Imprimir
CABECALHO

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4520 | 20 de Fevereiro de 2019

ENCONTROS DE NÚCLEOS: Evento terá debate sobre novo cenário econômico e político no Brasil

A programação da primeira rodada dos Encontros de Núcleos de 2019 terá a participação de Airton Spies, doutor em Economia dos Recursos Naturais, mestre em Ciências Agrícolas e ex-secretário da Agricultura e Pesca do Estado de Santa Catarina. Ele vai ministrar palestra sobre o novo cenário econômico e político no Brasil.

Cidades - O evento será realizado entre os dias 18 e 21 de março, nas cidades de Cafelândia, Mangueirinha, Londrina e Ponta Grossa. As atividades iniciam com a apresentação das cooperativas anfitriãs. Haverá ainda a realização das pré-assembleias das três entidades que integram o Sistema Ocepar: Fecoopar, Ocepar e Sescoop/PR. Na oportunidade, serão apresentados o Relatório de Atividades de 2018 e do Plano de Metas de 2019 do Sistema Ocepar. A atividade é preparatória para a Assembleia Geral Ordinária (AGO) da entidade, marcada para o dia 1º de abril, em Curitiba.

Programação – Os Encontros de Núcleos são promovidos duas vezes por ano, uma em cada semestre, com o propósito de discutir temas de interesse do cooperativismo paranaense. Em todas as cidades, a programação será realizada das 8h30 às 13h. Os participantes vão ainda discutir a participação do Estado do Paraná o 14º Congresso Brasileiro de Cooperativismo, que vai ocorrer em maio, em Brasília. Também serão eleitos os novos coordenadores de Núcleos.

Informações e inscrições– Mais informações com Neuza Oliveira ou Daniele Luana (secretaria@sistemaocepar.coop.br / 41 3200 1105 / 3200 1104). Inscrições com Francine Danielli (francine.danielle@sistemaocepar.coop.br), Esdras Silva (esdras.silva@sistemaocepar.coop.br) e Janaína Rosário (janaina.rosario@sistemaocepar.coop.br).

encontros nucleo folder 20 02 2019

 

MÍDIA: Cooperativismo paranaense é destaque na rádio CBN

midia 20 02 2019Os resultados obtidos pelo cooperativismo paranaense em 2018 foram o tema do programa CBN Agronegócio, na tarde desta terça-feira (19/02). Transmitido ao vivo para todo o Brasil, contou com a participação do diretor de redação da revista Globo Rural, Bruno Blecher. Ele conversou com o âncora do programa, o jornalista Carlos Alberto Sardenberg, sobre o crescimento e a atuação das cooperativas no Estado. Blecher lembrou que agora é o momento do setor apresentar os resultados registrados no ano passado, por meio das Assembleias Gerais. “O Paraná tem 215 cooperativas que somaram, em 2018, R$ 83,5 bilhões em faturamento. Esse valor representa 18% do PIB do Estado. O sucesso é grande. Nos últimos 10 anos, número de cooperados triplicou”, destacou.

Clique aqui para conferir o comentário de Bruno Blecher, diretor da Revista Globo Rural, no CBN Agronegócios 

 

PREVIDÊNCIA: Nova proposta de reforma chega ao Congresso

previdencia 20 02 2019O Congresso Nacional recebeu, na manhã desta quarta-feira (20/02), a nova proposta de reforma da Previdência Social (PEC 6/19). O presidente da República, Jair Bolsonaro, veio pessoalmente entregar o texto ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia.

Votação - Maia, que tem participado de reuniões com diversos governadores para articular um texto de consenso sobre a reforma da Previdência, já afirmou que a proposta pode ser votada em junho.

Mudanças - O deputado José Guimarães (PT-CE) adiantou que o partido não votará “nada que signifique a desconstrução do tripé que fez parte da Constituinte de 88: Previdência, Saúde e Assistência.” O parlamentar, no entanto, reconhece que é preciso fazer mudanças na Previdência.

Crítica - A líder da minoria, deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), também criticou o discurso do governo de que a reforma busca combater privilégios. Segundo ela, 80% dos idosos são protegidos pela Previdência Social. "Dizem que ela resolve a economia, é ao contrário: a economia que resolve a Previdência. É preciso formalizar o emprego para que a Previdência tenha contribuição."

Defesa - De outro lado, o deputado Luciano Bivar (PSL-PE), 2º vice-presidente da Câmara, defendeu a proposta do governo. “Estamos todos imbuídos de equacionar o desequilíbrio da Previdência. Não é para um governo, não é para uma legislatura. É para o Brasil.”

Aprovação - O deputado Fábio Ramalho (MDB-MG) também defendeu a aprovação da reforma da Previdência. Segundo ele, os parlamentares sabem da importância do tema. "Penso que não há crise no governo. Há somente um problema momentâneo que já foi corrigido e acho que só devemos pensar na nossa pauta. Vamos aprovar aquilo que é necessário ao País e, também, convidar as assembleias e os governadores a fazer reforma nos estados."

Votos suficientes - Ramalho acredita que o governo vai conseguir os votos suficientes para aprovar a proposta.

Tramitação - Propostas de emenda à Constituição (PEC) têm uma tramitação especial. Primeiro o texto terá que passar pela Comissão de Constituição e Justiça, depois será analisada por uma comissão especial e pelo Plenário da Câmara; só então será encaminhada ao Senado. (Agência Câmara)

Clique no link abaixo para conferir a íntegra da Proposta

PEC-6/2019

 

DECRETO: Governo mantém subsídio do agronegócio na energia

decreto 20 02 2019O líder do governo na Câmara, Vitor Hugo (PSL-GO), afirmou que o Palácio do Planalto vai revogar o decreto publicado pelo ex-presidente Michel Temer, que prevê a extinção gradual de descontos na conta de luz de produtores rurais. O benefício custa R$ 3,4 bilhões por ano e é pago pelos demais consumidores de energia de todo o País.

Projeto de lei - De acordo com Vitor Hugo, o governo se comprometeu a editar um decreto para revogar o anterior e apresentar um projeto de lei. “A proposta será para regulamentar essa questão melhor”, disse. A extinção do subsídio tem a simpatia do ministro da Economia, Paulo Guedes, mas a sua manutenção é fortemente defendida pelo agronegócio.

