Imprimir
CABECALHO

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4371 | 16 de Julho de 2018

PARANÁ.COOP+10: Programa de Educação Política promove primeira capacitação de agentes

Tem início, nesta terça-feira (17/07), a primeira capacitação do Programa de Educação Política parana.coop+10, lançado pelo Sistema Ocepar em junho, em Carambeí, na região paranaense dos Campos Gerais. A ideia é preparar os agentes das cooperativas a construir e administrar redes sociais com foco na educação política, visando sensibilizar as pessoas para o voto consciente e responsável nas próximas eleições. A formação ocorre no auditório da Ocepar, em Curitiba, e se estende até quarta-feira (18/07).

Programação – No primeiro dia, o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, fará a apresentação do Programa, juntamente com a gerente de Relações Institucionais da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Fabíola Nader. Na sequência, o reitor da Universidade Positivo, José Pio Martins, ministra palestra sobre o cenário econômico e político nacional. O professor e diretor do Instituto Datacenso, Cláudio Shimoyama, falará sobre marketing político e pesquisa eleitoral, seguido do especialista em Neuromarketing, Marcelo Peruzzo, que abordará o tema neuromarketing digital. No segundo dia, Fabíola Nader tratará das mudanças ocorridas na legislação eleitoral. O presidente da Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop), deputado Osmar Serraglio, vai discorrer sobre a importância da representação política e o professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Tomas Sparano, sobre a estruturação e coordenação de redes sociais.

Inscrições – As inscrições ao evento devem ser efetuadas com Neuza Oliveira (neuza.oliveira@sistemaocepar.coop.br / 41 3200 1105).

parana coop folder 16 07 2018

FORMAÇÃO: Curso de atualização contábil tributária em ICMS continua com inscrições abertas

 

formacao II destaque 16 07 2018Estão abertas, até o dia 23 de julho, as inscrições para o curso de atualização contábil tributária em ICMS, destinado a contadores das cooperativas paranaenses, que será realizado nos dias 25 e 26 de julho, das 8h às 17h, no auditório do Sistema Ocepar, em Curitiba. A formação vai tratar sobre o cumprimento das obrigações principal e acessórias dispostas no Regulamento do ICMS do Estado do Paraná, por meio do Decreto nº 7.871, de 29 de setembro de 2017. Também abordará as recentes alterações ocorridas no Regime de Substituição Tributária do ICMS e orientar sobre a correta escrituração contábil para o SPED (Sistema Público de Escrituração Digital).

 

Instrutora – A instrutora será Graziela Cristina da Silva Borges Machado, que é mestre em Direito Empresarial e Cidadania, bacharel em Administração de Empresas e em Direito e pós-graduada em Direito Tributário. Os interessados em participar do curso devem efetivar as inscrições com o agente de Desenvolvimento Humano da cooperativa ou pelo e-mail sandra.silva@sistemaocepar.coop.br. Mais informações com Rogério Croscato pelo fone (41) 3200 1187.

 

formacao II folder 16 07 2018

 

Dia C I: X-Solidário supera expectativas e arrecada R$ 155 mil

 

A diretoria da Copacol, do Sicoob e da Coopercaf realizaram na sexta-feira (13/07), a entrega dos valores arrecadados com a venda do X-Solidário, que foi organizado em prol das instituições Uopeccan (União Oeste Paranaense de Combate ao Câncer) e Casa Dona Vani. 

 

Mobilização - A ação diferenciada e inédita em alusão ao Dia C, Dia de Cooperar, mobilizou um grande número de pessoas da região, todos em busca de um mesmo objetivo, a venda do X-Solidário, em prol da solidariedade.

 

Arrecadação - Ao todo foram vendidos 16.080 lanches na região, com a arrecadação de R$ 155 mil líquidos, que foram destinados o valor de R$ 135 mil para a Uopeccan e R$ 20 mil para a Casa da Dona Vani. 

 

Diferença - Segundo o presidente da Copacol, Valter Pitol, todas as pessoas que participaram da organização, os que compraram e colaboraram para o sucesso que foi a ação estão de parabéns e fizeram a diferença na vida de muitas pessoas, que dependem destas instituições. 

 

Harmonia e dedicação - O presidente do Conselho de Administração do Sicoob Médio Oeste, Edson de Oliveira Pereira, destacou a que harmonia e a dedicação dos voluntários e organizadores das cooperativas, foram fundamentais para o sucesso desta ação. 

 

Expectativas superadas. - Para o responsável do Buffet Portal, Wanderley Candido, que trabalhou na organização de toda a preparação dos lanches de forma voluntária junto com a sua equipe, a ação superou as expectativas e foi uma satisfação poder colaborar.

 

Agradecimento - O presidente da Uopeccan, Ciro Antônio Kreuz agradeceu emocionado a ação das cooperativas e a importância desta iniciativa para as pessoas que mais precisam. “Noventa por cento do nosso atendimento é realizado via SUS e essa doação vai colaborar com o nosso orçamento, principalmente para os pacientes que mais precisam”, agradece o presidente Ciro.  

