Imprimir
CABECALHO

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4504 | 29 de Janeiro de 2019

COCAMAR: Faturamento passou de R$ 3,934 bilhões em 2017 para R$ 4,571 bilhões em 2018

cocamar 29 01 2019Sediada em Maringá (PR), a Cocamar Cooperativa Agroindustrial registrou um crescimento de 16,2% no ano passado, com o seu faturamento saltando de R$ 3,934 bilhões em 2017 para R$ 4,571 bilhões em 2018. Os números referentes ao desempenho da cooperativa nesse último exercício estão sendo apresentados por gestores diretamente aos produtores cooperados em reuniões de prestação de contas em 46 municípios dos Estados do Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul. A agenda começou no dia 25 de janeiro e se estende até 4 de fevereiro.

Pauta - Além de prestar contas, as reuniões têm a finalidade de debater vários outros assuntos relacionados à cooperativa e o setor agropecuário, incluindo projeções de mercado para as principais commodities, e abrir espaço para que os produtores participem, fazendo suas considerações e sanando dúvidas. Ao todo, a Cocamar possui 87 unidades operacionais que atendem a 14 mil cooperados.

Expansão - O faturamento em 2018 foi turbinado por uma grande safra de soja, seu principal produto – a Cocamar registrou o recebimento recorde de 1,332 milhão de toneladas –, a expansão das vendas de insumos (que alcançaram, igualmente, o recorde de R$ 1,238 bilhão), com crescimento de participação no mercado, e a consolidação da presença da cooperativa em negócios nos quais ingressou nos últimos anos: concessão de máquinas agrícolas, rede de postos de abastecimento, moinho de trigo e, mais recentemente, produção de sementes de soja e trigo.

Novas regiões- O ano de 2018 foi marcado, também, por uma forte expansão regional. A Cocamar adquiriu seis estruturas de atendimento da cooperativa Cofercatu, no norte do Estado, e outras quatro unidades de outra cooperativa, a Copagra, no extremo-noroeste. De quebra, ampliou sua presença no Mato Grosso do Sul, abrindo uma loja agropecuária em Naviraí, onde passou também a receber grãos em parceria com uma cooperativa local. Ainda no ano passado a Cocamar concluiu a ampliação de sua capacidade estática de armazenagem, que subiu de 1,1 milhão para 1,6 milhão de toneladas. (Assessoria Cocamar)

C.VALE: Com crescimento de 23% em 2018, C.Vale chega a R$ 8,5 bilhões de faturamento

A C.Vale conseguiu crescer 23% e fechou 2018 com faturamento superior a R$ 8,5 bilhões e sobras de R$ 100 milhões. A valorização da soja e do milho foi o principal fator a impulsionar o desempenho da cooperativa. No segmento carnes, o desempenho foi prejudicado pelos efeitos da greve dos caminhoneiros, pelas restrições impostas pela Europa e China, e pelo baixo nível de consumo do mercado interno.

Assembleia - O relatório com os dados completos será apresentado nesta sexta-feira, dia 1º de fevereiro, aos associados durante assembleia, na Asfuca de Palotina, a partir das 14 horas. O presidente Alfredo Lang vai revelar também os principais investimentos para 2019, que incluem ampliações da produção de frangos, peixes e na capacidade de recebimento de grãos.

Reuniões - Na última segunda-feira, 28, a direção da cooperativa encerrou em Assis Chateaubriand, uma rodada de nove reuniões preparatórias ao evento.  Além de mais de 250 associados e lideranças, participaram da reunião os três diretores da C.Vale, o presidente Alfredo Lang, o vice Ademar Pedro e diretor-secretário Walter Dal’Boit, deputado estadual Marcel Micheletto, o prefeito do município João Aparecido Pegoraro e o gerente da unidade de Assis Roque Faccin. (Assessoria C.Vale)

 


{vsig}2019/noticias/01/29/cvale/{/vsig}

COCARI: Dia de Campo de Verão e Pecuária será nesta quarta-feira, dia 30, em Mandaguari

cocari 29 01 2019Novidades do agronegócio serão apresentadas aos produtores durante a 16ª edição do Dia de Campo de Culturas de Verão e Pecuária. Com o tema Agricultura digital: realidade e tendências, o evento reunirá cooperados de toda a área de ação da cooperativa no Paraná, que compreende aproximadamente 20 municípios. Será nos dias 30 (quarta-feira) e 31 (quinta-feira) de janeiro, a partir das 8 horas, no Centro Tecnológico Cocari, em Mandaguari.

