Imprimir
CABECALHO

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4624 | 23 de Julho de 2019

MITOS & FATOS: Sistema Ocepar apoia debate sobre reforma tributária

O superintendente da Federação e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Fecoopar), Nelson Costa, representou o Sistema Ocepar, na manhã desta terça-feira (23/07), no Fórum Mitos & Fatos 2019, que discutiu a reforma tributária, no Campus da Indústria da Fiep, em Curitiba. O evento, em sua segunda edição, é promovido pelo Grupo Jovem Pan, juntamente com o Grupo RIC, com apoio do Sistema Ocepar. A programação contemplou realização de três painéis: “Qual a reforma tributária que o Brasil precisa?”, “O que muda para as empresas?” e “Os impactos da reforma sobre os Estados”. Participaram cerca de 200 pessoas, entre empresários e formadores de opinião.

Presenças - Participaram dos debates, Felipe Salto, diretor-executivo da Instituição Fiscal Independente do Senado Federal; Vanessa Rahal Canado, diretora do Centro de Cidadania Fiscal; Luiz Carlos Hauly, economista e político brasileiro; Marco Aurelio Greco, Jurista; Edson Campagnolo, presidente Sistema Fiep; Paulo César Nauiack, 2° vice-presidente Fecomércio; Gilberto Luiz do Amaral, presidente do Conselho Superior e coordenador de estudos do IBPT; Rene Garcia Jr, secretário da Fazenda do Paraná; Décio Padilha, secretário da Fazenda de Pernambuco; Dyogo Oliveira, ex-ministro do Planejamento; e Paulo Eli, secretário da Fazenda de Santa Catarina.

Propostas distintas – Para o ex-deputado Luiz Carlos Hauly e autor da proposta que está sendo analisada pelo Senado, “o país está travado há quase 40 anos a espera de uma reforma que já passou de ser urgente, hoje ela é necessária e imprescindível. O atual sistema de cobrança de tributos destruiu com as empresas, com o emprego e com o poder aquisitivo da população. Hoje a carga tributária é de 56% no consumo, um absurdo que precisa ser corrigido urgentemente”, frisou. O deputado defende que o país passe a adotar o sistema clássico de imposto, que vem sendo praticado anos na Europa que é o imposto sobre valor agregado (IVA).

Entendimento - Já Vanessa Rahal Canado lembrou que nenhum país no mundo tem sistema de cobrança de impostos igual do Brasil, que prejudica tanto a sociedade. “São milhares de legislações que contribuem para interpretações diferentes e que não segurança alguma na hora autuar”. Já o deputado federal e presidente da Comissão da Reforma Tributária, Hildo Rocha, elogiou a proposta do deputado Luiz Carlos Hauly e lamentou o fato da Câmara ter uma outra proposta, apresentada pelo deputado Baleia Rossi. “Entendo que precisamos conciliar todas as propostas numa só, tanto a do Hauly que o Senado analisa, da Câmara e de uma possível proposta do governo. O importante é termos uma reforma tributária que atenda aos anseios da sociedade. Um sistema que possa simplificar a vida dos empresários e dos contribuintes e que diminua a carga nos ombros de quem paga”.

Câmara dos Deputados - PEC do líder Baleia Rossi (MDB-SP), patrocinada por Rodrigo Maia. Preparada pelo economista Bernard Appy, acaba com três tributos federais - IPI, PIS e Cofins. Extingue o ICMS, que é estadual, e o ISS, municipal. Todos eles incidem sobre o consumo. Cria o Imposto sobre Operações com Bens e Serviços (IBS), de competência de municípios, Estados e União, além de um outro imposto, sobre bens e serviços específicos, esse de competência apenas federal.

Senado Federal - A reforma do ex-deputado Luis Carlos Hauly preparada pela Câmara extingue IPI, IOF, CSLL, PIS/Pasep, Cofins, Salário-Educação, Cide, ICMS e o ISS. No lugar deles seria criado um imposto sobre o valor agregado de competência estadual, chamado de Imposto sobre Operações com Bens e Serviços (IBS), e um imposto sobre bens e serviços específicos (Imposto Seletivo), de competência federal.

GovernoTambém troca de até cinco tributos federais (PIS, Cofins, IPI, uma parte do IOF e talvez a CSLL) por uma única cobrança, o Imposto Único Federal. A proposta também vai acabar com a contribuição ao INSS que as empresas pagam atualmente sobre a folha de pagamentos. Em substituição, duas opções estão à mesa: a criação de um imposto sobre todos os meios de pagamento ou um aumento adicional na alíquota do imposto único. Em outra frente, o governo prepara mudanças no Imposto de Renda de empresas e pessoas físicas.

Instituto Brasil 200 - Cria o Imposto Único que substitui todos os tributos, inclusive IPTU e IPVA. Poderão ser discutidas demandas setoriais como exportações e Zona Franca de Manaus. A alíquota prevista é de 2,5% sobre qualquer movimentação financeira de conta corrente para conta corrente. Se a pessoa transfere R$ 100 é tributada em R$ 2,50 e quem recebe é tributado também em R$ 2,50. 

Estados - Preparada pelo Comitê dos Secretários de Fazenda dos Estados (Comsefaz), a proposta retira da União a gestão do tributo único criado com a reforma. Além disso, prevê que, caso o governo consiga emplacar um imposto unificado apenas federal, os Estados encaminhem uma proposta alternativa ao Legislativo, o IVA (Imposto sobre Valor Agregado) Dual. A proposta prevê mecanismos de compensação de perdas e de redução de desequilíbrios regionais, com a criação de um fundo. (com informações da Agência Estado)

{vsig}2019/noticias/07/23/reforma_tributaria/{/vsig}

DEBATE: Encontros Folha discute cooperativismo em Londrina

“Cooperativismo, a união que traz resultados” é o tema que estará em debate na 14ª edição do Encontros Folha que ocorre quinta-feira (25/07), a partir das 8h, no auditório do Aurora Shopping, em Londrina, Norte do Paraná. Para discutir o assunto, foram convidados o superintendente do Sistema OCB, Renato Nobile, os presidentes das cooperativas Integrada, Jorge Hashimoto, e da Unimed Londrina, Omar Taha, e o superintendente do Sicredi União PR/SP, David Conchon.

Cooperativismo - As 222 cooperativas do Paraná registradas no Sistema Ocepar contemplam 2,06 milhões de cooperados e 104.807 funcionários. Até o final do primeiro semestre deste ano já haviam somado R$ 41,1 bilhões de faturamento, o que representa um crescimento de 8,3% nos últimos doze meses, ou seja, entre junho de 2018 e junho de 2019, segundo levantamento da coordenação de desempenho da Gerência de Desenvolvimento Cooperativo (Gecoop). O setor responde por aproximadamente 60% do PIB agropecuário paranaense.

Desenvolvimento - O Encontros Folha é promovido pelo jornal Folha de Londrina, com objetivo de incentivar a participação de lideranças no debate de temas relevantes para o desenvolvimento do Paraná. O evento conta com a participação de especialistas, líderes políticos e empresariais, além de jornalistas da Folha de Londrina e tem ampla cobertura editorial multiplataforma: Edição especial impressa, Programa FolhaTV e transmissão on-line pelos portais do Grupo Folha de Comunicação.

Informações - Mais informações pelo fone 43 – 3374-2122.

debate 23 07 2019

COOPERATIVISMO: OCB receberá prêmio internacional

 

cooperativismo 23 07 2019A atuação da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) dentro e fora do país, com foco nas cooperativas de crédito, rendeu um novo prêmio à entidade. No próximo domingo (28/07), a partir das 16h30, o presidente da OCB, Márcio Lopes de Freitas, receberá o Distinguished Service Award (Prêmio por Serviço Eminente), honraria conferida pelo Conselho Mundial das Cooperativas de Crédito (Woccu, na sigla inglesa). O prêmio é um reconhecimento à atuação internacional em prol do desenvolvimento do cooperativismo de crédito.

 

Cerimônia - A cerimônia de entrega ocorrerá durante a abertura da Conferência Mundial do Woccu, que ocorrerá em Nassau, nas Bahamas, entre os dias 28 e 31 de julho. O evento deve reunir cerca de cinco mil representantes de cooperativas de crédito de mais de 50 países para discutirem iniciativas que possam melhorar a vida das pessoas.

 

Indicação - A indicação da OCB para receber o prêmio partiu do Sicredi, instituição financeira cooperativa que valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados e no Distrito Federal, com mais de 1,7 mil agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros.

 

Reconhecimento - O prêmio pode ser visto como um grande reconhecimento à atuação internacional da OCB e coloca a entidade como a primeira organização representativa latino-americana a receber a honraria.

