Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4787 | 23 de Março de 2020

COVID-19 I: Sistema Ocepar adota trabalho remoto para todos os funcionários

Todos os funcionários do Sistema Ocepar estão trabalhando de forma remota a partir desta segunda (23/03). A entidade ficará fechada até a divulgação de novas orientações por parte do governo estadual e do Ministério da Saúde, de acordo com o comunicado feito pelo Comitê de Acompanhamento e Prevenção do Covid-19 do Sistema Ocepar, emitido na sexta-feira (20/03).

 

trabalho remoto 23 03 20

COVID-19 II: Cooperativas agropecuárias propõem a criação de linhas emergenciais

covid 23 03 2020As cooperativas agropecuárias estão propondo a criação de duas linhas de crédito emergenciais, com o propósito de dar mais liquidez ao setor e viabilizar a manutenção dos fluxos comerciais e de pagamentos aos cooperados, fornecedores e empregados. As demandas foram levantadas pelo Grupo Técnico de Crédito Rural do Sistema OCB juntamente com os dirigentes cooperativistas dos segmentos de aves, suínos e lácteos. A ideia é mitigar os impactos advindos da atual situação provocada pelo novo coronavírus e viabilizar a continuidade das atividades executadas pelas cooperativas. Um ofício com as sugestões foi encaminhado à ministra Tereza Cristina, nesta sexta-feira (20/03), assinado pelo presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas.

Custo financeiro - No documento, as cooperativas alertam que deve haver um déficit no fluxo de caixa das cooperativas no curto prazo, devido aos diferentes prazos de pagamento e recebimento entre cooperativas, cooperados e fornecedores. Lembram ainda que os produtores estão fixando a produção em ritmo muito mais acelerado que a média histórica, por conta da alta do câmbio, o que tem feito com que algumas cooperativas que atuam em cadeias produtivas mais intensivas em capital, como carnes e leites, já comecem a sentir os efeitos da crise. Além disso, o custo financeiro de algumas operações multiplicou em poucos dias. As CPRs (Cédulas do Produtor Rural), por exemplo, que estavam sendo negociadas entre cooperativas e bancos ao preço de 5,5% ao ano, no início da semana passada, passou para o patamar de 10% ao ano três dias após. “Em pouco tempo, dadas as repercussões muito negativas do covid-19, com possível fechamento de países inteiros, as cooperativas agropecuárias poderão se deparar com interrupção do fluxo comercial e de embarques para o exterior, com sérios impactos de deficiência de tesouraria e queda abrupta de liquidez de tais empreendimentos. Assim, torna-se urgente a implementação de medidas para assegurar a produção de alimentos em meio à crise, sendo as cooperativas as grandes responsáveis por este processo,” afirmam no ofício.

Capital de giro -Uma das sugestões é a criação de uma linha de crédito para financiamento de capital de giro, com limite de R$ 65 milhões, taxa de juros de até 6,5% ao ano e prazo total de seis anos, com dois de carência, via Programa de Capitalização das Cooperativas de Produção Agropecuária (Procap-Agro). As beneficiárias seriam as cooperativas singulares de produção agropecuária, agroindustrial, aquícola ou pesqueira, e cooperativas centrais formadas exclusivamente por cooperativas de produção agropecuária, agroindustrial, aquícola ou pesqueira. De acordo com as cooperativas, a sugestão das cooperativas é de que o Ministério possa apoiar o setor com base “nos moldes das medidas emergenciais adotadas após a crise de liquidez do mercado americano, conhecida como ‘crise de subprime’, em 2018, altamente eficaz e com repercussões muito positivas para a economia”.

Estiagem - As cooperativas estão ainda propondo a instituição de uma linha de crédito emergencial, também via Procap-Agro, visando amenizar os efeitos da estiagem que atinge o Rio Grande do Sul. “Em diversas regiões produtoras, as quebras dos principais grãos de sequeiro já ultrapassam os 50%, trazendo enormes prejuízos, não apenas aos produtores, que em sua maioria têm seus financiamentos bancários cobertos pelo Proagro ou seguro rural, mas de todos que têm seus negócios dependendo do desempenho dos primeiro, o que ocorre na maioria dos municípios do Estado, onde estes não estão cobertos por nenhum tipo de seguro”, argumenta a OCB. Denominada “Procap-Agr Emergencial Estiagem”, a linha de crédito teria como finalidade a renegociação de até 100% do montante devido à cooperativa por seu associados, em decorrência de débitos ou a vencer entre 1 de janeiro de 2020 e 30 de dezembro de 2020, desde que contraídos para aquisição de insumos para uso na safra 2019/20. O limite seria de R$ 65 milhões, com prazo de reembolso de seis anos, com carência de dois anos e taxa de juros de 6,5% ao ano.

Clique aqui e confira na íntegra o ofício do Sistema OCB encaminhado à ministra Tereza Cristina

FOTO: Jornal O Presente

 

 

COVID-19 III: Ministra diz que agroindústrias não podem parar por conta do desabastecimento

covid III 23 03 2020Diante de uma liminar emitida na última sexta-feira (20/03) por um juiz de Santa Catarina, determinando a paralisação ou redução da jornada de algumas plantas agroindústrias naquele Estado, no sábado (21/03), a rede TV CNN Brasil conversou com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, sobre o assunto. Na ocasião, ela disse que o papel do governo é se preocupar com as pessoas e com a segurança. “Eu tenho conversado com as lideranças das entidades de classe, em especial, com as de proteína animal, que representam o setor que possuem ambientes com muitas pessoas trabalhando juntas. Precisamos ter cuidado e todas essas agroindústrias já desencadearam ações de contingenciamento, tanto no ambiente do trabalho como no transporte”, frisou.

Desabastecimento - Mesmo com todas essas preocupações para que se preserve a vida, a ministra disse que essas agroindústrias não podem parar. “No mundo todo esse tipo de indústria continua funcionando, onde o coronavírus iniciou, na própria Itália, o problema é seríssimo e a indústria de alimentos continuou funcionando com todo o cuidado necessário”. Tereza Cristina frisou que estamos vivendo um momento muito difícil. “Um momento quase de guerra, mas com bom senso e equilíbrio, diálogo e informação, vamos poder continuar produzindo alimentos e sem desabastecimento. O Decreto 10.282 traz uma unidade nas ações de todos os governos em relação a esta situação emergencial e temos que conversar com o Poder Judiciário e o setor apresentar o que já está sendo feito no aspecto da segurança de seus funcionários”.

