Imprimir
CABECALHO

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4599 | 17 de Junho de 2019

FÓRUM DOS PRESIDENTES: Sistema Ocepar vai reunir lideranças do setor no próximo dia 26, em Maringá

Falta um pouco mais de uma semana para a realização da próxima edição do Fórum dos Presidentes das Cooperativas Paranaenses. Desta vez, o Sistema Ocepar vai reunir lideranças do setor na sede do Sicoob Central Unicoob, em Maringá, Noroeste do Estado, no dia 26 de junho, das 14h às 18h. A abertura será realizada pela diretoria da entidade. Na sequência, o consultor José Roberto Mendonça de Barros, da MB Associados, ministra palestra com o tema “Cenário político e econômico do Brasil”. Depois, o presidente do Conselho de Administração do Sicoob Unicoob, Jefferson Nogaroli, apresenta o modelo de atuação da Central no Paraná.

Conferência Internacional de Inovação – Os participantes do Fórum também estão sendo convidados a participar, nos dias 27 e 28, da Conferência Internacional de Inovação para o Cooperativismo Financeiro - Cri8, promovida pelo Sicoob Unicoob, também em Maringá, cujo objetivo é oportunizar o aprendizado e a troca de experiências com especialistas e dirigentes cooperativistas do Brasil, dos EUA, França, Israel e Alemanha. Mais informações no site: https://cri8.com.br/.

Inscrições - As inscrições devem ser efetivadas com Neuza Oliveira ou Luana da Luz por meio dos telefones (41) 3200 1105 / 3200 1104 ou pelo e-mail secretaria@sistemaocepar.coop.br.

forum presidentes folder 17 05 2019

SICOOB CREDICAPITAL: Colaboradores participam de workshop do PDGC

 

sicoob credicapital 17 06 2019Para orientar os novos integrantes do Comitê de Excelência do Programa de Desenvolvimento da Gestão das Cooperativas (PDGC), o Sicoob Credicapital realizou um workshop, no dia 10 de junho, na Unidade Administrativa da cooperativa, em Cascavel (PR).

 

Capacitação - Na capacitação, ministrada pelo coordenador de Desenvolvimento Cooperativo do Sescoop/PR, Alfredo Benedito Souza, e pelo analista técnico, Rodrigo Donini, foi destacada a importância do trabalho dos membros do comitê, que no ciclo de 2019 irão atuar como sensibilizadores e apresentar os benefícios da adoção do Modelo de Excelência de Governança e Gestão para cooperativas, além de orientar os colaboradores sobre como interpretar os critérios de referência e utilizar o instrumento de autoavaliação do programa.

 

Ferramenta eficaz - Segundo o assistente de Crédito, Wendel Souza, o PDGC é uma ferramenta eficaz que prepara o Sicoob Credicapital para os futuros desafios do mercado. “O programa nos apresenta a importância de ser competitivo sem perder a essência cooperativista.  Na capacitação, falamos sobre o compartilhamento de conhecimento e experiências. Colocando isso em prática, todo aprendizado fica disponível para a futura geração de colaboradores e isso contribui para a perenidade da cooperativa”, afirma.

 

Sobre o PDGC - Promovido pelo Sescoop/PR, o Programa de Desenvolvimento da Gestão das Cooperativas é realizado em ciclos anuais.  A metodologia do programa está pautada no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ), que é um referencial utilizado para promover a melhoria da qualidade da gestão e o aumento da competitividade das organizações.

 

Avaliação da gestão - O PDGC oferece um instrumento de avaliação da gestão, que identifica os pontos fortes e oportunidades de aperfeiçoamento. Essas informações servem como base para a elaboração do planejamento estratégico e dos planos de ação da cooperativa. Além disso, gera indicadores para acompanhamento do processo de melhoria da gestão e da governança. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

INSTITUTO SICOOB I: Professores de São Miguel do Iguaçu recebem capacitação do Programa Cooperjovem

 

instituto sicoob I 17 06 2019A parceria firmada em 2015 entre a Secretaria Municipal de Educação de São Miguel do Iguaçu, Sicoob Três Fronteiras e Instituto Sicoob têm dado certo. A cada ano, os professores do município recebem capacitações e formações para trabalharem o cooperativismo no ambiente escolar e, por consequência, na comunidade.

 

Oficinas e atividades de reciclagem - Nos últimos dias 10 e 11, os professores das escolas Henrique Ghellere, Anita Garibaldi, Geraldo Caldani, Pequeno Príncipe, Teodoro Bortoluzzi, Osório e José Francisco participaram de oficinas e atividades práticas de reciclagem ministradas pela instrutora do Sescoop/PR, Maria Inês Bento.

 

Parceria - A secretária municipal de Educação, Andréia Marcelino Diedrich, que também participou da formação, ressaltou a importância da parceria. “Não estamos sozinhos na comunidade, então precisamos mostrar para as crianças que o coletivo é importante, temos que ter e ensinar esse olhar de cooperativismo”, destacou.

 

Hipóteses - Até o fim do ano, os professores irão levantar hipóteses a serem trabalhadas por meio de projetos colaborativos e cooperativos em prol da escola em parceria com os alunos e demais atores envolvidos, incluindo pais e comunidade.

 

Engajamento - A colaboradora do Sicoob Três Fronteiras, que também coordena o Cooperjovem no município, Marina Delai, comenta que os professores de São Miguel do Iguaçu são muito engajados, competentes e desenvolvem excelentes projetos desde que a parceria foi constituída. “Acreditamos que a cooperação é uma ótima ferramenta de transformação social em qualquer ambiente em que esteja inserida. Para nós, é motivo de orgulho poder apoiar iniciativas como esta”, disse. (Imprensa Sicoob Unicoob)

INSTITUTO SICOOB II: Viabilizado intercâmbio entre cooperativa mirim de Foz do Iguaçu e professores do PR e RJ

 

instituto sicoob II 17 06 2019A cooperativa mirim Cooperlike, de Foz do Iguaçu, recebeu, no dia 13 de junho, uma comitiva formada por professores que atuam ou pretendem atuar no projeto em Foz do Iguaçu, Maringá, Toledo, Marechal Cândido Rondon, Paranavaí, Curitiba, no Paraná, e em Mendes (RJ). A visita foi acompanhada pelas respectivas Pessoas de Apoio Estratégico (PAEs) do Instituto Sicoob que atuam nas cooperativas Sicoob das cidades mencionadas acima.

 

Troca de experiências - O intuito foi promover a troca de experiências entre a cooperativa mirim iguaçuense formada por crianças do quinto ano do Ensino Fundamental da Escola Municipal Najla Barakat e os professores orientadores de outras cooperativas viabilizadas pelo Instituto Sicoob e singulares do Sicoob Unicoob. 

 

Aprendizado - Segundo a professora e orientadora da Cooperlike, Andrielli Jorge, momentos como esse contribuem muito para o aprendizado dos alunos. “As crianças estavam cheias de expectativas para receber os visitantes. A maior preocupação deles era mostrar o que aprenderam ao longo da formação da cooperativa”, disse.

 

Programa Cooperativa Mirim - O programa consiste na formação de cooperativas em escolas ou instituições que atendam crianças e adolescentes. As cooperativas mirins são dirigidas e coordenadas pelos próprios alunos, sob a orientação de um professor, com a finalidade de desenvolver competências, hábitos e atitudes por meio de uma prática pedagógica disseminando os princípios do cooperativismo.

