Imprimir
CABECALHO

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4613 | 08 de Julho de 2019

PR COOPERATIVO: Revista destaca ações de fortalecimento da Frencoop no Paraná

parana cooperativo 08 07 2019A primeira reunião promovida pelo Sistema Ocepar com deputados federais e senadores do Paraná que integram a Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop), ocorrida no dia 10 de junho, em Curitiba, é o tema da reportagem de capa da edição nº 171 da revista Paraná Cooperativo, produzida pela Assessoria de Comunicação. O encontro contou com a presença de um senador e 11 deputados. Também participaram o presidente da Frencoop, o deputado federal do Espírito Santo, Evair Vieira de Mello, e os diretores da Ocepar. “A Frencoop nos representa no Congresso Nacional e é importante que mantenhamos uma relação de proximidade e confiança. No evento foi possível manter um diálogo que pretendemos intensificar ao longo desta legislatura. É fundamental que tenhamos foco e manifestemos aos parlamentares, de forma clara e direta, as demandas do cooperativismo”, afirma José Roberto Ricken na seção Palavra do Presidente.

Entrevista – “É preciso dar um passo à frente e transformar o país, inspirado na organização e nos princípios do cooperativismo”, afirma o presidente da Frencoop, Evair Vieira de Mello, entrevistado deste número. Ele fala sobre o cooperativismo paranaense, suas principais bandeiras e prioridades na Frente, reformas da Previdência e tributárias, entre outros itens.

Mais – A publicação traz ainda reportagens sobre variados assuntos, entre os quais o lançamento do Plano Safra 2019/20, ocorrido no dia 18 de junho, o Fórum dos Presidentes, realizado dia 26 de junho, em Maringá, o Suespar, promovido pela Unime Paraná, em Foz do Iguaçu, a Digital Agro, organizada pela Frísia, e muito mais.

Clique aqui para conferir na íntegra a edição nº 171 da revista Paraná Cooperativo

 

MÍDIA: Lançamento do aplicativo Paraná Cooperativo repercute na imprensa

O lançamento do aplicativo Paraná Cooperativo, realizado na quinta-feira passada (04/07), durante reunião da diretoria da Ocepar com o governador Ratinho Júnior, no Palácio Iguaçu, em Curitiba, repercutiu na imprensa, com matérias divulgada em diversos veículos de comunicação, como a Folha de Londrina e o site Agro Conexão.

O aplicativo – O aplicativo permite o acesso às notícias, áudios, vídeos, revistas e indicadores econômicos do cooperativismo paranaense disponíveis no site do Sistema Ocepar (www.paranacooperativo.coop.br) de uma forma mais cômoda, intuitiva e imediata.

Principais fatos - Por meio do aplicativo, será possível ficar por dentro dos principais fatos sobre o setor. São fontes e conteúdo de qualidade, com cobertura dos principais eventos, de forma rápida no celular – tudo produzido pelo Sistema Ocepar.

Temas - Além de ficar bem informado sobre o cooperativismo paranaense, o leitor também terá acesso a notícias de outras áreas que impactam o setor, como agronegócio, infraestrutura, economia, política, legislação, meio ambiente, saúde, tecnologia, entre outras.

Categorias - Há ainda a possibilidade de personalizar os temas de interesse, com a escolha das categorias de sua preferência.

Indicadores - O aplicativo também permite pesquisar os indicadores econômicos das cooperativas do Paraná, gerados regularmente pela área de Desenvolvimento Cooperativo do Sescoop/PR.

Sem custo - O acesso às informações é gratuito e sem necessidade de assinatura.

QR Code - O aplicativo Paraná Cooperativo está disponível para os sistemas operacionais Android e iOS. Por meio do QR Code publicado no folder abaixo, é possível acessar as lojas da Google e da Apple para baixá-lo.

comunicacao folder 08 07 2019

GETEC: Informe mostra expectativas do mercado sobre indicadores econômicos

getec 08 07 2019A Gerência de Desenvolvimento Técnico da Ocepar (Getec) divulga, nesta segunda-feira (08/07), mais uma edição do Informe Expectativas de Mercado, com base nas informações do Boletim Focus, do Banco Central, levantadas com instituições financeiras sobre as projeções relativas à economia nacional, contemplando o Produto Interno Bruto (PIB), IPCA (Índice de Preços ao Consumidor), taxa Selic e câmbio para 2019, 2020 e 2021.

Informações – Mais informações podem ser obtidas com Maiko Zanella (maiko.zanella@sistemaocepar.coop.br / 41 3200-1115) ou com Jessica Raymundi (jessica.costa@sistemaocepar.coop.br / 41 3200-1133).

Clique aqui para acessar na íntegra o Informe Expectativas de Mercado

 

DIA C: 2,2 mil pizzas preparadas por 500 voluntários em Maringá

A temperatura baixa foi superada pela determinação de preparar 2,2 mil pizzas no Recanto Espírita Somos Todos Irmãos, que possui estrutura ampla e adequada para esse fim. A tarefa se encerrou por volta de 13h30, quando grande parte do alimento já havia sido retirada por entidades assistenciais da cidade, que arrecadaram com a venda.

Dia de Cooperar - O chamado Dia C, Dia de Cooperar, realizado no sábado (06/07), em Maringá (PR), em comemoração ao Dia Internacional do Cooperativismo, contou com o envolvimento direto das cooperativas Cocamar, Sicredi União PR/SP, Unimed, Sicoob, Uniodonto, Unicampo e Pluricoop.

Feliz - A secretária-executiva da Unicampo, Patrícia Nunes de Paula, juntou-se ao grupo para fazer a distribuição dos aventais, luvas e máscaras ao pessoal que foi para a cozinha. “Estou muito feliz com a oportunidade de participar”, disse ela. Lá dentro, o superintendente do Sicredi, David Conchon, ajudava a elaborar as pizzas quase ao lado do presidente do Sicoob Metropolitano, Luiz Ajita, e da presidente da Pluricoop, Cleide Aparecida Bulla.

Animação e alegria - Do lado de fora, à medida que iam ficando prontas, o gerente da Cocamar, Márcio Kloster, ajudava a levar as pizzas até a distribuição. Em todos os setores, muita animação e alegria: “Preocupar-se e fazer o bem à comunidade é um dos princípios do sistema cooperativista”, comentou o gerente de cooperativismo da Cocamar, João Sadao, ao ser entrevistado por uma emissora de TV. Clique aqui para conferir a reportagem na íntegra.

Imprensa - Aliás, a imprensa esteve em peso para registrar o evento. Para a repórter Carina Bernadino, da Rádio CBN, uma realização como essa “irradia um sentimento positivo e deveria ser seguida por outros setores”.

