Imprimir
CABECALHO

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4528 | 06 de Março de 2019

COOPERATIVISMO: OCB se reúne com secretário de Defesa Agropecuária

cooperativismo 06 03 2019As ações de sensibilização do governo sobre como o cooperativismo pode fortalecer a economia nacional continuam. Na quinta-feira passada (28/02), o superintendente do Sistema OCB, Renato Nobile, se reuniu com o secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, José Guilherme Tollstadius Leal, em Brasília.

Proposições - Além de entregar, em mãos, o documento Propostas para um Brasil mais cooperativo, que mostram o papel das cooperativas como modelo econômico sustentável, ambientalmente responsável e socialmente justo, capaz de proporcionar inclusão produtiva, geração de renda, acesso a mercados e desenvolvimento regional, Renato Nobile também apresentou algumas proposições do cooperativismo agropecuário.

Lista - A lista foi preparada por representantes das cooperativas agro, validadas por dois grupos técnicos no âmbito da OCB e engloba o seguinte:

- Formalização de um acordo de cooperação entre o Mapa e a OCB, visando implementar ações e atividades do Plano de Defesa Agropecuário;

- Colaborar com o Mapa na construção de marcos regulatórios de relevância para o desenvolvimento das cadeias produtivas;

- Compor um grupo de trabalho conjunto com objetivo de discutir e interpretar as principais legislações nacionais e internacionais;

-Realizar harmonização de normas e procedimentos através de workshops conjuntos entre o Mapa e a OCB, com o objetivo de facilitar a apresentação de soluções para os principais gargalos vivenciados pelas cadeias produtivas.

Programa de Autocontrole - O superintendente da OCB aproveitou a oportunidade e agradeceu a inclusão da casa no Comitê Técnico de Programas de Autocontroles, criado pelo Mapa e instituído pela portaria nº 24, editada no mês passado. O cooperativista reforçou o interesse em colaborar tecnicamente para promover a articulação de órgãos e entidades públicas e privadas para a implementação de programas de autocontrole nos estabelecimentos regulados pela legislação da defesa agropecuária do país.

Confiança - O secretário José Guilherme, agradeceu a visita, ouviu e debateu cada proposição da OCB, reforçando sempre a confiança nas ações técnicas e políticas da Instituição. Além das proposições, o secretário conversou também sobre temas relacionados as cadeias produtivas do leite, de aves e suínos e da soja.

Interesse - Ao final da reunião, o secretário manifestou um grande interesse em construir, junto com a OCB, uma agenda de reuniões regionais com as cooperativas, objetivando conhecer os gargalos vivenciados pelo setor e, assim, buscar harmonizar os trabalhos entre a iniciativa privada e a Inspeção Federal. (Informe OCB)

 

GETEC: Informativo traz expectativas do mercado sobre indicadores econômicos

gerencia tecnica destaque 28 02 2019A Gerência de Desenvolvimento Técnico da Ocepar (Getec) divulga, nesta quarta-feira (06/03), mais uma edição do Informe Expectativas de Mercado, com base nas informações do Boletim Focus, do Banco Central, levantadas com instituições financeiras sobre as projeções relativas à economia nacional, contemplando o Produto Interno Bruto (PIB), IPCA (Índice de Preços ao Consumidor), taxa Selic e câmbio para 2019, 2020 e 2021.

Informações – Mais informações podem ser obtidas com Maiko Zanella ( maiko.zanella@sistemaocepar.coop.br / 41 3200-1115) ou com Jessica Raymundi ( jessica.costa@sistemaocepar.coop.br / 41 3200-1133).

Clique aqui para acessar na íntegra o Informe Expectativas de Mercado

 

SICREDI VALE DO PIQUIRI: Cooperativa apresenta crescimento de 40% no total de ativos

1sicredi vale piquiri 06 03 2019Durante a semana passada, o Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP esteve em Assembleia de Núcleos na região e já realizou encontros nos municípios de Roncador, Nova Cantú, Campina da Lagoa e Ubiratã, reunindo cerca de 3000 pessoas. Na sexta-feira (01/03) foi a vez de Juranda e, nestas Assembleias, a cooperativa têm ótimas notícias para compartilhar com seus associados. Em 2018, o desempenho da cooperativa foi excepcional e é o resultado da dedicação e trabalho dos mais de 1000 colaboradores e dos mais de 121 mil associados que depositam sua confiança na Instituição.

