Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4788 | 24 de Março de 2020

COVID-19: Comitê de Acompanhamento do Sistema Ocepar emite comunicado com as principais medidas relacionadas à pandemia

comite 24 03 2020O Comitê de Acompanhamento e Prevenção do Covid-19 do Sistema Ocepar emitiu, nesta segunda-feira (24/03), o Comunicado nº 6, informando que as atividades da entidade estão sendo executadas de forma remota, sem atendimento presencial. Também apresenta as principais medidas tomadas recentemente para combater os efeitos da pandemia do coronavírus:

1. O Governo do Estado do Paraná definiu quais são os serviços e as atividades essenciais por meio do Decreto nº 4317, de 21 de março de 2020, considerando a Medida Provisória nº 926, de 20 de março, que dispõe sobre procedimentos para aquisição de bens, serviços e insumos destinados ao enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do coronavírus, e o Decreto nº 10.282 do Governo Federal, para determinar os serviços públicos e as atividades essenciais.

2. No dia 20 de março, o BNDES divulgou as primeiras medidas do Plano de Ação Emergencial Covid-19, que podem ser consultadas pelo link Primeiras medidas do BNDES.

3. O Sistema OCB encaminhou o ofício nº 118/2020 à ministra da Agricultura, Tereza Cristina, solicitando linhas emergenciais visando dar liquidez às cooperativas agropecuárias.

4. Foi realizada coletiva de imprensa do Banco Central do Brasil – BCB, que apresentou as medidas de combate aos efeitos da covid-19, pelo presidente da instituição Roberto Campos Neto.

5. A Getec, área técnica da Ocepar, analisou as medidas de combate aos efeitos da Covid-19 publicadas pelo Banco Central do Brasil no dia 23 de março.

6. A Gerência Sindical da Fecoopar analisou a Medida Provisória nº 927/2020, publicada no dia 22 de março, que dispõe de opções a serem ou não utilizadas durante o estado de calamidade pública reconhecido pelo Decreto Legislativo 6/2020.

Medidas e decretos - O comunicado do Comitê traz destaca ainda que as publicações da Medida Provisória nº 926 e do Decreto nº 10.282, pelo governo federal, e do Decreto nº 4.317, pelo governo estadual.

O Comitê - O Sistema Ocepar constituiu o Comitê de Acompanhamento e Prevenção do Covid-19 com objetivo de monitorar, receber, avaliar e comunicar seus públicos sobre as informações mais recentes ligadas à disseminação e precauções que devem ser tomadas diante da epidemia da doença. O grupo é formado pela Diretoria Executiva, coordenações de Gestão Estratégica e de Comunicação Social, com assessoramento jurídico e colaboração da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa).

Links – Clique nos links abaixo para conferir na íntegra o conteúdo dos temas listados pelo Comitê do Sistema Ocepar.

Comunicado nº 6 do Comitê de Acompanhamento e Prevenção do Covid-19 do Sistema Ocepar

Apresentação Banco Central do Brasil

Análise Getec medidas BCB

Ofício encaminhado à ministra da Agricultura

Análise Fecoopar MP 927/2020

 

LEGISLATIVO: Câmara aprova MP de negociação de débitos com a União

legislativo 24 03 2020O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou, na quarta-feira (18/03), a Medida Provisória 899/19, que regulamenta a chamada transação tributária, prevista no Código Tributário Nacional (CTN). A medida editada pelo poder Executivo, também chamada de MP do Contribuinte Legal, tem o objetivo de estimular a regularização de débitos fiscais e a resolução de conflitos entre contribuintes e a União. Aprovada em votação simbólica e por acordo, a MP será enviada ao Senado.

Cooperativismo - A OCB se reuniu com o relator da matéria na comissão mista, deputado Marco Bertaiolli (SP), para mostrar a importância de incluir as cooperativas em seu parecer. O deputado atendeu à solicitação, considerando toda a contribuição das cooperativas à economia nacional, especialmente em momentos de crise. Assim, na negociação de dívidas com a União, as sociedades cooperativas poderão contar com descontos de até 70% e a ampliação do prazo máximo de quitação para até 145 meses, junto com as pessoas físicas, micro e pequenas empresas e Santas Casas.

Emenda - A ampliação do prazo máximo de quitação foi fruto da aprovação de uma emenda em plenário pelo deputado Alessandro Molon (RJ) que estendeu de 120 para 145 meses. Entretanto, para débitos envolvendo a contribuição previdenciária do empregado e do empregador, o prazo máximo será de 60 meses, conforme determina a Constituição Federal.

Outros pontos importantes - A MP também trata de outros pontos importantes que merecem ser destacados:

- Os descontos não poderão ser sobre o valor principal original da dívida corrigido, incidindo somente sobre multas, juros de mora e encargos legais (honorários advocatícios, por exemplo).

- Em todos os tipos de transação, os honorários serão reduzidos no mesmo percentual aplicado às multas e juros.

- Criação de transação para dívidas de pequeno valor (até 60 salários mínimos) e permite o uso do mecanismo para dívidas junto ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e ao Simples Nacional sob certas condições.

- As dívidas que podem ser objeto da transação são aquelas junto à Receita Federal ainda não judicializadas, as de competência da Procuradoria-Geral da União (PGU), da Procuradoria-Geral Federal (PGF) e da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN).

- Quando a proposta de transação envolver valores maiores aos já fixados em ato de regulamentação do ministro da Economia ou do advogado-geral da União, ela dependerá de autorização prévia e expressa.

- A transação poderá ocorrer por meio de proposta do contribuinte ou do governo, por meio de edital. Nos dois casos, ela não implicará a devolução ou a compensação com valores pagos por meio de parcelamentos anteriores.

- Além dos descontos e dos prazos de parcelamento, a transação poderá envolver outros benefícios, como formas de pagamento especiais, inclusive moratória ou adiamento do prazo, e substituição de garantias.

- Ao assinar a transação, o devedor deverá assumir alguns compromissos, como não usar o mecanismo para prejudicar a livre concorrência; não usar “laranjas” para esconder patrimônio; não vender bens ou direitos sem comunicar ao órgão da Fazenda competente se exigível em decorrência de lei; e desistir dos recursos administrativos e das ações envolvendo o crédito motivo da transação.

- Serão proibidas as transações que reduzam multas de natureza penal; envolvam devedor contumaz (frequente); reduzam o valor principal da dívida; ou que envolvam créditos não inscritos em dívida ativa da União, exceto aqueles sob responsabilidade da Procuradoria-Geral da União. As reduções obtidas por meio da transação não poderão ser acumuladas com outras asseguradas pela legislação. (OCB, com informações da Agência Câmara de Notícias)

FOTO: Agência Câmara

 

MP 928/20: Publicada nova MP que revoga artigo que permitia suspensão contrato de trabalho

mp 927 20 03 2020Foi publicada, na noite desta segunda-feira (23/03), a Medida Provisória 928/20, revogando o artigo 18 da MP 927/20, que permitia a suspensão dos contratos de trabalho, sem salário, por quatro meses, durante o período de calamidade pública provocado pela pandemia do novo coronavírus (covid-19).

