Imprimir
CABECALHO

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4458 | 20 de Novembro de 2018

INTERCÂMBIO: Delegação chinesa troca informações com cooperativismo do Paraná

 

Representantes do World Trade Center (WTC) Harbin, da China, foram recebidos, na tarde desta segunda-feira (19/11), na sede do Sistema Ocepar, em Curitiba, pelo presidente da entidade, José Roberto Ricken, e pelo superintendente Robson Mafioletti. A diretora de alianças globais do WTC Harbin, Sui Jin Kon, estava acompanhada do diretor de marketing, Yang Mei, da gerente geral adjunta do departamento de cooperação internacional, Rachel Song, e do presidente do WTC Curitiba, Josias Cordeiro da Silva.

Informações - Na oportunidade, eles repassaram informações sobre a organização chinesa, que busca soluções para os desafios da agricultura e está investindo em um centro de pesquisas agropecuárias. Também discorreram sobre o potencial produtivo da área onde estão instalados. O WTC Harbin está sediado na oitava maior cidade da China, com 10 milhões de habitantes. Harbin é a capital da província localizada mais ao norte do país, Heilongjiang, conhecida como o celeiro daquela região, com solo naturalmente fértil e propício para a agricultura. Nesta quarta-feira (21/11), a delegação chinesa participa, em Maringá, no Noroeste do Paraná, do Fórum de Mercado, promovido pelo Sistema Ocepar com objetivo de discutir novas oportunidades internacionais de mercado para os produtos das cooperativas paranaenses.

Cooperativismo - Na visita desta segunda, os chineses também puderam conhecer um pouco mais sobre o trabalho desenvolvido pelo cooperativismo no Estado, por meio da explanação feita pelo analista de desenvolvimento técnico da Ocepar, Maiko Zanella.

{vsig}2018/noticias/11/20/intercambio/{/vsig}

 

FÓRUM DE MERCADO: Organizações internacionais discutem oportunidades de negócios com cooperativas

 

Representantes dos Estados Unidos, China e México foram convidados a participar de um painel internacional que será realizado durante o Fórum de Mercado, promovido pelo Sistema Ocepar, com apoio da Cocamar, no dia 21 de novembro, em Maringá, Noroeste do Paraná. Eles vão falar sobre o agronegócio em seus países e debater as oportunidades de negócios com potencial para serem efetivados com as cooperativas do Paraná. Estarão presentes o conselheiro agrícola do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA), Oliver Flake; o diretor executivo e o diretor de alianças globais do World Trade Center Harbin, respectivamente Steven Lo e Sui Jin Kon; e o diretor da Câmara de Comércio México-Brasil (Camebra), Maurício Lambiasi.

 

Palestras - Na sequência, o consultor Juan Jensen vai ministrar palestra sobre o cenário econômico e político para o período 2019-2022. Já o consultor Flávio França Jr vai tratar sobre as perspectivas para a produção, consumo, mercado interno e externo de soja e milho no Brasil.

 

Tradução simultânea- O evento será realizado na Associação dos Funcionários da Cocamar e contará com tradução simultânea para as palestras internacionais.

 

Inscrições - Podem se inscrever diretores e profissionais das áreas comercial e técnica das cooperativas paranaenses. As presenças devem ser confirmadas com p agente de Desenvolvimento Humano das cooperativas ou pelo e-mail jessica.costa@sistemaocepar.coop.br, até esta terça-feira (20/11).

 

forum mercado folder 20 11 2018

RAMO INFRAESTRUTURA: Coopera recebe visita técnica da Ocepar

 

ramo infraestrutura 20 11 2018A Cooperativa Pioneira de Eletrificação – Coopera, com sede em Forquilhinha (SC), recebeu, no dia 14 de novembro, a visita de representantes do Sistema Ocepar (Organização das Cooperativas do Estado do Paraná). O coordenador de Planejamento e Controle, Marcelo Bonsenhor Martins, e o analista de sistemas, Diego Alves Porfirio, vieram do estado vizinho para conhecer os projetos que resultaram na implantação de novos negócios, como a Coopera Telecom (Internet) e a Coopera Soluções Elétricas (loja).

 

Possibilidades - A intenção da visita se baseia em buscar informações para que a Ocepar indique algumas possibilidades de negócios às cooperativas do ramo de infraestrutura, em especial as de eletrificação, pois as mesmas estão em fase de regulamentação como Permissionárias ou Autorizadas e poderão sofrer com o impacto financeiro deste processo.

 

Gratificante - O presidente Walmir Rampinelli, recebeu os visitantes e apresentou, além de toda a estrutura física, os projetos e investimentos realizados nos últimos anos no sistema elétrico e, também, em novos negócios. “Para nós é gratificante saber que servimos de modelo para outras cooperativas que também querem ampliar seus negócios diversificando as atividades e investindo em outros segmentos”, comenta.

 

Case - Para o coordenador de Planejamento e Controle da Ocepar, Marcelo Bonsenhor Martins, conhecer de perto a Coopera foi fundamental e importante por se tratar de um “case” de sucesso de uma cooperativa do ramo de infraestrutura, que serve de exemplo de gestão para as coirmãs. “O que conhecemos e vimos aqui foi um plano de negócios bem trabalhado, visando o futuro”, avalia. (Assessoria de Imprensa da Coopera)

 

INSTITUTO SICOOB: Presente no Encontro de Responsabilidade Social e Sustentabilidade

A 2ª edição do “Encontro de Responsabilidade Social e Sustentabilidade”, realizada dia 13 de novembro, no Hotel Deville, em Maringá (PR), contou com aproximadamente 120 pessoas que representavam 13 cooperativas paranaenses de quatro ramos do cooperativismo.

Temas - Durante o evento temas como “Gerar Valor Compartilhado”, “Agenda 2030”, e “Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) em prática” foram abordados. Além disso, também foi realizado um painel com cases sobre responsabilidade social e sustentabilidade, que contou com a participação de representantes da Cocamar, Instituto Sicoob e Unimed Curitiba, e apresentações culturais do Coral Sicoob Meridional.

Objetivo - O Encontro teve como objetivo promover a discussão, disseminação e a apresentação de boas práticas, mostrando que o sistema cooperativista pode ser um modelo de negócio sustentável, estimulando a integração e troca de experiências entre as instituições, integrando a Agenda 2030 na realização dos programas em meio às comunidades.

Valor compartilhado- Abrindo o momento de palestras, o especialista em gestão e políticas de desenvolvimento, Carlos Alberto dos Santos falou sobre como “Gerar Valor Compartilhado”, abordando os ODS e Sustentabilidade. “Precisamos pensar de uma maneira global, mas agir de maneira local, o que chamamos de ‘glocalização’. É necessário unir o centro de valor para o negócio, empresas e comunidade. Isso é a pedra-base do valor compartilhado e, de certa forma, o que as cooperativas fazem. Podemos resumir o valor compartilhado como um modelo de negócio que tem de ser bom para a empresa e comunidade, caso contrário, não é um modelo sustentável.”

