Imprimir
CABECALHO

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4502 | 25 de Janeiro de 2019

FRÍSIA: Comitê Agrícola realiza visita técnica em cooperativa no Tocantins

 

frisia 25 01 2019Integrantes do Comitê Agrícola da Frísia Cooperativa Agroindustrial no Tocantins fizeram uma visita técnica e conheceram a estrutura da Cooperativa Agroindustrial do Tocantins (Coapa), com sede no município de Pedro Afonso, no centro-norte do estado. A Frísia está há quase três anos na região, quando inaugurou um entreposto no município de Paraíso do Tocantins.

 

Intenção - Segundo Erica Lima Brito, coordenadora da Unidade do Tocantins da Frísia, o objetivo da visita é conhecer a realidade da Coapa, que tem mais de duas décadas de história. “A Coapa tem uma forma um pouco diferente de trabalhar, e gostaríamos de entender como se organizam. A ideia também é conhecer a parte comercial em relação ao milho safrinha.”

 

Intercâmbio - A troca de experiência, lembra Erica, visa beneficiar os cooperado da Frísia e da Coapa. “O cooperativismo no estado tem desafios e ainda precisa ser trabalhado, desenvolvido, para alcançarmos todo o potencial que possui”, destaca.

 

Visitantes - Além da coordenadora, o Comitê Agrícola da Frísia foi representado por Hermann Weigand, Raul Milla, Ulisses Igor Muth e Roelf Harm Rabbers. Também participaram da visita o coordenador comercial Grãos, Alex Santin, e o engenheiro agrônomo Glayson Oliveira. Eles foram recepcionados por integrantes do Conselho de Administração da Coapa e representantes dos setores agrícolas.

 

Expansão - A unidade da Frísia em Paraíso do Tocantins, distante 63 km de Palmas, foi inaugurada em 2016. O armazenamento inicial do entreposto era de 28 mil toneladas e, atualmente, está em 42 mil, além de contemplar uma estrutura para acondicionamento de insumos e para aquisição e armazenamento de sementes. Os cooperados também contam com o apoio em pesquisa e assistência técnica da Fundação ABC. A expansão da Frísia é parte do projeto Novas Fronteiras, sendo que, no Tocantins, já tem 40 cooperados em 14 municípios. (Assessoria de Imprensa Frísia)

 

Sobre a Frísia Cooperativa Agroindustrial:

Fundada em 1925, a Frísia é a cooperativa mais antiga do Paraná e a segunda do Brasil. Localizada na região dos Campos Gerais, tem sua produção voltada ao leite, carne e grãos, principalmente, trigo, soja e milho. A cooperativa é resultado da união do trabalho de todos os cooperados e colaboradores; da diversificação da produção, englobando a produção leiteira, de grãos e de proteína animal; e da alta qualidade do que é feito e comercializado, com animais de excelente genética, rastreamento e investimento em tecnologia, infraestrutura e mão de obra. Os valores da cooperativa são Fidelidade, Responsabilidade, Intercooperação, Sustentabilidade, Integridade e Atitude (FRISIA).

 

SHOW RURAL I: Inovações em máquinas e cultivares estarão entre atrações da 31ª edição

 

Diversas novidades vão ser apresentadas em Cascavel, de 4 a 8 de fevereiro, durante a 31ª edição do Show Rural Coopavel. Há lançamentos nas mais diversas áreas, de máquinas e implementos, novas cultivares e tecnologias para melhorar o desempenho de atividades rurais importantes, como a pecuária de leite.

 

Novidades - Quem visitar o Show Rural Coopavel terá acesso a informações sobre novos tipos de trigo para o inverno, novidades nas áreas de fruticultura e manejo nos estandes do Instituto Emater, Iapar e Embrapa e sobre máquinas de última geração e também de lançamentos. É o caso, por exemplo, de um trator especialmente desenvolvido para atividades ligadas ao ramo de hortifrutigranjeiros. Ele será apresentado pela indiana Mahindra, a maior fabricante de tratores do mundo.

 

Pecuária - Na área da pecuária, duas tecnologias que serão apresentadas no Show Rural Coopavel já chamam atenção. O cross ventilation (ventilação cruzada) será apresentado pela europeia DeLaval, a maior empresa do mundo em soluções para a bovinocultura leiteira. Por meio desse sistema, já em forte disseminação em países do velho continente e início de difusão em estados brasileiros, é possível resfriar em até 12 graus a temperatura no interior de barracões destinados ao confinamento de vacas leiteiras. E tudo usando apenas uma cortina de passagem contínua de água e exaustores.

 

Novidades - Outra tecnologia trazida ao setor pecuário será a balança de passagem, desenvolvida pela Embrapa Gado de Corte, que pela primeira vez virá ao Show Rural, em parceria com a maior empresa de equipamentos da área da América Latina, a Coimma. Com o uso desse equipamento, o pecuarista tem informações em tempo real sobre a situação do seu rebanho. O Show Rural Digital será uma das principais atrações do evento. Voltado à inovação, terá a participação de cerca de cem empresas, entre elas Microsoft, HP, Coca Cola, Totvs, Aruba e Itaipu. (Assessoria de Imprensa Coopavel)

 

{vsig}2019/noticias/01/25/show_rural_I/{/vsig}

SHOW RURAL II: Polícias e forças de segurança se reúnem para sintonizar ações

 

Os comandos das polícias e das forças de segurança que atuam em Cascavel estiveram reunidos na tarde desta quinta-feira (24/01) na área administrativa do Show Rural Coopavel. O objetivo foi dialogar para sintonizar ações que serão desenvolvidas durante o evento, agendado para 4 a 8 de fevereiro de 2019. Com expectativa de público de mais de 250 pessoas, a feira é uma das três maiores do mundo na atualidade.

