Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4665 | 18 de Setembro de 2019

FÓRUM: Debate sobre o Selo Combustível Social reúne 70 profissionais das cooperativas em Cafelândia

O Sistema Ocepar promoveu, nesta terça-feira (17/09), o Fórum sobre o Selo Combustível Social, com a presença de 70 profissionais de 17 cooperativas paranaenses. O evento ocorreu na sede da Cooperativa Copacol, em Cafelândia, Oeste do Paraná.

Entendimento - Na oportunidade, foram repassadas informações com o objetivo de uniformizar a compreensão sobre as normas mais recentes publicadas pelo Ministério da Agricultura relativas ao tema, como a Portaria nº 144, que trata da concessão, manutenção e uso do Selo Combustível Social, e a de nº 174, que dispõe sobre a participação e a habilitação de cooperativas como fornecedoras de matéria-prima e prestadoras de serviço de assistência técnica e extensão rural no âmbito do Programa Selo Combustível Social.

Informações - Segundo o analista da Gerência de Desenvolvimento Técnico da Ocepar, Maiko Zanella, o evento foi organizado com o intuito de munir as cooperativas com informações sobre sua participação no programa e proporcionar maior entendimento sobre o mercado de biocombustíveis.

Abertura - A abertura do Fórum foi feita pelos presidentes do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, e da Copacol, Valter Pitol. Logo após, o coordenador técnico da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Paulo César Dias do Nascimento Junior, falourespeito da atuação do cooperativismo nas discussões sobre o Selo Combustível Social. Ele destacou que as normativas publicadas pelo Mapa, referindo-se às Portarias 144 e 174, são uma conquista do setor cooperativista. “Temos trabalhado para que os agricultores familiares de cooperativas que não possuíam DAP jurídica passassem a ser incluídos na política governamental do Selo Combustível Social. Esse pleito foi trabalhado por anos junto à equipe governamental, que entendeu como genuína a demanda das cooperativas”, disse.

Beneficiados no Paraná - “Com a publicação das Portarias, cerca de 40 mil agricultores familiares no Paraná terão a possibilidade de serem inclusos na política do governo, por meio das cooperativas. Assim, poderão ter maior renda com a agregação de valor gerada no processo”, frisou o superintende da Ocepar, Robson Mafioletti, que também acompanhou o evento.

Operacionalização - Andrea Cristina Veloso, da Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo do Mapa, esclareceu como as cooperativas podem se preparar para operacionalizar o Selo Combustível Social. “O Ministério entende que as cooperativas são fundamentais para fazer com que as políticas cheguem ao pequeno agricultor. Elas organizam o setor e colocam o desenvolvimento do cooperado em primeiro lugar, o que está alinhado com o objetivo do governo, de desenvolver e promover a prosperidade das famílias no campo”, afirmou.

Estratégias - O coordenador de Crédito Rural da Emater/PR, Osmar Schultz, abordou as estratégias da Emater para a emissão de Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) - pessoa física no Paraná. “É fundamentar fazermos um trabalho junto aos produtores familiares, demonstrando todos os benefícios de eles possuírem e renovarem a DAP, que é o passaporte para que possam acessar inúmeras políticas governamentais de apoio ao seu desenvolvimento”, sublinhou.

Mercado - Já o economista-chefe da Abiove, Daniel Amaral Furlan, falou sobre a questão do mercado e as perspectivas para o biodiesel. De acordo com Furlan, o mercado de biocombustíveis tende a crescer no Brasil, com o aumento do percentual na mistura do combustível e com o aumento da demanda. “É estratégico para o país depender cada vez menos de combustíveis derivados do petróleo, pois somos importadores desse tipo de produto. Além do mais, os biocombustíveis são fontes renováveis, alternativas para a redução das emissões de CO2, e promovem o desenvolvimento da economia do país, com geração de renda e empregos”, disse.

Esclarecimento - Segundo o presidente da Ocepar o Fórum foi importante e esclareceu os representantes das cooperativas sobre a viabilidade e as normativas da produção e do mercado de biocombustíveis. “Tivemos a oportunidade de conhecer as mudanças que ocorreram no selo do combustível social e como as cooperativas vão poder participar do programa junto com os seu cooperados”, destaca o presidente Ricken.

Oportunidade - Para o presidente Pitol da anfitriã Copacol, o Fórum foi a oportunidade de esclarecer e apresentar como a Copacol pode participar deste mercado, com o objetivo de remunerar melhor os produtores da soja. (Com informações e fotos da Assessoria de Imprensa da Copacol)

Links - Clique nos links abaixo para conferir as apresentações feitas no Fórum sobre o Selo Combustível Rural.

Mapa

Emater-PR

Abiove

{vsig}2019/noticias/09/18/evento_/{/vsig}

 

INOVAÇÃO: Primeiro ciclo do Programa é encerrado com a apresentação de projetos

O primeiro ciclo do Programa de Inovação para o Cooperativismo Paranaense entra em sua fase final, com a realização do último módulo de qualificação e apresentação dos projetos dos participantes. A turma da qual fazem parte colaboradores do Sistema Ocepar, em conjunto com funcionários da cooperativa de crédito Sicoob, encerrou o ciclo de estudos na tarde desta terça-feira (17/09), no Isae (Instituto Superior de Administração e Economia), em Curitiba. Até o fim de setembro, as demais turmas que compõem o programa, congregando cerca de 400 profissionais de 70 cooperativas do Paraná, em sete cidades do estado, vão finalizar a carga horário do curso. Os participantes farão um vídeo apresentando o projeto de inovação que pretendem aplicar em suas cooperativas.

