Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4782 | 16 de Março de 2020

INFRAESTRUTURA: Gerência de Desenvolvimento Cooperativo divulga dados consolidados do ramo

infraestrutura 16 03 2020Em 2019, as 14 cooperativas paranaenses do ramo infraestrutura encerraram o exercício somando 9.381 cooperados, 297 funcionários, 7.506 pontos de energia, faturamento de R$ 137,2 milhões, R$ 11,7 milhões em sobras, R$ 200,6 milhões em ativos e R$ 123,9 milhões de patrimônio líquido. Esses são alguns dos dados consolidados do segmento, levantados pela Coordenação de Monitoramento da Gerência de Desenvolvimento Cooperativo (Gecoop) do Sescoop/PR.

Avaliação - “Quanto ao faturamento, houve uma redução de 4,9% em relação a 2018, devido à transferência da receita de geração energia para CNPJs específicos, de acordo com determinação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel)”, afirma o coordenador de Monitoramento do Gecoop, João Gogola Neto. “A tesouraria do ramo é classificada como sólida e representa 18,9% dos ativos, sendo que o volume nominal é de R$ 37,9 milhões. No ano passado, foram constituídas novas cooperativas, com o foco na geração de energia por meio de biomassa e de placas solares”, acrescenta.

Clique aqui para conferir na íntegra o cenário anual consolidado do ramo infraestrutura no Paraná, referente à 2019

 

GETEC: Informe nº 12 apresenta expectativas de mercado sobre indicadores econômicos

getec destaque 16 03 2020A Gerência de Desenvolvimento Técnico da Ocepar (Getec) divulgou, nesta segunda-feira (16/03), mais uma edição do Informe Expectativas de Mercado, com base nas informações do Boletim Focus, do Banco Central (BC), levantadas com instituições financeiras sobre as projeções relativas à economia nacional, contemplando o Produto Interno Bruto (PIB), IPCA (Índice de Preços ao Consumidor), taxa Selic e câmbio para 2020, 2021 e 2022.

Clique aqui para conferir o Informe Expectativas de Mercado Semanal

 

COCAMAR: Cooperativa bate recorde de recebimento de soja

cocamar 16 03 2020Com praticamente 80% das lavouras de soja colhidas até o final da última sexta-feira (13/03) nos estados do Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul, a Cocamar termina a semana registrando o recebimento de mais de 1,18 milhão de toneladas de soja. O último recorde registrado da cooperativa foi em 2017, quando recebeu 1,17 milhão de toneladas de soja.

Projeção - A previsão da cooperativa é operar neste ano com 1,8 milhão de toneladas de soja, das quais 1,5 milhão depositadas por produtores cooperados. Os restantes serão adquiridos de terceiros.

Crescimento - De acordo com o superintendente de Relação com o Cooperado, Leandro Teixeira, o número de recebimento só reforça o grande trabalho que a Cocamar faz para que o cooperado cresça junto com a cooperativa. “A Cocamar trabalha todos os dias para que recordes como esse sejam comuns e sempre superados. Esse resultado nos mostra que não só a cooperativa está superando uma meta, mas que o cooperado está aumentando sua produtividade e isso é o nosso maior objetivo”, disse.

Produtividade - De acordo com o departamento técnico, a média geral de produtividade, de 3.286 quilos por hectare, tem ficado acima do volume que estava sendo estimado, de 3.203 quilos/hectare, como resultado do ciclo de clima favorável.

Número almejado - Como a colheita da safra deve perdurar até o início de abril em algumas regiões onde os ciclos são naturalmente mais tardios, a expectativa é atingir o número almejado – que reflete o ano de clima favorável e produtividade acima do esperado. Levantamento realizado no início da semana passada com dados fornecidos por todas as unidades operacionais no Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul, revelou uma média de 3.286 quilos de soja por hectare, contra os 3.203 quilos/hectare projetados.

Transporte - Do montante entregue até sexta-feira, 512 mil t foram transportadas em sistema de transbordo a partir de unidades operacionais nas diversas regiões para o complexo graneleiro e industrial da cooperativa em Maringá, o que equivale a mais de 17 mil cargas rodoviárias. (Imprensa Cocamar)

 

PRIMATO: Assembleia Geral Ordinária será realizada no sábado, em Toledo

 

primato 16 03 2020A Primato Cooperativa Agroindustrial vai realizar a sua Assembleia Geral Ordinária (AGO) do exercício 2019 no sábado (21/03), na Associação da cooperativa, em Toledo (PR), a partir das 9h. Durante o evento serão apresentados os resultados do ano passado, investimentos, ações e as sobras do exercício e projeções para 2020.

 

Sistema - “Inicialmente a AGO aconteceria no dia 22 de fevereiro, assim como foi divulgado nas pré-assembleias e em nossos canais de comunicação, porém, devido a atualização do sistema de gestão unificado implementado no segundo semestre do ano passado, precisamos rever e chegar em uma nova data para o evento”, explicou o diretor executivo da Primato, Anderson Sabadin que complementou, “esse é um passo muito importante na transformação digital pela qual nossa cooperativa vem passando e o sistema unificado já trouxe inúmeras melhorias em nossa gestão, mas é preciso alinhamento e atualizações periódicas, por isso em conjunto com nosso conselho de administração, definimos a nova data para realização da AGO”.

 

Pré-assembleias - Segundo o presidente da Primato, Ilmo Werle Welter, as pré-assembleias foram importantes para a preparação da AGO. “Estes encontros foram muito positivos para que possamos alinhar todas as ações realizadas em todas as cidades e regiões em que a Primato tem atuação, apresentar as ações, os balanços contábeis, números e a previsão de investimentos e ações para 2020”, destacou Ilmo que complementou, “e os resultados de 2019 foram muito positivos e além do que foi planejado. Isso demonstra que estamos no caminho certo”.

 

Primato - “Tivemos um resultado muito positivo principalmente no que tange ao faturamento líquido em 2019. Tivemos desafios e conquistas, definições importantes que impactam a vida de todos os envolvidos, mas pensando no futuro de nossa cooperativa, como por exemplo o processo de transformação digital, desabilitação de espaços físicos com intensificação ao atendimento na propriedade e aberturas de novos negócios, como postos de combustíveis, corretora de seguros, mais uma unidade de supermercado e a Casa Vergara”, enalteceu o diretor executivo da Primato, Anderson Sabadin que concluiu, “e esses encontros serviram para esclarecer dúvidas e receber o feedback de nosso cooperado”.