Painel - Logo após a primeira palestra, foi realizado um painel com cases de responsabilidade social e sustentabilidade realizados por cooperativas. Katia Cristina Costa Lessa representou a Unimed Curitiba e apresentou o case social: “Voluntariado e Cooperativismo: um convite à participação social”; representando a Cocamar, Ariscia Contiero apresentou o case ambiental: “Projeto Cultivar”; e de case econômico, Emanuelle Moraes, do Instituto Sicoob, mostrou os projetos de Cidadania Financeira realizados pela instituição.

Mudanças - “O cooperativismo contribui para mudanças das pessoas em relação à própria essência. Os princípios cooperativistas, desenvolvidos e aplicados de maneira correta, podem fazer toda a diferença para se ter um mundo mais justo, com mais oportunidades e melhores escolhas”, revelou Katia.

Desenvolvimento - Para Emanuelle, o cooperativismo contribui naturalmente para o desenvolvimento. “Desde que nasce, uma cooperativa já busca um mundo melhor, porque já tem na raiz a missão de desenvolvimento local e gerar equilíbrio entre a dimensão social e econômica.”

União de pessoas- Ariscia vai na mesma linha de pensamento e ressalta a importância da união de pessoas em torno de um mesmo objetivo. “O cooperativismo está enraizado em atitudes simples do nosso dia a dia, como a preocupação com o meio ambiente, educação financeira e pessoas. O cooperativismo tem esse diferencial de se preocupar com tudo isso de forma conjunta”, completa.

Cooperativismo, Agenda 2030 e ODS - A parte da tarde começou com a palestra de Gabriel Vettorazzo, integrante da equipe da Unidade de Desenvolvimento Humano no Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e gestor do projeto Oeste 2030: Cooperação para o Desenvolvimento Sustentável, que busca localizar os ODS na região Oeste do Paraná, que falou sobre a Agenda 2030, os ODS e a relação disso com o cooperativismo. “A Agenda 2030 é um processo de cooperação que busca trazer sinergia e parceria para executar o desenvolvimento sustentável e que tem objetivos muito parecidos com os princípios cooperativistas. Não tem como pensar nisso de forma desvinculada. O cooperativismo, mesmo que inconscientemente, está dentro da Agenda, enquanto a Agenda está, ao mesmo tempo, dentro do cooperativismo.”

Agente importante - Para o superintendente do Instituto Sicoob, Luiz Edson Feltrim, os ODS e as cooperativas estão entrelaçadas quanto ao objetivo final. “Quando eu olho o modelo cooperativista, sempre voltado para as comunidades, identifico que é um agente importantíssimo dentro da Agenda 2030, porque pensa em pessoas e no desenvolvimento das comunidades, exatamente o que os 17 ODS buscam.”

Ciclo de palestras - Ainda falando sobre o tema, a integrante do Núcleo ODS/RS, Julia Caon, encerrou o ciclo de palestras falando sobre os ODS em prática, mostrando como os Objetivos e metas podem ser colocados no dia a dia. “Falando sobre atitudes simples que movem o mundo, podemos dizer que os indivíduos dão energia para o sistema continuar vivo. Tenho muita convicção de que são os indivíduos que promovem a mudança nas rotinas diárias. São 17 os ODS. É impossível que alguém não se identifique com, pelo menos, um deles”, revela Julia.

Transformação - De acordo com Leonardo Boesche, superintendente do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo no Estado do Paraná (Sescoop/PR), o evento teve o objetivo de mostrar, de maneira detalhada, questões relacionadas à Agenda 2030. “Vivemos um momento de profunda transformação e as cooperativas precisam acompanhar isso. Quando falamos com as cooperativas sobre a Agenda e os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, percebemos uma preocupação quanto a isso, mas, na verdade, o sistema cooperativista já traz na essência a questão do desenvolvimento sustentável. É preciso apenas entender isso de maneira mais completa e aplicar nas práticas cooperativistas”, conclui.

Coral - Durante o evento ainda foi realizada apresentação do Coral Sicoob Meridional, que emocionou e levantou o astral de todos os presentes. Além disso, jovens atendidos pelo Projeto Cultivar entregaram mudas para todos os participantes e a cooperativa mirim “O mundo em nossas mãos” fez exposição de materiais produzidos.

Realização - O 2º Encontro de Responsabilidade Social e Sustentabilidade foi uma realização do Sescoop/PR que contou com a organização do Instituto Sicoob. (Imprensa Instituto Sicoob)

{vsig}2018/noticias/11/20/instituto_sicoob/{/vsig}

CREDICOAMO: Cooperativa comemora 29 anos

Desde o dia 17 de novembro de 1989, a Credicoamo é referência no segmento e está entre as mais importantes cooperativas de crédito do país. Do grupo de 29 produtores rurais fundadores, hoje são mais de 19 mil cooperados distribuídos nos Estados do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul. A Credicoamo atende a necessidade do homem do campo, por meio de linhas exclusivas de produtos e serviços, assim como, disponibiliza assistência financeira com o propósito de fomentar a produção, a produtividade e a comercialização.

Eventos - Com tantos motivos para comemorar, foram realizados em todas as agências da cooperativa, eventos para celebrar os 29 anos da cooperativa de crédito dos associados da Coamo. Em Campo Mourão, o evento contou com a presença da diretoria da Credicoamo e de alguns dos sócios fundadores.

Participação dos associados- Para o presidente da Credicoamo, José Aroldo Gallassini, esses resultados são frutos da participação dos associados. “É o quadro social que faz que a Credicoamo seja cada vez mais forte, sólida e admirada. Com agilidade nas transações, taxas acessíveis e sem burocracia é a melhor opção para o associado da Coamo realizar operações financeiras", informa Gallassini.

Objetivos - Gallassini ainda comemora ressaltando que, "A Credicoamo é referência e está entre as mais importantes do país. Desde sua fundação em 1989, ela vem cumprindo seus objetivos e disponibilizando diversos produtos e serviços para o desenvolvimento dos seus cooperados. A Credicoamo é a principal instituição financiadora de custeios e investimentos e está entre as 20 maiores instituições financeiras operadoras do crédito rural no Brasil, conforme ranking do Banco Central.”

Apoio - Para os associados, a Credicoamo tem sido um importante apoio na hora de realizar transações financeiras. Heitor Homiak, de Campo Mourão, está contente com o trabalho da cooperativa de crédito. “É uma grande alegria participar e ser sócio da Credicoamo. Inclusive, participar de um momento de comemoração como esse é satisfatório, pois temos uma cooperativa preocupada em dar todo o suporte que o homem do campo precisa.”

Diferença - Outro cooperado que estava presente no evento em Campo Mourão, é Rogério Bart. Para ele, o fato da Credicoamo ser uma cooperativa de crédito dos associados da Coamo facilita muito o dia a dia. “Ficamos em casa. Isso faz toda a diferença na hora de aprovar um projeto agronômico, por exemplo, pois não tem burocracia. Sem contar que as taxas são menores e temos tudo que um banco pode oferecer”, ressalta.

