o que está acontecendo na área mais profunda”, afirmou Iêda. “Se o resultado mostrar níveis biológicos baixos e o produtor não adotar tecnologias adequadas, a situação do solo pode piorar”, alertou. “Atualmente, na maioria dos casos, o que falta é aplicar as tecnologias que já existem. Um solo biologicamente ativo armazena mais água, sequestra carbono, é tolerante a doenças, pragas e plantas daninhas”, disse a pesquisadora.

Superorganismo - “Devemos olhar e pensar o solo como um super organismo (macro, meso e microrganismo) e cuidar dele como tal”, enfatiza. A pesquisadora disse que vários laboratórios já foram capacitados para realizarem a bioanálise do solo, e os nomes serão divulgados nesse primeiro semestre. Outros laboratórios também estão na lista para a capacitação.

No Paraná - Em sua participação, o pesquisador Henrique Debiasi comentou que a Embrapa Soja, em parceria com a Cocamar, desenvolveu nas safras 2018/19 e 2019/20, 49 visitas a propriedades com os mais diferentes tipos de solos, nas regiões da Cocamar, no Paraná, oportunidade em que fez um amplo diagnóstico dos mesmos. O objetivo do SuperSolo, o nome do programa, foi apresentar essa realidade aos produtores cooperados e orientá-los sobre práticas visando a contribuir para o aumento da produtividade das lavouras.

Participe - O Dia de Campo de Inverno Digital, que tem a participação de 30 empresas parceiras e uma série de outras atrações, segue até domingo (15/08). Acesse: www.diadecampococamar.com.br. (Imprensa Cocamar)

{vsig}2021/noticias/08/11/cocamar_I/{/vsig}

COCAMAR II: UBS recebe certificação de excelência em tratamento de sementes

O gerente da Unidade de Beneficiamento de Sementes (UBS) da Cocamar em São Sebastião da Amoreira (PR), Diogo Amaral, recebeu, na manhã de terça-feira (10/08), a certificação Seedcare entregue pela Syngenta “pela qualidade na excelência de Tratamento de Semente Industrial (TSI)”.

Maringá - Na quinta-feira (05/08), representantes da companhia - o coordenador de Contas Chave Seedcare, Humberto Rosada, o gerente Seedcare Felipe Fett e o representante técnico de vendas (RTV) Carlos Zoleu, responsável pela conta Cocamar - estiveram em Maringá (PR) para fazer a entrega do certificado ao gerente executivo comercial de Insumos, Geraldo Amarildo Ganaza, que estava acompanhado dos gerentes comerciais de Insumos Paulo André Câmara e Tiago Palaro. Com isso, as embalagens de Sementes Cocamar que foram tratadas com receitas daquela companhia, vão exibir o Selo de Qualidade Seedcare.

Exigências - Segundo Rosada, para conquistar o selo, que tem validade de um ano, a Cocamar atendeu a uma série de exigências, o que comprova a alta qualidade de suas sementes tratadas industrialmente, bem como a responsabilidade e segurança em seus processos.

Excelência - A certificação assegura excelência em todas as etapas do processo de Tratamento de Sementes Industrial (TSI): respeito ao meio ambiente, destinação correta de resíduos etc; segurança dos trabalhadores, treinamentos e capacitação da equipe da UBS, utilização de equipamentos de proteção individual (EPI’s); atendimento a toda a legislação referente à atividade de tratamento de semente industrial; cuidados com a revisão e manutenção das máquinas de TSI; qualidade das sementes enviadas para a TSI; e, principalmente, assertividade de cem por cento dos lotes analisados, da dosagem aplicada nas sementes, garantindo aos cooperados o controle adequado de pragas e doenças na fase de implantação das lavouras. (Imprensa Cocamar)

{vsig}2021/noticias/08/11/cocamar_II/{/vsig}

CASTROLANDA: Conexão Agroleite relembra início do evento, tradição das famílias leiteiras e presença das mulheres nas propriedades

castrolanda 11 08 2021A websérie Conexão Agroleite começou nessa terça-feira (10/08), no canal da Castrolanda no Youtube, e trouxe depoimentos com uma retrospectiva do evento. Apresentado por José Luiz Tejon, o programa mostra reportagens sobre temas relacionados à cadeia leiteira e terá mais dois episódios nesta quarta e quinta-feira (11 e 12/08).

Estruturação da cadeia - Nas palavras de Frans Borg, presidente da Castrolanda entre 1996 e 2020, o Agroleite foi criado para estruturar a cadeia do leite. “Enxergávamos que uma feira seria muito importante para que a gente pudesse se comunicar de uma forma inteligente com os outros elos da cadeia. Acredito que fomos felizes em envolver todos eles em um só evento”.

Conhecimento - Para os participantes, o evento contribui no conhecimento de novas tecnologias e na troca de experiência entre produtores, como destaca o cooperado Theo Gorenwold. “O Agroleite representa tudo para o produtor de leite: as novas técnicas, vitrines de novos equipamentos. Todos os anos conhecemos procedimentos mais recentes e vamos aplicando aqui: ordenha, nutrição, manejo”.

Gerações - A história da Capital Nacional do Leite envolveu famílias holandesas e brasileiras e foi passada de geração em geração. Os Wolters vieram da Holanda e enfrentaram dificuldades, mas se adaptaram e são uma das famílias leiteiras mais tracionais da região. “No início, foi muito difícil para a minha família, porque era um país diferente, uma cultura diferente, um clima diferente. Então eles precisaram se adaptar e, aos poucos, estruturar a região também. É importante estar com a família envolvida desde sempre para realmente pegar gosto e saber da importância da produção de leite e de como isso tudo foi construído”, relembra o cooperado Ronald Wolters.

Exposição de animais - Uma das atrações da feira e que também foi retratada em uma reportagem no primeiro dia de Conexão Agroleite é a exposição de animais, que exige cuidados específicos com as vacas que participam. “Fechamos os animais em baias individuais, a alimentação é mais específica para chegar no score desejado para competir em pista, são necessários banhos diários e tem a parte de domesticação para andar no cabresto e exibir no dia. Então é um trabalho que começa bem antes da feira”, conta o cooperado Reinaldo de Boer.  

Mulheres - A presença das mulheres no agronegócio e, principalmente, na gestão das propriedades de leite, também foi debatida. A partir das ações da Comissão Mulher Cooperativista, a Castrolanda incentiva que mais mulheres participem dos negócios do campo, conforme explica a cooperada Maria Benke. “A cooperativa une os produtores e, se as mulheres também se unirem, a força é dobrada. Se temos alguma dificuldade, uma ajuda a outra”.