Visitação – Os produtores poderão conferir cultivares de soja, híbridos de milho, cultivares de capim, manejo de pragas, doenças e plantas daninhas, exposição de máquinas e implementos agrícolas, parcelas técnicas da Cocari e de empresas parceiras.

Negócios – Também haverá lançamentos de tecnologias para aumento da produtividade no campo, assistência técnica, palestras com especialistas, pavilhão agropecuário, pavilhão de expositores e agricultura digital. No Balcão de Negócios os cooperados poderão aproveitar ofertas exclusivas.

 

Serviço

Dias: 30 e 31 de janeiro

Horário: 8 horas às 17 horas

CTC: BR 376, KM 395

Mandaguari

(Assessoria Cocari)

SHOW RURAL: Jardins com 350 mil mudas dão colorido especial ao evento

A Coopavel mantém uma equipe na área que anualmente abriga o Show Rural especialmente encarregada de cuidar dos jardins que dão colorido especial ao evento. O projeto paisagístico é elaborado pela agrônoma Vânia Baratto, do Instituto Emater. São, em média, cultivadas 350 mil mudas de 15 espécies diferentes de flores. Uma das sensações desta edição de 2019, que será realizada de 4 a 8 de fevereiro, será o tradicional desenho em frente ao mirante. Neste ano, a opção foi por homenagear a família, uma estrutura social indispensável para a construção e para o sucesso de qualquer País e também para fazer com que as coisas funcionem bem no ambiente rural, diz o presidente da Coopavel, Dilvo Grolli.

O evento - A 31ª edição do Show Rural Coopavel, de 4 a 8 de fevereiro, acontecerá no km-577 da BR-277, em Cascavel saída para Curitiba. São 520 expositores e a expectativa de público é superior a 250 mil pessoas. A movimentação financeira esperada é entre R$ 1,5 bilhão e R$ 2 bilhões. (Assessoria Coopavel)

 

{vsig}2019/noticias/01/29/show_rural/{/vsig}

SICREDI I: Cooperativa lança consórcio para móveis planejados é lançado

sicredi I 29 01 2019O Sicredi – instituição financeira cooperativa com mais de 4 milhões de associados e atuação em 22 estados e Distrito Federal – deu mais um passo no mercado de consórcios e lançou, nesta segunda-feira, 28 de janeiro, o Consórcio de Móveis Planejados. A partir de agora, o consorciado do Sicredi terá a oportunidade de planejar a aquisição do ambiente dos seus sonhos, mobiliando ou renovando um cômodo da sua casa ou do seu negócio. Além de viabilizar a aquisição de conjunto de bens com maior valor agregado, como salas e cozinhas planejadas, mediante faixas de créditos maiores e taxas menores que as praticadas atualmente no mercado, esta inovação permitirá que as 114 cooperativas de crédito do Sicredi – que atuam em mais de 1.200 municípios brasileiros – também possam fazer parcerias locais e, assim, alavancarem o setor moveleiro, gerando mais empregos e renda para as regiões.

Varejo - Segundo Jocimar Martins, gerente da Administradora de Consórcios do Sicredi, atualmente a maior parte das administradoras de consórcio para aquisição de móveis está vinculada a lojas de varejo, que oferecem faixas de crédito baixas e prazos curtos de, no máximo, 12 meses para pagamento. “A maioria das lojas de mobiliário planejado não possui capacidade financeira para financiamento de longo prazo, cabendo a bancos e financeiras realizarem a operação a um custo muito elevado e sem a oportunidade de negociar descontos”, explica Martins.

