Imprimir
CABECALHO

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4392 | 14 de Agosto de 2018

FÓRUM DOS PRESIDENTES: Debate sobre Programa de Educação Política abre a programação do evento

 

forum destaque 14 08 2018O Fórum dos Presidentes das Cooperativas Paranaenses será realizado nos dias 22, 23 e 24 de agosto, em Curitiba. No dia 22, a abertura ocorrerá no auditório do Sistema Ocepar, às 19h, quando será debatido o Programa de Educação Política (parana.coop+10). Nos dias 23 e 24, o evento prossegue com programação paralela ao 6º Fórum de Agricultura da América do Sul, realizado desde 2013 pelo Núcleo de Agronegócio do jornal Gazeta do Povo, com o apoio do Sistema Ocepar. Nesta edição, o tema em debate será “O campo digital e conectado, o grande desafio do século XXI”, com a presença de especialistas brasileiros e de outros países. De acordo com os organizadores, a ideia é tratar sobre as tendências do cenário global, a partir do potencial e perspectivas da América do Sul.

 

Painéis – A programação do Fórum contempla diversos painéis que vão discutir os seguintes temas: Agricultura 4.0 - A tecnologia que alia produção e sustentabilidade; OMC - Geopolítica de potências mundiais desafia comércio internacional; O campo digital e conectado - O grande desafio do século XXI; Tecnologia e inovação - O modelo de inovação de Israel, uma nação agritech; Carnes - Barreiras comerciais e sanitárias na expansão do mercado de carnes; Grãos - Década de protagonismo e liderança na América do Sul; Mercado - Riscos e oportunidades na concentração da produção, do mercado e da exportação; Logística - Além da rodovia, composição multimodal garante competitividade e segurança no escoamento da produção; Campo e cidade - A experiência da relação urbano-rural, o caso uruguaio sobre a consciência agropecuária; Cooperativismo - Surge uma nova economia, a economia da cooperação; Crédito sustentável - Uma produção que cresce alavancada, mas que precisa e regras para continuar; Agroflorestas - O agronegócio de base florestal como contraponto aos desafios ambientais do século XXI; Meio ambiente - Não basta produzir ou preservar, é preciso ser sustentável na preservação e no abastecimento; e Infraestrutura e telecomunicação - No limite da conexão, o campo hi-tech, como conectar o Brasil continental?.

 

Inscrições - As inscrições das lideranças cooperativistas serão apoiadas pelo Sistema Ocepar, e deverão ser efetuadas pelo link: FórumPresidentesOutlook2018. Dúvidas poderão ser esclarecidas com Humberto Cesar Bridi ou Carolina Teodoro, pelos e-mais carolina.teodoro@sistemaocepar.coop.br e humberto.bridi@sistemaocepar.coop.br, ou pelos telefones (41) 3200 1121 e 3200 1134.

Clique aqui para mais informações sobre o Fórum dos Presidentes / Fórum de Agricultura da América do Sul

 

JOVEMCOOP: Visitas técnicas agregaram ainda mais conhecimento aos participantes

A tarde da segunda-feira (13/08) foi de conhecimento técnico para os 180 filhos de cooperados que participam do 27º Encontro da Juventude Cooperativista Paranaense, o Jovemcoop, promovido pelo Sistema Ocepar em Castro (PR). Divididos em grupos, os jovens puderam conhecer duas propriedades e a Unidade de Batatas Semente da Castrolanda. Fazendo o rodízio entre as três localidades, todos puderam visitar, escutar as explicações dos anfitriões, que atenderam e responderam as dúvidas e questionamentos.

Unidade de Batata Semente - Recebidos pelo engenheiro agrônomo Reinaldo Rentz, os jovens percorreram o trajeto da unidade, entendendo sobre os procedimentos das estufas, recepção, seleção, armazenagem em câmara fria e multiplicação das sementes de batata.

 

ARM Genetics - Armando e Silvana Rabbers foram o anfitriões da propriedade e apresentaram todo o plantel. Com 140 vacas da raça Holandesa Preta e Branca e o sistema de ordenha robotizada, aplicado na propriedade.

 

Chácara Marujo - No local, os visitantes puderam conhecer como é feita a produção agrícola e suinocultura, além toda a prática sustentável aplicada na fazenda, com o sistema de biodigestores e o uso do biogás na produção de energia e como combustível. Foram recebidos pelo proprietário Jan Haasjes.

 

Diferencial - Os jovens Felipe Dalmagru e Ana Rafaela Ferreira, da Copacol, relataram que as visitas foram um grande diferencial do Jovemcoop 2018. “É muito importante entender como funciona a cooperativa Castrolanda e ver tudo isso na prática, o sistema de integração e fidelização. O grande diferencial é a qualidade e a forma de trabalho sempre em busca da melhor produtividade.”, relatou Felipe, que há 6 anos participa da liderança jovem na Copacol. Para Ana, a visita foi fundamental para ela saber sobre mais sobre as propriedades da região. “Estou gostando muito, de ver outros ambientes com mais variedades, com mais intensidade na produção”, contou. Mesmo cursando Propaganda e Publicidade, a estudante quer ajudar os pais e fazer parte deste grupo de líderes jovens contribui para isso. “Meu pai ama o que faz. Quero dar todo o apoio que ele precisar”, conclui.

 

Jornal - Na conclusão, os participantes entregaram seus relatos para a produção de um jornal, batizado como Jovemcoop Press, que levarão para casa como o legado deixado pelo encontro deste ano.

 

Festa - Encerrando o dia, os jovens ainda puderam participar de uma festa organizada pela liderança jovem da cooperativa Castrolanda. Marina da Silva Bordin, gerente de Cooperativismo e Desenvolvimento Humano na cooperativa, explicou que a participação do grupo foi ativa e eles que pensaram em todo o evento, propiciando uma integração social, além de toda a parte técnica que presenciaram. Para a gerente, estes movimentos constroem uma rede: “Se os jovens estiverem bem integrados, a educação cooperativista continua”, disse, e demonstrou satisfação com o resultado do Jovemcoop: “Para a Castrolanda, é um grande privilégio participar e organizar. Os jovens daqui se mobilizaram do início ao fim e participaram de toda a criação do encontro. Foram eles que construíram o símbolo, pensando em cada cor e palavra, no cerimonial, e em como apresentar tudo isso ao público.”, relatou.

 

Especial - O segundo dia do encontro da juventude cooperativista começou de forma ainda mais especial, nesta terça-feira (14/08). O presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, falou com os participantes. “Tudo que fizermos hoje aqui, neste momento, num futuro próximo alguns de vocês participarão desta evolução do cooperativismo. Se fizermos um bom trabalho hoje, vamos garantir o futuro do cooperativismo no Paraná”, discursou. Para o presidente, a oportunidade que as lideranças jovens estão vivenciando é de extrema importância. “A oportunidade de ver, a pessoa não esquece mais. Castro é a Capital Nacional do Leite, onde há a melhor tecnologia e organização e as cooperativas são o motor disso tudo, com um cooperativismo integrado, um exemplo para o Brasil como um todo. O jovem, vendo tudo isso, vindo de suas regiões com as experiencias locais que têm, que também são boas, e levando de volta o que há de melhor da região que visita, é maravilho. Ver, você nunca mais esquece”, finalizou Ricken.

