Imprimir
CABECALHO

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4636 | 08 de Agosto de 2019

VOE PARANÁ: Estado passa a ter a maior malha aeroviária do Brasil

 

O Paraná passa a ter a maior malha aeroviária do País com o início, nesta quarta-feira (07/08), do programa Voe Paraná. O novo pacote aéreo regional foi lançado pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior no Aeroporto do Bacacheri, em Curitiba, e vai atender 12 cidades, de todas as regiões do Estado. O presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, prestigiou o evento. 

 

Municípios - Neste primeiro momento, os municípios beneficiados pela adesão da companhia aérea Gol em parceria com a empresa de táxi aéreo TwoFlex são Paranaguá, Arapongas, Apucarana, Guarapuava, Campo Mourão, Francisco Beltrão, Paranavaí, Cianorte, Telêmaco Borba, Cornélio Procópio, União da Vitória e Guaíra, todos com população variando entre 32 mil e 155 mil habitantes. De acordo com a Gol, os bilhetes começam a ser vendidos a partir de 2 de setembro e os voos regulares a partir de 22 ou 23 de outubro.

 

Maior da história - “É o maior projeto de voo regional da história do Estado. Nosso planejamento sempre foi fazer com que a Capital e o Interior fiquem mais próximos, desenvolvendo o Paraná por inteiro, levando mais indústrias para o Interior e consequentemente gerando mais emprego”, afirmou o governador. “Muitas vezes o empresariado quer se instalar no Interior, mas não tinha uma ligação fácil com a Capital. Esse programa encurta as distâncias”, afirmou.

 

Outras cidades - Ratinho Junior informou ainda que outras cidades do Estado deverão encorpar o programa nos próximos meses, desde que haja liberação por parte da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e também escala de demanda.

 

Aeronaves - Os deslocamentos serão feitos por aeronaves Cessna Grand Caravan de até 9 lugares, com média de três a quatro voos semanais. Curitiba será o principal destino, mas há também rotas interligando cidades do Interior. “Estamos em negociação também com outras companhias para ampliar a oferta de voos. O Paraná passa a ser maior com esse projeto de desenvolvimento regional”, disse.

 

Retomada - O presidente da Gol, Paulo Kakinoff, destacou a retomada dos deslocamentos regionais no País com a implantação do projeto paranaense. “Como essas 12 novas cidades, o Paraná passa a ter a maior quantidade de destinos do Brasil. É o resgate da aviação por meio um modelo consagrado. Modelo promissor, que tem capacidade de transformar. Estamos agradecidos ao Estado do Paraná”, afirmou.

 

Azul - Aos novos voos somam-se linhas aéreas operadas pela Azul, o que faz do Paraná a maior malha aeroviária do Brasil. A companhia possui voos regulares ligando Curitiba a Toledo, Pato Branco, Ponta Grossa, Maringá, Cascavel, Londrina e Foz do Iguaçu.

 

Pato Branco - Na última segunda-feira (05/09), inclusive, Pato Branco passou a contar com deslocamentos diários do Aeroporto Municipal Juvenal Loureiro Cardoso para a capital paranaense. Até o dia 30 de agosto, os voos serão de segunda a sexta-feira. A partir de 2 de setembro a oferta será ampliada, incluindo os domingos no roteiro dos voos.

 

Toledo - Em abril, a Azul já havia melhorado o serviço em Toledo, passando de um para seis voos semanais. As ligações diretas e regulares têm como destino Curitiba e oferecem possibilidades de conexão para mais de 100 destinos domésticos e internacionais operados pela empresa. A ampliação da operação ocorreu três meses após o pouso do primeiro voo comercial na cidade, em 09 de janeiro deste ano.

 

Terceiro - Com isso, o Paraná passa a ser o terceiro Estado com mais operações da empresa, ficando atrás apenas de São Paulo e Minas Gerais. De acordo com a Azul, são 60 decolagens por dia com uma oferta de 41 mil voos assentos semanais. “A previsão é que até o final do ano tenhamos um acréscimo de 500 mil a 1 milhão de novos passageiros no Paraná”, ressaltou Sandro Alex, secretário da Infraestrutura e Logística.

 

Turismo - Ratinho Junior afirmou ainda que um dos principais objetivos do Governo do Paraná é estimular o desenvolvimento econômico por meio do turismo, criando um ambiente moderno para receber os visitantes.

 

Incentivo - De acordo com ele, o governo trabalha para incentivar os paranaenses a viajarem pelo Estado e também para trazer pessoas do mundo todo para conhecer os pontos turísticos de todas as regiões. O Paraná conta com 213 destinos turísticos e mais de 2.400 atrativos.

 

Infraestrutura adequada - “Não é lógico ter tantas belezas naturais, como as Cataratas do Iguaçu, a Ilha do Mel, as cachoeiras de Prudentópolis e as ilhas da baía de Paranaguá e não contar com uma infraestrutura adequada para os turistas”, afirma o governador. “Queremos mostrar que o Paraná é o que melhor cuida da natureza e o que mais cresce”, acrescenta o secretário do Desenvolvimento Sustentável e Turismo, Márcio Nunes.

 

Cidades - O evento contou com a presença de prefeitos e representantes de todos os 12 municípios envolvidos nesta primeira fase do programa. Prefeito de Apucarana, Júnior da Femac exaltou o ganho logístico que a cidade passa a ter com a adesão ao Voe Paraná. “Temos de demanda e um aeroporto de primeira linha, ganhamos em capacidade e velocidade agora. Não só Apucarana, mas como o Vale do Ivaí como um todo”, disse. “União da Vitória vem se destacando. O aeroporto aumenta a qualidade de vida para todos da região”, completou Santin Roveda, prefeito de União da Vitória.

 

Presenças - Participaram também da solenidade de lançamento do Voe Paraná os secretários Guto Silva (Casa Civil), Hudson José (Comunicação Social e Cultura), Valdemar Bernardo Jorge (Planejamento e Projetos Estruturantes), Márcio Nunes (Desenvolvimento Sustentável e Turismo), Renê Garcia (Fazenda), Norberto Ortigara (Agricultura e Abastecimento), João Carlos Ortega (Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas) e Beto Preto (Saúde); o presidente da Copel, Daniel Slaviero; o presidente da Agência Paraná de Desenvolvimento, Eduardo Bekin; o líder do Governo na Assembleia Legislativa, Hussein Bakri; além de deputados estaduais, prefeitos de diversas cidades do interior e representantes de associações de classe. (Com informações da Agência de Notícias do Paraná)

 

{vsig}2019/noticias/08/08/voe_pr/{/vsig}

CRÉDITO RURAL: Recursos aplicados no primeiro mês da safra 2019/2020 somam R$ 16,5 bilhões

 

credito rural destaque 08 08 2019Dos R$ 225,59 bilhões anunciados pelo governo federal para a safra 2019/20, R$ 16,5 bilhões foram aplicados no mês de julho, quando iniciou o novo ciclo agropecuário no país, de acordo com dados do Banco Central. O montante representa 7,3% do total. O acompanhamento feito pela Gerência de Desenvolvimento Técnico da Ocepar (Getec) com base nas informações do BC mostra ainda que a maior parte dos recursos, ou seja, 39%, teve origem na poupança rural; 26% em recursos obrigatórios; 22% em recursos com taxas livres; 6% no BNDES equalizável, 6% em fundos e 1% em outras fontes. 

 

Cooperativas - O levamento da Getec revela ainda que, neste período, as cooperativas brasileiras captaram R$ 2,23 bilhões, destinados a custeio e industrialização. Já as cooperativas paranaenses aplicaram R$ 920 milhões em industrialização e custeio, no acumulado de julho. 

