Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4678 | 07 de Outubro de 2019

ENCONTROS DE NÚCLEOS: PRC100 e o Cooper Universitário também fazem parte da pauta de debates

encontros nucleos 07 10 2019Entre os dias 21 e 24 de outubro, a diretoria da Ocepar irá fazer um relato sobre o PRC100, o planejamento estratégico do cooperativismo paranaense, e apresentar o Programa Cooper Universitário lançado em Maringá, no dia 10 de setembro, com o objetivo de disseminar os princípios cooperativistas no ensino superior, por meio da interação entre cooperativas e universidades. Será durante os Encontros de Núcleos Cooperativos, que serão realizados nos municípios de Prudentópolis, Cascavel, Francisco Beltrão e Mandaguari. Os eventos terão como cooperativas anfitriãs o Sicredi Centro Sul, na região Centro-Sul; a Coopavel, Cotriguaçu, Credicoopavel e a Credicapital, no Oeste; a Cresol, no Sudoeste; e a Cocari e Rodocoop, no Norte/Noroeste. Todas farão uma apresentação no início de cada reunião.

Pesquisa – A programação contempla ainda a participação do diretor do Grupo Datacenso, Cláudio Shimoyama, que irá apresentar o resultado da segunda pesquisa sobre a imagem e o posicionamento das marcas das cooperativas do Paraná. Desta vez, a coleta de dados ocorreu entre os meses de junho e julho, quando foram entrevistados 1.015 consumidores, na capital e no interior do Estado, 10 diretores de cooperativas e 50 profissionais responsáveis pela aquisição das mercadorias nos supermercados. As conclusões deste trabalho têm sido utilizadas pelo Sistema Ocepar e cooperativas como subsídio para direcionar as estratégias de divulgação e promoção dos produtos e serviços ofertados pelo setor à comunidade. A primeira pesquisa foi realizada em 2017. O Programa Trabalho Seguro e Sustentabilidade será outro tema tratado nos Encontros de Núcleos Cooperativos. Quem vai discorrer sobre o assunto é o advogado Ernesto Emir Kugler Batista Junior.

encontros nucleos folder 07 10 2019

 

GETEC: Informe nº 46 apresenta expectativas de mercado sobre indicadores econômicos

getec destaque 07 10 2019A Gerência de Desenvolvimento Técnico da Ocepar (Getec) divulga, nesta segunda-feira (07/10), mais uma edição do Informe Expectativas de Mercado, com base nas informações do Boletim Focus, do Banco Central, levantadas com instituições financeiras sobre as projeções relativas à economia nacional, contemplando o Produto Interno Bruto (PIB), IPCA (Índice de Preços ao Consumidor), taxa Selic e câmbio para 2019, 2020 e 2021.

Informações – Mais informações podem ser obtidas com Maiko Zanella (maiko.zanella@sistemaocepar.coop.br / 41 3200-1115) ou com Jessica Raymundi (jessica.costa@sistemaocepar.coop.br / 41 3200-1133).

Clique aqui para acessar na íntegra o Informe Expectativas de Mercado da semana

 

RAMO CRÉDITO: Sicredi Parque das Araucárias amplia rede de agências e estima crescer 25%

Mais de R$ 1,2 bilhão em ativos administrados, com um crescimento aproximado de 25%. Essa é a estimativa de expansão, em 2019, do Sicredi Parque das Araucárias PR/SC/SP. Com sede em Pato Branco, sudoeste do Paraná, a cooperativa deve fechar o ano com 51 mil cooperados e 28 agências distribuídas em sua área de atuação nos três estados, que abrange 22 municípios. Segundo o presidente Clemente Renosto, que também é dirertor da Ocepar, embora a retomada na economia do país ainda seja lenta, o cooperativismo de crédito segue crescendo em ritmo acelerado, consolidando o sistema como uma alternativa eficaz em serviços financeiros a um número cada vez maior de brasileiros. “No mês de maio, a cooperativa alcançou o montante de R$ 1 bilhão em ativos administrados. Em setembro, superamos a marca de 50 mil cooperados. Tem sido um ano de muitas conquistas”, afirmou. “O Sicredi Parque das Araucárias tem cumprido seu planejamento, ampliando sua rede de atendimento e serviços. Em outubro, vamos inaugurar mais duas agências, em Jardinópolis (SP) e Ponte Serrada (SC). Para 2020, serão inauguradas outras cinco agências”, frisou.

Visita - Na tarde de sexta-feira (04/10), um grupo formado por 28 coordenadores de núcleo e conselheiros do Sicredi Parque das Araucárias PR/SC/SP esteve na sede do Sistema Ocepar, em Curitiba. “O objetivo da visita foi a difusão de mais conhecimento sobre o cooperativismo, em seus vários ramos, e também a respeito do Sistema Ocepar e o modelo de representação do Paraná, que é exemplo para o Brasil”, disse Renosto, que acompanhou os cooperativistas. A viagem do grupo incluiu visita às cooperativas Frísia e Castrolanda, nos municípios de Carambeí e Castro, e à Central Sicredi PR/SP/RJ, em Curitiba.

Informações - A delegação foi recebida pelos superintendentes da Ocepar e Fecoopar, respectivamente, Robson Mafioletti e Nelson Costa, que explicaram ao grupo a estrutura e o trabalho desenvolvido pelo Sistema. O coordenador de Comunicação Samuel Z. Milléo Filho falou aos cooperativistas sobre o Movimento SomosCoop, enquanto o coordenador de Desenvolvimento Cooperativo, João Gogola Neto, abordou as ações de monitoramento e acompanhamento dos indicadores econômicos das cooperativas.

{vsig}2019/noticias/10/07/ramo_credito/{/vsig}

PRÊMIO SOMOSCOOP: Cooperativas serão reconhecidas por gestão de excelência

 

premio somoscoop 07 10 2019Cooperativas de todo o país aguardam, ansiosas, o resultado da 4ª edição do Prêmio SomosCoop Excelência em Gestão. A lista das reconhecidas será divulgada nesta terça-feira (08/10), em Brasília. Ao todo, 272 cooperativas se inscreveram no ciclo 2019/2020 do Programa de Desenvolvimento da Gestão das Cooperativas (PDGC), implementado pelo Sistema OCB.

 

Novidades - A cada edição, o prêmio apresenta novidades. Dentre as deste ano está, por exemplo, a possibilidade de as cooperativas centrais e as federações participarem. Outra inovação foi a reformulação do Diagnóstico de Governança, que ficou mais robusto, moderno e atualizado com as práticas exigidas pelo mercado, mas sem perder a essência cooperativista.

 

Categorias - Também houve a segmentação das cooperativas em categorias, uma de cooperativas reguladas pelo Banco Central e pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e outra de não reguladas por esses órgãos.

 

Seleção - No período de sete meses, as cooperativas inscritas no PDGC foram avaliadas, o que incluiu até visitas, in loco, a 70 delas. Os objetivos foram analisar os procedimentos gerenciais praticados, bem como oferecer um feedback a respeito da gestão atual.

 

Representantes - Vale destacar que a comissão julgadora contou com representantes do CNPQ, Banco Central, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Ministério da Economia, Fundação Getúlio Vargas e Universidade Federal de Minas Gerais.

 

Intercooperação - O Prêmio SomosCoop Excelência em Gestão ocorre a cada dois anos e é o resultado do PDGC. Por meio dele, é possível destacar as boas práticas e promover a troca de iniciativas entre as cooperativas reconhecidas, no Workshop de Boas Práticas em Governança e Gestão, realizado no ano seguinte ao da premiação. Além disso, as boas práticas passam a compor um compêndio referente a cada ciclo do PDGC. (Informe OCB)

CAPAL: Grupo de suinocultores participa do encerramento do Programa P+1

 

No dia 20 de setembro, foi realizado o encontro de fechamento do programa P+1, do grupo de suinocultores da Capal, com a participação do presidente do Conselho de Administração, Erik Bosch, do presidente executivo, Adilson Roberto Fuga, e do diretor industrial, LourençoTeixeira.

