Imprimir
CABECALHO

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4481 | 21 de Dezembro de 2018

FIM DE ANO: Sistema Ocepar deseja um Feliz Natal a todos!

Devido às festividades de final de ano, o Sistema Ocepar terá algumas mudanças em seu horário de funcionamento. Nos dias 24 e 31 de dezembro, não haverá expediente. Já nos dias 26 de dezembro e 02 de janeiro, as atividades serão retomadas às 13h30. A diretoria da entidade aproveita para desejar um Feliz Natal e que todos possam desfrutar desse momento tão especial junto aos familiares e amigos, com muita alegria, paz e esperança em um mundo cada vez mais solidário e cooperativo.

 

feliz natal cartao 21 12 2018

G7: Lideranças têm encontro com governador eleito Ratinho Júnior

 

g7 21 12 2018Os presidentes das principais federações representativas do setor produtivo paranaense que integram o G7 tiveram um encontro com o governador eleito do Paraná, Ratinho Júnior, na tarde desta quinta-feira (20/12), em Curitiba. A reunião ocorreu no Chapéu Pensador, na sede da Copel localizada no bairro Bigorrilho. Ratinho Júnior anunciou o nome das pessoas escolhidas para compor sua equipe de governo e agradeceu o apoio do G7 na elaboração de um estudo feito pela Fundação Dom Cabral sobre a nova estrutura administrativa de sua gestão, que terá 15 secretarias no lugar das 28 atuais. O novo governador afirmou ainda que, a partir do dia 2 de janeiro, seus secretários já estarão a postos para tratar dos assuntos demandados pelo G7. Ratinho Júnior disse ainda que pretende sempre ouvir o grupo, especialmente nas questões relativas à melhoria da infraestrutura do Estado. 

 

Participação - Participaram do encontro o vice-governador eleito do Estado do Paraná e presidente da Fecomércio (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná), Darci Piana; o vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), Hélio Bampi, representando o presidente Edson Luiz Campagnolo; o presidente da Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado do Paraná (Faciap), Marco Tadeu Barbosa; o presidente da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep), Ágide Meneguette; o presidente da Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Estado do Paraná (Fetranspar), Sérgio Luiz Malucelli; o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, o superintendente da Fecoopar (Federação e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná, Nelson Costa, e o presidente da Associação Comercial do Paraná (ACP), Gláucio José Geara.

 

PARANÁ: Ratinho Júnior fecha equipe do novo governo e confirma redução para 15 secretarias

 

parana 21 12 2018O governador eleito Ratinho Júnior (PSD) anunciou nesta quinta-feira (20/12) mais sete nomes que vão compor o primeiro escalão de seu futuro governo. Ele confirmou, também, que vai reduzir de 28 para 15 o número de secretarias na próxima administração. “Em um estudo muito superficial há uma redução de R$ 300 mil por mês (de gastos) para cada secretaria cortada”, explicou.

 

Estudo - O novo modelo foi elaborado a partir de estudo realizado pela Fundação Dom Cabral, que fez uma análise da administração estadual por cenários. Todo o processo foi acompanhado de perto pelo governador eleito. “O nosso governo vai ficar entre os três mais enxutos do país. Com corte de gastos, desburocratização e planejamento, o Paraná poderá crescer 4% ao ano. Vamos trabalhar para que o estado volte a ser protagonista do Brasil”, afirmou Ratinho Jr. 

 

Central de Compras - “Com outras medidas administrativas que vamos aplicar a partir de primeiro de janeiro, como a criação de uma Central de Compras, as licitações transmitidas via internet e a diminuição do número de imóveis alugados pelo estado, o impacto no caixa do governo vai ser ainda maior”, disse o governador eleito. 

 

Nomes - Os nomes anunciados nesta quinta incluem o deputado federal Reinhold Stephanes (PSD) – que coordenou o plano de governo de Ratinho Júnior – e vai comandar a Secretaria de Estado da Gestão Pública, cuidando das áreas de administração e previdência. O prefeito de Apucarana, Beto Preto, será o futuro secretário da Saúde.

 

Outras secretarias - O deputado estadual Márcio Nunes assumirá a Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos. Norberto Ortigara vai voltar à Secretaria de Agricultura que já ocupou no governo Beto Richa. Cláudio Stabile vai presidir a Sanepar, Eduardo Bekin a Agência Paraná de Desenvolvimento e Jorge Lange a Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar).

 

Quem são - Veja quais serão as 15 secretarias do novo governo:

- Secretaria da Casa Civil – Guto Silva

- Secretaria de Estado de Gestão Pública – Reinhold Stephanes

- Secretaria de Estado da Fazenda - Renê de Oliveira Garcia Júnior

- Secretaria de Estado de Comunicação Social e Cultura – Hudson José

- Secretaria de Estado de Desenvolvimento Ambiental e Turismo – Márcio Nunes

- Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas - João Carlos Ortega

- Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística – Sandro Alex

- Secretaria de Estado da Educação e Esporte - Renato Feder

- Secretaria de Estado da Saúde – Beto Preto

- Secretaria de Estado de Segurança Pública - Luiz Felipe Kraemer Carbonell

- Secretaria de Estado de Justiça, Família e Trabalho - Ney Leprevost

- Secretaria de Estado de Agricultura e Abastecimento – Norberto Ortigara

- Secretaria de Estado de Planejamento e Projetos Estruturantes - Valdemar Bernardo Jorge

- Procuradoria Geral do Estado - Letícia Ferreira da Silva

- Controladoria Geral do Estado – Raul Siqueira

(Site Bem Paraná)

 

RAMO AGROPECUÁRIO: Cooperativas discutem indicadores de RH e pesquisa salarial com o Sescoop/PR

 

No dia 18 de dezembro, 22 gestores de RH do ramo agropecuário discutiram a revisão dos Indicadores de Recursos Humanos das cooperativas, com o objetivo de avaliar quais são os indicadores necessários para uma adequada gestão organizacional e identificar as atividades que estão tendo o efeito esperado e quais precisam ser ajustadas. Foi durante o workshop promovido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR), na sede da Cotriguaçu, em Cascavel, Oeste do Paraná. 