 

AGO - Cooperados das regiões oeste, sudoeste e noroeste do Paraná vão participar do evento que tem em sua programação a recepção com café da manhã às 9h, início da AGO às 9h30 e encerramento às 11h30. “Carreatas das regiões mais distantes da cooperativa estão sendo organizadas e os cooperados que tiverem intenção de participar basta que entrem em contato e confirmem a presença com os colaboradores da Primato de sua região o quanto antes possível”, concluiu Ilmo. (Imprensa Primato)

SICOOB UNICOOB: PAEs e professores participam de formação inicial do programa Cooperativa Mirim

 

sicoob unicoob 16 03 2020A Unidade de Desenvolvimento Cooperativo (UDC) do Sicoob Central Unicoob realizou a formação em Cooperativa Mirim para os PAEs (Pessoa de Apoio Estratégico) das cooperativas singulares e Centrais do sistema e novos professores que desejam iniciar o programa nas escolas em que atuam. A capacitação, que é imprescindível para planejar e implementar uma cooperativa mirim, aconteceu nos dias 11 e 12 de março, em Maringá (PR).

 

Objetivos e materiais - Durante o treinamento, foram apresentados os objetivos do programa e os materiais disponíveis. Além disso, os participantes vivenciaram a metodologia por meio de oficinas e práticas em grupos. A proposta foi prepará-los para executar cada etapa do projeto junto com os alunos associados mirins.

 

Passo essencial - Para a Pessoa de Desenvolvimento Estratégico (PDE) do Sicoob Central SC/RS, Elaine Dias, a capacitação é um passo essencial para dar início às atividades. “Se a gente não tiver o conhecimento sobre a metodologia, não conseguimos prestar suporte e dar orientação para os demais PAEs e para a equipe pedagógica. Com o projeto, conseguimos disseminar a cultura do cooperativismo cada vez mais e todos os princípios que estão envolvidos”, explica.

 

Transformação - Já a PAE do Sicoob Integrado, Schirlei Kreuzberg, afirma que a metodologia da Cooperativa Mirim é uma forma de transformar o mundo e o amanhã. “A gente acaba desenvolvendo o espírito de liderança nos alunos e assim, eles começam a sonhar em serem grandes líderes, a trabalhar em uma cooperativa e até mesmo no Sicoob. É isso que a gente precisa nos dias de hoje”, ressalta.

 

Mudança de comportamento - Essa mudança de comportamento dos alunos pode ser percebida nas escolas. A pedagoga da Escola Municipal Professor Sebastião Feltrin de Rolândia, Silvana Aparecida Ciola Festi, explica que a cooperação é algo vivenciado no dia a dia dos alunos. “O projeto Cooperativa Mirim vem agregar a nossa metodologia, pois as questões de responsabilidade, organização, ajuda mútua e vivência vão favorecer muito, além do relacionamento entre eles, o aprendizado”, comenta. (Imprensa Sicoob Unicoob)

SICREDI: Instituição financeira cooperativa dá nome à principal competição de Futsal no Paraná

A Série Ouro do Campeonato Paranaense Sicredi de Futsal começou a ser disputada no último sábado (14/03), com partidas em Pato Branco, Cascavel e Foz do Iguaçu. A competição tem a participação de 14 equipes que disputam o troféu em quatro fases distintas e, em 2020, conta com o patrocínio do Sicredi - instituição financeira cooperativa com mais de 4 milhões de associados em todo o país e que detém o naming rights do torneio.

Patrocinador oficial - Um dos principais apoiadores do futebol brasileiro, o Sicredi também é patrocinador oficial das séries Prata e Bronze da competição. “O Futsal é um dos grandes esportes do Paraná, com uma relevância extremamente grande em diversas regiões do estado. Estar ao lado desta competição vai ao encontro dos nossos valores: apoio e presença regional, junto à comunidade. Não poderia ser diferente com o Futsal. Estamos muito felizes em dar o nome à competição, que já revelou grandes talentos para o Brasil”, afirma o gerente de Marketing da Central Sicredi PR/SP/RJ, Rogério Leal.

Primeira fase - Pelo regulamento, a primeira fase do campeonato terá apenas um turno, por pontos corridos, disputado pelas 14 equipes. Ao final da primeira fase, as quatro equipes com melhor colocação estarão classificadas diretamente para as Quartas de Final. Já os times classificados entre 5º e 12º lugares estarão classificados para as Oitavas de Final. O campeão Paranaense da Série Ouro Sicredi receberá um prêmio de R$ 40 mil e a vaga para representar o Paraná na Taça Brasil de Clubes.

Apoio ao esporte - Há alguns anos, o Sicredi vem consolidando a sua marca no futebol brasileiro, como patrocinador de competições como o Paulistão Sicredi, Campeonato Carioca e Copa São Paulo de Futebol Júnior. A instituição financeira cooperativa também renovou, pelo quinto ano consecutivo, o contrato de patrocínio à Copa do Brasil.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.800 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi)

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

{vsig}2020/noticias/03/16/sicredi/{/vsig}

CAFEICULTURA: Conselho aprova distribuição de recursos do Funcafé

 

cafeicultura 16 03 2020O Conselho Deliberativo da Política do Café (CDPC) aprovou na sexta-feira (13/03) a proposta de distribuição dos recursos do Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé) para o ano safra 2020/2021. Dos R$ 5,7 bilhões do orçamento do fundo, R$ 1,6 bilhão será destinado para custeio, R$ 2,3 bilhões para a comercialização, R$ 1,15 bilhão para a aquisição de café.

 

Capital de giro e recuperação cafezais - Outros R$ 650 milhões irão para capital de giro e R$ 10 milhões para a recuperação de cafezais.

 

Instrumentos - Na abertura do encontro, a ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) disse que é preciso pensar em instrumentos para ampliar o orçamento do Funcafé e financiar mais produtores, chamando gente de mercado para pensar em alternativas. 