 

Produtividade - O treinamento foi desenvolvido para melhorar a produtividade de granjas de ciclo completo e de granjas produtoras de leitões de 22 kg. Cooperados e seus colaboradores participaram de diversas atividades de formação durante o último ano. O P+1 foi desenvolvido e aplicado pela empresa Agriness, em conjunto com o setor de suinocultura da Capal. Com o fechamento do ciclo, foi apresentada a evolução dos principais índices zootécnicos e de produção das granjas participantes. A apresentação dos resultados foi conduzida pelo diretor da Agriness, Junior Salvador.

 

Base - O programa teve como base quatro pontos considerados chave para melhoria produtiva: alvo de cobertura, dias não produtivos, nascidos vivos e mortalidade de leitões. Desde o primeiro encontro, foram criadas árvores de diagnóstico para cada granja, de onde foi possível tirar os principais pontos de atuação. O programa ajudou na melhoria de resultados e na qualificação da assistência técnica, dando uma nova perspectiva de abordagem aos assuntos técnicos.

 

Avanços - Os principais avanços demonstrados foram a diminuição do número de dias não produtivos por matriz, o que conseguiu aumentar em 0,88 leitão desmamado por fêmea/ano. Também foram premiados produtores pela produtividade e evolução. (Imprensa Capal)

COPAGRIL: Encontro marca o encerramento do Curso de Desenvolvimento de Liderança Feminina

 

O Curso de Desenvolvimento de Liderança Feminina da Cooperativa Agroindustrial Copagril do ano de 2019 foi oficialmente encerrado na noite de quinta-feira (03/10) com o evento especial de entrega dos certificados para as mulheres que participaram dos cinco módulos realizados ao longo do ano. Foram 17 participantes nesta edição, que totalizou 80 horas de curso, onde foram ministrados os módulos de cooperativismo, empreendedorismo, projeto de vida, oratória e mobilização das potencialidades humanas.

 

Curso Modular - Também chamado de Curso Modular, o curso é uma ação realizada anualmente pela Copagril para o desenvolvimento feminino fomentando o 5º e 7º Princípios do Cooperativismo que rementem-se à educação, formação, informação e interesse pela comunidade. O diretor-presidente da Copagril, Ricardo Sílvio Chapla, esteve na cerimônia de entrega dos certificados e ressaltou a importância dos cursos para a capacitação para agregar conhecimento nas atividades pessoais e profissionais. “Todo dia temos que aprender e nos atualizar, as mulheres estão de parabéns por terem aceitado e participado desse curso. Com certeza agregaram conhecimento e isso ninguém pode tirar. Desejo que aproveitem ao máximo tudo que aprenderam nos encontros”, diz Ricardo ao convidar as participantes para serem multiplicadoras e motivadoras para as próximas edições dos cursos.

 

Satisfação - Patrícia Tomaz, da assessoria de cooperativismo da Copagril, acompanhou as mulheres durante os cursos e comenta sobre a satisfação da participação e envolvimento. “Muito daquilo que elas aprenderam já estão colocando em prática e isso é muito importante. Elas têm vontade de buscar mais conhecimento e isso é muito gratificante”, revela.

 

Assuntos - Ela ainda explica sobre os assuntos trabalhados, “no primeiro módulo trabalharam os princípios e valores cooperativistas, importância do cooperativismo no ambiente de trabalho e na cooperativa. O segundo módulo foi empreendedorismo, sobre empreender na propriedade e como ser uma empreendedora, as ações, resultados, cultura, ética, cidadania e sustentabilidade. O terceiro foi sobre projeto de vida, sobre o senso da mulher nas atividades do campo e na cooperativa, repensando o desenvolvimento pessoal e profissional. Também teve oratória, com o objetivo de desenvolver as posturas na comunicação, cuidados com voz e fisionomia, comunicação verbal e não verbal, a fim de compreender as técnicas para saber se expressar da melhor forma. E ainda o curso de mobilização das potencialidades humanas, com o objetivo de identificar as potencialidades e as escolhas, saber lidar e trabalhar com as próprias emoções na família e no trabalho”, explica Patrícia.

 

Homenagem especial - Ao fim do evento de entrega de certificados, a participante Leocadia Walk ainda fez uma surpresa para todas as colegas com uma homenagem especial, descrevendo a felicidade e satisfação da companhia do grupo nos encontros e ainda entregou um presente especial para as outras participantes. (Imprensa Copagril)

 

{vsig}2019/noticias/10/06/copagril/{/vsig}

BOM JESUS: Projeto Escola no Campo 2019 realiza plantio de árvores e horta em escola de Palmeira

No dia 04 de outubro, em Palmeira (PR), foi realizada mais uma etapa do Projeto Escola no Campo 2019, na Escola Municipal do Campo da Colônia Maciel. Com a participação de alunos do 4° e 5° ano, o evento contou com a montagem de uma horta na escola e área de arborização para as crianças. Estiveram presentes no evento colaboradores da unidade da Bom Jesus de Palmeira, juntamente com seu gerente Luiz Fernando Mol; os assessores de comunicação e cooperativismo da Bom Jesus, Felipe Andrade e Tatiane Figura; e o RTV da Syngenta, Carlos Ferraz.

Participação - O desenvolvimento do projeto contou com grande participação das crianças, utilizando materiais recicláveis para a montagem da horta, entre garrafas plásticas e pneus, além de todo conteúdo repassada as crianças através de apostilas elaboradas pela Fundação Abrinq. Para a diretora da escola, a professora Ana Paula Brunoski, “desde o início dessa proposta de fazer uma horta juntamente com a Cooperativa Bom Jesus, já estávamos na expectativa de como seria, recolhendo os materiais recicláveis para usar na horta. As professoras já desenvolvendo o material muito proveitoso e rico, conteúdo que se casou com os conteúdos das disciplinas. Nós pudemos atrelar esse conhecimento do conteúdo de cada série, com o conteúdo proposto sobre sustentabilidade”.

Proveitoso - Sobre o dia realizado na escola, a diretora comenta que “o dia de hoje (04 de outubro) foi muito proveitoso, as crianças participaram efetivamente, desde o preparo até o plantio, ficaram muito empolgadas, puderam ver na prática o que muitas vezes elas só veem em casa, pois a maioria dos pais são agricultores, então elas assistem, e hoje foi uma tarde toda trabalhada com isso e inclusive dar valor ao trabalho dos pais como agricultor. Com certeza eles fizeram e viram como ficou eles vão querer cuidar e dar continuidade. Então foi realmente um projeto muito bom e valioso que a Bom Jesus trouxe a nossa escola”, finaliza Ana Paula.

Escolas rurais - Para Tatiane Figura, coordenadora do Projeto Escola no Campo pela Bom Jesus, “este projeto é voltado especialmente para as crianças que estudam em escolas rurais, e a ação de fazermos uma horta e plantio de árvores na escola foi uma ideia em conjunto com as professoras e diretora, que nos apoiaram desde o início, e com a ajuda dos colaborados do entreposto da Bom Jesus de Palmeira. E o mais importante é a participação dos alunos desde a sala de aula e o que eles aprenderam e puderam ver na prática sobre sustentabilidade e responsabilidade ambiental”.

Entrega de muda - Outra ação realizada com as crianças foi a entrega de uma muda de árvore nativa para cada uma delas, com o objetivo de fazer o plantio na sua casa. Outra etapa do projeto será na Lapa, com o encerramento das atividades em novembro, com visita na Cooperativa Bom Jesus e no centro histórico na Lapa.

