Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5120 | 26 de Julho de 2021

JUBILEU DE OURO: Terceira reportagem da série “50 anos da Ocepar” mostra diversidade do cooperativismo no PR

jubileu ouro 26 07 2021O programa RIC Rural, exibido pelas emissoras da Rede Independência de Comunicação (RIC) no Paraná, afiliada da Rede Record, exibiu, neste domingo (25/07), o terceiro episódio da série sobre dos 50 anos da Ocepar. Desta vez, a equipe liderada pelo jornalista e apresentador Sérgio Mendes mostrou o trabalho realizado por três cooperativas fundadas com apoio e orientação da Ocepar e que hoje são referências nas áreas em que atuam. Eles estiveram na Coopcana, em Paraíso do Norte, cujo trabalho é voltado à produção sucroalcooleira; na Cooperaliança, em Guarapuava, dedicada ao fornecimento de carnes bovinas nobres, e na Unicampo, em Maringá, que é do ramo Trabalho, Produção de Bens e Serviços. Mendes também entrevistou o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, que falou sobre a diversidade do cooperativismo paranaense e comentou a respeito do ramo de atuação de cada uma delas.

A série - Em oito episódios, o objetivo da série é mostrar o trabalho realizado pela Ocepar e a realidade do cooperativismo nas diferentes regiões do estado. Ela começou a ser veiculada no dia 24 de maio, com uma reportagem especial exibida por mês.

Clique aqui e confira na íntegra a reportagem

 

REUNIÃO INSTITUCIONAL: Unimed Oeste e Ocepar avaliam cenários e perspectivas para o 2º semestre de 2021

Representantes da Unimed Oeste do Paraná e do Sistema Ocepar realizaram, na tarde de sexta-feira (23/07), reunião institucional para discutir indicadores e cenários do cooperativismo do Paraná. O encontro, por meio de videoconferência, foi aberto pelo presidente da cooperativa, Maurício Garcia. As perspectivas e desafios às cooperativas do ramo saúde foram os temas principais da reunião. Também foram discutidos o planejamento estratégico e a previsão para o ano de 2021. Os dados econômicos e financeiros foram repassados pelos analistas de desenvolvimento cooperativo do Sistema Ocepar, Jessé Aquino Rodrigues e Rodrigo Gandara Donini. Também participaram da reunião a gerente do Sescoop/PR, Maria Emilia Pereira Lima, e o analista técnico especializado Rogério dos Santos Croscato.

A cooperativa - A Unimed Oeste do Paraná tem sede na cidade de Medianeira e área de ação (abrangência) nos municípios de Céu Azul, Diamante D’Oeste, Itaipulândia, Matelândia, Medianeira, Missal, Santa Helena, Santa Terezinha de Itaipu, São Miguel do Iguaçu, Serranópolis do Iguaçu, Ramilândia e Vera Cruz do Oeste. A cooperativa foi fundada em 1º de julho de 1983 com a participação de 26 médicos. O objetivo era oferecer alternativas que mitigassem os problemas do atendimento à saúde na região.

Pandemia - Em 2020, a Unimed Oeste do Paraná teve um faturamento de R$ 66 milhões, alta de 17,22% em comparação ao ano anterior. A cooperativa tem 145 cooperados e 105 funcionários, atendendo a 22.843 beneficiários. “No início de 2021 tivemos que gerir um quadro com elevação nas internações causadas pela covid-19, com muitos pacientes permanecendo longos períodos na UTI. Essa situação já está bem mais favorável. Se a vacinação prosseguir e os casos se mantiveram baixos, teremos um horizonte de estabilidade também para a cooperativa no segundo semestre”, afirmou o presidente Maurício Garcia.  

O ramo – No Paraná, o ramo saúde é formado por 37 cooperativas, das quais 21 fazem parte do Sistema Unimed. No total, as cooperativas do setor atendem a 2,2 milhões de beneficiários e contam com 15.927 cooperados e 6.752 funcionários. Em 2020, o ramo teve um faturamento de R$ 7 bilhões, alta de 6,65% em relação ao ano de 2019.

{vsig}2021/noticias/07/26/reuniao_institucional/{/vsig}

GETEC: Informe nº 35 apresenta expectativas de mercado sobre indicadores econômicos

getec destaque 26 07 2021A Gerência de Desenvolvimento Técnico da Ocepar (Getec) divulgou, nesta segunda-feira (26/07), mais uma edição do Informe Expectativas de Mercado, com base nas informações do Boletim Focus, do Banco Central (BC), levantadas com instituições financeiras sobre as projeções relativas à economia nacional, contemplando o Produto Interno Bruto (PIB), IPCA (Índice de Preços ao Consumidor), taxa Selic e câmbio para 2021, 2022 e 2023.

Clique aqui para conferir o Informe Expectativas de Mercado Semanal

 

EBPC: Encontro Brasileiro de Pesquisadores em Cooperativismo recebe inscrições do público em geral

ebc 26 07 2021Se você ainda não se inscreveu para participar da sexta edição do Encontro Brasileiro de Pesquisadores em Cooperativismo (EBPC) corre que ainda dá tempo. O evento começa no dia 2 e vai até o dia 6 de agosto. O tema deste ano é Ações coletivas e resiliência: inovações políticas, socioeconômicas e ambientais.

Sober - Ao se inscrever para o EBPC, você também participa da 59ª edição do Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural (Sober). Ambos ocorrem em sintonia e ao mesmo tempo, com o objetivo de aproximar os públicos dos dois eventos e fortalecer o debate sobre as produções científicas voltadas ao campo e a todos os ramos do cooperativismo brasileiro.

Inscreva-se - As inscrições estão abertas ao público e com descontos especiais para estudantes, agricultores familiares e associados de cooperativas. Basta se inscrever por aqui. (OCB)

 

COOPERATIVISMO: Projeto Apoio à Intercooperação está a todo vapor

cooperativismo 26 07 2021As cooperativas Aurora e Coopervil falaram um pouco sobre suas práticas de gestão, estratégias e planos a coops agro da região Nordeste. O encontro virtual faz parte do projeto do Ministério da Agricultura Apoio à Intercooperação, que conta com a parceria da OCB e que estimula a adoção de cooperativas com pouca experiência em gestão ou com baixa expertise em mercados, por coops que já dominam bem essas áreas. Vale dizer que quem também contribui é o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA).

Brasil Mais Cooperativo - O projeto faz parte do programa Brasil Mais Cooperativo, do governo federal, que tem entre seus objetivos o desenvolvimento do cooperativismo agropecuário brasileiro, sobretudo na região Nordeste.

Estratégica - Segundo o superintendente do Sistema OCB, Renato Nobile, a intenção do projeto é promover a intercooperação como estratégia para o fortalecimento dos negócios cooperativos, aprimorar as boas práticas de governança e fomentar o acesso a novos mercados. “O objetivo é intercambiar o conhecimento e a troca de experiência entre cooperativas com pouca experiência para aprimorar a gestão/acesso a mercados e cooperativas que possuam expertise nesses temas”, explica.