 

Detalhes - O coordenador geral do evento, o agrônomo Rogério Rizzardi, informa que a finalidade do encontro era conversar sobre trânsito e a segurança dos visitantes no interior do parque. “O diálogo foi bastante produtivo e todos estão otimistas de que tudo vá funcionar muito bem”. Conforme Rizzardi, quanto mais organizado for um evento com as dimensões do Show Rural Coopavel, melhor para todos.

 

Pauta - Os comandos conversaram, basicamente, sobre o deslocamento dos visitantes pela BR-277, sobre o acesso ao parque e também sobre situações que podem vir a ocorrer no interior da área, ligadas à segurança. Ficou combinado que as informações sobre o esquema de trânsito, pela manhã e fim da tarde, vão ser passadas apenas pelas polícias, principalmente pelo comando da Polícia Rodoviária Federal. 

 

Segurança - “Durante os cinco dias do evento tudo costuma ocorrer da melhor forma, na mais absoluta tranquilidade, mas a presença das forças de segurança sempre é bem-vinda”, segundo o coordenador executivo do Show Rural Coopavel, Acir Inácio Palaoro. (Assessoria de Imprensa Coopavel)

 

{vsig}2019/noticias/01/25/show_rural_II/{/vsig}

SHOW RURAL III: Emater apresenta sugestões para incremento de renda

 

show rural III 25 01 2019Uma equipe de 70 extensionistas está finalizando a preparação da área do Instituto Emater no Show Rural Coopavel 2019, que será realizado em Cascavel. O visitante poderá conhecer diversas ações desenvolvidas pela Extensão Rural junto ao produtor familiar. As sugestões para as propriedades são inúmeras, desde o cultivo de olerícolas até a agroindústria e o turismo rural. O Instituto ocupa uma área de 30 mil metros quadrados, além de ser responsável pelo paisagismo de todo o parque de eventos, com o plantio de 350 mil mudas de flores.

 

Atrações - Neste ano haverá a tradicional Feira da agroindústria familiar com a participação de nove associações de produtores e cooperativas, além de empreendimentos familiares de 18 municípios do Paraná, que recebem orientação do Instituto Emater. O visitante encontrará queijos, embutidos, doces, geleias, conservas, molhos, derivados de cana-de-açúcar, cafés premiados, pães e outros produtos coloniais.

 

Produtos  - Outra atração é o Barracão do Artesanato, com a parceria das prefeituras municipais e associações de artesãos. Serão apresentados produtos em tecido, madeira, palha e fios confeccionados pelas mulheres e artesãos de 26 municípios paranaenses.

 

Recicláveis - Uma novidade deste ano é a Casa Econômica Sustentável. De acordo com a extensionista Jussara Walkowicz, a intenção é mostrar aos produtores como o lixo reciclável presente no meio rural pode ser reaproveitado. Garrafas pet e caixas de madeira se transformam em móveis e hortas suspensas. “Até mesmo as caixas de leite podem ser transformadas em telhado térmico. Os visitantes também vão aprender a fabricar sabonete, sabão e amaciantes de roupa, gerando economia em sua residência”.

 

Cozinha - Na área de alimentação o inhame será o destaque. No estande Cozinha da Roça os extensionistas resgatam o uso deste tubérculo no preparo de pratos como maionese e sorvete.

 

Saúde - Outro espaço foi reservado para o uso de plantas medicinais. Trata-se do Cantinho Saúde Melhor, que mostra como produzir plantas medicinais, temperos e verduras em pequenos espaços. O cultivo da “moringa”, utilizada como suplemento alimentar, e da Ora pro nobis, rica fonte de proteína, são as novidades.

 

Horta -  Para quem se interessa pela olericultura, os técnicos do Instituto Emater vão apresentar coleções de tomates, pimentões e pimentas, a tecnologia de produção em ambiente protegido, enxertia em tomates, produção semihidropônica de alface e morango.

 

Frutíferas - O visitante também poderá se informar sobre o cultivo e manejo de diversas frutíferas como caqui, figo, banana e goiaba. Técnicos no local orientarão sobre o planejamento de um pomar caseiro, a produção de mudas de qualidade e o uso da calda sulfocálcica para combater insetos, fungos e ácaros.

 

Manejo - Como a produção de grãos é a mais significativa para o Estado, a Emater levará os resultados do trabalho realizado pelo Instituto e seus parceiros no monitoramento da ferrugem asiática da soja, bem como o monitoramento de pragas e a redução do uso dos defensivos agrícolas.

 

Solo - No manejo da fertilidade do solo, os técnicos vão demonstrar as necessidades nutricionais para os principais grãos e formas para atender essa demanda, melhorando a estrutura física e química do solo, sem elevar os custos de produção.

 

Técnicas - A regulagem adequada do pulverizador e ações para evitar a deriva durante a pulverização de defensivos são outros temas presentes na área de grandes lavouras. Para chamar a atenção dos agricultores sobre a importância da rotação de culturas e do manejo adequado da palhada para cobertura do solo, será instalado um infiltrômetro, aparelho que mede a capacidade de infiltração de água no solo.

 

Alternativas - A bovinocultura é uma importante fonte de renda para os proprietários rurais. Por isso, não poderia ficar de fora das ações do Instituto Emater. Produzir mais e reduzir os custos é o desafio que se impõe ao produtor de leite, e a Extensão Rural vai levar algumas sugestões como a fabricação de ração caseira e as melhores forrageiras para os animais. Além disso, extensionistas estarão à disposição para discutir as vantagens do sistema de integração lavoura-pecuária. Também serão demonstradas todas as fases da criação de tilápias, da construção de tanques ao tratamento da água, e uso de equipamentos como os aeradores. Ainda haverá um espaço dedicado a tecnologias para a produção de mel e derivados e opções de plantas floríferas para servir de pastagem para as abelhas.

 

Praga - Como a formiga saúva é uma importante praga da região Oeste, e em diversas localidades do Paraná, os extensionistas montaram um estande que explica como se dá a formação e a multiplicação dos formigueiros nas áreas rural e urbana. O visitante saberá quais são as principais espécies de formigas, os prejuízos que elas causam e as estratégias de controle.

