Imprimir
CABECALHO

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4463 | 27 de Novembro de 2018

FÓRUM I: Lançado o 13º Prêmio Ocepar de Jornalismo

1forum I 27 11 2018O 13º Prêmio Ocepar de Jornalismo foi lançado, na noite desta segunda-feira (26/11), em Curitiba, durante o primeiro dia do Fórum de Comunicação, Marketing e Varejo. O evento prossegue até esta terça-feira (27/11). O coordenador de Comunicação Social do Sistema Ocepar, Samuel Milléo Filho, lembrou que, em 12 anos de realização do concurso, já foram premiados 265 profissionais e contabilizados 1.211 trabalhos inscritos. “As matérias falaram positivamente sobre o cooperativismo, com veiculação espontânea a respeito do trabalho realizado pelas cooperativas, e que tiveram repercussão positiva para o sistema”, frisou.

Tema - Nessa edição, serão premiados os melhores trabalhos jornalísticos que abordem o tema “No campo ou na cidade, somos o cooperativismo no Paraná”. Podem ser inscritas, até o dia 1º de julho de 2019, matérias publicadas ou veiculadas no período de 1º de janeiro de 2018 a 1º de julho de 2019. Serão aceitos materiais que façam referência a um ou mais ramos do cooperativismo paranaense em que atuam as cooperativas filiadas à Ocepar: agropecuário, crédito, saúde, transporte, turismo, habitacional, educacional, infraestrutura, consumo e trabalho. O evento de premiação dos vencedores está programado para julho de 2019, em Curitiba.

Prêmio - Ao todo, serão distribuídos R$ 88 mil em prêmios, já descontados os impostos. O Prêmio Ocepar é dividido em seis categorias: Jornalismo Impresso, Telejornalismo, Radiojornalismo, Mídia Cooperativa, Categoria Especial Ramo Crédito, Categoria Especial Unimed. Os três primeiros colocados nas categorias Jornalismo Impresso, Telejornalismo, Radiojornalismo e Mídia Cooperativa vão receber, respectivamente R$ 10 mil (1º lugar), R$ 4 mil (2º) e R$ 3 mil (3º). Já os vencedores nas categorias especiais Ramo Crédito e Unimed vão ganhar R$ 10 mil cada.

O Prêmio -  O Prêmio Ocepar de Jornalismo é um programa institucional desenvolvido pelo Sistema Ocepar (Ocepar - Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná, Fecoopar – Federação e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná e Sescoop/PR - Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo). É uma iniciativa que conta com o patrocínio do Sicredi Central PR/SP/RJ e da Federação Unimed do Paraná e apoio institucional da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná (Sindijor/PR) e do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Norte do Paraná. Desde sua criação, em 2004, visa mobilizar e reconhecer o trabalho desenvolvido por jornalistas dedicados a divulgar ações econômicas e sociais realizadas pelo cooperativismo paranaense.

{vsig}2018/noticias/11/27/forum_I/{/vsig}

 

 

FÓRUM II: Constituído o Comitê de Comunicação do PRC100

A partir de 2019, o PRC100, planejamento estratégico do cooperativismo paranaense, contará com a contribuição de mais um comitê: o de Comunicação, constituído oficialmente na noite desta segunda-feira (26/11), em Curitiba, no Fórum de Comunicação, Marketing e Varejo. O grupo será formado por profissionais indicados pelos presidentes das cooperativas e passa a se reunir periodicamente no ano que vem para discutir estratégias e buscar soluções para concretizar as metas do PRC100 relacionadas à área. O diretor de negócios da Partner Consulting, empresa que vem assessorando o Sistema Ocepar na implantação do planejamento estratégico, Pedro Gonçalves, disse que o Comitê de Comunicação também irá tratar de demandas específicas das cooperativas.

Processo - No Fórum de Comunicação, Gonçalves explicou o processo de criação do PRC100, iniciado em 2015, e que tem como um dos principais objetivos pavimentar o caminho para que as cooperativas paranaenses alcancem faturamento de R$ 100 bilhões até 2020 de forma sustentável. De acordo com ele, cerca de 770 lideranças cooperativistas e 111 profissionais de sete ramos do cooperativismo participaram das discussões técnicas que deram origem ao planejamento estratégico do cooperativismo paranaense. Assim, foram definidos os cinco pilares do PRC100 (financeiro, mercado, cooperação, infraestrutura e governança e gestão), as estratégias e os desdobramentos. E, para implantar as ações, foram formados sete comitês multifuncionais. Em sua explanação, o diretor da Partner lembrou que os grupos são compostos por representantes das cooperativas, do Sistema Ocepar e da Partner. Ele também orientou sobre a função de cada integrante. Ainda segundo Gonçalves, os encontros vão ocorrer de forma presencial, via skype ou por videoconferência.

Ramos - O coordenador de Comunicação Social do Sistema Ocepar, Samuel Milléo Filho, será o responsável por coordenar o Comitê de Comunicação do PRC100. Ele afirmou que a ideia é que o grupo tenha representantes de todos os ramos do cooperativismo paranaense. “Vamos tentar contemplar todos os ramos e regiões do Estado, para que esse grupo tenha uma visão ampla das necessidades do setor e possa atuar de forma perene em várias questões”, frisou.

{vsig}2018/noticias/11/27/forum_II/{/vsig}

FÓRUM III: Evento reúne cerca de 45 participantes

O Fórum de Comunicação, Marketing e Varejo está sendo realizado nesta segunda e terça-feira (26 e 27/11), em Curitiba, com a participação de cerca de 45 profissionais de cooperativas do Paraná dos ramos agropecuário, crédito e saúde. O evento foi aberto com presença do presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, e do superintendente do Sescoop/PR, Leonardo Boesche. Ricken destacou a importância do Fórum estar reunindo representantes do cooperativismo de diferentes áreas, mas que devem trabalhar de forma integrada e em sintonia. Em sua avaliação, a comunicação é uma área estratégica, que deve ser tratada com todo o cuidado.

