Imprimir
CABECALHO

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4489 | 08 de Janeiro de 2019

PRIVATIZAÇÕES: Governo estuda privatizar ou liquidar 100 estatais, diz ministro

 

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, antecipou nesta terça-feira (8/01), antes de participar da segunda reunião ministerial, no Palácio do Planalto, que há projeções para privatizar ou liquidar cerca de 100 estatais, incluindo subsidiárias do Banco do Brasil, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Petrobras, entre outras. A meta é reduzir gastos e levantar recursos. Segundo o ministro, as privatizações podem ocorrer nos próximos meses. Ele não detalhou os planos de desestatização, mas afirmou que serão seguidos os critérios funcionais.

 

Subsidiárias - É possível colocar em prática se você pensar que há muitas subsidiárias. Obviamente, a gente está falando não só de privatizações, mas também de liquidação de empresas que não fazem mais sentido. As liquidações vão desonerar o orçamento e vai sobrando dinheiro para investir em outras prioridades.” O ministro concedeu entrevista exclusiva à rádio CBN na manhã desta terça-feira, em Brasília.

 

Parcerias - Tarcísio Freitas disse, ainda, que reforçará as negociações com a iniciativa privada para buscar incentivos aos investimentos em infraestrutura no país e priorizar outros gastos com recursos públicos. Ele afirmou que a equipe já “sabe o que fazer”. “Não há mais recurso fiscal. Para prover infraestrutura, vamos ter que contar muito com a iniciativa privada, por isso, nosso foco nas concessões, nas parcerias publico-privadas”, explicou. Durante a reunião ministerial desta terça-feira (08/01), os ministros devem apresentar planos e propostas de enxugamento da pasta e medidas de rápida implementação. “Vamos pegar projetos que são de iniciativa de parlamentares que vão contribuir para a melhoria do ambiente de negócios e segurança jurídica”, disse.

 

Propostas - Na mira de sua equipe, estão propostas já em tramitação que tratam de licenciamento ambiental, o papel das agências reguladores e a atualização do marco de desapropriações que atualmente segue o modelo de 1941. Para o ministro, o país precisa desenvolver bons projetos para atrair investimentos estrangeiros com estoque de capital. “A gente tem que mostrar que nossos projetos são bons, que vão dar boa taxa de retorno e estão endereçando corretamente os riscos. Há que se afastar o risco de insolvência do país, portanto, a questão fiscal e a reforma da Previdência são muito importantes”, reiterou.

 

Rodovias - De acordo com o ministro da Infraestrutura, há planos definidos para ferrovias e setor portuário e metas para recuperação da malha rodoviária. Ele lembrou que a construção e manutenção da infraestrutura viária tem um alto custo e disse que parte dessa responsabilidade pode ser passada para o setor privado se houver compatibilidade comercial. “Tenho que pegar todos os trechos passíveis de exploração pela iniciativa privada. Isso vai fazer com que, na área da concessão, a gente disponibilize para a iniciativa privada quase 9 mil quilômetros de rodovias”, disse. Segundo ele, desse total, 5,6 mil quilômetros seriam novas concessões. (Agência Brasil de Notícias)

ESTATAIS: Bancos públicos vão encolher e Caixa apertará juros para classe média

 

O governo de Jair Bolsonaro anunciou nesta segunda-feira (7/01) que vai reduzir o tamanho dos bancos públicos no País, com venda de subsidiárias e a devolução de aportes feitos pelo Tesouro nessas instituições. Também indicou que irá diminuir o número de agências e encarecer o custo do crédito para a classe média (no caso de financiamentos à casa própria) e para o produtor rural para que os bancos deem mais retorno ao controlador, a União. Ao dar posse a Joaquim Levy (BNDES), Rubem Novaes (Banco do Brasil) e Pedro Guimarães (Caixa Econômica Federal), o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o mercado de crédito no País foi “estatizado” e sofreu “intervenções danosas” de governos anteriores. “A máquina de crédito do Estado sofreu desvirtuamento. Perderam-se os bancos públicos através de uma aliança perversa de piratas privados, democratas corruptos e algumas criaturas do pântano político”, discursou o ministro. Ele afirmou que os novos presidentes estão assumindo os cargos com a responsabilidade de acabar com a “falcatrua”.