 

Acordo - Para tomar a decisão de premiar a OCB, a comissão julgadora do prêmio levou em consideração o acordo de cooperação com Moçambique, que tem resultado numa intensa troca de expertises entre as diversas delegações estrangeiras que a entidade tem recebido ao longo dos últimos anos para compartilhar informações sobre o cooperativismo de crédito no Brasil.

 

Segunda vez - Essa é a segunda vez que o Brasil recebe o prêmio. Em 2015, Roberto Rodrigues foi um dos quatro homenageados. Assim, a OCB se juntará a um grupo de grandes organizações internacionais homenageadas, dentre elas estão, por exemplo, a Igreja Católica, agraciada em 2005; a Associação Nacional das Cooperativas de Crédito dos Estados Unidos (CUNA) e a Fundação Konrad Adenauer, que receberam o prêmio em 1988. (OCB, com informações do Sicredi)

SICREDI: Presente na programação do maior encontro de cooperativas de crédito do mundo

 

sicredi 23 07 2019O Sicredi, instituição pioneira no segmento de cooperativismo de crédito no Brasil e na América Latina, participará da Conferência Mundial do Woccu (Conselho Mundial das Cooperativas de Crédito, na tradução da sigla em inglês), maior encontro do segmento no mundo. O evento será realizado entre os dias 28 e 31 de julho, em Nassau, nas Bahamas, e vai reunir cerca de 5 mil representantes de cooperativas de crédito de mais de 50 países para discutirem iniciativas que possam melhorar a vida das pessoas.

 

Principais agendas - Com extensa programação, o Sicredi estará presente nas principais agendas da Conferência, representado por uma comitiva formada por 134 integrantes, entre dirigentes, executivos, colaboradores e associados. Um dos pontos altos do evento deste ano será a entrega do Distinguished Service Award à Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) em reconhecimento às contribuições da entidade para o desenvolvimento do cooperativismo no país. A honraria foi indicada pelo Sicredi ao Woccu, por meio de um case que ilustrou a atuação da OCB em promover a disseminação do segmento.

 

Future Forum - No Future Forum, momento em que líderes das maiores cooperativas de crédito do mundo se reúnem para discussões sobre tendências do segmento, João Tavares, presidente executivo do Banco Cooperativo Sicredi, vai liderar um debate sobre “Marcas Sistêmicas e Campanhas Publicitárias”. As sessões de debates do Future Forum também contarão com a presença de Wellington Ferreira, presidente da Cooperativa Sicredi União PR/SP; Pedro Caldas, presidente da Cooperativa Sicredi Planalto Central; Angelita Cadona, presidente da Cooperativa Sicredi Alto Uruguai RS/SC/MG; Domingos Sousa, vice-presidente da Cooperativa Sicredi Celeiro MT e João Bezerra Júnior, presidente do Conselho de Administração da Cooperativa Sicredi Evolução, da Paraíba.

 

Principal momento - Manfred Alfonso Dasenbrock, presidente dos Conselhos de Administração da SicrediPar, da Central Sicredi PR/SP/RJ e conselheiro do Woccu, estará presente na Conferência e ressalta que o evento é o principal momento de interconexão entre os cooperativistas em nível mundial. “O cooperativismo de crédito é um modelo que está em plena expansão no mundo, principalmente em lugares onde chegou mais tarde, como a América do Sul e Ásia, por exemplo. Dados recentes divulgados pelo Woccu revelam que já são quase 90 mil cooperativas de crédito e 260 milhões de adeptos ao redor do planeta e a Conferência Mundial do Woccu é uma oportunidade para buscarmos soluções e trocarmos conhecimento sobre como podemos levar os benefícios da atuação focada no desenvolvimento das comunidades até um número ainda maior de pessoas”, explica Dasenbrock.

 

Networking - Dasenbrock também destaca que os momentos para networking durante a Conferência são oportunidades para apresentar ao mundo exemplos positivos do cooperativismo de crédito no Brasil e conhecer o que está sendo feito no mundo. Por isso, a agenda do Sicredi nas Bahamas inclui, um jantar organizado pela própria instituição para cerca de 300 convidados ligados ao segmento, entre eles Brian Branch e Steven Stapp, respectivamente, CEO e presidente do Woccu. A programação do encontro contará com a palestra “A quarta revolução industrial, reinventando empresas”, ministrada por Vinicius David, líder de Produtos da HP, uma das maiores companhias de Tecnologia da Informação do mundo.

 

Sessões especiais - Na Conferência, o Sicredi também vai participar de sessões especiais de debates. Em uma delas, Manfred Dasenbrock tratará sobre sustentabilidade com o tema “Tomando a Frente na Sustentabilidade – Fazer a coisa certa também é um bom negócio. Felipe Sessin, superintendente de Operações de Produtos do Sicredi, vai discutir “Como a Tecnologia Cognitiva pode ajudar a fornecer um melhor serviço aos associados”. Já Gisele Gomes e Ingrid Muller Costa, duas das 11 representantes do Sicredi no Global Women's Leadership Network (GWLN) que estarão na conferência, vão debater “Inteligência Cultural e Diferenças Interculturais”. Gisele Gomes ainda participará do painel “O futuro das culturas cruzadas, países e pessoas: uma perspectiva profissional jovem”. As agendas do Global Women’s Leadership Network, terão foco em apresentações e debates para discutir a presença feminina no cooperativismo de crédito e na sociedade de forma geral.

 

Jovens - Durante o evento do Woccu, o Sicredi também vai destacar a força dos jovens no cooperativismo de crédito. Neste ano, a instituição vai apresentar 11 projetos brasileiros para o World Council Young Credit Union People (WYCUP), um programa que premia jovens que fizeram contribuições significativas às suas cooperativas de crédito, que têm potencial de causar impacto global. Em 2018, duas iniciativas de associados da instituição foram vencedoras no WYCUP. Na edição deste ano, os projetos inscritos pelo Sicredi evidenciam ações voltadas às áreas de educação, inclusão, sustentabilidade e liderança juvenil.  Além disso, representantes do Sicredi apresentarão aos participantes do WYCUP o trabalho realizado pela instituição no Brasil com os Comitês de Jovens. A intenção é que a inciativa sirva de inspiração para que o modelo seja replicado mundialmente.

 

Apoio - As inscrições da delegação do Sicredi na Conferência Mundial do Woccu contaram com o apoio do Sescoop.

 

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.700 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi)

 

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

SICREDI UNIÃO PR/SP: Plano Safra é apresentado a centenas de associados e convidados

 

sicredi uniao 23 07 2019Seguindo o propósito de fomentar o agronegócio e de estar sempre próximo de seus associados, compartilhando informações e mantendo-os em dia com as notícias importantes para seu dia a dia, a Sicredi União PR/SP tem realizado várias reuniões com produtores e convidados para explicar e tirar dúvidas sobre o Plano Safra. 

 

Guaravera - Foram realizadas reuniões em várias cidades da Regional Norte, como Londrina, Sertanópolis, Centenário do Sul e, no próximo dia 30 de julho, será em Guaravera, distrito de Londrina. A apresentação está agendada para 19 horas, no salão da Igreja Matriz.

 

Mudanças - A apresentação do Plano Safra será feita pelo assessor Agro da Regional Norte, Rullyan José dos Santos. Entre os temas abordados por ele estão as alterações nas taxas do Pronaf Mais Alimentos de 2,5 para 3% a.a, nas taxas de linhas do BNDES, na assistência técnica ao produtor e também alterações na documentação do Proagro. “São mudanças importantes e o produtor precisa estar bem informado para tomar as melhores decisões”, informa Rullyan.

 

Atuação no agro - O Sicredi possui forte atuação no agronegócio brasileiro, estando entre os principais financiadores da atividade. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

SICOOB UNICOOB: Mesa de Câmbio da Central realiza a primeira operação de câmbio junto ao Bancoob

 

sicoob unicoob 23 07 2019Em atividade desde o início de julho, a Mesa de Câmbio do Bancoob registrou, na última quarta-feira (17/07), sua primeira operação. Realizada por meio da equipe do Sicoob Central Unicoob, a negociação atendeu um cooperado do Sicoob Meridional, cooperativa de Toledo (PR).

 

Operações internas - Segundo a analista de Desenvolvimento de Negócio, Dayane Esmerinda dos Santos, até então o Bancoob só havia realizado operações internas. “Para nós foi um marco efetivar essa primeira transação. Fomos a primeira Central a realizar operações de câmbio no sistema Sicoob. A partir de agora, o objetivo é alavancar os negócios de compra e venda de moedas estrangeiras e ampliar o portfólio de produtos e serviços oferecidos”, explica.