Selecionadas - No ano passado, quando o projeto foi iniciado, 24 cooperativas agropecuárias do Nordeste, denominadas parcerias, foram selecionadas por meio de edital. São elas:

UF   COOPERATIVA  

AL   Cooperativa Agropecuária de Produtores de Leite Familiar da Bacia Leiteira de Alagoas -COOPAZ

AL   Cooperativa de Produção Leiteira de Alagoas Ltda - CPLA

BA   Cooperativa Agropecuária Familiar de Canudos Uaua e Curaca - COOPERCUC

CE   Cooperativa Agrícola Mista de Morada Nova Ltda - COOPEMOVA

CE   Cooperativa Agroecológica da Agricultura Familiar do Caminho de Assis - COOPERFAM

CE   Cooperativa Agropecuária do Trairi Ltda - COOPERAI

CE Cooperativa Agropecuária dos Agricultores Familiares da Região Norte do Ceará - COOPENORT

CE Cooperativa Agropecuária dos Produtores Orgânicos da Ibipaba - COAPOI

CE Cooperativa da Agricultura Familiar de Ocara - COOAF

CE Cooperativa da Agricultura Familiar e Economia Solidária do Estado do Ceará -COOPAFESP

CE   Cooperativa de Produtores Agricultores e Empreendedores do Estado do Ceará Ltda - COOPDEST

CE   Cooperativa da Agricultura Familiar de Itapajé - COPITA

MA Cooperativa dos Agricultores Familiares e de Economia Solidária de Vila Nova dos Martírios - COAFES

PB Cooperativa Agroecológica Mista da Várzea Paraibana - COMASE

PB Cooperativa Agroindustrial de Piabuçu - FRUTIAÇU

PB Cooperativa de Ovinocultores da Paraíba - OVINOCOOP

PB Cooperativa Mista dos Produtores Rurais na Agricultura Familiar do Estado da Paraíba - COOPRAFE

PB Cooperativa Paraibana de Avicultura e Agricultura Familiar Ltda - COPAF

PE Cooperativa de Desenvolvimento da Agricultura Familiar do Estado de Pernambuco - COOPEAFA

PE Cooperativa de Produção e Comercialização da Agricultura Familiar Orgânica Agroecológica - COOPCAFA

PE Cooperativa dos Produtores de Agricultura Familiar - COOPAF

PE Cooperativa Mista Agropecuária dos Produtores Rurais de Mandioca da Chapada do Araripe - COOPERAMA

RN Cooperativa Agropecuária Cacho de Ouro - COOPERCACHO

RN Cooperativa Mista dos Agricultores Familiares do Seridó - COAFS

Autoavaliações - Após a seleção, as cooperativas parceiras realizaram autoavaliações online de mercado e gestão. Para o diagnóstico de gestão foi utilizado o sistema do Programa de Desenvolvimento da Gestão das Cooperativas (PDGC), desenvolvido pelo Sescoop. Já na autoavaliação de mercado foi aplicado o diagnóstico de Cenário Mercadológico desenvolvido pela OCB.

Coops colaboradoras - Para contribuir com o desenvolvimento das 24 selecionadas, OCB, MAPA e IICA convidaram nove cooperativas colaboradoras da região Sul para serem as mentoras, já que possuem expertise em gestão e/ou acesso a diferentes mercados. São elas:

Paraná: Copacol, Cocamar, Cooperante

Santa Catarina: Aurora, Coopervil, Cooperja

Rio Grande do Sul: Garibaldi, Dália, Santa Clara

Na prática - Foram criados dois grupos de 12 cooperativas parceiras e 4 cooperativas colaboradoras. Para otimizar as mentorias, os temas identificados nos diagnósticos de gestão e mercado foram utilizados como direcionamento das mentorias. Entre os temas, estão assuntos como a realização de estratégias promocionais do produto, estudo de demanda de mercado, práticas de gestão com foco em estratégias e planos e, ainda, design e inovação de produtos.

Reuniões de mentoria - As reuniões de mentorias acontecem quinzenalmente por meio de uma plataforma digital, sempre às sextas-feiras. Mensalmente, também ocorrem encontros de networking entre as coops parceiras e colaboradoras. O calendário do projeto tem previsão de atividades até dezembro deste ano.

Temas - Os dois grupos de cooperativas já tiveram as duas primeiras mentorias para debater os seguintes temas: estratégia promocional e boas práticas na gestão.

Avaliação - O diretor do Departamento de Cooperativismo e Acesso aos Mercados, no Mapa, Márcio Madalena, avalia que o projeto, mesmo ainda no início, já apresenta sinais de bons resultados para as coops participantes.

Foco - Segundo ele, desde o início, quando o Mapa e a OCB iniciaram as discussões para a elaboração da iniciativa, o foco sempre foi muito claro: aproximar as coops das mais diferentes regiões do país, para que pudessem a partir da intercooperação, encontrar soluções para melhorar seus processos internos, sua gestão e o acesso a mercados nacional e internacional.

Processo - “Nesse piloto, que envolve as coops do Sul e do Nordeste, já estamos observando esse processo de intercooperação acontecer. As cooperativas são muito empáticas, pois ambos os grupos têm muitas coisas em comum. Certamente, todos os participantes terão um excelente resultado no final do projeto”, avalia o diretor. (OCB)

 

COOPAVEL: Cooperativa desenvolve ração inovadora a animais ordenhados com uso de robôs

coopavel 26 07 2021A inovação está cada vez mais presente no cotidiano das atividades agropecuárias. Um dos desafios é desenvolver tecnologias que facilitem a execução das mais diferentes tarefas e oferecer soluções que possam, a partir dessas mudanças estruturais, garantir melhores resultados ao agricultor e ao pecuarista. Atenta a esse novo momento, a Coopavel, por meio dos setores de Pecuária e de Rações, acaba de desenvolver e lançar uma nova opção de alimentação animal.

Ordenha por robô - A ração que chega ao mercado foi formulada especificamente para atender às necessidades de nutrição de animais que são ordenhados por robôs. Nas duas mais recentes edições presenciais do Show Rural Coopavel, a DeLaval, empresa europeia líder nesse tipo de tecnologia, apresentou o robô-ordenha e suas vantagens - a Lely é outra empresa que fabrica e comercializa robôs no Brasil. Desde então, cresce o número de pecuaristas que investem nesse equipamento. “O robô surge como alternativa também à falta de mão de obra especializada, que caiu muito nos últimos anos”, acentua o médico veterinário Jefferson Gazzi, do Departamento de Compras de Insumos Veterinários.

Formulação inovadora - Ao perceber a nova dinâmica criada na ordenha dos plantéis com a ajuda da máquina – cada robô tem capacidade para ordenhar até 70 vacas -, a equipe técnica de rações da Coopavel, também com base na sua pesquisa, experiência e no depoimento de pecuaristas, desenvolveu uma formulação inovadora a partir de estudos iniciados em 2020. “Ela é própria para animais ordenhados por robôs, por isso leva o nome de Robotic Milk”, informa Jefferson.

Características - As características dessa nova ração estão associadas a aditivos, nível de energia ajustado, aroma e qualidade de pellet – deixando com maior dureza sem prejudicar o consumo pelos animais. Mesmo utilizada há apenas dois meses por pecuaristas de cidades da região, os resultados alcançados são muito bons, principalmente em resposta de produtividade, qualidade do leite, entre outros.

Exclusiva - Somente a Coopavel tem essa formulação, o que demonstra o interesse da cooperativa em avançar sempre para levar a melhor resposta e solução aos seus cooperados, destaca o presidente Dilvo Grolli. Pecuaristas de Cascavel, Nova Laranjeiras e Três Barras do Paraná, só para citar alguns que já investem na novidade, estão animados com os resultados e a cada dia é maior o número daqueles que buscam informações sobre as características e as vantagens da Robotic Milk. (Imprensa Coopavel)

 

LAR: Michel Teló é o novo embaixador da marca Lar

A Lar acaba de anunciar o cantor Michel Teló como novo embaixador de sua marca, sacramentando uma parceria que já havia sido iniciada com shows do cantor em datas comemorativas da cooperativa.

