Imprimir
CABECALHO

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4621 | 18 de Julho de 2019

NO EQUADOR: Presidente da Ocepar fala sobre integração nas cooperativas agropecuárias do PR em Cúpula Internacional

equador 18 07 2019O trabalho realizado pelas 70 cooperativas do ramo agropecuário registradas no Sistema Ocepar será apresentado pelo presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, na 1ª Cúpula Internacional para o Impulso do Cooperativismo Moderno, que será realizada nos dias 23 e 24 de julho, na Universidade das Forças Armadas, em Quito, capital do Equador. Ele vai discorrer sobre o tema “Integração econômica e social nas cooperativas agrícolas do Paraná”, no primeiro dia do evento, que vai reunir outros representantes do cooperativismo brasileiro e, também, de diversas partes do mundo, como Bélgica, Espanha, Costa Rica e Franca.

Abertura - A abertura será realizada pelo ministro da Agricultura e Pecuária do Equador, Xavier Lazo. Participam ainda o vice-presidente da República do Equador, Otto Sonnenholzner, e o representante adjunto do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), Nuno Queiros. A palestra inaugural será ministrada pelo vice-presidente das Cooperativas Agrícolas Europeias (Cogeca), da Bélgica, Ramón Armengol, que vai falar sobre “A cooperativa agroalimentar na União Europeia”.

Objetivo - Segundo os organizadores da Cúpula, a agricultura é base da economia equatoriana. No entanto, a produção é muito fragmentada e em pequena escala. Dessa forma, o evento tem como meta mostrar as vantagens do cooperativismo e como esse modelo de negócio pode contribuir para modificar essa realidade, proporcionando melhorias aos produtores rurais e beneficiando todas as cadeias produtivas. “Este desenvolvimento integral também permite que os atores estejam mais preparados para as ameaças que um mundo mais globalizado pode trazer, bem como para aumentar as oportunidades de um produto ou área voltada para o mercado mundial”, afirmam.

Paraná - No Paraná, as cooperativas agropecuárias possuem 173 mil produtores associados. Elas têm grande participação no recebimento da produção agropecuária do Estado: 70% da soja, 64% do milho, 64% do trigo, 63% do café, 34% do leite industrializado e 53% dos suínos para corte, por exemplo. O ramo responde por aproximadamente 80% do faturamento global do cooperativismo paranaense, sendo que em 2018, faturou R$ 70,5 bilhões. Somam ainda 60 plantas industriais instaladas, entre unidades de processamento de soja, trigo, milho, malte, frango, suínos e leite.

 

CENTRO-SUL: Cooperativas participam do segundo workshop do programa de intercooperação

inter II 18 07 2019 Acontece na cidade de Ponta Grossa, nesta quinta-feira (18/07), o segundo Workshop do Programa Juntos – Intercooperação das Cooperativas da Região Centro-Sul do Paraná, promovido pelo Sistema Ocepar. Participam lideranças de oito cooperativas agropecuárias: Coopagrícola, Witmarsum, Cooperponta, Unicastro, Cooperante, Coacan e Coamig. Também integra o programa a Clac, com sede em São José dos Pinhais, que não pode participar da reunião de hoje.

Caminho - A abertura do evento foi realizada pelo superintendente do Sescoop/PR, Leonardo Boesche, que enfatizou a importância deste programa, nascido por meio do curso de Alta Performance, realizado por um grupo de funcionários do Sistema Ocepar na Faculdade de Administração e Economia (Fae). “Trago aqui a mensagem do nosso presidente José Roberto Ricken, de dar total apoio a esta iniciativa e de que acreditamos que resultados importantes serão alcançados. O que não podemos fazer já sabemos, estamos aqui para descobrir formas de intercooperação e, assim, encontrar caminhos para a cooperação conjunta, respeitando as peculiaridades de cada cooperativa, onde todos ganham”, lembrou.

Força - Na sequência, cada cooperativa realizou uma apresentação de suas atividades, detalhando sobre a área de ação, número de cooperados, funcionário, produção, oportunidades e desafios. Somadas, as oito cooperativas possuem uma movimentação econômica em torno de R$ 730 milhões/ano. Atuam basicamente nas áreas de leite, grãos e insumos. Na parte da tarde, oprofessores Tomas Sparano Martins e Flávio Osten, da Universidade Federal do Paraná, desenvolverão atividades para que as lideranças possam trabalhar com o foco em uma ação específica na construção do processo de intercooperação. Acompanham o evento, os consultores do Sistema Ocepar, Cristiano Michalovicz, Edson Luis Carvalho de Souza, Fernando Mendes e Samuel Milléo Filho. Os participantes também aprovaram a logomarca do Programa. 

{vsig}2019/noticias/07/18/intercooperacao/{/vsig}

 

COPAGRIL: Realizado encontro técnico com agricultores

 

O período entre safras é ideal para agricultores buscarem conhecimento e informações técnicas visando aplicabilidade para obter o máximo do potencial produtivo em suas lavouras. Buscando auxiliar os produtores de sua área de ação, a Cooperativa Agroindustrial Copagril realizou, na manhã desta quarta-feira (17/07), na estação experimental da cooperativa, um encontro técnico, o qual abordou assuntos relacionados a análise e manejo do solo, tecnologias de aplicação, inoculação e semeadura. 

 

O encontro - Mais de 60 agricultores da área de abrangência da Unidade Copagril de Marechal Cândido Rondon (PR) prestigiaram durante toda manhã explanações da área agronômica da cooperativa e representantes de empresas parceiras, que repassaram aos produtores orientações sobre todas as ferramentas disponíveis para se obter melhores resultados na propriedade.

 

Manejo de solo - A manhã iniciou com explanação sobre pontos relacionados à importância do correto manejo do solo, enfatizando a eficiência da agricultura de precisão. Segundo destacado no encontro, a Copagril disponibiliza o programa Prosolo, o qual possibilita a identificação das necessidades do solo em diferentes pontos da propriedade, permitindo assim o manejo adequado em toda a área, proporcionando a correção e um equilibro dos nutrientes do solo, fornecendo maior potencial produtivo. 

 

Defensivos - Após as explanações sobre diagnóstico e correção do solo, os agricultores receberam informações relacionadas aos cuidados no manuseio e aplicação de defensivos agrícolas, onde foram abordados aspectos relacionados à importância da escolha correta de bicos para pulverização, de adjuvantes, de defensivos agrícolas e das corretas formas de aplicação, que devem ser realizadas em horários e situações climáticas corretas, para favorecer a eficácia da aplicação, além de proporcionar mais segurança à quem realiza a aplicação como ao meio ambiente. 

 

Prática - Após a parte teórica os participantes puderam observar na prática todas as informações repassadas, tendo em sequência uma explanação sobre a importância da inoculação na cultura da soja, com demonstrações práticas de equipamentos de inoculação no sulco de plantio. O evento finalizou com orientações aos produtores referentes à regulagem correta das semeadoras através de uma dinâmica de plantabilidade, etapa de fundamental importância para o sucesso implantação da cultura.

 

Evento importante - Segundo Paulo Brunetto, engenheiro agrônomo responsável pelo setor agronômico da Copagril, o evento foi de suma importância onde demonstrou-se as boas práticas para o associado obter mais eficiência do plantio a colheita otimizando a produção. “Através desse encontro, tivemos a oportunidade de demonstrar aos agricultores os avanços tecnológicos disponíveis no mercado e disponibilizados na Copagril para potencializar os resultados na condução das lavouras de seus cooperados. Outros eventos como esse serão realizados nas demais regiões da cooperativa”, finalizou Paulo Brunetto. (Imprensa Copagril)

 

{vsig}2019/noticias/07/18/copagril/{/vsig}

COCAMAR: Inaugurada nova unidade em Santa Cruz de Monte Castelo

 

“A Cocamar em Santa Cruz de Monte Castelo vai ser do tamanho da participação dos cooperados”. A frase do presidente da cooperativa, Divanir Higino, na inauguração da unidade operacional que acaba de ser construída no município, ocorrida na manhã de quarta-feira (17/07), dá o tom da importância do investimento para impulsionar a economia regional.   