MP 927 - A MP 927/20 foi publicada no domingo (22/03) em edição extra do Diário Oficial da União. Mas nesta segunda-feira (23/03) à tarde, o presidente Jair Bolsonaro informou que o artigo 18 seria revogado. A MP 927 traz outras medidas trabalhistas para enfrentamento do estado de calamidade pública no país e da emergência em saúde pública decorrente do coronavírus, entre as quais estão o teletrabalho, a antecipação de férias, a concessão de férias coletivas, o aproveitamento e antecipação de feriados, o banco de horas, a suspensão de exigências administrativas em segurança e saúde no trabalho, o direcionamento do trabalhador para qualificação e o adiamento do recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Validade - A MP tem validade de 120 dias para tramitação no Congresso Nacional. Caso não seja aprovada, perde a validade. (Com informações da Agência Câmara e da Agência Brasil)

FOTO: Isac Nóbrega / PR

Clique aqui para conferir na íntegra a MP 928/2020

 

LEI 13.981: Ampliação do BPC aprovada pelo Senado é publicada e já está valendo

lei 24 03 2020Está publicada na edição desta terça-feira (24/03) do Diário Oficial da União (DOU) a Lei 13.981, que aumenta o limite da renda familiar mensal per capita para idosos e pessoas com deficiência terem acesso ao Benefício de Prestação Continuada (BPC). Com a norma, promulgada pelo vice-presidente do Senado, Antonio Anastasia (PSD-MG) nesta segunda-feira (23/03), o valor máximo passou de um quarto de salário mínimo (R$ 261,25 em valores atuais) por membro da família para meio salário mínimo (R$ 522,50).

Veto - A extensão do benefício para famílias com renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa, que entra em vigor na data da publicação, foi permitida após o Congresso Nacional derrubar um veto (VET 55/2019) do presidente da República ao Projeto de Lei do Senado (PLS) 55/1996, que dobrava o limite de renda para acesso ao BPC .

Argumento - O governo vetou a proposta sob a alegação que a medida criaria despesas obrigatórias sem indicar fonte de custeio e sem demonstrar os impactos orçamentários. Por isso, segundo Jair Bolsonaro, a mudança violaria a Constituição e a Lei de Responsabilidade Fiscal.

O projeto - O projeto, do ex-senador Casildo Maldaner, foi aprovado pelo Senado em 1997 e ficou 19 anos parado na Câmara dos Deputados, até ser devolvido na forma de substitutivo (SCD 6/2018). O Senado rejeitou as mudanças sugeridas pelos deputados e em novembro de 2019 aprovou o projeto, que seguiu para então sanção presidencial, mas foi vetado pelo Executivo. 

TCU - Após a derrubada do veto, no dia 11 deste mês, o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Bruno Dantas acatou um pedido de medida cautelar do Ministério da Economia e suspendeu a ampliação do BPC, o que provocou a reação de vários senadores, que criticaram a posição do ministro.

Impacto - Nesse pedido, a equipe econômica argumentava que a ampliação do benefício teria impacto de R$ 20 bilhões no Orçamento da União deste ano, o que poderia prejudicar o equilíbrio das contas públicas.

Suspensão - Na semana passada, o Plenário do TCU suspendeu por 15 dias a liminar do ministro Bruno Dantas que impedia a ampliação do BPC. Desta vez, os senadores comemoraram a decisão do tribunal: “Decisão muito importante. Manter o BPC para quem ganha até meio salário mínimo, para deficientes e idosos pobres é vital neste momento”, disse a senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) em sua conta em uma rede social.

Posicionamento semelhante - Posicionamento semelhante teve também o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). Para ele, o auxílio fará diferença na vida da população de baixa renda. “A importância dessa medida só aumenta, durante a crise que estamos vivendo. Os mais pobres precisam de todos os esforços e recursos que pudermos garantir. Nossa luta não foi em vão”, afirmou.

Benefício - O BPC, no valor de um salário mínimo, é pago a idosos e pessoas com deficiência que não podem se manter sozinhos nem ter o sustento garantido pela família. Atualmente o critério estabelecido para identificar essas famílias é a renda mensal inferior a 25% do salário mínimo por pessoa, pouco mais de R$ 260. Com a elevação desse limite, mais famílias serão contempladas. (Agência Senado)

FOTO: Roque de Sá / Agência Senado

Clique aqui para conferir na íntegra a Lei 13.981

 

UNIMED PONTA GROSSA: HGU monta estrutura exclusiva para casos respiratórios

1unimed ponta grossa 24 03 2020O Hospital Geral Unimed (HGU) iniciou nesta segunda (23/03), em Ponta Grossa (PR), os atendimentos aos beneficiários com sintomas gripais e respiratórios em uma estrutura exclusiva.

Espaço - O espaço é anexo ao Pronto Atendimento principal do hospital e conta com fluxos e protocolos específicos, embasados nas preconizações do Ministério da Saúde e Anvisa, além de dispor de equipamentos e materiais para casos leves, moderados e graves.

Fluxos -Segundo o presidente da cooperativa, por se tratar de um cenário inédito e com rápidas mudanças, as revisões de fluxos de atendimento estão sendo contínuas e multidisciplinares. "As equipes estão constantemente sendo atualizadas sobre medidas de prevenção e controle dos casos suspeitos. Além disso, passam por simulações para a forma de atendimento, forma de paramentação e como conduzir o paciente dentro dos fluxos. A equipe está capacitada para conduzir o caminho do paciente no HGU tanto para casos suspeitos quanto não suspeitos da Covid-19".

Estratégias - “As estratégias estão sendo desenhadas a partir do acompanhamento do número de casos suspeitos, com a projeção e dimensionamento de recursos para atender esses beneficiários”, explica Santos.

Orientação - Mesmo com os fluxos do Pronto Atendimento principal e da extensão específica para casos respiratórios, a instituição reforça a orientação do Ministério da Saúde para que pacientes assintomáticos, ou com sintomas leves, permaneçam em isolamento domiciliar.

Canais de comunicação - A cooperativa disponibiliza o telefone (42) 3220-3965 para que o beneficiário busque orientações se deve ou não procurar o atendimento hospitalar em casos de sintomas gripais. Comunicados e boletins diários podem ser acessados no www.unimedpg.com.br/coronavirus.

