Imprimir
CABECALHO

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4471 | 07 de Dezembro de 2018

ENCONTRO ESTADUAL I: Faturamento das cooperativas do PR atinge R$ 83,5 bilhões em 2018

R$ 83,5 bilhões. Este é o faturamento que as 215 cooperativas vinculadas ao Sistema Ocepar devem atingir em 2018, o que representa um crescimento de 18,9% em relação ao montante obtido no ano passado, que foi de R$ 70,3 bilhões. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (06/12), em Curitiba, pelo presidente da organização, José Roberto Ricken, na abertura do Encontro Estadual de Cooperativistas Paranaenses. “Mesmo com todas as dificuldades vivenciadas no ano de 2018, o cooperativismo paranaense mantém firme sua estratégia de desenvolvimento, com planejamento e novos investimentos para atender a demanda dos mercados. Profissionalização, inovação e modernização da gestão. Esse é o nosso jeito de funcionar, no passado, no presente e no futuro”, afirmou.

Adesão - Mais pessoas também estão aderindo ao cooperativismo paranaense, que abrange atualmente 1,8 milhão de cooperados, ou seja 19,2% a mais em comparação ao registrado no ano passado (1,5 milhão). As exportações do setor atingiram US$ 3,9 bilhões neste ano, montante 17,67% superior ao de 2017 (US$ 3,3 bilhões). As cooperativas paranaenses também estão fechando o exercício contabilizando R$ 1,9 bilhão em investimentos, R$ 2,1 bilhões em impostos recolhidos e aumento de 3,8% nos empregos diretos gerados, passando de 93.144 postos em 2017 para 96.666 neste ano.

Resultados - “É importante frisar que grande parte dos resultados obtidos pelas cooperativas se deve à conquista de novos mercados, agregação de valor à produção, otimização das estruturas e o processo de integração em desenvolvimento no cooperativismo do Paraná”, frisou Ricken. “Onde há investimento, pode ter certeza que existe demanda por empregos. Em 2018, as cooperativas paranaenses criaram 3.522 novos empregos, sendo comum a busca por trabalhadores dezenas de quilômetros para atender à demanda. Enfim, o que é isso senão desenvolvimento regional?”, acrescentou.

Ramos - De acordo com o presidente do Sistema Ocepar, todos os ramos do cooperativismo paranaense têm obtido êxito em suas atividades. As agropecuárias, por exemplo, aumentaram sua participação no segmento e hoje são responsáveis por 60% do PIB agropecuário do Paraná. “No ramo crédito, as cooperativas crescem de forma segura e com alto nível de profissionalismo, tendo atingido em 2018 o número de 1 milhão e 600 mil associados, com crescimento de quase 20% em relação ao ano anterior, viabilizando o acesso ao crédito para milhares de pessoas, em condições mais adequadas e forte vínculo com as ações locais e regionais. Em 120 municípios, as cooperativas de crédito são a única instituição financeira prestando bons serviços à população”, disse Ricken.

Saúde - Ele lembrou ainda que o sistema cooperativo ampliou a sua liderança na saúde, com 13.312 profissionais cooperados, que congregam 33 cooperativas, ofertando serviços de qualidade, prestados por médicos, dentistas e outros profissionais que compõem seu quadro social, para mais de 2 milhões de beneficiários.

Transporte e infraestrutura - “Já as cooperativas de transporte continuam se organizando em todo o país, buscando regulamentação mais adequada que sustente o seu desenvolvimento. No Paraná, já são 30 cooperativas, com 3.054 cooperados e podem ser uma boa opção à crise do transporte”, destacou. Na área de infraestrutura, Ricken afirmou que há possibilidades reais de avanços, com a conclusão recente de sua regulamentação. “Resta adequar os recursos para a geração e distribuição de energia alternativa, tão importante para alavancar a economia como um todo. Numa ação conjunta com o Governo do Paraná, há como avançar mais, adequando a questão tributária sobre equipamentos e forma de consumo de energia nas propriedades”, observou.

Novas oportunidades - “As cooperativas dos ramos de Serviços Especializados, Trabalho, Educacional, Turismo e Lazer, entre outras, também terão novas oportunidades com o advento da nova legislação trabalhista aprovada no Congresso Nacional, que possibilita a terceirização de atividades no âmbito das empresas em geral”, disse ainda.

Profissionalização - O presidente do Sistema Ocepar destacou que, por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem (Sescoop/PR), foram realizados, em 2018, mais de 8.700 eventos de capacitação profissional e promoção social, somando 219.402 participações. “A visão de nossos dirigentes, o pragmatismo de nossos executivos a formação de novas lideranças, o treinamento dos profissionais e os investimentos nas áreas técnicas e econômicas têm merecidos especial atenção do Sistema Ocepar e das cooperativas.”

G7 e Sistema S - Ele alertou ainda sobre a importância de ações integradas com outros segmentos para que essas ações tenham prosseguimento. “A continuidade deste trabalho será possível se nos mantivermos integrados com as forças econômicas e políticas do Paraná, representado pelo G7 (grupo formado pelas principais federações representativas do setor produtivo) e em sintonia com o governo do Paraná. É fundamental que prossigam as parcerias com as entidades do Sistema S, como o Sebrae, Senar, Senai, Senac, Sest/Senat Sesc e o Sesi, essenciais para atender as demandas dos empregados e cooperados das cooperativas”, sublinhou. “Nunca foi tão importante rever estratégias e replanejar o Sistema S. Se não houvesse este sistema organizado, quem faria esse importante trabalho? No caso do Sescoop, conseguimos aplicar 92% dos recursos na atividade fim, com total sintonia com as cooperativas contribuintes”, complementou.

Reformas - Ricken falou ainda sobre a expectativa de que sejam implementadas melhorias no país para aumentar a competividade brasileira. “Nosso desejo é que sejam implementadas reformas consistentes que equacionem as deficiências estruturais existentes, principalmente em relação à demanda por investimentos em infraestrutura tais como: portos, ferrovias, rodovias, energia, dentre outras, origem dos custos elevados da logística que têm penalizado a nossa competitividade, em especial para as comunidades mais distantes dos centros consumidores. Talvez tenha sido necessário passar por tantas dificuldades políticas e econômicas no Brasil para que as pessoas de bem se mobilizassem de forma a apoiar as mudanças necessárias. O desejo é que nossas instituições públicas se modernizem, em benefício de toda a sociedade”, ressaltou.

Clique aqui para conferir na íntegra o pronunciamento de José Roberto Ricken no Encontro Estadual de Cooperativistas Paranaenses 2018

Clique aqui para acessar os indicadores econômicos do cooperativismo paranaense no período 2009-2018

{vsig}2018/noticias/12/07/encontro_I/{/vsig}

ENCONTRO ESTADUAL II: Delegações de todo Paraná prestigiam o evento

Cooperativas de todo o Paraná organizaram suas delegações, formadas por dirigentes, cooperados, colaboradores e familiares, para participar do Encontro Estadual de Cooperativistas Paranaenses, promovido pelo Sistema Ocepar, em Curitiba. O evento foi aberto nesta quinta-feira (06/12), às 18h30, no Teatro Positivo, com cerca de 1.500 participantes, e presença do autoridades, parlamentares, lideranças do agronegócio e do cooperativismo, entidades parceiras, estudantes de colégios agrícolas e da Universidade Federal do Paraná UFPR. O Encontro é promovido tradicionalmente pelo Sistema Ocepar para celebrar as conquistas obtidas pelo setor ao longo do ano. O primeiro dia do evento encerrou com um jantar comemorativo. As atividades prosseguem nesta sexta-feira (07/12).