 

Apresentação - O instrutor Dórian Bachmann, especialista em indicadores de desempenho e benchmarking, realizou uma apresentação sobre como o acompanhamento dos indicadores de desempenho podem identificar oportunidades de melhorias e contribuir para o estabelecimento de metas mais eficazes para possibilitar aumento da produtividade e competitividade.

 

Decisões - “Tomar decisões baseadas em dados tem sido uma prática muito utilizada no setor de RH. Os gestores estão percebendo que, através dos indicadores, é possível compreender em que situação a cooperativa está, o que é preciso fazer para corrigir falhas ou até mesmo comprovar ganhos já obtidos”, ressaltou o Coordenador de Desenvolvimento Cooperativo do Sescoop/PR, Leandro Macioski, que participou do evento, juntamente com os analistas técnicos, Ana Lúcia Gonçalves e Jaffer Besen. 

 

Cargos e salários - No encontro, também foram debatidas as melhorias no Sistema de Cargos e Salários para os próximos ciclos.

 

{vsig}2018/noticias/12/21/ramo_agropecuario/{/vsig}

INTEGRADA: Antecipada parte da distribuição das sobras aos associados

 

integrada 21 12 2018A Cooperativa Integrada liberou aos seus associados a antecipação das sobras sobre a safra 2017/18. Cada cooperado receberá R$ 0,60 por saca de soja entregue na Integrada. A devolução em sobras está no estatuto social da cooperativa, que é estabelecida na Assembleia Geral Ordinária (AGO), que ocorre sempre no primeiro trimestre do ano.

 

Adiantamento - Muitas cooperativas fazem o adiantamento das sobras no final do ano, inclusive a Integrada. Essa antecipação é conhecida como o 13° salário do produtor rural. A cooperativa atingiu neste ano a marca de R$ 3 bilhões em faturamento. O diretor-presidente da Integrada, Jorge Hashimoto, afirma que essa conquista se deve ao trabalho e empenho de cooperados e colaboradores.

 

Desafios - Hashimoto afirma que 2018 foi um ano de muitos desafios, a exemplo da greve dos caminhoneiros que afetou o mercado e consequentemente a atividade agrícola, aumentando os custos de produção. Com os insumos mais caros, a rentabilidade da cooperativa poderia ter sido maior.

 

Estiagem - Outro agravante que o setor agrícola enfrentou em 2018 foi a forte estiagem que atingiu praticamente todas as áreas de atuação da cooperativa. (Imprensa Integrada)

 

COOPERTRADIÇÃO: Cooperativa assume indústria de moagem de soja da massa falida da Olvepar

coopertradicao 21 12 2018A planta industrial da Olvepar, administrada pela Santa Rosa, foi lacrada no dia 14 de novembro pela Justiça, quando os cerca de 100 funcionários foram impedidos de acessar o a indústria para trabalhar. Abriu-se, então, um novo edital com vários grupos do país se habilitando para alugar a massa falida. Entre eles, a Coopertradição, com sede em Pato Branco, que foi a vencedora. A diretoria da Coopertradição anunciou a informação em entrevista coletiva realizada na sede da cooperativa.

Nova fase - Julinho Tonus, presidente da Coopertradição, disse que foi um trabalho árduo, que representará uma nova fase para os cooperados. Além da planta industrial de Clevelândia e entorno, com o posto de combustível e restaurante, a cooperativa assume também outras unidades do Sudoeste. “A Coopertradição, nesses 16 anos, cresceu muito e nosso planejamento estratégico previu a construção do Moinho de Trigo, que entrou em operação neste ano, absorvendo a produção do cereal, mas a indústria nos chamava muito atenção para beneficiar a soja recebida de nosso cooperado”. A gestão compreende também o posto de combustível e do restaurante na região da indústria em Clevelândia, além das unidades de Toledo, Realeza, Renascença e Abelardo Luz. ( Associação Empresarial de Pato Branco)

 

RODOCOOP: Realizações de 2018 são celebradas durante confraternização

A diretoria, cooperados, colaboradores e familiares da Rodocoop se reuniram, na noite de 14 de dezembro, em Mandaguari (PR), para o jantar de Confraternização 2018 da cooperativa. O evento foi oportunidade para a comemoração das conquistas que tiveram ao longo do ano, em clima de descontração e também aprendizado.

Conquistas – O presidente da Rodocoop, Marcos Trintinalha, recepcionou os convidados e falou sobre o momento festivo. “É uma alegria receber nossos associados e seus familiares para comemorarmos juntos o fechamento de mais um ano de atividades”, afirmou. Trintinalha destacou que 2018 foi difícil, mas de grandes realizações, com muito a ser comemorado. “Conquistamos nossa sede própria, que era um sonho desde a fundação, e neste ano pudemos tornar realidade”, apontou.