Diferencial - A consolidação do produto consórcio junto as cooperativas de crédito filiadas ao Sicredi é um dos grandes diferenciais na atuação da instituição nesse segmento. O Sicredi já possui amplo conhecimento e expertise em processos de contemplação. Além do novo Consórcio para Móveis Planejados, a instituição conta com Consórcio de Automóveis, de Imóveis, Náutico, de Caminhões, de Tratores e Utilitários, de Serviços, de Motocicletas e Sustentável, num sistema de compra cooperativada em que o associado contribui mensalmente por meio de um do autofinanciamento.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.600 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br) (Assessoria Sicredi)

SICREDI II: Programa A União Faz a Vida chega a Janiópolis PR

1sicredi II 29 01 2019O Programa A União Faz a Vida, desenvolvido pelo Sicredi há mais de 20 anos, foi lançado no município de Janiópolis na última quinta-feira (24/01). Juntamente com a Assembleia de Núcleos, os mais de 300 associados e convidados presentes puderam participar do lançamento do projeto oficializado através da assinatura do termo de compromisso, em uma parceria do Sicredi e da Secretaria Municipal de Educação. O União Faz a Vida está entre os maiores programas privados ligados à educação em âmbito nacional. Objetivo é promover a educação cooperativa. Está alicerçado em uma rede de compromisso: gestores, parceiros, assessores pedagógicos e apoiadores que se empenham por um mesmo objetivo e caminham na mesma direção.

Um novo jeito de ensinar - Na Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, o Programa existe desde 2011 e atualmente está implantado em 16 municípios da área de atuação da cooperativa. De acordo com Cláudia Bonatti, Gerente de Desenvolvimento do Cooperativismo da Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, o Programa propõe um novo jeito de ensinar, de forma que o aluno passe a ser o protagonista e não um mero receptador de informação. “O Sicredi desenvolveu esta iniciativa porque acredita em uma forma de aprender e ensinar que fortalece valores de cooperação e cidadania e proporciona a formação de pessoas com interesse social e desenvolvimento coletivo”, explica.

Formação continuada - Para isso, o Programa A União Faz a Vida também promove a formação continuada dos educadores, através de encontros orientados pelas assessorias pedagógicas no universo educacional do município. A proposta está alicerçada em uma rede de compromisso atuante, formada pelo Sicredi, prefeituras, assessoria pedagógica, apoiadores e pela comunidade. “Estamos muito animados e felizes com a implantação deste programa aqui em nossa cidade. Certamente será muito importante e válido para nossos alunos, professores, famílias e comunidade e só temos a agradecer ao Sicredi pelo apoio e iniciativa.”, comenta Ângela Aparecida da Rocha, Secretária Municipal de Educação.

Resultados - Entre os resultados positivos da implantação de projetos sociais como estes, estão o melhor desempenho escolar dos alunos - aumento médio de 30% no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) nas cidades que receberam o programa - e o maior engajamento dos pais, que passam a demonstrar mais interesse pelas experiências escolares dos filhos. “Implantar o Programa A União Faz a Vida em Janiópolis é motivo de muita alegria para nós. Através da parceria e apoio da Prefeitura Municipal e da Secretaria Municipal de Educação, iremos contribuir com a formação de cidadãos para um Brasil melhor. Sem esquecer do papel da Cooperativa, como a Instituição Financeira da comunidade, de contribuir com o desenvolvimento e qualidade de vida das pessoas que aqui vivem.”, comenta Jaime Basso, Presidente da Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão valoriza a participação dos 4 milhões de associados, os quais exercem um papel de dono do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.600 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros. Mais informações estão disponíveis em www.sicredi.com.br. (Assessoria Sicredi)

 

{vsig}2019/noticias/01/29/sicredi_II/{/vsig}

 

INSTITUTO SICOOB: Central Sicoob Unicoob realiza encontro de PAEs e voluntários no Pará

1instituto sicoob 29 01 2019Realizado em Ananindeua (PA), no último dia 19, o Encontro de Pessoas de Apoio Estratégico (PAEs) e “Voluntários Transformadores” reuniu 38 participantes que representaram as cooperativas Sicoob Cooesa, Coimppa, Transamazônica e Unidas. O objetivo do evento foi reunir os colaboradores que coordenam e executam os programas e ações do Instituto Sicoob nas cooperativas para que, juntos, realizassem a autoavaliação do ano de 2018 e já construíssem o planejamento de 2019.