Mesa de honra - Na abertura, a mesa de honra foi composta por autoridades, como o governador eleito, Carlos Massa Jr, o Ratinho, o vice-governador eleito, presidente da Fecomércio/PR e coordenador do G7, Darci Piana, o presidente da OCB, Márcio Lopes de Freitas, o presidente do Sistema OCB/AC, Manoel Valdemiro Francalino da Rocha ,o deputado federal Osmar Serraglio, o presidente da Cooperativa Coagro, Sebaldo Waclawovsky, o senador eleito Oriovisto Guimarães, os deputados federais eleitos Pedro Lupion, Marcelo Micheletto, Alexandre Amaro, a deputada federal eleita Aline Sleutjes, a deputada federal Leandre Dal Ponte, o secretário de Estado da Agricultura, George Hiraiwa, representando a governadora Cida Borghetti, o vice-presidente de Agronegócio do Banco do Brasil, Tarcísio Hübner, o presidente da Faep, Ágide Meneguete, o presidente do BRDE, Orlando Pessuti, o assessor direto do BRDE, Renato Cardoso Machado, o presidente do Iapar, Florindo Dalberto, o presidente do Isae/FGV, Norman de Paula Arruda Filho, o pró-reitor acadêmico da Unicuritiba, André Resende, o assessor Eugênio Stefanello, representando o presidente do IEP (Instituto de Engenharia do Paraná), o presidente da Junta Comercial do Paraná, Ardisson Naim Akel, o diretor do IBGE/PR, Sinval Dias dos Santos, o vice-presidente do Movimento Pró-Paraná, Nelson Gomêz, representando o presidente Marcos Domanski, o ex-secretário da Agricultura, Norberto Ortigara, o ex-presidente da Ocepar, Wilson Thiesen,a vice-presidente do GRPCom, Ana Amélia Filizola, e diretores da Ocepar.

Presenças - Também prestigiaram o evento o vice-presidente do Movimento Pró-Paraná, Luiz Roberto Bruel, o ex-reitor da UFPR, Zaki Akel Sobrinho, o assessor da diretoria do BRDE, Erikson Camargo Chandoha, o diretor administrativo financeiro da Adapar, Adalberto Luiz Valiati, representando o presidente Inácio Afonso Kroetz, o assessor da diretoria executiva e do Conselho Deliberativo do Sebrae/PR, Ricardo Dellaméa, a gerente de operações adjunta do BRDE, Carmem Rodrigues Truite, a chefe do Departamento de Educação e Trabalho, Cândida de Carvalho Junqueira, representando a secretária Lucia Aparecida Cortz, e o assessor do deputado federal Diego Alexsander G. Paula Garcia Garcia.

{vsig}2018/noticias/12/07/encontro_II/{/vsig}

ENCONTRO ESTADUAL III: O Paraná pode ser o Canadá do Brasil, diz Ratinho Junior

O governador eleito Ratinho Junior afirmou aos participantes do Encontro Estadual de Cooperativistas que o Paraná tem potencial para tornar-se “o Canadá do Brasil”, alcançando elevados índices de desenvolvimento e industrialização. Para isso, segundo ele, é preciso investir na agregação de valor da produção agropecuária. Citando o cooperativismo como um exemplo a ser seguido, ele ressaltou a necessidade de se avançar na indústria de transformação de alimentos. “Em vez de vender soja, vamos exportar shoyo; em vez de vender o porco inteiro, vamos comercializar o bacon, gerando mais valor à produção, com mais empregos e melhor renda, potencializando o nosso comércio”, afirmou.

Momento político - Segundo Ratinho, o ambiente político do país é favorável para a construção de um projeto moderno de desenvolvimento ao Paraná. “É a primeira vez em 25 anos em que teremos um governador alinhado aos três senadores que representam o estado, e estão no Congresso para ajudar de fato ao Paraná. Também há um bom relacionamento com as bancadas federais e estaduais do legislativo. Temos que aproveitar esse momento político e usar todo o potencial para fazer do nosso estado o mais moderno do Brasil”, ressaltou.

Fazenda do planeta - De acordo com o governador eleito, o Paraná “sempre foi acanhado” no momento de se posicionar politicamente no cenário nacional. “O mais importante a falar, em especial aos dirigentes e cooperativistas, é que o Paraná vai deixar de ser tímido: se somos o maior produtor de alimentos por metro quadrado desse planeta, temos que assumir essa bandeira. Da mesma forma que Israel, Japão e Coreia do Sul produzem tecnologia, os Estado Unidos têm uma forte indústria bélica, a vocação paranaense é produzir alimentos para o mundo. Seremos a fazenda do planeta. Para alcançar esse objetivo, temos que pensar a longo prazo”, destacou.

Responsabilidade - Ratinho Junior agradeceu aos cooperativistas e dirigentes a oportunidade e confiança de participar do Encontro Estadual, e disse estar ciente da responsabilidade que terá ao assumir o cargo de governador, a partir de janeiro de 2019. “Estar aqui reunido com os cooperativistas do Paraná, em todos os ramos de atuação, é motivo de orgulho. O avanço e a qualidade do cooperativismo representam muito daquilo que queremos implantar no governo do estado. Pretendemos abrir o governo para que a gente possa discutir com a sociedade, com as pessoas que geram riquezas para o nosso estado, as soluções para os nossos problemas. O Paraná é um estado maravilhoso e será, daqui a quatro anos, o mais moderno do Brasil”, concluiu.

{vsig}2018/noticias/12/07/encontro_III/{/vsig}

 

ENCONTRO ESTADUAL IV: Se a agricultura vai bem, o comércio também prospera, destaca Darci Piana

 

“O que um homem do comércio está fazendo aqui, falando para um público que, na sua maioria, é do agronegócio?” Foi com este questionamento, que o vice-governador eleito, Darci Piana, iniciou sua fala na cerimônia de abertura do Encontro Estadual de Cooperativistas Paranaenses, na noite desta quinta-feira (06/12), no Teatro Positivo, em Curitiba. Presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac Paraná e coordenador do G7 (grupo empresarial que reúne as principais entidades representativas paranaenses), Piana lembrou que que a agropecuária precisa do comércio para que os alimentos produzidos no campo cheguem à mesa dos consumidores. “Quando agronegócio vai bem, o comércio também vai bem. Então somos parceiros, somos um terminal daquilo que vocês fazem”, disse.

Passando o bastão – Com atuação ativa na defesa das demandas do empresariado paranaense, Piana é uma figura importante para o setor produtivo na equipe que assume o Governo do Estado em janeiro próximo. A expectativa é que a sua experiência no segmento empresarial e conhecimento das demandas relacionadas a infraestrutura, desburocratização, entre outras questões que emperram investimentos da iniciativa privada, contribua na montagem de um plano que atenda aos anseios do setor produtivo paranaense. “Deixo a coordenação do G7 a partir de 1º de janeiro de 2019. Passo o bastão para o presidente do Sistema Ocepar José Roberto Ricken. Mas continuaremos trabalhando em sintonia”, frisou Piana.

Orgulho - O futuro vice-governador do estado destacou ainda a atuação do sistema cooperativista do estado, dizendo que “como paranaense tem orgulho do trabalho que as cooperativas e a Ocepar fazem”. “Nós, da Fecomércio e do G7, sabemos da potencialidade do cooperativismo do Paraná e da atuação importante da Ocepar na defesa do setor produtivo”, frisou, citando como exemplo o trabalho realizado, em alinhamento com o G7, na greve dos caminhoneiros que praticamente parou o Brasil.