Números - Os números impressionam. Além do crescimento de mais de 40% em ativos totais, outros indicadores demonstram a mesma direção exponencial e o alcance de marcos recordes na história da cooperativa: mais de R$ 1,6 bilhão na carteira de depósitos, com crescimento de 35%; R$ 1,7 bilhão na carteira de crédito, 37 % de incremento e aumento de 18% do número de associados. As contas dos ativos totais ultrapassaram R$2,2 bilhões, indicando um crescimento de 40% comparado ao exercício de 2017 e que, somados às coobrigações, ultrapassam os R$ 2,6 bilhões de recursos administrados. Tudo isso gerou o Resultado de R$ 55,4 milhões.

Ampliação - Além disso, a cooperativa ampliou sua atuação, realizou negócios e parcerias estratégicas, diversificou seus canais, investiu em tecnologia e expandiu sua base de associados com a abertura de 19 novas agências no Paraná e em São Paulo, chegando aos maiores polos financeiros da América Latina, como por exemplo a Av. Faria Lima e Av. Berrini, na capital paulista. A Cooperativa encerrou o ano de 2018 com 71 agências, sendo que em 15 cidades é a única instituição financeira.

Educação financeira - As ações de educação financeira promovidas pela cooperativa através do voluntariado dos colaboradores, permitiram orientar crianças, jovens e adultos sobre finanças pessoais e tiveram a contribuição dos gibis da Turma da Mônica, desenvolvidos especialmente para este fim. No decorrer de 2018, o Programa A União Faz a Vida (PUFV) desenvolveu ações de cooperação e cidadania com crianças e jovens além de promover a formação continuada dos professores. Segundo Rosimeire Carminholli, Diretora do Colégio Viva Vida - participante do PUFV - o Programa A União Faz A Vida dá a possibilidade de transformar realidades. “As orientações que recebemos e os materiais de apoio que temos acesso nos ajudam muito nas atividades com os alunos. Queremos agradecer ao Sicredi por esta iniciativa e por contribuírem com a formação de cidadãos melhores.”, complementa Rosimeire.

Comemorações - O ano de 2018 também foi marcado pelas comemorações dos 30 anos da cooperativa, com a turnê musical “Histórias e Momentos” que contou a trajetória da cooperativa e emocionou 25 mil pessoas, em 44 apresentações homenageando fundadores, colaboradores, associados e parceiros.

Convite - Em pleno Processo Assemblear, o Sicredi convida a todos os seus associados para participarem da Assembleias de Núcleo e exercerem o seu papel de “dono”, bem como debaterem e votarem sobre questões relacionadas à gestão e ao desenvolvimento da cooperativa. (Imprensa Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP)

 

SICREDI RIO PARANÁ: Sala de informática para idosos é inaugurada em Querência do Norte (PR)

Com 24 alunos já inscritos, o Grupo da Terceira Idade de Querência do Norte ganhou, na última semana, uma sala de informática. O espaço foi realizado após uma parceria entre a Sicredi Rio Paraná PR/SP, Grupo da Terceira Idade Anos Dourados e Prefeitura Municipal de Querência do Norte (PR).

Projeto - A ação faz parte do projeto de Inclusão Digital idealizado pela Sicredi Rio Paraná PR/SP na cidade que atinge vários públicos.

Incentivo - A ideia é incentivar os munícipes a utilizarem os meios eletrônicos de pagamentos, sendo eles aplicativo mobile, caixas eletrônicos e internet banking, com o objetivo que o dinheiro em espécie para de circular na cidade e os índices de violência reduzam consequentemente.

Primeira ação - A primeira ação ocorreu em uma reunião com os comerciantes associados da Aciquen (Associação Comercial de Querência do Norte) em abril de 2018. Na ocasião, 53 pessoas presentes debateram junto a equipe do Sicredi Rio Paraná os problemas que atingiam a cidade e as possíveis soluções. Nesta ocasião, a educação digital foi um dos itens levantados.