Números - Até o momento, o HGU contabiliza:

unimed ponta grossa quadro 24 03 2020

 

 

 

 

 

(Imprensa Unimed Ponta Grossa)

 

COCAMAR: Cooperativa doa mais de 13 mil litros de álcool 70º INPM

cocamar 24 03 2020Produtora de álcool no seu parque industrial em Maringá (PR), a Cocamar Cooperativa Agroindustrial anunciou no fim de semana que realizou a doação de 13 mil litros do produto etílico hidratado 70º INPM para entidades, hospitais, setor de transporte público, cooperados e colaboradores. A cooperativa está tomando medidas para reduzir a velocidade de contaminação do Covid-19.

Produção - Na última semana, foi paralisada a produção de álcool comercializado para iniciar a produção emergencial de álcool etílico hidratado 70º INPM e a distribuição começou na última sexta-feira (20/03). A cooperativa continua operando somente em áreas relacionadas a matéria-prima e produtos alimentícios, seguindo as normas de segurança do Ministério da Saúde. (Imprensa Cocamar)

 

C.VALE: Comunicado sobre o coronavírus

cvale 24 03 2020A C.Vale Cooperativa Agroindustrial, com sede em Palotina, Oeste do Paraná, emitiu um comunicado sobre uma série de medidas que estão sendo adotadas para reduzir ao mínimo o risco de contaminação dos funcionários da indústria. “Esses cuidados têm dois objetivos: garantir as melhores condições possíveis de trabalho aos funcionários e assegurar a continuidade da produção de alimentos. Cada um de nossos funcionários das indústrias de alimentos tem uma missão nobre e fundamental nesse momento, que é garantir o fornecimento de carnes durante a pandemia de coronavírus. É um serviço essencial reconhecido pelos governos federal e estadual. A nação está fazendo um extraordinário esforço para vencer a doença, um desafio que revelará pessoas de fibra e do qual cada um dos que fizerem parte dele poderá, em breve, se orgulhar”, afirma a diretoria da cooperativa no comunicado.

Clique aqui e confira na íntegra o comunicado da C.Vale sobre o coronavírus

 

PRIMATO: Site é lançado para compras online

primato 24 03 2020Em busca de soluções que possam atender as demandas de todos os clientes, cooperados e colaboradores, o Primato Supermercado vem criando alternativas de compras para evitar a aglomeração de pessoas nos pontos físicos. Ainda na sexta-feira (20/03), foi criado o canal de WhatsApp para compras online, que teve uma grande adesão durante o final de semana.

Site - Enquanto isso, a equipe de colaboradores da Primato com especial atenção do setor TI, conseguiu em um esforço conjunto antecipar o lançamento do site da rede de supermercados.

Online - Agora os clientes podem acessar a plataforma para adquirir suas compras via site ou aplicativo. “Graças ao empenho de toda equipe de colaboradores, em especial do setor de TI, conseguimos em tempo recorde lançar o site da rede Primato Supermercados, que traz não somente a comodidade de pedidos online e entrega em casa, mas neste momento em que precisamos estar em isolamento social, é uma ferramenta que contribui com a ida de nossos clientes ao supermercados, evitam aglomerações, filas e contratempos neste momento delicado”, destacou o presidente da Primato, Ilmo Werle Welter que complementou, “claro que com a emergência, antecipamos o lançamento da plataforma que vai recebendo ajustes conforme as operações estejam em curso, assim, alguns contratempos como atrasos ou alguns produtos não cadastrados podem acontecer, mas estamos trabalhando para que tudo esteja em ordem”.

Delivery - As entregas também estão com grandes demandas e o presidente alerta. “Gostaríamos também de pedir a compreensão de todos no tempo de entrega, afinal, a demanda é muito maior do que a comum e estamos a todo momento fazendo ajustes para melhorar o tempo de espera, mas vale ressaltar que todos estão recebendo seus pedidos e a cada momento estamos melhorando o processo, já que monitoramos tudo em tempo real”, explicou Ilmo.

Compras - Para fazer as compras online basta acessar o site (supermercado.primato.com.br) e selecionar os produtos, que serão entregues nos endereços selecionados. (Imprensa Primato)

 

SICREDI: Período de isolamento é oportunidade para organizar dados e não cair na malha fina

O período de isolamento causado pela pandemia da COVID-19 (coronavírus) obrigou muitos profissionais a adotarem o home office ou entrarem em férias coletivas. O fato de estar em casa pode ser uma oportunidade para organizar as finanças e acertar as contas com o “leão”.

Período propício - Segundo o diretor de Desenvolvimento da Central Sicredi PR/SP/RJ, Adilson Felix de Sá, o período pode ser propício para organizar os dados, juntar documentos e antecipar a entrega da declaração. “Durante a quarentena é mais fácil encontrar documentos e evitar erros, além de conseguir fazer a entrega antes do prazo final. Quem se antecipa tem a vantagem de receber antecipadamente a restituição do Imposto de Renda, caso houver, e esse pode ser um bom recurso para investimentos”, explica o diretor. Lembrando que idosos, deficientes físicos ou mentais e portadores de doença grave têm prioridade no recebimento da restituição.

Expectativa - Neste ano, a Receita Federal espera receber cerca de 32 milhões de declarações até o final do prazo, marcado para o dia 30 de abril, com possibilidade de adiamento. Para evitar surpresas, O Sicredi separou algumas dicas para facilitar o preenchimento pelos contribuintes.

Quem precisa declarar - É importante lembrar que precisa entregar o IR quem se enquadra nos quesitos abaixo:

- Em 2019, recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 e, em relação à atividade rural, obteve receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50;

- Possui, em 31 de dezembro de 2019, propriedade de bens ou direitos, de valor total superior a R$ 300.000,00;

- Recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte acima de R$ 40.000,00;

- Realizou operações na Bolsa de Valores.

Documentos - Antes de começar a declaração é preciso separar os documentos necessários para facilitar o envio de informações. Esse planejamento facilita o processo e ajuda a diminuir divergências nos dados, primeiro passo para não cair na malha fina. “Vale lembrar que o contribuinte pode importar os dados da declaração feita em 2019, o que facilita o preenchimento. Nesse caso, é importante ficar atento em caso de retificação, valendo o número do recibo da última versão enviada para a Receita”, explica Félix de Sá, que ainda indica os documentos mais importantes para a declaração:

- Informe dos rendimentos do ano de 2019. Normalmente oferecida pelo empregador, também contém dados como contribuições ao INSS, Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF);

- Informe de rendimentos da instituição financeira com a qual opera;

- Informe de rendimentos de corretoras;

- Comprovantes de rendimento ou pagamento de aluguéis;

- Número do CPF dos dependentes;

- Comprovantes de despesas médicas, odontológicas e escolares do contribuinte e dos dependentes;

- Doações a instituições com deduções legais;

- Comprovantes de contribuições de Previdência Privada na modalidade Programa Gerador de Benefício Livre (PGBL).

- No caso de compra ou venda de bens, como carros ou imóveis, é necessário lançar na declaração a inclusão ou a retirada do bem, junto do CPF da pessoa que comprou o patrimônio ou de quem foi comprado, para evitar problemas na comparação com declarações anteriores.