 

{vsig}2018/noticias/12/07/encontro_IV/{/vsig}

ENCONTRO ESTADUAL V: Senador eleito Oriovisto agradece apoio e garante que vai atuar em prol das demandas do cooperativismo

 

Convidado a falar em nome dos parlamentares eleitos com o apoio do cooperativismo paranaense, o professor Oriovisto Guimarães manifestou seu agradecimento ao setor. “A minha vinda aqui hoje é fundamentalmente para dizer ‘muito obrigado’ a cada um de vocês”, disse Guimarães, dirigindo-se aos cooperativistas presentes na cerimônia de abertura do Encontro Estadual de Cooperativistas Paranaenses, realizada na noite desta quinta-feira (06/12), no Teatro Positivo, em Curitiba.

 

Frencoop - Nas últimas eleições, a Ocepar lançou o programa de educação política parana.coop+10, visando incentivar o voto consciente em prol do fortalecimento da Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop). O senador eleito Oriovisto Guimarães, assim como o deputado Pedro Lupion, também presente na cerimônia de abertura, integraram o grupo de candidatos apoiado pelo setor. “Farei tudo o que eu puder para ajudar as cooperativas do Paraná no Congresso Nacional. Peço que as demandas sejam levadas até mim, em Brasília, de forma clara e objetiva. E eu estarei lá para ajudar, com certeza”, afirmou

Cooperativismo- Em sua fala, o professor Oriovisto lembrou foi sua primeira vez numa disputa eleitoral e que no início da campanha tinha apenas 1% das intenções de voto. “Depois de visitar muitos municípios e dezenas de cooperativas, fiz muitos amigos e aprendi muito. Sobretudo, aprendi que o cooperativismo é algo lindo. Fiquei absolutamente maravilhado com o trabalho realizado no interior do Paraná. Fiz bons amigos e, em todas as ocasiões, garanti que se eleito desempenharia no Senado algumas funções e, uma delas, é ajudar o cooperativismo em tudo o que estiver ao meu alcance”, disse.

Diálogo – Segundo ele, para isso que isso aconteça irá buscar o diálogo com o setor, até mesmo para conhecer com mais profundidade o cooperativismo. “Como reitor da Universidade Positivo por 10 anos, aprendi uma coisa: a humildade intelectual é algo que se impõe hoje em dia. Qualquer um que tenha uma noção de ciência e de cultura, a primeira frase que tem que dizer ‘é que eu sei que nada sei, e quanto mais eu aprendo, mas que vejo que tenho muito mais a aprender’. Então, é com essa humildade e disposto a aprender muito com as cooperativas e com a sociedade brasileira, que eu quero ir para o Senado”, frisou.

Bandeiras – Além de defender o cooperativismo, o professor Oriovisto disse que suas bandeiras no Senado incluem o combate a corrupção e a aprovação das reformas da previdência, política e tributária. “Já estou conversando com o futuro ministro Sérgio Moro e na próxima terça-feira terei minha primeira reunião com o presidente eleito Jair Bolsonaro. Quero trabalhar por leis duras para a corrupção, pelas reformas, por um estado mais enxuto e com menos privilégios. Vamos ver se a gente consegue mudar um pouco a cara do nosso país para que s políticos sejam motivo de orgulho para o povo”, afirmou.

{vsig}2018/noticias/12/07/encontro_V/{/vsig}

ENCONTRO ESTADUAL VI: Presidente da Coagro Sebaldo Waclawovsky e deputado Osmar Serraglio recebem o Troféu Ocepar

O diretor-presidente da Cooperativa Coagro, Sebaldo Waclawovsky, e o deputado federal e coordenador da Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop), Osmar Serraglio, receberam o Troféu Ocepar, em reconhecimento aos relevantes trabalhos prestados ao cooperativismo paranaense. A entrega ocorreu no Encontro Estadual de Cooperativistas Paranaenses, na noite desta quinta-feira (06/12), em Curitiba.

Agradecimento - O troféu foi entregue a Sebaldo pelo presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, e diretores da entidade. Ele agradeceu pela indicação e começou seu pronunciamento de forma bem-humorada. “Espero que não seja um aviso prévio, para lembrar que está na hora de eu ir embora”, brincou. O presidente da Coagro também falou sobre sua trajetória no cooperativismo. “Foram muitos desafios, algumas lutas inglórias, mas muitas vitórias”, disse e, fazendo referência ao escritor chileno Pablo Neruda, vencedor do Prêmio Nobel de Literatura, que em sua autobiografia disse “Confesso que vivi”, o presidente da cooperativa afirmou: “Confesso que sobrevivi, por isso hoje estou aqui”. “Na Coagro, nós adotamos algumas estratégias, que usamos como lema: ter ousadia, mas com prudência nos negócios. A melhor virtude do ser humano é a prudência. Pense duas vezes, em todos os sentidos, na vida e nos negócios. O importante é cresce devagar, mas sempre. As cooperativas bem administradas têm vida infinita”, frisou.

Sebaldo - Gaúcho de Venâncio Aires, Sebaldo foi para Capanema, no Sudoeste do Estado, em 1968, onde participou e incentivou o Projeto Iguaçu de Cooperativas, uma iniciativa da Ocepar que deu origem à Coagro. Tornou-se cooperado em1972 e, desde o início de sua trajetória, já assumiu diversos cargos: Conselheiro Fiscal, diretor-secretário e agora é presidente por mais uma gestão.

Reformulação - No final da década de 1990, a Coagro passou por dificuldades financeiras e administrativas, que obrigaram o afastamento do presidente da época. Reconhecido pela sua grande contribuição, Sebaldo, que havia sido o terceiro presidente da cooperativa, foi chamado novamente a ocupar a função, e iniciou-se um processo de reformulação total da cooperativa. A partir do ano 2000, a Coagro iniciou uma nova etapa de crescimento, sempre buscando promover todos os que fazem parte dela. Com mais de 40 anos dedicados ao cooperativismo, Sebaldo hoje pode ser reconhecido por ser estar à frente de uma cooperativa sólida e tradicional no ramo de cereais, insumos e mercado.

Serraglio - O deputado Osmar Serraglio também recebeu o Troféu Ocepar das mãos do presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, e deputados federais eleitos no último pleito. “Obrigado à Ocepar e à OCB por esta honraria”, disse. “Para mim, é uma alegria muito grande estar neste ambiente. Quero agradecer a cada um com quem tive o privilégio de compartilhar o ideal cooperativista, ideal que, com muito orgulho, me conduziu à presidência da Frencoop, por meio do qual nós conseguimos muitas conquistas para o setor”, afirmou. “Vocês não têm dimensão do orgulho com que recebo essa homenagem”.

Formação e trajetória - Atualmente no quinto mandato como deputado federal, Serraglio é advogado e professor universitário, mestre em Direito do Estado pela PUC-SP. Natural de Erechim (RS), presidiu a Associação dos Professores do Paraná, entre os anos de 1973 e1975, e foi vice-prefeito da cidade de Umuarama (PR), no período de 1993 a1996). Paranaense de coração, foi o primeiro representante do Estado a ocupar o cargo de Ministro da Justiça. Foi pioneiro também o ocupar a posição de primeiro secretário da Câmara dos Deputados, quando há mais de 50 anos nenhum parlamentar oriundo do Paraná preenchia a posição.

Causas do cooperativismo - Além de presidir a Frencoop no Congresso Nacional, é presidente da Comissão de Constituição e Justiça e Cidadania (CCJC), uma das mais importantes da Câmara dos Deputados. Em toda sua trajetória política, tem demonstrado um grande apreço pelo setor cooperativista, principalmente por sua atuação e defesa ativa das causas do cooperativismo, para que as cooperativas possam se desenvolver nos seus mais diferentes campos de atuação.

