Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4654 | 03 de Setembro de 2019

FÓRUM DOS PRESIDENTES: Investimentos realizados pelo cooperativismo serão apresentados em solenidade com o governador

Os investimentos realizados pelo cooperativismo paranaense serão apresentados no Fórum dos Presidentes das Cooperativas do Paraná, na sexta-feira (06/09), em Curitiba, durante solenidade com o governador Ratinho Junior e a diretoria da Ocepar. Somente no ano passado, o ramo agropecuário investiu R$ 2 bilhões em infraestrutura. Na sequência, serão anunciados os vencedores do 13º Prêmio Ocepar de Jornalismo. O evento encerra com a 2ª Feijoada Cooperativa, elaborada com produtos das cooperativas do Paraná.

Fórum de Agricultura - A programação inicia na quinta-feira (05/09), quando os participantes do Fórum dos Presidentes acompanham os debates que vão ser realizados 7º Fórum de Agricultura da América do Sul, uma iniciativa do jornal Gazeta do Povo apoiada pelo Sistema Ocepar. A entidade espera reunir 100 lideranças do setor em ambos os fóruns.

Tema - Nesta edição, o Fórum de Agricultura da América do Sul vai debater o tema “Da Produção ao Mercado – Global e Sustentável”. De acordo com os organizadores, a ideia é intensificar as discussões sobre as tendências transversais do agronegócio que impactam na produção e no consumo, como oferta e demanda, tecnologia e logística, sanidade, mercado e políticas comerciais. A pergunta a ser respondida é: como se manter eficiente e competitivo em um ambiente geopolítico cada vez mais globalizado e que passa por constantes e intensas transformações?

Especialistas - Para discutir o assunto, foram convidados especialistas de diversas entidades com atuação mundial. A conferência de abertura, por exemplo, será ministrada por Edwini Kessie, da Organização Mundial do Comércio (OMC). Durante o evento haverá ainda a participação de representantes do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), CME Group, Ministério da Agricultura, Secretaria de Estado da Agricultura do Paraná, Solar Cluster, Senai, John Deere, entre outros.

Informações - Mais informações com Neuza ou Luana, pelos fones (41) 32001104 / 3200 1105 ou pelo e-mail secretaria@sistemaocepar.coop.br. As inscrições para o público cooperativista devem ser feitas pelo link https://bit.ly/2ZBlE18.

forum presidentes folder 03 09 2019

INFORME TÉCNICO: Getec publica análise das resoluções do BC que regulamentam Plano Safra 2019/20

informe tecnico 03 09 2019A Gerência de Desenvolvimento Técnico da Ocepar (Getec) fez uma análise das últimas resoluções aprovadas pelo Banco Central do Brasil (BC) que regulamentam o Plano Safra 2019/2020. O Informe Técnico mostra as alterações trazidas pela resolução nº 4.741, que exclui a necessidade de Registro Geral de Atividade Pesqueira (RGP) para a concessão de financiamento aos aquicultores. Também trata da resolução nº 4.742, que ajusta as normas aplicadas às operações contratadas no âmbito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Crédito rural - Já a resolução nº 4.743 ajusta normas de crédito rural para fixação de limites de financiamento destinados aos empreendimentos em regime de integração, de que trata o Manual de Crédito Rural (MCR) 3-2-11, e às linhas de atendimento a cooperados, de que trata o Capítulo 5 do MCR, e altera o prazo de reembolso para operações de custeio de culturas permanentes. Entre as mudanças estão o aumento do prazo para o reembolso dos créditos de custeio com recursos controlados, para culturas permanentes, de 12 para 14 meses. Define ainda que os limites de crédito para as cooperativas serão compostos pela soma dos recursos oriundos das fontes de recursos obrigatórios e controlados.  

Clique aqui para conferir o Informe Técnico da Getec

Clique nos links abaixo para conferir na íntegra as resoluções do BC

Nº 4.741

Nº 4.742

Nº 4.743

 

COOPERATIVISMO: Conselho de Administração define metas da ACI-Americas

 

cooperativismo 03 09 2019Representando o cooperativismo brasileiro, a OCB participou da segunda reunião do Conselho de Administração da ACI, ocorrida na cidade de Ixtapa, no México, entre os dias 28 e 30 de agosto. Dirigentes cooperativistas dos 22 países americanos onde estão as organizações membro da Aliança enviaram representantes.

 

Planejamento estratégico - A reunião tratou do planejamento estratégico da Aliança Cooperativa Internacional para as Américas para os próximos anos. O colegiado priorizou quatro áreas de atuação para a Organização. A partir do próximo ano, a ACI-Americas se dedicará a promover atividades de acesso a mercados, desenvolverá novos serviços de apoio aos membros, apoiará as ações voltadas aos ODS e reforçará sua atuação junto a organismos internacionais de interesse como a OIT, OEA e ONU.

 

Apoio - Participando da ACI há 30 anos, a OCB apoia os projetos de integração e cooperação internacional desenvolvidos no âmbito desta que é a principal organização cooperativista do mundo. A participação no Conselho de Administração visa a contribuir para o aprimoramento das atividades oferecidas pela Aliança no continente americano. (Informe OCB)

FORMAÇÃO: Cocamar sedia 3º Módulo de Ciclo sobre Madeira

 

formacao 03 09 2019A Cocamar sediou na quinta-feira (29/08), em Maringá (PR), o 3º módulo do Ciclo de Aprimoramento de Produção e Uso de Madeira, promovido pelo Sistema Ocepar e Universidade Federal do Paraná, destinado à capacitação de colaboradores de cooperativas paranaenses.  

 

Sustentável - A proposta da realização é a produção econômica sustentável de florestas plantadas, com foco na produção de biomassa, madeira para serraria, secagem de grãos e outros fins. 

 

Os dois primeiros - Serão 5 módulos neste ano, cada qual sediado por uma cooperativa participante. Os dois primeiros, ocorridos em abril e junho, foram sediados por C.Vale e Lar, abordando, respectivamente, Análise de Investimentos e Manejo Florestal para Fins Energéticos. 

 

Em Maringá - O terceiro, em Maringá, deu foco ao Custo de Produção Florestal (objetivos da produção de madeira, operações florestais, componentes e custo florestal, coeficientes técnicos, colheita e transporte, e prática de custos). 

 

Os próximos - Os dois módulos restantes, previstos para outubro na Agrária e novembro na Frísia, vão abordar Colheita Florestal e Projetos Industriais para o Uso da Madeira. (Imprensa Cocamar)

COAMO: Cooperativa é a 35ª maior empresa do Brasil e a 1ª maior do Estado do Paraná

A Coamo Agroindustrial Cooperativa é a 35ª maior empresa do Brasil e a 1ª maior empresa do Estado do Paraná. Com sede em Campo Mourão, no Centro-Oeste do Paraná, e entrepostos em 71 Municípios nos Estados do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul, a cooperativa é destaque no anuário da Exame, considerada uma das mais importantes publicações do país. A Coamo é também a 10ª maior do país com capital 100% nacional.