Diferencial – Mesmo com o investimento na sede própria, da ordem de R$ 1,2 milhão, a Rodocoop conseguiu fazer uma antecipação de sobras aos cooperados, praticamente igual a de 2017. “São aproximadamente R$ 300 mil que voltaram para os associados”, informou. “É mais um diferencial do setor e reforça as vantagens da cooperativa sobre empresas privadas, sem mencionar os outros benefícios que chegam aos cooperados por meio dos serviços disponibilizados”, acrescentou.

Parcerias – O presidente aproveitou a oportunidade para agradecer as parcerias com a Cocari, Aurora e Colari, mais uma cooperativa que passou a fazer parte dos clientes, e também à Cervejaria Petrópolis e Café Basa. “Temos de agradecer a Deus, primeiramente, por nos dar a oportunidade e saúde para trabalhar, aos colaboradores pelo empenho e dedicação à cooperativa, aos diretores e conselheiros pelo apoio, e em especial aos nossos cooperados por acreditarem na Rodocoop”, finalizou Trintinalha.

Programação – Na ocasião, teve palestra com a escritora Helda Elaine, que abordou o tema: ‘O cooperativismo e a família no mundo contemporâneo’, discorrendo sobre a força da união e da superação que constrói histórias de sucesso, como a da Rodocoop. Vídeos com mensagem de otimismo foram exibidos na confraternização. Todos brindaram as realizações de 2018 e confirmaram os desejos de seguir comprometidos com o fortalecimento da Rodocoop e dos cooperados em 2019. (Imprensa Rodocoop)

{vsig}2018/noticias/12/21/rodocoop/{/vsig}

SICREDI: Woop Sicredi cria a Eliza e agiliza atendimentos aos associados

 

O Woop Sicredi – conta digital da instituição financeira cooperativa – traz mais uma novidade aos seus associados: a Eliza. Ela é um chatbot que tem como objetivo sanar as dúvidas dos woopers, nome dado aos usuários da plataforma digital. Dois meses depois da sua implantação, Eliza já realizou 22 mil atendimentos, trocou mais de 300 mil mensagens, sendo que 94% dos atendimentos foram resolvidos pela plataforma.

 

Facilidade - “A ferramenta reduziu o atendimento por chat em 46% e este e outros resultados só tendem a aumentar. Sem contar que Eliza facilita a vida do associado, que de maneira rápida e prática pode sanar dúvidas e, assim, ter mais tempo para conhecer o Woop Sicredi”, conta Tiago Nicolaidis, Líder da Plataforma Digital do Sicredi.

 

Respostas - Hoje, Eliza consegue responder os usuários do Woop Sicredi sobre todos os tipos de produtos e serviços. Ela está presente no Messenger e no Aplicativo do Woop. A conta digital do Sicredi tem como público-alvo pessoas conectadas e jovens de espírito, que procuram resolver suas necessidades financeiras virtualmente ao mesmo tempo em que colaboram para o desenvolvimento da comunidade onde está inserido.

 

Aplicativo - Disponível em aplicativo para celulares dos sistemas Android e iOS, o Woop Sicredi possibilita às pessoas físicas se associarem e criarem uma conta 100% digital, sem papel; terem acesso à conta corrente para pagamentos de contas de consumo e transferências; conta poupança; cartão de débito e crédito; programa de fidelidade; organizador financeiro, além de contato por chat e videoconferência para sanarem dúvidas e resolverem eventuais problemas, 24 horas por dia.

 

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão valoriza a participação dos 3,9 milhões de associados, os quais exercem um papel de dono do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.600 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros. Mais informações estão disponíveis em www.sicredi.com.br. (Imprensa Sicredi)

 

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

SICREDI VANGUARDA: Cooperativa conquista prêmio Líderes do Brasil

 

A Sicredi Vanguarda PR/SP/RJ recebeu o prêmio Líderes do Brasil na categoria Líder da Região do Vale do Paraíba (SP), promovido pelo LIDE – Grupo de Líderes Empresariais. O evento aconteceu no Teatro Santander, na capital paulista, e reuniu mais de 600 empresários, CEOs, presidentes e lideranças corporativas, além de autoridades. A premiação, que contempla 45 categorias, é um reconhecimento nacional do talento, competência e comprometimento dos executivos atuantes no país.

 

Referência - Para Luiz Fernando Furlan, chairman do LIDE, a premiação destaca a importância de empresas e gestores que, diariamente, buscam superar desafios e atingir bons resultados em seus negócios, tornando-se referências dos setores em que atuam. “Um líder motiva e dá o exemplo a seus liderados. Estas empresas e executivos, definitivamente, lideram pelo exemplo. E é mais que merecido este reconhecimento pelo Prêmio Líderes do Brasil”, afirmou o chairman do LIDE.

 

Cuidado - “Quem cuida dos detalhes, cuida do principal”, completou Doria. Para o governador paulista eleito, agora é a hora de os empresários que são bons provarem que são os melhores. “É hora de crescimento”, disse em relação às expectativas da economia em 2019.

 

Presença - A cooperativa está presente em 18 municípios da região do Vale do Paraíba em São Paulo e com 22 agências, e a previsão é de inaugurar mais 11 agências na área de atuação da Sicredi Vanguarda. “É muito gratificante receber um reconhecimento ímpar, como esse. Sermos reconhecidos como Empresa Destaque do Vale do Paraíba em São Paulo nos deixa orgulhosos e honrados. Obrigado a toda nossa equipe pela conquista, é assim que lutamos todos os dias por um Brasil melhor. Isso nos motiva a continuar acreditando na região e inaugurando novas agências”, comemora o presidente da Sicredi Vanguarda PR/SP/RJ, Luiz Hoflinger.