 

Incentivo - “O que a gente tem tentado fazer com todas as cadeias produtivas aqui no Mapa é incentivar os integrantes a pensar fora da casinha, e a gente está fazendo isso aqui todos os dias. Se der certo, ótimo, mas vamos focar principalmente nesses produtos que já são cadeias tradicionais, que já estão segmentados como o café e a cana de açúcar”, disse a ministra. 

 

Café gourmet - A ministra também destacou a necessidade de ampliar o segmento do café gourmet, com recursos para equalizar financiamentos, baixar juros, viabilizando alternativas de produção aos cafeicultores de menor porte, sabendo onde estão os gargalos para ajudá-los a agregar valor à produção.

 

Preço mínimo - Sobre o preço mínimo do café, a ministra ressaltou que é preciso trabalhar para aperfeiçoá-lo, com o objetivo de passar mais confiança à cafeicultura. “Esse valor é técnico e deve ser condizente com a realidade. Não deve ser usado como uma política de preços”, alertou ela.

 

OIC - O Conselho também debateu a manutenção da Organização Internacional do Café (OIC), para cumprir seu papel de apoiar a cafeicultura mundial.

 

Maior produtor - A ministra reconheceu que o Brasil como maior produtor mundial de café deve ter atuação mais ativa na organização. Ela disse que apoia a presença do país na OIC e defende a apresentação de um plano de reestruturação, na reunião da entidade, em setembro, em Londres.  “É o único organismo do setor e precisa ser bem utilizado”, completou ela. (Mapa)

 

FOTO: Noaldo Santos/Mapa

DESCOMPLICA RURAL: Programas são apresentados em Campo Mourão e Umuarama

 

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, em parceria com a Faep/Senar, promoveu, na quinta e sexta-feira (12 e 13/03), mais uma rodada de eventos no Interior para apresentação do Programa Descomplica Rural e do ICMS Ecológico, nos municípios de Umuarama e Campo Mourão.

 

Desenvolvimento econômico - Com o apoio de técnicos do Instituto Água e Terra (IAT) e da Emater, o secretário Márcio Nunes demonstrou para quase três mil participantes, nos dois dias de eventos, como as expectativas de desenvolvimento econômico do produtor rural e dos municípios aumentam com as duas iniciativas do Estado.

 

Nova era - Segundo Nunes, foi inaugurada uma nova era. “Entramos no ciclo do alimento sustentável. O mundo inteiro precisa de comida. Com a desburocratização do licenciamento ambiental, o produtor rural tem a possibilidade, com segurança técnica, jurídica e preservando o meio ambiente, de fornecer para as indústrias que se estabeleceram aqui. Principalmente, por meio das grandes cooperativas que abriram caminho para as exportações e, consequentemente, avançar no mercado de proteína animal”, disse.

 

Descomplica - Em Umuarama, na quinta-feira (12/03), o Descomplica Rural reuniu cerca de 600 pessoas no Hotel Caiuá e em Campo Mourão, nesta sexta-feira (13), mais de 1.200 participantes lotaram as dependências do Celebra Eventos. Os produtores puderam ver de perto o funcionamento do Sistema de Gestão Ambiental (SGA), protocolar pedidos de licenciamento ambiental, além de receber instruções sobre a emissão de uma Dispensa de Licenciamento (DLAE) em 48 horas, por exemplo.

 

Procedimentos - O secretário enfatizou a importância da rodada de eventos que está percorrendo nove municípios do Paraná, demonstrando, na prática, como proceder no processo de licenciamento no campo. “O programa foi pensado para desmistificar a emissão de licenças ambientais, demonstrando ao homem do campo que hoje é possível empreender no agronegócio sem os entraves da burocracia que desanimava o setor”.

 

Melhora - Jair Nicastro, produtor rural que participou do evento em Umuarama, falou como a vida no campo vai melhorar com as facilidades da nova metodologia do programa. “Tenho umas 50 vacas criadeiras, de engorda. Com a licença posso fazer um confinamento ou qualquer outra coisa. Antes a burocracia complicava muito. Agora facilitou. Descomplicou totalmente”, disse o produtor ao protocolar uma Dispensa de Licenciamento (DELAE) da sua propriedade, em poucos minutos, auxiliado pelo técnico e engenheiro ambiental do IAT, Altamir Hacke.

 

Animado - Alex Santos de Andrade, outro produtor que prestigiou a Caravana do Descomplica Rural, também saiu animado. “Apresentei os documentos, CPF, identidade, a escritura e fiz na hora. Minha licença sai em dois dias. Agora fica mais fácil conseguir um financiamento. Tudo melhora assim”.

 

Cartilha - Assim como os produtores Jair e Alex, os demais inscritos no evento receberam uma cartilha que ensina, passo a passo, como obter licenciamento e, auxiliados pelos técnicos do IAT, conheceram o processo de licenciamento. “O Descomplica Rural é um salto histórico que o Paraná dá para aumentar a competitividade no mercado internacional”, acrescentou Nunes.

 

ICMS - Em relação à Caravana do ICMS Ecológico que reuniu 28 municípios em Umuarama e 21 em Campo Mourão, o secretário ressaltou a importância e a responsabilidade das prefeituras. São mais de R$ 400 milhões de recursos que entram na receita total dos municípios e influencia diretamente no limite prudencial de gastos com pessoal e que precisa ser respeitado.

 

Adaptação - “Tem que adaptar o orçamento a isso. É uma receita importante, dinheiro que vai para saúde, educação e conservação”, disse o secretário.

 

Esclarecimento - Ele afirmou que a Caravana do ICMS Ecológico não tem o objetivo de divulgação, mas de esclarecer sobre a forma de receber e como utilizar o recurso. “É um evento técnico para orientar, dar luz e visibilidade aos gestores durante operacionalização do ICMS Ecológico”.

 

Atendimento - Vinte técnicos preparados atendem, até mesmo individualmente, as dúvidas de cada município. “Esse assunto sempre foi tratado com pouca importância e o governador Ratinho Junior está dando ao tema a relevância que ele tem”, disse.