À frente - Segundo o anuário da Exame – Melhores e Maiores 2018, que está circulando em todo o país e analisa o desempenho das 1.000 maiores empresas brasileiras, a Coamo no Estado do Paraná está à frente das empresas Renault (40ª posição) de capital francês e da estatal Copel Distribuição (56ª posição). Entre os primeiros no ranking das maiores e melhores empresas do país estão Petrobrás (Energia), Petrobrás Distribuidora (Atacado), Vale (Mineração), Ipiranga (Atacado), Raizen (Atacado), Shell (Energia) e Volkswagem (Autoindústria).  

Exportação - Entre as maiores exportadoras do país, a Coamo ocupa a 18ª colocação com o valor (em US$ milhões) de 1.758,9 – o ranking tem nas primeiras posições as empresas Vale (Mineração) e Petrobrás (Energia).

Agronegócio - O anuário das Melhores e Maiores apresenta também as maiores empresas do Agronegócio brasileiro. Neste segmento, a Coamo está na 9ª posição pelos resultados no lucro líquido. No segmento Comércio liderado pela Petrobrás, a Coamo está na 12ª posição no ranking das maiores do país entre empresas multinacionais, estatais e privadas.

Crescimento em relação a 2017 - Segundo o Anuário da Exame Melhores e Maiores, “Um dos pontos que chama atenção é o ótimo desempenho registrado pelas 500 maiores empresas do Brasil em 2018, ano em que o cenário político e econômico não foi nada favorável para os negócios.” Na análise da publicação que completa 46 anos, “Em contraste com um crescimento de apenas 1,% do PIB brasileiro, a elite empresarial do país conseguiu aumentar suas receitas em 9% e obteve um faturamento total de 810 bilhões de dólares no ano passado.”

Comemoração - A performance da Coamo como 35ª maior empresa do Brasil em As Melhores e Maiores 2018 da Exame é comemorada pela diretoria, cooperados e funcionários. “Recebemos este reconhecimento de uma revista conceituada, ganhando 11 posições em relação ao ano anterior, com muita satisfação e partilhamos esse resultado com toda a família Coamo. Temos orgulho de ser do campo, do interior do Brasil e produzir alimentos com origem, qualidade e sabor, e exportar nossos produtos para o mundo”, comemora o engenheiro agrônomo e presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini.

Fatores - Para Gallassini, a cooperativa que irá completar 49 anos no dia 28 de novembro, é uma empresa sólida e segura, bem administrada e profissionalizada, que tem foco no bem-estar e na estabilidade dos seus 8 mil funcionários e na prestação de serviços para agregar valor as atividades dos cooperados com geração de renda para o desenvolvimento sustentável do agronegócio.

Safras - Segundo relatório da Coamo apresentando aos cooperados em assembleia geral, a soja foi o destaque do mercado em 2018, com preços atraentes para os produtores, que aproveitaram as altas e comercializaram bons volumes tanto da safra corrente como de safras passadas que estavam represados.

Milho - Em 2018, as safras recebidas nos armazéns da cooperativa foram uma das maiores da cooperativa e só não foram maiores devido ao milho segunda safra, plantado em atraso e com perdas decorrentes da seca. O recebimento das safras ocorreu em 112 unidades totalizando 7,20 milhões de toneladas de produtos, correspondente a 3,2% da produção brasileira de grãos.

NÚMEROS DA COAMO - Revista Exame Melhores e Maiores 2018

35ª Maior empresa do Brasil

1ª Maior empresa privada do Estado do Paraná

10ª Maior empresa do Brasil, com capital 100% nacional

18ª Maior exportadora do Brasil

9ª Maior no segmento Agronegócio

12ª Maior no segmento Comércio

(Imprensa Coamo)

{vsig}2019/noticias/09/03/coamo/{/vsig}

INTEGRADA I: Cooperativa conquista posições no ranking da Exame

 

integrada I 03 09 2019A Integrada está entre as seis maiores cooperativas do Paraná ligadas ao agronegócio, segundo o ranking das Melhores & Maiores da revista Exame. No comparativo com a publicação anterior, a Integrada conquistou uma posição no Estado. No âmbito nacional, a cooperativa é a 11° maior do Brasil. Os dados são referentes ao balanço das empresas sobre o faturamento de 2018.

 

Agronegócio - Entre as 400 maiores do agronegócio, a cooperativa londrinense conquistou a 52° posição. No ranking de 2017, a Integrada ocupou a 56° posição. No levantamento referente aos 200 grandes grupos empresariais, a cooperativa ocupa a 154° posição. Na edição anterior, a Integrada ocupou a 176° posição. Nas 500 maiores empresas em vendas, a Integrada também ganhou posição, saltando de 256° para 222°.

 

Confiança - O diretor-presidente da cooperativa, Jorge Hashimoto, afirma que as conquistas dessas posições se devem à confiança dos mais de 10 mil cooperados e dos mais de 1.700 colaboradores que fazem parte da família Integrada. Hashimoto agradece também a todos os nossos clientes e fornecedores que fazem parte desse crescimento.

 

Crescimento - O crescimento de 15% da Integrada alcançado no ano passado, mesmo em um período de crise econômica, foi um dos motivos que realocou positivamente a cooperativa entre as maiores e melhores do setor. Em 2018, a Integrada atingiu a marca de R$ 3,3 bilhões em faturamento.

 

Meta - Para este ano, a meta da Integrada é atingir a marca de R$ 3,6 bilhões. Hashimoto afirma que desafio deste ano é grande, principalmente depois da frustração da safra de soja. Contudo, salienta o presidente, a Integrada segue firme junto com os seus cooperados no seu propósito. (Imprensa Integrada)

INTEGRADA II: Uma via de mão dupla

 

Garantir o nosso pão de cada dia é um trabalho diário de todo agricultor. Contudo, ser um agricultor cooperativista vai além disso. O envolvimento com a comunidade é um dos princípios básicos do sistema. Onde há uma cooperativa, há mais amor, companheirismo e compaixão.

 

Conforto e segurança - Foi baseado nesses princípios, que um grupo de mais de vinte associados da Integrada em Astorga (PR) se juntou para levar conforto e segurança para diversas crianças de dois Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs), por meio da doação de berços, mesas, cadeiras e colchonetes para as crianças. A iniciativa, faz parte do projeto Plante um Sorriso, que há mais de uma década realiza ações em prol da comunidade onde está presente.