Decreto - No dia 20 de março, foram publicados no Diário Oficial da União, o Decreto nº 10.282 e a Medida Provisória 296 especificam quais serviços essenciais que não devem ser interrompidos durante o período de combate ao coronavírus e, também, estabeleceram novos procedimentos para simplificar as compras públicas destinadas ao enfrentamento da emergência de saúde pública.

Link - Clique no link abaixo para conferir a entrevista da ministra da Agricultura, Tereza Cristina.

https://youtu.be/QksxG0f57Ys

 

COOPERATIVISMO: AGO e coronavírus: recomendações

cooperativismo 23 03 2020A pandemia causada pelo coronavírus tem impactado a vida de milhões de pessoas ao redor do mundo. A rotina de todos está sendo ajustada e isso também inclui as cooperativas e suas assembleias gerais. A Organização Mundial da Saúde recomenda que se evite aglomerações, suspendendo aulas, restringindo transporte público, locais de trabalho e, até, quarentenas ou isolamentos. Mas como realizar uma Assembleia Geral Ordinária (AGO) – evento exigido pela legislação nesse contexto de transmissão da Covid-19?

Comunicado - Pensando em orientar as cooperativas, a OCB emitiu um comunicado sobre o assunto (clique aqui). O documento também apresenta as respostas do Departamento de Registro Empresarial e Integração para as consultas realizadas pela Organização.

Crédito - No caso das cooperativas de crédito, a pedido da OCB, o Banco Central também emitiu um comunicado.  Confira aqui. (Informe OCB)

 

EMPREGO: Revista Globo Rural destaca trabalho de imigrantes em cooperativas do Paraná

emprego I 23 03 2020Com a manchete “Cooperativas do agro empregam cada vez mais imigrantes no Paraná”, a revista Globo Rural deste mês relata sobre a vida de diversos imigrantes que conquistaram uma oportunidade, por meio de trabalho digno em várias cooperativas paranaenses. Segundo o imigrante haitiano, Robentho Exilus, auxiliar de produção da cooperativa C.Vale, de Palotina, “Minha esposa trabalha na cooperativa. Já temos casa própria e estamos começando a construir mais uma para ter como patrimônio. O que sobra mandamos para familiares no Haiti. O Brasil é a nossa pátria, e a C.Vale nossa segunda família”, disse. Veja a matéria completa no link abaixo.

https://revistagloborural.globo.com/Noticias/Economia/noticia/2020/03/cooperativas-do-agro-empregam-cada-vez-mais-imigrantes-no-parana.html

 

SICREDI VALE DO PIQUIRI: Cooperativa adota medidas de precaução e apoia associado a superar crise do coronavírus

Diante da pandemia gerada pelo coronavírus, a Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP está tomando uma série de medidas de precaução para proteger seus associados e colaboradores. A cooperativa está fazendo a sua parte para evitar a propagação do Covid-19 e segue as orientações do Ministério da Saúde.

Canais digitais - Para evitar a circulação de pessoas nas agências físicas, o Sicredi recomenda que os associados utilizem preferencialmente os canais digitais. Por meio do aplicativo (disponível para IOS e Android) e Internet Banking, é possível fazer consultas, realizar operações e contratar produtos financeiros, de maneira prática, segura e rápida. Há também os canais telefônicos que podem ser utilizados para tirar dúvidas. Associados em capitais e regiões metropolitanas podem ligar para 3003-4770; em demais regiões, 0800 724-4770.

Colaboradores - Além disso, a Sicredi Vale do Piquiri está reduzindo o quadro de colaboradores nas agências. Caso a visita à agência seja inevitável, os caixas automáticos seguem funcionando normalmente, porém a recomendação é que os associados procurem o serviço nos horários de menor movimento e utilize o álcool em gel disponível no local. Os gerentes continuam à disposição por telefone e WhatsApp. Com o objetivo de dar suporte aos associados e à manutenção da atividade econômica, o Sicredi irá manter as linhas de crédito.

Suspensão - Para minimizar os impactos aos colaboradores, o Sicredi suspendeu por tempo indeterminado reuniões, treinamentos e eventos corporativos em locais fechados. Diariamente, todos estão sendo orientados sobre os cuidados com a higiene pessoal e dos ambientes de trabalho para evitar a contaminação.

Valores - As ações refletem os valores do Sicredi, uma instituição financeira simples, próxima, ativa e que está ao lado dos mais de 4,5 milhões de associados em todos os momentos.

Sobre a Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP- A Sicredi Vale do Piquiri é uma cooperativa com 31 anos de história e mais de 144 mil associados, distribuídos em 82 agências. A Cooperativa atua nas regiões Oeste e Noroeste do Paraná, além de São Paulo (capital) e ABCD Paulista. A instituição se destaca pelo atendimento aos associados e pela preocupação com o desenvolvimento da comunidade.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.700 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP)

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

 

sicredi vale piquiri 23 03 2020

UNIMED CURITIBA: Nota de esclarecimento alerta para golpes aplicados em nome da cooperativa

A Unimed Curitiba emitiu uma nota de esclarecimento alertando para golpes que estão sendo aplicados em nome da cooperativa, por oportunistas que estão aproveitando esse momento de vulnerabilidade e fragilidade vivenciado por conta do novo coronavírus. Há pessoas entrando em contato por telefone para comercializar produtos, como vitamina D, como se fossem representantes da Unimed Curitiba, com o argumento de aumentar a imunidade. Também estão ligando para informar sobre o resultado de um processo seletivo. A cooperativa informa que as duas situações são inverídicas e que já adotou as medidas necessárias para os casos.

unimed curitiba nota esclarecimento 23 03 2020

 

COCARI: Cooperados aprovam balanço patrimonial de 2019 e planejamento para 2020

Conforme determina a Lei 5764/71, as cooperativas de produção agropecuária, entre outras, exceto as de crédito, devem realizar assembleias até 31 de março de cada ano. Dessa forma, a Cocari publicou edital de convocação em 7 de março de 2020 para realização de Assembleias Extraordinária e Ordinária no dia 20 de março. Em função da pandemia do coronavírus, a Organização Das Cooperativas Brasileiras – OCB formulou consulta aos órgãos competentes sobre a possibilidade de dilação do prazo limite de 31 de março para realização das assembleias, assegurando assim a validade dos atos tomados pelos dirigentes após esta data, porém no caso de cooperativas de produção agropecuária não obtivemos autorização formal.

Medidas - Em função do exposto, a cooperativa respeitou a legislação em vigor e adotou todas as medidas de segurança vigentes, de forma especial, a utilização de álcool gel, distância mínima entre as pessoas e o número de participantes, também, atendeu à Lei 5764/71 e decretos vigentes em 20/03/2020 referentes à pandemia.