Atividades - Entre as atividades de destaque promovidas em 2018 estão as instalações de cinco novas agências em Itaporã e Sidrolândia, no Mato Grosso do Sul, e Brasilândia do Sul, Cândido de Abreu e Dez de Maio, no Paraná. Além disso, neste ano, os associados passaram a usufruir dos benefícios do Internet Banking, que representa mais inovação tecnológica. O gerente Administrativo José Luiz Conrado, destaca os benefícios desta ferramenta. "Os associados por meio de aplicativo de celular ou do site da Credicoamo, estão realizando transações financeiras de um jeito mais simples, prático e seguro."

Contratos - Segundo Dilmar Peri, gerente de Produção, no ano passado a Credicoamo contratou mais de 10% da área agrícola de soja no Brasil, possibilitando acesso dos cooperados aos recursos da subvenção ao prêmio do seguro agrícola. "No Paraná, a Credicoamo responde por cerca de 25% da área segurada, em Santa Catarina por mais de 17% e no Mato Grosso do Sul por mais de 16% da área segurada. Com agilidade no atendimento às demandas de custeio, na safra 2018/2019, mais de 95% dos recursos foram contratados e liberados até 30/09/2018, com simplificação e desburocratização nas atividades." (Imprensa Credicoamo)

{vsig}2018/noticias/11/20/credicoamo/{/vsig}

SICREDI UNIÃO: Programa de educação é implantado em 15 municípios

sicredi uniao 20 11 2018O Programa social A União Faz a Vida (PUFV) da Sicredi União PR/SP, que propõe metodologia educacional de estímulo ao interesse pelo conhecimento, amplia atuação na área de abrangência da instituição financeira cooperativa. Somente neste ano a iniciativa foi implantada em dez municípios: Cafeara, Cambé, Cruzeiro do Oeste, Mandaguaçu, Porecatu, Prado Ferreira, Sertanópolis e Tuneiras do Oeste no estado do Panará, e Leme e São João da Boa Vista em São Paulo.

Mais cinco - Até o final do ano, outras cinco cidades vão assinar o convênio (Colorado, Londrina, Caconde, Iracemápolis e Vargem Grande do Sul), totalizando 15 adesões. Em 2017, o PUFV foi expandido para sete municípios (Ângulo, Jaguapitã, Maringá, Tapejara, Casa Branca, Mogi Mirim e Piracicaba) e a meta é que funcione em todas as cidades que têm agência da Sicredi Uni ão – atualmente são 79 municípios.

Avanço - “Estamos muito satisfeitos com o avanço deste ano. Os resultados positivos que a metodologia promove em escolas onde o programa já foi implantado têm impulsionado o crescimento progressivo do programa por atrair o interesse das secretarias de educação”, afirma a assessora de programas sociais da Sicredi União, Gisely Almeida.

Gratificante - Com as adesões, o PUFV está implantado em 39 municípios e 205 escolas, atendendo mais de 3 mil educadores e 28 mil alunos. “É gratificante ver que nosso trabalho tem contribuído para formar cidadãos melhores e mais comprometidos com o desenvolvimento da sociedade”, destaca Gisely.

Programa - A proposta do PUFV é desenvolver cidadãos cooperativos por meio de valores do empreendedorismo e da solidariedade. Para isso, a metodologia do programa é apresentada para prefeituras municipais, secretarias de educação, instituições e escolas, e, conforme interesse dos mesmos, é feita a capacitação dos educadores para a aplicação do método de en sino-aprendizagem.

Tema - A partir daí, os alunos, junto com o educador, definem o tema que será abordado durante o ano letivo, envolvendo toda a grade escolar. O trabalho é feito por meio de expedição investigativa, pesquisa, relatos, rodas de conversa, comunidade de aprendizagem, entre outros métodos, quase sempre com o envolvimento da família e da comunidade, que despertam o interesse dos alunos por adquirir novos conhecimentos. Por fim há o evento de culminância, em que são realizadas mostras culturais para apresentar os resultados das atividades desenvolvidas ao longo do ano. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

 

SICREDI VALE DO PIQUIRI: Agência é inaugurada em Araruna

A cidade de Araruna, localizada na região centro-oeste do Paraná, recebeu nesta segunda-feira (19/11), sua primeira agência do Sicredi - instituição financeira cooperativa com mais de 3,9 milhões de associados e atuação em 22 estados brasileiros.

Fatores determinantes - O constante crescimento do Sicredi deve-se a alguns fatores determinantes, como o foco da instituição em gerar impacto positivo nas regiões onde está presente. “A inauguração deste espaço de atendimento segue a estratégia de expansão da Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, que deve encerrar o ano de 2018 com o número de 70 agências distribuídas em sua área de atuação nos estados do Paraná e São Paulo”, comenta Jaime Basso, presidente da cooperativa.

Novo conceito - A agência de Araruna segue o novo conceito de ambientação arquitetônica do Sicredi, que busca valorizar ainda mais um dos seus principais diferenciais: o relacionamento. Ao todo, são mais de 400m² de área construída, que trazem consigo um conceito mais moderno e proporcionam uma nova experiência ao associado.

Localização - O espaço Sicredi em Araruna está situado na Av. Presidente Getúlio Vargas, 551, na região central da cidade. Toda a comunidade ararunense está convidada a visitar e conhecer a nova agência. (Imprensa Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP)

{vsig}2018/noticias/11/20/sicredi_vale_piquiri/{/vsig}

COCAMAR: Moderna loja é inaugurada em Naviraí (MS)

Naviraí, uma das prósperas cidades do Mato Grosso do Sul, situada próximo à divisa com o Paraná, ganhou, na noite de segunda-feira (19/11) uma ampla loja de atendimento da Cocamar, em expansão no vizinho Estado. A cooperativa possui, desde 2014, estruturas para recebimento de grãos e fornecimento de insumos agropecuários em Nova Andradina e, a partir de 2015, uma loja também em Ivinhema.

Shopping - Instalada na Rua Amélia Fukuda 945, em uma das avenidas mais movimentadas, a loja de Naviraí segue o conceito de shopping da Unidade Maringá, sendo a segunda estrutura desse modelo na Cocamar.

Prestigiamento - A solenidade de inauguração contou com a presença de mais de 100 convidados, entre produtores, autoridades e lideranças do município, que foram recepcionados pelo presidente Divanir Higino, o vice-presidente do Conselho de administração, Norberto Tormena e o integrante do mesmo Conselho, Gérson Bórtoli, gerentes e colaboradores da cooperativa.

Parceria - Ao fazer sua saudação, o presidente destacou a receptividade dos produtores do Mato Grosso do Sul em relação à cooperativa, lembrando que a atuação no Estado faz parte da sua estratégia de crescimento. Ele citou que Nova Andradina, em apenas dois anos, se transformou na principal unidade de recebimento de grãos e também uma das mais importantes em fornecimento de insumos. Sobre Naviraí, Higino anunciou a parceria que começa a ser desenvolvida com a cooperativa Copasul, voltada ao recebimento de grãos já na presente safra de soja 2018/19. “Não viemos para dividir com outras cooperativas e, sim, para somar com elas e contribuir para o desenvolvimento econômico do município”, destacou. Segundo ele, tem sido cada vez mais comum a saudável prática da intercooperação entre as organizações cooperativistas, “o que leva os produtores ao crescimento”.