 

Evolução - O Informe também traz a soma dos recursos aplicados na safra 2018/19, por origem, e a evolução registrada desde a safra 2016/17 até a atual. Clique aqui para conferir o Informe Crédito Rural da Getec

 

Informações - Mais informações podem ser obtidas com Maiko Zanella (maiko.zanella@sistemaocepar.coop.br / 41 3200-1115) ou com Jessica Costa (jessica.costa@sistemaocepar.coop.br  / 41 3200-1133).

 

SESCOOP/PR: Programa de Formação de Auditores Internos aborda gestão de risco e investigação de fraudes

Metodologia em gestão de riscos e Investigação de fraudes são os temas dos dois módulos do Programa de Formação de Auditores Internos que serão realizados nesta quinta e sexta-feira (08 e 09/08), respectivamente, na sede do Sistema Ocepar, em Curitiba. As atividades, executadas por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR), tiveram início da manhã desta quinta, com a presença de 32 profissionais que atuam nas cooperativas do Paraná. A formação tem como instrutores os professores da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), Jaqueline Leoni e Helio Baggio.

Exercícios práticos - “Os módulos têm como objetivo a realização de exercícios práticos voltados aos temas. Dessa forma, espera-se que o participante aprenda todo o processo que envolve a realização dos processos de identificação, análise, avaliação e priorização dos riscos, resultando na construção de uma matriz de riscos, bem como definir as respostas aos riscos e a implementação do plano de tratamento. E, também, que tenham contato com técnicas de entrevista, perguntas preventivas, análise de interação por telefone, documentoscopia, que é a análise de documentos, grafologia e grafoscopia”, esclarece o analista técnico do Sescoop/PR, Tiago Gomes.

O Programa - Ele lembra ainda que os módulos desta quinta e sexta complementam as demais fases do Programa de Formação de Auditores Internos, lançado no final de 2018. Ao todo, são 144 horas/aula distribuídas em onze módulos. Os dois primeiros foram realizados entre o final do ano passado e o começo de 2019. Um módulo de formação inicial destinado a profissionais que atuam em todos os ramos do cooperativismo paranaense ocorreu nos dias 21 e 22 de maio. Os demais são voltados a representantes das cooperativas agropecuárias.

{vsig}2019/noticias/08/08/auditores_internos/{/vsig}

 

CASTROLANDA: Primeira do país autorizada a comprar e vender energia

castrolanda 08 08 2019A Cooperativa Agroindustrial Castrolanda, com sede em Castro (PR), é a primeira do país a receber uma autorização da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para atuar como agente comercializador no âmbito da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). De natureza agropecuária, a cooperativa transformou uma de suas unidades na Engloba Comercializadora de Energia e fez um planejamento arrojado para negociar o insumo, prevendo, inclusive, um escalonamento de resultados líquidos que, em 2021, pode chegar à R$ 15 milhões.

 

Ideia - Segundo o gerente de Negócios da Castrolanda, Vinicius Guilherme Daniel Fritsch, a ideia de buscar essa possiblidade surgiu porque, atualmente, as unidades industriais da cooperativa consomem cerca de 30 megawats de energia por mês. “Então, já que compramos energia para as nossas unidades, resolvemos investir em outros 40 MW, destinados à venda”, explica. Atualmente, 25 clientes já têm contrato com a cooperativa.

 

Outras empresas - O gerente destacou, também, que essa autorização permite a venda para outras empresas do mercado (comercializadoras, geradoras ou outros consumidores livres – aquele que consome acima de 3 MW – por exemplo) e no futuro, com a expansão do mercado livre também para os consumidores de baixa tensão (residenciais e pequenos comércios), fornecer energia também aos cooperados.

 

Maiores - A expectativa é de que as operações da Engloba comecem já no mês de setembro. Para isso, a cooperativa que está totalmente preparada para atender aos dispositivos legais do setor pretende utilizar os sistemas de transmissão e distribuição já existentes no mercado. “É bom destacar que nosso trabalho se intensifica nos próximos anos para que, dentro de 36 ou 48 meses, estejamos comercializando pelo menos 1 Gw/mês, tentando, assim, figurar da lista das 25 maiores comercializadoras do Brasil”, revela o gerente. (Informe OCB)

EMBRAPA/OCB: Treinamento para cooperativas tem foco em micotoxinas

 

embrapa ocb 08 08 2019O 4º módulo da capacitação de técnicos de cooperativas realizada por meio do convênio Embrapa e Sistema OCB-Sescoop apresentou os trabalhos da pesquisa brasileira para minimizar os efeitos das micotoxinas na produção de alimentos à base de grãos. O encontro foi realizado nos dias 30, 31 de julho e 1º de agosto, com o tema “Colheita e pós-colheita” e contou com a participação de 40 profissionais dos departamentos técnicos de cooperativas do RS, SC e PR.

 

Gerenciamento - Mesmo com a lavoura pronta, existem diversas etapas na colheita e na pós-colheita precisam ser gerenciadas e dependem da atuação da assistência técnica para garantir que o alimento chegue com qualidade ao consumidor final. Perdas na colheita e na armazenagem podem ser evitadas com o correto ajuste de máquinas e o manejo integrado de pragas. Ainda, cuidados no beneficiamento de sementes podem garantir melhores resultados na próxima safra.

 

Contaminação - Contudo, a contaminação dos grãos por micotoxinas, resultado tanto do ataque de fungos na lavoura quanto da ação de pragas nos armazéns, tem sido um dos principais problemas enfrentados na pós-colheita. De forma geral, as micotoxinas estão relacionadas à incidência de giberela, principal doença fúngica que ocorre nos cereais de inverno no Sul do Brasil. 

 

Infecção - O pesquisador da Embrapa Trigo, José Maurício Fernandes, explicou como acontece a infecção do fungo causador da giberela e as alternativas para reduzir os níveis de contaminação. Ele destacou as oportunidades no uso de tecnologias de informação para prevenir as doenças na lavoura, como o Sisalert, uma plataforma que coleta dados meteorológicos, processa as informações para simulação de riscos de epidemias e distribui o alerta aos usuários. “As doenças de plantas são dependentes do clima. O sistema permite acompanhar as condições do tempo para prever os momentos de maior risco e orientar a aplicação racional de produtos químicos”, explica o pesquisador.

 

Viagem técnica - Para compreender melhor os impactos das micotoxinas na produção animal, o grupo fez uma viagem técnica para Santa Maria (RS), onde foi possível conhecer o trabalho realizado no Laboratório de Análise de Micotoxinas (LAMIC) da UFSM e no SAMITEC - iniciativa privada criada para atender à crescente demanda por análises micotoxicológicas em aves, suínos, peixes e gado de leite. Durante a visita, os participantes puderam avaliar os efeitos no uso de ração contaminada por micotoxinas no crescimento dos animais: “o animal fica tentando se defender da micotoxina e não tem energia para crescer”, explica o professor Carlos Mallmann. 

 

Implicações - Ele também mostrou implicações no desenvolvimento de órgãos como o fígado e rins, além de queda na reprodução, danos nos bicos das aves e dificuldade locomotora. “Os impactos estarão tanto no bolso do produtor, como na mesa do consumidor. É preciso mostrar para a sociedade a necessidade de investimento em pesquisa para cobrar a qualidade e a segurança dos alimentos”, conclui Mallmann. 

 

Seriedade - O engenheiro agrônomo da Cotripal, Rodrigo Rutz, ficou impressionado com a seriedade dos problemas que a contaminação por micotoxinas pode causar: “a discussão com especialistas no tema mostrou o quanto precisamos trabalhar em busca da qualidade do produto que saí da lavoura. São várias etapas críticas que exigem o conhecimento do assistente técnico para evitar problemas futuros. Vejo que temos um papel muito importante neste processo e não podemos ficar indiferentes à qualidade do alimento que chega à mesa do consumidor”.