 

Parceria - A expectativa é que a cooperação entre a Mesa de Câmbio da Central e do Bancoob promova melhorias no fluxo operacional das demandas e possibilite uma negociação mais competitiva. “Teremos vários benefícios com essa parceria. Dentre elas, taxas de câmbio mais competitivas, não haverá limite de operações, o custo da operação será reduzido, a atualização do cadastro será realizada direto no Sisbr e a liquidação das operações será realizada direto na conta corrente do cooperado, sem a necessidade de realizar transferência. Com isso, esperamos atender as necessidades dos nossos cooperados e trazer maior rentabilidade para a cooperativas filiadas ao sistema”, complementa Dayane.

 

Gratificante - Para assistente de Desenvolvimento de Negócios, Laura Peres, foi gratificante perceber que é possível contribuir de forma efetiva. “A operação nos permitiu compreender o processo como um todo e alinhar alguns procedimentos que não seriam viáveis em operações futuras. Tenho um grande orgulho em fazer parte dessa história", afirma.

 

Modelo - Em 2017, o Bancoob esteve em Maringá, no noroeste do Paraná, para conhecer os processos utilizados na Mesa de Câmbio da Central. As informações obtidas através da troca de experiências entre as equipes auxiliaram no processo de implantação da carteira de câmbio no Bancoob. (Imprensa Sicoob Unicoob)

SICOOB INTEGRADO: Ação é realizada em parceria com o Sebrae para prospecção de cooperados

 

sicoob integrado 23 07 2019O Sicoob Integrado apoiou a realização de um evento promovido pelo Sebrae para empreendedores de Louveira (SP). A oficina "Ganhe Mercado" aconteceu no dia 16 de julho, na sede da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec) da cidade, e contou com a participação de mais de 20 pessoas, que receberam orientações de consultores do Sebrae sobre os caminhos para ganhar mercado através de diferentes estratégias, como as de marketing.

 

Apresentação - Durante a oficina, a gerente de Agência Raquel Vecchi Castagna, apresentou o Sicoob aos presentes. No próximo mês, a singular deve inaugurar uma agência na cidade. “Apresentamos os diferenciais da cooperativa como instituição financeira e eles se interessaram bastante. Após isso, muitos já entraram em contato para abrir uma conta”, afirma.

 

Quatro edições - A oficina do Sebrae e Sicoob deve ter mais quatro edições nas próximas semanas. (Imprensa Sicoob Unicoob)

RAMO CRÉDITO: Com clientela fiel, cresce participação de cooperativas no sistema bancário

 

ramo credito destaque 23 07 2019Uma das modalidades de financiamento que mais vem crescendo no Brasil nos últimos anos é o crédito rural cooperativo. De acordo com o Panorama do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo, publicado pelo Banco Central nesta semana, a participação das cooperativas na carteira de crédito total do país passou de 3,2% (2017) para 3,8% em 2018, ampliando o "market share" em relação ao setor bancário (leia-se Banco do Brasil).

 

SFN - Por falar nisso, as cooperativas também aumentaram sua participação dentro do segmento no total do Sistema Financeiro Nacional (SFN), de 2,4% para 2,7% no mesmo período. O documento leva em conta os ativos financeiros contabilizados até dezembro do ano passado. Também o crédito concedido por essas instituições entre 2015 e 2018, na modalidade pessoa física, passou de R$ 25,4 bilhões para R$ 39,3 bilhões – um crescimento de quase 55%. Até junho de 2019, o volume de desembolsos já somava R$ 27 bilhões.

 

Capilaridade e confiança - Entre os motivos para o crescimento estão a maior capilaridade das cooperativas e a confiança que recebem do produtor rural, que muitas vezes já trabalha em parceria com essas instituições em outras operações agrícolas. Segundo o BC, a quantidade de empresas cooperadas cresceu 18%, enquanto a de pessoas físicas, 8%. Além disso, as cooperativas expandiram sua presença física (em 7%) por meio de postos de atendimento em todo o país.

 

Consolidação - “Em 2018, o SNCC [crédito cooperativo] continuou em processo de consolidação, com redução de cerca de 4% na quantidade de cooperativas de crédito singulares em atividade: de 967, em dezembro de 2017, para 925, em dezembro de 2018. As incorporações [de cooperativas], principal motivo de redução, totalizaram 36 eventos. Além disso, ocorreram quatro dissoluções de sociedade e duas liquidações extrajudiciais. Nenhuma nova cooperativa de crédito entrou em atividade em 2018”, informa o BC em trecho do relatório.

 

Carteira de crédito - Apesar do enxugamento no número de cooperativas, o crescimento da carteira de crédito delas foi superior a todos os segmentos de instituições financeiras do SFN nos últimos cinco anos, considerando as modalidades de crédito varejo, mesmo quando comparado aos bancos públicos de desenvolvimento, cujo crescimento das operações de crédito direcionado foi intenso nos anos de 2014 a 2016, segundo o Banco Central. No crédito rural, as cooperativas contribuíram com R$ 6,3 bilhões para o aumento do estoque da modalidade, montante relevante quando comparado aos R$ 8 bilhões acrescentados pelos grandes bancos públicos comerciais.

 

Agro anda na frente - Uma das maiores cooperativas de crédito do país, o Sicredi (com 116 cooperativas integradas em seu sistema) cresceu 25% nos financiamentos da safra 2019/2020 em relação ao ciclo passado. A instituição é a terceira em volume de financiamentos rurais no país, atrás apenas do Banco do Brasil e do Banco do Nordeste, conforme Gilson Nogueira Farias, gerente de Desenvolvimento de Negócios – Créditos – da Central Sicredi PR/SP/RJ. “A gente tem notado ao longo dos últimos anos que apesar da crise o agronegócio anda na frente dos demais setores, o que desperta o interesse de bancos e outras instituições financeiras”, diz. Neste ano, a instituição deve desembolsar R$ 5,1 bilhões a mais em financiamentos somente para os estados de SP, PR e RJ. Até maio, o Sicredi já tinha disponibilizado um total de R$ 16,5 bilhões, R$ 2 bilhões a mais do que na safra 2018/19."

 

DNA - “Está no DNA das cooperativas estar no meio rural. Existe uma relação de confiança de quem entende o negócio do produtor rural e que consegue atender a demanda dele. O produtor sabe que o crédito vai sair para ele”, afirma Farias. Segundo ele, o crédito rural no Brasil é bastante regrado, cheio de normativas, o que faz com que os grandes bancos, por exemplo, não queiram atuar junto aos pequenos produtores, pois trata-se de uma operação trabalhosa e que não oferece retorno financeiro.

 

Padrão - “Em termos de dinheiro e processo de análise, o crédito rural é um commodity, ou seja, é padrão. Mas o nosso grau de compromisso com o produtor é maior. Onde outras instituições recuariam, a gente insiste. Esse tipo de comprometimento vai ampliando a rede de relacionamento”, observa Luciano Ribeiro Machado, superintendente Comercial do Sicoob, banco cooperativo que cresce num ritmo de 20% ao ano. Em 2009, a instituição repassou R$ 700 milhões em crédito rural. Neste ano, foram R$ 12 bilhões repassados e R$ 15 de bilhões de volume total da carteira de ativos.

 

Funcionamento - Farias explica como funciona o funding [formação da carteira de recursos] do Sicredi, bastante semelhante a outros bancos cooperativos de crédito rural. Segundo ele, a principal fonte de recursos é a poupança rural, com dinheiro oriundo das aplicações na caderneta – do qual 60% do recurso captado obrigatoriamente é destinado ao crédito rural. Outra fonte é a Letra de Crédito do Agronegócio (LCA), aplicação financeira direcionada em que 50% do recurso é destinado para crédito. “A terceira fonte é um recurso do mercado financeiro, chamado MCR 6-2 (Manual de Crédito Rural), que vem do depósito à vista de pessoas físicas e jurídicas. Esse recurso a cooperativa pega do mercado financeiro nacional, das sobras de caixa dos bancos.”

 

Crescimento sistemático - No caso do Sicoob, o crescimento tem sido sistemático, com expansão especialmente nas regiões produtoras do MT, MS, PA e MA, além de alguns municípios do Sudeste. Outra frente de expansão, segundo Machado, é quando os associados conseguem ampliar seus negócios e com isso os limites de crédito para eles também vão expandindo. “Também houve aumento de recursos para segmentos fora da porteira – cerealistas, cooperativas de produção, trades, prestadores de serviços e revendas de máquinas”, enumera.

 

Cooperativas "solteiras" também estão crescendo - Além dos bancos cooperativos, como Sicredi e Bancoob (do Sicoob), existem as chamadas cooperativas “solteiras”, ligas às cooperativas agroindustriais e que têm aval para captar poupança para crédito agrícola. É o caso da Credicoamo, ligada à maior cooperativa da América Latina, a Coamo Agroindustrial, que também registra crescimento das operações de crédito. Atualmente, dos R$ 2,7 bilhões em ativos da cooperativa, R$ 1,5 bilhão é destinado ao crédito rural. Ao todo são 19,5 mil cooperados.

