Imprimir
CABECALHO

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4512 | 08 de Fevereiro de 2019

ENERGIA ELÉTRICA I: Presidente da Copel recebe propostas das cooperativas paranaenses

Durante evento realizado no estande da Itaipu, no Show Rural Coopavel, em Cascavel (PR), no final da tarde desta quinta-feira (07/02), o presidente da Copel, Daniel Pimentel Slaviero, recebeu do presidente da Copagril e diretor da Ocepar, Ricardo Chapla, um ofício com várias propostas para contribuir com a melhoria na rede de distribuição de energia elétrica e solucionar os diversos entraves enfrentados pelo setor produtivo. Participaram ainda da entrega do documento, os presidentes das cooperativas, Lar, Irineo da Costa Rodrigues, Copacol, Valter Pitol, Frimesa, Valter Vanzella, Primato, Ilmo Welter, C.Vale, Alfredo Lang, e o diretor executivo da Frimesa, Elias Zydek, que é vice-presidente do Programa Oeste em Desenvolvimento.

Entraves - No documento assinado pelo presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken e entregue ao presidente da Copel, são colocados alguns dos principais entraves que as cooperativas enfretam:

1. Falta de investimento na expansão e modernização das redes. Ainda hoje existem linhas de distribuição monofásicas que não comportam a demanda nas propriedades rurais, devido ao aumento de tecnologia nas atividades pecuárias e a presença de pequenas agroindústrias.

2. Linhas de transmissão. Ainda são muitas as linhas de transmissão com 69 kv. Essa tensão não suporta a carga atual do sistema, sendo necessária a construção de novas linhas com tensão de, ao menos, 138 kv. Como exemplo, de Campo Mourão a Palotina passando por Goioerê - Assis Chateaubriand – Toledo.

3. Afundamentos e oscilação de tensão. Os constantes afundamentos de energia têm resultado em perda de equipamentos, elevados gastos com geradores à diesel e tempo ocioso de desligamento e religamento das máquinas nas indústrias. As oscilações que ocorrem nas propriedades rurais muitas vezes danificam os geradores e põem em risco lotes inteiros de suínos e frangos, trazendo prejuízo ao produtor, ao integrador, ao meio ambiente, devido à necessidade de dar uma destinação adequada às carcaças e, por fim, à população em geral.

4. Manutenção das redes. A demora na realização de manutenção e reparos das redes de distribuição e transmissão, sobretudo nas áreas rurais, ocasiona diversas perdas ao setor produtivo, também expondo lotes inteiros ao risco.

Propostas - As cooperativas apresentaram cinco principais propostas à Copel:

1. Instalar novas linhas de transmissão, troca de cabos e transformadores.

2. Revisar o modelo de manutenção do sistema pela Copel.

3. Criar programa de parcerias para geração de energias renováveis, explorando potenciais de geração em Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs), parques eólicos, centrais de geração fotovoltaica, biomassa e biodigestores.

4. Incentivar a geração distribuída para aumentar a oferta de energia junto à carga, melhorando a qualidade da energia oferecida.

Decreto Federal - Outro assunto que preocupa os dirigentes cooperativistas é relacionado ao Decreto 9.642, assinado pelo presidente Michel Temer, no dia 28 de dezembro de 2018, que retira gradualmente os subsídios na energia elétrica para os agricultores. Segundo o presidente da Lar, Irineo da Costa Rodrigues "o decreto prevê prazo de cinco anos para que os benefícios do setor elétrico deixarão de existir. Sem este desconto será a falência dos produtores e cooperativas". O secretário estadual da Agricultura, Norberto Ortigara, que também participou da reunião com a diretoria da Copel, afirmou que o setor precisa se mobilizar para reverter os reflexos nefastos deste decreto presidencial.

Alimentos - "Num curto prazo de tempo os custos para produção irão aumentar em 20% trazendo reflexos também nos preços dos alimentos", lembrou. A medida adotada, além de impactar diretamente produtores de aves e suínos, prevê ainda a eliminação de descontos tarifários acumulados concedidos a irrigação e aquicultura, que permitia que um mesmo consumidor tivesse acesso aos dois subsídios ao mesmo tempo. Desta forma, a atividade de irrigação no horário entre 21h30 e 06h00 da manhã passa a ter desconto sobre a tarifa B1 que é a mesma tarifa usada para calcular o desconto para os consumidores rurais. Antes do decreto de Temer, os produtores tinham um desconto aproximado de R$ 150,00 a cada 1000 kWh consumidos. Se levarmos em consideração que uma pequena propriedade tenha este consumo mensal (1000 kWh), em 12 meses a conta de energia aumentará cerca de R$ 1,8 mil, despesa extra que sairá do bolso dos produtores.

Avaliação positiva - Ao final, o presidente da Copel avaliou positivamente o evento. “Esse encontro foi muito produtivo porque nós nos reunimos com as lideranças do Oeste e Sudoeste, representantes da Ocepar e de algumas das principais e maiores cooperativas do nosso Estado. Eles mostraram a angústia que têm em relação à necessidade do fornecimento de uma energia de qualidade e estável, apontaram os pontos críticos e como isso está afetando os investimentos. Dessa forma, nós apresentamos o nosso planejamento estratégico. Em 2019, faremos o maior investimento da nossa história em distribuição. Serão R$ 835 milhões, grande parte desse valor no Oeste e Sudoeste, e nós sabemos que temos espaço para melhorar e do papel que temos para contribuir com o desenvolvimento dessas regiões”, afirmou Slavieiro.

Decreto - Em relação ao Decreto 9.642, do governo federal, ele disse que a situação é preocupante e apoia a mobilização do setor. “Esse é um assunto que nós já estávamos cientes e nos preocupa muito mas hoje, pelo depoimento da Ocepar, nós vimos o tamanho do impacto que isso trará para as cooperativas e, em especial para o pequeno produtor, que terá sua conta aumentada, em média, em 42%. É um assunto que não está na esfera da Copel, nem do governo estadual, mas na esfera federal. Então, iremos juntos com outros estados ponderar isso com o presidente Bolsonaro e com a Casa Civil, para mostrar os impactos que isso trará. Isso não faz bem para a economia do Paraná e, certamente, não fará bem para os outros estados em que a produção agrícola é tão forte e pujante e tão representativa no PIB”, acrescentou.