 

Participantes - Participam da capacitação Embrapa e Sistema OCB-Sescoop na cadeia produtiva de cereais de inverno 2019 profissionais dos departamentos técnicos das cooperativas Cooperante, Cocamar, Coamo, Camnpal, Cotriel, Coopatrigo, Coasa, Cotapel, Cotripal, Coagril, Cotribá, Coopermil, Cotrisal, Cotricampo, Cotrijal, CCGL e Auriverde, além da Fecoagro/SC e do Senar/RS. Foram parceiros do 4º módulo a UPF, UFSM, Embrapa Trigo e Embrapa Soja.  

 

Link - Saiba mais sobre micotoxinas ouvindo a entrevista com o pesquisador do Lamic, Carlos Mallmann acessando o link .(Assessoria de Imprensa da Embrapa Trigo)

AGROLEITE: Cultivares de trigo incrementam a dieta do rebanho no inverno

 

A cidade de Castro, na região dos Campos Gerais do Paraná, recebe, a partir da próxima terça-feira (13/08), a 19ª edição de um dos eventos mais completos do setor leiteiro do país - a Agroleite. A feira agropecuária voltada para o setor leiteiro segue até sábado (17/08), com a exposição de várias tecnologias, palestras e fóruns técnicos. A utilização do trigo como fonte alternativa de proteína na dieta do rebanho será um dos destaques nesta edição da Agroleite.

 

Cultivares exclusivas - Segundo o gerente de novos negócios da Biotrigo Genética, Jorge Stachoviack, a empresa de melhoramento genético desenvolveu cultivares de trigo exclusivas para alimentação animal com a proposta de ampliar a oferta de alimentos no período de transição entre o final do verão, início do outono e ao longo do inverno. “Sempre foi um grande desafio para o pecuarista de leite produzir alimento no inverno quando as opções reduzem, a dieta fica prejudicada e o custo dos alimentos conservados aumenta muito. Porém são poucas as culturas e tecnologias que podem ser semeadas precocemente e que persistem na lavoura por mais tempo. Para atender essa demanda reprimida, foram criadas tecnologias com o aproveitamento da planta inteira de trigo na produção de silagem, pré-secado e ainda para pastejo”, comenta.

 

Para pastejo - Exclusivamente para pastejo, a opção é a cultivar Lenox, material de ciclo tardio, com um forte perfilhamento e enraizamento muito agressivo. O produtor de leite e veterinário Tiago Corazza, de Alto Alegre (RS) testou a cultivar nesta safra de 2019 e comenta os resultados com o material. “Semeamos o Lenox no final de março e até agosto fizemos já sete cortes nesta área. Certamente esse produto dará mais dois ou três cortes até o final do mês”, relata. Tiago ressalta ainda as vantagens econômicas do trigo para pastejo. “O custo benefício dele já se pagou a partir do terceiro corte praticamente, pela produção de leite que ele aumenta devido a qualidade da pastagem”.

 

Outros diferenciais - Jorge ressalta outras diferenciais da cultivar. “Possui alta produção de matéria verde com excelente qualidade nutricional e uma alta palatabilidade. Também possui excelente resposta a adubação nitrogenada, alta capacidade de rebrota, bem como suporta alta pressão de pastejo e pisoteio. A recomendação de plantio de Lenox é para o início de março, tornando-o um material que se encaixa muito bem no sistema do produtor”, explica.

 

Para silagem e pré-secado - Um outro produto que a Biotrigo apresenta na Agroleite 2019 é a linha Energix, composta pelas cultivares Energix 201 e Energix 202, trigos exclusivos para produção de alimento conservado (silagem ou pré-secado). “A origem desta nova linha de trigos vem da combinação das cultivares TBIO Energia I e TBIO Energia II. O TBIO Energia I já é conhecido por parte dos pecuaristas pelo excelente volume de produção (25 a 30 T/ha de MV) e o Energix vem agora com o mesmo potencial de produtividade, porém com mais precocidade e equilíbrio nutricional”, ressalta Jorge.

 

Substituição - Conforme Jorge, a silagem de trigo pode substituir até 100% do volumoso para gado de corte, confinado, novilhas e vacas em pré-parto. Para vacas leiteiras de alta produção, até 60% do volumoso. Para o pré-secado, é uma excelente opção de alimento para vacas lactantes de alta produtividade e gado de corte, contribuindo como ótima fonte de proteína e energia, associado a alta digestibilidade, sendo convertido em leite e ou carne O Energix 201 é indicado para as regiões de VCU (Valor de Cultivo e Uso) 1 e 2 dos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, e o Energix 202 contempla além das regiões de VCU 1 e 2 (RS, SC e PR), as regiões de VCU 3 e 4 dos estados do Paraná, São Paulo e Minas Gerais.

 

Tradição - A produção de leite na propriedade da família Schmatz, também de Alto Alegre, é uma tradição há mais de 30 anos.  Eduardo Schmatz toca os cuidados com o seu rebanho há dez anos, controlando tudo que produz dentro da sua propriedade e a alimentação dos animais é sua maior preocupação e também seu maior investimento. De acordo com o produtor, trazer novas tecnologias para dentro da propriedade, investir em bons materiais para silagem e pastagem, fazendo o manejo correto sempre vai trazer um retorno positivo. “Estamos produzindo o trigo para silagem TBIO Energia há duas safras e quando comparamos com outros materiais que utilizamos antes a silagem de trigo, tivemos melhores resultados”, relata. (Assessoria de Imprensa da Biotrigo)

 

AGROLEITE 2019

Quando: de 13 a 17 de agosto

Horário de funcionamento: 8h às 18h

Onde: Cidade do Leite, Parque de Exposições Dario Macedo, Castro (PR)

Localização Biotrigo: 4º Avenida, Lote 22, próximo ao estande da Agroleite

Mais informações: www.agroleitecastrolanda.com.br

 

{vsig}2019/noticias/08/08/agroleite/{/vsig}

INTEGRADA: A transformação digital no campo

 

A agricultura brasileira está em constante desenvolvimento graças aos investimentos realizados na área de inovação. Interessada em ampliar ainda mais o seu horizonte na área da tecnologia, a Integrada foi uma das patrocinadoras de mais uma edição do CBN Agro, evento promovido pela Rádio CBN que, na noite da última terça-feira (06/08), abordou a transformação digital no agronegócio, em Londrina (PR).

 

Apresentação - O entusiasta Fernando Martins, que por mais de 20 anos ocupou cargos de liderança na Intel, apresentou para uma plateia de mais de 300 pessoas, teorias e exemplos de que a alta tecnologia no campo já é um presente, e a adesão dos produtores às novidades os manterão ativos na cadeia produtiva. O especialista em transformação digital abordou em sua apresentação novos conceitos ligados ao setor agropecuário.

 

Pilar - O uso da tecnologia na produção agropecuária é um dos pilares dessa inovação e tem apresentado bons resultados, a exemplo dos altos índices de produtividades alcançados pelo setor agrícola. A adoção de equipamentos conectados à rede (internet das coisas) já é uma realidade. A Integrada, por exemplo, tem fomentado cada vez mais o uso de tecnologia como forma de elevar ainda mais o potencial produtivo de seus associados, por meio da agricultura de precisão e agricultura digital.

 

Automatização - Fernando Martins afirmou que o desenvolvimento tecnológico não tem mais volta, e que os processos daqui por diante serão cada vez mais automatizados. Isso, segundo ele, garantirá mais segurança e agilidade na produção de alimentos. (Imprensa Integrada)

 

{vsig}2019/noticias/08/08/integrada/{/vsig}

SICOOB VALE DO IGUAÇU: Primeira filiada do Unicoob a captar recursos para o Fundo de Investimento Previdenciário gerido pela Bancoob

 

sicoob vale iguacu 08 08 2019No dia 1º de agosto, a Bancoob DTVM anunciou que o Sicoob Vale do Iguaçu foi a primeira cooperativa filiada do Sistema Unicoob a captar recursos para o Fundo de Investimento Previdenciário.