Pronunciamento - Durante a solenidade, pronunciaram-se o presidente do Conselho de Administração e o presidente-executivo da Cocamar, Luiz Lourenço e Divanir Higino, o presidente da Uniodonto, Vampré Luiz Cardoso Oliveira, o presidente da Unicampo, Luciano Ferreira Lopes, o presidente do Conselho de Administração da Sicredi União, Wellington Ferreira, a presidente da Pluricoop, Cleide Aparecida Bulla, o presidente do Sicoob Metropolitano, Luiz Ajita, o diretor de Mercado da Unimed, Reynaldo Rafael José Brovini, e a analista de Desenvolvimento Cooperativo do Sescoop/PR, Mariana Balthazar.

Entidades - Além do Recanto Espírita Somos Todos Irmãos, foram beneficiadas pelo Dia C, em Maringá, as entidades Lins de Vasconcelos, Associação Norte Paranaense de Reabilitação (ANPR), Lar Escola da Criança, Projeto Vira Pet, Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), Equipe do Ozório, Amaar e Servos do Pai. As pizzas foram vendidas a R$ 30 cada, totalizando R$ 66 mil.

Colaboração - Colaboraram com o evento a Frimesa Cooperativa Agroindustrial, Frost Films, Bia Festas, Kandyany Eventos, Decision Comunicação Visual, Panificadora Docela, Ruah Fotografia, Gela Boca, Flamma Comunicação, Made in Roça Cocamar, Purity e Dolce Café Panificadora. (Com informações da Assessoria de Imprensa da Cocamar)

{vsig}2019/noticias/07/08/cocamar_dia_c/{/vsig}

DIA C: Dia de Cooperar movimenta Mandaguari com mix de ações

 

Na fria manhã do dia 6 de julho, em Mandaguari (PR), as cooperativas Aurora, Cocari, Rodocoop e Sicredi realizaram o “Dia C – Dia de Cooperar”, com o tema “Atitudes simples movem o mundo”. As cooperativas organizaram um mix de ações realizadas em comemoração ao Dia Internacional do Cooperativismo. Mesmo com a baixa temperatura, a manhã seguiu animada com atividades das nove da manhã até o meio-dia. 

 

Dia C - O Dia C é uma iniciativa das cooperativas brasileiras, estimulando ações voluntárias diversificadas e simultâneas nos municípios em que atuam. As iniciativas são definidas pelas cooperativas e contam com apoio da OCB e Sescoop, mostrando à comunidade cooperativista e aos demais setores da sociedade, o potencial de atuação das cooperativas. O objetivo é enfatizar o interesse das cooperativas pelas comunidades envolvidas. 

 

Intercooperação - O evento, organizado em intercooperação e com o apoio do Sescoop/PR e da Prefeitura Municipal de Mandaguari, recebeu o presidente da Cocari, Vilmar Sebold; o presidente da Rodocoop, Dr. Marcos Trintinalha; o gerente da Unidade Aurora de Mandaguari, Gilmar Luís Gruber; o presidente da Sicredi Agroempresarial PR/SP, Agnaldo Esteves; a representante do Sescoop/PR, Mariana Balthazar; e o prefeito do município, Romualdo Batista. 

 

Ações - Ao longo da manhã, foram desenvolvidas diversas atividades como: aulas livres de dança, alongamentos e atividades físicas; conscientização sobre educação financeira; playground com monitores para crianças, com pipoca e algodão doce; profissionais da saúde fazendo exames como aferição de glicemia, pressão arterial, cadastro para coleta de medula óssea; barracas locais de doces; doação de mudas de essências nativas; doação de animais; além de arrecadação e doação de roupas. (Imprensa Cocari)

 

{vsig}2019/noticias/07/08/dia_c/{/vsig}

DIA C: Equipe do Sicoob Sul em Irati comemora data com ação solidária no Asilo Santa Rita

dia c sicoob sul 08 07 2019Em comemoração ao Dia C, a equipe do Sicoob Sul na cidade de Irati promoveu uma ação solidária no Asilo Santa Rita. Os colaboradores participantes do programa Voluntário Transformador, que é uma iniciativa do Instituto Sicoob, aproveitaram o feriado de Corpus Christi (20 de junho) para visitar os moradores da instituição.

Animação - Em clima de muita animação e descontração, eles assistiram filmes, ouviram música e também compartilharam um café da tarde com os idosos. Para a gerente da agência local, Lorena Maravieski Filus, ser voluntária é muito mais que uma ação solidária. “Envolve afeto e gratidão. É sobre entender a necessidade de outro, saber se colocar, ser útil! Os pequenos gestos de carinho e sorrisos que recebemos nos motivam a fazer a diferença, mudar uma vida, ser um transformador." (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

CAPAL: Cooperativa assume indústrias cafeeiras no Paraná

 

capal 08 07 2019A Capal assumiu o controle das cafeeiras São Carlos e Benetti Coffee, com matriz no município de Pinhalão (PR). Atualmente, a produção média dessas unidades é de 150 mil sacas por ano, mas a expectativa é chegar a 250 mil. As unidades têm filiais no bairro Lavrinha (Pinhalão) e nos municípios de Siqueira Campos e Carlópolis, ambos no Paraná.

 

Otimismo - O presidente-executivo da cooperativa, Adilson Fuga, está bastante otimista com o mercado e com este novo negócio. “Excelente para os cooperados que já são atendidos pela Capal com assistência técnica e insumos, pois agora vamos atender toda a cadeia do café. Acredito em crescimento significativo nesse segmento e já estamos estudando investimentos para ampliação da indústria”, afirma Fuga.

 

Planos - A entrada na indústria de café estava nos planos da cooperativa há algum tempo, já que parte dos cooperados produz o grão e demanda por comercialização. Hoje são mais de 250 cafeicultores associados nos estados do Paraná e de São Paulo, com área plantada de 5.040 hectares.

 

Beneficiamento - As cafeeiras beneficiam as marcas Benetti, Robusto, Café Caçulla e Jucafé, com torrefação de 432 mil quilos por ano. A expectativa da Capal é, em um primeiro momento, saltar para 800 mil quilos/ano e, depois, 1,8 milhão de quilos.

 

Atividades - A cooperativa já produz ração para bovinos, suínos, aves e cães, além de sementes. Com a Unium, sistema de intercooperação que integra também as cooperativas Frísia e Castrolanda, a Capal industrializa carne suína, trigo e leite. (Imprensa Capal)

SICOOB TRÊS FRONTEIRAS I: Palestras de educação financeira são realizadas para colaboradores da Frimesa

 

sicoob tres fronteiras I 08 07 2019Colaboradores do Sicoob Três Fronteiras participantes do Programa Voluntário Transformador ministraram palestras de educação financeira e orçamento familiar para mais de 80 colaboradores da cooperativa Frimesa, de Medianeira (PR).