Resgate - O Projeto Escola no Campo tem o intuito de resgatar o orgulho das crianças sobre a agricultura, mostrando como pode ser sustentável e com responsabilidade ambiental.

Sobre o Projeto Escola no Campo - O Projeto Escola no Campo é uma ação em conjunto com a Syngenta e Fundação Abrinq. São 20 anos de atuação e mais de 110 mil alunos atendidos em 15 estados. O projeto aborda temas relacionados a meio ambiente, a produção de alimentos e aos direitos das crianças e adolescentes. Na Cooperativa Bom Jesus o projeto acontece desde 1999 e já participaram cerca de 40 mil crianças. Além de diversos conteúdos relacionados ao meio ambiente e a proteção infantil, o projeto procura passar um forte conceito valorizando suas origens e raízes, e assim o orgulho de pertencer ao meio rural. (Imprensa Bom Jesus)

{vsig}2019/noticias/10/07/bom_jesus/{/vsig}

INTEGRADA: Cooperativa entra no mercado Super Premium

 

A Cooperativa Integrada acaba de lançar uma nova linha super premium de produtos voltados para nutrição de cães e gatos. A Splendid, chega para ampliar o portfólio de produtos da Integrada voltados para pets. Com a nova marca, a cooperativa conta agora com uma linha completa de alimentos premium, a começar pela Brusky Premium para cães, Rinthy Premium Especial para cães e gatos e, agora, a Splendid Super Premium, também voltada para cães e gatos.

 

Estudo - Para a elaboração da nova marca, a Integrada estudou o mercado e percebeu a necessidade de desenvolver um alimento com alto poder nutricional. A Splendid cães e gatos traz a alta gastronomia para os animais de companhia. Com alto teor de proteína, derivado de matérias-primas selecionadas, a Spledid cães, por exemplo, traz uma excelente absorção de nutrientes, pele saudável, pelos mais bonitos, equilíbrio intestinal com fibras especiais e prebióticos. Além disso, ela auxilia na redução da formação de tártaro e favorece o crescimento e articulações saudáveis.

 

Gatos - Na versão para gatos, a Splendid ajuda no sistema urinário, na redução no odor de fezes, no controle de peso, além de auxiliar no controle de bolas de pelo, pele saudável e pelos mais bonitos. A versão para gatos vem nos sabores frango e salmão para gatos comuns e castrados. A Splendid também conta com a linha filhotes, que traz alto teor de proteína, que ajuda no bom desenvolvimento dos animais.

 

Ômegas 3 e 6 - Um dos benefícios da Splendid é a presença dos Ômegas 3 e 6, substâncias que melhoram o funcionamento dos órgãos vitais, além de ser um antioxidante natural.

 

Investimento - Para Haroldo Polizel, superintendente geral da cooperativa, a Integrada começou a investir no segmento de rações para peixes, bovinos, entre outros animais de produção, em 1996, para suprir as necessidades dos cooperados. Em pouco tempo, a qualidade dos produtos ganhou o mercado e a cooperativa passou a investir também em alimentos para pets.

 

Espaço - Hoje, o segmento de nutrição animal tem conquistado cada vez mais espaço no share da cooperativa. “O lançamento da Splendid reforça o compromisso da Integrada em levar cada vez mais produtos de qualidade e valor nutricional aos animais, em especial aos pets”, observa Haroldo.

 

Apresentação - A Splendid foi oficialmente apresentada ao mercado no último dia 3 de outubro, em um evento para pet shops em Londrina. (Imprensa Integrada)

 

{vsig}2019/noticias/10/07/integrada/{/vsig}

UNIMED CASCAVEL: I Hackathon promovido pela cooperativa é eleito case do ano em prêmio nacional

A inovação da Unimed Cascavel foi o destaque principal no Prêmio Inova+Saúde, realizado durante a 49ª Convenção Nacional Unimed, em Natal (RN), entre os dias 1º e 4 de outubro. O tema do encontro foi “Uma Jornada para o Futuro”, e o case “I Hackathon Unimed Cascavel” foi o ganhador não só na categoria Gestão de Pessoas, mas também no Geral, incluindo os 20 trabalhos inscritos em todas as categorias da premiação promovida pela Unimed Seguros.

Orgulho - “Esse prêmio é motivo de orgulho. E quando eu digo isso, não é só da boca para fora. O troféu evidencia o sucesso que a gente já havia identificado internamente. Mas quando o resultado é valorizado lá fora, a gente fica ainda mais feliz e nos reforça o talento que temos para estarmos sempre entre as melhores Unimeds do Brasil”, estimula Everton Garboça, coordenador do Núcleo de Projetos da Unimed Cascavel.

Práticas de sucesso - A Convenção Nacional Unimed reuniu mais de 1.600 participantes. Juntos eles conheceram as práticas que mais têm se destacado pelo país. As melhores ideias foram selecionadas por uma Comissão Técnica composta por gestores da Confederação. O I Hackathon Unimed Cascavel foi apresentado em Natal pela superintendente Administrativa e de Mercado da singular, Luciana Lazzari. “O orgulho não cabe no peito. Esses prêmios tiveram a participação mais efetiva de alguns setores, como Núcleo de Projetos, Suprimentos, Marketing e Comunicação, mas todos os demais setores da cooperativa participaram de alguma forma, juntamente com toda a direção. Houve intercooperação na prática. Houve um investimento muito grande energia para que esses prêmios viessem. E é aí que está a alegria. Trabalhamos. Entregamos o nosso melhor e colhemos os frutos”, comemora a superintendente.

Medicina - A medicina anda de mãos dadas com a inovação. O desenvolvimento de uma ajuda a outra a promover cura de doenças e vida melhor para gente do mundo todo. Essa união é possível quando pessoas têm ideias inovadoras para transformar projetos em práticas. A 1ª Hackathon Unimed Cascavel criou o ambiente ideal para o surgimento e o desenvolvimento de boas ideias.

Nome - O nome vem da união de duas palavras inglesas: Hacker + Marathon. Foram 53 horas e 21 minutos sem trégua para os participantes, divididos em times, apresentarem soluções para nove necessidades apontadas pela cooperativa de saúde. O primeiro Hackathon Unimed Cascavel começou no início da tarde de sexta-feira (19 de outubro de 2018) e só terminou na noite de domingo (21/09), com a participação de aproximadamente 70 profissionais das áreas da Saúde, Tecnologia, Gestão e Design.

Ideias - Depois de conhecerem as necessidades da cooperativa, os times tiveram o auxílio de técnicos (colaboradores da Unimed) e mentores (especialistas renomados do mercado) para desenvolver as ideias. A equipe vencedora do prêmio de R$ 5 mil desenvolveu uma solução tecnológica para ganhar agilidade e diminuir as inconveniências diante dos recursos de glosas. A equipe Glotic, desenvolvedora do sistema, assinou contrato com a cooperativa e a parceria dura até hoje.

Sucesso que se repete - O sucesso da primeira edição do Hackathon levou a cooperativa a lançar a 2ª edição do evento, realizada entre os dias 02, 03 e 04 de agosto de 2019, sempre com a supervisão do Sebrae e vários outros parceiros.

Ouro e prata - Na área de atendimento ao público, a Unimed Cascavel ficou com a prata, entre as singulares de médio porte, em outra premiação realizada durante a Convenção Nacional. “O prêmio avalia todo o atendimento da Unimed. Após o preenchimento de um questionário com todas as informações sobre as formas de atendimento que temos, um ‘cliente oculto’ entra em contato por meio desses canais para avaliar a nossa prática com os beneficiários”, explica Jéssica Barcaro, analista de atendimento pleno da Unimed Cascavel.