Cronograma - Em seguida foi desenhado o cronograma de ações para a realização do projeto na cidade. Em maio foram feitas quatro palestras de Educação Financeira, realizadas pelos colaboradores da agência com quase 300 pessoas impactadas.

Oficinas - Em seguida foram iniciadas as oficinas de inclusão digital. Esta atividade foi separada por públicos específicos. A primeira delas ocorreu em junho de 2018 com 42 idosos que participam do Grupo da Terceira idade de Querência do Norte-PR. Na ocasião, um palestrante foi contratado para a vivência com os idosos. Estes estavam com seus celulares e aprenderam como aumentar a letra do celular, para visualizar melhor, como aumentar o volume do toque, de que forma são baixados os aplicativos. No encontro, aqueles que ainda não utilizaram aplicativo de troca de mensagens, puderam baixar lá na hora e adicionar os amigos do Grupo da Terceira Idade e também os familiares. Para esta atividade, a Câmara Municipal da cidade cedeu o auditório e aumentou o link de fornecimento de internet wifi para a ação.

Pagamento - Ainda no mesmo dia eles aprenderam a fazer pagamentos via aplicativo bancário.

Informações - Em julho este público recebeu informações via aplicativo de mensagem para continuarem a utilização e aprendizagem dos canais.

Primeiro dia - No primeiro dia de aula do segundo semestre de 2018, alunos do Ensino Médio da cidade, do Colégio Estadual Humberto de Campos, participaram de uma oficia sobre “fake news”, ciberbullying e segurança da informação. Nesta atividade foram 76 jovens no período da manhã e 91 no período da tarde.

Próximos passos - Os próximos passos são: manter contato com envio de informações sobre os temas para os jovens da cidade.

Palestra - Ainda na volta às aulas, os pais dos alunos do Colégio Humberto de Campos, também participaram de uma palestra de Educação Financeira e também foram orientados da importância dos pagamentos via digital. Participaram 300 pais no período noturno e mais 150 pais no diurno.

Manutenção - Já a manutenção das atividades é realizada durante todo o projeto por meio de contato via aplicativo de mensagens com os participantes da ação. A ideia é fomentar o uso dos aplicativos e novas inclusões digitais.

Sobre a cooperativa - A Sicredi Rio Paraná PR/SP atua em 44 cidades da região que fica na divisa dos estados do Paraná e São Paulo. Hoje são 23 agências para atender os associados. Mais saber mais, acompanhe as redes sociais @sicredirioparana. (Imprensa Sicredi Rio Paraná PR/SP)

{vsig}2019/noticias/03/06/sicredi_rio_parana/{/vsig}

COOPAVEL: Areac faz homenagem a Dilvo e a Rizzardi

A Areac (Associação Regional dos Engenheiros Agrônomos de Cascavel) fez, na noite de quinta-feira (28/02), em sua sede, homenagem ao presidente da Coopavel, Dilvo Grolli, e ao diretor Rogério Rizzardi. O reconhecimento é pelo sucesso do Show Rural Coopavel, um dos mais importantes eventos de transmissão de conhecimentos agropecuários do mundo, que realizou a sua 31ª edição de 4 a 8 de fevereiro de 2019.

Placas - O presidente da Areac, Cezar Veronese, entregou placas em homenagem a Dilvo e a Rizzardi, que há mais de 30 anos, em viagem de retorno à Farm Progress, nos Estados Unidos, fizeram o esboço da feira em um guardanapo. “O Show Rural Coopavel é um orgulho não apenas aos cascavelenses, mas aos paranaenses e aos brasileiros. Esse é um evento que mostra a força e a pujança do agronegócio e que leva ao campo informações precisas, que ampliam produtividade e potencializam resultados”, destaca Veronese.

