Imprimir
CABECALHO

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4413 | 13 de Setembro de 2018

CONGRESSO INTERNACIONAL: Evento ressaltou a unidade do movimento cooperativista mundial

 

Com a participação de aproximadamente 500 cooperativistas de várias partes do mundo, foi realizado na última terça-feira (11/09), na Bolsa de Cereais de Buenos Aires, o Congresso Internacional de Cooperativismo Agropecuário. O evento, promovido pela Confederação Intercooperativa Agropecuária (Coninagro) da Argentina, mostrou, em vários painéis, a situação e a evolução do cooperativismo do ramo agroindustrial em vários países.

 

Positivo - Segundo o superintendente da Ocepar, Robson Mafioletti, que representou a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) no congresso, a avaliação do evento pelos participantes foi positiva, por representar a oportunidade de troca de informações e por reafirmar a unicidade do movimento cooperativista nos diferentes países. 

 

Importância - Mafioletti participou do painel “Casos de êxito do cooperativismo agroindustrial internacional”, quando mostrou a importância socioeconômica do setor para o país e o estado. Ele falou sobre “A industrialização das cooperativas no Paraná e no Brasil”. O Brasil ainda esteve representado pela Cooperativa Vinícola Garibaldi, do Rio Grande do Sul. 

 

Cases - Além das apresentações majoritariamente dos argentinos, e dos casos brasileiros, também foram apresentados exemplos de sucessos do Uruguai, Paraguai, República Checa, Espanha e França.

 

{vsig}2018/noticias/09/13/congresso_internacional_/{/vsig}

OCB: Representantes da entidade se reúnem com superintendente da ANTT

 

Representantes do Sistema OCB se reuniram nesta quarta-feira (12/09), em Brasília, com o novo superintendente de Transporte de Passageiros da ANTT, João Paulo Souza. A intenção foi promover um alinhamento institucional entre o setor cooperativista voltado ao transporte e seu ente regulador. Para isso, foi feita uma apresentação dos principais pleitos do segmento transporte de passageiros.

 

Assuntos - Dentre os assuntos discutidos, esteve a audiência pública convocada pela ANTT para debater o desenvolvimento de resolução que regulamenta a penalidade de reincidência de infração de execução de transporte rodoviário de passageiros não autorizado.

 

Definitivo - Souza informou que a audiência pública foi suspensa em caráter definitivo e que a Agência estuda a possibilidade de criar um grupo técnico de trabalho com todas as entidades do setor, a fim de propor o Marco Regulatório do Transporte de Passageiros.

 

Instrumento - Na avaliação dos cooperativistas, esse grupo técnico anunciado pelo novo superintendente será um instrumento efetivo para regulamentar o setor e, ainda, mitigar os problemas que o segmento cooperativista têm enfrentado com relação ao não conhecimento do modelo societário cooperativo. (Comunicação Sistema OCB)

COPAGRIL I: Produtores deram início ao plantio da soja da safra de verão

 

Diante da abertura oficial da janela de plantio no Paraná e das previsões de chuva para os próximos dias na região oeste, os produtores da área de ação da Copagril estão aproveitando para realizar a semeadura da soja para a safra 2018/2019. 

 

Ideal - Segundo o engenheiro agrônomo da cooperativa, Marlon Lucas, este ano está favorecendo o plantio na região, tendo em vista que o período de semeadura foi antecipado no Paraná e pelas condições de implantar as lavouras no início da janela. “No ano passado houve atraso no plantio da soja devido ao clima, o que implicou no atraso no plantio de milho safrinha. Agora, porém, a semeadura está ocorrendo em uma época considerada ideal”, ressalta. 

 

Clima - A previsão de chuva é outro ponto considerado relevante. O Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar) prevê precipitações na sexta-feira (14/09) e no sábado (15). “Caso essa chuva se confirme favorecerá a germinação das sementes, o que é muito importante para a largada da safra”, avalia Lucas.

 

Safrinha - Dentro do planejamento agrícola dos associados também está, desde já, a preocupação com o plantio do milho para a segunda safra. “Se houver condições favoráveis na safra de verão, será possível plantar o milho entre o fim de janeiro e o início de fevereiro, o que é a intenção de todo produtor”, comenta o agrônomo.