 

Produção - Os alunos produzem objetos de aprendizagem artesanais, de decoração e alimentos como brigadeiros ou minipizza. O desenvolvimento dos objetos acontece sob a orientação do professor orientador e profissional do Sicoob Três Fronteiras.

 

Cooperativas apoiadas - Em Foz do Iguaçu há duas cooperativas apoiadas pelo Sicoob Três Fronteiras: a Cooperlike, fundada em 2018 na Escola Municipal Najla Barakat e a Cooperbalen, em atuação desde 2015 na Escola Municipal Professora Suzana Moraes Balen. (Imprensa Sicoob Unicoob)

SICREDI ALIANÇA: Quinto ponto de atendimento será aberto em Marechal Cândido Rondon

 

sicredi alianca 17 06 2019Marechal Cândido Rondon (PR), cidade onde foi fundada a Sicredi Aliança PR/SP, passará a ter o seu quinto ponto de atendimento do a partir do segundo semestre de 2020. A novidade foi anunciada em coletiva de imprensa na manhã de sexta-feira (14/06). O objetivo é otimizar o atendimento aos associados na região da Avenida Irio Jacob Welp, na altura do Estádio Municipal. O ponto de atendimento fará parte de um centro comercial situado no novo Allmayer Supermercado.

 

Carinho especial - O presidente do Conselho de Administração da Sicredi Aliança PR/SP, Adolfo Rudolfo Freitag, destaca que somente em Marechal Cândido Rondon a cooperativa possui, somando quatro agências e a Sede Regional, 199 colaboradores e 21.535 associados. “Temos um carinho muito especial por esta cidade, que é a cidade onde a nossa cooperativa iniciou sua atuação. Estamos crescendo cada vez mais e isso significa que os associados confiam a sua vida financeira à Sicredi Aliança PR/SP e acreditam em nosso propósito que é agregar renda e melhorar a qualidade de vida das pessoas. Em contrapartida, buscamos oferecer o máximo de comodidade possível em nossos atendimentos. Os associados merecem este espaço que estamos preparando para eles”, disse.

 

Desenvolvimento local - “Graças a esta confiança, podemos contribuir com o desenvolvimento local de Marechal Cândido Rondon há quase 35 anos. Auxiliamos na geração de renda e de empregos bem como cumprimos o nosso papel enquanto cooperativa. Apoiamos eventos esportivos, culturais, educacionais e de educação financeira. Estamos juntos nas comunidades. Desenvolvemos ações no Dia de Cooperar, parcerias com escolas através do Programa “A União Faz a Vida”, entre tantas outras iniciativas. Marechal Cândido Rondon é muito importante para nós e estamos felizes por essa conquista”, completou.

 

Marca - O diretor executivo da Sicredi Aliança PR/SP, Fernando Barros Fenner, explica que o Sicredi consolida a sua marca ano após anos por meio de sua presença nacional e atuação local. “Nos preocupamos com a qualidade de atendimento e por isso investimos em capital humano. Sabemos como é importante sentir-se bem recebido e por isso, oferecemos espaços que trazem o nosso jeito simples, próximo e ativo: simples no jeito de ser, próximo das pessoas e ativo nas localidades onde estamos inseridos. No próximo ano todos estão convidados a conhecer o novo ponto de atendimento da nossa cooperativa”, expôs.

 

O Sicredi em Marechal Cândido Rondon - Em Marechal Cândido Rondon-PR a cooperativa possui quatro agências: Avenida Maripá, Avenida Rio Grande do Sul, Dom João VI e Copagril, além da Sede Regional, estrutura responsável pela operação da cooperativa nos estados do Paraná e São Paulo.

 

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.600 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi Aliança PR/SP)

 

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

SICREDI PARQUE DAS ARAUCÁRIAS I: Parceria é renovada com o Parque Estadual das Araucárias

A Sicredi Parque das Araucárias PR/SC/SP renovou recentemente o convênio com o Parque Estadual das Araucárias, área de preservação ambiental localizada em São Domingos (SC).

Repasses mensais - De acordo com Neri Fabbris, assessor de programas sociais da Sicredi Parque, por meio da parceria, a cooperativa contribui com repasses financeiros mensais utilizados para custeio de serviços de manutenção e pequenos reparos na estrutura do parque.

Ações de conscientização - Além disso, a Sicredi também promove ações de conscientização ambiental na unidade de preservação, principalmente por meio de visitações agendadas de escolas e outros grupos. Em 2018, cerca de 800 pessoas participaram das atividades de educação ambiental por intermédio da cooperativa. “Após a apresentação institucional, feita por profissionais do parque, são feitas as trilhas para mostrar a importância da preservação e do equilíbrio ambiental”, detalhou Fabbris sobre as ações.

Parceria - A parceria entre as instituições existe desde a abertura do parque a visitação do público, em 2016.

Área - O Parque Estadual das Araucárias ocupa uma área de 612 hectares coberta exclusivamente por floresta ombrófila. No espaço há ocorrência de duas espécies ameaçadas de extinção, a Araucaria angustifolia e a Dicksonia sellowiana, popularmente conhecida como xaxim. A estrutura do parque conta com trilhas, centro de visitantes, casa do pesquisador, viveiro e um mirante, de onde é possível ver uma das maiores araucárias da floresta, com cerca de 500 anos de idade.

Manutenção - Para Sandra Dall Agnol, diretora presidente do grupo Grimpeiro, o apoio do Sicredi é importante para a manutenção da infraestrutura da área de preservação. “Essas infraestruturas vão desde uma fechadura até a construção de uma horta, por exemplo, que foi o que aconteceu no parque. Uma horta, com compostagem anexa foi construída para realizar atividades de educação ambiental e demonstrar a importância dos substratos orgânicos no cultivo de hortaliças naturais para o consumo. Essas ações parecem pequenas, mas refletem diferentes olhares, principalmente para as crianças, em relação à reutilização, reuso e reciclagem”, detalha.

Apoio na gestão - O grupo Grimpeiro é a organização da sociedade civil de interesse público (Oscip) que apoia a gestão do Parque Estadual das Araucárias. Sandra informa que em 2018 o parque recebeu a visita de 3875 pessoas. No ano passado também foi aberta uma nova trilha, a Trilha da Corredeira do Rio Araçá, que permite novas possibilidades de visitação.

Atividades tradicionais - Ela adianta que em 2019 a unidade deverá seguir com as atividades tradicionais de visitação, além de ações como caminhadas noturnas, datas comemorativas, e palestras educativas nos municípios da região de São Domingos (SC). “Pra isso, é necessário dispor de recursos. Com o apoio do Sicredi, isso é possível”, destacou a diretora.

Neutralização - Visando promover a preservação do meio ambiente, o Sicredi realiza um programa de neutralização de emissão de gás carbônico. Anualmente é feito um inventário detalhado que considera, por exemplo, o consumo de água, energia elétrica, papel, gás de cozinha, de ar condicionado, de combustível, entre outros, em todas as agências e sede administrativa da Sicredi Parque.

Emissão de gases - O levantamento permite mensurar a quantidade de gás carbônico emitido pela cooperativa ao longo do ano, e calcular o número de árvores que precisam ser plantadas para compensar esse impacto. O cálculo é feito pela Ecofinance, empresa especializada no segmento ambiental.

Plantio - A Sicredi Parque neutralizou 161 toneladas de gases do efeito estufa, emitidos nos anos de 2016 e 2017. No ano passado, a cooperativa promoveu o plantio de 2.300 mudas. O plantio é feito em parceria com associados, que assinam um termo de compromisso de participação no programa. “Por lei, essa árvore precisa ficar pelo menos cinco anos plantada, sem alteração do local, para que se tenha a compensação”, explica o assessor de programas sociais.