Disputa - Essa é mais uma das disputas entre os Ministérios da Economia e da Agricultura. A ministra Tereza Cristina criticou ao Estado o que chamou de “desmame radical” na intenção de Guedes de reduzir os subsídios do crédito agrícola. Ela também criticou fixar idade igual para aposentadoria de homens e mulheres no campo – a minuta preparada pela Economia previa a exigência de 65 anos como idade mínima para ambos.

Redução - O decreto publicado em 28 de dezembro do ano passado determinou a redução dos descontos para produtores rurais em 20% ao ano até chegar a zero daqui a cinco anos. Além disso, a medida impediu que agricultores que usam serviços de irrigação, que têm descontos assegurados por lei, continuassem acumulando os dois benefícios durante essa transição.

Variação - O subsídio garantia um desconto nas tarifas que varia de 10% a 30%. Apenas o benefício aos agricultores foi retirado, pois havia sido concedido via decreto. O desconto aos irrigantes, dado por lei, foi mantido – varia de 60% a 90%.

Movimentação - Como o Estadão/Broadcast mostrou na semana passada, a movimentação do agronegócio para ressuscitar o benefício provocou reações no governo e no setor privado. O presidente da Associação Brasileira de Grandes Consumidores, Paulo Pedrosa, disse que o decreto que reduziu os subsídios embutidos na conta de luz sinalizou a reversão de uma tendência que tornou a energia paga no País uma das mais caras do mundo. (O Estado de S.Paulo)

 

COOPERATIVISMO I: OCB entrega ao Mapa plano para desenvolver semiárido

cooperativismo 20 02 2019O governo federal tem, entre suas metas, o desenvolvimento do semiárido brasileiro por meio da agropecuária e, para isso, tem o cooperativismo como uma das melhores estratégias a serem adotadas. É por isso que a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) é o parceiro natural do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento nesse projeto.

Plano de Desenvolvimento - Na tarde desta terça-feira (19/02), o presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, se reuniu com a ministra Tereza Cristina para entregar o Plano de Desenvolvimento Cooperativo do Semiárido Brasileiro. A reunião contou com a presença dos secretários Fernando Kohlmann Schwanke (Agricultura Familiar e Cooperativismo) e Eduardo Sampaio Marques (Política Agrícola) e, ainda, representantes de cooperativas agropecuárias e integrantes da Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop).

Cooperativismo - Tereza Cristina que, no domingo (17/02), anunciou o programa Mais Cooperativismo (leia mais)  voltou a se referir a este modelo de negócios como sendo a “única solução para as dificuldades dessa região”. O semiárido brasileiro foi criado em 1989 pela Lei Federal nº 7827.

Plano - Márcio Freitas explicou que o plano foi elaborado com o objetivo de traçar um panorama macro com sete eixos de desenvolvimento que possam contribuir para o progresso rural sustentável, o fortalecimento de atividades agroindustriais e de agregação de valor, a consolidação e expansão da infraestrutura regional e a organização social.

Eixos estruturantes - Segundo ele, os eixos estruturantes que podem resultar no desenvolvimento do semiárido (formado pelos estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe) são os seguintes: infraestrutura básica, acesso e utilização dos recursos hídricos, fomento à tecnologia e inovação, sustentabilidade ambiental, desenvolvimento humano, geração de trabalho e renda organização social e produtiva.

Mais indicado - “O Ministério da Agricultura acredita que o nosso modelo de negócios é o mais indicado porque se preocupa com o desenvolvimento socioeconômico das pessoas, gerando trabalho, emprego e renda para todos aqueles que decidem cooperar por um bem comum”, destaca Márcio Freitas, presidente do Sistema OCB.

Crédito rural - Também foram apresentados à ministra e sua equipe os pontos de maior preocupação do sistema cooperativista em relação à possíveis restrições nos subsídios para o crédito rural, que têm sido a tônica das discussões para o próximo Plano Agrícola e Pecuário (2019/2020). Nesta terça-feira, pela manhã, gerentes, superintendentes e diretores financeiros das cooperativas que compõe o Grupo Técnico de Crédito Rural do Sistema OCB se reuniram para a harmonização de entendimentos e devida definição dos impactos causados pelos normativos publicados após o lançamento do PAP (2018/19) e que restringiram fortemente a oferta de recursos controlados para o produtor rural e suas cooperativas.

IC-agro - Ao final da reunião também foram apresentados os resultados da última tomada do índice de Confiança do Agronegócio, estudo feito pela OCB e Fiesp, que mostrou, historicamente, uma das melhores percepções de confiança do setor. (Leia mais). (Informe OCB)

 

COOPERATIVISMO II: Evair de Melo assume presidência da Frencoop

cooperativismo II 20 02 2019A Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop) tem um novo presidente: o deputado federal Evair de Melo (ES). Ele integra o grupo de defesa dos interesses das cooperativas brasileiras desde o início de seu primeiro mandato, em 2015. Diante de um alto índice de renovação no Congresso Nacional (85% no Senado e 47% na Câmara), uma das primeiras missões de Evair será a sensibilização dos novos parlamentares sobre a importância das cooperativas para a economia do país.

Atuante e influente - A Frencoop é uma das bancadas suprapartidárias mais atuantes e influentes do Congresso Nacional. Para se ter uma ideia, até o fim do ano passado, a Frente contava com a adesão 47% dos deputados e senadores. No total, a Frencoop somava 279 integrantes, sendo 243 deputados e 36 senadores, independentemente da sua bandeira partidária ou estado de origem.

Objetivo - Seu principal objetivo, junto à OCB, é garantir um ambiente favorável para que o cooperativismo possa se desenvolver. Isso pode ocorrer por meio de votações de projetos no Poder Legislativo ou no processo de formulação de normativos e de políticas públicas do governo. Periodicamente, a Diretoria Executiva da OCB se reúne com a Diretoria da Frencoop para definir prioridades.