 

Otimismo - A família Lengert, que é associada à Copagril, iniciou o plantio na tarde desta quarta-feira (12), em uma área localizada na Linha Guavirá, em Marechal Cândido Rondon. Conforme Horst Arno e o irmão Eldevir, o objetivo é escalonar a semeadura nas diferentes áreas que serão cultivadas, conforme o ciclo da cultivar escolhida. “Para essa primeira lavoura escolhemos uma variedade intacta e de ciclo mais longo”, afirma Horst, que utilizará três cultivares diferentes.

 

Expectativa - Indagado sobre os investimentos e expectativas da família, ele afirma que são relativamente equilibrados. “Nosso investimento nas lavouras varia entre médio a alto. E nossa previsão é colher entre 150 e 160 sacas por alqueire, considerando as diferentes características das áreas que cultivamos”, revela Horst.

 

Produtividade  - A expectativa do produtor rondonense é condizente com a do Departamento de Economia Rural (Deral), escritório regional de Toledo, que estima produtividade média de  151 sacas por alqueire (9.060 quilos) na atual safra, nos 20 municípios da regional.

 

Maior - O técnico do Deral, João Luis Raimundo Nogueira, mostra diz que a previsão supera a produtividade alcançada na safra anterior, de 142 sacas por alqueire (8.520 quilos). “A perspectiva de aumento nessa nova safra leva em consideração dois fatores: a previsão de aumento de área cultivada e o plantio antecipado em relação à safra anterior, quando a maioria dos produtores só conseguiu plantar a soja no fim de setembro, por falta de chuva.”

 

Área - Enquanto na safra passada foram cultivados 480.820 hectares, a perspectiva é que, na atual, o cultivo ocupe área de 482.000 hectares. “É um momento favorável, pois, com a 'guerra' entre China e Estados Unidos, a soja brasileira fica mais competitiva no mercado mundial. Além disso, o produto está com liquidez no mercado, pois a safra anterior foi boa, os preços estão em bons níveis e o produtor está capitalizado”, explana Nogueira, ao acrescentar que “com esse cenário inicial positivo, a partir de agora é só torcer para que o clima favoreça as lavouras, para que as expectativas se confirmem”.

 

{vsig}2018/noticias/09/13/copagril_I/{/vsig}

COPAGRIL II: Cooperativa atua no recebimento de embalagens no Mato Grosso do Sul e no Paraná

 

Dentre as ações de responsabilidade ambiental desenvolvidas pela Copagril está o trabalho de logística reversa de embalagens de defensivos agrícolas, realizado nesta quarta-feira (12/09), em Mundo Novo, no Mato Grosso do Sul. A unidade da cooperativa está atuando como ponto de recebimento de embalagens, que são entregues pelos produtores rurais associados e clientes da Copagril. Para realizarem a entrega de embalagens, os agricultores devem levá-las até a unidade com as respectivas notas fiscais dos produtos, separando tampas, lacres e o restante da embalagem, a qual precisa receber a tríplice lavagem. Hoje o recebimento vai até as 15 horas.

 

Recolha itinerante - A atividade de recolha itinerante é desenvolvida por meio de uma parceria entre a Copagril, a prefeitura e a Associação dos Revendedores de Agrotóxicos de Naviraí (Aranav), que gerencia a Central de Recebimento de Embalagens Vazias.

 

No Paraná - Um amplo trabalho de recebimento também já foi realizado no primeiro semestre no Paraná, sendo que a recolha itinerante será retomada na próxima semana, em unidades da Copagril. Na terça-feira (18/09) os produtores poderão levar suas embalagens até a unidade Copagril de Pato Bragado e nesta quarta-feira (19/09) será a vez de São Roque ter recolhimento. Em ambos os locais, o atendimento será no horário das 09 às 16 horas. No Paraná, o serviço é executado pela Ardefa (Associação Regional Oeste Paranaense de Distribuidores de Defensivos Agrícolas), com apoio do Inpev (Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias), IAP (Instituto Ambiental do Paraná) e Águas Paraná.