Aproveite o dinheiro extra para investir - Em 2020, a Receita Federal informou que reduziu o número de lotes de restituição do Imposto de Renda Pessoa Física, de sete para cinco e que irá antecipar o pagamento das restituições. O primeiro lote está programado para o dia 29 de maio e o último previsto para 30 de setembro.

Restituição - “Essa é uma boa notícia para quem tem valores a restituir. Nesses casos uma boa opção é aproveitar o dinheiro extra para investir ou poupar. O associado do Sicredi, por exemplo, pode informar na declaração o número da conta poupança e assim fazer uma reserva financeira segura e imune às oscilações da Bolsa de Valores”, finaliza o diretor.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.800 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi)

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

{vsig}2020/noticias/03/24/sicredi/{/vsig}

SICREDI ALIANÇA: Cooperativa adota atendimento parcial para associados e beneficiários do INSS via agendamento

sicredi alianca 24 03 2020No intuito de contribuir com a prevenção ao Coronavírus (COVID-19), a Sicredi Aliança PR/SP adotará, a partir desta terça-feira (24/03), o atendimento parcial nas agências da cooperativa tanto no estado do Paraná como no estado de São Paulo. Serão atendidos presencialmente, via agendamento por telefone, somente associados e beneficiários do INSS que não possuem acesso aos canais digitais. A escala de colaboradores também será reduzida.

Cuidados e prevenção - Conforme o diretor executivo, Fernando Barros Fenner, a medida visa reforçar os cuidados e a prevenção neste momento. “Nosso compromisso com os associados e com as comunidades vai além da vida financeira. Sempre falamos em cuidar das pessoas e no nosso jeito simples, próximo e ativo. É esse nosso jeito que queremos manter. Nossos canais e telefones estão à disposição para que o associado possa seguir com suas operações. É possível contratar produtos e serviços, realizar transferências, pagar boletos, entre outros, sem sair de casa. Esperamos que com a colaboração de todos possamos voltar à normalidade o mais breve possível. Tomaremos cuidado para evitar filas e não gerar aglomerações”, disse.

Medidas necessárias - “Estamos constantemente seguindo as medidas necessárias, sempre com base nas orientações do Ministério da Saúde, da Organização Mundial da Saúde (OMS) e das demais autoridades locais de saúde pública pois precisamos manter o cuidado que temos com os associados e com os nossos colaboradores. Consulte abaixo os telefones das nossas agências”, completou.

Meios eletrônicos - A orientação é que os associados usem os meios eletrônicos (internet banking e aplicativo) que são completos e permitem a realização da maior parte das operações sem a necessidade de ir às agências. O canal telefônico também está disponível (3003 4770 para capitais e regiões metropolitanas; 0800 724 4770 para demais regiões; e 0800 724 0525 para deficientes auditivos e de fala).

Aplicativo - Para baixar o aplicativo Sicredi basta acessar a loja de apps do seu celular. Utilize também o internet banking em https://www.sicredi.com.br/.

Agendamentos - Os agendamentos somente para associados e beneficiários do INSS que não tem acesso aos canais deverão ser feitos via telefone da agência ou diretamente via fone com o gerente da conta. (Imprensa Sicredi Aliança PR/SP)

 

SICOOB CREDICAPITAL: Agência promove Campanha Consórcio do Bem

sicoob credicapital 24 03 2020Com o objetivo de fomentar as vendas de consórcios, a agência do Sicoob Credicapital, localizada na região norte de Cascavel (PR), firmou parceria com a concessionária Fancar para promover a campanha Consórcio do Bem.

Escolha - Os cooperados que adquiriram consórcios no dia da ação, 17 de março, puderam escolher uma instituição filantrópica para destinar 1% do valor como contribuição solidária.

Interesse pela comunidade - Para a gerente de agência, Mariete Chimelo, além das vantagens pessoais em adquirir um consórcio, os cooperados também têm a oportunidade de colaborar para reforçar o sétimo princípio do cooperativismo, que é o interesse pela comunidade. “Dessa forma, nosso cooperados ficam ainda mais motivados em aderir o produto”, afirma.

Diferenciais - Já a gerente de relacionamento da agência, Franchesco Pereira Martins, o evento foi uma oportunidade de fortalecer a marca do Sicoob na região e de mostrar os diferenciais do cooperativismo. “Pudemos reforçar que o nosso cooperado tem acesso a produtos e serviços de qualidade e que ele é peça fundamental para o nosso negócio, por isso só tem a ganhar”, explica. A campanha vai até o dia 31 de abril. Para mais informações, procure o seu gerente. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

ECONOMIA: Em janeiro, vendas no comércio recuam 1%, diz IBGE

O comércio varejista nacional recuou 1% em janeiro de 2020, frente a dezembro do ano passado, acumulando dois meses negativos seguidos, de acordo com a Pesquisa Mensal de Comércio, divulgada nesta terça-feira (24/03) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Foi o recuo mais intenso para o mês de janeiro desde 2016, quando o setor registrou queda de 2,6%.

Janeiro de 2019 - Em relação a janeiro do ano passado, as vendas aumentaram 1,3%. Segundo o analista da pesquisa, Cristiano Santos, mesmo com essa alta, o resultado voltou a mostrar um quadro de perda de ritmo.

Crescimento menor - “É um crescimento, mas menor a cada ano. A taxa permanece 5,4% abaixo do nível recorde alcançado em outubro de 2014”, explicou, em nota, descartando, por enquanto, qualquer impacto da pandemia do novo coronavírus (covid-19) nos resultados divulgados hoje. “Precisamos esperar os resultados dos próximos meses para avaliar”.

Comparação com dezembro - Segundo o IBGE, na comparação com dezembro, duas atividades que puxaram o resultado para baixo foram hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, com recuo de 1,2%; e combustíveis e lubrificantes, com queda de 1,4%.

Segmentos - Além desses segmentos, móveis e eletrodomésticos (-1,9%), equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-1,6%), e outros artigos de uso pessoal e doméstico (-0,2%) foram outros três em queda das oito pesquisadas. Para Cristiano Santos, “o recuo em janeiro é natural, por conta do rescaldo de datas comerciais do fim do ano, como a Black Friday e o Natal”.

Varejo ampliado - Já o comércio varejista ampliado, que inclui veículos e material de construção, o volume de vendas cresceu 0,6%, após dois meses de recuos consecutivos. Em relação a janeiro do ano passado, a alta foi mais intensa, de 3,5%, a décima taxa positiva seguida.

Veículos - O volume de vendas de veículos, motos, partes e peças cresceu 8,5% frente a dezembro do ano passado, enquanto material de construção teve queda de 0,1%.

Alta - Em relação a janeiro de 2019, o comércio de veículos subiu 10,2%. De acordo com o analista do IBGE, o aumento se explica pela queda dos juros na aquisição de veículos para pessoas físicas a partir do segundo semestre de 2019.