 

Turismo - Atualmente, o turismo é uma boa opção de renda de muitas propriedades rurais. Cabe ao agricultor explorar o potencial do seu sítio ou chácara e instalar benfeitorias que possam atrair os turistas. A Emater dará algumas sugestões de estruturas que podem incentivar o lazer no meio rural, além das formas de valorizar a gastronomia e a cultura regional. O visitante conhecerá também alguns circuitos da região e do Estado onde o turismo já é uma atividade estabelecida

 

Agroecologia - A valorização da produção agrícola livre de agrotóxicos levou os técnicos do Instituto Emater a criar a área de Agroecologia. São 2,6 mil metros quadrados que representam uma propriedade agrícola, conduzida segundo os princípios e as práticas agroecológicas. O espaço inclui a produção de grãos, frutas, hortaliças, plantas medicinais, sistema agroflorestal e silvipastoril, além de bioconstruções, como a estufa de bambu, barracas para feiras e a cisterna de ferrocimento. (AENPR)

 

Serviço:

Instituto Emater no Show Rural Coopavel

De 4 a 8 de fevereiro de 2019

Parque de Eventos de Cascavel

BR 277 - Km 577, na saída para Curitiba

Horário: das 8 às 18 horas

Entrada Franca

 

INTEGRADA: Mais de mil pessoas passam pela UDT da cooperativa em dois dias de evento

 

Mais de 1.300 pessoas passaram,  entre os dias 23 e 24 de fevereiro, pela Unidade de Desenvolvimento Tecnológico (UDT) da Integrada em Assaí (PR),  na segunda edição do Agrotec. Agricultores do oeste e norte paranaense e do sul de São Paulo conheceram as novas tecnologias de cultivares e manejo na cultura da soja com o objetivo de buscar soluções para aumentar a produtividade dos associados da Integrada.

 

Propósito - Durante a abertura do evento, o diretor-presidente da cooperativa, Jorge Hashimoto, afirmou que o dia de campo tem como objetivo mostrar aos produtores oportunidades em termos de novas tecnologias para que aumentem os seus índices de produtividade. Disse ainda que o aumento de produtividade dos associados é uma prioridade para a Integrada. 

 

Oportunidades - O coordenador técnico da regional de Assaí, Vanildo Pinto, explica que a agricultura é feita de detalhes e que os  eventos são uma oportunidade para que os agricultores avaliem se estão ou não no caminho certo na busca pelo aumento da produtividade.  Segundo ele, uma falha pode comprometer toda a produtividade. O coordenador completa que o objetivo dos técnicos e agrônomos é fazer o agricultor refletir se está ou não fazendo a coisa certa. “Nós agrônomos fomos escolhidos para orientar os agricultores a fazerem a melhor escolha em adubação e variedade”, observa.

 

Vitrine - O Agrotec é uma vitrine tecnológica cujo objetivo é levar a tecnologia disponíveis para todas as regiões de atuação da cooperativa por meio de seus técnicos e engenheiros agrônomos. Hashimoto lembrou que o Brasil tem batido recordes em cima de recordes de produção sem haver um aumento grande de área e isso se deve ao crescimento da produtividade. “O produtor tem um papel importante para fornecimento de alimentos para o mundo”, observou.

 

Importância - Hashimoto salientou também que as cooperativas também têm um papel fundamental no desenvolvimento da agricultura. “Só para se ter uma ideia da dimensão deste setor, as cooperativas paranaenses movimentam mais de 60% do agronegócio no estado do Paraná”, concluiu.

 

Conhecimento - O cooperado Valentin Rosolen, de Arapongas (PR), foi ao Agrotec 2019 com o intuito de conhecer as novas variedades e tecnologias disponíveis no mercado. “Hoje temos que acompanhar a tecnologia que está mudando muito rápido, a exemplo da realização da calagem e da agricultura de precisão, que é uma boa ferramenta.” 

 

Novidade - O agricultor Pedro Xavier, de Guaíra (PR), sempre quando pode vai aos dias de campo para buscar conhecimento com o intuito de elevar os seus índices de produtividade. O associado gostou muito do que viu nos testes de campo, principalmente no que diz respeito à altura e a beleza das plantas de soja. (Assessoria de Imprensa Integrada)

 

{vsig}2019/noticias/01/25/integrada/{/vsig}

COPAGRIL: Cooperativa celebra sucesso de mais uma edição do Dia de Campo

 

Com o encerramento da programação do Dia de Campo Copagril 2019, na tarde desta quinta-feira (24/01), na Estação Experimental em Marechal Cândido Rondon, a cooperativa comemora o êxito de mais uma edição do evento, contando com ampla participação do público. A estimativa dos organizadores é de que mais de 11 mil pessoas circularam pelo campo experimental durante os dois dias de programação.

 

Sucesso - De acordo com o diretor-presidente da Copagril, Ricardo Sílvio Chapla, o sucesso do evento é atribuído à participação dos expositores e à presença cativa de público. “Estamos muito satisfeitos com o sucesso do nosso Dia de Campo e queremos agradecer a todas as empresas parceiras pela dedicação que tiveram em seus estandes e parabenizar pela qualidade dos produtos, serviços e pelo atendimento oferecido aos visitantes. Estendemos ainda esse agradecimento a todos os nossos associados e aos visitantes por prestigiarem tudo aquilo que foi preparado para eles com muito zelo”, declarou, incluindo o agradecimento aos funcionários da cooperativa. 

 

Tecnologia - Durante o Dia de Campo, o público teve oportunidade de ampliar seus conhecimentos sobre os avanços tecnológicos referentes a maquinários e implementos agrícolas, equipamentos para suinocultura e avicultura, biotecnologia, sementes e agroquímicos, diferentes épocas de semeadura, população e espaçamento na cultura da soja, além de pesquisas de instituições, como a Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste).