 

Troca de turno - Ao todo, foram realizadas quatro palestras, sendo que uma delas aconteceu após às 23h para atender a troca de turno da cooperativa. O colaborador da Frimesa, Adilson Gomes Teixeira, foi um dos beneficiados com a ação. “A palestra foi muito boa e me senti muito bem aprendendo coisas novas. Vou passar a fazer o orçamento familiar para controlar as despesas”, ponderou.

 

Gratificante - Já para o colaborador Wilian Lucas Silva, participar da palestra foi muito gratificante. “O tempo precioso de aprendizado e as interações foram de grande valia”, comentou.

 

Sobre o programa - O Programa Voluntário Transformador foi desenvolvido com o intuito de fazer a gestão do voluntariado no Instituto Sicoob. A partir da iniciativa, colaboradores e dirigentes das cooperativas Sicoob têm a oportunidade de participar ativamente como voluntários da instituição, contribuindo com os programas e projetos da organização, seu desenvolvimento pessoal e consequentemente com a construção de um mundo melhor.

 

Diferença - Para a gerente de Relacionamento e voluntária do Sicoob Três Fronteiras, Patricia Oliveira, as ações desenvolvidas pelo Instituto Sicoob são oportunidades de fazer a diferença na vida das pessoas e entender melhor o valor das relações humanas.

 

Mais que uma ação - “Ser voluntária é muito mais que uma ação, envolve afeto, empatia, compaixão e gratidão. Posso sentir o poder disso tudo quando leio alguns depoimentos expostos nas fichas de avaliações, percebo nisso uma oportunidade única de me autoavaliar", explica. (Imprensa Sicoob Unicoob)

SICOOB TRÊS FRONTEIRAS II: Felicitadores recebem capacitação para aprimorar as ações do FIC

 

sicoob tres fronterias II 08 07 2019A fim de fortalecer o Programa Felicidade Interna do Cooperativismo (FIC) e engajar cada vez mais os colaboradores nas ações propostas, os felicitadores do Sicoob Três Fronteiras (pessoas escolhidas como ponto de apoio nas agências e na Unidade Administrativa), receberam nova capacitação nos dias 17 e 18 de junho. 

 

Nível de conhecimento - O treinamento foi ministrado por Adriana Pierini, diretora executiva da Pluricoop, habilitada para implantar o programa FIC nas cooperativas em todo o Brasil. Segundo ela, o treinamento serviu como ferramenta para mensurar o nível de conhecimento dos felicitadores sobre o FIC e pensar em estratégias para futuras ações da cooperativa.

 

Gratificante - Para a felicitadora e gerente de relacionamento do Sicoob Três Fronteiras em Medianeira, Patricia Oliveira, ser escolhida para atuar nas estratégias do FIC foi gratificante. “Foi como um presente. Acredito que nosso desafio agora é compartilhar tudo o que vimos no treinamento com os demais colaboradores, para que todos possam, de fato, se sentir parte do programa”, afirma.

 

Ambiente saudável de trabalho - “Percebo que um dos maiores desafios do mundo corporativo é justamente criar um programa eficiente e de qualidade de vida, que propicie um ambiente saudável no trabalho, estimule o autoconhecimento e desenvolvimento dos colaboradores”, complementa a supervisora de Gestão de Pessoas e RH do Sicoob Três Fronteiras, Simone Muller.

 

Momentos mais leves - Acreditando que seria uma tarefa difícil e complexa, a atendente de agência Luana Vargas hesitou em participar como felicitadora no início, mas conta que logo mudou de ideia. “Na capacitação entendi que que não temos a obrigação de fazer as pessoas felizes, mas sim a missão de oportunizar a elas momentos mais leves e saudáveis no ambiente de trabalho”, destaca.

 

Estímulo - Após o treinamento, os felicitadores se comprometeram a repassar para a Diretoria Executiva as ações que serão desenvolvidas para estimular a felicidade na cooperativa, o que ajudará a valorizar as iniciativas do programa. “O FIC desenvolve, estimula e propicia resultados transformadores para colaboradores, cooperativa e cooperados”, ressalta a diretora executiva da Pluricoop.

 

Próxima etapa - O próximo passo do programa é a aplicação de um questionário na cooperativa. Os colaboradores do Sicoob Três Fronteiras responderão a perguntas que têm o objetivo de medir os níveis de felicidade individual nas dimensões tempo, saúde, governança, bem-estar psicológico, cultura, vitalidade comunitária, padrão de vida, educação e meio ambiente. Com os resultados obtidos, os felicitadores irão detectar os principais focos para explorar as atividades do FIC. (Imprensa Sicoob Unicoob)

SICOOB CREDICAPITAL: Ação é realizada em Cascavel para divulgar linhas de crédito rural

 

sicoob credicapital 08 07 2019Com o intuito de divulgar as linhas de Crédito Rural disponíveis para apoiar o agronegócio, o Sicoob Credicapital promoveu uma ação na agência Uopeccan, em Cascavel, nos dias 27 e 28 de junho.

 

Parceria - A cooperativa firmou parceria com a empresa de máquinas agrícolas Shark Equipamentos, que disponibilizou dois tratores para exposição e também dois colaboradores para sanar dúvidas dos cooperados e agricultores que passaram pelo ponto de atendimento.

 

Interesse - Na oportunidade, os gerentes da agência Antonio Bordini Júnior e Luiz Felipe Magro atenderam os produtores rurais que demonstraram interesse em renovar seus equipamentos com tecnologia de ponta.

 

Positivo - Segundo Magro, apesar de o clima estar com ameaça de chuva e frio, a ação rendeu bons resultados. “Entendemos que foi muito positivo, pois atingimos nossos objetivos com a exposição, recepcionamos vários agricultores e cooperados. Recebemos alguns feedbacks elogiando o movimento de divulgar para a comunidade que o Sicoob também está presente no ramo do agro”, afirma. (Imprensa Sicoob Unicoob)

SICOOB SUL: Cooperativa compartilha iniciativas com foco em inovação no Startup Nation

 

sicoob sul 08 07 2019No dia 26 de junho, aconteceu em Curitiba o Startup Nation, promovido pelo Sebrae/PR. Destinado a debater as novidades do ecossistema de inovação no Paraná, o evento reuniu representantes de startups e empresas, além de agentes de inovação e agentes do poder público. Representando o Sicoob Sul, participaram o diretor de Mercado, Paulo Henrique Gomes Amaral e a gerente de Produtos & Serviços, Jéssica Caetano de Oliveira Assunção.

 

Destaque - O destaque da programação foi uma palestra com Oren Gershtein, CEO da Ideality Roads, empresa especializada a estimular a criação de ambientes inovadores. Em sua fala, ele explicou como Israel atingiu o patamar de referência mundial em inovação e tecnologia ao produzir um ambiente que gera valor pelo conhecimento e conta com o envolvimento dos setores público e privado, além de universidades.