Escolha - A escolha do cantor foi certeira: além de conterrâneos, a imagem de Teló reforça valores da marca também associados a ele, tais como trabalho, dedicação, cuidado com a família, humildade e ética, além de amplificar o poder da mensagem e do branding da Lar. As campanhas publicitárias, que terão diversos materiais produzidos para os segmentos institucional, agro, foods e varejo, foram criadas pela agência Caio Publicidade.

Visita - Na terça-feira passada (20/07), Michel esteve em Medianeira (PR) e, entre as gravações, conheceu as instalações do moderno Centro Administrativo da Lar, guiado pelo diretor-presidente da cooperativa, Irineo da Costa Rodrigues. “Michel Teló é do Sul, é da nossa terra, nos conhece muito e irá somar na divulgação da marca Lar, que já faz a diferença na vida de milhares de pessoas”, afirmou o dirigente da Lar ao destacar o trabalho dos 12 mil associados da cooperativa e 22 mil funcionários, que já resulta em um abate de 920 mil aves/dia e coloca a cooperativa entre as maiores empresas do setor.

Momento positivo - A apresentação de Michel como embaixador reforça o momento positivo da Lar, que com crescimento e faturamento recordes em 2020, mira no fortalecimento de sua marca e na expansão de seus produtos no mercado interno brasileiro. “Estou muito feliz com essa parceria, poder divulgar produtos de qualidade e contribuir para que a Lar cresça cada vez mais”, afirmou Michel Teló durante momento com diretores e superintendentes da Lar. (Imprensa Lar)

{vsig}2021/noticias/07/26/lar/{/vsig}

MARIA MACIA: Campo Mourão e região agora contam com Boutique de Carnes Maria Macia

A Cooperativa Maria Macia abriu uma boutique de carnes em Campo Mourão, na região Centro-Oeste do Paraná. Trata-se de um espaço dedicado aos apaixonados por churrasco. Lá, é possível encontrar temperos, molhos, carvão, facas, tabuas e utensílios em geral, além de cortes nobres produzidos pela cooperativa. “Com as carnes da Maria Macia, seu churrasco sempre ganha em qualidade e momentos inesquecíveis. A nova boutique é um marco para a Maria Macia e para Campo mourão”, afirma o presidente da cooperativa, Luiz Carlos Braga.

Localização - A boutique de carnes está situada na Rua Maria Olímpia Jardim, número 776 (saída para Maringá). (Com informações da Cooperativa Maria Macia)

{vsig}2021/noticias/07/26/maria_macia/{/vsig}

ALEGRA: Tradição familiar é pilar do desenvolvimento da produção de suínos

alegra 26 07 2021Os caminhos que levaram a médica veterinária Deborah de Geus a se apaixonar pela suinocultura foram traçados antes mesmo dela nascer. Descendente de imigrantes holandeses que chegaram ao Brasil no período pós-segunda guerra, a paranaense de 38 anos soube desde pequena qual seria sua “estrada profissional”.

Incentivador - Seu avô, pioneiro na produção de suínos, foi o grande incentivador desse tipo de ofício, no início da década de 1970. “Quando meus pais se casaram, em 1972, meu avô, sogro de meu pai, o presenteou com uma ‘porquinha’, e esse foi o começo de tudo. Já em 1977, meus pais construíram sua primeira maternidade, na época, para alojar dez matrizes, e essa paixão seguiu comigo desde então”, relembra Deborah.

Aprimoramento - Dedicada, ela buscou se aprimorar e, ao atingir a idade adulta, se formou em Medicina Veterinária pela Fundação Luiz Meneghel, em Bandeirantes (PR). “Sempre tive como objetivo trabalhar na suinocultura, então busquei me especializar. Após a faculdade, trabalhei em uma agroindústria em São Paulo e também em uma consultoria, com a qual obtive diversos aprendizados. Anos depois, retornei e comecei a administrar a empresa familiar, função que exerci nos últimos dez anos”, conta a cooperada da Frísia, na Região dos Campos Gerais, no Paraná.

Cargo - Seu empenho ao ofício familiar, que também a credenciou para o cargo de presidente da Comissão Técnica da Faep (Federação da Agricultura do Estado do Paraná), mostra que o exemplo de Deborah não é um caso isolado, mas uma prova de que o setor tem se beneficiado dos aprendizados do cooperativismo e da herança cultural dos antepassados.

União faz a diferença - Outras duas cooperativas paranaenses, a Castrolanda e a Capal, também possuem bons exemplos de hereditariedade na indústria da suinocultura. Junto da Frísia, as três cooperativas com origem holandesa compõem a Alegra, indústria de alimentos focada em produtos de proteína animal, preocupada com o bem-estar dos suínos e com a sustentabilidade de suas operações.

Interesse do pai - O cooperado da Castrolanda, Cornélio Borg, por exemplo, foi ao encontro dos interesses do pai, que sempre teve como foco principal a agricultura. Formado em agronomia, Cornélio buscou otimizar a granja de suínos da família ao triplicar a produção. Atualmente, os Borg contam com 1.100 matrizes por mês. “Essa é uma atividade que sempre gostei e procurei me especializar nela. Meu pai criou a granja há uns vinte e cinco anos, mas nunca foi sua atividade mais forte, então, fiz um estágio na Castrolanda, focado em suínos, e hoje administro esse ‘braço’ do negócio da família”, explica Cornélio.

Futuro - Pai de uma menina de apenas um ano de idade, ele já pensa no futuro e em uma possível “herança” para a filha. “Essa será uma decisão dela, é claro, mas espero que ela tenha a paixão que herdei do meu pai. Tenho certeza que irá gostar, pois é algo de família, mas não cabe a mim decidir se ela vai seguir os passos do pai e do avô”, brinca o suinocultor.

Suinocultor - Henry Martinnus Kool, cooperado da Capal, também é produtor de suínos. Com uma granja que tem capacidade para 6 mil animais por ciclo, ele tem três filhos, duas meninas e um menino, que, segundo conta, já o acompanham e gostam de lidar com os animais. “Esse foi um trabalho que começou com o meu pai e que, desde pequeno, eu também aprendi a amar. Atualmente, temos duas granjas e meus filhos me seguem de um lado para outro. Só o futuro poderá dizer o que eles farão quando adultos, mas torço para que a suinocultura continue como um negócio importante para a família”, finaliza Henry.

Sobre a Alegra - A indústria de alimentos Alegra é a união das cooperativas de origem holandesa, Frísia, Castrolanda e Capal, que constituem o grupo Unium. Uma empresa que combina condições de trabalho ideais aliando tecnologia, equipamentos de última geração, preocupação com o bem-estar dos animais e sustentabilidade em seu parque industrial, sempre primando pela excelência em seu produto final, que utiliza as melhores carnes suínas. Em 2017, a marca conquistou o reconhecimento internacional quanto às Práticas de Bem- estar Animal no abate, tornando-se a primeira planta brasileira a receber essa certificação em bem-estar suíno, pela WQS. Mais informações em www.alegrafoods.com.br. (Imprensa Alegra)

 

COCAMAR: Evento celebra o Dia do Motorista

cocamar 26 07 2021Na sexta-feira (23/07), das 8 às 16h, a Transcocamar e o Posto Cocamar anteciparam em Maringá (PR) a realização do evento comemorativo ao Dia do Motorista, celebrado todos os anos no dia 25 de julho.

Atividade - Em parceria com o Serviço Social do Transporte/Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte(Sest/Senat), um espaço foi organizado no pátio da Transcocamar – situada na PR-317, saída para Campo Mourão. Ao longo do dia, cerca de 150 profissionais passaram por ali, onde se submeteram a exame de glicemia, receberam materiais de higiene, orientações sobre saúde e tiveram acesso ao Cartão Saúde do Caminhoneiro, distribuído pelo governo federal.