Transformação Segundo o superintendente do Sescoop/PR, Leonardo Boesche, a capacitação visa treinar as pessoas para que dominem ferramentas e procedimentos para a concretização de projetos inovativos. “Acreditamos que o Programa trará muitos resultados práticos no dia a dia das cooperativas, impulsionando o trabalho contínuo para a implantação da cultura da inovação. Certamente, é um processo transformador para o cooperativismo paranaense”, afirmou. Após a finalização desta fase, o Isae visitará as cooperativas e orientará os alunos buscando a aplicação dos projetos formulados durante o curso, que começou em setembro de 2018, num total de 192 horas/aula. {vsig}2019/noticias/09/18/inovacao/{/vsig}

 

 

SAÚDE: Unimeds se destacam em ranking da ANS

 

O foco contínuo na gestão cooperativista de excelência e na qualidade assistencial acaba de provar sua eficácia. É que a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) divulgou na segunda-feira (16/09) os resultados do Programa de Qualificação das Operadoras 2018 (ano-base 2017) e, das 10 melhores notas, sete foram obtidas por coops singulares do Sistema Unimed.

 

Índice geral - Os dados divulgados apontam que o Índice de Desempenho da Saúde Suplementar (IDSS) geral do setor em 2017 foi de 0,7295, sendo 1,0 o valor máximo que pode ser atingido. Das 1.019 operadoras ativas em 2017, 858 atenderam aos requisitos para a divulgação dos resultados.

 

Nota - A nota do Programa de Qualificação é apurada através do cálculo da média ponderada dos Índices de Desempenho (o IDSS é um deles) das operadoras, que permite a comparação entre empresas. Esse índice estimula a disseminação de informações de forma transparente, a redução da assimetria de informação e a ampliação da concorrência no setor.

 

Cooperativas - As coops que figuram da lista das melhores notas são:

 

saude quadro 18 09 2019

 

Alinhamento estratégico - Esse resultado, segundo a Gerência Técnica e Econômica da OCB, evidencia o alinhamento estratégico das cooperativas médicas com as diretrizes estabelecidas pela ANS para todo o setor. E uma das ferramentas que ilustram esse alinhamento é o programa Qualifica Unimed, desenvolvido em parceria pela Fundação Unimed, Unimed do Brasil e Sescoop. Ele possibilita às operadoras participantes a obtenção da melhoria de gestão, padronização e foco na qualidade, pontos fundamentais para o setor e que tornam as operadoras aptas a serem acreditadas.

 

Diferencial - E a acreditação é um grande diferencial. A prova disso é que as sete operadoras listadas acima são acreditadas. Vale destacar, ainda, que as operadoras acreditadas têm IDSS médio superior às operadoras não acreditadas.

 

Mais informações-  Para obter mais informações sobre os resultados do Programa de Qualificação das Operadoras clique aqui. (Informe OCB)

UNIMED PONTA GROSSA: Ação Mude 1 Hábito será realizada até 15 de outubro

 

No último dia 15, quando foi comemorado o Dia do Cliente, a Unimed Ponta Grossa, em parceria com o Supermercado Tozetto, lançou uma ação para promover a campanha Mude 1 Hábito. Os clientes que passaram pela seção de hortifrúti da unidade Jardim Carvalho do Tozetto puderam conferir uma ambientação especial com informações a respeito de frutas, verduras e receitas. O espaço contou também com duas bikes-suco, bicicletas-liquidificadoras que produzem sucos naturais utilizando a energia a partir da pedalada. 

 

Mudanças de hábitos - “Queremos inspirar a mudança de hábitos alimentares e, em um ambiente montado especialmente para isso, a ação nos ajuda a incentivar o consumo de frutas e verduras e a promover a versatilidade do uso desses alimentos na manutenção da saúde”, explica a gerente de marketing da cooperativa médica, Thalita Valentim.

 

Peso - Além disso, diariamente, são colocados produtos para que os clientes tentem adivinhar o peso da sacola. Os três que acertarem (ou chegarem ao valor mais próximo), ganham um mixer. O resultado é divulgado no Instagram da Unimed logo após a apuração.

 

Unidade - A ação acontece na unidade Tozetto Jardim Carvalho até o dia 30 de setembro. E, de 02 a 15 de outubro, na unidade Tozetto Uvaranas. O regulamento da ação e os horários podem ser conferidos no site da Unimed PG. (Imprensa Unimed Ponta Grossa)

 

SERVIÇO

Ação Mude 1 Hábito Unimed – Tozetto Jardim Carvalho

Endereço: Av. Monteiro Lobato, 1951

Data: de 15 a 30 de setembro

Local: seção hortifrúti

Horários: disponíveis em unimedpg.com.br

Instagram: @unimedpg

 

{vsig}2019/noticias/09/18/unimed_ponta_grossa/{/vsig}

C.VALE: Encerramento do Cooperjovem vai reunir 1.800 estudantes

 

cvale 18 09 2019Estudantes de escolas públicas e particulares de oito municípios do Paraná participam, de 18 a 20 de setembro, da etapa de encerramento do Programa Cooperjovem 2019. Eles serão recebidos pela C.Vale na Asfuca de Palotina e participarão de brincadeiras e apresentações do Circo Ático, de Toledo. A edição deste ano está envolvendo 1.782 alunos de 55 escolas de Assis Chateaubriand, Alto Piquiri, Brasilândia do Sul, Francisco Alves, Maripá, Nova Santa Rosa, Terra Roxa e Palotina. Durante o encerramento do programa serão anunciados os vencedores do concurso de desenhos "Aluno cidadão pratica cooperação".  Os ganhadores receberão uma bicicleta cada. (Imprensa C.Vale)

SICOOB OURO VERDE: São Carlos ganha agência

 

Na última semana, o Sicoob Ouro Verde inaugurou sua 35ª agência. A unidade fica em São Carlos, 13ª maior cidade do interior do estado de São Paulo e a terceira a contar com atendimento da cooperativa. 