Agradecimento ao empenho - Na abertura do evento a diretora de Negócios do Sicoob Coimppa, Lucimeire Nunes, e as conselheiras Vera Almeida, do Sicoob Unidas, e Waldete Seabra, do Cooesa, direcionaram algumas palavras aos presentes e agradeceram a presença e empenho de todos os PAEs e Voluntários Transformadores por participarem do encontro. Além disso, a abertura também contou com presenças importantes como a do diretor-superintendente, Manoel Martins, do Sicoob Unidas e dos presidentes do Conselhos de Administração (Consad) do Sicoob Unidas e Cooesa, Carlos Edilson Santana e Francisca Uchôa, respectivamente.

Palestra - Durante a programação, os participantes prestigiaram palestras sobre “Teoria U: estamos preparados para um novo olhar?” e “Importância da oratória para o sucesso profissional”; além de dinâmicas, atividades, momentos de interação e feedback.

Ampliando o olhar - Para a analista de Projetos da Regional Amazônia, Amanda Melissa Esparano, o encontro de PAEs e Voluntários Transformadores também é um momento de enxergar, na prática, os valores do cooperativismo e o que pode ser feito para melhorar a aplicação e realização dos programas e ações. “Durante o encontro entendemos a grandeza das ações voltadas à intercooperação entre as cooperativas do Sistema Sicoob e a importância de termos um movimento interno de mente, coração e vontade aberta, como nos diz a Teoria U”, explica.

Aprendizado - Já a agente de atendimento Areane Oliveira Chagas destaca que, um dos principais benefícios do encontro é a possibilidade de se relacionar com outros PAEs e voluntários, e conhecer e aprender com as diferentes culturas e experiências. “Foi um evento muito importante. Além de enriquecer meu conhecimento sobre as ações que eu acredito que podem fazer a diferença em nosso propósito como cooperativa, ainda pude socializar e trocar experiências com colegas de outras cooperativas. Volto para casa com o coração aberto e muita vontade de fazer a diferença.”

Elogios - Mas não são apenas os PAEs e Voluntários que têm boas impressões do evento. O professor mestre em Administração, Edmilson Duarte, que palestrou sobre a importância da oratória, relata que “participar deste evento me deixa muito feliz e agradecido por toda a proposta de realização. Foi um excelente trabalho desenvolvido e eu agradeço a oportunidade única de estar com o Sicoob nesta reunião. Desejo muito sucesso”.

Dança - Para finalizar o evento foi realizada uma aula de dança de salão com o professor César Cordeiro, que orientou os presentes sobre como conduzir parceira(o) de dança com elegância e excelência, fazendo uma analogia sobre a condução das relações na vida pessoal e profissional, assim como a importância de se ter qualidade de vida.

O evento - O Encontro estratégico com os PAEs e Voluntários Transformadores reúne os responsáveis pela realização dos programas e ações nas cooperativas, possibilitando a avaliação do ano e a construção do planejamento, além de dar voz às Pessoas de Apoio Estratégico e promover interação e proximidade entre eles. (Assessoria Instituto Sicoob)

{vsig}2019/noticias/01/29/instituto_sicoob/{/vsig}

SICOOB METROPOLITANO: Parceria com a Gympass estímula à prática de atividades físicas

sicoob metropolitano 29 01 2019Por meio de ações do programa de Felicidade Interna do Cooperativismo (FIC), o Sicoob Metropolitano, busca valorizar a qualidade de vida e a felicidade de seus colaboradores. Pensando nisso, a cooperativa firmou parceria com a Gympass, uma rede que oferece acesso a academias e estabelecimentos com diversas modalidades esportivas por meio do pagamento de uma única mensalidade. Para apresentar melhor a novidade, os felicitadores do FIC, considerados guardiões da felicidade na cooperativa, realizaram um café da manhã com suas equipes na última sexta-feira (25/01). A proposta da parceria entre o Sicoob Metropolitano e a Gympass é incentivar a prática de atividades físicas entre os colaboradores, já que através de planos mensais eles podem frequentar academias perto de casa ou do trabalho, sem pagar a mais por isso.