 

Bolsonaro - Presente na cerimônia de posse, no Palácio do Planalto, Bolsonaro afirmou que não admitirá nenhuma “cláusula de confidencialidade pretérita” nos bancos para justificar a falta de transparência nas operações. Mais cedo, no Twitter, o presidente afirmou que a “caixa-preta” do BNDES está sendo levantada e será divulgada, assim como de outros órgãos públicos federais. Guedes também criticou o que chamou de financiamentos “estranhos” do BNDES, quando o banco emprestou a juros baixos para grandes companhias, que ficaram conhecidas como “campeãs nacionais”, ou para projetos de pouco retorno. “Nós, economistas liberais, não gostamos disso”, afirmou. 

 

Guedes - O ministro da Economia também disse que à medida que a “caixa-preta” da Caixa for examinada, vai ficar “óbvio” que o banco foi “vítima de saques, fraudes e assaltos nos recursos públicos”. Guedes afirmou que Bolsonaro não vai tolerar compra de influência política junto aos bancos públicos e, consequentemente, o uso de recursos na direção equivocada. Em sintonia com o chefe, os presidentes dos bancos prometeram priorizar pequenos tomadores de crédito, venda de participação em subsidiárias e o pagamento da dívida com a União. 

 

Crise - Em 2012, no governo da ex-presidente Dilma Rousseff os bancos oficiais foram obrigados a reduzir as taxas e os juros, movimento que não foi compartilhado pelos concorrentes privados. Como a crise econômica se agravou, houve aumento de calotes, redução do retorno das instituições e o comprometimento de capital. Guimarães, da Caixa, disse que a classe média terá de pagar juros maiores do que os cobrados nos financiamentos do programa de habitação popular Minha Casa Minha Vida. “Quem é classe média tem de pagar mais. Ou vai buscar no Santander, Bradesco, Itaú. Na Caixa, vai pagar um juro maior que o do Minha Casa, certamente, porque vai ser um juro de mercado.” Novaes, do BB, disse que há um entendimento tanto do Banco Central como do Ministério da Economia de que seria necessário reduzir subsídios nos juros do crédito rural e ampliar o seguro agrícola. (O Estado de S. Paulo)

BANCO DO BRASIL: Novo vice-presidente de Agronegócios será Ivandré Montiel da Silva

 

Em comunicado ao mercado, o Banco do Brasil divulgou que o novo vice-presidente de Agronegócios da instituição será Ivandré Montiel da Silva. A indicação do presidente do BB, Rubem de Freitas Novaes, foi divulgada na segunda-feira (07/01), após a confirmação da demissão de Tarcísio Hübner, que ocupava o cargo desde 2016. O novo vice-presidente é funcionário de carreira do banco, economista, formado pela PUCRS, com mestrado em gestão econômica pela Universidade de Brasília (UnB). Confiram abaixo o comunicado do BB. 

 

COMUNICADO AO MERCADO

 

      O Banco do Brasil S.A. (BB) comunica que, o Presidente Rubem de Freitas Novaes, no uso de sua atribuição disposta no Estatuto Social do BB, artigo 30, inciso I, alínea b, indicou para compor o Conselho Diretor:

 

*Sr. Ivandré Montiel da Silva, funcionário de carreira do BB, para o cargo de Vice-presidente de Agronegócios. Atualmente, ocupa o cargo de Secretário Adjunto de Política Agrícola e Meio Ambiente, da Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Fazenda.*

Sr. Antônio Gustavo Matos do Vale para o cargo de Vice-presidente de Gestão de Pessoas, Suprimentos e Operações. Atualmente ocupa o cargo de Vice-presidente de Tecnologia no BB.