 

Centro industrial - Com uma população estimada de quase 250 mil habitantes, a cidade é um importante centro regional industrial, com a economia fundamentada em atividades industriais e na agropecuária. Além disso, possui um comércio forte e atividade universitária intensa, dados decisivos para que a cooperativa incluísse São Carlos em seu projeto de expansão.

 

Fortalecimento - Para o presidente do Conselho de Administração do Sicoob Ouro Verde, Rafael de Giovani Netto, a abertura de mais uma agência demonstra o fortalecimento da cooperativa e contribui diretamente para o crescimento do município. 

 

Importante capítulo - “A inauguração da agência em São Carlos representa um importante capítulo na história do Sicoob Ouro Verde, que está ampliando sua rede de atendimento no estado de São Paulo e com isso, ampliando também o número de cooperados e colaboradores. Hoje, já superamos a marca de 40 mil associados e mais de 370 profissionais em três estados brasileiros: Paraná, Amapá e São Paulo. Com esta nova agência, será possível ampliar o atendimento aos nossos cooperados, dar mais autonomia para o comércio, indústria e serviços, além de proporcionar um ambiente de negócios mais amplo e confortável para todos”, comenta.

 

Evento - Na cerimônia de inauguração da agência do Sicoob Ouro Verde em São Carlos, que aconteceu no dia 6 de setembro, estiveram presentes o presidente do Conselho de Administração do Sicoob Ouro Verde, Rafael de Giovani Netto; o diretor de Mercado do Sicoob Central Unicoob, Elisberto José Torrecillas, além conselheiros, diretores e colaboradores da cooperativa, além de cooperados e outros membros da comunidade. Participaram também o prefeito de São Carlos, Airton Garcia Ferreira e o presidente da Associação Comercial do Município, José Fernando Domingues.

 

Endereço - A agência do Sicoob Ouro Verde em São Carlos está localizada na Rua Conde do Pinhal, 2279. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

{vsig}2019/noticias/09/18/sicoob_ouro_verde/{/vsig}

SICOOB METROPOLITANO I: Agência é inaugurada em Engenheiro Beltrão

 

Com amplas e modernas instalações, a agência do Sicoob Metropolitano em Engenheiro Beltrão (PR) foi inaugurada na última semana. Para marcar o início das atividades na cidade, membros da diretoria da cooperativa, colaboradores, cooperados e convidados participaram de um evento na manhã do dia 10 de setembro.

 

Presença - Autoridades locais também marcaram presença na cerimônia. Entre eles, o prefeito de Engenheiro Beltrão e também cooperado do Sicoob Metropolitano, Rogério Righetti Gomes, que expressou sua alegria em receber a agência na cidade. "Estamos muito contentes. É um grande marco para o município, pois sabemos que o Sicoob é uma instituição diferente e Engenheiro Beltrão precisava disso. Torcemos para que a cooperativa colha os frutos dessa iniciativa”, comenta.

 

Rede de atendimento - Com sede em Maringá (PR), atualmente o Sicoob Metropolitano conta com 46 agências nos estados do Paraná e São Paulo. A rede de atendimento da cooperativa segue em expansão, para prestar atendimento aos mais de 58 mil cooperados.

 

Endereço - Em Engenheiro Beltrão, o endereço da agência do Sicoob Metropolitano é Rua Engenheiro Rebouças, 14. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

{vsig}2019/noticias/09/18/sicoob_metropolitano_I/{/vsig}

SICOOB METROPOLITANO II: Prefeitura de Goioerê e cooperativa são parceiros no projeto Papa Pilhas

 

O Sicoob Metropolitano e a Prefeitura de Goioerê agora são parceiros em uma iniciativa de cooperação em prol da preservação do meio ambiente, o Projeto Papa Pilhas. No início do mês de setembro, a gerente da agência local Valéria Schurt e o prefeito Pedro Coelho firmaram um convênio que prevê a distribuição de 30 recipientes em locais estratégicos da cidade para o descarte de pilhas e baterias usadas.

 

Primeiro - O primeiro deles foi entregue no dia 11 de setembro, para a Escola Municipal Maria Zilda Barbosa, com apoio da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente, representada pela secretária Viviane Kffrui. Além de outras escolas e empresas, a Associação de Coletores de Goioerê está entre as entidades que em breve também deve receber o coletor, que servirá para guardar as pilhas e baterias que estiverem misturados ao lixo reciclável.

 

Ações de conscientização - O Projeto Papa Pilhas propõe ainda ações de conscientização da comunidade, principalmente das crianças, a respeito da importância destinação adequada desse tipo de material, que é altamente poluente. Todas as pilhas e baterias coletadas serão encaminhadas para instituições especializadas na destinação correta e reciclagem desse tipo de material. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

{vsig}2019/noticias/09/18/sicoob_metropolitano_II/{/vsig}

SICREDI PARANAPANEMA I: Cooperativa chega ao município de Leópolis

 

A noite da última segunda-feira, 16 de setembro, foi marcada por entusiasmo e comemoração para a Sicredi Paranapanema PR/SP e para os moradores do município de Leópolis/PR. Com a presença de mais de 500 pessoas, a cooperativa chegou no município, sendo a única instituição financeira na cidade que conta com cerca de 4 mil habitantes.