Rodadas de conversa - Além das reportagens, duas rodas de conversa marcaram o primeiro dia do programa. O Diretor Presidente da Castrolanda, Seung Lee, falou sobre planejamento, importância da verticalização da cadeia e previsão para o futuro dos negócios. Na parte final, o Vice-presidente da Cooperativa, Armando Carvalho, e a Cooperada e membro da Comissão Mulher Cooperativista Amanda Gomes destacaram as tecnologias para a produção de leite, as boas práticas na propriedade e os grandes resultados que a intercooperação pode trazer.  

Acesso - Para conferir as reportagens completas do primeiro dia de Conexão Agroleite, basta acessar o canal da Castrolanda e do Agroleite no Youtube. A websérie continua nesta quarta-feira (11/08), às 19h, com mais conteúdo sobre a cadeia leiteira e um dos maiores eventos de tecnologia e produção de leite da América Latina. (Imprensa Castrolanda)

 

COOPAVEL: Planejamento é aliado para enfrentar o desafio do clima à pecuária de corte

A estiagem, a chuva em excesso e o frio são desafios permanentes à pecuária de corte em regiões do Sul do Brasil. Com o aprimoramento de conhecimentos e tecnologias ao longo dos últimos anos, os criadores passam a contar com soluções eficientes para amenizar perdas e potencializar resultados. O planejamento é um aliado que faz enorme diferença em uma atividade importante para a economia do Oeste e do Paraná. É disso que trata novo capítulo da edição de inverno do Show Rural Coopavel e que pode ser integralmente acessado nos seguintes endereços: www.showrural.com.br e no youtube.com/showruralagro.

Guaraniaçu - O episódio foi produzido em Guaraniaçu, um dos principais redutos de gado de corte do Paraná. Devido às características do terreno, Guaraniaçu tem boa aptidão para a atividade, informa o pecuarista Mauri Antônio Alamini, que há mais de 20 anos se dedica à criação de bovinos. Praticamente toda a propriedade de 432 alqueires é dedicada a plantéis para abate. São 1.350 animais das raças Angus, Brangus e Nelore Mocho que devido à qualidade de sua carne encontram espaço cada vez maior entre consumidores de todo o País.

Meta - Todo ano, Alamini consegue mandar 480 animais para o frigorífico, mas a meta é ultrapassar a marca das 500 cabeças no ano que vem. Atualmente, a propriedade trabalha com três lotes – vaca de cria, bezerros e animais com dois anos, idade considerada ideal para o abate. O grande desafio da atividade, segundo o pecuarista, é a nutrição. “Não é possível controlar as intempéries, todavia com mais de duas décadas dedicadas à atividade, e com a correta assistência técnica, encontramos formas de garantir a alimentação que o plantel precisa”, afirma Alamini.

Planejamento - Adotar um controle rigoroso quanto à oferta de comida aos animais é uma etapa indispensável para o sucesso do negócio. “É preciso se prevenir com milho mais precoce, aveia e adubar a pastagem. Aqui, costumamos fazer silagem no verão e mantemos sempre atenção fixa no clima”. Para obter um animal de dois anos bem acabado é fundamental garantir que todas as suas exigências nutricionais dele sejam devidamente contempladas.

Otimização - O médico veterinário da Coopavel José Djalma reconhece a importância e recomenda o planejamento como aliado para enfrentar os prejuízos na alimentação animal provocados pelo clima. “O pecuarista precisa ter capim permanente de boa qualidade, volumoso e silagem”. Para conseguir isso ele precisa investir em análise de solo, adubação e manter as áreas de pastejo sempre limpas.

Suplementação - Muitos pecuaristas utilizam a suplementação proteica o ano todo. “Com isso, o mineral contribui para otimizar tudo o que o animal vier a consumir”, explica José Djalma. A escolha de uma ração de qualidade é outro passo indispensável que precisa ser adotado pelo criador para obter os melhores resultados possíveis, diminuindo ainda mais possíveis impactos de intempéries no seu plantel. (Imprensa Coopavel)

{vsig}2021/noticias/08/11/coopavel/{/vsig}

 

UNIMED APUCARANA: Empresa Amiga da Apae

Embora o conceito de responsabilidade social seja relativamente novo para a maioria das empresas, para a Unimed Apucarana ele vem dos próprios princípios e valores do cooperativismo. Ao longo de seus mais de trinta anos, a cooperativa desenvolveu projetos em diferentes segmentos, focando, principalmente, em ações relacionadas à educação, esporte, saúde e qualidade de vida.

Ações - Seguindo esse princípio, a Unimed Apucarana destaca as ações que beneficiam alunos de 24 Apaes da região paranaense do Vale do Ivaí. A parceria, que conta com mais de vinte e cinco anos, subsidiando consultas médicas aos estudantes da instituição, através do programa “Amigos da Apae”. Já o programa “Lições para o Coração”, tem por objetivo conscientizar e prevenir doenças cardiovasculares desde a infância, através de cartilhas lúdicas, com o personagem ‘Coronildo’ que dá dicas sobre saúde e bem-estar.

Hábitos saudáveis - Segundo o coordenador do projeto, o cardiologista José Leopoldo de Souza, a ação é um novo meio de aprendizado sobre hábitos saudáveis. “É um projeto que busca melhorar a saúde dos envolvidos. O conhecimento que a criança adquire sobre prevenção de doenças do coração pode ser, inclusive, repassado para seus familiares”, explica o médico. Ao todo mais de 2500 alunos tiveram acesso ao benefício.

Evento Amigos da Apae - No dia 1º de setembro, às 14h, a Unimed Apucarana lançará o evento oficial com a adoção do selo da Apae “Empresa Amiga”, ampliando, assim, a parceira. “A estratégia é divulgar o selo em materiais promocionais e institucionais da cooperativa, assim como em receituários dos médicos cooperados, incentivando o público a conhecer as iniciativas de responsabilidade social da empresa e o impacto positivo para a comunidade”, destaca o presidente da Unimed Apucarana, Ribamar Maroneze. (Imprensa Unimed Apucarana)

{vsig}2021/noticias/08/11/unimed_apucarana/{/vsig}

INPEV: Paraná comemora Dia Nacional do Campo Limpo com ações de solidariedade

inpev 11 08 2021A comemoração da 17ª edição do Dia Nacional do Campo Limpo, em 18 de agosto, será adaptada ao formato virtual pela segunda vez. Com o tema “Responsabilidade para agir e conservar”, o evento terá várias atividades que vão conectar os participantes virtualmente. O grande destaque será a realização de ações de solidariedade, envolvendo 96 unidades de recebimento de todo o país.

Arrecadação e doação de alimentos - O Sistema Campo Limpo (programa de logística reversa de embalagens vazias e sobras pós-consumo de defensivos agrícolas) promoverá a arrecadação e doação de alimentos e tem a expectativa de superar as 155 toneladas de alimentos doados em 2020. No estado do Paraná, participarão 12 centrais de recebimento, localizadas nas cidades de Cambé, Campo Mourão, Cascavel, Contenda, Cornélio Procópio, Francisco Beltrão, Guarapuava, Maringá, Palotina, Ponta Grossa, Santa Terezinha Itaipu e Umuarama.