 

Bancos - “Os bancos de modo geral, tirando o Banco do Brasil que é mais estruturado para isso, são pequenos em crédito rural. Isso fez com que nascesse um sistema de crédito através das cooperativas, que têm os mesmos juros que os bancos, que são estabelecidos pelo governo. No nosso caso, a grande vantagem para o agricultor é que o sistema é desburocratizado. Nisso o cooperado sente a diferença. Há uma facilidade maior para obter crédito, o que faz com que a nossa taxa de inadimplência seja muito baixa, de 0,20%”, afirma José Aroldo Gallassini, diretor-presidente da Coamo.

 

Recursos próprios - Gallassini explica que 25% do capital da Credicoamo destinado ao crédito rural é oriundo de recursos próprios da cooperativa. O restante é de repasses dos bancos, através do Plano Safra. O grosso dos empréstimos tomados pelos produtores cooperados, segundo ele, são para quitar as contas da própria cooperativa, o que inclui custos com fertilizantes, herbicidas e sementes fornecidos ao produtor. Como o cooperado é “sócio” da própria cooperativa, uma parte do dinheiro acaba voltando para ele.

 

Empréstimos - No geral, de acordo com Gilson Farias, do Sicredi, os empréstimos têm uma gama grande de finalidades, mas entre as principais estão o custeio agropecuário, com a compra de insumos, e nos investimentos de médio e longo prazo, além da modernização de equipamentos e construção de instalações na fazenda. (Gazeta do Povo)

 

ramo credito tabela I 23 07 2019
ramo credito tabela II 23 07 2019

 

UNIMED DO BRASIL: Congresso discute incorporação tecnológica e uso de dados para a gestão inteligente em saúde

unimed 23 07 2019A área da Saúde não é mais a mesma. A entrada cada vez mais frequente de inovações tecnológicas neste segmento traz óbvios benefícios em recursos e em acessibilidade, mas aponta desafios com os quais gestores do setor se esforçam para lidar. A Unimed do Brasil, atenta às transformações de mercado e à necessidade de atualização do Sistema Unimed, composto por 344 cooperativas de saúde, promove, de 23 a 25 de julho, em São Paulo (SP), o 2º Congresso Nacional Unimed de Gestão em Saúde. Em pauta estarão as novas tendências nesta seara, como o cuidado centrado nas pessoas, envelhecimento populacional, uso da inteligência artificial, integração e análise de dados, internet das coisas, além de novos modelos assistenciais e de remuneração médica.

Sustentabilidade do negócio - De acordo com o diretor de Gestão de Saúde da Unimed do Brasil, Orlando Fittipaldi Junior, o evento reunirá profissionais de áreas ligadas diretamente à gestão das Unimeds para abordar principalmente a sustentabilidade do negócio e o aprimoramento da visão estratégica. “Vivemos um momento crucial e de mudança na saúde, não só no Brasil como no mundo. A incorporação tecnológica está em velocidade crescente, trazendo melhorias a diversos setores e, principalmente, à gestão. A modernização também nos desafia a acompanhá-la e, por que não, discuti-la em prol da vitalidade financeira e administrativa das Unimeds e do segmento como um todo”, reflete o dirigente.

Visão compartilhada - A visão de Fittipaldi Junior é compartilhada pela diretora de Administração e Finanças da Unimed do Brasil, Viviane Malta, defensora da boa utilização dos dados para o aumento da inteligência na administração de recursos, o que refletirá em consequentes ganhos para a saúde suplementar, a pública e para as pessoas. “A revolução industrial 4.0 que estamos vivenciando consiste na geração ininterrupta de dados, que, se utilizados de maneira responsável, inteligente, estratégica e em consonância com a legislação vigente, oferecem uma gama imensa de possibilidades de ações estratégicas a serem adotadas para a evolução da gestão da saúde, e faz todo o sentido trazermos esse tópico para reflexão neste Congresso”, aponta.

Percepção - Já Orestes Pullin, presidente da Unimed do Brasil, ressalta a importância da ampliação da percepção sobre os assuntos que influenciam e permeiam a gestão. “Falar sobre uma gestão moderna implica também na abordagem de um olhar especial para as pessoas que se relacionam com a marca para suas questões, suas necessidades. Sejam elas clientes ou colaboradores. Isso traz uma situação na qual há de se priorizar tanto a inserção de tecnologias quanto a atenção ao ser humano, que, em primeiro momento, pode parecer incompatível, mas que é totalmente viável e complementar”, acrescenta.

Programação - O dia 24 de julho, primeiro da programação técnica, será aberto com palestra do ex-governador do Espírito Santo e atual presidente executivo da Indústria Brasileira de Árvores (Ibá), Paulo Hartung, que falará sobre economia em saúde. Na sequência, a data reserva, entre outras atrações, uma mesa-redonda especial sobre o Registro Eletrônico de Saúde (RES), criado pela Unimed para gestão de dados de seus beneficiários, com participação de Luis Gustavo Gasparini Kiatake, presidente da Sociedade Brasileira de Informática em Saúde (SBIS), Roberto Gordilho, CEO da consultoria GESsaúde, Viviane Malta, diretora de Administração e Finanças da Unimed do Brasil e Orestes Pullin.

Outros temas - No último dia da programação (25), outros assuntos latentes para a gestão em saúde estarão em discussão, entre eles a Internet das Coisas (IoT), novos modelos de negócio e de remuneração, a Atenção Primária à Saúde e o uso da inteligência artificial. O evento fecha com apresentação da jornalista e blogueira Cristiane Segatto sobre o panorama da saúde suplementar na mídia.

Sobre a Unimed - A Unimed, maior sistema cooperativo de saúde do mundo, possui 52 anos de atuação no mercado de saúde suplementar. A marca nasceu com a fundação da Unimed Santos (SP), em 1967, e hoje é composta por 345 cooperativas médicas, com assistência para cerca de 18 milhões de beneficiários em todo País. Entusiasta do movimento SomosCoop, da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), a Unimed conta com mais de 115 mil médicos, 119 hospitais próprios e 2.506 hospitais credenciados, além de pronto-atendimentos, laboratórios e ambulâncias para garantir a qualidade da assistência médica, hospitalar e de diagnóstico complementar prestada aos beneficiários das cooperativas. Sua marca é ratificada pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi) como de alto renome por seu grande nível de conhecimento pelo público, autoridade incontestável e fama que ultrapassa os limites do segmento de saúde. (Imprensa Unimed do Brasil)

SERVIÇO

2º Congresso Nacional Unimed de Gestão em Saúde

Onde: Expo Center Norte – São Paulo (SP)

Quando: de 23 a 25 de julho

Informações: https://www.unimed.coop.br/web/eventos2019/informacoes

 

COCAMAR: Cocamar Máquinas completa em Apucarana ciclo de inaugurações

 

Completando a série de inaugurações de lojas em cidades do norte paranaense, a Cocamar Máquinas, concessionário John Deere, formalizou na noite de sexta-feira (19/07) em Apucarana, a abertura de sua estrutura de atendimento. Foi a terceira solenidade realizada na mesma semana: na quarta-feira (17/07) a empresa inaugurou suas instalações em Ivaiporã e, na quinta-feira (18/07), em Cornélio Procópio, sem contar, no dia 2, o início de operação em Cambé.

 

Rede - Somando o norte e o noroeste (onde já atua desde 2016 em Maringá, Paranavaí, Querência do Norte e São Pedro do Ivaí), a Cocamar Máquinas passa a contar com uma rede de 8 lojas, comercializando toda a linha de maquinários, equipamentos, peças e serviços John Deere.

 

Apresentação - Em Apucarana, o presidente da Cocamar, Divanir Higino, e o gestor da Cocamar Máquinas, Arquimedes Alexandrino, ao lado de representantes da John Deere, receberam produtores do município e região, além de autoridades e lideranças, para apresentação das instalações localizadas na BR-376, anexo à unidade operacional da cooperativa. 

 

Apoiar - Antes do descerramento da fita simbólica, o presidente Divanir Higino destacou que o investimento da cooperativa na concessão de máquinas e implementos agrícolas têm a finalidade de apoiar os produtores na aquisição dos melhores e recursos tecnológicos para a modernização da atividade e ampliar seus níveis de eficiência e produtividade. (Imprensa Cocamar)

 

{vsig}2019/noticias/07/23/cocamar/{/vsig}

COPAGRIL: Maior campanha da história da cooperativa será lançada na Expo Rondon 2019

Além de ser uma das empresas parceiras da Expo Rondon 2019, evento alusivo aos 59 anos do município de Marechal Cândido Rondon (PR), a Cooperativa Agroindustrial Copagril estará presente em cinco estandes durante os dias de festa, que vai de 25 a 28 de julho. Além de montar diversos atrativos e estruturas, devido à importância e visibilidade do evento, a Copagril também realizará o lançamento da maior campanha de sua história, na quinta-feira (25/07), às 19 horas, a qual será alusiva aos 50 anos da cooperativa, que serão comemorados no dia 09 de agosto de 2020.