Importância - “Falar sobre a importância da comunicação é chover no molhado. Se há algo que precisa ser melhorado de forma geral no Brasil, é a comunicação. As informações hoje são veiculadas numa velocidade muito grande, com novos mecanismos. Basta ocorrer qualquer escândalo e todos os brasileiros conectados na internet ou no WhatsApp já ficam sabendo. Se isso fosse usado para o bem seria melhor. Por outro lado, se for usado para o mal, pode ser o caos. Pode comprometer uma empresa ou pessoas de um dia para a noite em questão de minutos. Então, a comunicação nunca foi tão importante, tão estratégica, e todo o cuidado com a informação é uma questão básica”, afirmou.

Desempenho do setor - Ricken falou ainda sobre o desempenho do setor. “O cooperativismo paranaense, apesar de todas as dificuldades, irá fechar o ano de forma relativamente boa. Em termos de faturamento geral, vamos ultrapassar as expectativas. Evidentemente que os resultados líquidos não vão ser aquilo que imaginávamos, pois as dificuldades de mercado foram enormes e os aumentos de custo, principalmente de infraestrutura, de transporte, foram muito acentuados. As informações serão fechadas até o final de novembro e vamos anunciá-las no Encontro Estadual de Cooperativistas Paranaenses, no dia 6 de dezembro. Podemos dizer que cerca de 60% de tudo o que se produz no Paraná está vindo para os armazéns das cooperativas. Isso é importante e, ao mesmo tempo, uma responsabilidade enorme. Por isso, temos que saber nos comunicar com o nosso público, com os nossos consumidores, e transmitir uma visão proativa do trabalho que estamos realizando e dos nossos diferenciais”, destacou.

DNA da marca - Logo após a abertura do Fórum de Comunicação, Marketing e Varejo, a mestre em Gestão de Negócios pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e especialista em Gestão de Imagem e de Marcas, Eliane Doin, falou sobre o DNA da marca do Sistema Ocepar. Em sua explanação, a professora fez uma contextualização sobre o processo de criação colaborativa que contemplou cerca de 15 horas de trabalho, com a presença da diretoria da entidade, superintendentes, gestores e colaboradores, e que foi realizado com o objetivo de traduzir o código genético da organização, aquilo que a identifica e a diferencia das demais empresas. “O DNA da marca tem um sentido, um significado, mostra onde estamos e onde queremos chegar. Ele serve como uma bússola para a organização”, destacou. Ela lembrou ainda que o DNA da marca do Sistema Ocepar foi construído em consequência dos resultados da pesquisa de opinião sobre a percepção dos consumidores sobre o cooperativismo paranaense e suas marcas, realizada em agosto do ano passado.

Inovação - Na sequência, o mestre em Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas (FGV/EBAP), com formação pelo Programa de Gestão Avançada (AMP) da Harvard Business School, Allan Costa, ministrou palestra sobre a cultura da inovação. Ele é conhecido por ter abandonado um cargo com salário de R$ 900 mil por ano para se tornar empreendedor. Há cerca de cinco anos, Costa decidiu deixar um emprego estável e agora de divide entre várias atividades: investidor, mentor de 14 startups, palestrante, entre outras. Costa diz que hoje tem uma vida mais divertida, mas também enfrenta dificuldades. “Não há como trilhar o caminho da inovação sem passar por caminhos difíceis. Quem está na zona de conforto não consegue criar coisas novas. Precisei fazer escolhas difíceis. Virei investidor. Houve percalços mas isso faz parte do processo”, afirmou. De acordo com ele, as empresas buscam uma vantagem competitiva para se diferenciar no mercado mas só há uma forma de obtê-la de forma sustentável: é por meio da cultura organizacional. “A cultura é a única coisa de uma empresa que não pode ser copiada e isso tem a ver com pessoas e não com processos ou tecnologia. São as pessoas que tornam as empresas inovadoras. Não adianta ter um ambiente legal, se as pessoas são retrógradas. É necessário terá uma mentalidade inovadora e o líder tem um papel relevante nesse processo. Ele deve dar o exemplo”, afirmou.

Propósito - Costa acredita que as pessoas devem ser movidas por um propósito de vida, que as motivarão a almejar o melhor não somente para si, mas também para todos à sua volta. Isso envolve mudança de atitude, o que não é fácil mas depende das decisões que tomamos. “As escolhas nos tornam mais humanos e fazer escolhas conscientes é a única forma de viver trilhando os caminhos menos percorridos”, disse. Ele concluiu a palestra falando de sua admiração pelo cooperativismo. “As cooperativas são as maiores indutoras do progresso e vocês estão por trás disso.”

{vsig}2018/noticias/11/27/forum_III/{/vsig}

FÓRUM IV: A boa comunicação abre portas, diz especialista

A segunda parte do Fórum de Comunicação, Marketing e Varejo prossegue nesta terça-feira (27/11) com o workshop “Novas perspectivas da comunicação de alta performance”, ministrado pela fonoaudióloga, especialista em voz e mestre em distúrbios da comunicação”, Cida Stier, no Hotel Confiance, em Curitiba. Na abertura do trabalho, ela defendeu que a boa comunicação pressupõe “se apaixonar com o ato de se relacionar com pessoas” e que irá se aperfeiçoar gradativamente ao se tornar um hábito na vida delas.  E, para sustentar a afirmação, recorreu ao filósofo grego Aristóteles, que ensinou que “(...) a excelência é um hábito”.

Chave - Cida, que é doutoranda em Administração de Empresas – Neuromarketing na Florida Christian University (FCU), acrescentou ainda que a boa comunicação “abre portas” e tem o poder de transformar o entorno de quem se comunica, como o ambiente de trabalho, em casa e demais locais onde vive. Esse abrir de portas ocorre “pela empatia, que é essencial para que a comunicação se estabeleça entre as pessoas.  Afinal, a comunicação é o poder de envolver o outro com a capacidade de falar”, assegurou, ao lembrar que, para isso ocorrer, é preciso pronunciar bem as palavras, pois a voz e a dicção são básicas para expressar corretamente o pensamento claro e organizado. 

Programa - O workshop conduzido por Cida Stier continuará no período da tarde. O evento, que conta com a participação de profissionais de várias cooperativas paranaenses, se encerrará às 17 horas.  

