Imprimir
CABECALHO

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4404 | 30 de Agosto de 2018

ELEIÇÕES 2018 I: OCB participa de debate com presidenciáveis

 

Representantes do movimento cooperativista participaram nesta quarta-feira (29/08) do debate entre os candidatos à Presidência da República e os representantes do agronegócio brasileiro, promovido em Brasília, pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Além de discorrerem sobre suas propostas para o setor caso vençam as eleições, os candidatos receberam o documento O futuro é Agro 2018-2030, elaborado pela CNA, com o apoio do Conselho das Entidades do Setor Agropecuário (Conselho do Agro).

 

Entidades - Esse conselho reúne 15 entidades que representam os produtores rurais de diversas cadeias produtivas e segmentos da agropecuária. A Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), por exemplo, representa e defende os interesses do cooperativismo no colegiado.

 

Representantes do setor - Por parte das cooperativas agropecuárias estiveram: o presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, a gerente geral da OCB, Tânia Zanella, o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, o presidente do Sistema Ocesp, Edvaldo Del Grande, o representante da região Norte na diretoria da OCB, Petrucio Magalhães, e o coordenador do Centro de Agronegócio da FGV/EESP e embaixador especial da FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação) para o cooperativismo mundial, Roberto Rodrigues.

 

Cooperativismo - A OCB também está concluindo a edição de um documento a ser entregue aos presidenciáveis. A expectativa é de que, até a semana que vem, a entrega das propostas do movimento cooperativista aos candidatos ao Palácio do Planalto seja iniciada.

 

Dinâmica - A participação dos candidatos no debate promovido nesta quarta-feira pela CNA foi definida por sorteio. O primeiro presidenciável a falar de suas propostas de governo para pecuaristas e produtores rurais na CNA foi Geraldo Alckmin. Depois foi a vez de Henrique Meirelles. Na sequência, Álvaro Dias e Marina Silva falaram das medidas que pretendem aplicar para atender às demandas do setor. Ciro Gomes e Jair Bolsonaro não participaram.

 

Propostas - Confira abaixo, as 10 prioridades apontadas pela CNA para o setor agropecuário brasileiro:

1. Prosseguir com as reformas necessárias, em especial a tributária e a previdenciária. A modernização do sistema tributário dará maior competitividade ao setor agropecuário.

2. Priorizar o seguro rural e demais instrumentos de gestão de riscos, como forma de garantir renda ao produtor e atrair novas fontes de financiamento para o setor.

3. Firmar acordos comerciais para promover a competitividade da agropecuária brasileira com prioridade nos principais mercados importadores de alimentos, como Coreia do Sul, México, União Europeia, Japão, bem como estabelecer parcerias estratégicas que favoreçam o fluxo comercial com China, Estados Unidos e Aliança do Pacífico.

4. Apoiar políticas públicas voltadas para o crescimento sustentável do setor, em especial aquelas que regulam o uso dos recursos naturais baseado em agricultura inteligente, competitiva e provedora de serviços ambientais.

5. Garantir segurança jurídica no campo por meio da melhoria do arcabouço legal das questões fundiárias, das normas trabalhistas que possuem subjetividade e das iniciativas que reduzam a criminalidade no campo.

6. Fomentar o desenvolvimento tecnológico no âmbito da comunicação, geociência e biotecnologia, ampliando as oportunidades de acesso às tecnologias para o homem do campo.

7. Criar ambiente regulatório mais transparente com objetivo de impedir práticas monopolistas e promover a livre iniciativa, evitando qualquer tipo de tabelamento, como forma de atrair investimentos privados destinados à integração dos modais de transportes e à melhoria da armazenagem.

8. Fortalecer o Sistema de Defesa Agropecuária para que seja mais ágil e eficiente, por meio de métricas objetivas, estabelecidas conjuntamente pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e setor privado.

9. Ampliar o volume de recursos destinados às ações de assistência técnica, de forma harmônica entre os diferentes perfis de produtores, com intuito de melhorar a difusão de tecnologias e a gestão das propriedades rurais.

10. Desenvolver políticas públicas focadas na ampliação da produção de biocombustíveis, como o RenovaBio, com o objetivo de reduzir as emissões dos gases do efeito estufa. (Informe OCB)

 

{vsig}2018/noticias/08/30/eleicoes_2018/{/vsig}

ELEIÇÕES 2018 II: Cooperativas divulgam Programa de Educação Política

O Programa de Educação Política do cooperativismo também está sendo divulgado pelas cooperativas do Paraná por meio de seus veículos de comunicação. Matérias sobre o tema foram publicadas na revista da Frimesa e no Informativo da Cocari em suas últimas edições. O Programa de Educação Política é uma iniciativa da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) que conta com a adesão do cooperativismo paranaense, sendo chamado de "parana.coop+10". A ideia é conscientizar o público ligado ao setor para o voto consciente. O foco central desta ação é fortalecer a Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop) no Congresso Nacional. A Frencoop Nacional, cuja missão é defender os interesses das cooperativas brasileiras, é formada por 243 deputados federais e 36 senadores.

Clique nas capas das publicações para conferir as matérias

capa frimesa 30 08 2018

capa cocari 30 08 2018

 

 

 

 

 

 

FORMAÇÃO INTERNACIONAL: Cooperativistas brasileiros realizam missão de estudos na Alemanha

Cerca de 20 cooperativistas brasileiros que integram a sexta turma do Programa Internacional de Desenvolvimento de Lideranças do Sistema Ocepar desembarcaram na Alemanha, no início desta semana, para mais uma etapa da formação que visa proporcionar um intercâmbio de informações sobre cooperativismo com outros países. Nesta quarta-feira (29/08), eles estiveram em Montabaur, localizado a cerca de 100 quilômetros de Frankfurt, onde participaram de um seminário na Academia de Cooperativas Alemãs (ADG), uma das principais instituições de qualificação e soluções em gestão do país. No evento, foram tratados temas como a estrutura do setor cooperativo alemão, os desafios futuros das cooperativas de crédito na Alemanha e os projetos de digitalização nas cooperativas agropecuárias.

Entidade de representação - Nesta quinta-feira de manhã (30/08), as atividades ocorreram em Boon, na DGRV (Confederação das Cooperativas Alemãs), entidade que atua com a representação e auditoria das cooperativas, em conjunto com a organização das cooperativas alemãs. Ambas trabalham seguindo a tradição de Friedrich Wilhelm Raiffeisen and Hermann Schulze-Delitzsch. A Ocepar e a OCB possuem um acordo de cooperação com o escritório da DGRV no Brasil.

Associação Nacional - À tarde, os cooperativistas visitam a BVR, associação nacional das cooperativas de crédito alemãs, cujos membros são todos os “bancos cooperativos”: cooperativas de crédito locais, centrais, associações de auditores cooperativos, instituições bancárias para igrejas, entre outros. A entidade possui escritórios que defendem os interesses do setor em Berlim e Bruxelas.

Programação - Nesta sexta-feira (31/08), a programação continua em Trier, com visita ao Volksbank Trier, cooperativa de crédito que tem como objetivo apoiar e promover ativamente seus membros e clientes. Haverá ainda uma apresentação sobre a cooperativa de energia que conta com mais de 200 membros e tem como principal foco a energia fotovoltaica. Na semana que vem, o grupo cumpre um roteiro de visitas técnicas na Itália.

Formação - A sexta turma do Programa Internacional de Desenvolvimento de Lideranças é formada por profissionais de cooperativas paranaenses dos ramos agropecuário, saúde e crédito, e dos Sistemas Ocepar e OCB. Neste ano, o grupo também visitou os Estados Unidos e o Canadá, no mês de maio.