Sr. Carlos Hamilton Vasconcelos Araújo para o cargo de Vice-presidente de Gestão Financeira e Relações com Investidores. Atualmente ocupa o cargo de membro do Comitê de Riscos e Capital no BB.

Sr. Carlos Motta do Santos para o cargo de Vice-presidente de Distribuição de Varejo. Atualmente, ocupa o cargo de Gerente Geral da Unidade Negócios Pessoa Física, Pessoa Jurídica e Agronegócio do BB.

Sr. Carlos Renato Bonetti para o cargo de Vice-presidente de Controles Internos e Gestão de Riscos. Atualmente, ocupa o cargo de Diretor de Gestão de Riscos do BB.

Sr. Fábio Augusto Cantizani Barbosa para o cargo de Vice-presidente de Tecnologia. Ocupou o cargo de Diretor e Conselheiro de Administração em empresa do segmento de Meios de Pagamento.

Sr. Flávio Augusto Corrêa Basílio, funcionário de carreira do BB, para o cargo de Vice-presidente de Governo. Ocupou o cargo de Secretário Nacional de Segurança Pública do Ministério da Segurança Pública.

Sr. Márcio Hamilton Ferreira para o cargo de Vice-presidente de Negócios de Atacado. Atualmente, ocupa o cargo de Vice-presidente de Controles Internos e Gestão de Riscos no BB.

     

Conforme determina a Lei 13.303/16 e Decreto 8.945/16 que a regulamenta, as indicações ainda dependem de aprovação prévia da Casa Civil da Presidência da República, manifestação favorável do Comitê de Remuneração e Elegibilidade – COREM e eleição pelo Conselho de Administração - CA.

 

Brasília (DF), 07 de janeiro de 2019.

 

Daniel Alves Maria

Gerente Geral de Relações com Investidores

PR COOPERATIVO: Encontro Estadual de Cooperativistas é destaque da 1ª edição de 2019

 

pr cooperativo 08 01 2019A 1ª edição de 2019 da Revista Paraná Cooperativo tem como destaque a cobertura jornalística do Encontro Estadual de Cooperativistas, que reuniu cerca de 1.800 pessoas no Teatro Positivo, em Curitiba, nos dias 6 e 7 de dezembro de 2018. A reportagem mostra os detalhes do evento, que trouxe à capital paranaense dezenas de caravanas de cooperados de todas as regiões do estado. O Encontro é promovido tradicionalmente pelo Sistema Ocepar para celebrar as conquistas obtidas pelo setor ao longo do ano. A solenidade de abertura contou com a presença de diversas autoridades, dentre elas o governador do Paraná, Ratinho Jr, o vice-governador Darci Piana, o senador Oriovisto Guimarães, os deputados federais Leandre Dal Ponte, Pedro Lupion, Aline Sleutjes e Osmar Serraglio, que foi homenageado pelos trabalhos prestados ao cooperativismo, recebendo o Troféu Ocepar. A honraria também foi entregue ao presidente da Coagro Cooperativa Agroindustrial, com sede em Capanema, no Sudoeste do Paraná, Sebaldo Waclawovsky. 

 

Entrevista - A entrevista especial desta edição foi feita com o cooperativista Sebaldo Waclawovsky, com uma trajetória de desafios e conquistas em 46 anos de dedicação ao cooperativismo. O dirigente, que atualmente preside a Coagro, também teve atuação na Cotriguaçu e no Sicredi Fronteiras. “Apesar de toda a dificuldade, consegui superar muitos obstáculos e chegar hoje, vivo, como parte da história do cooperativismo”, afirmou. 

 

Outros destaques - A revista traz também matérias de eventos de repercussão, como o Fórum de Comunicação e o workshop de planejamento estratégico, que promoveu o compartilhamento de experiências entre cooperativas do estado na implantação do PRC 100, entre outros temas de interesse do cooperativismo do Paraná.