Iniciativas virtuais - As atividades presenciais serão substituídas por iniciativas virtuais e por ações solidárias nas diversas localidades. O inpEV (Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias), entidade gestora do Sistema, e associações de revendas realizaram parcerias com instituições para promover doações de cestas básicas e outros itens. Essas ações solidárias serão a principal forma de comemorar os bons resultados do Sistema, que é referência mundial e já destinou corretamente mais de 620 mil toneladas de embalagens vazias de defensivos agrícolas desde 2002. No ano passado, foram encaminhadas para reciclagem 93 de cada 100 embalagens recebidas.

Comunidade - “Vamos ajudar a comunidade com o mesmo empenho com que mantivemos as unidades do Sistema operando com segurança para atender às necessidades do setor agrícola. Nossa agilidade para nos adaptar permitiu superar metas de destinação e ter muito para comemorar”, afirma João Cesar Rando, diretor-presidente do inpEV.

Evento oficial - O evento oficial do dia 18 de agosto será o programa Agro 360 Especial Dia Nacional do Campo Limpo, exibido, às 13h, no Canal Terra Viva. Com a participação de representantes de elos da cadeia agrícolas e convidados, o programa mostrará várias ações de solidariedade que acontecerão em todo o país. Durante a semana, serão mostradas nas redes sociais do inpEV as iniciativas solidárias, assim como vídeo com o caminho das embalagens, homenagens a agricultores e uma esquete teatral gravada, direcionada para alunos do Ensino Fundamental.

Encerramento - O encerramento da comemoração virtual será na sexta, dia 20h, às 16h, com a exibição de vídeo com os resultados da campanha de solidariedade.

Redes sociais - Para acompanhar as atividades, siga as redes sociais do inpEV e acesse https://inpev.org.br/dncl/.

Sobre o Dia Nacional do Campo Limpo - O Dia Nacional do Campo Limpo foi instituído no calendário brasileiro em 18 de agosto, por meio da Lei Federal 11.657 de 16 de abril de 2008. Desde então, cerca de um milhão de pessoas, de todo o país, já participaram das comemorações. A celebração da data é realizada pelas unidades de recebimento de embalagens vazias, com apoio do inpEV, seus associados fabricantes de defensivos agrícolas, entidades representativas do setor, organizações públicas (governo municipal e estadual) e privadas, além de outros apoiadores locais.

Sobre o inpEV - Desde 2002, o inpEV (Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias) é entidade gestora do Sistema Campo Limpo nas atividades de destinação de embalagens vazias de defensivos agrícolas e promove ações de conscientização e educação ambiental sobre o tema, conforme previsto em legislação. É uma instituição sem fins lucrativos formada por mais de 100 empresas e nove entidades representativas da indústria do setor, distribuidores e agricultores.

Sobre o Sistema Campo Limpo - O Sistema Campo Limpo tem como base o princípio das responsabilidades compartilhadas entre todos os elos da cadeia produtiva (agricultores, fabricantes e canais de distribuição, com apoio do poder público) para realizar a logística reversa de embalagens vazias de defensivos agrícolas. O Brasil é referência mundial na destinação ambientalmente correta do material, encaminhando 94% de embalagens plásticas primárias para reciclagem ou incineração.

Mais informações - Mais informações sobre o inpEV e o Sistema Campo Limpo estão disponíveis no site www.inpev.org.br, no Facebook, Youtube e Instagram. (Assessoria de Imprensa do inpEV)

 

ANALISACAR: Serviço Florestal e estados avançam na implantação da análise dinamizada do Cadastro Ambiental Rural

analisacar 11 08 2021Amapá e Paraná são os primeiros estados a aderirem ao novo sistema de análise dinamizada do Cadastro Ambiental Rural (CAR), o AnalisaCAR. O módulo, lançado em maio, permite que a análise dos cadastros seja feita por lotes, o que traz celeridade e eficiência para a tarefa que até então estava sendo realizada de forma manual pelas equipes dos órgãos ambientais estaduais.

Paraná - No Paraná, o Instituto Água e Terra (IAT/PR) iniciou a implantação assistida do sistema no dia 03 de agosto e durante dois dias realizou testes e simulações com apoio do Serviço Florestal Brasileiro (SFB). O responsável pelo CAR no IAT/PR, Ayrton Machado, avalia que a implantação da Análise Dinamizada irá permitir maior celeridade na análise dos dados do CAR e, por consequência, o atendimento de um maior número de proprietários e possuidores de terras.

Terra Rica - “Começamos a análise dinamizada pelo município de Terra Rica. O próximo passo é a liberação do módulo de Regularização Ambiental para darmos a continuidade às análises nos outros municípios que fazem parte do nosso projeto piloto: Paranavaí, Guairaçá, Mirador, Planaltina do Paraná e Paraíso do Norte”, adiantou Machado.

Amapá - A Secretaria de Meio Ambiente do Amapá (Sema/AP) também já começou a usar o módulo e iniciou a análise dos primeiros lotes de cadastros usando a nova tecnologia. O estado foi o primeiro a ter o sistema implantado, por já possuir os mapeamentos necessários e já ter participado de capacitações sobre como operar a ferramenta.

Informações estratégicas - A implantação da Análise Dinamizada envolve capacitações, checagem das bases de referência e treinamentos em ambiente de simulação. "A implantação assistida ajuda o estado a gerar informações estratégicas para melhor planejar as ações de análise, trazendo segurança, eficiência e celeridade ao processo", explica coordenadora-geral de Cadastro Ambiental Rural do SFB, Gabriela Berbigier.

Verificação - Desenvolvida pelo SFB com apoio tecnológico da Universidade Federal de Lavras (UFLA), o AnalisaCAR possibilita que os cadastros sejam verificados de forma automatizada, por meio de tecnologias de geoprocessamento que comparam os dados declarados com mapas de referência, que funcionam como o gabarito para a checagem das informações. A expectativa do SFB é que até o fim do ano pelo menos dez estados estejam utilizando a ferramenta, que será disponibilizada para todo o país em um prazo de dois anos.

Articulação - A coordenadora-geral de Apoio aos Estados do SFB, Jaine Cubas, destacou o trabalho de articular a implantação do Código Florestal com as unidades federativas, realizando reuniões preparatórias, ouvindo as necessidades e garantindo o atendimento das demandas de competência do órgão.

Ações preparatórias - “Para cada implantação do AnalisaCAR nos estados, o Serviço Florestal realiza uma série de ações preparatórias, seja de capacitação até buscar fontes de recursos, para garantir que estejam aptos a utilizarem a ferramenta”, ressaltou Jaine.

