Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4783 | 17 de Março de 2020

COOPERATIVISMO: Coops terão tratamento diferenciado em compras públicas

 

cooperativismo 17 03 2020Cooperativas de todos os ramos terão, agora, garantia de tratamento favorecido, diferenciado e simplificado ao participar dos editais de contratação pública de bens, serviços e obras do governo federal – o maior consumidor do país. A boa notícia foi publicada nesta segunda-feira (16/03), no Diário Oficial da União, que trouxe a  retificação ao Decreto nº 8.538/2015.

 

Incentivo - O decreto tem como objetivo incentivar a participação e a contratação de pequenos negócios nas compras governamentais, dando preferência e, em alguns casos, exclusividade para a contratação destes empresários, independentemente do modelo societário sob o qual estão organizados.

 

Consumo - Há quase cinco anos, quando foi publicado, o decreto garantia esse tratamento diferenciado apenas às cooperativas de consumo, desconsiderando direito legal conferido a todos os ramos do cooperativismo. Após intenso trabalho de sensibilização do governo, realizado pela OCB, o problema foi corrigido com a mudança do decreto. A medida contou com o apoio do Ministério da Economia, especialmente da Secretaria de Gestão e da Subsecretaria de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas, Empreendedorismo e Artesanato.

 

Conquista - “Essa é, sem dúvida, uma grande conquista para as cooperativas. Com a essa retificação, fica garantido o incentivo a todos os pequenos negócios nas compras públicas, não importando se são cooperativas, microempresas, empresas de pequeno porte, agricultores familiares, produtores rurais pessoa física ou microempreendedores individuais”, avalia o presidente da OCB, Márcio Lopes de Freitas.

 

Agenda Institucional - O assunto, que faz parte da Agenda Institucional do Cooperativismo, vinha sendo acompanhado pela OCB há mais de quatro anos. (Informe OCB)

 

COPACOL: Congresso Educacional reúne 1,3 mil professores em Cafelândia

 

Foi realizado, na sexta-feira (13/03), na Aercol de Cafelândia, Oeste do Paraná, o Congresso Educacional - O futuro tem Copacol. Aproximadamente 1.300 professores de toda a região participaram da ação promovida pela cooperativa, cujo objetivo foi oferecer um dia de imersão na área educacional, com a presença de palestrantes renomados. Nino Paixão tratou sobre o tema “Ensinando e Aprendendo com Prazer: a neurociência entra em ação”. Sebastiao de Oliveira falou a respeito da “Educação transformadora” e Cleber Fabiano discorreu sobre “Por uma questão de educação. O direito à leitura”.

 

Educadores - A professora Ieda Maria Pereira, do município de Goioerê, comentou a importância da ação para os educadores. “Este Congresso é muito importante pois nos incentiva e nos dá muita informação para que possamos trabalhar com nossos alunos. São três palestrantes excelentes e essa estrutura que a Copacol montou para nos receber é maravilhosa.”

 

Importância - O presidente da Copacol, Valter Pitol, realizou a abertura do evento e destacou a importância da educação. “Nosso primeiro Congresso Educacional vem completar todos os trabalhos que realizamos integrados aos municípios. É gratificante podermos receber os professores neste dia. Eles são peça fundamental para auxiliar no desenvolvimento da região e do país, preparando os jovens para o futuro. Acreditamos que, por meio da educação, poderemos ter um país melhor”, explicou.

 

Planejamento estratégico - O Congresso Educacional faz parte do Planejamento Estratégico RG Copacol, que tem entre seus objetivos na área social, o incentivo à educação, esporte e cultura, com a participação de mais de 35 mil crianças e adolescentes na região, além da capacitação de mais de mil professores ao ano. (Imprensa Copacol)

 

{vsig}2020/noticias/03/17/copacol/{/vsig}

SICREDI VANGUARDA I: Assembleia Geral Ordinária é realizada em Medianeira com 138 delegados

 

Fazemos juntos! É dessa forma que o cooperativismo de crédito se fortalece. Mais de 12 mil pessoas participaram das assembleias de núcleo da Sicredi Vanguarda, um crescimento de 10% se comparado ao ano passado, contribuindo assim para o direcionamento do negócio, crescimento e desenvolvimento.

 

Participantes - A Assembleia Geral Ordinária foi realizada na sexta-feira (13/03), na sede social do Clube União, em Medianeira, Oeste do Paraná, e reuniu 138 delegados – representantes eleitos dos associados – onde aconteceu a consolidação das decisões tomadas nas assembleias de núcleo.

 

Momento - A Assembleia é o momento máximo de participação do associado nas decisões da cooperativa com o encerramento do ano de 2019 e as projeções para 2020. “É na assembleia que o sentimento de pertencimento e o poder de decisão se tornam evidentes para o associado, o dono do negócio. Durante a reunião apresentamos os números do ano passado e a proposta para esse ano, tudo de maneira democrática, transparente, participativa e de confiança”, enfatiza o presidente da Sicredi Vanguarda, Aldo Dagostim.

 

Ganho - Com o crescimento sustentável da cooperativa, todos ganham. São mais recursos para investir na comunidade, promovendo a inclusão financeira, fortalecendo a economia e apoiando projetos sociais em cada município de atuação do Sicredi.

 

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.800 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi Vanguarda PR/SP/RJ)

 

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

{vsig}2020/noticias/03/17/sicredi_vanguarda_I/{/vsig}

SICREDI VANGUARDA II: Promoção entrega prêmios de R$ 5 mil a poupadores

 

Para incentivar o hábito de guardar dinheiro, o Sicredi realiza, pelo quinto ano, a Promoção Poupar e Ganhar sem Parar nos estados do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro, que distribuirá R$ 2,5 milhões em prêmios, o maior valor em cinco edições da campanha. No primeiro sorteio da campanha, a Sicredi Vanguarda teve três contemplados com os prêmios de R$ 5 mil.