 

Mutirões - Em outubro, mês da criança, as regionais da Integrada organizam mutirões com os seus cooperados em ações em prol da comunidade. Contudo, a regional Astorga antecipou o calendário e atendeu à urgente necessidade de duas instituições.

 

Descoberta - O CMEI de Santa Zélia e o CMEI de Içara, ambos localizados no distrito de Astorga, foram descobertos pelos próprios colaboradores, afirma o gerente da regional, Adilson Hanser. Diante de dificuldades apresentadas pelos CMEIs, Adilson entrou em contato com os cooperados que, prontamente, se mobilizaram junto à cooperativa. Esta união resultou na doação para o CMEI de Içara de cinco mesas com 60 cadeirinhas, cinco berços, um aparador e uma mesa menor com quatro cadeiras. Já para a CMEI de Santa Zélia, foram doados 66 colchonetes para o descanso dos pequenos.

 

A força da união - O cooperado Paulo Polvani, um dos participantes desta ação, afirma que foi um dever dos cooperados entrar nessa pequena ação que acabou se tornando grande. “A cooperativa está agindo certo. O caminho é o cooperativismo e a ação social”, observa o cooperado. De cada um real doado pelos cooperados, a Integrada doou mais R$ 0,50.

 

Sociedade - A cooperativa não só procura beneficiar os cooperados, mas também toda a sociedade, afirmou o diretor vice-presidente da Integrada, João Francisco Sanches Filho, durante a entrega dos móveis. “É uma satisfação contribuir com a sociedade. A Cooperativa está preocupada com o bem-estar da comunidade”, enaltece.

 

Necessidade - Adriana Daniel Soares Nunes, diretora da CMEI de Santa Zélia, afirma que trocar os colchonetes para as crianças descansarem era uma necessidade. Adriana agradeceu a Integrada e os cooperados que atenderam essa deficiência. (Imprensa Integrada)

 

{vsig}2019/noticias/09/03/integrada_II/{/vsig}

COCAMAR I: Rally Cocamar começa no domingo, por Maringá

 

Acocamar I 03 09 2019 primeira atividade do Rally Cocamar de Produtividade, edição 2019/2020, será no domingo, dia 8 de setembro, na Comunidade Guerra em Maringá (PR), quando produtores se reúnem na Associação, ao lado da capela, para um almoço beneficente que deverá reunir mais de 200 participantes. 

 

Caminhonete - Na oportunidade, será apresentada a caminhonete a Chevrolet S-10, modelo 2019/2020, recém-adquirida pela concessionária Zacarias, com a qual a equipe do circuito estará viajando. 

 

Patrocinadores - Além da Zacarias, os patrocinadores principais da 5ª edição do Rally Cocamar de Produtividade são Spraytec, Basf e Sicredi União PR/SP, ao lado dos patrocinadores institucionais Sancor Seguros, Cocamar TRR, Texaco Lubrificantes, Elanco e Altofós Suplementos Minerais Cocamar, com o apoio da Unicampo, Cesb e Aprasoja/PR.

 

Cardápio - No almoço de domingo, tradicionalmente preparado pelas produtoras participantes do núcleo feminino, serão servidos porco no tacho e frango na brasa e a participação é por adesão (R$ 30 por pessoa). 

 

TV - Já na quinta-feira (05/09) a equipe do Rally estará percorrendo o Guerra, acompanhado da equipe do programa RIC Rural, da RIC TV, para a produção de uma reportagem sobre aquela comunidade rural, que figura entre as maiores e mais importantes do município, com suas tradições e destaque em produção de grãos. Na mesma quinta-feira, à noite, fieis se encontram na capela para a celebração de uma missa sertaneja, de características únicas.

 

Semana - Depois de domingo, a semana promete ser bastante corrida para o Rally. Na segunda-feira (09/09), a equipe viaja para Sertaneja e Rancho Alegre, no norte do estado e, na terça-feira (10/09), estará em Floresta, próximo a Maringá. Na quinta-feira (12/09), o destino é Paranavaí, onde acompanha o Fórum de Irrigação promovido pela Cocamar. (Imprensa Cocamar)

COCAMAR II: Cooperativa lança CRM para estreitar relação com o cooperado

 

cocamar II 03 09 2019Aprimorar cada vez mais o relacionamento junto aos produtores cooperados e cooperantes. Com esse propósito, a Cocamar acaba de implantar o CRM (Customer Relationship Management, em português Gerenciamento do Relacionamento com o Cliente), contando com a plataforma Salesforce. Para uma apresentação do seu funcionamento, foi promovida, na manhã de sexta-feira (30/08), em Maringá (PR), uma reunião entre dirigentes, gerentes e colaboradores ligados ao atendimento. 

 

Gestão - De acordo com o presidente Divanir Higino, o crescimento da Cocamar impõe algumas demandas que requerem especial atenção da cooperativa, como a proximidade junto ao seu público. Nesse sentido, o CRM é uma ferramenta que atende tal objetivo, por fornecer todos os subsídios necessários à gestão do relacionamento. 

 

No início - O CRM surgiu na cooperativa como projeto de Lean Six Sigma, atingindo em 2019 a sua terceira geração. Na primeira, o processo foi desenhado com base em uma pesquisa para entender os requisitos dos cooperados e, além disso, foram mapeadas as necessidades da equipe de técnicos e gestão quanto as demandas do relacionamento. 

 

Piloto - Na segunda, houve a escolha da ferramenta e o início de um projeto-piloto em 2018, que culminou, posteriormente, com a seleção da plataforma Salesforce e da implementadora Avanxo. Os profissionais técnicos é que fazem a alimentação das informações dos produtores e contam, para isso, com um aplicativo off-line. 

 

Histórico - “Trata-se de um sistema de manuseio fácil, prático e adequado à linguagem dos profissionais”, comenta Vanessa Urataki, especialista em CRM da cooperativa. Segundo ela, a plataforma possibilita construir um histórico de cada cooperado, com relatórios específicos, o que vem ao encontro do objetivo da Cocamar de contribuir para que os produtores explorem todo o potencial produtivo de suas lavouras e tenham mais resultados. 

 

Detalhamento - “A ferramenta traz mobilidade e facilidade ao trabalho do profissional, centralizando e unificando as informações”, explica Urataki, enfatizando que os dados compilados, ao oferecerem o detalhamento das atividades do quadro de cooperados, auxiliam na tomada de decisões. 