 

Dinâmicas - A Caravana do ICMS leva aos municípios paranaenses dinâmicas sobre os cálculos do imposto estadual por biodiversidade e mananciais, os critérios para utilizar as novas metodologias dos cálculos e os benefícios estimados.

 

Recursos - O programa repassa recursos, de forma justa e correta, às cidades que mantêm áreas preservadas com plano de manejo, investimentos e melhorias para a recuperação ambiental. O Paraná foi o primeiro Estado a remunerar os municípios que possuem áreas de mata nativa protegidas por lei e bem.

 

SERVIÇO: Eventos programados para esta semana:

 

DESCOMPLICA RURAL:

Ponta Grossa

Data: 19 (quinta-feira)

Horário: 9h.

Local: Hotel Bourbon – Rua R. Jacob Holzmann, 219 – Olarias.

Inscrição: http://bit.ly/31USVGC

Guarapuava

Data: 20 (sexta-feira).

Horário: 9h.

Local: Spazio Vecchia – Rua XV de novembro, 5975.

Inscrição aqui: http://bit.ly/37m8nww

 

CARAVANA DO ICMS ECOLÓGICO:

Ponta Grossa

Data: 19 (quinta-feira)

Horário: 14h.

Local: Sebrae - Rua Lauro Cunha Fortes, 450 – Uvaranas.

Guarapuava

Data: 20 (sexta-feira)

Horário: 14h

Local: Auditório da OAB - Rua Padre Chagas, 4476.

(Agência de Notícias do Paraná)

 

{vsig}2020/noticias/03/16/descomplica_rural/{/vsig}

LEGISLATIVO I: Congresso pode votar na terça-feira vetos e projetos sobre emendas impositivas

 

legislativo I 16 03 2020O Congresso Nacional realiza sessão nesta terça-feira (17/03), às 11 horas, para analisar nove vetos presidenciais e três projetos de lei (PLNs) sobre o orçamento impositivo. Esses projetos regulamentam a execução de emendas impositivas e diminuem o valor total das emendas do relator-geral do Orçamento, transformando-as em despesas a cargo do Poder Executivo.

 

Pauta - Todos os vetos trancam a pauta, e os projetos somente podem ser votados depois deles.

 

Acordo - Os projetos fazem parte do acordo dos parlamentares com o governo para encerrar a polêmica sobre o veto a dispositivo que tornava obrigatória a execução de emendas do relator-geral do Orçamento, deputado Domingos Neto (PSD-CE), no valor de mais de R$ 30 bilhões.

 

Projetos - Como o veto foi mantido pelo Congresso na sessão do último dia 4, agora falta votar os projetos, que já receberam parecer da Comissão Mista de Orçamento.

 

Pacote anticrime - O primeiro veto pautado é de sete itens do projeto de lei do pacote anticrime (PL 10372/18). Entre os pontos vetados destaca-se a permissão para o governo fechar acordo com indiciados e desistir de processar a pessoa por crimes contra o patrimônio público previstos na Lei de Improbidade Administrativa (Lei 8.429/92), o chamado acordo de não persecução penal. O projeto foi sancionado na forma da Lei 13.964/19.

 

Texto vetado - O texto vetado previa que o acordo com o Ministério Público deveria resultar no ressarcimento integral do dano, na devolução de vantagens obtidas indevidamente e no pagamento de multa de até 20% do valor do dano.

 

Insegurança jurídica - Para o governo, isso geraria insegurança jurídica porque o dispositivo contraria artigo da própria lei que não foi alterado, deixando de fora da proposta de acordo o órgão lesado.

 

Incentivo audiovisual - Outro item em pauta é o veto total ao Projeto de Lei 5815/19, do deputado Marcelo Calero (Cidadania-RJ), que prorroga incentivos do audiovisual e para a construção de novas salas de cinema, no âmbito do Recine, um regime especial de tributação para essa finalidade.

 

Prazo - O projeto vetado estendia até dezembro de 2024 o prazo para utilização desse regime e para o aproveitamento das deduções fiscais decorrentes de doações de empresas e pessoas físicas a projetos aprovados pela Agência Nacional do Cinema (Ancine) no âmbito da Lei do Audiovisual.

 

Violação - Segundo o governo, a prorrogação viola a Lei de Responsabilidade Fiscal e a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2019 porque cria despesas obrigatórias sem indicar a respectiva fonte de custeio e sem apresentar os impactos orçamentários e financeiros para os anos seguintes.

 

Contratação de advogados - De 2020, um dos vetos que trancam os trabalhos é o veto total ao Projeto de Lei 10980/18, que permite a dispensa de licitação para contratação de serviços jurídicos e de contabilidade pela administração pública.

 

Definição - De autoria do deputado Efraim Filho (DEM-PB), o texto define que os serviços do advogado e do contador são, por natureza, técnicos e singulares se for comprovada a notória especialização devido ao fato de o trabalho a ser contratado mostrar-se o mais adequado em decorrência de desempenho anterior, estudos e experiência, entre outros requisitos.

 

Técnicos - Para o Executivo, o projeto, ao considerar que todos os serviços advocatícios e contábeis são, na essência, técnicos e singulares, viola o princípio constitucional da obrigatoriedade de licitar.

 

Justificativa - A justificativa cita voto do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Roberto Barroso em inquérito envolvendo a contratação sem licitação de advogados em Santa Catarina, no qual ele afirma que a contratação desses serviços por inexigibilidade de licitação somente é possível em situações extraordinárias, cujas condições devem ser avaliadas em cada caso específico.

 

Orçamento - Quanto aos projetos que mudam a LDO 2020, o primeiro da pauta é o PLN 4/20, que determina, na execução de emendas, a consulta pelo governo ao relator-geral ou a comissão do Congresso somente quando a iniciativa parlamentar reforçar despesa originalmente fixada pelo Executivo – e apenas em relação ao valor que foi acrescentado. Por exemplo: em uma dotação original de R$ 100 mil que foi elevada para R$ 120 mil, o relator-geral ou a comissão orientarão apenas a execução dos R$ 20 mil extras.

 

Lista - No projeto que regulamenta a execução de emendas impositivas (PLN 2/20) há uma lista de impedimentos técnicos para execução das emendas, como, por exemplo, a falta de comprovação pelos entes federados (estados, Distrito Federal ou municípios) da capacidade de colocar recursos próprios para fazer entrar em operação e manter serviços em construções objeto de iniciativa parlamentar.