 

A mais moderna - Higino ressaltou a construção de uma ágil estrutura de recebimento de grãos, inteiramente automatizada e que, por isso, se destaca como a mais moderna da cooperativa. “Chegamos à região para apoiar o trabalho dos produtores que estão investindo na expansão de suas lavouras e também na implantação do programa de integração lavoura-pecuária-floresta”, disse ele a autoridades, lideranças e produtores. O integrante do Conselho de Administração Valdomiro Peres Júnior, também compareceu à solenidade. 

 

Estrutura - Situada ao lado da rodovia que liga Santa Cruz de Monte Castelo a Querência do Norte, a unidade demandou investimento de R$ 29 milhões e conta com capacidade de armazenagem de 27 mil toneladas de grãos (que pode ser ampliada em mais 27 mil toneladas), tombador para veículos bi-trem e três moegas que absorvem 300 toneladas por hora. 

 

Potencial - O presidente da Cocamar ressaltou que a região apresenta grande potencial para o desenvolvimento de programas integrados, que geram mais riqueza com a incorporação de pastos degradados para a produção de soja e milho e, ao mesmo tempo, revitalizam a pecuária ao fomentar o aumento da produtividade.

 

Pés no chão - “Vamos crescer com os pés no chão, atentos às oportunidades para apoiar o desenvolvimento regional”, acrescentou Higino, adiantando que a cooperativa estuda ser mais incisiva no apoio à pecuária. 

 

Carnes - O prefeito de Santa Cruz de Monte Castelo, Francisco Antonio Boni, e a prefeita de Querência do Norte, Rosinei Aparecida Oliveira, também se pronunciaram. Boni agradeceu a Cocamar pela estrutura, lembrou que a região é importante produtora de carnes e que a receita com o ICMS da agropecuária está salvando o orçamento dos municípios. “Estamos muito unidos com Querência do Norte e precisamos de mais investimento no setor rural”, completou.  

 

Fortalecimento - A prefeita disse que a região estava esquecida pelos governantes, situação que começou a mudar nos últimos anos com o fortalecimento da atividade agropecuária. “Essa unidade da Cocamar é regional e vai nos trazer, com toda a certeza, um grande desenvolvimento”, mencionou, acrescentando que “são 12 municípios próximos com as mesmas características e integrados na luta por conquistas para o bem de todos”. 

 

Pioneiro - Um dos produtores presentes ao evento, Armando Machado Souza, é filho do saudoso Elvino Machado, o primeiro a investir no plantio de soja na região, em sistema de integração com a pecuária, ainda no começo da última década. “Vemos com alegria a construção dessa unidade, meu pai ficaria feliz”, disse. 

 

Grãos - Importante produtora de arroz, a região onde se encontra instalada a unidade de Santa Cruz de Monte Castelo já tem cerca de 20 mil hectares mantidos com as culturas de soja e milho e muitos agricultores estão chegando de outras regiões do estado para cultivar em terras arrendadas. Sob a gerência de Alisson Rodrigues Nunes, a nova unidade conta com uma equipe de 23 colaboradores. (Imprensa Cocamar)

 

{vsig}2019/noticias/07/18/cocamar/{/vsig}

COOPAVEL: O mercado e o profissional do futuro

 

coopavel 18 07 2019O professor Jean Matos comanda o compartilhamento dos conteúdos de um conjunto de palestras destinadas a diretores, cooperados e colaboradores da Coopavel. O aspecto central da apresentação, que sofre algumas alterações segundo o público alcançado, é o mercado de trabalho e o profissional do futuro. Atento às mudanças e novidades de uma era de movimentos intensos, Jean faz relações com o passado e de como algumas atividades, as que resistem às inovações e tecnologias, se transformaram com o tempo.

 

Pesquisa - Uma pesquisa da revista Exame é empregada para dar pistas sobre o tão desejado profissional do futuro. A investigação toma por base a apresentação de uma mesma pergunta a uma banca de especialistas em recursos humanos, que tinham que apontar qualidades que se espera desse novo colaborador. E muitas das atribuições ditas como novas na verdade são antigas e incorporadas aos hábitos do homem em sociedade desde o início dos tempos, aponta Jean Matos. Entre elas estão velhas conhecidas como ética, flexibilidade, criatividade e poder de comunicação.

 

Conexões - De acordo com o professor, em uma época de tantas conexões e que cultua a moda do compartilhamento, tudo está mais rápido, inteligente e dinâmico. Então, como se preparar para o que virá? e não sucumbir às expectativas do patrão e de um mercado cada vez mais exigente? A conclusão mais simples e acertada, segundo Jean, está em adaptar-se, em estudar, em incorporar novas habilidades ao seu cotidiano e em ampliar continuamente o seu leque de relacionamentos profissionais.

 

Extremos - Estudos também apontam para outra constatação apresentada pelo professor durante os treinamentos agendados pela Unicoop, a Universidade Coopavel: as grandes mudanças, aquelas que realmente impactam, estão associadas a dois extremos. Ou elas ocorrem por inspiração ou por desespero. De qualquer forma, a atualidade não admite algumas circunstâncias e ficar parado, inerte a tantas novidades e possibilidades, é uma delas. (Imprensa Coopavel)

SICREDI UNIÃO PR/SP: Em Sertanópolis, reunião abordará o cenário econômico e oportunidades

 

sicredi uniao 18 07 2019O cenário econômico e os produtos de investimento da Sicredi União PR/SP estarão em pauta, nesta quinta-feira (18/07), em evento organizado pelas agências de Sertanópolis, Primeiro de Maio, Bela Vista do Paraíso e Alvorada do Sul, no Norte do Paraná.

 

À noite - O encontro é dirigido a associados e convidados e será realizado na Chácara Bayanos (Rua Benedito Parizotto Lourero, s/n) , a partir das 19 horas, em Sertanópolis. O tema será abordado pelo gerente de captação da cooperativa de crédito Roberto dos Santos Rodrigues. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

UNIPRIME NORTE DO PR: Cooperativa oferece alternativa de crédito diferenciada para exportação

uniprime 18 07 2019Recentemente, a Uniprime aderiu à sua variedade de produtos e serviços uma linha de crédito ligada à exportação. Trata-se da CCE: Cédula de Crédito à Exportação, um instrumento de crédito instituído pela Lei nº 6.313/1.975 e dedicado para negócios que estejam inseridos na cadeia de exportação, direta ou indiretamente.

Pessoas jurídicas - Segundo Vinicius Pesaroglo, gerente de crédito da cooperativa, “a CCE atende exclusivamente cooperados pessoas jurídicas e, para que estejam aptas a tomar recursos nessa modalidade, as empresas precisam realizar exportações diretas, ou fornecer produtos e/ou serviços para empresas que trabalham com exportação”.

Benefício - O principal benefício da CCE é a alíquota zero de IOF no empréstimo, além dos juros baixos e retorno de parte dos juros pagos na distribuição anual de sobras. Ricardo Alves de Mello, Gerente de Negócios Empresariais, complementa: "a CCE é uma forma eficiente de financiamento em reais, sem exposição às variações cambiais; o fluxo de pagamento pode ser por parcelas mensais, principal final e juros mensais ou parcela única; além da facilidade na comprovação da exportação", conclui. (Imprensa Uniprime Norte do Paraná)

 

SICOOB SUL I: Ações voluntárias são realizadas em prol do Projeto Taquari, de Campina Grande do Sul

 

No último dia 6, voluntários do Sicoob Sul estiveram em Campina Grande do Sul (PR) para promover diversas atividades com os membros do Projeto Taquari. A ação fez parte das comemorações do Dia C – Dia de Cooperar, e envolveu cerca de 200 pessoas, que participaram de palestras sobre educação financeira, atividades recreativas e assistiram a uma peça de teatro.

 

Roupas e cobertores - Na ocasião, eles também receberam roupas e cobertores que foram arrecadados durante a campanha Inverno Solidário realizada pela cooperativa. Por fim, todos participaram de um lanche.

 

Sorrisos - Segundo a cofundadora do projeto, Adriele Aparecida Santos, durante todo o dia, onde se olhava, havia sorrisos, independentemente da idade. “As crianças se divertiram com a pintura, a pescaria e com as demais brincadeiras. Já os adolescentes e adultos, com as palestras de educação financeira. Somos gratos ao Sicoob por fazer parte dessa alegria”, afirma.