Participação - A Copagril, maior empresa do município, estará presente na Exposição da Indústria e Comércio (Expomar); no Salão Agronegócio; na Exposição Agropecuária (Expopecuária), na Exposição de Máquinas e Implementos Agrícolas e ainda no Boi no Rolete, sendo que os vistantes que passarem nos estandes da cooperativa poderão preencher cupons para concorrer a diversos prêmios no encerramento da Expo Rondon.

Expomar - Na Exposição da Indústria e Comércio a cooperativa preparou um estande em parceria com a Frimesa Cooperativa Central, onde serão exibidos produtos que fazem dos portfólios de ambas empresas, os quais são destaque em nível nacional, bem como são exportados para diversos países e que, dessa forma, projetam as respectivas marcas e suas regiões produtoras para além de suas fronteiras.

Salão do Agronegócio - O Salão do Agronegócio é uma estrutura exclusiva da Copagril, onde os clientes poderão conferir produtos das Lojas Agropecuárias, assim como terão oportunidade de aproveitar ofertas especiais. No mesmo espaço o público visitará o Balcão de Negócios Copagril; a Cafeteria Copagril; Espaço do Chimarrão; o Simulador de Corrida de Fórmula 1; e ainda o espaço Kids, onde haverá um brinquedo com óculos de realidade virtual.

Expopecuária - Na Expopecuária, a Copagril trará um miniaviário, uma minigranja de suínos, além de exposição de gado leiteiro, exposição de pequenos animais e exposição de produtos e serviços de empresas parceiras. Dentro da programação da Expopecuária também estará presente a 33ª Exposição Regional de Bovinos da Raça Holandesa, a qual será realizada no sábado (27), a partir das 09 horas e apresentará diversas informações importantes aos produtores de leite que trabalham com a raça.

Máquinas e implementos agrícolas - No setor de máquinas e implementos agrícolas, a cooperativa exibirá diversas opções que estão à disposição dos agricultores para facilitar e modernizar os trabalhos nas propriedades, trazendo uma ampla gama de produtos, os quais poderão ser negociados diretamente com representantes e vendedores da cooperativa.

 Bem-vindos - Durante as últimas duas semanas, os responsáveis pelos estandes da cooperativa têm se empenhado para dar forma às estruturas da Copagril no evento, visando proporcionar o máximo conforto e comodidade aos visitantes que passarem pelos estandes durante os quatro dias de programação da Expo Rondon 2019. (Imprensa Copagril)

{vsig}2019/noticias/07/23/copagril/{/vsig}

COOPAVEL: Cooperativa economiza quase R$ 50 mil por mês com sistema biodigestor

coopavel 23 07 2019

Produzir a própria energia por meio de dejetos de animais é sinal de favorecimento ao meio ambiente e ao bolso. Um sistema biodigestor tem ajudado a Coopavel, sediada em Cascavel, Oeste do Paraná, a economizar quase R$ 50 mil por mês. É o que mostra a matéria exibida no domingo (21/07) pelo programa RIC Rural para todo o Estado. A equipe de reportagem foi conferir como a cooperativa está realizando esse trabalho com os cooperados que criam suínos.

Clique aqui para conferir a reportagem

 

PROTEÍNA ANIMAL: AveSui EuroTier abre as portas para tecnologias e inovações

 

proteina animal 23 07 2019O maior evento das cadeias produtivas de proteína animal começou. A AveSui EuroTier reúne tecnologia, negócios e programação técnico-científica com foco nos produtores, profissionais da agroindústria e cooperativas. A feira, que ocorre em Medianeira, no Paraná, se estende até a quinta-feira (25/07).

 

Expositores - Nesta terça-feira (23/07), primeiro dia da feira de negócios, as atividades começam às 10h. São mais de 150 expositores de diferentes segmentos da cadeia de aves, peixes, suínos e pecuária leiteira. Os stands apresentam novas tecnologias e serviços para atender aos anseios de produtores de cooperativas e agroindústria.

 

Congresso - Já a programação técnica, começa às 9h, com o IV Congresso de Zootecnia de Precisão, que discute a pecuária 4.0, tecnologias disruptivas na produção animal, entre outros assuntos importantes para o momento atual. A partir desse horário, ocorre ainda o Seminário Técnico-Científico, que terá dois painéis nesta terça-feira. A Biosseguridade na Produção Animal e o painel Métodos de Eliminação "Eutanásia" para suínos e aves.

 

Novidades - A AveSui EuroTier traz novidades, nesta 18ª edição, como o Espaço Digital Farming. Em um ambiente tecnológico, as startups poderão exibir suas pesquisas e encontrar investidores quer apostem em suas ideias. Neste dia 23, haverá apresentação das dez startups no auditório de inovações, a partir das 15h. A visitação é aberta ao público que poderá conhecer mais a fundo cada tecnologia desenvolvida.

 

Prêmio Quem é Quem - A cerimônia de abertura do evento, que ocorre no primeiro dia, às 18h, tem como marca a entrega do IV Prêmio Quem é Quem – Maiores e Melhores Cooperativas. Presidentes, gerentes e técnicos das cooperativas ligadas às cadeias de aves, suínos e peixes confirmaram presença no evento.

 

Revistas - Criado pelas revistas Avicultura Industrial e Suinocultura Industrial, publicações da Gessulli Agribusiness, o prêmio tem uma nova categoria este ano, a de biomassa & bioenergia, uma área que cresce dentro das produções intensivas de suínos e aves, gerando soluções para a destinação dos dejetos, assim como alternativas viáveis à geração energética.

 

Outras - As outras dez categorias são: Desempenho Econômico-Financeiro, Responsabilidade Ambiental, Responsabilidade Social, Desenvolvimento Sustentável, Melhor Cooperado (Aves e Suínos), Melhor Técnico/Assistência Técnica, Inovação, Gestão Operacional, Mulher Cooperada e Varejo.

 

Programação Técnico Científica - Não foi somente o espaço físico da AveSui que foi ampliado. A programação técnica que compreende o IV Congresso Brasileiro de Zootecnia de Precisão e o VXIII Seminário Técnico Científico de aves e Suínos também ganharam novos painéis, no total serão mais de 40 palestras para os profissionais do setor se atualizarem e otimizarem a produção nacional. Até o momento, mais de 500 pessoas se inscreveram para participar destas atividades. O seminário conta com temas como Biosseguridade, Mercado, Eutanásia, Fábrica de Rações, Inseminação Artificial, Bem-Estar Animal, Processamento de Carnes, Piscicultura, Biomassa & Bioenergia até o Congresso de Zootecnia de Precisão. Além do seminário, pesquisadores e estudantes poderão enviar seus trabalhos científicos para premiação do Instituto Oswaldo Gessulli.

 

Painéis - Os painéis contam com profissionais de renome do setor como a Dra. Fabiana Ribeiro Caldara - Professora Doutora do Programa de Pós-Graduação em Zootecnia da Faculdade de Ciências Agrárias da UFGD;  Dra Viviane Maria Oliveira dos Santos Nieto, Professora  da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul ; Dra. Fabiana Villa Alves, Pesquisadora da Embrapa Gado de Corte; Dr. Rony Antonio Ferreira, Professor da Universidade Federal de Lavras (UFLA);  Prof. Dr. Iran José Oliveira da Silva Professor da Esalq / USP; Dr. Luizinho Caron, Pesquisador da Embrapa Suínos e Aves; Dra. Juliana Ribas, Médica Veterinária pela  UNESP de Jaboticabal; Dr. Thiago Bernardino de Carvalho, Pesquisador do Cepea; Dr. Rubem Groff, Gerente de Vendas Feed da Bühler; Dr. Heitor Daguer, Auditor Fiscal Federal do Mapa; Dra. Mariana Groke Marques, Pesquisadora da Embrapa Suínos e Aves;  Dra. Carmen Josefina Contreras Castillo - Professora do Departamento de Agroindústria, Alimentos e Nutrição da Esalq/ USP; Dr. Paulo Abreu - Pesquisador da Embrapa Suínos e Aves, Sr. Alessandro Gardemann, Presidente da Abiogas;  Dr. Eric Arthur Bastos Routledge e muitos outros.

 

Link - A programação técnico científica completa pode ser consultada pelo link https://www.avesui.com/seminarios/temario

 

Auditório de Inovações - A AveSui EuroTier South America oferece mais uma vez o Auditório de Inovações com palestras gratuitas aos visitantes para que conheçam as tendências e lançamentos do setor produtivo mundial. O auditório busca promover a interação entre público, expositores, visitantes e empresas nacionais e internacionais trazendo novidades e inovações de expositores nacionais e internacionais.