Prêmio - Por conta do desempenho, a cooperativa foi premiada com o troféu Raiffeisen na categoria ecoeficiência, reconhecimento concedido pela Central Sicredi PR/SP/RJ, além de receber os certificados de emissão zero de gases causadores do efeito estufa, concedido pela Ecofinance, e do selo prata no Programa GHG Protocol, pela realização do inventário em 100% das agências.

Compensação - Em parceria com a Central PR/SP/RJ, o projeto deve promover o plantio de 9 mil mudas de árvore em 2019. O objetivo é compensar a emissão de gases de todas as cooperativas da central. (Imprensa Sicredi Parque das Araucárias PR/SC/SP)

{vsig}2019/noticias/06/16/sicredi_parque_araucarias_I/{/vsig}

SICREDI PARQUE DAS ARAUCÁRIAS II: Cooperativa apoia a Rota Encantos Rurais de Quilombo

 

A Sicredi Parque das Araucárias PR/SC/SP consolidou recentemente uma parceria que visa contribuir com o desenvolvimento do turismo em Quilombo (SC). A cooperativa custeará a confecção de placas de sinalização da Rota Encantos Rurais, circuito que permite conhecer as potencialidades econômicas, a cultura, a história, e as belezas naturais de comunidades e propriedades rurais do município. 

 

Roteiro - No roteiro estão, por exemplo, a Casa do Mel, vinícola, cachaçaria, o Salto Saudades e a gruta Nossa Senhora de Lurdes. 

 

Modelo - O modelo das placas foi apresentado em um evento promovido pelo Sebrae e pelo Município de Quilombo no último dia 5 de junho, no restaurante do Termas de Quilombo. A equipe local da Sicredi Parque esteve presente e o gerente da agência, Taffarel Antônio Simon, falou em nome da cooperativa.

 

Projetos - No encontro também foram apresentados os projetos do Termas de Quilombo e da revitalização da Paróquia Santa Inês, realizada a posse do novo Conselho Municipal de Turismo, entre outros anúncios e ações relacionados ao setor. 

 

Desenvolvimento das comunidades - Promover o desenvolvimento das comunidades onde atua é um dos princípios do cooperativismo, o que justifica o investimento da Sicredi Parque das Araucárias em ações, projetos e programas que estimulem o crescimento econômico e a valorização cultural e social dos municípios onde está inserida. (Imprensa Sicredi Parque das Araucárias PR/SC/SP)

 

{vsig}2019/noticias/06/17/sicredi_parque_araucarias_II/{/vsig}

SICREDI PARANAPANEMA: Presente nas exposições agrícolas de Uraí e Assaí

Neste mês, a Sicredi Paranapanema PR/SP esteve presente na 66ª Exposição Agrícola e Industrial de Uraí (PR), nos dias 1 e 2, e também na 76ª Exposição Agrícola Regional de Assaí (PR), no final de semana do dia 7 a 9 de junho. Em Uraí, a abertura oficial do evento aconteceu na manhã do dia 01 e contou com a exposição de empresas e produtos, além da tradicional noite do Sukiyaki. Já em Assaí, além dos expositores, foram realizadas apresentações típicas orientais e shows artísticos com as duplas Jeann e Julio, na noite do dia 7, de junho e Conrado e Aleksandro no sábado.

Patrocínio - A cooperativa participou de forma ativa patrocinando os eventos com a instalação de estandes para atender o público, esclarecer dúvidas, realizar novos negócios e divulgar a atual campanha promocional “Vem Investir e Ganhar”, onde a cada R$ 500 aplicados em depósito a prazo, os associados tem direito a concorrer mais de R$ 220 mil em prêmios, sendo eles, 25 sorteios de R$ 2 mil (um por agência) no mês de agosto, 1 carro Ford KA sorteado em outubro e o prêmio final de uma Camionete Ford Ranger XLS. Além do apoio na feira, a Sicredi Paranapanema PR/SP também realizou sorteio de brindes e poupanças para estimular a educação financeira entre os participantes.

Desenvolvimento das comunidades - Para o presidente da Sicredi Paranapanema PR/SP, Claudio Marcos Orsini, a presença nos eventos é uma forma de mostrar o apoio da cooperativa para o desenvolvimento das comunidades. “Queremos cada vez mais estar próximos. Com nossa participação nas exposições, podemos estar juntos e contribuir ainda mais para o desenvolvimento da nossa região. Foi um momento muito importante para fortalecer ainda mais nossa relação com a comunidade”, comentou. (Imprensa Sicredi Paranapanema PR/SP)

{vsig}2019/noticias/06/17/sicredi_paranapanema/{/vsig}

SICREDI UNIÃO PR/SP: Campanha já tem 19 sorteados da cooperativa; prêmio de R$ 50 mil foi para Cianorte

sicredi uniao 17 06 2019O associado da agência Cianorte Centro da Sicredi União PR/SP, Douglas de Souza Brussolo, ganhou R$ 50 mil na campanha Poupança Premiada. Ele é auxiliar de escritório e ficou surpreso quando recebeu a notícia. “Não percebi que está tendo a campanha este ano. Recebi R$ 30 mil de um financiamento que meu sogro conseguiu para a reforma da casa que meu pai me deu. Então, guardei o dinheiro na poupança e fui retirando conforme os pagamentos dos serviços. Deu sorte”, comemora.

Entrega - A entrega do prêmio foi no início deste mês e, com o valor, Brussolo pretende incluir mais itens na reforma. “A casa é grande e precisava de muita manutenção. Troquei todos os pisos e revestimentos internos, coloquei forro de gesso, refiz a pintura, renovei os banheiros e a cozinha e, agora, vou trocar também todo o piso externo. O que sobrar vou abater o financiamento para reduzir a dívida”, planeja.

Satisfação - Feliz com o prêmio, Brussolo acrescenta que também está muito satisfeito por ser associado da Sicredi União PR/SP há sete anos. “Diferente dos bancos, a cooperativa tem taxas mais baixas, oferece diversas soluções e são prestativos quando pedimos ajuda na hora do aperto financeiro. Enfim, nunca tive problemas e ainda recebo participação de resultados no final do ano”, garante.

Quarta edição - Organizada pela Central Sicredi PR/SP/RJ, a 4ª edição da campanha Poupança Premiada foi iniciada em abril e, até o início de junho, já tinha registrado 19 sorteados somente na área de atuação da Sicredi União PR/SP. Desse total, 11 são da regional noroeste do Paraná, quatro da regional norte e os outros quatro de São Paulo. Com exceção de Brussolo, que levou o prêmio de R$ 50 mil, os demais ganharam R$ 2 mil cada.

Dezembro - A campanha segue até 14 de dezembro e distribuirá o total de R$ 1,5 milhão em prêmios, sendo dez sorteios semanais de R$ 2 mil e um sorteio mensal no valor de R$ 50 mil. Na primeira semana de dezembro, quando a campanha estará na reta final, as chances de ganhar serão triplicadas com 30 sorteios de R$ 2 mil. Depois, haverá o último sorteio para o grande prêmio de R$ 500 mil.

Funcionamento - Funciona assim: a cada R$ 100,00 aplicados na poupança Sicredi é gerado automaticamente um número da sorte para concorrer aos sorteios, realizados pela Loteria Federal. Ao fazer uma poupança programada, o poupador recebe números em dobro. Podem participar pessoas físicas e jurídicas nos estados do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro, associados ou não.