 

Palestras - Ainda nesta terça-feira, para fechar o Jovemcoop com chave de ouro, o medalhista olímpico brasileiro, Diego Hypólito palestrará e conversará com os participantes. Além dele, Flávia Fontes, idealizadora do #bebamaisleite.

 

{vsig}2018/noticias/08/14/jovemcoop/{/vsig}

CASTROLANDA: Brinde do Leite abre oficialmente o Agroleite 2018

O Agroleite – um dos eventos mais completos do setor leiteiro do país – iniciou, oficialmente, nesta terça-feira (14/08), às 11h, na Cidade do Leite, em Castro (PR). A solenidade de abertura teve o tradicional brinde com leite e a presença de autoridades do setor, da política e da região. Na abertura do evento, Frans Borg, presidente da Castrolanda, organizadora do Agroleite, destacou a importância do idealismo e perfeccionismo dos produtores da região. “Quando me perguntam por que a região dos Campos Gerais é tão desenvolvida na pecuária, eu respondo que é devido à organização dos produtores, competência e forma de somar. O Agroleite é mais um exemplo dessa união. Produtores, empresas, players unidos podem fazer muito mais: um evento que traga mais resultados para todos nós”, disse.

Produtores - O presidente da Ocepar também parabenizou os produtores da região, que são os responsáveis pela produção de 430 litros de leite por habitante por dia. “Temos a melhor tecnologia, produtividade e o melhor leite do país, isso é fruto da competência, profissionalismo e cooperação”, afirmou José Roberto Ricken.

Expectativa de público - Em cinco dias de evento, o Agroleite tem uma programação extensa e espera receber mais de 62 mil visitantes, número alcançado em 2017, bem como superar a cifra de R$ 55 milhões. O maior objetivo do Agroleite é levar conhecimento aos produtores, por meio de palestras e fóruns técnicos, troca de informações com empresas e expositores do setor. O evento, que ocorre até o dia 18 tem como tema “Capital Nacional do Leite”.

Programação - Para atrair um público maior, o Agroleite 2018 conta com o famoso Torneio Leiteiro, que premiará por volume e aproximação, a Trilha do Leite (voltada para aqueles que querem conhecer todos os detalhes desse setor produtivo) e várias premiações. No Centro de Eventos Pessutão serão realizados fóruns para diversos públicos como jovens e mulheres cooperativistas. Haverá também o Seminário Internacional, com dois painéis: Controle de Carrapatos e as Estratégias Nutricionais para aumentar a imunidade das vacas leiteiras. A programação completa e as inscrições para os fóruns e para o seminário internacional estão em http://www.agroleitecastrolanda.com.br/home.

Desfile de animais - Paralelamente, na pista de julgamento da Arena Agroleite, acontecerá o tradicional desfile de animais, onde serão julgados os melhores exemplares das raças Holandesa e Jersey. Os animais passam por um verdadeiro olhar de raio-x dos juízes. São avaliados quanto a úbere, pernas, abertura de peito, linha dorsal, característica e força leiteira, feminilidade e até os cascos são levados em conta. No dia 18, último dia do evento, no começo da noite, três juízes escolhem aquelas que são as melhores vacas do evento: a Vaca do Futuro e a Campeã Suprema Agroleite 2018. A programação também contempla o julgamento de gado de corte das raças Caracu, Brahman, entre outras, no Parque Dario Macedo.

Troféu Agroleite - Uma das atrações mais aguardadas é a cerimônia de premiação do Troféu Agroleite, entregue desde 2002, e que neste ano acontecerá às 20h do dia 15 de agosto, no Memorial da Imigração Holandesa. O evento contará com a presença de autoridades, personalidades do agronegócio brasileiro, presidentes, diretores e profissionais das empresas nacionais e multinacionais participantes do Agroleite.

Apoios e patrocínios - O Agroleite 2018 tem o apoio institucional da Prefeitura de Castro, Fundação ABC e das Associações das Raças Holandesa e Jersey. É patrocinado na cota Diamante pela Nutron, Tetra Pak, Italac, MSD Saúde Animal e Caixa Econômica Federal. Já a cota Ouro recebe a chancela da DuPont Pioneer, Sicredi, Irrigabrasil, Select Sires, Phibro, Calpar e United Airlines, e na cota Prata conta com o patrocínio do BRDE, Elanco, Atlântica Sementes, Banco do Brasil, Copel Telecom, New Zealand Trade e Enterprise, Ceva, Allflex, Coonagro, PGG Wrightson Seeds, Vallée, Fertilizantes Castrolanda, Brandt e Cescage Genética.

Serviço - O Agroleite 2018 acontece entre os dias 14 a 18 de agosto, sempre das 8h às 18h, na Cidade do Leite, anexa ao Parque de Exposições Dario Macedo, localizado no KM 198 da PR 340 (Estrada de Castro), em Castro, no Paraná. A entrada é gratuita. Mais informações e inscrições no site www.agroleitecastrolanda.com.br. (Assessoria de Imprensa do evento)

{vsig}2018/noticias/08/14/castrolanda/{/vsig}

UNIUM: Espaços exclusivos são apresentado no Agroleite 2018

 

Nesta semana, entre os dias 14 e 18 de agosto, será realizado na cidade de Castro (PR) o Agroleite 2018. Com o tema “Capital Nacional do Leite”, o evento técnico trará o que há de melhor do setor leiteiro, com a participação de 205 empresas de ramos diferenciados. A expectativa para esta edição é superar os números da edição 2017, que reuniu 62 mil pessoas e movimentou R$ 55 milhões.

 

Programação - As atrações presentes na Cidade do Leite e no Parque de Exposições Dario Macedo incluem palestras, fóruns, desfile de animais e estandes. Uma das marcas confirmadas é a Unium - marca institucional das indústrias das cooperativas Frísia, Castrolanda e Capal - que apresentará seus produtos em dois espaços exclusivos: a Casa Alegra e a Casa Colônia Holandesa. 

 

Públicos específicos - O primeiro terá, nos cinco dias de evento, programações agendadas para públicos específicos. Para os cooperados e convidados, a Alegra irá servir um almoço preparado pelo chef Dobis. Já para os clientes, o horário reservado será o do Happy Hour, com coquetel dos produtos da marca; e, durante o horário de visitação, o público poderá conferir os produtos da Alegra, disponíveis para venda no local, além da degustação do presunto defumado, copa e salame italiano fatiados, e dos cortes picanha temperada, inglês, copa lombo e linguiça de bacon. 

 

Degustação - Já na Casa Colônia Holandesa o público poderá conferir os produtos da marca e degustar o leite condensado, o achocolatado e o leite. No espaço também haverá uma área exclusiva para recepcionar clientes e realizar reuniões.