 

Temas - Este ano serão debatidos temas como ambiência, financiamentos rurais, novas tecnologias, energias renováveis telamento e construção civil. Também no auditório de inovações haverá a apresentação das startups que fazem parte do Espaço Digital farming.

 

Palestras - As palestras do Auditório de inovação acontecem nos dias 23 e 24 de julho das 11:00 as 16:00 e a programação completa pode ser encontrada no link https://www.avesui.com/programacao.

 

Forum DLG - O Stand da DLG oferecerá palestras gratuitas para os visitantes da feira durante os três dias de evento. Confira a programação completa em: https://www.avesui.com/programacao.

 

Kemin Innovation Truck - Durante os três dias da AveSui EuroTier South America, os visitantes terão acesso ao Kemin Innovation Truck para conhecer sua infraestrutura, além de se atualizar nas duas edições diárias do Snack Learning às 10h30 e 16h00. Confira a programação pelo link https://www.avesui.com/programação.                   

 

Espaço Digital Farming - A revolução silenciosa da agropecuária 4.0 será destaque na AveSui Eurotier South America 2019. O Espaço Digital Farming, uma das atrações mais esperadas do evento e conta com dez startups do setor. O espaço é uma iniciativa do Instituto Oswaldo Gessulli, com apoio da Embrapa Suinos e Aves com coordenação do Dr. George Hiraiwa e da Dra. Renata Abreu.

 

Pesquisas - Num ambiente tecnológico as startups poderão exibir suas pesquisas e encontrar investidores quer apostem em suas ideias. No dia 23 haverá apresentação das dez startups no auditório de inovações às 15:00. A visitação é aberta ao público que poderá conhecer mais a fundo cada tecnologia desenvolvida

 

Startups - As startups confirmadas são a Granter com um sistema digital de integração entre granjas; a CEPR1 que apresenta o primeiro projeto desenvolvido pelo Sistema Ecoperativa; a FOHAT com softwares para a digitalização e gestão da comercialização de energia, a TransPORK com sistema de monitoramento instalado de transporte; a Mais Caipira focada na avicultura alternativa; Agrotatil com a plataforma Tatilfish; a Bley energias com a microrefinaria; A Agrisolus com sensores e softwares para gerenciamento; e a Kemia, ganhadora do InovaPork com solução para o tratamento de águas residuais.

 

Espaço Cooperativas - A AveSui também irá contar com espaço dedicado as caravanas das cooperativas que vem de diversas partes do país, algumas delas viajarão doze horas para chegar a feira. O Espaço Cooperativas é um espaço de hospitalidade, uma estrutura construída para receber os cooperados e conta com estrutura para descanso e interação. As próprias cooperativas reservam o espaço para receber seus cooperados e algumas delas estão preparando atividades exclusivas para recebe-los. As cooperativas que ainda não reservaram o espaço, podem entrar em contrato pelo email avesui@gessulli.com.br.

 

Granja Modelo - E como já é tradição da maior feira de proteína animal da américa latina, um espaço interativo para demonstrar os principais equipamentos e infraestrutura para montar uma granja moderna, eficiente, sustentável e rentável ao produtor será montado dentro da maior feira de aves, suínos e peixes da América Latina. A Granja Modelo é um show room, dentro do evento, para que os visitantes possam ver, idealizar e planejar  sua próxima compra. Para quem participa é um cartão de visitas que garante a oportunidade da troca de contatos e expandir as relações comerciais.

 

Estrutura - Neste ano, a estrutura será feita pela empresa AJJ que atua na produção e comercialização de estruturas pré-moldadas, para as mais diversas atividades comerciais e industriais. A cobertura fica por conta da Saimor, a Kingspan Isoeste, líder em construtivos isotérmicos na América do Sul, realizará a cobertura da granja, apresentando telhas térmicas para avicultura e suinocultura, além de painéis térmicos e soluções voltadas ao Agronegócio como construtivos para câmara de sementes, dark house e frigóríficos.

 

Produtos e equipamentos - O show room contará também com produtos e equipamentos de empresas nacionais e internacionais como  Astral Ambiental, Huesker, Solpack, Multinova, Brasilit, Conceito, J A Ambiental, Karsher, Germek, Maxicaixas, Arautherm, Nooyen, FDA, Fengrum, Matriagro, Bono Fotovoltaica, Agrobona e Bley Energias.

 

Feira de Negócios - Pioneira na realização de parcerias, joint ventures e novos negócios, a AveSui chega a sua 19ª edição consolidada como ponto de encontro do setor de aves, suínos e peixes da América Latina oferecendo aos seus visitantes oportunidades de contato direto com  novas empresas, tecnologias e soluções para produção do mundo todo.

 

Empresas - Os visitantes terão acesso a empresas nacionais e internacionais, muitas delas expondo pela primeira vez no Brasil. A feira será realizada nos dias 23, 24 e 25 de julho no Lar Centro de Eventos na cidade de Medianeira, na região Oeste do Paraná, dentro do maior centro produtivo de proteína animal do mundo.

 

A cidade - A cidade é localizada a 60km de Foz do Iguaçu, terceira cidade brasileira que mais recebe turistas internacionais e tem suas extremidades conectadas por grandes rodovias, proporcionando conforto, praticidade de locomoção aos expositores e visitantes da AveSui EuroTier South America até o Centro de Convenções da Lar. (Assessoria de Imprensa do evento)

 

SERVIÇO

AveSui EuroTier South America 2019

Data: 23, 24 e 25 de julho de 2019

Local: Lar Centro de Eventos - Av 24 de Outubro, nas margens da BR 277, km 669, Medianeira (PR)

Informações: (11) 4013-1277

E-mail: avesui@gessulli.com.br

Site: www.avesuieurotier.com

AVICULTURA: Sensores de ambiência monitoram produções agroindustriais

 

avicultura 23 07 2019As análises feitas por meio de sensores de ambiência estão entre as principais aplicações em nuvem no agronegócio. Com a adoção da tecnologia em granjas,  é possível realizar diagnóstico de possíveis problemas, desvios ou desperdícios em curso na produção. Dessa forma, podem ser executadas correções em tempo real. Assim sendo, o monitoramento pode proporcionar ganhos de produtividade. Tanto para produtores rurais quanto para agroindústrias.

 

Exemplo - Exemplo dessa tendência é a solução “Gestão Avícola”, da E-Aware, empresa do SPRO Group. Desse modo, a tecnologia será apresentada aos participantes da AveSui EuroTier South America. O evento será realizado entre os dias 23 e 25 de julho, no Lar Centro de Eventos na cidade de Medianeira, na região Oeste do Paraná.

 

Monitoramento com sensores de ambiência - Em síntese, por meio desses sensores, as mais diversas situações agora são traduzidas em dados.  Por sua vez, esses dados são transformados em informações que ajudam a melhorar ou mesmo alterar o processo de manejo. A solução permite o controle de todos os aviários de forma centralizada, com indicadores de cada granja.

 

Informações mais precisas - Com isso, o produtor tem em mãos informações mais precisas, podendo aplicar diferentes formas de manejo, aumentando a eficiência do lote. Todo o ecossistema gera ganhos de rentabilidade para todas as pontas: o produtor, o integrador e o consumidor final, com rastreabilidade de todo o processo produtivo e garantia do bem-estar animal.

 

Tendência - Só para exemplificar, 69% dos líderes de Tecnologia da Informação consideram plataformas em nuvem importantes para posicionar suas empresas e aproveitar novas tecnologias. 64% consideram a nuvem para entregar serviços e aplicativos de forma mais rápida. Ainda, 62% dos decisores de tecnologia dizem que suas estratégias de nuvem são essenciais para permanecerem competitivos. É o que mostra uma pesquisa realizada em 2018 pela Frost & Sullivan.

 

Vantagens - Em síntese, as plataformas e soluções em nuvem apresentam diversas vantagens em relação à implementação de infraestruturas locais. Entre elas, redução de custos de implementação e escalabilidade no armazenamento de dados. Além de agilidade no processamento para acesso a informações em tempo real.

 

Desafios - O primeiro grande desafio das empresas do agronegócio  é a questão da conectividade no campo. Outro grande desafio é o de integrar todas as informações em uma única plataforma. Por fim, processar este alto volume de dados em informações relevantes para o ecossistema, principalmente para o produtor rural. Em suma, a adoção das plataformas em nuvem pode solucionar todas essas questões.

