Imprimir
CABECALHO

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4507 | 01 de Fevereiro de 2019

COMUNICAÇÃO: Embrapa e Ocepar promovem workshop e lançamento de prêmio para jornalistas

premio ocepar 01 02 2019O 1º Workshop para Jornalistas: Soja no contexto da Sustentabilidade e o lançamento do Prêmio Ocepar de Jornalismo serão realizados no dia 7 de fevereiro, quinta-feira, a partir das 8h, na Estação do Conhecimento na Vitrine de Tecnologias da Embrapa no Show Rural Coopavel, em Cascavel (PR). Os eventos são uma promoção da Embrapa Soja e do Sistema Ocepar.

Paraná - De acordo com o chefe-geral da Embrapa Soja, José Renato Bouças Farias, os workshops para jornalistas serão realizados em diferentes regiões produtoras de soja, durante 2019. O primeiro será realizado no Paraná, em parceria com o Sistema Ocepar, por ser o segundo maior produtor de soja (19 milhões de toneladas), atrás apenas do Mato Grosso, que respondeu por 31 milhões de toneladas da produção nacional, na safra 2017/18.

Show Rural - Além disso, o Show Rural reúne os principais atores da cadeia produtiva e conta com ampla cobertura jornalística. O objetivo é promover o debate sobre a relevância da soja para o agronegócio brasileiro e a adoção de tecnologias sustentáveis de produção, uma vez que a sustentabilidade da soja é a base para a manutenção de outras cadeias produtivas. “Desta forma, pretendemos contribuir para o aprimoramento da cobertura jornalística de qualidade nas regiões produtoras de soja com enfoque em processos sustentáveis”, destaca.

Soja no Brasil - Na safra 2017/2018, a soja foi cultivada em 35 milhões de hectares no Brasil, o que resultou na produção 119 milhões de toneladas. A relevância da cultura exige a adoção de soluções tecnológicas sustentáveis que maximizem o processo produtivo da cultura, beneficiando mutuamente a rentabilidade do produtor e a preservação dos recursos naturais. “A Embrapa Soja vem incrementando o desenvolvimento de conhecimentos e tecnologias, em bases sustentáveis, para que os agricultores brasileiros continuem produtivos e competitivos”, destaca o chefe de Transferência de Tecnologias, Alexandre Cattelan, que ministra palestra no evento para debater como a soja tem impacto direto na socioeconomia e na sustentabilidade de diferentes cadeias produtivas.

Guia - Durante o evento, será lançado o Guia de Referência para Jornalistas - Produção de Soja em Sistemas Sustentáveis, editado pela Embrapa, que traz terminologias de A a Z sobre as principais expressões ou conceitos utilizados na cobertura jornalística referente à cultura da soja e assuntos correlatos. A ideia não é esgotar o tema, mas ser uma referência inicial para consultas feitas por jornalistas. A expectativa é que a publicação contribua para o aprimoramento de abordagens de qualidade em produções jornalísticas com enfoque em processos sustentáveis.

Prêmio - O Prêmio Ocepar de Jornalismo é um programa institucional desenvolvido pelo Sistema Ocepar e conta com o patrocínio do Sicredi Central PR/SP/RJ e da Federação Unimed do Paraná e apoio institucional da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná (Sindijor/PR) e do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Norte do Paraná. Desde sua criação, em 2004, visa mobilizar e reconhecer o trabalho desenvolvido por jornalistas dedicados a divulgar ações econômicas e sociais realizadas pelo cooperativismo paranaense.

Inscrições - Nessa edição, serão premiados os melhores trabalhos jornalísticos que abordem o tema “No campo ou na cidade, somos o cooperativismo no Paraná”. Podem ser inscritas, até o dia 1º de julho de 2019, matérias publicadas ou veiculadas no período de 1º de janeiro de 2018 a 1º de julho de 2019. Serão aceitos materiais que façam referência a um ou mais ramos do cooperativismo paranaense em que atuam as cooperativas filiadas à Ocepar: agropecuário, crédito, saúde, transporte, turismo, habitacional, educacional, infraestrutura, consumo e trabalho. O evento de premiação dos vencedores está programado para julho de 2019, em Curitiba.

Premiação - Ao todo, serão distribuídos R$ 88 mil em prêmios, já descontados os impostos. O Prêmio Ocepar é dividido em seis categorias: Jornalismo Impresso, Telejornalismo, Radiojornalismo, Mídia Cooperativa, Categoria Especial Ramo Crédito, Categoria Especial Unimed. Os três primeiros colocados nas categorias Jornalismo Impresso, Telejornalismo, Radiojornalismo e Mídia Cooperativa vão receber, respectivamente R$ 10 mil (1º lugar), R$ 4 mil (2º) e R$ 3 mil (3º). Já os vencedores nas categorias especiais Ramo Crédito e Unimed vão ganhar R$ 10 mil cada.