{vsig}2018/noticias/08/30/formacao_internacional/{/vsig}

 

VISITA: Sistema Ocepar recebe cônsul da Angola

“O Paraná, em especial as cooperativas, podem contribuir com o desenvolvimento de Angola por meio da transferência de conhecimento, principalmente em relação ao cultivo de soja, milho e outras culturas em que o estado se destaca”. Esta afirmação é do cônsul geral da República de Angola, Joaquim Augusto Belo Barroso Mangueira, que, visando à possibilidade de parcerias entre o setor cooperativo paranaense e o país africano esteve, na manhã desta quinta-feira (30/08), na sede do Sistema Ocepar, em Curitiba. Ele foi recebido pelo superintendente da Federação das Cooperativas do Paraná (Fecoopar), Nelson Costa, e pela analista de Desenvolvimento Cooperativo, Carolina Bianca Teodoro. 

Festividades – O cônsul aproveitou a oportunidade para convidar o Sistema Ocepar e, por extensão, as cooperativas do estado, para participar das festividades que o consulado está organizando na capital paranaense em comemoração ao 43º aniversário de independência de Angola, que acontecerão no dia 11 de novembro.

O país - Angola é um país da costa ocidental da África, cujo território principal é limitado a norte e a nordeste pela República Democrática do Congo, a leste pela Zâmbia, a sul pela Namíbia e a oeste pelo Oceano Atlântico. A independência do domínio português foi alcançada em 1975, depois de uma longa guerra de libertação. Após a independência, foi palco de uma intensa guerra civil de 1975 a 2002, maioritariamente entre o Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA) e a União Nacional para a Independência Total de Angola (Unita). O país tem vastos recursos naturais, como grandes reservas de minerais e de petróleo e, desde 1990, sua economia tem apresentado taxas de crescimento que estão entre as maiores do mundo, especialmente depois do fim da guerra civil.

{vsig}2018/noticias/08/30/angola/{/vsig}

 

FÓRUM: Sescoop/PR e CRCPR reúnem profissionais de contabilidade em Curitiba

 

O Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR) promove, em parceria com o Conselho Regional de Contabilidade do Paraná (CRCPR), o II Fórum dos Profissionais de Contabilidade da Área Cooperativista, nos dias 25 e 26 de setembro, na sede do Sistema Ocepar, em Curitiba. Os presidentes do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, e do CRCPR, Marcos Rigoni de Mello, farão a abertura do evento. Na sequência, Gilson Marcos Balliana, vai discorrer sobre os acordos de Basileia e as novas exigências de capital, e Alexandre Pellaes ministra palestra sobre o novo significado do trabalho, inovação e disrupção.

 

Continuidade - No dia seguinte, a programação terá a participação de Antonio Sérgio Gabriel, que irá falar sobre a contabilidade como instrumento de gestão das cooperativas. Já Laudelio Jochen trata de ética, compliance e noclar, desafios e oportunidades. 

 

Inscrições - Os profissionais das cooperativas do Paraná podem se inscrever com Andreia Fernandes (41 3200-1159 / andreia.fernandes@sistemaocepar.coop.br). As vagas são limitadas.

 

forum folder I 30 08 2018

forum folder II 30 08 2018

 

 

 

 

COCARI: Dia de Campo de Café aborda qualidade e produtividade

 

Produtores da região cafeeira na área de atuação da Cocari no Paraná estiveram reunidos nesta quarta-feira (29/08) para a realização do Dia de Campo de Café. O evento contou com palestras técnicas na Associação Atlética Cocari e visitação às áreas demonstrativas localizadas no Centro Tecnológico Cocari, ambos em Mandaguari (PR).

 

Qualidade e produtividade - No período da manhã, as palestras trouxeram informações e atualizações aos cafeicultores. Os temas abordados foram Qualidade do café pós-colheita, ministrada por Denilson Fantin e Francisco Barbosa Lima, do Iapar (Instituto Agronômico do Paraná) e Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), e Nutrição do café para altas produtividades, com o instrutor João Miguel Ruas, da Yara Fertilizantes. 

 

Tecnologias - O objetivo da Cocari, ao realizar o dia de campo, é oportunizar aprendizado. “Nosso intuito é de contribuir para a melhoria das lavouras de nossos cooperados, tanto na qualidade do produto, como no aumento da produtividade, por meio das tecnologias que o mercado disponibiliza e que podem ser implementadas nas propriedades”, destacou o vice-presidente da Cocari, Marcos Trintinalha.

 

Áreas demonstrativas - À tarde, os produtores puderam visitar as estações na área demonstrativa do Centro Tecnológico. A cultura de café na região tem exigido mudanças. A irrigação das lavouras é uma realidade que permite o alcance da qualidade e maior produtividade. “A Cocari conta rotineiramente com equipe técnica, assessorando aos cafeicultores no que tange à variedade a ser plantada, o melhor tipo de adubação, o espaçamento ideal. E nos dias de campo o produtor pode observar melhor as possibilidades para produzir mais e melhor”, observou Trintinalha.

 

Mercado - A Cocari entende como necessária a busca pelo diferencial de qualidade na produção, para agregar valor ao produto e resultar em melhores preços de venda da commodity no mercado, viabilizando a atividade, com maior lucratividade para os cafeicultores associados.

 

Festival da Coada - Durante o dia de campo foi realizada mais uma edição do Festival da Coada do Café, reunindo 13 participantes, que tiveram a missão de preparar o melhor cafezinho do dia. O vencedor foi João Narciso Cedran, representando a ala masculina nessa categoria. Em segundo lugar ficou Onilda Ferreira Rosseto e a terceira colocada foi Maria Alice Penachio Rosseto. (Imprensa Cocari)

 

{vsig}2018/noticias/08/30/cocari/{/vsig}

COPAGRIL: Produtores de suínos participam de curso para certificação de granjas

 

Cerca de 50 produtores associados da Copagril participaram, na tarde de terça-feira (28/08), do treinamento voltado à certificação de granjas de suínos no Programa Suíno Certificado Frimesa. O evento aconteceu na sala de treinamentos da Unidade Rondon e teve como instrutor Andrei Dietrich, que coordena o programa da cooperativa central.

 

Certificação - Conforme o encarregado do Fomento Suíno Copagril, Francis Kummer, o objetivo é que todas as 23 Unidades Produtoras de Leitões (UPLs) da Copagril obtenham a certificação, sendo que o treinamento faz parte dos requisitos para alcançá-la.

 

Atenção - O programa abrange atenção à biosseguridade, segurança no alimento, proteção e bem-estar animal, saúde ocupacional do produtor e rastreabilidade do produto.

 

Requisitos - Para obter a certificação é preciso atender uma série de requisitos na propriedade, que abrangem desde a estrutura física até as práticas diárias de manejo. Além disso, as granjas são auditadas periodicamente. Durante esse trabalho, pelo menos 85 a 100 itens são checados.

 

Pontos importantes - Dentre os pontos importantes está o programa 5S, que precisa ser adotado na propriedade. Ele preconiza: descarte/utilização, ordenação, limpeza, higiene/saúde e autodisciplina.

 

Suíno Certificado - O programa Suíno Certificado ainda envolve a correta localização e adequadas condições das instalações; isolamento; controle de acessos na granja; carregadores adequados; alimentação recomendada; medicamentos registrados e autorizados pelo programa; controle de vetores e correta destinação de carcaças e dejetos; assim como o registro de atividades.

 

Sanidade - “A certificação é importante, pois o programa tende a melhorar a sanidade dos rebanhos suínos e, consequentemente, a produtividade nas granjas, favorecendo os resultados dos nossos integrados”, conclui Francis. (Imprensa Copagril)

 

{vsig}2018/noticias/08/30/copagril/{/vsig}

COCAMAR I: Grupo da cooperativa percorre o Meio-Oeste americano

 

cocamar I 30 08 2018Após passar a terça-feira em Boone, Iowa, conhecendo as novidades da Farm Progress Show 2018, o grupo da Cocamar que durante esta semana visita os Estados Unidos, cumpriu agenda na quarta-feira (29/08) em East Moline, Illinois. 