Preocupação com a saúde - Para o assistente de Suporte Operacional, Lucas Gutierrez Ferreira, benefícios como este demonstram o comprometimento da cooperativa com a saúde dos colaboradores. “Não são todos as empresas que pensam tão longe em bem-estar e qualidade de vida. Então, trabalhar no Sicoob Metropolitano é uma oportunidade única e gratificante”, avalia. Já o assistente da agência de Roncador, Uebster Fernando Faria da Silva, acredita que o convênio vai ser de grande valia para os colaboradores. “O valor mais acessível incentiva ainda mais a prática de exercícios”, afirma. “É muito gratificante saber que a empresa onde trabalho realmente se importa comigo, com meu bem-estar e, principalmente, com minha saúde”, diz a assistente da agência de Ubiratã, Jaqueline dos Santos Dolenski.

Uma grande sacada - O diretor de Mercado, Vanderlan Pedro da Silva, já está aproveitando a novidade e pagando apenas 25% do que pagava anteriormente. “É uma grande sacada do Sicoob Metropolitano. A oportunidade de todo mundo ir para a academia e fazer exercícios. Não tem desculpa”, relata.A parceria com a Gympass está disponível para os colaboradores do Sicoob Metropolitano em todas as cidades de abrangência da singular. (Assessoria Sicoob Metropolitano)

SICOOB MARECHAL I: Cooperativa de crédito marca presença na edição 2019 do Dia de Campo Copagril

sicoob marechal I 29 01 2019Nos dias 23 e 24 de janeiro, o Sicoob Marechal marcou presença na edição 2019 do Dia de Campo Copagril, evento que acontece anualmente na Estação Experimental da cooperativa, em Marechal Cândido Rondon. Além da Copagril, cerca de 150 empresas parceiras apresentaram novidades em tecnologia, produtos e serviços para o homem do campo. A feira contou também com uma exposição de maquinários e implementos agrícolas, com oportunidades especiais para a realização de negócios através das linhas de crédito disponibilizadas pelo Sicoob. Além disso, os visitantes puderam conhecer mais sobre os seguros agro, financiamentos para placas fotovoltaicas e para infraestrutura oferecidos pela cooperativa.

Financiamentos - Segundo o diretor superintendente do Sicoob Marechal, Anderson Wolff, a participação no Dia de Campo Copagril foi uma forma de evidenciar a marca e divulgar as opções de financiamento voltadas para o crédito rural. “É um evento marcante para região e muitos expositores participam. Nosso stand foi bastante visitado e é importante estar presente para apresentarmos nossos produtos e serviços”, afirma. (Assessoria Sicoob Marechal)

SICOOB MARECHAL II: Campanha interna incentiva equipes a superarem metas de negócios

sicoob marechal II 29 01 2019No dia 19 de janeiro, diretores, conselheiros e colaboradores do Sicoob Marechal se reuniram em Marechal Cândido Rondon para o evento de lançamento da campanha interna “Caça ao Tesouro”, que tem como objetivo incentivar as equipes de negócios a superarem seus resultados. O diretor superintendente, Anderson Wolff, conta que a campanha terá duração de 11 meses e irá premiar os destaques no cumprimento das metas. “Teremos um prêmio no primeiro trimestre e outro no final do ano. Construímos o regulamento pensando em uma campanha para fomentar os negócios e, ao mesmo tempo, estimular uma competição saudável entre os colaboradores”, explica. Na ocasião, também foi realizado o encerramento da campanha de 2018 e apresentados os regulamentos da Campanha Nacional de Vendas (CNV) e da Olimpíada Sicoob Unicoob 2019. (Assessoria Sicoob Marechal)

FEIJÃO: Quem colheu por último colheu melhor

feijao 29 01 2019Os produtores de feijão que foram a campo logo no início da janela de plantio enfrentaram mais problemas climáticos, entregaram grãos mais castigados e a preços pouco remuneradores, na média paranaense. No entanto, os agricultores que atrasaram mais a semeadura conseguiram resultados melhores, tanto em produtividade quanto em qualidade, com a possibilidade de receber mais do que o dobro pela mesma saca de 60 kg vendida há um mês.

