Imprimir
CABECALHO

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4628 | 29 de Julho de 2019

COMUNICAÇÃO: Quarta-feira encerra o prazo de inscrições ao 13º Prêmio Ocepar de Jornalismo

 

comunicacao 29 07 2019Faltam poucos dias para o encerramento do prazo de inscrições ao 13º Prêmio Ocepar de Jornalismo. Quarta-feira (31/07) é o último dia para os profissionais de Comunicação garantirem sua participação no concurso. Serão aceitos materiais publicados de 1º de julho de 2018 a 31 de julho de 2019, que façam referência a um ou mais ramos do cooperativismo paranaense em que atuam as cooperativas filiadas à Ocepar: agropecuário, crédito, saúde, transporte, turismo, habitacional, educacional, infraestrutura, consumo e trabalho. O tema desta edição do Prêmio é: “No campo ou na cidade somos o cooperativismo no Paraná”. O evento de premiação dos vencedores está programado para o mês de setembro, em Curitiba. 

 

Valores - Ao todo, serão distribuídos R$ 88 mil em prêmios, já descontados os impostos. O Prêmio Ocepar é dividido em seis categorias: Jornalismo Impresso, Telejornalismo, Radiojornalismo, Mídia Cooperativa, Categoria Especial Ramo Crédito, Categoria Especial Unimed. Os três primeiros colocados nas categorias Jornalismo Impresso, Telejornalismo, Radiojornalismo e Mídia Cooperativa vão receber, respectivamente R$ 10 mil (1º lugar), R$ 4 mil (2º) e R$ 3 mil (3º). Já os vencedores nas categorias especiais Ramo Crédito e Unimed vão ganhar R$ 10 mil cada.

 

O Prêmio - O Prêmio Ocepar de Jornalismo é um programa institucional desenvolvido pelo Sistema Ocepar (Ocepar - Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná, Fecoopar – Federação e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná e Sescoop/PR - Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo). É uma iniciativa que conta com o patrocínio do Sicredi Central PR/SP/RJ e da Federação Unimed do Paraná e apoio institucional da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná (Sindijor/PR) e do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Norte do Paraná. Desde sua criação, em 2004, visa mobilizar e reconhecer o trabalho desenvolvido por jornalistas dedicados a divulgar ações econômicas e sociais realizadas pelo cooperativismo paranaense.

 

Clique aqui para acessar o regulamento do 13º Prêmio Ocepar de Jornalismo

 

28º JOVEMCOOP: Evento com 220 jovens cooperativistas discutiu o tema “Qual é a nossa missão?”

 

Duzentos e vinte jovens líderes de 17 cooperativas do Paraná participaram do Encontro Estadual da Juventude Cooperativista, na última quarta e quinta-feira (24 e 25/07), na Associação dos Funcionários da C.Vale, em Palotina (PR). Com o tema “Qual é a nossa missão?”, o evento foi encerrado pelo ex-capitão do Bope e consultor de segurança Rodrigo Pimentel. Ele reforçou que a importância de o jovem ter comprometimento e inovar para a sucessão das atividades do campo e do cooperativismo. “Nada mais apaixonante do que poder colocar alimento na mesa das pessoas. O jovem cooperativista deve acreditar em seu potencial, estar motivado e preparado para dar continuidade ao trabalho feito por seus pais. Com atitude, disciplina e conhecimento ele pode encarar e vencer qualquer desafio.” 

 

Promoção - A 28ª edição do Jovemcoop foi promovida pelo Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR), com apoio da C.Vale. Durante dois dias os participantes estiveram envolvidos em atividades que promovem o desenvolvimento e a troca de experiências fortalecendo o cooperativismo.

 

Sensibilização - Para Jaffer Vinícius Besen, analista de desenvolvimento humano do Sescoop/PR, o Jovemcoop cumpriu seu papel de sensibilizar os jovens sobre a importância do cooperativismo. “Nós sabemos que para o jovem estar comprometido, ele deve participar efetivamente na propriedade rural. Eu acredito muito que eles são o futuro das nossas cooperativas e estão cada vez mais prontos para assumir isso”, finalizou. (Imprensa C.Vale)

 

{vsig}2019/noticias/07/29/jovemcoop/{/vsig}

GETEC: Informe traz expectativa de mercado sobre indicadores econômicos

getec 29 07 2019A Gerência de Desenvolvimento Técnico da Ocepar (Getec) divulga, nesta segunda-feira (29/07), mais uma edição do Informe Expectativas de Mercado, com base nas informações do Boletim Focus, do Banco Central, levantadas com instituições financeiras sobre as projeções relativas à economia nacional, contemplando o Produto Interno Bruto (PIB), IPCA (Índice de Preços ao Consumidor), taxa Selic e câmbio para 2019, 2020 e 2021.

Informações – Mais informações podem ser obtidas com Maiko Zanella (maiko.zanella@sistemaocepar.coop.br / 41 3200-1115) ou com Jessica Raymundi (jessica.costa@sistemaocepar.coop.br / 41 3200-1133).

 

Clique aqui para acessar na íntegra o Informe Expectativas de Mercado da semana

Clique aqui para conferir o Informe Consolidado de Julho com o histórico das projeções do mês

 

SICREDI: Instituição anuncia startups para 2º edição do Programa Inovar Juntos

 

sicredi 29 07 2019O Sicredi – instituição financeira cooperativa com mais de 4 milhões de associados e atuação em 22 estados brasileiros e no Distrito Federal – anuncia as startups selecionadas para a etapa de desenvolvimento e execução do projeto piloto para a segunda edição do Inovar Juntos, programa com foco em parcerias e alternativas inovadoras, criado para aproximar o Sicredi do ecossistema de startups e contribuir com a jornada de transformação digital da instituição. A edição deste ano recebeu 178 inscrições e foram selecionadas nove iniciativas para a fase de conexão.

 

Desafios - As startups escolhidas vão auxiliar o Sicredi na resolução de oito desafios relacionados às demandas do negócio e melhorias de processos internos para associados e colaboradores. Após serem escolhidas, as startups passaram por um momento de conexão com o Sicredi, no qual as empresas se conectaram com os times do Sicredi para construírem juntos os projetos de experimentação de cada um dos desafios. No início de agosto, inicia a fase de piloto, na qual as soluções serão testadas em diferentes áreas da instituição financeira cooperativa.

 

As selecionadas - Conheça as startups selecionadas:

• Poupa Certo: agregador financeiro que engaja e traz o usuário sub e desbancarizado para o sistema financeiro formal por meio de uma experiência intuitiva, automática e gamificada para alcançar melhores níveis de saúde financeira.