AGO E AGE - Assim, cumprindo as orientações legais e sanitárias vigentes no país e obedecendo a Lei 5.764/71, que determina o prazo de realização das Assembleias Ordinárias das cooperativas de produção, a Cocari realizou as Assembleias Gerais Ordinária e Extraordinária no dia 20 de março, respeitando as medidas de cautela necessárias.

Participantes - Prestando contas aos cooperados sobre o exercício de 2019 e apresentando o planejamento para o ano de 2020, a Cocari reuniu diretores, representantes dos Conselhos de Administração e Fiscal, cooperados, colaboradores e assessores na Associação Atlética da cooperativa, em Mandaguari-PR.

Pré-assembleias - A Assembleia Geral Ordinária tratou do balanço patrimonial do exercício de 2019 e a aprovação do planejamento para 2020. Os temas abordados foram debatidos previamente nas pré-assembleias realizadas nas regiões de ação da Cocari, das quais participaram 2002 pessoas, nos municípios do Paraná, Goiás e Minas Gerais. Ao todo, foram feitas 30 reuniões com os associados e representantes da cooperativa.

Orientações aos cooperados - O presidente da Cocari, Vilmar Sebold, enfatizou que neste momento não é possível paralisar as atividades da cooperativa. “É preciso ter sabedoria para haver uma preparação para o futuro. Cada um deve fazer o que estiver a seu alcance. Na cooperativa, os associados devem procurar resolver o que for possível por telefone, agendar o atendimento e, a partir disso, as unidades se organizarão para atenderem uma pessoa por vez”, recomendou.

Prosseguimento das atividades - O vice-presidente da cooperativa, Marcos Trintinalha, destacou que as assembleias são a fase final daquilo que já foi debatido nas pré-assembleias. “Nessas reuniões, tivemos uma discussão mais aprofundada e foi nesses encontros que ocorreram as definições. Na assembleia, os números foram novamente apresentados e se aprovou o balanço. Sabemos que a cooperativa não consegue continuar trabalhando se não tiver suas contas e os balanços aprovados. Agradecemos aqueles que compareceram para que houvesse continuidade no processo de trabalho dentro da cooperativa”, salientou.

Respeito ao cooperado - Para o cooperado Paulo Paggi, de Mandaguari-PR, a AGO foi feita com responsabilidade, demonstrando respeito pelos cooperados. “A cooperativa mostrou preocupação com o que está sendo noticiado na mídia e fomos recebidos com o zelo necessário”. O cooperado ressaltou a transparência nas apresentações da assembleia. “É preciso destacar a sinceridade da diretoria, expondo as demonstrações, as sobras, o que está acontecendo realmente na cooperativa”. Segundo Paggi, os produtores podem confiar no trabalho da Cocari. “Nós, produtores, temos que acreditar que estamos sendo bem guiados, com responsabilidade, com visão lá na frente, e saber que nós vamos sobreviver. Nós somos os responsáveis pela produção de alimentos para todos e a cooperativa é nossa fortaleza diante disso tudo. Nós temos que acreditar que somos vencedores. A cooperativa está demonstrando isso realizando um trabalho responsável nos momentos bons e também nos de crise, acreditando nos números e olhando para o futuro”, disse.

Preservação da vida - No entendimento do presidente da Cocari, Vilmar Sebold, a responsabilidade de assumir mais um mandato não se restringe ao compromisso com os associados e colaboradores, mas também com suas famílias e com a sociedade em que a Cocari está inserida. “Temos diversos programas sociais e ambientais. Além disso, com a intercooperação com a Aurora e a sociedade com a Coonagro, em que estão reunidas nove cooperativas, temos uma grande quantidade de pessoas pelas quais a Cocari é responsável. A prioridade dessa nova gestão será preservar a vida das pessoas e preservar a cooperativa, para que ela tenha condições de ser um esteio tanto para os colaboradores quanto para os produtores”, afirmou.

Agradecimentos - Segundo o vice-presidente da cooperativa, Marcos Trintinalha, para a eleição, foi realizado um treinamento com algumas lideranças dentro da comunidade onde a Cocari atua e formou-se uma chapa representando diversos setores dentro da cooperativa. “Agradecemos a confiança do cooperado em querer que nós continuemos aqui e gostaríamos de pedir para que fiquem tranquilos, porque continuaremos fazendo o melhor, sempre focados e voltados para as necessidades dos nossos associados, independentemente do tamanho de sua propriedade. A diretoria assume esse compromisso de continuar esse processo de seriedade e responsabilidade”, finalizou.

Conselho de Administração:

Vilmar S. Sebold - Presidente do Conselho de Administração

Marcos Antonio Trintinalha – Vice-Presidente do Conselho de Administração

João Carlos Obici – Diretor Executivo

Carlos Roberto Favoretto

Celso Santana de Oliveira

Dorival Malacario

João Paulo da Rocha

José Carlos Rosseto

Mauro Rodrigues da Silva

Ricardo Taliari

Waldemar Leandro Renzi Pimentel

Conselho Fiscal:

Membros Efetivos:                                    

Antonio Marcos Sossai                    

Miqueias Tagliari                             

Aguinelo Luiz Feltrin                        

Suplentes:

Erik Henrique Trovo Bonini              

José Flávio Bernal Gomes                

Valter Luiz Milani                            

(Imprensa Cocari)

{vsig}2020/noticias/03/23/cocari/{/vsig}

CASTROLANDA: Agroleite prorroga prazo para início de locação de áreas e comercialização de cotas de patrocínios

agroleite 23 03 2020A organização do Agroleite anunciou, na manhã de sexta-feira (20/03), a prorrogação do prazo para o início das locações de áreas e comercialização de cotas de patrocínio para o dia 15 de abril. A medida adotada atende ao decreto do Governo do Estado do Paraná para o enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do coronavírus covid-19.

Segurança - Para garantir a segurança de todos adotou a política de home office e o atendimento nesse período está sendo exclusivamente online.

Suspensão - Por hora, a organização alerta e estabelece a suspensão de qualquer reunião, evento e/ou afins nas empresas e demais recintos da Cidade do Leite.

20ª edição - O Agroleite 2020 será realizado de 11 a 15 de agosto na Cidade do Leite e Parque de Exposições Dario Macedo, em Castro, Paraná. A última edição teve a presença de 75 mil pessoas, 259 expositores e movimentou R$ 78 milhões em negócios. (Imprensa Agroleite)

(Imprensa Agroleite)

 

EXECUTIVO: Governo federal publica MP com alterações temporárias nas relações trabalhistas

executivo 23 03 2020Foi publicada, em edição extra do Diário Oficial da União, na noite deste domingo (22/03), a Medida Provisória nº 927, que dispõe sobre as medidas trabalhistas para enfrentamento do estado de calamidade pública, reconhecido pelo Decreto Legislativo nº 6, de 20 de março de 2020, e da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do coronavírus ( covid-19 ). A Federação e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Fecoopar) está realizando uma análise sobre MP, que deverá ser divulgada logo que for concluída.