 

SPRO Group na Avesui - A solução “Gestão Avícola”, da E-Aware, empresa do SPRO Group, será apresentada aos participantes da AveSui EuroTier South America. Pioneira na realização de parcerias, joint ventures e novos negócios, a AveSui chega a sua 19ª edição. O evento é um ponto de encontro do setor de aves, suínos e peixes da América Latina. A Avesui oferece aos seus visitantes oportunidades de contato direto com  novas empresas, tecnologias e soluções para produção do mundo todo. A feira será realizada nos dias 23, 24 e 25 de julho no Lar Centro de Eventos na cidade de Medianeira, na região Oeste do Paraná. (Assessoria de Imprensa)

COMÉRCIO EXTERIOR: Balança tem superávit de US$ 409 milhões na terceira semana de julho

 

comercio exterior 23 07 2019A balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 409 milhões na terceira semana de julho de 2019, resultado de exportações no valor de US$ 4,829 bilhões e importações de US$ 4,420 bilhões, informou a Secretaria de Comércio Exterior, do Ministério da Economia.

 

Mês - No mês, as exportações somam US$ 13,550 bilhões e, as importações, US$ 11,367 bilhões, com saldo positivo de US$ 2,182 bilhões.

 

Ano - No ano, as exportações totalizam US$ 123,392 bilhões e as importações somaram US$ 95,134 bilhões, com saldo positivo de US$ 28,258 bilhões.

 

Média diária - A média das exportações por dia útil na terceira semana de julho chegou a US$ 965,9 milhões, 10,8% acima da média de US$ 872,0 milhões até a segunda semana, em razão do aumento nas exportações de produtos básicos (+17,1%, de US$ 473,9 milhões para US$ 554,8 milhões, por conta de minério de ferro, milho em grãos, soja em grãos, petróleo em bruto, carnes bovina e de frango) e manufaturados (+6,3%, de US$ 285,0 milhões para US$ 303,1 milhões, em razão, principalmente, de aviões, gasolina, suco de laranja não congelado, polímeros plásticos, éter alcoólico).

 

Importações - Por outro lado, caíram as exportações de produtos semimanufaturados (-4,5%, de US$ 113,0 milhões para US$ 107,9 milhões, em razão de açúcar de cana em bruto, ouro em formas semimanufaturadas, catodos de cobre, alumínio em bruto, zinco em bruto).

 

Crescimento - Do lado das importações, houve crescimento de 27,2%, sobre igual período comparativo (média da terceira semana, US$ 884 milhões sobre média até a segunda semana, US$ 694,7 milhões), explicado, principalmente, pelo aumento nos gastos com cereais e produtos da indústria de moagem, adubos e fertilizantes, farmacêuticos, químicos orgânicos e inorgânicos, combustíveis e lubrificantes. (Valor Econômico)

TRANSPORTE DE CARGAS: Temor de greve leva ANTT a suspender o tabelamento do frete

 

transporte cargas 23 07 2019Três dias após começar a valer, a nova tabela de frete rodoviário foi suspensa para evitar o retorno das paralisações nas estradas de caminhoneiros insatisfeitos com o custo mínimo do transporte de cargas proposto pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) na semana passada. Em resposta à solicitação formal do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, a diretoria da agência convocou reunião extraordinária para tornar sem efeito os novos valores de referência do custo mínimo do frete.

 

Trabalhando - "Vamos continuar trabalhando. Quando tivermos um bom produto, soltamos a nova. Há de haver convergência", afirmou Freitas ao Valor. Com a decisão, voltou a valer a tabela de preço do frete publicada em maio de 2018. O ministro receberá os representantes dos caminhoneiros amanhã.

 

STF - A decisão da agência reguladora lança novamente a expectativas para um desfecho do caso em julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF), marcado para setembro. Na ocasião, a corte deverá se posicionar sobre três ações diretas de constitucionalidades contra a tabela de frete que voltou a valer.

 

Temporário - Nesta segunda-feira (22/07) o relator do caso na ANTT, diretor Davi Barreto, disse que a suspensão valerá em caráter temporário para evitar "notórios danos econômicos e sociais" em eventual retomada da greve. Na reunião da diretoria, Barreto acatou o apelo feito pelo ministro, para que a norma da agência, com os novos valores de custo mínimo do frete, deixasse de valer "até que seja resolvido impasse", em especial com caminhoneiros autônomos.

 

Clamor social - "O ministério identificou clamor social que pode vir a gerar danos gravosos à população brasileira. A suspensão temporária, até que se tomem as decisões necessárias, pode ser considerada um ato de cautela para que os agentes públicos possam avaliar a amplitude da paralisação anunciada pela imprensa, além de realizar melhorias na redação da norma", afirmou Barreto.

 

Riscos - O relator reconheceu os riscos de uma nova paralisação para o país, tomando como referência o que ocorreu em maio do ano passado. "A greve dos caminhoneiros, como ficou notoriamente conhecida, ocasionou uma série de problemas graves para a economia do país, como o aumento da inflação, redução da produção industrial e comercial, bem como queda das exportações", afirmou.

 

Dúvida - Ao suspender a nova tabela, a diretoria da ANTT reconheceu que a norma aprovada gerava dúvida sobre o repasse do custo com pedágio e a garantia de algum lucro aos transportadores. Sobre o custo do pedágio, Barreto disse que a resolução excluiu este item do custo mínimo do frete. Porém, a lei que instituiu a Política Nacional de Pisos Mínimos, do ano passado, prioriza a cobertura de custos com pedágio e óleo diesel.

 

Interpretação - "A leitura conjunta dos dispositivos pode sim gerar uma interpretação equivocada sobre a não obrigatoriedade do pagamento do pedágio", afirmou o diretor, durante a reunião da diretoria da ANTT. Sobre o lucro do transportador, Barreto mencionou que a nova norma estabeleceu que tal aspecto não integra o cálculo do piso mínimo, o que deve ser resultado da livre negociação entre as partes.

 

Avaliação - "Por mais que a conceituação do custo operacional não abarque o lucro, entendo relevante avaliar se a prática de pisos mínimos, sem incorporar a margem de lucro dos transportadores, principalmente dos autônomos, é capaz de proporcionar a adequada retribuição ao serviço", disse o diretor.

 

Reação espontânea - O presidente da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA), Diumar Bueno, disse que a nova ameaça de greve foi uma "reação espontânea" dos caminhoneiros contra variáveis de custos que foram desprezadas. Ele afirma que não há discordância sobre a nova metodologia. "Isso foi reconhecido pelo próprio ministro", disse ao Valor.

 

Lamento - O advogado Frederico Favacho, sócio do Mattos Engelberg Advogados, lamentou a suspensão da nova tabela. "Os estudos mostraram que a tabela em vigor impõe artificialmente o preço do frete", disse. Ele afirmou que o escritório usará os estudos da nova tabela para invalidar as multas de clientes que a descumpriram. (Valor Econômico)

ECONOMIA: Governo bloqueia mais R$ 1,44 bilhão do Orçamento

 

economia 23 07 2019A revisão para baixo do crescimento da economia brasileira em 2019 fez a equipe econômica anunciar um novo bloqueio no Orçamento. Segundo o Relatório Bimestral de Avaliação de Receitas e Despesas, divulgado nesta segunda-feira (22/07) pelo Ministério da Economia, o governo decidiu contingenciar mais R$ 1,443 bilhão de verbas do Poder Executivo.

 

Valor contingenciado - Agora, o valor contingenciado do Orçamento de 2019 soma R$ 31,224 bilhões. Originalmente, o governo teria de contingenciar R$ 2,252 bilhões, mas a equipe econômica usou R$ 809 milhões de uma reserva de emergência criada em março, reduzindo o valor do bloqueio adicional para R$ 1,443 bilhão.

 

Distribuição - A distribuição do contingenciamento pelas pastas só será anunciada na próxima semana, quando o governo editará um decreto detalhando o bloqueio. Os poderes Legislativo e Judiciário, o Ministério Público da União e a Defensoria Pública da União terão um contingenciamento adicional de R$ 16 milhões.

 

Relatório - Enviado a cada dois meses ao Congresso Nacional, o Relatório Bimestral de Receitas e Despesas orienta a execução do Orçamento Geral da União com base na revisão dos parâmetros econômicos e das receitas da União. Caso as receitas caiam, o governo tem de fazer novos bloqueios para cumprir a meta de déficit primário – resultado negativo nas contas do governo sem os juros da dívida pública – de R$ 139 bilhões para este ano.

 

Retração - Há dez dias, o governo reduziu de 1,6% para 0,8% a projeção de crescimento para o Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas produzidas no país). A diminuição do crescimento impacta a arrecadação porque a desaceleração econômica reduz o pagamento de impostos em relação ao originalmente planejado.

 

Reserva de emergência - Em março, o governo tinha criado uma reserva de emergência de R$ 5,37 bilhões para evitar novos contingenciamentos. No fim de maio, o governo usou parte dessas reservas para evitar um contingenciamento e liberar recursos para os ministérios da Educação e do Meio Ambiente. Agora, o governo queimou mais R$ 809 milhões da reserva, zerando o colchão de emergência.