 

Programação

1º Workshop para Jornalistas/ Lançamento Prêmio Ocepar para Jornalistas

Data: 07 de fevereiro (quinta-feira)

Local: Estação do Conhecimento na Vitrine de Tecnologias da Embrapa no Show Rural Coopavel, em Cascavel (PR)

8h - Café da manhã

8h30 - Abertura com boas-vindas pelas instituições parceiras

8h45 – Palestra: Papel da soja na socioeconomia e na sustentabilidade de diferentes cadeias produtivas (Alexandre Cattelan, chefe de Transferência de Tecnologias da Embrapa Soja)

9h15– Perguntas

9h30 – Lançamento do Prêmio Ocepar de Jornalismo

 (Assessoria de Imprensa Embrapa e Sistema Ocepar)

FÓRUM TI: Fique por dentro das últimas novidades sobre inovação disruptiva com Arthur Igreja

forum ti 01 02 2019Atento ao que acontece de mais relevante no mundo sobre inovação e tecnologia, Arthur Igreja acabou de volta do Vale do Silício, onde foi conferir as últimas novidades sobre inovação disruptiva, tema que tanto tem transformado o mercado de trabalho e a vida de todos. Curioso em saber o que ele trouxe de informação e aprender com esse expert da área? Então, participe do Fórum de TI que o Sistema Ocepar promove, nos dias 6 e 7 de fevereiro, em Cascavel, no Oeste do Estado.

Convite – “Convido as pessoas a participarem desse Fórum, que há mais de 10 anos discute a principais tendências de inovação e tecnologia”, disse Arthur Igreja em vídeo gravado especialmente para os profissionais de TI das cooperativas do Paraná, em que ele comenta um pouco sobre o que irá falar na palestra e destaca o espaço inovador que irá abrigar o Fórum esse ano (Show Rural Digital). Clique aqui e confira o vídeo

Palestrantes - Além de Arthur Igreja, que é empresário e professor pela FGV, e mestre pela Georgetown University (EUA), ESADE (Espanha) e FGV,a grade de palestras tem ainda nomes que são referência, como Gil Giardelli, professor e difusor de conceitos e atividades ligadas à inovação, e que em sua palestra mostra o que a tecnologia já é capaz de fazer e conduz a uma reflexão sobre o futuro que nos reserva. Participam ainda como palestrantes: o presidente da Celepar, Allan Costa, o presidente da Hewlett Packard Enterprise (HPE) no Brasil, Ricardo Brognoli, o gerente da Aruba Network, Eduardo Gonçalves, e o CEO e fundador da Totvs, Laércio José de Lucena Cosentino,

Show Rural– Desta vez, o evento será realizado dentro do Show Rural Coopavel, considerado a segunda maior feira de agronegócio do mundo e a primeiro da América Latina. Além de oportunizar para que os profissionais de TI das cooperativas conheçam esse grande palco de exposições do agronegócio brasileiro, o Fórum terá em sua programação um horário para visitação no Show Rural Digital, num espaço de 2.800 metros quadrados, no centro do Parque Tecnológico onde o Show Rural ocorre, com foco em inovação extrema e presença de startups, pessoas e empresas reconhecidas como mundialmente inovadoras.

Inscrições – O Fórum é exclusivo para os profissionais de TI das cooperativas paranaenses. As inscrições devem ser realiza\das com o Agente de DH da cooperativa ou no Sescoop/PR com Esdras Silva – esdras.silva@sistemaocepar.coop.br / 41 3200-1159, e Francine Danielli – francine.danielle@sistemaocepar.coop.br / 41 3200-1158

CRÉDITO: Sicredi estará disponibilizará R$ 550 milhões para financiamentos no Show Rural

credito 02 01 2019O Sicredi estará presente no Show Rural Coopavel, que ocorre entre os dias 4 e 8 de fevereiro em Cascavel, considerada a capital do Oeste do Paraná, e disponibilizará R$ 550 milhões disponíveis para financiamento de veículos, maquinários e tecnologias agrícolas. Trata-se de um salto nas estimativas da Instituição Financeira Cooperativa, que, no ano passado, disponibilizou R$ 300 milhões para o mesmo fim. Produtores contarão com a condição especial de 0% de taxa flat nos financiamentos de máquinas e implementos via linhas BNDES.

