Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4680 | 09 de Outubro de 2019

SANIDADE: Ministra assina IN que autoriza o PR a retirar vacinação contra febre aftosa, em solenidade no Palácio Iguaçu

1sanidade 09 10 2019A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Tereza Cristina, participa, no dia 15 de outubro, às 11h, no Palácio Iguaçu, sede do governo do Estado, em Curitiba, juntamente com o governador Ratinho Junior, da cerimônia de assinatura da Instrução Normativa (IN) que proíbe a comercialização, distribuição e uso da vacina contra a febre aftosa no Paraná. Esse é o primeiro passo do processo que visa retirar a vacinação contra a doença do rebanho paranaense de bovinos e bubalinos.

Demanda - A medida atende a uma demanda do Estado, que vem se mobilizando para obter o status de área livre de febre aftosa sem vacinação. A última campanha de imunização ocorreu no mês de maio no Paraná. Na 2ª Reunião do Bloco V do Plano Estratégico do Programa Nacional de Erradicação da Febre Aftosa (PNEFA), realizada no dia 24 de abril, no auditório do Sistema Ocepar, já havia sido aprovado o pedido dos paranaenses de antecipar de 2021, data estabelecida no PNEFA, para 2019 a suspensão da vacinação contra a doença no Estado. Com a assinatura da IN, o Mapa oficializa a decisão tomada na 2ª Reunião do Bloco V e possibilita ao Paraná avançar no esforço de alcançar a nova condição sanitária do seu rebanho.

Benefícios - O superintendente da Ocepar, Robson Mafioletti, destaca que os paranaenses vêm se preparando para a nova situação com planejamento, visando inclusive aos benefícios que virão com o reconhecimento da erradicação da doença e o fim da vacinação. “O setor produtivo tem investido de forma contínua na melhoria da estrutura de sanidade do estado. Esse é o momento de avançarmos. As cooperativas consideram o novo status uma prioridade. Estamos preparados para cumprir todas as exigências e, em consequência do trabalho realizado em parceria entre os setores privado e público, poderemos acessar mercados globais importantes, ampliando as oportunidades de renda dos produtores paranaenses”, acrescenta. O esforço é para pavimentar o caminho rumo ao reconhecimento internacional da condição de área livre da doença sem vacinação pela OIE, em 2021. “Isso abre uma janela de oportunidades para mercados que não compram carnes do Paraná por causa da vacina contra a aftosa. É uma oportunidade única, o que também motivou o pedido de antecipar a suspensão da vacinação no Estado”, lembra.

Foto: Mapa

 

sanidade convite 09 10 2019

PRÊMIO SOMOSCOOP: Paranaenses estão entre as cooperativas com a melhor gestão do país

 

Cinquenta e seis cooperativas brasileiras foram reconhecidas pelo Sistema OCB com o Prêmio SomosCoop Excelência de Gestão, entre as quais as paranaenses C.Vale, Unimed Cascavel, Unimed Londrina e Cocamar. A cerimônia de entrega dos troféus foi realizada na noite desta terça-feira (08/10), em Brasília, e contou com presença de representantes do cooperativismo nas cinco regiões do país, além de autoridades e parlamentares. O presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, e o coordenador de gestão estratégica do Sescoop/PR, Alfredo Souza, também prestigiaram o evento. 

 

Destaques - Dentre as 56 reconhecidas, quatro cooperativas foram destaques nos quesitos Melhoria Contínua e Governança. O Prêmio SomosCoop Excelência em Gestão ocorre a cada dois anos e é o resultado do Programa de Desenvolvimento da Gestão das Cooperativas (PDGC).

 

DNA cooperativista - Para o presidente do Sistema OCB, a busca incessante pela excelência está no DNA cooperativista e, por isso, é natural que esse seja o caminho trilhado para fazer do movimento um modelo de negócios cada vez mais forte e competitivo, não só no Brasil, mas no mundo.

 

Autoconfiança - “A melhoria das práticas de governança gera autoconfiança e possibilita ocupar melhores espaços no mercado dentro e fora do país. Além disso, é fundamental destacar que as cooperativas trabalham para melhorar a vida de seus cooperados. É para isso que elas existem! Então, nada melhor do que reconhecer todo o empenho delas em ser melhores, dia após dia”, afirmou o presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas.

 

Surpresa - De acordo com a gerente de Desenvolvimento da Gestão de Cooperativas, Susan Miyashita Vilela, que coordena o prêmio, na edição deste ano, apenas décimos separaram a classificação entre as três categorias. “O índice para o reconhecimento também aumentou de nível. Isso é um sinal de que as cooperativas estão cada vez mais preparadas para atender a um mercado mergulhado em inovações e com clientes cada vez mais conscientes do impacto de suas opções de consumo”, explica a gerente.

 

Mapa - Com 28 troféus, Minas Gerais abriga o maior percentual de cooperativas reconhecidas. Já com relação aos ramos, o que aparece com maior número de premiadas é o de Crédito, com 28 cooperativas reconhecidas, seguido do Ramo Saúde (15). As paranaenses figuram nas categorias Primeiros Passos – Prata (C.Vale), Compromisso com a Excelência – Bronze (Unimed Cascavel), Compromisso com a Excelência – Prata (Unimed Londrina) e Compromisso com a Excelência – Ouro (Cocamar)

 

Lista - Confira abaixo a lista das cooperativas reconhecidas com a melhor gestão do Brasil, por ordem alfabética.