 

Especial - Para a colaboradora do Sicoob Sul, Regiane Rocha Noronha, proporcionar um momento de integração entre os voluntários transformadores e a comunidade Taquari foi especial. “O local é de difícil acesso e não há ônibus diariamente, por isso, a nossa ida lá e a interação entre as pessoas foi mágica. Com certeza o objetivo de proporcionar algo diferente e alegre foi atingido”, explica. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

{vsig}2019/noticias/07/18/sicoob_sul_I/{/vsig}

SICOOB SUL II: Roupas e alimentos são arrecadados para doação

 

Com a chegada do inverno e das baixas temperaturas, os colaboradores do Sicoob Sul se mobilizaram para arrecadar roupas e alimentos. A Campanha Inverno Solidário ocorreu entre os dias 13 de maio e 21 de junho em todas as agências e na Unidade Administrativa da cooperativa e arrecadou aproximadamente dois mil itens. Todas as peças e produtos serão doados para as entidades beneficentes, escolhidas por cada ponto de atendimento.

 

Estratégia - A gerente da agência de Fazendo Rio Grande (PR), Rayane Pereira de Souza, conta como foi a estratégia para arrecadar o maior número de peças possíveis. “Envolvemos nossos cooperados na nossa campanha e criamos pontos de coleta. Foi um sucesso e o resultado foi satisfatório", afirma.

 

Benção - Segundo a gerente da agência do bairro Batel, em Curitiba, Lenice de Fátima Pereira, a alegria de doar um pouco para pessoas que precisam é uma benção. “Além de roupas e alimentos, doamos atenção e carinho. No final quem fica mais aquecido somos nós mesmos pela gratidão e solidariedade”, ressalta. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

{vsig}2019/noticias/07/18/sicoob_sul_II/{/vsig}

UNIMED LONDRINA: Etapa Night das Corridas Unimed Inspira 2019 está com inscrições abertas

 

A Unimed Londrina abriu nesta semana as inscrições para a etapa Night das Corridas Unimed Inspira 2019. Os interessados devem se inscrever no site oficial do evento (www.corridasunimedinspira.com.br) até o dia 21 de agosto ou até atingir o limite de vagas.

 

Experiências diferenciadas - A gerente de Marketing e Comunicação da Unimed Londrina, Dayane Santana, ressalta que a corrida da cooperativa é uma das poucas noturnas realizada na cidade. “A gente sempre busca oferecer experiências diferenciadas com o nosso público e por isso organizamos uma corrida à noite para atender tanto o desejo dos atletas que gostam de correr neste horário quanto de quem quer experimentar novos desafios na atividade”, explica Dayane. Segundo ela, a corrida reforça a importância de manter a atividade física na rotina. “A prática de exercício físico é uma aliada na promoção da saúde”, afirma a gerente.

 

Provas - Nesta edição, serão realizadas duas provas: corrida de 4 km e corrida de 8 km.

 

Valor da inscrição - Até o dia 10 de agosto, o valor das inscrições do primeiro lote para cooperados e clientes da Unimed é de R$ 60 (mais taxa de serviço) e R$ 75 (mais taxa de serviço) para demais público. Após esta data, a taxa do segundo lote será R$ 70 para clientes e cooperados e R$ 85 para demais interessados.

 

Kit - Quem fizer a inscrição receberá um kit contendo porta-medalha, bolsa para fone de ouvido e camiseta. O participante que completar o percurso ganhará uma medalha.

 

Troféus - O evento também entregará troféus para os três melhores colocados em cada categoria e para os melhores colocados na classificação geral (masculina e feminina). As três maiores equipes inscritas também serão premiadas.

 

Atividades gratuitas - Além das provas, o evento irá oferecer atividades gratuitas para a comunidade. No Espaço Saúde, serão realizadas orientações preventivas, teste de glicemia, aferição de pressão, alongamento, massagem e pilates.

 

Data, local e horário - A corrida noturna será no dia 24 de agosto, sábado, às 19h, no Mercadão da Prochet (Avenida Harry Prochet, 305). (Imprensa Unimed Londrina)

 

{vsig}2019/noticias/07/18/unimed_londrina/{/vsig}

APRE: Uso de drones na aplicação de herbicidas será um dos temas de capacitação em Curitiba

 

apre 18 07 2019Na próxima semana, no dia 25 de julho, a Associação Paranaense de Empresas de Base Florestal (Apre) vai realizar, em parceria com a Emater, o II Curso de Atualização em Aplicação de Herbicidas, destinado a gerentes, gestores, supervisores, coordenadores e líderes de equipe. 

 

Drones - Eugênio Schröder e Fausto Zanin, diretor técnico e diretor de Marketing da SkyAgri, respectivamente, estarão presentes na capacitação para apresentar as oportunidades quanto ao uso de drones de pulverização no setor florestal e os benefícios dessa tecnologia para o segmento. Segundo Schröder, a grande novidade do mercado é poder pulverizar defensivos agrícolas sem nenhuma pessoa dentro do talhão florestal, eliminando o risco de exposição dos trabalhadores aos químicos.

 

Exposição - De acordo com Fausto Zanin, “um drone pulverizador pode evitar a exposição de 17 operadores por dia de serviço com a mesma área pulverizada”. E Eugênio Schröder complementa: “quando você utiliza os equipamentos acoplados em tratores ou os pulverizadores costais, sempre existem trabalhadores dentro do talhão. Vamos apresentar uma tecnologia de agricultura de precisão, com excepcional qualidade de aplicação, muito segura para as pessoas e para o ambiente e economicamente viável”, destaca o diretor técnico.

 

Vantagens - Dentre as vantagens do uso dos drones, os profissionais da SkyAgri destacam que as aplicações de defensivos agrícolas em implantação ou reforma de florestas plantadas utilizando esses equipamentos são economicamente viáveis, já que um drone trata um hectare em 10 minutos, além de serem seguras para os trabalhadores, pois não existe ninguém dentro do talhão a ser tratado. Os especialistas ainda afirmam que é uma técnica precisa, com alto controle das plantas daninhas e da brotação de eucalipto.

 

Espaço - Na avaliação de Ailson Loper, diretor executivo da Apre, o uso de drones vem ganhando espaço em diversas operações, e no setor florestal não seria diferente. “Na aplicação de defensivos, a ferramenta substituirá o uso de pulverizador costal, trazendo muito mais segurança para a operação, além de permitir otimizar a atividade e reduzir significativamente os custos”, completa. 

 

Normativa - O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) anunciou, em julho, uma normativa para o uso de drones na aplicação de defensivos agrícolas, uma resposta a demandas de setores da agricultura nacional e também em função do uso crescente dessa tecnologia no mundo todo. 

 

Permissão - Segundo o documento, será permitida “a aplicação aérea de agrotóxicos em áreas onde aviões agrícolas não conseguem chegar, em função de segurança operacional e de voo (obstáculos físicos como árvores, rede elétrica) e em áreas onde as máquinas agrícolas têm dificuldade de aplicação (solos encharcados, áreas de declive como os cafezais)”. Além disso, a normativa vai abranger os drones pertencentes à Classe III – aeronaves com peso máximo de decolagem entre 250 g e 25 kg (classificação segundo a Agência Nacional de Aviação Civil). As demais categorias – Classe I, com mais de 150 quilos, e Classe II, de 25 kg a 150 kg – continuarão seguindo a Instrução Normativa N° 02/2008, que trata das normas de trabalho da aviação agrícola.

 

Registro - Vale ressaltar, ainda, que todos os operadores de drones de pulverização - pessoas físicas ou jurídicas – precisarão ter registro no Mapa, e devem ser qualificados para operar esse equipamento e aplicar o produto com segurança. Das empresas que pretendem utilizar drones para pulverização, será exigido que conte com um engenheiro agrônomo, um piloto agrícola remoto certificado pelo Ministério e um técnico agrícola com curso de executor em aviação agrícola para as missões em campo.

 

Programação - Além desse tema, o curso também vai abordar “Mecanismos de ação dos herbicidas (pré e pós; “Requisitos legais na aplicação de herbicidas e agroquímicos - NR 31 e EPI´s; “Produtos: características, dosagens, alvo e tecnologia de aplicação”; “Manutenção de equipamentos”; “Equipamentos: seleção, regulagem e manutenção”; e “Mistura em tanque”. Ao longo do dia, diversas empresas farão apresentações comerciais de seus produtos.