 

Evento - O evento, realizado em frente a nova agência, foi aberto a todos os associados e munícipes, contando também com a presença de autoridades locais, dirigentes e colaboradores da Sicredi Paranapanema PR/SP. Com a inauguração, essa é a 26ª agência da cooperativa.

 

Celebração - Para o presidente da Sicredi Paranapanema PR/SP, Claudio Marcos Orsini, o momento é de celebração junto aos associados e todos moradores do município. “Estamos entusiasmados com a chegada da agência em Leópolis. Acreditamos no desenvolvimento de nossa região e poder inaugurar esse espaço à comunidade é motivo de grande alegria e satisfação. Queremos continuar contribuindo com o município e moradores que necessitam de serviços financeiros de qualidade, com conforto, praticidade e cooperação.  Prezamos pelo relacionamento e podemos agora oferecer mais proximidade aos nossos associados” afirmou Orsini.

 

Motivador - De acordo com gerente da agência de Leópolis, Alexandro Luiz Silva, a expectativa para iniciar os trabalhos na comunidade é grande e motivadora. “Estamos ansiosos para poder contribuir com nossos soluções e serviços para essa cidade tão acolhedora. Nossa equipe está engajada com a missão do Sicredi e os princípios do cooperativismo para somarmos forças e gerar grandes benefícios em prol dos associados e da comunidade. Contem conosco”, concluiu. 

 

Experiência cooperativa - Projetada para criar uma experiência ainda mais cooperativa, com espaço amplo, moderno e confortável, a agência Sicredi Leópolis está instalada na Rua Nossa Senhora Aparecida, 405, com atendimento ao público de segunda a sexta das 10h às 15h.

 

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.700 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi Paranapanema PR/SP)

 

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

{vsig}2019/noticias/09/18/sicredi_paranapanema_I/{/vsig}

SICREDI PARANAPANEMA II: Cooperativa marca presença na 9ª edição da Facia, em Andirá

 

Entre os dias 12 a 15 de setembro, a Sicredi Paranapanema PR/SP participou da tradicional Feira Agropecuária, Comercial e Industrial de Andirá (PR), a Facia. Em sua 9ª edição, o evento recebeu aproximadamente 45 mil pessoas de toda região e contou com praça de alimentação, rodeio, arena de shows com grandes artistas de reconhecimento nacional como: Pedro Paulo e Alex, George Henrique e Rodrigo, Conrado e Aleksandro e Duduca e Dalvan, e expositores comerciais.

 

Estande - A cooperativa esteve presente no local com estande para atendimento ao público, condições especiais para os associados, atrações e distribuição de brindes. A participação ainda contou com a apresentação da nova agência da Sicredi Paranapanema PR/SP e uma palestra sobre investimentos e seguros, promovida por colaboradores, para os associados e demais convidados.

 

Satisfatório - Para o gerente da agência de Andirá, Natal Camilotti, estar presente no evento é muito satisfatório. “Acreditamos muito no desenvolvimento de nossas comunidades e trabalhamos sempre para contribuir com o seu crescimento. Estar presente neste evento é de grande alegria para nós, pois podemos cumprir nossa missão com o apoio, além de estar perto de nossos associados, oferecendo soluções além financeiras. Parabenizamos e agradecemos a todos os organizadores e apoiadores da festa pelo belo movimento”, concluiu Natal.

 

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.700 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi Paranapanema PR/SP)

 

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

{vsig}2019/noticias/09/18/sicredi_paranapanema_II_/{/vsig}

SICREDI PLANALTO DAS ÁGUAS: Encontro com foco em inovação reúne colaboradores voluntários

 

Com o objetivo de fomentar a inovação, o Sistema Ocepar, o Isae e a Arbache Innovations se uniram para dar uma atenção especial a essa pauta. "Vemos a necessidade em fomentar uma cultura de inovação nas cooperativas, para isso propomos um Programa de Inovação para o cooperativismo paranaense, onde o primeiro passo foi dado com a cúpula das cooperativas conhecendo o MIT (Massachusetts Institute of Technology)", comenta Thiago Diogo, Coordenador do Programa de Inovação do Cooperativismo Paranaense. A partir disso, os colaboradores selecionados para participar do programa, fizeram teste de perfil, onde foram identificados como inovadores ou transformadores. Durante o programa, iniciado 2018, foram realizados módulos onde os dois grupos juntos e depois módulos específicos, separados, para cada perfil.

 

Disseminação - Para disseminar o assunto na cooperativa, durante a Convenção Anual de Colaboradores, realizada em julho, palestrou Arthur Igreja, referência nacional no tema inovação, momento também em que todos os colaboradores foram convidados para fazer parte de um grupo responsável por estimular o debate sobre o assunto, identificando as diversas formas de como podemos inovar no ambiente profissional.

 

Nome - Os colegas voluntários, através de pesquisa interna, de forma participativa e democrática, que são valores do cooperativismo, puderam votar no nome do grupo, afinal de contas, "Comitê de Inovação" não é um nome inovador, comentou Arthur Igreja... O nome mais votado foi Coonectados, por entender que esse grupo precisa estar conectado tanto com a causa cooperativista quanto com a inovação.

