Imprimir
CABECALHO

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4470 | 06 de Dezembro de 2018

ENCONTRO ESTADUAL: Tradicional evento do cooperativismo paranaense será aberto nesta quinta-feira, em Curitiba

encontro estadual 06 12 2018Todos os anos, o Sistema Ocepar reúne cooperativistas do Paraná em Curitiba para celebrar as conquistas alcanças pelo setor ao longo do exercício. O tradicional Encontro Estadual inicia nesta quinta-feira (06/12), às 18h, no Teatro Positivo. São esperados cerca de dois mil participantes, entre dirigentes, cooperados, colaboradores e familiares. Na oportunidade, o presidente da organização, José Roberto Ricken, vai apresentar, em seu pronunciamento, os principais números do setor relativos a 2018, como faturamento, exportações, empregos gerados, investimentos, resultado líquido, entre outros.

Presenças - Já estão confirmadas as presenças do governador eleito, Carlos Massa Jr, o Ratinho, e de deputados federais que irão integrar a Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop) a partir do ano que vem.

Mais - O evento prossegue nesta sexta-feira (07/12). O coordenador do Centro de Agronegócio da Escola de Economia de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (FGV-EESP) e embaixador Especial da FAO para o Cooperativismo, Roberto Rodrigues, ministra palestra sobre as perspectivas para o cooperativismo. Depois, haverá debate sobre as propostas do Paraná que serão levadas à discussão no XIV Congresso Brasileiro de Cooperativismo, que ocorrerá em 2019, em Brasília. O mestre em Educação e especialista em Coaching, Homero Reis, fala na sequência sobre “O futuro quem faz é você”.

Shows - Dois shows culturais também fazem parte da programação do segundo dia do Encontro Estadual. O grupo folclórico ucraniano brasileiro Vesselka se apresenta às 8h30 e, a partir das 14h, está prevista a realização do Concerto das Rosas, com a Orquestra Ladies Ensemble.

 

encontro folder 06 12 2018

 

SISTEMA OCEPAR: Conselho Administrativo do Sescoop/PR e diretoria da Ocepar realizam reunião ordinária

 

Teve início, às 10h, na sede do Sistema Ocepar, em Curitiba, a 24ª reunião ordinária do Conselho Administrativo do Sescoop/PR, referente à gestão 2015/2019. Na oportunidade, houve a apresentação dos projetos de formação profissional avaliados e recomendados pelo comitê técnico e autorizados pelo presidente da entidade, José Roberto Ricken, no período de 18 de outubro a 07 de dezembro de 2018. Também estiveram em discussão o Planejamento da Auditoria Interna (Paint 2019), a adaptação do Regimento Interno do Sescoop/PR ao do Sescoop Nacional, entre outros itens.

 

Ocepar – No período da tarde, após o almoço de final de ano, ocorre a 43ª reunião ordinária da diretoria da Ocepar, da gestão 2015/2019. Os diretores vão fazer uma avaliação de 2018 e debater as perspectivas do cooperativismo paranaense para 2019. Estarão ainda em pauta o Encontro Estadual de Cooperativistas, que ocorre nesta quinta e sexta-feira (06 e 07/12), em Curitiba, e a proposta de constituição de um grupo técnico no Paraná com representantes do ramo crédito para subsidiar as ações do Conselho Consultivo Nacional do Ramo Crédito (Ceco/OCB), entre outros assuntos.

 

{vsig}2018/noticias/12/06/sistema_ocepar/{/vsig}

 

PRC100: Workshop vai abordar planejamento estratégico

 

prc 100 06 12 2018O Sistema Ocepar vai realizar o 1º Workshop de Planejamento Estratégico do PRC100, no dia 13 de dezembro, na sede da entidade, em Curitiba. O evento ocorre das 8h30 às 17h e é aberto a profissionais de todos os ramos. Na oportunidade, serão apresentados cases de cooperativas agropecuárias paranaenses que estão aplicando a ferramenta de planejamento estratégico na gestão de suas atividades, entre as quais Cocari, Copagril, Cooperaliança, Coamo e Coonagro. O professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Tomas Sparano, irá mediar um painel de debates ao final de cada bloco de apresentações.

Diretrizes - “As cooperativas estão cada vez mais expostas a muitos fatores externos e inseridas em um ambiente cada vez mais competitivo e de grande complexidade. Diante deste cenário e buscando incorporar conjuntos estruturados de monitoramento das ações de planejamento, o Sistema Ocepar idealizou o PRC 100, o planejamento estratégico do cooperativismo paranaense, que serve como um instrumento importante, utilizado na definição de diretrizes para o futuro do setor do Estado do Paraná. O workshop integra mais uma ação nesse sentido”, afirma o coordenador de Desenvolvimento Cooperativo do Sescoop/PR, Leandro Macioski.

Encerramento - O evento será encerrado com palestra June Alisson Westarb Cruz, professor do programa de mestrado e doutorado em administração na pucpr e diretor executivo da Província Marista Brasil Centro-Sul. Em 2019, os workshops terão prosseguimento com o debate de experiências bem-sucedidas de outros ramos, como saúde e crédito.

Informações - Mais informações com Leandro Macioski (41 32001128 / e-mail: leandro.macioski@sistemaocepar.coop.br)  

 

Clique aqui para conferir na íntegra a progrmação do 1º Workshop de Planejamento Estratégico do PRC100

 

MEIO AMBIENTE: Fórum vai debater sustentabilidade na agroindústria

 

forum meio ambiente 06 12 2018A professora da Unibrasil e co-fundadora da Escola de Sustentabilidade, de Curitiba, Luciana Mueller, vai falar sobre o uso racional dos recursos naturais em agroindústrias como forma de agregação de valor, no dia 12 de dezembro, durante o Fórum de Meio Ambiente. O evento, promovido pelo Sistema Ocepar, é destinado a profissionais de cooperativas do Paraná que atuam nessa área. Já a gerente da Bayer, Cristiane Lourenço, vai apresentar as ações de sustentabilidade adotadas pela empresa e de projetos desenvolvidos em parceria com cooperativas.

 

Planejamento 2019 - Os participantes também vão discutir as atividades que deverão ser realizadas em 2019. “É muito importante discutir o planejamento para o próximo ano diante das mudanças de governo, que devem promover grandes desafios e oportunidades para nosso setor. Para estarmos preparados, é fundamental a colaboração de todos nesse momento”, afirma o analista de Desenvolvimento Técnico da Ocepar, Moisés Knaut Tokarski.