Juros - Santos lembrou que a taxa de juros média foi de 19,7% para janeiro de 2020, enquanto em janeiro do ano passado era de 22,4%. (Agência Brasil)

 

APS: Associação Paranaense de Suinocultores emite nota

aps destaque 24 03 2020A Associação Paranaense de Suinocultores (APS), entidade que representa os interesses dos produtores de suínos do Estado do Paraná, sejam independentes, cooperados ou integrados, emitiu uma nota para orientar, recomendar e instruir os produtores associados diante da evolução dos casos de covid-19 no Brasil. No comunicado, a APS destaca três missões fundamentais neste momento, relacionadas ao papel da própria APS e dos suinocultores paranaenses.

Clique aqui para conferir na íntegra a nota da APS

 

ABASTECIMENTO: Países sul-americanos definem normas para garantir tráfego de alimentos durante pandemia

abastecimento 24 03 2020Ministros da Agricultura de diversos países da América do Sul participaram nesta segunda-feira (23/03), a convite da ministra Tereza Cristina, de uma videoconferência para debater a harmonização de normas e garantir a fluidez do trânsito de mercadorias e o abastecimento de alimentos na região durante a pandemia do coronavírus. “É indispensável nosso alinhamento no mais alto nível político, que deverá também se refletir em instruções ágeis e claras para o plano operacional, sobretudo para a ponta, as autoridades fronteiriças”, argumentou a ministra brasileira.

Participação - Participaram da reunião virtual com Tereza Cristina os ministros Luis Eugenio Basterra (Argentina), Antonio Walker Preito (Chile), Rodolfo Max Friedmann Alfaro (Paraguai), Carlos Maria Uriarte (Uruguai), Jorge Luis Montenegro Chavesta (Peru) e Beatriz Eliane Capobiano Sandoval (Bolívia), além de representantes dos ministérios brasileiros da Infraestrutura e das Relações Exteriores.

Documento - Sob a coordenação do Conselho Agropecuário do Sul (CAS), foro ministerial de consulta e coordenação de ações regionais – hoje sob a presidência temporária do Chile, será elaborado um documento com protocolos para garantir o livre tráfego do transporte rodoviário de cargas entre os países (incluindo também a Colômbia). Os ministros decidiram criar um canal de comunicação por WhastsApp para trocarem informações com maior rapidez sobre eventuais problemas que possam ocorrer.

Cargas agropecuárias - Todos os ministros afirmaram que, apesar do fechamento de fronteiras rodoviárias para passageiros de outros países, não há restrições a cargas agropecuárias. “Precisamos nos antecipar ao que pode ocorrer, caso a situação piore”, disse Tereza Cristina, lembrando que a manutenção dos corredores sanitários é garantir não só a exportação de cada país, mas também o abastecimento local.

Impacto - Para mensurar o impacto que o comércio regional tem sobre o suprimento de alimentos, a ministra lembrou que o Brasil exportou para os vizinhos sul-americanos cerca de US$ 3,7 bilhões em produtos agropecuários, em 2019, e deles importou US$ 5,8 bilhões no mesmo período. “Temos uma grande responsabilidade ao nos somarmos a esses esforços: garantir o abastecimento e a manutenção das cadeias de alimentos, do produtor até o consumidor final”. (Mapa)

 

COSUD: Sul e Sudeste alinham estratégia para evitar desabastecimento

cosud 24 03 2020O governador Carlos Massa Ratinho Junior participou nesta segunda-feira (23/03) de uma videoconferência com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, juntamente com os demais governadores dos estados que formam o Consórcio de Integração Sul e Sudeste (Cosud).

Produtos essenciais - O colegiado decidiu que as divisas ficarão abertas ao transporte de produtos essenciais para evitar o desabastecimento. Ratinho Junior destacou as medidas adotadas pelo Paraná para não prejudicar a circulação de caminhões. Ele citou o reforço na estrutura de apoio aos motoristas em Paranaguá.

Ambiente favorável - “Criamos um ambiente favorável para atender esses profissionais neste momento tão difícil, mostrando que o Paraná se preocupa com essa atividade tão importante para a população”, afirmou o governador. “Uma área para saúde, higienização e acomodação para os caminhoneiros. Também estamos trabalhando para garantir a alimentação dessas pessoas”, disse.

Saúde - Os governadores também trataram de questões de saúde envolvendo a pandemia de coronavírus, como a necessidade da viabilização de mais testes, assim como o reforço na estrutura hospitalar de todo o País, com a disponibilização de leitos.

Decreto - Ratinho Junior ressaltou que o Governo do Estado emitiu decreto estabelecendo as 33 atividades essenciais que precisam manter o funcionamento mesmo com a orientação para se evitar a circulação. Basicamente, serviços de interesse público. Entre eles, lembrou o governador, está o transporte e entrega de cargas em geral. “Estamos atuando em sintonia constante com o governo federal”, afirmou.

Preocupação - O ministro da Infraestrutura revelou que a União busca uma unidade sobre o tema entre os Estados, impedindo que qualquer determinação mais abrangente impeça a circulação de mercadorias e remédios. “Não podemos permitir que falte produtos nos supermercados, farmácias e hospitais”, disse Gomes de Freitas.

Motorista - Entre as preocupações colocadas pelo ministro está a atenção aos motoristas. “O mesmo vale para restaurantes e oficinas localizadas na beira de estradas. Se o caminhão estragar, precisa ser concertado. E os caminhoneiros precisam se alimentar”, completou.

Compromisso - Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo se comprometeram a manter as divisas abertas, mas com reforço na fiscalização para evirar a circulação do vírus.

Agenda - O grupo voltará a se reunir virtualmente nesta quarta-feira (25/03) para avaliar as decisões tomadas pelo Governo Federal em relação ao combate ao COVID-19. Os governadores dos Estados do Sul e Sudeste também esperam agenda com o presidente da República Jair Bolsonaro.

Participantes - Participaram da reunião os governadores Eduardo Leite (Rio Grande do Sul), Carlos Moisés (Santa Catarina), João Dória (São Paulo), Wilson Witzel (Rio de Janeiro), Romeu Zema (Minas Gerais) e Renato Casagrande (Espírito Santo); os secretários de Estado Guto Silva (Casa Civil), Renê Garcia (Fazenda), Sandro Alex (Infraestrutura e Logística) e Beto Preto (Saúde); Eduardo Bekin, diretor-presidente da Invest Paraná; e o diretor-geral da Secretaria da Saúde, Nestor Werner Junior. (Agência de Notícias do Paraná)

 

DEFESA AGROPECUÁRIA: Adapar reforça trabalho nas divisas interestaduais

defesa agropecuaria 24 03 2020A Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) participa das ações do Governo do Estado nas fronteiras interestaduais para conter o avanço do coronavírus, conforme determina o Decreto nº 4230 de 16 de março. Servidores e estrutura física dos Postos de Fiscalização do Trânsito Agropecuário do Arco Norte, nas divisas com os estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, têm sido estratégicos para as ações dos órgãos públicos.