 

Negociação - A negociação com o Fundo de Previdência Social do Município de Nova Prata do Iguaçu (PR) foi conduzida pela agência da cooperativa na cidade e durou cerca de um ano. Os recursos recebidos por meio do PREVPRATA têm a finalidade de garantir o custeio das aposentadorias e pensões, proporcionando segurança e qualidade de vida aos servidores públicos e seus dependentes. A partir das contribuições captadas, até o momento já foram aportados quase R$ 260 mil. Entretanto, com os recebimentos futuros, a expectativa é alcançar R$ 1 milhão.

 

Confiança e credibilidade - De acordo com a gerente da agência de Nova Prata, Ana Claudia Grahl, a convênio com o Fundo de Previdência Social do Município de Nova Prata do Iguaçu demonstra a confiança e credibilidade da cooperativa junto à comunidade. “Esperamos ter um bom retorno com isso aqui na cidade. Além disso, já há uma sinalização positiva do Bancoob, que se mostrou disponível para atender outros munícipios da região”, afirma.

 

Oportunidade de novos negócios - Para as cooperativas do Sicoob Unicoob, a oferta de fundos de investimentos representa a oportunidade de ampliar e diversificar o portfólio de produtos. Além disso, a captação de recursos também possibilita a obtenção de receitas com a prestação de serviço.

 

Sobre a Bancoob DTVM - A Bancoob Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda é uma empresa especializada na Administração e Gestão de Recursos de Terceiros que tem como sócio majoritário o Bancoob. Foi constituída com a finalidade de gerenciar ativos financeiros por meio de fundos de investimento, inclusive fundos exclusivos para as cooperativas do Sicoob. (Imprensa Sicoob Unicoob)

SICOOB OURO VERDE I: Em ação de intercooperação, palestra é promovida na Cooper Região

 

sicoob ouro verde I 08 08 2019O Sicoob Ouro Verde promoveu no dia 26 de julho uma palestra para os membros da Cooper Região (Cooperativa de Catadores de Materiais Recicláveis e Resíduos Sólidos da Região Metropolitana de Londrina).

 

Esclarecimentos - Ministrada pelo colaborador Thiago Franklin Alcântara, que atua como voluntário transformador do Instituto Sicoob, a palestra buscou capacitar, orientar e esclarecer as dúvidas dos 130 cooperados e colaboradores da Cooper Região presentes no evento em relação a questões básicas do segmento, desde a estruturação e funcionamento de uma cooperativa, até os direitos e deveres dos cooperados.

 

Conceitos importantes - Para Matheus Alves, que é cooperado da Cooper Região, a palestra foi uma oportunidade para reforçar alguns conceitos importantes “É sempre bom relembrar o conteúdo e reforçar o que já sabemos e vivenciamos diariamente. Afinal, estamos sempre aprendendo mais a cada dia”, comenta. 

 

Intercooperação - O objetivo da ação foi reforçar o 6º princípio do cooperativismo, que é a intercooperação e trata da parceria e ajuda mútua não somente entre associados, mas também entre as cooperativas locais, regionais, nacionais ou internacionais, sejam do mesmo ramo ou não. (Imprensa Sicoob Unicoob)

SICOOB OURO VERDE II: Alunos da Escola Educativa de Londrina visitam Unidade Administrativa

 

Na última sexta-feira (02/08), um grupo formado por 20 alunos da Escola Educativa de Londrina (PR) esteve na Unidade Administrativa do Sicoob Ouro Verde. Na ocasião, as crianças e os adolescentes que participam do projeto Cidade Cooperativista Educativa puderam conhecer as áreas da cooperativa e os trabalhos desenvolvidos pelas equipes. Além disso, tiveram a oportunidade de conhecer de perto a mascote da singular, a cachorrinha Mel.

 

Aproximação - A visita teve como objetivo permitir os alunos vivenciarem práticas que influenciam na consciência de mercado, responsabilidade profissional e direitos e deveres do cidadão. Segundo a professora Edilene Kuerten, essa aproximação entre escola e cooperativa é fundamental. “Ficou claro para nossos alunos a importância desta parceria, pois assim como o Sicoob, a Escola Educativa também visa incentivar a cultura da cidadania e da cooperação para a construção de um mundo melhor”, afirma.

 

Parceria entre instituições - Com apoio do Sicoob Ouro Verde, a Escola Educativa inaugurou em 2014 a Cidade Cooperativista Educativa, um espaço que auxilia os alunos a compreenderem a importância da atuação correta de um cidadão dentro de um município e proporciona uma formação que vai além do contexto de sala de aula.

 

Cidadania e cooperação - Os projetos desenvolvidos na minicidade incentivam a cultura da cidadania e da cooperação, propiciam a vivência cultural, política, ecológica, financeira e comercial. Funciona como uma verdadeira cidade, com ações para despertar a consciência da responsabilidade de cada pessoa dentro da sociedade, com os seus direitos e deveres.

 

Incentivo - Além de ter custeado a construção do espaço, há seis anos a cooperativa incentiva as práticas que ocorrem regularmente na minicidade, além da estrutura com miniprédios para a prefeitura, Câmara de Vereadores, cooperativa, igreja, hotel e mercado, por exemplo. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

{vsig}2019/noticias/08/08/sicoob_ouro_verde_II/{/vsig}

UNIMED LONDRINA: Encerradas as inscrições da corrida noturna Unimed Inspira 2019

 

unimed londrina 08 08 2019Faltando 17 dias para a realização da Etapa Night das Corridas Unimed Inspira 2019, a Unimed Londrina precisou finalizar as inscrições do evento. A organização preencheu as 1,8 mil vagas reservadas para esta edição antes de iniciar a venda do segundo lote, que estava prevista para o dia 10 de agosto.

 

Alta procura - A alta procura surpreendeu os organizadores do evento que já vinham antecipando o fim das inscrições nas edições anteriores. "Acredito que um dos motivos é por causa da ótima aceitação do público pela nossa corrida. Nas pesquisas de satisfação que fazemos com os participantes, o resultado é bem positivo", avalia a gerente de Marketing e Comunicação da Unimed Londrina, Dayane Santana.

 

Data - A corrida noturna Unimed Inspira 2019 será no próximo dia 24 de agosto, às 19h, no Mercadão da Prochet (Av. Harry Prochet, 305). Além das provas 4 km e 8 km, o evento contará com uma arena, onde serão oferecidos serviços gratuitos como aferição de pressão, teste de glicemia e orientação de saúde.

 

Mais informações - Mais informações pelo site corridasunimedinspira.com.br. (Imprensa Unimed Londrina)

PREVIDÊNCIA: Câmara conclui 2º turno da reforma da Previdência; texto vai ao Senado

 

previdencia 08 08 2019O Plenário da Câmara dos Deputados concluiu, nesta quarta-feira (07/08), a votação em segundo turno da proposta de reforma da Previdência (PEC 6/19). Todos os destaques apresentados foram rejeitados. O texto a ser enviado ao Senado é igual ao aprovado em primeiro turno no dia 13 de julho.

 

Votos - O texto-base da proposta já havia sido aprovado em segundo turno, na madrugada desta quarta, por 370 votos a 124 (no primeiro turno, foram 379 a 131).

 

Substitutivo - A reforma da Previdência, na forma do substitutivo do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), aumenta o tempo para se aposentar, limita o benefício à média de todos os salários, eleva as alíquotas de contribuição para quem ganha acima do teto do INSS e estabelece regras de transição para os atuais assalariados.

 

Idade mínima - Na nova regra geral para servidores e trabalhadores da iniciativa privada que se tornarem segurados após a reforma, fica garantida na Constituição somente a idade mínima. O tempo de contribuição exigido e outras condições serão fixados definitivamente em lei. Até lá, vale uma regra transitória.

 

Pensão por morte - Um dos temas que mais demandou debates e articulações políticas foi a possibilidade de pagamento de pensão por morte em valor inferior a um salário mínimo. Atualmente, a Constituição prevê que qualquer pensão terá esse valor de piso.