Clique aqui para conferir na íntegra a Medida Provisória 927/2020

 

FOCUS: Mercado financeiro reduz estimativa de crescimento da economia para 1,48%

focus 23 03 2020Em meio à pandemia de covid-19, pela sexta semana seguida as instituições financeiras consultadas pelo Banco Central (BC) reduziram a estimativa de crescimento da economia do país em 2020. De acordo com o boletim Focus, a previsão de expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – para este ano caiu de 1,68% para 1,48%.

Projeções - O boletim semanal do BC traz as projeções de instituições financeiras para os principais indicadores econômicos nos próximos anos. As previsões do mercado para o PIB de 2021, 2022 e 2023 continuam em 2,50%.

Dólar - Já a cotação do dólar deve fechar o ano em R$ 4,50. Para 2021, a expectativa é que a moeda americana continue no patamar alto e encerre o ano em R$ 4,29.

Inflação - As instituições financeiras consultadas pelo BC também reduziram a previsão de inflação de 2020. A projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) – a inflação oficial do país – caiu de 3,10% para 3,04%.

2021 - Para 2021, a estimativa de inflação também foi reduzida, de 3,65% para 3,60%. A previsão para os anos seguintes, 2022 e 2023, não teve alterações e permanece em 3,50%.

Centro da meta - A projeção para 2020 está abaixo do centro da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. A meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 4% em 2020, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Para 2021, a meta é 3,75% e para 2022, 3,50%.

Selic - Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, estabelecida atualmente em 3,75% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom). Para o mercado financeiro, a expectativa é que a Selic seja mantida nesse patamar até o fim de 2020.

Manutenção - A manutenção da Selic, como preveem as instituições financeiras, indica que o Copom considera as alterações anteriores suficientes para atingir a meta de inflação.

Redução - Quando o Copom reduz a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica. Quando o Copom aumenta a taxa básica de juros, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Expectativa - Para 2021, a expectativa é que a taxa básica suba para 5,25% ao ano. Para 2022 e 2023, as instituições estimam que a Selic termine os períodos em 6% ao ano e 6,25 ao ano, respectivamente. (Agência Brasil)

FOTO: EBC

 

BC: Banco anuncia redução de compulsório e empréstimo a instituições

banco central 23 03 2020O Banco Central (BC) reduziu depósitos compulsórios e anunciou linha de empréstimos a instituições financeiras na manhã desta segunda-feira (23/03). A decisão faz parte do conjunto de ações adotadas pelo BC para minimizar os efeitos do coronavírus (covid-19) sobre a economia brasileira.

Alíquota - O BC reduziu a alíquota do compulsório sobre recursos a prazo de 25% para 17%. Segundo o BC, a medida é temporária. “A medida tem o objetivo de aumentar a liquidez do Sistema Financeiro Nacional”. A redução de compulsórios, recursos que os bancos são obrigados a deixar depositados no BC, pode levar à injeção de até R$ 68 bilhões na economia, a partir do dia 30 deste mês.

Recomposição - “Em 14 de dezembro, caso a economia tenha atravessado a pandemia do covid-19, a alíquota do compulsório sobre recursos a prazo será recomposta ao patamar anterior de 25%”, diz o BC, em nota.

Empréstimos - O BC anunciou ainda que o Conselho Monetário Nacional (CMN) o autorizou a concessão de empréstimos a instituições financeiras garantidos em debêntures adquiridas entre 23 de março e 30 de abril de 2020. Segundo o BC, é uma Linha Temporária Especial de Liquidez (LTEL).

Liquidez - “O objetivo da linha é prover liquidez ao mercado secundário de dívida corporativa, fortemente afetado pela recente turbulência verificada nos mercados financeiros internacional e nacional, fruto dos reflexos da propagação do coronavírus (covid-19).”

Garantia adicional - Além das debêntures, o BC manterá, como garantia adicional, os recolhimentos compulsórios do banco no mesmo montante da operação. “Com a medida, o BC espera aumentar a liquidez no mercado secundário de dívida privada, minimizando os efeitos da crise sobre o mercado de capitais”, destacou.

Instrumento - “A adoção de linhas especiais de liquidez lastreadas em títulos de dívida privada vem sendo um instrumento amplamente usado pelos principais BCs do mundo em reposta à crise provocada pela propagação do coronavírus (covid-19), dentro de seus arcabouços e competência”, finalizou o BC, em nota.

Captação de recursos - O BC também informou que “as incertezas ocasionadas pela crise sanitária mundial sobre a economia têm aumentado a aversão ao risco e podem interferir negativamente na captação de recursos pelas instituições financeiras”. “Para reforçar a capacidade de resposta ao regular funcionamento do Sistema Financeiro Nacional (SFN), o Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou hoje a Resolução nº 4.785, que autoriza a captação de Depósito a Prazo com Garantia Especial do Fundo Garantidor de Crédito (FGC)”.

Modalidade - “Conhecido no mercado como DPGE1, essa modalidade de depósito a prazo é garantida pelo FGC até o limite de R$20 milhões por titular e foi um instrumento utilizado com sucesso para dar liquidez ao mercado no momento de stress provocado pelos efeitos da crise mundial de 2008 no Brasil”. (Agência Brasil)

FOTO: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

 

BNDES: Banco injeta R$55 bilhões para enfrentar emergência do coronavírus

bndes destaque 23 03 2020O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) vai injetar R$ 55 bilhões na economia brasileira, para contribuir com a contenção da pandemia do novo coronavírus. As medidas socioeconômicas de execução imediata foram aprovadas em caráter emergencial e anunciadas neste domingo (22/03) pelo presidente do banco, Gustavo Montezano, em transmissão ao vivo pelo Youtube para jornalistas.

Quatro medidas - Serão quatro medidas com duração de seis meses: R$ 20 bilhões virão da transferência de recursos do Fundo PIS-Pasep para o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), a ser gerido pelo Ministério da Economia; R$ 19 bilhões da suspensão temporária de pagamentos de parcelas de financiamentos diretos para empresas, tanto o principal quanto os juros, chamada de standstill; R$ 11 bilhões em standstill de financiamentos indiretos para empresas; e R$ 5 bilhões com a ampliação do crédito para micro, pequenas e médias empresas por meio dos bancos parceiros.