 

Etapas - A implantação do CRM se dará por etapas e vai começar pela região norte do estado, compreendendo os municípios de responsabilidade da gerência de negócios ocupada por Nilton César Martins que irá estabelecer um plano de trabalho junto aos respectivos gerentes de unidades. (Imprensa Cocamar)

COPAGRIL: Iniciada a campanha de núcleos e suplementos minerais para bovinos

 

copagril 03 09 2019A nutrição adequada, com equilíbrio de composição e fornecida conforme a necessidade de cada animal é ponto fundamental para a manutenção e evolução da qualidade sanitária do gado, refletindo em desenvolvimento corporal, produção e qualidade do leite. Para auxiliar o produtor a conseguir maior saúde para os animais, a Copagril realiza a “Campanha de núcleos e suplementos minerais” nas Lojas Agropecuárias Copagril. Durante todo o mês de setembro haverá suplementos minerais, núcleos bovinos, tamponantes, adsorventes e homeopáticos com preços e condições especiais.

 

Nutrição oportuna - A alimentação fornece a nutrição oportuna e o fornecimento de núcleos e suplementos minerais ao rebanho bovino colabora na maximização dos resultados esperados. A suplementação é importante para os bovinos em todas as fases da vida, já que possuem ações e efeitos bem visíveis, atuando principalmente no crescimento, na reprodução (fertilidade), na lactação, no ganho de peso, na conversão alimentar e ainda na longevidade produtiva. Com mais ganhos em produção, qualidade do leite, saúde e conforto dos bovinos - seja de corte ou leite.

 

Suplementos e núcleos - Os suplementos e núcleos são produtos complexos compostos por minerais. “Ambos podem ser utilizados na mistura da ração ou no cocho (como suplementação). Entretanto, o núcleo é menos palatável e por isso é mais indicado para a mistura na ração”, explica Monique Bayer, zootecnista do setor Fomento Leite da Copagril.

 

Vitaminas - “Os suplementos minerais que possuem vitaminas em sua composição são considerados suplementos minerais vitamínicos (ou vitaminados). Eles também podem ter ureia em sua composição, classificados então como suplementos proteicos”, destaca Monique ao explicar sobre as vitaminas e minerais complementares ao desenvolvimento dos sistemas de defesas do animal, que colaboram com a manutenção da saúde, metabolismo energético e resistência. 

 

Rações Copagril - As Rações Copagril possuem 4% de mineral em sua composição e já colaboram na alimentação dos bovinos, mas a suplementação é fundamental para manutenção do plantel e deve ser utilizada na quantidade correta e de maneira adequada para assegurar todo o potencial, por isso, os produtores podem contar com o corpo técnico especializado da Copagril para auxiliar a fazer a correta escolha para o rebanho.

 

Ofertas - Além do assessoramento técnico regular, durante todo o ano, a Copagril ainda preparou um mês de ofertas para o segmento, a “Campanha de núcleos e suplementos minerais” será realizada em todas as unidades da cooperativa entre os dias 2 e 30 de setembro. (Imprensa Copagril)

SICREDI UNIÃO PR/SP: Cooperativa contribui e participa da inauguração das obras do Lar Anália Franco

 

sicredi uniao 03 09 2019Na manhã da última sexta-feira (30/08), a gerente de Desenvolvimento Regional Norte da Sicredi União PR/SP, Carla Sonoda, participou da inauguração das obras do Lar Anália Franco, em Londrina (PR), que recebeu melhorias e nova pintura. Tudo com a ajuda de entidades e empresas parceiras, entre elas a Sicredi União PR/SP.

 

Projeto União Solidária - Na ocasião, a gerente falou sobre o Projeto União Solidária, do qual o Lar está participando e receberá três mil cupons numa primeira etapa. 

 

Objetivo - O União Solidária tem o objetivo de viabilizar recursos financeiros para que instituições sociais possam angariar fundos para seus projetos de transformação. Na regional Norte da Sicredi União PR/SP, ela é coordenada pelo Lions Clube Cambé Aliança e tem como parceira a Cocamar Cooperativa Agroindustrial.

 

Renda - Cada entidade participante terá como renda a totalidade do número de cupons que comercializar, sem qualquer custo. Cada cupom será vendido por R$ 10.  Quem comprar os cupons vai concorrer a um automóvel (Fiat Mobi Easy) e três motos (Honda CG 160 Start). Os veículos totalizam o valor de R$ 57 mil e foram doados pela Sicredi União PR/SP e Cocamar. 

 

Participação - Além de Carla Sonoda, também participaram da solenidade no Lar, representando a cooperativa de crédito, a gerente da agência Bandeirantes, Suelen Lopes, a gerente Pessoa Física da agência, Cláudia Manduca, e o consultor do União Solidária Marcelo Bergamo. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

INSTITUTO SICOOB I: UDC promove capacitação em Educação Cooperativista em Apucarana (PR)

 

A Unidade de Desenvolvimento Cooperativo (UDC), promoveu capacitação em Educação Cooperativista para um grupo de 35 colaboradores do Sicoob Aliança. Realizado em Apucarana (PR), no dia 22, o evento teve como objetivo capacitar os presentes para que estejam aptos a disseminar a cultura cooperativista nas comunidades em que estão inseridos.

 

Cooperativismo - Durante a capacitação, a equipe da UDC apresentou os principais conceitos do cooperativismo; os princípios, valores e ramos de atuação; além de um breve histórico do Sicoob, enquanto cooperativa de crédito, e do próprio cooperativismo. Também foram realizadas várias dinâmicas em que os participantes aplicaram os aprendizados adquiridos e viram, na prática, como funciona a essência da cooperação. 

 

Prática diária - Para a analista de Projetos da UDC, Nayara Spessato Alves, um dos objetivos da capacitação foi o de trazer a visão de que o cooperativismo é algo que precisa ser praticado diariamente. “Falamos e repetimos, com frequência, que somos diferentes de bancos por sermos uma sociedade de pessoas e pelo interesse que temos nas comunidades, mas será que os nossos colaboradores entendem isso e conseguem passar o conceito durante as atitudes do dia a dia? A partir desse questionamento, trouxemos aos participantes o conhecimento sobre o cooperativismo, mas também a consciência de que precisamos inclui-lo na rotina diária, seja no atendimento aos cooperados, na execução de alguma atividade ou em pequenas atitudes que fazem a diferença, além, é claro, de disseminar a cultura cooperativista para a comunidade por meio de palestras e ações.”

 

Posicionamento - O assistente administrativo do Sicoob Aliança e Pessoa de Apoio Estratégico (PAE) do Instituto Sicoob, Jaimes Martins Tempesta acredita que a capacitação mostrou que a educação cooperativista, quando atrelada ao negócio, exemplifica bem o posicionamento do Sicoob, enquanto parceiros da comunidade. “Todos os participantes relataram a importância dessa capacitação e como eles perceberam bem essas práticas cooperativas no cotidiano em nossos Pontos de Atendimento (PA), com a consciência de que, juntos, podemos fazer muito mais, contribuindo para eficácia do desenvolvimento de nossa cooperativa”.