Clique aqui para conferir na íntegra o documento entregue pelas cooperativas ao presidente da Copel 

{vsig}2019/noticias/02/08/copel/{/vsig}

ENERGIA ELÉTRICA II: Sancionada a lei que mantém a Tarifa Rural Noturna

energia eletrica II 08 02 2019O presidente da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), Ademar Traiano, sancionou, nesta quinta-feira (07/02), a Lei nº 19.812/2019, que assegura a continuidade da Tarifa Rural Noturna. Foi durante o Show Rural Coopavel, em Cascavel (PR). “Essa lei resulta de uma demanda das cooperativas paranaenses e da Ocepar que, desde o final de 2018, vinham discutindo o assunto com a Assembleia Legislativa e Governo Estadual, para que o setor de carnes e a irrigação noturna não fossem prejudicados com o fim do programa”, afirma o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken.

Decreto – Presente ao Show Rural, o governador Ratinho Jr afirmou, também nesta quinta-feira, que irá editar um decreto para regulamentar a nova legislação, reconhecendo a importância da medida para o setor produtivo. O programa beneficia aproximadamente 12.000 produtores com a redução de 60% do valor da tarifa no período noturno para os agricultores que utilizam energia elétrica entre 21h30 e 6h ou entre 22h e 7h durante o horário de verão. A energia elétrica tem um impacto significativo nos custos de produção de diversas atividades, principalmente de avicultura, piscicultura, suinocultura e pecuária de leite, entre outras.

Legislação - A Lei 19.812, de autoria do deputado estadual Márcio Nunes, que tem por base o Projeto de Lei (PL) 547/2018, autoriza o poder Executivo a efetuar o pagamento às concessionárias de energia referente ao subsídio do programa. A Tarifa Rural Noturna foi criada em 2007 por meio de um Termo de Cooperação Técnica entre a Secretaria Estadual de Agricultura (Seab) e Companhia Paranaense de Energia (Copel).

Remanejamento - Para este ano, como não estava previsto no orçamento estadual, o governo irá realizar um remanejamento dentro da previsão orçamentária para repassar à Copel. Nos próximos anos, a legislação prevê o uso do crédito do ICMS para ressarcir a empresa de energia elétrica.

Desembolso - De acordo com cálculo que faz parte do Projeto de Lei, em 2019, caso o desconto fosse interrompido, os produtores teriam que desembolsar R$ 36,7 milhões a mais para quitar suas contas de luz. Trata-se de um valor alto para os produtores rurais, mas que representa somente 2,36% do orçamento da Copel previsto para este ano, de acordo com a Lei Orçamentária Anual 2019 do Paraná, que destina em torno de R$ 1,5 bilhão à companhia para investimentos.

 

CRÉDITO RURAL: Paraná solicita à ministra da Agricultura mais R$ 7 bilhões para linhas de investimento

credito rural destaque 08 02 2019O setor produtivo paranaense está reivindicando R$ 7 bilhões de recursos suplementares para linhas de investimento contempladas pelo Plano Agrícola e Pecuário (PAP) da safra 2018/19, que encerra no dia 30 de junho. Um documento com a demanda, assinado pelo Sindicato e Organização das Cooperativas Paranaenses do Estado do Paraná (Ocepar), Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep) e Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento do Estado do Paraná (Seab), será entregue pelo secretário da Agricultura Paraná, Norberto Ortigara, à ministra da Agricultura, Tereza Cristina, nesta sexta-feira (08/02), durante sua visita ao Show Rural Coopavel, em Cascavel, Oeste do Estado.

Esgotamento – No ofício, as entidades paranaenses lembram que, devido ao crescimento na captação de recursos, várias linhas já estão com os recursos esgotados ou próximos de acabar. Desta forma, elas apontam a necessidade de um valor suplementar para atender aos seguintes programas: ABC (Agricultura de Baixo Carbono), Moderagro (Modernização da Agricultura e Conservação de Recursos Naturais), PCA (Construção e Ampliação de Armazéns), Pronamp (Programa Nacional de Apoio do Médio Produtor), Inovagro (Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção Agropecuária), Moderfrota (Modernização de Frota de Tratores Agrícolas, Implementos Associados e Colheitadeiras), Prodecoop (Desenvolvimento Cooperativo para a Agregação De Valor À Produção Agropecuária) e Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar).

Clique aqui para conferir na íntegra o conteúdo do ofício que será entregue à ministra da Agricultura

 

SHOW RURAL: Sistema Ocepar traz mais de 8 mil lideranças para visitar o evento

Neste ano, 178 ônibus patrocinados pelo Sescoop/PR trouxeram cerca de 8 mil produtores que acompanharam grupos de homens e mulheres que visitaram o Show Rural Coopavel e passaram pelo estande do Sistema Ocepar nesses cinco dias de evento. Durante toda semana, milhares de cooperativistas tiveram a oportunidade de conhecer o trabalho realizado pelas três entidades que integram o sistema: Fecoopar, Ocepar e Sescoop/PR. Os visitantes foram recebidos no estande pelo coordenador de Comunicação Social, Samuel Milléo Filho, pelo analista do Sescoop/PR, Rodolfo Bonetti, e pelo analista técnico da Ocepar, Jhony Moller, que contaram com o apoio da recepcionista Diesika Fernanda Peretti Bastos. Com uma área de 120 metros quadrados, o estande recebeu diversas lideranças do setor cooperativista e autoridades. “Este é o décimo nono ano em que participamos do Show Rural. Considero que foi um dos melhores anos pelo número expressivo de visitantes. Evento que nos enche de orgulho de pertencer a um sistema que reúne tantas pessoas e que ajudam a desenvolver o Brasil som seu trabalho”, frisou Milléo.

{vsig}2019/noticias/02/08/show_rural_estande/{/vsig}

SHOW RURAL: Ricken e Nobile prestigiam evento em Cascavel

O presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, e o superintendente da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Renato Nobile, estiveram na terça-feira (05/02), em Cascavel (PR), para participar do Show Rural Coopavel. Durante suas passagens pelo evento, mantiveram contatos com o presidente da Coopavel, Dilvo Grolli, com o vice-governador Darci Piana, com o secretário da Agricultura, Norberto Ortigara, lideranças cooperativistas, de empresas e do governo. Para Renato Nobile, que participou pela primeira vez do Show Rural, foi uma experiência única.