 

Primeiros Passos – Bronze

CCPR (MG)

Coocirurge (CE)

Coopama (MG)

Coopatos (MG)

Coopersino (MT)

Sicoob AC Credi (MG)

Sicoob Cofal (MG)

Sicoob Coopemata (MG)

Sicoob Credimepi (MG)

Sicoob Nossocredito (MG)

Sicredi Cerrado (GO)

Sicredi Pantanal (MS)

Unimed Federação Minas (MG)

Unimed Juiz De Fora (MG)

Unimed Nordeste-RS (RS)

Unimed Poços De Caldas (MG)

 

Primeiros Passos – Prata

C.Vale (PR)

CEM (SC)

Coopercarga (SC)

Cosmipa (MG)

Sicoob Centro-Oeste (MG)

Sicoob Crediriodoce (MG)

Sicoob Nossacoop (MG)

Sicoob União Centro Oeste (MG)

Unicred Central (SC/PR)

Unimed/Uberaba (MG)

Unimed/Vale Do Aço (MG)

Unimed Vale Do São Francisco (PE)

 

Primeiros Passos – Ouro

Coopmetro (MG)

Cooxupe (MG)

Sicoob Copermec (MG)

Sicoob Divicred (MG)

 

Compromisso com a Excelência – Bronze

Sicoob Credialto (MG)

Sicoob São Miguel (SC)

Sicredi Campo Grande (MS)

Sicredi Noroeste (MT/AC)

Sicredi Planalto Central (GO)

Sicredi Sudoeste (MT/PA)

Sicredi Uniestados (RS)

Unimed Cascavel (PR)

Unimed Chapecó (SC)

 

Compromisso com a Excelência – Prata

Coocafe (MG)

Coopmil (SP)

Sicredi Ouro Verde (MT)

Unimed Londrina (PR)

 

Compromisso com a Excelência – Ouro

Cocamar (PR)

Coopercon (MG)

Sicoob Credicom (MG)

Unimed Circuito Das Águas (MG)

 

Rumo à Excelência – Bronze

Sicredi Pioneira (RS)

Unimed Central De Serviços (RS)

Unimed Fronteira Noroeste (RS)

Viacredi (SC)

 

Rumo à Excelência – Prata

Sicredi Celeiro do MT (MT)

Unimed Vitória (ES)

 

Rumo à Excelência – Ouro

Unimed-BH (MG)

 

Destaques Melhoria Contínua

Unimed-BH (MG)

Unimed Vitória (ES)

 

Destaques Governança

Cooxupe (MG)

Sicoob União Centro-Oeste (MG)

Unimed-BH (MG)

(Com informações da OCB)

 

{vsig}2019/noticias/10/09/premio_somoscoop/{/vsig}

PRC100: Unicastro recebe 4º Workshop do Programa Juntos de Intercooperação

Quarenta lideranças e assessores de oito cooperativas do Núcleo Centro-Sul e funcionários do Sistema Ocepar participam, nesta quarta-feira (09/10), no Buganville Palace Hotel, na cidade de Castro (PR), do 4º Workshop do Programa de Intercooperação, dentro de uma das metas do Plano Paraná Cooperativo 100 (PRC100), o planejamento estratégico do cooperativismo paranaense. Estão presentes os presidentes das cooperativas Unicastro, Coopagrícola, Witmarsum, Cooperponta, Clac, Cooperante, Coacan e Coamig e assessores técnicos. Somadas, as oito cooperativas possuem uma movimentação econômica em torno de R$ 730 milhões/ano. O evento foi aberto pelo presidente da Unicastro, Márcio Yamazaki, que apresentou a diretoria das cooperativas e colaboradores presentes. Para ele, esta iniciativa está sendo de grande valia para promover a integração com lideranças de outras cooperativas da região e poder discutir ações de forma conjunta. “Aproveitamos para agradecer ao Sistema Ocepar e aos colaboradores da entidade que idealizaram o programa e estão nos auxiliando na implantação. É o início de um trabalho que resultará em um processo de intercooperação que trará resultados positivos no futuro”, frisou.

Casamento- Em seguida, o superintendente do Sescoop/PR, Leonardo Boesche, destacou o número expressivo de participantes neste quarto encontro. “Em nome do presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, agradecemos a presença de todos aqui hoje, em especial, aos presidentes de cada uma das oito cooperativas participantes, que apoiam de forma efetiva este programa”. Boesche fez uma analogia da iniciativa como um casamento. “Primeiro, nos conhecemos, vimos o que cada uma faz e, agora, estamos numa fase de namoro, ou seja, cada uma se conhece melhor, para poder firmar um relacionamento mais perene, onde as demandas aqui surgidas e a confiança serão fundamentais para que a intercooperação possa acontecer na prática, como em outras iniciativas realizadas”.

Plataforma - A coordenação do workshop acontece sob a responsabilidade do professor Tomas Sparano Martins, da Universidade Federal do Paraná. Ele destacou que durante o dia serão discutidos uma Plataforma de Informação e Conhecimento, Marca, Tecnologia de Informação e Varejo, especialmente desenvolvida por uma empresa de Candoi, contratada pela cooperativa Coacan, para que todas as cooperativas possam utilizar de forma conjunta, na troca de informações de interesse. O custo do desenvolvimento da plataforma foi dividida entre as oito cooperativas. Na sequência, os profissionais de TI da cooperativa Witmarsum realizaram apresentação do sistema que atualmente é utilizado com sucesso e pode ser compartilhado com as demais entidades. Outro assunto que será abordado será com relação à extensão da marca, com apresentação realizada pela Cooperante. Na parte da tarde, serão discutidos conceitos sobre fatores de sucesso no varejo atual, com uma apresentação pela Clac. O evento encerra com discussão para o próximo encontro e atividades a serem desenvolvidas até lá. Para o superintendente executivo da Cooperante, Gilson Hollerwerger Fernandes, “o desenvolvimento desta ferramenta já é uma demonstração evidente de que o processo de compartilhamento de informações acontecerá na prática. Isso provocará um maior dinamismo entre todas as participantes do Programa Juntos, rumo a intercoperação de fato”.

Caminho certo - Na avalição do professor Tomas Sparano, “a demonstração de interesse por parte das cooperativas envolvidas já é prova de que estamos no caminho certo. O processo não é tão rápido como se pensava no início, envolve sociedades com culturas diferentes, as quais já manifestaram a necessidade de realizarem ações conjuntas e que possam a contribuir com o desenvolvimento dos seus cooperados diretamente. Podemos afirmar que hoje já está sendo entregue uma primeira plataforma de utilização conjunta para troca de diversas informações que servirão para gestão dos seus negócios”, destacou. Acompanham o evento, os consultores do Sistema Ocepar, Cristiano Michalovicz, Daniele Cristiane Radulski Reginatto, Fernando Mendes, Samuel Milléo Filho, Rodrigo Gandara Donini e Silvio Krinski. 