Negócios - O Sicredi espera um volume de negócios mais alto do que os firmados no ano passado. “Nós vamos para Cascavel com uma equipe grande, apostando como sempre em bons negócios para nossos associados”, afirma o gerente de Desenvolvimento de Negócios da Central Sicredi PR/SP/RJ, Gilson Nogueira Farias. “O mercado e o agronegócio como um todo sente otimismo com o início do ano, o que gera uma expectativa boa e esperanças renovadas de mais negócios.”, completa.

Agronegócio - Apesar da crise pela qual o Brasil passou nos últimos anos, o agronegócio foi um dos poucos setores que manteve a roda da economia girando. Com as perspectivas econômicas positivas, existe também a convicção por bons resultados. “Foi um dos únicos setores que puxou o PIB do Brasil para cima, gerando divisas e exportações nos anos anteriores. A tendência neste ano é de dinamizar ainda mais”, avalia Farias.

Energia solar e veículos - Uma das novidades está no financiamento de projetos relacionados à energia solar, com taxas de 0,99% ao mês, para condições analisadas na feira. De acordo com Farias, o Sicredi já incentiva projetos do setor, e utilizará a feira para divulgar mais esta opção ao produtor. “É uma aposta para o futuro: imaginando que o Brasil cresça 2,5% ao ano, como está sendo previsto, isso vai demandar muita energia elétrica, um setor no qual o país ainda enfrenta dificuldades. Quem fizer esse investimento, pode ficar em uma situação privilegiada, além de ter uma energia limpa e com boas perspectivas de retornar o investimento. É um negócio que está chegando para valer”, explica o gerente de Desenvolvimento de Negócios. No caso de utilitários e veículos, a taxa será a partir de 0,89% ao mês para os associados da instituição. “Como as empresas dão condições boas de preços, teremos taxas também muito atrativas para que o associado garanta o negócio”, diz Farias.

Conforto e palestras técnicas para o associado - Com um estande localizado na área principal das instituições financeiras, o Sicredi promete oferecer conforto ao cooperado e caravanas de associados que visitarão o Show Rural, com um estande e seu tradicional “Café Sicredi”, além de outras atrações No espaço, haverá salas de reunião para atendimento de associados e expositores, além de um pequeno show room apresentando a tecnologia de painéis fotovoltaicos.

Palestras - Além disso, três palestras serão realizadas, oferecendo conteúdo e conhecimento aos associados e interessados. A primeira delas será sobre Cenário Econômico, apresentando as perspectivas da economia para 2019, incluindo o agronegócio; em outra, o próprio Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) dará mais detalhes sobre as linhas de financiamentos da instituição; por fim, uma apresentação sobre como reduzir custos do agronegócio com a energia solar também está programada.

O Show Rural Coopavel - A 31ª edição do evento reúne 520 expositores das mais diversas áreas. Entre as novidades apresentadas, estão desde às ligadas a maquinários, como novas colheitadeiras, tratores e plantadeiras, a veículos, utilitários e caminhões, e passando por novas técnicas de cultivo e de tecnologias adotadas para tornar a agropecuária mais sofisticadas, o chamado Show Rural Digital. Estima-se que, nos cinco dias de evento, sejam comercializados entre R$ 1,5 bilhão e R$ 2 bilhões. “Devido ao momento de otimismo e de gradual retomada do crescimento econômico do país, o resultado poderá ser ainda maior”, diz a assessoria do evento. Por dia, cerca de 250 mil pessoas devem visitar a área de 720 mil m2, às margens da BR-277, no Oeste do Paraná. (Assessoria Sicredi)

COPAGRIL: Faturamento cresceu 12,8% em 2018

Durante a tarde de ontem (31/01), os associados da Cooperativa Agroindustrial Copagril deliberaram pela aprovação das contas do exercício 2018 apresentadas pelo Conselho de Administração durante a Assembleia Geral Ordinária, ocorrida no pavilhão da comunidade católica, em Marechal Cândido Rondon. No ano passado, a cooperativa somou um faturamento bruto de mais de R$ 1,7 bilhão, o que representa um crescimento de aproximadamente 12,8% em relação ao ano anterior. No evento foram apresentados aos cooperados as informações contidas no Relatório Anual 2018, incluindo o volume de produção de soja e milho recebida, fabricação e industrialização, os principais investimentos realizados, bem como apresentação da composição do faturamento, o balanço financeiro e demonstrações contábeis. Em seguida, a plenária aprovou as contas.