 

Premiados - Indicados pelo júri oficial, foram homenageados os protagonistas que, mesmo em um cenário de instabilidade econômica, obtiveram êxito nos negócios, nos principais setores da economia do país.

 

Sobre o LIDE - O LIDE – Grupo de Líderes Empresariais é uma organização de caráter privado, que reúne empresários em diversos países. O LIDE debate o fortalecimento da livre iniciativa do desenvolvimento econômico e social, assim como a defesa dos princípios éticos de governança corporativa no setor público e privado. Fundado no Brasil, em 2003, o LIDE é formado por líderes empresariais de corporações nacionais e internacionais, que se preocupam em sensibilizar o empresariado brasileiro para a importância de seu papel na construção de uma sociedade ética, desenvolvida e consciente. Atualmente, o Grupo conta com unidades regionais, internacionais e setoriais, totalizando 28 frentes de atuação. Para informações adicionais, basta acessar: www.lideglobal.com.

 

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão valoriza a participação dos 3,9 milhões de associados, os quais exercem um papel de dono do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.600 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros. Mais informações estão disponíveis em www.sicredi.com.br. (Imprensa Sicredi)

 

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

{vsig}2018/noticias/12/21/sicredi_vanguarda/{/vsig}

SICREDI FRONTEIRAS: Programa A União Faz a Vida ganha exposição no Paço Municipal de Itupeva

 

De onde vêm as frutas? Como a cárie aparece nos dentes? Como é o trabalho dos bombeiros? Estas dúvidas são comuns na mente inquieta de toda criança e poder desvendar estas e muitas outras questões é uma forma de aprendizado. Seguindo essa linha de descobertas, professores das escolas municipais de Itupeva, em São Paulo, trabalharam com seus alunos durante o Programa A União Faz a Vida (PUFV), projeto social desenvolvido pelo Sicredi, primeira instituição financeira cooperativa do Brasil, em parceria com diversas prefeituras do país. 

 

Experiência - Em seis meses de atuação em Itupeva, o programa conquistou os alunos da rede municipal. Dessa experiência, nasceu uma exposição que reuniu, no Paço Municipal, os trabalhos desenvolvidos pelas crianças com a orientação dos educadores.

 

Diferença - Segundo a coordenadora da Escola Municipal e Creche Mont Serrat, Elaine Rossini, a possibilidade de os alunos colocarem a “mão na massa” fez toda a diferença. “Eles gostam muito de fazer a investigação. Tivemos um projeto, por exemplo, no qual o tema era alimentação saudável e eles puderam ir até um sítio conhecer de onde vinha a maçã. Muitos alunos nunca tinham visto uma árvore de maçã”, conta a coordenadora. 

 

Capacitação - O Programa A União Faz a Vida  faz a capacitação dos professores para trabalhar com projetos que visem a cooperação. O programa foi retomado pela prefeitura de Itupeva em junho deste ano, na gestão do prefeito Marcão Marchi.

 

Agradecimento - No penúltimo dia da exposição, o gerente da agência Sicredi em Itupeva e a gerente de Pessoa Física, Rafael Zuiani Kavamura e Fernanda Coelho, respectivamente, estiveram no Paço Municipal da cidade para entregar ao prefeito, Marcão Marchi, ao vice-prefeito, Alexandre Mustafa, ao secretário de Educação, Fábio José Andrade, e à coordenadora do programa A União Faz a Vida em Itupeva, Sandra Aparecida Sai, uma taça de agradecimento pela participação no projeto. 

 

Otimismo - “Tivemos um ótimo ano e, com certeza, ano que vem será melhor”, garantiu o prefeito. O programa A União Faz a Vida já foi confirmado para o ano de 2019.

 

Sobre o programa A União Faz a Vida - O programa teve início em 2006, no município de Capanema (PR). Nos 12 anos de trajetória, o A União Faz a Vida promoveu a cooperação e cidadania. Atualmente, são quase 22 mil educadores e mais de 229 mil alunos, somando aproximadamente 1.485 escolas em mais de 270 municípios participantes em todo o Brasil.

 

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão valoriza a participação dos 3,9 milhões de associados, os quais exercem um papel de dono do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.600 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros. Mais informações estão disponíveis em www.sicredi.com.br. (Imprensa Sicredi)

 

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

SICREDI UNIÃO PR/SP: Ação natalina será neste domingo no Parque do Ingá

 

A Sicredi União PR/SP promove ação especial de Natal neste domingo (23/12), das 10 às 17 horas, no Parque do Ingá de Maringá. A grande atração será a chegada do Papai Noel em um carro-forte, seguida de entrega de doces para as crianças. Também haverá apresentação de teatro, aula de ginástica e música. 

 

“Vozes da Inclusão” - Ao final, o público ainda vai prestigiar o coral ‘Vozes da Inclusão’, que fará uma apresentação natalina. O grupo conta com 47 colaboradores da Sicredi União, divididos entre profissionais que atuam na Superintendência Regional (Sureg), em agências de Maringá, e na estrutura das Apaes de Maringá e de Nova Esperança - por meio do programa Eu Coopero com a Inclusão. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

SICOOB NOROESTE DO PR: Agência de Nova Esperança ganha novas instalações

 

No último dia 14, o Sicoob Noroeste do Paraná inaugurou as novas instalações de sua unidade em Nova Esperança. A agência agora fica no Edifício João Ferrarin, um dos mais modernos e funcionais da região, localizado no centro da cidade.