 

Integrantes - Com 28 integrantes, entre conselheiros, cooperados e técnicos, a delegação foi recebida no John Deere Heardquarters, a sede mundial da companhia. E, entre outras atividades ao longo do dia, os brasileiros participaram no final da tarde de um seminário sobre o atual momento da agricultura, e seus desafios, no Monsanto Learning Center, na vizinha Monmouth.

 

Concurso de Produtividade - A viagem aos EUA é promovida anualmente nesta mesma época ao Meio-Oeste pela Cocamar e, entre os convidados, estão os cooperados vencedores do Concurso Cocamar de Produtividade de Soja, Safra 2017/18, com os respectivos técnicos da cooperativa que lhes prestaram assistência. 

 

Programação - A programação iniciou na segunda-feira (27/08) com uma palestra proferida por John Patton, em Des Moines, Illinois. Deslocando-se para Boone (Iowa), eles estiveram na Landus Cooperative e também na Gordon Wassenaar Farm. 

 

Visitas - Nesta quinta-feira (30/08), o grupo vai conhecer a cooperativa CHS no porto do Rio Mississippi e também a Casey Hettinger Farm. A agenda oficial termina na sexta-feira (31/08), com visita à Universidade de Perdue, onde haverá palestra com foco em soja e apresentação de campos de pesquisa da instituição e retorno a Chicago. (Imprensa Cocamar)

 

COCAMAR II: Reconhecimento a pioneiros e profissionais em setembro

 

Em evento programado para o dia 25 de setembro no seu parque industrial em Maringá (PR), a Cocamar vai prestar reconhecimento a um grupo de pioneiros e profissionais que, ao longo das décadas, participou de sua história. Às 17h, após solenidade no salão social da Associação Cocamar, eles irão fazer o plantio de árvores de espécies nativas na Avenida Constâncio Pereira Dias.   

 

Fundador - Mais de 55 anos desde o início da cooperativa em 1963, um dos  fundadores está entre os homenageados: o ex-cooperado Benedito Lara. Conhecido como Neno, Lara, de 90 anos, morador em Bauru (SP), foi também diretor-secretário na gestão comandada pelo primeiro presidente Arthur Braga Rodrigues Pires, entre 1963 e 1965. Sem visão há muitos anos, ele se encontra, segundo seus familiares, em boas condições de saúde e com disposição para viajar.

 

Histórico - O engenheiro civil gaúcho Fernando Craidy, que projetou os primeiros armazéns graneleiros e várias outras estruturas operacionais da Cocamar, também está entre eles. Craidy é personagem da história da soja no Brasil, tendo participado da construção dos primeiros armazéns que viabilizaram o seu cultivo pelo Rio Grande do Sul, o berço da cultura no Brasil, nos anos 1950/1960.

 

Mais - Os engenheiros Reinaldo Dias Moraes e Silva e Ivan Petri, que igualmente projetaram estruturas no parque industrial, também vão receber homenagem, a exemplo do ex-governador Jayme Canet Júnior (em memória), representado pelo filho Jayme Canet Neto. Além deles, constam da lista o ex-presidente José Fernandes Jardim Júnior, o desembargador Cássio Colombo Filho e o ex-colaborador Reynaldo Costa. 

 

Acervo - Falecido em junho, Reynaldo Costa foi pioneiro da cidade, designer, artista plástico e gráfico, tendo se dedicado por cerca de 30 anos à organização do Acervo Histórico Cocamar, tornando-o um dos maiores e mais completos do cooperativismo brasileiro. (Imprensa Cocamar)

UNIMED MARINGÁ: Cooperativa maringaense incentiva uso de bicicleta

 

unimed maringa 30 08 2018Além de trazer benefícios para a saúde, o uso da bicicleta contribui para a preservação do meio ambiente, já que, diferente de carros e motos, por exemplo, é um meio de transporte que não causa impacto ambiental. 

 

Tendência - Seguindo a tendência de cidades ecologicamente corretas, Maringá tem ampliado o número de ciclovias. Recentemente, as obras na avenida Horácio Racanello foram concluídas e as da avenida Gastão Vidigal seguem em ritmo acelerado.

 

Mudança de hábito - Empresas e entidades também podem fomentar a mudança de hábito em relação aos meios de transportes. E é isso que a Unimed Maringá tem feito, instalando bicicletários na cidade e também dando bicicleta para quem aderir ao plano empresarial.

 

Nova campanha - O uso de bike, aliás, é tema da nova campanha da Unimed, que mostra que uma vaga de carro comporta até 10 bicicletas, o que deixa evidente que os benefícios do uso do meio de transporte alternativo vão além do meio ambiente e saúde. 

 

Bicicletário - Para estimular o uso das bikes, a cooperativa instalou neste mês um bicicletário temporário em uma vaga de estacionamento do Shopping Maringá Park e em um centro empresarial da cidade, ambos têm feito sucesso. O espaço estará disponível até 20 de setembro. Até lá, qualquer pessoa pode usufruir da comodidade sem custo.

 

Unidades - Além dos dois bicicletários, a Unimed Maringá instalou de forma permanente outras dez unidades na avenida Brasil, com capacidade para até dez bicicletas - a localização pode ser conferida no site www.unimedproempresa.com.br.

 

Difusão - E para ajudar a difundir esse meio de transporte saudável e que prioriza a qualidade de vida, a cooperativa está realizando a campanha pró-empresa. Quem aderir, a partir de duas vidas, ganha uma bicicleta e um bicicletário. Foi o caso da Ferrari Zagatto, que migrou de plano. Lá somando os funcionários e familiares, são 420 vidas com cobertura da Unimed Maringá. A bicicleta foi sorteada entre os colaboradores e quem ganhou foi uma zeladora que não tinha bicicleta, mas pretende usar o presente para passear na cidade em que mora, em Paiçandu. Com a ação, ganham a qualidade de vida e o meio ambiente. (Imprensa Unimed Maringá)

 

SICREDI UNIÃO I: Festa leva a Cafeara o conceito de cashless cities

 

sicredi uniao I 30 08 2018A cidade de Cafeara, no Norte do Paraná (145 quilômetros de Londrina), com cerca de 3 mil habitantes, foi escolhida pela instituição financeira cooperativa Sicredi União PR/SP e Visa para a realização de uma festa em que não houve circulação de dinheiro em espécie, num projeto piloto das instituições que, juntas, estão focadas na disseminação da cultura da utilização de cartões e inibição do uso de dinheiro. 

 

Inclusão digital - A festa, denominada Folia Cafeara, foi realizada no dia  25 de agosto,  na praça da Igreja Matriz e foi mais uma das ações desenvolvidas pela cooperativa visando a inclusão digital da comunidade de Cafeara, por meios alternativos de transações financeiras.

 

Primeiro passo - O primeiro passo desse projeto foi dado com a inauguração da agência Smart Container na cidade, em 19 de março deste ano. Na agência é possível utilizar todos os serviços oferecidos pela instituição financeira, mas não há caixas e nem dinheiro em espécie. Ao se instalar, a Sicredi União distribuiu maquininhas para pagamentos em todo o comércio, gratuitamente; realizou vários cursos e oficinas  sobre educação financeira; disponibilizou cartões de crédito e de débito para a população sem anuidade; entre outras ações que visam facilitar o trânsito do dinheiro eletrônico.

 

Escolha - David Conchon, gerente Regional de Desenvolvimento, esclareceu que Cafeara foi escolhida para receber o projeto piloto da agência digital por estar entre as cerca de duas mil cidades do Brasil desassistidas de instituições financeiras e também por ser de porte pequeno, o que facilita a implantação e ajustes necessários. 

 

Nova etapa - “Agora iniciamos  esta nova etapa, que é o cashless city da Sicredi União e que, para este evento, tem a Visa como parceira. É uma festa que integra uma série de ações”, explicou Conchon. 