{vsig}2018/noticias/11/27/forum_IV/{/vsig}

 

RECURSOS: BRDE e Banco Europeu vão financiar projetos de sustentabilidade

 

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) formalizou nesta segunda-feira (26/11) um contrato financeiro com o Banco Europeu de Investimentos (BEI) no valor de 80 milhões de euros (R$ 353 milhões) para financiar projetos com foco em energia renovável, eficiência energética e mobilidade urbana. A assinatura do contrato ocorreu no Palácio Iguaçu, com a presença da governadora Cida Borghetti.

 

ITCG - Na mesma solenidade, o BRDE e o Instituto de Terras, Cartografia e Geologia do Paraná (ITCG) assinaram um acordo de cooperação técnica para a criação de uma linha de crédito voltada aos concessionários das áreas de florestamento ambiental do ITCG.

 

Projetos - Os recursos do banco europeu serão disponibilizados a projetos do Paraná, Santa Catarina e do Rio Grande do Sul. “Este contrato demonstra que o Estado e o BRDE estão comprometidos com a modernização, a sustentabilidade e a inovação”, afirmou Cida.

 

Incentivo - A governadora afirmou que o Paraná incentiva a geração de energia renovável e citou a Lei 19.500, sancionada por ela em maio deste ano e que institui a Política Estadual do Biogás e do Biometano. “Deixamos, com isso, um legado para os paranaenses. O Estado é um dos principais geradores de energia limpa do País”, disse.

 

Aproximação - O contrato é resultado dos entendimentos que foram iniciados em 2017, quando o BRDE recebeu a visita técnica do BEI no Brasil. A aproximação com a instituição se deu especialmente pelo reconhecimento da Política de Responsabilidade Socioambiental do BRDE na contratação de operações financeiras através de programas como o BRDE PCS (Produção e Consumo Sustentáveis).

 

Principal financiador - Atualmente, o BRDE é o principal financiador de projetos de Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCH) e de Centrais de Geração Hidrelétrica (CGH) do Estado, disse o presidente do banco, Orlando Pessuti. “Com mais este recurso, poderemos investir mais em projetos de energias renováveis, seja através da iniciativa privada ou por meio de projetos que visem à eficiência energética e mobilidade urbana nas cidades da região Sul”, explicou.

 

Avanço - Além disso, de acordo com Pessuti, a parceria com o BEI é um importante avanço no objetivo estratégico de diversificação de fundings (financiamentos), ampliando as alternativas da instituição ao Sistema BNDES, além de reafirmar o compromisso do banco com o desenvolvimento econômico e socioambiental sustentável.

 

Elegíveis - Alexandre Varela, responsável pelas operações do BEI no Brasil e na América Latina, explicou que os projetos elegíveis devem seguir as políticas de avaliação ambiental, social e de licitação do banco. “O BRDE é a primeira instituição financeira com quem o BEI faz uma operação destinada a energias renováveis e eficiência energética”, disse. “A nossa parceria só pode ser concluída porque o banco cumpre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Os projetos a serem financiados devem seguir essa linha, que é uma das prioridade do BEI na região”, acrescentou.

 

União Europeia - O BEI é o instrumento financeiro da União Europeia (UE) e seus acionistas são os países-membros do bloco. Apresenta-se como o maior mutuário e mutuante multilateral do mundo e proporciona financiamento e conhecimentos especializados a projetos de investimentos sólidos e sustentáveis.

 

Conjunto de atividades - Para atingir os seus objetivos em termos de desenvolvimento econômico sustentado e de cooperação com outros países, o banco desenvolve um conjunto de atividades, entre elas a concessão de empréstimos a grandes e pequenas empresas e instituições, para apoiar o crescimento e a geração de emprego.

 

Parceria internacional - O Banco Europeu é o segundo parceiro internacional da história de 57 anos do BRDE. Em março deste ano, o Banco contratou 50 milhões de euros com a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) para crédito a projetos que se enquadram no programa BRDE PCS.

 

Presenças - Participaram da solenidade os secretários de Estado do Desenvolvimento Urbano, Silvio Barros; do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Antonio Carlos Bonetti; da Agricultura e Abastecimento, George Hiraiwa; da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Décio Sperandio; e da Comunicação Social, Alexandre Teixeira; o diretor de Operações do BRDE, Guilherme Fumagalli Guerra; o diretor-geral brasileiro da Itaipu, Marcos Stamm; os presidentes da Agepar, Omar Akel; e do Tecpar, Júlio Félix; a ex-governadora Emília Belinati e o deputado federal Luiz Carlos Hauly. O Sistema Ocepar foi representado pelo superintendente Robson Mafioletti. 

 

Áreas de florestamento - O acordo de cooperação técnica firmado entre o BRDE e o ITCG vai permitir a criação de uma linha de crédito voltada aos concessionários que utilizam os imóveis do instituto para a produção de madeira. O ITCG conta com uma área de aproximadamente 40 mil hectares de florestamento, provenientes do antigo Instituto de Florestas do Paraná, que foi incorporado ao órgão.

 

Concessionários - As áreas incorporadas ao ITCG são exploradas por concessionários parceiros, que pagam a contrapartida da concessão ao instituto. Com a linha de crédito do BRDE, eles terão financiamento com juros mais acessíveis para melhorar a gestão das áreas públicas de floresta plantada do Paraná.

 

Caminho - “A parceria também abre caminho para que quando o Estado fizer a alienação desses imóveis, haja a possibilidade de um financiamento pelo BRDE para quem tiver interesse de comprar essas terras”, explicou o presidente do ITCG, Amílcar Cabral. (Com informações da Agência de Notícias do Paraná)

 

{vsig}2018/noticias/11/27/recursos/{/vsig}

C.VALE: Cooperativa é destaque entre as maiores do Sul

 

cvale 27 11 2018O desempenho da C.Vale em 2017 garantiu à cooperativa a 9ª colocação entre as empresas do Paraná, em valor ponderado de grandeza. Esse indicador é formado por uma combinação de patrimônio líquido, receita bruta e lucro do exercício. A classificação consta do levantamento "500 Maiores do Sul", publicado pela revista Amanhã, do Rio Grande do Sul. O estudo, realizado pela empresa PricewaterhouseCoopers (PwC), mostra a C.Vale na 21ª colocação da região Sul. (Imprensa C.Vale)

 

SICREDI: Crescem os desembolsos de crédito rural

 

sicredi 27 11 2018O Sicredi, instituição financeira cooperativa com mais de 3,9 milhões de associados e atuação em 22 Estados do país, informou que seus desembolsos de crédito rural somaram R$ 8,2 bilhões nos primeiros quatro meses desta safra 2018/19 (julho a outubro), 22% mais que em igual período do ciclo passado.