• Tindin Educação Financeira: plataforma de educação financeira gamificada que oferece para o público infanto-juvenil gerenciador de tarefas, carteira digital, gateway de pagamento QR Code, marketplace e ambiente EAD.

• DUNNING!: plataforma SaaS que utiliza Inteligência Artificial e Machine Learning para auxiliar na construção de réguas de cobrança adequadas ao perfil de comportamento dos usuários das empresas. A solução analisa quais ferramentas utilizadas atualmente apresentam melhor desempenho e as dispara para perfis semelhantes, automatizando e otimizando todo o ciclo de crédito.

• App Renda Fixa: marketplace de busca e comparação de investimentos do Brasil. A ferramenta possível filtros que permitem realizar a comparação de centenas de ativos de renda fixa e mais de 14 mil fundos de investimento, bem como acompanhar seu portifólio de ativos e abrir conta e investir em instituições credenciadas ao aplicativo. A solução também conta com diversos canais de educação financeira.

• Ludos Pro: plataforma gamificada que utiliza técnicas e mecânicas de jogos para engajar, ensinar e aumentar a produtividade. Ao mesmo tempo que instrui por meio de desafios lúdicos e interativos, gera informações para identificar melhorias e oportunidades para o negócio.

• Controlle: plataforma que auxilia a organizar as finanças das empresas de forma simples. O sistema possui uma versão premium que permite gerenciar funcionalidades como cadastro de clientes e fornecedores, relatórios gerenciais, nota fiscal de serviço integrada ao financeiro, entre outras funcionalidades.

• Iconeseg TI: empresa de tecnologia, formada por especialistas em seguros, com foco na criação e comercialização de aplicativos para smartphones, tablets, notebooks e desktops, que tem o objetivo de aumentar a eficiência e produtividade do mercado de seguros.

• BigData Corp: plataforma que agrega informações de pessoas, empresas, produtos, e outros tipos de informações. A solução entrega dados sobre pessoas e empresas para apoiar processos de qualificação, análise e tomada de decisão de crédito, risco, fraude, vendas, marketing, etc.

 

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.700 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi)

 

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

SICREDI UNIÃO PR/SP: Cooperativa tem 90 vagas disponíveis

 

sicredi uniao 29-07 2019A Sicredi União PR/SP está com 90 vagas abertas, sendo que 60 são para candidatos externos e as demais para colaboradores internos. Desse total, 25 oportunidades são destinadas às regionais Maringá e Noroeste (público externo), entre as quais há cinco para a área administrativa financeira e 20 para a área comercial, como gerente de Negócios.

 

Previsão - A coordenadora de Atração e Movimentação de Pessoas da Sicredi União PR/SP, Ariadyna Pelegrinotti de Carvalho Tomazini, destaca que ao promover colaboradores internos, novas vagas surgirão para os candidatos externos. A previsão é que até o final do ano outras 100 oportunidades sejam abertas. “A expectativa da cooperativa é encerrar o ano com cerca de 1.300 colaboradores. Até junho t&i acute;nhamos o total de 1.130”, adianta.

 

Primeiro semestre - Somente no primeiro semestre de 2019, a Sicredi União PR/SP fez 205 admissões, sendo que mais de 50% foram para a área de Negócios e Atendimento das agências, ou seja, para cargos de gerentes de Negócios, assistentes de Negócios e assistentes de Atendimento. O número é considerado significativo, já que representa 75% das contratações do ano passado inteiro.

 

Novas agências - De acordo com Ariadyna, este ano as contratações foram intensificadas devido à abertura de 25 novas agências, sendo 14 em São Paulo e 11 no Paraná. “Estamos crescendo com grande velocidade e são as pessoas, com seus potenciais, que fazem a diferença. Então, quem deseja trabalhar em uma cooperativa financeira que possibilita plano de carreira, desenvolvimento e um bom clima organizacional, este é lugar certo”, enfatiza.

 

Site - Quem se interessar deve acessar o site da Sicredi União PR/SP (www.sicrediuniao.com.br) e clicar na aba Trabalhe Conosco para ser direcionado à página com todas as oportunidades (https://sicredi.gupy.io/). A consulta pode ser feita por cidade ou cargo de interesse, e ao selecionar a vaga é possível visualizar a descrição e os requisitos exigidos. Os candidatos também podem acessar as redes sociais da cooperativa, como LinkedIn, Instagram e Facebook, onde as vagas são divulgadas semanalmente. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

COCARI: Encontro da liderança jovem reúne mais de 780 participantes em Mandaguari

No sábado (27/07), ocorreu a 16ª edição do Jovemcoop Cocari, realizada na Associação Atlética Cocari, em Mandaguari (PR). O encontro reuniu filhos e filhas de cooperados para um dia de informação, diversão e aprendizado. Com o intuito de fortalecer, unir e preparar a juventude cooperativista, o evento recebeu 780 participantes.

Abertura – Prestigiaram o encontro, o presidente da Cocari, Vilmar Sebold; o vice-presidente, Marcos Trintinalha; o diretor executivo, João Carlos Obici; os superintendentes Jacy Cesar Fermino da Rocha (Logística Integrada), Éric Heil de Araújo (Comercial), João Paulo Burihan Faria (Financeiro); gerentes e colaboradores. Na abertura do evento, o presidente da cooperativa convidou integrantes do Núcleo Jovem a se prepararem para dar um salto no agronegócio, fazendo uso de tecnologia e inovando cada vez mais. “Essa é uma oportunidade fantástica, a cooperativa investe nos jovens, é importante que vocês se dediquem e aproveitem”, orientou.

União – Embora Vilmar Sebold tenha frisado a importância da juventude cooperativista na Era da Inovação, ele também fez questão de lembrar que nenhuma tecnologia substituirá o relacionamento humano e o respeito. O presidente ressaltou ainda a importância da união para o cooperativismo chegar a um novo patamar. “O que fazemos sozinhos será algo pequeno, mas, juntos, podemos alcançar grandes objetivos”, afirmou.

Tecnologia – A palestra dessa edição do evento teve foco na tecnologia, com o tema: Inovação e Criatividade na Era Digital. A palestrante foi Martha Gabriel, que está entre os principais pensadores digitais do Brasil, finalista do Prêmio Jabuti, entre os top 50 marketing bloggers mais influentes do mundo. Autora dos livros Marketing na Era Digital e Você, Eu e os Robôs, a palestrante trouxe importantes dados que propiciaram reflexões para levar a juventude a inovar.