Essenciais - “A exemplo do que fazemos todos os anos, o evento é uma forma de reconhecer o trabalho e a importância dos motoristas, que são essenciais para o país”, comentou o gerente executivo de Logística Integrada da Cocamar, Ezequiel Scopel.

Parceria - "O nosso posto é um dos mais movimentados da região e buscamos através de ações como essa, valorizar a parceria com nossos clientes, em sua maioria motoristas", afirma o gerente comercial de Combustíveis da Cocamar, Cleverton Ruffo.

Glicemia - Ao lado da psicóloga Jaqueline Julião, o coordenador de promoção social do Sest/Senat, Rodrigo Braga, informou que de todos os exames de glicemia realizados, cerca de 10% apresentaram alterações. “Por isso eventos como este são muito importantes, os motoristas têm a oportunidade de conferir como está sua saúde e buscar tratamento.”  

Dificuldade - Jaqueline comentou que cuidar da saúde é uma dificuldade para uma parcela dos profissionais de transporte no país, os quais passam vários dias nas estradas.

Saúde boa - Aos 66 anos, o autônomo Aparecido Jesus Malta, de Maringá, um dos que foram atendidos, disse que já passou metade da vida na profissão, rodando principalmente pelos estados do Paraná e São Paulo. “Felizmente a saúde está boa”, comentou, lembrando que sempre procura participar de eventos assim.

Atento - Outro que disse não descuidar da saúde é Antonio Oliveira, 55 anos, também de Maringá. Há 25 anos como motorista, ele afirmou estar sempre atento a qualquer sintoma e, com o apoio da família, vai atrás de tratamento.

Pelo Sul - Mesmo caso de Cláudio Nix, de Caxias de Sul (RS), que passava pelo Posto e foi convidado a participar. O índice de glicemia também estava em ordem. Aos 47 anos, ele percorre toda a região Sul do país.

Atender - A Transcocamar possui 80 motoristas em sua frota. Além de realizar ações voltadas aos condutores internos, em parceria com o Posto Cocamar e o Sest Senat, promove ações para atender profissionais que prestam serviços ao longo do ano, e não apenas quando por ocasião do Dia do Motorista, sempre com grande número de participações. (Imprensa Cocamar)

 

SICREDI PARANAPANEMA: Projetos voluntários de associados da cooperativa conquistam premiação internacional

Os associados Rafael Lopes e Guilherme de Melo da Sicredi Paranapanema PR/SP receberam, na terça-feira (20/07), o reconhecimento internacional no WYCUP – World Council Young Credit Union People. A premiação, concedida durante a Conferência do Woccu (Conselho Mundial das Cooperativas de Crédito, na tradução da sigla em inglês), tem o objetivo de incentivar a formação de jovens lideranças por meio de projetos que ajudem a gerar impacto positivo tanto para o cooperativismo de crédito quanto para a sociedade.

Iniciativa - Com a iniciativa “Vamos Ajudar quem Mais Precisa”, Rafael Lopes de Oliveira de Bandeirantes/PR incentivou todo município a ajudar as famílias que sofreram danos com as fortes chuvas que assolaram a região. “As famílias estavam desamparadas e aquilo me incomodou. Através do Sicredi, fechamos parcerias com mais entidades no município para ajudar a todos neste momento de dificuldade, pois isso é o Cooperativismo, colaborar com o próximo!” descreveu Rafael.

“Sabão ecológico” - Já em Cândido Mota/SP, o associado Guilherme Melo, promoveu junto ao Centro Vocacional Frei Paulino, instituição parceira do Sicredi, a iniciativa “Sabão ecológico” para transformar óleo usado e sabão novo que ajudou diversas famílias em vulnerabilidade social no município e na região na prevenção à Covid-19. “Além de evitar a poluição ambiental, já que o óleo poderia ser descartado de forma inadequada, a produção do sabão também proporcionou as famílias uma renda alternativa impactando mais de 300 famílias diretamente na prevenção contra a Covid-19, o que com certeza preservou o bem mais importante, que é a vida!” ressaltou Guilherme.

Reflexo - Para o presidente da Sicredi Paranapanema PR/SP, Claudio Marcos Orsini, o reconhecimento reflete as ações desenvolvidas regionalmente e que estão totalmente conectadas com os princípios do cooperativismo. “É motivo de orgulho para nós contribuirmos com a formação e atuação de jovens líderes nas comunidades. Eles, cheios de energia desenvolvem ações que impactam diretamente a sociedade. Essa é a nossa missão: oferecer soluções além do financeiro para agregar renda e contribuir com a qualidade de vida das pessoas”, afirma Orsini.

Projetos inscritos - Ao todo, a premiação recebeu 79 projetos inscritos de 13 países. Dos 12 projetos premiados, cinco foram desenvolvidos por colaboradores e associados do Sicredi. Durante o evento on-line, o diretor da WYCUP, Thomas Belekevich, destacou a participação brasileira na premiação e o trabalho realizado pelo Sicredi ao longo dos anos para desenvolvimento profissional das novas gerações e engajamento no cooperativismo de crédito. “Sem dúvida alguma, o Sicredi é um dos líderes nessa área no mundo inteiro. É um prazer muito grande, por meio do WYCUP, continuar compartilhando as histórias de empoderamentos dos jovens”.

Conheça - Conheça os projetos do Sicredi reconhecidos no WYCUP 2021

Campanha de Arrecadação, criada pelo coordenador de núcleo e líder do Comitê Jovem da Sicredi Paranapanema PR/SP, Rafael Lopes de Oliveira, beneficiou famílias atingidas por fortes chuvas em Bandeirantes, no interior do Paraná.

Cartilha da Mulher, desenvolvida pela associada da Sicredi Alta Noroeste, Kelly Lima, tem como foco o apoio a mulheres em duas circunstâncias distintas: tratamento de câncer e situações de violência, com a defesa dos direitos da mulher.

Cooperativismo na mídia social, criado pela colaboradora da Sicredi Rio Paraná, PR/SP, Carolina Mussolini Celestino de Oliveira, divulga conteúdos sobre cooperativismo nas redes sociais.

Energia da União, apresentado pela colaboradora da Sicredi União PR/SP, Ana Goffredo, envolve investimento em energia renovável, taxas de juros mais acessíveis e repasses para o Programa A União Faz a Vida, principal iniciativa de responsabilidade social do Sicredi.

Sabão Ecológico é do coordenador de núcleo e líder do Comitê Jovem da Sicredi Paranapanema PR/SP, Guilherme Melo, que coletou óleo usado para a transformação em sabão impactando positivamente mais de 300 famílias e o meio ambiente.

Sobre Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 24 estados* e no Distrito Federal, com mais de 2.000 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi Paranapanema PR/SP)

*Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

{vsig}2021/noticias/07/26/sicredi_paranapanema/{/vsig}

UNIPRIME: Colaboradores certificados serão bonificados

uniprime 26 07 2021Atenta aos profissionais que investem em capacitação técnica para exercer suas atividades, a Uniprime lançou um programa de reconhecimento para os colaboradores da Área Comercial que desejam conquistar as certificações CEA (Certificação Especialistas em Investimento) e CFP (Certified Financial Planner).

Bonificação anual - “Para o colaborador que conquistar o certificado, vamos oferecer uma bonificação anual em dinheiro", conta Paulo Thomson de Lacerda, gerente de RH e Projetos da Uniprime.

Desafiadores - Os exames de ambas certificações são bastante desafiadores. Atualmente, o Brasil tem cerca de 10 mil pessoas certificadas com estes selos, considerados como um validador da alta competência do planejador financeiro.