 

Operações - Os desembolsos para operações de custeio cresceram 17% na comparação, para R$ 6,4 bilhões, ao passo que nas operações de investimentos o avanço foi de 85%, para R$ 1,3 bilhão. O Sicredi informou que outros R$ 500 milhões foram liberados para operações de comercialização e industrialização. No total, quase 84% dos desembolsos foram direcionados para pequenos e médios produtores rurais.

 

Pronaf e Pronamp - O Sicredi informou, ainda, que no âmbito do Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar), seus desembolsos de crédito rural também aumentaram 22% nos quatro primeiros meses desta temporada, para R$ 2,3 bilhões. No âmbito do Pronamp (Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural), a alta chegou a 36%, para R$ 1,7 bilhão. (Valor Econômico)

 

SICREDI VALE DO PIQUIRI: Moderna agência é entregue aos associados de Pérola

 

O Sicredi chegou ao município no dia 08 de fevereiro de 2004. Hoje, quase 15 anos depois, a cooperativa se alegra em poder disponibilizar aos associados de Pérola (PR) uma nova, moderna e confortável agência.

 

Reinauguração - A reinauguração aconteceu na manhã desta segunda-feira (26/11) e contou com a presença dos dirigentes da cooperativa, bem como autoridades locais. Darlan Scalco, Prefeito Municipal de Pérola prestigiou a solenidade e agradeceu a confiança e investimento da Cooperativa no município e reforçou os votos de sucesso e parceria para com a instituição. “É motivo de muita alegria para toda a comunidade perolense, receber e poder contar com uma estrutura tão completa, moderna e funcional que, certamente, possibilitará um atendimento ainda mais diferenciado aos associados”, complementa Darlan.

 

Ambientação moderna - Uma ambientação moderna e de acordo com a nova identidade visual do Sicredi compõe a arquitetura da agência. São 600m² de área construída totalmente voltados para que o relacionamento com os associados aconteça de forma mais personalizada, simples e próxima. “Acredito que esta agência é uma retribuição do Sicredi para a comunidade de Pérola que, há 15 anos nos acolheu e construiu conosco esta trajetória de conquistas e de muito trabalho”, agradece Jaime Basso, Presidente da Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP.

 

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão valoriza a participação dos 3,8 milhões de associados, os quais exercem um papel de dono do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.600 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros. Mais informações estão disponíveis em www.sicredi.com.br. (Imprensa Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP)

 

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

{vsig}2018/noticias/11/27/sicredi_vale_piquiri/{/vsig}

SICREDI ALIANÇA: Reconhecida como melhor instituição financeira no Prêmio Marechal

 

sicredi alianca 27 11 2018Na noite de sábado (24/11), foram conhecidos os vencedores do 22º Prêmio Marechal. Na ocasião, a Sicredi Aliança PR/SP foi escolhida pela 16º vez e 9º vez consecutiva como a melhor instituição financeira de Marechal Cândido Rondon (PR). O prêmio aconteceu no Centro de Eventos Werner Wanderer, organizado pela Associação Comercial e Empresarial de Marechal Cândido Rondon-Acimacar.

 

Categorias contempladas - Foram mais de 100 categorias contempladas entre indústria, comércio e prestação de serviços. Este é considerado o maior evento em reconhecimento empresarial da cidade e tem como finalidade reconhecer e incentivar os destaques rondonenses.

 

Gratidão - O presidente do Conselho de Administração da Sicredi Aliança PR/SP, Adolfo Rudolfo Freitag, descreve que o sentimento é de gratidão. “Estamos muito felizes por receber este reconhecimento. A cada ano os percentuais de escolha estão sendo maiores, o que demonstra que estamos no caminho certo, colocando em prática o nosso propósito de agregar renda e melhorar a qualidade de vida das pessoas. Somente em Marechal Cândido Rondon temos mais de 200 colaboradores - somando as quatro agências e a Sede Regional. A sede regional é a estrutura que dá suporte a operacionalização das 20 agências da cooperativa em sua área de atuação, nos estados do Paraná e São Paulo. Em Marechal também temos cerca de 20 mil associados, a quem agradecemos por confiarem as suas vidas financeiras à cooperativa. Isso nos dá ainda mais força para continuarmos a honrar o nosso compromisso com os associados e com a comunidade, otimizando o atendimento e ampliando nossos produtos e serviços. Obrigado Marechal Cândido Rondon”, disse.

 

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão valoriza a participação dos 3,9 milhões de associados, os quais exercem um papel de dono do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.600 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros. Mais informações estão disponíveis em www.sicredi.com.br. (Imprensa Sicredi Aliança PR/SP)

 

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

SICREDI RIO PARANÁ: Inovação e intraempreendedorismo é tema de convenção

 

Com a presença dos colaboradores das 24 agências, e também da superintendência regional, a Sicredi Rio Paraná PR/SP realizou no último final de semana a sua Convenção Anual. O evento contou com a palestra de Allan Costa, que falou sobre Inovação e intraempreendedorismo. 

 

Recepção - No dia anterior, a recepção dos colaboradores foi com um jantar e o “Rio Paraná Show”, um talk show comandado pelo presidente da Cooperativa, Jorge Guedes, onde ele entrevistou os colaboradores mais antigos da Rio Paraná, que puderam contar situações divertidas e inusitadas que passaram nos anos e trabalho. 

 

Ação descontraída - Ação descontraída, foi idealizada pela equipe de Gestão de Pessoas da cooperativa, e promoveu muitas gargalhadas e lembranças boas. (Imprensa Rio Paraná PR/SP)

 

{vsig}2018/noticias/11/27/sicredi_rio_parana/{/vsig}

UNIMED LONDRINA: Presidente da cooperativa fala sobre inovação para colaboradores

unimed londrina 27 11 2018No último dia 19 de novembro, a Unimed Londrina realizou a quarta edição do Unimed Talks. A apresentação foi no auditório da sede administrativa, em Londrina (PR), em dois horários, às 9h e às 16h, e contou com a participação do diretor-presidente da singular, Omar Taha. O tema da palestra dele foi sobre inovação. Além de Taha, os gerentes, André Galletti e Alexandre Lopes também trouxeram assuntos importantes aos colaboradores.