 

Outubro - No mês de outubro haverá recebimento em Bela Vista, Dr. Oliveira Castro, Guaíra e Mercedes. (Imprensa Copagril)

 

{vsig}2018/noticias/09/13/copagril_II/{/vsig}

COAMO: FamíliaCoop reúne 1.500 mulheres em Campo Mourão

 

Alinhada com os ideais do cooperativismo, a Coamo tem em sua filosofia o reconhecimento de que somente por meio da união é possível crescer. É a consciência de que essa marca da integração esta alicerçada na família. Por isso, a cooperativa realiza frequentemente eventos voltados à participação, não apenas dos cooperados, mas também de seus familiares.

 

Evento - Diante dessa proposta, a cooperativa reuniu nos dias 11 e 12 de setembro, cerca de 1.500 mulheres, esposas e filhas de cooperados e cooperadas, em Campo Mourão, no centro-oeste do Paraná, na sede da Associação Recreativa dos Funcionários da Coamo (Arcam), para participar de mais uma edição do Programa Coamo de Integração da Família Cooperativista (FamíliaCoop). 

 

Programa - Elas vieram de todas as regiões da cooperativa, no Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul, e tiveram na programação palestras sobre cooperativismo e serviços prestados pela Coamo, além de visitarem o Parque Industrial e conhecerem um pouco mais da cooperativa. O dia delas também contou com a animação do Espaço Sou Arte, de Campo Mourão, com atrações artísticas que as encantaram. As mulheres cooperativistas avaliaram como positivo o projeto. Uma forma de motivar e engajar as mulheres do meio rural a se inteirarem mais sobre a administração da propriedade, agronegócio e cooperativismo.

 

Envolvimento - De Mamborê (centro-oeste do Paraná), Joselma Spilka, que é cooperada, esposa e filha de cooperados, tem os laços com o cooperativismo cada vez mais estreitos. Para ela, eventos como o FamíliaCoop são fundamentais para o desenvolvimento da mulher. “Foi uma visita muito importante. Visitar e conhecer mais sobre a Coamo, nos orgulha. A agricultura e o cooperativismo estão enraizados em minha vida. Não consigo viver de outra forma, por isso, acredito que precisamos sempre participar e nos envolver nos eventos da Coamo.”

 

Motivação - Segundo o assessor de Cooperativismo da Coamo, Guilherme Sávio, o número de mulheres atuantes na cooperativa tem crescido a cada ano, por isso, tudo que a Coamo faz está focado na família do associado. “Quando programamos esse evento, pensamos no bem-estar das participantes e, também, em levar um conteúdo que seja útil para o dia a dia delas. Por isso, além das atrações artísticas, teve a palestra com o nosso presidente falando sobre a Coamo como um todo, além de uma palestra motivacional, para que elas possam retornar para casa mais engajadas com o seu trabalho”, ressaltou Sávio. 

 

Integração maior - Para o presidente e idealizador da Coamo, José Aroldo Gallassini, que abriu o dia com as participantes por meio de uma palestra sobre cooperativismo e mercado agrícola, a família do cooperado é valorizada e precisa ser atuante na cooperativa. “Para nós, é muito importante a participação da mulher, pois trabalhamos por um cooperativismo onde toda a família participa. Foram dois dias produtivos, onde pudemos falar para elas sobre o cooperativismo e a filosofia da sua cooperativa, a Coamo.” (Imprensa Coamo)

 

{vsig}2018/noticias/09/13/coamo/{/vsig}

GRÃOS: EUA elevam previsão para safras e esperam recorde para soja

 

graos 2 13 09 2018A safra de milho dos Estados Unidos 2018/19 foi estimada nesta quarta-feira (12/09) em 14,827 bilhões de bushels (376,62 milhões de toneladas), ante 14,586 bilhões de bushels na previsão anterior, informou o Departamento de Agricultura norte-americano (USDA).

 

Expectativa de mercado - A projeção ficou acima da expectativa do mercado, de 14,529 bilhões de bushels, o que resultou em uma queda acentuada nas cotações na bolsa de Chicago.

 

Recordes - O USDA estimou produtividades recordes para o milho em importantes áreas produtoras, como Illinois, Iowa, Nebraska e Indiana. O rendimento médio foi estimado em 181,3 bushels por acre.