Maravilhado - “Só conhecia o evento por vídeo e fotos. Confesso que fiquei maravilhado com tudo que vi e vivi aqui neste dia. Tudo muito bem pensado para receber milhares de pessoas, desde as mostras de novas variedades, equipamentos, todas as ruas asfaltadas e cobertas, para dar comodidade aos visitantes. Realmente um evento que nos deixa muito orgulhoso de sermos cooperativistas. A Coopavel está de parabéns pela organização desta que é, sem dúvida, a maior feira do agronegócio brasileiro”, frisou o dirigente. O superintendente ainda destacou o estande do Sistema Ocepar que, com toda uma infraestrutura para atender os cooperados, também divulgou o movimento SomosCoop. Ricken e Nobile ainda visitaram os estandes do Sicoob, Sicredi e Unimed.

{vsig}2019/noticias/02/08/show_rural_Ricken/{/vsig}

SHOW RURAL: Parceria entre Sesi e Sescoop/PR no Programa Cuide-se Mais orienta sobre saúde

Durante os cinco dias do Show Rural Coopavel, profissionais da área de enfermagem e nutrição do Sesi/PR realizaram centenas de atendimentos no estande do Sistema Ocepar. Foram repassadas orientações sobre alimentação saudável e prevenção de câncer de pele e mama por meio do Programa Cuide-se Mais. Os diversos grupos de homens e mulheres das cooperativas paranaenses que visitaram a Casa do Cooperativismo no Show Rural foram atendidas pelas enfermeiras Francislaine Men e Beatriz Bassi e pela nutricionista Ana Paula Cerotti.

O Programa - O Programa Cuide-se Mais do Sesi no Paraná busca levar hábitos saudáveis para o trabalhador da indústria por meio da prevenção e da educação em oito eixos: Prevenção ao Uso de Álcool e Outras Drogas, Alimentação Saudável, Prevenção do Câncer, Prevenção de Acidentes de Trabalho, Saúde Mental, Prevenção de Doenças Sexualmente Transmissíveis, Prevenção de Doenças Crônicas e Estímulo a Atividades Físicas. O Cuide-se+ oferece consultoria para as indústrias, que podem solicitar um atendimento mais específico para a sua realidade. Porque quando a indústria investe nas pessoas, estabelece uma relação de respeito e valorização, que resulta em engajamento.

{vsig}2019/noticias/02/08/show_rural_sesi/{/vsig}

TRATOR SOLIDÁRIO: Governo quer ampliar programa que facilita compra de tratores

trator solidario 08 02 2019O governador Carlos Massa Ratinho Júnior entregou nesta quinta-feira (07/02), durante o Show Rural, em Cascavel, três tratores agrícolas para produtores do município de Catanduvas. O investimento é de R$ 297,3 mil, financiado através do programa Trator Solidário, da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (Seab). O programa facilita a compra de equipamentos a preços mais acessíveis aos agricultores.

Ampliação - A expectativa do governo, disse Ratinho Junior, é ampliar os atendimentos nos próximos quatro anos. “O programa já existe, mas pretendemos facilitar ainda mais a aquisição desse maquinário. Queremos ampliar o projeto para atender em especial a agricultura familiar do Paraná”, explicou o governador.

Objetivo - O Paraná entrega em média 600 tratores todos os anos, mas o objetivo é chegar a 1000. “Estamos reorganizando os contratos com as empresas fornecedoras para atender da melhor forma possível e em maior quantidade”, completou o governador.

Show Rural - Além das três unidades entregues pelo governador, um trator foi repassado a um produtor de Quedas do Iguaçu na terça-feira (04/02), também durante o Show Rural.

Novo edital - Tramitam na Secretaria 346 pedidos de tratores para este ano, que devem ser entregues ainda no primeiro semestre, segundo o técnico responsável pelo programa, João Arthur Hackenberg. Também será lançado um novo edital nos próximos dias para atender a demanda entre 800 e 1000 equipamentos projetada pelo governador até dezembro de 2019. Serão adquiridos tratores, pulverizadores e colhedoras.

Mecanismo importante - “Entendemos que o programa tem se destacado como importante mecanismo para a estabilidade e crescimento da renda agropecuária, e como indutor do uso de tecnologias adequadas na pequena propriedade familiar”, disse o chefe do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria da Agricultura, Salatiel Turra. “Ele promove a diversificação, aumenta a produtividade e a renda”, afirmou.

Emancipação – Para o presidente da Coopavel, Dilvo Grolli, as máquinas agrícolas possibilitaram a emancipação do pequeno agricultor. “O Paraná tem 380 mil propriedades rurais, 80% de pequenos agricultores. Até os anos 1970 e 1980 essas famílias eram expulsas do Paraná por questões econômicas”, afirmou.

Sonho - Já Geraldo Marafon, produtor de soja de Catanduvas, disse que realizou um sonho. “Era uma espera de anos. Foi a única chance de ter um trator novo”, comentou.

Mais barato - Segundo o Deral, estima-se que o agricultor paga 15% a menos do que os preços praticados no mercado. A resolução nº 11/2019, publicada nesta semana, fixa novos preços máximos de tratores, pulverizadores e colhedora de grãos financiáveis pelo programa para os próximos 12 meses.

Valores - Agora, através do Trator Solidário, um trator agrícola com 55 CV de potência sem cabine é vendido por R$ 71.380,00; um trator agrícola com 55 CV de potência e com cabine, por R$ 85.801,00; um trator agrícola estreito com 55 CV de potência, por R$ 71.380,00; um trator agrícola com 75 CV de potência, por R$ 90.988,00; e um trator agrícola com 75 CV de potência e com cabine, por R$ 108.730,00.

Investimentos - De 2007 até 2018, o programa Trator Solidário destinou R$ 703,5 milhões em 11.536 tratores em todo o Estado. Desde total, apenas no Núcleo Regional de Cascavel, no mesmo período, foram R$ 57,5 milhões investidos pelo programa (7,83%). Desde 2015, quando o programa passou a incluir colhedoras, foram R$ 55 milhões em todo estado, sendo R$ 9,2 milhões na região de Cascavel (15,93%).

Programa - O Trator Solidário financia tratores com capacidades que variam de 55 CV a 75 CV de potência. Em 2015, o programa foi ampliado e possibilitou a aquisição de colhedoras de grãos. O Estado é responsável pelo processo de negociação e formação de preços dos tratores e implementos com os fabricantes. Participam várias instituições, como Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, o Instituto Emater, Fomento Paraná, Agentes Financeiros Oficiais, Cooperativas de Crédito e fabricantes de implementos, equipamentos, tratores e máquinas agrícolas. (Agência de Notícias do Paraná)

 

AGRICULTURA: Ratinho diz que Show Rural é referência em organização e tecnologia

Em sua primeira visita ao evento como governador do Paraná, Ratinho Júnior disse, na manhã desta quinta-feira (07/02), em Cascavel, Oeste do Estado, que o Show Rural Coopavel é referência em organização e tecnologia. Ao mesmo tempo em que aproxima o agricultor do que há de novidade em tecnologias e pesquisas, o evento é também um indutor do turismo, segmento que o seu governo passa a estimular. Ratinho foi recepcionado pelo presidente da Coopavel, Dilvo Grolli, e líderes dos mais diversos segmentos organizados da região e do Paraná.