 

Presença - Durante o treinamento oferecido pela Apre, além dos consultores, também estarão presentes representantes de empresas de defensivos florestais, equipamentos e da área de tecnologia, promovendo o uso de drones na aplicação de defensivos em cultivos florestais. As inscrições custam R$ 350,00 para associados e R$ 600,00 para não associados e deverão ser feitas pelo site da Apre – www.apreflorestas.com.br -, na aba “Eventos”. O curso será no auditório da Emater. Mais informações pelo telefone (41) 3233-7856 ou pelo e-mail apreflorestas@apreflorestas.com.br. (Assessoria de Imprensa da Apre)

 

SERVIÇO

II Curso de Atualização em Aplicação de Herbicidas

Data: 25 de julho de 219

Horário: 08h às 17h30

Local: Emater-PR- Rua da Bandeira, 500, Cabral - Curitiba (PR)

Inscrições: R$ 350,00 para associados e R$ 600,00 para não associados - www.apreflorestas.com.br/evento/ii-curso-de-atualizacao-em-aplicacao-de-herbicidas/

Informações: (41) 3233-7856 ou apreflorestas@apreflorestas.com.br

PROTEÍNA ANIMAL: AveSui EuroTier começa na próxima semana

 

proteina animal 18 07 2019Todo o cenário da maior feira de proteína animal da América Latina está sendo preparado, este ano o evento ocupará uma área 40% maior que a edição anterior e irá abrigar mais de 150 empresas nacionais e internacionais, além de granja modelo, espaço digital farming, auditório de inovações, fábrica de peixes, espaço cooperativas e arena Gourmet. Avesui EuroTier South America abre suas portas na próxima terça-feira (23/07) a partir das 10h e vai até o dia 25, com visitação para produtores, técnicos e funcionários de cooperativas e agroindústrias e demais pessoas ligadas a produção de proteína animal.  

 

Visitantes - Palco de apresentação de inovações e debates sobre temas de relevância para os setores de proteína animal, a AveSui EuroTier South America recebe em seus três dias de feira caravanas de visitantes do Brasil e de diversos lugares do mundo. Já foram confirmados 30 grupos vindos de todas as regiões brasileiras e também de países da America Latina como Peru, Argentina, Paraguai e México.  A expectativa de público esse ano é superior a 13 mil pessoas.

 

Negócios e parcerias - Anualmente, produtores do Brasil e de outros países se reúnem em grupos com destino a AveSui, em busca das oportunidades de negócios e parcerias que a feira oferece, já que a feira tem como ponto forte a grande presença internacional, não só de expositores, mas também de compradores.

 

Abertura e Premio Quem é Quem - A cerimônia de abertura do evento, que ocorre  no dia 23 às 18h, tem como marca a entrega do III Prêmio Quem é Quem – Maiores e Melhores Cooperativas os vencedores escolhidos pela empresa de consultoria Markestrat e ainda pela votação popular. Presidentes, gerentes e técnicos das cooperativas ligadas às cadeias de aves, suínos e peixes confirmaram presença.

 

Nova categoria - Criado pelas revistas Avicultura Industrial e Suinocultura Industrial, publicações da Gessulli Agribusiness, o prêmio uma nova categoria este ano, a de biomassa & bioenergia, uma área que cresce dentro das produções intensivas de suínos e aves, gerando soluções para a destinação dos dejetos, assim como alternativas viáveis à geração energética. As outras dez categorias são: Desempenho Econômico-Financeiro, Responsabilidade Ambiental, Responsabilidade Social, Desenvolvimento Sustentável, Melhor Cooperado (Aves e Suínos), Melhor Técnico/Assistência Técnica, Inovação, Gestão Operacional, Mulher Cooperada e Varejo.

 

Cooperados e familiares - Um grande número de cooperados e familiares também estará presente no dia 23 de julho para a premiação dos vencedores da edição 2019 do Quem é Quem. Com seu início marcado para as 18 horas, a premiação terá acesso livre a todos os visitantes e expositores da AveSui EuroTier South America.

 

Programação técnico científica - Não foi somente o espaço físico da AveSui que foi ampliado. A programação técnica que compreende o IV Congresso Brasileiro de Zootecnia de Precisão e o VXIII Seminário Técnico Científico de aves e Suínos também ganharam novos painéis, no total serão mais de 40 palestras para os profissionais do setor se atualizarem e otimizarem a produção nacional. Até o momento, mais de 500 pessoas se inscreveram para participar destas atividades. O seminário conta com temas como Biosseguridade, Mercado, Eutanásia, Fábrica de Rações, Inseminação Artificial, Bem-Estar Animal, Processamento de Carnes, Piscicultura, Biomassa & Bioenergia até o Congresso de Zootecnia de Precisão. Além do seminário, pesquisadores e estudantes poderão enviar seus trabalhos científicos para premiação do Instituto Oswaldo Gessulli.

 

Painéis - Os painéis contam com profissionais de renome do setor como Fabiana Ribeiro Caldara – professora doutora do Programa de Pós-Graduação em Zootecnia da Faculdade de Ciências Agrárias da UFGD;  Viviane Maria Oliveira dos Santos Nieto, professora  da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul ; Fabiana Villa Alves, pesquisadora da Embrapa Gado de Corte; Rony Antonio Ferreira, professor da Universidade Federal de Lavras (UFLA);  Iran José Oliveira da Silva, professor da Esalq / USP; Luizinho Caron, pesquisador da Embrapa Suínos e Aves; Juliana Ribas, médica veterinária pela  Unesp de  Jaboticabal; Thiago Bernardino de Carvalho, pesquisador do Cepea; Rubem Groff, gerente de vendas Feed da Bühler; Heitor Daguer, auditor fiscal federal do Mapa; Mariana Groke Marques, pesquisadora da Embrapa Suínos e Aves;  Carmen Josefina Contreras Castillo - professora do Departamento de Agroindústria, Alimentos e Nutrição da Esalq/ USP; Paulo Abreu, pesquisador da Embrapa Suínos e Aves, Alessandro Gardemann, presidente da Abiogas; Eric Arthur Bastos Routledge e muitos outros.

 

Link - A programação técnico científica completa pode ser consultada pelo link https://www.avesui.com/seminarios/temario.

 

Auditório de Inovações - A AveSui EuroTier South America oferece mais uma vez o Auditório de Inovações com palestras gratuitas aos visitantes para que conheçam as tendências e lançamentos do setor produtivo mundial. O auditório busca promover a interação entre público, expositores, visitantes e empresas nacionais e internacionais trazendo novidades e inovações de expositores nacionais e internacionais.

 

Temas - Este ano serão debatidos temas como ambiência, financiamentos rurais, novas tecnologias, energias renováveis telamento e construção civil. Também no auditório de inovações haverá a apresentação das startups que fazem parte do Espaço Digital farming.

 

Data e hora - As palestras do Auditório de inovação acontecem nos dias 23 e 24 de julho das 11h às 16h e a programação completa pode ser encontrada no link https://www.avesui.com/programacao.

 

Fórum DLG - O estande da DLG oferecerá palestras gratuitas para os visitantes da feira durante os três dias de evento. Confira a programação completa em: https://www.avesui.com/programacao.

 

Kemin Innovation Truck - Durante os três dias da AveSui EuroTier South America, os visitantes terão acesso ao Kemin Innovation Truck para conhecer sua infraestrutura, além de se atualizar nas duas edições diárias do Snack Learning às 10h30 e 16h. Confira a programação pelo link https://www.avesui.com/programação.   

                     

Espaço Digital Farming - A revolução silenciosa da agropecuária 4.0 será destaque na AveSui Eurotier South America 2019. O Espaço Digital Farming, uma das atrações mais esperadas do evento e conta com dez startups do setor. O espaço é uma iniciativa do Instituto Oswaldo Gessulli, com apoio da Embrapa Suinos e Aves com coordenação de George Hiraiwa e Renata Abreu.