 

Soja - O órgão do governo também elevou a safra de soja dos EUA 2018/19 para um recorde de 4,693 bilhões de bushels (ou 127,73 milhões de toneladas), ante 4,586 bilhões na previsão anterior, enquanto o mercado esperava 4,649 bilhões de bushels – a produtividade média da oleaginosa foi vista em recorde de 52,8 bushels por acre.

 

Brasil - O USDA ainda manteve as estimativas de safras de soja e milho do Brasil em 2018/19 em 120,50 milhões de toneladas e 94,50 milhões de toneladas, respectivamente.

 

Contratos futuros - Os contratos futuros do milho negociados em Chicago caíram 3,2%, para seu menor valor em quase dois meses, após o relatório do USDA, enquanto os preços da soja passaram a subir.

 

Colheita - Os EUA, maiores produtores globais de soja e milho, colhem a safra 18/19 neste ano, enquanto o Brasil (maior exportador de soja) vai começar a plantar os grãos desta temporada em setembro. (Reuters/Globo Rural)

 

SICREDI: Lançada plataforma “Como Fazer Juntos”

 

sicredi 13 09 2018Com o intuito de aproximar cada vez mais o cooperativismo de crédito a diversos públicos, o Sicredi – instituição financeira cooperativa que conta com mais de 3,8 milhões de associados e atuação em 22 estados brasileiros e Distrito Federal – lançou, simultaneamente, a plataforma de conteúdos “Como Fazer Juntos” e a campanha “Juntos a gente se entende”, destinada ao público jovem.

 

Conteúdos - A plataforma tem conteúdos produzidos com os colaboradores, que explicam de forma simples e próxima, por meio de vídeos, o que é o Sicredi, seus produtos e serviços e os diferenciais, vantagens e benefícios de se associar a uma das cooperativas de crédito filiadas ao Sistema. Os vídeos podem ser acessados no site www.comofazerjuntos.com.br. Além disso, também são postados nos canais de mídias sociais do Sicredi.

 

Aprendizado - “As palavras ‘Como Fazer’ são bastante procuradas no Google quando as pessoas procuram aprender mais sobre algum assunto. E por que aprender como fazer juntos? Em função do cooperativismo ter em sua essência atuar a cultura do trabalho em conjunto para um mesmo fim. Por isso, a plataforma ‘Como Fazer Juntos’ representa o relacionamento próximo e a transparência das nossas relações com associados e a comunidade”, explica Ana Paula Cossermelli, superintendente de Comunicação, Marketing e Canais do Banco Cooperativo Sicredi.

 

Estímulo - Já a campanha ‘Juntos a gente se entende’ tem o intuito de estimular o público jovem a considerar o Sicredi no momento de escolher a sua instituição financeira, direcionando para a plataforma de conteúdos. “A campanha atuará em diferentes frentes com ações de endomarketing, publicidade, marketing digital e relações públicas, todas com o intuito de engajar o colaborador do Sicredi, o associado e toda a comunidade na qual nossa instituição financeira cooperativa atua”, ressalta Ana Paula. 

 

Série de vídeos - A campanha institucional para o público jovem é composta por uma série de três vídeos e se estende às revistas que circulam nas áreas de atuação do Sicredi, incluindo mídia de massa (spots, anúncios e mídia exterior), ativação por meio de canais digitais (Facebook, YouTube e site do Sicredi) e ações trabalhadas para o público interno. “Nesta fase de nossa campanha institucional, serão trabalhados os materiais com situações cotidianas dos jovens para que eles entendam a importância de escolher uma instituição financeira de forma adequada, logo no início de sua vida financeira”, finaliza a executiva.

 

Sobre o Sicredi O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão valoriza a participação dos 3,8 milhões de associados, os quais exercem um papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.600 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros. Mais informações estão disponíveis em www.sicredi.com.br. (Imprensa Sicredi)  

 

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

SICREDI PARQUE DAS ARAUCÁRIAS: Poupança Premiada dá R$ 2 mil para associados de Vitorino (PR) e Palmas (PR)

 

sicredi parque araucarias 13 09 2018A Cooperativa Sicredi Parque das Araucárias PR/SC/SP premiou Rosely Boldrini e Marcos Koghofer de Vitorino (PR) e Claudimar Possa de Palmas (PR) com R$ 2 mil cada, por meio da campanha Poupança Premiada.