Presenças - A homenagem ocorreu durante jantar de confraternização que contou com a presença de inúmeras autoridades, entre elas o presidente do Crea-PR (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado do Paraná), Ricardo Rocha, e do presidente da Abeag (Associação Brasileira dos Engenheiros Agrícolas), Valmor Pietsch. “Exemplo de planejamento, de organização e de inovação”, resumiu Rocha sobre o Show Rural Coopavel, que em sua edição mais recente recebeu 288.802 visitantes, 520 expositores e movimentou R$ 2,2 bilhões em negócios.

Apoio - Dilvo enfatizou na ocasião o papel da Areac como apoiadora e divulgadora do evento. A entidade reforçou, nas semanas que antecederam a mostra, convite para mais de 35 mil engenheiros agrônomos do País inteiro. “Pediram para que viessem a Cascavel prestigiar o Show Rural e conhecer o que há de mais moderno em informações e tecnologias para fortalecer um setor responsável por mais de 30% do Produto Interno Bruto Brasileiro”, agradeceu o presidente da Coopavel.

Palestra - Os presentes à confraternização assistiram palestra de Dilvo sobre a história do Show Rural Coopavel, que começou em 1989 como um dia de campo com a presença de 15 empresas e 110 visitantes. O crescimento em três décadas resulta de vários fatores, mas um deles é imprescindível, disse o presidente: o foco na inovação. Ele citou o Show Rural Digital, a principal atração de fevereiro e que trouxe a Cascavel 116 empresas de tecnologia.

Avanço - “Não podemos parar, e precisamos avançar ainda mais no próximo. O trabalho de avaliação e de busca de ideias começou tão logo o 31º terminou”. Dilvo lembrou também da colaboração do evento para o comércio e da abertura de vagas a trabalhadores temporários de inúmeros setores. O coordenador-geral, Rogério Rizzardi, agradeceu a homenagem e disse que o Show Rural Coopavel é o reflexo da dedicação, união e talento de todos que fazem com que o evento aconteça. (Imprensa Coopavel)

IG: Com registro no INPI, café do Norte Pioneiro impulsiona a região

indicacao geografica 06 03 2019O Café do Norte Pioneiro foi o primeiro produto a obter o registro de Indicação Geográfica (IG) junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). A tradição e a importância do produto para o desenvolvimento da região são fatores que impulsionaram essa conquista, obtida já há sete anos. Os produtos com registro de Indicação Geográfica são aqueles com características diferenciadas por serem produzidos em uma região ou território específicos.

Benefícios - Os benefícios do registro de IG para a produção cafeeira são confirmados na prática. A atividade ajudou a desenvolver uma região inteira, no caso, todos os 46 municípios do Norte Pioneiro do Paraná.

Necessidade - “A IG fomentou a necessidade de organização dos pequenos produtores”, avalia o secretário-executivo da Câmara Setorial do Café do Paraná e economista do Núcleo da Secretaria de Agricultura e Abastecimento em Apucarana, Paulo Sergio Franzini. Segundo ele, hoje são cerca de 15 associações na região.

Ações - “Com isso, ocorre o financiamento para compra conjunta de máquinas, como colheitadeiras, e oferta de cursos de capacitação. São ações que só chegam quando os grupos estão organizados”, afirma Franzini.

Economia local - Diferente de outras culturas, o Café do Norte Pioneiro movimenta mais a economia local. “O valor bruto da produção circula nos municípios. A cultura tem mais demanda de mão de obra local e, por isso, é uma atividade importante para o desenvolvimento dos municípios”, diz Franzini.

Estimativa - A Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento estima entre 5 mil a 7 mil propriedades de café no Paraná – 62% delas se concentram no Norte Pioneiro. Para 2019 é prevista a produção de 1,1 milhão de sacas no Estado.

Capacitação e tecnologia - Com os pequenos produtores organizados, as capacitações são promovidas pelo Instituto Emater, pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), da Federação da Agricultura do Paraná e pelo Sebrae/Pr.

Transferência de tecnologia - O coordenador regional do projeto Café na região do Norte Pioneiro do Instituto Emater, Otávio Oliveira da Luz, destaca a transferência de tecnologia e conhecimento como primordial para o fortalecimento do produto.