ILPF e produtividade - O presidente da Cocamar mencionou, ainda, o trabalho que a cooperativa realiza há mais de 20 anos, de maneira bem-sucedida, na região noroeste do Paraná, e que já se estendeu para o interior de São Paulo e o Mato Grosso do Sul: o incentivo à integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF), incorporando pastos degradados a um processo altamente produtivo. “Naviraí, com suas amplas planícies, oferece um enorme potencial aos projetos integrados, o que vai trazer ainda mais riquezas para a região.” Por fim, Higino mencionou que um dos focos da Cocamar, por meio de sua área técnica, é ajudar os produtores a aumentar a sua produtividade de soja: “Há cinco anos lançamos o desafio de chegar a 100 sacas por hectare e estamos contentes com os avanços que têm sido obtidos nesse sentido”.

Colhendo frutos - Em seu pronunciamento, o prefeito José Izauri de Macedo agradeceu pela chegada da Cocamar ao município, ressaltando que isto representa “a colheita dos frutos de uma região de grandes potenciais para o agronegócio”. Macedo lembrou ainda que “Naviraí apresenta muita fertilidade no campo dos negócios” e disse estar confiante de que “a Cocamar será muito feliz por ter incluído o município em seu projeto de expansão”.

Equipe - Com 5 anos de casa, Wagner Carvalho, ex-supervisor em Nova Andradina, será o gerente da unidade, tendo como supervisora Jane Queli Xavier. A equipe é formada por 12 colaboradores. “Há uma grande expectativa no município quanto a chegada da Cocamar”, afirmou Carvalho. O auxiliar operacional Valter Francisco Vieira, que trabalhava em frigorífico e estava desempregado, foi um dez dos contratados: “Trabalhar aqui é uma conquista para mim”.

Fortalecer - O produtor de grãos Osvaldo Contin, oriundo de Engenheiro Beltrão, região de Maringá, comentou que a presença da Cocamar em Naviraí era um antigo desejo de sua família e de outros agricultores que já conheciam a cooperativa. “A Cocamar vem para fortalecer a atividade, só temos a ganhar com ela aqui”. Pequenos proprietários também participaram do evento de inauguração, caso de Afonso Paulo Pereira, produtor de frutas. Para ele, o fato de a cooperativa se interessar por agricultores de todos os tamanhos, e não apenas os grandes, “vai fazer a diferença”. (Imprensa Cocamar)

{vsig}2018/noticias/11/20/cocamar/{/vsig}

SICOOB NORTE DO PR: Fotografia divulgada em revista da cooperativa é premiada

sicoob norte pr 20 11 2018No dia 12 de novembro, foram conhecidos os vencedores da 14ª edição do APP Markmídia, o maior prêmio de comunicação do interior do Paraná, promovido pela Associação dos Profissionais de Propaganda (APP) de Londrina.

Revista Sicoob Norte do Paraná - Uma das fotografias divulgadas na 21ª edição da Revista Sicoob Norte do Paraná, impressa e distribuída no mês de setembro, recebeu o Prêmio Masmi de Melhor Fotografia Publicitária. De autoria do fotógrafo Rafael Bastos, a imagem foi produzida na Fazenda São Jorge, em Ribeirão Claro, e ilustrou uma matéria sobre as opções de diversão e lazer oferecidas pela cidade.

Reconhecimento - Rafael participou da cerimônia e recebeu o troféu, entregue para a Egg Comunicação, agência responsável pela produção da revista. Para ele, o prêmio significa o reconhecimento do trabalho neste período de recolocação no mercado londrinense após 10 anos fora da cidade e é mérito pelo cuidado que o Sicoob Norte do Paraná tem com cada detalhe das informações que propaga para o mercado. “A revista trimestral é fruto de um trabalho de equipe que reúne excelentes profissionais desde sua concepção”, complementa.

Outra peça - Além da fotografia, outra peça produzida para o Sicoob Norte do Paraná também foi premiada. A agência Wiz levou a prata na categoria Endomarketing pela criação do convite para a inauguração da Agência Digital, realizada em fevereiro deste ano. O diferencial da peça foi a utilização do cardboard para visualização do convite, que além dos dados do evento, permitia ao convidado assistir um vídeo utilizando a realidade aumentada.

Sobre o prêmio - O prêmio APP Markmídia visa incentivar o desenvolvimento e a qualificação da comunicação na região de Londrina por meio do reconhecimento da qualidade e da criatividade no planejamento e aplicação da sua produção. São premiadas as agências destaque pelas melhores ideias e ações desenvolvidas em mais de 25 categorias, que contemplam produções gráficas, eletrônicas e digitais. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

UNIMED COSTA OESTE: Qualidade é tema de palestra

unimed costa oeste 20 11 2018Na segunda quinta-feira do mês de novembro é celebrado o Dia Mundial da Qualidade e para lembrar os colaboradores sobre a importância da qualidade em todos os processos, a Unimed Costa Oeste realizou no dia 08 uma palestra de abertura com a temática “Atitudes de Sucesso geram Qualidade”, ministrada pelo consultor Jean Carlos de Matos, especialista em gestão estratégica de negócios.

Engajamento e comprometimento - “As pessoas que têm qualidade geram qualidade, por meio do engajamento e comprometimento com o processo, com a equipe, com o trabalho. O objetivo é levar as pessoas a refletirem sobre as atitudes que precisam ter no dia a dia para se obter sucesso, desde as básicas como pontualidade, respeito e sentimento de pertença à empresa, até a inquietação de melhorar a cada dia, inovar sempre”, explicou.

Ação - A ação integrou o 1º mês da Qualidade, promovido pela equipe de Gestão da Qualidade da cooperativa. A cada semana do mês de novembro serão realizadas atividades diferentes, mais práticas e dinâmicas com os colaboradores para conscientizar sobre a importância da qualidade na empresa.

Sobre a Unimed Costa Oeste - Preocupada com a saúde e bem-estar de seus clientes, a Unimed Costa Oeste busca a cada dia ampliar suas ações com o objetivo de propiciar qualidade de vida a toda a comunidade. Presente há 34 anos na região Oeste do Paraná desenvolve projetos sociais para diferentes públicos, por meio do teatro, canto e encontros voltados às gestantes, idosos e hipertensos. Conheça mais sobre a Unimed Costa Oeste no site: www.unimedcostaoeste.com.br. (Imprensa Unimed Costa Oeste)

 

AGRICULTURA: Parceria entre Emater e Ocepar incentiva pequenas cooperativas

agricultura 20 11 2018Uma nova parceria entre a Emater (Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural) e o Sistema Ocepar vai colaborar para a organização de pequenos produtores paranaenses. As entidades desenvolverão em conjunto um programa técnico de incentivo à criação, desenvolvimento e gestão de pequenas organizações, que deve começar em janeiro de 2019.