Era da informação – No que diz respeito ao domínio das novas tecnologias, Martha Gabriel foi enfática: “Se você domina as tecnologias, você domina o meio, se você não domina, você continua escravo dele”, disse. Entre os dados trazidos pela professora, está a informação de que até 2020, o conhecimento humano deve dobrar duas vezes ao dia. Para dar conta desta velocidade, a palestrante dá ênfase na importância da colaboração. “Vocês são jovens inseridos no cooperativismo, a colaboração é inerente a essa maneira de fazer negócio”, afirmou.

União para inovar – Ao longo de todo o dia, a juventude cooperativista da Cocari foi levada a pensar de maneira colaborativa e inovadora, por meio das atividades desenvolvidas. O Espaço Sou Arte encantou os participantes com seus espetáculos, e uma das apresentações do grupo trouxe a história e as conquistas de Marie Curie, que devido à sua coragem em inovar, ganhou dois prêmios Nobel. Os jovens puderam interagir com robôs desenvolvidos pela estudante Rebeca Bertolim Lopes, da UTFPR, participar de gincanas e foram chamados a dar continuidade ao cooperativismo, inovando cada vez mais. (Imprensa Cocari)

{vsig}2019/noticias/07/29/cocari/{/vsig}

COPAGRIL I: Vice-governador do Paraná visita box da cooperativa Expo Rondon 2019

 

A Cooperativa Agroindustrial Copagril recebeu a visita do vice-governador do Paraná, Darci Piana, e do Secretário de Agricultura, Norberto Ortigara, durante a Expo Rondon 2019, realizada em Marechal Cândido Rondon, Oeste do Estado. O evento de comemoração dos 59 anos do município começou na quinta-feira (25/07) e encerrou neste domingo (28/07), com a tradicional Festa Nacional do Boi no Rolete, na qual a Copagril em parceria com a Frimesa assou dois bois. Os representantes do Governo Estadual vieram ao município e degustaram o prato rondonense no box da cooperativa.

 

Afinidade - Darci Piana, representando o governador, Carlos Roberto Massa Júnior (Ratinho Júnior), visitou a festa do município acompanhado do prefeito Marcio Rauber e comitiva. Ao falar com a imprensa, o vice-governador destacou sobre sua afinidade com o município e a região, que conhece há mais de 40 anos e reforçou a importância do agronegócio para o Paraná e Brasil. “Nosso estado vem crescendo, o comércio vem crescendo, e esse crescimento mostra nossa confiança no agronegócio”, revela ao descrever a relevância do agronegócio para o desenvolvimento de todo o Paraná.

 

Autoridades - Além do vice-governador do Paraná, Darci Piana, e do Secretário de Agricultura, Norberto Ortigara, o box da Copagril ainda recebeu várias autoridades do município e da região. Assim como a visita do ex-jogador da seleção brasileira de vôlei Nalbert Bittencourt. (Imprensa Copagril)

 

{vsig}2019/noticias/07/29/copagril_I/{/vsig}

COPAGRIL II: Miniaviário e minicrechário para suínos chamam a atenção de visitantes

 

Um dos espaços que atraiu a atenção de grande parte do público da Expo Rondon 2019 foi o setor pecuário, com o pavilhão da Expopecuária, um local organizado pela Cooperativa Agroindustrial Copagril e que tradicionalmente conta com parceiros e atrativos para visitantes, tanto do campo como da cidade. Neste ano, além do tradicional miniaviário, o espaço também contou com uma novidade: um minicrechário para suínos.

 

Objetivo - As duas estruturas montadas pela cooperativa tiveram o objetivo demostrar aos visitantes mais sobre os modelos de manejo com os animais, onde os técnicos da Copagril e também parceiros estão disponíveis para apresentar informações sobre equipamentos, tecnologias e cuidados no trabalho, tanto na suinocultura como na avicultura. 

 

Convite - Além de produtores rurais e interessados, todos os visitantes foram convidados a conhecer o espaço, que chamou muita atenção de todos, em especial das crianças que tiveram a oportunidade de ver e conhecer os animais.

 

Pequenos animais - A Expo Rondon ainda contou com um espaço para pequenos animais, atraindo a atenção de visitantes para os bichos exóticos e pouco conhecidos do público em geral, entre eles várias espécies de pássaros, aves, cabras e outros animais.

 

Bovinos - A exposição de bovinos também teve um espaço especial dentro da feira pecuária, com novilhas e vacas leiteiras de alto padrão. Um momento especial para o segmento foi o julgamento de pista e classificação dos animais da 33ª Exposição Regional de Bovinos da Raça Holandesa, na manhã de sábado (27/07). A Expo Rondon 2019 encerrou neste domingo (28/07). (Imprensa Copagril)

 

{vsig}2019/noticias/07/29/copagril_II/{/vsig}

CAPAL: Palestras impulsionam público da 47ª Expoleite

 

Cerca de 500 pessoas acompanharam a palestra mais aguardada da 47ª Expoleite, no Parque de Exposições Capal, em Arapoti (PR). “Leite, cooperação e superação”, ministrada por José Luiz Tejon, na manhã de sexta-feira (26/07), tratou do cooperativismo, do grande mercado lácteo que o Brasil tem pela frente, mas, principalmente, da importância do “incômodo” e da “imperfeição” para alavancar o mundo.

 

Incompetência emocional - Palestrante internacional, Top of Mind em Recursos Humanos e uma das mais relevantes autoridades em gestão de vendas, marketing e agronegócio do País, Tejon destacou que a incompetência emocional é um dos fatores que dificulta o processo de melhoria do ser humano. “Tudo que me incomoda me faz melhor. É o incômodo que gera a cooperativa, que gera os vencedores que estavam aqui”, citou o palestrante sobre a premiação “Qualidade do Leite”, entregue aos melhores produtores da Capal em diferentes categorias de produção diária.

 

Desafios - Com uma mescla de conhecimento do mercado com sua trajetória de vida, Tejon apresentou os desafios da cadeia leiteira e do agronegócio, chamando de “ridícula” a exportação do leite brasileiro, já que o País tem potencial para alcançar números ainda mais expressivos. “Dica para os jovens: conversar com os pioneiros, para saber das dificuldades da época, saber como foi quando chegaram”.

 

Confiança - Ele lembrou ainda que o cooperativismo tem como base a confiança. Durante a palestra, um intérprete da Língua Brasileira de Sinais (Libras) estava presente.

 

Dia anterior - Na manhã da quinta-feira (25/07) foi a vez da palestra “Crescimento em produção de leite na região”, com o zootecnista e produtor de leite, Tobias Katsman. Ele traçou um panorama sobre o mercado agropecuário interno e externo, cenário de investimentos e deu dicas para o crescimento e aumento da produtividade.