 

Receitas - A equipe econômica revisou as receitas para baixo em R$ 5,296 bilhões. As principais diminuições vieram da diminuição da arrecadação do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins), com recuo de R$ 6,8 bilhões, devido ao baixo crescimento da economia e ao aumento no pedido de compensações tributárias por empresas. O menor lucro das empresas reduziu a projeção de arrecadação do Imposto de Renda em R$ 1,9 bilhão.

 

Outras - Outras receitas, como a arrecadação líquida da Previdência Social, subiram em R$ 1,477 bilhão. A receita de royalties de recursos naturais foi elevada em R$ 1,1 bilhão – R$ 485,2 milhões de royalties de minérios e R$ 641 milhões para royalties de petróleo.

 

Revisão - O contingenciamento poderia ter sido maior se o governo não tivesse revisado para baixo as despesas obrigatórias em R$ 3,47 bilhões. As principais diminuições vieram dos créditos extraordinários para o subsídio ao óleo diesel (-R$ 1,9 bilhão) e no pagamento de sentenças judiciais e precatórios (-R$ 1,5 bilhão). (Agência Brasil)

IPCA-15: Prévia da inflação oficial fica em 0,09% em julho, diz IBGE

ipca 15 23 07 2019O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), que mede a prévia da inflação oficial, registrou taxa de 0,09% em julho. A taxa é superior ao resultado de junho, de 0,06%. Com os dados divulgados nesta terça-feira (23/07), o IPCA-15 acumula taxas de inflação de 2,42% no ano e de 3,27% em 12 meses, abaixo, portanto, do centro da meta de inflação do Banco Central, que é de 4,25%.

Habitação - A inflação da prévia de julho foi provocada principalmente pelos gastos com habitação, que ficaram 0,43% mais caros no período, principalmente devido à alta de preços de 1,13% da energia elétrica.

Outros grupos - Outros grupos de despesas com impactos importantes na prévia de julho foram as despesas pessoais, que registraram inflação de 0,48%, e saúde e cuidados pessoais, com taxa de 0,34%. Os alimentos tiveram inflação de 0,03%.

Transportes - Por outro lado, os gastos com transportes tiveram deflação (queda de preços) de 0,44% e evitaram um IPCA-15 mais alto em julho. O resultado foi influenciado pela queda de preços de 3% dos combustíveis. Ficaram mais baratos a gasolina (-2,79%), o etanol (-4,57%), o óleo diesel (-1,59%) e o gás veicular (-0,49%).

Mais - Outros grupos com deflação foram vestuário (-0,19%) e artigos de residência (-0,06%). (Agência Brasil)

 

FMI: Fundo corta previsão de crescimento para economia do Brasil em 2019

fmi destaque 23 07 2019A projeção do Fundo Monetário Internacional (FMI) para o crescimento econômico do Brasil em 2019 sofreu corte de 1,3 ponto percentual. Em abril, a instituição previa expansão de 2,1% para o país este ano, mas reduziu ainda mais a expectativa e agora prevê que o PIB brasileiro fechará o ano com avanço de 0,8%, de acordo com o relatório Panorama Econômico Mundial (WEO, na sigla em inglês), divulgado nesta terça-feira (23/07).

Janeiro - Em janeiro, no primeiro relatório do ano, a perspectiva de crescimento do FMI para o Brasil era de 2,5%. No relatório, o FMI aponta como causa o enfraquecimento do otimismo diante de incertezas que ainda persistem sobre a capacidade do governo de tocar reformas econômicas estruturais.

2020 - Para 2020, contudo, o FMI ainda acredita em uma aceleração que eleve o crescimento para 2,4%, apenas 0,1 ponto percentual abaixo do que foi projetado no último mês de abril para o ano que vem.

México - Em relação ao México, onde o FMI observa o nível de investimento ainda fraco e desaceleração do consumo das famílias também como consequências de incertezas políticas e custos mais altos para empréstimos, a previsão de crescimento para este ano foi reduzida em 0,7 ponto percentual, para 0,9%. Para 2020, a expectativa se manteve inalterada em 1,9%.

América Latina - Os cortes sobre as expectativas de Brasil e México derrubaram a projeção de crescimento para a América Latina. “A previsão é que a região cresça a um ritmo de 0,6% em 2019, 0,8 ponto percentual a menos que o esperado no relatório de abril, e que acelere para 2,3% em 2020”, diz o FMI. (Valor Econômico)

fmi 23 07 2019

 

FGTS: Primeiro saque deve ser limitado a R$ 500

 

fgts 23 07 2019A medida provisória que altera as regras de saque do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), a ser divulgada nesta quarta-feira (24/07), deve restringir a apenas R$ 500 o primeiro saque previsto para setembro. A medida vai prever, também, a opção de saques anuais na conta do fundo na data de aniversário do trabalhador. Outra mudança será a distribuição de 100% dos rendimentos do FGTS para os cotistas, conforme antecipou ontem o Valor PRO, serviço de notícias em tempo real do Valor.

 

Versão mais recente - Segundo a versão mais recente do texto da MP, que ainda está sendo finalizado, a nova modalidade, chamada "saque-aniversário", começaria a partir de setembro. Aí é que entra, portanto, a regra de escalonamento no valor dos saques. Na ideia original, eles variavam de 10% a 35%, dependendo do valor depositado na conta. Nos últimos dias, porém, o governo estava revendo as faixas, com as propostas variando de quatro a sete delas. De qualquer forma, a primeira faixa do saque escalonado seria, também, de R$ 500.

 

Construção civil - Pressionado pela indústria da construção civil, o governo atenuou a medida. O setor temia que as novas regras de saque do fundo esvaziassem o "funding" dos financiamentos habitacionais e de saneamento básico. Nesta segunda-feira (22/07) o secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues, reiterou o compromisso de preservação dos recursos para o setor. Por outro lado, a medida provisória deverá ajudar a reduzir o endividamento das famílias - já que um terço das famílias endividadas, possuem débitos de até R$ 500. Ele negou que a medida seja um "voo de galinha" - uma injeção temporária de recursos na atividade econômica. "Não é um 'repeteco' do que foi feito tempos atrás", disse, explicando que, além do efeito de curto prazo, "no médio prazo o impacto será bastante denso".

 

Rendimento - A MP também prevê a distribuição de 100% dos rendimentos do FGTS aos trabalhadores. No governo do presidente Michel Temer foi permitida a distribuição de 50% do lucro para melhorar a rentabilidade das contas. Os depósitos do fundo são remunerados pela TR mais 3% ao ano. A visão do governo é que isso não oneraria o custo de financiamento imobiliário e ainda daria um ganho ao trabalhador.

 

PIS/Pasep - O PIS e o Pasep também serão contemplados na MP, que prevê a liberação dos valores para 11,5 milhões de pessoas, embora espere-se um impacto bem menor dessa medida. Com a iniciativa, estima-se que serão injetados cerca de R$ 42 bilhões na economia, sendo R$ 40 bilhões do FGTS e R$ 2 bilhões do PIS e do Pasep no período de setembro de 2019 a março de 2020. Outras versões apontavam injeção de R$ 30 bilhões.

 

Expectativa - A expectativa da equipe econômica é de que, com mais dinheiro nas mãos, os consumidores reativem um pouco a economia pelo lado da demanda. Mas, da forma como está estruturada a MP, com nova regra permanente de saques (como a opção entre saque anual ou no momento da demissão sem justa causa), o governo espera também melhor alocação dos recursos na economia.

 

Multa - Por outro lado, a MP não irá mexer na multa de 40% paga aos trabalhadores demitidos sem justa causa e também não deverá alterar a multa adicional de 10% cobrada das empresas. "Essa questão ainda será objeto de estudo", disse uma fonte. Nos últimos dias o presidente Jair Bolsonaro tem feito muitas críticas à multa do FGTS de 40%. No domingo, chegou a falar que o percentual de 40% poderia ser revisto no futuro.

 

Eliminação - Conforme noticiado pelo Valor, o governo pretende acabar, em até cinco anos, com a multa adicional de 10% do FGTS. A multa adicional foi criada em 2011 para compensar as perdas dos trabalhadores no fundo com mudanças de planos econômicos Verão (1988) e Collor (1990). Apesar de essa dívida já ter sido quitada, a multa não foi revogada e é destinada ao patrimônio do FGTS. Essa mudança, se for adiante, será por projeto de lei complementar.

 

Congresso - Em 2012, o Congresso chegou a aprovar o fim gradual da multa adicional para atender demanda das empresas, mas a medida foi integralmente vetada pela presidente Dilma Rousseff no ano seguinte. O presidente Michel Temer fez uma nova tentativa, mas o projeto ficou parado no Congresso Nacional. (Valor Econômico)


Versão para impressão


RODAPE