Preços em alta - Essa disparada nos preços já é sentida pelos consumidores nos supermercados e deve continuar ao menos até abril, quando a segunda safra do feijão chegar às prateleiras. Isso porque já era esperada uma produção menor, já que a área plantada caiu 16% no ciclo 2018/19 ante o anterior, para um total de 162,3 mil hectares (ha), segundo o Deral (Departamento de Economia Rural) da Seab (Secretaria de Estado de Agricultura e Abastecimento).

Clima - Na primeira safra, houve excesso de chuvas na semeadura, forte calor e seca na fase de desenvolvimento, além de umidade na colheita. Contudo, o Deral registrou um ganho na qualidade dos grãos entre os relatórios semanais, o que mostra um cenário um pouco melhor para quem está em atividade na colheita.

Colheita - O relatório do órgão de 14 de janeiro mostrava que 46% do feijão colhido no Estado era considerado bom e 14%, ruim. O índice de produtos de alta qualidade pulou para 71% na coleta de informações do último dia 21. "É de produtor para produtor. Aqueles que plantaram antes sofreram mais e não aproveitaram tanto esses preços como quem ainda está colhendo", diz o economista Marcelo Garrido, do Deral.

Produção - As principais regiões produtoras e que também são as primeiras a semear foram as que mais sofreram, como Ponta Grossa (-23% e um total de 59,4 mil t), Curitiba (-34% e 49,8 mil t) e União da Vitória (-39% e 20,9 mil t). Por outro lado, o resultado foi melhor em Irati (6% e 52,5 mil t) e Guarapuava (-4% e 30,6 mil t), de acordo com o Deral.

Perdas refletem - O presidente do Ibrafe (Instituto Brasileiro do Feijão e dos Pulses), Marcelo Luders, diz que o valor da saca chegou a aumentar 40% em um dia na semana passada. "E não é por especulação, mas porque havia falta do produto no Paraná que reflete as perdas aqui e em outros locais, como Minas e Goiás", conta. São Estados em que o plantio foi menor do que o normal justamente porque a cultura rendeu pouco no ciclo anterior. "Já se pagou de R$ 320 a R$ 340 pela saca de 60 kg nesses locais", diz Luders. "Temos produtores com perdas severas, de até 70%, mas se ele não vendeu ainda e tiver produto de qualidade pode ser que não fique no prejuízo", completa.

Perspectivas - Garrido prefere não arriscar um aumento da área na segunda safra ante as previsões iniciais, que eram de diminuição de 17%, para 176,6 mil ha. "Isso não impede que, continuando esses preços, alguns produtores que ainda vão a campo decidam plantar mais", diz o economista. Por outro lado, Luders, afirma que já há maior movimento na venda de sementes no Estado e também em outros dos principais produtores. "Trabalhamos com a hipótese que a área plantada vai aumentar bem e já falam em 20% a 30% a mais de produção em Goiás e Minas Gerais", cita. Com isso, Luders acredita que há possibilidade de 2019 ser um dos anos com a maior gangorra de preços, com um primeiro semestre com valores próximos ao recorde e um segundo semestre com excedente, se o clima ajudar. (Folha de Londrina)

PREVIDÊNCIA SOCIAL: Autônomos e trabalhadores rurais devem se cadastrar no site da Receita

receita 29 01 2019Autônomos e trabalhadores rurais que contribuem para a Previdência Social devem estar atentos. Desde o último dia 15, eles devem preencher o novo CAEPF (Cadastro de Atividade Econômica da Pessoa Física). A medida faz parte do cronograma de ampliação do eSocial, ferramenta que unifica as prestações de informações dos empregadores em um único ambiente. 