 

Valor menor - Com as novas regras de cálculo da PEC, entretanto, se a pessoa que vier a falecer não tiver contribuído por tempo suficiente (no caso de quem recebe mais que um salário mínimo) ou se tiver contribuído sempre com base em um salário, o beneficiário da pensão poderá receber valor menor que esse.

 

Cota familiar - Isso porque o valor da pensão será de uma cota familiar de 50% da aposentadoria ou média salarial (trabalhador na ativa) mais cotas de 10% para cada dependente.

 

Única fonte - Mesmo que o cálculo indique valor menor que um salário, a pensão será de um salário mínimo se essa for a única fonte de renda formal do dependente.

 

Portaria - Negociações de partidos da base governista com integrantes do governo resultaram na publicação de portaria da Secretaria de Previdência Social do Ministério da Economia definindo o que é considerado renda formal. Isso ajudou a rejeitar, por 339 votos a 153, o destaque do PCdoB que pretendia retirar a nova regra da PEC.

 

Somatório - A portaria publicada prevê que renda formal é o somatório de recebimentos em valor total igual ou maior que um salário mínimo. Entram nesta soma os rendimentos recebidos mensalmente, constantes de sistema integrado de dados relativos a segurados e beneficiários de regimes de previdência, de militares, de programas de assistência social, ou de prestações indenizatórias.

 

CNIS - Enquanto esse sistema não for criado, serão considerados os rendimentos mensais listados no Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS) em nome da pessoa.

 

Acordo temporário - Deputados da oposição ressaltaram, no entanto, que a portaria não traz a mesma garantia do texto constitucional porque pode ser revogada a qualquer momento. “O governo anunciou um acordo que, em tese, garantiria esse benefício. Mas se garante, por que não apoia o destaque do PCdoB? Porque garantiríamos a proteção na Constituição, não na portaria de um secretário, não em uma lei complementar. Amanhã, mudando o governo, quem vai garantir esse acordo?”, questionou o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP).

 

Piso - O deputado Afonso Motta (PDT-RS) ressaltou que o piso do mínimo só está garantido para quem tem renda formal. “Em que pese o entusiasmo pela portaria governamental, ela trata da renda formal. Ela não garante a pensão do salário mínimo para a viúva”, disse Motta.

 

Conflito superado - Já o líder do governo, deputado Major Vitor Hugo (PSL-GO), reconheceu que a questão das pensões era um ponto sensível na votação dos destaques, mas afirmou que o conflito foi superado com a portaria. “As bancadas feminina e evangélica aderiram ao acordo”, informou.

 

Regra justa - Segundo o relator da proposta, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), “as viúvas que não têm renda de até um salário mínimo receberão um salário, mas as que têm renda maior vão entrar na regra geral. E aquelas que têm filhos dependentes vão receber mais do que aquelas que não têm filho dependente”. “É uma regra justa, é uma regra que existe no mundo”, declarou. (Agência Câmara)

EMENDA: Relator vai mudar MP da Liberdade Econômica

 

emenda 08 08 2019O deputado Jerônimo Goergen (PP-RS) disse que vai apresentar uma "emenda aglutinativa" com mudanças no texto da MP da Liberdade Econômica (MP 881) que ele apresentou e foi aprovado na comissão especial. O parlamentar explicou que algumas das mudanças devem ser feitas na área trabalhista, um dos pontos polêmicos que têm atrasado o andamento do texto.

 

Discussão - Nesta quarta-feira (07/08), o relator, representantes do governo e técnicos ligados ao presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEMRJ), passaram o dia discutindo os temas a serem alterados na versão aprovada pela comissão.

 

Votação - O secretário especial de desburocratização e governo digital, Paulo Uebel, mexeu em toda a sua agenda para participar das negociações. Pela manhã, Goergen disse acreditar que a MP será votada na próxima semana. No campo trabalhista, Goergen disse que quer diminuir o texto e possivelmente retirará artigos relativos à Comissão Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho (Cipa), que desobrigava as empresas de constituírem esse instrumento, e sobre o poder de firmar termos de ajustamento de condutas, que estavam sendo criticados pelo Ministério Público do Trabalho.

 

Rejeição - Ele rejeitou a tese de que seu relatório aprovado tenha apresentado uma "minirreforma trabalhista". Segundo ele, o código civil não foi incorporado, apenas se reforçou que o acordado sobre o legislado prevalece nas relações de trabalho com salários a partir de 30 salários mínimos.

 

Registro de ponto - Goergen disse ainda que pretende manter a ideia que retira a obrigatoriedade de registro de ponto na jornada normal definida em contrato. Segundo ele, o ponto será exigido apenas para registro de horas extras e expedientes que não fazem parte do turno normal.

 

Estratégia - O relator disse acreditar que a medida provisória será votada na semana que vem. "Não existe mais risco de caducidade, acertamos a estratégia de votação", disse. A MP, que promove mudanças nas legislações trabalhista e ambiental e no funcionamento de empresas, perderá a validade se não for aprovada por Câmara e Senado até 28 de agosto.

 

Ajustes - Segundo Goergen, Maia pediu ajustes no texto e o próprio governo está avaliando a constitucionalidade de todos os pontos para deixar o projeto pronto para votação. "O que tiver problema de constitucionalidade nem vamos levar para votação. O que for só divergência política vamos decidir no voto, mas vou conversar com os líderes para levar o texto o mais redondo possível", comentou.

 

Preocupação - O deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP), o Paulinho da Força, uma das lideranças do chamado "Centrão", não demonstrou o mesmo otimismo em relação ao andamento da MP. Disse que o tema ainda não está pacificado e que discutirá só na semana que vem. A principal preocupação é com a questão que ele chama de "minirreforma trabalhista", termo que é rejeitado pelo relator da reforma.

 

Domingos - Um dos tópicos que Paulinho se colocou abertamente contra é a tese dos trabalhos aos domingos como se fosse dia normal, sem pagamento de adicional. O deputado disse que o texto do relator ampliou os demais os setores que podem fazer esse tipo de contratação, quando a demanda original seria apenas das empresas de comércio.

 

Nova reunião - Nesta quarta-feira, estava prevista uma nova reunião envolvendo o relator, Uebel, Maia e também o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, que também entrou nas negociações por causa dos tópicos trabalhistas incorporados ao texto. (Valor Econômico)

INFRAESTRUTURA I: Governo apresenta banco de projetos a deputados estaduais

 

infraestrutura I 08 08 2019O governador Carlos Massa Ratinho Junior apresentou nesta quarta-feira (07/08) aos deputados estaduais um banco de projetos de R$ 350 milhões para reestruturação de rodovias, ferrovias e da segurança pública. Ele tem formato inédito no Estado e foi desenvolvido em parceria com os parlamentares para resolver os maiores gargalos dessas áreas. O lançamento oficial acontecerá ainda neste mês.

 

Tesouro Estadual - Os recursos serão disponibilizados pelo Tesouro Estadual. Serão R$ 290 milhões para melhorar ou implementar pavimentação, estudos ambientais e de viabilidade, trevos, contornos e pontes em ligações rodoviárias; R$ 40 milhões para renovar a malha ferroviária e concretizar a ligação Foz do Iguaçu-Paranaguá; e R$ 20 milhões para segurança pública, o que inclui a Cidade da Polícia, penitenciárias, institutos de criminalística e batalhões.

 

Etapas - Os recursos serão fatiados em três etapas: R$ 105 milhões nos próximos doze meses e outros dois aportes de R$ 155 milhões e R$ 90 milhões.

 

Regiões - O governador destacou que os projetos atendem todas as regiões e são prioritárias para o desenvolvimento do Estado. Ele também autorizou a incorporação de vinte novos engenheiros ao quadro técnico do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR) para dar conta da demanda. “Nosso objetivo é apresentar para a população um programa que não é para o nosso mandato, mas que vai ficar por muitos anos à disposição dos próximos governadores, deputados e secretários. A ideia é fazer do Paraná uma central logística da América do Sul”, afirmou.