Clique aqui para conferir na íntegra a edição nº 166 da revista Paraná Cooperativo

FRÍSIA: Mudanças na governança vão fortalecer os negócios da cooperativa

 

Para dar mais foco em áreas importantes de seus negócios em 2019, a Frísia Cooperativa Agroindustrial inicia o ano com uma nova governança. As mudanças acontecem em funções nas áreas Comercial e Agrícola, que passam a ser desempenhadas por duas gerências distintas. A Gerência de Supply Chain também passa por mudanças. Essas três áreas permanecem subordinadas à Superintendência da Frísia, gerida por Emerson Moura. Para ele, os ajustes na estrutura diretiva são a preparação para a cooperativa passar a contar com uma gestão mais moderna. “Estamos inovando mais uma vez sem deixar de vislumbrar que a Frísia seja uma das melhores empresas para se trabalhar em nosso setor”, destaca Moura.

 

Agrícola - A nova Gerência Agrícola tem sob sua administração as áreas de Assistência Técnica, Silvicultura e Ambiental, além da área de Sementes que se divide entre Produção, Beneficiamento, Laboratório e Comercial. As mudanças promovidas pela cooperativa garantem maior ênfase no negócio agrícola, fortalecendo assistência técnica, as áreas ambiental, florestal e de sementes, cuja previsão é de crescimento entre 8% a 10% no faturamento em 2019.

 

Comercial - Já a Gerência Comercial, liderada por Mario Dykstra, engloba as áreas de Compras Geral, Comercial de Cereais, Distribuição de Insumos, além da área Comercial de Insumos – dividida entre Agroquímicos e Fertilizantes. Para dinamizar a comercialização de produtos, a Gerência de Supply Chain, responsável pelo escoamento de insumos e de produtos, passa a contar com uma coordenação de e-Commerce.

 

Intercooperação - Além disso, a Frísia terá um foco maior no processo de aquisição e distribuição de fertilizantes, agroquímicos, materiais diversos e vendas de cereais. Outro objetivo que deve ser alcançado com essas mudanças é o estabelecimento de parcerias com outras cooperativas paranaenses por meio da Intercooperação.

 

Sobre a Frísia - Fundada em 1925, a Frísia é a cooperativa mais antiga do Paraná e segunda do Brasil. Localizada na região dos Campos Gerais, tem sua produção voltada ao leite, carne e grãos, principalmente, trigo, soja e milho. A cooperativa é resultado da união do trabalho de todos os cooperados e colaboradores; da diversificação da produção, englobando a produção leiteira, de grãos e de proteína animal; e da alta qualidade do que é feito e comercializado, com animais de excelente genética, rastreamento e investimento em tecnologia, infraestrutura e mão de obra. Os valores da cooperativa são Fidelidade, Responsabilidade, Intercooperação, Sustentabilidade, Integridade e Atitude (FRISIA).

SHOW RURAL 2019: Cidades se somam na divulgação do evento

 

Devido à sua importância e repercussão, o Show Rural Coopavel há anos passou a ser um evento de toda a comunidade do Oeste do Paraná. Neste ano, para fortalecer e valorizar ainda mais a mostra, cidades nas quais a cooperativa está presente farão ações especiais ao longo deste mês para divulgar e para convidar agricultores, autoridades e moradores para prestigiar a edição de número 31, agendada para 4 a 8 de fevereiro de 2019, das 8h às 18h, em Cascavel – BR-277, km 577, na saída para Curitiba.

 

Ações - As cidades adotarão diversas formas de divulgação do evento, como mutirões de entrega de folders no comércio, blitze com a distribuição de convites a motoristas e a passageiros e convites boca-a-boca, ressaltando a importância de participar desse que é um dos maiores eventos de disseminação de novas tecnologias para o campo do mundo. “Todos da Coopavel, empresas parceiras, expositores e pessoas que, de uma forma ou outra fazem o evento acontecer, sentimo-nos honrados com a colaboração das cidades da região em também ajudar a divulgar o evento”, diz o presidente da Coopavel, Dilvo Grolli.