 

Novidade - Uma parceria entre Embrapa e Fundação Meridional apresentou uma novidade no país: a variedade de soja tolerante a percevejo. Também houve participação de instituições financeiras, empresas de veículos e motonáutica, de painéis de energia solar, cooperativa de artesanato (Cooperlindeiros), entre outros. 

 

Logística - Muitos setores da cooperativa prestaram atendimento e informações aos visitantes, a partir dos Fomentos Leite, Aves, Suínos e Peixes, Lojas Agropecuárias Copagril, Supermercados, Postos, Assessorias, comitês femininos e de jovens da Copagril, além das equipes de organização e de apoio técnico, mobilizando centenas de pessoas.

 

Agradecimento - Ao final do evento, o diretor-presidente oficializou o agradecimento a todos e os convite a voltarem participar do evento. “Foi um Dia de Campo de alto nível, com muitas informações úteis sendo disseminadas para os visitantes e com certeza eles poderão aplicá-las no seu dia a dia, seja na agricultura, seja nas atividades pecuárias. No ano que vem queremos ver todos aqui novamente para mais um evento de sucesso. Obrigado a todos”, concluiu.(Assessoria de Imprensa da Copagril)

{vsig}2019/noticias/01/25/copagril/{/vsig}

SICREDI UNIÃO PR/SP I: Assembleias da cooperativa evidenciam a força do cooperativismo

 

sicredi uniao 25 01 2019A primeira assembleia de prestação de contas realizada numa das agências mais novas da instituição financeira cooperativa Sicredi União PR/SP,  na cidade de Primeiro de Maio,  mostrou a força do cooperativismo, com a participação de 48% dos associados. Em apenas cinco meses de operação, a agência já conta com cerca de 450 contas abertas e outras 200 estão em processo de abertura.

 

Associados - A assembleia foi realizada na última quarta-feira (23/01), aberta pela gerente da agência Sibele Passos Oliveira e conduzida pelo diretor-executivo Rogério Machado. “No final de 2015, a Sicredi União PR/SP tinha 100 mil associados; hoje estamos com 202 mil associados. Crescemos porque fazemos juntos, com a participação de cada pessoa que se associa à cooperativa”, disse Machado.

 

Avanços - Além do crescimento de 23% no número de associados em 2018, em relação a 2017, quando eram em torno de 165 mil, a Sicredi União PR/SP – a maior cooperativa do sistema Sicredi – registrou um avanço de 24% em seus ativos totais no ano passado, passando de R$ 3, 281 bilhões para R$ 4,082 bilhões.  Os recursos totais administrados pela cooperativa também cresceram 25% em relação à 2017, totalizando hoje R$ 2,968 bilhões. Diante do cenário positivo para a cooperativa de crédito, os resultados não poderiam seguir outra trajetória:  o crescimento, frente à 2017 foi de 12%, somando R$ 60,3 milhões. 

 

Ações sociais - Seguindo os princípios do cooperativismo, parte dos resultados obtidos são investidos em programas sociais. De acordo com Machado, hoje a Sicredi União PR/SP possui 20 programas sociais que, em 2018, impactaram mais de 100 mil pessoas. Entre os principais está o programa A União Faz a Vida, que atua em escolas promovendo valores e integração entre escolas, comunidades e pais de alunos.

 

Gratificante - O associado da agência Wellington Henrique Martins, professor, servidor público e advogado, confessa que absorver todos os números apresentados durante a assembleia não é tarefa fácil. “Mas é muito importante sabermos de que forma a cooperativa está administrando, onde os recursos estão sendo investidos e é muito bom saber também que há a preocupação com a educação, com o social e com o desenvolvimento de nossa região”, comentou. Na sua avaliação, faltava justamente isso em Primeiro de Maio: uma instituição financeira comprometida com a comunidade.

 

Propagador - O advogado e associado Cleverson Antonio Cremonez não conhecia a cooperativa até o ano passado, quando a agência foi aberta. “Hoje sou o maior propagador da Sicredi. É uma instituição diferenciada, que investe o lucro na comunidade e tem um atendimento personalizado e humanizado. O contato é fácil e direto, não é por telefone, bankfone. Tudo isso faz com que me sinta valorizado e respeitado”, comentou.

 

Incentivadora - Uma das entusiastas da instalação da Sicredi em Primeiro de Maio foi a agricultora e farmacêutica Flávia Giansante. “Conheci a cooperativa de crédito durante uma assembleia realizada na Cocamar e questionei porque não tínhamos ainda uma agência. Assim começaram as negociações, com apoio da Cocamar, e hoje temos a cooperativa em nossa cidade”, contou.

 

Eleição - Durante a assembleia de Primeiro de Maio também foram eleitos os membros efetivo e suplentes do Núcleo de Associados da agência. Roberto Carlos Lopes é o membro efetivo. Como suplentes, foram eleitos Elaine Araujo Primon e Hailton de Jesus Junior.

 

Homenagens - Antes do encerramento dos trabalhos, a cooperativa prestou uma homenagem aos 10 primeiros associados da cidade: Bruna de Oliveira Casanova, Carlos Bondezam, Claudir Clayton Cremonez, Cleverson Antonio Cremonez, Cristiano Luiz Bergamasco, Flávia Giansante, a empresa Fundição e Metalúrgica Tiger Ltda, José Amauri Bondezam, Osvaldo Frederico e Roberto Carlos Lopes.

 

Informações - As assembleias de prestação de contas estão sendo realizadas em todas as cidades onde a cooperativa tem agências – sua área de abrangência é norte e noroeste do Paraná e centro-leste paulista. Tiveram início em 15 de janeiro e prosseguem até 18 de março e ao final serão totalizadas 79 assembleias. (Assessoria de Imprensa Sicredi União PR/SP)

 

SICREDI UNIÃO PR/SP II: Abertas inscrições para curso gratuito de informática

 

O programa Centro de Informática da Sicredi União PR/SP está com inscrições abertas para o curso gratuito de informática básica. A iniciativa é voltada para associados e familiares, mas também pode ser estendido para a comunidade. Até o fim de fevereiro, interessados devem entrar em contato com as agências que ficam nos 11 municípios que integram o programa (Alto Paraná, Paranavaí, Nova Esperança, Floraí, Terra Boa, Sabáudia e os distritos São Lourenço e Graciosa no Paraná; e Cafeara, Mogi Guaçu e Leme em São Paulo).