Pequena e média - “Nós estamos ampliando a nossa oferta de crédito para pequena e média empresa. Das micro a empresas com até 300 milhões de faturamento anual poderão ter acesso ao Capital de Giro BNDES, via repassador financeiro. O banco tem esse caixa disponível, financiando em até 5 anos, com 2 anos de carência, e o limite máximo é de R$ 70 milhões para cada tomador”.

Apoio direto e indireto - Montezano explicou que as medidas apoiam o trabalhador de forma direta, com a possibilidade de novos saques do FGTS, e indireta, ao ajudar na manutenção da capacidade financeira de 150 mil empresas, que empregam mais de 2 milhões de pessoas. O presidente do banco destacou que o valor das medidas é quase igual ao total desembolsado no ano passado pelo BNDES, de R$ 60 bilhões.

Inédito - Ele lembrou que o momento é inédito, por se tratar de uma crise na saúde com reflexos na economia, e que o banco tem se preparado para o desconhecido.

Trabalho - “O banco vem trabalhando silenciosamente nas duas últimas semanas. Fizemos modificações técnicas e hoje temos condições técnicas de trabalhar com 100% dos funcionários de casa. Agora podemos iniciar nossa missão crítica, que é essa missão anticíclica do BNDES”.

Medidas setoriais - Montezano destacou que as medidas anunciadas neste domingo são apenas o primeiro passo, com ações transversais que abarcam todos os setores da economia presentes na carteira de crédito do banco e os cidadãos com o FGTS. Para a próxima semana, o banco já estuda medidas setoriais, com destaque para as companhias aéreas, turismo, bares e restaurantes e estados e municípios.

Liquidez adicional - “A gente acredita que conseguimos dar liquidez adicional de R$ 10 a R$ 20 bilhões para este segmento. Porém, é importante que essa coordenação seja feita em conjunto com o tesouro Nacional. Então o ministro Paulo Guedes, com o secretário [do Tesouro] Mansueto [Almeida], estão conduzindo essa negociação. É importante que o pacto federativo e o Plano Mansueto sejam encaminhados”.

Aéreas - Para o setor aéreo, Montezano destacou que o objetivo é dar suporte financeiro para a reestruturação das companhias. “Vai ser um suporte setorial, não vai ser só para uma empresa. Estamos pensando em produtos que abarquem as grandes empresas, outros para as regionais e também para as fabricantes de aviões”.

Pagamento - Ele adiantou que os recursos públicos não poderão ser usados para pagar credores privados e têm que ser usados para as operações brasileiras das empresas. Para o turismo, bares e restaurantes, o presidente do banco informou que a ideia é dar um apoio transitório, já que, segundo ele, “a crise vai passar”.

Oxigênio - “É um oxigênio para o setor cruzar a ponte. Mas só viremos a público quando tivermos a certeza de anunciar algo concreto e material e que esteja disponível no curto prazo para esses empreendedores”.

Ações - Respondendo a perguntas dos jornalistas, o presidente do BNDES explicou também que as vendas de ações do banco estão suspensas, já que o mercado está numa situação muito volátil, assim como a devolução de recursos ao Tesouro.

Mercados - “A gente está esperando uma normalização dos mercados. Quando isso vier a gente volta a discutir um eventual desinvestimento do banco. Da mesma forma que a devolução ao Tesouro. A gente estava discutindo se a gente faria e o quanto faria de pré-pagamentos da dívida com o Tesouro. Mas a instrução que nós recebemos, tanto do Tesouro quanto do Ministério da Economia, é que a gente focasse, nesse momento, todos os nossos esforços na superação da crise”.

Abertura remota - A coletiva foi aberta remotamente pelo presidente Jair Bolsonaro, que lembrou da importância das medidas para ajudar na manutenção de empregos. “Com essas medidas iniciais do BNDES, o banco faz jus ao S de social”.

Letalidade - Ele destacou também a letalidade do coronavírus. “Reconhecemos que o vírus tem que ser tratado com o devido cuidado. Ele pode ser fatal para certas camadas da sociedade, os mais idosos ou aqueles que têm problemas de saúde, isso nos preocupa e muito. É a vida em primeiro lugar”. (Agência Brasil)

Clique aqui para conferir uma apresentação com os principais pontos do Plano Emergencial do BNDES

FOTO: Divulgação BNDES

 

MAPA: Decreto define vigilância agropecuária como atividade essencial ao país

mapa 23 03 2020O governo federal publicou um decreto que define como serviços públicos e atividades essenciais a vigilância e certificações sanitárias e fitossanitárias, a prevenção, controle e erradicação de pragas dos vegetais e de doença dos animais e a vigilância agropecuária internacional.

Definição - O Decreto nº 10.282, publicado em edição extra na sexta-feira (20/03), regulamenta a Lei nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020, para definir os serviços públicos e as atividades essenciais.

Resguardar - Segundo o decreto, as medidas previstas na Lei nº 13.979, de 2020, deverão resguardar o exercício e o funcionamento dos serviços públicos e atividades essenciais citados. São serviços públicos e atividades essenciais aqueles indispensáveis ao atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade, assim considerados aqueles que, se não atendidos, colocam em perigo a sobrevivência, a saúde ou a segurança da população.

Proibição - O decreto também proíbe a restrição à circulação de trabalhadores que possa afetar o funcionamento de serviços públicos e atividades essenciais e de cargas de qualquer espécie que possam acarretar desabastecimento de gêneros necessários à população. As limitações de serviços públicos e de atividades essenciais, inclusive as reguladas, concedidas ou autorizadas, somente poderão ser adotadas em ato específico e desde que em articulação prévia do órgão regulador ou do poder concedente ou autorizador.

Cumprimento - Para o cumprimento do Decreto, os órgãos públicos e privados disponibilizarão equipes devidamente preparadas e dispostas à execução, ao monitoramento e à fiscalização dos serviços públicos e das atividades essenciais. Segundo o Decreto, devem ser adotadas todas as cautelas para redução da transmissibilidade da Covid -19 na execução dos serviços públicos e das atividades essenciais.

Atividades - Também são consideradas essenciais, segundo o decreto, atividades como transporte e entrega de cargas em geral, produção, distribuição e comercialização de combustíveis e derivados, assistência à saúde, assistência social e atendimento à população em estado de vulnerabilidade, atividades de segurança pública e privada, transporte intermunicipal, interestadual e internacional de passageiros e o transporte de passageiros por táxi ou aplicativo, telecomunicações e internet, captação, tratamento e distribuição de água, captação e tratamento de esgoto e lixo, geração, transmissão e distribuição de energia elétrica e de gás, iluminação pública, serviços funerários, entre outros.