 

SigmaABC - Já Rodrigo Yoiti Tsukahara apresentou o sigmaABC, uma plataforma que reúne as informações geradas nas propriedades e cria um banco de dados da fazenda e que permite a integração com laboratórios, prestadores de serviços e sistemas. Tsukahara, da Fundação ABC, explica que, com a centralização das informações é possível fazer uso de técnicas estatísticas e linguagens matemática e computacional para geração de um conhecimento multidisciplinar que vai contribuir para que o produtor tome as decisões de forma mais assertiva e ágil. “Nosso objetivo é promover uma integração maior entre o produtor, o assistente, a cooperativa e o setor de pesquisa, a fim de difundir mais conhecimento, reduzindo a incerteza durante o processo decisivo e aumentando a resiliência dos produtores”, explica Tsukahara.

 

Disponível - A plataforma, desenvolvida pela Fundação ABC em parceria com o Instituto de Pesquisas Eldorado e as cooperativas Capal, Frísia e Castrolanda, estará disponível nesta segunda-feira (29/07) para os cooperados.

 

Imagem - Em “Mulheres cooperativistas”, palestra ministrada pelo professor da Fundação Getulio Vargas e CEO do Grupo Datacenso, Claudio Shimoyama, foi debatida a importância do posicionamento de imagem e marca para conquistar destaque no mercado. “Imagem é tudo: é aparência, comunicação e atitude. O marketing pessoal garante que as pessoas percebam as qualidades e os diferenciais do seu trabalho e o valorizem diante do mercado”, explicou Shimoyama.

 

Programação - A programação da Expoleite 2019 continuou na sexta-feira à tarde e sábado (26 e 27/07) com mais palestras, julgamentos da Raça Holandesa e empresas expositoras.

 

Sobre a Capal Cooperativa Agroindustrial - Fundada em 1960, a Capal conta atualmente com mais de 3 mil associados, distribuídos em 14 unidades de negócios, nos estados do Paraná e São Paulo. A cadeia agrícola responde por cerca de 70% das operações da cooperativa, produzindo mais de 640 mil toneladas de grãos por ano, com destaque para soja, milho e trigo. A área agrícola assistida ultrapassa os 140 mil ha. O volume de leite negociado pela CAPAL mensalmente é de 9 milhões de litros, proveniente de 360 produtores com uma média de produção de 2,5 mil litros/dia. (Imprensa Capal)

 

{vsig}2019/noticias/07/29/capal/{/vsig}

UNIMED LONDRINA I: Diretor-presidente participa de evento sobre cooperativismo

unimed londrina I 29 07 2019O diretor-presidente da Unimed Londrina, o médico Omar Taha, integrou o time de painelistas do Encontros Folha. Com o tema “Cooperativismo: a união que traz resultados”, Taha foi convidado para um bate-papo sobre o assunto. O evento teve a organização do Grupo Folha de Comunicação e aconteceu na última quinta-feira (25/07), no auditório do Aurora Shopping, em Londrina (PR).

Transformações - O presidente destacou no evento as transformações por que passam as cooperativas na qualidade de seus produtos oferecidos. "A qualidade do serviço prestado levantou base dessa prestação de serviço e todas as outras empresas têm que acompanhar", comentou. Taha também valorizou a participação das cooperativas no novo momento da sociedade. Segundo ele, o cooperativismo prega um modelo de governança diferenciado, com mais transparência e ampliação da participação de todos os sócios.

Presenças - Além de Taha, o evento convidou o superintendente de negócios da Sicredi União PR/SP, David Conchon, e o diretor-presidente da Integrada Cooperativa Agroindustrial, Jorge Hashimoto para comporem o grupo de painelistas. O encontro também contou com a presença do superintendente do Sistema OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras), Renato Mobile, como palestrante.

Desempenho - No evento, os painelistas e palestrante destacaram o desempenho das cooperativas no Paraná. Em 2018, as cooperativas movimentaram R$ 83,5 bilhões, ou 32% do total movimentado pelo cooperativismo nacional. Outro dado relevante abordado no encontro foi o valor pago em tributos e impostos (R$ 7 bilhões) e em salários e benefícios (R$ 9 bilhões) no mesmo período. (Imprensa Unimed Londrina)

 

UNIMED LONDRINA II: Campanha doa quase mil livros para escola municipal da Zona Sul da cidade

 

unimed londrina 29 07 2019A Unimed Londrina entrega na próxima quarta-feira (31/07), 904 livros e 149 itens de apoio pedagógico (como jogos e livros interativos) para a Escola Municipal Joaquim Pereira Mendes. Os materiais foram arrecadados neste ano pela Campanha de Doação de Livros da cooperativa médica. A entrega será às 9h, na Rua Guilherme Farel, 280.

 

Recorde - Fabianne Piojetti, gerente de Sustentabilidade da Unimed Londrina, destaca que a esta edição da campanha atingiu o número recorde de livros arrecadados. “No ano passado, foram 365 livros distribuídos. Ou seja, aumentamos em 247% a nossa entrega. Isso prova que estamos no caminho certo. Por sermos uma cooperativa, temos o compromisso de contribuir na educação da comunidade em que estamos inseridos”, justifica Fabianne ao citar um dos princípios cooperativistas.

 

Doação - A iniciativa da Unimed Londrina arrecadou livros doados pelos clientes, cooperados e funcionários da operadora, além da comunidade. Os títulos que não eram adequados para os estudantes do ensino fundamental foram vendidos para uma loja de livros usados ou comercializados como papeis avulsos. O dinheiro, fruto dessas vendas, foi utilizado para comprar outros títulos infantis ou itens de apoio pedagógico.

 

Instituição beneficiada - Neste ano, a instituição beneficiada foi indicada pela Secretaria Municipal de Educação. A escola, que fica na Zona Sul da cidade, está em novo prédio e possui pequeno acervo bibliográfico.

 

A Campanha - A Campanha de Doação de Livros da Unimed Londrina está em sua 5º edição. Até o momento, a iniciativa já atendeu 1.462 estudantes de cinco escolas de Londrina, além de ter distribuído 2.656 livros e 1.000 itens de apoio pedagógico. (Imprensa Unimed Londrina)

TENDÊNCIAS: O futuro bate à porta, avisa especialista

 

tendencias 29 07 2019O futuro já está batendo à porta e as cooperativas precisam se preparar. Essa foi a ideia central da palestra do diretor de Marketing da Tecnisa, Romeo Busarello, especialista em inovação e professor de importantes instituições de ensino do país, como USP, FGV e ESPM. Ele encerrou o Seminário Nacional das Cooperativas Educacionais, realizado na quarta-feira (24/07), em Brasília, pela Organização das Cooperativas Brasileiras e que reuniu mais de 170 participantes.