Conselhos - Ainda no decorrer da assembleia foi realiza a eleição e posse do Conselho de Administração para o exercício 2019-2022, ocasião em que a chapa liderada pelo diretor-presidente, Ricardo Sílvio Chapla, foi reeleita e reconduzida. Também houve eleição e posse dos membros do Conselho Fiscal para o exercício 2019 (ver composição abaixo). Houve ainda explanação sobre as projeções e os objetivos da diretoria da Copagril para o exercício de 2019, bem como sobre a previsão orçamentária do ano.

Conselho de Administração 2019-2022:

Diretoria executiva:

Diretor-presidente: Ricardo Sílvio Chapla

Diretor vice-presidente: Elói Darci Podkowa

Diretor-secretário: Márcio Buss

Conselheiros vogais:

José Resenberger

Cezar Luiz Petri

Jacir Joarez Cotica

Renato Borelli

Delmir Ohlweiler

Ademir Luis Griep

Vilson Fülber

Alexandre Ricardo Wickert

Conselho Fiscal:

Efetivos:

Valmor Francisco Kaiser

Mauro Vanroo

Sigmar Luiz Lohmann

Suplentes:

Juzemar Ferronato

Roseli Inês V. Pazdiora

Luciano Zimpel

(Assessoria Copagril)

 

{vsig}2019/noticias/02/01/copagril/{/vsig}

COCARI: Dia de Campo bate recorde em atrações e sucesso com o público

cocari 02 01 2019Com o tema ‘Agricultura digital: realidades e tendências, a 16ª edição do Dia de Campo de Culturas de Verão e Pecuária da Cocari foi um verdadeiro sucesso. O evento foi realizado dias 30 e 31 de janeiro, no Centro Tecnológico Cocari (CTC), em Mandaguari, com participação de cooperados de toda a área de ação da cooperativa no Paraná, que compreende mais de 20 municípios.

Empresas parceiras – O evento reuniu mais de 70 empresas parceiras e institutos de pesquisas, que fizeram demonstração de materiais, e os produtores puderam conferir, na prática, os resultados alcançados com as parcelas das lavouras. Também houve exposição de maquinários e implementos agrícolas, com tecnologias que otimizam a realização das atividades no campo.

Vitrines – Foram apresentadas cultivares de soja, híbridos de milho, cultivares de capim e opções para manejo de pragas, doenças e plantas daninhas, mostrando a viabilidade e os índices alcançados nas lavouras.

Crescimento – Vilmar Sebold, presidente da Cocari, salientou que o CTC registrou um grande salto em sua estrutura e adequação para receber o crescente número de estandes. “O principal objetivo foi trazer essa reflexão sobre a evolução tecnológica que está ocorrendo na agricultura, para que os cooperados possam ter mais definições sobre a maneira que a cooperativa pode auxiliar, buscando a diminuição dos custos de produção, para termos resultados positivos no campo”, observou Sebold.

Soja e milho – O engenheiro agrônomo responsável pelo CTC, Dr. João Batista Gonçalves Dias da Silva, falou sobre as novidades apresentadas. “Os produtores conferiram tecnologias em inoculantes para a cultura da soja, controle de plantas daninhas, fungicidas protetores para o manejo da ferrugem asiática e também sobre plantabilidade da soja”, disse. “Em uma parcela foi demonstrado o plantio intercalar da Brachiaria ruziziensis na cultura do milho, como opção a ser utilizada na safrinha, garantindo maior cobertura do solo na sequência, no plantio de soja, o que melhora a qualidade do plantio direto”, completou o engenheiro agrônomo.

Pecuária – Essa edição do dia de campo da Cocari contou com espaço exclusivo para atendimento aos pecuaristas. O supervisor de veterinária, Wanderlei Batista Bicalho, destacou a inovação. “Neste ano a pecuária participou mais ativamente do evento, com 21 parceiros em estandes no CTC, para melhor atender aos pecuaristas, prestando todo suporte necessário para obtermos os melhores resultados com a atividade”, ressaltou.

Balcões de Negócios – A cooperativa disponibilizou aos cooperados opções exclusivas de negociação nos Balcões de Negócios Agrícolas e Pecuários, com preços diferenciados em produtos, maquinários e implementos. Os cooperados que fecharam negócios durante o evento concorreram ao sorteio de vouchers para aquisição de insumos para lavouras ou pecuária, conforme o regulamento da promoção, sendo ótimas oportunidades aos produtores. Foram sorteados R$ 50 mil em insumos.

 

Estandes – O Transportador Revendedor Retalhista (TRR) da Cocari esteve presente com estrutura para receber os cooperados e falar sobre as vantagens da aquisição e entrega de combustíveis nesse serviço disponibilizado pela cooperativa. Colaboradores também apresentaram trabalhos desenvolvidos na Unidade de Beneficiamento de Sementes (UBS) e no Laboratório de Análise de Sementes (LAS), destacando a importância da tecnologia aliada ao campo. No Espaço do Detec, engenheiros agrônomos apresentaram técnicas de manejo, para o aumento da rentabilidade dos produtores.