 

Programa de Extensão - No dia 13, será realizado o 5º módulo do Programa de Extensão em Gestão Ambiental, que tratará do tema “Economia ambiental”.

 

Inscrições - As inscrições devem ser feitas até sexta-feira (07/12) pelo e-mail jessica.costa@sistemaocepar.coop.br.

 

CÂMARA DOS DEPUTADOS: Comissão especial vota PL da lei de licitações

camara 06 12 2018

 

A comissão especial da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (05/12) o Projeto de Lei (PL) 1292/1995 que altera a Lei de Licitações e Contratos da Administração Pública. O projeto ainda deverá ser votado pelos deputados no Plenário da Casa.

 

Tema amplo e complexo - Como o tema é bastante amplo e complexo, foram realizadas diversas audiências públicas com parlamentares, governo e sociedade civil para cada parte tivesse a oportunidade de apresentar suas considerações. Em seu parecer, o deputado João Arruda (PR) buscou assegurar a forma de contratação mais vantajosa para a administração pública, o desenvolvimento nacional sustentável, a justa competição e evitar o sobrepreço e o superfaturamento de contratos.

 

Cooperativas Após atuação da OCB, o projeto assegura a participação das cooperativas em processos licitatórios afastando qualquer impedimento legal. Também veda ao agente público (ressalvados os casos descritos em lei) comprometer, restringir ou frustrar o caráter competitivo de licitações inclusive nos casos de cooperativas.

 

Dispensa - O texto também inclui a dispensa de licitação quando se tratar de coleta, comercialização ou processamento de resíduos sólidos em que os serviços são realizados por cooperativas de coleta. A matéria é de origem do Senado Federal e será analisada novamente pelos senadores com as novas mudanças propostas pelos deputados. (Informe OCB)

 

DIA C: Dia de Cooperar completa 10 anos em 2019

 

dia c 06 12 2018Um movimento nacional de estímulo às iniciativas voluntárias diferenciadas, contínuas e transformadoras, realizadas por cooperativas. Este é o Dia de Cooperar que, em 2019 completa 10 anos, beneficiando brasileiros e mostrando que o movimento cooperativista se diferencia dos demais modelos econômicos por sua capacidade de mudar, para melhor, a vida das pessoas.

 

Iniciativas transformadoras- E, neste ano, as iniciativas transformadoras, realizadas com o apoio do Sistema OCB e suas organizações estaduais, registraram o envolvimento recorde de cooperativas. Até agora, segundo a gerente de Desenvolvimento Social de Cooperativas do Sescoop, Geâne Ferreira, esse percentual está em 7%. Confira a entrevista abaixo.

 

Como você avalia a participação das cooperativas no Dia C em 2018?

A participação das cooperativas neste ano foi muito positiva. Tivemos um crescimento de 7% no número de cooperativas ativas no movimento Dia de Cooperar, com iniciativas e projetos alinhados a todos os 17 ODS, sendo desenvolvidos em todos os estados. Os números ainda são preliminares, pois tem iniciativas ocorrendo até o fim deste ano, mas temos condição de dizer que o Dia C está presente no Brasil, representado por cooperativas dos 13 ramos, inclusive. Com esse crescimento, temos visto um maior estímulo das cooperativas para participação e também um maior engajamento delas com projetos mais contínuos, mais duradouros nas comunidades onde elas estão inseridas.

 

Qual a importância dessas iniciativas estarem alinhadas aos ODS?

Desde quando começamos a estimular as ações e práticas do Dia C, vinculadas aos ODS, percebemos um impacto muito grande de contribuição das cooperativas em relação à essa agenda mundial. Para se ter uma ideia, começamos com ações em apenas de 7 ODS e, atualmente, as iniciativas podem ser enquadradas em, pelo menos, um dos 17 ODS. Prova disso é o reconhecimento que tivemos até em nível internacional. Primeiro foi a Aliança Cooperativa Internacional que reconheceu o Dia C como um movimento que engaja as cooperativas em relação à agenda dos ODS. E, depois, a própria ONU passou a reconhecer esse fato, realizando diversas atividades conosco. Vale destacar que, inclusive, já fomos convidados para realizar palestras e apresentações sobre o Dia C dentro e fora do país.

 

Considerando que o Dia C, a partir de 2018 se tornou um grande movimento, você pode explicar qual a diferença entre ação e projeto?

As cooperativas que participam do Dia C podem escolher como desenvolverão suas atividades. Se a cooperativa tem a possibilidade de realizar ações mais pontuais, em um único dia, de mobilizar a comunidade, mobilizar os cooperados para uma atividade apenas, classificamos a iniciativa como ação, que é algo esporádico e pontual. Agora, se a cooperativa tem condição de realizar um projeto contínuo, algo mais duradouro e que vai trazer alguma transformação para aquela comunidade, caracterizamos como projeto. Em síntese, uma ação ocorre de maneira pontual, ao contrário do projeto, realizado de forma contínua, trazendo resultados mais duradouros e, possibilitando, um acompanhamento maior por parte da cooperativa.

 

É importante que as cooperativas desenvolvam mais projetos do que apenas ações pontuais?

Exatamente. É muito importante que as cooperativas comecem a abraçar a prática de projetos contínuos. Isso permite que elas coloquem em prática o sétimo princípio do cooperativismo: o interesse pela comunidade. Se ela tem a capacidade de realizar uma iniciativa mais contínua para trazer resultados melhores para a comunidade, que isso seja feito. Nós, do Sistema OCB, estimulamos muito isso.

 

Como as cooperativas que ainda não fazem parte desse movimento podem participar?

É muito importante que as cooperativas que têm o interesse em participar do Dia C procurem as unidades estaduais do Sescoop, em todas as capitais brasileiras. Essas unidades são capazes de estimular e orientar essa participação. No nosso site: www.somoscooperativismo.coop.br é possível encontrar todos os endereços e demais informações de contato para que os interessados recebam todas as orientações não apenas sobre o Dia C, mas sobre o cooperativismo como um todo, de forma internacional, nacional e regional.

 

Quais as novidades para o ano que vem?