 

Inovador - O diretor executivo da Sicredi União, Rogério Machado, destacou que a instalação da  agência digital Smart Container em Cafeara foi um projeto inovador. “Viemos aqui com um propósito e não com uma proposta. Nosso propósito é fazer junto com a comunidade. A época do individualismo ficou para trás”, disse.

 

Cidade sem dinheiro - David Conchon explicou que a Sicredi está trabalhando com o conceito de cashless cities (cidades sem dinheiro) por entender ser o modelo ideal para levar agências bancárias a pequenas cidades, garantindo a segurança da população e sua inclusão no sistema financeiro.

 

Segurança - O fator segurança está entre as principais preocupações da Sicredi União ao implantar o projeto em Cafeara, uma vez que o policiamento, em cidades pequenas, é sempre mais reduzido. “As instituições financeiras onde existe o dinheiro em espécie acabam atraindo ladrões, tanto que vemos com muita frequência explosões de caixas eletrônicos em cidades pequenas. Ocorrem também nas cidades de porte maior, mas os ladrões encontram mais facilidades nas cidades em que a segurança é mais vulnerável”, observou Conchon.

 

Economia - Seguindo a metodologia de um estudo exclusivo e independente encomendado pela Visa à Roubini ThoughtLab, intitulado “Cidades sem dinheiro em espécie: Compreendendo os benefícios dos pagamentos digitais”, em Cafeara, os benefícios de uma maior utilização dos pagamentos eletrônicos na cidade seriam transformadores e totalizariam quase R$ 4.56 milhões, por ano, valor diretamente mensurado em três grandes grupos – consumidores, empresas e governos.

•          R$ 760 mil para os consumidores, considerando, entre outros, a economia de tempo entre transações bancárias e no varejo, além de redução de crimes relacionados ao dinheiro em papel; 

•          R$ 1,9 milhão para os estabelecimentos comerciais, incluindo, entre outros, a economia de tempo durante o processamento de pagamentos, aumento de receita por vendas decorrentes de uma maior base de clientes, tanto nas lojas físicas quanto no ambiente online;

•          E, por fim, R$ 1,9 milhão para o governo, entre outros, com o aumento das receitas fiscais, do crescimento econômico, redução de custos operacionais.

 

Impactos - Além disso, o mesmo estudo prevê que, até 2032, os impactos estimados a longo prazo em Cafeara, resultantes de alguns benefícios diretos, seriam o incremento adicional de 0,7% em empregos, decorrentes da intensificação da atividade econômica, e 1% de aumento extra nos salários.  

 

Estudo - O estudo “Cidades sem dinheiro em espécie: Compreendendo os benefícios dos pagamentos digitais” quantifica os potenciais benefícios experimentados pelas cidades que migram para um nível elevado de uso de pagamentos digitais – atingido quando o índice de uso de pagamentos digitais de toda a população de uma cidade se iguala ao dos 10% de usuários que mais utilizam esse tipo de pagamento atualmente no município. Ou seja, o estudo não prevê a eliminação total do dinheiro em espécie. Por outro lado, busca quantificar os potenciais benefícios e custos do aumento do uso dos pagamentos digitais.

 

Aprendendo novos hábitos - Para os moradores de Cafeara, onde existe, além da agência Smart da Sicredi, apenas um posto bancário, o uso de dinheiro em espécie é corriqueiro. Etelvina Alencar Cordeiro dos Santos, aposentada, mas que continua trabalhando com vendas de lingeries, cosméticos e enxovais, o mais comum sempre foi ir até a cidade vizinha de Centenário do Sul, e sacar dinheiro suficiente para passar o mês. 

 

Preocupação - O dinheiro ficava bem escondido, mas era sempre uma preocupação guardar tudo em casa. “A gente não tem o hábito de usar cartão. Estou começando agora e pretendo usar cada vez mais”, disse ela, que gostou muito da Folia Cafeara e das facilidades em fazer os pagamentos com o cartão.  “A festa foi muito válida porque conseguiu mostrar que a gente não precisa andar com dinheiro. O cartão resolve tudo e é muito rápido”.

 

Feliz - Ela, que participou da Oficina Financeira ministrada na cidade, está feliz também com o aplicativo da Sicredi. “O pessoal da agência me ensinou e agora faço todos os pagamentos sem sair de casa”.

 

Prático - O também aposentado Antonio Diniz é outro morador de Cafeara que não tem o hábito de usar cartão, só “dinheiro vivo”. Mas achou fácil e prático pagar os quitutes da Folia Cafeara com cartão. “Tem que acostumar, mas é mais seguro mesmo”, disse.

 

Festa solidária - Na Folia Cafeara, todos os participantes ganharam da Sicredi um cartão Visa com crédito de R$ 20,00 para gastar nas barracas. Foram distribuídos 1.300 cartões.

 

Fazer diferente - A intenção, apontou Conchon, foi mostrar que é possível fazer diferente, introduzir um novo olhar para as relações comerciais, e mostrar o quanto são mais seguras as transações com cartões.  “Temos o objetivo de contribuir para mudar o hábito dos moradores”, disse o gerente.  

 

Participação - A Sicredi União calcula que cerca de duas mil pessoas participaram da festa, que, além de proporcionar uma experiência inovadora e digital à população, também teve seu lado solidário. Toda a receita da festa, cerca de R$ 26 mil, foi doada para a Igreja e para a Apae. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

 

SICREDI UNIÃO II: Bazar beneficente reúne marcas em prol da Rede Feminina

 

Nesta quinta e sexta-feira (30 e 31/08) será realizado o bazar beneficente “Fashion For Help” em prol da Rede Feminina de Combate ao Câncer (RFCC). Realizado pela Amici Gestão de Eventos, com patrocínio da Sicredi União PR/SP, o evento será no Maringá Clube. No primeiro dia, o bazar funcionará a partir das 19 horas e interessados devem adquirir convite de R$ 60,00, que será integralmente revertido para a entidade. No segundo dia a entrada será gratuita, das 10h às 22 horas. 

 

Marcas - Entre as marcas que estarão com preços especiais, estão Bob Store, Palhador, Usaflex, Jorge Bishoff, Stillus Joias, Ariadne Casarini, Vivi Fujii Closet, Lageli Lingerie, My Gloss, Track & Feild, Richards, Maria Filó, Fest Fashion, La Melange, Kamila Siqueira, Ville Enfance, Criativa Decor e Dispropil. Dez por centro das vendas serão revertidos para a RFCC. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

 

SERVIÇO

Bazar beneficente “Fashion For Help”

Local: Maringá Clube, Rua Dr. Arion Riveiro de Campos, 389, Zona 02.

Data e horário: Quinta-feira às 19 horas, e sexta-feira das 10h às 22 horas.

SICREDI FRONTEIRAS: Cooperativa investe em potenciais econômicos dos municípios

 

1sicredi fronteiras 30 08 2018A 20ª Feira do Melado de Capanema, no Sudoeste do Paraná, aconteceu nos dias 15 e 19 de julho, com exposições, shows nacionais e espaços para a diversão de toda a família. Com uma programação variada, o município de Capanema mostrou suas potencialidades gastronômicas, culturais, econômicas e ambientais, pois conta com grandes espaços de reservas florestais que os visitantes que estiveram apreciando a feira, tiveram oportunidades únicas de conhecer tais belezas naturais.

 

Estande - A sede da Sicredi Fronteiras PR/SC/SP também está localizada na cidade e, durante a 20ª Feira do Melado, não faltaram atrações para quem visitou o estande da Sicredi Fronteiras PR/SC/SP. 

 

Café e passeio de balão - Além das diversas oportunidades de negócios preparadas para os dias do evento, associados e visitantes puderam experimentar um delicioso café, brincar com o simulador de realidade virtual, concorrer a mais de 200 voos cativos de balão, além de contar com o apoio da cooperativa para realizar seus negócios.