Educação - “A Uniprime reconhece o papel da educação como ferramenta transformadora no ambiente do trabalho. O programa é uma oportunidade de incentivo para que eles invistam em sua carreira profissional”, conclui o gerente. (Imprensa Uniprime)

 

IPEA: Exportações do agronegócio cresceram 20,9% no primeiro semestre de 2021

ipea 26 07 2021O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgou, na sexta-feira (23/07), um estudo sobre o comércio exterior do agronegócio brasileiro, além do balanço de oferta e demanda mundial dos principais produtos. De acordo com o Grupo de Conjuntura do Ipea, a balança comercial dos produtos do setor fechou o mês de junho de 2021 com saldo positivo de US$ 10,8 bilhões. No acumulado do ano, até junho, o agronegócio exportou US$ 61,5 bilhões, ultrapassando o volume comercializado no mesmo período do ano passado – US$ 50,9 bilhões, o que corresponde a um crescimento de 20,9%.

Recuperação parcial - “Os exportadores brasileiros começaram a sentir, em junho, a recuperação parcial dos preços médios das exportações da maior parte dos produtos do agronegócio, com destaque para a carne bovina, a soja e o milho”, avaliou Ana Cecília Kreter, pesquisadora associada do Ipea e uma das autoras do estudo. No entanto, o preço médio recebido em junho das commodities analisadas ainda se encontra abaixo das máximas históricas, registradas no início da década passada.

Queda - Os preços médios de quase todas as commodities agrícolas sofreram queda nos dois últimos anos. Entretanto, houve forte recuperação nos preços no mercado internacional, a partir do segundo semestre de 2020. No entanto, esta recuperação não tinha sido percebida pelos exportadores brasileiros. A partir do segundo trimestre deste ano, as remunerações em dólar das exportações brasileiras começaram a refletir parte da escalada desta alta dos preços, culminando, em junho, com máximas recentes na maioria dos principais produtos exportados.

Soja e milho - O aumento da demanda mundial da soja e do milho vem contribuindo para o crescimento da produção a cada safra, principalmente no Brasil. O que se observa, no entanto, é que os estoques de soja e milho estão cada vez mais baixos. “E boa parte desses estoques se encontra em território chinês”, declara Ana Kreter. Apesar disso, dos dois grãos analisados, a soja é o único na China que os estoques e a produção não atendem à demanda doméstica, o que sinaliza uma boa perspectiva para o produtor rural brasileiro que começa a planejar a safra 2021/2022. O crescimento de vendas das carnes (bovina, suína e de frango), que avançou 25,3% em valor e 17,3% na quantidade no primeiro semestre de 2021 frente a 2020, foi impulsionado pela carne suína. O Brasil vem exportando cada vez mais essa proteína desde 2018, em decorrência da Peste Suína Africana (PSA), que afetou a competitividade em produtores concorrentes.

Destaque - A soja segue com destaque como o principal produto de exportação brasileira. Só no primeiro semestre de 2021, houve alta de 25,3% no valor, apesar da queda de 2,2% em quantidade. No país, apesar do plantio tardio decorrente do atraso na janela climática ideal, a maior parte da safra já foi colhida. Mesmo assim, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) indicam para a possibilidade de um novo recorde de produção nacional na safra 2020/2021 – crescimento de 9,65% e 8,9%, respectivamente – que deverá manter o Brasil como maior produtor e exportador mundial de soja. Brasil, Estados Unidos e Argentina representam, juntos, 90,5% das exportações mundiais do grão.

Estoques - O milho também vem sofrendo com a queda nos estoques. A quebra de safra no Brasil já começa a se refletir na balança comercial: o país registrou, em junho, queda de 70,8% na quantidade exportada na comparação com junho de 2020. No acumulado do ano, houve crescimento no valor (30,9%) e na quantidade (12,6%). Tanto a Conab quando o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) preveem queda das exportações para a safra 2020/2021 – 15,5% e 6,3%, respectivamente. Problemas climáticos causaram a quebra na safra tanto no Brasil como na Argentina (os principais exportadores do grão), mas isso não deve comprometer a oferta mundial.

Importações - Apesar do agronegócio ser um setor tradicionalmente exportador, as importações avançaram 20,2% no primeiro semestre de 2021, passando de US$ 6,2 bilhões para US$ 7,5 bilhões. O principal produto importado pelo Brasil foi o trigo, com avanço de 16% no valor, mas queda de 5,1% na quantidade. Na sequência estão os peixes, produtos hortícolas, papel e óleos de dendê ou palma. Juntos, os cinco principais itens são responsáveis por 50% das importações brasileiras no primeiro semestre de 2021.

China - A China segue como o principal destino das exportações do agronegócio brasileiro, com 39% das exportações em valor, seguida pela União Europeia (14,5%) e Estados Unidos (6,4%), no primeiro semestre deste ano. Juntos, representam quase 60% do total exportado pelo Brasil. Na comparação com o mesmo período de 2020, a China aumentou as importações em 20,1%, assim como a União Europeia (16,5%) e os Estados Unidos (30,2%). (Assessoria de Imprensa do Ipea)

FOTO: Rodrigo Leal / Appa

Acesse a íntegra do estudo

 

VBP: Valor Bruto da Produção Agropecuária cresce 21% em 2020 e alcança R$ 128,3 bilhões no PR

vbp 26 07 2021O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) do Paraná em 2020 ultrapassou R$ 128,3 bilhões, de acordo com relatório preliminar na sexta-feira (23/07) no Diário Oficial do Estado e que ficará disponível no site da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento. Os números levantados pelo Departamento de Economia Rural (Deral) representam um crescimento real de 21% em relação ao valor de 2019. Em termos nominais, o acréscimo é de 31%.

Razoável - “Em que pese a pandemia e as condições climáticas não tão favoráveis, a produção agropecuária paranaense foi bastante razoável e os preços acompanharam boa parte da evolução das principais commodities do mundo, o que trouxe renda para os agricultores e esse crescimento expressivo”, disse o secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara.

Itens - O VBP contempla aproximadamente 350 itens. Os dados são levantados ao longo do ano com pesquisas semanais de preços e das condições de lavoura, culminando com esse levantamento mais específico de itens diversificados da fruticultura, floricultura, silvicultura e uma ampla gama de produtos animais e vegetais que refletem o setor rural do Estado.

Municípios - Além de traçar o panorama da produção agropecuária e do valor que isso representa para o Estado, o levantamento tem importância fundamental para os municípios. “Esse índice é utilizado para compor o Fundo de Participação dos Municípios”, ressaltou a responsável pela elaboração do relatório, Larissa Nahirny. “O índice representa 8% da cota-parte dos municípios”.

Análise - Segundo ela, a partir da publicação das informações preliminares no Diário Oficial, os dirigentes municipais são convidados a analisar e, caso desejem, podem entrar com recurso fundamentado para impugnar ou questionar algum dado relacionado ao desempenho agropecuário. O prazo é de 30 dias a contar da publicidade oficial. Após isso, o Deral divulga o resultado final do VBP de 2020.

Referências - O chefe do Departamento de Economia Rural, Salatiel Turra, afirmou que o VBP mostra, de forma destacada, os produtos que são referências nos municípios paranaenses. “O Estado atingiu a maior marca da história em termos de VBP”, comemorou. O número total foi de R$ 128.350.088.292,14 contra R$ 98.083.037.807,07 em 2019. “Esse número é importante e traz uma representação das potencialidades e diversidades que o Estado tem”, completou Turra.