Adequação - A partir da orientação técnica do Emater junto com associações, produtores e sindicatos, foram implementadas a adequação do espaçamento do plantio. Em vez de 2 mil plantas por hectares, atualmente os produtores conseguem plantar 5 mil por hectare. Houve, ainda, melhoria da adubação e a cobertura de solo com vegetação entre as linhas de produção.

Proteção - “Isso garante a proteção do solo da chuva, do sol e mantém a temperatura, consequentemente evitando perdas ao produtor”, explica o coordenador.

Podas - O trabalho de podas dos galhos após a colheita do café também é uma tecnologia que tem rendido resultados satisfatórios. O método consiste na reserva por um ano da área desta forma, até que se plante novamente. “Com essas tecnologias os produtores estão conseguindo se estabilizar economicamente. A Emater trabalha com prefeituras, sindicatos, associações de produtores. É um trabalho de muita integração entre os parceiros e isso faz a diferença e potencializa o nosso trabalho”, diz Otávio Oliveira.

Carlópolis - O pioneirismo no registro de IG serviu de resgate do produto, que faz parte da história paranaense. Se na década de 1960 o Paraná era o principal produtor brasileiro, hoje tem no café o reconhecimento de um produto especial e que representa o desenvolvimento econômico de cidades e de famílias por gerações.

Cafeicultor - Desde 2007, o cafeicultor Rodrigo Roenco Machado trabalha na propriedade herdada da família, de 34 hectares, em Carlópolis, uma das cidades do Norte Pioneiro. Ele faz parte da terceira geração do café na família. “Meu pai e meu avô criaram todo mundo com base no café”, diz ao relacionar o sustento econômico.

Diversificação - Machado conta com oito funcionários e inova na diversificação, abrindo frente com a fruticultura. Mas o gosto pelo café permanece na plantação. Com desafios como diminuir custos de produção do café, ele diz ser essencial ter o apoio da Associação dos Cafés Especiais do Norte Pioneiro do Paraná (Acenpp) para ganhar competitividade no mercado.

Reinventar - Carlópolis é um exemplo no processo de reinventar e investir na produção deste tipo de grão. “Os produtores investiram muito em maquinário, compraram colhedoras, tratores e carretas nos últimos 15 anos. Hoje, atingiram um custo baixo de produção e tem alta produtividade”, destaca o coordenador da Emater.

Outras tecnologias - Além disso, outras tecnologias que rendem destaque à cidade foram implementadas ao longo dos anos, como o emprego de tipos de café resistentes a pragas e métodos diferenciados no solo.

Reconhecimento nacional é fruto de esforço conjunto - Fundada em 2008, a Associação dos Cafés Especiais do Norte Pioneiro do Paraná uniu pequenos produtores e buscou, junto com o Sebrae/Pr, o registro de indicação geográfica. “O maior legado foi o reconhecimento do Norte Pioneiro como produtor do Café Especial. Isso era inimaginável e hoje é uma realidade”, considera o vice-presidente da entidade, Luiz Fernando de Andrade Leite.

Cooperativa - A partir da Acenpp, foi criada uma cooperativa que facilita a comercialização para o Exterior do café produzido pelos cerca de 100 pequenos produtores que representa. Sem a cooperativa, Luiz avalia que seria inviável para os produtores familiares sonharem com a possibilidade de exportação. “É primordial para que o pequeno tenha acesso ao mercado que ele permaneça no associativismo”.

Importância - O consultor do Sebrae/Pr em Jacarezinho, Odemir Capello, diz que o reconhecimento nacional do café paranaense tem importância para a organização dos pequenos produtores que passam a se reunir em projetos coletivos. “A Indicação Geográfica é um mote para trabalhar outros aspectos, além do mercado. O ganho com o associativismo é muito grande. As novas lideranças surgiram entre os pequenos agricultores”, diz.

Outros produtos - Por ser o primeiro, o Café do Norte Pioneiro abriu portas para que outros cinco produtos paranaenses buscassem o reconhecimento. Outros cinco aguardam a chancela do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), que atesta a autenticidade da produção. Entre eles, a bala de banana de Antonina e o melado de Capanema.