 

Enaltecimento - Já a diretora da Casa Dona Vani Cláudia da Silva Framtiozi, que recebeu os R$ 20 mil doados, enalteceu que os valores doados são recordes e vão colaborar para a manutenção e investimentos que estão programados, para melhor atender os pacientes da Uopeccan. (Imprensa Copacol)

 

{vsig}2018/noticias/07/16/dia_c_I/{/vsig}

DIA C II: Sicredi Aliança PR/SP desenvolve ações alusivas ao Dia de Cooperar

 

Em alusão ao Dia de Cooperar 2018, celebrado no último dia 30, a Sicredi Aliança PR/SP desenvolveu uma série de ações beneficiando centenas de pessoas nas suas cidades de atuação tanto no Paraná como em São Paulo. As atividades ocorreram durante todo o mês de junho.

 

Iniciativa - O Dia de Cooperar é uma iniciativa da Organização das Cooperativas Brasileiras – OCB e visa promover em conjunto, ações voluntárias na busca de um mundo mais justo e igual, formando uma grande corrente do bem. Esta data, que teve como lema “Atitudes simples movem o mundo”, coloca em prática a essência do cooperativismo, uma oportunidade de multiplicar boas ações e transformar de alguma maneira a vida das pessoas e das localidades em que as cooperativas estão inseridas.

 

ODS - Além disso, o Dia C estimula as cooperativas a desenvolverem projetos socioambientais que contribuam com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas ao longo do ano e ainda mostram a força do cooperativismo e colocam em prática um dos princípios do cooperativismo: a intercooperação.

 

Dia C em São Paulo - Em São Paulo, a agência de Barretos beneficiou a Casa Acolhedora Vovô Antônio. A equipe de Orlândia destinou as doações ao Asilo Lar Frederico Ozanan. A APAE foi beneficiada na ação de Guaíra assim como em São Joaquim da Barra. A agência de Ituverava colaborou com as famílias carentes do Município. A agência de Jaboticabal destinou as arrecadações ao Recanto Esperança. Monte Alto escolheu o Asilo São Vicente de Paulo para a ação.

 

Total - No total, foram arrecadados pelas agências paulistas 1.200 litros de leite, 1.443 itens entre produtos de limpeza e de higiene, 115 quilos de alimentos, 50 cestas básicas e 300 pacotes de bolacha.

 

Dia C no Paraná - No Paraná, a agência de Guaíra repassou as doações ao CRAS, Casa da Sopa, Hospital Assiste Guaíra, Projeto Hora da Misericórdia e Pestalozzi. A agência de Pato Bragado beneficiou os idosos carentes do Município. Entre Rios do Oeste escolheu a Associação Comercial e Empresarial, ACIER para realizar a ação. Quatro Pontes desenvolveu o Dia de Cooperar na Escola Municipal Dona Leopoldina e São José das Palmeiras coordenou uma ação de doação de sangue no Hemocentro de Toledo. A agência de Mercedes irá realizar nos próximos dias a pintura do muro e da calçada do CMEI Passinhos do Saber.

 

Marechal C. Rondon - Além disso, em Marechal Cândido Rondon, as quatro agências (Av. Rio Grande do Sul, Av. Maripá, Copagril e Dom João VI) além da Sede Regional, participaram de uma ação em parceria com outras 10 cooperativas rondonenses (Cercar, Coofamel, Cooperagir, Cooperlindeiros, Copagril, Cresol, Frimesa, Sicoob, Sicredi, Unimed e Uniprime), apoiadas pelo Núcleo de Cooperativas da Associação Comercial e Empresarial - Acimacar. Foram arrecadados 520 litros de leite, 10 mil peças de roupas, 1.000 itens de produtos de limpeza, 620 pares de calçados, mais de 100 quilos de alimentos e realizados 117 novos cadastros de doadores de sangue da Associação Sangue Bom.

 

Ponto alto - O ponto alto da ação foi no próprio sábado (30/07), onde as cooperativas se reuniram na Praça Willy Barth, realizando a arrecadação de doações, atividades recreativas, apresentações culturais, mateada, tenda da saúde, cadastramento de doadores de sangue e demais atividades. As entidades beneficiadas foram a Apae, Associação Beneficente Cristo, Asilo Lar Rosas Unidas, Centro de Recuperação Caminhos da Vida, Cooperlindeiros, Provopar e Cooperagir. Outra ação desenvolvida pelas cooperativas de Marechal Cândido Rondon, foi a doação de sangue no Hemocentro de Cascavel, por parte de Presidentes, Diretores e demais colaboradores das cooperativas envolvidas.

 

Valores do cooperativismo - O presidente do Conselho de Administração da Sicredi Aliança PR/SP, Adolfo Rudolfo Freitag, destaca que o Dia C enobrece ainda mais os valores do cooperativismo. “Através do Dia de Cooperar, nos unimos em prol do próximo. O próprio cooperativismo traz em sua essência a união em benefício uns dos outros. Participamos do Dia C porque também acreditamos que por meio de pequenas atitudes conseguimos transformar a realidade pois uma mão lava a outra e as duas juntas lavam o rosto. Ajudar o próximo também faz parte do nosso propósito que é agregar renda e melhorar a qualidade de vida das pessoas. Realizamos diversas ações em todas as nossas cidades de atuação e colhemos bons resultados. Gostaríamos de agradecer a todos que colaboraram. O Dia C a gente faz juntos”, ressaltou. (Imprensa Sicredi Aliança PR/SP)

 

{vsig}2018/noticias/07/16/dia_c_II/{/vsig}

COPACOL: Cooperativa ganha destaque entre as principais empresas do agro no País

 

Considerada uma das mais conceituadas revistas de negócios e economia do País, a Revista Forbes publicou pela primeira vez em sua 58ª edição as 50 melhores empresas do setor do agronegócio e os números que fizeram destes empreendimentos a força por trás da recuperação da economia brasileira. Entre elas, teve destaque a Copacol que, durante o último ano, contribuiu junto as demais cooperativas do setor agropecuário para o aumento do PIB brasileiro em aproximadamente R$ 375 bilhões, índice este que representa 23,5% a mais em relação ao ano anterior.