 

Compromisso - Durante a cerimônia, que fez parte das comemorações dos 66 anos da cidade, o presidente do Sicoob Noroeste do Paraná, Rafael Benjamim Cargnin Filho, citou o compromisso da cooperativa com as comunidades onde atua. “Estamos presentes nas cidades para oferecer soluções financeiras, mas também colaborar com o desenvolvimento sustentável. Agradecemos a confiança dos nossos cooperados em Nova Esperança e queremos continuar fazendo a diferença aqui”, disse.

 

Apoio - Segundo o diretor superintendente, Ecio Almir Oliveira as novas instalações representam um compromisso com a cidade. Ele falou dos bons resultados e pediu apoio para que mais pessoas passem a integrar o quadro de cooperados. Na mesma linha, o gerente Benedito Antônio Alves Neto, falou do engajamento na comunidade, enumerou produtos e serviços disponíveis na agência e pediu a participação para continuar a geração de trabalho e renda para Nova Esperança.

 

Parabenização - O prefeito de Nova Esperança, Moacir Olivatti, e o presidente da Câmara de Vereadores, Dirceu Trevisan, parabenizaram o Sicoob Noroeste do Paraná pelas novas instalações, falaram do bom momento da cidade e lembraram os desafios atuais da administração pública.

 

Endereço - O novo endereço da agência do Sicoob Noroeste do Paraná em Nova Esperança é Av. 14 de Dezembro, 565. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

{vsig}2018/noticias/12/21/sicoob_noroeste_pr/{/vsig}

CAGED: Novembro tem a maior criação de emprego formal para o mês desde 2010

 

caged 21 12 2018Beneficiada pelo comércio e pelos serviços, a criação de empregos com carteira assinada atingiu, em novembro, o maior nível para o mês em oito anos. Segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, 58.664 postos formais de trabalho foram criados no último mês. O indicador mede a diferença entre contratações e demissões.

 

Última vez - A última vez em que a criação de empregos tinha superado esse nível tinha sido em novembro de 2010, quando as admissões tinham superado as dispensas em 138.247. A criação de empregos totaliza 858.415 de janeiro a novembro e 517.733 nos últimos 12 meses.

 

Ramos de atividade - Na divisão por ramos de atividade, apenas dois dos oito setores pesquisados criaram empregos formais em novembro. O campeão foi o comércio, com a abertura de 88.587 postos, seguido pelo setor de serviços (34.319 postos). Os seis demais setores fecharam vagas no mês passado.

 

Queda - O nível de emprego caiu na indústria de transformação (-24.287 postos), na agropecuária (-23.692 postos), na construção civil (-13.854 postos), na administração pública (-1.122 postos), na indústria extrativa mineral (-744 postos) e nos serviços industriais de utilidade pública, categoria que engloba energia e saneamento (-543 postos).

 

Fim de ano - Tradicionalmente, a geração de emprego no comércio e nos serviços é normal nos últimos meses do ano, por causa das vendas de Natal e da movimentação para as festas de fim de ano. A indústria demite por ter terminado a produção das mercadorias a serem comercializadas no período natalino, enquanto a agricultura está em um período de plantio da maioria das safras.

 

Destaques - No comércio, o ramo varejista foi o grande destaque, com a abertura de 82.747 pontos formais, seguido pelo ramo atacadista, com 13.168 vagas. Nos serviços, a criação de empregos foi impulsionada por serviços de alojamento, alimentação, reparação, manutenção e redação (13.895 postos); comércio e administração de imóveis, valores mobiliários e serviço técnico (12.447 postos) e serviços médicos, odontológicos e veterinários (8.278 postos).

 

Transformação - Na indústria de transformação, que liderou o fechamento de vagas em novembro, as maiores quedas no nível de emprego ocorreram na indústria de produtos alimentícios e de bebidas (-6.511 postos); na indústria química de produtos farmacêuticos, veterinários e perfumaria (-5.318 postos) e na indústria têxtil e de vestuário (-5.036 postos).

 

Regiões - Três das cinco regiões brasileiras criaram empregos com carteira assinada em novembro. O Sudeste liderou a abertura de vagas, com 35.069 postos, seguido pelo Sul (24.763 vagas) e pelo Nordeste (7.031 vagas). Influenciado pela entressafra, o Centro-Oeste fechou 7.537 postos. O Norte registrou 932 vagas a menos no mês passado.

 

Estados - Na divisão por estados, 19 unidades da Federação geraram empregos e oito demitiram mais do que contrataram. As maiores variações positivas no saldo de emprego ocorreram em São Paulo (abertura de 17.754 postos), no Rio de Janeiro (13,7 mil), no Rio Grande do Sul (10.121) e em Santa Catarina (9.192). Os estados que lideraram o fechamento de vagas formais foram Goiás (-6.160 postos), Mato Grosso (-3.427) e Tocantins (-1.135). (Agência Brasil)

 

IBGE: Prévia da inflação tem menor variação para dezembro desde o Plano Real

ibge 21 12 2018Influenciada pela queda nos preços dos combustíveis, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) – prévia da inflação oficial do país – fechou o mês de dezembro com deflação de 0,16%. É o menor resultado mensal desde julho do ano passado e o menor resultado para dezembro desde a implantação do Plano Real, em 1994.

IBGE - Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (21/12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com o resultado, a taxa ficou 0,35 ponto percentual menor em relação à variação de preços de novembro, quando o IPCA-15 fechou com alta de 0,19%.