Transferência - No início de coletiva à imprensa, Dilvo agradeceu ao governador pela decisão de transferir a sede do governo para Cascavel. “É a primeira vez que isso acontece em 31 anos de Show Rural Coopavel e somos muito gratos”. Ratinho disse que esse é o primeiro teste de descentralização do atual governo, aproximando a estrutura das cidades e de seus líderes e populações. “É uma estratégia para facilitar o diálogo, ouvir, planejar e acelerar soluções”, afirmou.

Diálogo - Ratinho foi questionado sobre obras estruturais à região, como o trevo Cataratas, duplicações, ferrovia e o corredor ferroviário bioceânico. “Vamos dialogar sobre tudo isso e, aos poucos, encontrar soluções”. Sobre o trecho da ferrovia na região Sul do Estado, ressaltou da necessidade de ter liberação ambiental para então fazer o projeto executivo. “Se conseguirmos isso, baixarei decreto para execução de um novo trecho e facilitar a chegada dos produtos do Oeste ao Porto de Paranaguá”.

Ligação - O corredor bioceânico criará uma ligação pelo Pacífico aos produtos do Estado, alcançando um mercado consumidor de três bilhões de pessoas. O governador também foi perguntado sobre o pedágio. Ele vai criar um comitê de concessões para tratar das atuais e de novas. Algumas coisas já estão claras, afirmou Ratinho, como a redução do valor da tarifa em 50% em relação ao que é cobrado hoje. Ele também foi questionado sobre a Estrada do Colono, que considera difícil de ser reativada. “Gosto da ideia da estrada-parque, apenas para veículos leves. É difícil, mas sou parceiro, se a região quiser, para tentar uma saída”.

Aftosa - Outro assunto importante da coletiva foi sobre tornar o Paraná área livre da febre aftosa sem vacinação, procedimento que está bastante adiantado. “As resistências foram vencidas e se quisermos fazer do Estado protagonista no mundo precisamos ter esse tipo de certificação”, afirmou Ratinho Júnior. O governador cumpre agenda com secretários, prefeitos e líderes de setores organizados nesta quinta-feira. Nesta quinta-feira (08/02), participa de recepção à ministra Tereza Cristina, que estará no Show Rural Coopavel. (Imprensa Coopavel)

{vsig}2019/noticias/02/08/show_rural_ratinho/{/vsig}

PESQUISA: Ministra da Agricultura lança tecnologias da Embrapa nesta sexta-feira

show rural embrapa 08 02 2019A solenidade de lançamento de tecnologias da Embrapa no Show Rural, em Cascavel (PR), será nesta sexta-feira (08/02), às 14h30, na Vitrine de Tecnologias da Embrapa, com a presença da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, do presidente da Embrapa, Sebastião Barbosa, do governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Jr., do presidente da Coopavel, Dilvo Grolli, e do chefe-geral da Embrapa Soja, José Renato Bouças Farias. Serão lançadas duas tecnologias: o Fast-K, método de avaliação nutricional para soja, e a cultivar de feijão BRS FP403.

Fast-K - método de avaliação de potássio para a cultura da soja - O potássio (K) é o segundo nutriente mais exigido pela cultura da soja. Em média, a planta exporta 20 kg/ha de K2O para cada tonelada de grãos produzidos. Quando os produtores não reaplicam as quantidades de potássio compatíveis com as exportadas, pode haver redução da disponibilidade de K no solo. Para auxiliar a tomada de decisão a campo, a Embrapa desenvolveu o Fast-K, um método rápido para a avaliação do teor de K nas folhas de soja, de fácil utilização e interpretação.

Proposta - A proposta do Fast-K é melhorar o manejo nutricional da soja, a partir da adoção da metodologia que utiliza um medidor portátil para ler e interpretar os resultados, dispensando a diagnose tradicionalmente feita por técnicas laboratoriais. “Ao realizar o teste foliar no campo, a assistência técnica ganha tempo para tomar as decisões mais acertadas em relação à correção da deficiência de potássio ainda na safra em curso, uma vez que o potássio tem influência direta na produtividade”, destaca pesquisador Adilson de Oliveira Jr., da Embrapa Soja.

Feijão BRS FP403 - É uma cultivar com alto rendimento, potencial de 4,7 mil quilos por hectare. Apresenta ciclo normal de crescimento (85-95 dias) e é recomendada para cultivo em 19 estados brasileiros. A BRS FP403 tem uma boa arquitetura de raizes com sistema radicular bastante vigoroso e tolerante a murcha de fusarium e Podridão-radicular-seca. Os seus grãos são graúdos com alta qualidade industrial. Possui plantas com porte semi prostrado e inserção de vagens altas em relação ao solo proporcionando adaptação à colheita mecânica direta.

Boa arquitetura - A BRS FP403 tem uma boa arquitetura de raízes com sistema radicular bastante vigoroso e tolerante a murcha de fusarium e Podridão-radicular-seca. Os seus grãos são graúdos com alta qualidade industrial. Possui plantas com porte semi prostrado e inserção de vagens altas em relação ao solo proporcionando adaptação à colheita mecânica direta. (Assessoria de Imprensa da Embrapa Soja)

SERVIÇO

Lançamento de Tecnologias da Embrapa

Data: 8 de fevereiro de 2019

Horário: 14h30

Local: Vitrine de Tecnologias da Embrapa no Show Rural Coopavel, em Cascavel (PR)

 

APASEM: Lançada a campanha “Semente Pirata Espanta a Produtividade”

Os números surpreendem: todas as semanas ao menos uma denúncia de pirataria de sementes chega por meio da ouvidoria da Associação Brasileira dos Produtores de Sementes (Abrasem). Em 2018 foram 58, vindas de todas as regiões do país. As mesmas são analisadas e encaminhadas ao Ministério da Agricultura e Abastecimento (Mapa), órgão responsável por fiscalizar e, se procedente, aplicar sanções a quem atua no comercio irregular de sementes. As denúncias e fiscalizações são apenas uma das formas de tentar barrar essa prática que vem se alastrando no Brasil nos últimos anos. Levantamento realizado pela Abrasem mostra que o rombo para todo o agronegócio alcança a cifra de R$2,5 bilhões todos os anos. No Paraná, a Associação Paranaense dos Produtores de Sementes e Mudas – Apasem afirma que no Estado o prejuízo gira em torno de R$ 464,00 milhões.