Nós temos uma preocupação grande com a coerência entre o nosso discurso e a nossa ação. O que fazemos, refletimos em nossos materiais, por isso, a partir de 2019, as cooperativas vão ver muitas novidades. Primeiro, trazendo a sustentabilidade como carro-chefe, já que nos preocupamos muito com o meio ambiente. Vamos trabalhar com balões biodegradáveis, papéis-semente, camisetas com fibra de garrafa pet, justamente para diminuirmos ao máximo o impacto das nossas ações. Além disso, toda a nossa identidade visual (bonés, camisetas e sacochilas) poderão ser reutilizadas nos anos seguintes. As cooperativas vão poder enxergar na marca e nos materiais do Dia C a nossa preocupação e o nosso compromisso com a sustentabilidade.

 

O ano de 2019 é muito importante para o Dia C, não é mesmo?

Sim. Em 2019 o Dia C completa 10 anos e, por isso, a celebração será muito importante, pois percebemos essa evolução. Ele nasceu em Minas Gerais e foi conquistando os outros estados. Atualmente, temos registros de que o Dia C já ocorre em cerca de 700 municípios do país, beneficiando milhões de brasileiros. Temos muito para comemorar, celebrar e continuar sonhando. (Informe OCB)

 

NATAL: Papai Noel distribui alegria e presentes a crianças de CMEI em Curitiba

Um dos princípios do cooperativismo é o interesse pela comunidade. E há diversas formas de colocar esse princípio em prática. Por este motivo, a Associação dos Funcionários do Sistema Ocepar (Afoca) mais uma vez apadrinhou cartas enviadas aos Correios e endereçadas ao Papai Noel. A entrega dos presentes foi realizada na manhã desta quarta-feira (05/12). Na ocasião, 60 crianças de 4 e 5 anos do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Vila Nori, situada no bairro Pilarzinho, em Curitiba, ganharam presentes do bom velhinho.

{vsig}2018/noticias/12/06/natal/{/vsig}

CAPAL: Cooperativa cresce 17% em 2018

A Capal Cooperativa Agroindustrial, com sede em Arapoti (PR), deve crescer 17% no faturamento em 2018, alcançando R$ 1,4 bilhão ante R$ 1,2 bilhão do ano anterior. Anualmente, os conselhos de Administração e Fiscal, Diretoria Executiva, gerências e coordenações da cooperativa se reúnem para uma retrospectiva das estratégias do ano, discutem as metas e lançam o orçamento do ano seguinte. Nesta ocasião, a reunião ocorreu nos dias 23 e 24 de novembro, em Cornélio Procópio (PR).

Palestra - No primeiro dia do encontro, a Capal reuniu 50 pessoas, entre conselheiros, diretores, gerentes e familiares para assistiram a palestra de Eugenio Mussak sobre o equilíbrio entre vida pessoal e carreira. Além de palestrante, Mussak é professor e empresário. Ele contabiliza cerca de 20 mil aulas ministradas e mais de mil palestras realizadas para empresas, universidades e congressos no Brasil e exterior.

Otimismo - O presidente do Conselho de Administração da cooperativa, Erik Bosch, está otimista quanto ao próximo ano, pois o cenário é diferente. Segundo ele, haverá uma conjuntura positiva no País em 2019, o que envolve o setor agrícola, o mercado interno e externo e o novo Governo Federal.

Confiança - “Apesar do segmento agropecuário estar em situação melhor que outros, os temores de 2018 estavam na falta de perspectiva quanto aos investimentos. Durante o ano, os ânimos estavam negativos, com medo de investir. Mas, com o novo governo, vemos uma formação ministerial mais técnica e podemos acreditar no futuro. Temos que confiar e investir no Brasil”, afirma Bosch.

Meta alcançada - O diretor-financeiro da Capal, Marco Rumen, destaca que, mesmo com todas as dificuldades que o Brasil atravessou, a cooperativa conseguirá completar o ano realizando o que foi planejado. A exceção, informa ele, é o setor de carne suína, mas que também traz uma expectativa melhor para 2019. “O ânimo dos investidores está maior no Brasil, além disso, a Rússia começou a abrir mercado para a carne suína brasileira. Apesar de nem todas as plantas do País terem sido ainda contempladas, essa abertura começa a desafogar o mercado interno”, avalia Rumen.

Novas soluções - Bosch reforça que, diante de uma crise, é necessário apresentar novas soluções. “No caso da suinocultura, mesmo com essa situação, vamos continuar investindo, mas focados em eficiência. Vamos produzir mais com menos”, afirma.

Situação - Para o orçamento do próximo ano ser apresentado, profissionais da Capal levam em consideração a atual situação do País e do mundo e as perspectivas sobre questões como preço de commodities, mercado, política e fatores que envolvem a cadeia agropecuária. Nessa época, estava, segundo o presidente, “extremamente difícil, seja pela greve dos caminhoneiros ou pelo Governo que não conseguiu trabalhar mais”. Com o tempo, a situação ficou mais clara, segundo ele.

Décimo ano - “É o décimo ano que o orçamento é apresentado e aprovado neste formato, em que cada gerente apresenta os números e os resultados da sua área de negócio. Essa forma de apresentação é muito positiva”, conclui Rumen.

Sobre a Capal Cooperativa Agroindustrial - Fundada em 1960, a Capal Cooperativa Agroindustrial conta atualmente com quase 3.000 associados, distribuídos em 14 unidades de negócios, nos estados do Paraná e de São Paulo. A cadeia agrícola responde por cerca de 70% das operações da cooperativa, produzindo mais de 640 mil toneladas de grãos por ano, com destaque para soja, milho e trigo. A área agrícola assistida ultrapassa os 140 mil hectares. (Imprensa Capal)

{vsig}2018/noticias/12/06/capal/{/vsig}

COCAMAR: Conselho de Administração visita unidades

O Conselho de Administração da Cocamar visitou nesta semana as novas unidades da cooperativa no noroeste do Paraná e também no Mato Grosso do Sul, além de passar por municípios, nessas regiões, onde houve ampliações e melhorias.

Municípios - Na terça-feira (04/12), os conselheiros estiveram em Paraíso do Norte, Santa Isabel do Ivaí, Santa Cruz do Monte Castelo, Querência do Norte, Loanda e Terra Rica. No final de outubro, a cooperativa adquiriu quatro unidades que pertenciam à Copagra, localizadas em Nova Londrina, Loanda, Terra Rica e Santa Isabel do Ivaí. Ainda em outubro, inaugurou as novas instalações em Paraíso do Norte.