 

Duração - A capacitação tem duração de quatro meses e, neste primeiro semestre, será realizada a partir de 11 de março até o fim de junho, com duas aulas por semana. Por atender todas as faixas etárias - desde crianças a partir de oito anos até a terceira idade - as turmas são organizadas de acordo com o perfil dos alunos para facilitar o processo de aprendizagem. 

 

Conteúdo - Nas aulas, os participantes aprendem a utilizar os principais programas do pacote Office, como Word, Excel e Power Point, e a navegar na internet. Os alunos também aprendem digitação, formatação de documentos e a acessar as operações online da instituição financeira cooperativa. 

 

Ampliar - Para 2019, a expectativa é que mais municípios do Paraná e de São Paulo implantem o programa, que conta com o auxílio de empresas ou entidades parceiras. O motivo é que instituição financeira cooperativa disponibiliza equipamentos e instrutores, já os parceiros providenciam o local para a realização do curso.

 

Objetivo - O programa foi iniciado no distrito de Graciosa, em 2013, e desde então já formou mais de 900 alunos. Somente no ano passado foram entregues quase 300 certificados. O objetivo da Sicredi União, com a iniciativa, é levar conhecimento a quem não tem acesso, promovendo a inclusão digital e, por consequência, facilitando o dia a dia das pessoas.

 

Parcerias - Atualmente, os parceiros do programa são Rotary Club de Terra Boa, Associação das Senhoras de Rotarianos de Paranavaí, Amafil Alimentos de São Lourenço, Associação Ninho da Águia de Nova Esperança, Associação Comercial e Industrial de Alto Paraná (Aciap), Prefeitura Municipal e Secretaria de Assistência Social de Cafeara, Associação Mundo Melhor de Mogi Guaçu, Casa da Criança de Leme, e Prefeitura Municipal de Sabáudia. (Assessoria de Imprensa Sicredi União PR/SP)

 

SICREDI VALE DO PIQUIRI ABCD PR/SP: Cooperativa inicia “Processo Assemblear 2019” que totalizará 45 Assembleias de Núcleo

 

Já imaginou poder escolher o destino de parte dos resultados de sua instituição financeira? Isso já é realidade para os mais de 4 milhões de associados que integram o Sistema Sicredi em quase todo o país. De janeiro a março, são realizadas as Assembleias de Núcleo anuais, que reúnem diretores, colaboradores e associados de cada uma das 115 cooperativas de crédito existentes no país. 

 

Dono - Nas Assembleias de Núcleo, o associado exerce o papel de “dono” e, juntamente com os demais associados, debate e vota sobre questões relacionadas à gestão e ao desenvolvimento da Cooperativa. A Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP realizará 48 eventos em seu Processo Assemblear deste ano, sendo: 45 Assembleias de Núcleo nas cidades onde a Cooperativa está presente, duas Reuniões com Delegados de Núcleo (PR e SP) e uma Assembleia Geral Ordinária (AGO), que consolida todo o processo. 

 

Início - O evento que deu início ao movimento das Assembleias deste ano foi a Reunião com os Delegados de Núcleo do Paraná, realizada no último sábado (19/01) em Palotina (PR). Mais de 200 lideranças da Cooperativa estiveram reunidas para receberem informações sobre o exercício de 2018 e colocarem em prática os princípios de governança cooperativa que visam a transparência na gestão.

 

Andamento - A primeira Assembleia de Núcleo foi realizada na segunda-feira (21/01) em Quarto Centenário. No dia seguinte (22/01), foi a vez dos associados de Engenheiro Beltrão e Peabiru exercerem seu papel de dono; no dia 23, em Araruna e Campo Mourão, e no dia 24, em Janiópolis. (Assessoria de Imprensa Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP)

 

Agenda de Assembleias de Núcleo:

25/01 – 19h30 – Rancho Alegre D’Oeste 

26/01 – 10h30 – Farol 

28/01 – 20h00 – Umuarama

29/01 – 19h30 – Altônia 

01/02 – 19h30 – São Jorge do Patrocínio 

02/02 – 10h00 – Xambrê

04/02 – 19h30 – Goioerê

05/02 – 20h00 – Pérola 

06/02 – 20h00 – Moreira Sales/Mariluz

07/02 – 11h00 – Esperança Nova

07/02 – 19h30 – Perobal

11/02 – 19h30 – Diadema

12/02 – 19h30 – Santana/Mooca/Tatuapé

13/02 – 19h30 – Avenida Paulista/Rebouças/Faria Lima/Berrini

14/02 – 19h30 – Santo Amaro/Campo Belo

15/02 – 19h30 – Vila Maria/Fetcoop/Lapa 

18/02 – 19h30 – Mauá

19/02 – 19h30 – Ribeirão Pires

20/02 – 19h30 – São Caetano  

21/02 – 19h30 – Santo Andre

22/02 – 19h30 – São Bernardo

25/02 – 10h30 – Luiziana 

25/02 – 19h30 – Iretama

26/02 – 10h30 – Roncador 

26/02 – 19h30 – Nova Cantu

27/02 – 19h30 – Campina da Lagoa

28/02 – 19h30 – Ubiratã 

01/03 – 19h30 – Juranda

07/03 – 19h30 – Anahy

08/03 – 19h30 – Braganey/Iguatu 

09/03 – 10h30 – Brasilândia 

11/03 – 19h30 – Iporã

12/03 – 11h00 – Alto Piquiri 

12/03 – 19h30 – Cafezal

13/03 – 19h30 – Santa Rita/Alto Santa Fé

18/03 – 19h30 – Maripá/Vila Candeia/Pérola Independente

19/03 – 19h30 – Terra Roxa

20/03 – 19h30 – Assis Chateaubriand/Bragantina 

21/03 – 19h30 – Palotina

22/03 – 19h30 – Francisco Alves

 