 

Unidades de atenção básica - Um dos casos são as emendas impositivas individuais para a construção de unidades de atenção básica com recursos do Fundo Nacional de Saúde. Segundo o texto do projeto, o governo só precisará executar as emendas parlamentares quando o beneficiário comprovar que tem condições de arcar com o custeio – despesas do dia a dia e com pessoal – após a construção da nova unidade. Caso contrário, será caracterizado impedimento de ordem técnica.

 

Gasto obrigatório - Quanto ao valor global das emendas do relator-geral, o PLN 3/20 transforma R$ 9,6 bilhões em gastos discricionários do Executivo, que o governo pode escolher executar ou não. Outro bloco dessas emendas será cancelado para reforçar despesas atualmente já classificadas como discricionárias. (Agência Câmara de Notícias)

 

FOTO: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

 

LEGISLATIVO II: CCJ pode votar PEC Emergencial na quarta-feira

 

legislativo II 16 03 2020A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 186/2019 pode ser votada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) na quarta-feira (18/03), em reunião marcada para às 10h. Conhecida como PEC Emergencial, seu objetivo principal é a contenção do crescimento das despesas obrigatórias em todos os níveis de governo. A proposta faz parte do Plano Mais Brasil — pacote de medidas econômicas do governo.

 

Pensionistas - Uma das medidas da PEC para conter os gastos públicos é a inclusão das despesas com pensionistas no limite de despesas com pessoal. Também será suspensa a criação de despesas obrigatórias e benefícios tributários. Há medidas que atingem os servidores públicos: suspensão de progressão na carreira, proibição de concursos, vedação a pagamento de certas vantagens e redução da jornada com diminuição de salário (em até 25%). A PEC também prevê gatilhos em caso de situação fiscal grave.

 

Substitutivo - O relator da matéria, senador Oriovisto Guimarães (Podemos-PR), apresentou um substitutivo para promover “diversos ajustes de redação e de técnica legislativa em seus dispositivos, bem como operar algumas mudanças pontuais em seu conteúdo”. Foram apresentadas 80 emendas à PEC, mas algumas ainda não foram analisadas pelo relator. (Agência Senado)

FOTO: Pedro França/Agência Senado

EXECUTIVO: Governo libera R$ 5 bilhões por medida provisória para combate ao coronavírus

 

executivo 16 03 2020O presidente Jair Bolsonaro editou na sexta-feira (13/03) a Medida Provisória (MP) 924/20, que libera R$ 5,099 bilhões para o enfrentamento da crise de saúde pública provocada pelo novo coronavírus (Covid-19).

 

Fundo - Desse total, R$ 4,8 bilhões serão destinados ao Fundo Nacional de Saúde para ações coordenadas pelo Ministério da Saúde em parceria com os estados e municípios.

 

Hospitais - Do restante, R$ 204 milhões serão destinados aos hospitais universitários federais (administrados pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares) e R$ 57 milhões irão para o Hospital de Clínicas de Porto Alegre, que funciona em parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), todos vinculados ao Ministério da Educação.

 

Fundação Oswaldo Cruz - Outros R$ 20 milhões serão liberados para a Fundação Oswaldo Cruz, principal instituto brasileiro de pesquisa em vacinas.

 

Valores - Os valores foram retirados de emendas individuais e coletivas ao Orçamento que já estavam destinadas ao Fundo Nacional de Saúde, mas seriam liberadas para unidades apontadas pelos parlamentares. A medida faz parte do acordo com o Congresso em que deputados e senadores abriram mão de parte das despesas vinculadas às emendas parlamentares para ajudar a conter os efeitos da epidemia do Covid-19 no Brasil.

 

Reunião - A edição da MP havia sido anunciada na última quarta-feira (11/03), após reunião de emergência entre os líderes partidários da Câmara e do Senado com o ministro da Saúde, além de outros ministros, incluindo o da Economia, Paulo Guedes, e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.

 

Liberação - A liberação dos recursos foi garantida pelos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre. (Agência Câmara de Notícias)

FOTOJ.Batista/Câmara dos Deputados

 

FOCUS: Mercado financeiro reduz estimativa de crescimento da economia em 2020 para 1,68%

Pela quinta semana seguida, instituições financeiras consultadas pelo Banco central (BC) reduziram a estimativa de crescimento da economia este ano. De acordo com o boletim Focus, a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – caiu de 1,99% para 1,68% em 2020.

Previsões - O boletim semanal do BC traz as projeções de instituições financeiras para os principais indicadores econômicos nos próximos anos. As previsões do mercado para o PIB de 2021, 2022 e 2023 continuam em 2,50%.

Dólar - Já a cotação do dólar deve fechar o ano em R$ 4,35. Para 2021, a expectativa é que a moeda americana continue no patamar alto e encerre o ano em R$ 4,20.

Inflação - As instituições financeiras consultadas pelo BC também reduziram a previsão para a inflação de 2020. A projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) – a inflação oficial do país – caiu de 3,20% para 3,10%.

2021 e anos seguintes - Para 2021, a estimativa de inflação também foi reduzida, de 3,75% para 3,65%. A previsão para os anos seguintes, 2022 e 2023, não teve alterações e permanece em 3,50%.

Centro da meta - A projeção para 2020 está abaixo do centro da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. A meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 4% em 2020, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Para 2021, a meta é 3,75% e para 2022, 3,50%.

Selic - Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, estabelecida atualmente em 4,25% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom). Para o mercado financeiro, a expectativa é que a Selic seja reduzida para 3,75% ao ano até o fim de 2020.

Tendência - Quando o Copom reduz a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica.

Demanda aquecida - Quando o Copom aumenta a taxa básica de juros, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. A manutenção da Selic indica que o Copom considera as alterações anteriores suficientes para atingir a meta de inflação.