Mato Grosso do Sul - Na quarta-feira (05/12), o Conselho passou por Nova Andradina, Ivinhema e Naviraí, no Mato Grosso do Sul. Na primeira cidade, foi construído um armazém graneleiro para 60 mil toneladas. E Naviraí recebeu no dia 19 de novembro, uma ampla loja no conceito shopping Cocamar. (Imprensa Cocamar)

COOPAVEL I: Argentinos buscam subsídios de olho em futuras parcerias

Uma comitiva argentina das regiões de Missiones e Corrientes esteve em Cascavel (PR) nesta semana para conhecer o que o município tem de melhor nas áreas do empreendedorismo, indústria e turismo. Empresários, professores e autoridades de cidades do país vizinho foram recebidos na prefeitura, associação comercial, indústrias e instituições de ensino. Eles também estiveram com diretores da Coopavel e coordenadores do Show Rural Coopavel.

Informações - Em recepção liderada pelo presidente Dilvo Grolli, os argentinos puderam conhecer mais sobre uma das maiores cooperativas agroindustriais do Paraná. Dilvo informou sobre as áreas de insumos, recebimento de grãos e carnes. Ele destacou o papel da agroindústria, com menção ao moinho de trigo, indústria de óleo, de farelo de soja, fertilizantes, indústria de sementes e fábrica de rações.

Diversificação - “Um dos papéis centrais da cooperativa é o de incentivar a diversificação nas propriedades para que os produtores tenham mais renda e qualidade de vida”, ressaltou Dilvo. O presidente respondeu a questionamentos e apresentou uma leitura atualizada do mercado mundial de grãos, ressaltando a participação das safras brasileira e argentina.

Convite - O coordenador-executivo do Show Rural Coopavel, Acir Palaoro, informou sobre a realização da 31ª edição de um dos maiores eventos do agronegócio mundial. “Vamos receber nesta área, de 4 a 8 de fevereiro de 2019, mais de 250 mil pessoas que têm interesse em conhecer avanços, tecnologias e resultados de pesquisas com a atribuição de potencializar ainda mais os números de uma das maiores indústrias mundiais”.

Escola a céu aberto - “O Show Rural Coopavel é uma escola a céu aberto, uma universidade do campo”, definiu o coordenador-geral do evento, Rogério Rizzardi. Esse, seguiu ele, é um ambiente focado em inovações e conhecimentos, um espaço dedicado ao compartilhamento para que todos possam, em suas propriedades, adotar medidas que elevem a qualidade e a produtividade do que é cultivado. “Na edição de fevereiro de 2019 serão 5,8 mil experimentos em apresentação e esperamos, a exemplo do que ocorre com outros países, receber comitivas também provenientes da Argentina”. (Imprensa Coopavel)

{vsig}2018/noticias/12/06/coopavel/{/vsig}

COOPAVEL II: Cooperativa recebe nesta sexta a caravana Soja Brasil

Cascavel é uma das cidades selecionadas para receber a Caravana Soja Brasil, safra 2018/2019, organizada pelo Canal Rural e Aprosoja. Técnicos e conhecedores de temas ligados ao agronegócio e mercados vão estar na cidade nesta sexta-feira (07/12), para proferir palestras a partir das 14h no auditório do parque que anualmente recebe o Show Rural Coopavel. Os conteúdos são destinados a cooperados e diretores, técnicos e agropecuaristas.

Temas - As palestras vão tratar sobre mercado e câmbio, manejo de fertilidade, redução de custos e importância da biotecnologia e inovações, com exposições de Pedro Moreira, Alexandre Gazolla e Marcio Bonesi. Os presentes também assistirão a breves apresentações da Ihara, Massey Ferguson e a um vídeo de meteorologia.

Parcerias - A Caravana Soja Brasil tem como parceiros Massey Ferguson, Ihara, Mitsubishi Motors, CIB, Somar, Safras e Embrapa. O circuito de 2018 do ciclo percorreu várias cidades em inúmeros estados. No Paraná, além de Cascavel, o projeto esteve em Toledo, Campo Mourão, Guarapuava e Mandaguari (nessa cidade o evento será na segunda-feira, dia 10). (Imprensa Coopavel)

coopavel II 06 12 2018

COPAGRIL: Empossados os membros das Cipas para gestão 2019

A Cooperativa Agroindustrial Copagril empossou, na tarde desta quarta-feira (05/12), os membros das 10 Comissões Internas de Prevenção de Acidentes de Trabalho (Cipas) para a gestão 2019.

Presenças - Estiveram presentes à solenidade o vice-presidente da cooperativa, Elói Darci Podkowa, o gerente Administrativo, Jaime Benjamin Vilani, o encarregado de Recursos Humanos, Nilvo Kühler, o engenheiro do trabalho, Mauro Donha, a técnica em segurança do trabalho Josiane Timotio e a técnica em enfermagem, Silvana Renner.

Agradecimento - Na ocasião, o vice-presidente agradeceu e parabenizou a todos pela disposição em integrar as comissões, que realizam significativa tarefa nas unidades da cooperativa. “Vocês têm um papel importante de zelar pela segurança de todos que trabalham em nossa empresa. E a Copagril oferece todos os equipamentos de proteção necessários para manter a segurança e a saúde dos funcionários. Desejamos um ótimo trabalho a todos nessa nova gestão”, enfatizou.

Pins - Em seguida, as lideranças da cooperativa realizaram a entrega de pins aos presidentes de cada uma das 10 comissões e foram apresentados os respectivos membros. (Imprensa Copagril)

Clique aqui para conferir a matéria completa

 

SICREDI: Pelo 2º ano consecutivo, sistema é uma das 'Melhores Empresas para Começar a Carreira'

sicredi 06 12 2018O Sicredi celebra mais uma conquista em gestão de pessoas: a instituição financeira cooperativa foi reconhecida pelo segundo ano consecutivo como uma das "Melhores Empresas para Começar a Carreira". A pesquisa realizada pela revista Você S/A, em parceria com a Fundação Instituto de Administração (FIA), contempla as companhias que oferecem os melhores programas para quem está começando no mercado de trabalho.