 

Conquistas - No encontro com cerca de 30 deputados estaduais, o governador também destacou conquistas importantes da infraestrutura do Paraná como a construção da segunda ponte entre o Brasil e o Paraguai, no Oeste; a ampliação da pista do aeroporto de Foz do Iguaçu antes da concessão para a iniciativa privada; o programa Voe Paraná, que vai conectar a Capital a dez novos destinos no interior e no litoral; e a nova roupagem do Anel de Integração, com 4,1 mil quilômetros, com apoio do Governo Federal.

 

Legado - Guto Silva, chefe da Casa Civil, destacou que o banco de projetos tem como objetivo deixar um legado transformador no Paraná. “Nós temos o péssimo hábito de correr atrás dos investimentos, mas sem projetos. Eles demandam muito tempo de preparação e licitação antes das obras. É uma aposta do Governo de condensar as demandas represadas há muito tempo. Com os projetos prontos, passamos a buscar recursos para as obras”, ressaltou.

 

Acelerar - Ele também afirmou que o Governo e os deputados estabeleceram prioridades dentro dos projetos e que a intenção é acelerar as obras para melhorar a vida da população. “É um sinal do nosso planejamento. Esse é o rito que deve ser seguido. De forma muito organizada vamos iniciar com os projetos, o que garante que no futuro não estejamos amarrados a problemas antigos”, disse. “Além disso os deputados têm o ajuste fino, o contato direto com a população, isso se somou na intenção de construir um banco muito sintonizado com as demandas da população”, acrescentou.

 

Maior do País - Segundo o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, o banco de projetos do Paraná será o maior do País. A área recebeu os maiores recursos para dar conta da evolução da economia do Estado. Estarão presentes, por exemplo, contornos de Umuarama, Campo Mourão, Cascavel, Londrina e Cianorte; o Trevo das Cataratas; trechos de rodovias que somam mais de mil quilômetros; e a ponte de Guaratuba.

 

Pavimentação - “São rodovias que precisam de pavimentação, o que é aguardado há décadas. Que precisam de ampliação de capacidade, o que oferece mais segurança. É um Estado logístico e que tem um fluxo muito grande de movimentação para escoamento”, afirmou o secretário.

 

Harmonia - O presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, deputado Ademar Traiano, disse que a iniciativa do governador Ratinho Junior estabelece ponte permanente para atender todas as regiões do Estado. “Os projetos foram desenhados em função das prioridades elencadas pelos deputados. É fundamental que haja uma perfeita harmonia entre o Poder Executivo e a Assembleia para que os projetos possam evoluir”, ressaltou.

 

Presenças - Estiveram presentes no encontro o vice-governador Darci Piana; os secretários de Desenvolvimento Sustentável e Turismo, Márcio Nunes, de Planejamento e Projetos Estruturantes, Valdemar Bernardo Jorge, de Saúde, Beto Preto, e de Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara; e o diretor-geral do DER-PR, João Alfredo Zampieri. (Agência de Notícias do Paraná)

INFRAESTRUTURA II: Movimento nos portos do Paraná cresce 19% em julho

 

Os Portos do Paraná movimentaram em julho deste ano cerca de 5,36 milhões de toneladas de cargas. O volume representa um aumento de 19% em relação ao registrado no mesmo mês de 2018, quando a movimentação chegou a quase 4,5 milhões de toneladas. O segmento que apresentou maior alta no período é o dos granéis sólidos, tanto de importação quanto exportação, com alta de 23%.

 

Volume - Em 31 dias, foram movimentadas quase 3,75 milhões de toneladas desse tipo de carga – o volume chegou a pouco mais de 3 milhões de toneladas em julho do ano anterior.

 

Granéis sólidos - Considerando apenas os principais granéis sólidos de exportação juntos – farelo, milho e soja juntos – o aumento da movimentação, na comparação dos meses de julho 2018 e 2019, foi de 33%. As exportações dos três produtos somaram quase 2,4 milhões de toneladas exportadas.

 

Açúcar em grãos - O açúcar em grãos também se destaca. Em julho deste ano quase 334,6 mil toneladas saíram pelo pelo Porto de Paranaguá com destino a outros países, 20% a mais que as 279,6 mil toneladas movimentadas no mesmo mês do ano passado.

 

Em saca - O açúcar em saca movimentado no Porto de Antonina também apresenta alta. Foram pouco mais de 17,7 mil toneladas em julho de 2019 e quase 15,7 mil toneladas em julho do ano anterior.

 

Importação - Entre os granéis sólidos de importação se destacam os fertilizantes. No Porto de Paranaguá, o aumento na movimentação foi de 14%, com aproximadamente 991 mil toneladas. Metade desse volume passou pelo cais público.

 

Antonina - O Porto de Antonina também retomou as operações de adubo, que não ocorreram em julho de 2018. Já este ano, somente no último mês, a movimentação do chegou a 17,3 mil toneladas.

 

Malte - Outro produto que teve crescimento nas importações via Portos do Paraná foi o malte, com 36,5 mil toneladas recebidas, um aumento de 249% em relação às 10,46 mil toneladas importadas no mesmo mês de 2018.

 

Líquidos - A movimentação dos granéis líquidos também aumentou. No último mês de julho foram quase 334,9 mil toneladas movimentadas, principalmente sentido importação. O volume é 17% maior que o registrado no mesmo mês em 2018 (pouco mais de 571 mil toneladas).

 

Carga geral - O segmento da carga geral apresentou um aumento de 9% no mês. Em julho foram aproximadamente 983 mil toneladas movimentadas, 62% sentido exportação. (Agência de Notícias do Paraná)

 

{vsig}2019/noticias/08/08/infraestrutura_II/{/vsig}

CARNE SUÍNA: Metade das exportações foi para a China

Praticamente a metade da carne suína brasileira exportada teve a China e Hong Kong como destino no acumulado de 2019. Enquanto o primeiro responde por 33% da participação, a região autônoma chinesa importa 16% da proteína brasileira. Entre janeiro e julho deste ano, as exportações de carne suína cresceram 30,4%, totalizando US$ 774,57 milhões. Foram remessadas ao exterior 362.842 toneladas ao longo do período. Os dados são do Ministério da Economia.

Valor - Apenas a China adquiriu US$ 261,7 milhões em carne suína brasileira. O montante representa acréscimo de 45,2% sobre o que esse mesmo país importou entre janeiro e julho do ano passado. Em 2018, a China já havia ampliado em 202% as importações dessa proteína da indústria brasileira.

Hong Kong - Enquanto isso, a região autônoma Hong Kong comprou US$ 123,61 milhões em carne suína do país. Apesar de representar 16% das exportações brasileiras, houve queda de 9,2% na comparação com o mesmo período de 2018.

Rússia - A Rússia, por sua vez, que era o principal mercado de destino da carne suína brasileira, agora representa 9,5% do total. O volume é expressivo, considerando que aquele país não importou a proteína brasileira no ano passado. Até o momento, as exportações para aquele destino somam US$ 78,86 milhões.

América do Sul - A América do Sul foi outro destino importante da proteína suína do Brasil no acumulado do ano. Neste caso, o principal comprador foi o Chile, com 7,2% de participação. Em seguida, aparece o Uruguai, com 6,5% de participação, e a Argentina, que comprou 5,6% de toda a carne suína brasileira exportada.

Cingapura - Voltando para a Ásia, Cingapura aparece como o terceiro principal consumidor naquele continente, com 6,5% de participação. O Vietnã, que, assim como a China, tem sofrido com o surto de Peste Suína Africana, passou a adquirir a carne suína brasileira. Neste caso, o país agora responde a 2,2% do total exportado, mas isso representa um aumento de 482% na comparação com o ano passado. (Suinocultura Industrial)

GRÃOS: Produção recorde estimada em 241,3 milhões de toneladas no 11º levantamento da Conab

conab 08 08 2019Os números atualizados da safra 2018/2019 de grãos, divulgados nesta quinta-feira (08/08) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), confirmam a produção recorde para este ano. O país deverá colher 241,3 milhões de toneladas, o que representa um crescimento de 6% ou 13,7 milhões de t se comparado à safra anterior. A área plantada está prevista em 63 milhões de hectares, com um aumento de 2% sobre o mesmo período.