{vsig}2019/noticias/10/09/prc_100/{/vsig}

LIDE AGRONEGÓCIO: OCB é premiada por sua atuação em prol das cooperativas

 

lide agronegocio 09 10 2019São 50 anos trabalhando pelo desenvolvimento do movimento cooperativista no Brasil, uma história de lutas e conquistas que reflete o rosto de 14,2 milhões de cooperados no país todo. E o nosso trabalho foi reconhecido publicamente. A Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) recebeu, na sexta-feira (04/10) o Prêmio Lide Agronegócio 2019, na categoria Entidades de Representação, por sua atuação junto aos Três Poderes. O presidente da OCB, Márcio Lopes de Freitas, foi pessoalmente receber a premiação, que ocorreu em Ribeirão Preto (SP), durante o 8º Fórum LIDE de Agronegócios.

 

Satisfação - “É uma grande satisfação ver nosso trabalho em prol do setor cooperativista sendo reconhecido por outras grandes organizações e grupos, como é o caso do LIDE. Isso prova que estamos caminhando na direção certa”, afirmou o presidente Márcio Freitas.

 

Presenças - O evento reuniu líderes do setor, autoridades, empresários e especialistas, que debateram o tema central A inserção internacional do Agronegócio. Na função de embaixador especial da FAO para o Cooperativismo, Roberto Rodrigues, que também já foi presidente da OCB, participou do 2º painel de discussão previsto na programação, com foco na Segurança Jurídica. O Fórum também abordou assuntos relativos à tecnologia, meio ambiente, novos mercados e marcas.

 

Empresas de destaque - O Fórum Lide é promovido pelo Grupo de Líderes Empresariais, que reúne anualmente presidentes e dirigentes das mais importantes empresas e cooperativas do Brasil, e premia as empresas de destaque no agronegócio.

 

Categorias - A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) e a Sociedade Rural Brasileira (SRB) foram premiadas junto com a OCB na categoria Entidades de Representação. A Cooperativa Coplana recebeu prêmio na categoria Alimentos e Bebidas. O Prêmio Lide contou, ainda, com mais quatro categorias: Insumos; Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação; Sustentabilidade: e Tecnologia no Agro. (Informe OCB)

AGRÁRIA: Participantes já podem se credenciar para o WinterShow 2019

 

agraria 09 10 2019Profissionais da área de ciências agrárias, estudantes e comunidade em geral de Guarapuava e região já podem se inscrever para participar da 16ª edição do WinterShow. Promovido pela Agrária e pela Fapa – Fundação Agrária de Pesquisa Agropecuária – o maior evento de cerais de inverno do Brasil acontece entre os dias 15 e 17 de outubro, na sede da Fundação. 

 

Entrada gratuita - A entrada no evento é gratuita e o processo de credenciamento serve para facilitar o acesso à área onde acontecerão as atividades. O cadastro deve ser feito pelo site wintershow.com.br/inscricao. O processo é simples, o participante deverá apenas informar seu nome, endereço e contatos de e- mail e telefone. 

 

Foco - Com foco em negócios, tecnologia e inovação, o WinterShow 2019 tem confirmada a presença de 89 expositores, recorde em todas suas edições. A programação do evento conta com palestras realizadas pelos pesquisadores da FAPA nas estações de trigo, cevada, fertilidade do solo e herbologia, e entomologia e fitopatologia. Além disso, contará com a Estação Open Innovation, que mostrará aos participantes novidades do setor de agronegócios. 

 

Painel - Na abertura, o WinterShow apresentará o painel Trigo: sua importância e seus desafios. Conduzido pelo pesquisador da Fapa Juliano Almeida, a atividade terá a presença dos pesquisadores Claudio Kapp Junior, da Fundação ABC, e Vladirene Macedo Vieira, da Embrapa. O evento também terá palestras sobre Inovação e o Futuro dos Negócios, com Arthur Igreja, e a Transformação Digital e o Futuro do Agronegócio, com Allan Costa. No seu encerramento, o WinterShow 2019 recebe o cantor Leo Chaves. 

 

Programação completa - No endereço wintershow.com.br é possível encontrar a programação completa do evento. (Imprensa Agrária)

 

SERVIÇO

WinterShow 2019 – 16ª edição

Data: de 15 a 17 de Outubro

Horário: das 8h às 18h30

Local: Fapa, Colônia Vitória, Distrito de Entre Rios, Guarapuava- PR

BOM JESUS: Tratos especiais fisiológicos na cultura da batata podem render mais produtividade

 

No dia 03 de outubro, no entreposto da Cooperativa Bom Jesus de Contenda (PR), foi realizada uma reunião técnica com foco na cultura da batata com o engenheiro agrônomo Fernando Bacilieiri. Além de participantes do município, estiverem presentes produtores e equipes técnicas das unidades de Balsa Nova e Quitandinha, e o diretor secretário da Cooperativa Bom Jesus, Marcelo Kosinski. O evento foi realizado em parceria com a empresa UPL, que atua na área de defensivos agrícolas.  

 

Nova estrutura - Na oportunidade, foi apresentada a nova estrutura da UPL após aquisição da Arysta Lifescience. Os participantes também foram orientados sobre manejos que podem fazer grande diferença na produtividade de batata. Segundo Bacilieiri, “ambiente, genética e manejo soma-se para dar produtividade” na cultura da batata e “manejar é aplicar a genética no campo e, com isso, o ambiente não comprometa a cultura”. Esse manejo diferenciado pode ser observado em diferentes estádios da cultura, como: na qualidade de semente, desenvolvimento tubercular, eficiência no tratamento sanitário, pois começa o fechamento de linha e crescimento da planta; e pico de vegetação, com a relação de quanto maior a qualidade de folha, pode-se ganhar uma tonelada por dia em incremento e peso de batata, conforme explicou o pesquisador.  

 

Lei do Mínimo - Outro foco importante ressaltado pelo palestrante foi a Lei do Mínimo, ou de Lei de Liebig, de 1840. Segundo ele “olhamos somente para três nutrientes para todas as culturas, ou seja, o NPK (nitrogênio, fósforo e potássio), mas esquecemos que precisamos cuidar de 17 nutrientes para manter um equilíbrio para planta” e para pensar em maiores produtividades precisamos “corrigir o solo, e uma ferramenta imprescindível para a cultura da batata é a análise de solo”, afirma Dr. Fernando.  