 

Boas práticas - O Sicoob Sul foi convidado pelo Sebrae/PR para compartilhar no evento as iniciativas desenvolvidas com foco na inovação. O diretor de Mercado, Paulo Henrique Gomes Amaral, fez uma breve apresentação dos projetos da cooperativa e frisou a participação de um grupo de colaboradores no Programa de Inovação para o Cooperativismo Paranaense, que é aplicado Isae/FGV em parceria com a Ocepar.

 

Soluções digitais premiadas - Ele também ressaltou que o Sicoob tem soluções digitais premiadas, como o internet banking e os aplicativos "Minhas Finanças" e “Faça Parte”.  Por fim, declarou que a cooperativa está de portas abertas para receber os "startupeiros" e as inovações.

 

Única instituição financeira - “Fomos a única instituição financeira presente no evento. Acredito que essa foi uma oportunidade de fortalecermos nossa parceria com o Sebrae e fortalecer a marca a visibilidade da marca Sicoob. Também pudemos ter uma possibilidade de aproximação com esse público de Curitiba e região", comenta a gerente Jéssica. (Imprensa Sicoob Unicoob)

INSTITUTO SICOOB I: Expresso oferece cursos em Jaguapitã e Cambé

 

Nas próximas semanas, o Expresso Instituto Sicoob deve visitar duas cidades da área de atuação do Sicoob Ouro Verde. De 08 a 12 de julho, o ônibus estará em Jaguapitã. Depois, segue para Cambé, onde fica de 15 a 19 de julho.  

 

Plataforma itinerante - O ônibus, totalmente adaptado, funciona como uma plataforma itinerante de formação profissional e cidadã. Por isso, é equipado com mesas, assentos, notebooks, televisores, impressora e internet.

 

Cursos - No Expresso, os alunos têm acesso a uma ampla variedade de cursos profissionalizantes de temas variados, que são ministrados na modalidade EAD. Para se inscrever em uma das 53 opções de capacitação, é preciso entrar em contato com as agências do Sicoob destas cidades. Todos os cursos são certificados e gratuitos.

 

Datas e locais - Confira abaixo as datas e os locais do Expresso Instituto Sicoob em Jaguapitã e Cambé:

 

JAGUAPITÃ

08 a 12/07

08h30 às 17h30

Av. Paraná (em frente à praça e próximo ao Batalhão da Polícia Militar)

 

CAMBÉ

15 a 19/07

08h30 às 17h30

15 e 16/07 - Av. Gabriel Freceiro de Miranda, 506 (em frente à agência do Jd. Santo Amaro)

17, 18 e 19/07 – Av. Brasil, 78 (No Calçadão, em frente à agência Centro)

(Imprensa Sicoob Unicoob)

 

{vsig}2019/noticias/07/08/instituto_sicoob_I/{/vsig}

INSTITUTO SICOOB II: Concurso Cultural recebe mais de 60 mil inscrições

 

instituto sicoob II 08 07 2019Começamos com o pé direito! A edição deste ano do Concurso Cultural do Instituto Sicoob recebeu mais de 60 mil inscrições de estudantes do ensino fundamental. O objetivo do concurso é difundir o conceito de cooperação de maneira transversal, ou seja, atrelado a outros assuntos importantes para o desenvolvimento local.

 

Tema - Neste ano, o tema do programa é “Todo mundo ganha com a cooperação”. Ao todo, 87 cooperativas, de 15 centrais, mobilizaram escolas das redes pública e privada para participarem das duas categorias existentes. Estudantes do 3º ano participam em forma de produção de desenhos e do 5º ano por meio de redação. 

 

Inscrições - O concurso foi lançado dia 27 de maio e, durante um mês, recebeu inscrições de 764 escolas de 246 municípios brasileiros. A avaliação dos trabalhos ocorrerá em três etapas, a primeira é local e a escola escolherá três trabalhos destaques e enviará à cooperativa Sicoob local. Depois, três desenhos e três redações na área de abrangência da cooperativa serão selecionados e enviados à Central Sicoob. 

 

Etapa regional - Em seguida, na etapa regional, cada Central Sicoob selecionará as três redações e os três desenhos premiados na região de abrangência e encaminhará ao Instituto Sicoob. Por fim, na etapa nacional, o Instituto Sicoob escolherá um vencedor nacional para cada categoria.

 

Reflexão - "Ficamos muito felizes com a quantidade de inscrições, pois é um momento em que os alunos poderão refletir e se expressar sobre temas relevantes, como cooperação e consumo consciente”, comemora Emanuelle Moraes, gerente do Instituto Sicoob.

 

Cronograma - Acompanhe as datas das próximas etapas para conhecer os trabalhos selecionados.

27/05 | Lançamento do concurso

28/06 | Prazo para a inscrição das escolas participantes no site (serão aceitas escolas convidadas pelas Cooperativas Sicoob)

30/08 | Prazo para as escolas enviarem às cooperativas Sicoob os trabalhos selecionados e a lista de presença das crianças que participaram do concurso

16/09 | Divulgação do resultado da etapa local (cooperativa)

16/09 | Prazo para as cooperativas enviarem às centrais os trabalhos selecionados e a lista de presença das crianças que participaram do concurso

30/09 | Divulgação do resultado da etapa regional (Central)

30/09 | Prazo para as centrais enviarem ao Instituto Sicoob os trabalhos selecionados e a lista de presença das crianças que participaram do concurso

11/11 | Divulgação do resultado nacional

(Imprensa Instituto Sicoob)

CAMINHOS DO CAMPO: Produtividade de cevada deve aumentar 15% no Paraná

caminhos campo 08 07 2019O Programa Caminhos do Campo, da RPC TV, mostrou, neste domingo (07/07), uma reportagem sobre o aumento da produção de cevada no Paraná. Segundo a matéria, a plantação de cevada tem dado super certo no Estado. Nas lavouras do Alexandre Seitz, na região centro-sul, as sementes plantadas nos 200 hectares de cevada já começaram a germinar graças à boa condição do tempo. A expectativa a é que a produtividade do grão aumente 15%.

Janela de plantio- "A gente sempre respeita a janela de plantio da cevada, principalmente da nossa região, que é bastante fria e tem geadas muito fortes. Então, a gente planta tentando escapar da geada de setembro, e faz o cultivo sempre entre 15 e 30 de junho", explicou o produtor.

Clique aqui para conferir na íntegra a matéria

 

TRIGO: Novas tecnologias e recomendações para próxima safra são aprovadas em Passo Fundo (RS)

 

O encerramento da programação da 13ª Reunião da Comissão Brasileira de Pesquisa de Trigo e Triticale e do Fórum Nacional de Trigo aconteceu na quinta-feira (04/07) com a plenária final da programação científica. Realizados em Passo Fundo (RS), os eventos tiveram como destaques a aprovação de cinco novas cultivares de trigo e 10 extensões de cultivo de trigo e uma de triticale. São inovações tecnológicas para as culturas que passam a fazer parte das indicações técnicas da Comissão. 