Alta - Para 2021, a expectativa é que a taxa básica suba para 5,25% ao ano. Para 2022 e 2023, as instituições estimam que a Selic termine os períodos em 6% ao ano e 6,25 ao ano, respectivamente. (Agência Brasil)

BC: CMN adota medidas para ajudar a economia brasileira a enfrentar os efeitos do COVID-19

bc 16 03 2020O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou nesta segunda-feira (16/03), em reunião extraordinária, duas medidas que ajudarão a economia brasileira a enfrentar os efeitos adversos do COVID-19.

Renegociação - A primeira medida facilita a renegociação de operações de créditos de empresas e de famílias que possuem boa capacidade financeira e mantêm operações de crédito regulares e adimplentes em curso, permitindo ajustes de seus fluxos de caixa, o que contribuirá para a redução dos efeitos temporários decorrentes do COVID-19. A medida dispensa os bancos de aumentarem o provisionamento no caso de repactuação de operações de crédito que sejam realizadas nos próximos 6 meses, ao não exigir a observância dos incisos I e III do §1º do art. 24 da Resolução 4.557. Estima-se que aproximadamente R$ 3,2 trilhões de créditos sejam qualificáveis a se beneficiar dessa medida, cuja renegociação dependerá, naturalmente, do interesse e da conveniência das partes envolvidas.

Capital dos bancos - A segunda medida expande a capacidade de utilização de capital dos bancos a fim de que estes tenham melhores condições para realizar as eventuais renegociações no âmbito da primeira medida e de manter o fluxo de concessão de crédito. Na prática, esta medida amplia a folga de capital (diferença entre o capital efetivo e o capital mínimo requerido), conferindo mais espaço e segurança aos bancos para manterem seus planos de concessões de crédito ou mesmo ampliá-los nos próximos meses. Considerando que os colchões de capital devem ser usados durante momentos adversos, esta medida reduz o Adicional de Conservação de Capital Principal (ACPConservação) de 2,5% para 1,25% pelo prazo de um ano, ampliando a folga de capital do Sistema Financeiro Nacional (SFN) em R$ 56 bilhões, o que permtiria aumentar a capacidade de concessão de crédito em torno de R$ 637 bilhões. Após este período (1 ano), o ACPConservação será gradualmente reestabelecido até 31 de março de 2022 ao patamar de 2,5%.

Proativas - Ambas as medidas são proativas e facilitarão uma atuação contracíclica do Sistema Financeiro Nacional, que ajudará as empresas e as famílias a enfrentar os efeitos decorrentes do COVID-19. Estas são medidas que estão em linha com as demais ações do Governo Federal e de outros reguladores financeiros internacionais.

Recolhimento compulsório - Tais medidas somam-se à recente decisão do Banco Central do Brasil (BCB) de reduzir a alíquota do recolhimento compulsório sobre recursos a prazo e aperfeiçoar as regras do Indicador de Liquidez de Curto Prazo (LCR) visando a redução da sobreposição entre esses instrumentos. O efeito prático e conjunto destas medidas é uma melhora das condições de liquidez do SFN em torno de R$ 135 bilhões, o que irá contribuir, nesse momento, para suavizar os efeitos do COVID-19 sobre a economia brasileira.

Monitoramento - O BCB monitora de forma contínua o SFN e de forma prospectiva sempre estressa suas posições de liquidez, capital, mercado e crédito, o que lhe confere condições para antever e tratar com serenidade situações adversas. O SFN detém atualmente uma das mais robustas situações de solidez da sua história. Após atravessar a forte crise financeira internacional de 2008 e a maior recessão da história brasileira em 2015 e 2016, todos os bancos, sem exceção, cumprem atualmente os requerimentos de capital e de liquidez, e estão prontos para apoiar a economia. O Indicador de Basileia (IB) do sistema está em 17,1%, bem acima do requerimento mínimo de 10,5%. O nível de liquidez é superior ao dobro do parâmetro mínimo exigido. Esta robustez foi confirmada no último teste de estresse realizado pelo BCB , que demonstrou que o sistema está preparado para enfrentar cenários severos.

Instrumentos - O BCB possui um amplo arsenal de instrumentos que podem ser utilizados, se necessário, não só para assegurar a estabilidade financeira, mas particularmente neste momento, para apoiar a economia. Este arsenal inclui vários instrumentos como, por exemplo, medidas regulatórias e recolhimento compulsório, hoje em torno de R$ 400 bilhões. Os US$ 360 bilhões em reservas internacionais também são um colchão que serve para assegurar a liquidez em moeda estrangeira e o regular funcionamento do mercado de câmbio.

Estabilidade financeira - Por fim, cabe ressaltar que o BCB continuará monitorando o SFN e a atividade econômica, e não hesitará em usar todo o seu arsenal para assegurar a estabilidade financeira e o bom funcionamento dos mercados, e assim apoiar a economia brasileira. (Banco Central do Brasil)

FOTO: Banco Central do Brasil

Clique para ler a Resolução nº 4.782 e a Resolução nº 4.783.

 

INTERNACIONAL I: Banco Central americano reduz juros para perto de zero

O Federal Reserve (Banco Central americano) e outros bancos centrais globais agiram agressivamente no domingo (15/03) para sustentar a economia que se deteriora rapidamente em meio à pandemia de coronavírus, com o Fed cortando os juros para perto de zero, prometendo centenas de bilhões de dólares em compras de ativos e escorando autoridades estrangeiras com a oferta de financiamento barato em dólar.

Impacto profundo - Em entrevista à imprensa, o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, disse que a epidemia está tendo um impacto "profundo" sobre a economia, forçando indústrias como a de viagem e de lazer a fecharem totalmente.

Cancelamento - Powell disse ainda que o Fed cancelou as previsões econômicas trimestrais, que seriam divulgadas esta semana, já que seriam um exercício fútil até que esteja claro quantas pessoas ficarão doentes, e por quanto tempo encontros públicos terão que ser desencorajados em nome da saúde pública.

Evolução- "O cenário econômico está evoluindo dia a dia e depende da disseminação do vírus...Isso não é algo que se possa saber", disse Powell ao final de uma reunião de emergência do Fed que substituiu a reunião regular que aconteceria esta semana.

Funcionamento - Dadas as incertezas dos riscos, Powell disse que o Fed e outros bancos centrais estão agindo para garantir que os mercados financeiros continuem funcionando em todo o mundo, e tentando limitar a chance de que empresas, famílias ou instituições financeiras sejam arrasadas por qualquer queda nos negócios.