Parâmetro - O IPCA-15 serve de parâmetro para o Índice de Preços ao Consumidor (IPCA), que baliza a meta de inflação definida pelo governo para o ano. Com o resultado de dezembro, a taxa acumulada no ano alta de 3,86%, abaixo do centro da meta anual estabelecida pelo Banco Central, de 4,50% e também dos 4,39% registrados no fechamento do ano passado.

IPCA-E- Com a queda de 0,16% do IPCA-15, em dezembro, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Especial (IPCA-E), que é o IPCA-15 acumulado no ano, fechou o último mês do ano com alta acumulada de 3,86%, abaixo dos 4,39% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em dezembro de 2017, a taxa foi de 0,35%.

Transportes - Puxado pela retração nos preços dos combustíveis, o grupo transportes apresentou a maior queda ao fechar dezembro com deflação de 0,93%. O impacto do grupo para a deflação registrada em dezembro chegou a -0,18 ponto percentual, principalmente por causa da redução de 5,47% nos preços da gasolina – combustível foi o responsável pelo maior impacto individual no índice do mês, com -0,26 ponto percentual.

Áreas pesquisadas- Entre as áreas pesquisadas, Salvador apresentou a maior queda nesse item: 8,90%. Além da gasolina, o etanol teve queda de 3,0% e o óleo diesel, de -1,93%.

Habitação - Já no grupo habitação, a queda de 0,52% se deveu, principalmente, à passagem da bandeira tarifária amarela para a verde na conta de energia elétrica.

Alimentação e bebidas - O grupo de alimentação e bebidas, que tem o maior peso no índice, no entanto, manteve-se em alta, mesmo tendo desacelerado de 0,53% para 0,35% de novembro para em dezembro. “Isso aconteceu, principalmente, porque a alimentação no domicílio, que tinha registrado alta de 0,85% em novembro, desacelerou para 0,22% em dezembro”, informou o IBGE.

Serviços - Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, quatro apresentaram deflação de novembro para dezembro: transportes (-0,93%), saúde e cuidados pessoais (-0,58%), habitação (-0,52%) e comunicação (-0,07%).

Altas - No lado das altas, o destaque ficou com o grupo alimentação e bebidas (0,35%), que apresentou o maior impacto positivo no índice do mês, com 0,08 ponto percentual. Os demais grupos variaram entre o 0,02% de educação e o 0,44% de artigos de residência.

Regiões metropolitanas - As informações divulgadas pelo IBGE indicam que entre as regiões pesquisadas só a metropolitana de Belém fechou o mês de dezembro em alta: 0,27%, puxada pelos preços das passagens aéreas, que chegaram a subir 31,12%, tomate (27,06%) e açaí (12,86%).

Maior queda - Já a maior queda (0,30%) foi registrada em Brasília, devido à redução de 8,75% dos preços da gasolina e dos itens de higiene pessoal (-5,08%). Em São Paulo, a taxa ficou em -0,21%, no Rio de Janeiro em -0,11% e em Belo Horizonte -0,25%.

Metodologia - O IPCA-15 tem a mesma metodologia usada para o IPCA, a inflação oficial do país, mas com período de coleta e abrangência geográfica diferentes. Para o cálculo do IPCA-15, os preços são coletados da última metade do mês anterior à primeira do mês de referência.

Famílias - O indicador refere-se às mesmas famílias com rendimento de 1 a 40 salários mínimos e abrange as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, São Paulo, Belém, Fortaleza, Salvador e Curitiba, além de Brasília e Goiânia. (Agência Brasil)

 

MERCADO: China amplia subsídios para soja e algodão; Brasil pode ser afetado

mercado 21 12 2018Se até hoje a batalha travada pelo Brasil era contra os subsídios americanos e europeus ao setor agrícola, um novo ator internacional está ganhando força no mercado internacional: a China.

Dados - Dados fornecidos pelos chineses à OMC apontam que os compromissos assumidos por Pequim em 2001, ao aderir ao sistema comercial, estão sendo ignorados e os volumes de apoio aos produtores chineses superam de forma significativa o teto determinado.

Índice - Há quase 20 anos, ficou estabelecido que a China poderia dar subsídios que poderiam distorcer os mercados em um patamar que não superasse 8,5% do valor de sua produção agrícola total. A condição oferecida aos chineses era mais restritiva que as regras estipuladas para outros países emergentes. No Brasil, por exemplo, os subsídios podem chegar a 10%. Já nos Estados Unidos, Japão ou UE, o teto é de 5% do valor total da produção.

Entrega - Mas, pressionada a mostrar transparência, Pequim entregou nesta semana seus dados comerciais para a OMC para todos os subsídios concedidos entre 2011 e 2016.

Concorrência - Se na produção de arroz e trigo os valores dos subsídios ficaram abaixo de 8,5%, o mesmo não ocorreu com soja, açúcar ou algodão, produtos que concorrem diretamente com as exportações brasileiras.

Algodão - No caso do algodão, a taxa de subsídios violou o teto em todos os anos, entre 2011 e 2016. Em 2015, os níveis de apoio chegaram a 29% da produção do setor, mais de três vezes os patamares autorizados. No caso da soja, foram cinco anos acima do teto, com taxas de até 13%.

Teto - Negociadores estimam que a admissão da China de que ultrapassou o teto permitido ocorre por conta de um processo que o governo americano move contra Pequim e que acusa o governo asiático de distorcer os mercados globais no setor agrícola.