Quais são - Os produtos que obtiveram registro de IG depois do café são Erva-mate de São Mateus do Sul, Goiaba de Carlópolis, Mel do Oeste do Paraná, Queijo de Witmarsun, Uva de Marialva e Mel de Ortigueira. Estão em processo final de certificação pelo INPI a Bala de Banana de Antonina, o Melado de Capanema, a Cachaça de Morretes, o Barreado e a Farinha de Mandioca do Litoral paranaense. (Agência de Notícias do Paraná)

 

INFRAESTRUTURA: Ministério define datas para leilões de energia até 2021

infra 06 03 2019O Ministério de Minas e Energia (MME) publicou duas portarias na edição desta quarta-feira (06/03) do "Diário Oficial da União" com datas para os novos leilões de compra de energia elétrica proveniente de empreendimentos de geração novos e existentes por agentes de distribuição do Sistema Interligado Nacional (SIN).

Datas - A Portaria nº 151 define as seguintes datas para leilões de energia nova: A-4 em 27 de junho de 2019; A-6 em 26 de setembro de 2019; A-4 em 23 de abril de 2020; A-6 em 24 de setembro de 2020; A-4 em 29 de abril de 2021; e A-6 em 30 de setembro de 2021.

Mais - E a Portaria nº 152 traz as datas para leilões de energia existente A-1 e A-2: 6 de dezembro de 2019, 4 de dezembro de 2020 e 3 de dezembro de 2021. (Valor Econômico)

 

TAXA: MP determina que contribuição sindical deve ser cobrada por boleto

As contribuições dos trabalhadores para os sindicatos não poderão mais ser descontadas diretamente do salário. Medida provisória (MP) assinada pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, determina que o chamado imposto sindical deve ser pago exclusivamente por boleto bancário.

Alterações - Publicada na sexta-feira (01/03) em edição extra do Diário Oficial da União, a MP 873 aprofunda alterações na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). O texto vale imediatamente, mas precisa ser aprovado pelo Congresso em até 120 dias para virar lei.

Obrigatoriedade - Desde a reforma trabalhista que entrou em vigor em 2017, a contribuição sindical deixou de ser obrigatória. Os trabalhadores precisam manifestar a vontade de contribuir para o sindicato da categoria, mas as empresas podiam continuar a descontar diretamente da folha dos empregados.

Esclarecimento - O secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, explicou, na rede social Twitter, que a medida provisória teve como objetivo esclarecer a natureza facultativa da contribuição sindical. Segundo ele, alguns juízes continuavam a determinar o desconto automático em folha.

Expressão - “Editada a MPV 873, que deixa ainda mais claro que contribuição sindical é fruto de prévia, expressa e ‘individual’ autorização do trabalhador, necessidade de uma MP se deve ao ativismo judiciário que tem contraditado o Legislativo e permitido a cobrança”, escreveu Marinho, que foi relator da reforma trabalhista na Câmara dos Deputados em 2017.

Encaminhamento - Pelo texto da medida provisória, o boleto bancário ou o equivalente eletrônico será encaminhado obrigatoriamente à residência do empregado ou, na impossibilidade de recebimento, para a sede da empresa. Caso o trabalhador não tenha autorizado o desconto, o envio do boleto – impresso ou eletrônico – fica proibido.

STF - Em junho do ano passado, o Supremo Tribunal Federal (STF) negou os pedidos de entidades sindicais para retomar a obrigatoriedade da contribuição sindical, equivalente a um dia de salário e paga em março. Por 6 votos a 3, a corte manteve a extinção da obrigatoriedade da contribuição. (Agência Brasil)

OCDE: Economia brasileira deve crescer 1,9%, prevê Organização

ocde 06 03 2019A economia brasileira deve crescer 1,9% este ano. Essa é a previsão para o Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos pelo país, divulgada nesta quarta-feira (06/03) pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Menor - A estimativa é menor do que a divulgada pela organização em novembro do ano passado, que foi de 2,1%. Para 2020, a OCDE manteve a previsão de expansão em 2,4%.