Possibilidades - Pequenos agricultores terão a possibilidade de diversificar suas atividades, ampliar a produtividade e melhorar a renda, gerando mais dinamismo para as economias locais.

Tradição - O apoio técnico ao cooperativismo é uma tradição no trabalho da Emater, que já participou da formação de diversas cooperativas no começo de sua história. Hoje, com várias unidades no interior do estado e 315 novos extensionistas contratados em 2016 e 2018, o Instituto tem acesso facilitado às pequenas propriedades e já possui um registro de organizações, entre cooperativas e associações, aptas para participar.

Profissionalização da gestão - Segundo o diretor-presidente da Emater, Richard Golba, o foco será na profissionalização da gestão dessas organizações. “O objetivo é que elas superem os obstáculos e se fortaleçam, com apoio dos extensionistas da Emater, por meio de boas práticas de gestão, que tornem-se sólidas e autossuficientes, de forma que sejam capazes de enfrentar o mercado altamente competitivo dos produtos agropecuários”, disse. A iniciativa contempla a meta da Emater de articular e coordenar o Plano Estadual de Assistência Técnica e Extensão Rural.

Agência Nacional - Outro fator que vai colaborar para os trabalhos é um projeto da Emater e da Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater), viabilizado por meio de um instrumento de parceria aprovado neste ano.

Recursos - A Anater vai fornecer R$ 5,6 milhões para ajudar no custeio das ações a campo, enquanto a Emater desenvolve o Plano de Trabalho em diferentes regiões do Paraná. A ideia é integrar o Sistema Ocepar também nessas atividades. Serão atendidas cerca de 70 organizações, entre cooperativas e associações da agricultura familiar, selecionadas por apresentar algum grau de dificuldade e fragilidade.

Desembolso gradual - O valor será desembolsado gradualmente, conforme a execução do plano de trabalho, a partir do ano que vem. Nesse sentido, a Ocepar será um parceiro fundamental para cumprir o plano de trabalho. “A Ocepar é reconhecida e se destaca no país pela sua excelência em gestão de cooperativas, e essa expertise é fundamental para o êxito desta missão de fortalecer a agricultura familiar e promover o desenvolvimento rural sustentável”, afirma Golba.

Programa - O presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, explica que, através do programa Procoop, a entidade já presta apoio a pequenas cooperativas, oferecendo orientação desde a instituição até o registro.

Diagnóstico - Dentro do programa, discute-se a necessidade de pragmatismo e profissionalização na formação desses grupos, inicialmente com a elaboração de um diagnóstico de necessidades. E esse trabalho deve ser potencializado com a parceria. “Às vezes, os produtores constituem uma cooperativa e não sabem se é realmente necessário. Com isso, a tendência é que ela não tenha continuidade. O projeto tem que ser viável e estar sustentado legalmente. É preciso ter um modelo de gestão profissional, e é nisso que podemos colaborar”, diz Ricken.

Disponibilidade - Segundo ele, também são necessários para o desenvolvimento das organizações a disponibilidade de assistência técnica competente, de insumos adequados e a produtividade no resultado. “Nada vai surgir apenas da formação da cooperativa em si, e sim a partir da busca de novos mercados”, afirma. Segundo Ricken, uma das áreas que mais pode se beneficiar dessa iniciativa é a de hortifrutigranjeiros. (Agência de Notícias do Paraná)

 

PREVENÇÃO DE RISCOS: Comitê aprova o plano trienal do seguro rural

 

O Plano Trienal do Seguro Rural (PTSR), para o período de 2019 a 2021, foi aprovado pelo Comitê Gestor Interministerial do Seguro Rural (CGSR). Os detalhes constam da Resolução nº 64, publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira (19/11).

 

Atualizações - No documento, constam atualizações de percentuais de subvenção ao prêmio do seguro rural, estimativas orçamentárias para a concessão do benefício e as diretrizes técnicas gerais de execução do Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR) para o próximo triênio. O ajuste nas regras vai contribuir para otimizar a aplicação dos recursos disponíveis, segundo Wilson Vaz de Araújo, secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

 

Nível médio - “De acordo com as nossas análises, o nível médio de apoio vai ficar ao redor de 35% sobre o valor do prêmio. Com isso, esperamos atender por volta de 100 mil apólices já no próximo ano”, explicou.

 

Novas regras - Uma das alterações previstas no atual programa é a elevação do percentual mínimo de cobertura da produtividade esperada, de 60% para 65%, a todos os produtos com cobertura caracterizada como “multirrisco”. Essa medida atende demanda do setor, que busca maior proteção para sua lavoura, na eventualidade de ocorrência de sinistros.

 

Incentivo - Outra mudança diz respeito ao incentivo, por meio de um percentual de subvenção mais elevado, para o seguro de receita/faturamento. Esse produto oferece características bastante adequadas para a proteção das atividades produtivas agrícolas ao oferecer cobertura tanto contra perdas por eventos climáticos adversos quanto por riscos de mercado, ou seja, decorrentes de quedas na produtividade, no preço ou em ambos. (Mapa)

NEGOCIAÇÃO EXTERNA: México habilita novas plantas para exportação de carne de aves

negociacao externa 20 11 2018O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) recebeu comunicado nesta semana sobre a habilitação de 26 novos estabelecimentos para exportação de carne de aves ao México. As habilitações foram resultado de missão de auditoria efetuada por autoridades mexicanas, em agosto de 2018. Essa medida representa aumento de 130% no número de plantas brasileiras agora aptas a exportar carne de aves àquele destino, que chega ao total de 46.

Retomada - “A expectativa é que a habilitação de novas plantas permita a retomada da tendência de ampliação nas exportações brasileiras de carne de frango para o México”, comentou o secretário de Relações Internacionais do Agronegócio do Mapa, Odilson Silva. Em dados de janeiro a outubro de 2018, os envios somaram US $ 138 milhões, ante US $ 185 milhões, em 2017.

Importação - O México produz 3,9 milhões de toneladas de carne de frango por ano e importa mais 640 mil toneladas, ou 13,4% do seu consumo. Os principais fornecedores são Estados Unidos, Brasil e Chile.

Carne bovina - Além dos resultados obtidos no que se refere às plantas de carne de frango, está sendo discutida a vinda, ainda em 2018, de outra missão mexicana ao Brasil – desta vez para avaliar a ampliação do número de estabelecimento habilitados a exportar carne bovina termoprocessada. (Mapa)

 

AGROBIT BRASIL: Evento aborda as possibilidades do uso da tecnologia no agronegócio

agrobit 20 11 2018Londrina está sediando um dos maiores eventos de tecnologia direcionada ao agronegócio realizado no Estado, nesta terça e quarta-feira (20 e 21/11), no Parque de Exposições Ney Braga. Trata-se da primeira edição do Agrobit Brasil 2018, criado para debater, apresentar e aproximar os produtores rurais e players do agronegócio à tecnologia e informações disponíveis nesta área. Com uma intensa programação, o Agrobit Brasil tem vários eventos ocorrendo paralelamente, em espaços distintos, e abraçando vertentes variadas e capazes de atender às mais diversas necessidades de conhecimento do público participante.