Conquistas - Ao longo de sua história, graças a um protagonismo mais intenso no Congresso Nacional e a uma atuação bastante alinhada entre Frencoop e OCB, diversas matérias de interesse do cooperativismo foram aprovadas em comissões e plenários. Como exemplo, podemos citar a possibilidade de os municípios depositarem suas disponibilidades de caixa em cooperativas de crédito, por meio da Lei Complementar 161/2018; a garantia da continuidade do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) na Lei Orçamentária Anual 2018; e a compensação aos Estados para fomentar as exportações com a Lei 13.572/2017. (Informe OCB)

 

AGRÁRIA: Cooperados obtêm certificação internacional de soja responsável

agraria 20 02 2019O grupo familiar Reinhofer, formado por Eduardo, Hildegardt, Bruno e Robert Reinhofer, cooperados da Cooperativa Agrária Agroindustrial, obteve, no último dia 8 de fevereiro, a certificação RTRS, que atesta a sustentabilidade e a responsabilidade socioambiental de produtores de soja em todo o mundo. Com isso, atualmente o grupo é o único com a certificação vigente no Paraná.

Simples - Apesar dos rigorosos requisitos da organização RTRS (Round Table on Responsible Soy), obter a certificação foi relativamente simples para o Grupo Reinhofer, que há anos participa do PAGR (Programa Agrária de Gestão Rural). “A sistemática é muito parecida. A RTRS goza de uma credibilidade muito grande, por ser uma certificação internacional, que atende os requisitos mundiais de sustentabilidade. Portanto, o fato de termos atingido esses requisitos via PAGR, significa que o programa da Agrária atende tranquilamente os padrões internacionais”, destacou Bruno.

Propriedades - A certificação se aplica às cinco propriedades do grupo no Paraná, em um total de 11,7 mil hectares – dos quais, 6 mil de área cultivada. Todas integram também o PAGR. A certificação tem validade de cinco anos, mas durante esse período as fazendas serão objeto de novas auditorias, a fim de confirmar que as exigências continuam a ser atendidas. “É preciso fazer um trabalho bem feito, porque uma coisa é obter a certificação, e outra é mantê-la”, ressaltou Bruno. “As boas práticas em agricultura têm que estar verdadeiramente enraizadas na cultura da fazenda, no dia a dia das pessoas, senão em pouco tempo caem no esquecimento, e tudo o que foi conquistado se perde”.

Modelos sustentáveis - O objetivo do RTRS é disseminar modelos sustentáveis de produção de soja no mundo, respeitando não só toda a legislação local (ambiental, trabalhista, etc.), como também atuando positivamente para uma agricultura socialmente justa, ambientalmente correta e economicamente viável. A certificação, nesse sentido, serve para que as empresas que compram soja tenham informações seguras sobre sua procedência. Muitas dessas indústrias usam o selo RTRS em suas embalagens, com o intuito de informar o consumidor final sobre a origem sustentável do produto.

Requisito mínimo - “Hoje essas certificações ainda são um diferencial, mas em breve elas serão um requisito mínimo para sentar à mesa de negociação”, concluiu Bruno. (Imprensa Agrária)

 

SICREDI CAMPOS GERAIS: Atendimento é ampliado na capital paranaense

No mesmo ritmo expressivo de crescimento em âmbito nacional, a Sicredi Campos Gerais PR/SP inaugurou, nesta terça-feira (19/02), sua quinta agência em Curitiba, localizada na Avenida Brasília, 6008, no bairro Novo Mundo. O evento contou com a presença de diretores e colaboradores da cooperativa, associados, imprensa e autoridades.

Contratação - Com a expansão, o diretor executivo da Sicredi Campos Gerais PR/SP, Márcio Zwierewicz, revela que a contratação de profissionais será uma constante neste ano. ”Neste ano, temos o plano de inaugurar mais três agências em Curitiba, finalizando o ano de 2019 com oito agências na capital. Assim, ampliamos nossa atuação para atender cada vez melhor aos nossos associados”, revela.

Abertura de agências - Como um dos principais diferenciais da instituição financeira cooperativa é o relacionamento próximo com o associado, o Sicredi continuará investindo na abertura de agências, mesmo oferecendo diversos canais digitais para a realização de transações financeiras e aquisição de produtos e serviços bancários. "A gente deixa que o associado, que também é nosso cliente, possa optar entre um contato virtual e um presencial", explica.

Estrutura - A agência Sicredi Novo Mundo possui estacionamento, espaço exclusivo para atendimento às empresas e mais de 507 metros quadrados de área útil, que segue o novo conceito de ambientação arquitetônica do Sicredi - com ambientes mais integrados e modernos, além dos tradicionais caixas eletrônicos. (Imprensa Sicredi Campos Gerais PR/SP)

{vsig}2019/noticias/02/20/sicredi_campos_gerais/{/vsig}

SICREDI UNIÃO PR/SP: Com plano de expansão, cooperativa abre 105 vagas

sicredi uniao 20 02 2019A Sicredi União PR/SP atua com 91 agências, mas prevê a abertura de mais 24 pontos de atendimento neste ano, sendo dez no Paraná (três somente em Maringá) e 14 em São Paulo. Em decorrência desse plano de expansão, a instituição financeira cooperativa está com 105 vagas disponíveis, sendo que desse total 49 são destinadas à regional Maringá e Noroeste. Até o final do ano outras 106 novas oportunidades devem ser abertas.

Diversas áreas - De acordo com a coordenadora de Atração e Movimentação de Pessoas da Sicredi União PR/SP, Ariadyna Carvalho, as vagas são para diversas áreas, como gerente de agência, gerente de negócios, especialistas de áreas ou de produtos, cargos administrativos, estagiários, entre outros. “Até o final de março pretendemos contratar todos os colaboradores que atuarão nas agências que s erão abertas neste primeiro semestre”, afirma.

Colaboradores - Atualmente, a Sicredi União PR/SP conta com cerca de 1.050 colaboradores e a expectativa é chegar à 1.250 até o final de 2019. Ariadyna informa ainda que todos os profissionais contratados passam por trilha de treinamento para conhecer o funcionamento e o padrão de qualidade da instituição financeira cooperativa. O objetivo é torná-los aptos para prestar atendimento aos associados.