 

Fórum - A programação iniciou na terça-feira (02/07) com o Fórum Nacional do Trigo e durante os três dias diversas pesquisas realizadas por instituições e empresas do setor foram o foco das discussões. Participaram cerca de 300 pessoas autoridades, pesquisadores, produtores, profissionais do agronegócio, cerealistas, moinhos, indústrias de 10 estados brasileiros. Novas tecnologias, principais doenças que desafiam produtores de trigo - Giberela e Mosaico; rentabilidade da cultura; recomendações de manejo e o panorama nacional da cultura foram os temas das pesquisas científicas, palestras e painéis.

 

Avaliação positiva - Na plenária final, o presidente da 13ª Reunião da Comissão Brasileira de Pesquisa de Trigo e Triticale, André Cunha Rosa, avaliou o encontro anual como positivo para o setor e destacou que o Fórum, realizado no dia 2 de julho, cumpriu com os dois objetivos: fomentar discussões importantes e colocar em prática ações que possam refletir no aumento da média de produtividade e na rentabilidade de todos os elos da cadeia do trigo. 

 

Contribuição da ciência - “É inegável a contribuição da ciência nas últimas décadas. A Comissão promove essas trocas de informações, através do Fórum e da Reunião científica há mais de meio século, desde um tempo em que produtores almejavam colher 10 sc/ha. Cinquenta anos depois muitos alcançam 100 sc/ha e, se esses conseguem ter lucro com trigo, é porque temos tecnologia para isso. O que precisamos fazer é que todos tenham o mesmo resultado e isso se faz através da difusão da informação, em eventos como os que aconteceram nesta semana”, comentou.

 

Norma federal - Outro debate importante no Fórum também destacado pelo presidente foi a norma federal fiscalizada pela Anvisa, que passou a exigir em 2019 limites menores da micotoxina Desoxinivalenol (DON) nos produtos derivados do trigo. “Discutimos muito esse tema no Fórum, mostrando que existem medidas que podem auxiliar a pesquisa, o produtor, o cerealista e o moinho a se enquadrarem na nova legislação e avaliamos de forma muito positiva que essas orientações foram validadas pelos membros da Comissão na plenária final da Reunião, possibilitando que essas recomendações passam a ser difundidas com o aval da Comissão Brasileira de Pesquisa de Trigo”, enfatizou citando especialmente a aprovação da recomendação do fungicida Carbendazim, que adicionado a outros fungicidas tem se mostrado eficiente no controle da Giberela e na redução da micotoxina DON nos grãos de trigo.

 

Tecnologia - Outra inovação desta 13ª edição foi a aprovação pelos integrantes da Comissão da inclusão de uma tecnologia já utilizada na cultura do arroz para o controle de ervas daninhas e que agora passa a compor o portfólio de cultivares de trigo disponíveis para comercialização. “A tecnologia Clearfield, resistente ao herbicida que controla o azevém e aveia, vai auxiliar muito no aumento da produtividade, reduzindo as invasoras nas lavouras de trigo. Esses são alguns exemplos de tecnologias que a Comissão de Pesquisa respondeu às demandas da cadeia no Fórum e que imediatamente foram aprovadas na Reunião já como indicações técnicas”, concluiu.

 

Inovações para a safra 2020 - A Biotrigo Genética apresentou três novas cultivares: TBIO Astro, trigo melhorador de ciclo superprecoce; TBIO Capricho CL, trigo pão de ciclo médio/tardio, com a tecnologia inédita Clearfield e ainda TBIO Aton, tipo pão, de ciclo médio. A obtentora também obteve a aprovação da extensão da indicação de uso de outras três cultivares: TBIO Duque (trigo pão branqueador, de ciclo precoce) para os estados de SC, MG, GO e DF; TBIO Ponteiro (trigo pão de ciclo médio/tardio) para os estados de SC, PR e MS e TBIO Energia II (trigo para alimentação animal) que passa a ser indicada para cultivo no estado do Distrito Federal. A Comissão ainda aprovou duas outras cultivares de ciclo precoce: RBO 2B5, da Tamona Agropecuária e FPS Regente, da Fundação Pró-Sementes.

 

Áreas amplificadas - Tiveram áreas de abrangência amplificadas as cultivares da Embrapa: BRS 264 (precoce, trigo pão), para o cultivo no irrigado, na região 4 de Minas Gerais, BRS Surubim (triticale de ciclo médio, outros usos), com extensão de recomendação para a região 1 de Santa Catarina, e BRS Atobá (precoce, melhorador) para as regiões 1 e 2 de Santa Catarina e região 2 de São Paulo.

 

Variedades - A OR Sementes recebeu a aprovação de extensão de cultivo de cinco variedades, sendo quatro para o cultivo irrigado na região 4 de Minas Gerais. São elas ORS 1403 (ciclo médio, classe pão), ORS 1401 (ciclo tardio, classe melhorador), ORS Citrino (ciclo precoce, melhorador), ORS Madrepérola (ciclo médio/precoce, classe melhorador/branqueador). ORS Ágile, trigo pão, de ciclo superprecoce, passa a ser indicada para região 1 e 2 do Rio Grande do Sul e Santa Catarina e 1 do Paraná.

 

Cultivares - As cultivares aprovadas e as extensões de uso estarão disponíveis para cultivo a partir da safra 2020. As recomendações serão publicadas nos próximos meses no livro “Informações Técnicas para Trigo e Trititicale – Safra 2020”, com distribuição gratuita, e no site www.reuniaodetrigo.com.

 

Trabalhos - Além dessas novidades, também foram apresentados 57 trabalhos orais. Seis deles foram selecionados como os melhores nas subcomissões de Ecologia, Fisiologia e Práticas Culturais; Fitopatologia; Entomologia; Melhoramento, Aptidão Industrial e Sementes; Solos e Nutrição Vegetal e Transferência de Tecnologia e Socioeconomia. São eles: Método para avaliar a germinação pré-colheita em genótipos de trigo, de Eliana Maria Guarienti (Embrapa Trigo); Nova raça de ferrugem da folha do trigo identificado na safra 2018, de Camila Turra (OR Sementes); Curva de absorção de Nitrogênio para a cultura do trigo, do engenheiro agrônomo Maicon Andreo Drum; Nível de dano de Dichelops melacanthus (Hemíptera: Pentatomidae) na fase inicial da cultura do trigo, de Marielli Ruzicki; Trigo exportação: alternativa para sustentabilidade da cultura do trigo no RS, de João Leonardo Fernandes Pires (Embrapa Trigo) e Cultivos outonais antecedendo trigo e soja, de autoria de Juliano Luiz de Almeida (Fundação Agrária de Pesquisa Agropecuária).