 

Movimentação - O Show Rural Coopavel terá, em sua 31ª edição, 520 expositores e expectativa de movimentação financeira entre R$ 1,5 bilhão e R$ 2 bilhões. Apenas no comércio de Cascavel e cidades vizinhas, o evento vai injetar R$ 60 milhões, uma soma considerável principalmente pelo evento durar apenas cinco dias, observa o coordenador-geral o agrônomo Rogério Rizzardi. “O Oeste do Paraná é essencialmente agrícola e historicamente o Show Rural Coopavel dá contribuições para fortalecer e a ampliar as produtividades de várias culturas, gerando mais renda para as cidades, aos agricultores e a vários segmentos da cadeia do agronegócio na região”.

COCAMAR: Mais de 100 empresas confirmadas no Safratec 2019

 

Uma das mais importantes feiras tecnológicas do agronegócio regional, o Safratec Cocamar 2019, de 23 a 24 deste mês em Floresta (PR), tem confirmada a participação de mais de 100 empresas de diferentes segmentos, parceiras da cooperativa.

 

Variedade - Com muita inovação, os expositores vão desde companhias fornecedoras de sementes, fertilizantes e produtos químicos, a fabricantes de pneus, lubrificantes, equipamentos diversos para aprimorar a gestão, e concessionárias de veículos, além de exposição e atividades práticas com colheitadeiras, tratores e plantadeiras John Deere, representados pela Cocamar Máquinas.

 

Produtividade - A expectativa do Safratec, que é promovido anualmente pela Cocamar em sua Unidade de Difusão de Tecnologias (UDT) às margens da PR-317 e conta também com a presença de várias instituições de pesquisa, como Embrapa Soja, Instituto Agronômico do Paraná (Iapar) e Universidade Estadual de Maringá (UEM), é apresentar novos recursos tecnológicos, informações e conhecimentos para o aumento da produtividade das lavouras. Em ambos os dias, a UDT estará aberta das 8h às 17h e a previsão é receber mais de 5 mil produtores cooperados. (Assessoria de Imprensa Cocamar)

TECNOLOGIA: Falta uma semana para o Dia de Campo da C.Vale

 

Novas tecnologias para altas produtividades e manejo de solo, pragas e ervas daninhas estão entre os principais temas da edição de 2019 do Dia de Campo de Verão da C.Vale. Para orientar o produtor sobre técnicas que permitam melhorar as condições estruturais do solo e o desenvolvimento das plantas, a C.Vale convidou o pesquisador José Eloir Denardin, da Embrapa Trigo de Passo Fundo (RS), para participar do evento, programado para 15,16 e 17 de janeiro de 2019, em Palotina (PR). “Precisamos evitar a compactação e melhorar a conservação do solo para evitar perdas de fertilizantes e corretivos, e estruturá-lo melhor através da rotação de culturas”, explica o engenheiro agrônomo Enoir Pellizzaro, coordenador do Dia de Campo.

 

Atrações - O Campo Experimental oferecerá outras atrações aos produtores. Durante os três dias, a partir das 8 horas da manhã, empresas de sementes, fertilizantes e agroquímicos vão expor produtos e serviços em seus stands. Especialistas e técnicos convidados pelas empresas farão palestras aos produtores. Os últimos avanços tecnológicos das culturas de verão serão apresentados por universidades e instituições de pesquisa.