Campanha - Para barrar a prática da pirataria da semente no campo, diferentes instituições e órgãos se juntaram para fazer frente ao comércio ilegal de sementes em território nacional. Nesta quinta-feira (07/02), durante o Show Rural Coopavel, a Abrasem e a Apasem, anunciaram uma campanha nacional contra a pirataria de sementes, que tem como slogan: “Semente Pirata Espanta a Produtividade”. Durante o lançamento, que também contou com lideranças do Mapa, Adapar e Polícia Rodoviária Federal, o presidente da Abrasem destacou a importância de se trabalhar em todas as frentes que possam inibir a prática.

Feijão - Uma das sementes que mais se observa a presença forte da pirataria é a do feijão. Na esfera nacional, estima-se que 55% deste produto seja plantado por meio de sementes ilegais. No Paraná esse número salta para 90%, segundo dados da Abrasem. O feijão, como tantas outras sementes, precisa de alta tecnologia para que se chegue a uma semente com melhor produtividade no campo. A Embrapa, por exemplo, lançou durante o Show Rural Coopavel 2019, o Feijão Carioca BRS FC104, a primeira cultivar superprecoce do mercado. Segundo a instituição, foram quase 12 anos de estudos e investimentos em pesquisa. Ao chegar até a lavoura, ela trará muitos benefícios para o produtor, contudo não está livre de, futuramente, vir a ser pirateada, tendo seu grão comercializado como ‘semente’. “Quem compra sementes ilegais está abrindo a porteira para inúmeros problemas que vão desde colocar em risco seu próprio plantio, bem como não contribuir para o desenvolvimento mais rápido de toda a cadeia do agronegócio, uma vez que a prática desestimula a realização de novas pesquisas”, explica o presidente da ABRASEM, José Américo.Para o inspetor da Polícia Rodoviária Federal – PRF, no Paraná, Marco Antônio Palhano, “ A Prática da pirataria como tantos outros crimes correlacionados entrarão na mira da corporação, que com dados cedidos pelas instituições vão ficar ainda mais atentas para fiscalizar cargas suspeitas de carregarem sementes ilegais em todo o Paraná”, afirmou. A instituição é uma das que apoiam a campanha contra a pirataria de sementes no Estado.

Orientação - A campanha nacional contra a pirataria de sementes leva o slogan “Semente Pirata Espanta a Produtividade” e traz para discussão o quanto a pirataria no campo é corrosiva e os riscos que corre o produtor que opta por adquirir sementes no mercado paralelo. “Nos anos anteriores, associações como Apasem (PR) e Apasul (RS) fizeram campanhas em seus estados e os resultados foram expressivos. Agora vamos tratar da pauta de forma integrada e em todo o Brasil. Os resultados deverão ser ainda mais expressivos”, destaca José Américo. Ao longo de 2018 as diferentes entidades brasileiras que representam o setor de sementes se uniram para discutir alternativas para barrar a prática da pirataria no campo. Entre as ações decidiu-se realizar a campanha de conscientização em âmbito nacional, uma vez que a problemática não se restringe a determinada região, mas é algo que atinge todos os estados.

Apoio - No Paraná, a campanha contra a pirataria de sementes é encabeçada pela Apasem e tem o apoio de grandes instituições ligadas ao agronegócio paranaense, entre elas o Sistema Ocepar, Sistema Faep, Federação dos Engenheiros Agrônomos do Paraná, Sindicato Rural, além da Braspov. Também no Paraná, em 2019 a Polícia Rodoviária Federal (PRF) está entre as instituições apoiadoras. (Assessoria de Imprensa da Apasem)

OCB I: Organização acompanha proposição de novos pisos de frete

A OCB participou de dois, dos três dias do evento “Ciclo de Reuniões Temáticas: Propostas para os Pisos Mínimos do Frete”, que ocorreu na sede do Grupo de Pesquisa e Extensão em Logística Agroindustrial da Esalq/USP (Esalq-Log), em Piracicaba/SP, representando as cooperativas de transportes de cargas e agropecuárias.

Primeiro - O Esalq-Log realizou nos dias 04, 05 e 06 de fevereiro a primeira de um clico de reuniões temáticas para coletar opiniões, sugestões e apontamentos para o aprimoramento da regulação da Lei n° 13.703/2018, que estabelece a Política Nacional de Pisos Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas.

Segmentos - As reuniões foram segmentadas com cada setor responsável pela logística - Embarcadores, Empresas/Cooperativas de Transportes e Transportadores Autônomos –, para que cada representante pudesse oferecer sugestões e apontamentos de acordo com suas realidades e necessidades.

Contrato - É importante ressaltar que as reuniões são resultado do contrato firmado entre a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e a Fundação de Estudos Agrários Luiz de Queiroz (Fealq) para a revisão da metodologia de definição, monitoramento e atualização de dados e informações para implementação da Política Nacional de Pisos Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas e adequação da Tabela de Fretes a ser divulgada semestralmente pela ANTT.

Assessoramento - Além da realização do ciclo de reuniões, a previsão é que o Esalq-Log permaneça por mais dois anos assessorando a ANTT, monitorando e analisando os impactos do tabelamento dos valores mínimos de fretes no transporte rodoviário de cargas.

Cronograma - Um resultado importante e que merece destaque é o cronograma que foi estabelecido a partir das discussões e que definiu prazos para a finalização de cada etapa, como por exemplo, a realização de uma audiência pública em maio para participação e controle social, até a publicação do novo Normativo, previsto para julho de 2019. (Informe OCB)

OCB II: Jovens serão selecionados para participar do 14º CBC como Embaixadores Coop

OCB II 08 02 2019Jovens proativos, com voz, voto e iniciativa. Esse é o perfil dos líderes que serão selecionados pelo Sistema OCB para participar do 14º Congresso Brasileiro de Cooperativismo (CBC), que será realizado de 8 a 10 de maio, em Brasília (DF). No evento são tomadas as grandes decisões e definidos os rumos do movimento cooperativista. Por meio de um concurso cultural inédito, o Jovens Embaixadores Coop, serão escolhidas 20 pessoas entre 18 e 29 anos, associadas a alguma cooperativa ou filhos e filhas de cooperados. Os interessados devem fazer um vídeo de até 15 segundos respondendo à pergunta “Como podemos construir juntos o cooperativismo do futuro?”. As inscrições podem ser feitas gratuitamente no site concursocultura.cbc.coop.br, de 11 a 28 de fevereiro. Clique aqui para conferir o regulamento. 