Reconhecimento - "Estar entre as 'Melhores Empresas para Começar a Carreira' e, também, as 'Melhores Empresas para Trabalhar' é o reconhecimento a todas as práticas de gestão de pessoas, gestão de clima e da própria essência do Sicredi. É mais uma distinção que premia os mais de 25 mil colaboradores por estarem alinhados com o propósito da instituição de 'Fazer juntos para fazer a diferença', tanto no dia a dia deles como no cotidiano dos mais de 3,9 milhões de associados e das comunidades onde atuamos", afirma Rodrigo Wegener, superintendente de Gestão de Pessoas da Confederação Sicredi.

Empresas listadas - Na edição 2018 das "Melhores Empresas para Começar a Carreira", o Sicredi figura em 16º lugar entre as 45 empresas listadas, subindo seis posições em relação ao ranking do ano passado. O índice de Felicidade no Trabalho do Jovem (IFT) subiu para 79,2, ante 78,9 em 2017. Já no Índice de Qualidade de Ambiente de Trabalho para o Jovem (IQAT), baseado no questionário de satisfação preenchido por jovens colaboradores e estagiários até 26 anos de idade, a nota do Sicredi foi 90,3, ante 89,1 na edição anterior.

Ranking - O ranking também apresenta o Índice de Qualidade de Ambiente de Trabalho para o Jovem, de acordo com o que a empresa oferece e, neste caso, o Sicredi alcançou 58,7 pontos (na edição anterior, tinha atingido 55,1). Entre os fatores positivos destacados pelos jovens colaboradores e estagiários que participaram da pesquisa, se destaca a plataforma corporativa Sicredi Aprende, voltada para desenvolvimento pessoal e técnico – outro destaque é a transparência da instituição financeira cooperativa diante dos colaboradores e associados.

Indicadores - Os índices levam em conta os seguintes indicadores determinados pela pesquisa: Gestão Estratégica e Objetivos, Liderança, Reconhecimento e Recompensa, Carreira, Gestão do Conhecimento e Educação Corporativa, Comunicação Interna, Participação e Autonomia, Relações Interpessoais, Processos e Organização, Saúde, Segurança e Qualidade de Vida, Sustentabilidade e Diversidade e Employer Branding.

Entrevistas - Para o guia “Melhores Empresas para Começar a Carreira”, que está na sua oitava edição, as equipes de jornalismo da revista entrevistaram pessoalmente os jovens colaboradores das empresas participantes para avaliar a satisfação deles com seus empregos e, assim, desenvolver a pesquisa.

Outra conquista - Uma outra conquista de 2018, anunciada em novembro, o Sicredi também é destaque, pelo oitavo ano consecutivo, na lista das “150 Melhores Empresas para Trabalhar”. Repetindo o feito do ano passado, o Sicredi obteve neste mesmo ranking o primeiro lugar na categoria Cooperativas Financeiras, evidenciando a instituição como referência neste segmento, bem como o envolvimento dos seus colaboradores, valorizando e impulsionando o crescimento contínuo do cooperativismo de crédito no Brasil.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão valoriza a participação dos 3,9 milhões de associados, os quais exercem um papel de dono do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.600 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros. Mais informações estão disponíveis em www.sicredi.com.br. (Imprensa Sicredi)

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

SICREDI UNIÃO PR/SP: Programa A União Faz a Vida é lançado em Tuneiras do Oeste (PR)

A Sicredi União PR/SP, em parceria com a Prefeitura de Tuneiras do Oeste, fez o lançamento do Programa A União Faz a Vida (PUFV) no município nesta terça-feira (04/12). O evento reuniu cerca de 100 pessoas entre representantes da instituição financeira cooperativa e do poder público.

Certificados - Além do lançamento do PUFV, a Sicredi União fez a entrega de certificados aos educadores de escolas municipais. É que desde que o convênio foi assinado, há alguns meses, a instituição financeira cooperativa iniciou a preparação dos docentes, por meio de capacitações, para a implantação da metodologia a partir do início do ano que vem.

Empenho - O gerente regional da Sicredi União, Sérgio Gentilin, parabenizou o empenho dos educadores nessa etapa de capacitação e destacou que o programa visa a transformar as crianças em cidadãos mais cooperativos. “A metodologia tem surtido resultados positivos, tanto que temos até fila de espera. Aos poucos vamos ampliando o alcance desse trabalho e, assim, cumprimos nosso compromisso com o desenvolvimento da comunidade”.

Agradecimento - O vice-prefeito de Tuneiras do Oeste, Gerson Breda, agradeceu a parceria da Sicredi União e parabenizou a iniciativa. “Certamente esse trabalho vai enriquecer e estimular o processo de aprendizagem de nossos alunos. Todo investimento em educação é válido e a participação assídua dos educadores na capacitação revela o quanto estão motivados para iniciar a implantação do programa”, destacou.

Otimismo - A diretora do Centro de Educação Infantil Cecília Meireles, Eloisa Aparecida Amaro da Silva, confirmou o otimismo do corpo docente, principalmente após terem conhecido em detalhes a metodologia. “O trabalho vai unir educadores, alunos, família e a comunidade, permitindo que as crianças saiam dos muros das escolas e vivenciem outras realidades. Com certeza essas experiências facilitarão o aprendizado e os alunos levarão essas memórias para o resto da vida”.

Palestra - Após o cerimonial, os presentes prestigiaram a palestra “Somos faróis”, ministrada pela professora e escritora, Lu Oliveira. Na abordagem, ela promoveu uma reflexão sobre a responsabilidade do adulto no processo de formação da criança e do adolescente, e o exercício da autoridade foi um dos pontos destacados. “As muitas distrações que as tecnologias oferecem tem desafiado o ato de educar, mas adulto não pode ter medo de cara feia, senão ocorre a inversão de papéis. Crianças e adolescentes podem fazer escolhas, mas você que é pai ou educador tem de decidir quais serão essas opções de escolhas”.

Exercício da autoridade - Lu Oliveira frisou ainda que no exercício da autoridade o adulto tem de ser firme, mas sem deixar de lado o afeto. Ela exemplifica que ouvir com atenção a criança e demonstrar que se importa com ela é uma forma de ser afetivo. “Prestar elogios, principalmente em pequenas conquistas, também é importante. Toda criança sente quando há indiferença”, reforçou.