 

Trilha do Leite - Além disso, a novidade desta edição será a Trilha do Leite, promovida pela Naturalle e direcionada para os visitantes que têm interesse em conhecer todos os detalhes desse setor produtivo. Neste espaço, o público terá acesso a pequenas palestras distribuídas em estações técnicas e à trilha do leite, que mostra o processo desde o início da criação da bezerra, até a industrialização da matéria-prima.

 

Sobre a Unium - A Unium é a marca institucional das indústrias das cooperativas Frísia, Castrolanda e Capal e representa os projetos em que as cooperativas paranaenses atuam em parceria. As marcas reunidas pela Unium são reconhecidas pela qualidade e excelência, e entre elas está a Alegra. A Unium também conta com três marcas de lácteos: Naturalle - de produtos livres de aditivos -, Colônia Holandesa e Colaso. No setor de grãos, a Unium conta com a marca Herança Holandesa - farinha de trigo produzida em uma unidade totalmente adequada à ISO 22.000, o que a qualifica com elevados padrões de exigência.

 

Sobre a Alegra Foods - Alegra Foods é a união das cooperativas de origem holandesa, Frísia, Castrolanda e Capal, que constituem o grupo Unium. Uma empresa que combina condições de trabalho ideais aliando tecnologia, equipamentos de última geração, preocupação com o bem-estar dos animais e sustentabilidade em seu parque industrial, sempre primando pela excelência em seu produto final. Em 2017, a marca conquistou o reconhecimento internacional quanto às Práticas de Bem-estar Animal no abate, tornando-se a primeira planta brasileira a receber essa certificação em bem-estar suíno, pela WQS. Mais informações em www.alegrafoods.com.br. (Imprensa Unium)

 

SERVIÇO

Agroleite 2018

Data: De 14 a 18 de agosto de 2018

Horário: 8h às 18h

Local: Parque de Exposições Dario Macedo - Castro (PR)

Entrada gratuita

 

{vsig}2018/noticias/08/14/unium/{/vsig}

FORMAÇÃO: Inscrições para o curso sobre retenções tributárias e EDF-Reinf encerram sexta-feira

O Sistema Ocepar, por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR), promove dias 23 e 24 de agosto, na sede da entidade, em Curitiba, um curso sobre retenções tributárias e EDF-Reinf. A ideia é preparar os profissionais das cooperativas paranaenses sobre a retenção de tributos na fonte, responsabilidades e recolhimentos, envolvendo a contratação de serviços, de acordo com a legislação em vigor. Serão ainda realizadas atividades práticas, para proporcionar aos participantes maior segurança e eficiência no atendimento às exigências legais e obrigações acessórias.

Instrutor – O conteúdo será repassado pelo advogado e professor de Direito Empresarial, Diego Bisi Almada. As inscrições devem ser efetivadas com Andreia Fernandes, pelo e-mail andreia.fernandes@sistemaocepar.coop.br, até sexta-feira (17/08).

formacao 14 08 2018

ENCONTRO FLORESTAL: Frísia e Castrolanda promovem debate sobre demandas e tendências de mercado

As cooperativas Frísia e Castrolanda promovem o Encontro Florestal, no dia 23 de agosto, no auditório Leendert de Geus, em Carambeí (PR), das 14h às 17h. Após a abertura, Rômulo Lisboa, da empresa STCP Engenharia de Projetos Ltda, irá ministrar palestra com o tema “Demanda e tendência do mercado florestal nos Campos Gerais”. Já Paulo Roberto Pupo, da Associação da Indústria de Madeira Processada Mecanicamente (Abimci), abordará as demandas e tendências para o mercado de madeiras processadas mecanicamente. Os interessados em participar devem confirmar presença até sexta-feira (17/08), com Robert, da Frísia, pelo fone 42- 3231 9082, ou com Rodrigo, da Castrolanda, pelo fone 42- 3234 8118.

encontro florestal 14 08 2018    

SICREDI PARQUE DAS ARAUCÁRIAS I: Diagnóstico do semestre é apresentado em seminário

A cooperativa Sicredi Parque das Araucárias PR/SC/SP realizou, no mês de agosto, no auditório da Fadep – Faculdade de Pato Branco (PR), o Seminário de Avaliação do Planejamento 2018. O evento teve como propósito fazer um diagnóstico do primeiro semestre, avaliar e alinhar o planejamento estratégico, direcionar os trabalhos para os próximos meses, buscando cumprir os objetivos traçados para o ano, além de provocar uma reflexão sobre o trabalho desempenhado e as metas a serem alcançadas.

Presenças - Estiveram presentes no evento o presidente Clemente Renosto, o vice-presidente Orlei Roncaglio, o diretor executivo Fabio Vedelago Burille, o diretor de negócios Alex Fabiano Duarte, o diretor de operações Alcimar Gehard além de gerentes e assessores da sede administrativa, gerentes de agência e gerentes administrativo financeiro, gerentes e assistentes de negócios.

Revisão - Durante o seminário, os diretores fizeram uma revisão sobre o conceito de meta, comprometimento e onde queremos chegar, realizaram o direcionamento para o segundo semestre para a área de negócios e apresentaram os projetos a serem realizados no segundo semestre, entre eles a conta digital do Sicredi – Woop, Plano Safra 2018/2019, implantação do uniforme, consultoria Tekoare, nova campanha de recuperação de crédito, informativo externo, projeto com as prefeituras, ampliação dos serviços prestados pela área centralizada na Sede Administrativa, promotores de atendimento, entre outros.

Slogan - Ao final do evento, o diretor executivo fortaleceu a ideia do slogan do Planejamento de 2018: Juntos para fazer a diferença. O objetivo foi despertar nos colaboradores a ideia de fazer diferente para obter resultados diferentes. (Imprensa Sicredi Parque das Araucárias PR/SC/SP)

{vsig}2018/noticias/08/14/sicredi_parque_araucarias/{/vsig}

SICREDI PARQUE DAS ARAUCÁRIAS II: Inaugurada terceira agência em Pato Branco (PR)

A cooperativa Sicredi Parque das Araucárias PR/SC/SP inaugurou, no dia 10 de agosto, sua terceira agência em Pato Branco (PR). A nova agência fica localizada na Avenida Tupi, 1.682, na região central da cidade.

Conceito mais moderno - Com mais de 900m², a nova agência incorpora o projeto desenvolvido pela consultoria Interbrand, que traz um conceito mais moderno. Projetada para criar uma experiência ainda mais cooperativa, com o objetivo principal de posicionar o Sicredi como instituição financeira cooperativa comprometida com a vida financeira dos seus associados e com as regiões onde atua.

Conforto - No ambiente interno, o espaço amplo foi pensado para oferecer conforto, proximidade e interação entre os associados. Logo na entrada, uma área de recepção foi criada para orientar sobre a melhor opção de atendimento. Quem precisar esperar, contará com a área de convivência. No autoatendimento, guarda-volumes estão disponíveis para facilitar a mobilidade dos associados.