Atribuições - O diretor de Regularização Ambiental do SFB, João Adrien, destaca que a análise dos cadastros é papel dos estados e do Distrito Federal, mas que cabe ao Serviço Florestal Brasileiro, enquanto órgão gestor e coordenador nacional do CAR, apoiar a tarefa, dentro das suas competências e capacidade institucional. (Mapa)

 

FUNCAFÉ: Conselho aprova apoio de R$ 1,32 bilhão a cafeicultores afetados por geada

funcafe 11 08 2021O Conselho Deliberativo da Política do Café (CDPC) aprovou nesta terça-feira (10/08) a criação de reserva no valor de R$ 1,32 bilhão no orçamento do Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé) para atender os cafeicultores prejudicados pelas geadas nas últimas semanas.

CMN - A medida já havia sido discutida na reunião do Comitê Técnico do conselho na semana passada. Agora, o tema será encaminhado ao Ministério da Economia para ser submetido ao Conselho Monetário Nacional (CMN), em reunião extraordinária.

Aval - Com o aval do CMN, os valores ficarão à disposição dos agentes financeiros após uma avaliação oficial das perdas causadas pela geada nas regiões produtoras. A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) conduz o levantamento em conjunto com entidades do setor cafeeiro.

Liberação - "Após a aprovação do CMN, os recursos serão liberados para os bancos para atender às demandas dos produtores, cooperativas, indústrias e exportadores, o que deverá acontecer nas próximas duas semanas" explica o diretor de Departamento de Comercialização e Abastecimento do Mapa, Silvio Farnese.

Funcafé - Os recursos fazem parte dos R$ 5,9 bilhões aprovados para aplicação nas linhas de financiamento do Funcafé na safra 2021/2022. Com a manutenção da reserva, nesse primeiro momento, os agentes financeiros terão R$ 4,6 bilhões para as linhas de crédito de custeio, comercialização, capital de giro e aquisição de café. Os contratos estão no final de processamento.

Integrantes - O CDPC é formado por sete membros do governo federal e sete da iniciativa privada, das principais associações de produtores e da indústria. A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, e o secretário-executivo, Marcos Montes, participaram da reunião do Conselho.

Boa notícia - "É uma boa notícia para tranquilizar aqueles que tiveram problemas. Os estudos que encomendamos através da Conab e de várias instituições estão chegando para fazermos uma avaliação e encaminharmos esses recursos de maneira correta para atender os cafeicultores desses estados atingidos pelas geadas de julho", disse a ministra. (Mapa)

 

INFRAESTRUTURA I: Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá registra alta de 6% em julho

infraestrutura 11 08 2021Os 11 terminais que operam no Corredor de Exportação Leste do Porto de Paranaguá (Corex) registraram movimentação 6% maior em julho deste ano, comparado ao mesmo período de 2020. Neste ano, nos 31 dias do mês, 1.929.157 toneladas de graneis sólidos de exportação foram embarcadas pelo complexo, ante 1.819.851 toneladas no ano anterior.

Soja - O volume de soja exportada foi o que puxou a alta. Em julho, neste ano, 1.618.249 toneladas do produto foram exportadas pelo complexo – 22,34% a mais que as 1.322.721 toneladas embarcadas no mesmo mês em 2020.

Diferente - “Neste ano, a exportação de soja ocorre de maneira diferente de como projetamos no início do ano. Está mais distribuída no tempo, o que indica que o exportador está sempre esperando a melhor oportunidade de negócio”, comenta o diretor de Operações da Portos do Paraná, Luiz Teixeira da Silva Júnior.

Ágeis - Apesar do volume mais expressivo de soja embarcado no último mês de julho, os embarques estão mais ágeis. Como afirma Teixeira, os navios têm chegado e atracado para carregar sem formação de filas, como ocorria nos anos anteriores.

Eficiência - “O Corredor de Exportação opera com eficiência devido a um conjunto de ações e investimentos que vão do público ao privado”, diz o diretor.

Outros produtos - Além da soja em grão, pelos três berços que integram o Corex, são exportados também farelo de soja, milho e, em menor volume e com menos frequência, trigo.

Farelo de soja - Neste ano, nos 31 dias de julho, 310.907 toneladas de farelo de soja foram embarcadas pelos terminais do Corredor Leste. No mês, não houve embarque de milho nem trigo.

Terminais - Integram o Corex, além dos dois silos públicos (horizontal e vertical), os terminais da AGTL, Cargill, Cimbessul, Centro Sul, Coamo, Cotriguaçu, Interalli, Louis Dreyfus e Rocha.

Volumes maiores - Em julho de 2021, os que embarcaram em maior volume foram a Cotriguaçu (343.327 toneladas, 14,4% a mais que o registrado no mês, em 2020), Dreyfus (253.810 toneladas) e Rocha (249.641 toneladas, 63,42% a mais do que em julho de 2020).

Navios - Com mais navios carregados pelo complexo no último mês de julho, os terminais e operadores do Corredor de Exportação Leste registraram tempos operacionais menores e melhor produtividade, na comparação a julho de 2020.

A mais - Em 2021, no mês, foram 33 navios carregados, cinco a mais que em julho do ano passado. A média de dias que um navio passou atracado em um dos berços do corredor foi de 2,25 dias. O tempo de espera pela atracação, 8,38 dias. A estadia da embarcação no porto (desde a chegada até a partida, contando o tempo de operação) foi de 10,63 dias. Em média, por hora, o embarque somou 1.082,41 toneladas.

Ano passado - Em julho de 2020 foram 28 navios carregados. O tempo médio de atracação somou 3,21 dias. O período de espera pela atracação, 28,67 dias; de estadia, 31,88 dias. Em média, por hora, foram embarcadas 843,35 toneladas.

Gestão operacional - Para o gerente de Operações, Gilmar Francener, o ganho de produtividade do Corex em julho deste ano é resultado da gestão operacional, alcançado pela otimização dos tempos. “Esse resultado confirma que as ações adotadas para o aumento de produtividade e redução dos tempos são eficientes e produzirão ganhos contínuos para o porto”, afirma.

Outros fatores - Ainda de acordo com o gerente, outros dois fatores também contribuíram para esse desempenho. “Em julho tivemos apenas dois dias de chuva. Em 2020, no mesmo mês, foram seis”, afirma. O tipo de produto, segundo ele, também colaborou. “A soja, pela característica do produto, flui melhor no embarque o que resulta em menores tempos”, completa Francener.

Acumulado - Pelo Corredor Leste, de janeiro a julho deste ano, foram embarcadas 10.933.710 toneladas de granéis sólidos para exportação. De soja, 7.679.977 toneladas exportadas; de farelo, 2.648.195 toneladas. No período, 14 mil toneladas de trigo foram exportadas pelo complexo. De milho, 591.538 toneladas.