 

Sobre o evento - As reuniões da Comissão Brasileira de Pesquisa de Trigo e Triticale são realizadas há mais de meio século no país. As discussões científicas integram pesquisadores, acadêmicos e todos os elos da cadeia tritícola com o objetivo de gerar e divulgar novas tecnologias, viabilizando a qualidade, aumento da produtividade, buscando vencer os desafios encontrados na cultura. Nesta 13ª edição da Reunião da Comissão Brasileira de Pesquisa de Trigo e Triticale (RCBPTT) e do Fórum Nacional do Trigo, a promoção foi da Biotrigo Genética, com apoio da Embrapa Trigo e patrocínio das empresas Basf, Syngenta, Bayer, Coamo, Granotec, Agrária, Apasem, FMC.

 

Próxima reunião - O Grupo Unium - das cooperativas paranaenses Frísia, Castrolanda e Capal - foi aprovado como sugestão de promotor da 14ª edição da RCBPTT e do Fórum Nacional do Trigo 2020. A proposta do Grupo é que os eventos da Comissão de Trigo sejam realizados em paralelo ao Digital Agro, que acontece na cidade de Carambeí, no Paraná, nos dias 16, 17 e 18 de junho do próximo ano. (Assessoria de Imprensa da Biotrigo)

 

{vsig}2019/noticias/07/08/trigo/{/vsig}

SOJA: Londrina sedia simpósio de controle biológico

soja 08 07 2019Para debater os avanços nas temáticas relacionadas ao controle biológico de pragas e doenças, a Sociedade Entomológica do Brasil promove o 16º Simpósio de Controle Biológico (Siconbiol), no Parque de Exposições Ney Braga, em Londrina (PR), de 11 a 15 de agosto de 2019, no Parque de Exposições Ney Braga. A palestra de abertura será ministrada no dia 11 de agosto, a partir das 19h30, pelo professor da Esalq/USP José Roberto Postali Parra, que irá abordar os Avanços e Desafios do Controle Biológico na Agricultura Brasileira.

Fórum - De acordo com o pesquisador da Embrapa Soja, Adeney de Freitas Bueno, presidente do Siconbiol, o evento é maior fórum de discussão sobre controle biológico da América Latina. O objetivo do Siconbiol é promover um amplo debate sobre aspectos relacionados a empreendedorismo e comercialização no controle biológico; biotecnologia e formulação de biopesticidas; interações do controle biológico com outras táticas de manejo integrado de pragas e doenças, destacar os gargalos do uso de produtos biológicos no campo, entre outros temas.

Avanços - “Nossa intenção é apresentar os avanços no conhecimento científico sobre controle biológico, abrangendo o desenvolvimento e a aplicação de tecnologias apropriadas para o manejo de populações de insetos e ácaros, ervas daninhas e outras pragas de interesse para a agricultura e a saúde pública”, destaca Bueno.

Programação - Confira a programação completa aqui no site do evento e acompanhe as novidades no perfil do Siconbiol 2019 no Facebook e no Instagram. (Assessoria de Imprensa da Embrapa Soja)

SERVIÇO

16º Simpósio de Controle Biológico (Siconbiol)

Data: 11 a 15 de agosto de 2019

Local: Parque de Exposições Ney Braga, em Londrina (PR).

Informações: https://siconbiol.com.br/

 

FOCUS: Mercado reduz estimativa de crescimento da economia para 0,82%

focus 08 07 2019A estimativa do mercado financeiro para o crescimento da economia este ano continua em queda. Segundo o boletim Focus, pesquisa semanal do Banco Central feita junto a instituições financeiras, a projeção para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – desta vez foi reduzida de 0,85% para 0,82%. Foi a 19ª redução consecutiva.

2020 - Para 2020, a expectativa é que a economia tenha crescimento maior - de 2,20% -, a mesma da semana passada. A previsão para 2021 e 2022 permanece em 2,50%.

IPCA - A estimativa de inflação, calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), se manteve em 3,80% este ano. A meta de inflação de 2019, definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), é de 4,25%, com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%.

Projeção - A projeção do mercado financeiro para a inflação em 2020 é de 3,91%. A meta para o próximo ano é de 4%, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

2021 - Para 2021, o centro da meta de inflação é 3,75% e para 2022, 3,5%, também com intervalos de tolerância de 1,5 ponto percentual. A previsão do mercado financeiro para a inflação em 2021 e 2022 permanece em 3,75%.

Taxa básica de juros - Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, mantida em 6,5% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom). Ao final de 2019, as instituições financeiras esperam que a Selic esteja em 5,50% ao ano, mesma projeção da semana passada. Para o fim de 2020, a expectativa é que a taxa básica seja de 6% ao ano e, no fim de 2021 e 2022, chegue a 7,5% ao ano.

Tendência - Quando o Copom reduz a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica. (Agência Brasil)

 

ECONOMIA I: Pacote pós-Previdência inclui estímulo de curto prazo e desonerações

 

economia I destaque 08 07 2019Enquanto comemorava a aprovação da reforma da Previdência, a equipe econômica também acelerava a elaboração de medidas que serão adotadas na sequência, em especial após a votação do projeto no plenário da Câmara. O Ministério da Economia estuda fazer um anúncio estruturado por parte do ministro Paulo Guedes sobre a segunda fase da agenda que visa reduzir o Estado e a dívida pública, além de estimular a atividade.

 

Medidas - As iniciativas passam por medidas estruturais, como a reforma tributária, a aceleração do programa de privatizações e a implementação do já anunciado plano de barateamento do gás. Elas incluem ainda ações de estímulo à demanda (como liberação do PIS/Pasep e de parte do FGTS, além da indicação de que o BC pode retomar a queda de juros básicos) e iniciativas na área microeconômica - novas regras para debêntures de infraestrutura (leia o texto Mudança na legislação de debêntures de infraestrutura), melhora de garantias para o crédito e desoneração da importação de bens de capital e de informática.

 

Abrir a porteira - "Depois da Previdência a gente vai abrir a porteira", comentou uma fonte, contando que, após a conclusão da votação da reforma na comissão, integrantes da equipe econômica se abraçavam e gritavam "É tetra!", referência à comemoração do narrador Galvão Bueno quando Brasil foi campeão em 1994. "É quase um PPA", acrescentou a fonte, referindo-se à quantidade de medidas em gestação para o pós-Previdência, que remontaria ao Plano Plurianual (PPA) - que também está em elaboração pelo governo e que valerá para o período de 2020 a 2023.

 

Conquista - "O Brasil conquistou uma grande etapa em prol do desenvolvimento sustentável, com a Nova Previdência passando com folga na comissão. Foi uma sinalização importante, pois indicou que há boa sintonia entre governo e Congresso. Após a aprovação da proposta em plenário, o Ministério da Economia tem uma ampla agenda de medidas a apresentar e defender", disse o secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues. "No ritmo que estamos caminhando, 2019 poderá ser lembrado como um 'difícil ano bom', em que o Brasil deu início a um processo essencial em busca da prosperidade."