 

Público - De acordo com a organização da Feira, pelo menos 80 mil pessoas passaram pela festa entre nos dias cinco dias e, em meio a 240 expositores, o estande do Sicredi chamou a atenção de crianças e adultos. 

 

Atividades - “Os associados e não associados que visitaram nosso estande, alguns para tirar uma foto com o mascote do Programa A União Faz a Vida, que é a abelha, e receber um gibi da Turma da Mônica sobre educação financeira, outros quiseram provar o famoso cafezinho da cooperativa, preencher um cupom da promoção do balão de ar Sicredi, ou fechar um negócio”, destacou José César Wunsch, presidente da Sicredi Fronteiras PR/SC/SP.

 

Importância - César destacou a importância da Feira do Melado é um dos principais eventos relacionados ao agronegócio no Sudoeste do Estado. “Estamos muito felizes em ter contribuído com o sucesso da feira”, destacou César.

 

Resultados - Nos cinco dias de feira, o Sicredi realizou 50 processos, que resultaram na liberação de mais de R$ 6 milhões em créditos liberados para diversos fins, como aquisição de automóveis, ampliação e construção de aviários, aquisição de tratores e maquinários agrícolas, abertura de poupanças, aquisição de equipamentos e instalação de energia solar, além de outros investimentos. "A cooperativa sempre investe nas feiras dos municípios que abrangente, pois o Sicredi Fronteiras PR/SC/SP acredita no potencial de cada região com suas particularidades, e acredita nas pessoas que tem o mesmo sonho que o nosso, o sonho do cooperativismo", finalizou José César Wunsch.

 

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão valoriza a participação dos 3,8 milhões de associados, os quais exercem um papel de dono do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.600 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros. Mais informações estão disponíveis emwww.sicredi.com.br. (Imprensa Sicredi Fronteiras PR/SC/SP)

 

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

SICOOB TRÊS FRONTEIRAS: Assinado convênio para fomentar microcrédito em Foz do Iguaçu

 

sicoob tres fronteias 30 08 2018Os micro e pequenos empresários, microempreendedores individuais e pessoas ligadas à agricultura familiar de Foz do Iguaçu serão diretamente beneficiadas por um convênio firmado entre a prefeitura, a Sociedade de Garantia de Crédito do Oeste do Paraná (Garantioeste) e o Sicoob Três Fronteiras, no último dia 23, em ato realizado no Banco do Empreendedor.

 

Aporte - Autorizada pela Câmara Municipal, a Prefeitura de Foz do Iguaçu poderá aportar até R$ 1,2 milhão para alavancar o crédito e microcrédito. A cada R$ 1 de garantia do município será possível impulsionar oito vezes o valor em operações por meio da Garantioeste. Além disso, o Sicoob também garante outros R$ 2 milhões em linhas de financiamento. Essa somatória de esforços representa um montante de R$ 12 milhões circulando na cidade.

 

Parcerias - De acordo com o prefeito Chico Brasileiro, o convênio é fruto de parcerias que vão contribuir com o desenvolvimento do município. “O convênio vai favorecer os pequenos e os médios empreendedores locais. Nossos bairros têm centenas de pessoas que vivem do micro empreendedorismo e da agricultura familiar. A prefeitura não faz nada sozinha, mas de mãos dadas com os parceiros”, destacou.

 

Honra - “Para nós é uma honra participar deste convênio concretizado a várias mãos. Vamos oportunizar o acesso ao crédito, a juros mais baixos por meio da garantia real oferecida pela Garantioeste, para microempresários e agricultura familiar. O Sicoob se preocupa com as necessidades da região em que atua. Aumentar o número de agências para atender os cooperados, gerar emprego e renda faz parte do nosso papel”, disse o diretor superintendente do Sicoob Três Fronteiras, Dirceu Luiz Tessaro.

 

Reivindicação antiga - O prefeito aproveitou a ocasião para parabenizar o Sicoob por atender uma reivindicação antiga dos cerca de 40 mil habitantes do Bairro Porto Meira: proporcionar acesso aos produtos e serviços financeiros com um ponto de atendimento no local.

 

Presenças - A solenidade contou ainda com a presença de representantes da Associação Comercial e Industrial de Foz do Iguaçu (Acifi), Sebrae e demais empresas que compõe o Comitê Gestor de Desenvolvimento da cidade.

 

Condições diferenciadas - De acordo com o convênio, as linhas de crédito variam entre R$ 5 mil e R$ 80 mil, sendo que o valor máximo estabelecido de financiamento para MEI’s e agricultura familiar será de R$ 20 mil. Microempresários com mais de um ano na cidade poderão contratar operações de crédito no valor de até R$ 50 mil. Já empresas de pequeno porte, também com mais de um ano, poderão financiar até R$ 80 mil.

 

Taxas de juros - As taxas de juros vão variar entre 1% e 1,5% ao mês dependendo do valor financiado, com prazo de pagamento que varia de 12 a 36 meses. O valor adquirido na operação deverá ser utilizado em custeio ou investimento, atendendo aos critérios estabelecidos no convênio.

 

Melhores taxas - “O Sicoob Três Fronteiras tem as melhores taxas para Foz do Iguaçu dentro do sistema de cartas de garantia. Parabenizamos a prefeitura, câmara e demais parceiros pela iniciativa. O Sistema Garantidor de Crédito do Oeste passa para outro patamar com esse convênio. Dinheiro barato é o oxigênio das pequenas empresas”, finalizou o diretor-presidente da Garantioeste, Edson Luiz Carollo. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

SICOOB UNICOOB: Educação Financeira foi tema de palestra promovida para jovens de Mamborê

 

O Instituto Sicoob, em parceria com o Sicoob Metropolitano, promoveu um treinamento sobre Educação Financeira para cerca de 120 alunos do ensino médio do Colégio Estadual João XXVIII, de Mamborê. A palestra, que aconteceu no dia 14 de agosto na Casa da Cultura, foi ministrada pelo assessor Institucional da cooperativa, Adilso Carniel.

 

Reflexão - O objetivo foi proporcionar uma reflexão sobre as consequências de curto, médio e longo prazo acarretadas pelas escolhas financeiras. “Os jovens que participaram da palestra estão iniciando sua atuação no mercado de trabalho e o objetivo foi chamar a atenção para o cuidado com as dívidas, consumismo e a necessidade de poupar”, explica Adilso.

 

Conhecimento - O gerente de PA, Juliano Alves Bergamaschi, que também participou da organização da palestra, falou sobre a importância de levar o assunto até os jovens. “Poder falar sobre educação financeira com os jovens é poder proporcionar conhecimento, e ajudá-los a enfrentar com mais facilidade as possíveis armadilhas que o dinheiro pode causar”, complementa. (Imprensa Sicoob Unicoob)

INSTITUTO SICOOB: Expresso esteve em Goioerê e Sabáudia

 

instituto sicoob 30 08 2018Durante o mês de agosto, o Expresso Instituto Sicoob visitou duas cidades da área de atuação do Sicoob Metropolitano. No ônibus, que é unidade móvel de educação a distância, são disponibilizados cursos de qualificação profissional online gratuitos, que tem o objetivo de contribuir para a promoção da cidadania.

 

Goioerê - De 6 a 9 de agosto, o Expresso passou por Goioerê, onde teve apoio da prefeitura e da Secretaria de Indústria e Comércio para a realização de seis cursos. Ao todo, foram 96 pessoas certificadas.

 

Público diversificado - “Tivemos a participação de um público diversificado, desde aposentados até pessoas que estão tentando se recolocar no mercado de trabalho e enxergaram nos cursos oferecidos pelo Instituto Sicoob uma oportunidade de aperfeiçoamento”, conta a gerente da agência do Sicoob Metropolitano em Goioerê, Valéria Cardoso Santos Schurt.