Milho primeira safra - A produção do milho primeira safra deve ficar em 26,2 milhões de t, uma redução de 2,1% sobre a safra passada. A colheita encerrou-se na região Centro-Sul e segue ocorrendo nas regiões Norte e Nordeste. Quanto ao milho segunda safra, terá uma produção recorde de 73,1 milhões de t, 35,6% a mais em relação à safra de 2017/18. A colheita foi intensificada e agora estende-se a 84% da área plantada. A soja sofreu uma redução de 3,5% na produção e atingiu 115,1 milhões de t. As regiões Centro-Oeste e Sul representam mais de 78% dessa produção.

Feijão - O feijão primeira safra, cuja colheita já foi encerrada, teve uma redução de 22,5% na produção e deve chegar a 996,4 mil t. Isso foi causado principalmente pela diminuição de área e produtividade no Paraná, Minas Gerais e Bahia. O de segunda safra, onde a colheita está em fase final, teve um clima favorável que contribuiu para uma produção de 1,3 milhão de t, 7,2% acima da obtida no período anterior. O feijão terceira safra também teve aumento de 20,5% e deve ter uma produção de 739,6 mil t. O plantio foi finalizado em julho.

Algodão - O país deverá colher também 4 milhões de algodão em caroço e 2,7 milhões de pluma, 34,2% a mais do que na safra anterior. Enquanto o trigo tem produção estimada em 5,4 milhões de t, o arroz deve ficar em 10,4 milhões de t, um recuo de 13,6%. O estudo aponta como causa as reduções de área do cereal ocorridas nos principais estados produtores.

Área - As culturas que tiveram aumento de área, em relação à safra passada, foram o milho segunda safra, com área total de 12,4 milhões de hectares, a soja com 35,9 milhões e algodão com 1,6 milhão de hectares. Em relação às culturas de inverno, para o trigo, estima-se uma área de 1,99 milhão de hectares, 2,6% menor que em 2018. As demais culturas (aveia, canola, centeio, cevada e triticale) apresentam incrementos na área de plantio, passando de 546,5 mil hectares, na safra anterior, para 552,2 mil hectares na safra atual. De acordo com o levantamento, as geadas ocorridas no início de julho, sobretudo no Paraná, demandam maior monitoramento das lavouras. (Conab)

 

SAÚDE I: ANS analisa propostas para atualização do Rol de Procedimentos

saude I 08 08 2019A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) finalizou a análise de elegibilidade das propostas de atualização do Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde que foram enviadas pela sociedade através do formulário online (FormRol). Ao todo, a agência recebeu 1.137 propostas de atualização, sendo 285 (25%) relativas a medicamentos, 671 (59%) a procedimentos e 181 (16%) a termos descritivos. Ao final do processo de verificação, 215 propostas foram consideradas aptas para seguir para a análise técnica e posterior discussão no âmbito do Comitê Permanente de Regulação da Atenção à Saúde (Cosaúde), pois atenderam aos critérios de elegibilidade necessários.

 

Primeira fase - O envio das contribuições pelo FormRol foi a primeira fase do novo processo de atualização da lista mínima de procedimentos que devem ser cobertos pelos planos de saúde. As etapas estão estabelecidas na Resolução Normativa nº 439/2018. Essa normativa aprimorou a revisão da cobertura mínima obrigatória dos planos de saúde e ampliou a participação social. 

 

Triagem - Os 1.137 formulários recebidos pela ANS passaram por uma primeira triagem, na qual foram identificadas as propostas relativas à inclusão de medicamentos e procedimentos que eram passíveis de seguir para análise quanto ao cumprimento dos critérios de elegibilidade. Em relação aos formulários dos termos descritivos, a seleção foi realizada a partir a verificação da completude e validades dos campos dos respectivos documentos.

 

Aptos - A análise de elegibilidade considerou aptos 459 formulários enviados (o que representa 40% do total recebido). Em nova etapa de triagem, foram verificados se esses formulários atendiam a condições legais e a requisitos de informação previstos na RN nº 439. Constatou-se, então, que 215 propostas atenderam a todos os critérios elencados na norma, sendo 116 referentes a medicamentos, 74 a procedimentos e 25 a termos descritivos. Dentre os requisitos estão a descrição das evidências científicas relativas à eficácia, efetividade, acurácia e segurança da tecnologia em saúde, bem como a avaliação econômica, análise do impacto orçamentário da incorporação da tecnologia e os dados sobre capacidade instalada.

 

Maior parte das contribuições - A maior parte das contribuições elegíveis (118 propostas) foram enviadas por entidades representativas de profissionais médicos. Também houve contribuições de entidades representativas de pacientes, operadoras, indústria farmacêutica, outros profissionais (não médicos), prestadores de serviços de saúde e cidadãos de forma geral (pessoa física). 

 

Análise crítica - As sugestões foram recebidas durante os dias de 04/02 a 04/05. Agora, as 215 propostas elegíveis seguem para a fase de análise crítica, quando então a ANS contará com o auxílio de entidades parceiras - através de acordos de cooperação técnica, convênios, contratos ou instrumentos congêneres - e do Cosaúde. Ao final de todas as análises, ainda está prevista consulta pública à sociedade.

 

Revisões periódicas - O Rol de Procedimentos passa por revisões periódicas a cada dois anos. Esse é o intervalo mínimo, tendo em vista as etapas a serem cumpridas e a complexidade do processo. “O Rol é um importante instrumento de regulação da ANS e é fundamental que a sociedade acompanhe e participe do processo de atualização da lista de coberturas. Dessa forma, contribuímos para ampliar a transparência no setor e engajamos todos os interessados – incluindo os beneficiários – nas políticas de saúde”, destaca o diretor de Normas e Habilitação dos Produtos, Rogério Scarabel. (ANS)

Foto: Agência Brasil

 

Clique aqui para saber mais sobre o processo de atualização do Rol e confira as propostas recebidas.

SAÚDE II: Paraná tem 94 mortes por gripe confirmadas desde janeiro

 

saude II 08 08 2019O informe semanal divulgado nesta quarta-feira (07/08) pela Secretaria de Estado da Saúde confirma mais quatro óbitos por causa da gripe no Paraná – são 94 mortes confirmadas e provocadas por agravos da Influenza. O boletim da semana anterior apresentava 90 mortes. O monitoramento da Síndrome Respiratória Aguda por Influenza contabiliza dados desde o início de janeiro até esta terça-feira (06/08).

 

Idosos - Os óbitos por Influenza atingem principalmente os idosos, que representam 53,2% dos casos. São 50 mortes de pessoas com mais de 60 anos, a maioria apresentando outras comorbidades como fatores de risco.

 

Outras faixas etárias - Porém, nesta última semana os óbitos atingiram outras faixas etárias. Em Paranaguá, morreu uma mulher de 49 anos que apresentava pneumopatia crônica como fator de risco; em Medianeira, um homem de 48 anos, portador de outras doenças crônicas; em Curitiba, morreu uma mulher de 38 anos, com diabetes, e em Piraí do Sul, uma jovem de 15 anos, também portadora de diabetes.

 

Medidas preventivas - “O acompanhamento semanal confirma que todos nós, independente da idade, devemos adotar medidas preventivas contra a gripe”, alerta o chefe da Divisão de Doenças Transmissíveis da secretaria, Renato Lopes. As principais são higienização frequente das mãos, principalmente antes de consumir algum alimento; cobrir nariz e a boca com a dobra do braço quando espirrar ou tossir; não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, copos e pratos, e deixar os ambientes sempre ventilados.