Intensificação - Nesses locais, desde sexta-feira (20/03), equipes formadas por servidores da Polícia Rodoviária Estadual, Polícia Rodoviária Federal, Exército Brasileiro, Secretaria de Estado da Saúde e Adapar intensificaram o trabalho de fiscalização.

Controle - Os fiscais de Trânsito Agropecuário e assistentes de fiscalização da Defesa Agropecuária, além de garantir o apoio necessário para o combate à pandemia do coronavírus, mantêm a rotina de controle do trânsito de animais, vegetais e produtos de origem animal e vegetal. “Essas atividades são consideradas essenciais e não podem ser interrompidas”, explica o gerente de Trânsito Agropecuário Muriel Moreschi.

Servidores - A Adapar enviou mais servidores para colaborar com os fiscais e assistentes que já atuam nos postos. “Nossos servidores conhecem bem essas regiões e podem ajudar com informações sobre volume de cargas, volume de tráfego, entre outras”, diz Moreschi.

Salvar vidas - O diretor-presidente da Adapar, Otamir Cesar Martins, destaca que neste momento o importante é salvar vidas. “Ficamos satisfeitos em saber que nossa estrutura pode e vai ajudar as ações governamentais num período de crise”. (Agência de Notícias do Paraná)

 

CORONAVÍRUS I: Mortes no Brasil sobem para 34 e casos confirmados são 1.891

covid I 24 03 2020O número de mortes decorrentes do novo coronavírus (covid-19) ficou em 34, conforme atualização do Ministério da Saúde publicada nesta segunda-feira (23/03). Até domingo (22/03), o número de pessoas que vieram a óbito estava em 25. A taxa de letalidade no Brasil está em 1,8%.

Concentração - Os falecimentos seguem concentrados em São Paulo e no Rio de Janeiro. Enquanto São Paulo registrou 30 pessoas que perderam a vida em decorrência da pandemia, foi no Rio de Janeiro que ocorreram as outras quatro fatalidades.

Casos confirmados - O total de casos confirmados saiu de 1.546 no domingo para 1.891 nesta segunda, um acréscimo proporcional de 22% e de 345 em números absolutos.

Pessoas infectadas - Como epicentro da pandemia de covid-19 no Brasil, São Paulo também lidera o número de pessoas infectadas, com 745 casos confirmados. Em seguida vêm Rio de Janeiro (233), Ceará (163), Distrito Federal (133), Minas Gerais (128) e Rio Grande do Sul (86).

Outros estados - Também registram casos confirmados Santa Catarina (68), Bahia (63), Paraná (56), Pernambuco (42), Amazonas (32), Espírito Santo (29), Goiás (23), Mato Grosso do Sul (21), Rio Grande do Norte (13), Acre (11), Sergipe (10), Alagoas (sete), Piauí (seis), Pará e Tocantins (cinco), Rondônia (três), Maranhão, Paraíba, Roraima e Mato Grosso (dois) e Amapá (um).

Semana passada- No início da semana passada, o ranking era liderado pelos estados do Sudeste e do Sul, além do Distrito Federal. O maior número de casos segue concentrado no Sudeste e no DF, mas a lista ganhou a presença do Ceará entre as primeiras colocações.

Medidas econômicas - Desde o fim da semana passada, o governo federal vem anunciando medidas econômicas diversas para a crise, como benefício a pessoas no cadastro único, liberação de compulsórios aos bancos, retirada de exigências para empregadores (como depósito do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).

Medida provisória - No domingo foi editada medida provisória prevendo a interrupção do contrato de trabalho por até quatro meses, retirando também a remuneração. A medida gerou reações negativas e o governo anunciou a revogação desse mecanismo. Nesta segunda, o presidente anunciou pacote de auxílio aos estados.

Revogação - Durante coletiva de imprensa dos ministros sobre ações contra covid-19, o secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Bianco, explicou por que houve a revogação.

Contraprestação - "As pessoas estavam entendendo que não teria nenhuma contraprestação do empregador. E não é isso que estava no texto. A ideia do texto era muito clara. Haveria uma contraprestação por parte do empregador. Um acordo entre empregados e empregadores, para que, obviamente, o empregador pagasse os custos do empregado, sempre respeitando a Constituição Federal, que garante o salário mínimo para todos. No entanto, houve uma intepretação equivocada. Diante dessa interpretação equivocada e do descasamento das medidas - que houve por conta de uma medida não ser orçamentária e outra ser orçamentária - o presidente entendeu por bem uma revogação desse dispositivo. E pediu que nós pensássemos em um novo disposito, em outra medida orçamentária".

Lançamento - O secretário também antecipou que em breve serão lançadas medidas unindo a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e a ajuda por parte do Estado para com os empregados e os empregadores, em prol da proteção do trabalho.

Transmissão comunitária - No fim da semana passada, o governo federal enquadrou todos os estados em situação de transmissão comunitária, quando não se sabe mais a origem da doença naquela localidade. Com isso, as recomendações adotadas para esses locais ficam valendo para todo o país, como o isolamento de pessoas com sintomas e familiares e restrição ao mínimo possível da circulação de idosos acima de 60 anos. (Agência Brasil)

FOTO: Pixabay

 

CORONAVÍRUS II: Paraná tem mais seis casos de coronavírus confirmados

covid II 24 03 2020A Secretaria de Estado da Saúde confirmou nesta segunda-feira (23/03) mais seis casos de coronavírus no Paraná. Os pacientes são de Curitiba (3), Cianorte (2) e Cascavel (1). As seis mulheres têm entre 28 e 53 anos e estiveram em São Paulo, Emirados Árabes e/ou contato com caso confirmado.

Casos confirmados - O Paraná tem agora 60 casos confirmados, 1.519 em investigação e 159 oficialmente descartados. O Estado aguarda a normalização do sistema do Ministério da Saúde para poder negativar aproximadamente 600 resultados emitidos pelo Laboratório Central do Estado (Lacen). A plataforma apresenta instabilidade há cerca de uma semana.

Fake news - A secretaria estadual reforça que as informações oficiais são sempre divulgadas no site e redes sociais da Saúde e do Governo do Estado. “Pedimos à população que não compartilhe notícias e informações não oficiais para evitarmos a divulgação de fake news e a instalação de pânico desnecessário. A informação de qualidade e oficial é uma forma de garantir a melhor e mais adequada orientação aos paranaenses”, disse o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto. (Agência de Notícias do Paraná)

 

SAÚDE: Estado habilita quatro laboratórios privados para testes de coronavírus

saude 24 03 2020A Secretaria de Estado da Saúde já cadastrou quatro laboratórios privados para ajudar o Laboratório Central do Estado (Lacen) na validação dos testes de pessoas suspeitas de contrair o novo coronavírus (Covid-19): Genoprimer e Unimed, em Curitiba (PR); Sabin, em Brasília (DF); e Dasa, em São Paulo (SP).