Recuperação moderada - Apesar da redução na estimativa, de acordo com a entidade, uma recuperação moderada da economia está em curso no Brasil. “Maior confiança das empresas, menor incerteza política, inflação baixa e melhora no mercado de trabalho servirão de base para a demanda interna”, diz o relatório.

Agenda de reformas - Para a OCDE, a implementação bem-sucedida da agenda de reformas do novo governo, particularmente a reforma previdenciária, continua sendo fundamental para uma retomada mais forte do crescimento.

2018 - Em 2018, o PIB fechou com crescimento acumulado de 1,1% em relação ao ano anterior. O PIB também fechou 2017 com expansão de 1,1%, mas nos dois anos anteriores registrou queda: 3,3% em 2016 e 3,5% em 2015.

Abaixo da expectativa - A projeção da OCDE está abaixo da expectativa do mercado brasileiro. De acordo com o último boletim Focus, do Banco Central, a estimativa para a expansão do PIB é de 2,48% para este ano e 2,65% para 2020.

PIB mundia l- De acordo com a OCDE, a economia mundial também continua perdendo força, por isso houve redução da estimativa de crescimento para 3,3% em 2019 e 3,4% no próximo ano. Em novembro, a organização previa expansão de 3,5% tanto neste ano quanto em 2020.

G20 - As perspectivas econômicas são mais fracas em quase todos os países do G20 (grupo que reúne as 20 maiores economias do mundo), em especial na zona do euro, nomeadamente a Alemanha e a Itália, bem como para o Reino Unido, o Canadá e a Turquia.

Desaceleração - A OCDE identifica a desaceleração chinesa e europeia, bem como o enfraquecimento do comércio global, como os principais fatores que pesam sobre a economia mundial.

Impactos - “Vulnerabilidades oriundas da China e enfraquecimento da economia europeia, combinadas com uma desaceleração do comércio e da indústria global, alta incerteza política e riscos nos mercados financeiros, poderiam minar o crescimento forte e sustentável no médio prazo em todo o mundo”, diz a entidade.

Alerta - A entidade alerta ainda que novas restrições comerciais e incerteza políticas podem trazer efeitos adversos adicionais ao crescimento global. (Agência Brasil)

 

COMÉRCIO EXTERIOR: Brasil planeja sobretaxar alho, cigarros e produtos de couro da UE

comercio exterior 06 03 2019O governo brasileiro poderá sobretaxar as importações europeias de alho, tabaco e itens de couro. As sobretaxas estão sendo avaliadas como forma de compensação às salvaguardas aplicadas pela União Europeia (UE), desde janeiro, às exportações brasileiras de aço.

Montante - Conforme antecipado pelo Valor no mês passado, o Brasil vai retaliar a UE no montante total de 180 milhões de euros -- algo próximo de US$ 205 milhões. Essa cifra corresponde às vendas de produtos siderúrgicos afetados pela medida adotada por Bruxelas.

Apelos - Foi a forma encontrada pela equipe econômica de atender aos apelos da bancada que representa os agricultores no Congresso Nacional de manter a proteção ao leite em pó, já que um direito antidumping sobre o produto da UE expirou em fevereiro.

Importação - A questão é que o Brasil importa anualmente menos de US$ 600 mil de leite em pó da UE e as "compensações" pedidas à Organização Mundial do Comércio (OMC), no âmbito do Acordo de Salvaguardas da entidade, precisam abranger uma cifra proporcional ao prejuízo alegado.

Notificada - O governo decidiu então acrescentar à lista produtos como alho fresco ou refrigerado, cigarros, cigarrilhas e charutos, e itens de couro como bolsas e sapatos, segundo fontes ouvidas pelo Valor. A UE já foi notificada.

Alíquota - Esses produtos terão sobretaxas de até 19% à Tarifa Externa Comum (TEC), que é uma alíquota acordada entre os sócios do Mercosul. Como se trata de compensações a salvaguardas bilaterais, o Brasil não precisa de concordância dos demais países do bloco para aplicar a sobretaxa. (Valor Econômico)

 


Versão para impressão


RODAPE