Presenças - Estiveram presentes na inauguração o presidente Clemente Renosto, o diretor executivo, Fabio Vedelago Burille, o diretor de negócios, Alex Fabiano Duarte e o diretor de operações, Alcimar Gerhard, além dos assessores e gerentes da cooperativa e autoridades locais.

Receptividade - Para o presidente da Sicredi Parque das Araucárias PR/SC/SP, Clemente Renosto, o crescimento da instituição reflete a grande receptividade da população ao modelo de negócio. “Crescemos porque nossos associados participam ativamente da gestão, independente dos recursos aplicados. Assim, muito além do lucro, nosso principal objetivo é oferecer as soluções financeiras adequadas para cada necessidade e participar do desenvolvimento das comunidades onde atuamos”, ressalta.

Números - Atualmente, a cooperativa conta com mais de 44 mil associados, R$ 611 milhões em recursos totais e R$ 104,1 milhões em patrimônio líquido. Além disso, mais quatro inaugurações estão previstas até o fim do ano: a terceira em Ribeirão Preto (SP), Batatais (SP), além da chegada nas cidades de Sertãozinho (SP) e Água Doce (SC). (Imprensa Sicredi Parque das Araucárias PR/SC/SP)

{vsig}2018/noticias/08/14/sicredi_parque_araucarias_II/{/vsig}

SICREDI UNIÃO: Programa social é lançado em Cruzeiro do Oeste

 

sicredi uniao 14 08 2018Nesta segunda-feira (13/08), a Sicredi União PR/SP, em parceria com a Prefeitura de Cruzeiro do Oeste, fez o lançamento do Programa A União Faz a Vida (PUFV) no município. Entre membros da diretoria da instituição financeira cooperativa e representantes da Secretaria de Educação, o evento reuniu cerca de 150 pessoas na Associação da Prefeitura.

 

Palestra - Além da abertura e apresentação do programa, a programação incluiu uma palestra sobre “Cooperação e cidadania na educação”, ministrada pelo professor e palestrante Júlio Furtado.

 

Protagonismo - Criado há mais de 20 anos pelo Sistema Sicredi, o PUFV é realizado em âmbito nacional e propõe metodologia de ensino que estimula os alunos a serem protagonistas no processo de aprendizagem. Com o programa, a instituição financeira cooperativa busca contribuir com a sociedade por meio da melhoria da qualidade de ensino, já que considera a educação como um importante agente transformador do ser humano. 

 

Abrangência - Para se ter ideia, somente na área de abrangência da Sicredi União PR/SP já são mais de 180 escolas, 3.200 professores e 28 mil alunos atendidos pelo programa. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

 

SICOOB UNICOOB: Parceria com Guaranicard e Cabal resulta em diferencial para cooperados

 

sicoob unicoob 14 08 2018Disponibilizar serviços financeiros de qualidade aliados a comodidade e tecnologia é uma das premissas do Sicoob, que frequentemente inova seu portfólio para atender pessoas físicas e jurídicas, humanizando as relações financeiras.

 

Novidade - A novidade do momento é a emissão do Sicoobcard com bandeira Cabal, que permite o parcelamento em até 12x de compras feitas no Paraguai em estabelecimentos credenciados à maquininha Guaranicard.

 

Ampliação - Pensando em ampliar essa condição para os cooperados das demais singulares da área de atuação do Sicoob Unicoob, e não apenas para moradores de Foz do Iguaçu e região, representantes do Sicoob Três Fronteiras, Sicoob Central Unicoob e GuaraniCard estiveram reunidos, na manhã de quinta-feira (09/08) na Unidade Administrativa da cooperativa para alinhar estratégias de divulgação e abordagem do produto de modo sistêmico.

 

Representantes - Na ocasião, a GuaraniCard estava representada por seu presidente, John Park, e pela gerente de Marketing, Camila da Costa. Pela Central, participou o agente de Negócios, Adilson Domingos. Já representando o Sicoob Três Fronteiras, participaram o diretor de Negócios, José Eduardo Oliveira Pereira, a gerente Regional, Elci Michelon, o supervisor de Análise de Riscos e Limites, Captação e Meios de Pagamento, Gustavo Peri, e a supervisora de Produtos e Serviços, Tayane Ramos.

 

Oportunidade - Segundo José Eduardo, a parceria entre Sicoobcard e Guaranicard viabilizará uma oportunidade a mais aos cooperados. “Essa condição diferenciada de parcelamento torna o cartão ainda mais atrativo para quem gosta de fazer compras no país vizinho”, pontuou.

 

Força e capacidade - “Com essa parceria, o Sicoob mais uma vez mostra sua força e capacidade de oferecer soluções tecnológicas compatíveis com o mercado financeiro, além de fortalecer a marca e atender as necessidades dos cooperados”, destacou Gustavo Peri. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

SICOOB NORTE DO PR: Agência é inaugurada em Guaraci

 

sicoob nort pr 14 08 2018O Sicoob Norte do Paraná inaugura no próximo dia 24 mais uma agência. A unidade, que fica localizada em Guaraci, é a 25ª da cooperativa que tem sede em Londrina. Segundo o diretor Executivo da cooperativa, Emerson Ferrari, Guaraci foi escolhida para receber o novo ponto de atendimento, pois o Sicoob quer ser propulsor do desenvolvimento daquela comunidade. “Por meio do cooperativismo financeiro, seremos a primeira instituição financeira da cidade. Oferecemos taxas mais justas e acessíveis que irão possibilitar que a comunidade cresça ainda mais”, diz.

 

Endereço - O endereço da agência do Sicoob em Guaraci é Av. Morillo Cremasco, 276. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

SICOOB HORIZONTE: Três Lagoas ganha nova agência

 

sicoob horizonte 14 08 2018Na próxima sexta-feira (17/08), o Sicoob Horizonte inaugura sua quinta agência. A nova unidade fica na cidade de Três Lagoas e é a terceira da singular no Mato Grosso do Sul. Com sede em Arapongas (PR), em novembro de 2016 a cooperativa deu início ao seu projeto de expansão no estado e já conta com agências em Campo Grande e Dourados.

 

Fortalecimento - Segundo o diretor-presidente do Sicoob Central Unicoob, Marino Delgado, a presença da singular no Mato Grosso do Sul tem colaborado para o fortalecimento do cooperativismo e fomentado a economia regional ao proporcionar alguns facilitadores para os cooperados. “Oferecemos os mesmos produtos e serviços que os bancos convencionais, porém com taxas reduzidas e mais vantajosas”, explica.

 

Próximos passos - Ele comenta ainda sobre os próximos passos do projeto de expansão do Sicoob Horizonte no estado. “Estamos muito felizes por mais essa conquista. Já temos planos para inaugurar uma agência em Corumbá ainda este ano e em outras cidades no ano que vem”, complementa.