 

Votação - O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), está prometendo para esta semana a votação da Previdência no plenário da Casa em dois turnos. Se isso se concretizar, a visão no governo é que haverá uma redução importante no nível de incerteza na economia e o terreno para a retomada do crescimento estará mais aplainado.

 

Estímulos de curto prazo - Nesse ambiente, o uso de estímulos também de curto prazo (a despeito da preferência por ações estruturais) poderá ser acionado para tentar reverter a forte deterioração das expectativas de crescimento. O governo ainda trabalha oficialmente com uma expansão de 1,6% do PIB, praticamente o dobro do que espera o mercado e o próprio BC, mas até o próximo dia 22 essa estimativa será derrubada pela Secretaria de Política Econômica para algo mais próximo do que os analistas estão apontando.

 

Sem espaço - O governo hoje considera que não há espaço para estímulos fiscais, como aumento no investimento público. Pelo contrário, novo corte de gastos deve ocorrer com a piora da estimativa oficial de PIB. Nesse quadro, as medidas de curto prazo devem ter natureza parafiscal, como a nova rodada de liberação do PIS/Pasep (que tem cerca de R$ 22 bilhões parados e que na maior parte deve ser trazido para reforçar o caixa do governo) e de recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). 

 

Situação - O primeiro está mais avançado, enquanto o segundo depende da finalização de estudos, em especial na parte relativa à possibilidade de liberação de parte do dinheiro nas contas ativas, dos trabalhadores que estão empregados. 

 

Demanda - No lado da demanda, o governo, por meio do Banco Central, ainda pode dar estímulos com a redução da taxa básica de juros. A despeito do presidente da autoridade monetária, Roberto Campos Neto, dizer que não há relação "mecânica" entre aprovação da Previdência e corte dos juros, a sinalização que tem sido dada é que a decisão do Congresso permitirá que isso ocorra.

 

Estruturais - Mas o que o governo quer mesmo é lançar medidas tidas como mais estruturais. A reforma tributária desejada, unificando tributos federais e pode substituir a contribuição sobre folha de pagamento por uma espécie de CPMF ampliada, ainda não teve seu desenho final aprovado por Guedes, mas está sendo finalizada.

 

Energia barata - Outra, mais avançada, é o "choque de energia barata". O governo esperava para hoje que o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) finalize o acordo com a Petrobras para que a estatal saia do mercado de gás e ofereça acesso aos seus gasodutos para que empresas exploradoras desse insumo possam vender no mercado esse produto a preços mais baratos. A visão de Guedes é que isso vai estimular a indústria fortemente.

 

Privatizações - No plano de privatizações, ainda caminhando em marcha lenta, a ideia da equipe econômica era remeter para o Programa de Parceria de Investimentos (PPI) uma lista de companhias a serem vendidas apenas após a aprovação da reforma na Câmara dos Deputados.

 

Valores - Para este ano, de qualquer jeito, o governo prevê gerar R$ 100 bilhões em desestatizações, sendo que metade já foi feita (como a venda da TAG pela Petrobras) e outras estão por vir, como a da Liquigas. Também está sendo revista a privatização da Eletrobras.

 

Agenda microeconômica - O governo ainda tem uma extensa agenda microeconômica, que já entrou em andamento, mas que se pretende intensificar, como estímulo ao crédito privado de forma geral. Outras iniciativas, como a redução de tarifa de importações de bens de capital e de bens de informática, visam ao mesmo tempo fomentar a competição com a indústria nacional e baratear os investimentos das empresas. (Valor Econômico)

 

economia I quadro 08 07 2019

ECONOMIA II: Cadastro positivo compulsório entra em vigor nesta terça-feira

 

economia II 08 07 2019Entra em vigor nesta terça-feira (09/07) o cadastro positivo compulsório. O sistema, instituído na Lei Complementar 166, de abril deste ano, prevê a adesão automática no repasse, sem consentimento, de informações de histórico de pagamento de cidadãos a birôs de crédito (como Serasa e SPC - Centralização de Serviços dos Bancos e Serviço de Proteção ao Crédito). 

 

Base - Eles servirão de base para atribuição de notas de crédito a cada cidadão, que serão utilizadas como referência na tomada de empréstimos e realização de crediários, entre outras operações.

 

Autorização - O cadastro positivo já existe no país. Contudo, dependia da autorização do indivíduo para que fosse incluído na lista.

 

Diferença - A diferença da nova modalidade consiste na adesão automática, sem que a pessoa tenha de dar qualquer permissão para que informações de histórico de pagamento possam ser avaliadas pelos bureaus de crédito para formar as notas.

 

Avaliação - Serão avaliados os “dados financeiros e de pagamentos, relativos a operações de crédito e obrigações de pagamento adimplidas ou em andamento”, conforme descrito na lei.

 

Exemplos - Entram aí, por exemplo, o quanto uma pessoa atrasou pagamentos de contas ou de cartão de crédito, que dívidas ela tem, com que empresas e sua capacidade financeira de arcar com compromissos adquiridos. Podem, inclusive, ser consideradas informações de desempenho também dos familiares de primeiro grau.

 

Veto - A lei vetou o uso de algumas informações pessoais dos cidadãos para a formação da nota, como as que “não estiverem vinculadas à análise de risco de crédito e aquelas relacionadas à origem social e étnica, à saúde, à informação genética, ao sexo e às convicções políticas, religiosas e filosóficas”.

 

Notas - Essas notas (ou score, no termo em inglês utilizado entre as empresas) podem ser empregadas por empresas e instituições financeiras para determinados tipos de transação. Cada empresa vai definir a forma de adotar as notas e que tipo de restrição determinados índices podem trazer, como na diferenciação de condições, taxas de juros ou de acesso a serviços.

 

Recusa - Os consumidores que não quiserem ter seus dados incluídos no cadastro positivo podem solicitar a retirada. Essa requisição deve ser feita juntamente aos bureaus de crédito, como Serasa, SPC e Boa Vista Serviços.

 

Retorno - Caso a pessoa desista da saída do sistema, pode pedir o retorno ao cadastro. Esses procedimentos podem ser realizados presencialmente ou por meio dos sites dessas empresas.

 

Correção - A diretora de Operação de Dados da Serasa Experian, Leila Martins, disse que o consumidor também pode requisitar aos bureaus a disponibilização das informações sobre ele e cobrar a correção em caso de dados errados. “Se ele entende que tem algum dado que não considera correto, pode contestar. A fonte que deu origem tem que responder”, explicou.