 

Encontro - Com a equipe de voluntários devidamente batizada, foi organizado o 1º Encontro Coonectados, realizado, na segunda-feira (16/09), no Celeiro de Inovação, localizado no Shopping Cidade dos Lagos, no qual o grupo recebeu informações de como podemos criar e estimular esse ambiente favorável para a inovação, realizadas dinâmicas para estimular o processo criativo, além de identificar pontos de melhoria para a instituição financeira cooperativa, utilizando a metodologia das Três Caixas. A programação também contou com uma pequena palestra da Diretora de Propriedade Intelectual na Novatech, braço ligado a Unicentro (Universidade Estadual do Centro Oeste), Claudia Crisostimo, que apresentou todo o ambiente criado e estruturado para promover a inovação na cidade de Guarapuava e região.

 

Momento histórico - "Foi um momento histórico onde iniciamos uma nova fase na cooperativa para estimular a participação de todos os colaboradores, fomentando a inovação e com isso, podemos descobrir soluções para promover uma melhor experiência do Associado e contribuir com o crescimento da Instituição Financeira Cooperativa", afirma o presidente da Sicredi Planalto das Águas PR/SP, Adilson Primo Fiorentin. (Imprensa Sicredi Planalto das Águas PR/SP)

 

{vsig}2019/noticias/09/18/sicredi_planalto_das_aguas/{/vsig}

SICREDI UNIÃO PR/SP: Cooperativa participa do “Abraço no Lago”, em Londrina

 

sicredi uniao 18 09 2019O tradicional “Abraço no Lago”, realizado em Londrina (PR) como parte dos eventos da 19ª Semana Municipal da Paz, será neste domingo (22/09), às margens do Lago Igapó, a partir das 9h. A realização é do Conselho Municipal de Cultura da Paz (Compaz) e do Movimento Pela Paz e Não-Violência, mais conhecido como Londrina Pazeando. A Sicredi União PR/SP participará do evento, levando informações sobre a campanha União Solidária, além de um grande contingente de colaboradores que irão abraçar o lago num gesto de paz. 

 

União Solidária - O União Solidária visa contemplar as entidades sociais em seus projetos de melhorias, com distribuição de cupons às entidades cadastradas e que tiveram seus projetos aprovados. Caberá às entidades vender os cupons, a R$ 10,00. Cada entidade terá como renda a totalidade do número de cupons que comercializar, sem qualquer custo.

 

Doação - Os prêmios - um carro e duas motos – estão sendo doados pela Sicredi União PR/SP e Cocamar e a companha é administrada, na região Norte do Paraná, pelo Lions Aliança Cambé. No domingo, várias entidades participantes da campanha também estarão marcando presença no Abraço no Lago, divulgando seus projetos e oferecendo cupons aos participantes. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

VBP I: Valor Bruto da Produção Agropecuária deve atingir R$ 601,9 bi em 2019, segundo maior em 30 anos

 

vbp 18 09 2019O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) deve atingir R$ 601,9 bilhões este ano, com base nos dados de agosto. Esse valor é o segundo maior em 30 anos, de acordo com série histórica iniciada em 1989. O primeiro ocorreu em 2017, com R$ 607,9 bilhões.

 

Alta - Houve também alta de 1,5% em comparação a 2018 (R$ 593,1 bilhões).  De acordo com Departamento de Financiamento e Informação da Secretaria de Política Agrícola, as lavouras representam R$ 394,8 bilhões e a pecuária, R$ 207,2 bilhões do VBP deste ano.

 

Safra - A safra de grãos prevista para este ano, de 242,1 milhões de toneladas (conforme dados da Conab), e o desempenho da pecuária, têm sido os principais impulsionadores do crescimento.

 

Lavouras - Entre as lavouras, os destaques são algodão e milho. “Os melhores resultados no ano ocorrem em algodão herbáceo, com acréscimo no VBP de 14,5%, amendoim, 14,5%, banana, 19,3%, batata inglesa, 116%, feijão, 56,1%, laranja, 4,7%, mamona, 29,8%, milho, 22,1%, tomate, 16,1% e trigo, 8,5%. Os valores de algodão e milho são recordes na série analisada”, diz nota da secretaria, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

 

Pecuária - Na pecuária, o crescimento foi alavancado pela produção de carnes bovina, suína, de frango e ovos, em razão da recuperação de preços, com exceção do leite, produto que registrou decréscimo de valor.

 

Redução - Alguns grupos apresentaram redução do VBP em relação a 2018. São eles: arroz (-6,5%), café (-24,7%), cana-de-açúcar (-8,9%), mandioca (-11,7%), soja (-12,6%) e uva (-5,7%). “Os preços e quantidades foram em geral os principais fatores afetando esses produtos neste ano”.

 

Ranking - Os cinco produtos com os melhores desempenhos do VBP são soja, milho, cana-de-açúcar, algodão e café. “Estes representam 77,7% do valor das lavouras. Entre os estados, a liderança é de Mato Grosso, São Paulo, Paraná, Minas Gerais e Rio Grande do Sul”.

 

O que é VBP - O VBP mostra a evolução do desempenho das lavouras e da pecuária ao longo do ano e corresponde ao faturamento bruto dentro do estabelecimento. Calculado com base na produção da safra agrícola e da pecuária, e nos preços recebidos pelos produtores nas principais praças do país, dos 26 maiores produtos agropecuários do Brasil. O valor real da produção, descontada a inflação, é obtido pelo Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) da Fundação Getúlio Vargas. A periodicidade é mensal com atualização e divulgação até o dia 15 de cada mês. (Mapa)

 

> Confira VBP por produção

>> Confira VBP regional

VBP II: Centro-Sul do Estado lidera o crescimento do Valor Bruto da Produção Agropecuária

A versão definitiva do Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) 2018 mostra que o Centro-Sul do Paraná foi a Região que mais cresceu no último ano. O VBP da Região somou R$ 5,8 bilhões, com variação nominal de 14%. Quando considera-se a variação absoluta do valor, o Centro-Sul fica atrás apenas do Oeste. Os dados, de agosto, são do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento.