Mais informações - Para obter mais informações, verificar números da sorte, datas de sorteios e vencedores, basta acessar o site www.sicredi.com.br/promocao/vempoupareganhar, ou procurar uma das agências da Sicredi União PR/SP. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

 

COCARI: Encontro reúne mulheres cooperativistas em Mandaguari

 

No sábado (15/06), na Associação Atlética Cocari, em Mandaguari (PR), a cooperativa reuniu cooperadas, esposas e filhas de cooperados no Encontro de Mulheres Cooperativistas, que, este ano, contou com decoração e tema junino. As mulheres, que vieram da área de atuação da Cocari no Estado do Paraná, foram recepcionadas com muita alegria pelo Grupo Sou Arte e participaram de diversas atividades que visam, muito além de propiciar momentos de descontração, fortalecer o elo com a cooperativa. 

 

Presenças - Estiveram presentes no encontro o presidente da Cocari, Vilmar Sebold; o vice-presidente, Marcos Trintinalha; o diretor executivo, João Carlos Obici; o superintendente de Logística Integrada, Jacy Cesar Fermino da Rocha; o superintendente Comercial, Éric Heil de Araújo; o superintendente Financeiro, João Paulo Burihan Faria; além de gerentes das unidades da cooperativa. 

 

União - Durante a abertura do evento, Vilmar Sebold agradeceu a presença de todas as mulheres que encheram o salão e reforçou que a cooperativa existe em razão dos cooperados e suas famílias. “A Cocari é de vocês! Se fosse uma empresa particular, ela teria um ou mais donos, mas a cooperativa é de todos os produtores”, frisou. Chamando as equipes e assessores ao palco, ao salientar que ninguém faz nada sozinho, Sebold ressaltou a força das mulheres que, na gerência de unidades e setores da cooperativa, trabalham pelo crescimento da Cocari. 

 

Liderança feminina - O encontro foi oportunidade para destacar o processo de reestruturação dos Núcleos Feminino e Jovem da cooperativa. O regimento dos Núcleos prevê que líderes, tanto mulheres quanto jovens, sejam eleitos democraticamente em suas unidades. “As novas líderes estão saindo das eleições em suas bases. Cada uma dessas mulheres participará de treinamentos e formações para que possam desenvolver trabalhos com as mulheres em suas unidades”, afirmou o presidente que reforçou o convite para que todas compareçam às reuniões em suas respectivas unidades. 

 

Empatia e gratidão - Ainda na parte da manhã, houve palestra ministrada por Zeca de Mello, que é doutor em Teologia e foi padre por 12 anos. Após deixar a batina, Zeca continua levando mensagens positivas por meio de palestras. Nesta ocasião, o palestrante falou sobre Empatia e Gratidão, mostrando de que maneira a inteligência emocional, a empatia e a gratidão podem ser decisivas nos relacionamentos, tanto no âmbito profissional quanto pessoal.

 

Programação - O dia contou com apresentações do Grupo Sou Arte, que mescla arte circense, dança e humor, além de atividades como maquiagem, pescaria, tiro ao alvo e exposições. Na parte da tarde, um bingo animou as convidadas. Para a cooperativa, o encontro é um importante momento de integração e reitera o incentivo da Cocari à participação feminina na cooperativa e na comunidade. (Imprensa Cocari)

 

{vsig}2019/noticias/06/17/cocari/{/vsig}

 

PRIMATO: Informação e gestão em prol da evolução da atividade leiteira

 

Na atividade leiteira, o desenvolvimento tecnológico proporcionou à atividade leiteira grandes avanços nas últimas quatro décadas, quando a produção cresceu 185% no Brasil. De fato, este desenvolvimento não foi acompanhado por um avanço nas práticas de gestão da propriedade, onde somente é possível obter lucro de forma sustentável com a gestão.

 

Áreas menores e mais produtivas - A atividade adota na atualidade áreas menores e mais produtivas, animais de genética melhorada, capazes de responder com uma produção maior em volume e melhor em qualidade. 

 

Gestão - A gestão da propriedade passa pela coleta rotineira de informações, que devem ser organizadas em um banco de dados atualizado, seja esse controle feito no papel, planilhas ou em softwares de gerenciamento, tudo, sempre atualizado para que o produtor e a assistência técnica possam interpretar os dados que refletem o custo de produção e assim, planejar ações de melhoria na gestão dos resultados.

 

São Jorge D’Oeste - Um bom exemplo de gestão na propriedade vem da família Cordeiro, da Linha Gaúcha, na cidade de São Jorge d’Oeste, no sudoeste do Paraná. O cooperado Ernani Cordeiro e seu filho Alan de Barros Cordeiro desenvolvem a atividade com uso de informação para a melhor gestão de sua propriedade. “Nossa propriedade é de 10 alqueires onde atuamos com a atividade leiteira e agrícola”, explicou Alan que complementou, “na atividade de leite, são 93 animais em nosso plantel, sendo 44 em lactação com uma média diária de 26 litros cada”. Por sua vez na parte agrícola, o uso é para plantação de soja e milho.

 

Ração - Segundo Cordeiro, desde que a Primato Cooperativa Agroindustrial se estabeleceu em Dois Vizinhos que é utilizada a ração Prima Raça. “Iniciamos com a Prima Raça 22% aditivada até o final de 2018, quando introduzimos a linha 24% mineralizada, sendo que minha avaliação é de que no começo precisamos nos adaptar a filosofia da empresa e com isso alinharmos em nosso plantel, com tudo a linha 24% foi colocada num momento difícil de clima, para estabelecer o seu real potencial, ao longo dos últimos 30 dias, conforme a assistência técnica fez a previsão de ação, conseguimos ganhos de volume, melhorias na sanidade de cascos e no sistema reprodutivo, mais expressa e com menos uso de hormônios, e consequentemente a melhor gestão dos animais”.

 

Metas - Cordeiro ainda definiu que, “o conceito de contratação de ração a longo prazo é uma forma onde conseguimos estabelecer nossas metas e a gestão do planejamento é mais constante, reduzindo custos e aumentando o lucro”.

 

Primato - Cooperados desde o início das atividades da Primato no sudoeste do Paraná, Alan classificou a relação com a cooperativa. “Nós fazemos praticamente toda a negociação da propriedade com a Primato, desde ração, medicamentos veterinários, sementes, insumos e defensivos na parte agrícola e sempre fomos muito bem atendidos por todos os profissionais da cooperativa”, avaliou Cordeiro que finalizou, “por tudo isso, vamos continuar trabalhando em parceria, utilizando nossa gestão e o conhecimento da Primato para evoluirmos nossa produção”. (Imprensa Primato)

 

{vsig}2019/noticias/06/17/primato/{/vsig}

COCAMAR I: Embrapa apresenta resultados do Rally de Produtividade

Mais de 100 produtores cooperados participaram na manhã de quinta-feira (13/06) em Primeiro de Maio, região de Londrina (PR), de um encontro promovido pela Cocamar, com a participação da Embrapa, para apresentar os resultados do trabalho sobre levantamento de solos realizado na safra 2018/19, no Rally Cocamar de Produtividade.

No Dia de Campo - Outros dois encontros, com a mesma finalidade, já aconteceram em Maringá e Iporã e, segundo o departamento técnico da cooperativa, o conteúdo será apresentado ainda aos participantes do Dia de Campo de Inverno a ser organizado pela Cocamar na sua Unidade de Difusão de Tecnologias (UDT) em Floresta, no dia 12 de julho.