 

Máquinas - Os produtores também poderão conferir novidades de fabricantes de máquinas e implementos agrícolas. Empresas do setor vão mostrar seus produtos em apresentações estáticas e dinâmicas. Criadores de suínos, peixes e de frangos também receberão orientações sobre manejo das atividades. Os visitantes poderão acompanhar a 18ª Mostra da Bezerra e da Novilha Leiteira, torneio leiteiro e palestras técnicas. As integrantes dos núcleos femininos participarão do evento com exposição e comercialização de produtos.

 

Atualização - Para o presidente da C.Vale, Alfredo Lang, o Dia de Campo permite que os produtores se atualizem para aproveitar melhor as oportunidades do agronegócio. “O Dia de Campo da C.Vale promove uma ponte entre as empresas e os produtores rurais a fim de garantir avanços ao agronegócio”, pontuou o Lang.

 

{vsig}2019/noticias/01/08/tecnologia/{/vsig}

SICREDI: Sicredi lança cartão com tecnologia contacless

 

Nova solução permite aos associados fazerem compras sem precisar inserir o cartão nas máquinas. Buscando oferecer mais conveniência aos seus associados, o Sicredi - instituição financeira cooperativa com mais de 3,9 milhões de associados e atuação em 22 estados brasileiros e no Distrito Federal - lança neste mês de janeiro o cartão Sicredi Mastercard Black com a tecnologia contacless. Gradualmente, o recurso também será disponibilizado em outros cartões do portfólio do Sicredi.

 

Tecnologia - Com a nova tecnologia, os associados conseguem fazer suas compras do dia a dia no crédito e no débito de maneira mais simples, apenas aproximando o cartão nas máquinas que aceitem o pagamento por aproximação e a transação ocorre em poucos segundos.“O objetivo é oferecer mais comodidade, agilidade e praticidade aos associados na hora de fazerem as compras. O uso de novas tecnologias também permite a migração dos volumes antes transacionados com dinheiro para o cartão, reduzindo a circulação de dinheiro e de forma segura, pois as compras realizadas com o pagamento por aproximação possuem os mesmos níveis de segurança de uma compra com um cartão tradicional”, afirma Cidmar Luis Stoffel, Diretor Executivo Produtos e Negócios do Banco Cooperativo Sicredi. “Além disso, ajuda a reduzir filas, melhorando a experiência do associado ao realizar um pagamento, completa Stoffel.Para este ano, além do Sicredi Mastercard Black, estão previstos os lançamentos das versões contactless dos cartões Sicredi Platinum, Sicredi Gold, Sicredi Internacional, Sicredi Touch, Sicredi Débito, Sicredi Poupança e Sicredi Empresarial.

 

Sobre o Sicredi O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos 3,9 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados e no Distrito Federal, com mais de 1.600 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br)

SICOOB MERIDIONAL: Projeto de inovação reúne jovens para propagar o cooperativismo financeiro

 

Em outubro de 2018, o Conexão Sicoob movimentou Bento Gonçalves (RS) e proporcionou aos universitários locais uma experiência inesquecível. No Laboratório de Inovação, evento que encerrou a programação na cidade gaúcha, os participantes tiveram como desafio apresentar ideias para atrair o público jovem para o cooperativismo. 

 

Oportunidade - Apesar de somente uma das equipes ter sido premiada no Conexão Sicoob, o Sicoob Meridional decidiu dar a oportunidade para que os demais participantes aprimorem as soluções apresentadas. Pensando nisso, criou a Jornada Embaixadora. A iniciativa teve início no dia 27 de novembro, com um almoço entre a diretoria da cooperativa e os participantes do Laboratório de Inovação. Na ocasião, 10 jovens foram oficialmente nomeados e certificados como embaixadores do Espaço Inov@, inaugurado em outubro na cidade.

 

Missão - Os embaixadores terão como missão discutir estratégias para colocar em prática os projetos apresentados por eles no Laboratório de Inovação. O objetivo é apresentar para mais jovens os diferenciais do cooperativismo financeiro, do capitalismo consciente, da economia compartilhada e, principalmente, o Sicoob. Para isso, eles se reunirão duas vezes por mês no Espaço Inov@ e serão acompanhados por uma representante da Unidade Administrativa da cooperativa via videoconferência.