Outros - O Comitê de Crise para Supervisão e Monitoramento dos Impactos da Covid-19 poderá definir outros serviços públicos e atividades considerados essenciais.

Medida Provisória- Na mesma edição, o governo publicou uma Medida Provisória com mudanças na Lei nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020.

Entrada e saída do país - Segundo a MP 926, quando forem adotadas medidas de restrição excepcional e temporária de entrada e saída do país, elas deverão resguardar o exercício e o funcionamento de serviços públicos e atividades essenciais. Também proíbe a restrição à circulação de trabalhadores que possa afetar o funcionamento de serviços públicos e atividades essenciais. (Mapa)

 

PARANÁ: Decreto lista atividades essenciais que podem seguir funcionando

parana decreto 23 03 2020O governador Carlos Massa Ratinho Junior assinou no sábado (21/03) um decreto (4.317/2020) que orienta pela suspensão de serviços comerciais e atividades não essenciais e lista 25 segmentos que devem continuar a funcionar normalmente (veja abaixo).

Mais severas - O texto que propõe medidas restritivas mais severas sobre a atividade econômica busca reduzir a circulação de pessoas e, desta forma, reforçar o enfrentamento contra a pandemia do novo coronavírus.

Contenção da circulação - A decisão se soma ao fechamento de shopping centers, academias, escolas públicas e privadas. “Estamos avaliando as necessidades diariamente, seguindo orientação das autoridades sanitárias do Estado. Nesse momento, essa recomendação é imperativa”, afirmou Ratinho Junior. “Todos os esforços estão direcionados na contenção da circulação do coronavírus, pedimos essa colaboração da iniciativa privada”.

Pacote - Segundo Ratinho Junior, o governo estadual divulgará um pacote de medidas para reduzir o impacto da pandemia sobre a atividade econômica, atendendo necessidades de empresas, segmentos econômicos e pessoas atingidas pelas perdas financeiras decorrentes da desaceleração da economia.

Normativas - O decreto considera normativas estabelecidas pela lei federal 13.979/20, regulamentada pelo decreto 10.282/20, a Medida Provisória 926/20 e o decreto estadual 4.230/20. Pelo texto, são considerados serviços e atividade essenciais, que não podem ser interrompidos:

- tratamento e abastecimento de água, produção e distribuição de energia elétrica, gás e combustíveis;

- assistência médica e hospitalar;

- assistência veterinária;

- produção, distribuição e comercialização de medicamentos para uso humano e veterinário e produtos odonto-médico-hospitalares, inclusive na modalidade de entrega delivery e similares;

- produção, distribuição e comercialização de alimentos para uso humano e veterinário, inclusive na modalidade de entrega delivery e similares;

- agropecuários para manter o abastecimento de insumos e alimentos necessários à manutenção da vida animal;

- funerários;

- transporte coletivo, inclusive serviços de táxi e transporte remunerado privado individual de passageiros;

- fretamento para transporte de funcionários de empresas e indústrias cuja atividade esteja autorizada ao funcionamento;

- transporte de profissionais da saúde e de coleta de lixo;

- captação e tratamento de esgoto e lixo;

- telecomunicações;

- guarda, uso e controle de substâncias radioativas, equipamentos e materiais nucleares;

- processamento de dados ligados a serviços essenciais;

- imprensa;

- segurança privada;

- transporte de cargas de cadeias de e fornecimento de bens e serviços;

- serviço postal e o correio aéreo nacional;

- controle de tráfego aéreo e navegação aérea;

- compensação bancária;

- atividades médico-periciais relacionadas com o regime geral de previdência social e a assistência social;

- atividades médico-periciais relacionadas com a caracterização do impedimento físico, mental, intelectual ou sensorial da pessoa com deficiência, por meio da integração de equipes multiprofissionais e interdisciplinares, para fins de reconhecimento de direitos previstos no Estatuto da Pessoa com Deficiência;

- outras prestações médico-periciais da carreira de Perito Médico, indispensáveis ao atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade;

- setores industriais;

- setores da construção civil.

(Agência de Notícias do Paraná)

Clique aqui para conferir na íntegra o Decreto Estadual 4.317/2020

 

ECONOMIA: Receita Federal suspende prazos de atos processuais

receita federal 23 03 2020A Receita Federal suspendeu temporariamente o prazo para atos processuais e procedimentos administrativos como forma de diminuir os efeitos da pandemia do novo coronavírus. Dessa forma, estão suspensos atos como a emissão eletrônica automática de aviso de cobrança e intimação para pagamento de tributos, a notificação de lançamento da malha fiscal da pessoa física e a exclusão de contribuinte de parcelamento por inadimplência de parcelas.

Atendimento presencial - O atendimento presencial nas unidades regionais da Receita Federal ficará restrito até o dia 29 de maio e será realizado por meio de agendamento prévio obrigatório para os seguintes serviços:

- regularização de Cadastro de Pessoa Física (CPF)

- cópia de documentos relativos à Declaração de Ajuste Anual de Imposto sobre a Renda da Pessoa Física e à Declaração do Imposto sobre a Renda Retido na Fonte (Dirf)

- parcelamentos e reparcelamentos não disponíveis na internet

- procuração RFB

- protocolo de processos relativos aos serviços de: análise e liberação de certidão de regularidade fiscal perante a Fazenda Nacional; análise e liberação de certidão de regularidade fiscal de análise e liberação de certidão para averbação de obra de construção civil, retificações de pagamento e Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica.

Centro Virtual - Segundo a portaria, para os serviços que não estão relacionados, o interessado deve buscar atendimento por meio do Centro Virtual de Atendimento (e-CAC) para agendar ou reagendar o atendimento presencial para depois do dia 29 de maio.

Imposto de Renda - O Sindicato Nacional dos Auditores-Fiscais da Receita Federal (Sindifisco Nacional) solicitou à Receita Federal a ampliação do prazo para entrega da Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física deste ano até o dia 31 de maio. Por meio de ofício, o sindicato propôs uma série de medidas ao órgão para ajudar no enfrentamento à pandemia provocada pelo coronavírus.

Necessidade - Segundo o documento, o adiamento do prazo de entrega do imposto de renda é necessário já que “necessidade de isolamento social pode dificultar o recolhimento de documentos necessários ao preenchimento da declaração e o contato com contadores”.