Relatório final - Segundo o secretário Norberto Ortigara, o relatório final do VBP tem ajustes pontuais nos dados preliminares divulgados em junho, realizados após julgamento de recursos das prefeituras. Com isso, o valor total do VBP do Paraná passou de R$ 89,6 bilhões para R$ 89,8 bilhões, mantendo um crescimento nominal de 5%, redução em valores reais de 2% em relação ao ano passado, quando o VBP atingiu R$ 85,3 bilhões.

Faturamento bruto - Os valores correspondem ao faturamento bruto dos produtores com a comercialização da safra 2017/18. Esse índice vai compor o Fundo de Participação dos Municípios, que é responsável por dividir a fração do ICMS destinada às cidades paranaenses.

Participação - Com relação ao Centro-Sul, que liderou o crescimento regional, o setor agrícola participa com 52% na formação do VBP, a pecuária com 38%, e produtos florestais com 10%.

Localmente - Localmente, todos os setores tiveram variação positiva em relação aos dados de 2017, sendo que o maior crescimento foi do setor florestal, com 33%, acompanhando o movimento do setor na formação do VBP do Estado.

Maior índice - A técnica do Deral, Larissa Nahirny, diz que esses 33% representam o maior índice do setor entre as 10 regiões do Paraná. “Na pecuária, o Centro-Sul fica atrás apenas da Região Centro-Ocidental, com 11% de crescimento”.

Produtos - Dentre os produtos que contribuíram para o crescimento do VBP da Região, estão a soja, o leite, produtos de serraria e laminadora, o trigo, as silagens e alimentação animal, a erva-mate, os bovinos de corte e a cevada. “A versão final do relatório do VBP, com a colaboração da análise dos técnicos dos núcleos regionais, nos permitiu uma visão mais ampla do desempenho econômico do Estado no último ano”, afirma o chefe do Deral, Salatiel Turra.

Liderança - Entre os municípios do Centro-Sul, Inácio Martins lidera com crescimento de 40% de 2017 para 2018, de R$164 milhões para R$ 231 milhões, e ocupa o quarto lugar no ranking de produção florestal no Paraná, atrás de Telêmaco Borba, General Carneiro e Cruz Machado. Aproximadamente 87% do VBP de Inácio Martins vem de produtos florestais. “O uso do solo neste município é notadamente florestal, com mais de 75% de sua extensão territorial coberta por florestas, nativas ou plantadas”, explica engenheiro florestal do Deral do Núcleo Regional de Irati, Pablo Signor. Entre os cinco principais produtos agropecuários do município, estão serraria e laminadora, erva-mate, lenha, soja e papel e celulose.

Soja -  Além de liderar com a maior contribuição absoluta para o crescimento do VBP total do Estado (24,9%), a soja também foi a principal responsável pelo incremento do VBP do Centro-Sul, R$ 217 milhões. Todas as regiões apresentaram crescimento do VBP na soja em relação a 2017, sendo que Noroeste (31%), Sudoeste (15%), Sudeste (14%) e Região Metropolitana (14%) superaram a Centro-Sul em termos de variação percentual.

Leite - Assim como no total do produto no Estado, a ligeira redução na produção de leite foi recompensada pelos preços médios, de forma que a Região obteve o maior crescimento em relação ao ano passado, com aumento de 13%.

Migração - Segundo o economista do Deral do Núcleo Regional de Laranjeiras do Sul, Edson Gonçalves, muitos pequenos e médios produtores têm deixado a atividade e migrado para a bovinocultura de corte e outras culturas. “Só não existe queda maior na produção em virtude da tecnificação cada vez maior e dos ganhos de produtividade dos grandes produtores”, diz.

Erva-mate - O Centro-Sul, que participa com 22% da produção de erva-mate paranaense, registrou o maior crescimento da cultura em relação a 2017 (61%), de R$ 81 milhões para R$ 130 milhões. “Apesar da diminuição de área, houve renovação dos ervais nativos, tornando-os mais produtivos e com bom potencial, principalmente nos municípios de Pitanga, Santa Maria d'Oeste e Boa Ventura de São Roque, que apresentam maiores áreas e que se situam mais próximas as Ervateiras de Pitanga e Santa Maria d' Oeste”, explica o técnico do Deral do Núcleo Regional de Pitanga, Danilo Sens.

Cevada - A cevada integra 63% do VBP do cereal do Estado, e o índice aumentou 53% na Região: dos R$ 68 milhões de 2017 para R$ 104 milhões em 2018. Todas as variáveis que interferem no resultado do VBP foram positivas nessa cultura, desde o aumento da área plantada, da produtividade até os preços médios.

Outros destaques - Embora não tenham participação tão expressiva na economia da Região Centro-Sul, outros produtos também tiveram bons resultados no último relatório do VBP. É o caso do papel e celulose, cuja produção aumentou 102%, em movimento oposto à principal Região produtora, que é a Centro-Oriental, onde a produção diminuiu 18%.

Crescimento - O VBP dessa cultura cresceu 153%, impulsionado pelos municípios de Campina do Simão e Turvo. A Região também registrou bons índices na genética de aves de corte. “O município destaque é Guarapuava, de onde saem milhões de pintainhos, especialmente para o estado de São Paulo”, diz o técnico do Deral do Núcleo Regional de Guarapuava, Dirlei Manfio.