Curso - Em sua fala, o presidente da cooperativa apresentou informações referentes ao curso "Leading Innovation". Ele participou desta capacitação no Massachussets Intitute of Technology (MIT), entre os dias 13 e 17 de agosto, em Boston, Estados Unidos.

Aulas e workshops - A convite da Isae/FGV Escola de Negócios do Paraná, Taha participou de aulas e workshops que abordaram diversos assuntos, como difusão de conteúdos de formação de ambientes inovadores, liderança de equipes com capacidade de inovação e estimulo à inovação dentro do ambiente de trabalho.

Ambiente propício- “A criação de uma cultura de inovação na empresa só é possível diante de um ambiente propício para isso”, explicou Taha. “Identificar os problemas que a empresa enfrenta é fundamental para alcançar a inovação”, complementou o presidente.

Iniciativa - O Unimed Talks é uma iniciativa da Educação Corporativa da Unimed Londrina que visa a apresentar bimestralmente assuntos estratégicos da Singular para o maior número de colaboradores possíveis. (Imprensa Unimed Londrina)

 

 

INTEGRADA: Torneio Integração 2018 é realizado com cooperados e colaboradores

 

integrada 27 11 2018A Integrada realizou, no último final de semana, mais um torneio Integração com cooperados e colaboradores que vieram de praticamente todas as unidades da cooperativa. Às 6h da manhã do último sábado já havia ônibus com os cooperados da região Oeste do Paraná.

 

Participantes - Ao todo, mais de 700 pessoas passaram pela sede campestre da Universidade Estadual de Londrina (UEL). Foram realizados campeonatos de sinuca, truco e futebol. O torneio tem por objetivo de estreitar ainda mais os laços entre todos aqueles que fazem parte da família Integrada. Confira abaixo os vencedores de cada modalidade. (Imprensa Integrada)

Futebol

Campeão – Reg Ubiratã

Vice – Reg Assaí

Terceiro colocado – Reg Goioerê

Quarto colocado – Campos Novos Paulista

Sinuca

Campeão – Allan Zanini e Benivaldo Saraiva (Campos Novos Paulista)

Vice – José Carias e Renato Takarrara (Uraí)

Terceiro cocado – Akio Abe e Edson Gonçalves (Goioerê)

Quarto colocado -  José Luiz e Edoxio Cardoso (Arapongas)

Truco

1° Cambará

2° Uraí

3° Cornélio

4° Bandeirantes

 

IAPAR: Produtoras do Norte Pioneiro fazem leilão de cafés especiais em Londrina

 

iapar 27 11 2018Lotes selecionados de cafés da agricultura familiar paranaense estarão à venda na sexta-feira (30/11), a partir das 9 horas, no 2º Cup das Mulheres do Café do Norte Pioneiro, em leilão dirigido a cafeterias, torrefadoras e exportadores programado na sede do Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), em Londrina.

 

Lotes - Serão oferecidos 55 lotes de 30 kg produzidos, todos eles previamente avaliados por um júri especializado segundo os parâmetros da Associação Americana de Cafés Especiais (SCAA, na sigla em inglês). Os compradores terão à disposição amostras para degustação no local e poderão oferecer lances diretamente às cafeicultoras participantes.

 

Divulgação - O objetivo do evento é divulgar os cafés das produtoras integrantes do Projeto Mulheres do Café, que busca melhorar a qualidade do produto, agregar renda às famílias e valorizar o trabalho feminino.

 

Ação - A ação é desenvolvida pela Emater-PR, Iapar, Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep) e Aliança Internacional das Mulheres do Café (IWCA Brasil).

 

Norte Pioneiro - Próximo ao Trópico de Capricórnio e com solo e clima propícios à produção de bebidas especiais, o Norte Pioneiro do Paraná é uma das cinco regiões brasileiras certificadas como Indicação Geográfica de Procedência (IGP) de café, juntamente com o Cerrado Mineiro, Mantiqueira de Minas, Alta Mogiana e a Região de Pinhal.

 

Cup das Mulheres - O 2º Cup das Mulheres do Café do Norte Pioneiro do Paraná conta com o apoio da Probat Leogap, fabricante de equipamentos de torra e moagem; da exportadora Capricornio Coffees; do Consórcio Intermunicipal do Vale do Rio Cinzas (Civarc); da Associação dos Produtores e Produtoras de Cafés Especiais do Matão (Approcem) e da Associação de Produtores de Cafés Especiais da Lavrinha (Aprocafel). (Assessoria de Imprensa do Iapar)

 

SERVIÇO

2º Cup das Mulheres do Café do Norte Pioneiro do Paraná.

Data: 30 (sexta-feira).

Horário: 9 às 15 horas.

Local: Sede do Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), na Rodovia Celso Garcia Cid, km 375 - Londrina – Paraná

 

FGV: Agropecuária lidera aumento de 16,6% das exportações em outubro

fgv 27 11 2018As exportações brasileiras tiveram um crescimento de 16,6% em outubro, na comparação com o mesmo período do ano passado. De acordo com dados da Fundação Getulio Vargas (FGV), divulgados hoje no Rio de Janeiro, o principal responsável pela expansão foi o setor agropecuário.

 

Exportações agropecuárias - As exportações agropecuárias cresceram 35,8% no período, com aumento de 17,2% nas vendas da soja e de 15,1% das carnes. Outro segmento que teve desempenho positivo foi a indústria extrativa, que cresceu 32,9% em outubro.

 

Fatores- Segundo a FGV, fatores como a guerra comercial entre Estados Unidos e China e o aumento no preço de algumas commodities [mercadorias], como o petróleo, foram responsáveis pelo crescimento.

 

Commodities - A FGV mostra que houve uma expansão no volume de commodities exportado para a China: o saldo comercial do Brasil com o gigante asiático cresceu de US$ 19 bilhões para US$ 23 bilhões.