Significados - “Estas premiações têm vários significados: elas representam o talento da nossa equipe de colaboradores, a inovação colocada em prática diariamente na nossa singular, o orgulho para médicos cooperados, o cumprimento das nossas estratégias de conquistas e, para os beneficiários da Unimed Cascavel, esses prêmios reforçam a segurança de que eles fizeram a melhor escolha para a saúde deles e de quem eles amam”, finaliza Danilo Galletto, diretor-presidente da Unimed Cascavel. (Imprensa Unimed Cascavel)

{vsig}2019/noticias/10/07/unimed_cascavel/{/vsig}

SICREDI VALE DO PIQUIRI: Cooperativa promove campanhas de conscientização sobre câncer de mama e de próstata

 

sicredi vale piquiri 07 10 2019A saúde de homens e mulheres é o foco das campanhas que a Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP promoverá nos próximos dois meses. Por meio de prevenção e conscientização, as ações ‘Outubro Rosa’ e ‘Novembro Azul’ querem engajar a população e promover reflexões sobre o autocuidado. O tema central das atividades será ‘Cuidar da saúde juntos deixa a vida mais colorida’.

 

Prevenção - Para a gerente de Desenvolvimento do Cooperativismo da Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, Cláudia Bonatti, o objetivo é conversar e orientar sobre a importância da prevenção. “Com as ações Outubro Rosa e Novembro Azul, o Sicredi quer mobilizar e reunir as pessoas para abordarem o tema. A programação será realizada em parceria com as Secretarias de Saúde dos munícipios, por meio de palestras com profissionais e distribuição de folders explicativos, para que possamos chamar a atenção para a prevenção do câncer”, ressaltou.

 

Colaboradores e associados - Além das atividades com a comunidade, a área de Gestão de Pessoas da Sicredi estenderá as ações também para colaboradores e associados. 

 

Unidades - Durante este mês, as unidades de Iporã, Maripá e Palotina arrecadarão alimentos, produtos de higiene pessoal, perucas, lenços, entre outros, que serão doados para hospitais da região. 

 

Locais - Confira abaixo os locais de arrecadação e a programação das atividades.

 

Palotina (PR)

Durante todo o mês haverá coleta de lenços e perucas para doação ao UOPECCAN nas três agências Sicredi do município

 

Iporã (PR)

Arrecadação de produtos de higiene pessoal, em prol da UOPECCAN

Local: Agência Sicredi 

 

Francisco Alves (PR)

Em parceria com a Prefeitura do Município e o CRAS

17/10: comemoração da Semana do Idoso (encontro com palestras dinâmicas voltado a mulheres) 

26/10: Chá Rosa (encontro com mulheres da cidade, desfile de mulheres em tratamento de câncer, palestras)

 

Brasilândia do Sul (PR)

Palestra: “Mulher seja inspiração”

Palestrante: Beatriz Monarim Collcetta 

Data: 25/10/2019

Local: Assembras

Horário: 19h

 

Maripá (PR)

Palestra: "O que é ser Mulher"

Palestrante: Lilian Welz

Data: 29/10/2019

Horário: 19:00 horas

Local: Salão da Paróquia Nossa Senhora de Fátima de Maripá

*Participantes poderão doar 1 litro de leite integral que será repassado ao Hospital Bom Jesus

 

Sobre a Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP - A Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP é uma cooperativa com 30 anos de história, mais de 130 mil associados, distribuídos em 75 agências. A Cooperativa atua nas regiões Oeste e Noroeste do Paraná, São Paulo Capital e ABCD Paulista. A instituição se destaca pelo atendimento aos associados e pela preocupação com o desenvolvimento da comunidade.    

 

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem um papel de dono do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.600 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros. Mais informações estão disponíveis em www.sicredi.com.br. (Imprensa Sicredi  Vale do Piquiri Abcd PR/SP)            

           

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.   

BIOTRIGO: WinterShow 2019 tem lançamentos para cultura do trigo

O Paraná é o maior produtor nacional de trigo do país, responsável por semear metade do cereal brasileiro. O bom desempenho agrícola vem do uso da tecnologia, da busca por melhorias e da qualificação da sua produção e são em eventos como o WinterShow - considerado o maior do Brasil sobre cereais de inverno - que produtores se atualizam e encontram novidades para a sua lavoura.

Soluções - Nesta 16ª edição, que ocorre entre os dias 15 e 17 de outubro, em Guarapuava (PR), soluções para a cultura do trigo estão entre os destaques. Para os triticultores, uma nova cultivar de trigo, de ciclo médio-tardio, vai ajudar a escalonar a produção e minimizar os riscos com intemperes climáticos. Johny Brito, supervisor comercial da Biotrigo Genética, explica que a proposta da nova cultivar TBIO Ponteiro é otimizar os processos e aproveitar a propriedade durante o ano inteiro.

Teor produtivo - “É uma cultivar de alto teto produtivo, ideal para abrir a semeadura pois tem um período vegetativo mais longo, minimizando os danos causados por condições de clima adverso e como possui um período reprodutivo mais curto, não impacta na semeadura da safra seguinte. Outra característica importante é a resistência à Brusone, doença comum na região de transição e no norte do Paraná, onde o clima é mais quente. “A vantagem desse trigo é que ao semear mais cedo - desejo dos produtores nessas regiões - teremos uma segurança maior pelo nível de resistência genética que esta cultivar entrega no campo quando há a ocorrência da doença, especialmente frequente nas primeiras semeaduras”, complementa.

Mais - No campo demonstrativo da Biotrigo no WinterShow também estarão expostas as principais cultivares do portfólio TBIO recomendadas para a região: TBIO Duque (precoce/branqueador); TBIO Audaz (precoce/melhorador); TBIO Sonic (superprecoce/melhorador) e os lançamentos: TBIO Capricho CL (Clearfield) e TBIO Astro, (superprecoce/melhorador). Além de opções para alimentação animal com as cultivares Lenox (para pastejo) e Energix (para silagem).

Lançamentos - Entre os lançamentos, TBIO Astro se destaca no programa de melhoramento da Biotrigo depois de bater três recordes: mais resistente a germinação na espiga e ao acamamento e recordista no ranking de Força de Glúten (W), com valores médios de W em 530 10ˉ⁴J. Completando o pacote, esta cultivar desempenha uma excelente sanidade no campo e conta com um elevado teto produtivo, junto a um alto pH.

Manejo integrado de plantas daninhas - O segundo lançamento é a primeira cultivar de trigo Clearfield lançado no Brasil, sendo uma importante ferramenta no manejo integrado de plantas daninhas (MIPD). TBIO Capricho CL é resultado de uma parceria entre a Basf e a Biotrigo com a inclusão da tecnologia Clearfield - já adotada em mais de 80% das áreas de cultivo da cultura do arroz do país. “A tecnologia, permite realizar um manejo mais assertivo nas áreas com infestação de azevém e nabo, por exemplo, que são ervas daninhas bem comuns nas lavouras de trigo. Assim, ele evita a competição da erva daninha com a cultura, podendo alcançar maior produtividade, qualidade de grãos e rentabilidade, além de beneficiar também as culturas de verão”, ressalta.

Cultivares Biscoito Agrária - Também estarão expostas duas cultivares desenvolvidas através da parceria entre Biotrigo e Cooperativa Agrária Agroindustrial: TBIO Consistência e TBIO Referência, ambas para produção de farinha para biscoito exclusivas para cooperados e fomentados da Agrária. Elas foram desenvolvidas para atender ao mercado brasileiro que é o maior produtor de biscoitos do mundo, que representa um mercado de 1 milhão de toneladas de trigo. TBIO Consistência possui ciclo médio tardio, alto nível de resistência à Giberela, e excelente sanidade foliar. O lançamento é TBIO Referência, que possui ciclo médio com boa sanidade e tem como principal destaque a alta produtividade, semelhante ao TBIO Toruk. (Assessoria de Imprensa Biotrigo)

SERVIÇO

WinterShow 2019

Data: 15 a 17 de outubro

Horário: 8h às 18h30

Local: Fapa – Colônia Vitória – Distrito de Entre Rios – Guarapuava (PR)

Estande Biotrigo: F8

{vsig}2019/noticias/10/07/biotrigo/{/vsig}

BIOENERGIA: Paraná já fez a moagem de 80% da safra de cana

Boletim quinzenal divulgado na sexta-feira (04/10) pela Associação de Bioenergia do Estado do Paraná (Alcopar), sediada em Maringá, informa que até a última terça-feira (01/10) 81,3% da safra de cana-de-açúcar do estado já haviam sido colhidos e processados pelas indústrias do setor.