 

Benefícios - Para o presidente da Associação Nacional dos Bureaus de Crédito (ANBC), Elias Sfeir, o novo sistema pode gerar benefícios aos consumidores. "Com o cadastro positivo você tem uma pontuação mais próxima realmente do seu comportamento. Tendo essa pontuação mais próxima, os agentes de crédito podem fazer melhor avaliação e dar uma taxa melhor de juros, considerando o seu perfil”.

 

Promessa - A promessa do novo cadastro positivo é que com tais informações, bancos, fintechs e outras instituições reduzam taxas e juros.

 

Queda da inadimplência - Segundo Sfeir, em países que adotaram esse modelo houve queda de 45% da inadimplência, o que causou impacto na redução de spreads bancários. Com isso, haverá espaço para incluir pessoas no sistema de crédito, beneficiar micro e pequenas empresas e aumentar a arrecadação.

 

Riscos - Na avaliação do coordenador de direito digital do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), Diogo Moyses, além do cadastro positivo violar a privacidade dos consumidores, há problemas a serem resolvidos na sua implementação.

 

Abusos - O primeiro é o fato de a legislação apontar a possibilidade de uso de alguns dados não expressos, o que abriria espaço para abusos. Por isso, acrescenta, é importante que o Banco Central e a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (aprovada em lei neste ano, mas ainda não criada pelo governo) regulamentem de forma detalhada os registros dos consumidores que podem ser utilizados para a formação da nota.

 

Tipo de transação - A segunda preocupação envolve em que tipo de transação a nota de crédito será admitida. Ele cita como exemplo as operadoras de telefonia, que já estão restringindo o acesso a planos pós-pagos a pessoas com notas baixas.

 

Cerceamento - “Há um receio que o score seja utilizado para cercear o acesso dos consumidores além das relações de crédito. Milhões de consumidores podem ser excluídos economicamente. Em vez de gerar inclusão, o cadastro pode se tornar instrumento de exclusão. Ainda mais com cenário de pessoas desempregadas e aumento da inadimplência”, afirmou. (Agência Brasil)

INFRAESTRUTURA: Investimentos em portos somam R$ 5 bilhões neste ano

 

infraestrutura 08 07 2019O governo vai leiloar três terminais portuários nos portos de Santos (São Paulo) e Paranaguá (Paraná), que demandarão investimentos previstos em R$ 433 milhões, no dia 9 de agosto. Eles se somam a outras dez áreas já leiloadas no início deste ano.

 

Prorrogações - Além de oferecer novas áreas para arrendamento nos portos administrados, o governo permitiu prorrogações contratuais em troca de melhorias e autorizou o funcionamento de novos Terminais de Uso Privado (TUPs). No total, os investimentos contratados neste ano se aproximam de R$ 5 bilhões, informou ao Valor o secretário nacional de Portos, Diogo Piloni.

 

Nova possibilidade de parceria - Ao mesmo tempo, foi aberta uma nova possibilidade de parceria com empresas no setor portuário. O governo quer agora entregar a elas a administração dos portos. "O modelo de gestão estatal enfrenta muitas dificuldades para competir", afirmou o secretário. "Há dificuldades para contratação, tem burocracia". As desestatizações buscam trazer a governança privada para a gestão da autoridade portuária.

 

Estudos - Nos próximos dias, deve ser assinado um contrato para realização de estudos com vistas à desestatização da Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa). Além dos portos capixabas, estão na fila: São Sebastião (SP), Suape (PE) e Itajaí (SC). Os estudos para esses outros empreendimentos serão contratados neste ano.

 

Portos paulistas - A desestatização deverá alcançar os movimentados portos paulistas. Estão em curso as primeiras conversas com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para contratar estudos sobre a abertura de capital da Companhia Docas de São Paulo (Codesp), que administra Santos. "Fizemos essa opção por causa do porte da empresa", afirmou Piloni. "Um processo de privatização comum tende a encontrar impedâncias maiores". O processo deverá ser concluído no médio prazo, informou.

 

Procedimentos - O porto é objeto também de um Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) para concessão de sua dragagem.

 

Piloto - Os estudos para desestatizar a Codesa serão piloto para os demais. Uma pergunta a ser respondida é se todas as atribuições hoje desempenhadas pelas Docas podem ser assumidas por privados.

 

Sustentável - Outra resposta que se espera é se a administração privada será sustentável pelas receitas geradas pelo porto. Piloni acredita que sim, mas não descarta a possibilidade de, em casos específicos, o poder público entrar com uma complementação financeira, no modelo Parceria Público-Privada (PPP). "Há chance remota de isso acontecer."

 

Austrália - O exemplo da Austrália anima o governo. Segundo Piloni, a privatização do porto de Melbourne rendeu aproximadamente US$ 8 bilhões. "É sinal que é uma atividade economicamente viável e que atrai o privado."

 

Administração - Atualmente, 18 portos brasileiros são administrados por companhias Docas federais. Outros 19 estão delegados a Estados e municípios.

 

PPI - As desestatizações da Codesa e do porto de São Sebastião já estão oficialmente na carteira do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). Suape e Itajaí deverão ser qualificados na próxima reunião do conselho. (Valor Econômico)

RODOVIAS: Tarifas de pedágio em praças da Econorte são reduzidas

rodovias 08 07 2019As tarifas nas três praças de pedágio da Econorte, no Norte Pioneiro do Paraná, tiveram os preços reduzidos em 25,77% a partir de 0h de sábado (06/07), segundo a própria concessionária. A Econorte informou que foi notificada da decisão da 1ª Vara da Justiça Federal de Jacarezinho, que determinou a redução nas praças de Cambará, Jataizinho e Sertaneja.

Novos valores- Confira os novos valores para carros:

Jataizinho: de R$ 22 para R$ 16,30

Cambará: de R$ 21,90 para R$ 16,30

Sertaneja: de R$ 18,90 para R$ 14

Determinação - Em 27 de junho, o juiz federal Rogério Cangussu Dantas Cachichi havia determinado a redução, após pedido da Procuradoria-Geral do Estado (PGE) e pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PR).

Restituição - Na ação, a procuradoria pede a restituição de R$ 4 bilhões aos usuários, que são referentes ao que foi arrecadado na praça de Jacarezinho - que está desativada e não foi prevista no contrato original.

Nula - A implantação da praça foi considerada nula pela Justiça por ter sido construída por meio de um aditivo no contrato.

Prestação de serviços - O juiz também determinou que a concessionária não deixe de prestar os serviços integralmente e que retome imediatamente a obra de acesso em Santo Antônio da Platina, na mesma região. Ele também mandou bloquear bens e valores de dez réus na ação até o limite de R$ 293,7 milhões.

Medidas - A concessionária afirmou que "está tomando todas as medidas legais e judiciais cabíveis para assegurar seus direitos em face da decisão". "Os serviços da rodovia e atendimento aos usuários seguem sendo prestados, apesar da redução", diz a nota. (g1.parana)

 


Versão para impressão


RODAPE