Smart Farm - A programação foi aberta nesta terça, com todas as startups selecionadas já a postos no espaço Smart Farm (Via Rural), a partir das 8 horas. Também às 8 horas, tiveram início o curso Senai de Cozinha Experimental, na Smart Farm, tendo os pescados como ingrediente; e o curso de Uso de Drones na Agropecuária, com o instrutor Thamylon Camilo Dias, diretor comercial na Solution Agroflorestal. Os dois cursos prosseguem nesta quarta-feira.

Abertura oficial - A abertura oficial do Abrobit 2018 ocorreu às 9h desta terça-feira, na Arena AgroFuturo (Recinto José Garcia Molina), seguida de palestras de Gil Giardeli, professor e difusor de conceitos e atividades ligados à inovação, com o tema “O Futuro chegou ao Campo”; de José Paulo Molin, da Esalq-USP, sobre “Agricultura de Precisão e o novo cenário agrícola”.

Agroinovação - Na Arena Agroinovação (Recinto Horácio Sabino Coimbra), a programação começou às 10 horas, com painel sobre “Agricultura Digital e visão de produtores de culturas anuais”. Participou como moderador Guy Tsumanuma, produtor/Smart Value Investiment, e como debatedores Maurício Nicocelli Neto, da Monagri Consultoria; Luimar Luiz Gemi, produtor e presidente do Sindicato Rural de Sorriso-MT; e Richard Franke Dijkstra, produtor do Paraná. Ainda no período da manhã, ocorre a oficina de Lego/Robô, ministrada pelo Senai, das 9h30 às 12 horas, na Casa do Criador; e o painel Tecnologias e Sistemas para o Agronegócio, conduzido pelo Senai, na Arena AgroInovação.

Tarde - No período da tarde, a partir das 13h30, para a Arena AgroFuturo estão agendadas palestras sobre “Transformaçao Digital do Agronegócio”, com Fernando Martins, da FM Digital; “transição para decisões em agricultura (digital): tecnologias emergentes no campo e desafios”, com Dr. Lav R. Khot, da Washington State University; e “Produzindo com I.A. do espaço - a mudança de paradigma que faltava”, com Fábio Teixeira, fundador da Hypercubes, responsável por um satélite autônomo capaz de monitorar com precisão o solo.

Painel - Na Arena AgroInovação, também a partir das 13h30, acontece o painel Interação Universidade-Empresa para a Inovação, com o case da Lar Cooperativa Agroindustrial, apresentado por Márcia Pessini, gerente da Área de Gestão da Qualidade e Ambiental; Lei de Inovação e suas aplicações, com moderação da professora doutora Cristianne Cordeiro Nascimento, e participação de Juliana Crepalde, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG),e de Tatiana Fiuza, da Vlinder - Estratégias para Inovação.

Pitches - Das 14 às 16 horas, serão realizados os pitches, do Sebrae Like a Farmer, na área de Exposição. Na Arena AgroFuturo, a partir das 16h10, será realizado o painel “Quais são os grandes desafios para iniciar o uso das tecnologias digitais no campo?”, com o moderador Pedro Magalhães (ABPSAP) e participação como debatedores de Roberson Marczak (ADAMA), Rogério Raposo (Cooperativa Integrada) e Rodrigo Yoiti Tsukahara (Fundação ABC). No mesmo espaço, das 17h30 às 18 horas, será feita apresentação de modelo de Gestão de Israel, por Itzahak Tsahi Reich.

Agroconexão - Na Arena Agroconexão, a partir das 16h10, o secretário estadual de Agricultura e Abastecimento do Paraná, George Hiraiwa, modera o painel “Quais são os grandes desafios para iniciar o uso das tecnologias digitais no campo?”, que contará com a participação de Sérgio Marcus Barbosa (Esalqtec), Daniel Latorraca (Agrihub Cuiabá, MT), Nivaldo Benvenho (SRP GO), e Eduardo Menezes Barbosa( Agrostart).

Fundos de investimento - Em seguida, haverá o painel “Visão dos fundos de investimento para o cenário do agronegócio”, moderado por Lucas Ferreira Lima (Sebrae) e participação de Marcel Malczewski (M3 Investimentos), Maíra Rabelo (LM Ventures) e Guy Tsumanuma (Smart Value Investiment).

Programação do dia 21 - O Agrobit Brasil 2018 já estará com as portas abertas a partir das 8 horas desta quarta-feira, com a exposição das startups na Smart Farm e, novamente, o curso Senai Cozinha Experimental e o curso de Drones. Também com início às 8 horas e término às 18 horas, será realizado o Fórum Brafragri – Encontro Brasil França, na Arena Agroinovação.

AgroFuturo - Na Arena AgroFuturo, acontecem, a partir das 8h30, palestra sobre “ Central de Monitoramento Remoto e Conectividade”, com Helton Silva, da John Deere; seguida de palestra sobre “Controle Localizado de Ervas Daninhas – Benefícios e Desafios da Técnica”, com Mateus Tonini Eitelwin, da Smart Agri; “Soluções para Digital Farmin , com André Salvador, da Basf/Xarvio; e sobre o “Uso de imagens e sensores em sistemas de produção”, com Marcos Rafael Nanni, da Universidade Estadual de Maringá. Ainda na Arena AgroFuturo, das 11h às 12 h, será realizado o painel “Rastreabilidade no campo e na pecuária”, sob moderação da Genesis Group e participação de Roberto Miyano Neto (Ceptis) e Guilherme Costa (Bart Digital).

Ocepar - Na Casa do Criador, a partir das 8h30 até 18 horas, a Ocepar conduz o Fórum de pesquisa, desenvolvimento e inovação.

Reta final - Após o almoço, o Agrobit Brasil entrará na reta final, mas com muita coisa ainda na programação. A partir das 13h30 até 14 horas, haverá a palestra “Inovação, ciência e agricultura”, ministrada por Cleber Oliveira Soares, diretor-executivo de Inovação e Tecnologia da Embrapa; seguida de painel sobre Conectividade no Campo, mediado por Tsen Chung Kang (Fatec Pompeia, SP) e participação de Fabrício Lira Figueiredo (CPqD Telecomunicações) e Guilherme Correa (Ministério da Ciência e Tecnologia).

Mais - Na Arena AgroConexão, estará ocorrendo os pitches do Sebrae Like a Farmer. E na Arena AgroFuturo, das 15h50 às 16h20 haverá a palestra “Inovações da consolidação dos Sistemas de Produção Agropecuários”, com Leonardo Menegatti (InCERES). Logo em seguida, a palestra será sobre “Propriedade e segurança dos dados, com Ana Paula Bialer (Bailer Falsetti Associados). Ainda na Arena AgroConexão, com início previsto para 16:50, será realizada a palestra Imagem e Perspectivas de mercado internacional do Agronegócio Brasileiro, por Eduardo Augusto Gradiz Filho (Cofco International); e a última palestra do dia, antes da solenidade de encerramento, será com o tema “Futuro: o que esperar? Watson Inteligência artificial no Agro, ministrada por Sérgio Gamma, da IBM.