Disputa - Em 2016, EUA abriu uma disputa nos tribunais da OMC alegando que os chineses teriam distribuído US$ 100 bilhões em subsídios, principalmente para milho, trigo e arroz. O governo americano estaria preocupado com a geração de uma super produção agrícola chinesa que afetaria os preços internacionais de commodities e deslocaria exportações americanas em terceiros mercados.

Queixa - A queixa foi lançada ainda pelo governo de Barack Obama. Mas uma eventual condenação dos chineses será comemorada pelo presidente Donald Trump como um sinal de que sua administração está agindo contra as distorções promovidas pelos chineses nos mercados internacionais.

Preços mínimos - O esquema denunciado aponta para o estabelecimento de preços mínimos em algumas commodities, garantidas pelo Estado chinês. Um dos temores americanos é de que esse subsídio acabe afetando a capacidade de os EUA exportarem bens agrícolas para o mercado chinês, com ampla oferta local e por preços mais competitivos. (O Estado de S.Paulo)

 

CANA-DE-AÇÚCAR: Conab divulga produção recorde de etanol total no Brasil com 32,3 bilhões de litros

 

cana de acucar 21 12 2018O 3º Levantamento da Safra 2018/2019 de cana-de-açúcar divulgado nesta quinta-feira (20/12) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) revela que o país terá novo recorde na produção total de etanol, que chega a 32,3 bilhões de litros, um aumento de 18,6% em relação à safra passada. O último maior número havia ocorrido na safra 2015/16, com 30,5 bilhões de litros. O recorde vale também para a quantidade produzida de etanol hidratado, cerca de 21,6 bilhões de litros, superior ao de 19,6 bi na safra 10/11.

 

Produção - A produção da cana-de-açúcar está estimada em 615,84 milhões de toneladas. O número representa uma redução de 2,8% em relação à safra anterior, que fechou em 633,26 milhões de t. O açúcar, com uma produção que deve atingir 31,7 milhões de t, também teve retração de 16,2% em comparação a 2017/18. Para o etanol anidro, usado na mistura com a gasolina, haverá uma redução de 2,3%, alcançando 10,7 bilhões de litros.

 

Área colhida - A área colhida no país está estimada em 8,6 milhões de hectares, queda de 1,1%. Na Região Sudeste, especificamente, a diminuição ocorreu como reflexo dos problemas climáticos ocorridos e devido à devolução de terras arrendadas. O Centro-Oeste praticamente manteve a área colhida da safra passada, apresentando leve aumento nos patamares de produtividade. Já a boa distribuição das chuvas no Nordeste, durante fases importantes da lavoura, trouxe forte incremento nos níveis de produtividade, 12,8% a mais em relação à safra passada. A região Sul apresentou, neste levantamento, queda de 2,6% na área colhida, enquanto a Norte, responsável por menos de 1% da produção nacional, deverá ter uma produção 3,2% menor que na última safra. (Mapa)

 

Acesse aqui outras informações no Boletim de Cana 3º Levantamento.

 

IAP: Licenças ambientais podem ser retiradas pela internet


iap 21 12 2018O Instituto Ambiental do Paraná (IAP) disponibilizou a assinatura eletrônica para os processos de licenciamento emitidos pela Diretoria de Monitoramento Ambiental e Controle da Poluição, pela regional de Curitiba e pelas prefeituras que utilizam o sistema. A partir de agora, os requerentes não precisam comparecer ao IAP para retirar as licenças.

 

Nova funcionalidade - A assinatura eletrônica é uma nova funcionalidade do Sistema de Gestão Ambiental (SGA), com previsão de atualização em todos os escritórios regionais a partir do ano que vem. Para isso, os chefes regionais devem fazer a certificação digital para validar essa função no sistema.

 

Marco - "A assinatura eletrônica é mais um marco para a atualização tecnológica dos processos de licenciamento", diz o diretor de Monitoramento Ambiental e Controle da Poluição do IAP, José Roberto Francisco Behrend. "A partir de agora, as licenças passam a ser entregues digitalmente no e-mail do usuário dos serviços do IAP", afirma.

 

Primeiro - O IAP foi o primeiro órgão do país a emitir dispensas e licenciamentos ambientais online, permitindo aos usuários a requisição de licenças pela internet e consultas relacionadas ao processo.

 

SGA - Desenvolvido em 2014 pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP) em parceria com a Celepar (Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná), o Sistema de Gestão Ambiental (SGA) é uma solução informatizada que facilita o processo de licenciamento, e desde sua implementação à espera dos usuários diminuiu cerca de 60%. Antes os processos eram físicos e demandavam mais tempo dos servidores do IAP.

 

Total - De 2014 até o momento, já foram concluídos cerca de 41 mil licenciamentos e 15 mil dispensas, que tiveram resposta mais rápida com a ajuda do sistema e a tendência é melhorar cada vez mais esses números e agilidade. (Agência de Notícias do Paraná)

 

COMÉRCIO EXTERIOR: Exportadoras vão economizar R$ 44 bi por ano com Portal Único

 

comercio exterior 21 12 2018As empresas exportadoras brasileiras economizarão R$ 44 bilhões por ano em seus custos logísticos com a implantação do Portal Único do Comércio Exterior, de acordo com levantamento preliminar divulgado nesta quinta-feira (20/12) pelo secretário da Receita Federal, Jorge Rachid.

 

Redução - O levantamento mostra que o portal permitiu uma redução de 13 dias para 6,4 dias o tempo médio necessário para a liberação de mercadorias. A estimativa de economia foi feita levando-se em consideração que, para cada dia de atraso na liberação das mercadorias, as empresas perdem 0,8% do valor exportado.