 

Aptos - Todos os colaboradores que participaram da capacitação já saíram com materiais didáticos e agora estão aptos a ministrarem palestras sobre Educação Cooperativista como voluntários do Instituto Sicoob. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

{vsig}2019/noticias/09/03/instituto_sicoob_I/{/vsig}

INSTITUTO SICOOB II: Expresso oferece cursos para comunidade de Palmital e Marialva

 

instituto sicoob II 03 09 2019No mês de agosto, o Expresso Instituto Sicoob passou por Palmital e Marialva (PR), onde ofereceu mais de 50 cursos profissionalizantes gratuitos na modalidade EAD para a comunidade. O ônibus, que é totalmente adaptado e funciona como uma plataforma itinerante de formação profissional e cidadã, é equipado com mesas, assentos, notebooks, televisores, impressora e internet.

 

Pessoas certificadas - Ao todo, foram mais de 120 pessoas certificadas entre os dias 29 de julho e 2 de agosto em Palmital e do dia 13 a 16 de agosto em Marialva. Para o gerente da agência de Marialva, Anderson André Bianchesi Bonugli, foi muito gratificante realizar a ação no município e ver o envolvimento das pessoas.

 

Missão - “Muito mais legal ainda ver que o Expresso tem essa importante missão de promover o desenvolvimento local, por meio da capacitação de pessoas, agregando conhecimento a um público diversificado e com várias culturas”, relata.

 

Agenda - As visitas de agosto encerraram a agenda deste ano do Expresso Instituto Sicoob na área de atuação do Sicoob Metropolitano. Ao todo, o ônibus atendeu 48 turmas e 862 alunos nas cidades de Cianorte, Mamborê, Presidente Venceslau, Roncador, Palmital, Marialva e Maringá. (Imprensa Sicoob Unicoob)

UNIMED GUARAPUAVA: 2ª Night Run Unimed será realizada em Irati

Promover uma vida saudável e equilibrada faz parte do cotidiano da Unimed e, com o propósito de incentivar a superação de desafios e mudar hábitos, a Unimed Guarapuava realizará a segunda Corrida Noturna em Irati (PR).

Expectativa - São esperados atletas profissionais e amadores que competirão nos percursos de 5km ou 10 km, no dia 19 de outubro. A Rua da Cidadania será o palco da concentração dos atletas e a chegada da corrida. Toda a prova é organizada pela equipe Unimed com orientação e apoio de uma equipe técnica esportiva. Durante todo o percurso os atletas contarão com equipes de apoio, além do acompanhamento da Guarda Municipal e Policia Militar para garantir a segurança de todos.

Inscrições - As inscrições estão abertas e divididas por lotes e podem ser feitas até o dia 17 de outubro pelo site do ticket agora (https://ticketagora.com.br/e/night-run-unimed-irati-8218). Todos os inscritos terão direito ao kit do atleta que contém: camiseta para a corrida, número de peito, chip eletrônico, sacochila e outros brindes.

Patrocínio - A Night Run Unimed conta com o patrocínio da Unimed do Paraná e Farmácias Nissei. Não deixe para a última hora e faça já a sua inscrição. Mais em https://youtu.be/TSKrkiddw1k. (Imprensa Unimed Guarapuava)

unimed guarapuava 03 09 2019

 

PESQUISA: Embrapa promove webinar gratuito sobre coinoculação em soja

 

A Embrapa Soja inicia esta semana a programação da safra 2019/20 da Séries Webinar: Tecnologias para sustentabilidade da soja, que são palestras gratuitas, transmitidas ao vivo, pela internet. No dia 5 de setembro, às 11h, será realizada a palestra Maximizando a sustentabilidade com coinoculação em soja, cujo tema será abordado pelo pesquisador Marco Antonio Nogueira, da Embrapa Soja. 

 

Economia anual - De acordo com o pesquisador, o processo de Fixação Biológica de Nitrogênio (FBN) gera uma economia anual de 15 bilhões de dólares pela substituição do uso de fertilizantes nitrogenados na cultura da soja. Além dos resultados positivos obtidos com a inoculação de bactérias Bradyrhizobium em sementes de soja, a Embrapa lançou, em 2014, uma nova tecnologia que agrega uma segunda bactéria, a Azospirillum brasilense.  

 

Nodulação - As plantas de soja coinoculadas com Bradyrhizobium e Azospirillum têm uma nodulação mais abundante e precoce e maiores taxas de FBN. Ensaios de campo mostram que, com a coinoculação, houve um incremento médio de 16% no rendimento da soja, em relação às áreas inoculadas somente com Bradyrhizobium. “Vamos abordar os benefícios no uso da coinoculação, apresentar orientações de manejo e esclarecer as dúvidas quanto ao uso da tecnologia”, explica Nogueira.

 

Inscrições - As inscrições são gratuitas e podem ser feitas aqui pelo Sympla. (Assessoria de Imprensa da Embrapa Soja)

 

pesquisa 03 09 2019

AGRONEGÓCIO: Proposta de orçamento para 2020 inclui R$ 1 bi para seguro

 

agronegocio 03 09 2019O governo cumpriu sua principal promessa feita ao setor de agronegócios este ano e incluir o montante de R$ 1 bilhão para o Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR) na Proposta de Lei Orçamentária (PLOA) para 2020, encaminhada ao Congresso Nacional na sexta-feira (30/08). Havia uma previsão de R$ 440 milhões para o PSR em 2019, mas, após contingenciamentos, o valor já reduzido para R$ 370 milhões.

 

Incertezas - Daí porque são muitas as incertezas no setor, e entre as seguradoras que atuam nesse mercado, de que de fato todo o valor previsto para o ano que vem sairá do papel. E o próprio Ministério da Agricultura foi surpreendido por uma novidade na proposta orçamentária federal que poderá trazer ainda mais problemas para o cumprimento da promessa do governo.

 

Rubricas - É que o montante de R$ 1 bilhão, apesar de previsto, foi dividido em duas rubricas no Orçamento. Uma prevê R$ 232,7 milhões e, a uma primeira vista, está assegurada. Mas a outra, de R$ 767,3 milhões, depende de aprovação pelo Legislativo de um crédito suplementar para ser de fato disponibilizada.