Medidas dramáticas - Para isso, o Fed incluiu medidas dramáticas para manter o crédito a empresas e famílias, encorajando bancos a acessar trilhões de dólares em ações e ativos líquidos adquiridos como proteção desde a crise financeira.

Efeito - "O vírus está provocando um efeito profundo nas pessoas em todos os Estados Unidos e ao redor do mundo", disse Powell após o Fed cortar os juros para a faixa de 0% a 0,25% e anunciar ao menos 700 bilhões de dólares em compras de Treasuries e títulos lastreados em hipotecas nas próximas semanas.

Necessidade - "Nós realmente vamos usar nossas ferramentas para fazer o que precisamos fazer aqui", disse Powell, acrescentando que o Fed pode aumentar as compras de títulos e usar outras ferramentas para manter o mercado funcionando e o fluxo de crédito, o que ele chamou de função "mais importante" do Fed.

Ferramentas - Uma ampla gama de ferramentas, incluindo empréstimos diretos a empresas financeiras, permanece à disposição do Fed, e Powell disse que o banco central não irá hesitar em usá-las se necessário.

Tempo - Powell disse não poder afirmar por quanto tempo vai durar o ou tamanho que terá a retração, mas prometeu manter os juros onde estão até que as autoridades do Fed estejam "confiantes de que a economia superou os eventos recentes e esteja a caminho de alcançar as metas de emprego máximo e estabilidade de preços. "O Fed vai adiar as estimativas econômicas oficiais até junho", disse ele.

Precificação - O Fed e outros bancos centrais também cortaram a precificação de suas linhas de swap para facilitar o fornecimento de dólares a instituições financeiras em todo o mundo que enfrentam estresse nos mercados de crédito. (Reuters / Agência Brasil)

INTERNACIONAL II: Premiê do Japão diz que líderes do G7 discutirão pandemia de coronavírus

internacional 16 03 2020O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, afirmou que os líderes dos países do Grupo dos Sete vão realizar uma videoconferência, nesta segunda-feira (16/03), para discutir como lidar com a pandemia de coronavírus.

Cooperação - No mesmo dia, Abe declarou a um comitê da Câmara Alta do Parlamento que o Japão deve empregar seus conhecimentos e cooperar com países ao redor do mundo para lidar com o desafio.

Impacto - Ele lembrou que a epidemia está provocando um forte impacto na economia japonesa, como também no resto do mundo. O premiê disse que o governo vai monitorar de perto os acontecimentos na economia global e implementar políticas econômicas e fiscais suficientemente necessárias em caráter imediato.

Preocupações - Segundo Shinzo Abe, existem preocupações de que algumas pessoas percam trabalho e acabem tendo dificuldades para pagar suas contas. Ele lembrou que o governo vai delinear medidas de alívio para tais pessoas até o final desta semana.

Estado de emergência - Abe mencionou ainda uma lei recém-promulgada que permitirá que o primeiro-ministro declare estado de emergência para ajudar a conter o vírus. Ele disse que quer esclarecer, uma vez mais, que notícias e reportagens da imprensa não estarão sujeitas a ordens com base na lei. (NHK/Agência Brasil)

FOTO: Pixabay

 

ANS: Prazos para realização de procedimentos eletivos poderão ser ampliados

 

ans 16 03 2020A diretoria da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) decidiu, em reunião na quinta-feira (12/03), que suspenderá a cobrança de cumprimento, pelas operadoras de planos de saúde, de prazos de atendimento para a realização de procedimentos eletivos, caso a situação do Coronavírus no Brasil saia da Fase de Contenção (foco em evitar a transmissão do vírus) e passe para a fase de Mitigação, quando as ações e medidas têm o objetivo de evitar a ocorrência de casos graves e óbitos. O principal objetivo dessa medida é a liberação de leitos hospitalares. 

 

Suspensão dos efeitos - Dessa forma, caso o Ministério da Saúde anuncie a entrada do Brasil na fase de Mitigação, a reguladora suspenderá os efeitos dos incisos XII e XIII do Artigo 3º da Resolução Normativa nº 259: 

Art. 3º A operadora deverá garantir o atendimento integral das coberturas referidas no art. 2º nos seguintes prazos: 

XII – atendimento em regime de hospital-dia: em até 10 (dez) dias úteis;

XIII – atendimento em regime de internação eletiva: em até 21 (vinte e um) dias úteis. (ANS)

 

Confira a Resolução Normativa nº 259

SAÚDE I: Governo lança campanha e novo portal com orientação sobre coronavírus

A informação de qualidade é ainda uma das melhores armas para se prevenir contra o coronavírus. Pensando nisso, o Governo do Paraná lançou uma campanha com orientações sobre os métodos de prevenção, para evitar a propagação do vírus e também para tranquilizar a população. Todo o conteúdo está disponível no site www.coronavirus.pr.gov.br.

Vídeo, texto e imagens - O portal conta com orientações em vídeo, texto e imagens. O conteúdo também foi disponibilizado nas contas oficiais do Governo do Estado no Facebook (www.facebook.com/governoparana), Twitter (twitter.com/governoparana) e Instagram (www.instagram.com/governoparana). Os materiais podem ser baixados nos sites para serem compartilhados nas redes sociais da população.

Aplicativo - O aplicativo Coronavírus-SUS, disponível para os sistemas Android (https://play.google.com/store/apps/details?id=br.gov.datasus.guardioes) e iOS (https://apps.apple.com/br/app/coronav%C3%ADrus-sus/id1408008382) traz dicas e a geolocalização das unidades de saúde mais próximas dos usuários. Cartazes com as orientações estão sendo distribuídos em órgãos públicos e entidades sociais do Estado.

Cuidados básicos - A orientação da Secretaria de Estado da Saúde é a adoção de cuidados básicos para reduzir o risco de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus: lavar as mãos várias vezes ao dia com água e sabão ou gel, incluindo os pulsos, entre os dedos e embaixo da unha; limpar os objetos mais manuseados com álcool em gel; manter os ambientes sempre ventilados e arejados e cobrir a boca e o nariz com o braço ou um lenço descartável ao tossir ou espirrar. As máscaras devem ser utilizadas apenas por quem já apresenta os sintomas da doença ou tiver contato com pessoas infectadas.