 

Entrega dos diplomas - Ela relata ainda que a entrega dos diplomas foi um dos momentos mais emocionantes. “O depoimento das pessoas ao receberem o certificado era muito comovente, eles se emocionavam”, lembra.

 

Sabáudia - Depois de Goioerê, foi a vez de Sabáudia receber o Expresso Instituto Sicoob. Entre os dias 20 e 23 de agosto, foram cerca de 100 certificados nos cursos oferecidos.

 

Programação - Este ano, a agenda do Expresso Instituto Sicoob nas cidades de atuação do Sicoob Metropolitano segue até setembro. O próximo destino será Lupionópolis. Até o momento, já foram entregues 613 certificações para 40 turmas em parceria com a cooperativa. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

SICOOB VALE DO IGUAÇU: Parceria com Ministério da Cultura leva show ítalo-brasileiro a 18 cidades

 

Durante o mês de julho, 18 cidades do sudoeste do Paraná que fazem parte da área de atuação do Sicoob Vale do Iguaçu receberam a turnê do show ítalo-brasileiro “Dois continentes, uma emoção”, promovido pelo Ministério da Cultura em parceria com a cooperativa.

 

Lei Rouanet - Viabilizado pela Lei Rouanet, o projeto é composto por uma reunião de artistas do Brasil e da Itália, que executam canções folclóricas da região italiana de Nápoles, além de músicas, clássicas, populares e temas de filmes. Dividem o palco o grupo Hathor Plectrum Quartet, de Puglia, na Itália, o Quinteto de Cordas de Maringá e o cantor lírico beltronense, Etcheverry Rebelatto.

 

Emoção - A colaboradora do Sicoob Vale do Iguaçu, Sayonara Adanski, relata que o espetáculo erudito comoveu o público. “Foi de arrepiar, nunca havia participado de uma apresentação desse nível cultural. A interação entre o público e a orquestra foi linda, muitas pessoas se emocionaram”, disse ela. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

{vsig}2018/noticias/08/30/sicoob_vale_iguacu/{/vsig}

AGRÁRIA: Encontro reúne corais brasileiros e argentino neste sábado

 

agraria 30 08 2018Um momento único de integração cultural será promovido no próximo sábado, dia 1º de setembro: o Encontro de Corais 2018 reunirá quatro grupos brasileiros e um argentino. A partir das 19h30, o Centro Cultural Mathias Leh abre as portas aos cantores suábios do Coro de la Sociedad Alemana de Villa Gesell (Argentina), ao Coral Maestro Silvino Turko, a Associação Coral Pinhalzinho, assim como ao Coral Infantil e ao Coral Suábio, ambos da Fundação Cultural Suábio-Brasileira.

 

Motivadores - “Os Encontros de Corais são motivadores tanto para os coralistas quanto para os grupos, pois é uma oportunidade de se mostrar seu talento e apreço pelo canto e pela cultura em toda sua diversidade”, avaliou a maestra do Coral Suábio, Márcia Klann Milla.

 

Convite - A Fundação Cultural Suábio Brasileira, promotora do evento, convida toda a comunidade a prestigiar o Encontro de Corais 2018. Na entrada, serão aceitas doações espontâneas. (Imprensa Agrária)

 

AGRONEGÓCIO: CNA e Apex-Brasil realizam a primeira rodada de negócios exclusiva para mulheres

 

agronegocio 30 08 2018Mais uma novidade exclusiva para as participantes do 3° Congresso Nacional das Mulheres do Agronegócio. A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), sob o guarda-chuva da Rede Agropecuária de Comércio Exterior (InterAgro), vão realizar a primeira rodada de negócios exclusiva para mulheres durante o congresso, que acontece nos dias 23 e 24 de outubro, no Transamerica Expo Center, em São Paulo.

 

Encontro - A rodada de negócios é um encontro entre compradores e vendedores com objetivo de gerar negócios. A ideia é criar um ambiente de interesses mútuos e confiança para concretizar vendas. Nesse caso específico, o objetivo é reunir compradores internacionais, empresas comerciais exportadoras e produtoras brasileiras das cadeias de café, mel e frutas.

 

Exclusivo - Este evento é exclusivo para empreendimentos rurais liderados por mulheres, preferencialmente que já tenham experiência na exportação de produtos. A CNA e a Apex-Brasil identificaram setores onde há forte presença de empreendimentos liderados por mulheres. Para participar, as produtoras devem se cadastrar previamente através do formulário http://goo.gl/7FYLqw.

 

Hora marcada - A rodada será realizada no estande da CNA durante os dois dias do congresso. O encontro entre compradores e vendedoras, agendado previamente, terá hora marcada. Isso permite que a produtora participe do Congresso e se ausente apenas no horário determinado para ser atendida pelos compradores.

 

Primeira em conjunto - Essa será a primeira rodada de negócios que a Apex-Brasil e a CNA realizam em conjunto apenas para mulheres. Ela está alinhada com o compromisso do Brasil em atingir os objetivos do Desenvolvimento Sustentável, principalmente o Número 5, relativo à Igualdade de Gênero e Empoderamento Econômico de Mulheres.

 

Mercado internacional - "O mercado internacional traz oportunidades de melhoria de renda e dos processos de gestão que são importantes para o sucesso das empreendedoras rurais brasileiras. A CNA e a Apex Brasil estão empenhadas em ampliar as oportunidades de negócios para produtores e produtoras rurais. A realização da rodada de negócios é uma ação prática nesse sentido, permitindo que nossas produtoras negociem diretamente com compradores de vários países e ampliem seu faturamento por meio das vendas internacionais", declara Lígia Dutra, Superintendente de Relações Internacionais da CNA.

 

Patrocinadores - Entre os patrocinadores do evento estão John Deere (Master), AGCO, Bradesco, Senar|CNA Brasil e Phibro (Top). As empresas que já fecharam as cotas de Apoio são Banco Alfa, Banco do Brasil, Camila Klein, Cargill, Caterpillar, Climatempo Consultoria, FLC Assessoria Jurídica Empresarial, Forquímica, Jacto, Lilla Huck, Otranto Camargo, Malai Manso Resort, Markel, Mosaic, Rabobank, Rituais Cafés Especiais, Safras&Cifras, Sicredi, Souza Cruz, Tortuga|DSM, UPL e Yoorin. Entre as startups estão Agrosmart, Culte Coin, Mapear, Permutagro e Taranis. Também foram firmadas Alianças Estratégicas com ABMRA, Aboissa, BPW, Comigo, Farsul, Mundocoop, NFA (Núcleo Feminino do Agronegócio), Sebrae, SRB (Sociedade Rural Brasileira) e SRM (Sociedade Rural de Maringá).

 

Site - Para participar do 3º Congresso Nacional das Mulheres do Agronegócio e ter acesso ao conteúdo diferenciado, networking e troca de informações basta fazer sua inscrição no site oficial do evento www.mulheresdoagro.com.br, cujas inscrições limitadas já estão abertas com desconto para grupos. Vale lembrar que, em 2017, as inscrições se esgotaram antes do previsto, portanto vale a pena se organizar com antecedência. Mais informações na página do Facebook (http://bit.ly/2B3tOlV) e do Instagram (http://bit.ly/2DcBbNM). (Assessoria de Imprensa do evento)

 

MISSÃO INTERNACIONAL: Chilenos visitam estabelecimentos de aves e de bovinos no Brasil

 

missao internacional 30 08 2018Na próxima sexta-feira (31/08), será realizada reunião final entre autoridades sanitárias do Chile e integrantes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para avaliação de auditorias realizadas pelos chilenos no Brasil. Na semana passada, no Rio Grande do Sul os representantes daquele país visitaram áreas de produção de aves, Unidades Veterinárias Locais (UVL), Serviço Veterinário Estadual e a Secretaria da Agricultura para inspecionar os controles sanitários para a Doença de New Castle.