 

Pesquisas - Num ambiente tecnológico as startups poderão exibir suas pesquisas e encontrar investidores quer apostem em suas ideias. No dia 23 haverá apresentação das dez startups no auditório de inovações às 15:00. A visitação é aberta ao público que poderá conhecer mais a fundo cada tecnologia desenvolvida.

 

Startups - As startups confirmadas são a Granter com um sistema digital de integração entre granjas; a CEPR1 que apresenta o primeiro projeto desenvolvido pelo Sistema Ecoperativa; a FOHAT com softwares para a digitalização e gestão da comercialização de energia, a TransPORK com sistema de monitoramento instalado de transporte; a Mais Caipira focada na avicultura alternativa; Agrotatil com a plataforma Tatilfish; a Bley energias com a microrefinaria; a Agrisolus com sensores e softwares para gerenciamento; e a Kemia, ganhadora do InovaPork com solução para o tratamento de águas residuais.

 

Espaço Cooperativas - A AveSui também irá contar com espaço dedicado as caravanas das cooperativas que vem de diversas partes do país, algumas delas viajarão doze horas para chegar a feira. O Espaço Cooperativas é um espaço de hospitalidade, uma estrutura construída para receber os cooperados e conta com estrutura para descanso e interação. As próprias cooperativas reservam o espaço para receber seus cooperados e algumas delas estão preparando atividades exclusivas para recebe-los. As cooperativas que ainda não reservaram o espaço, podem entrar em contrato pelo email avesui@gessulli.com.br.

 

Granja Modelo - E como já é tradição da maior feira de proteína animal da américa latina, um espaço interativo para demonstrar os principais equipamentos e infraestrutura para montar uma granja moderna, eficiente, sustentável e rentável ao produtor será montado dentro da maior feira de aves, suínos e peixes da América Latina. A Granja Modelo é um show room, dentro do evento, para que os visitantes possam ver, idealizar e planejar  sua próxima compra. Para quem participa é um cartão de visitas que garante a oportunidade da troca de contatos e expandir as relações comerciais.

 

Estrutura - Neste ano, a estrutura será feita pela empresa AJJ que atua na produção e comercialização de estruturas pré-moldadas, para as mais diversas atividades comerciais e industriais. A cobertura fica por conta da Saimor, a Kingspan Isoeste, líder em construtivos isotérmicos na América do Sul, realizará a cobertura da granja, apresentando telhas térmicas para avicultura e suinocultura, além de painéis térmicos e soluções voltadas ao Agronegócio como construtivos para câmara de sementes, dark house e frigóríficos.

 

Nacionais - O show room contará também com produtos e equipamentos de empresas nacionais e internacionais como Astral Ambiental, Huesker, Solpack, Multinova, Brasilit, Conceito, J A Ambiental, Karsher, Germek, Maxicaixas, Arautherm, Nooyen, FDA, Fengrum, Matriagro, Bono Fotovoltaica, Agrobona e Bley Energias.

 

Feira de Negócios - Pioneira na realização de parcerias, joint ventures e novos negócios, a AveSui chega a sua 19ª edição consolidada como ponto de encontro do setor de aves, suínos e peixes da América Latina oferecendo aos seus visitantes oportunidades de contato direto com novas empresas, tecnologias e soluções para produção do mundo todo.

 

Acesso - Os visitantes terão acesso a empresas nacionais e internacionais, muitas delas expondo pela primeira vez no Brasil. A feira será realizada nos dias 23, 24 e 25 de julho no Lar Centro de Eventos na cidade de Medianeira, na região Oeste do Paraná, dentro do maior centro produtivo de proteína animal do mundo.

 

Localização - A cidade é localizada a 60km de Foz do Iguaçu, terceira cidade brasileira que mais recebe turistas internacionais e tem suas extremidades conectadas por grandes rodovias, proporcionando conforto, praticidade de locomoção aos expositores e visitantes da AveSui EuroTier South America até o Centro de Convenções da Lar.

 

Transfer - A AveSui EuroTier também oferece transfer gratuitos para os expositores, visitantes e congressistas que ficam hospedados nos hotéis parceiros em Foz do Iguaçu. Os horários de saída e chegada podem ser consultados no link https://www.avesui.com/hospedagem.

 

Informações - Outras informações sobre a AveSui EuroTier South America entre em contato conosco por meio do telefone (11) 4013-1277 ou e-mail: gessulli@gessulli.com.br.

 

SERVIÇO

AveSui EuroTier South America 2019

Data: 23, 24 e 25 de julho de 2019

Local: Lar Centro de Eventos - Av 24 de Outubro, nas margens da BR 277, km 669, Medineira (PR)

Informações: (11) 4013-1277

E-mail: avesui@gessulli.com.br 

Site: www.avesuieurotier.com

SHOW PECUÁRIO: Evento chega à 5ª edição repleto de atrações

 

show pecuario 18 07 2019O Show Pecuário 2019 está recheado de atrações para os produtores rurais do Oeste do Paraná. A quinta edição do evento acontecerá dos dias 23 a 26 de julho, no Parque de Exposições Celso Garcia Cid, em Cascavel (PR). O evento é organizado pelo Sindicato Rural de Cascavel e pela Sociedade Rural do Oeste do Paraná. “Uma grande oportunidade de aprender e fazer bons negócios”, declarou Paulo Orso, presidente do sindicato.

 

Área livre de aftosa sem vacinação - Um dos palestrantes do evento será Armindo Barth. Ele falará sobre os desafios dos pecuaristas após a transformação do Paraná em área livre de febre aftosa sem vacinação. Quando se olha para o gado de corte, nesta nova ótica no mercado, existem os seguintes cenários: de um lado, a perspectiva positiva de poder atingir novos mercados mundiais, que pagam mais. Por outro, o custo de produção do boi gordo deve subir bastante, puxado principalmente pelo preço do bezerro que deve subir consideravelmente no Estado. “O Paraná não é autossuficiente na produção de bezerros. Com o fim da vacinação estes animais não poderão entrar mais no Estado, já que MS e RS ainda fazem a vacinação contra aftosa, resultado, alta no preço dos bezerros. Neste cenário, surgem várias perguntas”, conta o palestrante.

 

Questões - Será que a alta no preço dos bezerros será compensada pela alta no preço da carne? Será que a pecuária vai continuar sendo um bom negócio para todos? Somente os criadores, ou quem faz ciclo completo irão ganhar dinheiro e o modelo de negócio de recria e engorda estão com os dias contados no Estado?  Será que os processos dentro da porteira deverão continuar sendo os mesmos? Esclareça estas e outras dúvidas participando da palestra dele, no dia 25, às 15h.

 

Piscicultura - Na piscicultura, por exemplo, vários assuntos serão apresentados pelos palestrantes. Um deles será o "Manejo das águas residuais na piscicultura", ministrada pelo engenheiro da pesca e mestre Anderson Coldebella, do IFPR de Foz do Iguaçu. A palestra pretende mostrar ao ouvinte uma visão geral de como estão as águas dos viveiros de piscicultura ao final do período de engorda dos peixes, nos sistemas atuais de engorda de tilápias na região. “Visto isso mostrar quais as possíveis consequências do lançamento destas águas ao ambiente e como poderíamos estar melhorando a qualidade das águas durante o período de engorda para evitar problemas durante o lançamento das águas residuais ao ambiente, visando também a melhora nos resultados produtivos do piscicultor”. Para ele, podemos ser melhorar nossos sistemas mantendo boas de oxigênio dissolvido, controlando a alcalinidade e o pH e fazendo um manejo alimentar correto. A palestra dele é dia 26, às 15h.

 

Mastite - Na pecuária de leite, os palestrantes falarão sobre um dos maiores dilemas do setor, a mastite. Fernando Bracht, da B&M Consultoria, mostrará as fazendas trabalhadas com o Smartlab. “Identificamos quais os agentes causadores da infecção da mastite e com este resultado em mãos, traçamos um plano de ação e de tratamento para as infecções que realmente tem taxa de cura frente a tratamentos com antibióticos. Sabemos que temos bactérias envolvidas em mastite que tem boa taxa de cura no tratamento, algumas que não apresentam cura com tratamento e algumas que apresentam cura espontânea. Com a ferramenta do laboratório na fazenda, temos a resposta do agente envolvido na mastite em 24 horas após a semeadura do leite mastitico na placa e incubadora. Com este resultado tratamos somente os animais que apresentam bactérias que tem boa taxa de cura, as que apresentam taxa de cura espontânea não são tratadas e os animais que apresentam bactérias que não tem taxa de cura, pensamos neles particularmente em qual será seu destino conforme o animal”, adiantou.