 

Endereço - O endereço da nova agência do Sicoob Horizonte em Três Lagoas é Av. Capitão Olinto Mancini, 1085. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

SICOOB METROPOLITANO: Realizado treinamento sobre previdência

 

sicoob metropolitano 14 08 2018O Sicoob Metropolitano realizou, no último dia 2, um treinamento sobre previdência para tratar das alterações que ocorreram no Sicoob Previ nos últimos meses e mostrar a importância do produto para o futuro dos cooperados.

 

Instrutor - O curso foi ministrado pelo consultor de Negócios do Bancoob, Victor de Freitas Silva. Como principal assunto, ele destacou os diferenciais do Sicoob Previ e fez uma comparação com os produtos similares disponíveis no mercado.

 

Oportunidades e necessidades - Segundo a gerente de Produtos e Serviços de Mercado, Maristela Carvalho Pereira de Oliveira, o treinamento é importante para saber negociar e entender qual o plano de previdência mais adequado para cada cooperado. “É preciso identificar oportunidades e as necessidades dos associados”, destaca.

 

Atualização - Para o assistente de PA, Matheus Fernandes Manchope, é de extrema importância que as equipes se mantenham atualizadas sobre os produtos comercializados pela cooperativa, já que constantemente ocorrem mudanças. “Com isso, a qualidade no atendimento e comercialização aumenta, visto que o mercado está cada vez mais competitivo”, afirma.

 

Sucesso - Ele ainda explica que ter conhecimento do produto é fundamental para obter sucesso na comercialização. “É preciso passar segurança ao cooperado sobre o produto na hora da venda. Se for possível perceber que o colaborador não possui domínio sobre o assunto, o associado pode desistir da negociação”, diz. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

COPAGRIL: Acadêmicos acompanham testes de germinação de sementes

 

A semana começou com plenas atividades para os acadêmicos do curso de Agronomia da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), que na manhã desta segunda-feira (13/08) realizaram uma visita técnica à Copagril, em Marechal Cândido Rondon. De acordo com o encarregado pelo Setor Agronômico da cooperativa, Paulo Brunetto, a turma do 4º ano teve o objetivo de acompanhar a realização de testes de germinação de sementes de soja, a fim de verificar de que forma eles são feitos pela empresa. “A Copagril desenvolve os testes para averiguar a qualidade da germinação das sementes dos nossos fornecedores antes de disponibilizá-las para os nossos cooperados. Esse é um trabalho muito importante para os nossos associados, assim como para a agricultura, por isso é uma grande satisfação receber os acadêmicos aqui na cooperativa”, enfatiza Brunetto.

 

Companhia - Os alunos estiveram acompanhados da professora da disciplina de “Tecnologia da Produção de Sementes”, Daniele Guarienti Rorato, e também da laboratorista técnica responsável pelo Laboratório da Unioeste, Neuza Michelon Hezog. 

 

Conhecimento - Conforme a docente da Unioeste, a visita técnica é uma possibilidade de complementar o processo de ensino-aprendizagem dos acadêmicos da Universidade. “Dessa maneira eles têm a oportunidade de confrontar os conteúdos teóricos com a prática realizada na rotina da cooperativa, como forma de consolidação do conhecimento, além deles terem condições de visualizarem como é o trabalho dos profissionais, que um dia eles serão”, salienta Daniele.

 

Recepção - Os estudantes foram recepcionados no auditório da Unidade Industrial de Rações da Copagril, e posteriormente, acompanhados pela engenheira agrônoma da Copagril responsável pela qualidade das sementes, Thais Lengert, conheceram armazéns, o laboratório de sementes e a Estação Experimental, onde as sementes são cultivadas nos canteiros de testes.

 

Como são os testes - Os testes de germinação são realizados pela Copagril com sementes de soja, trigo e aveia. A partir de coleta de amostras, as sementes são levadas ao laboratório da cooperativa, depositadas em papel umedecido e guardadas em estufas, onde permanecem com temperatura controlada. A mesma quantidade de sementes é semeada no solo em canteiros de teste para germinarem em condições de campo. O resultado final deve ser com índice de germinação mínima de 80% para que a semente seja liberada para os produtores que obtêm insumos com a Copagril. 

 

Portas abertas - “A Copagril está de portas abertas para receber os estudantes e agradece pela oportunidade em contribuir com a formação daqueles que serão futuros engenheiros agrônomos em atuação no mercado de trabalho”, conclui Brunetto. (Imprensa Copagril)

 

{vsig}2018/noticias/08/14/copagril/{/vsig}

UNIMED LONDRINA: Cooperativa é palco do lançamento da 16º edição do Londrina Matsuri

 

unimed londrina 14 08 2018Na quinta-feira (16/08), a Unimed Londrina será palco do lançamento da 16ª edição do Londrina Matsuri. O evento será às 08h, no auditório da sede administrativa (Av. Ayrton Senna, 1065). Estarão presentes no lançamento patrocinadores, apoiadores, parceiros, autoridades, imprensa e integrantes do Grupo Sansey. 

 

Evento tradicional - Com o intuito de promover e preservar os hábitos e costumes orientais, além de propor integração com a comunidade japonesa, o Londrina Matsuri é um dos eventos mais tradicionais da cidade. A programação é destinada para pessoas de todas as idades e conta com atrações gastronômicas, artísticas e musicais.

 

Festa - A festa começa no dia 06 de setembro e vai até o dia 09, no Parque Ney Braga. O valor do ingresso é de R$ 8,00, sendo R$ 4,00 a meia-entrada, e estão à venda nas farmácias da rede Drogamais.

 

Promoção - O Londrina Matsuri é promovido pelo Grupo Sansey, patrocinado pela Itaipu Binacional, Copel, Sanepar, Unimed Londrina, Boulevard Londrina Shopping, Disfranco, Midiograf e Drogamais, e apoiado pela Prefeitura Municipal de Londrina, Sociedade Rural do Paraná, Sesi, Senai, Fiep, Sesc/Fecomércio, Emater e UEL. (Imprensa Unimed Londrina)

 

GRÃOS: Soja avança no campo paulista

 

graos 14 08 2018Quem transita pelas rodovias paulistas está acostumado a passar por quilômetros e quilômetros de lavouras de cana. Mas esse cenário uniforme dá sinais de mudança. Com a remuneração em baixa, a cana vem cedendo espaço para uma cultura mais rentável: a soja.

 

Rentabilidade - "Quem manda é a rentabilidade", diz Gustavo Chavaglia, presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Soja de São Paulo (Aprosoja-SP), que planta as duas culturas no Estado. Na última safra (2017/18), concluída em junho, a rentabilidade média da soja paulista foi de 41,2%, acima da média histórica (de 25% a 30%) e da média nacional de 40,8%, de acordo com cálculos da Céleres. A receita operacional média do grão no Estado foi de R$ 3.992 por hectare, conforme a consultoria.

 

Receita da cana - Já a receita média da cana foi de R$ 5.887 por hectare no Estado no ciclo sucroalcooleiro 2017/18, encerrado em março, segundo cálculo baseado em dados do Conselho dos Produtores de Cana de Açúcar, Açúcar e Etanol do Estado de São Paulo (Consecana) e da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica).