 

Suspensão - Em julho de 2006, os chilenos suspenderam as compras de cortes de frango dos criadores gaúchos por ter sido registrado foco desta doença no estado. O comércio do produto segue suspenso desde então. A missão chilena poderá autorizar a retomada da exportação. Os inspetores chilenos também visitaram o Laboratório Nacional Agropecuário (Lanagro) de Campinas, que é referência nas análises de doenças que atingem os plantéis de aves.

 

Pará - Os chilenos estão percorrendo também o Pará para verificação dos controles sanitários no estado já reconhecido como livre de febre aftosa com vacinação. O objetivo é habilitar frigoríficos de carne bovina in natura.

 

Pedro Leopoldo - Está prevista a ida de técnicos em fazendas, escritórios do serviço veterinário, além do Lanagro de Pedro Leopoldo (MG) que é referência no diagnóstico da aftosa.

 

Brasil - De 2 a 12 de setembro, outra missão veterinária do Chile estará no Brasil para a renovação e novas habilitações de estabelecimentos produtores de farinhas e produtos gordurosos de origem animal. Nesse período, os auditores percorrerão unidades produtivas no Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina e São Paulo. (Mapa)

 

INFRAESTRUTURA: Coreanos largam na frente em projeto de nova ferrovia no Paraná

 

infraestrutura 30 08 2018A proposta de fazer uma nova ferrovia no Paraná, ligando Dourados, no Mato Grosso do Sul, a Paranaguá, está começando a ganhar forma na prancheta de projetos de diversos grupos internacionais que disputam o negócio. O governo do Paraná anunciou a iniciativa no ano passado e recebeu, até março, os Procedimentos de Manifestação de Interesse (PMIs). Entre os grupos que oficializaram a proposta para realizar os estudos de viabilidade – e serem remunerados só depois da licitação – está uma empresa asiática, que avançou mais nos levantamentos.

 

Entrega - A Pyunghwa Engineering Consultants Ltd. (PEC) é a empresa coreana que conseguiu entregar no prazo combinado oito propostas de traçado e partiu para novas etapas, enquanto grupos americanos, espanhóis e franceses pediram mais tempo. De acordo com Murilo Noronha da Luz, coordenador de concessões e parcerias da Secretaria de Planejamento, nenhum dos quatro consórcios autorizados a fazer os estudos de viabilidade (técnica, ambiental e econômica) desistiu. A expectativa é de que as empresas selecionadas apresentem soluções para construir mil quilômetros de ferrovia, ao custo estimado de R$ 10 bilhões.

 

Alternativas de traçado - Para economizar dinheiro, tempo e trabalho, o governo estadual priorizou as alternativas de traçado da ferrovia, para que os levantamentos topográficos e geotécnicos fossem feitos apenas nos locais previamente aprovados. Já há uma discussão prévia com ambientalistas, principalmente para encontrar as melhores opções para cortar o trecho de Serra do Mar, sobre os pontos mais indicados para a ferrovia.

 

Previsão - A previsão é de que os estudos estejam prontos até o final do ano. Depois disso, começa a fase de avaliação técnica das propostas apresentadas. Pela legislação vigente, o governo estadual não paga pelos estudos. As empresas autorizadas aceitam a proposta, por conta e risco, acreditando que podem apresentar o melhor projeto. O modelo escolhido será usado na licitação – e a empresa vencedora deve remunerar quem fez o projeto, avaliado em R$ 25 milhões.

 

Expectativa - A expectativa é fazer a licitação para a construção da ferrovia no segundo semestre de 2019. Um dos objetivos é diminuir o trânsito de caminhões nas rodovias e também o valor do frete no transporte de cargas. A ideia é construir dois ramais ferroviários: um de Dourados (MS) a Cascavel e outro de Guarapuava a Paranaguá. No meio dos dois trechos há a linha férrea operada pela Ferroeste.

 

Paralela - De Guarapuava a Paranaguá, a nova ferrovia seria paralela à BR-277. O transporte ferroviário no trecho é feito atualmente pela concessionária Rumo, que passaria a ter concorrência. Atualmente, menos de 20% das cargas que chegam ao porto de Paranaguá viajam de trem. Além do alto número de acidentes e do custo elevado para quem paga o frete, a movimentação de veículos pesados danifica o pavimento e prejudica o meio ambiente – com queima de combustíveis e emissão de gases. 

 

Nova Ferroeste - Veja qual será o traçado da extensão da ferrovia, segundo projeto do governo do Paraná:

 

TRECHO 1

Guarapuava-Paranaguá – 400 quilômetros de ferrovia, descendo a serra paralelamente à BR-277. Trecho ficará sob concessão estadual. CONSTRUÇÃO

 

TRECHO 2

Guarapuava-Cascavel – revitalização do trecho de 250 quilômetros já existente. Subconcessão da Ferroeste. REVITALIZAÇÃO

Cascavel-Dourados (MS) – 350 quilômetros de ferrovia. Subconcessão da Ferroeste. CONSTRUÇÃO

Custo total estimado

R$ 10 bilhões

Distância total

1 mil km de trilhos

(Gazeta do Povo)

 

COMBUSTÍVEL: Gasolina vendida nas refinarias está mais cara a partir de hoje

 

combustivel 30 08 2018O preço do litro da gasolina vendida nas refinarias aumenta nesta quinta-feira (30/08) de R$ 2,0829 para R$ 2,1079. Já o preço do diesel permanece estável em R$ 2,0316. O aumento obedece à política de preços da Petrobras para a gasolina e o diesel comercializados com as distribuidoras e que “tem como base o preço de paridade, formado pelas cotações internacionais".

 

Paridade necessária - De acordo com a empresa, a paridade é necessária porque o mercado brasileiro de combustíveis é aberto à livre concorrência, dando às distribuidoras a alternativa de importar os produtos. A Petrobras informa ainda que a gasolina e o diesel comercializados com as distribuidoras diferem dos produtos no posto de combustíveis.

 

Tipo A - “São os combustíveis tipo A, ou seja, gasolina antes da sua combinação com o etanol e diesel também sem adição de biodiesel. Os produtos vendidos nas bombas ao consumidor final são formados a partir do tipo A misturados a biocombustíveis”.

 

Média aritmética - A empresa explica também, em seu site, que “os preços médios informados consideram a média aritmética nacional dos preços à vista, sem encargos e sem tributos, praticados na modalidade de venda padrão nos diversos pontos de fornecimento, que variam ao longo do território nacional, para mais ou para menos em relação à média. Essa variação pode ser de até 12% para gasolina A e até 9% para o diesel A”. (Agência Brasil)

 

ECONOMIA I: Orçamento de 2019 prevê crescimento do PIB de 2,5% e inflação de 4,2%

 

A proposta orçamentária para o próximo ano foi elaborada com a previsão de crescimento de 2,5% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2019 e de inflação de 4,2%, de acordo com fontes credenciadas do governo.

 

Abril - Quando enviou ao Congresso o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO), em abril, a previsão do governo para a expansão econômica no próximo ano era de 3% e a expectativa de inflação era de 4,25%.

 

Igual - As novas previsões oficiais praticamente se igualam às expectativas do mercado. De acordo com o último boletim Focus, editado pelo Banco Central, o mercado estima um crescimento econômico de 2,5% para o próximo ano e uma inflação de 4,12%. Para este ano, a previsão do governo é de crescimento de 1,6%, um pouco acima da do mercado (de 1,47%) e de uma inflação de 4,2%, contra uma expectativa de inflação de 4,12% do mercado. (Valor Econômico)

ECONOMIA II: Taxa de desemprego recua para 12,3% no trimestre encerrado em julho

economia II 30 08 2018A taxa de desocupação no Brasil ficou em 12,3% no trimestre encerrado em julho, de acordo com os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgados nesta quinta-feira, 30, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com isso, a população desempregada é de 12,86 milhões.