 

Incentivo - O presidente da Sicredi Parque das Araucárias PR/SC/SP, Clemente Renosto, ressalta que a iniciativa é uma forma de incentivar as pessoas a guardarem dinheiro e pensarem no futuro. "Planejamento e educação financeira são de extrema importância para todos, pois as pessoas passam a entender que sem planejamento não é possível alcançar os, para que conquistem seus objetivos e garantam a tão sonhada saúde financeira", destaca.

 

Educação financeira - A iniciativa, que é promovida há 3 anos pelo Sicredi nos estados do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro, busca reforçar o conceito de educação financeira e incentivar associados e poupadores em geral a guardar recursos para conquistar objetivos. Desde abril até dezembro serão distribuídos R$ 1,5 milhão em prêmios, sendo 10 sorteios semanais de R$ 2 mil, um sorteio mensal no valor de R$ 50 mil e um sorteio final que premiará um associado Sicredi com meio milhão de Reais. Em dezembro, durante a reta final da campanha, as chances de ganhar serão dobradas, com 20 sorteios semanais de R$ 2 mil, além do grande sorteio.

 

Como participar - A cada R$ 100,00 aplicados na poupança Sicredi, é gerado automaticamente um número da sorte para concorrer aos sorteios que acontecem pela Loteria Federal. Basta acessar o site: www.sicredi.com.br/eupouposim e verificar os números. Ao fazer uma poupança programada, o poupador recebe números em dobro para participar. Quanto mais depositar, mais chances de ganhar. Podem participar pessoas físicas e jurídicas nos estados do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro, associados ou não. Os sorteios serão realizados todas as segundas-feiras (a partir de 10/04) e os ganhadores divulgados em até cinco dias úteis.

 

Diferencial cooperativo - O interessante da ação é o diferencial cooperativo, já que o recurso da poupança Sicredi beneficia as regiões em que é captado, resultando em mais desenvolvimento local por meio de concessão de crédito. Quanto mais associados poupam, mais associados podem ter acesso à linhas de crédito, gerando um ciclo virtuoso nas comunidades onde o Sicredi está presente.

 

Mais - Para saber mais sobre o programa Poupança Premiada, datas de sorteios e vencedores, acesse: www.sicredi.com.br/eupouposim ou procure uma das 547 agências do Sicredi nos estados do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro. (Imprensa Sicredi Parque das Araucárias PR/SC/SP)

 

VIII SUL LEITE: Evento em Carambeí vai discutir desafios e avanços da cadeia produtiva

 

viii sul leite destaque 13 09 2018Os desafios e avanços da cadeia produtiva do leite estarão em debate, nos dias 3, 4 e 5 de outubro, na sede da Cooperativa Frísia, em Carambeí, na região paranaense dos Campos Gerais. As palestras serão técnicas e envolverão profissionais de diversos órgãos como Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Universidade de Maringá (UEM), Universidade de Londrina (UEL), Universidade de São Paulo (USP), Universidade Federal do Paraná (UFPR), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep), Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), além da Nestlé.

 

Temas - Entre os assuntos que serão abordados no VIII Sul Leite estão: Avanços no melhoramento genético do rebanho leiteiro no Paraná, Criação e manejo de bezerras e novilhas leiteiras, Desafios na produção de silagem de milho, Leite orgânico e expectativa do consumidor, Resíduos tóxicos em leite e produtos lácteos, Desafios e avanços no desenvolvimento da pecuária de leite familiar (Programa Mais Leite), Ferramentas no controle de mastite bovina, Desafios no período seco e de transição da vaca para boa lactação, Leite instável não ácido e Manejo sanitário de bovinos leiteiros.

 

Mais - A programação também inclui mesa redonda com produtores de leite da região e uma visita ao condomínio leiteiro Melkstade, onde será possível acompanhar a produção em sistema Free Stall. 