 

Mesma lógica - Eduardo Sampaio, secretário de Política Agrícola do ministério, explicou que esse crédito extra necessário para garantir a maior parte dos recursos para o seguro segue a mesma lógica vista em junho deste ano, quando o Congresso precisou aprovar um projeto de lei para garantir os subsídios federais do Plano Safra 2019/20.

 

Autorização - Assim como nesse caso, o Executivo terá que pedir ao Congresso autorização para descumprir a chamada "regra de ouro", dispositivo constitucional que veda a emissão de títulos de dívida pública para pagamento de despesas de custeio como aposentadorias e benefícios - o Bolsa Família, por exemplo. "O quadro fiscal está muito ruim e também temos que conviver com o fantasma do contingenciamento", disse Sampaio.

 

Promessa conjunta - A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, lembrou ao Valor que garantir R$ 1 bilhão para bancar parte da contratação de apólices de seguro no meio rural é uma promessa conjunta do presidente Jair Bolsonaro e do ministro da Economia, Paulo Guedes. "O mercado de seguros já começa a reagir muito bem. Eles faziam muito seguro no Sul do país, e hoje estão caminhando também para o Centro-Oeste e Sudeste e estão começando a trabalhar mais com pecuária. Estamos todos muito animados, num cenário de queda dos juros", afirmou Tereza Cristina.

 

Expectativa - O vice-presidente da Comissão de Política Agrícola da CNA, Antônio da Luz, disse que à entidade só resta confiar na palavra do governo de transferir recursos da política agrícola cada vez mais para o seguro e cada vez menos para o crédito rural. "Esperamos que não haja problemas ano que vem, que a economia cresça, que o governo após a aprovação da reforma da Previdência enfrente uma situação de finanças públicas mais tranquila e não chegue nem perto de cortar esses recursos. Se isso acontecer, perderemos mais um ano para avançar em políticas mais modernas". (Valor Econômico)

BC: Bancos não podem deixar de atender presencialmente

 

bc 03 09 2019Os bancos não podem deixar de atender clientes presencialmente, mesmo quando estiver disponível o atendimento em outros canais. A determinação é do Banco Central (BC), que publicou nesta segunda-feira (02/08) no Diário Oficial da União a resolução nº 4.746.

 

Medida - Essa medida foi definida na reunião do Conselho Monetário Nacional, no último dia 29. De acordo com a resolução, é “vedado às instituições impedir o acesso, recusar, dificultar ou impor restrição ao atendimento presencial em suas dependências, inclusive em guichês de caixa, a clientes ou usuários de produtos e de serviços, mesmo quando disponível o atendimento em outros canais”.

 

Não aplicação - Essa determinação não se aplica aos serviços de arrecadação ou de cobrança, quando não houver contrato ou convênio para a sua prestação celebrado entre a instituição financeira e o ente beneficiário; ou o contrato ou convênio celebrado não contemple o recebimento em guichê de caixa das dependências da instituição. A regra também exclui o recebimento de boletos de pagamento de emitidos fora do padrão, das especificações ou dos requisitos vigentes para o instrumento; recebimento de documentos mediante pagamento por meio de cheque; e as instituições que não possuam dependências ou às dependências de instituições sem guichês de caixa.

 

De fora - Também está fora da determinação os postos de atendimento instalados em órgão ou de entidade da Administração Pública ou de empresa privada com guichês de caixa, nos quais sejam prestados serviços do exclusivo interesse do respectivo órgão ou entidade.

 

Imposição vedada - A resolução determina ainda que “é vedada a imposição de restrições quanto à quantidade de documentos, de transações ou de operações por pessoa, bem como em relação a montante máximo ou mínimo a ser pago ou recebido ou ainda quanto à faculdade de o cliente ou o usuário optar por pagamentos em espécie”.

 

Cooperativas - Segundo a resolução, as cooperativas de crédito devem informar em suas dependências, “em local visível e em formato legível, se realizam atendimento a não associados e quais os serviços disponibilizados”. (Agência Brasil)

INFRAESTRUTURA: Setor não terá projeto novo em 2020

 

infraestrutura 03 09 2019O Ministério da Infraestrutura vai eleger 29 obras prioritárias, que estão em fase de conclusão, para executar em 2020 e não iniciará projeto novo, de acordo com fonte credenciada da área econômica ouvida pelo Valor. Essa estratégia será adotada para enfrentar a forte redução de recursos para investimentos na área, que consta da proposta orçamentária para o próximo ano, enviada pelo governo na sexta-feira (30/08) ao Congresso Nacional. Para rodovias, a proposta prevê apenas R$ 4,7 bilhões. "Não iremos abrir novas frentes", disse a fonte.

 

Desenvolvimento Regional - Diante das limitações orçamentárias para 2020, estratégia semelhante será adotada pelo Ministério do Desenvolvimento Regional, que terá apenas R$ 147 milhões para novas contratações de moradias para a faixa 1 do programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV), informou outra fonte.

 

Foco - O foco total será garantir a continuidade das obras de 233 mil unidades em construção na faixa voltada à população de renda mais baixa. A ideia para o ano que vem é reduzir os recursos do Orçamento para essas faixas e aumentar a subvenção direta do FGTS.

 

Segurança hídrica e mobilidade urbana - Além de limitar as futuras contratações do MCMV, a escassez de recursos no Ministério do Desenvolvimento Regional deve impedir novas obras de segurança hídrica e de mobilidade urbana. O foco, segundo fontes da pasta, será concentrar todos os esforços em dar continuidade ao que já começou.

 

2020 - Mesmo assim, um cenário realista traçado por técnicos da pasta indica que para obras de infraestrutura hídrica só há dinheiro garantido até o fim do primeiro semestre de 2020. São os casos de intervenções como o Canal do Sertão Alagoano, o Ramal do Agreste (PE) e as Vertentes Litorâneas (PB) - projetos para a distribuição de água no semi-árido nordestino.

 

Corte - A proposta orçamentária do próximo ano prevê corte de 30,4% nas despesas discricionárias (custeio e investimento) do Ministério da Infraestrutura, em comparação com a proposta orçamentária deste ano. Neste cálculo não foram consideradas as emendas parlamentares ao Orçamento.

 

Percentual - O corte é de 23,4% na comparação com o limite estabelecido pelos decretos de contingenciamento das verbas orçamentárias, até o terceiro bimestre deste ano. Por considerar o atual limite de gastos para este ano impraticável, o governo busca maneiras de dar alívio financeiro aos ministérios.

 

Passagem de ativos - As fontes informaram que o problema da escassez de recursos poderá ser minimizado com a passagem de ativos da União para a iniciativa privada, na forma de concessões de estradas e aeroportos, por exemplo. A conclusão da pavimentação da BR-163 no trecho que liga Mato Grosso a Pará é considerada prioridade pelo atual governo, por permitir escoar a safra de grãos do Centro-Oeste pelo chamado Arco Norte. Uma fonte garantiu que a pavimentação da BR-163 será praticamente concluída ainda neste ano. Ficaria faltando pequeno trecho até Santarém.