Região - O Centro-Sul do Paraná abrange os municípios de Boa Ventura de São Roque, Laranjal, Mato Rico, Palmital, Pitanga, Santa Maria do Oeste, Campina do Simão, Candói, Cantagalo, Espigão Alto do Iguaçu, Foz do Jordão, Goioxim, Guarapuava, Inácio Martins, Laranjeiras do Sul, Marquinho, Nova Laranjeiras, Pinhão, Porto Barreiro, Quedas do Iguaçu, Reserva do Iguaçu, Rio Bonito do Iguaçu, Turvo e Virmond. (Agência de Notícias do Paraná)

{vsig}2019/noticias/09/19/inovacao/{/vsig}

ECONOMIA I: Ministério zera tarifa de importação de mais de 500 bens

 

economia I 18 09 2019A redução a zero da tarifa de importação de equipamentos médicos e de bens de informática, anunciada nesta terça-feira (17/09) pelo presidente Jair Bolsonaro em sua conta no Twitter, faz parte de um conjunto maior de produtos cuja importação foi facilitada. No total, são 498 bens de capital e 34 de informática, segundo informou hoje o Ministério da Economia. As listas constam das portarias 2.023 e 2.024, publicadas na edição de segunda-feira (16/09) do Diário Oficial da União.

 

Sem similares no Mercosul - São bens que não têm similares produzidos no Mercosul, por isso podem ser classificados na lista dos ex-tarifários. Isso significa que ficam com a tarifa zerada por tempo determinado.

 

Medicamentos - Segundo o Ministério da Economia, na lista estão máquinas destinadas à produção de medicamentos e equipamentos médicos para exame e cirurgias. Também foram contemplados guindastes e tratores para projetos de infraestrutura e robôs industriais, entre outros itens.

 

Informática - Entre os bens de informática, estão impressoras e equipamentos para vigilância e controle de espaço aéreo em longo alcance, com função militar e civil.

 

Total - Neste ano, chegam a 2.300 produtos os com alíquota de importação reduzida a zero. O objetivo é estimular o investimento e a modernização do parque produtivo brasileiro. (Valor Econômico

ECONOMIA II: Governo vai desbloquear mais R$ 8,3 bilhões do Orçamento

 

economia II 18 09 2019O governo decidiu descontingenciar mais R$ 8,3 bilhões do Orçamento para distribuição entre ministérios. A informação foi confirmada nesta terça-feira (17/09) pelo ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, ao chegar ao Senado para uma série de reuniões. Segundo o ministro, o decreto que redistribui os recursos deve ficar pronto na semana que vem.

 

Reunião - "Ontem tivemos uma reunião onde nós descontingenciamos mais de R$ 8,3 bilhões. Amanhã vai ter uma conversa de consolidação disso para que até o final desta semana, princípio da próxima, a gente tenha as portarias prontas e o decreto para poder fazer a redistribuição", disse. Onyx argumentou que os bloqueios no Orçamento são uma espécie de poupança forçada para garantir que os recursos possam ser usados ao longo de todo o ano.

 

Educação - Do total que será descontingenciado nos próximos dias, o montante de cerca de R$ 1,9 bilhão será para o Ministério da Educação (MEC). "O MEC vai ter praticamente R$ 1,9 bilhão de descontingenciamento. Vai poder atender às universidades, vai tudo ficar bem, como a gente disse que ia fazer", acrescentou.

 

Relatório - O governo anuncia os bloqueios e desbloqueios do Orçamento ao divulgar o Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas, a cada dois meses. O próximo relatório será divulgado no dia 20 deste mês e o outro, o último do ano, será anunciado em novembro. Do Orçamento deste ano, o governo bloqueou cerca de R$ 33 bilhões.

 

Meta fiscal - A meta fiscal do governo para 2019 é um déficit primário de R$ 139 bilhões para o Governo Central – Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central. O déficit primário é o resultado negativo nas contas do governo sem o pagamento dos juros da dívida pública.

 

Fundo partidário - Ao comentar o projeto de lei que altera regras do fundo partidário, Onyx disse que "são regras, são questões que envolvem a vida dos partidos, mas que não têm impacto orçamentário". "Enquanto não tiver impacto orçamentário, está tudo bem".

 

Aprovação - O projeto já foi aprovado pela Câmara dos Deputados e deverá ser votado no Senado nas próximas semanas. O texto estabelece o fim do percentual fixo de 30% das emendas de bancada como referência para a destinação orçamentária ao Fundo Especial de Financiamento de Campanha, o Fundo Eleitoral, e restringe a aplicação de multa de 20% sobre o montante considerado irregular em contas de partido reprovadas pela Justiça Eleitoral. A multa só seria aplicada nos casos em que o agente teve a intenção de cometer a infração.

 

Propaganda semestral - O texto aprovado pelos deputados também prevê a volta da propaganda partidária semestral e exceções aos limites de gastos de campanhas eleitorais. A obrigação dessa veiculação em rede nacional e estadual foi extinta pela última reforma eleitoral em virtude da criação do fundo eleitoral. O PL também autoriza a prestação de contas eleitorais em formatos diversos, em softwares contábeis da preferência do partido, sem uma padronização definida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

 

Validade - Para que a nova regra eleitoral possa valer já para as eleições municipais do ano que vem, precisa ser aprovada pelo Congresso e sancionada, sem vetos, pelo presidente da República até o início de outubro, ou seja, um ano antes do pleito. (Agência Brasil)

ECONOMIA III: Desindexação do salário mínimo encontra resistência no Congresso

 

economia III 18 09 2019O relator da proposta de emenda constitucional (PEC) 438/2018, deputado Felipe Rigoni (PSB-ES), informou nesta terça-feira (17/09) que o ministro da Economia, Paulo Guedes, deseja fazer uma desindexação permanente do salário mínimo, mas que ele, pessoalmente, acha “totalmente inviável”. “O Guedes tem essa ideia de ser para sempre [a desindexação], mas acho que nem o Parlamento, nem eu, que sou o relator, e nem o deputado Pedro Paulo (DEM-RJ), autor da PEC, vamos bancar uma dessa”, disse Rigoni ao Valor.