Superproteção - Por fim, a palestrante ressaltou que pais e educadores devem evitar a superproteção, liberando aos poucos a criança ou adolescente para que construam a sua independência. “O programa da Sicredi União ajudará nesse processo porque conduz o aluno a perceber o seu valor próprio e o do próximo, sendo estimulado a ser cooperativo e a fazer a diferença”.

Programa - Somente neste ano, a Sicredi União expandiu o programa para outros 14 municípios: Cafeara, Cambé, Cruzeiro do Oeste, Mandaguaçu, Porecatu, Prado Ferreira, Sertanópolis, Colorado e Londrina no estado do Panará, e Caconde, Iracemápolis, Vargem Grande do Sul, Leme e São João da Boa Vista em São Paulo. Com as adesões, o PUFV está implantado em 39 municípios e 205 escolas, atendendo mais de 3 mil educadores e 28 mil alunos.

Expansão - Em 2017, o PUFV foi expandido para sete municípios (Ângulo, Jaguapitã, Maringá, Tapejara, Casa Branca, Mogi Mirim e Piracicaba) e a meta é que funcione em todas as cidades que têm agência da Sicredi União – atualmente são mais de 60 municípios.

Proposta - A proposta do PUFV é desenvolver cidadãos cooperativos por meio de valores do empreendedorismo e da solidariedade. Para isso, a metodologia do programa é apresentada para prefeituras municipais, secretarias de educação, instituições e escolas, e, conforme interesse dos mesmos, é feita a capacitação dos educadores para a aplicação do método de en sino-aprendizagem.

Tema - A partir daí, os alunos, junto com o educador, definem o tema que será abordado durante o ano letivo, envolvendo toda a grade escolar. O trabalho é feito por meio de expedição investigativa, pesquisa, relatos, rodas de conversa, comunidade de aprendizagem, entre outros métodos, quase sempre com o envolvimento da família e da comunidade, que despertam o interesse dos alunos por adquirir novos conhecimentos. Por fim há o evento de culminância, em que são realizadas mostras culturais para apresentar os resultados das atividades desenvolvidas ao longo do ano. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

{vsig}2018/noticias/12/06/sicredi_uniao/{/vsig}

SICOOB NORTE DO PR: Crianças gravam canções natalinas para Cantata de Natal

A pouco mais de 20 dias para o início das apresentações da Cantata Encanto de Natal do Sicoob Norte do Paraná, as 45 crianças que participam do projeto começam a viver experiências inéditas. Entre os dias 23 e 27 de novembro, eles participaram da gravação das 12 canções que serão apresentadas durante o espetáculo dos dias 18 e 19 de dezembro. A gravação das vozes e instrumentos é necessária para alcançar arranjos perfeitos para o público. Uma novidade na vida de cada um dos artistas estreantes.

Ensaios regulares - Em ensaios regulares desde setembro deste ano, os cantores mirins são orientados pelo grupo Chorus que ensina técnica vocal, musicalização e ritmo. Mas a troca entre os profissionais e as crianças vai além desse aprendizado. “A cada manhã de gravação, a molecada fazia fila para ganhar um beijo e um abraço de cada uma das musicistas. A cada afago, um sorriso satisfeito se abria nos rostinhos infantis que curtem cada um dos detalhes da nova experiência artística”, afirma a analista de Responsabilidade Social, Angela Prats do Nascimento.

Destaque - A dedicação e o envolvimento dos 45 alunos da Escola Municipal Sebastião Feltrin, de Rolândia e todo cuidado do Sicoob com os detalhes desse grandioso evento foram reconhecidos pela programação oficial do Natal em Londrina. No anúncio da programação da campanha Londrinatal da Associação Industrial e Comercial de Londrina (Acil), a Cantata ganhou destaque especial.

Horário especial - De acordo com a Acil, o comércio de rua está funcionando em horário especial desde de 5 de dezembro. Os shows da Cantata integram as atrações culturais da programação natalina que se iniciam em 6 de dezembro quando o Papai Noel fará uma carreata pela cidade e calçadão.

Clássicos - A Cantata de Natal realizada pelo Sicoob Norte do Paraná promete encantar adultos e crianças com clássicos natalinos entoados desde as janelas de sua sede administrativa que irão ativar a memória afetiva do público esperado, mais de 5 mil pessoas. (Imprensa Sicoob Unicoob)

{vsig}2018/noticias/12/06/sicoob_norte_pr/{/vsig}

INFRAESTRUTURA: Portos do Paraná têm recorde de investimentos e obras

infraestrutura 06 12 2018Nos últimos anos, a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) realizou o maior conjunto de obras da sua história. Entre 2011 e 2018, foram mais de R$ 940 milhões em investimentos públicos, em infraestrutura marítima e terrestre. No período foram realizados, também, R$ 2,2 bilhões em investimentos privados.

Anúncio - Apenas durante a gestão da governadora Cida Borghetti, neste ano de 2018, a APPA anunciou mais R$ 663 milhões em investimentos, que serão aplicados na melhoria da infraestrutura portuária até 2020.

Próximas décadas - “Estamos pensando os nossos portos para as próximas décadas. Com esta estratégia, o Governo do Estado assumiu o papel de repotencializar os portos de Paranaguá e Antonina, tornando-os novamente competitivos no mercado nacional e internacional. E assim fizemos”, declarou o diretor-presidente da Appa, Lourenço Fregonese.

Obras em andamento - Em 2018 foram iniciadas as obras de revitalização da Avenida Bento Rocha, uma obra de R$ 15,9 milhões que vai reformar a principal via de acesso ao Porto de Paranaguá.

Dragagem de manutenção - Também foi feita a licitação da obra de dragagem de manutenção continuada para os próximos cinco anos, que garantirá a manutenção da profundidade de canal atingida com a recente dragagem.

Navios maiores- Além de permitir que os maiores navios que fazem o transporte internacional de cargas possam acessar ao porto, a obra vai contar com a inédita iniciativa de janelas ambientais, que são períodos sem intervenção da dragagem que respeitam os ciclos de reprodução marinha da fauna que vive na baía. O investimento da obra será de mais de R$ 470 milhões.