Cana - Nessa data, a moagem totalizava 27,748 milhões de toneladas, 2,8% a mais comparando com o volume no mesmo período do ano anterior, de 26,979 milhões de toneladas. A previsão da entidade é fechar o ciclo em 34,135 milhões de toneladas de matéria-prima.

Açúcar e etanol - A produção de açúcar, projetada em 2,193 milhões de toneladas na atual safra, já chegou a 1,625 milhão até 1/10, enquanto o volume de etanol (anidro e hidratado) somou 1,272 bilhão de litros, 90,3% do estimado para este ano, de 1,409 bilhão.

Clima - A expectativa é que a operação de colheita e moagem – favorecidas neste ano pelo tempo firme e sem longos intervalos de chuvas - esteja finalizada em dezembro. (Assessoria de Imprensa da Alcopar)

CARNE SUÍNA: Consumo cresceu 30% nos últimos quatro anos no Brasil

 

carne suina 07 10 2019O levantamento com foco nas tendências do comportamento do brasileiro e o consumo da carne suína no país, intitulado “Carne suína: atual visão do consumidor” e divulgado em setembro pela Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), em parceria com o Sebrae e o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (FNDS) identificou que o brasileiro passou a consumir mais carne suína neste ano.

 

Qualidade - A pesquisa quantitativa com 1,3 mil entrevistados apresentou os aspectos de compra da proteína, trazendo informações de qualidade à cadeia de suínos nacional (produtor, indústria e varejo) e identificando possíveis estratégias mercadológicas para o desenvolvimento na suinocultura e os incentivos ao consumo da carne suína no Brasil. Os dados permitem compreender a evolução ao longo das décadas e assim promover o debate diante das oportunidades e desafios apresentados.

 

Visão - “A proposta de um trabalho inovador junto aos frigoríficos, varejo, formadores de opinião, profissionais de saúde, gastronomia e parceiros institucionais vem nos permitindo transformar a visão do consumidor brasileiro em relação à carne suína”, destaca o presidente da ABCS, Marcelo Lopes. “Deixamos para trás os 13 kg per capita e celebramos o alcance dos 15,9 kg devido a oferta maior, qualidade, preços competitivos e cortes variados e mais adaptados ao cotidiano dos consumidores”, destaca.

 

Pontos positivos - Para Cesar Rissete, gerente da Unidade de Competitividade do Sebrae, o estudo trouxe pontos positivos, principalmente em relação à saudabilidade da carne suína. “Estamos em um momento em que o consumidor está cada vez mais procurando produtos que favoreçam a sua saúde. Nesse sentido, a pesquisa mostra que a carne suína se apresenta como melhor posicionada do ponto de vista da saudabilidade e da escala necessária do processo produtivo para atender à maior demanda de alimento, especificamente de proteína. Outro ponto importante, foi o aumento do consumo per capita de carne suína e a quantidade de vezes que o consumidor tem adquirido a carne. Isso se reflete em toda a campanha e nas iniciativas em parceria com o Sebrae de valorização da carne suína e do aumento desse consumo no Brasil”.

 

Percepção - O estudo mostrou que a percepção de consumo e indicação pelos profissionais de saúde mudou, já considerando positiva a inserção da proteína suína numa alimentação saudável. Na visão dos consumidores o produto também entra como opção no cotidiano, já que 76% dos entrevistados consomem carne suína e 55% tem o hábito de comprar carne suína - aumento de 30% se comparado a 2015. Para a ABCS, o desafio é inserir a carne suína da lista de compras da população, instituindo o hábito do consumo.

 

Compra - Outro dado que apresenta a mudança de percepção de consumo é no quesito compra. O estudo informou que a cada 8,8 dias o consumidor coloca carne suína no carrinho, ou seja, enquanto as opções bovinas e de aves permanecem nos mesmos patamares, a carne suína aumentou a frequência na escolha dos brasileiros.

 

Frequência de consumo - Já a frequência de consumo nos lares também cresceu desde a última pesquisa realizada. Em 2019, a cada 7,5 dias o consumidor consome carne suína, enquanto em 2004 consumia três vezes ao mês. E a proteína é mais presente nas principais refeições. Segundo o estudo, 77% dos entrevistados consomem a carne suína no almoço/jantar, uma opção que se apresenta com bom custo-benefício para essas refeições.

 

Transformação da realidade - Na visão do pesquisador Francisco Rojo, responsável pelo estudo, é uma transformação da realidade da carne suína. “Com o levantamento dos últimos 15 anos foi possível compreender o posicionamento das proteínas ao longo das décadas e, assim, dar início a um novo debate diante das mudanças e desafios apresentados”, afirma.

 

Mudanças - Os resultados reforçam um consumidor atento às mudanças, que busca conveniência e praticidade. Entretanto, ainda há a necessidade da indústria e do varejo focar em adequações, como por exemplo, o desenvolvimento de cortes sem tempero e com maior shelf life, aponta o estudo.

 

Disseminação - “Ainda que haja um grau de conhecimento e imagem da carne suína, ainda não está suficientemente disseminado em todos os segmentos: profissionais de saúde, varejo e, principalmente, consumidores” explica Rojo. “O processo de transformação precisa ser mais amplo e direto para mudar o hábito da população em relação à carne suína”, esclarece.

 

Conquistas e oportunidades - Assim, o cenário desenhado pelo estudo é positivo e abre inúmeras oportunidades para a carne suína, mas é preciso saber aproveitá-las, conclui o estudo. Entre os desafios identificados está o esforço conjunto da cadeia para mudança de hábito dos consumidores, entre eles esclarecer ao consumidor benefícios do consumo de proteína em campanhas amplas e disseminar massivamente orientações para preparo e dicas em diversos canais de comunicação, bem como promover estudos técnicos sobre informações nutricionais para profissionais de saúde. No levantamento, os trabalhos realizados pelo setor também estimulam conclusões técnicas a respeito do tema e influenciam profissionais de saúde e a cadeia de distribuição.

 

Investimento - Também é abordada a necessidade da indústria e varejo investirem de forma contínua e com maior intensidade na proteína e também a oportunidade de aplicar novas tecnologias – como a embalagem com atmosfera protegida –, para ampliar a variedade de cortes e conservação na gôndola.

 

Saudabilidade - Entre as oportunidades, a saudabilidade está em destaque, reforçando a imagem da carne suína como uma alternativa saudável, a proteína suína entra no âmbito positivo do equilíbrio entre os alimentos e entrará de forma mais contundente na recomendação dos profissionais de saúde. No varejo, o estudo destaca também bons caminhos ao incentivo do consumo por meio de campanha no varejo como a “Semana Nacional da Carne Suína”, ação que amplia a presença da carne suína porcionada e com boa apresentação, buscando padronização e agregando valor a carne suína.

 

Potencial - A ABCS visualiza um grande potencial na proteína para os próximos anos, com visão positiva de negócios para toda a cadeia, segundo o presidente da entidade. “Conhecemos o caminho e agora é tempo de nos unir para trilhar juntos e agir para potencializar e aumentar ainda mais os resultados”, encerra. (Suinocultura Industrial)

O levantamento com foco nas tendências do comportamento do brasileiro e o consumo da carne suína no país, intitulado “Carne suína: atual visão do consumidor” e divulgado em setembro pela Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), em parceria com o Sebrae e o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (FNDS).