Programação completa - Toda a programação do evento, realizado pela Sociedade Rural do Paraná, F&B Eventos, Sebrae Paraná e Londrina Convention Bureau pode ser conferida no site . (Assessoria de Imprensa do evento)

 

PROPOSTAS: Aberta consulta pública sobre IN de Indicações Geográficas

indicacao 20 11 2018Está aberta para consulta pública a minuta da Instrução Normativa do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), que estabelecerá as condições para o registro das Indicações Geográficas no Brasil.

Comentários e sugestões- Os comentários e sugestões poderão ser encaminhados até o dia 6 de dezembro deste ano, somente por meio dos formulários disponíveis na página da consulta pública, em http://www.inpi.gov.br/menu-servicos/indicacao-geografica/consulta-publica.

 

Mais informações- Para maiores informações acesse o portal do INPI. (Mapa)

 

EMBRAPA SOJA: Lançado edital para parcerias em projetos inovadores

embapa soja 20 11 2018A Embrapa Soja lança seu primeiro Open Innovation para Startups, edital que busca parcerias público-privadas para o desenvolvimento de tecnologias sustentáveis para o sistema de produção de soja. O lançamento será nesta terça-feira (20/11), às 14h, na Arena AgroConexão, durante o Sebrae like a Farmer, evento que compõe o Agrobit Brasil <agrobitbrasil.com.br>, realizado nesta terça e quarta-feira (20 e 21/11), no Parque de Exposições Ney Braga, em Londrina (PR).

Aproximação - Para o chefe-geral da Embrapa Soja, José Renato Bouças Farias, o objetivo do Open Innovation para Startups é aproximar a Embrapa Soja das ideias inovadoras em tecnologia digitais aplicadas ao agronegócio e dos empreendedores que têm familiaridade com o conjunto de ferramentas, metodologias, processos e serviços disponíveis via Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs). “Nossa ideia é nos aproximarmos de todo este conhecimento para identificarmos oportunidades de interação e de desenvolvimento de parcerias em busca de soluções de forma conjunta”, destaca Farias.

Linhas de pesquisa - O edital Open Innovation para Startups conta com 12 linhas de pesquisa: 1) Manejo de pragas, doenças ou plantas daninhas; 2) Automação de processos; 3) Avaliação/Monitoramento da disponibilidade dos nutrientes no solo; 4) Avaliação do estado nutricional das plantas; 5) Tecnologia de aplicação de defensivos; 6) Tecnologia de produção e qualidade de sementes; 7) Avaliação da qualidade física do solo; 8) Fenotipagem de plantas; 9) Sistemas sustentáveis de produção de grãos; 10) Redução de perdas e incremento da qualidade da produção; 11) Classificação de grãos e sementes e 12) Comunicação Multimídia (otimização das interfaces com clientes).

Projetos - A partir de uma das linhas de pesquisa escolhidas, os empreendedores poderão elaborar projetos utilizando Inteligência Artificial, Sensoriamento, Robótica, Automação, Internet das Coisas (IoT- Internet of Things), entre outras soluções que envolvam as TICs. Os projetos selecionados terão contrato com a Embrapa Soja por um ano para o desenvolvimento das ações. Os proponentes terão acesso à estrutura física da Embrapa como laboratórios, casas-de-vegetação e campo experimental, assim como poderão contar com a tutoria semanal com os pesquisadores da Empresa.

Submissão - A submissão dos projetos deverá ser realizada até 20 de dezembro, via e-mail soja.eventos@embrapa.br. Os projetos serão avaliados pela equipe de pesquisa da Embrapa Soja e os selecionados serão parceiros no desenvolvimento de tecnologias. A comissão organizadora divulgará o resultado até 31 de janeiro de 2019. Confira mais detalhes do edital: www.embrapa.br/soja/open-innovation (Assessoria de Imprensa da Embrapa Soja)

SERVIÇO

Lançamento do Open Innovation para Startups

Data de lançamento: 20 de novembro

Horário: 14h

Local: Arena AgroConexão, durante o Agrobit Brasil, no Parque de Exposições Ney Braga, em Londrina (PR)

Site com o edital: www.embrapa.br/soja/open-innovation

 

EMBRAPA FLORESTAS: Eventos sobre integração de pecuária com florestas são realizados no Oeste

embrapa florestas 20 11 2018A região Oeste do Paraná será palco de dois Dias de Campo sobre Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF), com enfoque em sistema silvipastoril (bovinocultura de leite e floresta). Dia 20, o evento acontece em Missal e, dia 22, em Terra Roxa, ambos no período da tarde.

Benefícios - O sistema silvipastoril conjuga a produção pecuária e florestal em uma mesma área e ao mesmo tempo. É uma atividade que traz diversos benefícios, tais como conforto térmico ao gado, com reflexo direto na produtividade do rebanho; sequestro de carbono, auxiliando na mitigação dos efeitos das mudanças climáticas; e um novo produto para a propriedade rural: a madeira.

Estações - Em Missal, a programação conta com quatro estações: gestão da atividade leiteira na propriedade rural; árvores na pastagem; reforma/renovação do sistema silvipastoril e manejo da pastagem. Já em Terra Roxa, as estações vão abordar: gestão da atividade leiteira; produção de madeira; controle de formigas cortadeiras e manejo da pastagem.

Locais dos Dias de Campo - A área silvipastoril de Missal tem 4,5 hectares plantados com eucaliptos desde o ano de 2005, com gado de leite. Além do conforto térmico animal, a propriedade já realizou colheita de árvores e a madeira foi utilizada parte na propriedade e parte foi comercializada em serrarias locais. A área ainda dispõe de mais 110 m³ de madeira para serraria. Já a área de Terra Roxa é mais recente: os 13,8 hectares plantados com eucaliptos (E. urograndis) foram implantados em 2013, conjugado com gado de leite.

Projeto - Os dias de campo fazem parte do Projeto Bioeste Florestas, coordenado pela Embrapa Florestas, com a parceria da Emater/PR, Itaipu Binacional e CIBiogás. O projeto Bioeste foi criado para dar bases mais sólidas ao plantio de árvores para a produção de energia no Oeste do Paraná. A região tem importância estratégica na produção de grãos e de proteína animal. Estas cadeias produtivas necessitam de biomassa florestal para energia térmica, seja na secagem de grãos, nas caldeiras das agroindústrias, no aquecimento de aviários ou em outras atividades do agronegócio. Essa demanda por biomassa de madeira contrasta com a baixa tradição da região em plantios florestais com fins produtivos e ganha importância com o déficit dessa biomassa, que aumenta na mesma medida do crescimento do setor agroindustrial local. Os sistemas silvipastoris podem ajudar a suprir parte desta demanda. (Assessoria de Imprensa da Embrapa Florestas)

SERVIÇO:

20/11 – Missal/PR

14h

Propriedade do Sr. Pedro Marin – Portão do Ocaí

22/11 – Terra Roxa/PR

14h

Propriedade do Sr. Gilmar Ribeiro Sanches Munhão – Comunidade Aparecidinha

 

MEIO AMBIENTE: Inventário Florestal no Paraná vai orientar políticas públicas

A publicação com os resultados do Inventário Florestal Nacional no Paraná foi lançada nesta segunda-feira (19/11) em cerimônia no Palácio Iguaçu. O estudo traz o levantamento quantitativo e qualitativo dos recursos florestais no Estado e deve servir como base para o planejamento e a elaboração de políticas públicas voltadas para conservação e uso sustentável das florestas.