 

São Miguel do Iguaçu - Em São Miguel do Iguaçu (PR), quem levou o prêmio da poupança foi o associado e poupador Leoberto Bordin. “Recebi a notícia com grande alegria. Sou poupador e sempre que consigo guardo um pouco de dinheiro para o futuro. Esse valor que ganhei, aplicarei na poupança e mais tarde investirei. Sempre vale a pena poupar, a gente não sabe o que pode acontecer. Desde o início faço negócios com a cooperativa e entendo que para crescer, o Sicredi tem que estar junto”, enfatiza o ganhador.

 

Serranópolis do Iguaçu - No município de Serranópolis do Iguaçu (PR), quem levou o prêmio da poupança foi o sócio fundador e poupador Delfino Fernando Kochhann. “O Sicredi é uma ferramenta que nós temos e foi criado para se utilizar dela com mais rapidez nos negócios do dia a dia. A poupança é um investimento garantido, tem sua rentabilidade e é importante investir o dinheiro. E ganhar um prêmio, sem esperar, em cima disso é melhor ainda. Agora aplicarei esse valor do prêmio na poupança, porque se um dia eu precisar, o dinheiro está disponível”, comenta o ganhador.

 

Matelândia - Quem levou o prêmio da poupança em Matelândia (PR) foi a poupadora Ivanete Maria Ciriaco. “Abri a conta poupança no fim de fevereiro, quando aconteceu o primeiro sorteio não tinha nem 15 dias de conta. Fiz a poupança para poupar o dinheiro e ter um lucro, mas nem imaginava que estava concorrendo aos prêmios, o que foi uma surpresa quando me ligaram avisando que eu tinha ganhado. Agora, vou usar o dinheiro do prêmio para ajudar nos estudos dos meus filhos. Só posso dizer que vale a pena investir na poupança do Sicredi”, enfatiza o ganhador.

 

Primeiro sorteio - No primeiro sorteio da campanha, a Sicredi Vanguarda teve três dos cinco poupadores contemplados. “Para nós é uma satisfação poder começar a campanha entregando três dos cinco prêmios sorteados. E queremos que mais pessoas acreditem no modelo de poupança do cooperativismo do crédito, pois é uma modalidade com muitas vantagens e um ponto de partida para quem está começando a investir ou guardar um dinheiro”, comenta Aldo Dagostim, presidente da Sicredi Vanguarda PR/SP/RJ.

 

Para participar - A cada R$ 100 de incremento líquido na poupança Sicredi, um número da sorte será distribuído – se as aplicações forem na modalidade programada (quando há o débito programado mensal para conta poupança do associado), as chances de ganhar são em dobro.

 

Sorteios - Durante a ação, que segue até dezembro, serão realizados cinco sorteios semanais de R$ 5 mil, um sorteio especial de R$ 500 mil, em comemoração ao mês da poupança, em outubro, além do grande prêmio final R$ 1 milhão, entregue em dezembro de 2020.

 

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.800 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi Vanguarda PR/SP/RJ)

 

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

{vsig}2020/noticias/03/17/sicredi_vanguarda_II/{/vsig}

 

SICREDI PARQUE DAS ARAUCÁRIAS: Cancelada a realização das assembleias por conta do coronavírus

 

sicredi parque araucarias 17 03 2020A presidência e diretorias da Sicredi Parque das Araucárias PR/SC/SP decidiu na manhã desta segunda-feira (16/03) cancelar o calendário de assembleias da cooperativa. A decisão foi tomada como medida preventiva por conta da pandemia de coronavírus (Covid-19).

 

Recomendação - O Ministério da Saúde recomendou que eventos com grande aglomeração de pessoas fossem cancelados ou adiados por conta da pandemia. 

 

Preservação - A cooperativa entende que esta é uma forma de preservar seus associados e as comunidades locais.

 

Municípios - Estão canceladas as assembleias nos municípios catarinenses de Ponte Serrada; Água Doce; Caçador; Tangará; Videira; Fraiburgo e Treze Tílias. No estado de São Paulo foram canceladas as assembleias de Ribeirão Preto, Batatais e Jardinópolis. Os eventos aconteceriam entre os dias 16/03 e 03/04.Tais assembleias não serão remarcadas. (Imprensa Sicredi Parque das Araucárias PR/SC/SP

 

SICOOB: Alta de 18,1% nas operações de crédito e crescimento no patrimônio líquido

sicoob 17 03 2020O Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob) apresentou, em 2019, variação positiva de 18,1% nas operações de crédito com relação ao ano anterior: foram R$ 61,2 bilhões ante a R$ 51,9 bilhões em 2018. Somente com financiamentos, o Sicoob movimentou R$ 7 bilhões em 2019, contra 4,6 bilhões no ano anterior, uma alta de 50,6%. Com relação aos financiamentos rurais e agroindustriais, o número saltou de R$ 14,5 milhões para 16,6 bilhões, representando elevação de 14,7%.

 

Patrimônio líquido - Já o patrimônio líquido do Sicoob registrou crescimento de 8,8%, saindo dos R$ 21,5 bilhões e atingindo R$ 23,4 bilhões. Os ativos totais do Sicoob cresceram 12,1% em 2019, chegando a R$ 117 bilhões ante R$ 104 bilhões no período anterior. 

 

Cooperados - A quantidade de cooperados vem, ano a ano, aumentando: entre 2015 e 2019, a entidade registrou crescimento de 45,5%, de 3,1 milhões para 4,6 milhões. Em um ano, observou-se aumento de 5,3% frente ano passado, reforçando sua atuação em todos os Estados do Brasil.  

 

Sobras líquidos - O resultado de sobras líquidas manteve-se estável, indo de R$ 3,08 bilhões a R$ 3,05 bilhões, queda de 1,3%. O declínio foi em virtude de um ajuste nas provisões para devedores, na ordem de R$ 900 milhões.   