{vsig}2019/noticias/01/25/sicredi_vale_do_piquiri/{/vsig}

SAFRA DE SOJA I: Ministra da Agricultura diz que seguro rural e juros para o agronegócio são prioridades

 

safra soja 25 01 2019Em sua primeira visita oficial ao Paraná, após assumir o Ministério da Agricultura, Tereza Cristina disse a centenas de agricultores que o seguro rural é prioridade do governo para dar mais segurança aos produtores. Ela e o governador do Paraná, Ratinho Júnior (PSD), foram a Apucarana para a Abertura Nacional da Colheira da Soja na Fazenda Ubatuba, nesta quinta-feira (24/01). 

 

Dificuldade - Numa mesa redonda junto com a ministra e o governador, o presidente da Aprosoja Brasil, Bartolomeu Braz, salientou a importância de um trabalho forte do governo em relação ao seguro rural. "Hoje o seguro só cobre 14% das áreas do País. Além disso temos dificuldade de custeio, o crédito rural não chega ao produtor, além da dificuldade de infraestrutura. Precisamos de mais modais ferroviários e hidroviários." 

 

Custos - O presidente da Frente Parlamentar Agropecuária (FPA), Alceu Moreira, também bateu na tecla dos custos do agronegócio e como o produtor ainda é malvisto pela sociedade. "Não podemos ter que enfrentar juros de agiota", ressaltou. 

 

Democrático - Tereza Cristina disse que uma das prioridades do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) é um seguro rural democrático. "Trouxe ao Mapa o Pedro Loyola (ex-Faep) que vai nos ajudar a encontrar soluções inteligentes para o seguro. Não podemos ter produtores sem dormir, indo aos bancos para pedir renegociação." 

 

Negociações - A ministra relatou ainda que em situações pontuais onde as quebras estão sendo grandes, vai conversar com as instituições financeiras para que as negociações com os produtores fiquem mais tranquilas. "Também já estamos discutindo os valores do Plano Safra que será lançado em junho." 

 

Infraestrutura - Por fim, não deixou de salientar a importância de um Plano de Infraestrutura, que será lançado ainda neste mês, e também estratégias para uma tabela de fretes mais justa para o futuro. "Vamos construir um modelo mais interessante daqui em diante." 

 

Colheita - Chegando à sétima edição, a Abertura Nacional da Colheita da Soja tem o objetivo de traçar um panorama da oleaginosa para os próximos meses, durante a colheita das lavouras no país. A previsão da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) é que a safra brasileira de soja atinja a marca de 118,8 milhões de toneladas, abaixo dos 120 milhões do ano passado. 

 

Grande - Apesar da redução, lembrou a ministra, a safra continua grande. “No ano passado foram quase 118 milhões de toneladas, neste ano a previsão é baixar para quase 110 milhões. Infelizmente foi um ano difícil em termos de clima para muitos estados. Mas o nosso compromisso é achar uma maneira de seguro que seja barata para os produtores”, acrescentou a ministra. Segundo o USDA, o Departamento de Agricultura dos EUA, a produção mundial de soja será de 369,2 milhões de toneladas.

 

Presenças - Participaram do evento, promovido pelo Canal Rural, Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil) e Aprosoja Paraná,   o secretário Nacional de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Eduardo Sampaio Marques; o vice-presidente de Agronegócio do Banco do Brasil, Luís Carlos Guedes Pinto; o presidente da Aprosoja Paraná, Márcio Luiz Bonesi; os secretários de Estado do Planejamento, Waldemar Bernardo Jorge; e da Saúde, Beto Preto; os presidentes do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, da Faep, Ágide Meneguette, e da Conab, Francisco Marcelo Rodrigues Bezerra; o empresário Carlos Massa, os deputados federais Sérgio Souza; Osmar Serraglio; Luiz Nishimori; Alex Canziani e Luiz Carlos Hauly; os deputados estaduais Tião Medeiros; Luiz Carlos Schiavinato; Alexandre Curi; Cobra Repórter; e Tiago Amaral; os deputados eleitos Luisa Canziani; Marcel Micheletto e Adriano Jose; o senador eleito pelo Rio Grande do Sul, Luís Carlos Heize; e o prefeito de Apucarana, Sebastião Ferreira Martins Junior. (Folha de Londrina e AENPR)

 

SAFRA DE SOJA II: Governo quer melhorar infraestrutura e agregar valor à produção rural

 

O governador Carlos Massa Ratinho Junior afirmou nesta quinta-feira (24) que a industrialização e agregação de valor à produção rural, além do aperfeiçoamento da infraestrutura, são os principais desafios do Governo do Estado para contribuir com o desenvolvimento do setor agropecuário paranaense.

 

Vocação - “O Paraná tem o agronegócio como vocação. Mas precisamos avançar. O poder público tem que criar ambiente para que a produção rural seja industrializada ao máximo, porque isso acrescenta valor ao produto e aumenta a renda do produtor”, afirmou Ratinho Junior, ao participar do evento que marcou a abertura nacional da safra de soja.

 

Diversificação - O Governo do Paraná, afirmou Ratinho Junior, trabalhará pela diversificação de modais para melhorar o escoamento da produção estadual. “Hoje temos um problema, porque produzimos, mas não conseguimos escoar com qualidade para mundo. Precisamos de um sistema inteligente de infraestrutura para entregar a produção por um preço menor e de forma mais rápida”, afirmou.