Técnico - O trabalho, que analisou diferentes tipos e ambientes de solos em 24 municípios das regiões noroeste e norte do Paraná, é um desdobramento técnico do Rally Cocamar de Produtividade. Por meio de seus patrocinadores, o Rally custeou parte das despesas da equipe de pesquisadores da Embrapa e acompanhou as etapas da realização.

Reduzir perdas - Em sua palestra, o especialista em solos da Embrapa, Henrique Debiasi, lembrou que “a agricultura é a arte de reduzir as perdas, pois os materiais, como sementes, já chegam com todo o seu potencial produtivo. Por isso, quanto melhor o produtor manejar o seu solo e empregar adequadamente os recursos, menos ele irá perder em produtividade”.

Manejo adequado - Nesse contexto, a forma como o solo é manejado acaba sendo decisiva e não vai adiantar investir apenas em adubação química, deixando de lado os aspectos físico e biológico. Se o solo estiver compactado – o que é comum na realidade da agricultura paranaense – as raízes vão se aprofundar cerca de 70cm, enquanto que em solo não compactado o sistema radicular pode alcançar o dobro em profundidade, o que assegura um ambiente mais favorável às plantas, reduzindo os efeitos de veranicos.

Análise é básico - O pesquisador chamou atenção para o fato de o produtor observar alguns quesitos básicos e elementares para o sucesso do seu negócio, entre os quais uma análise de solo – o que lhe permitirá fazer a reposição de nutrientes de acordo com as necessidades detectadas. “Uma análise de solo custa muito barato diante do resultado que ela vai trazer na colheita”, afirmou Debiasi, mencionando que além dos insumos comuns – adubos, sementes, fertilizantes e defensivos – o produtor também deve levar em conta outros “insumos”, que dependem dele, como uma boa cobertura do solo, o mínimo revolvimento do mesmo, enriquecê-lo com matéria orgânica, proporcionar que as raízes se desenvolvam e também uma diversidade biológica, com práticas, entre as quais, a rotação de culturas.

Água - “O principal fator para a viabilidade de uma cultura é a água, quanto mais água, maior a uniformidade da lavoura”, ressaltou o pesquisador, lembrando que uma visão aérea de um campo geralmente permite ver muitas falhas. Segundo ele, a capacidade de infiltração de água aumenta com a diversificação, sendo o capim braquiária mais factível para a realidade regional, cultivado em consórcio com o milho de inverno ou de forma solteira. Além dos benefícios trazidos pelo seu enraizamento, que rompe a compactação, oxigena o solo, abre canais para a infiltração de água e cicla nutrientes de camadas mais profundas, a braquiária vai inibir o desenvolvimento de ervas de difícil controle, como a buva e o amargoso. “Os resultados do consórcio milho x braquiária atingem o seu ápice no terceiro ano.”

Oportunidade - Sobre o Rally, Henrique Debiasi destacou ser a oportunidade de integrar a pesquisa e a cooperativa na realização de um trabalho inédito de mapeamento do solo no país, que terá continuidade nos próximos anos.

Patrocinadores - Em todos os eventos, os patrocinadores são lembrados. A edição 2018/2019 do Rally de Produtividade, já em seu quarto ano, foi uma iniciativa da Cocamar com o patrocínio máster da Basf, Spraytec e Ford Center, o patrocínio institucional do Sicredi, Sancor Seguros, Estratégia Ambiental, Agrosafra, Texaco Lubrificantes e Cocamar TRR, com o apoio do Comitê Estratégico Soja Brasil, Aprasoja/PR e Unicampo. (Imprensa Cocamar)

{vsig}2019/noticias/06/17/cocamar/{/vsig}

COCAMAR II: Cooperativa se destaca no esporte em São Sebastião da Amoreira

cocamar II 17 06 2019O final de semana foi de conquistas esportivas para a unidade da Cocamar em São Sebastião da Amoreira, na região de Londrina. A equipe de colaboradores participou com destaque do 2º Torneio dos Trabalhadores, que promoveu competições em várias modalidades e reuniu empresas do município.

Fez bonito - Em resumo, a unidade da cooperativa faturou o primeiro lugar em futebol de quadra, o primeiro em truco e o terceiro em corrida de rua. Na classificação geral, garantiu na terceira colocação. No futebol, que contou com a maior presença de público, a equipe assegurou o título após derrotar a campeã do ano passado pelo elástico placar de 6 a 1.

Carreata - Para comemorar, os colaboradores, liderados pelo gerente Claudinei Donizete Marcondes, organizaram uma carreata pelas ruas de São Sebastião da Amoreira. “Todos se empenharam muito na competição e, ao final, fortalecemos ainda mais o nome da Cocamar no município”, comenta o gerente.

Elogio - Durante a entrega dos troféus, a secretária municipal de Esportes, Marta Koguishi, elogiou a participação maciça da cooperativa no torneio. (Imprensa Cocamar)

 

COAMO: Copa de Cooperados tem cinco campeões do Centro-Oeste garantidos na final em Campo Mourão

 

Placa América, por Mamborê; Meia Boca, por Boa Esperança; Barcelona, por Altamira do Paraná; Água de Jurema, por Iretama e Palmital 43, por Roncador. Esses são os cinco novos campeões da Copa Coamo 2019 pela regional Centro-Oeste disputada no sábado (15/06), com a participação de milhares de pessoas entre cooperados e familiares, comunidade e funcionários.

 

Galeria - Os times vencedores no Centro-Oeste estão na galeria dos 33 campeões, que representarão na grande final, no dia 27 de julho, em Campo Mourão, na grande festa do maior evento esportivo rural do Brasil. 

 

Decisões - Nas cinco finais de sábado em Mamborê aconteceu a única decisão por pênaltis. Após empate sem gols no tempo normal o Placa América venceu o Água da Palmeira por 3x1 e sagrou-se campeão.

 

Altamira do Paraná - Em Altamira do Paraná, título para o Barcelona com a goleada sobre o time do Garrincha por 5x1. O Palmital 43 venceu o Formoso por 3x1 em Roncador. Em Iretama, o vencedor foi Água de Jurema após fazer 1x0 diante do Bom Jardim. Com 2x0 sobre o time Santa Terezinha, o Meia Boca faturou o título da regional em Boa Esperança.

 

Faltam duas etapas - A Comissão Organizadora da Copa Coamo informa que faltam duas etapas para a realização das regionais em 2019. No sábado, 29 de junho, os jogos da Copa Coamo serão no Centro em Pitanga, Cândido de Abreu, Palmital, Boa Ventura de São Roque e Manoel Ribas. E no fechamento da fase classificatória a última rodada será dia 6 de julho com jogos nas regionais de Campo Mourão, Peabiru, Luiziana e Araruna.

 

Uma grande festa - "A Copa Coamo é um jeito gostoso de viver o cooperativismo, vimos um sábado com clima agradável, milhares de pessoas e os propósitos cumpridos de integração e amizade, participando de uma grande festa do cooperativismo", afirma o presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini. (Imprensa Coamo)

 

{vsig}2019/noticias/06/17/coamo/{/vsig}

MERCADO: Preço da soja é o maior dos últimos meses

mercado 17 06 2019Segundo apurou a pesquisa diária do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da USP), os preços da soja no mercado físico brasileiro fecharam a sexta-feira (14/06) com preços médios da soja nos portos do Brasil sobre rodas subindo 1,15%, para R$ 82,73, Isso trouxe as cotações para o território positivo pela primeira vez em junho, para 0,18%.