 

Missão - “Nossa missão é proporcionar, cada vez mais, a justiça financeira com responsabilidade socioeconômica. Incentivamos o uso adequado dos produtos oferecidos aos cooperados, praticamos juros competitivos e abaixo da medida do mercado, promovemos o desenvolvimento econômico das comunidades nas quais estamos inseridos porque acreditamos que o Sistema Financeiro Nacional precisa ser mais justo com os brasileiros”, afirma Henrique Vilares, presidente do Sicoob Confederação. 

 

Portifólio - Com amplo portfólio de produtos e serviços financeiros, entre eles conta corrente, crédito, investimento, cartões, previdência, consórcio e seguros, o Sicoob destaca-se como uma alternativa segura para as instituições tradicionais, já que pratica taxas bem mais justas no mercado.

 

Agências - Atualmente, o Sicoob possui agências em mais de 1,8 mil cidades, nas 27 unidades da federação, se destacando como a única instituição financeira em 294 municípios. Além de 3,2 mil pontos em sua rede de atendimento, o que representou um crescimento de 12,9% na recepção ao cliente em 2019. São 5,3 mil caixas eletrônicos próprios e mais de 43 mil dirigentes e funcionários. 

 

Modernização - A partir da modernização do aplicativo Sicoob, realizada no primeiro semestre de 2019, o sistema observou um crescimento de 36% nas movimentações pelas ferramentas mobile. Mais de 78% de todas as transações realizadas pelos cooperados foram feitas via canais digitais.

 

Sobre o Sicoob  -  O Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil, Sicoob, possui 4,6 milhões de cooperados em todo o país e está presente em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal. É composto por mais de 396 cooperativas singulares, 16 cooperativas centrais e a Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob (Sicoob Confederação). Integram, ainda, o Sistema, o Banco Cooperativo do Brasil do Brasil (Bancoob) e suas subsidiárias (empresas/entidades de: meios eletrônicos de pagamento, consórcios, DTVM, seguradora e previdência) provedoras de produtos e serviços especializados para cooperativas financeiras. A rede Sicoob é a quarta maior entre as instituições financeiras que atuam no país, com mais de 3,2 mil pontos de atendimento. As cooperativas integrantes do Sistema oferecem aos cooperados serviços de conta corrente, crédito, investimento, cartões, previdência, consórcio, seguros, cobrança bancária, adquirência de meios eletrônicos de pagamento, dentre outras soluções financeiras. Mais informações acesse: www.sicoob.com.br. (Imprensa Sicoob)

SICOOB TRÊS FRONTEIRAS: Parceria é fortalecida com a Sala do MEI, em Itaipulândia

 

sicoob tres fronteiras 17 03 2020Sempre em busca de parcerias estratégicas para oportunizar benefícios aos cooperados e comunidade, o Sicoob Três Fronteiras estreitou relacionamento com a Sala do MEI, uma iniciativa da Prefeitura de Itaipulândia (PR).

 

Parceria - A parceria foi reafirmada no último dia 12, quando o gerente da agência da cidade, Anderson Jacob, se reuniu com representantes da Sala do MEI para pensar em ações que possam beneficiar empresários do município lindeiro ao Lago de Itaipu.

 

Objetivos comuns - “O Sicoob e a Sala do MEI têm alguns objetivos comuns. Entre eles, atuar para o desenvolvimento dos empresários locais. Juntos podemos oportunizar situações que valorizem esses empreendedores que desejam prestar serviços e gerar renda que ficará no próprio município”, disse Anderson.

 

Eventos - Atualmente, a cooperativa já é parceira e apoiadora da Sala do MEI para a realização de eventos como Seminário de Acesso ao Crédito, por exemplo. “Iniciativas como essa podem contribuir diretamente com a qualidade e sustentabilidade dos negócios feitos em Itaipulândia”, finalizou Anderson. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

CAPAL: Desafio de Rua é cancelado

 

capal 17 03 2020A diretoria da Capal Cooperativa Agroindustrial cancelou a edição deste ano do Desafio de Rua, competição de corrida e caminhada que aconteceria dia 1º de maio, em Arapoti (PR). Essa seria a sétima edição do evento. A decisão ocorreu devido ao avanço do Covid-19 (coronavírus) no Brasil.

 

Recomendação - Na última sexta-feira (13/03), o Ministério da Saúde recomendou o cancelamento de eventos no País que promovessem a aglomeração de pessoas. A orientação visa reduzir a proliferação do vírus.

 

Capal 60 anos - Fundada em 1960, a Capal, que completa 60 anos em 2020, conta atualmente com 3.130 associados, distribuídos em 14 unidades de negócios, nos estados do Paraná e São Paulo. A cadeia agrícola responde por cerca de 70% das operações da cooperativa, produzindo mais de 640 mil toneladas de grãos por ano, com destaque para soja, milho, café e trigo. A área agrícola assistida aproxima dos 150 mil hectares. O volume de leite negociado mensalmente é de 11,5 milhões de litros provenientes de 360 produtores, com uma média diária de 384 mil litros entregues. Além disso, a cooperativa comercializa mais de 27 mil toneladas de suínos vivos. (Imprensa Capal)

 

AGROPECUÁRIA: VBP é estimado em R$ 683,2 bilhões para 2020

 

agropecuaria 17 03 2020O Valor da Produção Agropecuária (VBP) de 2020 é estimado em R$ 683,2 bilhões, montante 8,2% acima do registrado em 2019, com base nas projeções de fevereiro.

 

Lavouras - Para as lavouras, o valor estimado é de R$ 448,4 bilhões e, para a pecuária, R$ 234,8 bilhões. Em comparação ao do ano passado, o crescimento é de 8,9% e 8,2% respectivamente.

 

Crescimento - “A maior parte das lavouras analisadas apresenta crescimento do valor da produção. Entre estas, as de maior crescimento são a do amendoim (11,8%), cacau (6,6%), café (25,9%), da laranja (9,7%), da mandioca (7,8%), do milho (15,2%) e da soja (15,5%). Os resultados de milho e soja devem-se aos preços maiores neste ano, e também às safras mais elevadas. O café teve forte recuperação - a safra do arábica é 22,3% maior, e os preços são 10,4% superiores aos do ano passado”, diz a nota da Secretaria de Política Agrícola, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

 

Redução - Já os produtos com previsão de redução do VBP são: banana, batata-inglesa, trigo, feijão, tomate e uva.