 

Ganhos - A FGV ressalta, no entanto, que os ganhos com a guerra comercial são pontuais e não deverão se manter ao longo do tempo. “As projeções para o crescimento da economia mundial estão sendo revisadas para baixo em função do conflito e seu acirramento só irá piorar as perspectivas de melhora do comércio mundial. É um cenário que não interessa ao Brasil, pois significa queda na demanda mundial e, portanto, nas exportações”, diz nota da FGV. (Agência Brasil)

 

MDIC: Balança tem déficit de US$ 1,12 bilhão na 4ª semana de novembro

 

mdic 27 11 2018A balança comercial brasileira registrou déficit de US$ 1,12 bilhão na quarta semana de novembro, que teve cinco dias úteis, informou nesta segunda-feira (26/11) o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic). O saldo resulta de exportações de US$ 4,840 bilhões e importações de US$ 5,960 bilhões, com destaque para a aquisição de uma plataforma de petróleo no valor de US$ 2,2 bilhões.

 

Soma - No mês, as exportações somam US$ 17,060 bilhões e, as importações, US$ 13,631 bilhões — com superávit de US$ 3,428 bilhões. No ano, o saldo também é positivo: US$ 51,064 bilhões, com exportações no valor de US$ 216,139 bilhões e importações que somam US$ 165,075 bilhões.

 

Média - A média das exportações da quarta semana chegou a US$ 968 milhões, 20,8% abaixo da média de US$ 1,2 bilhão até a terceira semana, em razão da diminuição nas exportações das três categorias de produtos, segundo o Mdic: manufaturados (-38%, de US$ 530,3 milhões para US$ 329,2 milhões), semimanufaturados (-12,2%, de US$ 149,9 milhões para US$ 131,6 milhões) e básicos (-6,4%, de US$ 541,5 milhões para US$ 506,9 milhões).

 

Importações - Do lado das importações, houve crescimento de 55,4%, na comparação com a média da quarta semana (US$ 1,2 bilhão) sobre a média até a terceira semana (US$ 767,1 milhões), explicado, principalmente, pelo aumento nos gastos com adubos e fertilizantes, aeronaves e peças, combustíveis e lubrificantes, equipamentos mecânicos e químicos orgânicos e inorgânicos.

 

Crescimento - Nas exportações de novembro, comparadas as médias até a 4ª semana (US$ 1,137 bilhão) com a do mesmo mês de 2017 (US$ 834,2 milhões), houve crescimento de 36,3%, em razão da alta nas comercializações de produtos básicos (+51,3%, motivadas, principalmente, pelo aumento das vendas de petróleo bruto, soja em grãos, algodão bruto, minérios de ferro e seus concentrados e milho em grãos), produtos manufaturados (+36,8%, graças ao aumento dos embarques de plataformas de perfuração ou de exploração, gasolina, óleos combustíveis, partes de motores e turbinas para aviação e tubos flexíveis, de ferro ou aço) e semimanufaturados (+14,1%, por conta do aumento na venda da venda de madeira em estilhas ou em partículas, ferro-ligas, madeira serrada ou fendida, produtos semimanufaturados de ferro/aços e celulose).

 

Categorias - Relativamente a outubro de 2018, houve crescimento de 13,7%, em virtude do aumento nas exportações das três categorias de produtos: manufaturados (+30,9%), semimanufaturados (+8,1%) e produtos básicos (+4,4%).

 

Média diária - Nas importações, a média diária até a quarta semana (US$ 908,8 milhões) ficou 38,3% acima da média de novembro do ano passado (US$ 657,1 milhões). Nesse comparativo, cresceram os gastos, principalmente, com adubos e fertilizantes (+106%), combustíveis e lubrificantes (+27,8%), químicos orgânicos e inorgânicos (+25,5%), veículos automóveis e partes (+11,3%) e equipamentos mecânicos (+6%).

 

Itens - Comparado com outubro, houve crescimento de 24,1%, pelo aumento de gastos em bebidas e álcool (+57%), adubos e fertilizantes (+28,4%), siderúrgicos (+22,6%), equipamentos eletroeletrônicos (+10,8%) e veículos automóveis e partes (+7,6%). (Valor Econômico)

 

MAPA: Novo laboratório tem o maior nível de biossegurança para patógenos agrícolas e animais

 

mapa 27 11 2018O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) vai inaugurar no dia 7 de dezembro, em Campinas (SP) o primeiro laboratório da América do Sul de alta segurança para diagnóstico de doenças aviárias, localizado dentro do Laboratório Nacional Agropecuário (Lanagro/SP). O novo centro de análises possui nível de biossegurança 3 AG (agricultura), o mais alto nível de biossegurança para laboratório que trabalha com patógenos agrícolas e animais.

 

Capacidade de diagnóstico - A nova unidade irá aumentar a capacidade de diagnóstico do Lanagro, possibilitando melhor atendimento ao setor produtivo nacional e internacional. O projeto foi focado na identificação de doença de aves, mas concebido para ser multipropósito, podendo ser utilizado para diagnóstico de outras doenças dos animais, em caso de necessidade.

 

Circuito completo - Nos 300 metros quadrados de área biocontida (que impede escape de vírus), será executado, de forma segura, o circuito completo de isolamento e definição do grau de multiplicação de microrganismos. A utilização de métodos moleculares possibilitará a identificação rápida de doença em caso de emergência sanitária.

 

Pesquisas acadêmicas - Além de ser unidade de referência para o diagnóstico animal, o laboratório pode apoiar pesquisas acadêmicas, resultando na descoberta de novas vacinas e métodos de detecção de doenças.

 

Localização estratégica - A localização da unidade é estratégica, devido a sua proximidade com o Aeroporto Internacional de Viracopos, que agiliza o recebimento de amostras para análise laboratorial.

 

Reconhecimento - O Lanagro SP, onde foi instalada a nova unidade, já é reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como um dos dez laboratórios do mundo a atuar como referência no diagnóstico da Influenza Aviária e Doença de Newcastle.