 

Evolução - Segundo o presidente do Sindicato Rural de Cascavel, Paulo Orso, o evento é uma oportunidade para os produtores evoluírem. “Temos muitas novidades e trazemos muitas tecnologias para serem vistas e incorporadas na propriedade. Nossa missão é sempre proporcionar um grande aprendizado ao produtor. Esperamos a presença de todos!”, convidou.

 

Expositores - Mais de 40 expositores estarão presentes no evento, e centenas de animais em exposição e à venda. A programação do evento está disponível no site (www.showpecuario.com.br) ou nas redes sociais Facebook e Instragram do evento.

 

Julgamentos e leilões - Além das palestras, o evento contará com julgamentos de ovinos e bovinos. No dia 24, a partir das 14h, vários animais da raça angus de argola serão avaliados na pista de julgamento do evento. Nos dias 25 e 25, a partir das 9h, será a vez dos ovinos. Criadores do Paraná e Rio Grande do Sul levarão seus melhores animais para serem avaliados. 150 animais da raça texel, santa inês, ile de france, poll dorset, dorper, hampshire dow, white dorper e suffolk serão analisados pelos julgadores e outros 200 estarão à venda durante o evento.

Também serão realizados três leilões de gado de corte no evento, todos a partir das 20h. No dia 23, serão ofertados animais da raça brangus. Dia 24, diversas raças e no dia 25, animais angus estarão à venda.

 

Vertical Agritech - O Sebrae irá promover um espaço tecnológico na feira agropecuária. No dia 23 haverá uma rodada de negócios entre startups agro do Paraná com empresas e produtores rurais. No dia 24, várias startups apresentarão suas soluções e promoverão um bate-papo com os produtores no intuito de descobrir novas demandas a serem atendidas.

 

Encontros - O Show Pecuário receberá a oitava edição do Encontro de Produtoras Rurais no dia 25 a partir das 8h. Dedicado a elas, o objetivo do evento é proporcionar um dia de descontração e aprendizado as produtoras. Palestras sobre saúde, bem-estar e sucessão estão entre os atrativos.

 

Sanidade agropecuária - O outro encontro é sobre sanidade agropecuária, no dia 26, a partir das 9h. Secretários de agricultura dos municípios da região, representantes de cooperativas e agentes da Adapar (Agência de Defesa Agropecuária do Paraná) participarão do evento, que contará com as seguintes palestras: chefe da Adapar, Otamir Martins, sobre a estrutura sanitária do Estado; a importância da parceria público-privada para sanidade animal, por Antônio Poloni e a importância e responsabilidade que temos sobre a sanidade, por Elias Zydek, diretor-executivo da Frimesa e presidente do CSA Oeste (Conselho de Sanidade Agropecuária do Oeste do Paraná). (Assessoria de Imprensa do Sindicato Rural de Cascavel)

CARNES: Paraná deverá liderar produção, prevê especialista

 

Os próximos 10 anos projetam avanços na agropecuária brasileira e paranaense consolidando o Brasil como grande fornecedor de alimentos para o mundo. Produtos como soja e milho devem se manter na liderança da produção porque não há substitutos para eles nos próximos anos.

 

Impulso - O mercado de carnes vai impulsionar o PIB da agropecuária e o Paraná tem forte tendência de se firmar como grande produtor de carnes bovina, suína e de frango.

 

Projeção - A projeção é do especialista da Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, José Garcia Gasques, que esteve em Curitiba nesta quarta-feira (17/07) para falar sobre as projeções para o setor agropecuário brasileiro para os próximos 10 anos. Gasques participou de evento na Secretaria da Agricultura a convite do secretário Norberto Ortigara e do diretor do Departamento de Economia Rural (Deral) Salatiel Turra. Técnicos da Seab e de outros órgãos estaduais e federais participaram da palestra onde foram apresentadas as principais tendências para o cenário agropecuário brasileiro e paranaense até o ano de 2028/29.

 

Qualificação - Para Ortigara, o Brasil e o Paraná são importantes produtores de alimentos e estão ficando cada vez melhor posicionados no cenário mundial. “Para crescer precisamos de qualificação cada vez maior do produtor rural, de políticas adequadas e capacidade de leitura dos vários cenários, de desenho de políticas consistentes, de direcionamento com visão estratégica e planejamento”, afirmou o secretário.

 

Liderança - Segundo Gasques, o Paraná, junto com o Mato Grosso, lidera a produção de grãos no Brasil. “Em primeiro lugar, temos o Mato Grosso na produção de milho e soja, devido à dimensão do Estado, e portanto é o líder natural”, disse. Segundo ele, o Paraná tem grande destaque na produção de grãos porque é um Estado que usa muita tecnologia. “Apesar de as propriedades serem de menor dimensão, a produtividade é alta e consequentemente a produção é alta também”, afirmou.

 

Leite - Mas o Paraná vem se tornando cada vez mais importante também na produção de carnes e leite, destaca o técnico do Ministério. Basta ver que, dos R$ 74 bilhões previstos para o Valor da Produção do Paraná este ano, R$ 20 bilhões correspondem à produção de frango. “Essa expansão da produção animal vai trazer muito valor agregado e certamente vai gerar muito emprego, uma vez que a maior parte dessa atividade é feita no âmbito da agricultura familiar”, afirmou.

 

Projeções - No período de 10 anos, precisamente a partir da safra 2018/19 até a safra 2028/29, Gasques projeta um crescimento das atuais 240 milhões de toneladas de grãos produzidas no País para cerca de 300 milhões de toneladas. As projeções indicam que a região Sul do País e o Centro-Oeste vão liderar a maior parte desse crescimento.

 

Produção média - O Paraná deverá avançar de uma produção média de soja das atuais 23,3 milhões de toneladas, para 28,9 milhões de toneladas na safra 2028/29. Considerando as duas safras de milho, o Estado avança de uma média de 17,6 milhões de toneladas de milho, na safra 2018/19, para cerca de 27,4 milhões de toneladas na safra 2028/29.

 

Aumento - Na produção de carnes, o Paraná deve passar das atuais 26 milhões de toneladas para 33 milhões de toneladas, segundo estimativas do técnico do Ministério da Agricultura. (Agência de Notícias do Paraná)

 

{vsig}2019/noticias/07/18/carnes/{/vsig}

ECONOMIA I: Imposto sobre transações pode ter alíquota de 0,60%

 

economia I 18 07 2019O modelo de reforma tributária defendido nos bastidores pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, prevê uma alíquota em torno de 0,60% do imposto sobre transações financeiras no lugar de todos os tributos federais - à exceção do Imposto de Renda.

 

Alternativas - A ideia da equipe econômica, conforme apurou o Valor, é apresentar várias alternativas de propostas para reformulação do sistema tributário e determinar qual seria o caminho preferido pelo governo. Guedes tem falado, com auxiliares, sobre uma espécie de "escadinha" nas alíquotas do imposto sobre transações, que seria pago em cada operação tanto pelo comprador como pelo vendedor. Ele só faz questão, sempre, de rechaçar que se trata de uma volta da CPMF porque não aumenta, mas simplifica, a carga tributária.

 

Consenso - Ponto pacífico no Ministério da Economia: criar esse imposto como substituição aos encargos previdenciários na folha de pagamento. Para isso, seria necessário ter uma alíquota de 0,30%. Numa conta de restaurante no valor de R$ 100, por exemplo, tanto o cliente quanto o dono do estabelecimento pagariam R$ 0,30 - totalizando R$ 0,60 como arrecadação federal. Essa alíquota eliminaria o recolhimento de 20% sobre a folha salarial das empresas, a contribuição de 8% dos trabalhadores para o INSS e possivelmente os encargos para financiar o Sistema S.

 

Alíquota - O imposto pode "engordar" e ficar com alíquota em torno de 0,42% para extinguir também a Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL). A alternativa agrada ao secretário especial da Receita, Marcos Cintra, por exemplo.