Substituição - O CAEPF substitui o CEI (Cadastro Específico do Instituto Nacional do Seguro Social). De 1º de outubro do ano passado até 14 de janeiro, a inscrição era facultativa, mas passou a ser obrigatória desde 15 de janeiro. Segundo a Receita Federal, o novo cadastro reunirá informações das atividades econômicas exercidas pela pessoa física e facilitará a garantia dos direitos dos empregados e empregadores. 

Quem deve preencher - Estão obrigados a preencher o novo cadastro os contribuintes individuais (autônomos) nas seguintes situações: que tenha segurado que lhe preste serviço, titular de cartório (mesmo inscrito como pessoas jurídicas), produtor rural que contribua individualmente com o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) e pessoa física não produtora rural, mas que revende a produção rural no varejo. 

Trabalhadores rurais - Também estão obrigados a aderir ao novo cadastro os segurados especiais. Essa categoria engloba os trabalhadores rurais em regime de agricultura familiar (sem mão de obra assalariada), incluindo cônjuges, companheiros e filhos maiores de 16 anos que ajudam na produção. 

Cadastro - Antes de preencher o documento, o contribuinte deve ir ao site do eSocial, selecionar a opção Primeiro acesso e preencher o cadastro de empregador/contribuinte que aparece na tela. Em seguida, deve clicar no botão Acesso ao Sistema CAEPF para ser direcionado ao sistema da Receita Federal e inserir os dados de contribuinte individual ou segurado especial. 

Empregador doméstico - Quem é empregador doméstico e já está inscrito no eSocial pode ir direto ao Centro de Atendimento Virtual da Receita Federal (e-CAC) para fazer o procedimento. Não é necessário reintroduzir as informações do empregador no portal do eSocial. 

Código de acesso - Para entrar no e-CAC, o empregador deve ter um código de acesso. Para obtê-lo, o segurado precisa informar ou o número do recibo da última declaração do Imposto de Renda ou o número do título de eleitor, caso seja isento de declarar renda. Quem não tem acesso à internet deve procurar a unidade da Receita Federal mais próxima para preencher o cadastro. (Agência Brasil)

ECONOMIA: Índice de confiança da indústria tem maior nível desde agosto de 2018

economia 29 01 2019O Índice de Confiança da Indústria, medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), subiu 2,6 pontos de dezembro de 2018 para janeiro. Com a alta, o indicador atingiu para 98,2 pontos em uma escala de zero a 200, o maior nível desde agosto do ano passado. A confiança subiu em 12 dos 19 segmentos industriais pesquisados. O Índice de Expectativas, que mede a confiança dos empresários da indústria em relação ao futuro, avançou 4,3 pontos e atingiu 99,5, o maior nível desde agosto de 2017 (100,6 pontos).

Contratações - O principal componente para a alta do Índice de Expectativas foi o ímpeto de contratações do setor nos próximos três meses, que cresceu 6,3 pontos. O Índice da Situação Atual, que mede a confiança dos empresários da indústria em relação ao momento presente, subiu 1 ponto, indo para 97 pontos, a terceira alta consecutiva. A alta foi puxada principalmente pelo grau de satisfação com o nível da demanda atual, que subiu 1,6 ponto.

 
Espera por retomada - Segundo o pesquisador da FGV Aloisio Campelo Jr., o setor industrial dá sinais de esperar uma retomada nos próximos meses, após a expressiva desaceleração do segundo semestre do ano passado. “As expectativas avançaram bem em janeiro, com melhores previsões para a produção e o emprego no horizonte de três meses e otimismo com relação à evolução do ambiente de negócios no horizonte de seis meses”, disse. O Nível de Utilização da Capacidade Instalada recuou 0,5 ponto percentual em janeiro, para 74,3%, o menor nível desde setembro de 2017 (74,0%). (Agência Brasil)


Versão para impressão


RODAPE