 

Hub Laboratorial - A Secretaria de Defesa Agropecuária (SDA) trabalha na implantação do sistema Hub Laboratorial para centralizar todas as informações de amostras dos seis Lanagros existentes e da rede de 450 laboratórios credenciados no país. A cada ano, são feitas cerca de 33 milhões de análises laboratoriais pela rede do Mapa e credenciados. O secretário de Defesa Agropecuária, Luis Rangel, avalia que o Hub irá proporcionar maior grau de transparência, reivindicado por importadores. O sistema é voltado ao combate de fraudes ou quaisquer desvios de finalidade em análises laboratoriais. O foco inicial do sistema são as análises de Salmonella e Listeria em carcaças de frango.

 

Rastreamento - O Hub Laboratorial vai rastrear as amostras desde a coleta na propriedade até o resultado final da análise. As informações serão acessadas em tempo real, com acompanhamento da custódia da amostra (guarda), manutenção do material, insumos aplicados, análises realizadas, permitindo o controle e a auditoria de todas as ações envolvidas. Os laboratórios, por sua vez, poderão planejar melhor seu trabalho. (Mapa)

 

NOMEAÇÃO: Seis novos adidos agrícolas assumem postos no exterior até o fim do ano

 

nomeacao 27 11 2018Mais seis novos adidos agrícolas foram designados para dialogar e defender interesses do Brasil no exterior. Na edição do Diário Oficial da União de sexta-feira (23/11), o presidente Michel Temer e o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, assinaram as nomeações.

 

Processo seletivo - Os adidos agrícolas brasileiros são escolhidos por meio de processo seletivo de base técnica, demostrando o compromisso da instituição com os valores da meritocracia no serviço público, de acordo com Odilson Ribeiro e Silva, secretário de Relações Internacionais do Agronegócio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

 

Profissionais - O Mapa já contava com 14 profissionais atuando no exterior. O mandato do adido é de dois anos, passível de renovação por mais dois.

 

Nomes - Para ocupar o cargo de adido junto à União Européia, em Bruxelas, foi designado Guilherme Costa, reforçando a atuação brasileira junto ao atual adido Márcio Rezende. Na Colômbia, em Bogotá, irá atuar Marcus Vinicius Segurado Coelho; no Canadá, em Ottawa, a representante será Luciana Pimenta Ambrozevicius; no Reino do Marrocos, em Rabat, irá atuar Nilson César Castanheira Guimarães. Na República do Egito, no Cairo, o adido será Cesar Simas Teles, e, na República da Indonésia, em Jacarta, o cargo será ocupado por Gustavo Bracale.

 

Visitas - Os novos adidos irão a São Paulo na próxima semana, de 26 a 30, para visitas ao Porto de Santos e para encontros com representantes de entidades do setor privado. A partir disso, os novos adidos começam o processo de desligamento de suas funções no Brasil e a mudança para os seus respectivos postos.

 

Os adidos - Os adidos são profissionais capazes de antecipar-se às mudanças constantes nas exigências dos países importadores de produtos agrícolas e de responder, de forma rápida e tecnicamente consistente, aos vários questionamentos feitos pelos parceiros comerciais do Brasil, explicou Odilson Ribeiro e Silva.

 

Temas - Entre os principais temas tratados, destacam-se negociações envolvendo restrições comerciais, sanitárias e fitossanitárias. Produtos agrícolas enfrentam restrições desse tipo em todo o mundo, independentemente de sua origem. A presença de um profissional especializado representando a agricultura brasileira junto aos principais mercados compradores permite esclarecimentos e trocas de informações técnicas constantes. (Mapa)

 

INFRAESTRUTURA: Começam as obras de duplicação da PR-323

 

infraestrutura 27 11 2018Com instalação do canteiro de obras, máquinas na pista e homens trabalhando, a duplicação da PR-323 entre Paiçandu e Doutor Camargo, no Noroeste do Estado, começa a sair do papel. Os serviços no trecho de 20,7 quilômetros de extensão tiveram início nesta segunda-feira (26/11).

 

Demanda - “Essa é uma das maiores demandas da região Noroeste. A duplicação vai aumentar a segurança, reduzir o tempo e o custo das viagens em uma das rodovias estaduais mais movimentadas do Estado”, disse a governadora Cida Borghetti.

 

Investimento - O Governo do Estado investe R$ 73,2 milhões em recursos próprios na obra, licitada e fiscalizada pelo Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR). A empresa Torc, vencedora da licitação, têm dois anos para concluir os serviços. Além da pista dupla, está prevista a construção de dois viadutos e uma trincheira.

 

Adequações - A ordem de serviço foi emitida no começo de outubro, quando a empresa realizou uma limpeza inicial do trecho. Mas a Torc só apresentou o plano de trabalho no início deste mês. O DER exigiu adequações e agora o cronograma da obra está ajustado. As equipes já trabalham na limpeza do trecho, demarcação para supressão de vegetação e drenagem.

 

Terraplanagem - O início da terraplanagem depende da liberação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), que identificou um sítio arqueológico na rodovia e exigiu o acompanhamento de um arqueólogo durante todo o período de execução. Conforme previsto no edital, a contratação do profissional é de responsabilidade da construtora.

 

Importância - Considerada uma das rodovias mais importantes do Paraná, a PR-323 faz a principal ligação entre as regiões Norte e Noroeste e passa por várias cidades. A rodovia suporta toda movimentação proveniente do polo têxtil do Estado, além de proporcionar ligação com países do Mercosul.

 

Situação atual - Hoje, a PR-323 tem pista simples, poucas áreas de ultrapassagem e acessos complicados em trechos urbanos, o que provoca um alto número de acidentes fatais. A duplicação trará mais segurança para os usuários da rodovia e ainda vai agilizar o escoamento da produção da região Noroeste. (Agência de Notícias do Paraná)

 

EDUCAÇÃO: Paraná aprova referencial para Educação Infantil e Ensino Fundamental

 

educacao 27 11 2018O Paraná é o primeiro Estado do Brasil a aprovar um documento referencial curricular para a Educação Infantil e Ensino Fundamental em conformidade com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC). O documento foi aprovado na quinta-feira (22/11), pelo Conselho Estadual de Educação (CEE) e será implementado às propostas pedagógicas curriculares na rede de ensino estadual, municipal e particular de todo Estado, a partir de 2020.