Exportações - Em 2020, no mesmo período, a exportação somou 12.924.748 toneladas de grãos e farelo. De soja 9.772.707 toneladas; de farelo 2.792.813 toneladas; de milho 359.228 toneladas. Não houve embarque de trigo no período. (Assessoria de Imprensa da Appa)

FOTO: Rodrigo Félix Leal / Seil

 

INFRAESTRUTURA II: Governador e ministro da Infraestrutura apresentam a nova modelagem da concessão rodoviária do Paraná

infraestrutura II 11 08 2021 O governador Carlos Massa Ratinho Junior e o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, apresentam nesta quarta-feira (11/08) os detalhes da nova concessão de 3,3 mil quilômetros de rodovias do Paraná. O Estado e a União formataram uma metodologia específica para os seis lotes, de maneira a garantir tarifa mais baixa, disputa livre na Bolsa de Valores e garantia de R$ 44 bilhões em execução de obras.

Pacote - O pacote é formado por rodovias estaduais e federais e deve ir a leilão após passar por análise detalhada do Tribunal de Contas da União (TCU).

Projeto - O projeto foi concebido com apoio da sociedade paranaense, do setor produtivo, dos deputados estaduais e da bancada federal. Será a maior concessão da América Latina. (Agência de Notícias do Paraná)

SERVIÇO

Data: 11 de agosto, quarta-feira

Horário: 15 horas

Endereço: Palácio Iguaçu - Praça Nossa Senhora de Salette s/n - Centro Cívico, Curitiba

Haverá transmissão pelo YouTube do Governo do Paraná

 

ECONOMIA I: Riscos fiscais levam BC a adotar política mais contracionista

economia I 11 08 2021Em meio à perspectiva de uma recuperação econômica robusta no segundo semestre, os riscos fiscais e a piora recente em componentes inerciais dos índices de preços levaram o Banco Central a adotar uma política monetária mais contracionista. A avaliação consta na ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), divulgada nesta terça-feira (10/08).

Selic - No encontro da semana passada, o Copom elevou a taxa básica de juros da economia, a Selic, de 4,25% para 5,25% ao ano e já sinalizou que deve fazer um ajuste da mesma magnitude na próxima reunião, em setembro, mantendo o ciclo de elevação da taxa de juros para patamar acima do neutro, “para que se obtenha projeções em torno das metas de inflação no horizonte relevante”. O juro neutro é aquele adequado para estimular a economia sem gerar instabilidade na inflação ao longo do tempo.

Riscos fiscais - “O comitê ponderou que os riscos fiscais continuam implicando um viés de alta nas projeções. Essa assimetria no balanço de riscos afeta o grau apropriado de estímulo monetário, justificando assim uma trajetória para a política monetária mais contracionista [de conter o avanço da inflação] do que a utilizada no cenário básico”, diz a ata.

Cenário básico - Para decidir sobre a elevação da Selic, o comitê estabeleceu um cenário básico para a inflação, com as projeções em torno de 6,5% para 2021, 3,5% para 2022 e 3,2% para 2023. Esse cenário supõe trajetória de juros que se eleva para 7% ao ano, em 2021 e 2022, e reduz-se para 6,5% ao ano em 2023. Nesse cenário, as projeções para a inflação de preços administrados são de 10% para 2021 e 4,6% para 2022 e 2023. O Copom adotou ainda uma hipótese neutra para a bandeira tarifária de energia elétrica, que se mantém em Vermelha - patamar 1, em dezembro de cada ano.

Meta de inflação - A Selic é o principal instrumento usado pelo Banco Central para alcançar a meta de inflação. A elevação da Selic, que serve de referência para as demais taxas de juros no país, ajuda a controlar a inflação, porque a taxa causa reflexos nos preços, já que juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança, contendo a demanda aquecida.

Riscos - Para o BC, o cenário básico para a inflação envolve fatores de risco em ambas as direções. “Por um lado, uma possível reversão, ainda que parcial, do aumento recente nos preços das commodities internacionais em moeda local produziria trajetória de inflação abaixo do cenário básico. Por outro lado, novos prolongamentos das políticas fiscais de resposta à pandemia de covid-19 que pressionem a demanda agregada e piorem a trajetória fiscal podem elevar os prêmios de risco do país”, avaliou o Copom.

Assimetria altista - “Apesar da melhora recente nos indicadores de sustentabilidade da dívida pública, o risco fiscal elevado segue criando uma assimetria altista no balanço de riscos, ou seja, com trajetórias para a inflação acima do projetado no horizonte relevante para a política monetária”, completa a ata.

Persistente - De acordo com o documento, a inflação ao consumidor continua se revelando persistente e os últimos indicadores divulgados mostram composição mais desfavorável de preços, como a “surpresa com o componente subjacente da inflação de serviços [em meio à reabertura do setor] e a continuidade da pressão sobre bens industriais, causando elevação dos núcleos”. “Além disso, há novas pressões em componentes voláteis, como a possível elevação do adicional da bandeira tarifária e os novos aumentos nos preços de alimentos, ambos decorrentes de condições climáticas adversas. Em conjunto, esses fatores acarretam revisão significativa das projeções de curto prazo”, diz a ata.

Estratégia - Nesse sentido, o Copom considera que, neste momento, a estratégia de ser “mais tempestivo” no ajuste da política monetária é a mais apropriada para assegurar a convergência da inflação para as metas de 2022 e 2023. “Sem prejuízo de seu objetivo fundamental de assegurar a estabilidade de preços, essa decisão também implica suavização das flutuações do nível de atividade econômica e fomento do pleno emprego”, diz.

Recuperação da economia - De acordo com a ata, os últimos dados sobre a evolução da atividade econômica do país continuam evoluindo positivamente. Para o Copom, o segundo semestre do ano deve mostrar uma retomada robusta da atividade, na medida em que os efeitos da vacinação sejam sentidos de forma mais abrangente.

Efeitos heterogêneos - Por outro lado, embora a ociosidade da atividade como um todo evolua rapidamente para retornar ao nível do fim de 2019, “o comitê considera que a pandemia ainda segue produzindo efeitos heterogêneos sobre os setores econômicos e, em particular, sobre o mercado de trabalho, com consequências para a dinâmica recente e prospectiva da inflação”. (Agência Brasil)

FOTO: Banco Central do Brasil

 

ECONOMIA II: Compartilhamento de dados do open banking começa na próxima sexta

economia II 11 08 2021A partir da próxima sexta-feira (13/08) começa a funcionar o sistema que permite aos clientes autorizarem o compartilhamento de dados pessoais e financeiros entre instituições bancárias. O open banking tem como objetivo facilitar o acesso a produtos e serviços bancários, como empréstimos e cartões de crédito.