Sucesso – Para o próximo ano, a expectativa é de que o evento se torne uma feira agropecuária, com duração de três dias. A Cocari agradece a participação dos cooperados, colaboradores, parceiros e fornecedores que contribuíram para a realização deste importante evento. (Assessoria Cocari)

 

COPACOL: Sorteio encerra campanha Um Show de Prêmios

A rede de lojas do Copacol Supermercados promoveu durante os meses de novembro, dezembro e janeiro a promoção Show de Prêmios, que além de 420 prêmios no sistema raspadinha (achou ganhou), sorteou também, na tarde desta quinta-feira, 31, um Renault Kwid zero quilômetros. Durante os meses da promoção os clientes que compravam acima de R$ 70,00 ganhavam um cupom, ou uma raspadinha e ganhavam prêmios na hora, como eletrodomésticos e vales compras. O sorteio dos cupons aconteceu na loja em Cafelândia, onde os mais de 15 mil cupons foram colocados em uma piscina e misturados. Os auditores da Cooperativa, o presidente Valter Pitol e o vice-presidente, James Fernando de Morais, além de colaboradores e clientes do Copacol Supermercados, estavam presentes durante o evento.

O grande ganhador - Desta vez, o sortudo foi Felipe Eduardo Pereira Melo, de Sorocaba, São Paulo. O presidente da Copacol, Valter Pitol, parabenizou todos os ganhadores e agradeceu os participantes, que estão sempre comprando nas lojas do Copacol Supermercados. “Agradecemos todas as pessoas que estão sempre comprando em nossas lojas. Vamos continuar oferecendo novidades aos nossos clientes e trabalhando para atender cada vez melhor a todos”, afirma Pitol. (Assessoria Copacol)

{vsig}2019/noticias/02/01/copacol/{/vsig}

UNIMED MARINGÁ: Inaugura Academia da Terceira Idade em Paiçandu

unimed maringa 01 02 2019A partir de segunda-feira (04/02), a população de Paiçandu vai ter acesso a mais uma ATI – Academia da Terceira Idade. A Unimed Maringá é que está à frente da inauguração. De acordo com o gerente de mercado da cooperativa, João Noris, cerca de mil pessoas devem ser beneficiadas com a instalação dos aparelhos. “Esta ATI será na praça principal da cidade e deve ser mais um espaço para que as pessoas se exercitem e busquem uma qualidade de vida cada vez melhor”, diz.

Apoio - Desde que as ATI’s começaram a ser instaladas em Maringá, a Unimed sempre foi uma das apoiadoras e, ainda hoje, faz a manutenção das existentes e viabiliza a instalação de novas unidades. O município foi escolhido para receber uma ATI porque parte dos clientes da cooperativa residem por lá. “Nossa intenção é sempre cuidar das pessoas e oferecer meios para que elas zelem por sua saúde.

Serviço

Inauguração ATI Paiçandu

Data: 04/02/2019

Horário: 10h

Local: Avenida Ivaí nº 1041 (Praça da Igreja da Cidade).

(Unimed Maringá)

SHOW RURAL I: Governador, secretários e ministra Tereza Cristina no 31º Show Rural

1show rural 01 02 2019O governador do Paraná, Ratinho Júnior, e todos os secretários do novo governo vão estar em Cascavel na quinta e sexta-feira, 7 e 8 de fevereiro. Além de prestigiar o Show Rural Coopavel, eles manterão vários contatos com autoridades, prefeitos e líderes cooperativistas. A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, prestigiará o evento na sexta-feira.

Transferência - Para cumprir uma extensa agenda de compromissos durante o 31º Show Rural Coopavel, Ratinho Junior assinou decreto transferindo, por dois dias, a sede do governo de Curitiba para Cascavel. Na quinta-feira, o governador cumpre agenda às 9h30 na prefeitura, ao lado do prefeito Leonaldo Paranhos, secretários e vereadores. Ele se deslocará ao parque da feira às 10h30, onde permanecerá até as 18h.

Agenda - Na sexta-feira, governador, secretários e equipe de governo permanecerão na área que abriga o evento de tecnologia das 10h às 18h. Ratinho Júnior, além de se reunir com o secretariado e manter encontros com prefeitos e líderes dos mais diferentes segmentos, também percorrerá o parque e fará visitas a expositores. A recepção, nos dois dias, será feita pelo presidente da Coopavel, Dilvo Grolli, e pelo coordenador-geral do evento, o agrônomo Rogério Rizzardi.