O Troféu - Instituído pela diretoria da Ocepar em julho de 1977, quando o presidente da entidade era Benjamin Hammerschmidt, o Troféu Ocepar é um prêmio que normalmente é entregue anualmente a duas personalidades de destaque dentro e fora do cooperativismo. Quando completou 40 anos de existência, em 2017, a diretoria solicitou que a obra recebesse uma nova releitura. Para tanto, foi escolhido o artista plástico Elvo Benito Damo para a missão. O novo olhar do autor ao Troféu Ocepar o tornou maior (23 cm de altura), fundido em bronze, com base em granito e com tons esverdeados do símbolo principal do Paraná: a araucária.

O artista plástico - Elvo Benito Damo é orientador do Ateliê Livre de Escultura da Fundação Cultural de Curitiba e desenvolve seu trabalho no Centro de Criatividade do Parque São Lourenço. Ele possui mais de 12 obras de artes expostas em praças públicas de Curitiba, entre elas o monumento do Centenário da Imigração Italiana, em Santa Felicidade, e o Cacique Tindiquera, com três metros de altura, localizado na Praça Tiradentes, no marco zero em frente à Catedral da capital paranaense. Premiado por diversas vezes em salões de arte nacionais e internacionais, Elvo foi representante brasileiro no V Salão Internacional da Pequena Escultura em Budapeste (Hungria), onde recebeu diploma de honra pelo conjunto das obras, além de ser o representante brasileiro na 2° Bienal Internacional de Óbidos em Portugal/Escultura Contemporânea.

Satisfação - Ele afirma que foi uma imensa satisfação ter sido escolhido para esta nova fase do Troféu Ocepar. “O artista deve sempre procurar representar o seu próprio habitat, e o pinheiro, indiscutivelmente, é o símbolo máximo do nosso estado. Me baseei na obra anterior e criei uma imagem forte, alta e próspera como são as próprias cooperativas paranaenses, sempre preocupadas com o bem-estar das pessoas e do meio ambiente”.

{vsig}2018/noticias/12/07/encontro_VI/{/vsig}

ENCONTRO ESTADUAL VII: Cida Borghetti é homenageada com o troféu Cooperativas Orgulho do Paraná

A governadora do Estado do Paraná, Cida Borghetti, foi homenageada, na manhã desta sexta-feira (07/12), em Curitiba, no Encontro Estadual de Cooperativistas Paranaenses. Ela recebeu o troféu “Cooperativas Orgulho do Paraná”, instituído em 2008 pela diretoria da Ocepar em reconhecimento às pessoas ou instituições que fazem a diferença e ajudam a fortalecer o cooperativismo paranaense. Na honraria, consta a mensagem: “Cida Borghetti, as cooperativas paranaenses agradecem sua atuação como governadora do Paraná, em defesa dos interesses do cooperativismo.”

Formação - Cida Borghetti é empresária, formada em administração pública, com especialização em políticas públicas, e atuou como deputada estadual e deputada federal. Na Assembleia Legislativa do Paraná, foi autora de 101 leis, com destaque para a Lei 110/05, que regulamenta a Região Metropolitana de Maringá e a Lei 111/05, que dispõe sobre o funcionamento das Regiões Metropolitanas do Estado do Paraná.

Brasília - Na Câmara dos Deputados, presidiu a Comissão Especial da Primeira Infância – que redigiu e aprovou o Marco Legal da Primeira Infância, uma das mais avançadas legislação do mundo na proteção da criança de 0 a 6 anos. E, com emendas individuais, viabilizou para o Paraná a implantação de quatro Centros de Diagnóstico de Câncer de Mama. Foi eleita vice-governadora nas eleições de 2014. Assumiu o cargo de governadora em abril desse ano.

{vsig}2018/noticias/12/07/encontro_VII/{/vsig}

ENCONTRO ESTADUAL VIII: Nós não sabemos nos comunicar, diz Roberto Rodrigues

Em sua participação no Encontro Estadual de Cooperativistas Paranaenses, nesta sexta-feira (07/12), em Curitiba, Roberto Rodrigues sugeriu que a comunicação seja o tema central do XIV Congresso Nacional do Cooperativismo, que será realizado em maio de 2019, em Brasília. Com larga experiência no setor, ele acredita que os diferenciais do cooperativismo devem ser melhor disseminados entre toda a sociedade. “Temos que deixar de comunicar só para nós mesmos o nosso potencial e a contribuição que damos para o desenvolvimento econômico e social da população. É preciso que o Brasil inteiro saiba disso”, afirmou.

Pero Vaz de Caminha - “Nós não sabemos nos comunicar”, reforçou ele. Rodrigues voltou às origens do país para mostrar como é importante ter uma comunicação clara e eficiente. “Pero Vaz de Caminha, escrivão da frota de Pedro Álvares Cabral, disse para o rei de Portugal que, nessa terra, em se plantando, tudo dá. Mas é uma mentira. Em algumas regiões, a terra é fértil, como no Paraná, mas vai lá no Cerradão, ou em outras regiões, onde não nasce nem uma planta. É preciso mostrar a verdade”, frisou.

Jeca Tatu - Para lembrar como a realidade brasileira mudou e precisa ser melhor comunicada, ele também falou sobre o personagem Jeca Tatu, criado por Monteiro Lobato, que até hoje ainda transmite a ideia de que o meio rural é atrasado. “Antes, o Brasil era rural e hoje a coisa mudou. Naquele tempo não tinha celular, internet, nem luz elétrica. As pessoas andavam descalças, mas isso foi há 100 anos. Naquele tempo, o homem do campo dizia para o seu filho ir estudar na cidade. Hoje, o pai fala para o filho: senta aqui pra estudarmos juntos. Temos um povo extraordinário, jovem, construindo um mundo novo, na cidade e na roça. Então, precisamos mudar isso, por meio da nossa comunicação. Não tem mais Jeca Tatu. Não tem mais ‘em se plantando tudo dá’. O que o Brasil tem é a tecnologia. Hoje estamos num país tecnificado, capaz e competente, cujos agricultores fazem em suas propriedades o que for necessário para aumentar a produtividade. Mas ainda faltam estratégia, logística, e os juros e impostos são altos”, lembrou.

Plano Estratégico de Desenvolvimento - Rodrigues participou da elaboração de um plano estratégico de longo prazo para o Brasil, cuja proposta é promover o desenvolvimento econômico e social conjugando ações que envolvam o rural e o urbano, de forma equilibrada. O documento já foi entregue aos futuros ministros da Economia, Paulo Guedes, e da Agricultura, Tereza Cristina. Ele acredita que uma das instituições capazes de participar da condução dessas propostas é a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB). “Vamos fazer isso com as cooperativas no comando, urbano e rural juntos. Vamos fazer do nosso país o campeão mundial da paz. Está nas nossas mãos”, frisou.

O palestrante - Roberto Rodrigues é engenheiro agrônomo e agricultor, coordenador do Centro de Agronegócio na Escola de Economia de São Paulo, da Fundação Getúlio Vargas (FGV EESP), Embaixador Especial da FAO para as Cooperativas e Presidente do Lide Agronegócios. Participa de inúmeros conselhos empresariais, institucionais e acadêmicos. Dentre outras instituições, foi presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e da Aliança Cooperativa Internacional (ACI). Além disso, foi Secretário de Agricultura do Estado de São Paulo (1993/1994) e Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (2003/2006).