Gradualmente - Segundo a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), o sistema vai começar a funcionar gradualmente e com consentimento dos usuários que vão poder escolher quais dados, por quanto tempo e entre quais instituições compartilhar. A partir do dia 13 poderão ser compartilhadas as informações de cadastro, que incluem os dados pessoais, o endereço e a renda.

Permissão - Ao autorizar o compartilhamento, o cliente vai permitir que uma instituição financeira acesse as informações de outra, com a qual o usuário tem uma relação anterior. Esse procedimento será vinculado a uma oferta de produto ou serviço específico, como financiamentos, abertura de conta ou cartão de crédito. O tempo máximo do compartilhamento será de um ano.

Ofertas mais adequadas - Com esse cruzamento de dados, as instituições bancárias vão poder fazer ofertas mais adequadas ao perfil do cliente, assim como oferecer condições mais vantajosas. As operações também são limitadas entre os bancos autorizados pelo usuário. Ambas as instituições serão responsáveis pela segurança desses dados.

Etapas - A partir do dia 30 de agosto será possível fazer pagamentos pelo Pix usando o open banking, o que vai permitir que essas transações sejam feitas pelos chamados iniciadores de pagamento, que podem ser aplicativos de compras ou até de mensagens.

Autorizadas - A partir do dia 13 de setembro, poderão ser autorizadas as trocas de informações sobre contas e movimentação financeira. Depois do dia 27 de setembro, os usuários vão poder disponibilizar os dados sobre operações de crédito e cartões de crédito.

Intuitiva - O sistema foi elaborado para que seja possível aceitar o compartilhamento de forma intuitiva, ao demonstrar o interesse na oferta de um banco o usuário indique as informações que quer compartilhar e seja encaminhado à plataforma da instituição que irá fornecer os dados.

Obrigatória - Pela regulamentação estabelecida pelo Banco Central, é obrigatória a participação no open banking de todas as grandes e médias instituições financeiras do país.

Mais informações - Mais informações sobre o sistema, cronograma de implantação e instituições participantes estão disponíveis na internet. (Agência Brasil)

FOTO: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

 

CÂMBIO: Dólar cai para R$ 5,19 após divulgação da ata do Copom

cambio 11 08 2021Numa sessão marcada pelo alívio externo e pelo tom duro do Comitê de Política Monetária (Copom) no mercado interno, o dólar recuou para abaixo de R$ 5,20, um dia após fechar no maior nível em três semanas. A bolsa de valores iniciou o dia em alta, mas perdeu força ao longo das negociações e fechou com a primeira queda após três ganhos seguidos.

Cotação - O dólar comercial encerrou esta terça-feira (10/08) vendido a R$ 5,197, com recuo de R$ 0,051 (-0,96%). A cotação chegou a subir para R$ 5,26 nos primeiros minutos de negociação, mas recuou com as notícias do Banco Central brasileiro e do exterior.

Queda acumulada - A divisa acumula queda de 0,25% em agosto. Em 2021, a alta chega a 0,15%.

Ações - No mercado de ações, o otimismo foi menor. O índice Ibovespa, da B3, chegou a subir 0,4% por volta das 12h15, mas não sustentou o ritmo e fechou o dia aos 122.202 pontos, com recuo de 0,66%. A divulgação de balanços corporativos com lucros menores que o esperado no ramo de shoppings e o noticiário em relação aos juros influenciaram as negociações.

Brasil - No Brasil, a divulgação da ata do Copom, na qual o Banco Central (BC) se comprometeu a continuar elevando a taxa Selic (juros básicos da economia) enquanto a inflação durar mexeu com o mercado. A declaração do diretor de Política Monetária do órgão, Bruno Serra, de que o ritmo de alta pode aumentar se a inflação persistir mais que o esperado reduziram a pressão sobre o dólar.

Lucro - Juros mais altos no Brasil estimulam a entrada de capital financeiro de outros países. Os investidores buscam lucrar com a diferença entre as taxas brasileiras e as dos títulos públicos norte-americanos, considerados os investimentos mais seguros do mundo.

Exterior - No exterior, o dia foi marcado pelo otimismo. A aprovação do pacote de infraestrutura de US$ 1 trilhão pelo Senado norte-americano fez as bolsas dos Estados Unidos fecharem em alta. Os investimentos públicos, na avaliação dos investidores, ajudarão a maior economia do planeta a se recuperar da pandemia de covid-19. (Agência Brasil, com informações da Reuters)

FOTO: Pixabay

 

LEGISLATIVO: Deputados aprovam texto-base de MP sobre suspensão de contratos de trabalho

legislativo 11 08 2021A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (10/08), por 304 votos a 133, o texto-base da Medida Provisória 1045/21, que renova o programa de redução ou suspensão de salários e jornada de trabalho com o pagamento de um benefício emergencial aos trabalhadores. As regras valem para quem tem carteira assinada e para os contratos de aprendizagem e de jornada parcial.

Análise - Os destaques apresentados pelos partidos serão analisados em outra sessão a ser marcada. Esses destaques pretendem alterar pontos do texto do relator, deputado Christino Aureo (PP-RJ), que incluiu vários outros temas na MP. Foram incluídos, por exemplo, programas de primeiro emprego e de requalificação profissional, mudanças na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e definição de quem pode contar com gratuidade no acesso à Justiça.

Novo programa - Segundo a MP, o Novo Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda garantirá o pagamento de uma parte do seguro-desemprego ao trabalhador que tiver o contrato suspenso ou o salário e a jornada reduzidos em razão da pandemia de Covid-19. Inicialmente, as regras valem por 120 dias contados da edição da MP (28 de abril) e poderão ser prorrogadas pelo Poder Executivo apenas para as gestantes.

Valor - O valor a receber dependerá de quanto for a redução. Se o acordo entre empregador e empregado for individual, sem participação do sindicato, a redução poderá ser somente de 25%, 50% ou 70%, tanto do salário quanto da jornada de trabalho.

Gestantes - A MP 1045/21 acrescenta também regras específicas para a concessão do benefício a gestantes, inclusive a empregada doméstica.

Informação - Quando a gestante entrar em licença-maternidade, o empregador deverá informar o fato ao Ministério da Economia, suspender as regras do programa de redução ou suspensão salarial e de jornada e pagar o salário com base no que ela recebia antes de entrar no programa. As regras preveem o pagamento pelo empregador e o desconto do valor do INSS a recolher dos demais empregados da folha de pagamento.

Guarda judicial - Isso se aplica ainda ao segurado ou à segurada da Previdência Social que adotar ou obtiver guarda judicial para fins de adoção, observados os prazos de recebimento conforme a idade.

Garantia provisória - No caso da gestante, a garantia provisória contra demissão contará depois daquela prevista na Constituição, que é do momento da confirmação da gravidez e até cinco meses após o parto.