 

Desemprego - Segundo o especialista, a falta de um planejamento que inclua a educação e o aprendizado de novas habilidades na “cesta básica da sobrevivência” pode, não só, ser a causa de desemprego, como da depressão para muitos profissionais. Ele também comentou que as empresas inovam por três razões: medo, preguiça ou ambição e que a educação é um dos setores que passarão por uma grande revolução nos próximos anos. Confira!

 

O que motiva a inovação?

Poucas delas inovam por ambição. Poucas, mesmo! Elas têm a inovação em seu DNA. Por exemplo: Apple e Coca-cola. Tem aquelas que inovam por preguiça. Ou seja, empresas que querem fazer mais com menos. O que seria da humanidade se não fosse a roda? A roda é uma invenção baseada em preguiça. Só estamos aqui hoje em virtude da roda. Infelizmente, a maior parte das empresas inova por medo. Medo de ficar para traz, de perder mercado, de falir, sobretudo as já estabelecidas.

Mas, como disse, são poucas que inovam por ambição. As startups são exemplos de empresas que inovam por ambição, porque buscam um problema não resolvido e inovação na busca de soluções criativas. Às vezes é uma ambição que até um pouco de preguiça. Elas observam para fazer mais com menos e, assim, entregar mais valor para as empresas que as contratam. O Uber é um exemplo de inovação baseada na ambição e na preguiça.

 

O que esperar do futuro?

Olha, estive na China e pude vê-los usando o 5G, que deve chegar no Brasil em cinco ou seis anos e vai mudar o jogo do mercado. O 5G talvez seja um dos grandes responsáveis por causar um aumento substancial da depressão no mundo. Porque ele vai disruptar (quebrar paradigmas) absolutamente tudo.

Vi alguns exemplos de aplicação do 5G que são assustadores. Por exemplo: telemedicina. Diferentemente do que todo mundo acha, essa capacidade toda de internet não é para fazer download de vídeos ou assistir filmes na Netflix. Não! Isso é para que carro autônomo, por exemplo. Não dá para ter um carro desses com oscilação, por exemplo. Se oscilar, tem acidente de trânsito.

Outro exemplo: hoje em dia, se você tem uma dor de garganta, vai ao pronto socorro. Ao chegar lá, o médico te examina rapidamente, coloca uma lanterna na sua garganta, e te receita um antibiótico ou um anti-inflamatório. Isso custa R$ 500,00. Com o 5G, você vai poder usar seu celular, focando a câmera dele na sua garganta, vai ter um médico na China que vai avaliar a situação e te receitar um remédio. Em 30 minutos o remédio já vai chegar na sua casa, por meio de uma dessas empresas de tele entrega. Quanto custou essa consulta? Cinco dólares.

 

Conta tanta facilidade, a depressão viria de onde?

Essa tecnologia vai disruptar muitas carreiras. As pessoas não vão conseguir aportar novas competências na sua paleta. Já temos uma série de profissões que vêm perdendo o sentido de existir, outras sendo extintas e uma série de outras aparecendo. Então, a gente vive o seguinte cenário: hoje a gente tem um médico que estuda, pelo menos oito anos, aqui no Brasil, e que logo, logo terá de concorrer com um médico lá de Macau, numa simples consulta de garganta. E essas relações não poderão ser muito controladas. É o cliente escolhendo o que é mais cômodo para ele.

O 5G vai gerar uma infinidade enorme de mudanças que ninguém sabe quais são e, por isso, pessoas precisam se preparar. E a educação é um dos setores que vai precisar ser totalmente reformulado.

 

Que tipo de mudanças?

Quem poderia imaginar as mudanças advindas do uso de smartphones e seus impactos na economia? Em pouco mais de uma década, os smartphones criaram milhões de novos negócios. Sem eles não teríamos aplicativos de transporte, comida, nem mesmo o Instagran. Como é que iríamos postar coisas no Instagran via desktop? Você se imagina repetindo: pega a máquina fotográfica, tira a foto, pega o cabo, descarrega no computador para postar? O legal é você ver e postar a foto. Então, sem os smartphones, esses milhares de negócios não seriam viáveis.

 

Como se preparar para esse futuro que já está batendo à porta?

O 5G vai gerar uma quantidade enorme de negócios que vai demandar uma série de competências completamente distintas do que temos hoje. Então, as empresas de inteligência artificial, hoje em dia, não existiam há cinco anos. A empresa que atende a Tecnisa tem 380 funcionários. Desse total, cerca de 25% são professores ou estudantes do curso de Letras. Eles são gestores de empatia de robôs.

A lógica é simples: o cientista de dados cria o algoritmo; o cliente entra no site para comprar um imóvel e era atendido por um robô que falava mais ou menos assim: obrigado por entrar no site. Vi que você estava navegando pela piscina. Como posso te ajudar? E quanto colocamos os professores ou estudantes de Letras, o diálogo é totalmente diferente. Ele vai tratar o cliente pelo nome, vai ser simpático, ser direto, simples, claro, envolvente, vai descrever as características de um imóvel do jeito que um dono faria. Ele traz a história das coisas, ele reage, conversa com detalhes.

Então, temos o seguinte: aquela pessoa que estudava para ser um professor, hoje estuda para ser um gestor de empatia de robôs. E o salário pago a esse profissional é pelo menos 50% a mais do que ele ganharia como professor de uma escola pública, por exemplo, com todos os direitos trabalhistas.

O grande problema, hoje em dia, é o descasamento de competências de forma intensa e a educação passará a ser um item básico da nossa cesta básica de sobrevivência. Ou o profissional se educa em todos os níveis, ou seja, ele precisa buscar outras habilidades ou ele está fora do mercado. Me preocupa muito mais com os profissionais com mais de 40 anos do que com essa garotada que está chegando aí, e que se vira, se safa... teremos uma legião de pessoas sem função. É por isso que a depressão fará parte desse processo.

 

O que é descasamento de competências?

Vou dar um exemplo meu. Dou aula há 22 anos. Todas as escolas estão iniciando sua reestruturação para EAD e eu tenho dificuldade de falar para o vídeo. Estou tendo que me programar. Contratei uma consultora para me ajudar com essa nova habilidade. Sou muito bom no palco, mas sou ruim no vídeo. E ser bom no vídeo é uma competência nova, porque as aulas serão, cada vez mais, via vídeo. O EAD não é mais uma tendência. Já é uma realidade.