 

Pecuária - Na pecuária, carnes (bovina, suína e de frango) têm projeção de bons resultados este ano. O faturamento de ovos deve apresentar alta de 4,7 % em relação a 2019. A retração está prevista no setor de leite: 2,5%.

 

Regiões - Por regiões, o Centro-Oeste lidera com projeção de 31,8% do VBP total. Em seguida, aparece o Sul (26,8%), Sudeste (25,2%), Nordeste (9,6%) e Norte (6,6%). (Mapa)

 

>> Veja aqui a nota 

>> Veja aqui a tabela do VBP regional

>> Veja aqui a tabela do VBP por produtos agropecuários

COMÉRCIO EXTERIOR: Balança comercial tem superávit de US$ 329 milhões na segunda semana do mês

 

comercio exterior 17 03 2020A balança comercial registrou superávit de US$ 329 milhões e corrente de comércio de US$ 7,371 bilhões, na segunda semana de março. Segundo dados divulgados nesta segunda-feira (16/03) pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia (ME), as exportações chegaram ao valor de US$ 3,850 bilhões e as importações, de US$ 3,521 bilhões.

 

Mês - No mês, as exportações somam US$ 8,660 bilhões e as importações, US$ 7,333 bilhões, com saldo positivo de US$ 1,327 bilhão e corrente de comércio de US$ 15,993 bilhões. No ano, as exportações totalizam US$ 39,517 bilhões e as importações, US$ 36,768 bilhões, com saldo positivo de US$ 2,749 bilhões e corrente de comércio de US$ 76,284 bilhões.

 

Análise da semana - A média das exportações da segunda semana chegou a US$ 770 milhões, 20% abaixo da média de US$ 962 milhões da primeira semana, em razão da queda nas exportações das três categorias de produtos: semimanufaturados (-33,9%), de  US$ 130,9 milhões para US$ 86,6 milhões, por conta de semimanufaturados de ferro/aço, celulose, ouro em formas semimanufaturadas, alumínio em bruto, estanho em bruto; básicos (-21,5%), de US$ 520,5 milhões para US$ 408,9 milhões, por conta de petróleo em bruto, soja em grãos, minério de cobre, milho em grãos, farelo de soja; e manufaturados (-11,6%), de US$ 310,6 milhões para US$ 274,6 milhões, em razão de aviões, automóveis de passageiros, laminados planos de ferro ou aço, motores, geradores e transformadores elétricos, óxidos e hidróxidos de alumínio.

 

Redução - Do lado das importações, houve diminuição de 7,6%, na média da segunda semana (US$ 704,2 milhões) sobre a média da primeira semana (US$ 762,4 milhões), explicada, principalmente, pela redução nos gastos com combustíveis e lubrificantes, farmacêuticos, químicos orgânicos e inorgânicos, veículos automóveis e partes, instrumentos de ótica e precisão.

 

Análise do mês - Nas exportações, comparadas as médias até a segunda semana de março de 2020 (US$ 866 milhões) com a de março de 2019 (US$ 917,3 milhões), houve queda de 5,6%, em razão da diminuição nas vendas de produtos básicos (-6,5%), de US$ 497,3 milhões para US$ 464,7 milhões, por conta de minério de ferro, soja em grãos, farelo de soja, café em grãos, carne de frango; e de manufaturados (-6,2%), de US$ 311,9 milhões para US$ 292,6 milhões, por conta de máquinas e aparelhos para terraplanagem, partes de motores e turbinas para aviação, aviões, etanol, torneiras, válvulas e partes.

 

Semimanufaturados - Por outro lado, cresceram as vendas de produtos semimanufaturados (+0,6%), de US$ 108,1 milhões para US$ 108,7 milhões, por conta de semimanufaturados de ferro/aço, ouro em formas semimanufaturadas, ferro fundido, madeira em estilhas ou em partículas e alumínio em bruto.

 

Fevereiro - Relativamente a fevereiro de 2020, houve diminuição de 4,7%, em virtude da retração nas vendas de produtos básicos (-7,3%), de US$ 501,2 milhões para US$ 464,7 milhões; e manufaturados (-3,7%), de US$ 303,7 milhões para US$ 292,6 milhões. Já as vendas de semimanufaturados cresceram (+4,8%), de US$ 103,7 milhões para US$ 108,7 milhões.

 

Média diária - Nas importações, a média diária até a segunda semana de março de 2020, de US$ 733,3 milhões, ficou 6,1% acima da média de março de 2019 (US$ 691,2 milhões). Nesse comparativo, cresceram os gastos, principalmente, com aeronaves e peças (+66,8%), equipamentos eletroeletrônicos (+24,3%), químicos orgânicos e inorgânicos (+19,9%), plásticos e obras (+15,7%) e equipamentos mecânicos (+7,5%).

 

Queda - Sobre fevereiro de 2020, houve queda de 0,5% nas importações, pela diminuição em equipamentos mecânicos (-42,9%), combustíveis e lubrificantes (-25,3%), cobre e suas obras (-15,3%), farmacêuticos (-11,2%), veículos automóveis e partes (-5,4%). (Ministério da Economia)

 

Veja os dados completos da balança comercial

 

FOTO: Fábio Scremim / Appa

ECONOMIA I: Guedes anuncia R$ 147,3 bi em medidas emergenciais contra coronavírus

 

economia I 17 03 2020 O ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciou, nesta segunda-feira (16/03), que o governo pretende injetar até R$ 147,3 bilhões na economia nos próximos três meses para amenizar o impacto do coronavírus sobre a economia e o sistema de saúde. Segundo o ministro, a maior parte dos recursos vem de remanejamentos, de linhas de crédito e de antecipações de gastos, sem comprometer o espaço fiscal no Orçamento.