 

Projetos - O governador ressaltou que tem um planejamento audacioso para diversificar a infraestrutura, com dois projetos principais. “Um é a ferrovia ligando Maracaju (MT) ao Porto de Paranaguá. O outro é criar a ferrovia bioceânica entre os portos de Paranaguá e Antofagasta, no Chile”, explicou.

 

Exportação - Este projeto, destacou Ratinho Junior, vai ampliar as exportações brasileiras, em especial a paranaense, para a Ásia, além de possibilitar a exportação de minério do Chile pelo Porto de Paranaguá. “Isso fará com que o Paraná se torne um hub logístico da América Latina. Poderemos atender todo o centro-oeste e o sul do país”, disse.(AENPR)

QUEBRA DE SAFRA: Estiagem e calor reduzem estimativa da produção de grãos no Paraná

 

quebra safra 25 01 2019O clima seco e as altas temperaturas registrados, principalmente, nos meses de novembro e dezembro do ano passado frustraram a expectativa com a safra paranaense de grãos de verão 2018/19. O Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, estimava uma produção de 22,5 milhões de toneladas. A projeção foi revista para 20,4 milhões de toneladas de grãos.

 

Período - A estimativa de produção de grãos de verão 2018 foi apresentada pelo secretário da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara, nesta quinta-feira (24/01), em Apucarana, quando ressaltou que a queda se dá após sete anos de boas safras. A lavoura mais afetada foi a de soja, seguida do feijão e milho da primeira safra.

 

Prejuízo - A produção de soja deve registrar uma redução de 14%, de acordo com o Deral. A estimativa inicial, de uma safra de 19,5 milhões de toneladas, foi reduzida para 16,8 milhões de toneladas. Se a nova projeção for confirmada, a receita dos produtores cairá R$ 3 bilhões, considerando os preços de mercado.

 

Expectativa - Ortigara lamentou o resultado provocado pelo clima adverso, que frustrou as expectativas dos agricultores de continuar com boa produtividade em suas lavouras. Mas não descarta que perdas possam ser compensadas em áreas onde houve plantio tardio de soja. “Mesmo assim, o Paraná ainda colhe uma grande safra de verão, acima de 20 milhões de toneladas, que não é fácil diante de um clima tão hostil”, afirmou o secretário.

 

Outros - A mesma seca atingiu também outros estados produtores de grãos como Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás e Tocantins. “Com isso, o Brasil deverá retardar em assumir a condição de líder mundial na produção de soja”, disse Ortigara.

 

Localizados - Para o diretor do Deral, Salatiel Turra, as perdas de grãos da safra de verão concentram-se em regiões que anteciparam o plantio e foram impactadas pelo clima seco durante o desenvolvimento vegetativo das plantas nos meses de novembro e dezembro. “Com isso, plantios mais tardios, mas realizados dentro do zoneamento agrícola podem apresentar resultados melhores e compensar as perdas já registradas”, acredita.

 

Soja - As regiões mais afetadas com as perdas de soja até agora foram as de Toledo, com redução de 39% em relação à estimativa oficial; seguida de Umuarama (25%), Campo Mourão ( 23%), Francisco Beltrão (22%), Paranavaí (19%) e (14%).

 

Colheita - Segundo o economista do Deral, Marcelo Garrido, desde a safra 2011/12, o Paraná não registrava grande frustração de safra com a soja. Neste ano, o calor excessivo antecipou a colheita que hoje encontra-se com 15% da área plantada (5,4 milhões de hectare). “No ano passado nessa mesma época a colheita ainda não tinha iniciado”, comparou.

 

Mercado - “As primeiras áreas colhidas são as mais atingidas. Quem plantou a partir da metade de outubro para frente, que são as lavouras mais tardias, não deve ser tão impactado pelo clima”, disse o economista. Segundo ele, os reflexos no mercado já são evidentes. A soja está sendo comercializada, pelo produtor, em média por R$ 69,00 a saca, cerca de 6% acima dos preços praticados em igual período do ano passado, quando o produto era vendido por R$ 62,00 a saca.

 

Milho - A safra de milho foi menos afetada pelo clima em função da resistência das lavouras ao clima seco. A projeção para esse período do ano apontava para uma colheita de 3,3 milhões de toneladas, contra uma estimativa atual de 3,1 milhões de toneladas.

 

Impacto - A situação climática impactou principalmente a região oeste. Já na região sul, que tem mais de 67% da área de milho da primeira safra, o impacto foi menor. Porém, o clima continua influenciando negativamente e isso pode refletir em uma produtividade menor que o esperado.

 

Estimativa - Para o analista de milho do Deral, Edmar Gervásio, o cenário para a produção paranaense do grão não é ruim. As estimativas de produtividade permanecem no intervalo esperado de 8,7 mil e 9,7 mil quilos por hectare, para essa época do ano.” Mesmo com rendimentos elevados, a primeira safra de milho é pouco expressiva no Estado, não tendo a mesma representatividade que tinha antes”, disse. A colheita já iniciou, com cerca de 3% da área plantada (352.000 hectares) já colhida. Os preços do milho permanecem estáveis, em torno de R$ 29,00 a saca, sem grandes oscilações.

 

Feijão - As perdas registradas na primeira safra também são expressivas. Segundo o agrônomo do Deral, Carlos Alberto Salvador, a primeira safra de feijão registra perda de 19% na produtividade, o que representa uma redução de 61 mil toneladas de feijão. A perda financeira para os produtores é de R$ 171 milhões. A produção estimada até agora é de 260 mil toneladas.

 

Quebra - A região produtora que mais perdeu feijão foi a de Curitiba, com redução de 30%. Em seguida vem Ponta Grossa (14%) e Irati, que deverá produzir 5 mil toneladas a menos em relação à estimativa inicial.