 

Hábitos saudáveis - Lopes ressalta ainda que estes cuidados preventivos devem ser adotados continuamente, mesmo por pessoas que foram vacinadas contra a gripe neste ano. “São hábitos saudáveis que ajudam a diminuir o risco de contaminação e disseminação não apenas do vírus da gripe, mas de uma série de doenças”.

 

Total - O Informe sobre a Influenza no Paraná divulgado nesta quarta-feira totaliza 499 casos da doença, 11 a mais que o boletim anterior que apontava 488 casos.

 

Sintomas - Os sintomas da gripe incluem febre alta (acima de 38°), dor muscular, dor de garganta, dor de cabeça e tosse. Segundo Lopes, quando há suspeita de Influenza, é preciso procurar os serviços de saúde para avaliação médica e início do tratamento com antiviral específico. O medicamento está disponível na rede pública de saúde. (Agência de Notícias do Paraná)

SAÚDE III: Confirmado primeiro caso de sarampo no Estado

 

saude III 08 08 2019A Secretaria de Saúde do Paraná confirmou nesta quarta-feira (07/08) o primeiro caso de sarampo no estado – uma moradora da região metropolitana de Curitiba. Por meio de nota, a secretaria informou que a paciente, de 41 anos, viajou em julho para São Paulo, estado com mais de 900 casos confirmados da doença.

 

Campina Grande do Sul - De acordo com a secretaria, a mulher, que vive em Campina Grande do Sul, está em isolamento, e os procedimentos de bloqueio vacinal seletivo nas pessoas que tiveram contato com ela já foram realizados. A paranaense esteve em São Paulo entre 15 e 22 de julho e começou a apresentar os sintomas na última sexta-feira (02/08).

 

Casos suspeitos - Ainda segundo com o comunicado, o Paraná acompanha mais dois casos de pessoas com suspeita de sarampo. Enquanto os resultados dos exames não ficam prontos, a secretaria realiza bloqueio vacinal preventivo nas pessoas que tiveram algum tipo de contato com os pacientes e o isolamento domiciliar ou hospitalar.

 

Atenção - “Pedimos que todos os profissionais de saúde fiquem atentos aos sintomas e notifiquem à vigilância epidemiológica municipal os casos suspeitos, para que possamos acionar as medidas necessárias para o bloqueio vacinal seletivo nos contatos suscetíveis após exposição”, destacou a coordenadora de Vigilância Epidemiológica, Acácia Maria Lourenço Francisco Nasr. “Como a contaminação é pelo ar, qualquer contato com uma pessoa doente é um risco alto de transmissão”, completou.

 

Panorama O Ministério da Saúde registrou, entre 5 de maio e 3 de agosto, 907 casos confirmados de sarampo no Brasil, em três estados: São Paulo (901), Rio de Janeiro (5) e Bahia (1). Atualmente, 43 cidades nesses três estados se mantêm com surto ativo da doença, ou seja, com crescimento do número de casos confirmados.

 

A doença - O sarampo é uma doença infecciosa, transmitida por vírus e que pode ser contraída por pessoas de qualquer idade. As complicações decorrentes da doença são mais graves em crianças menores de 5 anos. O vírus é transmitido pela respiração, fala, tosse e pelo espirro. As micropartículas virais ficam suspensas no ar – daí o alto poder de contágio.

 

Sintomas - Os sintomas mais comuns são: febre alta, dor de cabeça, exantema (manchas avermelhadas na pele que aparecem primeiro no rosto e atrás da orelha e depois se espalham pelo corpo), tosse, coriza e conjuntivite. Como não existe tratamento específico para o sarampo, é importante ficar atento caso alguém com quem teve contato fique doente. (Agência Brasil)

INTERNACIONAL: Banco Central da China faz a maior desvalorização do yuan desde 2008

 

internacional 08 08 2019A China estabeleceu uma âncora diária para negociar sua moeda no nível mais fraco desde 2008, rompendo o nível simbólico de 7 por dólar que o banco central permitiu que o yuan atingisse no início desta semana, depois que os EUA ameaçaram novas tarifas sobre produtos chineses.

 

Ponto médio - Nesta quinta-feira (08/08), o Banco do Povo da China (PBoC) fixou o ponto médio de negociação interna do yuan em 7,0039 por dólar, 0,06% menor que no dia anterior. O banco central permite que a moeda se mova até 2 pontos percentuais em cada lado do ponto em que define o nível do ponto médio. O PBoC estipula o intervalo com base em parte nos preços de mercado, mas tem o poder de ajustá-lo usando um fator "anticíclico".

 

Movimento  - O movimento desta quinta-feira vem após o Tesouro dos EUA classificar a China como um manipulador de moeda, depois que Pequim deixou os preços negociados do yuan enfraquecerem além de 7 por dólar.

 

Hong Kong - No início do pregão em Hong Kong, o yuan estabilizou-se em 7,0413 por dólar, enquanto o negociava 0,2% mais forte, a 7,0663 dólar, no mercado offshore, menos rigidamente controlado. (Valor Econômico)

ARTIGO: Cooperativismo, uma solução para a retomada do desenvolvimento

 

artigo 08 08 2019*Evair Vieira de Melo

O cooperativismo é mais que um conceito econômico: é uma filosofia de vida pautada na competência, integridade, na inovação e, acima de tudo, na união de seus integrantes.

 

Com uns ajudando aos outros em prol de um objetivo em comum, o Sistema Cooperativo assumiu um papel de protagonismo e de transformação social.

 

Em todo o Brasil, são mais de 6,8 mil cooperativas, 14,2 milhões de associados e aproximadamente 400 mil trabalhadores.

 

De acordo com a Organização das Cooperativas Brasileiras no Espírito Santo (OCB-ES), temos em nosso Estado 444.147 cooperados, em 126 cooperativas.

 

Atuamos em nove áreas: agropecuária, consumo, crédito, habitação, educação, produção, trabalho, transporte e saúde. Além disso, a eficiência é uma marca registrada do setor em terras capixabas, que vem reduzindo custos e, em 2018, gerou um faturamento que passa a marca dos R$ 6 bilhões.

 

Nessa escuridão que o país tem passado, quem conseguiu dar um passo à frente estava protegido pela força das cooperativas. Sobrevivemos aos inúmeros fatores que tumultuaram o país nos últimos anos e seguimos gerando oportunidades ao nosso povo.

 

O cooperativismo brasileiro é o nosso instrumento de proteção e a grande ferramenta para que continue sendo protagonista é a política. Por meio dela, conseguimos vitórias maiúsculas, como a publicação da Lei Complementar 161/18, que permite que os municípios abram contas em cooperativas de crédito para atividades como a manutenção da folha de pagamento de servidores e movimentação financeira.

 

É uma lei exemplar, pois deu a chance para as prefeituras melhorarem suas gestões por meio da metodologia cooperativista de transparência, com a realização de prestação de contas e assembleias. Temos várias pautas essenciais para o setor que só serão viabilizadas com a união entre o Cooperativismo e a política.

 

São exemplos o PL 519/15, conhecido como Lei Geral das Cooperativas, que atualiza e desburocratiza as normas do setor, e o PL 8.824/17, que altera a legislação para que as cooperativas possam prestar serviços de telecomunicações.

Faço um apelo: peço para que vocês abram as portas para receber os parlamentares. Precisamos do carinho e da atenção de vocês.

 

Se os melhores brasileiros de conteúdo, de moral e de ética estiverem dentro do ambiente político, é certo que teremos capacidade para pautar a agenda deste país da diversidade.

Temos que ocupar esse espaço e continuarei trabalhando para garantir o nosso protagonismo e o diálogo com todos os segmentos.

 

*Evair Vieira de Melo é deputado federal (PP-ES) e presidente da Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop). Artigo publicado site do jornal A Gazeta, do Espírito Santo


Versão para impressão


RODAPE