{vsig}2018/noticias/12/07/encontro_VIII/{/vsig}

ENCONTRO ESTADUAL IX: Presidente da OCB convida paranaenses para o 14º Congresso Brasileiro do Cooperativismo

 

Comunicação, intercoperação, inovação, gestão e governança, mercado e representação. Estes são os temas propostos para o 14º Congresso Brasileiro do Cooperativismo, evento que será promovido pelo Sistema OCB em maio de 2019. “Quero aproveitar a oportunidade de estar aqui hoje e convidar essa grande família do cooperativismo paranaense para se engajar no 14º Congresso”, disse o presidente do Sistema OCB, Marcio Lopes de Freitas, no segundo dia do Encontro Estadual de Cooperativistas Paranaenses, na manhã desta sexta-feira (07/12), no Teatro Positivo, em Curitiba.

 

Catalisador de ideias - “Precisamos que vocês mandem sugestões. Esse congresso só vai acontecer se vocês participarem. O Paraná está coordenando um trabalho de catalisar as ideias, então, a minha vinda aqui foi para isso, para convidar vocês a se engajar no décimo quarto congresso”, completou. Segundo ele, o objetivo com o Congresso é provocar rupturas e fortalecer o o sentimento de pertencer ao cooperativismo. “Vamos ter orgulho de SomosCoop”, afirmou.

 

Mudanças - Freitas lembrou que de início, ele resistiu a ideia de promover o evento. “Quando discutimos a proposta de realizar a décima quarta edição desse evento, defendi junto à diretoria que se fosse para fazer mais do mesmo, então, a gente não iria fazer nada. Já ocorreram 13 edições e não houve nenhuma mudança estrutural e significativa. Então, dessa vez a ideia é ouvir a base e construir, em conjunto a pauta do Congresso e que disso tudo resulte um plano estratégico nacional para o cooperativismo, muito bem fundamentado, alinhado e que sirva de referência para todos, até mesmo para que cada cooperado entenda o rumo que a sua cooperativa está tomando”, disse.

 

Comunicação - Ao comentar sobre o primeiro tema elencado para o Congresso, que é Comunicação, Freitas citou como exemplo o presidente da Copacol, Valter Pitol. “Sempre que venho ao Paraná, recarrego minhas baterias. Observo tudo e algo que chamou minha atenção é que o Valter Pitol escuta a base dele”, comentou Freitas. A exemplo do que acontece na cooperativa de Cafelândia, Oeste do Paraná, o Sistema OCB e as unidades estaduais, entre as quais a Ocepar, é fundamental que nessa edição do Congresso sejam discutidos mecanismos modernos de comunicação que dêem voz aos cooperados. “Vamos usar as redes sociais, buscar a tal da disruptura, mas lembrando que a nossa base são os cooperados. Se não ouvirmos a base, não saberemos para onde ir”, disse.

 

Intercooperação - Outro tema que é recorrente nas discussões do setor cooperativista é a intercooperação. “O discurso é solidário, mas a prática é solitária”, destacou o líder cooperativista. Na avaliação do líder cooperativista é possível mudar essa situação, basta tomar como base os exemplos maravilhosos que demostram o sucesso de um trabalho em conjunto. “É hora de discutir mais a interoperação, mas não como filosofia, mas como economia e negócio”, frisou.

 

Mercado, inovação e representação - Em relação ao tema mercado, Freitas disse que é fundamental entender esse mercado dinâmico e que está mudando a todo momento. “Muitos produtos que consumimos hoje daqui cinco ano não existirão mais. Então, precisamos focar, pensar o mercado, mas incluir nessa discussão a inovação e tecnologia”, comentou. “Temos que rever e revisitar os nossos modelos de gestão e governança, e também a forma como representamos nossos cooperados. E já está acatada a sugestão do ex-ministro Roberto Rodrigues de inserir mais as mulheres e os jovens nos conselhos para que o cooperado tenha cada vez mais coração, o sentimento de pertencer”, afirmou. Por último, completou o dirigente, o objetivo do Congresso é discutir “a nossa própria casa”. “O sistema está bom? As nossas unidades estaduais estão dando as respostas que as cooperativas precisam”, questionou o líder cooperativista.

 

 

{vsig}2018/noticias/12/07/encontro_IX/{/vsig}

 

ENCONTRO ESTADUAL X: Propostas para o Congresso Brasileiro do Cooperativismo são debatidas em oficinas

Sugerir e debater propostas para o XIV Congresso Brasileiro do Cooperativismo (CBC), que acontecerá em 2019, em Brasília. Esses foram os objetivos das oficinas realizadas durante a programação do Encontro Estadual de Cooperativistas Paranaenses, nesta sexta-feira (07/12), no Teatro Positivo, em Curitiba. Os participantes do evento, ligados a cooperativas de todas as regiões do estado, em dez ramos econômicos, discutiram o futuro do cooperativismo. A atividades foram conduzidas pelo consultor Rodrigo Altair de Souza, que possui 16 anos de experiência em planejamento, estratégia, estratégia gestão de portfólio, programas e projetos. propostas do Paraná serão levadas às plenárias do CBC para a definição de documento com as sugestões de cooperativas de todo o Brasil, que, posteriormente, será apresentado ao presidente eleito Jair Bolsonaro, que assumirá o cargo em janeiro.

Temas - Os cooperativistas receberam publicação com as propostas já agrupadas pelo Sistema Ocepar, coletadas por meio de pesquisa e debates durante os Encontros de Núcleos Cooperativos, que aconteceram em outubro. As sugestões foram reunidas em seis temas, debatidos nas oficinas do Encontro Estadual: representação, gestão e governança, inovação, mercado, intercooperação e comunicação.

Estratégias - “O Congresso Brasileiro do Cooperativismo terá o objetivo de traçar as estratégias do setor para a próxima década. Temos a responsabilidade de agir para perenizar o cooperativismo como instrumento sustentável, que promova desenvolvimento socioeconômico e deixe como legado às futuras gerações um movimento sólido e que preserve os princípios e valores da cooperação”, explicou o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken.

{vsig}2018/noticias/12/07/encontro_X/{/vsig}

ENCONTRO ESTADUAL XI: Castrolanda e Copacol assinam contrato com o BRDE

A Cooperativa Castrolanda, com sede em Castro (PR), assinou um contrato com o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) durante o Encontro Estadual de Cooperativistas Paranaenses, nesta sexta-feira (07/12), em Curitiba. O acordo prevê um financiamento de R$ 50 milhões, por meio do Prodecoop (Programa de Desenvolvimento Cooperativo para a Agregação de Valor à Produção Agropecuária). O documento foi assinado pelo presidente da Castrolanda, Frans Borg, e pelo diretor-presidente do BRDE, Orlando Pessuti.

Projetos - Os recursos serão utilizados para a execução de dois grandes projetos da Castrolanda. Um deles prevê a implantação de uma fábrica de leite em pó integral, com capacidade de produção de 3 mil kg/hora, em Castro. O segundo é a implantação de uma nova UPL (Unidade de Produção de Leitões), com capacidade de alojamento de 6.500 matrizes e produção semanal de 3.750 leitões, no município de Piraí do Sul. Este último projeto é uma realização da intercooperação com as cooperativas Capal e Frísia.

Continuidade - “Nós estamos financiando projetos iniciados há dois anos. Eles já estão sendo implantados e são de extrema necessidade e não poderíamos mais retardá-los pois temos que dar continuidade ao nosso processo de industrialização. Nós colocamos o pé no freio. Aguardamos o que iria acontecer com nosso ambiente no Brasil. Agora, neste plano safra 2018/19, achamos por bem captar esses recursos, por meio do BRDE e Banco ABC, para o investimento em uma torre de secagem de leite, porque há momentos em que temos uma superprodução e, em outros, falta leite. Então, com essa torre, queremos equilibrar essa situação de oferta do produto. O outro projeto é de uma unidade de produção de leitões pois, devido ao nosso investimento na área de carnes, temos que crescer nessa atividade e, como isso leva tempo até terminar, decidimos concluí-lo”, afirmou Borg.