 

Adubação foliar - Além desse cuidado com o solo, o agrônomo também comenta da adubação foliar. Para ele “saber o que está usando são os objetivos para isso. Precisamos saber se tem hormônio, vitamina etc. Para isso precisamos de quatro tipos de análises: corretiva, preventiva, substituição da adubação no solo e estimulante”. Outro método de melhor desenvolver a planta também está no uso de bioestimulantes, que são substâncias diversas e microrganismos para melhorar o crescimento da planta e auxiliam para resolver problemas fisiológicos. 

 

Manejo - Para Bacilieiri, os cuidados para melhor produzir com a cultura da batata podem ser resumidas na prática de manejo e estimular enraizamento; a produtividade depende da fisiologia; se o manejo fisiológico atende suas necessidades; e ação de bioestimulantes.  

 

Desafio - A UPL também apresentou para os produtores presentes o “Desafio Meu Pé de Batata”, chegando a sua terceira edição na região, com o intuito de desafiar os produtores com manejos buscando maiores produtividades de batata somente em um pé da cultura plantada em baldes.  

 

Equipe técnica - Os cuidados com os tratos da cultura da batata podem ser alinhados no campo pela equipe técnica da Cooperativa Bom Jesus para buscar cada vez mais produtividades regionais. (Imprensa Bom Jesus)

 

{vsig}2019/noticias/10/09/bom_jesus/{/vsig}

SICREDI VALE DO PIQUIRI: Reconhecida pelo GPTW como uma das 10 melhores cooperativas de crédito do Brasil para trabalhar

 

sicredi vale piquiri 09 10 2019No dia em que celebra 31 anos de fundação, a Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP tem um ótimo motivo para comemorar. A instituição financeira está entre as 10 melhores cooperativas de crédito do Brasil para trabalhar segundo certificação concedida pelo renomado instituto internacional GPTW (Great Place to Work) e divulgada nesta terça-feira (08/10), em São Paulo (SP). 

 

Valorização - Um prêmio que valoriza todas as iniciativas, a gestão e a dedicação para com os seus mais de 1.000 colaboradores e parceiros. Um reconhecimento que atesta que a Cooperativa adota práticas que contribuem para um bom ambiente de trabalho, em um espaço que é feito de pessoas para pessoas. 

 

Alegria e orgulho - O Diretor Executivo da Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, Moacir Niehues, destaca a alegria e o orgulho em receber esse prêmio, especialmente por confirmar o cuidado da empresa em proporcionar um ambiente de trabalho saudável e produtivo.

 

Felicidade - “Nós acreditamos que lugar de gente feliz também faz outras pessoas felizes. Parabéns aos nossos associados, colaborados e lideranças pela construção desse empreendimento maravilhoso. Entendemos que proporcionar a todos um bom ambiente de trabalho contribui para que o associado seja melhor atendido e tenha suas necessidades supridas. Obrigado aos que participaram dessa pesquisa e a todos que fazem parte dessa importante conquista, pois entre 900 Cooperativas que temos no Brasil, nós estamos entre as 10 melhores”, disse.

 

Retenção de talentos - Segundo a Gerente de Gestão de Pessoas da Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, Elisângela Mancini, um ambiente de trabalho harmonioso é essencial para atrair e reter talentos, fatores que a cooperativa prioriza em seu dia a dia. “É motivo de muito orgulho e honra fazer parte dessa empresa, que sempre cuidou tão bem de nós. Para mim é uma grande honra receber esse prêmio e representar a todos os colaboradores do Vale do Piquiri, especialmente hoje, quando celebramos 31 anos de fundação”.

 

Pesquisa - Para que uma empresa receba a certificação, uma pesquisa é aplicada junto aos colaboradores que, por sua vez, avaliam o ambiente, o índice de confiança, o trabalho em equipe e o orgulho no desempenho das atividades. O ranking desenvolvido pelo GPTW, autoridade global em pesquisa de clima organizacional fundado há mais de 25 anos nos Estados Unidos, traz em sua marca o prestígio e o reconhecimento internacional por desenvolver as pesquisas das Melhores Empresas para Trabalhar em 60 países (América do Norte, América Latina, Europa, África, Oceania e Ásia), impactando mais de 12 milhões de funcionários todos os anos. 

 

Sobre a Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP - A Sicredi Vale do Piquiri é uma cooperativa com 31 anos de história, mais de 130 mil associados, distribuídos em 75 agências. A Cooperativa atua nas regiões Oeste e Noroeste do Paraná e Capital e Abcd Paulista. A instituição se destaca pelo atendimento aos associados e pela preocupação com o desenvolvimento da comunidade.

 

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.700 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP)

 

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

SICREDI UNIÃO PR/SP: Cooperativa realiza Trilha de Conteúdo no Lidere 2019

sicredi uniao 09 10 2019A Sicredi União PR/SP participa, pelo segundo ano consecutivo, do Lidere, considerado o maior encontro empresarial de Londrina e Região, realizado pela Associação Comercial e Industrial de Londrina (Acil). O evento será dias 16 e 17 de outubro, no Espaço Villa Planalto (Av. Tiradentes, 6429 – Cilo II).

 

Relevância do cooperativismo - A cooperativa de crédito ficará responsável por uma das Trilhas de Conteúdo do Lidere 2019, com início sempre às 16 horas. A palestra de abertura da Trilha da Sicredi União terá como tema “A Relevância Econômica do Cooperativismo”, com o analista da Ocepar Rodrigo Gandara; seguida de palestra sobre “Estratégia e Transformação Digital”, com   Valério Araújo,  especialista de Estratégia & Inovação no Sicredi, e líder de iniciativas estratégicas de Open Banking, programa de Conexão e Relacionamento com startups e Universidades.

 

Painéis - No dia 17, a programação da Trilha da Sicredi contará com dois painéis:  “A experiência do consumidor como protagonista nos negócios”; e “Sustentabilidade e Negócios: o desafio de ser coerente”.

 

Programação - O Lidere 2019 conta com uma ampla programação, com espaço para exposição, rodadas de negócios, palestras com alguns dos principais executivos do País, painéis e apresentação de soluções tecnológicas para o mercado. O objetivo, segundo a realizadora do encontro, é preparar empresários e empreendedores para os desafios de um cenário cada vez mais competitivo e dinâmico.