 

Projeções - Projeções indicam que, até o ano 2050, o agronegócio brasileiro deve crescer de três a quatro vezes mais que os concorrentes globais, consolidando de vez nossa condição de celeiro no mundo. “O Brasil já é o celeiro do mundo”, diz Blairo Maggi, ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. “Nós temos hoje, uma agricultura de ponta. Somos os maiores produtores de grãos e estamos entre os maiores produtores de proteína animal do mundo. Temos totais condições de atender a qualquer mercado sem o risco de desabastecimento interno”, afirma o ministro.

 

Investimentos - Prova desta segurança de crescimento oferecida aos cooperados estão nos investimentos feitos pela Copacol nos últimos anos, que veem se refletindo em resultados positivos tais como o recorde de mais de 1,2 milhão de toneladas de grãos com maior destaque para o milho e a soja.

 

Qualidade - “Para garantir a qualidade dos nossos produtos realizamos investimentos importantes como em pesquisas promovidas através do nosso CPA (Centro de Pesquisa Agrícola), o aumento na capacidade de armazenagem para quase 1 milhão de toneladas de grãos com a construção de dois novos galpões nos quais investimos aproximadamente R$ 24 milhões. Além disso ainda tivemos a inauguração do Laboratório Industrial, a Fábrica de Premix, a nova Fábrica de Rações para Matrizes, além da reestruturação das Fábricas de Rações em Cafelândia as obras de ampliação da Unidade Industrial de Aves em Ubiratã, a Unitá que será concluída no fim deste ano”, afirmou o diretor presidente, Valter Pitol. 

 

Piscicultura - Na área de piscicultura, o marco foi a conclusão das obras de ampliação da Unidade Industrial de Peixes de Nova Aurora para 140 mil peixes por dia. Esse projeto transformou a Copacol na maior produtora de Tilápias da América do Sul. Ao todo, foram abatidos 31,7 milhões de peixes no ano passado. Números estes que garantem diversificação ao produtor no campo e renda para centenas de famílias de toda região com a geração de emprego nas atividades industriais.

 

Foco - “Sempre pautados com foco na qualidade dos nossos produtos e processos, passamos por essas adversidades e ainda conseguimos aumentar os nossos indicadores”, comemorou o presidente. A Copacol conseguiu aumentar durante o último ano a exportação de frango em 3%, para 171,4 mil de toneladas e a produção recorde de quase 215 milhões de ovos férteis, junto a estes registros vale destacar o crescimento de 6,31% no faturamento para R$ 3,5 bilhões em 2017, o que garantiu aos cooperados a distribuição de R$ 58,5 milhões em sobras. (Imprensa Copacol)

 

Clique aqui para conferir a matéria sobre a Copacol publicada na Revista Forbes

 

{vsig}2018/noticias/07/16/copacol/{/vsig}

INTERCOOPERAÇÃO: Cooperativa Nacional Agroindustrial faz visita e planeja parceria com a Primato

 

intercooperacao 16 07 2018Para que haja evolução e expansão nos negócios é preciso estabelecer parcerias que tragam mais oportunidades para que haja um aumento de rentabilidade. Mas, por se tratar de uma cooperativa, não é qualquer parceria que pode ser feita, afinal, é preciso estar alinhado com as premissas do cooperativismo e também da cultura e missão que a Primato Cooperativa Agroindustrial presa nas relações comerciais que desenvolve.

 

Estrutura agrícola e possibilidades de parceria Com esse objetivo, os diretores da Cooperativa Nacional Agroindustrial, a Coonagro, fizeram uma visita à sede da Primato, no dia 11 de julho, para conhecer a estrutura agrícola e quais as possibilidades de parcerias para o futuro.

 

Coonagro - A Coonagro é uma cooperativa central agroindustrial constituída por outras nove cooperativas: Agrária, Coopagrícola, Nova, Frísia, Cooperval, Castrolanda, Cocari, Bom Jesus e Capal. Desde a sua criação em 2008, a Coonagro e suas associadas vêm avaliando como se posicionar no mercado dos principais insumos agrícolas, como forma de conseguir maior equilíbrio das forças que atuam neste segmento. Este movimento visa basicamente proteger-se dos efeitos da concentração de alguns setores, especialmente o de fertilizantes. 