Copacol - A Copacol também está financiando R$ 50 milhões, visando à ampliação do abatedouro de aves localizado em Cafelândia, no Oeste do Paraná, que terá capacidade de processar 360 mil aves por dia. O contrato foi assinado no Encontro Estadual pelo presidente da Copacol, Valter Pitol, e pelo presidente do BRDE, Orlando Pessuti.

Desenvolvimento – O presidente da cooperativa, Valter Pitol, destacou a parceria de longa data com a agência de fomento. “O BRDE sempre foi um agente repassador de recursos para investimento das cooperativas, o que é extremamente significativo pois tem proporcionado nosso desenvolvimento. E esses recursos do contrato que assinamos hoje, de R$ 50 milhões, serão aplicados no nosso frigorífico de aves, adequando as instalações e aumentando a capacidade de abate, em nossa sede, em Cafelândia. Então, vai trazer a oportunidade de melhoria da infraestrutura industrial e, com uma estrutura nova e moderna, dar condições de impulsionar as exportações para o mundo inteiro”, disse. Ainda de acordo com ele, também serão gerados novos empregos. “Hoje temos em torno de 4 mil funcionários naquela planta e há necessidade de aumentarmos a contratação de colaboradores para aumentar a produção, a riqueza e a oportunidade para o cooperado na produção de frangos”, acrescentou.

Contratações BRDE - Em 2018, o BRDE realizou a contratação de R$ 402 milhões junto às cooperativas paranaenses e seus cooperados, sendo maior parte por convênios realizados com cooperativas de produção agropecuária e cooperativas de crédito.

{vsig}2018/noticias/12/07/encontro_XI/{/vsig}

ENCONTRO ESTADUAL XII: Frimesa assina protocolo de intenções com o governo do Estado

Também no Encontro Estadual de Cooperativistas Paranaenses, a Frimesa Cooperativa Central, composta pelas singulares Copacol, Copagril, C.Vale, Lar e Primato, assinou protocolo de intenções com o Governo do Paraná. Por meio dessa iniciativa, o Estado concederá tratamento fiscal diferenciado de aproximadamente R$ 150 milhões, visando ao fortalecimento do cooperativismo.

ICMS - O montante compreende o parcelamento do ICMS incremental, o diferimento do ICMS da energia elétrica e a utilização de R$ 100 milhões de crédito acumulado do ICMS. Em contrapartida, há o comprometimento das cooperativas em executar o projeto de implantação de uma planta industrial frigorífica para abate, desossa e industrialização de derivados de carne suína no município de Assis Chateaubriand, Oeste do Paraná, que terá capacidade final de 15 mil suínos por dia. O investimento será de aproximadamente R$ 1,1 bilhão.

Assinatura - O protocolo de intenções foi assinado pela governadora do Estado do Paraná, Cida Borghetti, pelo presidente do BRDE, Orlando Pessuti, e pelos presidente da Frimesa, Valter Vanzella, C.Vale, Alfredo Lang, da Copacol, Valter Pitol, da Copagril, Ricardo Chapla, pelo diretor executivo da Frimesa, Elias José Zydec, e pelo vice-presidente da Lar, Lauro Soethe.

Incentivos - “As obras do frigorífico de Assis estão em andamento, mas vai demorar para conclui-las e esses incentivos fazem parte do pacote de reivindicações feito por nós quando o projeto foi apresentado ao governo do Estado. E essa parte tributária é muito importante para o nosso projeto. Por exemplo, a postergação em 48 meses do prazo para recolher ICMS gerado vai dar um fôlego de capital de giro porque serão gerados bastante ICMS”, disse o presidente da Frimesa, Valter Vanzella.

{vsig}2018/noticias/12/07/encontro_XII/{/vsig}

 

ENCONTRO ESTADUAL XIV: Cida diz que diálogo com o setor produtivo foi a marca da sua gestão

Em discurso no Encontro Estadual de Cooperativistas Paranaenses, em Curitiba, na manhã desta sexta-feira (07/12), a governadora Cida Borghetti afirmou que as parcerias assinadas durante o evento e que terão recursos do Programa Paraná Competitivo, vão possibilitar o aporte de R$ 2,5 bilhões em investimentos na região Oeste do Paraná. “Serão beneficiados 14 municípios, impulsionando a geração de empregos, renda e o desenvolvimento regional”, disse. Em tom de despedida, Cida agradeceu o apoio do setor produtivo e destacou que o diálogo foi a marca da sua gestão. “Quero agradecer, de maneira especial, ao presidente do Sistema Ocepar José Roberto Ricken”, disse, lembrando que um dos primeiros atos da sua gestão envolvendo o setor produtivo foi a greve geral dos caminhoneiros e que a atuação em conjunto com as entidades representativas foi fundamental para a solução do problema. “Permanecemos por 11 dias em diálogo constante”, lembrou.

Ações - Ao falar no evento que reuniu associados das cooperativistas do interior e capital, Cida destacou algumas ações dos seus oito meses de governo. Ela citou o projeto Aeroporto Regional do Oeste, que está entrando na fase de desapropriação da área e pagamento das indenizações. Falou ainda dos avanços no Porto de Paranaguá, envolvendo e o trabalho junto ao Ministério da Agricultura para tornar o Paraná área livre de aftosa sem vacinação. A governadora destacou as medidas tomadas na área da segurança pública: a criação da Divisão de Combate à Corrupção e a instalação do Centro Integrado de Inteligência Regional, instalado em Curitiba e inaugurado nesta semana. “Planejamento e informação são fundamentais para tomarmos decisões na área da segurança pública”, disse. “Estou grata pela oportunidade de ter administrado, com responsabilidade, o Paraná”, completou a governadora.

 

{vsig}2018/noticias/12/07/encontro_XIV/{/vsig}

ENCONTRO ESTADUAL XIII: O futuro quem faz é você

 

Um dos pioneiros em coaching no Brasil, o goiano Homero Reis, 63 anos, ministrou palestra na manhã desta sexta-feira (07/12), no Encontro Estadual de Cooperativistas Paranaenses, evento promovido pelo Sistema Ocepar em Curitiba. Administrador, filósofo, psicanalista clínico, especialista em RH e mestre em educação e Master Coach, Homero Reis coach empresarial pela Newfield Consulting – Venezuela e Instituto Tecnológico de Estudos Superiores de Monterrey – México. Membro da Federação Internacional de Coaching Ontológico Profissional, é, ainda, especialista em Inteligência Relacional, sendo autor de vários livros sobre o tema.

 

Faça acontecer no presente - Em sua palestra “O Futuro quem Faz é Você”, Homero Reis contou histórias que instigaram a reflexão sobre o que queremos do futuro e o que estamos fazendo para que as nossas metas, planos e sonhos se realizem. “O objetivo foi motivar os presentes para que o ano de 2019 seja o ano da mudança”, disse. “Usei um modelo simples e profundo, chamado princípio da agricultura, para dizer que você colhe o que planta. O futuro nada mais é do que o resultado das coisas que a gente faz hoje. Somos resultado das escolhas que fazemos. Então, o que vocês querem do futuro? E o que estão fazendo hoje para que esse futuro aconteça?”, enfatizou.

 

Protagonismo - O segundo eixo da palestra de Homero Reis focou a importância da microação no macroresultado, ou seja, o impacto que a ação de cada um tem nos acontecimentos que afetam a todos. “Isto nos leva a assumir um papel ativo na gestão do futuro. Não posso ficar esperando que as coisas aconteçam, devemos fazer com que aconteçam. É o meu protagonismo”, disse.