 

Custos - Apesar dessa receita mais atrativa, os custos para manter os canaviais são mais elevados, o que reduz a rentabilidade. De acordo com a Organização de Plantadores de Cana (Orplana), esses custos superaram em 15% a receita já na safra 2016/17.

 

Defasagem - E a defasagem deve ter crescido na temporada passado, afirma Celso Albano, gestor executivo da Orplana.

 

Avanço - Com custo menor e margem positiva, a soja, que no fim da década passada ocupava pouco mais de 500 mil hectares em São Paulo, se espalhou por quase 1 milhão de hectares em 2017/18, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), e boa parte desse avanço se deu em áreas antes cultivadas com cana.

 

Opção - Em geral, os produtores que estão optando por essa migração são aqueles prejudicados por atrasos de pagamento ou pelo fechamento de usinas, diz Manoel Ortolan, presidente da Cooperativa dos Plantadores de Cana do Oeste do Estado de São Paulo (Copercana). Neste ciclo de 2018/19, mais seis usinas, que ainda estavam em atividade na safra passada, até agora estão fechadas. "Uma usina é como uma ilha: só pode ter cana em volta se existir uma usina no meio. A soja, por sua vez precisa apenas de um armazém", diz Chavaglia.

 

Região de Araçatuba - Um movimento de substituição praticamente total da cana por soja está em curso na região de Araçatuba, ocupada há relativamente pouco tempo com canaviais em comparação com o histórico centenário de outras áreas do Estado.

 

2017 - Em 2017, quando a colheita de cana terminou, produtores tiraram as soqueiras de uma área de 1,4 mil hectares na região e abandonaram a cultura, diz Fernando Girardi, presidente da Associação dos Produtores de Cana de Araçatuba (APCA). "Eles plantaram milho safrinha e agora estão plantando soja", afirma.

 

Ponderação - Atraídos por retornos mais rápidos, os produtores de Guariba também estão ponderando se não vale à pena semear soja no lugar da cana, de acordo com Bruno Rangel, presidente da Associação dos Fornecedores de Cana de Guariba (Socicana).

 

Situação difícil - "A cana vem passando por uma situação difícil, então a tendência é ir diversificando ao longo do tempo", afirma Valdomiro Calon, produtor da região de Jaú. Ele semeia soja e tem um confinamento de bois. E reforça que consegue se dedicar à oleaginosa, sem manter áreas de cana, porque construiu um armazém.

 

Renovação dos canaviais - Mas o avanço da soja em São Paulo não está atrelado apenas à perda de rentabilidade da cana. O grão tem ganhado espaço também na renovação de canaviais. A cada cinco ou seis anos, os canavieiros precisam retirar os pés de cana da terra para recuperar a produtividade da área.

 

Replantio - Antes do replantio, costuma-se plantar uma leguminosa, que beneficia o solo para o próximo ciclo de cana. Em geral, o amendoim é a leguminosa que cumpre esse papel, mas muitos produtores já estão preferindo a soja.

 

Fornecedora - A NovAmérica, uma das maiores fornecedoras de cana para usinas em São Paulo, já planta soja e milho na área de 8 mil a 9 mil hectares que destina todo ano para reformar áreas de cana. "Comecei a usar soja na área de transição e fiquei encantado", diz Roberto Rezende, presidente da companhia.

 

Arrendamento - Também há usinas que oferecem aos fornecedores áreas para a renovação de canavial. "O produtor ganha porque não está pagando o arrendamento, e a usina ganha porque a soja fixa nitrogênio no solo, favorecendo a cana", explica Cleverton Santana, gerente de levantamento e avaliação de safras da Conab.

 

Incentivo - De acordo com Valdomiro Calon, de Jaú, muitas usinas na região, como a Raízen, têm incentivado o plantio de soja na renovação de canavial. "A Raízen já falou que está dando preferência para a soja no lugar do amendoim. Porque o amendoim deixa uma doença que transmite para cana, e a soja não".

 

Oferta - Segundo ele, a empresa ofereceu 5 mil hectares para produtores da região semearem soja e renovarem o canavial.

 

Confirmação - Procurada, a Raízen confirmou que incentiva a rotação de culturas para recuperação do solo. Por ter armazém e ter parceria com a Cargill, Calon tem recebido mais soja dessas expansões de área. "Na safra 2017/18, recebi 30% a mais. Este ano, foram quase 300 mil sacas", afirma o produtor. (Valor Econômico)

 

COMÉRCIO EXTERIOR: Balança comercial registra déficit na segunda semana de agosto

 

comercio exterior 14 08 2018A balança comercial brasileira registrou déficit de US$ 277 milhões na segunda semana de agosto, informou nesta segunda-feira (13/08) o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Foram registradas no período exportações de US$ 3,444 milhões e importações de US$ 3,721. 

 

Média das exportações - A média das exportações da segunda semana do mês chegou a US$ 688,8 milhões, 12,8% abaixo da registrada na primeira semana (US$ 789,9 milhões), em razão da queda nas exportações de semimanufaturados (-35,2%), por conta de celulose, açúcar em bruto e ouro em formas semimanufaturadas.

 

Produtos básicos - Também caíram, nesse comparativo, as vendas externas de produtos básicos (-11,0%), principalmente de petróleo em bruto, carnes bovina e de frango e café em grãos, e de manufaturados (-8,4%), em razão de etanol, motores para automóveis e tubos flexíveis de ferro e aço.

 

Importações - Já as importações registraram aumento de 8,8% da primeira para segunda semana de agosto. Houve aumento nos gastos com combustíveis e lubrificantes, farmacêuticos, equipamentos elétricos e eletrônico.

 

Acumulado do mês - No acumulado do mês, as exportações somam US$ 5,814 bilhões e as importações, US$ 5,773 bilhões, com saldo positivo de US$ 41 milhões. No ano, o saldo é positivo em US$ 34,077 bilhões, com exportações de US$ 142,274 bilhões e importações de US$ 108,197 bilhões.

 

Comparativo - Na comparação com o mesmo período do ano passado, as exportações na segunda semana de agosto caíram 14,2% no geral, em razão da diminuição na venda de produtos semimanufaturados, como ferro, aço, açúcar em bruto, ferro-ligas, couros e peles, manteiga, gordura e óleo de cacau, que totalizaram retração de 30,3% (de US$ 121,4 milhões para US$ 84,6 milhões); manufaturados, que registrou queda de 18,6%, passando de de US$ 315,8 milhões para US$ 257,0 milhões, por conta de aviões, automóveis de passageiros, açúcar refinado, óxidos e hidróxidos de alumínio, máquinas e aparelhos para terraplanagem, veículos de carga.

 

Básicos - As vendas de básicos, como milho em grãos, carnes suína, bovina e de frango, café em grãos, minério de cobre e algodão bruto caíram 2,9%, de US$ 390,2 milhões para US$ 378,9 milhões.