Trigo- Preliminarmente, o que se observou é que os grãos e as grandes culturas do Estado encabeçaram o crescimento, com variação real de 31%, passando de R$ 38,5 bilhões em 2019 para R$ 54,3 bilhões no ano passado. Nesse segmento, o trigo teve o melhor resultado, com aumento de 87% no VBP, alcançando R$ 3,5 bilhões.

Pecuário - No setor pecuário, a alta real de 21% também foi expressiva, saltando de R$ 48,7 bilhões para R$ 63,7 bilhões. O valor de bezerros apresentou maior crescimento porcentual, com 49% de elevação, firmando-se em R$ 1,5 bilhão. Suínos e bovinos de corte tiveram, ambos, aumento de 29%, enquanto o faturamento do frango de corte subiu 17% em 2020 comparado com 2019.

Frutas - As frutas também apresentaram índice positivo no Valor Bruto de Produção, com 10% de crescimento real. Nesse segmento, destaque para as tangerinas, que atingiram o índice de 99%, passando de R$ 122,8 milhões para R$ 263,8 milhões. O morango evoluiu 17% e rendeu R$ 259,8 milhões.

Erva-mate - As hortaliças, cuja produção foi castigada pela estiagem, não tiveram o mesmo desempenho. A redução real ficou em 22%, com o VBP caindo de R$ 4,6 bilhões em 2019 para R$ 3,9 bilhões no ano passado. No segmento, os produtos que mais sofreram foram o repolho (-41%), o tomate (-35%) e a batata inglesa (-26%).

Produtos florestais - Os produtos florestais também apresentaram baixa nos valores de produção. Em 2019, tinham conseguido cerca de R$ 4,3 bilhões, mas houve redução para pouco mais de R$ 4,2 bilhões, ou seja, 10% a menos. Mas, nesse segmento, a erva-mate em pé se destaca com crescimento de 6%, passando de R$ 656 milhões para R$ 753 milhões. Já as flores e plantas ornamentais tiveram redução real de 6%. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: José Fernando Ogura / AEN

 

CONJUNTURA AGROPECUÁRIA: Goiaba paranaense gera receita de R$ 70 milhões e alimenta mercados de todo o País

conuntura agropecuaria 26 07 2021Números preliminares do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, relativos a 2020, apontam para um crescimento de 6% na produção e 4% na área de goiaba no Estado no ano passado. A análise é um dos assuntos do Boletim de Conjuntura Agropecuária da semana de 16 a 21 de julho, elaborado pelos técnicos do Deral.

Carlópolis - O município de Carlópolis, no Norte Pioneiro, é o principal produtor. No ranking nacional, a cidade é a 4º colocada, num universo de 893 municípios com a exploração comercial da fruta, considerando sua parcela de 6,5% do VBP, 3,4% da produção e 2,7% da área brasileira, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2019.

Números consolidados - Os números consolidados, de 2019, mostram que o Paraná produziu 35,4 mil toneladas de goiabas em uma área de 1,3 mil hectares, gerando um Valor Bruto da Produção (VBP) de R$ 70 milhões.

Comercialização - O boletim aborda também os índices de comercialização da fruta no Paraná e em outros estados. Em 2020, nas cinco unidades das Ceasas no Paraná, foram comercializadas 2,2 mil toneladas de goiaba, somando R$ 9,9 milhões. Do total, 80,3% eram do Paraná e 18,9% de São Paulo. Carlópolis foi o principal fornecedor, com 1,2 mil toneladas e participação de 55 % no volume.

Qualidade - A presença da goiaba de Carlópolis nas cestas de frutas do País mostra a qualidade do produto. A fruta paranaense já possui registro de Indicação Geográfica (IG) junto ao Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (Inpi) e, em 2019, conquistou a certificação Good Agricultural Practices (GAP), que reconhece a segurança alimentar e sustentabilidade em produtos de origem agrícola.

Ceagesp - Na Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp), das 10,4 mil toneladas de goiaba comercializadas em 2020, o município paranaense foi o 5º principal ofertante, com 626,5 toneladas - 6 % do total. Também no ano passado, na CeasaMinas, em Belo Horizonte, a goiaba de Carlópolis foi a 6ª em volume comercializado, com 359,6 toneladas das 5,6 mil toneladas anuais.

DF - Na Central do Distrito Federal, em Brasília, no 3º posicionamento, as 62,4 toneladas provenientes de Carlópolis conferiram 1,5% no volume de 4,1 mil toneladas. Em Goiânia, na Ceasa/GO, o município do norte pioneiro foi o 11º ofertante com 20,2 toneladas das 1,1 mil trocadas, e na Ceasa do Rio de Janeiro na 12ª posição com 8,8 toneladas e 0,9% das 992,9 toneladas negociadas.

Grãos - Entre os demais produtos abordados no boletim estão o feijão, que registra queda nos preços e retração nas principais praças de consumo do País; e o milho, cuja segunda safra paranaense avança para a fase final e intensifica a colheita na próxima semana. As exportações do Complexo Soja no Paraná no primeiro semestre de 2021 somaram 7,97 milhões de toneladas, com um volume financeiro de US$ 3,32 bilhões. Quanto ao trigo, o boletim analisa o reflexo das geadas nas lavouras.

Mandioca, batata e olericultura - Acredita-se que a maioria dos produtores de mandioca ainda vai concentrar os trabalhos no novo plantio da safra de 2021/22 em detrimento à colheita, como forma de reduzir a oferta de mandioca às indústrias, na expectativa de melhoria nos preços.

Segunda safra - Com relação à segunda safra de batata no Paraná, das 319 mil toneladas estimadas, 266 mil (83%) toneladas foram comercializadas até o momento. Há também previsão de perdas na olericultura devido às geadas.

Avicultura, ovos e leite - Os dados da avicultura analisados no documento do Deral mostram que, no Paraná, em junho de 2021, a alimentação das aves custou R$ 3,87/kg, resultado 3,7% menor em relação a maio, cujo valor foi de R$ 4,02/kg, representando 75% do total de gastos com a criação de frangos de corte. Destaca-se também a alta nas exportações brasileiras de ovos no primeiro semestre deste ano.

Preço - De acordo com dados levantados pelo Deral, o preço do litro do leite recebido pelos produtores tem se elevado. Na comparação com os valores levantados entre o mês de junho e a semana de 12 a 16 de julho, o valor do litro do produto subiu 7,3%, passando de R$ 2,06 para R$ 2,21. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Jaelson Lucas / AEN

 

FONTES ALTERNATIVAS: Programa de apoio à energia sustentável, RenovaPR é apresentado ao setor agropecuário

fontes alternativas 26 07 2021O Programa Paraná Energia Rural Renovável, o RenovaPR, que apoia e fomenta a geração de energia solar, biogás e biometano no campo, foi apresentado ao setor agropecuário na quinta-feira passada (22/07) como tema principal do evento de lançamento da 28ª edição da ExpoTécnica.com. Mais de 700 pessoas participaram no formato virtual.

Governo do Estado - O RenovaPR é desenvolvido pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento e o Instituto de Desenvolvimento Rural-Iapar-Emater (IDR-Paraná), e foi criado para ajudar os produtores rurais de distintas cadeias produtivas na viabilidade e competitividade de seus negócios.

Insumo - “A energia é um insumo muito relevante nos processos agrícolas. Além da iluminação, interfere também no custo de produção. Irrigação, por exemplo, precisa da energia para levar a água de qualidade até uma lavoura”, afirmou o secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara.

Interesse - O coordenador do programa, Herlon Goelzer de Almeida, engenheiro do IDR-Paraná, que comandou a live, ressaltou que atualmente há um grande interesse pelo tema energia, já que os custos com este insumo vêm aumentando, além da situação do estresse hídrico no Paraná, cenário que não deve mudar nos próximos anos.