 

Conhecimento - “Trata-se de um evento que reúne centenas de pessoas com foco em negócios, interessadas em novos conhecimentos. É, portanto, um ambiente em que a Sicredi União tem um grande prazer em estar e poder colaborar com esse propósito”, comenta Diego Menão, gerente de Comunicação e Marketing da Sicredi União PR/SP.

 

Programação - A programação completa pode ser conferida no endereço eletrônico https://www.lidereacil.com.br/. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

SICOOB TRÊS FRONTEIRAS: Duas agências são inauguradas no Rio Grande do Sul

 

sicoob tres fronteiras 09 10 2019Desde o último dia 3, o Sicoob Três Fronteiras passou a atuar também no Rio Grande do Sul. A cooperativa, que tem sede em Foz do Iguaçu e atua no Paraná há mais de 15 anos, deu início ao seu plano de expansão para o estado gaúcho com a inauguração de duas agências, em Canoas e Gravataí.

 

Presenças - Em ambas as cidades, as cerimônias de inauguração contaram com a presença de membros da diretoria da cooperativa, autoridades locais e cooperados, que acreditaram na instituição mesmo antes da agência estar aberta fisicamente.

 

Influência - “O Sicoob Três Fronteiras foi fundado no oeste paranaense, região esta que teve grande influência do povo gaúcho. A abertura dessas agências simboliza um presente que estamos devolvendo para o Estado, já que nossa missão é levar os benefícios do cooperativismo para mais pessoas”, diz o diretor superintendente do Sicoob Três Fronteiras, Dirceu Luiz Tessaro.

 

Em funcionamento - Com equipes que prezam pela excelência no atendimento, os novos pontos de atendimento já estão em funcionamento, oferecendo produtos e serviços financeiros com taxas mais baixas e condições diferenciadas em relação ao mercado. Mais do que atender as necessidades dos cooperados com soluções financeiras, o Sicoob Três Fronteiras chega à região para contribuir com a disseminação do cooperativismo financeiro e colaborar com o desenvolvimento sustentável da comunidade.

 

Trabalho conjunto - Segundo o diretor de Desenvolvimento Econômico e Turismo do Estado, Jorge Imperatore, a cooperativa proporciona à Canoas muito mais do que serviços financeiros. “O Sicoob vem nos ensinar a trabalhar de forma conjunta, aprender a dividir os lucros e a rentabilidade”, explica.

 

Localização - Em Canoas, a agência do Sicoob Três Fronteiras fica localizada na Av. Santos Ferreira, 1380, no bairro Marechal Rondon. Já em Gravataí o endereço é Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 4.410.

 

Sobre o Sicoob - O Sicoob conta com mais de 4,5 milhões de cooperados e mais de 3 mil agências espalhadas por todos os estados brasileiros e Distrito Federal. Hoje o Sicoob ocupa a oitava posição no ranking das maiores instituições financeiras do país. Essa conquista é um reflexo da confiança dos milhões de cooperados que acreditam no Sicoob como uma alternativa mais justa e sustentável para realizar transações financeiras.

 

Linha completa - O Sicoob oferece aos cooperados uma linha completa de produtos e serviços para pessoas físicas e jurídicas como conta corrente, crédito, investimento, cartões, previdência, consórcio, seguros, cobrança bancária e pagamento eletrônico. Tudo isso com uma diferença: na cooperativa, os clientes são os donos e, por isso, participam dos resultados da instituição dia a dia. (Imprensa Sicoob Unicoob) 

ALEP: Frente Parlamentar do Leite se reúne com entidades pela qualidade do produto paranaense

 

Preocupadas com a completa adequação dos produtores paranaenses a duas Instruções Normativas referentes à higiene da produção leiteira - publicadas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e validadas em junho deste ano, entidades representativas da cadeia láctea foram recebidas, na manhã desta terça-feira (08/10), pela Frente Parlamentar de Apoio à Cadeia Produtiva do Leite, coordenada na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) pelo deputado Reichenbach (PSC). “São novas exigências às normas de produção do leite, em um momento em que o mercado externo se abre para a colocação de nosso leite, diante do volume de produção que precisa buscar mercado com base na qualidade”, explicou Reichenbach.

 

Impacto - De acordo com o parlamentar, a ponta da produção leiteira, desde o cumprimento das exigências na ordenha, prevista nas Instruções Normativas (IN) 76 e 77, impacta no produto entregue ao consumidor, seja nos derivados ou na distribuição do leite in natura. Para ele, reuniões entre membros do Poder Executivo, Legislativo e entidades que representam a cadeia de produção ajudam na disseminação das informações necessárias para que os pequenos e médios produtores paranaenses que ainda não se adequaram às normas não fiquem de fora do processo.

 

Informações - “A Frente Parlamentar tem promovido estas reuniões, sugerindo à Secretaria de Agricultura do Estado do Paraná informações que sejam repassadas aos produtores. Ela está promovendo seminários e workshops em todos os municípios das regiões produtoras. A maioria dos produtores já está dentro das normativas, mas alguns pequenos dependem desta renda mensal e ainda estão fora. Eles dependem de nosso apoio para não serem excluídos da atividade, o que geraria prejuízo financeiro e um problema social. Trabalhamos esta complexidade do mercado para que todos se adequem”, explicou o deputado.

 

Presenças - Participaram da reunião também: o presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural, deputado Anibelli Neto (MDB); a deputada Luciana Rafagnin (PT); o deputado Nelson Luersen (PDT); o deputado Elio Rusch (DEM); e o deputado Marcel Micheletto (PL).

 

Orientações e apoio - Liderando o encontro, o presidente do Sindicato da Indústria de Laticínios e Produtos Derivados do Paraná (Sindileite), Wilson Thiesen, disse que a preocupação de pequenos e médios produtores está sendo respondida com orientações e apoio de diversas entidades. “Vamos superar qualquer problema que ainda possa restar. Ainda há falta de informação. Evidentemente a maior demanda é com a assistência técnica a esses produtores. Temos que investir, nossas empresas filiadas têm contratado assistência para que ninguém fique fora do processo. A expectativa é muito boa, o porcentual que ainda não está adequado vai se adequar em breve”, frisou. “Ainda teremos problemas pontuais, como qualidade de estradas rurais ou falta de energia elétrica em alguns municípios. Agimos em conjunto para resolver todos eles”, explicou.