 

Média diária - Nas importações, a média diária até a segunda semana deste mês ficou em US$ 721,7 milhões, 19,6% acima da média de agosto do ano passado (US$ 603,4 milhões). Nesse comparativo, cresceram os gastos, principalmente, com químicos orgânicos e inorgânicos (32,8%), combustíveis e lubrificantes (32,3%), veículos automóveis e partes (25,2%), equipamentos mecânicos (17,2%) e equipamentos eletroeletrônicos (13,6%). (Agência Brasil)

 

COMBUSTÍVEIS: ANP prepara mudanças na divulgação de preços

 

combustiveis 14 08 2018A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) espera apresentar até o fim do mês a minuta de uma nova resolução para aumentar a transparência na variação dos preços de derivados do petróleo no Brasil. Segundo o diretor-geral da ANP, Décio Oddone, entre as medidas estudadas está a proibição da antecipação dos reajustes. As alterações passariam a ser divulgadas necessariamente em tempo real.

 

Periodicidade - Além disso, a ideia é não permitir que as empresas fixem uma periodicidade para divulgação dos preços e determinar que os dados sejam divulgados para cada ponto de venda. A proposta deverá ser submetida a uma consulta pública antes de ser aprovada pelo órgão. A expectativa é de que todo o processo seja concluído até o final de setembro, quando as regras definidas passariam a vigorar.

 

Regras - Segundo Oddone, a resolução deverá trazer regras para os variados agentes da cadeia produtiva do setor do petróleo, incluindo produtores, distribuidores, importadores, postos de combustível. "Havendo maior transparência, a sociedade aceita melhor a variação de preços", avaliou o diretor-geral, em evento realizado nesta segunda-feira (13/08) pelo Grupo Lide, uma organização privada que reúne líderes do setor empresarial.

 

Periodicidade mínima - No mês passado, a ANP já havia anunciado que não pretende adotar nenhuma medida que estabeleça uma periodicidade mínima para os reajustes dos preços dos combustíveis. A decisão baseou-se nos resultados de uma Tomada Pública de Contribuições (TCP) que recebeu 146 manifestações. Segundo Oddone, a avaliação técnica das colaborações apontou que a periodicidade mínima não seria uma medida recomendável. Os resultados da TCP teriam apontado outros caminhos que estão sendo considerados na elaboração da minuta.

 

Adaptação - Se essas propostas forem adiante e se converterem em resolução, a página virtual da Petrobras precisará ser adaptada. Atualmente, a estatal fornece o reajuste médio que será praticado no dia seguinte. "Se essas medidas prevalecerem, os preços praticados terão que ser divulgados instantaneamente no momento de suas mudanças. Não mais antecipadamente. E a Petrobras, que hoje publica uma média aritmética dos preços praticados no Brasil, terá que publicar os preços de cada um dos pontos de venda", explica Oddone. Em sua avaliação, as medidas garantiriam mais transparência e competição, o que beneficia o consumidor. 

 

Portaria - O Ministério de Minas e Energia (MME) publicou nesta segunda, no Diário Oficial da União, uma portaria criando um novo grupo de trabalho para discutir as diretrizes gerais para a nova política de comercialização de petróleo, de gás natural. De acordo com a portaria, o grupo será responsável por debater, além da política do setor de petróleo e gás natural, também as diretrizes para a comercialização de outros hidrocarbonetos fluidos que couberem à União.

 

Baixo carbono - Oddone também defendeu a aceleração na exploração e produção de petróleo no Brasil. Segundo ele, a mudança para uma economia de baixo carbono é um dado real. De acordo com o diretor-geral da ANP, a matriz energética vai ficar cada vez mais diversificada. Nesse contexto, ele vê a necessidade de se explorar as reservas brasileiras de petróleo enquanto elas ainda têm valor, gerando assim riqueza para o país. "Não há mais tempo a perder. Vai sobrar petróleo embaixo da terra quando a era da economia baseada no petróleo acabar. Tomara que não sobre no Brasil".

 

Licenciamento - Nesta avaliação, o ciclo longo da indústria e a demora no processo de licenciamento estariam entre os desafios a serem enfrentados. Conforme estimativa apresentada por Oddone, um contrato para exploração do pré-sal que vier a ser assinado em 2020 só se converterá em uma produção de fato por volta de 2028. Oddone se diz ainda favorável à abertura para que cada vez mais empresas estrangeiras atuem não apenas na produção, mas também no refino realizado no país.

 

Estudo - Um estudo realizado pela ANP e citado durante a palestra apontou que toda o setor de óleo e gás, incluindo as indústrias de biocombustíveis e fertilizantes, tem potencial para atrair investimentos no país da ordem de R$ 2,5 trilhões em 10 anos, o que daria em média R$ 250 bilhões por ano. "Isso está muito além da capacidade de investimento de uma única companhia. Precisamos ter no Brasil muitas empresas investindo", finalizou Oddone. (Agência Brasil)

 

INFRAESTRUTURA: Temer adia mais uma vez decreto de relicitação de rodovia

 

infraestrutura 14 08 2018Sem esconder seu desconforto com as investigações em torno do Decreto dos Portos, em que é suspeito de haver beneficiado a concessionária Rodrimar, o presidente Michel Temer abriu nesta segunda-feira (13/08), à imprensa reunião de trabalho com ministros, técnicos e representantes do setor privado sobre o Decreto da Relicitação, que pode beneficiar concessionárias de rodovias, aeroportos e ferrovias com as contas desequilibradas.

 

Procedimentos investigativos - “Muitas vezes verifico que decretos por mim assinados, que foram objetos dessas preliminares todas (reuniões registradas em ata), das quais tomo conhecimento apenas no dia, o que se alega é que o presidente da República quis beneficiar uma ou outra empresa”, comentou, ao abrir a reunião. “Isso gera procedimentos investigativos que alcançam cinco mil, seis mil páginas para revelar o óbvio, que se deu um processo para chegar ao Presidente da República.”

 

Transmissão - Ele explicou que pediu para que a reunião fosse transmitida pela TV para deixar clara a motivação do governo, caso a medida seja adotada. “Queremos mostrar fatos, e não um desejo ilícito, não transparente.”

 

Aguardado - O Decreto da Relicitação é aguardado pelo setor privado há um ano e dois meses. De tão prometido para breve e em seguida adiado, ele ganhou o apelido de “decreto da semana que vem”. E a história se repetiu: mesmo se dizendo “pré-convencido”, Temer disse que analisaria o texto ao longo dos próximos dias.

 

Receptividade - Segundo fontes, o objetivo da reunião foi testar a receptividade ao decreto pela opinião pública e também por órgãos como o Ministério Público e o Tribunal de Contas da União (TCU). “A mim me parece uma péssima saída”, disse o procurador do Ministério Público junto ao TCU Júlio Marcelo de Oliveira. “Ela incentiva a irresponsabilidade das empresas no momento da licitação. Desmoraliza o modelo de concessões brasileiro.”