Grande parte das habilidades que o mercado exige, não estão nas escolas formais e nem nos cursos de longa duração. Escolas alternativas ou cursos on line ajudam bastante no desenvolvimento dessas competências. Eu não preciso fazer um mestrado para entender e aplicar conteúdo de comunicação não violenta ou masculinidade tóxica, por exemplo.

 

Como inovar na sala de aula?

Não tem como uma receita. São várias formas. É o que eu chamo de MPC, ou seja, um montão de pequenas coisas, que passa por salas com quadros de 360°, cadeiras e mesas com rodas, para que todos tenham condições de estar em locais diferentes garantindo assim a diversidade, um aluno cada vez mais protagonista. Em SP, por exemplo, vai ser aberta uma unidade da École 42 (leia mais) uma escola sem professores, com graduação de três anos, em Coding (programação para computadores).

É muito importante dizer que a educação precisa mudar. Essa geração que está chegando não quer estudar tanto tempo. Não vão querer passar oito anos estudando medicina. Em oito anos a medicina muda substancialmente. E cursos de quatro anos? Isso tem de mudar. (Informe OCB)

LÁCTEOS: Embarques de produtos para China devem começar em agosto, diz ministra

 

lacteos 29 07-2019A ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) prevê que os embarques de produtos lácteos brasileiros para a China devem começar em agosto. No último dia 23, o governo chinês habilitou 24 estabelecimentos brasileiros para exportação desses itens, como leite em pó, queijos, manteiga e leite condensado.

 

Aprovação - De acordo com a ministra, para iniciar as vendas, é preciso que o GACC (órgão chinês responsável pela vigilância sanitária) aprove uma lista de veterinários, que deve ser concluída na próxima semana e enviada ao governo chinês.

 

Credenciamento - “Nós precisamos só credenciar veterinários, pois você precisa de uma lista de veterinários e da assinatura deles para os embarques”, explicou Tereza Cristina, em entrevista ao programa Bom Dia MS, em Campo Grande, da TV Morena.

 

Certificação - Desde 2007, já havia certificação acordada com o país asiático, mas nenhuma planta brasileira estava habilitada a exportar. Os chineses são os maiores importadores do mundo de lácteos. Somente de leite em pó, o país compra 800 mil toneladas por ano, 200 mil toneladas a mais em comparação à produção do Brasil.

 

Oportunidade - A ministra destacou que os chineses apreciam lácteos de outros países e a abertura de mercado será uma oportunidade de recuperação da indústria de laticínios do Brasil, que enfrenta queda de até R$ 0,30 no preço do litro de leite, e também a concorrência com os produtos da Argentina e do Uruguai, que entram no mercado brasileiro sem cobrança de tarifas.

 

Mercado interno - “Imagino que, em agosto, já poderemos iniciar os embarques de produtos lácteos para a China. Isso vai ser muito bom para o mercado interno, que está vivendo uma crise enorme de preços baixos para o produtor”, afirmou. “Nós temos um primeiro momento de preparo, de aceitação do nosso produto na China, mas acho que temos uma janela de oportunidade enorme”, acrescentou.

 

Projeções - Com a abertura do mercado chinês, a Viva Lácteos - Associação Brasileira de Laticínios estima exportar US$ 4,5 milhões em produtos. Em 2018, os chineses importaram, por exemplo, 108 mil toneladas em queijos, com um crescimento médio anual de 13% nos últimos cinco anos. O setor lácteo brasileiro exportou, no ano passado, para mais de 50 destinos. 

 

Vietnã - Sobre a missão veterinária do Vietnã, que irá inspecionar frigoríficos brasileiros em agosto, Tereza Cristina destacou que a reabertura das exportações de carne bovina para os vietnamitas é um caminho importante para o ingresso das carnes brasileiras no mercado asiático, já que o principal interesse do Vietnã é a compra de boi em pé. “Isso [exportação de boi em pé], através dos relatórios sanitários, facilita a entrada de carne”, destacou.

 

Economia - A ministra relembrou que a economia do Vietnã cresce 7% ao ano e o país tem um mercado consumidor de 100 milhões de habitantes.

 

Lista - Confira abaixo a lista dos estabelecimentos habilitados. As informações são do General Administration of Customs (China):

1 – Laticínios São João – São João do Oeste (SC) – queijo e manteiga

2 – Itambé Alimentos – Goiânia (GO) – leite em pó e manteiga

3 – Cooperativa Central Gaúcha – Cruz Alta (RS) – leite em pó e creme de leite

4 – Nutrifont Alimentos – Três de Maio (RS) – whey protein, soro de leite em pó e outros

5 – Itambé Alimentos – Sete Lagoas (MG) – leite em pó

6 – Celles Cordeiro Alimentos – Macuco (RJ) – leite em pó

7 – Itambé Alimentos – Uberlândia (MG) – leite em pó

8 – Laticínios Tirolez – Lins (SP) – queijo

9 – Aurea Indústria e Comércio – Braço do Norte (SC) – leite condensado

10 – Polenghi Indústrias Alimentícias – Angatuba (SP) – queijo e outros

11 – Mococa Produtos Alimentícios – Mococa (SP) – leite condensado e creme de leite

12 – Laticínios Bela Vista – Bela Vista de Goiás (GO) – leite em pó

13 – Alibra Ingredientes – Marechal Cândido Rondon (PR) – leite em pó, soro de leite em pó e outros

14 – Sooro Concentrado Indústria de Produtos Lácteos – Marechal Cândido Rondon (PR) – soro de leite em pó e whey protein

15 – Frimesa Cooperativa Central – Marechal Cândido Rondon (PR) – leite condensado e queijo

16 – Laticínios J.L. – Orizona (GO) – queijos

17 – Laticínios Tirolez – Tiros (MG) – queijo

18 – Laticínios Tirolez – Arapuá (MG) – manteiga

19 – Lactalis do Brasil – Ijuí (RS) – leite em pó, fórmula infantil, soro de leite em pó, queijos e outros

20 – Lactalis do Brasil – Teutônia (RS) – manteiga, leite em pó, fórmula infantil e outros

21 – Cooperativa Consulati – Capão do Leão (RS) – leite em pó

22 – Cooperativa dos Suinocultores de Encantado – Arroio do Meio (RS) – leite em pó

23 – Itambé Alimentos – Guanhães (MG) – leite em pó e manteiga

24 - Schreiber Foods do Brasil – Rio Azul (PR) – queijos e outros

(Mapa)

LOGÍSTICA REVERSA: inpEV lança plataforma de curso de educação a distância

 

logistica reversa 29 07 2019O inpEV (Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias) acaba de lançar a versão modernizada do curso virtual do Sistema Campo Limpo (logística reversa de embalagens vazias de defensivos agrícolas). Gratuito, o curso pode ser feito em cerca de três horas e oferece informações fundamentais para os interessados no tema logística reversa, sejam as pessoas diretamente envolvidas no Sistema, sejam estudantes ou profissionais de logística de outros setores, mesmo da zona urbana.