Desde 1989 - Em sua 31ª edição, o Show Rural é um evento anual realizado desde 1989. Ele é aberto a empresas do agronegócio que buscam, no contato direto com o agropecuarista, mostrar os resultados de anos de investimentos em pesquisa que, corretamente aplicados, elavam a produtividade no campo. Serão 520 expositores e expectativa público superior a 250 mil pessoas. A comercialização esperada deverá ficar entre R$ 1,5 bilhão e R$ 2 bilhões. O evento ocorre em uma área de 720 mil metros quadrados em Cascavel, no Oeste do Paraná – BR-277, Km-577, na saída para Curitiba. (Assessoria Show Rural)

 

{vsig}2019/noticias/02/01/show_rural_I/{/vsig}

SHOW RURAL II: Estacionamento para motos é amplo e gratuito durante os cinco dias de feira

show rural I 01 02 2019O estacionamento amplo e gratuito é um dos diferenciais do Show Rural Coopavel, que chega à sua 31ª edição e espera público de 250 mil pessoas da próxima segunda até sexta-feira, em Cascavel, no Oeste do Paraná – BR-277, Km-577, saída para Curitiba. Quem for ao evento de motocicleta também terá espaço para acomodar o seu meio de transporte. É uma área que fica entre as torres e uma moradia construída no lado direito do estacionamento. Há vagas especiais para idosos e portadores de deficiência.

Capacidade - As áreas destinadas ao estacionamento têm capacidade para a recepção de 14 mil veículos – duas mil vagas a mais que a edição de fevereiro do ano passado. São três entradas no acesso principal ao parque e nas áreas iniciais do estacionamento, com duas saídas para a BR-277.

Saída - Quem estacionar no fundo, onde está o novo terreno que aumentou a capacidade de recepção de veículos, sairá por uma estrada que levará à lateral do Hotel Xavantes, e então com acesso à 277. O coordenador do estacionamento, Paulo Eduardo Siqueira, informa que haverá pessoas no local durante todo o dia para bem orientar os motoristas. (Assessoria Show Rural)

GARANTIA DE ORIGEM: Paraná é o terceiro estado com mais produtos com Indicação Geográfica

O Paraná está entre os estados com o maior número de produtos certificados ou em processo de certificação de Indicação Geográfica, ocupando o terceiro lugar atrás apenas de Minas Gerais e do Rio Grande do Sul. Os chamados produtos de origem são aqueles com característica diferenciada por serem produzidos em uma região ou território específicos. Sete já foram certificados e outros cinco aguardam a chancela do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), que atesta a autenticidade da produção.

Produtos - O café do Norte Pioneiro, a erva-mate de São Mateus do Sul, o mel de Ortigueira e do Oeste do Paraná, a goiaba de Carlópolis, a uva fina de mesa de Marialva e os queijos da Colônia Witmarsum, em Palmeira, já receberam a Indicação Geográfica. Já a bala de banana de Antonina, o melado de Capanema, a cachaça, o barreado e a farinha de mandioca do Litoral paranaense estão em processo final de certificação pelo INPI.

Ganhos - Além de dar visibilidade e abrir mercado para a comercialização, o reconhecimento também agrega valor à produção. De acordo com o Fórum das Indicações Geográficas Origem Paraná, os produtos certificados custam em média 30% a mais que os comuns. “A certificação mostra ao consumidor que aquele produto foi feito com todos os requisitos técnicos necessários, com padrões de produção rígidos e que o produtor se dedicou a seguir protocolos técnicos definidos. Isso garante a qualidade e a segurança alimentar do produto”, explica o diretor-presidente do Instituto Emater, Natalino Avance de Souza.

Características – A Indicação Geográfica é dividida em dois tipos. A Indicação de Procedência ocorre quando uma região é reconhecida como centro de produção, fabricação ou extração de determinado produto, levando em conta o fazer tradicional. As balas de banana de Antonina pleiteiam junto ao INPI um reconhecimento nesta categoria, já que, além de ser feito com um ingrediente abundante no Litoral do Estado, a receita do doce é a mesma há 40 anos. Já a Denominação de Origem está relacionada a um produto proveniente de um meio geográfico específico, que influencia na característica da produção. Um exemplo são as uvas finas de mesa de Marialva, no Noroeste. As condições climáticas da região aliadas a inovações na cultura garantem as qualidades específicas da fruta, que recebeu o reconhecimento em 2018.