 

Alternativa - A Coonagro não se estabelece como um “player” para disputar o mercado com os demais, mas sim como uma alternativa às suas associadas e seus clientes, que somando seus potenciais de compras poderão enfrentar de forma mais segura os momentos de distorção de preços, variação de câmbio e elevação do “apetite” das empresas por margens. Ao concluir seu planejamento estratégico em 2012, definiu-se que o foco seria o fertilizante, e assim buscou-se a execução do Projeto Fertilizantes que culminou na aquisição da unidade da Delta Fertilizantes no final do primeiro semestre de 2015. Após grandes investimentos em reformas e modernização da unidade, treinamento e capacitação dos seus colaboradores, a Coonagro Fertilizantes está preparada para produzir uma diversificada linha de fertilizantes granulados com diferentes níveis de tecnologia.

 

Visita - Segundo o diretor executivo da Coonagro, Mário Sergio do Prado, a visita foi para conhecer a estrutura da Primato e avaliar as possibilidades de parceria na parte de fertilizantes. “É uma grande satisfação estarmos aqui em Toledo na sede da Primato, a gente percebe que a simplicidade e os objetivos da cooperativa são muito parecidos com a da Coonagro, que é crescer junto e tem tudo haver com o cooperativismo”, explicou Mário que complementou, “estamos desenvolvendo uma futura parceria na parte agrícola, voltada mais a fertilizantes”.

 

Primato - Desde que iniciou a Primato Agrícola, a cooperativa vem desenvolvendo várias parcerias para apresentar soluções inteligentes aos cooperados e produtores da região de atuação. Segundo o vice-presidente da Primato Cooperativa Agroindustrial, Cezar Luiz Dondoni, a visita da Coonagro é uma grande possibilidade de parceria e importante passo ao crescimento na parte agrícola. “Receber a equipe da Coonagro em nossa sede é uma satisfação, observando que existem muitas possibilidades de negócios para a Primato e será uma parceria que, sem dúvidas, vai trazer resultados expressivos”, explicou Cezar que complementou, “assim como comentando por eles, a simplicidade que a Primato desenvolve o trabalho é semelhante à que eles aplicam em seus parceiros se seria importante avançarmos nessa negociação, afinal, estamos iniciando na parte agrícola e é fundamental uma parceria na parte de insumos agrícolas, apresentando aos cooperados mais essa forte marca em nosso portfólio de produtos”. (Imprensa Primato)

 

COCAMAR I: Dia de Campo de Inverno teve 1,7 mil participantes

Com a participação de 1,7 mil produtores cooperados, a Cocamar promoveu, na sexta-feira (13/07), em sua Unidade de Difusão de Tecnologias (UDT), em Floresta, região de Maringá, o Dia de Campo de Inverno.

Estandes - Os visitantes passaram o dia percorrendo dezenas de estandes de empresas fornecedoras de tecnologias e conhecendo experimentos em diversas áreas, como manejo do solo e integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF). O foco do Dia de Campo foi a cultura do milho, mas o público visitante viu também novidades em matéria de trigo e café, além de exposição de máquinas agrícolas e outros produtos.

Sementes - Pela primeira vez, a Cocamar foi representada em um evento técnico na área de sementes. No final de 2017, a cooperativa adquiriu uma Unidade Básica de Sementes (UBS) em São Sebastião da Amoreira, região de Londrina, onde passou a produzir sementes de soja e trigo.

Buscar informações - Produtor de grãos em Cruzália (SP), o cooperado Nei Rodrigues da Silva viajou especialmente para visitar o Dia de Campo, onde examinou equipamentos agrícolas e buscou informações “para melhorar a produtividade da lavoura”. O mesmo fez Moacir Fala, de São Jorge do Ivaí, para quem participar de realizações técnicas promovidas pela cooperativa “é fundamental para se manter atualizado”.

Expectativas atendidas - O coordenador da UDT, engenheiro agrônomo Edner Betioli Júnior, avaliou que o Dia de Campo de Inverno atendeu às expectativas: “tudo fluiu bem e foram oferecidas informações de qualidade aos participantes”.

Planejar - Na abertura, ao fazer sua saudação aos cooperados, o presidente da cooperativa, Divanir Higino, destacou a importância de os produtores planejarem a sua atividade, para antecipar situações, estudar soluções e tomar atitudes para o aumento da produtividade. Higino explicou que a Cocamar desenvolve um trabalho permanente, em parceria com renomadas instituições de pesquisa e ensino, bem como empresas, “para valorizar os produtores e ajudá-los a alcançar os seus objetivos, que é ganhar mais dinheiro com os seus negócios”. (Imprensa Cocamar)

{vsig}2018/noticias/07/16/cocamar_I/{/vsig}

COCAMAR II: Com participação recorde, Chefs do Campo começa a selecionar pratos

Em sua terceira edição, o Festival de Sabores Chefes do Campo Cocamar começa a fazer a seleção das 15 receitas semifinalistas entre a quantidade recorde de 147 inscrições efetuadas durante o Encontro Anual do Núcleo Feminino, no mês passado, em Maringá (PR). A previsão é que os pratos escolhidos sejam divulgados no final do mês.

Categorias - Na última semana, o comitê de chefs convidados pela organização do concurso reuniu-se para conhecer as receitas de pratos salgados tradicionais, cujo número superou as 128 da primeira edição do concurso promovido em 2016. A novidade desta vez é que as produtoras – todas elas participantes de núcleos femininos mantidos pela cooperativa em sua região - optaram entre as categorias carnes e massas, apresentando uma ampla variedade em ambos os casos.