Site - Confira todas as vagas disponíveis no site da Sicredi União PR/SP (www.sicrediuniao.com.br). No campo Trabalhe Conosco, o interessado pode pesquisar por cidade e visualizar a descrição e os requisitos exigidos para cada uma das vagas. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

 

SICOOB UNICOOB: Planejamento Estratégico do sistema é apresentado ao Sicoob Sul

sicoob unicoo 20 02 2019Fazer um bom planejamento estratégico é fundamental para aumentar as chances do negócio. Estar alinhado a ele melhora ainda mais as possibilidades. Pensando nisso, o Sicoob Sul recebeu, no último sábado (16/02), o evento Pensar Inovação.

Participantes - Cerca de 70 colaboradores e dirigentes da cooperativa de Curitiba se reuniram para discutir insights de inovação e para conhecer um pouco mais sobre o planejamento estratégico e o propósito do sistema Sicoob Unicoob, ao qual são filiados.

União - Segundo o presidente do Conselho de Administração do Sicoob Unicoob, Jefferson Nogaroli, a união de todos contribuiu para o sucesso do evento. “Sabemos que juntos, o difícil fica fácil. Estivemos no evento para planejar o futuro. Afinal, quem quer encontra um caminho e o nosso é o da cooperação”, afirma.

Futuro - Para o diretor vice-presidente do Sicoob Sul, Allan Forti Rubira, além de discutir ideias inovadoras, o evento foi importante para levar aos colaboradores informações sobre os acontecimentos futuros da cooperativa. “Tratamos sobre como devemos fazer para que isso aconteça em prol dos cooperados”, complementa.

Integração e o comprometimento - “É de fundamental importância a participação dos colaboradores, para perceberem a integração e o comprometimento da família Sicoob”, reforça o diretor-presidente, Virgílio Moreira Filho.

BT Game - Durante o evento, os presentes também participaram de uma atividade que fez uso da gamificação para discutir os problemas, oportunidades, processos, clientes e outros componentes do modelo de negócio da cooperativa. No jogo, os colaboradores puderam entender melhor o negócio, identificar as possibilidades de inovação e propor soluções.

Agregação de conhecimento - Para o gerente de Relacionamento do Sicoob Sul, Diego de Araújo, o evento agregou muito conhecimento para o dia a dia. “Humanizar as relações financeiras é o futuro. Estamos indo na contramão de alguns bancos que querem migrar para o digital, mas acho que um bom atendimento é bem valorizado pelos cooperados”, comenta.

Próximas cooperativas - As próximas cooperativas a receberam o evento serão Sicoob Noroeste do Paraná, Sicoob Marechal e a Regional Amazônia. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

SICOOB MERIDIONAL: Colaboradores são preparados para o Conexão Sicoob em Toledo

sicoob meridional 20 02 2019Em outubro de 2018, o Sicoob Meridional levou o projeto Conexão Sicoob para a cidade de Bento Gonçalves (RS). Mais de 300 jovens universitários participaram dos eventos e puderam aprender mais sobre cooperativismo financeiro, capitalismo consciente, economia compartilhada e liderança.

Toledo - Com o sucesso da edição gaúcha, agora a cooperativa se prepara para, no mês de março, repetir a programação do projeto em Toledo (PR), sua cidade sede. A primeira iniciativa foi um workshop com colaboradores da Unidade Administrativa e das agências. Ao todo, 92 pessoas participaram do encontro, que aconteceu no dia 25 de janeiro, em Toledo (PR).

Especial - Para a gestora de Crédito, Débora Farina, o encontro foi muito especial e proporcionou o resgate do espírito cooperativista e da essência do sistema Sicoob. “Foi um momento para nos atualizarmos, sabermos o que está acontecendo mundo afora e quais novidades estão por vir. Além disso, os facilitadores repassaram o conteúdo de uma forma muito descontraída. Espero que possamos levar o cooperativismo para vários jovens da cidade com esse projeto maravilhoso”, afirma.

Sobre o Conexão Sicoob - Promovido pelo Sicoob Confederação, Bancoob e Eureca em parceria com o movimento Brasil Júnior, o Conexão Sicoob já passou por diversos estados do Brasil. Um dos principais objetivos é aproximar o Sicoob do público jovem e dos universitários que estão iniciando no mercado de trabalho com grandes ideias e sede de empreender.

Desafio - No Conexão, esse público é desafiado a encontrar soluções sustentáveis e inovadoras para os problemas propostos, tendo sempre como foco os conceitos de capitalismo consciente e economia compartilhada. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

SICOOB UNIDAS: Equipe do Escritório de Processos da Central é recebida em Belém

sicoob unidas 20 02 2019Entre os dias 4 e 8 de fevereiro, o Sicoob Unidas recebeu em Belém (PA) a equipe do Escritório de Processos. O time, que integra a Unidade de Gestão Estratégica (UGE), apoia na identificação e no mapeamento dos processos da Central, controladas e das cooperativas filiadas para proporcionar uma visão sistêmica.

Entrevistas - Segundo a analista de Processos, Fernanda Zanelato Mori, durante a visita, foram realizadas entrevistas com os colaboradores da Unidade Administrativa e das agências. “Os dados levantados nos ajudarão a identificar os processos desenvolvidos na cooperativa. A partir disso, a cooperativa irá priorizar os processos mais importantes e fará o mapeamento, com apoio do Escritório de Processos, com foco em melhoria e padronização”, explica Fernanda.

Resultados - Para a supervisora da Controladoria do Sicoob Unidas, Suelen Moraes, o mapeamento vai ajudar nos resultados e auxiliar nas atividades do dia a dia da cooperativa. “A demanda surgiu desde o ano passado, quando constatamos que os colaboradores tinham dificuldades no entendimento dos processos. Agora, nossa expectativa é bem grande em relação às melhorias”, explica. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

INSTITUTO SICOOB: Sicoob Transamazônica celebra dois anos de atividade do Instituto em Tucuruí (PA)

O Sicoob Transamazônica promoveu, na quarta-feira (13/02), um evento para celebrar os dois anos de desenvolvimento das atividades e ações do Instituto Sicoob na cidade de Tucuruí (PA). A cerimônia contou com a participação de cooperados, voluntários e do vice-presidente do Conselho de Administração (Consad), Jayr Seixas Gonçalves.