Justiça gratuita - Um dos temas incluídos na MP por Christino Aureo é a limitação do acesso à Justiça gratuita apenas para aqueles que tenham renda familiar mensal per capita de até meio salário mínimo ou renda familiar mensal de até três salários mínimos.

Prova - Se o texto virar lei, a declaração da pessoa não bastará, devendo o interessado provar essa condição por meio de comprovante de habilitação no CadÚnico do governo federal para programas sociais.

Pagamento - Caso ele perca a causa, deverá pagar os honorários do advogado da parte vencedora se tiver obtido créditos suficientes ao vencer outra causa dentro de cinco anos.

Enquadramento - Nesse mesmo prazo, a parte vencedora poderá demonstrar que a pessoa deixou de se enquadrar como beneficiário da Justiça gratuita e executar a dívida dos honorários de seu advogado. Depois dos cinco anos, a dívida será considerada extinta.

Mineiros - Sobre a jornada dos mineiros, Aureo propõe que ela possa ser de até 180 horas mensais. A Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) prevê carga de 36 horas semanais, que dariam 144 horas mensais.

Jornadas - Além disso, o texto permite ao empregador impor jornadas de até 12 horas por dia, contanto que a média continue em 36 horas semanais.

Repouso - Quanto ao intervalo de repouso, atualmente de 15 minutos obrigatórios a cada período de três horas consecutivas de trabalho, passa a poder ser negociado com a regra da reforma trabalhista segundo a qual o acordo coletivo prevalece sobre a lei.

Primeiro emprego - O texto-base do relator também cria o Programa Primeira Oportunidade e Reinserção no Emprego (Priore), direcionado a jovens entre 18 e 29 anos, no caso de primeiro emprego com registro em carteira, e a pessoas com mais de 55 anos sem vínculo formal há mais de 12 meses.

Remuneração máxima - Esse programa é semelhante ao Carteira Verde e Amarela, proposto com a MP 905/20, que perdeu a vigência sem ser votada. A remuneração máxima será de até dois salários mínimos, e o empregador poderá compensar com o repasse devido ao Sistema S até o valor correspondente a 11 horas de trabalho semanais por trabalhador com base no valor horário do salário mínimo.

Desconto - No total, a empresa poderá descontar até 15% das contribuições devidas ao sistema de aprendizagem (Sesi, Senai, Senac e outros). Esse percentual vale para o bônus desse programa e também do programa de requalificação (Requip).

Recursos - Segundo o texto, o governo poderá usar recursos do orçamento, do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) e do Fundo de Combate e Erradicação da Pobreza para restituir os valores ao Sistema S.

Requip - Christino Aureo propõe ainda um regime especial de trabalho, qualificação e inclusão produtiva, chamado de Requip.

Público - Destinado a quem está sem registro em carteira de trabalho há mais de dois anos, a jovens de 18 a 29 anos e beneficiários do Bolsa Família com renda mensal familiar de até dois salários mínimos, o programa prevê o pagamento de bônus pelo trabalho em jornadas semanais de até 22 horas (BIP) e de uma bolsa por participação em cursos de qualificação de 180 horas ao ano (BIQ).

Bônus - Da mesma forma que no Priore, o Bônus de Inclusão Produtiva (BIP) poderá ser compensado pelo empregador com os valores devidos ao Sistema S, limitado a 11 horas semanais com base no valor horário do salário mínimo (R$ 5,00). No mês, o BIP máximo a compensar seria de R$ 225,00 (44 horas vezes R$ 5,00 por hora).

Relação - Essa relação de trabalho/qualificação não será considerada para qualquer fim trabalhista, previdenciário ou fiscal, assim o beneficiário não contará com qualquer direito trabalhista porque o bônus e a bolsa são considerados indenização. Sobre esses valores não haverá descontos para o INSS ou de Imposto de Renda.

Possibilidade - Além de considerar a relação como não trabalhista, a MP permite ao ofertante da vaga de inclusão produtiva descontar o BIQ da base de cálculo do IRPJ e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) para as empresas tributadas pelo lucro real.

Vínculo - O Requip não proíbe, entretanto, que o trabalhador tenha um vínculo de emprego com outra empresa ou preste serviços como autônomo.

Municípios - Para funcionar por meio de convênios com os municípios, o texto do relator da MP cria o Programa Nacional de Prestação de Serviço Social Voluntário. Também sem qualquer vínculo trabalhista, o programa será destinado a jovens de 18 a 29 anos e a pessoas com mais de 50 anos, com duração de 18 meses em atividades de interesse público dos municípios.

Qualificação profissional - Da mesma forma que os outros programas, o selecionado deverá realizar curso de qualificação profissional. O monitoramento do programa será feito pelas cidades de forma informatizada.

Carga horária - Já a jornada de trabalho será de 48 horas mensais, limitada a 6 horas diárias por pessoa em cada pessoa jurídica de direito público ofertante. Esse trabalho deverá ser feito em, no máximo, três dias da semana, sendo permitida a prorrogação da jornada e a instituição de regime de compensação pelo município, nos termos de regulamento. (Agência Câmara de Notícias)

FOTO: Cleia Viana / Câmara dos Deputados

 

SAÚDE I: Registrados 34,8 mil casos e 1,2 mil mortes em 24 horas

Nas últimas 24 horas, as autoridades de saúde registraram 34.885 novos casos de covid-19 e 1.211 mortes em decorrência da doença. As informações estão no balanço diário do Ministério da Saúde, divulgado nesta terça-feira (10/08).

Mortes - Com os novos dados, o número de mortes pela covid-19 chegou a 564.773. O acréscimo dos novos casos registrados elevou a quantidade de pessoas infectadas desde o início da pandemia a 20.212.642. Há 625.145 casos em acompanhamento. O nome é dado para pessoas cuja condição de saúde é observada por equipes de saúde e que ainda podem evoluir para diferentes quadros, inclusive graves.

Recuperados - O número de pessoas que se recuperaram da covid-19 chegou a 19.022.724.

Dados - Os dados em geral são menores aos domingos e segundas-feiras em razão da dificuldade de alimentação do sistema pelas secretarias estaduais. Às terças-feiras os resultados tendem a ser maiores pela regularização dos registros acumulados durante o fim-de-semana.

Estados - No topo do ranking de mortes por unidade da Federação estão São Paulo (141.277), Rio de Janeiro (60.136), Minas Gerais (51.362), Paraná (36.047) e Rio Grande do Sul (33.631). Na parte de baixo da lista estão Acre (1.804), Roraima (1.901), Amapá (1.930), Tocantins (3.576) e Alagoas (5.914).

Casos - Em relação ao número de casos, São Paulo também lidera, com 4.129.720, seguido por Minas Gerais (2.003.011) e Paraná (1.404.904). As unidades da Federação com menor número de casos são Acre (87.423), Roraima (121.130) e Amapá (121.824).