 

Esforço - O Ministério da Infraestrutura fará um esforço junto aos parlamentares para que ajudem, com suas emendas, a elevar as dotações para os investimentos considerados estruturantes e prioritários. "A nossa estratégia para ampliar o orçamento é trabalhar em parceria com o Congresso", complementou uma fonte da área.

 

MCTIC - A rigor, apenas o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) teve sua despesa para custeio e investimento para 2020 superior ao que constava da proposta orçamentária de 2019. E isto ocorreu apenas pela incorporação da Telebras nas contas do ministério. A Telebras deixou de ser estatal independente.

 

Demais - Todos os demais ministérios e órgãos públicos tiveram sua despesa com custeio e investimento orçada para o próximo ano em valores iguais ou inferiores à proposta orçamentária de 2019. O Ministério da Educação disse, em nota, que "busca alternativas para recompor" o orçamento de 2020: "Todas as possibilidades estão sendo estudadas para garantir o pleno funcionamento dos serviços prestados". Também em nota, o Ministério da Saúde informou que o projeto orçamentário para 2020 "foi elaborado considerando o piso constitucional para a saúde na ordem de R$ 121,2 bilhões". Neste ano, o piso é de R$ 120,8 bilhões. (Valor Econômico)

PARANÁ: Estado amplia investimentos em 202% no primeiro semestre

 

O Governo do Paraná aumentou em 202,79% o volume de investimentos no primeiro semestre deste ano, no comparativo com o mesmo período de 2015. O levantamento foi feito pelo jornal Valor Econômico e mostra que o Estado já liquidou R$ 497 milhões no período analisado. No geral, os investimentos estaduais sofreram queda de 52%.

 

Avaliação - O impresso avaliou o desempenho dos atuais governos com o início das administrações imediatamente anteriores (2015) nos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal. O índice de crescimento do Paraná está bem à frente dos demais entes federativos. Alagoas ficou com a segunda melhor marca (78%) e Rio Grande do Norte com a terceira (62%). Os dados são da Secretaria do Tesouro Nacional (STN).

 

Recursos desembolsados - O volume de recursos desembolsados pelo Estado nos seis primeiros meses do ano, conforme apurou o Valor, é parte de um grande programa de investimentos em obras públicas iniciado em 2019, que soma R$ 7,1 bilhões. O montante está sendo aplicado em todos os modais logísticos e de transporte, na infraestrutura urbana e nas áreas de saneamento, energia e habitação.

 

Modernização - “São recursos fundamentais para modernizar o Paraná, resolver gargalos que travam o setor produtivo e melhorar a qualidade de vida dos paranaenses”, afirma o governador Carlos Massa Ratinho Junior. “Os investimentos públicos são importantes também para alavancar a economia. Isso influencia também no aumento de empregos no Estado”, diz. (Agência de Notícias do Paraná)

 

parana quadro 03 09 2019

IBGE: Produção industrial cai 0,3% de junho para julho

ibge 03 09 2019A produção industrial brasileira teve queda de 0,3% na passagem de junho para julho deste ano, o terceiro resultado negativo consecutivo. A perda acumulada no período chega a 1,2%, segundo dados da Pesquisa Industrial Mensal, divulgada nesta terça-feira (03/09) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Queda maior - A produção teve queda ainda maior na comparação com julho do ano passado (-2,5%). A indústria também acumula recuos de 1,7% neste ano e de 1,3% em 12 meses.

Categorias econômicas - Entre as grandes categorias econômicas, a queda de junho para julho foi puxada pelos bens de capital, isto é, as máquinas e equipamentos (-0,3%), e pelos bens intermediários - os insumos industrializados usados no setor produtivo (-0,5%).

Bens de consumo - Por outro lado, os bens de consumo tiveram alta no período e evitaram um desempenho pior da indústria no mês. Os bens semi e não duráveis cresceram 1,4% no período, enquanto os bens duráveis avançaram 0,5%.

Atividades - Onze das 26 atividades industriais tiveram queda na passagem de junho para julho, com destaque para outros produtos químicos (-2,6%), bebidas (-4,0%) e produtos alimentícios (-1%).

Crescimento - Entre as 15 atividades com crescimento, o principal destaque ficou com as indústrias extrativas, que tiveram alta de 6%. (Agência Brasil)

 

PREVIDÊNCIA: Mais de 370 emendas apresentadas ao texto da reforma, com votação na quarta

 

previdencia 03 09 2019A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) deve votar, nesta quarta-feira (04/09), a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 6/2019, a Reforma da Previdência. O relator, senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), apresenta a partir das 9h a complementação de seu voto inicial, lido na reunião do dia 28. Foram 376 emendas com sugestões de mudanças até a manhã desta segunda-feira (02/09), das quais mais de 200 estão sem parecer.

 

Complemento de voto - “Há o complemento de voto às 9h da manhã, abro para possíveis votos em separado, teremos pelo menos um voto em separado. Vamos fixar um prazo para a leitura desses votos e em seguida abrimos para a discussão, encerramos a discussão e vamos para a votação. Provavelmente isso vai adentrar a tarde, acredito que a gente não consegue fechar antes das 4h ou 5h da tarde uma discussão como essa”, detalhou a presidente da CCJ, Simone Tebet (MDB-MS), em entrevista na semana passada.

 

PEC paralela - A tendência do relator é manter o texto como veio da Câmara, apenas com algumas supressões de dispositivos como o do Benefício da Prestação Continuada (BPC), alteração que não resulta em nova análise da PEC pelos deputados. As mudanças que Tasso considerou mais relevantes foram apresentadas em uma minuta de nova PEC, para tramitar em paralelo com o texto principal.

 

Apoio - Nessa PEC Paralela, que ainda depende de 27 apoios de senadores para iniciar o andamento legislativo, estão mudanças como a inclusão dos estados e municípios na reforma; a garantia de que a pensão por morte nunca seja inferior a um salário mínimo, e que o percentual acrescido à pensão, por dependentes menores de idade, saia dos atuais 10% para 20%.

 

Em separado - No texto que tramitará em separado também estão previstas novas fontes de custeio para a seguridade social, com a cobrança gradual de contribuições previdenciárias das entidades educacionais ou de saúde enquadradas como filantrópicas, mas com capacidade financeira, excluídas as Santas Casas de Misericórdia.