 

Adequação - As Instruções Normativas, publicadas pelo Ministério da Agricultura em novembro de 2018, tratam de aspectos de regulamentação técnica para a produção, armazenamento, transporte e industrialização do leite. Segundo o diretor técnico da Secretaria de Estado da Agricultura (Seab), Rubens Ernesto Niederheimann, três pontos principais exigem atenção para o cumprimento pleno no estado: “Um diz respeito à higiene da ordenha, que vai determinar o número de bactérias que vai se formar no leite; o segundo é sobre doenças que os animais possam ter, que vão se transformar em células somáticas que têm um padrão a serem observados; e o terceiro é a temperatura do armazenamento do leite, que deve ser mantido na propriedade em quatro graus para evitar proliferação de bactérias”, listou.

 

Regras simples - “São regras simples de higiene na ordenha, de um bom manejo sanitário dos rebanhos”, afirmou o diretor. Ainda segundo ele, entidades da Seab, como a Emater, Adapar e Iapar estão no campo, junto aos agricultores alertando para as necessidades da adequação. “E capacitando, em parcerias com órgãos como o Senar, Sebrae, universidades e entidades com conteúdo para que eles possam chegar aos padrões desejados pelas instruções normativas”, explicou. “Estima-se que de 15% a 20%, no máximo, de todos os produtores, ainda tenham algum problema para sanar, porém, os laticínios também estão implementando planos de qualificação para recuperar a qualidade de todos”, reforçou. 

 

Ocepar - O Sistema Ocepar esteve representado na audiência pública pelo analista técnico, Alexandre Amorim Monteiro. (Com informações da Assessoria de Imprensa da Alep)

 

{vsig}2019/noticias/10/09/alep/{/vsig}

PREVIDÊNCIA: Acordo permite conclusão da reforma

 

previdencia 09 10 2019Câmara e Senado, respaldados pelas lideranças das duas Casas, chegaram a um acordo sobre a partilha, entre Estados e municípios, dos recursos provenientes dos bônus de assinatura dos excedentes da cessão onerosa do pré-sal. Dos 15% dos bônus destinados aos Estados, dois terços (10%) serão repartidos de acordo com os critérios do Fundo de Participação dos Estados (FPE), que beneficiam os entes mais pobres, das regiões Norte e Nordeste. O outro terço (5%) será repartido pelos critérios da Lei Kandir e do Fundo de Auxílio Financeiro para Fomento das

Exportações (FEX), que privilegiam Estados exportadores.

 

Projeto de lei - O acerto será colocado em um projeto de lei que tramitará rapidamente para ser votado pela Câmara ainda hoje e pelo Senado na próxima terça-feira (15/10). Segundo o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), dos 15% destinados para os Estados, a prioridade será dada ao equilíbrio previdenciário e, caso restem recursos, para aplicação em investimentos e pagamentos de precatórios de pessoas físicas, sobretudo alimentares.

 

Bônus - Os 15% dos bônus destinados às prefeituras seguirão os critérios do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e serão destinados, também, ao equilíbrio das contas previdenciárias e investimentos.

 

Lados opostos - O impasse em torno do tema pôs em lados opostos parlamentares de Norte e Nordeste e representantes de Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Senadores recusavam-se a votar a reforma da Previdência, em segundo turno, enquanto os critérios de repartição não fossem definidos. Com o acordo, a votação da reforma no Senado já tem até data para sua conclusão: dia 22 deste mês.

 

TCU - O Tribunal de Contas da União também deve aprovar nesta quarta-feira (09/10), com ressalvas, o acordo firmado entre a União e a Petrobras sobre os termos do excedente de petróleo da cessão onerosa. A principal ressalva será sobre o valor de US$ 45 bilhões que teria de ser pago à Petrobras como compensação pelos investimentos feitos pela estatal na área da cessão onerosa. Os auditores consideram o valor superestimado, porque levou em conta o preço do barril de petróleo a US$ 76,18 e atualmente a cotação (Brent) está abaixo dos US$ 60. (Valor Econômico)

IBGE: Paraná mantém a maior taxa de crescimento na produção industrial

 

ibge 09 10 2019O Paraná fechou os oito primeiros meses do ano como o Estado com maior índice de crescimento na produção industrial do País. O acumulado no período foi de 6,5%, à frente dos 15 locais pesquisados (nove tiveram variação negativa) e do índice nacional, que apresentou queda de 1,7% no acumulado de 2019.

 

Divulgação - Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira (08/10). A pesquisa mostra desempenho positivo da indústria paranaense, também, de agosto de 2019 e mesmo mês de 2018 e em 12 meses.

 

Julho para agosto - O levantamento mostra ainda o Paraná como único representante do Sul do País a apresentar evolução positiva de julho para agosto (0,3%). Rio Grande do Sul registrou queda de 3,4% e Santa Catarina de 1,4% na produção. O mesmo vale no indicador de agosto de 2018 a agosto de 2019. Enquanto o Paraná cresceu 2,3%, Rio Grande do Sul teve redução de 6,3% e Santa Catarina de 3,1%).

 

Destaques - O resultado da indústria paranaense no acumulado do ano foi impulsionado, principalmente, pelas atividades de veículos automotores, reboques e carrocerias (automóveis e caminhão-trator para reboques e semirreboques), produtos alimentícios (carnes e miudezas de aves congeladas, rações, açúcar cristal e carnes de bovinos congeladas) e máquinas e equipamentos (máquinas para colheita).

 

Bom momento - Júlio Suzuki Júnior, economista do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes), reforça o bom momento do setor industrial no Estado, em contraponto ao quadro nacional. “Essa diferença entre o produzido no Paraná e no País como um todo deixa o resultado ainda mais destacado. São números muito relevantes, isolando o Paraná como único do Sul do País a ter resultado positivo em agosto”, afirmou.