Priorização - O ofício também propõe a priorização da análise das restituições do imposto de renda, para que todos os lotes sejam pagos até o fim de agosto. Outra demanda do Sindifisco é a suspensão, até o fim de abril, de todos os prazos fiscais (atendimento a intimações, envio de declarações e recolhimento de tributos). (Agência Brasil)

FOTO: Marcelo Camargo / Agência Brasil

 

SAÚDE I: Campanha de vacinação contra gripe começa nesta segunda em todo o país

saude I 23 03 2020Começa nesta segunda-feira (23/03) a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe. De acordo com Ministério da Saúde, nesta primeira etapa os públicos prioritários são idosos e trabalhadores da saúde. Mais duas etapas serão realizadas para públicos diferentes.

Abrangência - Ao todo, a campanha pode atingir cerca de 67,6 milhões de pessoas em todo o país. A meta é vacinar, pelo menos, 90% de cada um desses grupos até o dia 22 de maio. Para alcançar esse público foram investidos R$ 1 bilhão na aquisição de 75 milhões de doses da vacina.

Dia D - O dia “D” de mobilização nacional para a vacinação acontece em 9 de maio (sábado). Nessa data, os 41 mil postos de saúde ficarão abertos para atender a todos os grupos prioritários. Neste ano, a campanha foi antecipada de abril para março para reforçar a proteção aos públicos prioritários contra os vírus mais comuns da gripe.

Novo coronavírus - A vacina contra influenza não tem eficácia contra o coronavírus. No entanto, em virtude da pandemia de coronavírus, poderá auxiliar profissionais de saúde na exclusão do diagnóstico para o covid-19, já que os sintomas são parecidos.

Casos mais graves - Segundo o ministério, casos mais graves de infecção por coronavírus têm sido registrados pelo mundo em pessoas acima de 60 anos, grupo que corresponde a 20,8 milhões de pessoas no Brasil. Por isso, a primeira etapa da campanha contempla esse público.

Próximas etapas - A etapa seguinte da campanha terá início no dia 16 de abril, com o objetivo de vacinar doentes crônicos, professores (rede pública e privada) e profissionais das forças de segurança. A última fase, que começa no dia 9 de maio, dará prioridade a crianças de 6 meses a menores de 6 anos, pessoas com 55 a 59 anos, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas com deficiência, povos indígenas, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas e população privada de liberdade.

Doses - Até o momento, o Ministério da Saúde enviou aos estados 15 milhões de doses e mais 4 milhões serão distribuídas até o fim de março.

Trivalente - A vacina, composta por vírus inativado, é trivalente e protege contra os três vírus que mais circularam no Hemisfério Sul em 2019: Influenza A (H1N1), Influenza B e Influenza A (H3N2). (Agência Brasil)

FOTO: Agência Brasil

 

SAÚDE II: Sesa toma novas decisões para enfrentamento da covid-19

parana sesa 23 03 2020O Centro de Operações de Emergências (COE) em Saúde Pública da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) reuniu-se neste domingo (22/03) para alinhar novas medidas de enfrentamento ao novo coronavírus e outras situações que impactam a saúde pública no Estado.

Definição - O secretário da Saúde, Beto Preto, esclarece que o regime intenso de trabalho é necessário para enfrentar a pandemia. “Na Secretaria da Saúde tomamos a iniciativa de não fechar no fim de semana. Definimos mais detalhes técnicos do funcionamento do nosso Laboratório Central, o Lacen, as questões das provisões de material e equipamento de proteção individual (EPI) tanto para as unidades próprias do Estado como para os hospitais e municípios”, explicou. “Vamos trabalhar em caráter permanente até o final da pandemia”.

Mais testes - O Paraná entrou em acordo com o Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos Bio-Manguinhos, vinculado à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), e o Ministério da Saúde para a aquisição de mais insumos para exames de detecção do novo coronavírus.

Logística - Para a logística mais rápida, o Governo do Estado disponibilizou a frota de aviões para buscar a carga no Rio de Janeiro. O diretor-geral da Secretaria da Saúde, Nestor Werner Junior, comentou sobre a articulação entre o Paraná, Ministério da Saúde e os outros estados do Sul.

Aeronaves - “O governador Ratinho Júnior disponibilizou as aeronaves do Estado para buscar a carga do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Quando a aeronave retornar, representantes de Santa Catarina virão buscar o material em Curitiba e nós vamos levar os testes até Porto Alegre, ajudando os gaúchos e ampliando a capacidade de testagem dos três estados do Sul”.

Atendimento - “Pensamos no Paraná como um todo e precisamos viabilizar a testagem do maior número de pessoas com sintomas da Covid-19. Por isso a metodologia utilizada, a quantidade de testes e a logística para coletar as amostras foi revista”, disse o secretário.

Coleta de amostras - A coleta das amostras para os exames do coronavírus serão realizadas, também, via transporte aéreo. A partir dos próximos dias, um dos aviões do Estado decolará de Curitiba e fará uma rota pousando em pontos estratégicos para a coleta do material e entrega no Lacen.

Agilidade e ampliação - O Laboratório Central do Estado informou que incluiu o exame para o novo coronavírus na Pesquisa de Vírus Respiratórios. Agora serão pesquisados 21 vírus de uma só vez. Até o sábado, as amostras passavam por um exame de 20 vírus e caso nenhum fosse detectado, seguia então para o teste específico de coronavírus.

Exames por dia - Além desta alteração, o Lacen aumentará a quantidade de exames realizados por dia, considerando que haverá mais insumos para o laboratório. O local tem alta capacidade de processamento. Dessa maneira, com mais insumos, mais agilidade no transporte, a tendência é que possam ser identificados os pacientes que estão com Covid-19 e adotar medidas de contenção localmente, de forma ainda mais rápida.

Internações - A agilidade no processamento dos exames impacta diretamente na disponibilidade de leitos em enfermarias e Unidades de Terapia Intensiva. Com mais testes, a estratégia adotada pela Secretaria da Saúde é otimizar o diagnóstico comprovando quem está ou não com a Covid-19 para que as medidas de precaução sejam seguidas na conduta dos pacientes ou já possam ser dispensados alguns cuidados, como o isolamento. “Essa é uma forma de regular melhor os leitos. Além disso, fizemos um levantamento dos possíveis novos leitos para que não faltem espaços adequados para os paranaenses”, avalia Beto Preto.

Cadastro de profissionais - Diversas instituições que representam hospitais e médicos participaram de reunião, no Palácio Iguaçu, para alinhar e debater estratégias. O secretário Beto Preto afirma que está em desenvolvimento um cadastro de profissionais de reserva que serão acionados, caso seja necessário.