 

Assinatura - No extremo oposto, o presidente da Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR), César Borges, que esteve na reunião com Temer, disse ao Estado esperar que o decreto seja de fato assinado nos próximos dias.

 

Mecanismo - A relicitação é o mecanismo que permite às concessionárias em infraestrutura devolver os empreendimentos ao governo para que sejam novamente leiloados. Até que passe para outro grupo privado, a antiga concessionária continua à frente do negócio, mas com um nível menor de exigências.

 

Alternativa mais benéfica - É uma alternativa tida como mais benéfica ao usuário do que o caminho tradicional, que é a caducidade. Nela, o governo federal retoma o negócio e tem a obrigação de administrá-lo, o que gera novas despesas num orçamento apertado.

 

MP - Esse mecanismo foi criado por meio de uma Medida Provisória (MP) editada em novembro de 2016 e convertida na Lei 13.448 em junho de 2017. Desde então, aguarda um decreto para ser colocado em prática. A demora era explicada, nos bastidores, pelas investigações em torno do Decreto dos Portos.

 

Possibilidade - Já há duas candidatas ao processo: a Via 040, que opera um trecho de 936,8 km da BR-040 entre o Distrito Federal e Juiz de Fora (MG), e a Rodovia do Aço, que administra 200 km da BR-293 no Rio de Janeiro, desde a divisa com Minas Gerais até o entroncamento com a Via Dutra.

 

Desequilíbrios - O vice-presidente de Rodovias da Invepar, que controla a Via 040, Túlio Abi-saber, disse que “situações imprevisíveis” geraram os desequilíbrios nas concessões de rodovias e que a relicitação é uma “saída benéfica para o Estado brasileiro e para o usuário”, pois possibilita uma devolução amigável de forma célere. A Acciona, que detém a concessão da Rodovia do Aço, informou que protocolou seu pedido de relicitação no dia 11 de abril. “A equação, considerando as atuais tarifas e os custos de manutenção e investimento, tornou-se inviável, obrigando a Acciona a tomar a decisão de entregar a concessão.”  (O Estado de S.Paulo)

 

BNDES: Lucro líquido do banco no primeiro semestre tem crescimento de 253,9%

 

bndes 14 08 2018O BNDES registrou no primeiro semestre deste ano o lucro líquido de R$ 4,76 bilhões. O resultado, que é o melhor desde 2014 para os primeiros seis meses do ano, representa uma variação de 253,9% na comparação com o mesmo período de 2017, quando registrou R$ 1,34 bilhões. No segundo trimestre de 2018, o BNDES alcançou lucro de R$ 2,69 milhões.

 

Composição - O presidente do banco, Dyogo Oliveira, disse o resultado do semestre vem de “uma composição salutar de diferentes áreas do banco”: a intermediação financeira, que ficou em R$ 6,5 bilhões; o resultado bruto com participações societárias da instituição, com R$ 4,1 bilhões; e a redução de R$ 4,69 bilhões da despesa com provisão para risco de crédito.

 

Inadimplência - A inadimplência do banco acima de 90 dias apresentou queda no período, saindo de 2,08% em dezembro para 1,45% em junho de 2018. O presidente destacou que o patamar é menor que a média do sistema financeiro nacional, que está um pouco acima de 3%.

 

Resultado - Oliveira ressaltou que, excluída a inadimplência do estado do Rio de Janeiro com a instituição, o resultado desse item do BNDES seria de 0,18%. “Essa inadimplência do Rio de Janeiro é garantida pelo Tesouro, então, não é de fato que essas operações estejam inadimplentes com o banco. O Tesouro está honrando o pagamento das operações”, completou. Segundo o presidente, conforme a regulamentação desta área, a inadimplência do RJ precisa ser incluída neste item do balanço do BNDES, ainda que seja garantida pelo Tesouro.

 

Primeiro semestre - No primeiro semestre, o total de ativos caiu de R$ 867 bilhões em dezembro de 2017 para R$ 834 bilhões em junho deste ano. De acordo com o presidente do BNDES, isso ocorreu por causa do pagamento de R$ 60 bilhões ao Tesouro Nacional.

 

Ativo - “A medida que formos pagando ao Tesouro Nacional, o ativo do banco vai se reduzindo, o que não significa uma piora dos indicadores financeiros, que estão muito bem em termos de regulamentação”, disse. Segundo Oliveira, no segundo semestre, a instituição pagará mais R$ 70 bilhões ao Tesouro Nacional.

 

Previsão Para o segundo semestre, Oliveira estimou perspectivas boas para a instituição. “Boas porque acreditamos que o provisionamento para risco de crédito continuará baixo no segundo semestre. Estamos fazendo um grande esforço de redução de tempo para contratação de operações dentro do banco, desburocratizando as áreas, e isso deve resultar em volume maior de desembolsos em contratações ao longo do ano.

 

Bndespar Também no primeiro semestre, a subsidiária integral de participações do BNDES, a BNDESPar, teve lucro líquido ajustado pelos ganhos com alienações de R$ 3,81 bilhões. O valor representa alta de 204,7%, na comparação com o mesmo período de 2017. Naquele momento, o lucro atingiu R$ 1,25 bilhão. Segundo o banco, a elevação está relacionada ao resultado com alienações de participações societárias de R$ 4,1 bilhões nos seis primeiros meses deste ano, enquanto, de janeiro a junho de 2017, tinham alcançado R$ 1,23 bilhão.

 

Desinvestimentos - A alienação de ações da Petrobras e a integralidade das ações da Eletropaulo representam os principais desinvestimentos realizados pela Bndespar. Juntas responderam por 97% do resultado com alienações. Com esta operação, o percentual de participação da BNDESPar no capital total da Petrobras ficou em 8,37%. O percentual sobe para 15,24% se for considerada a participação total das empresas do Sistema BNDES. (Agência Brasil)

 

SERVIÇOS: Setor tem avanço recorde em junho, aponta IBGE

Passados os efeitos da greve de caminhoneiros, o volume de serviços prestados no país avançou 6,6% em junho, na comparação com maio pela série com ajuste sazonal, de acordo com a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O avanço de junho é o maior da série histórica da pesquisa, iniciada em janeiro de 2011.

Resultado - O resultado ocorre após uma retração de 5% em maio, na comparação com abril - dado revisado de uma queda de 3,8% divulgada anteriormente.

Comparação - Na comparação com junho do ano passado, o volume de serviços subiu 0,9%. Com isso, o setor acumula perda de 0,9% no primeiro semestre, frente ao mesmo período de 2017. No acumulado de 12 meses, registra queda de 1,2%.

Receita - O IBGE também informou que a receita nominal de serviços - que não desconta a inflação - subiu 6,4% em junho, na comparação com o mês imediatamente anterior, após o ajuste sazonal. Quando comparado ao mesmo mês de 2017, houve alta de 2,9% no indicador. No acumulado de janeiro a junho, as receitas de serviços sobem 1,4%. Em 12 meses, a taxa acumulada por esse indicador é positiva em 2,4%. (Valor Econômico)


Versão para impressão


RODAPE