Apoio – No Paraná, o processo de certificação iniciou com o Sebrae-PR, que fez um diagnóstico em 2013 para identificar potenciais produtos que pudessem ser reconhecidos por sua origem, e passou a orientar as indicações. Órgãos da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, como a Emater e a Agência de Defesa Agropecuária (Adapar), dão apoio e assistência técnica para que os produtores se organizem para conseguir o reconhecimento. “Diversos órgãos trabalham em conjunto para conseguir esse reconhecimento, e a Emater é um deles. A capilaridade do instituto no Estado e sua liderança na organização dos agricultores facilitam esse trabalho”, afirma Souza. “Além da orientação técnica, a principal contribuição da Emater no processo é na articulação dos produtores e de outras organizações para consolidar o modelo de produção exigido para o reconhecimento de Indicação Geográfica”, explica.

Produto histórico – A importância da erva-mate para a história do Paraná – um ramo da planta é inclusive um dos símbolos do brasão do Estado – foi um dos fatores que levou à certificação do produto no ano passado. A cultura da erva-mate em todo o Estado, em especial na região Sul, está ligada à emancipação política do Paraná da então província de São Paulo, em 19 de dezembro de 1853.

Regiões - O reconhecimento foi dado para a região que compreende São Mateus do Sul e outros cinco municípios limítrofes: Antônio Olinto, Mallet, Rebouças, Rio Azul e São João do Triunfo. “Nosso diferencial foi comprovado com uma documentação histórica da época da emancipação política do Paraná, que relaciona o papel da erva-mate nesse processo”, explica Helinton Lugarini, presidente da Associação dos Amigos da Erva-mate de São Mateus do Sul e coordenador do Fórum Origem Paraná. “A notoriedade histórica do produto, que se restringe à região de São Mateus do Sul, define o terroir desta erva-mate”, afirma.

Navegação - A implantação da navegação a vapor no Rio Iguaçu, em 1882, para o escoamento de erva e de madeira e a chegada de imigrantes poloneses, que também passaram a cultivar o produto que já era consumido pelos indígenas da região, são outros fatores históricos ligados à produção local da erva-mate.

Plantio - A forma de plantio foi outro ponto observado. Somente em São Mateus do Sul, 3 mil propriedades cultivam o produto e precisam respeitar alguns requisitos. As mudas devem ser provenientes das cidades indicadas e plantadas em uma região sombreada com a mata nativa, como o pinheiro, imbuia e o cedro. “Nossa erva-mate tem um sabor diferenciado, mais suave e persistente. Esses e outros requisitos foram reunidos em um processo de 1.700 páginas, que foram levantados para o pedido de Indicação Geográfica”, conta Lugarini. (ANPr / Fotos: José Fernando Ogura e Cristiano Oliveira) 

 

 {vsig}2019/noticias/02/01/origem/{/vsig}

ECONOMIA: Bancos terão de destinar mais R$ 6 bi para pequenos produtores

economia 01 02 2019Os bancos terão de destinar mais R$ 6 bilhões dos depósitos à vista e da poupança rural para pequenos produtores rurais, definiu na quinta-feira (31/01) o Conselho Monetário Nacional (CMN). Os recursos serão empregados nas operações de custeio agrícola e pecuário do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp).

Prazo - A medida é transitória e valerá de 1º de fevereiro a 30 de junho. Segundo o Banco Central (BC), o direcionamento adicional foi necessário para fazer frente ao aumento da demanda por crédito rural por parte dos pequenos produtores nesta safra. “A mudança vai garantir os recursos até o fim da safra”, disse o chefe do Departamento de Regulação, Supervisão e Controle de Operações do Crédito Rural do BC, Cláudio Filgueiras.

Como é hoje - Atualmente, os bancos são obrigados a destinar 30% dos depósitos à vista e 60% dos depósitos na poupança rural para o crédito rural. Além disso, as instituições têm de empregar 35% dos recursos da Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) para esse tipo de crédito. Com a mudança, os bancos terão de destinar, além desse valor, mais R$ 6 bilhões para o Pronaf e o Pronamp.

LCA - O CMN também liberou as condições de aplicação das LCA, título emitido por bancos públicos e privados para financiar operações de crédito rural rurais. Por meio desse papel, os investidores emprestam dinheiro para os bancos em troca de receberem o dinheiro de volta com alguma correção e isenção de Imposto de Renda. Até agora, os bancos tinham de usar 35% das emissões de LCA para emprestarem aos pequenos produtores rurais com juros limitados a 8,5% ao ano. Os 65% restantes podiam ser emprestados a qualquer taxa para o produtor rural. Os recursos da LCA são emprestados sem distinção entre pequenos, médios e grandes produtores.