 

Presente - Para o estudante David Willian da Rosa, ter a oportunidade de executar os projetos elaborados no Lab e reunir os participantes em um único grupo foi um grande presente. “Tenho plena certeza que vamos realizar grandes projetos e propagar cada vez mais a ideia do cooperativismo financeiro”, afirma.

 

Realizar sonhos - A estudante Sabrina Sberse acredita que os projetos apresentados no Conexão Sicoob visam dar um norte ao jovem que tem muitos de sonhos, porém na maioria das vezes não sabe como guardar e investir o dinheiro que tem para realizá-los. “O cooperativismo é um jeito fácil, altamente acessível e muito eficaz de unir jovens, sonhos e capitalismo consciente. É um prazer ser embaixadora do Sicoob”, explica.

 

Bolsa - A Jornada Embaixadora terá duração de 6 meses e os jovens terão à disposição o espaço de coworking do Inov@, além de todo o suporte da equipe do Sicoob Meridional. Para isso, a cooperativa irá oferecer mentoria, treinamentos e dinâmicas para preparação e execução das ideias. Além disso, como reconhecimento pela participação, e durante esse período cada participante receberá uma bolsa incentivo de R$ 300, valor disponibilizado em cartão vale-presente.

MEIO AMBIENTE: Presidente do Ibama pede exoneração do cargo

 

A cientista política Suely Araújo pediu exoneração do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). O pedido, em ofício, foi encaminhado por meio do Sistema Eletrônico de Informações (SEI), por onde tramita os documentos da administração pública federal. No ofício, Suely assinala que “entende pertinente” o seu afastamento após ter sido “amplamente divulgada na imprensa e internamente na instituição” a indicação como futuro presidente do Ibama, de Eduardo Fortunato Bim. A escolha de Bim foi noticiada pela Agência Brasil em dezembro passado. Bim é do quadro Advocacia-Geral da União (AGU), é especialista em licenciamento ambiental, doutorando em direito do estado pela Universidade de São Paulo e, até o momento, está lotado na Procuradoria Federal Especializada do próprio Ibama, na sede em Brasília.

 

Polêmica - A saída de Suely Araújo ocorre após polêmica nas redes sociais por causa do valor do contrato de fornecimento de combustível (R$ 28,7 milhões), junto à Companhia de Locação das Américas, para abastecimento da frota de fiscalização do Ibama (393 camionetes) em todo o país. Às 12h05 de domingo (6), pelo Twitter, o novo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, publicou imagem do extrato do contrato para o fornecimento e escreveu: “Quase 30 milhões de reais em aluguel de carros, só para o Ibama...”

 

Repercussão - Após repercussão na imprensa, o ministro voltou ao Twitter às 20h e assinalou que não levantou suspeita sobre o contrato, apenas destacou o valor elevado. De acordo com a segunda mensagem de Salles, “o valor elevado também foi questionado pelo TCU desde abril e, portanto, não precisava ser assinado a dez dias da troca de governo”. Em documento, divulgado no dia 06/01 pelo Ibama, a ex-presidente do órgão argumentou que o tribunal aprovou os valores referentes aos contratos dos veículos e despesas. 

 

Contrato - Segundo ela, o novo contrato abrange 393 caminhonetes adaptadas para atividades de fiscalização, combate a incêndios florestais, emergências ambientais, ações de inteligência e vistorias técnicas nos 27 estados. "O valor estimado inicialmente para esse contrato era bastante superior ao obtido no fim do processo licitatório, que observou com rigor todas as exigências legais e foi aprovado pelo TCU."

 

Outro lado - A assessoria do Ibama informou que a indicação de Eduardo Bim para a presidência do instituto está confirmada e a nomeação deve sair nos próximos dias.


Versão para impressão


RODAPE