Roda de conversa - Durante o evento as voluntárias Queila Martins e Camila Mousinho promoveram, de forma lúdica e interativa, uma roda de conversa sobre inteligência financeira, com o objetivo de romper velhos conceitos e apresentar novas atitudes que podem fazer a diferença no dia a dia. “Sabemos que a desorganização financeira, os problemas com endividamento e a falta de planejamento são sinais de que muitas vezes é preciso parar tudo, analisar, diagnosticar e rever os próprios ideais de vida. Por isso, utilizamos esse tempo para dar algumas dicas para que se entenda qual é o propósito de cada ação e quais hábitos precisam ser mudados para que se atinja o objetivo”, destaca Queila.

Dinâmica - A cooperada Marlene Oliveira, uma das participantes do evento, relata que o momento de interação agregou muito conhecimento. “A palestra foi muito boa, principalmente para pessoas que não conseguem administrar seus recursos. Gostei muito da dinâmica apresentada, pois só fortaleceu a forma como eu lido com o meu dinheiro”, disse.

Perguntas e respostas - Os associados presentes também participaram de um momento de perguntas e respostas, tiraram dúvidas presenciais com as voluntárias e participaram de um café, que foi servido para finalizar as programações e promover a confraternização dos presentes.

Importância - A realização do evento só demonstra o quão importante é o papel desempenhado pelos Voluntários Transformadores, pois são eles que passam pelas capacitações, participam ativamente e contribuem com os programas, projetos e ações do Instituto Sicoob, valorizando a marca Sicoob, criando relacionamento com os cooperados e ajudando na construção de um mundo melhor. (Imprensa Instituto Sicoob) 

{vsig}2019/noticias/02/20/instituto_sicoob/{/vsig}

MAPA: Ministério e polícias vão tornar fiscalização do transporte de suínos, aves e bovinos mais rigorosa

mapa 20 02 2019Para intensificar a fiscalização em todo o país do transporte de cargas vivas de suínos, aves e bovinos e acidentes envolvendo animais soltos em rodovias, será debatida em seminário, quinta-feira (21/02), a Plataforma Unificada para Responder aos Acidentes de Trânsito Envolvendo Animais em Rodovias (Puraa). O evento ocorrerá no campus da USP de Pirassununga (SP). Desde 2017 o estado de São Paulo já vem reforçando a vigilância sobre essas cargas e acidentes, com a utilização da plataforma.

Bem-estar único - Agora, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), as polícias Rodoviária, Militar e Ambiental de São Paulo e concessionárias de rodovias, querem avançar na sua utilização com foco no bem-estar único, que engloba o bem-estar de humanos, animais e o meio ambiente, ampliando aos demais estados o seu funcionamento.

POP - No dia 21, serão lançados os Procedimentos Operacionais Padrão (POP) de atendimento de acidentes de trânsito envolvendo animais, bem como os de fiscalização de transporte de animais nas rodovias, por meio do Comando de Policiamento Rodoviário da Policia Militar paulista. Os novos protocolos de trânsito são inéditos no Brasil e seguem as normas nacionais de bem-estar e saúde animal. Os procedimentos serão aplicados pela PM em todo o estado de São Paulo, apoiando ações da Coordenadoria de Defesa Agropecuária da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, ainda neste ano, com suporte do Mapa e da USP.

Projetos em andamento - Outro objetivo do seminário é apresentar projetos em andamento na área de bem-estar e saúde animal, prevenção de acidentes e outros. A necessidade de se ter médicos veterinários à disposição, quando da ocorrência de incidentes envolvendo animais em rodovias, estará também na pauta dos debates.

Acidentes - Há dois anos, o grande número de acidentes rodoviários com animais nas rodovias paulistas motivou a criação da Puraa, desenvolvida pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) da USP, em parceria com a Policia Militar Rodoviária, a Concessionária Intervias, a Secretaria de Agricultura e Abastecimento e o Mapa. Naquele ano, somente no KM 207 da Rodovia Anhanguera, próximo ao Horto Florestal de Pirassununga, foram registrados 794 acionamentos da concessionária para retirada de capivaras da pista, ou seja, mais de dois por dia.

Média anual - A média anual de acidentes envolvendo animais, nos últimos quatro anos, no estado de São Paulo, é de 2.571 ocorrências. Em apenas 1.021 Km de rodovias que passam por Pirassununga e os municípios de Limeira e Casa Branca foram registrados 12,6% de todos os acidentes do estado envolvendo animais. “Os números de São Paulo e do país são assustadores”, alerta o capitão da Polícia Militar Rodoviária de SP, Marcelo Estevão.

Inspeção - Segundo o professor Adroaldo Zanella da FMVZ/USP, “com a Puraa, as cargas serão inspecionadas amplamente e será conhecida a verdadeira velocidade dos caminhões que transportam os animais, inclusive a maneira como dirigem, principalmente nas curvas”.

Discussão - O evento, aberto ao setor produtivo agropecuário, empresas transportadoras de cargas vivas, profissionais agropecuários, servidores públicos, polícias ambientais e rodoviárias estadual e federal, ministério público, concessionárias de rodovias e demais interessados, visa também discutir com as diferentes instituições a promoção de uma nova política pública integrada, que permita otimizar a fiscalização, o transporte dos animais e a segurança viária em geral.

Projetos em andamento - Outro objetivo do workshop é apresentar projetos que estão em andamento na área de bem-estar e saúde animal, prevenção de acidentes e modelo de comando de incidentes. A necessidade de se ter médicos veterinários à disposição dos poderes público e privado, quando da ocorrência de incidentes envolvendo animais em rodovias, estará também na pauta dos debates.

Transmissão ao vivo - A transmissão ao vivo será feita pelo link: https://www.youtube.com/watch?v=UFw_93mXtaU. (Mapa)

 

AGRISHOW 2019: Evento terá soluções variadas para atender demandas do campo

agrishow 20 02 2019As mais de 800 marcas nacionais e internacionais confirmadas para participar da Agrishow 2019 – 26ª Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação já estão preparando uma série de novidades para os mais de 150 mil visitantes qualificados esperados. São lançamentos em máquinas, equipamentos e implementos agrícolas, agricultura de precisão, irrigação, armazenagem, pecuária, sementes, corretivos, fertilizantes, defensivos agrícolas, insumos diversos, sacarias, embalagens, tecnologia em software e hardware, agricultura familiar, financiamento, seguro, peças, autopeças, pneus, válvulas, bombas, motores e transportes.