 

Preço - Cerca de 80% da área plantada (162.306 hectares) já foi colhida e as perdas já estão refletindo no mercado. O feijão de cor teve alta de 41% de dezembro até está penúltima semana de janeiro. O produto, que era vendido por R$ 123,52 a saca de feijão em dezembro, está sendo negociado agora em média por R$ 174,76 a saca. O feijão preto passou de R$ 123,84 a saca em dezembro para os atuais R$ 156,60. (AENPR)

 

AGRICULTURA FAMILIAR: Governo fortalecerá apoio às pequenas cooperativas

 

O secretário de Estado da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara, recebeu na quarta-feira (23/01) a direção da União Nacional das Cooperativas de Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicafes). O objetivo foi confirmar a parceria do Governo do Paraná com as pequenas cooperativas familiares. O presidente da entidade, Ivori Fernandes, afirmou que está confiante no fortalecimento do cooperativismo da agricultura familiar por essa nova gestão.

 

Incentivos - O secretário Ortigara reforçou a intenção do governador Carlos Massa Ratinho Júnior em criar condições para elevar a geração de renda na agricultura familiar. Para isso pretende alavancar as cooperativas por meio de políticas públicas que garantam infraestrutura e acesso aos mercados.

 

Boa notícia - Ortigara afirmou, ainda, que pretende ampliar a produção de alimentos orgânicos e agroecológicos por meio das pequenas cooperativas de agricultores familiares. “Essa demanda cresce no mercado e os agricultores precisam do nosso apoio para organização e acesso a esse mercado”, afirmou.

 

Milhares - O Paraná conta com 246 pequenas cooperativas da agricultura familiar, envolvendo mais de 162 mil pequenos produtores rurais, que precisam de apoio desde o campo até a agroindústria. A Secretaria da Agricultura e do Abastecimento planeja detalhar um programa de suporte em logística, pequenas agroindústrias e mesmo nas lavouras, para intensificar uma produção de alimentos saudáveis.

 

Melhorias - Segundo Fernandes, da Unicafes, está comprovado que com o apoio de uma cooperativa estruturada, a renda do agricultor cresce 50%, na comparação se ele estivesse sozinho. “A cooperativa potencializa o acesso aos mercados e na estrutura de produção”, destacou. (AENPR)

 

{vsig}2019/noticias/01/25/agricultura_familiar/{/vsig}

SANIDADE: Influenza Aviária é reportada na República Dominicana

 

O Ministério da Agricultura da Republica Dominicana reportou à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), um caso de Influenza Aviária em aves comerciais. De acordo com o relatório o caso aconteceu na província de Puerto Plata e levou 745 aves ao abate. O sorotipo do vírus reportado foi o H5N2, considerado levemente patogênico, a confirmação foi feita pelo Laboratório Veterinário Central do país. 

 

Medidas - Ainda segundo o relatório da OIE as medidas aplicadas foram a criação de uma zona para contenção do vírus, quarentena e eliminação de aves. A OIE sugeriu também que o transporte de animais na região seja controlado.

 

Doença - A influenza Aviária é uma doença contágios e atinge aves silvestres e domésticas, provocando lesões sérias nos sistemas respiratório, digestivo, nervoso e reprodutivo, sendo a notificação dos focos da doença obrigatória. (Site Avicultura Industrial)

ECONOMIA I: Confiança do Comércio recua 0,2 ponto em janeiro, aponta FGV

 

economia I 25 01 2019O Índice de Confiança do Comércio, medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), caiu 0,2 ponto de dezembro para janeiro, depois de três meses de alta. Com o resultado, o indicador passou a marcar 103,8 pontos, em uma escala de zero a 200. Já a confiança em relação aos próximos meses manteve-se em alta pelo quarto mês consecutivo.

 

Segmentos - Em janeiro, a confiança caiu em cinco dos 13 segmentos do comércio. A queda foi influenciada por uma piora na confiança em relação ao momento presente. O Índice de Situação Atual recuou 2,5 pontos para 94,6 pontos, primeira queda desde maio de 2018.

 

Outro - O Índice de Expectativas subiu 2,1 pontos para 112,9, o maior nível desde fevereiro de 2011 (115,1). (Agência Brasil)

(Foto: Marcelo Camargo/Arquivo Agência Brasil)

 

ECONOMIA II: Arrecadação federal tem alta de 4,74% em 2018 e soma R$ 1,457 tri

 

economia II 25 01 2019A arrecadação das receitas federais somou R$ 1,457 trilhão, em 2018, informou nesta quinta-feira (24/01) a Secretaria da Receita Federal do Ministério da Economia. O crescimento real (descontada a inflação) chegou a 4,74%, na comparação com 2017. É o maior resultado desde 2014, quando ficou em R$ 1,532 trilhão (valor corrigido pela inflação de dezembro de 2018).

 

Positivo - Segundo o chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros da Receita Federal, Claudemir Malaquias, ao aumento da arrecadação ocorreu devido à retomada do crescimento econômico e do emprego. “Tivemos aumento de 2,82% na massa salarial. Aumentando o emprego, aumenta a renda para consumo.” Com o aumento do consumo, aumenta também a arrecadação, explicou.

 

Balanço - As receitas administradas pela Receita Federal (como impostos e contribuições) chegaram a R$ 1,398 trilhão, com aumento real de 3,41%. 

 

Queda - Em dezembro, a arrecadação total chegou a R$ 141,529 bilhões, com queda real de 1,03% em relação ao mesmo mês de 2017. Segundo Malaquias, em dezembro de 2018 houve redução da arrecadação com o Programa de Regularização Tributária. Isso porque em 2017, os contribuintes que aderiram ao programa, pagaram uma parcela de entrada, o que não ocorreu no mês passado. Outro motivo relacionado a dezembro, foi a redução da tributação do diesel.

 

Desonerações - Em 2018, as desonerações concedidas pelo governo levaram à renúncia fiscal de R$ 84,239 bilhões, acima do valor registrado em 2017 (R$ 83,643 bilhões). Somente a desoneração da folha de pagamentos chegou a R$ 11,992 bilhões. (Agência Brasil)

(Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

 


Versão para impressão


RODAPE