Mapeamento - O cadastramento atende uma nova metodologia proposta pelo Ministério da Saúde. Ela visa ampliar o mapeamento dos casos e, a partir de um quadro mais exato, permitir que o Estado efetive novas medidas para conter a circulação viral e prepare a rede hospitalar com intuito de isolar pacientes do Covid-19. Entre quinta-feira e domingo, mais de dez dos 54 casos confirmados vieram de laboratórios privados.

Confirmações - “Desde quinta-feira (19/03) estamos jogando nos nossos boletins todas as confirmações dos exames realizados nos laboratórios já considerados aptos para entrar nas estatísticas, o que acontece de maneira escalonada, conforme o cadastramento”, afirmou o secretário da Saúde, Beto Preto. “Ainda estamos credenciando laboratórios privados e só usamos os dados depois que eles forem aprovados em todos os critérios estabelecidos pelo Estado”.

Mais ágil - Segundo a nova metodologia, não é mais exigido o segundo teste pelo Laboratório Central do Estado (Lacen), desde que o laboratório privado que realizou ou realizará o primeiro esteja devidamente credenciado.

Protocolo anterior - O protocolo estabelecido anteriormente pelo Ministério de Saúde era de que os exames passassem obrigatoriamente pelos laboratórios de cada Estado, mesmo que já realizados por instituições privadas. Ou seja, ainda que um laboratório particular testasse positivo para o Covid-19, era necessário o envio de uma amostra do paciente para o Lacen.

Credenciamento - O decreto 4.261/2020, publicado na semana passada, normatiza o cadastramento dos laboratórios privados no Sistema Nacional de Laboratórios de Saúde Pública (SISLAB). Uma vez habilitado, o laboratório privado se compromete a informar diariamente ao Centro de Informações Estratégicas e Respostas de Vigilância em Saúde do Estado do Paraná (CIEVS) os dados dos exames, inclusive dos casos suspeitos. Amostras de casos graves e ocorrências de óbitos devem ser enviadas ao Lacen imediatamente.

Critérios - Os critérios de credenciamento são atender os requisitos sanitários da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa); comprovar a existência, no laboratório, de biologista molecular com experiência mínima de um ano na realização de testes baseados em PCR em tempo real; informar o Lacen sobre a metodologia de detecção do Covid-19; possuir Laboratório de Contenção NB2 para manipulação de amostras e disponibilidade de EPIs adequados a este nível de contenção; e enviar ao Lacen amostras com resultado detectável, em quantidade e volume determinados pela equipe técnica, para verificação de desempenho do teste.

Estado x municípios - A Secretaria de Saúde também esclarece que eventuais diferenças de números entre o boletim estadual e as secretarias municipais de saúde decorrem dos intervalos de notificação.

Registro - Segundo a normativa federal, todos os casos do País devem ser registrados por serviços públicos e privados, por meio do formulário eletrônico, dentro das primeiras 24 horas a partir da suspeita clínica. Esse formulário é cadastrado em um sistema de processamento de dados do Ministério da Saúde, compartilhado com os estados.

Emergência - A infecção humana pelo novo coronavírus é uma Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional (ESPII), segundo o Regulamento Sanitário Internacional. Portanto, trata-se de um evento de saúde pública que exige notificação imediata.

Saúde adota nova metodologia de análise dos casos - A Secretaria de Saúde adotou no domingo (22/03) uma nova metodologia para análise de casos de Covid-19. Até então prevalecia o município de notificação, mas agora é considerada a residência. A mudança facilita o monitoramento e assegura maior capacidade de verificação e circulação do coronavírus pelas equipes de saúde.

Investigação - Outra alteração é que todas as notificações de síndromes respiratórias pelos serviços de saúde passaram a constar no boletim oficial do Estado como casos em investigação. A medida cumpre a Portaria nº 454/2020, do Ministério da Saúde, que estabelece novos critérios e procedimentos a partir da constatação de “estado de transmissão comunitária do novo coronavírus em todo o Brasil”.

Transmissão comunitária - O Paraná adotou esse modelo mesmo sem ter identificado transmissão comunitária. Dessa forma, a Secretaria da Saúde garante mais transparência e efetividade de informação, e evita dados desencontrados.

Lacen pesquisará 21 vírus de uma só vez - O Laboratório Central do Estado (Lacen) incluiu no domingo (22/03) o exame para o novo coronavírus na sua Pesquisa de Vírus Respiratórios. A alteração permite análise de 21 vírus de uma só vez. Até sábado, as amostras passavam por um exame de 20 vírus e, caso nenhum fosse detectado, a amostra seguia para o teste específico de coronavírus.

Exames - O Lacen também aumentará a quantidade de exames realizados. A medida considera os novos insumos que o laboratório vai receber nos próximos dias. O local tem alta capacidade de processamento e, dessa maneira, a tendência é de identificados melhor os pacientes com Covid-19 e adotar medidas de contenção da circulação de forma ainda mais rápida. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Jaelson Lucas /AEN

 

BRASIL: Campos Neto diz que BC tem arsenal para enfrentar crise

brasil 24 03 2020O Banco Central (BC) tem um arsenal muito grande para fazer frente a qualquer tipo de crise, afirmou o presidente da instituição, Roberto Campos Neto, nesta segunda-feira (23/03), ao anunciar medidas de enfrentamento aos efeitos da pandemia do novo coronavírus na economia.

Arsenal - “O arsenal que o Banco Central tem é muito grande pra combater qualquer tipo de crise. O Banco Central está absolutamente tranquilo e o sistema financeiro nacional vai funcionar perfeitamente. Estamos aqui para prover qualquer tipo de incentivo que for necessário”, disse, em entrevista, transmitida pela internet.

Anúncio - Nesta segunda, o BC anunciou redução de depósitos compulsórios (recursos que os bancos são obrigados a deixar depositados no Banco Central) e linha de empréstimos a instituições financeiras, com garantia de debêntures (títulos privados). Além disso, foi autorizada a captação de depósito a prazo com garantia especial do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), o que permite expansão na concessão de crédito em cerca de R$ 200 bilhões, entre outras medidas para liberar recursos na economia.

Nova redução - Campos Neto afirmou que não está descartada nova redução de compulsório e que o BC estuda ainda outra medida, que seria o empréstimo do BC aos bancos, tendo como garantia a carteira de crédito. Segundo ele, o valor pode chegar a R$ 670 bilhões.