 

Plataforma - Para acompanhar a evolução da tecnologia, o programa de educação online ganhou nova plataforma com recursos para transmitir o conteúdo de forma mais rápida e interativa. Disponível na internet desde 2007 para permitir ao usuário aperfeiçoar e testar seus conhecimentos sobre destinação de embalagens vazias de defensivos agrícolas, o curso mantém seu conteúdo robusto, incluindo informações sobre legislação, funcionamento do Sistema, responsabilidades de cada elo, entre outras. 

 

Novos mecanismos - “A grande novidade desta versão é a plataforma, que utiliza novos mecanismos para tornar o curso mais interativo, facilitando a absorção do conteúdo”, explica Maria Helena Zucchi Calado, gerente de Sustentabilidade do inpEV. Ela acrescenta que uma outra preocupação foi oferecer um curso responsivo, isto é, está totalmente adaptado para ser feito por celular.  

 

Certificado - Ao finalizar o curso, o participante pode imprimir seu certificado ou salvar versão em PDF. “As mudanças justificam que até mesmo quem já fez o curso faça novamente para ver as novidades e captar conhecimentos de uma maneira nova”, convida a gerente.  

 

Portal - Para participar, é só entrar no portal de educação a distância pelo site do inpEV (www.inpev.org.br).

 

Sobre o inpEV - Há 17 anos, o inpEV (Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias) é entidade gestora do Sistema Campo Limpo nas atividades de destinação de embalagens vazias de defensivos agrícolas e promove ações de conscientização e educação ambiental sobre o tema, conforme previsto em legislação. É uma instituição sem fins lucrativos formada por mais de 100 empresas e nove entidades representativas da indústria do setor, distribuidores e agricultores.

 

Sobre o Sistema Campo Limpo - O Sistema Campo Limpo tem como base o princípio das responsabilidades compartilhadas entre todos os elos da cadeia produtiva (agricultores, fabricantes e canais de distribuição, com apoio do poder público) para realizar a logística reversa de embalagens vazias de defensivos agrícolas. O Brasil é referência mundial na destinação ambientalmente correta do material, encaminhando 94% de embalagens plásticas primárias para reciclagem ou incineração.

 

Mais informações - Mais informações sobre o inpEV e o Sistema Campo Limpo estão disponíveis no site www.inpev.org.br, no Facebook, Youtube e Instagram. (Imprensa InpEV)

INFRAESTRUTURA: Paranaguá ganha dois novos guindastes para contêineres

 

infraestrutura 29 07 2019O Porto de Paranaguá recebeu neste domingo (28/07) o navio Zhen Hua 26. A embarcação, de bandeira de Hong Kong, trouxe dois novos guindastes rolantes para contêineres. Os equipamentos vão operar no berço 218 do Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP) e devem aumentar a capacidade de movimentação em 33%.

 

Oito guindastes - Com os dois novos portêineres, o TCP passa a contar com oito guindastes e pode operar navios de até 366 metros de comprimento sem restrições. “Os novos equipamentos fazem do Porto de Paranaguá um dos mais bem equipados do país, garantindo ainda mais agilidade e eficiência na movimentação de contêineres. Nosso terminal de contêineres, em termos de tecnologia, não perde para os portos europeus, asiáticos e americanos”, afirma o diretor-presidente da empresa pública Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia.

 

Investimentos - Os investimentos privados, segundo Garcia, complementam os investimentos públicos das obras de dragagem e derrocagem que permitem ao Porto de Paranaguá ampliar suas frentes de negócios. “A administração portuária trabalha junto com os operadores, atuando como parceira e assumindo o protagonismo, investindo e acreditando que juntos podemos fazer muito mais”, acrescenta.

 

Calado - No início deste mês, graças às obras de dragagem, o calado operacional do berço 218 do Porto de Paranaguá passou de 9,5 para 12,5 metros. Assim, o local ficou adequado para receber navios de contêiner com maior capacidade de carga.

 

Equipamentos - De acordo com a empresa TCP, a aquisição dos portêineres está no pacote de investimentos de ampliação. Os guindastes rolantes são fabricados pela empresa chinesa Shanghai Zhenhua Port Machinery Co. Ltd (ZPMC).

 

Tamanho - Os portêineres têm 66 metros de lança e 50 metros de vão livre a partir do trilho, podendo alcançar até 24 fileiras no navio. Os equipamentos (considerados os maiores do Brasil em operação) serão instalados por uma equipe de engenheiros chineses. A previsão é de que estejam em funcionamento até o final de agosto.

 

Cinco dias - Segundo o diretor Comercial do TCP, Alexandre Rubio, a operação para a descarga dos equipamentos leva cerca de cinco dias. “Antes que entrem em operação, os engenheiros da ZPMC farão todos os testes necessários para deixar os equipamentos 100% operacionais”.

 

Programação - O navio Zhen Hua 26 está programado para atracar e começar a descarregar os guindastes a partir do dia 1º de agosto (quinta-feira). Além desses dois portêineres, a embarcação traz mais dois equipamentos que serão descarregados em outros portos. (Agência de Notícias do Paraná)

ENERGIA ELÉTRICA: Aneel anuncia bandeira tarifária vermelha para agosto

 

energia eletrica 29 07 2019A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou, na sexta-feira (26/07), que a bandeira tarifária para o mês de agosto será a vermelha, no patamar 1, onde há uma cobrança extra de R$ 4 para cada 100 quilowatts-hora consumidos. Em julho, a cobrança foi da bandeira tarifária amarela, quando há um acréscimo de para R$ 1,50 a cada 100 kWh consumidos.

 

Acionamento das termelétricas - De acordo com a agência, a medida foi tomada pela possibilidade de aumento no acionamento das usinas termelétricas, que têm custo de geração de energia mais alto. Também pesou na decisão, a diminuição do volume de chuvas, com a chegada da estação seca.

 

Seca - "Agosto é um mês típico da estação seca nas principais bacias hidrográficas do Sistema Interligado Nacional (SIN). A previsão hidrológica para o mês sinaliza vazões abaixo da média histórica e tendência de redução dos níveis dos principais reservatórios", disse a Aneel.