Interior - De acordo com a T&F Consultoria Agroeconômica, no interior os preços subiram mais, diante das muitas vendas de mais de 1,0 milhão de toneladas (MT) de farelo para exportação. Em vista disto, os preços subiram 1,32%, para R$ 77,67/saca, trazendo os preços para o território positivo em 0,70% em relação ao final de maio.

Recuperação - “Depois de fortes quedas nas duas primeiras semanas de junho, os preços da soja se recuperaram e já estão acima dos preços de maio último em 0,18% nos portos brasileiros e 0,70% no interior do País. A recuperação das cotações de Chicago, na esteira dos problemas climáticos com a safra americana, a alta de 0,56% na semana do dólar no Brasil e a relativamente boa demanda por parte da China, que comprou cerca de 10 cargos de grãos e cerca de 1,0 MT de farelo nesta semana, deram algum suporte aos preços”, comenta o analista da T&F, Luiz Fernando Pacheco.

Aquém do desejado - Na avaliação desse especialista, os preços estão mais firmes, mas ainda não nos níveis desejados pelos agricultores, que se retraíram: “Quando os preços sobem o agricultor deixa subir e sai do mercado, todos sabemos disto, embora seja um erro (está mudando, o que é bom). Com os preços de junho ultrapassando os preços de maio não estão se vendo tantas fixações de preço quanto seria de esperar. Estão ocorrendo mais junto às indústrias esmagadoras do que nos negócios de exportação, por conta do grande volume de farelo negociado nesta semana para exportação.” (Agrolink)

 

CANA-DE-AÇÚCAR: Colheita avança no Paraná

copcana 17 06 2019Pelo menos um quarto da cana-de-açúcar prevista para ser colhida na atual safra (2019/20) já foi processada pelas indústrias do segmento de bioenergia do Paraná, que têm Maringá, na região Noroeste, como referência geográfica.

Percentual - Até o dia 31 de maio, segundo informações da Associação de Produtores de Bioenergia do Estado do Paraná (Alcopar), haviam sido colhidos 23,9% da matéria-prima, estimada no total em 34,935 milhões de toneladas. O percentual possivelmente subiu na primeira quinzena de junho, favorecido pelo clima seco.

Produtos - De acordo com a entidade, 55% da cana é direcionada para a produção de etanol e 44% para açúcar. “A safra segue à plena normalidade”, observa o presidente Miguel Rubens Tranin. Até o final de maio, haviam sido produzidos 346 milhões de litros de etanol, 8% a menos na comparação com o mesmo período em 2018. De açúcar, foram 452 mil de toneladas, 3,2% a menos pelo mesmo comparativo.

Clima - A redução se deve a problemas climáticos ocorridos no ano passado, somados à menor produtividade dos canaviais. A previsão é que o setor feche o ano com a produção de 1,572 milhão de litros de etanol e 2,094 milhões de toneladas de açúcar.

Unidades - São 26 unidades produtoras no Estado, que abrangem mais de 140 municípios e respondem por 36 mil postos de trabalho. (Flamma Comunicação)

 

FOCUS: Estimativa do mercado para crescimento da economia cai para 0,93%

focus 17 06 2019A estimativa do mercado financeiro para o crescimento da economia este ano caiu para abaixo de 1%, após 16 reduções consecutivas. É o que mostra o boletim Focus, resultado de pesquisa do Banco Central (BC) a instituições financeiras, divulgado nesta segunda-feira (17/06), em Brasília.

Índice - A projeção para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país - desta vez foi reduzida de 1% para 0,93%.

2020 - A expectativa das instituições financeiras é que a economia tenha crescimento maior em 2020. Entretanto, a previsão para o próximo ano foi reduzida de 2,23% para 2,20%, no segundo recuo consecutivo. A previsão para 2021 e 2022 permanece em 2,50%.

Inflação - A estimativa de inflação, calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), caiu de 3,89% para 3,84% este ano, na terceira diminuição seguida. A previsão foi mantida em 4% para 2020 e em 3,75% para 2021 e 2022.

Meta - A meta de inflação de 2019, definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), é de 4,25%, com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%. A estimativa para 2020 está no centro da meta: 4%. Essa meta tem intervalo de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

2021 - Para 2021, o centro da meta é 3,75%, também com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual. O CMN ainda não definiu a meta de inflação para 2022.

Taxa básica de juros - Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 6,5% ao ano.

Redução - O mercado financeiro reduziu a projeção para a Selic ao final de 2019 de 6,5% ao ano para 5,75% ao ano.

Expectativa - Para o fim de 2020, a expectativa para a taxa básica caiu de 7% ao ano para 6,5% ao ano.

Tendência - Quando o Copom reduz a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica.

Demanda aquecida - Quando o Comitê de Política Monetária (Copom) aumenta a Selic, a finalidade é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. (Agência Brasil)

 

ECONOMIA I: Levy já tem seus planos; BNDES, ainda não

 

economia I 17 06 2019Joaquim Levy, que pediu demissão na manhã deste domingo (16/06) do comando do BNDES, se recusa a dar declarações sobre sua renúncia para não criar constrangimentos. "Esse assunto acabou", disse ao Valor. Ele já sabe o que vai fazer nas próximas semanas. Pretende se dedicar a alguns cursos que já vinha "namorando" desde o ano passado, sobre inteligência artificial e blockchain.

 

Governo - O governo, porém, aparentemente não sabe ainda o que fará com o BNDES. A demissão de Levy não resolve os problemas do banco no curto, médio e longo prazos. É preciso decidir com que "funding" o banco poderá contar e que papel deverá desempenhar para ajudar o desenvolvimento econômico do país.

 

Extinção - Dentro do governo, há quem defenda a sua extinção, o que não parece ser a melhor solução no momento. Nas duas últimas semanas, ficou claro o desconforto de algumas áreas da pasta da Economia com a atuação de Levy.

 

Devolução - Fontes muito próximas ao ministro Paulo Guedes mencionaram a demora do banco de fazer a devolução de R$ 126 bilhões de empréstimos feitos pelo Tesouro Nacional ao BNDES. Levy devolveu R$ 30 bilhões em maio e argumentou, várias vezes, que poderia ir analisando, ao longo dos próximos meses, o que estava realmente sobrando por falta de demanda por financiamentos para fazer a devolução antecipada, conforme determinação do Tribunal de Contas da União (TCU). Não cabe ao banco socorrer o Tesouro em caso de rombo nas contas públicas nem devolver recursos, que poderiam ser emprestados, para assegurar o cumprimento da "regra de ouro". Essa postura foi vista como "corpo mole" do presidente da instituição de fomento.

 

BANDEspar - Outro aspecto da atuação de Levy que não agradava à pasta da Economia era a demora em se desfazer de boa parte dos mais de R$ 120 bilhões da carteira de ações da BNDESPar. Com mais de R$ 40 bilhões em ações da Petrobras, além de deter ações de várias companhias privadas como a Vale, a Suzano e a JBS, Levy era alvo de reclamação por parte de fontes da área econômica, para quem ele não tinha a mesma agilidade de Pedro Guimarães, presidente da Caixa. Levy devolveu R$ 30 bilhões de forma silenciosa. Guimarães fez um evento com a presença de Paulo Guedes, cuja assessoria convocou os jornalistas que fazem a cobertura da Economia, quando devolveu R$ 3 bilhões a título de "despedalagem" de recursos colocados na Caixa, pelo governo do PT, em instrumento híbrido de capital e dívida.