 

ECOPERATIVA: Investimento em energias renováveis

ecoperativa 08 02 2019A Ecoperativa, criadora da Cooperativa de Energia Paraná I, primeira cooperativa de energia em geração distribuída do estado, está fazendo o pré-lançamento de mais 4 usinas de produção de energia elétrica, utilizando como insumo biomassa de fontes renováveis.

Potência - Estas usinas utilizarão biomassa provenientes de podas de árvores de ruas e praças da região metropolitana de Curitiba. As usinas terão potência de geração na ordem de 1MW cada, suficientes para abastecer no final do projeto, mais de 10.000 residências. As plantas serão instaladas no município de Fazenda Rio Grande (PR), e a energia injetada na rede poderá ser compensada nas contas dos futuros cooperados em toda região do Paraná que são atendidas pela Copel.

Investimento - Neste plano de negócios, a Ecoperativa está possibilitando pessoas físicas e/ou jurídicas, inclusive outras cooperativas, em investirem neste mercado de energia. O investimento na área de energia renovável é uma tendência mundial. O Brasil, com a expectativa de retorno de crescimento, demandará cada vez mais energia elétrica para as residências, empresas e indústrias e a Geração Distribuída poderá contribuir enormemente neste cenário, possibilitando os próprios usuários a gerarem sua energia, de forma limpa e sustentável.

Cotas - Cada nova usina demandará investimentos da ordem de R$ 8MM cujo valor será dividido em cotas entre os investidores, permitindo a entrada neste mercado desde o pequeno investidor até os investidores de maior porte.

Resolução - Todo o modelo de negócio está baseado nas resoluções da 482/2012 e 687/15 da Aneel e na lei 5.764/71 das cooperativas, tornando o investimento seguro, rentável e socio-ambientalmente responsável.

Mais informações - Para mais informações, a Ecoperativa disponibiliza os seguintes telefones/e-mail para contato: (41) 3057-5550 / 98794-6857 e secretaria@ecoperativa.com.br. (Ecoperativa)

 

SICREDI PARANAPANEMA: Iniciadas as assembleias de núcleo

Na noite da última terça-feira (05/02), em Rancho Alegre (PR), a Sicredi Paranapanema PR/SP deu início às assembleias de núcleo de 2019. Esse momento, que se estende até 17 de abril em Assaí, vai passar por 25 cidades da área de atuação dos dois estados. São nessas reuniões que os associados da instituição financeira cooperativa se juntam a colaboradores e a diretores para definir suas prioridades de investimento, tomando como base as opiniões dos associados, aprovar as contas e ter ciência do que foi feito pela cooperativa em 2018.

Envolvimento - Neste ano, a expectativa da cooperativa é envolver aproximadamente 4 mil associados de um quadro social com cerca de 38 mil pessoas. Ou seja, ultrapassando mais de 10% dos cooperados. Em outras cooperativas da Central Sicredi PR/SP/RJ, já houve definição de que parte do aporte de recursos deveria se destinar a um Fundo Social, voltado a apoiar instituições locais, o que gera benefício para a comunidade como um todo.

Participação fundamental - “É muito importante que os associados participem deste momento, que é fundamental para o funcionamento da instituição financeira cooperativa. Além de conhecer mais a fundo o seu desempenho financeiro, estabelecer quais os investimentos serão feitos, é o momento no qual são apresentados o resultado de projetos que beneficiaram a cooperativa”, afirma o presidente da Sicredi Paranapanema PR/SP, Cláudio Marcos Orsini.

Pilar - A garantia de participação dos associados é um dos pilares do Sistema Sicredi, visando a realização da Assembleia Geral Ordinária, agendada para 26 de abril.

Sistema financeiro cooperativo - Tanto os bancos quanto as cooperativas são reguladas pelo Banco Central. A diferença entre os dois modelos é que os bancos dão lucro para os seus acionistas, enquanto as cooperativas devem seguir os caminhos determinados pela maioria dos seus associados. Nesse sistema, os associados têm participação econômica no negócio, com uma parte em quotas do negócio, conforme o volume de recursos investido e a movimentação financeira para o período.

Distribuição de sobras - Entre as possibilidades, está a da distribuição das sobras – o lucro – entre os associados. Em 2018, o Sistema Sicredi teve R$ 1,5 bilhão de resultado – sendo que parte dele pode retornar ao cooperado, se assim for decidido pela maioria dos participantes da assembleia. No ano passado, em todo o país, 236 mil pessoas estiverem nessas reuniões.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.600 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi Paranapanema PR/SP)

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

{vsig}2019/noticias/02/08/sicredi_paranapanema/{/vsig}

SICREDI UNIÃO PR/SP: Assembleias de prestação de contas prosseguem na Regional Norte

Na próxima semana, quatro agências da cooperativa Sicredi União PR/SP da Regional Norte realizam assembleia de prestação de contas, apresentando aos associados os resultados alcançados em 2018. Dia 11, serão realizadas em Cafeara, a partir das 11 horas, no Centro Comunitário (Avenida Brasil, 226), e Porecatu, 19 horas, na quadra da Escola Santa Luiza (Rua Belo Horizonte,s/n); dia 12 em Jaguapitã, 19 horas, na Casa da Amizade (av. Manoel Ribas, 270); e dia 13, 19 horas, em Ibiporã, no Bola Brasil Futebol e Eventos (R. Duque de Caxias, 554).

Participação - Na Regional Norte, já foram realizadas oito assembleias.

Objetivo - O objetivo é que os associados conheçam os resultados da cooperativa no ano de 2018 e participem das decisões. Ao todo, a Sicredi União realizará 79 assembleias, no período de 15 de janeiro a 18 de março, em todas as cidades em que têm agências, no norte e noroeste do Paraná, centro e leste paulista.

Sorteio em Cafeara - Além da apresentação dos resultados da cooperativa, os associados de Cafeara conhecerão também o ganhador da campanha “Cafeara Premiada”, realizada entre o final do ano passado e início de 2019. Trata-se de mais uma ação desenvolvida para incentivar o uso de cartões de crédito e débito no comércio da cidade, reduzindo a circulação de dinheiro.