Valorizar – Patrocinado pelas empresas Sancor Seguros e Estratégia Ambiental, o Festival tem o objetivo de resgatar e valorizar pratos de família, preservando as tradições culinárias regionais. E, com isso, celebrar o alimento, o resultado final do trabalho dos produtores rurais.

Semifinalistas - Nos meses de agosto e setembro, a organização vai visitar as semifinalistas em seus municípios, oportunidade em degustará os pratos. As cinco finalistas vão ser escolhidas no final de setembro, pelo conjunto da obra: sabor, criatividade, apresentação e acompanhamento. (Imprensa Cocamar)

COPAGRIL: Realizado o último sorteio da Copa da Sorte no sábado

A Cooperativa Agroindustrial Copagril realizou, na manhã de sábado (14/07), o terceiro e último sorteio da promoção: Copa da Sorte Copagril, em frente ao Supermercado Copagril I, na Avenida Maripá, em Marechal Cândido Rondon. Foram sorteadas 5 smart TVs de 39 polegadas, 5 camisetas da Seleção Brasileira e 10 bolas de futebol (veja abaixo a lista de ganhadores).

Participantes - Quem concorreu neste sorteio foram clientes dos Postos, Supermercados e Lojas Agropecuárias Copagril que preencheram cupons e depositaram na urna da promoção.

Retirada - Os ganhadores podem retirar o seu respectivo prêmio na Loja Agropecuária da Copagril em Marechal Cândido Rondon ou ainda é possível solicitar que o prêmio seja encaminhado até uma unidade Copagril mais próxima da sua localidade, entrando em contato com Rodrigo Weber pelo fone: (45) 3284-7585.

Contemplados - Ao todo, a promoção Copa da Sorte Copagril premiou 60 clientes com 15 TVs, 15 camisetas e 30 bolas, totalizando R$ 25.000 em prêmios. (Imprensa Copagril)

Confira os nomes dos ganhadores:

Prêmio: TV

Maria Mercedes – Marechal C. Rondon

Reney Briesch – Marechal C. Rondon

Jennifer Soschinske – Bela Vista, Marechal C. Rondon

Roque Blatt – Linha Boa Vista, Marechal C. Rondon

Lucas Eduardo Gerke – Marechal C. Rondon

Prêmio: Camiseta da Seleção Brasileira:

Sonia M.da Rocha – Marechal C. Rondon

Maria Nair Kappes – Mercedes

Amanda Castelano Dias – Marechal C. Rondon

Juliano Follmann – Marechal C. Rondon

Erick Matheus Kotz – Marechal C. Rondon

Prêmio: Bola Copa do Mundo Fifa:

Haroldo Batschke – Marechal C. Rondon

Zineida Hagdan – Linha São José do Guaçu, Marechal C. Rondon

Geisla T. Malaguti – Marechal C. Rondon

Everton A. Voigt – Marechal C. Rondon

Marcelo Johann, Alto Santa Fé, Nova Santa Rosa

Liani Spier – Marechal C. Rondon

José Sérgio Petri – Novo Rio do Sul, Mercedes

Valéria Guckert – Marechal C. Rondon

Paulo Bloemer – Três Irmãs, Mercedes

Luciane Sehn Fleck – Linha Esquina Guaíra, Marechal C. Rondon

{vsig}2018/noticias/07/16/copagril/{/vsig}

 

SICREDI PLANALTO DAS ÁGUAS: Cooperativa realiza Assembleia Geral Extraordinária

 

Na sexta-feira (13/07), a Sicredi Planalto da Águas PR/SP reuniu seus delegados de núcleos para aprovação de início de relacionamento com os municípios, integrantes da área de ação da cooperativa. A partir da Lei Complementar 161 de janeiro de 2018 e a Resolução 4.659 publicada pelo Banco Central do Brasil (BCB) em abril de 2018, prefeituras, órgãos dependentes e empresas controladas por elas foram autorizadas a movimentar e gerir recursos junto às instituições financeiras cooperativas. Antes da Lei Complementar, as transações de prefeituras só podiam ser realizadas por meio de bancos oficiais com controle parcial ou total do governo.

 

Operacionalização - A operacionalização da relação entre cooperativas de crédito e prefeituras ainda está sendo estudada e desenvolvida, mas já representa um grande avanço na área. Isso porque, em centenas de cidades do País, as cooperativas de crédito são as únicas instituições financeiras presentes. “Em mais de 200 municípios brasileiros o Sicredi é a única instituição financeira em atividade. Mais do que oferecer uma alternativa de serviços financeiros, esse passo representa para muitas cidades um melhor desenvolvimento econômico, já que prefeituras e servidores públicos não precisarão mais depender do deslocamento para outras cidades para ter acesso aos serviços financeiros”, explica o presidente da Sicredi Planalto das Águas PR/SP, Adilson Primo Fiorentin.