 

Propósito - Para completar sua mensagem, o consultor frisou a importância de uma vida com propósito. “O trabalho só é interessante e significativo, se revelar o meu propósito. E isso responde a algumas perguntas interessantes: por que faço o que faço?; por que sou quem sou; por que sou um cooperado; por que mexo com a agricultura, crédito, transporte ou outra atividade ligada ao cooperativismo”; questionou. 

 

Cooperativismo - Sobre cooperativismo, disse que, em sua avaliação, esse modelo de negócio mostra a capacidade das pessoas unirem esforços e, a partir de suas competências, contribuírem para a construção de um mundo melhor. “É acabar com a competição predatória, para estimular a construção de uma sociedade a partir da harmonia e dos diferentes objetivos humanísticos comuns”, finalizou.

 

{vsig}2018/noticias/12/07/encontro_XIII/{/vsig}

ENCONTRO ESTADUAL XV: Shows culturais animaram a plateia

Dois shows culturais fizeram parte da programação do segundo dia do Encontro Estadual de Cooperativistas Paranaenses, nesta sexta-feira (07/12), em Curitiba. De manhã, os participantes acompanharam a apresentação do grupo Vesselka, de Prudentópolis (PR), fundado em 1°. de agosto de 1958, pelo padre Efraim Krevey, sob a coordenação das catequistas do Sagrado Coração de Jesus, Nádia Shulan e Ana Hotz. Assim, o grupo praticamente já existia desde quando as primeiras famílias ucranianas chegaram a Prudentópolis, mas não era tão difundido e popular como hoje. Tem como principais objetivos estudar, promover, realizar e divulgar a cultura ucraniana, por meio de cursos de danças, cantos, teatros, musicais e tradições folclóricas, como contribuição para o desenvolvimento artístico e cultural.

Concerto das Rosas – As atividades do evento foram encerradas ao som do Concerto das Rosas, da Orquestra Ladies Ensemble, que mostrou ao público alguns clássicos da música clássica internacional e da música popular brasileira. Ativo desde 2008, o grupo sob a direção artística e musical da violista Fabiola Bach Akel, é o único composto apenas por mulheres no Paraná e um dos primeiros do Brasil. O grupo se mantém em atividade desde 2016 por meio da Lei Rouanet, em parceria com a Unicultura, e se envolve em várias causas extremamente nobres, como a arrecadação de recursos para pacientes com câncer de mama. A Orquestra é formada por 18 musicistas das principais orquestras do estado e sob regência da maestrina Ingrid Stein.

Mais atrações – Além disso, o Encontro Estadual também foi animado pela TripCirco, com performances circenses nos dois dias do evento. Antes da abertura, nesta quinta-feira (06/12), houve ainda a apresentação da Escola de Dança Center, cujas coreografias procuram transmitir emoções e alegria, contagiando o público.

{vsig}2018/noticias/12/07/encontro_XV/{/vsig}

STF: Liminar suspende aplicação de multas em razão do tabelamento de fretes

 

stf 07 12 2018O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), deferiu liminar na Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 5956, na qual a Associação do Transporte Rodoviário de Carga do Brasil (ATR Brasil) questiona a política de preços mínimos do transporte rodoviário de cargas. O relator suspendeu a aplicação das medidas administrativas, coercitivas e punitivas previstas na Lei 13.703/2018 e, por consequência, os efeitos da Resolução 5.833/2018 da Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT), que estabeleceu a aplicação de multas em caso de inobservância dos preços mínimos por quilômetro rodado e por eixo carregado, bem como das indenizações respectivas. Fux determinou ainda que a ANTT e outros órgãos federais se abstenham de aplicar penalidades aos embarcadores, até o exame do mérito da ADI pelo Plenário do STF.

 

Audiência pública - O tema foi objeto de audiência pública no Supremo convocado pelo ministro Fux em agosto deste ano. Por determinação do ministro estão suspensos desde junho todos os processos judiciais, individuais ou coletivos, em curso nas demais instâncias do Judiciário, que envolvam a inconstitucionalidade ou suspensão de eficácia da Medida Provisória (MP) 832/2018, que institui a Política Nacional de Pisos Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas, e da Resolução 5.820 da ANTT, de 30 de maio de 2018, que regulamentou a MP. A medida provisória foi convertida na Lei 13.703/2018.

 

Alegação - Na ação, a ATR Brasil alega que a política de preços mínimos vinculantes derruba a atividade econômica exercida pelas empresas de transporte que atuam no segmento de granéis, que recrutam serviços dos motoristas autônomos em larga escala. Afirma ainda que o tabelamento de preço fere a economia de mercado e abre perigoso precedente para que outros grupos de pressão coloquem em risco a segurança do país. Diz ainda que o “paternalismo estatal” fez com que os motoristas autônomos não se preparassem para enfrentar os custos reais da atividade. Alega que o governo não adotou medidas alternativas para a solução do problema verificado no mercado de fretes, como fiscalização, incentivo e planejamento da atividade econômica.

 

Ações semelhantes - Ações semelhantes foram ajuizadas pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil – CNA (ADI 5959) e pela Confederação Nacional da Indústria – CNI (5964). Em petição apresentada ao ministro Fux esta semana, a CNA pediu urgência na apreciação da liminar, informando que a ANTT, a pretexto de regulamentar dispositivos da Lei 13.703/2018, editou a Resolução 5.833, de 9 de novembro de 2018, que instituiu mais sanções aos transportadores de cargas que utilizam o modal rodoviário.

 

Imposições - Em sua decisão, o ministro Fux afirma que o quadro fático revelado aponta que a imposição de sanções derivadas do tabelamento de fretes tem gerado grave impacto na economia nacional, o que se revela particularmente preocupante diante o cenário de crise econômica atravessado pelo País. “Inocorrente qualquer pronunciamento desta Corte sobre o mérito das Ações Diretas de Inconstitucionalidade, por razões de segurança jurídica (artigo 5º, caput e XXXVI, da Constituição), impõe-se a concessão da cautelar para suspender a aplicação de multas, por órgãos e agências federais, em razão do tabelamento de fretes retratado na [petição] inicial, evitando-se, assim, o perigo de dano a que alude o artigo 300 do Novo Código de Processo Civil”, concluiu Fux ao deferir a liminar. (STF)

 

Leia a íntegra da decisão.

 

SICREDI ALIANÇA: Agência é reinaugurada em Barretos

O Sicredi, instituição financeira cooperativa presente em 22 estados brasileiros e no Distrito Federal reinaugurou a agência de Barretos-SP nesta quinta-feira (06/12). A cooperativa Sicredi Aliança PR/SP possui atuação no oeste do Paraná e no norte de São Paulo, está presente em 17 municípios com 19 agências e mais de 46 mil associados. Além da mudança para a nova identidade visual, o espaço de atendimento ao associado foi ampliado.

Presenças - A solenidade contou com a presença do Presidente do Conselho de Administração, Adolfo Rudolfo Freitag; do vice-Presidente, Ildo Vorpagel Hoffmann; do Diretor Executivo, Fernando Barros Fenner; do Gerente Regional de Desenvolvimento, Fabio Heinrich; da gerente da agência, Michele Ribeiro de Oliveira; do Presidente da Câmara Municipal de Vereadores, Leandro Anastácio; do representante da Associação Comercial e Industrial de Barretos, José Luis; do Presidente do Sindicato Rural, Cyro Penna Júnior; do Secretário de Cultura, João Batista Chicalé; do Gerente Regional do Sebrae, Rafael Matos do Carmo; do subcomandante do 33º BPMI, Major Silva Júnior, do Bispo Dom Milton Kenan Júnior, de associados, colaboradores e demais convidados.