Prêmios - No período da campanha, os associados receberam um cupom para concorrer a uma moto e uma raspadinha para cada R$ 30,00 pagos com cartão. Foram distribuídos mais de 300 prêmios com as raspadinhas, entre coolers, chapéus, cadeiras de praia, xícaras, carregadores de celular e aventais. O ganhador da moto CG 125 Fan será conhecido após a assembleia de segunda-feira. Segundo o gerente de negócios da agência de Cafeara, Tiago Borlot Altino, foram distribuídos mais de dois mil cupons e raspadinhas.

Incentivo - “Essa campanha incentivou ainda mais o uso de cartões”, comentou o gerente. A agência de Cafeara é considerada um case de sucesso em todo o Brasil. Nela são oferecidos todos os serviços disponibilizados nas demais agências Sicredi União PR/SP, exceto a circulação de dinheiro, o que viabilizou a instalação de uma agência da cooperativa na cidade, que conta com cerca de três mil habitantes.

Novidade - Para a assembleia de segunda-feira, são esperados cerca de 400 associados, segundo Altino. Esta será a primeira assembleia de prestação de contas anual na agência de Cafeara, instalada em março do ano passado.

Próximas assembleias - Na Regional Norte, o circuito de assembleias prosseguirá com as agências de Londrina: Higienópolis, dia 22; Santos Dumont, dia 25; Duque de Caxias e Guaravera, também dia 25; e no dia 14 de março a assembleia da agência Tiradentes. A Assembleia Geral Ordinária (AGO) acontece em Maringá, no dia 25 de março. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

SICREDI AGROEMPRESARIAL: “Mude, inove e transforme – as nossas atitudes fazem a diferença” é tema da Convenção 2019

A Cooperativa Sicredi Agroempresarial PR/SPreuniu no dia 02 de fevereiro, no Carpe Diem, em Arapongas, mais de 400 colaboradores para a Convenção “Mude, inove e transforme – as suas atitudes fazem a diferença”, com objetivo de alinhar as mudanças tecnológicas e inovadoras do Sicredi que foram e serão implantadas em 2018 e 2019 respectivamente.

Presenças - O evento contou com a presença do presidente Agnaldo Esteves, vice-presidente José Nialdo Favoreto e alguns conselheiros. A manhã iniciou com o diretor executivo Marcelo De Bortoli fazendo uma introdução ao tema e mostrando números do Woop, a conta digital do Sicredi. “Já são mais de 1.000 contas abertas pelo aplicativo, no qual 70 % é do estado de São Paulo, isso mostra que os jovens também querem um modelo de negócios diferente dos bancos tradicionais”, comentou De Bortoli.

Inovações e novas ferramentas - Durante a manhã, os diretores Renato e Cristiano, junto com os assessores da área de negócios e operações, apresentaram aos colaboradores inovações e novas ferramentas que já estão em uso e que serão implementadas nos próximos meses.

Palestra - O melhor momento do dia ficou por conta da palestra do empreendedor Gustavo Caetano, baseada em seu livro “Pense Simples”. Caetano, que é reconhecido mundialmente como uma das mentes mais inovadoras quando o assunto é tecnologia digital, mostrou de uma maneira simples e eficaz o que é ser inovador, e como muitas vezes a inovação está em pequenos detalhes. “Um exemplo é o cooperativismo de crédito, o relacionamento próximo que só vocês possuem. Não perder essa essência é tão importante quanto tentar mudar os rumos do negócio”. Ao final do dia, os colaboradores destaques do ano de 2018 foram reconhecidos com a premiação do Performance, programa de metas da cooperativa.

Mudança de atitude - Para o presidente Agnaldo Esteves, a Convenção 2019 foi um momento de despertar nos colaboradores uma mudança de atitude, na qual dependemos de nós mesmos para inovar e transformar. “As pessoas confundem inovação com tecnologia, acham que está ligado só ao meio digital, mas se esquecem que as novidades podem surgir de coisas simples, seja de como se fazer um processo ou de fechar um negócio”, finalizou Esteves. (Imprensa Sicredi Agroempresarial PR/SP)

{vsig}2019/noticias/02/08/sicredi_agroempresarial/{/vsig}

SICREDI VALE DO PIQUIRI: 5º Encontro Regional do PUFV é realizado em Palotina

A cidade de Palotina (PR) sediou, na última quarta-feira (06/02), o 5º Encontro Regional do Programa A União Faz a Vida (PUFV), da Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP. No estado do Paraná, a cooperativa é pioneira nesta iniciativa que tem como principal objetivo valorizar e fomentar o engajamento dos professores no Programa, além do fechamento das atividades do ano anterior e dos alinhamentos para o ano letivo que está iniciando.

Marco inicial - Segundo o presidente da cooperativa, Jaime Basso, este é o marco inicial do União Faz A Vida a cada começo de ano letivo. “Através destes encontros, podemos fazer uma avaliação sobre tudo o que foi desenvolvido no ano que se passou e planejar as atividades para 2019. Fica a nossa gratidão aos professores pelo excelente trabalho realizado e o desejo de que possamos dar continuidade a esta iniciativa tão nobre e através deste Programa, possamos contribuir para a formação destas crianças e jovens”, complementa Jaime.

Presenças - O encontro contou com a presença de mais de 550 professores, de 15 municípios paranaenses onde o Programa A União Faz a Vida está implantado. A programação do evento foi muito interessante e possibilitou aos participantes a interação com professores de diferentes regiões, o compartilhamento de boas práticas e o aprendizado sobre assuntos que são tendência no mundo educacional. “A nossa participação nestes encontros agrega muitas coisas positivas ao nosso trabalho. O aprendizado e as práticas de cooperação que vivenciamos quando estamos aqui, fazem a diferença no desenvolvimento de nossas atividades com as crianças”, comenta a professora Marla Natália Pereira dos Santos.

Palestra - Um dos grandes momentos do dia foi a palestra com a prof. dra. Emilia Cipriano que trabalhou o tema: “Escolas inovadoras para o século XXI”. A Feira de Boas Práticas também possibilitou compartilhar momentos e histórias muitos especiais entre os participantes. A novidade deste ano foi a participação dos alunos, que juntamente com seus professores, trouxeram experiências que enriqueceram ainda mais o encontro.