Atenção - Além disso, também é necessário ficar atento ao que não fazer. É importante não compartilhar objetos pessoais, como toalhas, talheres, canetas e celulares; evitar lugares com muita concentração de pessoas; não tocar o nariz, olhos e boca antes de lavar as mãos e não cumprimentar as pessoas com abraços, beijos e apertos de mão.

Transmissão - A transmissão do coronavírus costuma ser pelo contato com pessoas infectadas, por meio de secreções como gotículas de saliva, espirro tosse ou catarro. O vírus pode se disseminar por meio do toque ou aperto de mão ou pelo contato com objetos ou superfícies contaminados, como aparelhos eletrônicos, talheres, notas de dinheiro, entre outros.

Sintomas - Os principais sintomas da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, são semelhantes ao de um resfriado, como febre, tosse seca, dificuldade para respirar e insuficiência renal nos casos mais graves. Caso apresente os sintomas, é importante procurar ajuda médica imediata para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento.

Contato - Além das unidades de saúde, o paciente também pode entrar em contato pelo telefone 0800 644 4414 ou pelo Whatsapp (41) 3330-4414.

Boletins nacionais - O Governo do Estado e a Secretaria da Saúde acompanham os boletins nacionais em tempo real. As equipes de saúde e serviços estão preparados para atender pacientes com sintomas iguais ou parecidos com os da doença, por meio de uma rede composta por unidades básicas de saúde, unidades de pronto atendimento (UPAs), SAMU e um monitoramento efetivo dos vírus circulantes, o chamado serviço sentinela. São 51 pontos de vigilância permanente de vírus de síndromes respiratórias no Estado. (Agência de Notícias do Paraná)

{vsig}2020/noticias/03/16/saude_I/{/vsig}

SAÚDE II: Setores imobiliário e de construção farão Dia D para combate à dengue

 

saude 16 03 2020O Paraná ganha novos aliados na guerra contra a dengue. Na quarta-feira (11/03), entidades dos setores imobiliários e da construção civil farão um Dia D contra a doença em imóveis fechados ou em construção de todo o Estado, para identificar possíveis focos do Aedes aegypti. A mobilização da ação foi encabeçada pela Secretaria de Estado da Saúde e pela Coordenadoria Estadual da Defesa Civil, e também conta com o apoio da Superintendência Geral de Apoio aos Municípios do Governo.

 

Parceria - São parceiros da ação o Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Paraná (Creci), o Sindicato da Indústria da Construção Civil no Paraná (Sinduscon), o Sindicato da Habitação e Condomínios (Secovi), a Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Paraná (Ademi) e o Sindicato dos Corretores de Imóveis do Paraná (Sindimóveis). A ação foi alinhada em reunião dos representantes do governo com os dirigentes das entidades realizada no Palácio Iguaçu, na semana passada.

 

Ambientes propícios - As obras, casas e apartamentos fechados podem ser ambientes propícios para a proliferação do mosquito. Por isso, a ideia do mutirão é identificar nesses imóveis possíveis criadouros. Os ovos e larvas podem ser encontrados em ralos, piscinas, lages, caixas d’água, lixo no quintal e em objetos que são deixados nas residências, como baldes e vasilhas.

 

Identificação e eliminação - “As entidades do setor serão nossas parceiras no evento, fazendo a identificação e eliminação dos criadouros naqueles imóveis que estão à venda ou para alugar. A ideia é que a ação ocorra em todos os municípios paranaenses”, explica o tenente Marcos Vidal, da Defesa Civil. “As imobiliárias têm a chave das residências, que ficam muito tempo fechadas e não podem ser acessadas pelos agentes de endemias municipais”, diz.

 

Monitoramento permanente - A ideia é que o monitoramento nas construções e residências fechadas seja permanente. Caso sejam encontrados recipientes com água parada, eles serão retirados. Onde houver confirmação do foco, a Secretaria da Saúde e a Defesa Civil tomarão as providências necessárias.

 

Mobilização - “O Estado e os municípios estão mobilizados desde o ano passado para conter os casos de dengue no Paraná, mas é preciso envolver toda a comunidade em ações de divulgação e prevenção contra o mosquito”, afirma o superintende de Apoio aos Municípios, Ricardo Maia.

 

Participação - O secretário da Saúde, Beto Preto, reforça que é fundamental a participação de todos os segmentos na guerra contra a dengue. "Temos um trabalho efetivo que não é mais da saúde, mas de governo. E a sociedade civil e as entidades podem nos ajudar muito. Ainda mais  neste segmento da habitação, pois a maior parte dos criadouros do mosquito está nas casas.  E uma ação de remoção dos criadouros precisa ser feita de forma intensiva nestes espaços".

 

Rotina - A orientação do Creci, por exemplo, é que a identificação dos focos se torne rotina no trabalho dos profissionais do setor. A entidade, que representa 20 mil corretores e 4 mil imobiliárias de todo o Estado, está mobilizando todos os profissionais a aderirem aos mutirões do dia 18.

 

Medidas - Entre as medidas sugeridas pela entidade está incluir protocolos de eliminação de criadouros nas vistorias e visitas aos imóveis, além de orientações aos locatários nos contratos de aluguel. “A ideia é ter ações permanentes, porque a dengue está afetando a vida de muitos paranaenses. Os corretores de imóveis poderão incluir em sua rotina os cuidados para evitar a proliferação do mosquito. Não dá muito trabalho, mas traz um resultado efetivo”, afirmou o presidente do Creci, Luiz Celso Castegnaro.

 

Redes sociais - O Sinduscon, que representa cerca de 600 empresas da construção civil, vai usar suas redes sociais para orientar sobre as práticas para evitar o acúmulo de água nas obras de construção. “Há cerca de um ano, em todas as visitas a obras, distribuímos aos trabalhadores um material com orientações. Cada obra tem suas particularidades, mas é importante não deixar materiais expostos no tempo, para evitar os criadouros”, explica o superintendente do Sinduscon, Andreas Schiel. (Agência de Notícias do Paraná)


Versão para impressão


RODAPE