Cara nova - Segundo a gerente, Michele Ribeiro de Oliveira, a agência está de cara nova, revitalizada e com ambientes acolhedores para trazer cada vez mais comodidade. “Buscamos atender os nossos mais de 2.500 associados com o máximo de qualidade e conforto possível. Convidamos a todos para que venham viver essa nova experiência conosco. Para quem ainda não nos conhece, deixamos o convite para que venham conversar, nos conhecer melhor e saber mais sobre as soluções que temos para a vida financeira dos associados. Estamos de portas abertas e à disposição”, disse.

Proposta - “O Sicredi traz uma proposta que contribui com o desenvolvimento econômico e local de Barretos. Agradecemos por acreditar no potencial da cidade, contribuir na geração de empregos e de receita e também pelo papel que desempenha nas comunidades. Desejamos que continue trilhando esse caminho de sucesso. Estamos felizes por participar desta nova etapa. Obrigado Sicredi e contem com a comunidade barretense sempre”, destacou o Presidente da Câmara Municipal de Vereadores, Leandro Anastácio.

Expansão - O Diretor Executivo da Sicredi Aliança PR/SP, Fernando Barros Fenner, enfatiza que o Sicredi está dando importantes passos em termos de expansão. “A presença da marca do Sicredi está se consolidando cada vez mais. O estado de São Paulo possui um grande potencial para crescimento e negócios. Somente para o ano que vem, a Central Sicredi PR/SP/RJ tem prevista a inauguração de 71 agências em todo o estado de São Paulo. Neste contexto, nós também estamos estudando o desenvolvimento da cooperativa para a nossa área de atuação no norte-paulista. Com isso, conseguimos através do nosso modelo de atuação, agregar riquezas para as comunidades e difundir ainda mais o cooperativismo de crédito”, explicou.

Escolha certa - “Há quatro anos inauguramos esta agência e só temos a certeza de que fizemos a escolha certa. Barretos é uma cidade em constante desenvolvimento em todos os setores. A reinauguração traz o sentimento de gratidão pois os associados merecem um ambiente bonito, aconchegante e moderno. Agradecemos a todos que confiam as suas vidas financeiras ao Sicredi. Além da agência, temos em Barretos também a nossa regional, uma estrutura que apoia a operação da cooperativa nos oito municípios paulistas onde estamos presentes. Queremos continuar crescendo. O Sicredi aqui em Barretos vai ser do tamanho que a comunidade quiser”, evidenciou o Presidente do Conselho de Administração, Adolfo Rudolfo Freitag.

Nova marca - A agência reinaugurada apresenta a nova marca do Sicredi, desenvolvida com o objetivo principal de reposicionar o Sicredi com foco na presença nacional, com atuação regional e, consequentemente, na categoria de instituições financeiras cooperativas no Brasil. A nova marca representa o jeito simples, próximo e ativo do Sicredi: simples no jeito de ser, próximo das pessoas e ativo nas comunidades onde atua.

Inauguração do Sicredi em Pitangueiras - Na noite desta quinta-feira (06/12) a Sicredi Aliança PR/SP vai inaugurar a sua agência na cidade de Pitangueiras. A solenidade de inauguração está marcada para às 19h, na Rua Dr. Euclides Zanini Caldas, nº 361. A cooperativa também comemorará na ocasião, a importante marca de 20 agências.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão valoriza a participação dos 3,9 milhões de associados, os quais exercem um papel de dono do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.600 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros. Mais informações estão disponíveis em www.sicredi.com.br. (Imprensa Sicredi Aliança PR/SP)

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

{vsig}2018/noticias/12/07/sicredi_alianca/{/vsig}

SICREDI UNIÃO PR/SP: Jaguapitã ganha agência moderna e inovadora

Desde 2008 fazendo parte da rotina de Jaguapitã, a instituição financeira Sicredi União PR/SP está sempre buscando o melhor atendimento e conforto a seus associados. Na última semana, a agência foi reinaugurada em novo endereço e dentro de uma concepção moderna e inovadora, passando a funcionar agora na Avenida Bandeirantes 91.

Relacionamento - A nova agência foi projetada e executada pelo arquiteto Fábio Soares e sua equipe. “Foi pensando nos associados que a Agência buscou a inovação no processo arquitetônico e funcional, colocando como cunho principal a comodidade e a aproximação no relacionamento”, explica o arquiteto.

Conforto - A nova unidade tem uma área ampla de aproximadamente 485m², com uma infraestrutura de estacionamento para dar mais conforto e comodidade aos usuários.

Sustentabilidade - O quesito sustentabilidade segue entre os princípios da Sicredi União. A nova agência de Jaguapitã foi construída com foco na captação solar para geração de energia e da água das chuvas para uso da unidade. “A Sicredi pensa o meio ambiente como o bem mais importante”, comenta o gerente da agência Éder Romero.

Meio ambiente - A construção conta com infraestrutura convencional e pré-moldada, o que por sua vez gerou menor quantidade de resíduos no decorrer da obra, outra medida adotada visando não agredir o meio ambiente.

Luz natural - O prédio conta com aberturas em vidro em suas laterais, o que, destaca o arquiteto Fábio Soares, além de esteticamente deixar a construção mais bonita, “auxilia na comunicação entre o meio interno e externo e possibilita a entrada de luz natural no ambiente.” (Imprensa Sicredi União PR/SP)

{vsig}2018/noticias/12/07/sicredi_uniao/{/vsig}

SICREDI FRONTEIRAS: Poupadores da trifronteira levam prêmios em dinheiro

O poupador João Idilio Cenci, de Barracão, foi um dos ganhadores de novembro do prêmio de R$ 2 mil da Campanha “Eu Poupo Sim”, promovida pelo Sicredi para incentivar as pessoas a guardar suas economias na Cooperativa. No mês de outubro, um morador de Dionísio Cerqueira, Douglas Jailson Tomazi, também foi contemplado com o prêmio de R$ 2 mil por poupar no Sicredi. Da área de atuação da Sicredi Fronteiras PR/SC/SP muitos associados já foram contemplados com prêmios de R$ 2 mil.

Mais - No mês de novembro, além de João Idilio Cenci, também foi premiado Sirio Antonio Salapata, de Pérola d’Oeste, também com R$ 2 mil. “Quero parabenizar o nosso associado João Idilio Cenci pelo prêmio, que continue poupando e fazendo do Sicredi a sua Cooperativa para buscar investimentos, poupar e fazer suas movimentações financeiras. O Sicredi é uma instituição cooperativa de crédito que busca estar próxima de seus associados, contribuindo para o crescimento e o desenvolvimento da comunidade onde atua”, destacou o gerente da agência Sicredi de Barracão e Dionísio Cerqueira, Giliarti Wollmann.

Previsão - Com previsão de distribuir mais de 300 prêmios em dinheiro ao longo da Campanha, a promoção chega a sua reta final neste mês de dezembro, quando, no dia 15, fará o grande sorteio de R$ 500 mil. Ao todo, serão distribuídos R$ 1,5 milhão.

Participação - Portanto, ainda dá tempo de participar. Procure hoje mesmo uma agência da Cooperativa Sicredi Fronteiras PR/SC/SP, leve suas economias e contrate uma poupança. Basta poupar R$ 100,00 e você já ganha um número para concorrer ao grande prêmio. Ao fazer seus depósitos através da Poupança Programada Sicredi, você recebe o dobro de números da sorte.

O Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão valoriza a participação dos 3,9 milhões de associados, os quais exercem um papel de dono do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.600 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros. Mais informações estão disponíveis em www.sicredi.com.br. (Imprensa Sicredi Fronteiras PR/SC/SP)

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

{vsig}2018/noticias/12/07/sicredi_fronteiras/{/vsig}


Versão para impressão


RODAPE