 

População vulnerável - Conforme Guedes, até R$ 83,4 bilhões serão aplicados em ações para a população mais vulnerável, até R$ 59,4 bilhões para a manutenção de empregos e pelo menos R$ 4,5 bilhões para o combate direto à pandemia.

 

Idosos - “Vamos cuidar dos mais idosos. Já anunciamos os R$ 23 bi para entrar em abril e mais R$ 23 bi para maio (sobre antecipação para aposentados e pensionistas do INSS) e antecipar abonos para junho (R$ 12 bi)”, diz Paulo Guedes ao falar das medidas para a população mais vulnerável.

 

Prioridades - O ministro definiu como prioritárias três das 19 propostas em tramitação no Congresso Nacional que constam de ofício enviado na semana passada aos presidentes da Câmara e do Senado. A primeira é a Proposta de Emenda à Constituição do Pacto Federativo, que descentraliza recursos da União para estados e municípios. A segunda é a aprovação do projeto de lei que autoriza a privatização de Eletrobras, que renderá R$ 16 bilhões ao governo neste ano.

 

Plano de Equilíbrio Fiscal - A última proposta considerada prioritária por Guedes é o Plano de Equilíbrio Fiscal, programa de socorro a estados pouco endividados, mas com dificuldades financeiras por causa do comprometimento dos orçamentos locais com servidores.

 

Em vigor - O ministro citou ainda medidas que já entraram em vigor, como a liberação de R$ 135 bilhões nos compulsórios – parcela que os bancos são obrigados a depositar no Banco Central (BC) – e as decisões do Conselho Monetário Nacional (CMN) para apoiar a renegociação de dívidas das empresas e das famílias.

 

Antecipação - Na semana passada, o governo tinha anunciado a antecipação da primeira parcela do décimo terceiro de aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) de agosto para abril e a redução do teto de juros, o aumento da margem e a extensão do prazo de pagamento do crédito consignado (com desconto na folha de pagamento). Agora, Guedes anunciou a antecipação da segunda parcela do décimo terceiro do INSS de dezembro para maio, num total de R$ 23 bilhões; a antecipação do abono salarial para junho (R$ 12,8 bilhões) e a transferência de valores não sacados do Programa de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PIS/Pasep) para o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), num total de R$ 21,5 bilhões.

 

Patrimônio - Parte do patrimônio de R$ 21,5 bilhões do PIS/Pasep, formada por valores não sacados por trabalhadores que já morreram, irá para uma reserva que financiará o saque por herdeiros. O restante será destinado a novos saques do FGTS, em moldes semelhantes ao saque imediato, realizado no ano passado.

 

Bolsa Família - O governo pretende ainda reforçar o Bolsa Família, com a destinação de até R$ 3,1 bilhões para incluir mais de 1 milhão de pessoas no programa. Os recursos virão de remanejamentos do Orçamento a serem discutidos com o Congresso.

 

Empregos - No pacote de manutenção dos empregos, o governo pretende permitir a isenção, por três meses, das contribuições dos empresários para o FGTS (R$ 30 bilhões) e da parte da União no Simples Nacional (R$ 22,2 bilhões). O dinheiro deixará de ser pago por 90 dias, mas o valor será ressarcido em prazo ainda não definido. No caso do FGTS, a equipe econômica informou que as contribuições em atraso poderão ser quitadas somente em 2021.

 

Sistema S - Outra medida consiste na redução em 50% das contribuições para o Sistema S (que inclui o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial - Senai; Serviço Social do Comércio - Sesc; Serviço Social da Indústria- Sesi; e Serviço Nacional de Aprendizagem do Comércio- Senac) por três meses, num total de R$ 2,2 bilhões. O Programa de Geração de Renda (Proger), do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) reforçará o crédito a micro e pequenas empresas em R$ 5 bilhões. O governo também pretende simplificar as exigências para a contratação de crédito e a dispensa de Certidão Negativa de Débito na renegociação de crédito e facilitar o desembaraço (liberação na alfândega) de insumos e matérias primas industriais importadas antes do desembarque.

 

Combate à pandemia - Nas ações diretas de combate à pandemia de coronavírus, o governo pretende destinar R$ 4,5 bilhões do fundo do DPVAT para o Sistema Único de Saúde (SUS). O dinheiro se somará aos R$ 5 bilhões de emendas parlamentares remanejadas para o SUS, liberado por medida provisória assinada no fim da semana passada.

O governo também reduzirá a zero as alíquotas de importação para produtos de uso médico-hospitalar até o fim do ano, desonerar temporariamente de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para bens importados e bens produzidos internamente usados no combate ao Covid-19.

 

Mais - As medidas, explicou o Ministério da Economia, se somam à suspensão da prova de vida dos beneficiários do INSS por 120 dias, à preferência tarifária e à prioridade no desembaraço de produtos de uso médico-hospitalar. (Agência Brasil)

 

FOTO: Wilson Dias / Agência Brasil

ECONOMIA II: Governo pode mudar meta de déficit primário se necessário, afirma Mansueto

 

economia II 17 03 2020A necessidade de recursos para socorrer a economia pode fazer o governo alterar a meta de déficit primário em 2020, disse nesta segunda-feira (16/03) o secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida. Ele, no entanto, descartou qualquer mudança no teto federal de gastos.

 

Tamanho - “Se tiver necessidade de mudar meta de primário, será mudada”, disse o secretário do Tesouro. Ele reafirmou que o Ministério da Saúde determinará o tamanho da alteração. “Ainda não sabemos de quanto [será a mudança]. Se for necessário, será reconhecida a mudança da meta neste ano”.

 

Orçamento - O Orçamento Geral da União de 2020 estipula que o Governo Central – Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central – deverá encerrar o ano com déficit primário de R$ 124,1 bilhões. O déficit primário consiste no resultado negativo nas contas do governo sem considerar o pagamento dos juros da dívida pública.