 

Custo real - De acordo com a Aneel, o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada, possibilitando aos consumidores o bom uso da energia elétrica. O funcionamento das bandeiras tarifárias é simples: as cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração.

 

Cálculo - O cálculo para acionamento das bandeiras tarifárias leva em conta, principalmente, dois fatores: o risco hidrológico (GSF, na sigla em inglês) e o preço da energia (PLD).

 

Reajuste - No dia 21 de maio, a Aneel aprovou um reajuste no valor das bandeiras tarifárias. A bandeira amarela passou de R$ 1 para R$ 1,50 a cada 100 kWh consumidos, a bandeira vermelha patamar 1 passou de R$ 3 para R$ 4 a cada 100 kWh e no patamar 2 passou de R$ 5 para R$ 6 por 100 kWh consumidos.

 

Sem cobrança - A bandeira verde não tem cobrança extra.

 

Conta específica - Os recursos pagos pelos consumidores vão para uma conta específica e depois são repassados às distribuidoras de energia para compensar o custo extra da produção de energia em períodos de seca. (Agência Brasil)

FOCUS: Mercado mantém estacionada projeção para crescimento do PIB em 2019

focus 29 07 2019Depois de 20 semanas seguidas em queda e de interromper o ciclo de cortes com uma alta de 0,01 ponto percentual na semana passada, a mediana das projeções do mercado para o crescimento da economia em 2019 parece ter se acomodado em 0,82%. O dado está na pesquisa Focus divulgada pelo Banco Central (BC) nesta segunda-feira (29/07), com estimativas coletadas até a última sexta-feira (26/07).

2020 - Para 2020, o ponto-médio das expectativas para a economia brasileira também permaneceu inalterado, em 2,10%, nível em que está há três semanas. O Ministério da Economia revisou sua projeção para o crescimento da economia brasileira neste ano de 1,6% para 0,82% no relatório de receitas e despesas do último bimestre. O PIB do segundo trimestre será conhecido em 29 de agosto.

Inflação - Além disso, a mediana das projeções para a inflação oficial em 2020 entre os economistas que mais acertam as previsões, os chamados Top 5, de médio prazo, subiu de 3,81% para 3,93%. Entre os economistas em geral, o ponto-médio das expectativas para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) manteve-se em 3,90%.

Queda - Em relação a 2019, a expectativa para a alta de preços caiu de 3,87% para 3,81% entre os campeões de acertos, e subiu de 3,78% para 3,80% na medição que inclui todos os participantes da sondagem. Para os próximos 12 meses, a pesquisa indicou manutenção em 3,68%.

IPCA-15 - O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15), considerado uma espécie de prévia do chamado "IPCA cheio", ficou em 0,09% em julho, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na semana passada. O número ficou abaixo da mediana das expectativas de 23 consultorias e instituições financeiras ouvidas pelo Valor Data, de 0,14%. Em 12 meses, a inflação acumulada pelo indicador é de 3,27%.

Meta - A meta de inflação a ser perseguida pelo BC é de 4,25% em 2019, 3,81% em 2020, 3,75% em 2021 e 3,50% para 2022, sempre com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. (Valor Econômico)

 

ECONOMIA I: Carga tributária bate recorde e chega a 35,07% do PIB

 

economia I 29 07 2019A carga tributária bateu recorde e atingiu 35,07% do PIB em 2018. De acordo com o jornal O Estado de São Paulo o valor chegou a R$ 2,39 trilhões – o equivalente a R$ 11.494 em impostos para cada habitante. Foram 128 dias para quitar os tributos com a União, responsável por 65% da carga em 2018. Esse também foi o maior salto dos últimos 17 anos da série histórica de 1947. Segundo o jornal, os dados foram extraídos de fontes oficiais, registrados nos balanços públicos. (Gazeta do Povo)

ECONOMIA II: Taxa básica de juros será definida nesta semana

 

economia II 29 07 2019A taxa básica de juros – a Selic – será definida nesta semana. A quinta reunião deste ano do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), responsável por definir a taxa, será realizada terça e quarta-feira (31/07).

 

Ciclo de cortes - Segundo a última pesquisa do BC ao mercado financeiro, a expectativa é que o Copom inicie um ciclo de cortes na Selic, em momento de economia fraca. A previsão do mercado é que a Selic sofra cortes de 0,25 ponto percentual nesta semana e nas próximas três reunião (setembro, outubro e dezembro), encerrando 2019 em 5,5% ao ano. Atualmente, a taxa básica está em 6,5% ao ano.

 

Meta de inflação - A taxa básica de juros é o principal instrumento do banco para alcançar a meta de inflação definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Neste ano, a meta é 4,25%, com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%. Para o mercado financeiro, a inflação calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve ficar abaixo do centro da meta, em 3,78%. Para 2020, a previsão também está abaixo da meta (4%), em 3,9%.

 

Tendência - Ao reduzir os juros básicos, a tendência é diminuir os custos do crédito e incentivar a produção e o consumo. Para cortar a Selic, o Copom precisa estar seguro de que os preços estão sob controle e não correm risco de ficar acima da meta de inflação.

 

Demanda aquecida - Quando o Copom aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

 

Atuação - O Banco Central atua diariamente por meio de operações de mercado aberto – comprando e vendendo títulos públicos federais – para manter a taxa de juros próxima ao valor definido na reunião do Copom.

 

Referência - A Selic, que serve de referência para os demais juros da economia, é a taxa média cobrada em negociações com títulos emitidos pelo Tesouro Nacional, registradas diariamente no Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic).

 

Histórico - De outubro de 2012 a abril de 2013, a taxa Selic foi mantida em 7,25% ao ano e passou a ser reajustada gradualmente até alcançar 14,25% em julho de 2015. Nas reuniões seguintes, a taxa foi mantida nesse patamar.

 

Queda - Em outubro de 2016, foi iniciado um longo ciclo de cortes, quando a taxa caiu 0,25 ponto percentual para 14% ao ano.

 

Processo - O processo durou até março de 2018, quando a Selic chegou ao seu mínimo histórico, 6,5% ao ano, e depois disso foi mantida pelo Copom nas reuniões seguintes.

 

Reuniões - O Copom reúne-se a cada 45 dias. No primeiro dia do encontro são feitas apresentações técnicas sobre a evolução e as perspectivas das economias brasileira e mundial e o comportamento do mercado financeiro. No segundo dia, os membros do Copom, formado pela diretoria do BC, analisam as possibilidades e definem a Selic. (Agência Brasil)


Versão para impressão


RODAPE