 

Comunidade - Outro benefício desta relação está diretamente ligado à comunidade, já que as cooperativas de crédito têm como foco impactar positivamente as regiões onde está presente. Os resultados positivos gerados pela movimentação financeira nas cooperativas retornam ao associado e, por consequência, para a comunidade onde ele vive. "É como um ciclo virtuoso: o recurso captado numa praça é reinvestido na mesma região, dinamizando a economia local. Imagine que hoje, em centenas de locais do País, servidores públicos são obrigados a se deslocar para outros lugares para sacarem seus salários, pois a prefeitura não pode ter a conta numa instituição financeira cooperativa. Uma parte deste recurso acaba sendo utilizado na cidade em que foi sacado, é uma tendência natural das pessoas. Agora, sem esta restrição, vamos possibilitar que os recursos potencializem ainda mais a economia local", destaca Adilson. 

 

Presença - Presente em 22 estados e no Distrito Federal, com mais de 1.500 agências e 3,8 milhões de associados, o Sicredi fechou 2017 com crescimento de 20%, e um resultado de R$ 2,35 bilhões. Para 2018, a previsão de crescimento permanece em 20%, além de um investimento de R$ 404 milhões durante o ano, para abertura de agências e modernização de sistemas.

 

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão valoriza a participação dos 3,8 milhões de associados, os quais exercem um papel de dono do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com 1.500 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros. Mais informações estão disponíveis em www.sicredi.com.br. (Imprensa Sicredi Planalto das Águas PR/SP)

 

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

{vsig}2018/noticias/07/16/sicredi_planalto_aguas/{/vsig}

SICOOB UNICOOB I: Entregas do 1º semestre de 2018 são apresentadas no Fórum de Mercado, em Maringá

 

sicoob unicoob I 16 08 2018Na última terça-feira (10/07), o Sicoob Unicoob promoveu mais uma edição do Fórum de Mercado. Desta vez, o evento aconteceu em Maringá, na sede do Sicoob Metropolitano. Os participantes foram recebidos pelo diretor-presidente da singular, Ideval Curioni e pelo vice-presidente do Conselho Administrativo, Ilson da Silva Rezende, que apresentaram os números da cooperativa e falaram sobre a Evoa Aceleradora.

 

Presenças - Estiveram presentes cerca de 40 representantes das singulares Aliança, Arenito, Credicapital, Horizonte, Integrado, Marechal, Médio Oeste, Meridional, Metropolitano, Noroeste do PR, Norte do PR, Sul, Três Fronteiras, Transamazônica e Vale do Iguaçu, além de representantes da Central, Unicoob Consórcios, Unicoob Corretora e Instituto Sicoob.

 

Entregas - Na pauta estavam as entregas da Diretoria de Mercado no 1º semestre de 2018, como o Portal do Lojista, Guia de Abertura de PA, ações de relacionamento com as prefeituras, o convênio com a CACB e a Certisign para oferecer o Certificado Digital aos cooperados e melhorias da Mesa de Precificação. Além disso, foi feita a atualização dos canais de acompanhamento da Olimpíada 2018 e o reconhecimento às cooperativas destaque nos Aceleradores da Campanha Nacional de Vendas (CNV) e Produtos Foco.

 

Divulgação da marca - A área de Comunicação, Marketing e Eventos apresentou os materiais para divulgação da marca, como os painéis rodoviários que estão em fase de instalação, os projetos piloto de precificação e da nova intranet, além dos indicadores do setor, que fez 99% das entregas dentro ou antes do prazo.

 

Crédito - O setor de Crédito fez a prestação de contas e mostrou o número de análises que a área realizou no primeiro semestre deste ano. Foram 650, sendo 494 completas e 156 simplificadas feitas pela Central. 

 

Convênio - A programação contou ainda com a apresentação do convênio com o Sescap-PR (Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas no Estado do Paraná), que tem como objetivo conquistar novos cooperados e disseminar o cooperativismo financeiro entre os associados do sindicato que correspondem a 36 mil empresas.

 

Participação - Com o convênio, associados e colaboradores do Sescap-PR também têm a oportunidade de participar do maior sistema financeiro cooperativo do país, com atendimento personalizado, soluções financeiras com condições mais atrativas e facilidade nas transações por meio de canais digitais.

 

Lançamentos - Outro assunto discutido durante o Fórum de Mercado em Maringá foi o lançamento da Agenda de Negócios e do Portal do Fornecedor, que estão em fase piloto. O portal consiste em uma ferramenta web com foco em cooperados de grande porte e possibilita ao pagador disponibilizar informações de seus títulos como: valores, datas de vencimento e descontos, oferta de antecipação ao fornecedor.

 

Projeto-piloto - Por fim, foi lançado também o projeto-piloto de um módulo que permite a precificação da captação da cooperativa de forma escalonada, com foco na redução dos custos e atendimento justo dos associados, levando em conta o excesso de liquidez, o custo do dinheiro e a reciprocidade do cooperado.

 

Programação - Também fizeram parte da programação do evento as apresentações da Unicoob Corretora de Seguros, da Unicoob Consórcios e do Instituto Sicoob. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

SICOOB UNICOOB II: Central e Sicoob Metropolitano recebem visita de representantes do Bacen

 

sicoob unicoob II 16 07 2018No último dia 3, representantes do Banco Central estiveram em Maringá para conhecer a estrutura operacional, as principais atividades e o planejamento estratégico do Sicoob Unicoob. O grupo esteve na Central Unicoob e também no Sicoob Metropolitano.