Fechamento - Em igual período de 2017, a taxa de desemprego medida pela Pnad Contínua estava em 12,8%. No fechamento do segundo trimestre, o resultado ficou em 12,4%. No trimestre encerrado em abril, a taxa era de 12,9%.

Renda média- A renda média real do trabalhador foi de R$ 2.205 no trimestre terminado em julho. O resultado representa alta de 0,8% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Renda real - A massa de renda real habitual paga aos ocupados somou R$ 197,2 bilhões no trimestre encerrado em julho, alta de 2,0% ante igual período do ano anterior. (O Estado de S.Paulo)

 

RELAÇÕES EXTERNAS: Mercosul perde com oferta agrícola entre UE e EUA

 

A perspectiva de a União Europeia ter de fazer concessões na área agrícola aos Estados Unidos pode tornar os europeus ainda menos dispostos a atender demandas do Mercosul e concluir o acordo de livre-comércio birregional.

 

Negociadores - Essa avaliação de importantes negociadores do Mercosul, antecedendo nova rodada de discussões de 10 a 14 de setembro em Montevidéu, se reforça diante da dinâmica recente de discussões entre a UE e a administração de Donald Trump, conforme o Valor apurou.

 

Surpresa - Ministros do Mercosul foram surpreendidos com uma dura posição do comissário europeu de Agricultura, o irlandês Phil Hogan, em reunião ministerial em Bruxelas, no dia 18 de julho. Hogan disse na reunião que a UE não tinha nova oferta agrícola para o Mercosul, que as concessões eram as feitas em janeiro e reclamou que o bloco do cone sul não ofereceu contrapartida. Depois de meia hora, abandonou a reunião.

 

Postura - Negociadores de Brasil, Argentina e Paraguai não conseguiram entender a postura de Hogan, que sinalizava quase um freio nas barganhas, quando a expectativa era de avanço crucial. Ainda mais depois de o Mercosul dizer ter apresentado elementos que permitiram aos europeus dimensionar o que podiam ganhar em termos de acesso ao mercado para seu setor automotivo, por exemplo.

 

Encontro - Na semana seguinte, o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, encontrou-se com Donald Trump em Washington, onde anunciaram uma trégua na hostilidade comercial bilateral, mais compra de soja e gás americano pelos europeus e a intenção de alcançarem um acordo entre as duas grandes economias.

 

Fora - No dia seguinte, Trump afirmou diante de agricultores americanos: "Acabamos de abrir a Europa para vocês". Em Bruxelas, Juncker desmentiu: "A agricultura está fora". Mas Robert Lighthizer, negociador comercial chefe americano, foi incisivo logo depois: "Nossa visão é de que estamos negociando sobre agricultura, ponto final".

 

Posições contraditórias - Foi no meio dessas posições contraditórias que alguns negociadores do Mercosul passaram a considerar que a UE, já na expectativa do encontro Juncker-Trump, resolveu esperar para ver depois o que oferecer ao bloco do cone sul.

 

Endurecimento - "Pode ser que a UE esteja guardando o mercado agrícola para o caso de os EUA endurecerem mais", diz um participante das negociações. Algumas demandas de Washington por melhor acesso são semelhantes às do Brasil, para carnes, por exemplo.

 

Nova rodada - Nesse cenário, a nova rodada de negociações entre a UE e o Mercosul, em setembro em Montevidéu, é vista com pouco otimismo. Há dúvidas no bloco do cone sul sobre se os europeus vão se engajar às vésperas da altamente incerta eleição presidencial no Brasil, enquanto a Argentina está numa situação econômica extremamente delicada. (Valor Econômico)

EUA I: Crescimento do PIB é revisado para 4,2%

 

eua I 30 08 2018O Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos cresceu à taxa anualizada de 4,2% no segundo trimestre de 2018, em ritmo mais forte que o divulgado anteriormente, de acordo com a segunda estimativa do dado, informada nesta quarta-feira (29/08), pelo Departamento do Comércio.

 

Avanço - A primeira leitura do PIB do segundo trimestre havia sido de avanço de 4,1%. A revisão para cima surpreendeu analistas ouvidos pelo Wall Street Journal, que previam estabilidade, e reflete o investimento empresarial mais forte do que as previsões anteriores, os gastos do consumidor e o fortalecimento das exportações líquidas, que adicionaram 1,17 ponto porcentual à taxa de crescimento do PIB de no trimestre.

 

Comparação - Em comparação com o ano anterior, os lucros com valorização de estoques e ajustes de consumo de capital foram significativamente maiores no segundo trimestre, com aumento de 16,1% no ano. Essa foi a leitura mais forte do ano após ano desde o primeiro trimestre de 2012. (Dow Jones Newswires / O Estado de S.Paulo)

 

 

EUA II: Trump exclui exigência de cota para Brasil, Argentina e Coreia do Sul

 

O presidente americano, Donald Trump, assinou medidas que eliminam as exigências de cotas para as importações de aço e alumínio de alguns países, informou nesta quarta-feira (29/08) o Departamento de Comércio dos Estados Unidos. 

 

Declarações - Trump, que impôs tarifas sobre às importações americanas de aço e alumínio em março, assinou declarações que eliminam as exigências de cotas de aço para o Brasil, a Argentina e a Coreia do Sul e de alumínio para a Argentina, informou o departamento em um comunicado.

 

Solicitações - "As empresas podem solicitar exclusões de produtos com base na quantidade insuficiente ou na qualidade disponível dos produtores de aço ou alumínio dos EUA", afirma o comunicado. "Nesses casos, uma exclusão da cota pode ser concedida e nenhuma tarifa será cobrada." (Valor Econômico, com agências internacionais)

 

OCDE: Comércio mundial encolhe no 2º trimestre, após dois anos de alta

 

ocde 30 08 2018O comércio mundial de mercadorias encolheu no segundo trimestre, após oito trimestres seguidos de crescimento. De acordo com a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), as exportações dos países do G-20 (grupo que reúne as maiores economias desenvolvidas e emergentes) diminuíram 0,6% e as importações 0,9%.

 

Desvalorização - Conforme a entidade, essa queda se explica em parte pela forte desvalorização de algumas moedas em relação ao dólar dos EUA, sobretudo o peso argentino (queda de 18%), da libra turca (-15%) e do real brasileiro (-11%).

 

Contração nas exportações - O Brasil teve a segunda maior contração nas exportações de mercadorias no segundo trimestre, entre as economias do G20, e a terceira maior no caso das importações, segundo a OCDE. O desempenho brasileiro foi prejudicado em parte pela greve dos caminhoneiros ocorrida em maio, que afetou a produção interna e atrasou embarques e desembarques de mercadorias.

 

Queda - Entre abril e junho, as exportações caíram, em relação ao trimestre precedente, na Argentina (-19,9%), no Brasil (-9%), no Reino Unido (-6,9%), na China (-2,8%) e na União Europeia (-1,9%). Mas aumentaram na Arábia Saudita (9,7%), na Índia (5,7%), nos EUA (4,4%), no Canadá (4,4%), na Rússia (1,2%) e na Austrália (1,2%).

 

Importações - Pelo lado das importações, a queda atingiu a maioria das economias do G-20, sobretudo Turquia (-9,4%) e Brasil (-6,5%). As importações só aumentaram na Índia (2,9%), no Canadá (1,4%), no México (1,4%), no Japão (1,2%) e na Indonésia (1,2%).

 

Compensação - Segundo a OCDE, os efeitos da desvalorização das moedas em relação ao dólar foram parcialmente compensados pela alta do preço do petróleo: a cotação de referência do "Dubai Crude" pulou de US$ 64,0 para US$ 71,6 por barril no segundo trimestre em relação ao trimestre precedente. (Valor Econômico)

 


Versão para impressão


RODAPE