Subsídios - Atualmente, lembrou o engenheiro, a energia rural tem subsídios que chegam a 60% do seu valor. No entanto, o Decreto Federal número 9.642/2018 eliminou esse tratamento especial aos produtores rurais e a subvenção será retirada totalmente até 2023. "A tendência é que o custo com a energia aumente. Então, o negócio é o produtor rural produzir energia", afirmou Almeida.

Desenvolvimento - Para o diretor de Extensão do IDR-Paraná, Nelson Harger, o desenvolvimento da economia está diretamente ligado à geração de energia. “No meio rural não seria diferente”, comentou.

Módulos - O evento terá mais sete módulos nesta edição, também virtuais, que devem acontecer a cada 15 dias e serão transmitidos pelo canal do IDR-Paraná no YouTube. Os temas dos próximos módulos são: Organização Rural; Bovinocultura de leite; Manejo de solos, água e nematóides; Cultivares de Trigo; Banana; Manejo de formigas cortadeiras; Apicultura - técnicas para analisar qualidade mel.

RenovaPR - O programa faz partes das políticas públicas promovidas pelo Governo do Estado para ajudar os produtores rurais de distintas cadeias produtivas na viabilidade e competitividade de seus negócios. A inciativa garante condições reais para agricultores e empresas promoverem a autoprodução de energia, própria e renovável, com possibilidade de reduzir custos de produção e ampliar suas atividades.

Tratamento - Ao mesmo tempo, podem tratar dejetos animais e resíduos agrícolas e agroindustriais, promovendo a correta destinação e a adequação ambiental das suas atividades. Isso contribui com a orientação do agro paranaense em direção à sustentabilidade e aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU).

Cadastro - No dia 16 de julho, o Governo do Estado, publicou um edital de chamada pública para cadastro de pessoas jurídicas e pessoas físicas habilitadas como responsáveis técnicos em projetos de energia solar fotovoltaica em ambientes rurais.

Habilitados - Os habilitados no edital terão as atribuições de elaborar e executar projetos técnicos, prestar serviços de instalação e realização de assistência técnica em sistemas de geração de energia solar para produtores rurais, empresas rurais, cooperativas agropecuárias e outras organizações do campo no Paraná.

Gratuito - O cadastro pode ser feito de forma gratuita e exclusivamente em formato eletrônico a partir de 26 de julho. O interessado deve inserir os dados e documentos relacionados no edital e, depois, comunicar formalmente o instituto por meio do e-mail energias.renovaveis@idr.pr.gov.br. Mais detalhes e informações podem ser obtidos no canal do IDR-Paraná no YouTube. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: José Fernando Ogura / AEN

 

INFRAESTRUTURA: Fase de obras da revitalização em concreto da PRC-280 deve iniciar em agosto

infraestrutura 26 07 2021Os problemas da PRC-280, considerado o corredor de escoamento do Sudoeste do Paraná, vão ficar para trás muito em breve. A empresa vencedora da licitação para restauração da rodovia deverá iniciar as obras em agosto, três meses após a assinatura da ordem de serviço.

RDCI - O processo é feito através do Regime Diferenciado de Contratação Integrado (RDCI), modalidade de licitação que prevê a execução simultânea do projeto executivo e das obras em si. Com isso, esses primeiros 90 dias de contrato foram separados para a elaboração do projeto, que deve ser finalizado no final deste mês.

Análise - A documentação passará então por uma análise do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR). Vencendo essa etapa e a do processo de licenciamento ambiental, a obra pode começar a ser executada.

Investimento - O Governo do Estado vai investir R$ 107,4 milhões na restauração, que usará uma técnica inédita para as estradas estaduais do Paraná: restauração da pista com pavimentação rígida em concreto, aproveitando o pavimento atual como base, técnica conhecida como whitetopping.

Programa - Os recursos são do programa Avança Paraná, viabilizado a partir de um financiamento de R$ 1,6 bilhão junto a um consórcio de bancos.

Trecho- O trecho que será restaurado abrange uma extensão de quase 60 quilômetros, desde o município de Palmas até o entroncamento com a BR-153, no chamado Trevo do Horizonte, em General Carneiro. Enquanto a obra não é iniciada, equipes do DER/PR estão fazendo reparos emergenciais na pista (tapa-buracos).

Completa - A revitalização será bastante completa. A principal vantagem do whitetoping, explica Paulo Melani, engenheiro do DER/PR em Pato Branco, é a vida útil do pavimento, que pode ultrapassar os 20 anos. “Além de durar bastante, esse tipo de pavimentação também facilita a conservação posterior. É o pavimento mais adequado para rodovias que recebem um trânsito pesado como esta”, diz.

Reparos e correção - Pela técnica, o pavimento atual receberá serviços de reparos e correção do nível, sendo aproveitado como base para o de concreto. Serão instaladas placas de concreto de 22 centímetros de espessura, restaurando completamente a pista, que será alargada em 40 centímetros de cada lado.

Acostamento - Os acostamentos também vão receber o pavimento de concreto, mas passarão por reciclagem de sub-base primeiro. A obra prevê ainda a adequação dos dispositivos de drenagem, da sinalização horizontal e vertical e de elementos de segurança.

Rodovia - A PRC-280 é a principal via de ligação entre as regiões Oeste, Sudoeste e Curitiba e é utilizada para escoamento de produção agrícola, da indústria madeireira e de celulose. De acordo com estudo de tráfego, passam no trecho, diariamente, 1.826 veículos pesados (ônibus, caminhões, reboques), além de veículos de passeio. A maior parte da obra se concentrará no perímetro de Palmas, município com mais de 50 mil habitantes. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Gilson Abreu / AEN

 

SAÚDE I: Brasil registra 19,68 milhões de casos de Covid-19 e 549,92 mil mortes

O Brasil já tem oficialmente registradas 549.924 mortes em decorrência da covid-19 e 19.688.663 casos notificados. Desse total, 18.349.436 pessoas se recuperaram da doença. Os dados foram divulgados no início da noite deste domingo (25/07) pelo Ministério da Saúde, tendo como base informações disponibilizadas pelas secretarias estaduais de Saúde. Nas últimas 24 horas foram contabilizados 476 óbitos e 18.129 novos casos de pessoas contaminadas.

Acompanhamento - De acordo com o balanço, há 789.303 casos sendo acompanhados, e 3.427 óbitos em investigação.

Nos estados - São Paulo se mantém como a unidade federativa com maior número tanto de óbitos (137.236) quanto de casos (4.001.078). Em segundo lugar vem Minas gerais com 49.832 óbitos oficialmente registrados; seguido do Paraná, com 34.308 mortes; e Rio Grande do Sul, com 33.046 óbitos.

Vacinação - O Brasil já distribuiu 164,478 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 para os estados e o Distrito Federal, de acordo com dados do Ministério da Saúde. Foram aplicadas 131,895 milhões de doses, sendo 94,734 milhões da primeira dose e 37,161 da segunda dose ou dose única. (Agência Brasil)

 whatsapp image 2021-07-25 at 19.04.40

 

SAÚDE II: Informe da Sesa da confirma mais 1.117 casos e 44 óbitos pela Covid-19

saude II 22 07 2021A Secretaria de Estado da Saúde divulgou neste domingo (25/07) mais 1.117 casos confirmados e 44 mortes pela Covid-19 no Paraná. Os números são referentes aos meses ou semanas anteriores e não representam a notificação das últimas 24 horas.

Soma - Os dados acumulados do monitoramento da doença mostram que o Estado soma 1.354.031 casos confirmados e 34.120 óbitos.