LÁCTEOS: Caravana 4.0 do movimento Ideas For Milk bate recorde e visita 52 instituições de ensino em 11 estados

 

lacteos 07 10 2019A equipe de pesquisadores da Embrapa Gado de Leite acaba de encerrar o circuito Caravana 4.0, primeira etapa do movimento Ideas For Milk, que objetiva fomentar a inovação na cadeia do leite no país. A ação envolve visita às principais universidades brasileiras para estimular os jovens talentos a propor soluções para os desafios da atividade. 

 

Visitas - No total, a Caravana 4.0 visitou 52 instituições de ensino, em 33 municípios de 11 estados, em todas as regiões do país. Esse resultado é recorde. 

 

Dobro - “Praticamente dobramos o número de eventos da Caravana 4.0 em relação a 2018. Esse resultado fantástico da equipe de pesquisadores da Embrapa Gado de Leite demonstra a força do movimento Ideas For Milk. É uma empresa pública cumprindo o seu papel de fomento da atividade leiteira”, ressalta Paulo do Carmo Martins, chefe-geral da Embrapa Gado de Leite.

 

Pilares - A Caravana 4.0 representa um dos pilares do Ideas For Milk. A ação da Embrapa Gado de Leite e de parceiros foi criada em 2016 para fomentar o surgimento de um ecossistema de inovação, reunindo empresas, universidades, pesquisa agropecuária e setor produtivo, no qual possam surgir novas startups para a cadeia produtiva do leite. As caravanas foram realizadas nos meses agosto e setembro e percorreram todas as regiões do país.

 

Multidisciplinar - “A proposta da Caravana 4.0 é ser multidisciplinar, reunido, em um mesmo espaço, estudantes dos cursos de ciências agrárias, mais próximos dos problemas do setor produtivo, com outros de ciências da computação, engenharia, administração, economia etc. A cadeia produtiva do leite é bastante complexa e qualquer solução deve passar pela integração de conhecimentos”, diz Paulo Martins. 

 

Movimentação - O chefe-geral da Embrapa Gado de Leite destaca que a atividade leiteira movimenta cerca de R$ 84 bilhões por ano no Brasil, dentro e fora da fazenda, sendo bastante atraente do ponto de vista financeiro para novos empreendedores. “Uma em cada cinco startups do agronegócio estão na cadeia do leite. Com a Caravana 4.0 buscamos a ampliação dessa participação, apelando para a capacidade de compreender as novas possibilidades tecnológicas e a vontade de empreender dos jovens”, pontua Martins.

 

Atividades - Após a Caravana 4.0, o movimento Ideas For Milk promove o bootcamp Vacathon (28 de outubro a 02 de novembro, em Juiz de Fora/MG) e, na sequência, o Desafio de Startups (22.11, no Cubo, em São Paulo/SP), que reúne as melhores ideias criativas inscritas. “Além da inovação digital, são aceitos projetos para o Desafio voltados para designer industrial, embalagens e produtos lácteos. Os projetos inscritos serão avaliados e selecionados regionalmente”, informa Paulo Martins.

 

Inscrições - As inscrições para o Desafio de Startups estão abertas no site www.ideasformilk.com.br. 

 

Realização - O movimento Ideas For Milk é realizado pela Embrapa Gado de Leite em parceria com Agripoint, BovControl, Carrusca Innovation, Kick, Qranio e Texto Comunicação, com correalização do Sebrae. A iniciativa tem patrocínio das seguintes instituições: Bayer Saúde Animal, Ceitec, CRMV/MG, FAEG/Senar-GO, Faemg/Inaes, MSD Saúde Animal, Nestlé, Senar-RN, Silemg, Sistema OCB, Start Química, Tortuga/DSM e Viva Lácteos. Também são parceiros Cisco, Danone e IBM. (Assessoria de Imprensa da Embrapa Leite)

FOCUS: Mercado financeiro espera que 2019 termine com inflação em 3,42%

focus 07 10 2019Segundo pesquisa do Banco Central (BC) feita junto ao mercado financeiro, divulgada todas as segundas-feiras pela internet, a previsão para a inflação, calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, passou de 3,43% para 3,42% em 2019. Para 2020, a estimativa caiu de 3,79% para 3,78%, na segunda redução seguida. A previsão para os anos seguintes não teve alterações: 3,75% em 2021, e 3,50%, em 2022.

Centro da meta - As projeções para 2019 e 2020 estão abaixo do centro da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. A meta de inflação, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 4,25% em 2019, 4% em 2020, 3,75% em 2021 e 3,50% em 2022, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Selic - O principal instrumento usado pelo BC para controlar a inflação é a taxa básica de juros, a Selic. Quando o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC reduz a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica.

Demanda aquecida - Quando o Copom aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Projeção - Para o mercado financeiro, a Selic deve terminar 2019 em 4,75% ao ano. Atualmente, a Selic está em 5,5% ao ano.

Próximos anos - O mercado financeiro não alterou a estimativa para o fim de 2020: 5% ao ano. Para 2021, a expectativa é que a Selic termine o período em 6,50% ao ano. Para o fim de 2022, a previsão permanece em 7% ao ano.

Crescimento da economia - A previsão para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – é mantida em 0,87% em 2019, há cinco semanas consecutivas.

Estimativas - As estimativas para os anos seguintes também não foram alteradas: 2% em 2020; e 2,50% em 2021 e 2022.

Dólar - A previsão para a cotação do dólar segue em R$ 4 e, para 2020, subiu de R$ 3,91 para R$ 3,95. (Agência Brasil)

 

FITCH RATINGS: Paraná recebe grau de investimento de agência internacional

 

fitch 07 10 2019A agência de classificação de risco Fitch Ratings concedeu na sexta-feira (04/10) o grau de investimento ao Estado do Paraná – atribuiu nota de crédito AA em escala nacional e BB em escala global. A diferença se explica porque um estado não pode receber nota maior que o país nesta última escala.

 

Selo de qualidade - O grau de investimento é um selo de qualidade que dá segurança aos investidores nacionais e internacionais, que indica um menor risco ao assegurar que o Ente em questão consegue saldar suas dívidas. “O grau de investimento atesta a capacidade do Paraná em honrar as suas obrigações financeiras e reafirma sua credibilidade perante o mercado”, explica o diretor do Tesouro Estadual, Roberto Gomides.

 

Confiança - O diretor destaca que a nota reflete ainda a avaliação da agência internacional de que o Estado continuará registrando resultados fiscais equilibrados com baixo nível de endividamento. A nota de crédito do Paraná é a mesma concedida ao Estado de São Paulo. Segundo o diretor, resultado da boa gestão fiscal praticada pelo governo paranaense, a avaliação traz ainda a tendência de diminuição dos custos de captação de recursos para novos investimentos.

 

Visibilidade - “O resultado aumenta a visibilidade do Estado no mercado internacional e a confiança de novos investidores”, disse Gomides. Ele destaca que o desempenho do Paraná se torna ainda mais relevante diante do cenário de crise econômica que se verifica no país, com vários estados em grave crise fiscal, como Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. (Agência de Notícias do Paraná)

SEFA: Governo reestrutura equipe de gestão da Secretaria da Fazenda

 

sefa 07 10 2019A equipe de gestão da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa) será reestruturada. Na sexta-feira (04/10) foram anunciadas duas mudanças: na direção-geral da pasta e na direção da Receita Estadual. O novo diretor-geral da Fazenda será o servidor de carreira do Tribunal de Contas do Estado, João Luiz Giona Junior, que vinha respondendo pela Superintendência de Desempenho Governamental da Casa Civil.