Revogação - O CMN revogou o sublimite de 35%. A partir de hoje (1º), todos os recursos obtidos com as emissões de LCA serão emprestados com taxas definidas pelo mercado. Segundo Filgueiras, essas taxas atualmente estão entre 9,5% e 10% ao ano. Ele, no entanto, disse que a taxa média poderá cair e ficar próxima de 8,5% ao ano porque a mudança vai ampliar o mercado de LCA no país. Na safra de 2017/2018, informou o técnico do BC, as emissões de LCA renderam R$ 30 bilhões para o crédito rural. Na safra 2018/2019, as emissões saltaram para R$ 46 bilhões. “É um mercado em crescimento, que vai crescer ainda mais com a livre negociação das taxas”, disse o técnico do BC. (Agência Brasil)

 

EXPORTAÇÃO: CNI: 19,3% das empresas brasileiras promovem vendas temporárias

exportacao 01 02 2019Pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) revela que 19,3% das empresas exportadoras realizam exportações temporárias. Essa modalidade de exportação é feita, principalmente, para apoiar a participação das empresas em feiras, exposições e congressos e para o envio de amostras comerciais. Segundo a pesquisa, 83,5% das empresas não conhece a modalidade denominada ATA Carnet, destinada a exportações temporárias. Das instituições que conhecem o documento, 3,9% o utilizam. O documento ATA Carnet, que suspende a incidência de impostos sobre a permanência temporária de produtos e equipamentos, foi implementado no Brasil em outubro de 2016.

Documento único - Com apenas um documento, empresas podem entrar com bens em 77 países durante 12 meses. Esse documento reúne todas as informações que devem ser apresentadas na aduana de saída e de entrada, reduzindo a burocracia, tornando mais rápidos os trâmites aduaneiros e pode ser usado tanto por pessoa física quanto jurídica. A CNI é a entidade credenciada junto à Receita Federal para emitir o documento por meio da Rede Brasileira de Centros Internacionais de Negócios (Rede CIN), presente nas federações das indústrias de todo o país.

Análise - O diretor de Desenvolvimento Industrial da CNI, Carlos Eduardo Abijaodi, disse que, diferentemente do que ocorre em países concorrentes, as empresas brasileiras não têm a cultura de levar seus produtos para demonstrar no exterior. Segundo ele, o costume é comum na Alemanha, nos Estados Unidos e na Suíça. “As empresas precisam ver a modalidade de exportação temporária como um instrumento do processo de internacionalização e como um diferencial de competitividade”, disse o diretor da CNI. “Quando uma empresa leva o produto para ser experimentado lá fora, isso aumenta a possibilidade de ela exportar mais e se internacionalizar. A internacionalização, por sua vez, contribui para tornar nossa indústria mais inovadora.”

Desafios - A pesquisa Desafios à Competitividade das Exportações Brasileiras de 2018 ouviu 589 empresas exportadoras entre outubro de 2017 e março de 2018 e apresenta um raio-X dos problemas que os empresários brasileiros enfrentam para poder vender bens e serviços para o exterior. A nova edição da pesquisa busca apontar os principais entraves do processo de exportação e avaliar mudanças ocorridas nos desafios enfrentados pelos exportadores nos últimos dois anos. A edição anterior, publicada em 2016, mostrou que as empresas brasileiras enfrentam muita dificuldade para exportar, apresentando dificuldades, como morosidade e burocracia aduaneira e alfandegária, além da complexidade dos documentos exigidos e do arcabouço legal que regulamenta as exportações, assim como o elevado custo do transporte. (Agência Brasil)

 

MERCADO: Ibovespa fecha em alta de 0,41%; dólar cai para R$ 3,65

mercado 01 02 2019O Ibovespa, principal indicador do desempenho das ações negociadas na B3, antiga BM&F Bovespa, encerrou a quinta-feira (31/01) o dia financeiro em alta de 0,41%, aos 97.393 pontos. O recorde do índice é 97.677 pontos, marca atingida no último dia 24.

As mais valorizadas - Entre as ações do Ibovespa, as que mais se valorizaram ontem foram Bradesco PN (5,65%), ViaVarejo ON (3,99%), e Bradesco ON (3,71%). As que mais caíram foram Estacio (-4,31%), Kroton ON (-4,27%), e EcoRodovias (-3,06%). Os papéis mais negociados foram Vale ON (-2,36%), Petrobras PN (-0,16%), e Bradesco PN (5,65%).

Dólar - O dólar comercial fechou em baixa de 1,76%, cotado a R$ 3,65. O Euro também sofreu desvalorização e encerrou o dia custando R$ 4,17, uma queda de 1,26%. (Agência Brasil)

 


Versão para impressão


RODAPE