 

Proposta - Conforme o parecer do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP) sobre a proposta de reforma da Previdência, os recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), que hoje compõe o funding do BNDES, serão integralmente repassados para a Previdência Social. O BNDES conta todos os anos com 40% das receitas do Programa de Integração Social (PIS), que vão para o FAT. O PIS deixa 30% da arrecadação total nos cofres da União por causa da DRU (Desvinculação de Receitas da União). 

 

Valor - São cerca de R$ 18 bilhões por ano, mais um estoque de aproximadamente R$ 220 bilhões de recursos do FAT nas mãos do banco de fomento, que alimentam os pequenos e médios bancos e as cooperativas de crédito. Uma preocupação adicional é, portanto, como ficam essas instituições financeiras sem os repasses do BNDES e como se pretende democratizar o crédito no país sem esses bancos que recebem, por ano, algo entre R$ 30 bilhões e R$ 40 bilhões do BNDES para fazer o crédito girar.

 

Definições - Do inchaço nos tempos do governo do PT ao emagrecimento forçado de 2015 para cá, o BNDES é uma instituição integralmente pública em busca de definições. É quase impossível se pensar em financiamentos para projetos de saneamento básico, área em que o país encontra-se na Idade Média, ou em formatação de modelos de privatização ou concessões, sem a participação do banco de fomento. Cabe ao governo de Jair Bolsonaro dizer o que ele quer e como quer seu banco de desenvolvimento. Isso é muito mais importante do que "fritar" seus colaboradores em praça pública. (Valor Econômico)

 

Foto: Arquivo BNDES

ECONOMIA II: Investimento das capitais cai pela metade em 4 anos

 

Mesmo com eleições para prefeito no ano que vem, as capitais não conseguiram deslanchar os investimentos com mais força. As prefeituras das capitais elevaram os investimentos em relação ao ano passado, mas houve queda na comparação com 2015.

 

Soma- Dados de 23 capitais mostram que no primeiro quadrimestre deste ano os investimentos no agregado somaram R$ 1,22 bilhão, com crescimento de 7,2% contra igual período do ano passado. Em relação a iguais meses de 2015, porém, há queda de 54,5%. Naquele ano os investimentos das mesmas 23 capitais somaram R$ 2,69 bilhões. Segundo prefeituras e analistas, a crise econômica e a rigidez orçamentária resultante da evolução de gastos correntes, principalmente com pessoal, explicam o desempenho dos investimentos.

 

Evolução - A comparação com 2015 permite verificar a evolução dos investimentos no mesmo período dentro do ciclo eleitoral. Assim como 2019, 2015 estava em curso o terceiro ano de mandato dos prefeitos. Dentro de um quadriênio de mandato, o terceiro ano costuma ser o período em que os prefeitos começam a alavancar os investimentos, já se programando para as eleições do ano seguinte.

 

Relatórios fiscais - O levantamento do Valor considerou os valores liquidados informados nos relatórios fiscais apresentados pelas prefeituras ao Tesouro Nacional. Os dados foram atualizados pelo IPCA. Três capitais não tinham seus relatórios divulgados pelo Tesouro até a conclusão desta reportagem.

 

Ajuste fiscal - Para José Roberto Afonso, professor do Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP), o resultado não surpreende porque as prefeituras tiveram que fazer um ajuste fiscal, com corte de despesas, já que não podem emitir títulos livremente, como a União, e têm menos acesso a crédito bancário. "Mas quem pagou a conta foi o futuro, das cidades e do país, porque, como sempre, o ajuste foi muito baseado nesse corte profundo de investimentos, mesmo numa época em que politicamente poderia estar aumentando os gastos com obras."

 

Contenção de investimentos - O controle de despesa, diz Afonso, está baseado em contenção de investimentos, porque as atuais regras fiscais não os preservam. O economista alerta que o investimento público no país por décadas foi liderado pelos governos estaduais e municipais. Estes, em alguns anos, chegaram até a investir mais que a União. "Isso significa que, quando prefeituras cortam seus investimentos, há impacto direto e forte na taxa de investimento do governo e do país. Não surpreende que depois se tenha tanta dificuldade para o crescimento brasileiro decolar."

 

Mesma dinâmica - A queda de 54,5% não surpreende e mostra que municípios, assim como os Estados, estão estrangulados na capacidade de investimentos, diz a economista Ana Carla Abrão, sócia da Oliver Wyman. É uma redução significativa de uma base mais baixa, já que os municípios sofrem pressão menor por investimentos que Estados. "A dinâmica que vem gerando a crise dos Estados é a mesma que gera a crise dos municípios, com crescente comprometimento das receitas com despesas de pessoal, sobrando cada vez menos para custeio e investimento."

 

Rio de Janeiro - No resultado consolidado das 23 capitais, o município do Rio de Janeiro tem grande influência. De janeiro a abril deste ano a capital fluminense investiu R$ 71,4 milhões, valor bem maior que os R$ 16,9 milhões aplicados em igual período do ano passado. Menor, porém, que os R$ 927,96 milhões investidos no primeiro quadrimestre de 2015, sempre em valores atualizados pelo IPCA.

 

Consolidado - Mesmo retirando o Rio da amostra, há queda significativa nos investimentos do consolidado, de R$ 1,76 bilhão no primeiro quadrimestre de 2015 para R$ 1,15 bilhão em iguais meses de 2019. Um olhar mais detido nos números mostra que o recuo nos investimentos não se restringiu ao Rio.

 

Queda real - Dentre as 23 capitais, em 14 os investimentos tiveram queda real de 2015 a 2019. Além do Rio de Janeiro, em sete prefeituras - São Luís, Belo Horizonte, João Pessoa, Natal, Porto Alegre, São Paulo e Palmas - a queda ultrapassou os 50%. Nas demais seis capitais - Rio Branco, Manaus, Campo Grande, Recife e Teresina e Belém - a queda variou de 3,68% a 49,81%. Nas outras nove capitais, houve elevação de investimentos.

 

Fim da Olimpíada - A Secretaria de Fazenda do município do Rio de Janeiro diz em nota que a diminuição dos investimentos de 2015 a 2019 se deve ao fim da Olimpíada, evento sediado pela capital fluminense em 2016, mas também cita os efeitos da recessão econômica. "Além disso, é preciso considerar também a crise sem precedentes que alcançou o município do Rio, assim como o Estado", diz a nota. Para 2019, há expectativa de melhora na arrecadação, relata a secretaria, como resultado de esforços nas áreas de cobrança, securitização da dívida, entre outros. A receita prevista na Lei Orçamentária Anual para o município em 2019 é de R$ 30,6 bilhões.

 

São Paulo - O município do Rio, diz Ana Carla, certamente sofre com a crise do Estado, que também contribuiu para comprometer sua capacidade de investir. Ela também destaca o desempenho do município de São Paulo, que também apresenta queda de investimento. "A dinâmica perversa em que os gastos correntes crescem de forma acelerada não está poupando nem mesmo os municípios mais ricos e com as contas em dia. Mostra que é uma tendência estabelecida nos municípios de forma geral."

 

Menor - Na capital paulista, os investimentos no primeiro quadrimestre de 2019 caíram tanto em relação a igual período do ano passado quanto sobre 2015. Os investimentos deste ano somaram R$ 322 milhões, ante R$ 430,2 milhões do ano passado e R$ 691,1 milhões de 2015, sempre considerando valores atualizados pelo IPCA.