PIB - Segundo Campos Neto, o conjunto de medidas de liberação de liquidez (recursos disponíveis no mercado) anunciadas até agora pelo BC correspondem a 16,7% (R$ 1,2 trilhão) do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país. Na crise financeira internacional, de 2008, esse percentual foi menor: 3,5% (R$ 117 bilhões) do PIB. Campos Neto classificou as medidas anunciadas até agora como “o maior plano de injeção de liquidez e capital da história do país”.

Corrida por ativos seguros - Campos Neto avaliou que, com a crise, houve uma migração de investimentos de maior risco pra os de menor risco, ou seja, uma “corrida por ativos mais seguros”. “Houve grande saída de dinheiro de mercados emergentes, uma grande saída de todos os ativos de risco no mundo, com grande parte das moedas desvalorizando, principalmente as moedas de países emergentes. E a gente tem então esse fator incerteza que tem dominado o cenário nas últimas semanas. As reações dos mais diversos governos nesse ambiente de incerteza tem indicado esse grau de gravidade e nós entendemos que essas turbulências financeira vão estar conosco durante um tempo”, afirmou.

Empresas - Campos Neto disse que, enquanto para os consumidores a incerteza os leva a querer estocar comida e álcool em gel, as empresas buscam ter recursos para atravessar a crise. “O mundo empresarial não é muito diferente. As empresas, principalmente as pequenas e médias, têm incerteza de quanto tempo elas vão ter que navegar nessa crise, quanto tempo vão ter que ficar sem receber o dinheiro das atividades do dia a dia. Então, tem uma busca por liquidez. Do mesmo jeito que as pessoas se comportam tentando estocar produtos, no mundo financeiro tem uma procura maior por liquidez. É muito importante entender isso. O Banco Central tem que ter condições para garantir liquidez para ter certeza que vamos atravessar isso sem maiores problemas”, disse Campos Neto.

Ondas - Campos Neto afirmou que a crise veio em “ondas”. “Tivemos primeiro uma grande onda, com efeito mais localizado na Ásia. Existia um entendimento de que teria problema de oferta. Vários componentes produzidos na Ásia não chegariam às nossas fábricas e poderia atrapalhar a produção de bens. Era um choque de oferta. Existia uma preocupação que isso fosse criar uma ruptura no processo produtivo, que fosse ter alguns impactos na parte de emprego. Mas a economia do Brasil é relativamente fechada, então o efeito disso no Brasil seria pequeno”

Segunda onda - Segundo o presidente do BC, a segunda onda é a que veio com o isolamento social no Brasil, impactando “fortemente” o setor de serviços, responsável por 63% do PIB. Segundo ele, esse cenário foi antecipado pelo BC que começou a prover o mercado de liquidez.

Recuperação - De acordo com Campos Neto, a recuperação do setor de serviços é diferente da indústria, por exemplo, que passada a crise, pode aumentar as horas trabalhadas para produzir. “Quando deixa de consumir serviços, é difícil compensar a perda. A indústria pode recuperar o que foi perdido”, disse citando como exemplo, que não se corta o cabelo várias vezes para recuperar os dias em que não foi possível ter acesso ao serviço.

Diferente - Campos Neto disse ainda que a crise atual é diferente da de 2008. “Foi uma crise de alavancagem financeira. Alavancagem gerou a percepção de que o sistema financeiro tinha problemas. Isso permeou para a economia real. Essa crise agora é totalmente diferente. A gente tem um cenário em que os bancos estão muito menos alavancados no Brasil e no mundo. O sistema financeiro passou por uma reformulação completa. O sistema bancário está muito mais sólido. É uma crise muito mais da economia real”.

Incógnita - Questionado sobre o tempo de duração da crise, Campos Neto afirmou: “é uma incógnita para todo mundo”. “Esse é um tema do Ministério da Saúde. O que eu preciso é ter amplas condições de liquidez e capital para atravessar essa crise, de ter condições estimulativas para que a economia se recupere. As medidas que nós tomamos estão atendendo essas exigências”, afirmou. (Agência Brasil)

FOTO: Marcelo Camargo / Agência Brasil

 

EUA: Fed anuncia novas medidas para combater efeitos da covid-19

eua 24 03 2020O Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos, informou nesta segunda-feira (23/03) que começará a respaldar uma gama de créditos sem precedentes para famílias, pequenas empresas e grandes empregadores, em um esforço para compensar as "graves perturbações" econômicas causadas pela pandemia do coronavírus.

Novos programas - As medidas incluem o estabelecimento de novos programas que fornecerão empréstimos estudantis, empréstimos com cartão de crédito e empréstimos garantidos pelo governo norte-americano a pequenas empresas, bem como novos programas para comprar títulos de empregadores maiores e fazer empréstimos a eles.

Expansão - As compras existentes de Treasuries e de títulos lastreados em hipotecas serão expandidas o quanto for necessário "para apoiar o bom funcionamento do mercado e a transmissão efetiva da política monetária para condições financeiras e econômicas mais amplas".

Graves perturbações - Em comunicado, o Fed disse que o esforço, aprovado por unanimidade pelos membros do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc), foi realizado porque "ficou claro que nossa economia enfrentará graves perturbações" como resultado da crise da saúde. (Reuters / Agência Brasil)

FOTO: Pixabay

 

INTERNACIONAL I: Pandemia causará recessão global em 2020, diz FMI

internacional I 24 03 2020A pandemia do coronavírus causará uma recessão global em 2020, que poderá ser pior do que a observada durante a crise financeira global de 2008-2009, mas a produção econômica mundial deve se recuperar em 2021, disse o Fundo Monetário Internacional (FMI) nesta segunda-feira (23/03).

Ações fiscais- A diretora-gerente do FMI, Kristalina Georgieva, saudou as ações fiscais extraordinárias já tomadas por muitos países para impulsionar os sistemas de saúde e proteger empresas e trabalhadores afetados, e medidas dos bancos centrais para afrouxarem a política monetária, acrescentando: "ainda será necessário mais, especialmente no fronte fiscal".

Força - Ela disse que o FMI vai ampliar com força o financiamento de emergência, afirmando que 80 países já pediram sua ajuda. O fundo está pronto para usar toda sua capacidade de empréstimo de 1 trilhão de dólares, disse ela. (Reuters / Agência Brasil)

 

INTERNACIONAL II: Autoridades financeiras do G20 veem necessidade de parceria

internacional II 24 03 2020Os ministros das Finanças e presidentes de bancos centrais do grupo das 20 principais economias do mundo concordaram em desenvolver um plano de ação em resposta ao novo coronavírus e em monitorar de perto o impacto da epidemia nos mercados e condições econômicas, informou o Secretariado da Arábia Saudita. Um comunicado divulgado após a reunião virtual disse que uma cúpula virtual improvisada dos líderes do G20 anunciada inicialmente para esta semana se reunirá "em alguns dias", mas não mencionou uma data específica. (Reuters / Riade / Agência Brasil)

 

FOTO: Pixabay

 


Versão para impressão


RODAPE