 

Inscrições - Os interessados em participar podem se inscrever até o dia 25 de setembro pelo site https://siseve.apps.uepg.br/viiisulleite. (Com informações do Diário dos Campos)

 

Clique aqui para conferir a programação completa do VIII Sul Leite

 

EXPEDIÇÃO SUINOCULTURA: Para concorrer com grandes, parceria entre cooperativas transforma suínos em mais de 90 produtos

 

Criada em 2015, a Alegra Foods, empresa formada pelas cooperativas dos Campos Gerais – Frísia (Carambeí), Castrolanda (Castro) e Capal (Arapoti) –, apostou pesado na industrialização para transformar a realidade dos produtores de suínos da região. Até a criação da marca e do frigorífico, os cooperados eram obrigados a conviver com a instabilidade do mercado spot, aquele em que a entrega da mercadoria é imediata e o pagamento é feito à vista, também conhecido com mercado de balcão.

 

Industrialização - Agora, três anos após a construção de um dos mais modernos frigoríficos da América Latina, os animais são transformados em mais de 90 produtos disponíveis no varejo. São salames, copa, presuntos, linguiças, salgados, defumados, temperados, cortes premium, temperados, entre outros, que, ano após ano, conquistam mais mercados e paladares.

 

Novos produtos - Segundo o superintendente da Unidade Industrial de Carnes, Ivonei Durigon, em um ano, entre julho de 2017 e julho de 2018, 45 novos produtos chegaram as prateleiras. “Dobramos a oferta de industrializados com a marca Alegra no varejo”, conta. A aposta surgiu da necessidade de ampliar a utilização do parque industrial, localizado em Castro, e da conjuntura política, econômica e social do momento, inclusive a operação Carne Fraca. “As cooperativas do Paraná são reconhecidas pela qualidade dos produtos que oferecem. Sentimos que era a ocasião de aproveitar para expandirmos”, diz.

 

Produção - Atualmente, a Alegra – que fornece presunto, bacon e carne para grandes franquias como o Madero e o Mcdonalds – abate 3,2 mil animais por dia, o que corresponde a uma produção mensal de 8 mil toneladas. Do total, 60% são industrializados, 25% vão para exportação e 15% são matéria-prima. Além de oferecer aos 135 cooperados uma alternativa rentável e estrutura de mercado, a industrialização permitiu, somente em 2017, a distribuição de R$ 27,61 milhões em ICMS, além do dinheiro que é movimentado na região através dos salários dos 1,5 mil funcionários.

 

Futuro - Durigon conta que 2017 foi um ano positivo para indústria e para a cadeia produtiva. No entanto, 2018, até o momento, tem se mostrado complexo. Greve dos caminhoneiros, alta nos insumos e o fechamento do mercado russo trouxeram dificuldades. “A oferta ainda é maior que a demanda”, afirma. Mas ele acredita que o mercado vai reagir no último trimestre.

 

Avanço - Com a utilização de apenas um terço da capacidade diária do complexo industrial (que é de 9,2 mil cabeças por dia), a previsão é de avanço no volume em 2020. “Vai depender de uma série de fatores econômicos. Mas a Alegra vai se adaptar conforme a demanda. Queremos aumentar o número de mercados atendidos e nossa participação no mercado interno. Tudo vai depender, é claro, da vontade dos nossos cooperados”, explica. A empresa, considerada um modelo de integração entre cooperativas, foi criada com 60% de investimento das cooperativas e 40% dos próprios suinocultores.

 

Habilitação - Atualmente, a Alegra está habilitada para atender 30 países. “Vamos continuar apostando na qualidade dos nossos produtos, que é cada vez mais reconhecido pelo sabor. São produtos diferenciados. Não temos escala para competir com as grandes indústrias, por isso procuramos oferecer produtos premium”, conclui. No mercado interno, o Paraná responde por 25% do consumo; o restante está espalhado por outros 12 estados. (Gazeta do Povo)

 

{vsig}2018/noticias/09/13/expedicao_suinocultura/{/vsig}

EVENTO: Semana Nacional da Carne Suína incentiva o consumo da proteína

 

evento 13 09 2018A carne suína é a fonte de proteína animal mais consumida em todo o mundo. O Brasil ocupa lugar de destaque no contexto global da suinocultura, sendo referência mundial em competitividade e por ocupar a posição de 4º maior produtor e exportador. Nesse mercado, as micro e pequenas empresas desempenham um papel fundamental, representando 80% do total de criadores do país. A partir desta quinta-feira (13/09) até o dia 27 de setembro, será realizada a Semana Nacional da Carne Suína (SNCS), com a missão de mostrar a diversidade de cortes e as vantagens dessa fonte de proteína, além de incentivar o consumo entre os brasileiros.