 

Imposto único - Mais um passo, este sim de preferência de Guedes: entre as propostas de reforma tributária em discussão, tem ganhado força a ideia de criação do Imposto Único Federal (IUF) no lugar de três impostos - IPI, PIS e Cofins. O ministro da Economia considera que faz mais sentido ter alíquota maior do imposto sobre transações como forma de simplificar o sistema. Provavelmente exigiria a cobrança de 0,60% ou perto disso, segundo os estudos internos que chegaram a Guedes.

 

Inclusão - Dependendo da disposição de governadores e de prefeitos, e de um novo "pacto federativo" com a União, poderiam até ser incluídos ainda o ICMS estadual e o ISS municipal - obviamente com um ajuste da alíquota.

 

Calibragem - A calibragem precisa ser tão certa que, apenas com alterações na segunda casa depois da vírgula, pode-se ganhar ou perder bilhões de reais em arrecadação.

 

Apoio - O IUF ou o Imposto sobre Valor Agregado (IVA), que inclui os dois impostos de governos estaduais e municípios, têm apoio de boa parte do setor privado. No entanto, começam a ganhar força críticas de parte do empresariado, que vê riscos de onerar demais a produção. É o caso, por exemplo, do grupo empresarial Brasil 200, que defende o Imposto Único como substituição a tudo.

 

Troca - A equipe econômica tem se inclinado a trocar o IUF por uma alíquota maior do imposto sobre transações financeiras depois da reunião do G-20, em Osaka (Japão), no fim de junho. Lá, os países mais ricos do mundo trocaram experiências sobre a cobrança de tributos em uma economia cada vez mais digitalizada. A ideia ficou na cabeça de Guedes.

 

IR - O ministro gostaria ainda de encorajar outro debate: o fim do Imposto de Renda e sua substituição por uma alíquota ainda maior do imposto sobre transações financeiras, de no mínimo 1%, que passaria a ser um imposto único no Brasil. É o centro de um dos projetos de reforma tributária em tramitação na Câmara dos Deputados, apresentado pelo deputado Luciano Bivar (PE), presidente do PSL - partido de Jair Bolsonaro.

 

Revolucionário - Guedes não é entusiasta da ideia, e seus auxiliares acreditam que seria algo muito revolucionário no sistema de impostos para um primeiro momento. A necessidade de calibrar a alíquota sem margem para erro seria imprescindível para não resultar em perda de arrecadação.

 

Escolha - A equipe econômica, no entanto, considera que essa possibilidade deveria entrar nas discussões da proposta de reforma tributária para uma "escolha da sociedade", como gosta de dizer o ministro. (Valor Econômico)

ECONOMIA II: Governo estuda saques periódicos no FGTS

 

economia II 18 07 2019O presidente Jair Bolsonaro analisa duas alternativas de propostas de saque de recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Em uma delas, as medidas sugeridas atingiriam igualmente contas ativas e inativas, com percentuais de saques escalonados conforme o saldo do trabalhador, mas também implicariam na retenção dos recursos em caso de demissão sem justa causa, deixando menos dinheiro disponível ao trabalhador desempregado. 

 

Contas inativas - A outra alternativa que seria apresentada ao presidente contemplaria apenas a liberação das contas inativas. A proposta de autorizar o acesso parcial ao dinheiro das contas ativas do fundo seria uma espécie de "décimo-quarto" salário para os trabalhadores, segundo uma fonte, e que teria caráter permanente, repetindo-se todos os anos. Não havia intenção de uma liberação inicial imediata para todos os cotistas, o que dilui o impacto econômico da medida.

 

Descapitalização - O formato de liberação na data de aniversário visa também evitar que o fundo seja descapitalizado e mantenha-se como fonte de financiamento para o setor imobiliário. "Não haverá redução de funding para habitação", garantiu esse interlocutor.

 

Perda - Mesmo assim, há avaliações de que a medida vai implicar em perda para o setor porque o dinheiro sacado, mesmo que seja de parte da conta, provavelmente será direcionado para consumo de bens de menor valor, e não mais para aquisição de imóveis, que tem perfil de investimento de longo prazo.

 

Percentual - Entre as propostas em análise, estava uma liberação de 35% do saldo para os cotistas com valor até R$ 1 mil – havia também uma ideia de estender essa faixa de 35% até R$ 5 mil, mas que tinha perdido força. Haveria seis ou sete outras faixas de porcentuais de saque. Acima de R$ 50 mil, por exemplo, a ideia era permitir saque de 10% do saldo.

 

Premissa - A premissa que está norteando o conceito de saque das contas ativas é que o dinheiro pertence ao trabalhador e cabe a ele definir o que fazer com ele. Nesse sentido, a visão é que o FGTS representaria uma má alocação de recursos e que deixar o dinheiro parado lá, apenas como funding habitacional, não seria o melhor caminho econômico.

 

Demissões forjadas - A ideia de impedir o saque no momento da demissão sem justa causa seria uma estratégia para diminuir os movimentos de demissões forjadas (acertadas informalmente entre empregados e empregadores) e teria como contrapartida um aumento da rentabilidade do fundo (hoje TR, que está zerada, mais 3% ao ano), segundo explicação de uma fonte.

 

Redução - A medida, contudo, promete polêmica, uma vez que reduzirá o dinheiro para o trabalhador que perder o emprego em um momento mais complicado, apesar de estar previsto que ele receba os 40% de multa rescisória. Também não está claro o que será feito com a parte retida. Para render mais, provavelmente o caminho será permitir a aplicação em fundos mais arriscados do setor privado.

 

PIS/Pasep - Além da liberação do FGTS, que deve injetar algum ânimo na deprimida demanda da economia, outra iniciativa que deve ser anunciada pelo governo é a liberação dos saques das contas do PIS/Pasep. A iniciativa teve duas rodadas de liberação no governo Michel Temer. O governo acredita que, dos R$ 22 bilhões de saldo remanescente, apenas cerca de R$ 2 bilhões devem ser retirados. (Valor Econômico)

ECONOMIA III: Indústria, setor rural e investimentos puxam alta no Monitor do PIB

 

economia III 18 07 2019A economia voltou a crescer em maio após três meses em queda, e atingiu maior patamar de elevação em seis meses. É o que mostrou nesta quinta-feira (18/07) a Fundação Getulio Vargas (FGV) ao anunciar o Monitor do PIB, que aponta crescimento de 0,5% na atividade econômica de maio ante abril.

 

Melhor resultado - Foi o melhor resultado desde novembro de 2018 (0,2%), impulsionado principalmente por sinais positivos na atividade industrial, na agropecuária e em investimentos, informou a pesquisadora Juliana Trece, da Fundação Getulio Vargas.

 

Ressalva - Embora tenha destacado o desempenho como positivo, ela fez uma ressalva. No trimestre finalizado em maio, comparado com trimestre encerrado em fevereiro, o Produto Interno Bruto (PIB) teria caído 0,8%, pior resultado nesta série histórica em um ano, desde maio do ano passado (-0,9%).

 

Liberação - A técnica observou que a possibilidade de liberação de recursos do FGTS e do PIS/Pasep, noticiada pelo Valor, pode ajudar a melhorar o desempenho da atividade econômica em 2019. Mas frisou que a medida seria impulso de curto prazo para o PIB. Na prática, a economia só entrará em rota de crescimento sustentável quando ocorrer melhora robusta no mercado de trabalho, com impacto na renda do trabalhador - e, por consequência, no consumo das famílias.

 

Estímulo - "Na situação em que estamos, qualquer estímulo, por qualquer lado, seria positivo. Mas o consumo vindo via incentivos, como saque de FGTS e outras medidas não sustenta o crescimento por muito tempo. Com falta de emprego, as famílias ainda ficam receosas em consumir", afirmou ela.

 

Projeções de mercado - A especialista lembrou que as projeções de mercado para alta do PIB de 2019 giram em torno de 0,8%. Ao ser questionada se eventuais saques de FGTS e PIS/Pasep poderiam conduzir a taxa acima de 1%, Juliana afirmou que não há como fazer esta conta no momento.