 

PIB - Ainda segundo o economista, o crescimento linear da atividade industrial no Estado aponta para um resultado positivo do Produto Interno Bruto (PIB) local no fim de 2019. “Estamos mantendo a dinâmica de crescimento desde o início do ano, com um incremento que não é concentrado apenas em um setor industrial. Algo bastante promissor que deve contribuir para um resultado positivo do PIB paranaense em 2019”, explicou Suzuki Júnior.

 

Recuperação - Apesar da variação negativa nos últimos 12 meses, o índice nacional registrou uma leve recuperação na passagem de julho para agosto (0,8%). Houve altas em 11 dos 15 locais pesquisados pelo IBGE. Os maiores avanços foram no Amazonas (7,8%) e no Pará (6,8%), São Paulo (2,6%), Ceará (2,4%).

 

12 meses - O Paraná é o segundo Estado em crescimento da produção industrial no acumulado de 12 meses (setembro de 2018 a agosto de 2019), com crescimento de 4,5%, atrás apenas do Rio Grande do Sul (6,6%). O índice nacional caiu 1,7% nesse balanço.

 

Agosto - A comparação entre agosto deste ano e do ano passado também indica salto positivo no Paraná, de 2,3%, quarto maior crescimento do País, atrás apenas de Amazonas (13%), Pará (12,8%) e Rio de Janeiro (4,5%). O índice nacional apontou queda de 2,3%.

 

Empregos - O Paraná também mantém em 2019 a tendência de crescimento na criação de empregos, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia.

 

Acumulado - No acumulado de 2019, o Estado abriu 49.704 vagas, sendo a quarta unidade da federação que mais empregou. De janeiro a agosto foram abertas 593.467 vagas formais no Brasil, variação de 1,55% sobre o estoque do mesmo período do ano passado. (Agência de Notícias do Paraná)

EXECUTIVO ESTADUAL: Governador e bancada federal debatem emendas ao orçamento da União

 

executivo estadual 09 10 2019O governador Carlos Massa Ratinho Junior se reuniu nesta terça-feira (08/10), em Brasília, com a bancada paranaense de deputados federais e senadores para apresentar os projetos que o Governo do Estado considerada prioritários e que podem ser incluídos no orçamento da União, por meio de emendas parlamentares.

 

Sugestões - “São sugestões. O objetivo é viabilizar o financiamento de iniciativas que não poderiam ser realizadas, ao menos com a agilidade esperada, apenas com recursos do Tesouro do Estado”, explicou o governador. “Obviamente a bancada vai decidir o que realmente acha importante”.

 

Portfólio de Emendas - Acompanhado do chefe da Casa Civil, Guto Silva, e de secretários de Estado, Ratinho Junior entregou a cada parlamentar o Portfólio de Emendas. No total, são 22 sugestões, que somam R$ 471,7 milhões, e estão distribuídas nas áreas da Educação, Infraestrutura, Saúde, Segurança, Desenvolvimento Urbano, Agricultura, Planejamento, Meio Ambiente e Cultura e Comunicação Social.

 

Prospecção - A ideia é prospectar junto aos ministérios rubricas orçamentárias para incluí-las no planejamento de investimentos do Estado. No documento, também estão inclusas sugestões de outras ações que podem ser feitas com recursos das emendas.

 

Necessidade - “São investimentos que o Estado precisa, mas naturalmente cada deputado escolhe a melhor alternativa”, afirmou o chefe da Casa Civil, Guto Silva. Ele destacou que o governo está organizando um banco de projetos executivos, com obras de maior porte, que será apresentado o ano que vem.

 

Projetos - Entre as propostas que constam no documento está a Escola Agrícola, um projeto de R$ 50 milhões, que prevê transformar a área da Granja Canguiri, localizada em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, em um colégio agrícola 4.0. A unidade irá formar profissionais para a gestão no campo, de cooperativas e agroindústrias.

 

Ferrovias - Também fazem parte da relação à captação de R$ 66 milhões para a expansão e modernização de locomotivas, vagões e outros equipamentos da Ferroeste e a construção de unidades de atendimento especializado por meio dos consórcios municipais de saúde, orçada em R$ 40 milhões.

 

Segurança - Na segurança, estão previstas, entre outras propostas, a aquisição de equipamentos e viaturas. Na área cultural, o governo pretende captar R$ 40 milhões para a reforma e restauração de 169 bens tombados em todo o Estado.

 

Cessão onerosa - Ratinho Junior também destacou a necessidade de uma mobilização dos parlamentares para garantir uma distribuição justa dos recursos do leilão do pré-sal entre os estados e municípios. “A cessão onerosa está em discussão na Câmara e é primordial para todos os estados”, afirmou o governador. “Vai depender dos deputados e senadores a melhor divisão desse bolo. O Paraná precisa desse dinheiro para cumprir suas obrigações”, ressaltou.

 

Outras questões - O governador citou, ainda, outras questões que trazem um impacto financeiro ao Estado: a Lei Kandir, a inclusão de estados e municípios na Reforma da Previdência, o vencimento do contrato da Usina de Itaipu, a construção de uma sede do Tribunal Regional Federal (TRF) no Paraná e a cobrança de ISS nas operações de cartão de crédito.

 

Orçamento - Depois do encontro, o governador se reuniu com o deputado federal Domingos Neto, relator do Orçamento da União para 2020. 

 

Presenças - Participaram da reunião os senadores Oriovisto Guimarães e Flávio Arns; e os deputados federais Toninho Wandscher (líder da bancada paranaense); José Carlos Schiavinato, Diego Garcia, Stephanes Junior, Ricardo Barros, Luísa Canziani, Filipe Barros, Aline Sleutjes, Aroldo Martins, Christiane Yared, Giacobo, Gustavo Fruet, Luciano Ducci, Luiz Nishimori, Luiz Goulart, Paulo Martins, Pedro Lupion, Rubens Bueno, Sargento Fahur, Sérgio Souza e Vermelho.