Ferramentas - Os visitantes poderão conhecer as ferramentas da Sensix, uma agrotech que oferece solução de monitoramento e imagem da produção agrícola, utilizando sensores embarcados em drones capazes de coletar imagens da lavoura. Uma dessas ferramentas é a plataforma FieldScan, que traz agilidade e facilidade na geração de indicadores agronômicos e permite uma rastreabilidade completa sobre o estado da safra. Com a metodologia da Sensix, também é possível identificar a variabilidade de vigor, densidade foliar e até anomalias de estado nutricional da plantação.

Máquinas e implementos - Na área de máquinas e implementos agrícolas, são esperados diversos lançamentos das mais importantes fabricantes do segmento. A Pinhalense Máquinas Agrícolas vai levar seu portfolio, com cerca de vinte equipamentos, das linhas mecanização e pós-colheita, com diversas soluções para produtores de culturas agrícolas, como café, feijão, cacau, pimenta, castanha e macadâmia. Já a São José Industrial mostrará seus implementos agrícolas, como a linha Ripper de escarificadores, que proporciona um aumento de produtividade em até 30%. Com modelos de 7 a 15 hastes, possui cabeçalho frontal compacto, robusto e com regulagem de altura, garantindo firmeza, ângulo e ajuste necessário para calibragem completa do equipamento no campo e facilitando a sua manobra durante a operação.

Insumos - Em insumos, a Aqua do Brasil vai apresentar sua tecnologia de fertilizantes para os produtores brasileiros, como a linha Química Verde, composta por produtos de origem natural e com certificação orgânica, a linha Carrier de fertilizantes especiais complexados, além de adjuvantes para diferentes tipos de aplicação, ácidos húmicos com alta solubilidade e carbono orgânico.

Peças - No segmento de peças, a Fundição Batatais vai destacar sua linha de peças de reposição para preparação do solo, plantio e colheita. São ponteiras de sulcadores, engrenagens, facões e coletores de escape, que atendem às necessidades e demandas do produtor, como a otimização de recursos, utilizando produtos duráveis que unem qualidade e produtividade.

Filmes plásticos - Por fim, a Agrolord, empresa brasileira que traz soluções em filmes plásticos agrícolas para o produtor rural, traz como principal novidade o Agrolord Agrotube, uma bolsa tubular para o armazenamento de grãos secos, como milho, trigo, soja e arroz, bem como girassol, aveia, forragens e insumos derivados de culturas agrícolas. A principal vantagem é seu baixo custo de investimento inicial, o que resulta também em menor custo por tonelada armazenada.

Data - Principal feira do setor na América Latina, a 26ª Agrishow será promovida de 29 de abril a 3 de maio. Os ingressos já estão à venda. Para adquirir o ticket, acesse este link e siga as informações e instruções para a compra online. O evento é uma iniciativa das principais entidades do agronegócio no país: Abag – Associação Brasileira do Agronegócio, Abimaq – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos, Anda – Associação Nacional para Difusão de Adubos, Faesp – Federação da Agricultura e da Pecuária do Estado de São Paulo e SRB - Sociedade Rural Brasileira, e é organizado pela Informa Exhibitions, integrante do Grupo Informa, um dos maiores promotores de feiras, conferências e treinamento do mundo com capital aberto. (Assessoria de Imprensa do evento)

SERVIÇO

AGRISHOW 2019 – 26ª Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação

Data: 29 de abril a 3 de maio de 2019

Local: Rodovia Antônio Duarte Nogueira, Km 321 - Ribeirão Preto (SP)

Horário: das 8h às 18h

www.agrishow.com.br

 

AVESUI: Inscrições para Premiação de Trabalhos Científicos estão abertas

avesu 20 02 2019Com o objetivo de fomentar e compartilhar conhecimento, a AveSui EuroTier South America declara abertas as inscrições para trabalhos científicos. Os trabalhos farão parte de uma premiação do Instituto Oswaldo Gessulli apresentado durante o XVIII Seminário Técnico Científico de Aves e Suínos e o IV Congresso de Zootecnia de Precisão para pesquisadores, estudantes e profissionais do setor.

Áreas - As áreas serão divididas em: ambiência, sanidade, manejo, nutrição de suínos e aves, processamento de carnes e zootecnia de precisão. O material poderá ser enviado através do link até a meia noite do dia 31 de maio. Resumos enviados após este prazo não serão aceitos pela Comissão. Cada inscrição dará direito ao envio de até DOIS resumos, sendo que cada resumo poderá ter até cinco co-autores.

Regulamento - O regulamento completo para a inscrição dos trabalhos científicos está disponível na página Regulamento do site da AveSui  EuroTier South America

Informações - Outras informações sobre a AveSui EuroTier South America entre em contato conosco por meio do telefone (11) 4013-1277 ou e-mail: gessulli@gessulli.com.br. (Assessoria de Imprensa do evento)

 

ABIA: Indústria de alimentos fecha 2018 com crescimento e geração de empregos

abia 20 02 2019Em coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira (13/02) foi divulgado o balanço econômico de 2018 e as perspectivas da indústria brasileira de alimentos para 2019. O evento, promovido pela ABIA (Associação Brasileira da Indústria de Alimentos), contou com a participação de João Dornellas, presidente-executivo da associação; e Wilson Mello, presidente do Conselho Diretor.

Faturamento - Os números apresentados registraram que o setor teve um crescimento no faturamento da ordem de 2,08%, alcançando R$ 656 bilhões, somadas as exportações e as vendas para o mercado interno, o que representa 9,6% do PIB, de acordo com pesquisa conjuntural realizada pela ABIA.

Empregador - “O setor de alimentos é o maior empregador dentro da indústria brasileira. Qualquer crescimento na indústria de alimentos é bastante significativo e a qualidade do emprego gerado é muito importante. Ano passado, houve aumento de 0,21% dos salários dentro da indústria da alimentação”, afirma João Dornellas, presidente executivo da ABIA.

Novo momento - “Estamos em um novo momento da ABIA. A associação carrega uma herança muito forte e sólida em mais de 55 anos de existência, e está antenada com o futuro e as novas tendências. Esse crescimento do setor representa também uma recuperação da economia brasileira e estamos otimistas com 2019”, ressalta Wilson Mello, presidente do Conselho Diretor da ABIA.