 

Conhecimento - Durante visita, o chefe de departamento, Harold Paquete Espinola Filho; o chefe Adjunto, Rodrigo Monteiro; os supervisores de Fiscalização, Antonio Saraiva Junior e o Paulo Sergio Felix conheceram um pouco sobre cada área da Central, empresas coligadas e também da Sancor Seguros.

 

Sicoob Metropolitano - Em seguida, no Sicoob Metropolitano, o grupo foi recebido pelo diretor presidente, Ideval Luis Curioni, e pela superintendente Luciana Pizaia. Eles visitaram a estrutura da singular e também tiveram a oportunidade de conhecer o espaço que abriga a Evoa, aceleradora de startups que é uma iniciativa da cooperativa em parceria com empresas que formam o ecossistema local de tecnologia e inovação.

 

Essência - Segundo Luciana, foi uma grande oportunidade mostrar a essência e a cultura da cooperativa, não apenas números e indicadores como normalmente é a relação com entidades reguladoras como o Bacen. “Foi muito gratificante ver como eles também puderam enxergar, de uma forma mais palpável, como o sistema cooperativo consegue contribuir com as comunidades em que atua fazendo a diferença e, ao mesmo tempo, ter uma gestão séria voltada para resultados”, afirma. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

UNIMED COSTA OESTE: Curso de Pré-Natal inicia em julho

 

unimed costa oeste 16 07 2018Já estão abertas as inscrições para gestantes e acompanhantes interessados em participar do 37º Curso de Pré-Natal da Unimed Costa Oeste, em Toledo. As palestras iniciam no dia 28 de julho e seguem até 25 de agosto, divididas em cinco encontros que acontecem na sede da cooperativa (Rua Santos Dumont, 2705, Centro), das 14h às 17h.

 

Temas - No primeiro encontro serão abordadas as temáticas Nutrição e Anestesias usadas nos partos. No segundo módulo serão destacados os assuntos Fonoaudiologia, Linguagem e Cognitivo do bebê e Fisioterapia (treino respiratório e preparação para o parto). A programação segue com o terceiro encontro, onde será tratado sobre o Desenvolvimento Gestacional e modificações do corpo, Sinais de trabalho de parto, Parto Normal e Cesariana e Puerpério imediato. No quarto encontro os profissionais convidados falarão sobre Desenvolvimento do Bebê (Apgar, crescimento, reflexos, vacinação, teste do pezinho), Puericultura (cuidados com o bebê) e Aleitamento materno. Já os temas Odontopediatria (cuidados com a dentição) e Aspectos psicossociais na família serão os assuntos do último módulo.

 

Sorteio - Além disso, há sorteio de brindes em todos os encontros e também de um carrinho de bebê ao final do curso. Após o nascimento do bebê as mamães beneficiárias recebem uma bolsa personalizada.

 

Projeto Viva Vida - O Curso de Pré-Natal integra o Projeto Viva Vida, que tem o objetivo de orientar as gestantes e acompanhantes sobre os assuntos relacionados ao período gestacional e os primeiros cuidados com o bebê logo após o nascimento. O curso é realizado duas vezes por ano em Toledo e uma vez nas cidades de Marechal Cândido Rondon e Assis Chateaubriand. Em 17 anos de realização, o projeto já atendeu um público aproximado de 1.700 pessoas até o período atual.

 

Inscrições - Quem tiver interesse em participar do Curso Pré-Natal pode realizar a inscrição pelos telefones (45) 3277-8039 / 8041 e 8002. O curso é gratuito.

 

Sobre a Unimed Costa Oeste - Preocupada com a saúde e bem-estar de seus clientes, a Unimed Costa Oeste busca a cada dia ampliar suas ações com o objetivo de propiciar qualidade de vida a toda a comunidade. Presente há 33 anos na região Oeste do Paraná desenvolve projetos sociais para diferentes públicos, por meio do teatro, canto e encontros voltados às gestantes, idosos e hipertensos. Conheça mais sobre a Unimed Costa Oeste no site: www.unimedcostaoeste.com.br. (Imprensa Unimed Costa Oeste)

 

LEGISLATIVO: Comissão da Câmara aprova nova lei das agências reguladoras

 

legislativo 16 07 2018A comissão especial criada na Câmara dos Deputados com propósito de analisar o Projeto de Lei nº 6621/2016, que propõe diretrizes gerais para nortear a gestão de todas a Agências Reguladoras, aprovou na quarta-feira passada (11/07) o relatório do deputado Danilo Forte (CE).

 

Acompanhamento - A Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) acompanha de perto o projeto, tendo em vista a busca de maior eficiência e transparência das agências reguladoras em seu papel de fiscalização e regulamentação de diversos ramos de atividade cooperativismo, sendo esta uma das prioridades da Agenda Institucional do Cooperativismo 2018.

 

Eficiência orçamentária - Segundo texto do relator, a proposta é garantir maior eficiência orçamentária, financeira e administrativa a esses órgãos, unificando as regras sobre gestão e governança, e dando maior autonomia e transparência ao controle social das agências reguladoras, além de estabelecer novas regras para a indicação de diretores.