 

Documentos ou declarações - O novo processo de exportação permitiu, de acordo com Rachid, reduzir a exigência de documentos ou declarações. Em agosto de 2017, foram 831.551 documentos/declarações exigidas para a liberação das mercadorias exportadas. Em agosto de 2018, o número caiu para 69.328 documentos/declarações - redução de 91,7%.

 

Integração - O Portal Único permite a integração entre os diversos órgãos que atuam no comércio exterior, possibilitando reduzir a quantidade de declarações e de informações prestadas pelas empresas exportadoras aos órgãos de controle. Atualmente, 100% das operações de exportação migraram para o novo processo.

 

Processo - Rachid informou que a Receita iniciou o processo para a simplificação das importações. A meta, segundo ele, é reduzir o tempo médio de importação de 17 dias para 10 dias. O potencial de economia que será gerado pela redução de 7 dias no tempo de liberação de mercadorias na importação atingirá cerca de R$ 30 bilhões para os importadores, de acordo com dados divulgados pelo secretário.

 

Prazo médio - Ao fazer nesta quinta um balanço das ações de simplificação adotadas até agora pelo governo, Rachid afirmou que o prazo médio para o pagamento de tributos devidos pelas empresas no Brasil vai cair das atuais 474 horas, estimado pela Fenacom, para apenas 240 horas, até outubro do próximo ano.

 

Relatório - O relatório Doing Business - publicado anualmente pelo Banco Mundial e que avalia o grau de regulação de 190 economias ao redor do mundo - informa, em sua publicação de outubro passado, que uma empresa necessita, no Brasil, de 1.958 horas para pagar os tributos devidos.

 

Pesquisa - A Receita Federal questiona a pesquisa do Doing Business e prefere adotar a pesquisa feita pela Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas (Fenacon), que estimou em 474 horas o tempo para a empresa pagar seus tributos.

 

Sped - Com a adoção do Sistema Público de Escrituração Digital (Sped), o prazo médio para o pagamento de tributos vem caindo continuamente, observou Rachid. Em 2018, Distrito Federal e Pernambuco entraram no Sped, em relação à escrituração do ICMS/IPI, fazendo com que o sistema agora abranja a totalidade das 27 unidades da Federação. (Agência Brasil)

 

SIMEPAR: Verão deve ser quente com chuvas fortes e muitos raios

 

O verão no Paraná começa às 20h23 desta sexta-feira (21/12) e termina às 18h58 do dia 20 de março de 2019. Nos primeiros dias o tempo fica abafado com chuvas regulares devido à umidade do ar em todas as regiões.

 

Temperaturas altas - A previsão do Simepar indica temperaturas altas de sexta a domingo, com pancadas de chuva e muitos raios, principalmente à tarde e à noite. Para sexta a temperatura mínima prevista é de 16oC em General Carneiro. A máxima chega a 35ºC no Litoral e em Umuarama.

 

Frente fria - Segundo o meteorologista do Simepar, Reinaldo Kneib, uma frente fria sobre o Oceano Atlântico próxima ao Litoral deixa a atmosfera instável no Paraná, provocando temporais localizados de sábado para domingo. Por esse motivo, o Natal deve ser chuvoso em quase todo o Estado. As previsões do tempo para até 15 dias em cada município estão disponíveis na página www.simepar.br.

 

Chuvas - O regime de chuva tende a seguir a normal climatológica para a estação em todas as regiões do Estado. São esperadas chuvas fortes com muitos raios e rajadas de vento, que podem causar enxurradas, inundações e outros impactos. Segundo Kneib, historicamente o verão paranaense é chuvoso. “Sistemas atmosféricos de mesoescala associados ao maior aquecimento diurno e à disponibilidade de umidade causam chuvas intensas e localizadas de curta duração, com raios, vendavais e granizo em todas as regiões”, diz.

 

El Niño - As previsões de modelos climáticos com prognósticos mensais e sazonais indicam a ocorrência do fenômeno El Niño com fraca intensidade neste verão. Caracterizado pelo aquecimento anormal das águas superficiais do Oceano Pacífico tropical, El Niño altera os padrões dos ventos em escala global, afetando regimes de temperatura e chuva.

 

Temperaturas - De janeiro a março de 2019 as temperaturas tendem a ficar entre a normalidade e um pouco acima da normal climatológica em todas as regiões. “São esperados dias consecutivos com temperaturas muito elevadas em períodos sem chuva”, informa Kneib.

No entanto, as temperaturas tornam-se amenas quando frentes estacionárias no Oceano Atlântico próximas ao Litoral formam nuvens e desencadeiam chuvas entre a Região Metropolitana de Curitiba e as praias.

 

Agricultura - Na maioria das lavouras, a safra de verão – soja e milho – está nas fases de floração e início de frutificação - período em que mais necessitam de irrigação. A primeira safra de feijão inicia a colheita. “Causada por El Niño fraco, a irregularidade na distribuição das chuvas gera déficit hídrico, agravado pelas temperaturas elevadas, o que prejudica o desenvolvimento das culturas e a produtividade da safra”, afirma a meteorologista do Simepar e pesquisadora do Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), Angela Beatriz Costa.

 

Pastagens - Segundo ela, as condições meteorológicas também afetam as pastagens, dificultando o manejo do gado. Por esse motivo, é recomendável que os agricultores aumentem a irrigação para prevenir perdas. Confira aqui a tabela. (Agência de Notícias do Paraná)

 

{vsig}2018/noticias/12/21/simepar/{/vsig}


Versão para impressão


RODAPE