Empregos e desempenho - A indústria de alimentos gerou 13 mil novos postos de trabalho em 2018. O total de investimentos em ativos e fusões e aquisições alcançou R$ 21,4 bilhões, registrando um aumento de 13,4%, contra R$ 18,9 bilhões registrados em 2017.

Vendas - O bom desempenho do consumo no mercado interno se manteve e absorve cerca de 80% das vendas da indústria. O crescimento foi de 4.3%, somando-se o crescimento das vendas no varejo e no segmento de alimentação fora do lar (food service).

Exportações de Alimentos Industrializados - O Brasil é o segundo maior exportador de alimentos industrializados do mundo. O setor exportou para mais de 180 países, o que representou 19,3% do volume total de vendas.

Destaque - O destaque significativo ficou para a China, que além de ser o principal importador do Brasil, registrou um aumento de 37,6% em relação a 2017. A Holanda apresentou crescimento de 4%, seguido dos Estados Unidos que apresentou crescimento de 3%.

Exportações - No ano, as exportações apresentaram uma queda na ordem de 9,8%, fechando 2018 em US$ 35,1 bilhões de alimentos industrializados contra US$ 38,9 bilhões registrados em 2017.

Perspectivas para 2019 - Com a previsão de implementação das reformas previdenciária e tributária, que resultem em maior estímulo ao empreendedorismo e à produtividade, a expectativa é de recuperação em todos os setores da economia.

Aumento - A indústria brasileira de alimentos trabalha com a perspectiva de aumento de 2,5% a 3% da produção física (volume), de 3% a 4% das vendas reais e cerca de US$ 40 bilhões nas exportações. Como consequência da expectativa positiva, empregos (diretos e formais) podem crescer entre 2% e 3%.

Números do setor de alimentos - O setor da indústria de alimentação é o que mais emprega no país. Formado por 35,7 mil empresas, é responsável por 1,61 milhão de empregos diretos, respondendo por 26,8% dos empregos da indústria de transformação. Investe cerca de 3% do faturamento anual em P&D (Pesquisa e Desenvolvimento), novas plantas, novos produtos e marketing.

Alimentos processados - Representa ainda, em alimentos processados, 50% das exportações do agronegócio de alimentos e 18% das exportações totais brasileiras.

Mais - Quer saber mais sobre o desempenho econômico da indústria de alimentos em 2018? Clique aqui.

Nova logomarca em 2019 - Durante a coletiva de imprensa foi apresentada a nova identidade visual da instituição. “A ABIA possui agora uma nova estrutura administrativa, visual e, em breve, mudaremos de sede. Começamos uma nova jornada da instituição e a nova identidade visual faz parte desse processo”, destaca Wilson Mello, presidente do Conselho Diretor da ABIA. (Assessoria de Imprensa da ABIA)

 

COMÉRCIO EXTERIOR: Exportações para a China devem crescer menos neste ano

comercio exterior 20 02 2019As exportações do Brasil para a China, principal mercado consumidor de produtos brasileiros, devem continuar crescendo neste ano, mas em ritmo menor do que o registrado em 2018. A avaliação é do Informe do Índice de Comércio Exterior (Icomex) de janeiro da Fundação Getulio Vargas (FGV).

Guerra comercial - De acordo com o estudo, a guerra comercial dos Estados Unidos (EUA) e da China beneficiou bastante o comércio brasileiro com os chineses, em especial no caso da soja. Em 2018, as vendas do produto agrícola para o país asiático cresceram 35%, e a China passou a ser o destino de 82% do total das vendas de soja do Brasil.

Retomada - No entanto, a China deve voltar a comprar soja dos Estados Unidos, operação que estava suspensa devido aos conflitos comerciais entre os dois países. Isso deve prejudicar o produto brasileiro, que já deve registrar menor colheita do produto neste ano.

Carne de frango - Outro produto que deve sofrer em 2019 é a carne de frango. Segundo a FGV, a China estabeleceu uma taxa sobre as importações oriundas do Brasil. “A China continuará como o principal mercado para o Brasil, porém o valor exportado deve crescer, mas menos do que em 2018”, diz o informe da FGV.

Automóveis - O setor exportador brasileiro também deve sentir em outra frente, as exportações de automóveis para a Argentina. Para a FGV, a economia argentina deve recuar este ano, causando impacto na compra de veículos produzidos no país. Como nosso vizinho é o principal comprador desse produto brasileiro, espera-se que haja um recuo no volume exportado de bens duráveis, categoria que tem no setor automotivo seu principal componente.

Queda - Em janeiro deste ano, por exemplo, houve queda de 45% no volume de bens duráveis exportado, na comparação com o mesmo período do ano passado.

Saldo - De acordo com a FGV, em janeiro deste ano, o saldo da balança comercial ficou positivo em US$ 2,2 bilhões. Em volume, as exportações cresceram 14,6% e as importações, 11,2%. Em valor, os crescimentos foram de 9,1% e 15,4%, respectivamente.

Janeiro - Em janeiro deste ano, a China liderou entre os destinos das exportações brasileiras, com um aumento da participação em relação a janeiro de 2018, de 18,3% para 20,9% da fatia do mercado. Já a Argentina perdeu participação, ao cair de 7,1% para 3,7%, indo para a quinta posição na lista dos principais mercados de destino das vendas brasileiras para o exterior. (Agência Brasil)

 

SAÚDE: Primeiro caso autóctone de dengue é confirmado na RMC

saude 20 02 2019O boletim epidemiológico da dengue divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde nesta terça-feira (19/02) aponta o primeiro caso autóctone de dengue – contraído na própria cidade – na Região Metropolitana de Curitiba, no município de São José dos Pinhais. A secretaria alerta que toda a população deve colaborar para combater os criadouros.

Espalhada - O boletim mostra também que a doença está se espalhando pelo Estado, especialmente nas regiões de Londrina e Maringá.

Casos registrados- No Paraná, já são 346 casos autóctones de dengue, registrados em 63 municípios. Entretanto, há notificações, ainda em investigação, em 275 dos 399 municípios paranaenses. Há uma semana eram 268 municípios com casos suspeitos.