 

Contingenciamento - Na sexta-feira (20/03), o governo divulgará o Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas do primeiro bimestre. Por causa do atraso na votação do projeto que autoriza a privatização da Eletrobras, o ministro da Economia, Paulo Guedes, confirmou que o governo retirará os R$ 16 bilhões da descotização de usinas hidrelétricas da estimativa de receitas. Como resultado, o governo terá de contingenciar (bloquear) verbas do Orçamento.

 

Retirada - “Como isso [o projeto de lei da Eletrobras] ainda não foi aprovado, até o fim da semana precisaremos retirar R$ 16 bilhões do Orçamento. Imaginem, no meio de uma crise dessas, fazer contingenciamento”, declarou o ministro ao incluir o projeto como um dos três itens prioritários para o governo para aprovação pelo Congresso.

 

Pouco - Segundo Almeida, no entanto, o contingenciamento durará pouco. “Por causa do arcabouço legal da gestão do Orçamento, o governo deve anunciar um contingenciamento de despesas, mas será curto. Só até mudar a meta”, declarou. Eventuais mudanças da meta dependem de aprovação do Congresso Nacional.

 

Valor - O valor do contingenciamento será definido na quarta-feira (18/03) na reunião da Junta de Execução Orçamentária. O secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, informou que, além do atraso no projeto de lei de privatização da Eletrobras, a nova projeção levará em conta a desaceleração do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos) e a redução do preço internacional do petróleo.

 

Momento peculiar - Rodrigues reiterou que a economia está num momento peculiar por causa da pandemia de coronavírus, o que justifica a mudança da meta. Na semana passada, o governo reduziu de 2,4% para 2,1% a previsão de crescimento do PIB para este ano. As projeções, no entanto, serão revistas novamente por causa do agravamento das tensões econômicas.

 

Teto de gastos - Apesar de admitirem a mudança da meta, Rodrigues e o secretário do Tesouro ressaltaram que a regra do teto de gastos não será alterada e que o governo não estuda retirar os investimentos federais (obras públicas e compra de equipamentos) do limite. Segundo os dois, eventuais despesas emergenciais para combater o coronavírus podem ser autorizadas por meio de crédito extraordinário no Orçamento, que estão fora do teto. (Agência Brasil)

 

FOTO: Fábio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

 

SELIC: Copom faz 2ª reunião do ano para definir taxa básica de juros

 

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) faz nesta terça e quarta-feira (17 e 18/03) a segunda reunião do ano para definir a taxa Selic, atualmente em 4,25% ao ano. O avanço do novo coronavírus e a instabilidade do mercado financeiro na última semana levaram à indefinição sobre o destino dos juros básicos da economia.

 

Inversão de expectativas- No início da semana passada, a maioria das instituições financeiras consultadas pelo boletim Focus, do Banco Central, previa a manutenção da Selic, que está no menor nível da história. No entanto, a forte alta do dólar e a queda da bolsa nos últimos dias provocaram uma inversão de expectativas. A curva de juros no mercado futuro subiu, indicando que parte dos agentes financeiros aposta em um possível aumento da Selic.

 

Comunicado - Há quase duas semanas, quando as turbulências no mercado financeiro começaram a se intensificar, o Banco Central emitiu comunicado no qual informou que compararia os efeitos da desaceleração da economia e da deterioração dos ativos financeiros sobre a inflação antes de tomar uma decisão sobre a Selic. No comunicado, a autoridade monetária avaliava que a baixa demanda prevalecia, o que impediria o repasse da alta do dólar para os preços. Algumas instituições financeiras interpretaram a nota como uma indicação de que os juros poderão baixar na próxima reunião.

 

Copom - O Comitê de Política Monetária reúne-se a cada 45 dias. No primeiro dia do encontro são feitas apresentações técnicas sobre a evolução e as perspectivas das economias brasileira e mundial e o comportamento do mercado financeiro. No segundo dia, os membros do Copom, formado pela diretoria do BC, analisam as possibilidades e definem a Selic.

 

Atuação diária - O Banco Central atua diariamente por meio de operações de mercado aberto – comprando e vendendo títulos públicos federais – para manter a taxa de juros próxima ao valor definido na reunião.

 

Referência - A Selic, que serve de referência para os demais juros da economia, é a taxa média cobrada em negociações com títulos emitidos pelo Tesouro Nacional, registradas diariamente no Sistema Especial de Liquidação e de Custódia.

 

Definição - Ao definir a Selic, o Copom considera as alterações anteriores nos juros básicos suficientes para chegar à meta de inflação, objetivo que deve ser perseguido pelo BC.

 

Tendência - Ao reduzir os juros básicos, a tendência é diminuir os custos do crédito e incentivar a produção e o consumo. Entretanto, as taxas de juros do crédito não caem na mesma proporção da Selic. Segundo o BC, isso acontece porque a Selic é apenas uma parte do custo do crédito.

 

Corte - Para cortar a Selic, a autoridade monetária precisa estar segura de que os preços estão sob controle e não correm risco de ficar acima da meta de inflação.

 

Demanda aquecida - Quando o Copom aumenta a Selic, a finalidade é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

 

Meta de inflação - A meta de inflação, definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), é 4% em 2020; 3,75% em 2021 e 3,50% em 2022, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. (Agência Brasil)

 

LEGISLATIVO I: Cancelada reunião com Paulo Guedes na terça-feira sobre reforma tributária

 

legislativo 17 03 2020Foi cancelada a reunião com o ministro da Economia, Paulo Guedes, nesta terça-feira (17/03) na comissão mista temporária que analisa a reforma tributária. A expectativa do presidente da comissão, senador Roberto Rocha (PSDB-MA), era de que o ministro e o secretário especial da Receita Federal entregassem a proposta do governo sobre o tema.

 

Cronograma - Pelo cronograma da comissão, o relatório do deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) deve ser apresentado em 28 de abril.

 

Texto - Composta por 25 senadores e 25 deputados, a comissão vai elaborar seu texto com base em duas propostas de emenda à Constituição já existentes, que tramitam na Câmara (PEC 45/19) e no Senado (PEC 110/19), e na proposta do governo.