 

Cobrança de contribuições previdenciárias - Também haverá cobrança de contribuições previdenciárias do agronegócio exportador e do Simples (Sistema Integrado de Pagamento de Impostos e Contribuições das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte), para o financiamento de benefícios concedidos em decorrência de acidente de trabalho ou exposição a agentes nocivos. As novas tributações serão feitas de forma gradual e progressiva, ao longo de cinco anos.

 

Outras sugestões - Outras sugestões de mudança, por meio de emendas, podem ser incluídas nesse texto. A intenção de Tasso é não atrasar a votação do texto principal da PEC 6/2019, para que seja votada e promulgada rapidamente.

 

Calendário - A previsão é de conclusão da votação na CCJ na quarta-feira, com o texto seguindo para análise em Plenário na sequência. A PEC é votada em dois turnos, com cinco sessões de discussão num primeiro momento, e três no segundo.

 

Prazo - “Começa a contar o prazo a partir de quinta-feira (05/09), a primeira sessão de discussão e votação no Plenário. A segunda discussão e votação será na terça (10/09), já com audiência pública deliberada pela Mesa”, explicou Simone, referindo-se à sessão temática agendada no Plenário.

 

Conclusão - A expectativa é que o calendário esboçado por Simone, que estima a conclusão da votação entre o fim de setembro e o início de outubro, seja seguido rigorosamente. “Por enquanto está dentro do calendário”, informou.

 

Local - A reunião da CCJ ocorrerá na sala 3 da ala senador Alexandre Costa. (Agência Senado)

COMÉRCIO EXTERIOR: Balança comercial tem saldo positivo de US$ 3,28 bilhões em agosto

 

comercio exterior 03 09 2019A balança comercial brasileira registrou saldo positivo de US$ 3,28 bilhões no mês de agosto, informou nesta segunda-feira (02/09) balanço divulgado pela Secretaria Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia. O valor é 23,7% superior ao alcançado no mesmo período de 2018.

 

Vendas - Em agosto, o país exportou US$ 18,85 bilhões, uma queda de 8,55% em relação ao registrado no mesmo mês do ano passado. Já as importações somaram US$ 15,57 bilhões, queda de 13,32% em relação a agosto de 2018.

 

Produtos básicos - De acordo com os dados da Secretaria Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais, as exportações de produtos básicos, como milho, fumo em folhas, café em grãos, carne suína e minério de ferro somaram US$ 10,34 bilhões.

 

Manufaturados - Os produtos manufaturados, como carros, motores e autopeças, somaram US$ 6,16 bilhões. Já os semimanufaturados, como ferro, aço, ferro em ligas, somaram US$ 2,31 bilhões.

 

Acumulado - No acumulado de janeiro a agosto, o saldo comercial acumulou supéravit de US$ 31,75 bilhões, valor 12,9% inferior ao alcançado em igual período de 2018, que somou US$ 36,66 bilhões.

 

Valor - As exportações apresentaram, no acumulado de 2019, valor de US$ 148,85 bilhões. O número representa uma queda de 5,2% em relação ao apurado no mesmo período de 2018, que foi US$ 157,9 bilhões.

 

Importações - As importações somaram US$ 107,09 bilhões, queda de 2,8% sobre o mesmo período do ano anterior, de US$ 121,23 bilhões. (Agência Brasil)

INTERNACIONAL: Índia amplia veto na OMC a latino-americanos

 

internacional 03 09 2019A Índia ampliou seu veto unilateral ao Brasil para a presidência do Grupo Negociador de Regras da Organização Mundial do Comércio (OMC). Agora, Nova Déli veta qualquer um do Grupo de Países da América Latina e Caribe (Grulac).

 

Única negociação multilateral - A presidência desse grupo dirige a única negociação multilateral em curso na OMC, visando proibir certos subsídios ao setor pesqueiro. O confronto é sobre quem vai substituir o ex-embaixador do México Roberto Zapata, que foi chamado de volta a seu país.

 

Veto - O Grulac apresentou o nome do embaixador brasileiro Alexandre Parola. A surpresa veio em seguida, quando a Índia, parceiro do Brasil no Brics, passou a vetar sozinha o país para presidir o grupo de regras.

 

Piora - Desde então, a situação piorou. A presidente do conselho-geral da OMC, Sunanta Kangvalkulkij, embaixadora da Tailândia, fez consultas ontem com vários países, alertando que era imperativo encontrar uma solução imediata para a presidência do grupo de regras, para permitir que as negociações sobre pesca continuem "sem interrupções indevidas".

 

Todos latino-americanos - No entanto, a Índia manteve agora o veto a todo os países latino-americanos. Mas não apresentou a candidatura que tinha acenado, da embaixadora de Sri Lanka, Gothami Silva. É que não há consenso no Grupo dos Países Asiáticos sobre seu nome.

 

Equador - Por sua vez, o Equador, na presidência do Grulac, reafirmou o respaldo ao nome de Parola. O brasileiro tem o apoio dos grupos latino-americano, africano e de países desenvolvidos.

 

Raro - O veto unilateral da Índia é raríssimo na OMC. Para observadores da cena comercial, o pano de fundo dessa posição é o fato de o Brasil ter aceitado demanda dos EUA de abrir mão do Tratamento Especial e Diferenciado (TED) nos futuros acordos comerciais.

O presidente do grupo negociador pode ter influência direta nos textos de compromissos e nos rumos de uma negociação.

 

Consenso - Mas sua escolha não tem o objetivo de defender posição de seu país, e sim ajudar a construir consenso.

 

Subsídios - O mandato da negociação para proibir certos subsídios para o setor pesqueiro afirma claramente que o TED é parte integral de um futuro acordo. A questão é como cada país entende o que isso significará.

 

Documento na negociação - A Índia já apresentou documento na negociação defendendo TED horizontal, ou seja, de forma igual para todos os países em desenvolvimento e todas as disciplinas, o que significa colocar em pé de igualdade a China, segunda economia do mundo, e o pobre Benin.

 

Países desenvolvidos - Por sua vez, países desenvolvidos defendem que o TED possa já estar incorporado na própria disciplina negociada. Por exemplo, quando se estabelecer que só a indústria pesqueira de larga escala fica proibida de receber determinados subsídios. A margem para beneficiar países mais vulneráveis vem na própria regra negociada.

 

Terceira opção - Uma terceira opção é se inspirar no Acordo de Facilitação de Comércio, pelo qual as disciplinas são iguais para todos os países, mas os prazos para sua implementação são diferenciados.

 

Novas consultas - Novas consultas vão ocorrer nos próximos dias em Genebra. O problema é que o veto indiano, se predominar, abrirá precedente perigoso no funcionamento da OMC, já enfraquecida em outras áreas. (Valor Econômico)


Versão para impressão


RODAPE