 

Atuação sistêmica - A iniciativa da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (FNDS), com o apoio do Sebrae, tem como um dos seus pilares a atuação sistêmica, trazendo benefícios aos produtores, indústria, varejo e consumidores. Neste ano, a edição expande para sete grandes redes de supermercados, alcançando 624 lojas em 17 estados brasileiros. Os seis anos anteriores de campanha foram considerados fundamentais pelo setor para a criação e aperfeiçoamento da estratégia de treinamentos que hoje se adequa a diferentes perfis de varejo.

 

Atuação - O Sebrae atua junto à ABCS, via projeto Integrasui, no desenvolvimento de materiais técnicos e palestras que buscam conscientizar e capacitar os produtores de suínos, para que eles possam estar preparados frente a essas tendências de consumo e se adaptarem de forma adequada. Até 2019, está prevista a elaboração de conteúdos com foco em boas práticas nas fábricas de ração e de sustentabilidade ambiental na suinocultura, que resultarão em palestras para produtores e agroindústrias. “A atuação junto a ABCS faz parte de uma estratégia que visa melhorar a competitividade de toda cadeia produtiva com agregação de valor em todos os elos e principalmente mirando um consumidor que cada vez está mais consciente sobre seu alimento, sem a perda de sabor, saudável, prática, acessível”, explica o especialista do Sebrae, Gustavo Reis. (Suinocultura Industrial)

 

IBGE: Abate de bovinos e de suínos cresce em relação a 2017

 

ibge 13 09 2018O abate de bovinos e suínos cresceu no segundo trimestre deste ano na comparação com o mesmo período do ano passado. No segundo trimestre deste ano, foram abatidos 7,72 milhões de bois – alta de 4%. Já o número de porcos abatidos chegou a 10,82 milhões de animais – aumento de 1,9%.

 

Pesquisas Trimestrais - Os dados são das Pesquisas Trimestrais da Pecuária, divulgadas nesta quarta-feira (12/09) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Outro indicador que teve alta no período foi a produção de ovos de galinha, que cresceu 6,6% em relação ao segundo trimestre do ano passado.

 

Frango - O abate de frangos, no entanto, teve queda de 4% no mesmo período, resultado que pode ser explicado, segundo o IBGE, pela greve dos caminhoneiros, ocorrida em maio deste ano.

 

Leite cru - A aquisição de leite cru apresentou queda de 3,2% no período, enquanto a de couro manteve-se estável.

 

Primeiro trimestre - Na comparação com o primeiro trimestre deste ano, houve aumento apenas no abate de suínos (1%) e na produção de ovos de galinha (2%). Os demais indicadores tiveram queda: abate de bovinos (-0,2%), abate de frangos (-6,9%), aquisição de leite cru (-8,9%) e aquisição de couro (-4,1%). (Agência Brasil)

 

ECONOMIA: Economistas criam ferramentas para medir PIB em tempo real

 

economia 13 09 2018Do Banco Central à Fundação Getulio Vargas (FGV), os economistas brasileiros estão numa corrida para desenvolver ferramentas que permitam medir o Produto Interno Bruto (PIB) praticamente em tempo real. Essa é a nova fronteira dos estudos acadêmicos — cada vez mais aplicados na prática — em debate na principal conferência mundial de estudo sobre ciclos econômicos, conhecida pela sigla Ciret, que neste ano é sediada pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da FGV.

 

Nova tecnologia - Na palestra de abertura, o economista italiano Domenico Giannone, do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) de Nova York, apresentou uma nova tecnologia de estimativa do PIB em tempo real, chamada de “nowcasting”, o que inglês significa algo como “projetar o agora”.