Alinhamento - “Conversamos com representantes da Federação dos Hospitais e Estabelecimentos de Serviços de Saúde o Paraná, Federação das Santa Casa de Misericórdia e Hospitais Beneficentes do Paraná do Paraná, Associação Médica do Paraná, Conselho Regional de Medicina, Sociedade Brasileira de Infectologia. Estamos todos juntos para alinhar um programa de voluntariado para as necessidades que podem advir. A possibilidade é criar um cadastro de reserva de médicos de diversas especialidades que possam atuar como clínicos nas nossas unidades”, explicou o secretário Beto Preto.

Aproximação - O presidente da Associação Médica do Paraná, Nerlan de Carvalho, falou sobre a aproximação das instituições e a Secretaria. “Essas reuniões foram importantes para alinhar e estabelecer um raciocínio de atuação e centralizar as informações concretas ao invés de muitas informações desconexas e não verdadeiras que recebemos constantemente.” (Agência de Notícias do Paraná)

 

SAÚDE III: Mutirão da dengue vistoria 5,7 mil imóveis

saude dengue 23 03 2020Um grande mutirão conta a dengue vistoriou 5.707 imóveis e resultou na retirada de 13 caminhões repletos de entulhos. A ação organizada pela Defesa Civil Estadual, envolvendo Casa Civil, Secretaria de Estado da Saúde, Secretaria de Estado da Segurança Pública, Corpo de Bombeiros e o Exército Brasileiro, aconteceu no sábado (21/03) em 24 municípios. Também participaram radioamadores voluntários e agentes estaduais e municipais de endemias. Todo o trabalho foi coordenado do Centro de Gerenciamento de Riscos e Desastres da Defesa Civil Estadual, em Curitiba.

Atuação - Com o apoio também dos municípios, o trabalho em campo começou cedo com a atuação de 582 pessoas dos órgãos envolvidos, com visitas nos bairros que apresentavam maiores índices de infestação do mosquito Aedes aegypti, o transmissor da dengue.

Ação - O secretário de Estado de Saúde, Beto Preto, destacou que essa foi mais uma ação do Comitê Intersetorial de Controle da Dengue no Paraná. “Tivemos um dia de luta contra a dengue e nosso objetivo, chegando mais perto da casa do paranaense, é sensibilizá-lo para a importância deste trabalho de verificação de possíveis criadouros nos domicílios”, disse.

Residências - De acordo com ele, 90% dos focos estão nas residências. “Precisamos eliminá-los para reduzir a proliferação do mosquito, e assim reduzirmos também os casos de dengue, que passam de 65 mil casos confirmados, com 49 óbitos no Estado, segundo o último boletim da dengue divulgado pela Sesa”, afirmou Beto Preto.

Trabalho - “Destacamos o trabalho de todos, incluindo os radioamadores voluntários que permitiram o contato direto com o pessoal nas cidades e o acompanhamento de toda movimentação das equipes”, disse o coordenador da Defesa Civil do Paraná, tenente-coronel Fernando Raimundo Schünig.

Remoção - O trabalho se estendeu durante todo o dia e a principal atividade foi a remoção mecânica dos criadouros. “Além da retirada de todo este lixo, o que mais importa é que eliminamos tecnicamente centenas de criadouros da dengue, com o objetivo de reduzir a proliferação do mosquito que transmite a doença, pois a dengue é grave e mata”, ressalta Beto Preto.

Municípios - Participaram dos mutirão os município de Altônia, Alto Paraíso, Alto Piquiri, Braganey, Brasilândia do Sul, Cafezal do Sul, Colorado, Douradina, Floraí, Guaíra, Icaraíma, Itaguajé, Iretama, Ivaté, Jacarezinho, Lupionópolis, Marechal Cândido Rondon, Munhoz de Mello, Nova Olímpia, Ourizona, Ouro Verde do Oeste, Santa Fé, Tupãssi e Xambrê.

Gabinete de gestão - Toda a ação foi coordenada do Centro de Gerenciamento de Riscos e Desastres da Defesa Civil Estadual, em Curitiba. O papel do Gabinete de Gestão na operação foi verificar se ação ocorria de forma adequada, dar apoio técnico às pessoas em campo e solucionar demandas e problemas que surgiram. O trabalho do gabinete se desenvolveu em fases, a primeira na sala de controle e a segunda na Sala de Gestão.

Sala de controle - Na sala de controle, que contava com pessoal da Defesa Civil e da Rede Estadual de Emergência de Radioamadores (REER) para comunicação com o pessoal em campo, foi acompanhado o status da operação, direcionando as demandas que surgiam à Sala de Gestão para que pudessem ser solucionadas.

Contato - De acordo com o coordenador da Defesa Civil estadual, nessa etapa o trabalho dos radioamadores da REER foi essencial para manter o contato, permitindo também acompanhar o movimento das equipes em algumas cidades a partir do posicionamento de GPS dos rádios, que é transmitido para um aplicativo. Com isso, o trajeto é mostrado no mapa.

Demandas - A Sala de Gestão, que contava com representantes da Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e Casa Civil, foi responsável por fazer contato com pessoas chave e resolver as demandas repassadas pelas equipes em campo, definindo parâmetros de ação para as dúvidas pontuais.

Objetivos - A ação teve como foco a eliminação dos locais de criadouro do mosquito, em especial aqueles locais incomuns, e a divulgação de informação preventiva. Por isso, foi realizado o treinamento com os agentes municipais de controle de endemias, coordenadores municipais de defesa civil e bombeiros militares, de forma que ficassem aptos a identificar esses locais incomuns, garantindo a efetividade na ação. (Agência de Notícias do Paraná)

 

ENTREVISTA: Para economista, novo coronavírus mostra que “estávamos trabalhando errado”

entrevista 23 03 2020O jornal Valor Econômico publicou, na sexta-feira (20/03), uma entrevista com o professor do Insper, o economista Ricardo Paes de Barros, que faz uma reflexão sobre questões que estão ficando evidentes nesse cenário de enfrentamento do novo coronavírus. De acordo com a matéria, ele defende que o momento é de mudanças estruturais na forma como as pessoas trabalham, se locomovem e consomem.

Desastre natural - “Estávamos trabalhando de maneira muito aglomerada, sem dar atenção para questões sanitárias. Também trabalhamos de maneira muito sincronizada, sobrecarregando o transporte público. Os ônibus circulam muito cheios, e isso não é sanitariamente bom. É como se tivéssemos agora em uma situação de desastre natural ou um evento de uma guerra”, disse Paes e Barros ao jornal.

Clique aqui para conferir na íntegra a entrevista com Ricardo Paes Barros

 


Versão para impressão


RODAPE