 

Oferta - Juliana detalhou que no Monitor do PIB, pelo lado da oferta, o PIB industrial em maio em relação a abril subiu 0,6%, melhor resultado desde junho de 2018 na pesquisa (5,6%). Ao mesmo tempo, a Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) avançou 1,5% na mesma comparação, maior taxa desde julho de 2018 (7%), nessa série histórica. A agropecuária teve aumento de 1,3% ante abril, melhor desempenho desde julho de 2018 (2,1%).

 

Consumo das famílias e serviços - "Enquanto isso, tivemos consumo das famílias e serviços mostrando estabilidade na mesma comparação. Ou seja, eles não contribuíram para cima; mas também não puxaram para baixo", acrescentou.

 

Evolução - Mas a evolução trimestral do Monitor conta uma história diferente, em que a atividade econômica ainda luta para sair do saldo negativo. No trimestre finalizado em maio ante o trimestre encerrado em fevereiro, o PIB da indústria na pesquisa da FGV caiu 1,4%, pior resultado desde maio de 2018 (-1,8%); na mesma comparação, a FBCF subiu apenas 0,2%, notou ela.

 

Atividade agropecuária - Já atividade agropecuária caiu 1,2%, pior desempenho desde novembro de 2017 (-3%). "Os dados trimestrais ainda estão bem ruins", resumiu.

 

Exportações - No Monitor do PIB, as exportações caíram 5,2% no trimestre finalizado em maio, ante trimestre encerrado em fevereiro. As importações, na mesma comparação, subiram 2,4%. A taxa de investimento (FBCF/PIB) foi de 16,9%, em maio, na série a valores de 1995. (Valor Econômico)

MERCOSUL: Fim de taxa beneficia exportador

 

mercosul 18 07 2019As empresas brasileiras estão perto de obter uma importante vitória nas exportações para os sócios do Mercosul. Um acordo de facilitação de comércio no bloco foi praticamente concluído na reunião de cúpula em Santa Fé (Argentina). Só não houve anúncio porque um dos ministros uruguaios responsáveis pela decisão final precisou voltar antes da hora para Montevidéu.

 

Taxas estatísticas e consulares - Com o acordo, serão eliminadas as taxas estatísticas e consulares que encarecem produtos brasileiros nos países vizinhos. Nas estimativas do governo, só a taxa argentina gera prejuízos em torno de US$ 500 milhões por ano aos exportadores do Brasil. Além disso, operadores econômicos autorizados (OEA) devem ganhar reconhecimento mútuo no Mercosul. São empresas que operam no comércio exterior, têm histórico de boas práticas e tidas como "confiáveis" pelas autoridades alfandegárias. Por isso, enfrentam menos burocracia na hora de exportar ou importar.

 

Cobrança - A Argentina cobrava 0,5% sobre o valor dos importados como taxa de estatística e subiu essa alíquota no ano passado para 2,5%, até dezembro deste ano, alegando necessidades de reforçar a arrecadação tributária em meio à crise fiscal. O Uruguai cobra 3% como taxa consular. No Paraguai, varia entre US$ 25 e US$ 50 por produto.

 

Drama - O grande drama é que, no recente acordo de livre-comércio União Europeia-Mercosul, os exportadores europeus recebem isenção do pagamento da taxa. Não é um ganho imediato, mas está no compromisso. A Argentina promete eliminar a cobrança em até três anos, para empresas europeias, enquanto Uruguai e Paraguai darão isenção em um prazo de dez anos.

 

Perda de competitividade - Se as taxas continuarem a ser aplicadas sobre produtos brasileiros, haverá perda de competitividade em relação aos concorrentes da Europa - sem falar no encarecimento em relação aos similares nacionais em cada mercado.

 

Anúncio - Apesar da impossibilidade de última hora de assinar o acordo de facilitação de comércio em Santa Fé, negociadores brasileiros garantem que o risco de revés é baixíssimo. A dúvida é apenas se o anúncio ficaria para a próxima cúpula presidencial, em dezembro, ou se seria feito antes.

 

Impacto - Um funcionário do governo Jair Bolsonaro resume: "Pode ter pouco apelo, mas é algo que afeta demais o dia a dia dos exportadores". Ele acrescenta que o acordo também representaria avanço relevante no fim das barreiras internas do Mercosul.

 

Aposta - "Vamos apostar forte pela consolidação e modernização do bloco", disse o presidente da Argentina, Mauricio Macri, antes de repassar a presidência rotativa do Mercosul para o Brasil. "Agora temos uma agenda inadiável de competitividade", completou Macri, ao lembrar que o acordo com a UE impõe a necessidade de reformas. "Não é um ponto de chegada, mas de partida."

 

Novo tratado - Nos seis meses de presidência brasileira, a intenção do governo é ter pelo menos um novo tratado de livre-comércio, provavelmente com o EFTA - bloco que reúne Suíça, Noruega, Islândia e Liechtenstein. Outra prioridade envolve a revisão da Tarifa Externa Comum (TEC), a primeira em 25 anos, com um plano de trabalho para o corte gradual das alíquotas de importação conjuntas.

 

Outros pontos - Assim como a cobrança de taxas consulares e de estatística, o Brasil acredita que outros pontos do tratado UE-Mercosul forçam o bloco sul-americano a buscar soluções para suas próprias barreiras. Um exemplo é o intercâmbio de automóveis e de açúcar - o próprio Bolsonaro mencionou esses dois setores, que estão fora do livre-comércio na região.

 

Automóveis - No caso dos automóveis, o Mercosul se comprometeu a retirar tarifas sobre uma cota de carros europeus em sete anos e eliminar completamente as alíquotas em 15 anos. Mas uma contradição sempre é lembrada pelo governo brasileiro: apesar disso, a Argentina não permite o livre-comércio dentro do próprio bloco para veículos. (Valor Econômico)

SAÚDE: Boletim da gripe confirma 83 mortes no Estado desde janeiro

saude 18 07 2019O informe sobre a situação da gripe no Paraná divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde nesta quarta-feira (17/07) confirma 83 óbitos no Estado em função do vírus. O boletim que é atualizado semanalmente desde janeiro apresentava na publicação anterior 77 mortes por Influenza.

Municípios - Os seis novos óbitos apontados no boletim desta semana foram registrados nos seguintes municípios: em Ponta Grossa duas mulheres, uma de 72 anos e outra de 67 anos; em Foz do Iguaçu, uma mulher de 88 anos; em Curitiba, uma mulher de 80 anos; em Porecatu, uma mulher de 85 anos, e em São José dos Pinhais, um homem de 80 anos. As mortes ocorreram entre 26 de junho e 9 de julho, período em que começaram a ocorrer as temperaturas mais baixas no Estado.

Total - O boletim totaliza 415 casos confirmados de Influenza no Paraná. Na semana anterior eram 374 casos. As 22 Regionais de Saúde do estado apresentam casos da doença.

Idade - “Entre os casos e óbitos confirmados para a Influenza, podemos notar que a idade é um fator de risco”, explica a coordenadora da Vigilância Epidemiológica da Secretaria da Saúde do Paraná, Acácia Nasr. “No caso dos idosos, o sistema imunológico pode apresentar debilidades e, no caso das crianças, está em formação”.

Cuidados - A gripe é uma doença causada pelo vírus da Influenza, que ocorre predominantemente nos meses mais frios do ano. A transmissão do vírus acontece por via respiratória, pela inalação de partículas de secreção infectada em suspensão no ar.

Cuidados - A secretaria estadual ressalta no boletim os principais cuidados que devem ser tomados para diminuir o risco de contaminação – a frequente higienização das mãos, manter os ambientes bem ventilados, cobrir o nariz e a boca com a dobra do braço ao tossir ou espirrar e não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas.

Sintomas - A médica destaca que os sintomas da Influenza são febre alta, que surge de forma repentina associada à tosse, dor de garganta, dor de cabeça, dores articulares, calafrios e falta de ar. “E diante da permanência deste quadro orientamos a busca por atendimento médico. O início do tratamento nas primeiras 48 horas evita complicações. A rede pública de saúde tem à disposição o antiviral com Fosfato de Oseltamivir (Tamiflu). O medicamento é fornecido gratuitamente pelas unidades de saúde mediante apresentação da prescrição médica”, disse a médica. (Agência de Notícias do Paraná)

 


Versão para impressão


RODAPE