Novos - Os novos casos autóctones estão também em Realeza, São Jorge do Oeste, Moreira Salles, Nova Cantu, Umuarama, Cianorte e Florestópolis. Os municípios que estão em situação de epidemia continuam os mesmos: Uraí e Lupionópolis. Somado aos casos importados, o Paraná registra 391 casos da doença.

Colaboração - “Precisamos cada vez mais da colaboração da população, já que os criadouros de mosquitos estão, em na maioria, nas propriedades particulares”, diz a médica veterinária Ivana Belmonte, da Superintendência de Vigilância em Saúde. Ela lembra que as larvas do mosquito podem estar em qualquer tipo de água parada, das maiores às mais insignificantes.

Limpeza - É preciso que os quintais sejam limpos todas as semanas para evitar acúmulo de lixo que possa juntar água. Vasos de plantas também podem conter ovos ou larvas de mosquitos.

Recomendações- “As recomendações são as mesmas e dependem da boa vontade das pessoas individualmente”, destaca Ivana. Ela lembra que ainda estamos longe do final do verão, estação em que os mosquitos se manifestam com mais intensidade. (Agência de Notícias do Paraná)

 

ARTIGO: Como usar o FGTS para acelerar a compra da casa própria pelo consórcio imobiliário

artigo 20 02 2019*Por Jocimar Martins

Começar a guardar dinheiro para realizar o sonho da casa própria. Muito provavelmente, esta frase consta na lista de metas deste ano de milhares de brasileiros. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), quase 32% da população do país não têm casa própria quitada e a maioria vive em imóveis alugados.

Neste cenário, os consórcios têm sido uma boa alternativa para encurtar o caminho para o tão sonhado “lar doce lar”, pois, muitas vezes, acabam sendo mais vantajosos que os financiamentos. A questão é que o tempo de espera para ser contemplado – que depende da quantidade de parcelas pagas, além de uma dose de sorte, no caso de ser sorteado logo nos primeiros meses de contribuição – pode ser um “porém” para os participantes mais ansiosos.

Muita gente não sabe, mas no caso dos consórcios imobiliários, se esperar muito pelo sorteio não estiver nos seus planos, é possível deixar o processo de aquisição da casa própria ainda mais rápido com o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), aquele valor equivalente a 8% do salário que os empregadores depositam todo mês na conta de cada empregado, em uma conta aberta na Caixa Econômica Federal (CEF). Desde 2009, é possível utilizar até 100% do FGTS como lance para que o valor do consórcio imobiliário seja antecipado, abreviando a espera.

Outra possibilidade é usar o FGTS para diminuir em até 80% o valor das parcelas ou liquidar a dívida do consórcio. Ainda assim, uma terceira opção pode ser mais vantajosa: muitos participantes de consórcios imobiliários usam uma parte do Fundo de Garantia como oferta de lance, acelerando a contemplação do consórcio, e a outra parte para redução das prestações seguintes.

No final de 2018, o Conselho Monetário Nacional, órgão que controla o sistema financeiro no Brasil, tomou uma medida que pode beneficiar ainda mais os participantes de consórcios para moradias novas ou usadas. O limite para utilização de recursos do FGTS para compra de imóveis por meio de consórcios passou a ser de até R$ 1,5 milhão em qualquer unidade federativa – até então, o teto era de R$ 950 mil em Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Distrito Federal, e de R$ 800 mil nos demais estados.

Embora ainda não seja do conhecimento de muitas pessoas, esses benefícios estão ajudando a movimentar o setor de consórcios imobiliários. A Administradora de Consórcios do Sicredi – ligada à instituição financeira cooperativa que possui mais de 4 milhões de associados e atua em 22 estados brasileiros e Distrito Federal –, além de ser a sexta maior administradora do Brasil, registrou crescimento de 85% na utilização do FGTS entre 2017 e 2018, sendo a maior parte para aquisição do imóvel via consórcio, seguida pela amortização das parcelas do próprio consórcio imobiliário.

O crescimento constado pelo Sicredi engrossa os dados da Associação Brasileira de Consórcios (ABAC). Segundo a entidade, entre 2010 e 2018, aproximadamente 30 mil participantes de consórcios sacaram cerca de R$ 840 milhões do FGTS para complementar o valor do crédito, ofertar lance ou reduzir parcelas – o aumento tem relação com a alteração das regras para saque do Fundo de Garantia, em 2002, que passou a permitir que o dinheiro também seja utilizado para oferta de lance e não somente para complementar carta de crédito, como era anteriormente. Ainda de acordo com a ABAC, o segmento de consórcios imobiliários cresceu 5,8% em participantes ativos, considerando janeiro a novembro de 2018, em relação ao mesmo período de 2017. Além disso, nos três primeiros trimestres do ano passado, representou 27,5% dos imóveis financiados no país.

Os consórcios para compra de imóveis têm caído no gosto popular porque não possuem juros, como nos financiamentos, e também porque são uma alternativa para fugir da burocracia da liberação de crédito. Mas, mesmo com essas vantagens, é preciso analisar muito bem a administradora que oferece o produto.

É importante considerar, por exemplo, a velocidade do fechamento dos grupos de participantes e, principalmente, a saúde financeira desses grupos, que influencia na disponibilização do crédito ao participante. Outro ponto decisivo são as taxas de administração, cobradas pela administradora como remuneração, a fim de garantir que todos os consorciados recebam o bem contemplado. A título de comparação, no Sicredi as taxas são, em média, 20% mais baixas que as praticadas pelo mercado, atualmente. Além disso, em 2018, a instituição financeira cooperativa disponibilizou 21% a mais em créditos que em 2017, contra 3,9% de crescimento do mercado no mesmo período.

Também vale ressaltar que os consórcios não são produtos para consumidores imediatistas, que precisam do bem ou serviço assim que adquirem uma cota. Caso o participante não possa dar um lance ou contar com recursos do FGTS, por exemplo, pode levar um tempo para que seja contemplado. E não podemos deixar de destacar que, além de ajudar a adquirir bens com custo reduzido, os consórcios são uma boa alternativa para desenvolver o hábito de poupar, pois exigem disciplina, programação e planejamento. Em 2019, ao tentar viabilizar o sonho da casa própria, não deixe de considerar esta opção.

*Jocimar Martins é gerente da Administradora de Consórcios do Sicredi

 


Versão para impressão


RODAPE