 

Nova data - Não há nova data para reunião. (Agência Câmara de Notícias)

 

FOTO: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

LEGISLATIVO II: Comissão limita acesso a votação da MP do Contrato Verde e Amarelo, nesta terça

legislativo II 17 03 2020A comissão mista que analisa a Medida Provisória (MP) 905/2019 tem reunião marcada para esta terça-feira (17/03), às 14h, para votação do relatório do deputado Christino Aureo (PP-RJ). A MP modifica a legislação trabalhista, com a criação do Contrato Verde e Amarelo.

Novas regras - O presidente da comissão, senador Sérgio Petecão (PSD-AC), anunciou novas regras para o acesso à reunião, com o objetivo de prevenir e conter a transmissão do coronavírus. O acesso será limitado a parlamentares e apenas um assessor por parlamentar.

Direito - Também terão direito a entrar na sala de reuniões um consultor e os servidores da secretaria da comissão mista. A lista de autorizados ainda contempla um servidor do Serviço Operacional das Comissões, um servidor da Taquigrafia, um servidor do Serviço de Áudio e outro da TV Senado.

Polêmica - Por alterar uma série de regras nas relações trabalhistas, a MP tem sido motivo de polêmica no Congresso Nacional e já recebeu quase 2 mil emendas. A reunião está marcada para a sala 19 da Ala Senador Alexandre Costa. (Agência Senado)

FOTO: Roque de Sá/Agência Senado

 

EXECUTIVO ESTADUAL: Governo do Paraná anuncia medidas para enfrentamento ao coronavírus

 

executivo estadual 17 03 2020O Governo do Paraná apresentou nesta segunda-feira (16/03) as principais medidas adotadas para o enfrentamento da epidemia do coronavírus no Estado. Contidas em decreto assinado pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior, as medidas reduzem as possibilidades de contato entre as pessoas para conter a propagação do vírus, determinam ações específicas no âmbito da saúde, ampliam a proteção a servidores incluídos em grupos de risco e fortalecem ações nas fronteiras e divisas. Confira as medidas

 

Aulas - Ficam suspensas, por tempo indeterminado, a partir da próxima sexta-feira (20/03), as aulas em escolas públicas da rede estadual de ensino, assim como nas universidades estaduais. É recomendado que a medida seja seguida por escolas e universidades particulares.

 

Visitas - A partir dos próximos dias, ficam suspensas as visitas a teatros, cinemas, bibliotecas, museus e outros eventos artísticos e culturais; e hospitais, penitenciárias e centro de socioeducação, por tempo indeterminado. Também há recomendação de suspensão dos eventos públicos ou particulares, de qualquer natureza, com reunião de público acima de 50 pessoas.

 

Férias e licenças - Ficam suspensas as férias e licenças de servidores da Secretaria da Saúde, da Secretaria da Segurança Pública e Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil, a partir de 23 de março.

 

Trabalho remoto ou escalas - Será concedido regime de trabalho remoto ou escalas diferenciadas e adoções de horários alternativos nas repartições públicas. Nesse ponto, será obrigatório o trabalho remoto aos servidores públicos acima de 60 anos, com doenças crônicas, problemas respiratórios, gestantes, lactantes; e aos servidores que apresentarem quaisquer dos sintomas do COVID-19 e regressos de localidades onde o surto tenha sido reconhecido, no prazo de 14 dias. Na impossibilidade técnica de conceder trabalho remoto a esses servidores, os mesmos deverão ser afastados de suas atividades sem prejuízo da remuneração ou subsídio.

 

Estagiários - Ficam dispensados, sem prejuízo na remuneração, todos os estagiários no âmbito da administração direta, autárquica e fundacional do Estado.

 

Reavaliação - Os diretores dos órgãos e entidades deverão reavaliar a necessidade da permanência ou a diminuição dos empregados de empresas terceirizadas que prestam serviço para administração.

 

Contingenciamento - A Secretaria da Fazenda fará contingenciamento do orçamento para que os esforços financeiro-orçamentário sejam redirecionados para a prevenção e combate do COVID-19.

 

Comec - A Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec) deverá adotar medidas de profilaxia e expedição de recomendação no âmbito do transporte público coletivo.

 

Tecpar - O Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) estudará a possibilidade de direcionar sua linha de produção para fabricação de álcool em gel a ser adquirido pela administração direta e indireta do Poder Executivo.

 

Álcool em gel - A administração direta, autárquica e fundacional do Estado deverá disponibilizar álcool em gel em todas as repartições públicas.

 

Limpeza - Os órgãos e entidades da administração pública estadual deverão aumentar a frequência de limpeza dos banheiros, elevadores, corrimãos e maçanetas, além de instalar dispensadores de álcool em gel nas áreas de circulação e no acesso às salas de reuniões.

 

Estado - O Estado poderá adotar as seguintes medidas: isolamento, quarentena, exames médicos, testes laboratoriais, coleta de amostras clínicas, vacinação e outras medidas profiláticas, tratamentos médicos específicos e estudos ou investigação epidemiológica.

 

Dados essenciais - Os órgãos e entidades da administração pública estadual e municipal deverão compartilhar dados essenciais à identificação de pessoas infectadas ou com suspeita de infecção, assim como as pessoas jurídicas de direito privado quando os dados forem solicitados por autoridade sanitária.

 

Fronteira - As secretarias de Saúde, Agricultura e Segurança Pública vão desenvolver operação nas fronteiras do Estado para orientação, averiguação e monitoramento da movimentação de pessoas nos limites geográficos estaduais.

 

Decreto - Chegou a circular uma minuta do decreto com texto não definitivo. O decreto oficial segue no link abaixo.

 

Confira o Decreto na íntegra.

(Agência de Notícias do Paraná)

SAÚDE: Estado terá mobilização contra a dengue com participação do Exército

 

saude 17 03 2020O Comitê Intersetorial de Controle da Dengue no Paraná, coordenado pela Secretaria de Estado da Saúde, está organizando uma grande mobilização de combate à doença em 60 municípios que apresentam os maiores índices de incidência de casos confirmados. A ação acontecerá no próximo sábado (21/03), com organização da Defesa Civil e participação de 600 soldados do Exército, militares estaduais da Secretaria da Segurança Pública, 60 integrantes da Defesa Civil municipal, além de técnicos da vigilância ambiental das cidades envolvidas.