 

Previdência e transporte público - Em nota, a Secretaria de Fazenda do município de São Paulo destaca que o aumento de duas linhas de gastos – previdência e subsídio ao transporte público - fez a capacidade de investimento da prefeitura cair, entre 2015 e 2019, cerca de 6,5% da Receita Corrente Líquida (RCL). O percentual representa cerca de R$ 3,3 bilhões dos R$ 50,7 bilhões da RCL prevista para 2019.

 

Aposentadorias e pensões - Os gastos com o pagamento de aposentadorias e pensões, que somaram R$ 6,1 bilhões em 2015, ressalta a nota, alcançaram R$ 9 bilhões em 2018 e estão projetados em R$ 10,1 bilhões para 2019. Os efeitos da reforma da Previdência municipal, aprovada nos últimos dias de 2018, começaram a ser sentidos a partir de abril de 2019, em razão da noventena, e podem ajudar as contas municipais, mas a aprovação da reforma da Previdência em âmbito nacional é fundamental para complementar os esforços já realizados pelo município, especialmente no que se refere ao aumento no tempo de contribuição dos servidores.

 

Aumento - O gasto com subsídio ao transporte público, prossegue a nota, passou de R$ 1,9 bilhão em 2015 para R$ 3,3 bilhões em 2018. Para 2019, o subsídio previsto por enquanto é de R$ 2,6 bilhões. Os valores diferenciados na tarifa do vale-transporte vêm sendo alvo de questionamentos judiciais.

 

Segundo quadrimestre - Com a revisão do programa de metas no início do ano, diz a prefeitura, a previsão é de uma retomada no ritmo de execução dos investimentos do município a partir do segundo quadrimestre. Para este ano estão previstos R$ 3 bilhões em investimentos do programa de metas. (Valor Econômico)

 

economia II tabela 17 06 2019

ANTT: Agência disponibiliza de forma totalmente digital 55 novos serviços

 

antt 17 06 2019A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) concluiu a implantação de 38 novos serviços digitais no portal da Agência. Agora, a Agência disponibiliza 55 serviços oferecidos eletronicamente ao cidadão, no portal de serviços do governo federal (www.servicos.gov.br). Com essa ação, a Agência fortalece o compromisso de desburocratizar a vida dos brasileiros e permitir mais agilidade na obtenção de licenças, consulta a multas e processos, autorizações, entre outros documentos fornecidos por essa autarquia.  

 

Desburocratização - Os serviços, agora disponibilizados eletronicamente, de forma digital, têm como objetivo desburocratizar a vida do cidadão que passa a ter mais agilidade na obtenção de licenças, consulta a multas, processos, autorizações, entre outros documentos fornecidos pela agência reguladora, uma vez que serviços que chegavam a levar de 10 a 15 dias para serem solucionados e agora passam a ter prazos de dois a três dias.

 

Setores - A transformação digital também vai beneficiar empresas dos setores reguladores e fiscalizados pela ANTT, uma vez que foram disponibilizados serviços para as concessionárias da infraestrutura ferroviária e rodoviária, bem como para os transportadores de cargas e passageiros.

 

Consulta - Para o cidadão, o portal facilita a consulta da situação dos transportadores de cargas e dos serviços de transporte de passageiros como exemplo, a consulta a veículos que prestam o serviço de transporte rodoviário interestadual. O usuário poderá saber se o serviço oferecido está dentro das normas ou se o transporte é clandestino, preservando assim, a sua segurança.

 

Marco - Para a diretora da ANTT, Elisabeth Braga, “esse é um grande marco para a Agência. Nosso plano é ampliar ainda mais o acesso a serviços digitais aos nossos usuários e permitir mais agilidade e transparência na prestação dos serviços que competem à ANTT.”

 

Categoria - Os serviços da ANTT estão disponibilizados na categoria de Trânsito e Transportes. Para conhecer a relação completa dos serviços disponibilizados pela Agência, clique aqui. (ANTT)

INFRAESTRUTURA: Portos do Paraná têm movimento intenso neste fim de semana

 

infraestrutura 17 06 2019As operações e manobras de atracação e desatracação de navios nos dois portos do Paraná foram intensas na sexta-feira (14/06) e seguirão no mesmo ritmo no fim de semana. A previsão é que o cais público e píeres de Paranaguá sejam 100% ocupados nos próximos dias.

 

Mercado internacional - O movimento intenso, segundo o diretor-presidente da empresa Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia, se dá pelo bom momento do mercado internacional. “Os produtores estão negociando milho, farelo, açúcar com os exportadores, além da carga geral e veículos, que entram e saem do país. Como o Paraná oferece vantagens competitivas, a escolha pelos nossos portos é natural,” afirma Garcia.

 

Retomada - O diretor de Operação, Luiz Teixeira da Silva Júnior, destaca que o porto está em crescente retomada nas movimentações. Apenas para os três berços do Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá, já estão programados 15 navios para atracar e carregar soja, milho e farelo, neste fim de semana.

 

Mais navios - “Até o final do mês, temos mais 20 navios agendados para chegar e operar no Corredor. O mesmo acontece com os navios que chegam para descarregar os fertilizantes e demais cargas”, afirma Teixeira.

 

Cais público - No cais público do Porto de Paranaguá até 13 navios podem operar simultaneamente (do berço 201 ao 217), o que está previsto para este sábado e domingo. Existem ainda, de acordo com o diretor, mais dois berços que devem ser ocupados no Píer Público de Inflamáveis, além de outros dois berços da Cattalini (granéis líquidos) e um no píer da Fospar (fertilizantes).

 

Economia local - Para o fim de semana foram, portanto, 18 navios operando ao mesmo tempo. “Esse movimento todo também faz a economia local movimentar bastante. Afinal, cada navio atracado proporciona quatro turnos ininterruptos de escalação de trabalhadores portuários avulsos”, afirma o diretor.

 

Importação - Nesta sexta-feira, para fertilizantes e outros granéis de importação, como o malte, são cinco navios já operando no cais público e um na Fospar (privativo). Para o fim de semana, assim que esses sejam descarregados, outros três já estão programados para atracar.

 

Terminal de Contêineres - O ritmo também é intenso com programação completa para os três berços do Terminal de Contêineres de Paranaguá. No berço 215, um navio movimentava veículos nos dois sentidos e outros três estavam programados para atracar ainda nesta sexta-feira - mais um de veículos e outros dois de contêineres.

 

Flexibilidade - Enquanto outros portos do país têm mais berços especializados, com um operador portuário só atuando em determinados tipos de cargas, uma característica que se destaca nas movimentações do Porto de Paranaguá é a flexibilidade.

 

Berços públicos - “Temos berços públicos, em condições de operar cargas diversas, conforme a disponibilidade e demanda. Além disso, há regulamento que cobra produtividade. Cada navio é obrigado a cumprir o que chamamos de prancha, uma meta de operação. Caso não cumpra, é multado e pode ser desatracado para dar lugar a outro navio que produza. Isso também garante agilidade e eficiência”, explica Teixeira.

 

Reuniões - As reuniões de programação de operação são diárias, de segunda a sábado. A programação definida nesses encontros sai todos os dias ao meio-dia e fica valendo até as 19 horas no dia seguinte. “A eficiência se faz com organização, regras claras e com intervenções cirúrgicas quando algo não está girando bem no dia a dia”, conclui o diretor. (Agência de Notícias do Paraná)


Versão para impressão


RODAPE