 

Coordenação - A Coordenação da Receita do Estado ficará sob responsabilidade do auditor fiscal Roberto Zaninelli Covelo Tizon, atual corregedor da instituição.

 

Anúncio - Os novos diretores foram anunciados no final da tarde desta sexta-feira (04/10) durante reunião do governador Carlos Massa Ratinho Junior com o secretário estadual da Fazenda, Renê Garcia. O objetivo da mudança é ampliar a eficiência da estrutura e modernizar as ações em todas as áreas da Secretaria da Fazenda. Segundo Garcia, há um alinhamento claro no sentido de alcançar essas metas determinadas pelo governador. (Agência Brasil)

VAREJO: Vendas de supermercados crescem 3,39% de janeiro a agosto

 

varejo 07 10 2019As vendas nos supermercados registraram, de janeiro a agosto, 3,39% de crescimento real – deflacionado pelo IPCA/IBGE, de acordo com o índice Nacional de Vendas da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), divulgado na sexta-feira (04/10). Segundo a entidade, este é o maior resultado acumulado no período desde 2014. Em agosto, as vendas reais registraram alta de 4,25% na comparação com o mês de julho e crescimento de 7,10% em relação ao mesmo mês de 2018.

 

Empregos - "Em agosto, foram criadas 121,4 mil vagas de empregos formais, e o acumulado chegou a 593.4 mil postos, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), o melhor desempenho para o período desde 2014. Além disso, outros fatores impactaram nossos números: o crédito à pessoa física aumentou, a inflação segue estável, e os juros caindo. Parece que o Brasil voltou 'a respirar', disse o presidente da Abras, João Sanzovo Neto.

 

Acumulado - Mesmo com o acumulado ultrapassando os 3% de crescimento previstos pela Abras para o setor em 2019, Sanvozo destacou que ainda é preciso cautela em relação a uma nova projeção de vendas.

 

Indicadores - “Após uma recessão prolongada, indicadores econômicos positivos são sempre um motivo para comemorar. Embora as contratações formais tenham apresentado crescimento, infelizmente, a taxa de desemprego continua elevada, uma parte da população segue endividada, e a recuperação ainda está aquém do ideal, o que faz o consumidor ponderar seus gastos. Mas as nossas expectativas são boas para o final do ano, e os próximos meses serão decisivos para o setor supermercadista”, afirmou.

 

Índice de Confiança - De acordo com o Índice de Confiança do Supermercadista, elaborado pela Abras em parceria com a GfK, os empresários do setor estão mais otimistas. Depois de uma queda, o indicador voltou a apresentar crescimento. A pesquisa registrou 55,6 pontos (numa escala de 0 a 100), na última avaliação, divulgada em junho, o índice estava em 54,9 pontos.

 

Motivos - Segundo a Abras, entre os principais motivos para o desempenho dos supermercadistos, está a economia do país, que, aos poucos, tem mostrado sinais de recuperação. (Agência Brasil)

ECONOMIA: Captação líquida da poupança bate recorde em setembro

 

economia 07 10 2019Depois de alternar resultados negativos e positivos nos últimos meses, a caderneta de poupança, aplicação financeira mais tradicional do país, registrou captação líquida recorde para meses de setembro. No mês passado, os depósitos na caderneta de poupança superaram os saques em R$ 8,72 bilhões, informou na sexta-feira (04/10) o Banco Central. Este é o maior valor para o mês desde o início da série histórica, em 1995.

 

2018 - Em setembro do ano passado, os correntistas tinham depositado R$ 8,54 bilhões a mais do que tinham retirado. Apesar do recorde do último mês, a poupança acumula saques líquidos em 2019. De janeiro a setembro, os brasileiros retiraram R$ 6,06 bilhões a mais do que depositaram na caderneta. No mesmo período do ano passado, as captações (depósitos) tinham superado as retiradas em R$ 25,5 bilhões.

 

Mais depósitos - Até 2014, os brasileiros depositavam mais do que retiravam da poupança. Naquele ano, as captações líquidas chegaram a R$ 24 bilhões. Com o início da recessão econômica, em 2015, os investidores passaram a retirar dinheiro da caderneta para cobrir dívidas, em um cenário de queda da renda e de aumento de desemprego.

 

Maior retirada - Em 2015, R$ 53,57 bilhões foram sacados da poupança, a maior retirada líquida da história. Em 2016, os saques superaram os depósitos em R$ 40,7 bilhões. A tendência inverteu-se em 2017, quando as captações excederam as retiradas em R$ 17,12 bilhões, e em 2018 – captação líquida de R$ 38,26 bilhões.

 

Rendimento - Com rendimento de 70% da Taxa Selic (juros básicos da economia), a poupança está se tornando menos atrativa porque os juros básicos estão no menor nível da história, em 5,5% ao ano. Mesmo assim, o investimento tem conseguido garantir rendimentos acima da inflação, que está em níveis baixos.

 

Doze meses - Nos 12 meses terminados em setembro, a poupança rendeu 4,13%. O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)-15, que funciona como uma prévia da inflação oficial, acumula 3,22% no mesmo período. Nesta quarta-feira (09/10), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulga o IPCA cheio de setembro. (Agência Brasil)

 

TRIBUTÁRIA: Governo estuda incluir desoneração da cesta básica em proposta de reforma

 

tributaria 07 10 2019O governo quer inserir em sua proposta de emenda à Constituição (PEC) de reforma tributária – que ainda será encaminhada ao Congresso – algumas iniciativas de recomposição de receitas da União, reduzindo benefícios tributários como a desoneração de produtos da cesta básica.

 

Comando - Há um comando na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2019 para redução desse tipo de renúncia fiscal que o governo pretende atender aproveitando a reforma, prevista para ser encaminhada ainda neste mês.

 

Despesa indireta - A projeção da Receita Federal é que a despesa indireta do governo por meio do sistema tributário some R$ 306 bilhões em 2019 (4,12% do PIB) e R$ 331 bilhões (4,35% do PIB) em 2020.

 

Reversão - O secretário de Avaliação de Políticas Públicas, Planejamento, Energia e Loterias (Secap) do Ministério da Economia, Alexandre Manoel, disse ao Valor que a ideia do Executivo não é apenas cortar benefícios, mas também aproveitar a possível reversão de algumas renúncias para promover uma realocação de recursos para outras áreas.

 

Estudo - Estudo da Secap publicado em setembro pelo Valor já mostrava que o governo avalia reonerar alguns produtos da cesta básica, como queijos, aves e peixes selecionados, e promover uma transferência de renda direta para populações mais pobres. A mudança, diz o governo, poderia ser mais eficiente no combate à pobreza.

 

Caráter regressivo - O texto considera que, como a renúncia de impostos (PIS/Cofins) é a mesma para ricos e pobres, a medida teria também um caráter regressivo. Nesse sentido, ele aponta que, se houvesse o fim completo desse benefício e distribuição igualitária dos recursos na forma de transferência de renda, haveria redução da desigualdade.

 

Estimativa - A estimativa do Fisco é que a desoneração da cesta básica gere perdas de receita de R$ 17,6 bilhões em 2020. A proposta, explicou o secretário, é aproveitar a revisão parcial do benefício para aumentar a destinação de recursos, por exemplo, ao Bolsa Família. Essa mudança, no entanto, traria dificuldades para o teto de gastos – medida constitucional que limita o crescimento das despesas.

 

Seguro-defeso - Por isso, o governo estuda também uma revisão do seguro-defeso – benefício pago a pescadores artesanais durante o período em que a pesca é proibida –, reduzindo outra despesa. A ideia é incluir um critério de renda na concessão do benefício. Assim, só receberia o recurso, por exemplo, quem se enquadrasse também nos critérios do Bolsa Família.