 

Projeção - Na última sexta-feira (07/09), o Fed de Nova York previa um crescimento de 2,23% do PIB americano no terceiro trimestre, período que só termina com o fim deste mês. Uma semana antes, sua estimativa era uma expansão de 1,98%. Hoje, provavelmente projeta outro número. As estimativas são revistas minutos depois de saírem estatísticas mais frescas, embora sejam divulgadas ao público apenas semanalmente.

 

Brasil - O Banco Central do Brasil também tem o seu projeto de “nowcasting” e já gera estimativas de PIB para o consumo interno da instituição, mas o modelo ainda não está maduro o suficiente para ser divulgado ao público, como faz o Fed de Nova York.

 

Estudos - Na conferência Ciret, estão sendo apresentados dois estudos de pesquisadores da FGV sobre modelos que fazem o “nowcasting”. O Ibre/FGV, que na última década ganhou protagonismo na condução de pesquisas de expectativas, também tem investido na área. “As possibilidades são muitas”, afirma o vice-presidente do Ibre/FGV, Vagner Ardeo. “Imagine quanta informação sobre a atividade econômica existe, por exemplo, nas notas fiscais eletrônicas.”

 

Vantagens - “O PIB tem as suas vantagens, é uma série consagrada e de fácil entendimento para o público”, disse Giannone, na sua palestra. “O problema é que é divulgado com uma defasagem muito grande, por isso não é muito útil para análises econômicas em tempo real.”

 

Bancos centrais - Os bancos centrais, tipicamente, são ávidos por saber qual é o estágio da atividade econômica no presente momento. Há uma relação entre grau de aquecimento da economia e inflação, que é a meta dos bancos centrais. Quando a economia caminha muito rápido, a capacidade produtiva da economia pode se esgotar rapidamente, gerando pressões inflacionárias.

 

Defasagem - No caso do Brasil, o PIB é divulgado com cerca de dois meses de defasagem, prazo que está mais ou menos dentro do padrão internacional. Desta forma, o PIB do terceiro trimestre só será conhecido em fins de novembro. Até lá, porém, a economia já estará avançada no quarto trimestre, e o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC terá feito duas reuniões para decidir a taxa básica de juros. Se dependesse apenas do PIB, ficaria às escuras.

 

IBCBr - O BC brasileiro já divulga um indicador de atividade mais célere, o chamado Índice de Atividade do Banco Central (IBCBr). Mesmo assim, é lento demais para atender à voracidade por informações mais tempestivas: o IBC-Br mais recente, de junho, foi divulgado em 15 de agosto.

 

Diferença - A diferença entre o IBC-Br e o “nowcasting” é que, no caso do primeiro, são usados dados contábeis, como ocorre no PIB.

 

Matéria-prima - Ou seja, sua matéria-prima são indicadores que medem ou estimam quantidades efetivamente produzidas. Já o “nowcasting” é uma ferramenta estatística que usa muito de dados como expectativas de consumidores, empresas e de setores da economia.

 

Homem x máquina - Durante o seminário, Giannone foi questionado se a miríade de dados disponíveis no mundo da internet, que vão de estatísticas de compras de passagens ou de uso de meios de pagamento a frequência com que alguns dados são pesquisados no Google, já está sendo incorporada no modelo de “nowcasting” do Fed de Nova York.

 

Máquina - Entre alguns economistas, há o sonho de criar uma máquina que busca automaticamente dados disponíveis em todas as fontes disponíveis e seleciona os melhores para prever a atividade econômica.

 

Realidade - “A realidade é que esses dados, por enquanto, não mostraram uma boa qualidade para projetar o que está acontecendo com a atividade”, disse Giannone. “Os melhores dados são aqueles já consagrados, que são acompanhados diariamente pelo mercado financeiro.”

 

Julgamento humano - Os modelos de “nowcasting” também não são capazes, até agora, de suplantar o julgamento humano sobre a temperatura da atividade econômica. Os níveis de erro das projeções feitas pelo modelo do Fed de Nova York é semelhante à média das projeções feitas pelos analistas econômicos, com uso de modelos e também a avaliação mais subjetiva de cada um. “Não recomendaria substituir o julgamento dos economistas pelo modelo”, disse Giannone, que diz que o ideal é usar o “nowcasting” sem abrir mão do raciocínio humano. (Valor Econômico)

 


Versão para impressão


RODAPE