 

Mais - Também acompanharam os secretários do Planejamento e Projetos Estruturantes, Valdemar Bernardo Jorge; da Infraestrutura e Logística, Sandro Alex; da Saúde, Beto Preto; da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara; e da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost; o diretor administrativo da agência paranaense do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Wilson Bley. (Agência de Notícias do Paraná)

COMPETITIVIDADE: Brasil sobe uma posição em ranking do Fórum Econômico Mundial

 

competitividade 09 10 2019O Brasil tem a 71ª melhor competitividade global entre 141 países, ganhando uma posição em relação ao ano passado, em ranking do Fórum Econômico Mundial. A falta de visão de longo prazo do governo é mencionada como um dos problemas mais urgentes que o país precisa enfrentar para pavimentar um melhor desempenho da economia.

 

Recuperação - Depois de despencar diversas vezes no ranking, o país registrou uma ligeira recuperação nos últimos anos. Em maio, o país ganhou também uma posição na classificação do International Institute for Management Development (IMD), escola de administração de Lausanne (Suíça), ficando em 60º lugar, à frente apenas de Croácia, Argentina, Mongólia e Venezuela.

 

Indicadores - Em seu novo “Relatório Global de Competitividade”, o Fórum Econômico Mundial avalia os países com base em 103 indicadores organizados em 12 pilares, usando as mais recentes estatísticas de organizações internacionais e pesquisa com grandes executivos. A pontuação varia de zero a 100, do pior para a melhor.

 

Pontuação - A pontuação da competitividade do Brasil é 60,9, ficando na média global — Cingapura, apontada como a economia mais competitiva do mundo, tem 84,8 pontos. Os Estados Unidos, Hong Kong, Holanda, Suíça, Japão, Alemanha, Suécia, Reino Unido e Dinamarca completam o pelotão dos dez principais.

 

Brics - O Brasil é considerado como apenas a oitava economia mais competitiva na América Latina e Caribe. E tem a menor competitividade entre os grandes emergentes sócios no Brics: China (28), Rússia (43), África do Sul (60) e Índia (68).

 

Simplificação de regulações - O ganho de uma posição neste ano é atribuído à simplificação significativa de regulações para começar e fechar negócios, o que impulsionou o pilar de dinamismo empresarial (+7,8 pontos, ou 67ª posição entre os 141 países). Também a inflação baixa e uma ligeira melhora na eficiência do mercado de trabalho (105ª) ajudaram. 

 

Inovação - A competitividade da economia brasileira se beneficia igualmente de uma alta capacidade de inovação, categoria em que o país está na 40ª posição. Mas o relatório, que foca desafios da Quarta Revolução Industrial, mostra que várias economias com forte capacidade de inovação, como Coréia, Japão e França, ou em crescente inovação, como China, Índia e Brasil, precisam melhorar a qualificação de seu pessoal e o funcionamento de seus mercados de trabalho.

 

Estabilidade macroeconômica - O relatório considera que, para o Brasil reforçar a competitividade na cena internacional, deve começar por progressos na estabilidade macroeconômica (hoje em 115ª posição). E que isso precisa ser acompanhado por maior abertura comercial (125ª), especialmente na redução das tarifas de importação aplicadas, de 12,5% na média (128ª) e de barreiras não tarifárias (135ª).

 

Excesso de burocracia - Também avalia que o Brasil precisa ter uma estabilidade governamental mais sólida (hoje na 130ª posição entre 141 países examinados). Menciona que líderes empresariais brasileiros consultados classificam excesso de burocracia (141ª) e falta de visão de longo prazo do governo (129ª) entre as prioridades mais urgentes para relançar a competitividade do país, seguidas de perto pelo combate a excessivas distorções tributárias (136ª).

 

Padrões sociais e ambientais - Para o Fórum Econômico Mundial, com a economia global tentando ser mais inclusiva e sustentável, espera-se mais e mais dos governos que adotem mais padrões sociais e ambientais, e que visão de longo prazo é um fator vital para alcançar esse objetivo.

 

Estagnação - A constatação, de forma geral, é de que uma década depois da pior crise econômica dos últimos tempos e de US$ 10 trilhões de estímulo fiscal, a maioria das economias continua com a competitividade estagnada. A situação é ainda mais preocupante num contexto de mudanças geopolíticas e tensões comerciais que alimentam as incertezas e podem precipitar a economia global numa desaceleração mais acentuada.

 

Fragilidade - O relatório destaca a fragilidade da base econômica de vários países emergentes e de menor desenvolvimento, o que os deixa especialmente vulneráveis a choques. Observa que, de seu lado, países como Suécia, Dinamarca e Finlândia estão tanto entre as economias tecnologicamente mais avançadas, inovadoras e dinâmicas no mundo, como asseguram melhores condições de vida e proteção social, e têm políticas mais coerentes e sustentáveis do que muitos de seus parceiros com similar nível de competitividade.

 

Poder de mercado - Outra constatação deste ano é a de que executivos de EUA, China, Alemanha, França e Reino Unido acham que o poder de mercado de grandes companhias se intensificou nos últimos dez anos. (Valor Econômico)

ANS: Beneficiários de planos de saúde: números relativos a agosto estão disponíveis

 

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) atualizou na sexta-feira (04/10) os dados do setor de planos de saúde, disponibilizando os números relativos ao mês de agosto. A consulta pode ser feita por meio da Sala de Situação, ferramenta disponível no portal da ANS. 

 

Acesse aqui a Sala de Situação.

 

Total - Nesse mês, o setor contabilizou, em todo o país, 47.112.323 beneficiários em planos de assistência médica e 25.139.419 em planos exclusivamente odontológicos. Os dados apontam leve aumento na segmentação médica em comparação ao ano anterior, o que mantém a tendência de estabilidade. O segmento odontológico segue sua trajetória de ampla expansão nos últimos anos. 

 

Crescimento - Entre agosto de 2018 e agosto de 2019, foi registrado crescimento de beneficiários em planos de assistência médica em 15 Unidades Federativas, sendo Minas Gerais, Goiás e Espírito Santo os líderes em números absolutos. Na segmentação odontológica, 23 UFs registraram aumento. 

 

Modificações - A ANS ressalta que os números podem sofrer modificações retroativas em função das revisões efetuadas mensalmente pelas operadoras. Confira nas tabelas abaixo a evolução de beneficiários por tipo de contratação do plano e por UF. (ANS)

 

ans tab I 09 10 2019

 

 

ans tab II 09 10 2019

 

 

ans tab III 09 10 2019


Versão para impressão


RODAPE