 

Pioneiro - “Mais uma vez o Paraná é pioneiro. Resultado do eficiente trabalho do Estado e dos municípios, com o apoio do Ministério da Educação. Foram mais de 75 mil contribuições que ajudaram a construir o melhor para os nossos estudantes, professores, diretores e pais”, afirmou a governadora Cida Borghetti.

 

Colaboração - O processo de elaboração do Referencial Curricular do Paraná: princípios, direitos e orientações foi organizado por um Comitê Executivo e construído em regime de colaboração entre Estado e municípios ao longo de oito meses. Nesse período, o documento recebeu mais de 75 mil contribuições de professores, gestores escolares, pesquisadores, alunos e representantes da sociedade civil.

 

Mais tempo - “O fato de o Paraná ser o primeiro do país a ter sua proposta curricular unificada dará aos nossos professores mais tempo para analisar o documento e assim definir a melhor maneira para se adaptarem às propostas pedagógicas em suas escolas”, disse a secretária da Educação, Lucia Cortez.

 

Unificação - A secretária destacou, ainda, que o novo referencial curricular unificará o sistema de ensino no Estado e contribuirá para a articulação do processo de aprendizagem entre as redes de ensino estadual, municipal e particular em todo território paranaense. Ela explicou que um aluno, que eventualmente precise se transferir de uma escola para outra, não será prejudicado com a perda conteúdo e aprendizado porque encontrará na nova escola a mesma equivalência curricular.

 

Aprendizado - “Isso garante a ele o direito ao aprendizado uma vez que as redes estarão articulas em torno de um mesmo referencial curricular. Além disso, o aluno terá garantido a continuidade do processo de ensino no momento de transição da educação infantil para o ensino fundamental”, completou Lucia.

 

Características - Além de ser alinhado com a proposta da BNCC, o novo referencial curricular paranaense destacou características históricas, econômicas, culturais e sociais do contexto paranaense. “Procuramos destacar questões específicas do contexto do nosso estado que vão contribuir para a construção do conhecimento científico e com isso ajudar os alunos a compreender a nossa sociedade dentro do processo de aprendizagem”, disse o chefe do Departamento de Educação Básica da Secretaria da Educação, Cassiano Ogliari.

 

Documento - O Referencial Curricular do Paraná orienta e estabelece direitos e objetivos de aprendizagens e desenvolvimento para a Educação Infantil e Ensino Fundamental, com elementos obrigatórios definidos na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e adequações ou ampliações para os currículos do Estado, a partir das especificidades do contexto paranaense.

 

Cronograma - A elaboração, adequação e estudos do documento aconteceu entre os meses de fevereiro e novembro. O documento foi elaborado por uma equipe técnica que relacionou os elementos obrigatórios definidos na BNCC e adequações ou ampliações para os currículos do Estado, a partir das especificidades do contexto paranaense. Entre fevereiro e agosto foi elaborado a redação do documento preliminar, Consulta Pública online, Formação Continuada e contribuições de professores e gestores da rede estadual, municipal e privada durante a Semana Pedagógica.

 

Contribuições finais e normatização - No dia 20 de setembro, o documento preliminar foi enviado ao Conselho Estadual de Educação (CEE) para contribuições finais e normatização. Em 2019, os professores, pedagogos e gestores escolares vão participar de estudos e análise do documento para reformulação das propostas pedagógicas curriculares que serão postas em práticas a partir de 2020.

 

Comitê Executivo - A elaboração do documento foi feita pelo Comitê Executivo do Programa de Implementação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) no Paraná, formado por representantes da Secretaria de Estado da Educação, Conselho Estadual de Educação (CEE), União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação (Uncme). (Agência de Notícias do Paraná)

 

INTERNACIONAL: Alguns riscos globais estão se materializando, avalia o G-20

 

internacional 27 11 2018Os líderes das maiores economias desenvolvidas e emergentes, que se reúnem na cúpula do G-20 nesta semana em Buenos Aires, deverão reconhecer impactos negativos na economia global, que exigirão mais atenção no futuro. 

 

Rascunho - No rascunho do comunicado final, ainda em negociação, ao qual o Valor teve acesso, os líderes dizem que o crescimento econômico mundial é robusto, mas que tem sido cada vez mais desequilibrado. E admitem que alguns dos principais riscos, incluindo vulnerabilidades financeiras, aumento das tensões comerciais e preocupações geopolíticas já "se materializaram parcialmente".

 

“Perda de impulso” - Nesta segunda-feira (26/11), a Organização Mundial do Comércio (OMC) apontou mais ''perda de impulso'' no crescimento do comércio no quarto trimestre. Na capital argentina, numa cúpula que deverá ser marcado pela negociação bilateral entre EUA e China para frear a guerra comercial iniciada pelo governo de Donald Trump, os líderes pretendem defender, pelo menos no papel, o multilateralismo como "chave para enfrentar os desafios globais".

 

Aval - Não está claro ainda se os EUA darão seu aval a um comunicado que prevê "renovar nosso compromisso com a ordem internacional baseada em regras, que é capaz de responder efetivamente a um ambiente em rápida mudança". Na cúpula do G-20 do ano passado, em Toronto, Trump se recusou a endossar o comunicado final.

 

Monitoramento - No comunicado, os líderes do G-20 se comprometem a continuar a monitorar e, se necessário, abordar os riscos e vulnerabilidades emergentes no sistema financeiro; e, por meio da continuidade da cooperação regulatória, evitar a fragmentação.

 

FMI - Por sua vez, em documento enviado ao G-20, o Fundo Monetário Internacional (FMI) nota que a expansão global continua, mas aponta sinais de moderação e vulnerabilidades financeiras e tensões comerciais pesando nas perspectivas para a economia.

 

Riscos financeiros - O Fundo nota, entre os riscos financeiros, que um aperto inesperado das condições financeiras, deflagrado por aumento mais rápido que o previsto dos juros nos EUA, poderia criar pressões fortes e gerar mais endividamento e mais custo do serviço da dívida. Economias emergentes que enfrentam condições financeiras mais duras estão excepcionalmente expostas.

 

Tensões - Além disso, o FMI alerta que as tensões comerciais estão "começando a deixar uma marca"'. Aumentos de tarifas de importação nos EUA e retaliação por parceiros podem afetar a economia no G-20. (Valor Econômico)

 


Versão para impressão


RODAPE