Meses - Os casos confirmados divulgados nesta data são de janeiro (34), fevereiro (104), março (147), abril (87), maio (130), junho (43), julho (572).

Internados - O informe relata que 1.273 pacientes com diagnóstico confirmado estão internados. São 1.002 pacientes em leitos SUS (584 em UTIs e 418 em enfermarias) e 271 em leitos da rede particular (150 em UTIs e 121 em enfermarias).

Exames - Há outros 1.501 pacientes internados, 785 em leitos de UTI e 716 em enfermarias, que aguardam resultados de exames. Eles estão nas redes pública e particular e são considerados casos suspeitos.

Óbitos - A Secretaria da Saúde informa a morte de mais 44 pacientes. São 18 mulheres e 26 homens, com idades que variam de 36 a 97 anos. Os óbitos ocorreram de 01 de março a 24 de julho de 2021.

Municípios - Os pacientes que morreram residiam em Curitiba (8), Londrina (5), Colombo (4), Ponta Grossa (3), Astorga (2), Barbosa Ferraz (2), Pato Branco (2), Pinhais (2), Quatro Barras (2) e Toledo (2).

Uma morte - A Sesa registra ainda a morte de uma pessoa que residia em cada um dos seguintes municípios: Almirante Tamandaré, Apucarana, Campo Largo, Foz do Iguaçu, Francisco Beltrão, Guaíra, Matinhos, Paranaguá, Paranavaí, Pontal do Paraná, Prudentópolis e Sarandi.

Fora do Paraná - O monitoramento registra 7.104 casos de residentes de fora do Estado, sendo que 188 pessoas morreram. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o Informe completo.

 

SAÚDE III: Paraná receberá mais 649.420 vacinas contra a Covid-19 nesta semana

saude III 26 07 2021O Paraná deve receber nos próximos dias mais 649.420 doses de vacinas contra a Covid-19. O envio da nova remessa foi confirmado pelo Ministério da Saúde neste domingo (25/07).

Primeira aplicação - O lote inclui cerca de 130 mil doses para a primeira aplicação, o que deve garantir o avanço da campanha de imunização por idade no Estado. As demais são destinadas a grupos prioritários imunizados no primeiro semestre.

Doses - A entrega será composta por 361.250 doses do imunizante Covishield, da AstraZeneca; 170.000 da CoronaVac, do Instituto Butantan/Sinovac; e 118.170 doses da Comirnaty, produzida pela Pfizer/BioNTech. O governo federal ainda vai confirmar a data da distribuição.

Envio - Das vacinas Covishield, 63.000 chegam por meio do consórcio Covax Facility, enquanto as outras 298.250, serão enviadas diretamente pelo Ministério da Saúde (via Fiocruz), todas destinadas à segunda dose. As 170 mil doses da Coronavac serão destinadas para primeira e segunda aplicação. Já das 118.170 Comirnaty, que completam o lote, 44.891 são para primeira dose e o restante para segunda.

Separação - Assim que chegarem ao Estado, os imunizantes serão recebidos e separados pela Secretaria de Estado da Saúde, no Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar), em Curitiba, para serem distribuídos rapidamente entre as 22 Regionais de Saúde.

Objetivo - O objetivo da Secretaria é aplicar pelo menos a primeira dose em 80% da população com mais de 18 anos no Paraná até o final de agosto. O restante da população adulta será imunizado até o final de setembro.

Completo - O Paraná já tem mais de 2 milhões de paranaenses com o esquema vacinal completo, ou seja, que receberam as duas doses das vacinas ou a dose única da vacina contra o coronavírus.

Vacinômetro - De acordo com o Vacinômetro do Sistema único de Saúde (SUS), até a manhã deste domingo foram administradas 7.527.239 doses no Estado, sendo 5.496.811 primeiras doses e 2.030.428 doses únicas ou segundas doses. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Jose Fernando Ogura / AEN

 

SAÚDE IV: Mais de 2 milhões estão completamente imunizados no Paraná contra Covid-19

saude IV 26 07 2021O Paraná ultrapassou no sábado (24/07) a marca de 2 milhões de paranaenses com o esquema vacinal completo, ou seja, que receberam as duas doses das vacinas (CoronaVac/Butantan, Pfizer/BioNTech e AstraZeneca/Fiocruz) ou a dose única (Janssen/Johnson & Johnson) contra a Covid-19. O novo registro, de 2.014.393 pessoas completamente imunizadas, foi lançado na manhã de sábado no Vacinômetro do Sistema Único de Saúde (SUS), vinculado ao Ministério da Saúde.

Percentual - O número representa 17,49% de toda a população paranaense, estimada em 11,5 milhões pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e 23,05% quando considerada apenas a parcela dos vacináveis, habitantes com 18 anos ou mais, formada por 8.736.014 pessoas.

Escudo imunológico - De acordo com o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, com o aumento de pessoas imunizadas o Estado passa a criar um escudo imunológico coletivo da população. “A força de reprodução do vírus é contida, já que ele começa a encontrar organismos protegidos”, afirma.

Vírus - Se o esquema vacinal não for concluído, segundo Beto Preto, aquele organismo continua livre para ser infectado pelo vírus Sars-Cov-2. “Temos uma infecção de transmissão comunitária franca e livre e, por isso, fatalmente quem não tomar a vacina será um campo fértil para ser atingido pelo vírus”, acrescenta.

Imunizados - Desde o início da Campanha de Vacinação no Estado, até agora, foram imunizados 5.738.553 paranaenses com uma dose ou com a dose única, atingindo 65,68% da população adulta. No total, 7.462.274 doses já foram administradas no Paraná. São 5.447.881 primeiras doses, 1.723.721 segundas doses e 290.672 doses únicas.

Cidades - No momento, três em cada quatro cidades paranaenses vacinam a população geral na faixa dos 30 anos, reforçando a isonomia entre municípios promovida pela Secretaria estadual desde o início do plano de imunização. “Toda semana, com muita agilidade, distribuímos todos os imunizantes recebidos pelo Estado aos municípios, que por sua vez, têm feito um grande trabalho na vacinação da população”, destaca Beto Preto.

Quinto no país - O Paraná é o quinto estado brasileiro que proporcionalmente mais vacinou sua população adulta contra a Covid-19 com pelo menos uma dose ou a dose única. A meta estabelecida pela Secretaria do Paraná é vacinar 80% dos cidadãos com pelo menos uma dose até o final de agosto, e atingir os 100% até setembro.

Proporção - Considerando a proporção da população vacinada com as duas doses das vacinas contra a Covid-19, conforme o Ranking da Vacinação da Secretaria de Estado da Saúde, Miraselva lidera com 26,15% da população imunizada completamente. Em seguida, aparecerem Pontal do Paraná (25,85%), Barra do Jacaré (25,52%), Terra Roxa (25,13%), São Manoel do Paraná (24,98%), Nova Laranjeiras (24,83%) e Floraí (23,96%).

Dose única - Em relação aos municípios com o maior percentual de população vacinada com a dose única, no caso da Janssen, Porto Vitória aparece no topo do Ranking com 9,85% de cobertura. Na sequência estão Itaperuçu (8,82%), Siqueira Campos (8,71%), Sertanópolis (8,17%) e Manoel Ribas (7,07%).    

Números absolutos - Em números absolutos, os municípios que mais vacinaram com ambas as doses ou a dose única das vacinas contra a Covid-19 são Curitiba (1.313.801), Londrina (374.940), Maringá (366.675), Cascavel (225.454), Ponta Grossa (192.760), Foz do Iguaçu (175.094), São José dos Pinhais (167.557) e Colombo (129.701).

FOTO: Geraldo Bubniak / AEN

 


Versão para impressão


RODAPE