Vacinação - Até esta terça-feira (10/08), foram aplicadas 154,9 milhões de doses de vacinas contra a covid-19, sendo 108,5 milhões receberam a primeira dose de imunizante e 46,4 milhões a segunda dose ou a dose única. Segundo boletim do Ministério da Saúde, foram distribuídas para as unidades da Federação 184,8 milhões de doses de vacinas. (Agência Brasil)

 

whatsapp image 2021-08-10 at 19.43.58

SAÚDE II: Sesa confirma mais 1.524 casos de Covid-19 e 115 óbitos

saude II 11 08 2021A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta terça-feira (10/08) mais 1.524 casos e 115 mortes pela Covid-19 no Paraná. Os números são referentes aos meses ou semanas anteriores e não representam a notificação das últimas 24 horas. Há ajustes no final do texto.

Soma - Os dados acumulados do monitoramento mostram que o Paraná soma 1.398.587 casos e 35.844 óbitos em decorrência do novo coronavírus.

Meses - Os casos confirmados divulgados nesta data são de agosto (1) e dezembro (1) de 2020 e de janeiro (1), fevereiro (3), março (2), abril (7), maio (46), junho (49), julho (58) e agosto (1.356) deste ano.

Internados - De acordo com o informe, 1.093 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estão internados. São 799 em leitos SUS (463 em UTI e 336 em leitos clínicos/enfermaria) e 294 em leitos da rede particular (137 em UTI e 157 em leitos clínicos/enfermaria).

Exames - Há outros 1.534 pacientes internados, 746 em leitos UTI e 788 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Óbitos - A Secretaria da Saúde informa a morte de mais 115 pacientes. São 44 mulheres e 71 homens, com idades que variam de 20 a 98 anos. Os óbitos ocorreram de 7 de julho de 2020 a 10 de agosto de 2021.

Municípios - Os pacientes que foram a óbito residiam em Curitiba (34), Lapa (7), São José dos Pinhais (5), Ponta Grossa (4), Maringá (4), Colombo (4), Castro (4), Campo Largo (4), Cambé (4), Londrina (3), Campo Magro (3), Siqueira Campos (2), Foz do Iguaçu (2), Campina Grande do Sul (2) e Assis Chateaubriand (2).

Uma morte - O boletim registra ainda a morte de uma pessoa que residia em cada um dos seguintes municípios: Verê, Toledo, Telêmaco Borba, São Miguel do Iguaçu, Sertanópolis, Sertaneja, Ramilândia, Piraquara, Pinhais, Paranavaí, Nova Santa Rosa, Mauá da Serra, Matelândia, Mandirituba, Jataizinho, Itaperuçu, Ibiporã, Guarapuava, Goioerê, Fênix, Figueira, Fazenda Rio Grande, Colorado, Cianorte, Cascavel, Bocaiúva do Sul, Balsa Nova, Araucária, Arapongas, Apucarana e Almirante Tamandaré.

Fora do Paraná - O monitoramento contabiliza 6.317 casos de não residentes no Estado – 203 pessoas foram a óbito.

Ajustes - Foram feitas correções de municípios, totalizando 36 alterações.

- 32 residentes alterados entre municípios do Paraná.

- 2 residentes do Paraná alterados para fora do Estado.

- 1 residente de fora do estado alterado para o Paraná.

Um caso confirmado (M,44) de Campo Largo foi corrigido para o município de Balsa Nova.

Um caso confirmado (M,42) de Campo Largo foi corrigido para o município de Manaus/AM.

Um caso confirmado (M,65) de Ibiporã foi corrigido para o município de Jataizinho.

Um caso confirmado (F,56) de Curitiba foi corrigido para o município de Campo Largo.

Um caso confirmado (F,62) de Piraí do Sul foi corrigido para o município de Castro.

Um caso confirmado (M,49) de São José dos Pinhais foi corrigido para o município de Curitiba.

Um caso confirmado (F,62) de Londrina foi corrigido para o município de Cambé.

Um caso confirmado (M,58) de Londrina foi corrigido para o município de Sertanópolis.

Um caso confirmado (F,82) de Imbaú foi corrigido para o município de Telêmaco Borba.

Um caso confirmado (M,32) de Araucária foi corrigido para o município de Campo Magro.

Um caso confirmado (M,58) de Curitiba foi corrigido para o município de Campo Largo.

Um caso confirmado (F,41) de Curiúva foi corrigido para o município de Figueira.

Um caso confirmado (F,20) de Pinhais foi corrigido para o município de São José dos Pinhais.

Um caso confirmado (M,58) de Matelândia foi corrigido para o município de Ramilândia.

Um caso confirmado (M,55) de Sarandi foi corrigido para o município de Maringá.

Um caso confirmado (M,85) de Contenda foi corrigido para o município de Araucária.

Um caso confirmado (F,36) de Marilândia do Sul foi corrigido para o município de Mauá da Serra.

Um caso confirmado (F,72) de Londrina foi corrigido para o município de Goioerê.

Um caso confirmado (F,81) de Araucária foi corrigido para o município de Campo Largo.

Um caso confirmado (F,58) de Curitiba foi corrigido para o município de Assis Chateaubriand.

Um caso confirmado (F,60) de Curitiba foi corrigido para o município de São José dos Pinhais.

Um caso confirmado (M,55) de Foz do Iguaçu foi corrigido para o município de São Miguel do Iguaçu.

Um caso confirmado (F,78) de Londrina foi corrigido para o município de Ibiporã.

Um caso confirmado (M,45) de Cianorte foi corrigido para o município de Maringá.

Um caso confirmado (M,42) de Londrina foi corrigido para o município de Cambé.

Um caso confirmado (F,57) de Toledo foi corrigido para o município de Assis Chateaubriand.

Um caso confirmado (M,76) de Maringá foi corrigido para o município de Curitiba.

Um caso confirmado (M,57) de Foz do Iguaçu foi corrigido para o município de IGNORADO/EXTERIOR/IG.

Um caso confirmado (F,33) de Nova Cantu foi corrigido para o município de Piraquara.

Um caso confirmado (M,63) de Guaraniaçu foi corrigido para o município de Foz do Iguaçu.

Um caso confirmado (F,56) de Guaratuba foi corrigido para o município de Pinhais.

Um caso confirmado (F,65) de Assis/SP foi corrigido para o município de Martinópolis/SP.

Um caso confirmado (M,37) de Almirante Tamandaré foi corrigido para o município de Itaperuçu.

Um caso confirmado (F,67) de Palmeira foi corrigido para o município de Campo Largo.

Um caso confirmado (M,46) de IGNORADO/EXTERIOR/IG foi corrigido para o município de Foz do Iguaçu.

Um caso confirmado (M,42) de Nova Londrina foi corrigido para o município de Paranavaí.

Confira o informe completo.

 


Versão para impressão


RODAPE