Cais oeste - Em julho deste ano, a governadora Cida Borghetti esteve em Paranaguá e assinou a ordem de serviço para início das obras no cais Oeste do Porto de Paranaguá. O investimento de R$ 177,58 milhões abrange modernização dos berços de atracação 201 e 202 e de ampliação do berço 201.

Triplo - A obra vai triplicar a movimentação de cargas no local, passando dos atuais 2 milhões de toneladas, para 6,5 milhões de toneladas anuais. Também já estão previstos outros R$ 60 milhões para a construção de quatro trincheiras rodoviárias em Paranaguá.

Plano de Desenvolvimento - Com as obras iniciadas neste ano, é possível dizer que a Appa cumpriu 100% do que foi proposto no Plano de Desenvolvimento e Zoneamento do Porto de Paranaguá (PDZPO), lançado em 2012, após debate com o setor produtivo e comunidade portuária.

Obras entregues - Foram entregues nesta gestão, obras como a instalação de novas defensas (estrutura que protege o casco do navio no cais), a expansão do sistema de segurança, novas portarias e balanças, novo prédio administrativo, o Centro de Proteção Ambiental das Baías de Paranaguá e Antonina, a reforma do cais, readequação do Sistema de Combate a Incêndios, ampliação do sistema de descarga de granéis sólidos no silo público com os novos tombadores e balanças rodoviárias.

Carregadores - Também foi feita a troca de quatro carregadores de navios, que aumentou em 33% a produtividade do Corredor de Exportação do Porto, a demolição de armazéns na faixa portuária, novas guaritas de acesso ao Pátio de Triagem de Caminhões, novo layout operacional do cais e um novo berço exclusivo para veículos, máquinas e equipamentos.

Recordes - Os investimentos fizeram com que o Porto de Paranaguá atingisse um novo patamar de movimentação. As filas de caminhões nunca mais foram vistas e, em 2017, pela primeira vez em toda a sua história, o porto ultrapassou a marca das 50 milhões de toneladas movimentadas.

Volume - Desde 2011, o Corredor de Exportação do Porto já registrou 45% de aumento no volume movimentado e ano passado bateu seu recorde de movimentação anual, com 17 milhões de toneladas de grãos escoados. Com isso, as cargas voltaram a sair pelo Porto de Paranaguá e mais de 80% da produção de grãos das cooperativas são exportadas pelo porto.

Recordes - Ao longo dos últimos anos, foram registrados 50 recordes históricos no Porto de Paranaguá. Ao todo, 17 marcas históricas foram batidas ao longo de 2017: operação diária, semestral e anual de soja e de veículos; volumes de graneis sólidos, líquidos e carga geral; fluxo de caminhões no pátio de triagem. Na operação quase todos os produtos movimentados pelo porto obtiveram recordes de movimentação, dinamizando e impulsionando a economia do Paraná.

Acima da média - O volume de movimentações foi bem acima da média brasileira. Enquanto as exportações de produtos no Brasil inteiro tiveram crescimento médio de 7,2% em relação a 2016, de acordo com dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, as exportações pelo Porto de Paranaguá cresceram 17%. “Este incremento é resultado de tudo que foi feito na infraestrutura terrestre, aliado ao que evoluiu na estrutura marítima, representada pelas campanhas de dragagem”, avalia o diretor de Operações do Porto de Paranaguá, Luiz Teixeira Junior.

Investimentos privados - Os investimentos públicos alavancaram os investimentos privados no Porto de Paranaguá. Entre os investimentos estão R$ 1,4 bilhão em novos Terminais de Uso Privado, R$ 1,2 bilhão em arrendamentos do Programa de Investimentos em Logística (PIL), R$ 960 milhões em renovações antecipadas de áreas, R$ 820 milhões em contratos de passagem e R$ 700 milhões em rearrendamentos de áreas públicas ocupadas. (Agência de Notícias do Paraná)

 

FLORESTAS PLANTADAS: Plano Nacional é lançado no Mapa

florestas plantadas 06 12 2018O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento lançou nesta quarta-feira (05/12) o Plano Nacional de Desenvolvimento de Florestas Plantadas - PlantarFlorestas, com ações previstas para os próximos dez anos. O objetivo é aumentar em 2 milhões de hectares a área de cultivos comerciais. Atualmente, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a área cultivada chega a 10 milhões de hectares, principalmente com eucalipto, pinus e acácias.

Localização - As florestas plantadas estão localizadas principalmente em Minas Gerais, Rio Grande do Sul, São Paulo e Mato Grosso do Sul. De acordo com o secretário de Política Agrícola, Wilson Vaz de Araújo, o plano é resultado de ampla consulta ao setor e à sociedade civil. E inclui um diagnóstico ambiental e socioeconômico associado ao manejo e a fase industrial.

Balança comercial - O segmento tem grande participação na balança comercial do agronegócio, sendo que no ano passado, as exportações só ficaram atrás do complexo soja, carnes e setor sucroalcooleiro. De acordo com a Indústria Brasileira de Árvores (IBÁ), o país lidera o ranking de produtividade florestal, com média de 35,7 m³/ha/ano, o que representa quase duas vezes mais a produtividade dos países do hemisfério norte. A área com florestas plantadas ocupa apenas 1% da área do país, mas é responsável por 91% de toda a madeira produzida para fins industriais.

Processo - “O plano que nós estamos lançando hoje é resultado de um processo que envolveu várias propriedades, profissionais, entidades e órgãos de governo. Esse trabalho foi finalizado no âmbito da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Florestas Plantadas por um grupo técnico criado pela Câmara, coordenado pela Embrapa Floresta que nos facilitou bastante o trabalho”, disse o presidente da Câmara Setorial, Walter Vieira.

Crescimento - Para o coordenador-geral de Florestas e Assuntos de Pecuária, da Secretaria de Política Agrícola, João Salomão, a importância do setor vêm crescendo ano a ano. No acumulado até outubro deste ano, o setor foi o terceiro do Agronegócio em exportações, registrando um valor recorde de US$ 11,61 bilhões (+23,2%) atrás apenas do complexo soja (US$ 36,27 bilhões) e de carnes (US$ 12,12 bilhões), finaliza. (Mapa)

 

 

POLÍTICA: Bolsonaro planeja fundir agências reguladoras para agilizar concessões

politica 06 12 2018A estrutura de agências reguladoras do setor de transportes deve passar por uma alteração radical no futuro governo. Está em discussão no escritório de transição do presidente eleito Jair Bolsonaro um plano de fundir as três estruturas hoje existentes no setor: a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), a Agência Nacional de Aviação (Anac) e a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). Juntas, elas passariam a ser a Agência Nacional de Transportes. A medida pretende acabar com o aparelhamento político das agências.