Desafio- Para Cláudia Bonatti, gerente de Desenvolvimento do Cooperativismo da Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, a tarefa de formar um cidadão é um grande desafio para todos os professores, por isso a importância de apoiá-los através das práticas educacionais que trabalham atitudes e valores de cooperação e cidadania. “O Sicredi desenvolveu esta iniciativa porque acredita em uma forma diferente de aprender e ensinar que proporciona a formação de pessoas com interesse social e desenvolvimento coletivo”, explica Cláudia.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem um papel de dono do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.600 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros. Mais informações estão disponíveis em www.sicredi.com.br. (Imprensa Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP)

{vsig}2019/noticias/02/08/sicredi_vale_piquiri/{/vsig}

ECONOMIA I: Ideia do 'Plano B' continua na pauta de Paulo Guedes

economia I 08 02 2019O "Plano B" do ministro da Economia, Paulo Guedes - que é desvincular e desindexar todo o Orçamento da União -, pode se transformar em "Plano A". Desde que lançou a ideia de adotar essa alternativa na hipótese de o Congresso não aprovar a reforma da Previdência, o ministro tem sido incentivado a revolucionar as práticas e os costumes na política. Prefeitos, governadores e ministros de tribunais superiores, quando compreendem a extensão e os impactos da medida, se entusiasmam. Guedes pediu a técnicos de sua pasta que rascunhem uma proposta de emenda constitucional (PEC).

Função - O plano alternativo de Paulo Guedes significa atribuir ao Congresso sua verdadeira função: controlar o Orçamento e estabelecer prioridades na alocação das receitas dos impostos.

Receitas vinculadas - Hoje, cerca de 96% do Orçamento da União é "carimbado", ou seja, tem as receitas vinculadas por lei a despesas pré-determinadas. Uma parte vai para a saúde, outra para a educação, além do abono salarial, seguro desemprego, subsídios, pagamento de salários do funcionalismo e das aposentadorias do INSS (trabalhadores do setor privado), do RPPS (servidores públicos) e dos militares. Essas são as grandes contas, mas há inúmeras outras despesas. De um Orçamento anual de R$ 1,5 trilhão, deputados e senadores têm direito de decidir sobre cerca de apenas R$ 10 bilhões.

Prefeitos - Em um encontro recente com prefeitos, depois de explicar o seu plano alternativo, Guedes ouviu de vários deles a pergunta: "Onde é que eu assino isso aí?", contou um dos presentes.

Carteira “verde-amarela” - O ministro disse nesta quinta-feira (07/02), após café da manhã com empresários, que a regulamentação da carteira de trabalho "verde-amarela" não deve ser incluída na PEC da reforma da Previdência. "Hoje, somos prisioneiros de uma legislação do trabalho fascista, de Mussolini, a Carta del Lavoro, de cooptação de sindicatos, e estamos atrasados 80 anos. Mas não vamos misturar isso e atrapalhar a regulamentação da Previdência", disse. (Valor Econômico)

Foto: Agência Brasil

 

ECONOMIA II: Investimento cai 4,3% em dezembro e 2,5% no 4º trimestre, aponta Ipea

economia II 08 02 2019O investimento caiu no quarto trimestre de 2018, mas fechou o ano com crescimento, em parte influenciado pelas operações de comércio exterior envolvendo plataformas de petróleo, estimuladas pelas mudanças no regime aduaneiro Repetro- regime fiscal aduaneiro que suspende a cobrança de tributos federais na importação de equipamentos para o setor.

Mudanças nas regras - Com as mudanças nas regras do Repetro, as plataformas usadas na exploração do petróleo do país agora passam a ser contabilizadas como investimento. Antes, eram considerados ativos localizados fora do país.

Cálculo - Segundo cálculo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a formação bruta de capital fixo (FBCF), medida do que se investe em máquinas, equipamentos, construção civil e inovação, caiu 4,3% em dezembro sobre novembro e recuou 2,5% no quarto trimestre sobre o terceiro, feito o ajuste sazonal.

Queda - No quarto trimestre, a porção máquinas e equipamentos da FBCF caiu 0,4% sobre o terceiro. Houve queda de 2,9% na produção líquida de exportações, e recuo de 21,2% nas importações. A porção construção civil diminuiu 1%, enquanto outros ativos fixos tiveram aumento de 0,8% sobre o terceiro trimestre feito o ajuste sazonal.

Comparação - Na comparação com o mesmo trimestre de 2017, a formação bruta cresceu 3,2%. No ano, a alta de 4,2% foi puxada pelo segmento máquinas e equipamentos, que subiu 14,6%, graças ao aumento de 47,7% nas importações, variação influenciada pelas operações com plataformas de petróleo.

Construção civil - A construção civil teve recuo de 0,3% em 2018, marcando cinco anos de quedas consecutivas dentro da FBCF. O segmento outros ativos fixos cresceu 2,6% em 2018. (Valor Econômico)

 

ANS: Setor de planos de saúde encerra o ano estável

ans destaque 08 02 2019A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) divulgou na terça-feira (05/02) os dados do setor relativos a dezembro de 2018. Os números foram atualizados e podem ser consultados na Sala de Situação no site da agência. Os dados fornecidos pelas operadoras de planos de saúde mostram estabilidade no número de usuários. O setor encerrou o ano de 2018 com 47.377.920 beneficiários de planos médico-hospitalares e 24.194.829 beneficiários de planos exclusivamente odontológicos.

Dados completos- Acesse a Sala de Situação e confira os dados completos.

Crescimento - Na comparação com dezembro de 2017, houve crescimento nos dois tipos de segmentação. Nos planos de assistência médica, em um ano houve acréscimo de 200.217 beneficiários e, nos planos exclusivamente odontológicos, o aumento foi de 1.411.805 beneficiários.

Unidade Federativa - Os dados por Unidade Federativa mostram aumento de beneficiários em planos de assistência médica em 17 estados e no Distrito Federal. São Paulo registrou o maior crescimento em números absolutos no período (58.305 beneficiários a mais). Já nos planos odontológicos, 25 unidades federativas registraram aumento de beneficiários, e São Paulo também se destacou, com 497.721 beneficiários a mais nessa segmentação.

Atualização - A ANS também atualizou a ferramenta Tabnet, onde podem ser feitos diversos tipos de consultas pelo acesso aos sistemas de informações da Agência. Estão disponíveis dados a partir de dezembro de 2000, em intervalos de atualização trimestral (março, junho, setembro e dezembro). (ANS)

Confira nas tabelas abaixo a evolução de beneficiários por modalidade de contratação e por Unidade Federativa (UF).

ans tab I 08 02 2019

 

 

 

 

 

 

 

ans tab II 08 02 2019

 

 

 

 

 

 

ans tab III 08 02 2019

 

 

 

 

 

 


Versão para impressão


RODAPE