 

Ação estratégica - “É uma ação estratégica. Vamos fazer um grande arrastão com remoção técnica de criadouros, replicando o trabalho que a Vigilância Ambiental da Sesa já vem fazendo em algumas cidades e que já apresentou resultados positivos de redução da infestação”, explica o secretário estadual da Saúde, Beto Preto.

 

Definição - A realização do evento foi definida em reunião entre os secretários estaduais da Saúde e da Segurança Pública, Rômulo Marinho Soares, o coordenador da Defesa Civil do Paraná, tenente-coronel Fernando Raimundo Schünig, e o general de Divisão Carlos José Russo Assumpção Penteado, comandante da 5ª Divisão de Exército, da Região Sul.

 

Segurança - “Combater a dengue é também uma questão de segurança, pois cidadãos com saúde estão seguros e preparados para as atividades do dia a dia”, afirma o secretário de Estado da Segurança Pública. “É neste sentido que a Secretaria da Segurança está apoiando e contribuindo para a realização das ações contra a dengue no Paraná”.

 

Capacitação - Nesta quarta-feira (18/03), a Secretaria da Saúde vai promover a capacitação dos participantes por videoconferência. “Soldados, profissionais da Sesp e coordenadores da Defesa Civil estarão nas sedes regionais e nas unidades do Exército recebendo as orientações para esta operação”, explica o tenente-coronel Antonio Geraldo Hiller, da Defesa Civil.

 

Redução - O trabalho de campo com remoção técnica de criadouros vem sendo aplicado desde o início do ano pela Vigilância Ambiental da secretaria estadual da Saúde, com apoio das equipes de técnicos dos municípios.

 

Nova Cantu - Nova Cantu, que já contabilizou três óbitos neste período epidemiológico (agosto 2019/agosto 2020), ficou cerca de 40 dias sem registrar casos de dengue depois do trabalho da vigilância. Em Quinta do Sol e Florestópolis os números mostram a tendência de queda de casos. A mesma ação acontece também em Barbosa Ferraz, Bandeirantes e Sertaneja.

 

Controle - “Lembramos que a remoção dos criadouros é a melhor forma de controle da proliferação do Aedes aegypti. Estamos realizando importantes ações por meio do Comitê Intersetorial de Controle da Dengue, mas é fundamental a participação da população nesta força-tarefa para a eliminação dos focos do mosquito. Esta atividade precisa fazer parte da rotina, pois cerca de 90% dos criadouros estão nos ambientes domésticos”, ressaltou o secretário Beto Preto.

 

Cidades - As sessenta cidades que receberão as equipes para esta mobilização são: Santa Isabel do Ivaí, Floraí, Quatro Pontes, Itaúna do Sul, Nossa Senhora das Graças, Alto Paraná, Santa Inês, Douradina, Colorado, Paranavaí, Ângulo, Tamboara, Guairá, Iracema do Oeste, Uniflor, Porto Rico, Nova Aliança do Ivaí, Peabiru, Doutor Camargo, São Pedro do Ivaí, Itaguajé, Nova Aurora, Braganey, Godoy Moreira, Ivaiporã, Engenheiro Beltrão, Paranacity, Cruzeiro do Oeste, Atalaia, Diamante do Norte, Iretama, Presidente Castelo Branco, Jacarezinho, Cafezal do Sul, Paraíso do Norte, São Pedro do Paraná, Xambrê, Icaraíma, Ouro Verde do Oeste, Indianópolis, Lupionópolis, Munhoz de Mello, Alto Piquiri, Ivatuba, Tupãssi, Porecatu, Santa Fé, Alto Paraíso, Mirador, Ourizona, Brasilândia do Sul, Jardim Alegre, Nova Esperança, Altônia, Nova Olímpia, Santo Inácio, Nova Londrina, Marechal Cândido Rondon, Tuneiras do Oeste e Ivaté. (Agência de Notícias do Paraná)

INTERNACIONAL: Líderes do G7 prometem fazer o que for preciso para combater Covid-19

 

Líderes do G7 (as sete economias mais industrializados do mundo) disseram nesta segunda-feira (16/03) que estão comprometidos em fazer "o que for necessário" para combater a pandemia de coronavírus e trabalhar em conjunto para proteger a saúde pública, empregos e crescimento.

 

Declaração - Após teleconferência nesta segunda-feira, os líderes emitiram uma declaração prometendo abordar os riscos econômicos e a saúde decorrentes da pandemia do Covid-19 e preparar o terreno para uma forte recuperação do crescimento econômico e da prosperidade.

 

Forte crescimento -"Resolvemos coordenar medidas e fazer o que for necessário, usando todas as ferramentas de política monetária, para alcançar um forte crescimento nas economias do G7 e para salvaguardar contra os riscos negativos", disseram eles.

 

Mobilização - "Para esse fim, estamos mobilizando toda a gama de instrumentos, incluindo medidas monetárias e fiscais, bem como ações direcionadas, para apoiar imediatamente e o quanto for necessário trabalhadores, empresas e setores mais afetados. Isso é particularmente importante para pequenas e médias empresas e famílias trabalhadoras", afirmaram.

 

Coordenação - Os líderes do G7 disseram que seus ministros de Finanças coordenarão semanalmente a implementação das medidas e desenvolverão ações adicionais.

 

Convite - Eles convidaram o Fundo Monetário Internacional (FMI), o Grupo Banco Mundial e outras organizações internacionais a apoiar países em todo o mundo a lidar com a crise. "Vamos tratar de distúrbios nas cadeias de suprimentos internacionais e continuar nosso trabalho para facilitar o comércio internacional", acrescentaram. (Reuters / Agência Brasil)


Versão para impressão


RODAPE