Cobertura florestal - Segundo dados do relatório, a cobertura florestal do Paraná é de aproximadamente 6,91 milhões de hectares, o que equivale a 34,7% do território. Deste total, 5,84 milhões de hectares são de florestas naturais, o que corresponde a 29,3% da área do Estado.

Levantamento - O levantamento realizado de 2013 a 2017 considera o diâmetro, a altura, as espécies presentes nos locais avaliados, além do estado fitossanitário das árvores.

Qualidade - De acordo com o secretário estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Antonio Carlos Bonetti, a pesquisa traz grande contribuição para os órgãos ambientais do Estado, principalmente ao identificar as áreas prioritárias para conservação e recuperação de ecossistemas degradados.

Herança - Ele também mencionou a qualidade do estudo. “A elaboração do inventário no Paraná contou com a participação de servidores comprometidos, preocupados em deixar esse trabalho como herança para a sociedade”, afirmou Bonetti.

Nova perspectiva - Para a coordenadora de Biodiversidade e Florestas da Secretaria do Meio Ambiente, Sueli Naomi Ota, os dados servem também para o desenvolvimento científico, tecnológico e inovação nas mais diversas áreas do conhecimento. “Com esse diagnóstico florestal surge uma nova perspectiva para o Paraná, pois além da área florestal diretamente relacionada ao inventário, estas informações propiciam material para desenvolver o conhecimento sobre toda a biodiversidade do Estado”, disse.

Comunidade - Além do mapeamento florestal, foram feitas entrevistas com moradores em um raio de quatro quilômetros dos pontos de amostra, com o objetivo de saber como as pessoas percebem e usam os recursos florestais, ou seja, trazendo também informações sobre os aspectos socioambientais das florestas.

Importância - “Hoje não temos como dissociar as florestas das pessoas e esta relação foi contemplada nos estudos do inventário que traz, além do mapeamento florestal, a importância das florestas para a vida das pessoas, aspecto socioambiental que agrega o trabalho”, afirmou o diretor de Pesquisa e Informações do Serviço Florestal Brasileiro, Joberto Veloso de Freitas, que apresentou os resultados do inventário no Paraná.

Metodologia - O Inventário Florestal Nacional no Paraná – IFN/PR foi dividido em três fases para facilitar o levantamento em todo o Estado. As amostras botânicas coletadas foram digitalizadas e entregues ao herbário do Museu Botânico Municipal (MBM) de Curitiba.

Fase 1 - A Fase 1 ocorreu nas mesoregiões Sudeste, Centro-Sul e Centro Ocidental paranaense, onde foram levantadas 152 Unidades Amostrais de Registro (UARs). A Fase 2 se concentrou nas mesorregiões Oeste, Noroeste, Norte e Norte Pioneiro Paranaense, verificando 237 UARs. Outras 161 Unidades Amostrais de Registro foram levantadas na Fase 3, que teve como foco as mesorregiões Sudoeste, Centro Oriental e a Região Metropolitana de Curitiba.

Presenças - Além da Secretaria de Estado Meio Ambiente, o evento contou com a participação de representantes de outras instituições envolvidas no trabalho, entre elas o Ministério do Meio Ambiente, Embrapa Florestas, Serviço Florestal Brasileiro, Universidade Federal do Paraná e Instituto de Florestas do Paraná. Também esteve presente o secretário estadual da Agricultura e do Abastecimento, George Hiraiwa. (Agência de Notícias do Paraná)

{vsig}2018/noticias/11/20/meio_ambiente/{/vsig}

MDIC: Balança tem superávit de US$ 1,802 bilhão na 3ª semana de novembro

mdic 20 11 2018A balança comercial registrou superávit de US$ 1,802 bilhão na terceira semana de novembro, resultado de exportações no valor de US$ 5,002 bilhões e importações de US$ 3,199 bilhões, informou nesta segunda-feira (19/11), o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic).

Soma - No mês, as exportações somam US$ 12,233 bilhões e as importações, US$ 7,671 bilhões -- com saldo positivo de US$ 4,562 bilhões. No ano, as exportações totalizam US$ 211,313 bilhões e as importações, US$ 159,115 bilhões, com superávit de US$ 52,198 bilhões.

Média - Segundo o Mdic, a média das exportações da terceira semana chegou a US$ 1,2 bilhão, 3,7% acima da média até a segunda semana, em razão do aumento nas exportações de produtos manufaturados (+83,1%, de US$ 397,3 milhões para US$ 727,3 milhões).

Queda - Caíram as vendas de produtos semimanufaturados (-53%, de US$ 192,2 milhões para US$ 90,3 milhões) e de produtos básicos (-29,7%, de US$ 615,3 milhões para US$ 432,7 milhões). Do lado das importações, comparadas as médias da terceira semana (US$ 799,9 milhões) com as da segunda semana (US$ 745,3 milhões), houve crescimento de 7,3% pelo aumento nos gastos com combustíveis e lubrificantes, cereais e produtos da indústria de moagem, veículos automóveis e partes, siderúrgicos e adubos e fertilizantes.

Análise do mês - Nas exportações, em relação ao mesmo período do ano passado, houve crescimento de 46,7%, em razão do aumento nas vendas das três categorias de produtos: manufaturados (+56,3%, de US$ 338,7 milhões para US$ 529,3 milhões), produtos básicos (+54,8%, de US$ 350,2 milhões para US$ 542,3 milhões) e semimanufaturados (+20,2%, de US$ 126 milhões para US$ 151,5 milhões).

Crescimento - Relativamente a outubro de 2018, houve crescimento de 22,3%, em virtude da expansão nas vendas de produtos manufaturados (+49,6%), semimanufaturados (+13,8%) e básicos (+6,8%).

Importações - Nas importações, a média diária até a terceira semana de novembro de 2018 (US$ 767,1 milhões) ficou 16,7% acima da média de novembro do ano passado (US$ 657,1 milhões). Nesse comparativo, cresceram os gastos, principalmente, com adubos e fertilizantes (+69,5%), químicos orgânicos e inorgânicos (+23%), combustíveis e lubrificantes (20,1%), veículos automóveis e partes (18,1%) e equipamentos eletroeletrônicos (7,6%).

Mais - Em relação a outubro de 2018, houve crescimento de 4,8%, pelo aumento em bebidas e álcool (+83,4%), alumínio e obras (+31,2%), cobre e obras (+27,3%), siderúrgicos (+24,9%) e cereais e produtos da indústria de moagem (+19,6%). (Valor Econômico)

 


Versão para impressão


RODAPE