 

Discussão em conjunto - Questionado sobre a dificuldade de inserir na reforma tributária uma discussão controversa como a redução das desonerações, Manoel disse acreditar que os temas devem ser discutidos em conjunto. Afirmou também que essa é uma decisão política. “Cortar subsídio é difícil de qualquer jeito.”

 

Privilégios - A revisão de benefícios tributários faz parte do discurso do ministro da Economia, Paulo Guedes, de que a reforma deve ser utilizada também para rever privilégios. O mesmo argumento foi utilizado pelo governo durante a tramitação da reforma da Previdência.

 

Legislativo - A expectativa é que a PEC da reforma tributária seja enviada ao Legislativo ainda em outubro. Atualmente, outras duas propostas sobre o tema já estão em andamento no Congresso, uma na Câmara e outra no Senado. (Valor Econômico)

IBGE: Famílias brasileiras pagam mais dívidas e tributos e poupam menos

 

ibge 07 10 2019As famílias estão com menos espaço no orçamento para a compra de ativos como imóveis, terrenos e títulos de capitalização, ao mesmo tempo em que precisam dedicar uma parte maior da renda para reduzir suas dívidas e pagar tributos. O retrato está na Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) 2017-2018, divulgada na sexta-feira (04/10) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 

Despesas médias - De acordo com a pesquisa, as despesas médias das famílias somam R$ 4.649,03 por mês, dos quais apenas 4,1% eram dedicados ao “aumento do ativo”, como aquisição de imóveis, terrenos e títulos. É uma proporção menor do que a registrada em versões anteriores do levantamento, como 2002-2003 (4,8%) e 2008-2009 (5,8%). Isso significa, na prática, que os brasileiros poupam menos.

 

Redução do passivo - Também sobre essas despesas totais, as famílias estão dedicando 3,2% do orçamento para a “diminuição do passivo”, o que significa pagamentos de débitos, juros e empréstimos pessoais e prestações. Essa proporção era de 2% na pesquisa de 2002-2003 e de 2,1% na pesquisa de 2017-2018. Ou seja, o brasileiro passou a ter uma parcela maior de suas despesas totais comprometidas com pagamento de dívida.

 

Crise econômica - Para André Martins, gerente da pesquisa do IBGE, os resultados podem estar relacionados com a crise econômica enfrentada pelo país nos últimos anos. “A IBGE: Gastos com transportes superam os de alimentação pela 1ª vez. Renda média das famílias do Centro-Oeste supera a do Sudeste, diz IBGE.

 

Capacidade menor - Para André Martins, gerente da pesquisa do IBGE, os resultados podem estar relacionados com a crise econômica enfrentada pelo país nos últimos anos. “A capacidade de as famílias adquirirem ativos diminuiu ao longo dos anos e as despesas correntes ficaram estáveis em termos de peso no orçamento”, disse o pesquisador, durante entrevista coletiva para explicar os números da pesquisa.

 

Peso do governo - Segundo a Pesquisa de Orçamentos Familiares do IBGE, 11,7% do orçamento dos brasileiros passou a ser destinado ao pagamento de tributos, proporção maior do

que a registrada em 2008-2009 (10,9%). Um levantamento mais antigo, de 1974 a 1975, mostrava que essas despesas com tributos respondiam por 5,3% do orçamento naquela época.

 

Mudança nas prioridades - A pesquisa mostra, em geral, uma significativa mudança nas prioridades de despesas familiares desde a década de 70. Naquela época, as famílias carimbavam 16,5% das suas despesas para “aumento do ativo”. Esse grupo, é bom frisar, não inclui as despesas com aquisição de veículos, que ficam contabilizadas no quesito chamado “despesas de consumo”. Este responde por 81% das despesas.

 

Despesas e rendimentos - A Pesquisa de Orçamentos Familiares tem como objetivo mensurar as despesas e rendimentos das famílias. Para chegar aos números, o IBGE visitou 57.920 domicílios em 1.900 municípios, no período de junho de 2017 a julho do ano passado, representativos do universo de 69 milhões de domicílios existentes no país. As famílias responderam questionários e preencheram cadernetas de despesas.

 

Valores deflacionados - O IBGE não apresentou valores deflacionados das despesas da POF 2008-2009, o levantamento anterior, para fins de comparação. O gasto das famílias naquele ano era de R$ 2.626,31. Este valor corrigido pelo IPCA de janeiro de 2018 (data de referência atual) equivale a R$ 4.476,45. Ou seja, a despesa teria crescido só 3,8% em relação ao valor atual no acumulado de nove anos. (Valor Econômico)

SAÚDE: Campanha nacional contra o sarampo começa nesta segunda-feira

 

saude 07 10 2019A Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo começa nesta segunda-feira (07/10) em todos os postos de saúde do país. Dois grupos de pessoas estão no alvo da nova campanha. O primeiro grupo é formado por crianças de seis meses até menores de 5 anos, cuja vacinação vai desta segunda-feira até 25 de outubro, com o Dia D no dia 19.

 

Segundo grupo - O segundo grupo, com faixa etária de 20 a 29 anos e que não estão com a caderneta de imunização em dia, a vacinação está prevista para iniciar no dia 18 de novembro. A meta do Ministério da Saúde é vacinar 2,6 milhões de crianças na faixa prioritária e 13,6 milhões adultos. Para isso, a pasta garantiu a maior compra de vacinas contra o sarampo dos últimos 10 anos. Ao todo, 60,2 milhões de doses da tríplice viral foram adquiridas para garantir o combate à doença nos municípios.

 

Direito - “Vacina é um direito da criança. Ela não consegue ir sozinha a uma unidade de saúde para se vacinar. Pais, responsáveis, avós chequem a carteira de vacinação como ato de respeito e de amor”, disse o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. “Se estiver incompleta, leve a criança para tomar a segunda dose. Se a criança não tiver tomado nenhuma, ela deve tomar a primeira dose e, na sequência, a segunda”, explicou o ministro.

 

Recursos - Para incentivar a vacinação de crianças, o ministério disponibilizará R$ 206 milhões destinados aos municípios que cumprirem duas metas estabelecidas pelo ministério. “Para receber esse recurso adicional, os gestores terão que informar mensalmente o estoque das vacinas poliomielite, tríplice viral e pentavalente e atingir 95% de cobertura vacinal contra o sarampo em crianças de 1 a 5 anos de idade com a primeira dose da vacina tríplice viral”.

 

Doses - Desde o início do ano, a pasta distribuiu 25,5 milhões de doses da vacina tríplice viral para garantir a todos os estados a vacinação de rotina, as ações de interrupção da transmissão do vírus e a dose extra chamada de dose zero a todas as crianças de seis meses a 11 meses e 29 dias.

 

Complicações - Vacinar contra o sarampo é importante para evitar complicações como cegueira e infecções generalizadas que podem levar a óbito. Por isso, o governo federal em parceria com os estados e municípios estão unindo esforços para vacinar 39,9 milhões de brasileiros, 20% da população, que hoje estão suscetíveis ao vírus do sarampo, de acordo com o Ministério da Saúde. Apesar da faixa etária de 20 a 29 anos concentrar a maior parte desses brasileiros (35%), são os menores de 5 anos o grupo mais suscetível para complicações do sarampo.

 

Dados - No levantamento divulgado até o dia 28 de agosto, o Brasil registrou 5.404 casos confirmados de sarampo e seis mortes, sendo quatro delas de pacientes menores de 1 ano. Dos casos confirmados nesse período, 97% (5.228) estão concentrados em 173 municípios do estado de São Paulo, principalmente na região metropolitana. Os outros 176 casos foram registrados em 18 estados: Rio de Janeiro, Minas Gerais, Maranhão, Paraná, Piauí, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Ceará, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Pernambuco, Pará Rio Grande do Norte, Espírito Santo, Goiás, Bahia, Sergipe e Distrito Federal. (Agência Brasil)


Versão para impressão


RODAPE