 

Sem decisão - A proposta de suspender a indexação temporariamente, por dois anos, segundo Rigoni, “foi uma das coisas ventiladas pela equipe do governo”, como uma alternativa. Mas informou que não há qualquer decisão, pois ele está esperando uma sinalização de Guedes para saber se o governo quer mesmo fazer a PEC com a desvinculação.

 

Novo desenho - A PEC 438/2018 dá um novo desenho para as regras fiscais brasileiras, estabelecendo medidas de ajuste que poderão ser acionadas pelo governo para o cumprir a chamada “regra de ouro” das finanças públicas, que só permite o aumento do endividamento para pagar despesas de capital (investimentos e amortizações da dívida), e o teto de gastos.

 

Comissão informal - Rigoni criou uma comissão informal de assessores para discutir as novas regras fiscais, que conta com a participação de representante do Ministério da Economia. A proposta de não corrigir o salário mínimo por dois anos, por exemplo, seria incluída na PEC e adotada para abrir um espaço fiscal no Orçamento da União, que permita ampliar os investimentos e os gastos em áreas essenciais, como a educação, e que sofreram redução de verbas por causa do aumento das despesas obrigatórias.

 

Benefícios previdenciários e assistenciais - Ao não corrigir o salário mínimo pela inflação, o piso dos benefícios previdenciários e assistenciais também não seriam reajustados. Os valores dos benefícios para quem recebe acima do piso não seriam igualmente aumentados. A proposta discutida prevê também que não haveria, no período de dois anos, reajuste salarial para os servidores e nem qualquer tipo de reestruturação de carreiras, nem concursos públicos ou criação de novos cargos.

 

Projeções - Com as medidas, e mantido o teto de gastos, as projeções feitas pela comissão de Rigoni indicam que seria aberto um espaço fiscal de R$ 77 bilhões no Orçamento em dois anos. O espaço seria ocupado com investimentos, principalmente, revertendo a tendência dos últimos anos, quando eles foram reduzidos para o menor nível da série histórica. Ou seja, o esforço não seria utilizado para melhorar o resultado primário do governo federal.

 

Estudo - Estudo divulgado pela Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia, na semana passada, mostra que as despesas obrigatórias crescem de forma autônoma pelo simples efeito da indexação e do crescimento vegetativo, representado pelo aumento do número de pessoas que fazem jus a algum tipo de benefício concedido pelo Estado. 

 

Aumento do gasto - Segundo o estudo da SPE, 81% do aumento do gasto de 2019 para 2020 são explicados pela indexação e pelo crescimento vegetativo. Somente a indexação, ou seja, reajustes vinculados à inflação e ao salário mínimo, representa 46% do gasto primário. Isto não obstante o piso salarial não contar com aumento real na proposta orçamentária para 2020.

 

Política fiscal - Em várias entrevistas, o ministro da Economia tem insistido que a política fiscal do governo precisa considerar os chamados “3 ds”, que seriam a desindexação das despesas orçamentárias, a desvinculação e a desobrigação. Até agora, ele não explicou em detalhes o que entende por “desobrigação”.

 

Empaçomento - A equipe de Guedes tem mostrado que o chamado “empoçamento” de dotações orçamentárias resulta, principalmente, da vinculação da receita a uma despesa específica que o ministério não consegue executar, mas o dinheiro não pode ser utilizado em outra área.

 

Ipea - Nesta terça-feira (17/09), em artigo publicado no Valor, o presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Carlos Von Doellinger, afirmou que o Brasil está diante de um dilema: seguir por uma trajetória gradualista para combater o déficit fiscal ou tentar uma alternativa de choque.

 

Choque - “A alternativa mais sensata é o choque”, disse. Para ele, ao permanecer na linha gradualista “perpetua-se o círculo vicioso déficit-dívida”. Uma opção para o tratamento de choque seria, na opinião dele, implementar as medidas dos “3 ds”. (Valor Econômico)

MUNDO: Produção industrial dos EUA avança em agosto acima do previsto

 

mundo 18 09 2019A produção industrial nos Estados Unidos subiu 0,6% em agosto, invertendo a direção tomada um mês antes, de queda de 0,1%, de acordo com dados divulgados nesta terça-feira (17/09) pelo Federal Reserve (Fed, banco central americano). A leitura também ficou acima da expectativa de alguns economistas, de alta de 0,2%.

 

Capacidade - A utilização da capacidade da indústria subiu em 0,4 ponto percentual, para 77,9%, superando a expectativa do mercado, que era de alta a 77,6%.

 

Ventos contrários - A produção industrial enfrenta ventos contrários do fraco crescimento econômico global e das tensões comerciais crescentes entre os EUA e a China. Embora o setor industrial responda por uma parcela pequena do Produto Interno Bruto (PIB) americano, o segmento é muito sensível a mudanças na demanda global, o que faz dele um bom indicador antecedente para a economia dos EUA. (Valor Econômico)


Versão para impressão


RODAPE