Origem - A maior parte desses órgãos surgiu no governo Fernando Henrique Cardoso, entre 1996 e 2001, com a função de intermediar a relação entre o governo e empresas que prestam serviços de interesse público. No entanto, ao longo dos anos, as indicações políticas acabaram tirando a independência das agências.

Avaliação - Na avaliação da equipe de transição, alguns dirigentes das agências ligadas ao setor de transportes, indicados por políticos, estariam trabalhando contra as concessões do governo federal, um programa que será prioritário no mandato do futuro presidente.

Plano B- Caso a fusão das agências não prospere, existe um plano B para tirar os dirigentes que ainda têm mandatos a cumprir. Um dos caminhos para isso seria a abertura de processos administrativos contra eles, constrangendo-os a deixarem o posto antes mesmo da conclusão das apurações. Dentro da ANTT, a ideia é esvaziar o controle do comandante do PR, Valdemar Costa Neto, que foi condenado no esquema do mensalão.

Antaq - Bolsonaro também quer afastar do comando da Antaq os indicados pelo senador Jader Barbalho (MDB-PA). A agência é avaliada pela equipe de transição como “pouco operante”.

Medidas - O afastamento dos dirigentes e o aproveitamento do corpo técnico das agências são medidas estudadas para dar mais velocidade ao programa de concessões. Bolsonaro quer o programa “voando”. Para isso, colocou no comando do Ministério da Infraestrutura (o nome novo do que hoje é o Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil) o engenheiro Tarcísio Gomes de Freitas, um dos principais responsáveis pelo programa de concessões. Tudo indica que o atual secretário Especial do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), Adalberto Vasconcelos, também será mantido no posto.

Instruções - Freitas recebeu instruções para acabar com o longo predomínio do PR sobre a área de Transportes, iniciado ainda no governo Lula. A pasta tem uma ala, a Secretaria Nacional de Portos, dominada pelo MDB.

Setor aéreo - No setor aéreo, a leitura é de que a Infraero, também comandada pelo PR, trabalhou contra parte do programa de concessões de aeroportos. O próprio ministro dos Transportes à época, Maurício Quintella, do PR, foi contrário. O atual titular do Ministério dos Transportes, Valter Casimiro, é um funcionário de carreira do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). No dia em que foi confirmado para o comando da pasta, ele esteve no Palácio do Planalto na companhia de Valdemar Costa Neto. Já está decidido que, encerrado seu período como ministro, não será ele o diretor-geral do Dnit.

Não melhora - Para o presidente da Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR), César Borges, a fusão das agências não significa melhora. “Concentrar tudo numa superagência pode dificultar que ela desempenhe bem sua função. Fragmentada já é difícil, porque falta recursos. O que se deve é reforçar as agências.”

ANTT - Criada em 2001, a Agência Nacional de Transportes Terrestres tem um diretor-geral e quatro diretores. Influência partidária: PR.

Antaq - Criada em 2001, a Agência Nacional de Transportes Aquaviários tem um diretor-geral e dois diretores. Influência partidária: MDB.

Anac - Criada em 2005, a Agência Nacional de Aviação Civil tem um diretor-presidente e quatro diretores. Influência partidária: MDB. (O Estado de S.Paulo)

 

ANS: Agência disponibiliza números do setor relativos a outubro

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) disponibiliza os dados atualizados do setor de planos de saúde relativos ao mês de outubro. A consulta pode ser feita através da Sala de Situação, ferramenta disponível no portal da Agência.

Beneficiários - Naquele mês, o setor contabilizou 47.314.120 beneficiários em planos de assistência médica e 24.185.018 em planos exclusivamente odontológicos. Nas duas segmentações houve aumento de beneficiários em relação ao mesmo período do ano anterior. No recorte por estados e Distrito Federal, 19 registraram crescimento no período de um ano, sendo Distrito Federal, Mato Grosso, Paraná, Goiás e Bahia os cinco com o maior ganho de beneficiários em planos de assistência médica. A ANS ressalta que os números podem sofrer modificações retroativas em função das revisões efetuadas mensalmente pelas operadoras. (ANS)

Clique aqui e acesse a Sala de Situação.

Confira nas tabelas abaixo os números de beneficiários por tipo de contratação do plano e por UF.

ans tabela I 06 12 2018

 

 

 

 

 

  

 

ans tabela II 06 12 2018

 

 

 

 

 

 

 

ans tabela III 06 12 2018

INTERNACIONAL: Chanceleres do Mercosul e da União Europeia se reúnem em Brasília

internacional 06 12 2018Os ministros das Relações Exteriores dos países que compõem o Mercosul (Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai, pois a Venezuela está momentaneamente suspensa) se reúnem nesta quinta-feira (06/12) em Brasília, no esforço de avançar no acordo de associação com a União Europeia (UE). Na reunião devem ainda analisar o resultado das últimas negociações, em novembro em Bruxelas.

Controvérsias - A reunião também servirá para diminuir dúvidas geradas por afirmações do presidente da França, Emmanuel Macron, que condicionou os avanços entre o Mercosul e a União Europeia ao comprometimento do presidente eleito, Jair Bolsonaro, ao Acordo de Paris, que define ações para conter o aquecimento global. Segundo Macron, a França não será favorável à assinatura de "acordos comerciais amplos" com países que se opõem ao Acordo de Paris.

Negociações travadas - As negociações entre o Mercosul e a UE continuam travadas por diferenças nos setores agropecuário, automotriz e lácteo, e questões de acesso a mercados, entre outros pontos.

Entraves O Mercosul e a UE negociam desde 1999 um amplo acordo de associação, incluindo o tratado de livre-comércio, embora as negociações tenham ficado completamente estagnadas entre 2004 e 2010 e só tenham sido retomadas em 2016. Há divergências em pontos referentes à indústria automobilística e ao acesso aos mercados de produtos como a carne bovina, o açúcar e os produtos lácteos. (Agência Brasil)

 


Versão para impressão


RODAPE