 

Plano Estratégico - O texto também prevê a elaboração de Plano Estratégico (com duração quadrienal) e de Plano de Gestão Anual que contemplará ações, resultado e metas relacionados aos processos finalísticos e de gestão. Além disso, estabelece que a alteração de atos normativos será precedida da realização de Análise de Impacto Regulatório (AIR).

 

Outras modificações - Dentre as alterações, a comissão especial incluiu o Inmetro no rol de agências reguladoras do projeto e alterou a Lei de Responsabilidade das Estatais. Outra alteração efetivada pelo relator diz respeito à revogação da proibição de indicar o nome de pessoas que já atuaram, nos últimos 36 meses, como participantes de estrutura decisória de partido político ou em trabalho vinculado às atividades de organização, estruturação e realização de campanha eleitoral, aos cargos de diretores de órgãos do governo.

 

Próximos passos - O projeto tramita em caráter conclusivo, ou seja, caso não haja recursos, a matéria volta ao Senado para análise das modificações propostas ao texto, antes de seguir para a sanção presidencial. (Informe OCB)

 

CREA-PR: 5º Workshop "Os Desafios na Prescrição do Receituário Agronômico" será realizado nesta terça

crea 13 07 2018Na terça-feira (17/07), será realizado o 5º Workshop com o tema ‘Os Desafios na Prescrição do Receituário Agronômico’, promovido pelo Crea-PR, Câmara Especializada de Agronomia, por meio do Comitê de Estudos Temáticos sobre Agrotóxicos. O evento acontece no Setor de Agrárias da Universidade Federal do Paraná (UFPR), em Curitiba-PR e é aberto a profissionais e acadêmicos da área.

Confira a programação:

8:00 – Inscrição e cadastramento

8:30 – Abertura

9:00 – Cenário atual das discussões sobre agrotóxicos – Eng. Agr. Luis Fernando Gastaldi e Eng. Agr. Dionisio Luiz Piza Gazziero

10:15 – Responsabilidades técnicas e jurídicas na prescrição do Receituário Agronômico / Ações do Crea na fiscalização profissional – Procurador Robson Roberto Arbigaus Rothbarth e Eng. Agr. Ricardo Araujo – Crea-PR

11:00 – Avanços e Resultados do MIP no Paraná – Eng. Agr. Nelson Harger – Emater

12:00 – Perguntas

12:30 – Almoço

14:00 – Ações da Adapar na fiscalização do receituário agronômico – Eng. Agr. Marcílio Martins Araújo – Adapar

14h45 – Apresentação e Operacionalização da Portaria Adapar nº 101/2018 – Eng. Agr. Luiz Angelo Pasqualin – Adapar

15:30 – Mesa Redonda e Encaminhamentos

16:30 – Encerramento

Clique aqui e faça sua inscrição.

(Assessoria de Imprensa do Crea-PR)

 

MILHO: Nova doença demanda cautela e pesquisas, apontam especialistas na cultura

 

milho 16 07 2018Cautela e pesquisas. Essa é a síntese das conclusões que chegaram os mais de 100 técnicos, pesquisadores e produtores que participaram de reunião na tarde de quinta-feira (12/07), em Londrina, para discutir a ocorrência da estria bacteriana em lavouras de milho no Paraná. O encontro foi promovido pelo Instituto Agronômico do Paraná (Iapar).

 

Detecção - Até agora desconhecida no Brasil, a doença, causada pela bactéria Xanthomonas vasicola pv. vasculorum, foi detectada em lavouras na região Oeste (municípios de Cafelândia, Corbélia, Nova Aurora, Palotina, Santa Tereza do Oeste, Toledo e Ubiratã), Centro-Oeste (Campo Mourão e Floresta) e Norte do Paraná (Londrina, Rolândia, Sertanópolis e Mandaguari). 

“É sem dúvida um problema grave, mas que deve ser tratado com critérios técnicos e sem comoção”, afirmou o diretor de pesquisas do Iapar, Tiago Pellini.

 

Reconhecimento - Presente no encontro, Cezar Augusto Pian, representante do Ministério da Agricultura e Abastecimento (Mapa), esclareceu que a entidade reconheceu a ocorrência do patógeno e está monitorando a situação das lavouras para delimitar sua distribuição e, eventualmente, subsidiar ações no campo legislativo. 

 

Potencial - De acordo com o fitopatologista Adriano de Paiva Custódio, do Iapar, a estria bacteriana tem potencial para reduzir à metade a capacidade produtiva de cultivares altamente suscetíveis.

 

Controle - Doença de difícil controle por meio de agroquímicos, a resistência genética é apontada como a melhor estratégia para, no curto prazo, enfrentar o novo problema. A identificação das cultivares mais suscetíveis atualmente no mercado é a medida mais urgente a se tomar, segundo os participantes da reunião. 

 

Triagem - Os representantes de cooperativas presentes informaram que já estão fazendo essa triagem, com base nas informações já disponíveis em seus centros de experimentação.

 

Avaliação - O Iapar já desenvolve um trabalho de avaliação de cultivares nas duas safras de milho. “Estamos trabalhando também na perspectiva de incluir no projeto o estudo da estria bacteriana”, acrescentou Custódio.

 

Mecanismos - A pesquisa também será chamada para esclarecer os mecanismos envolvidos na disseminação da bactéria por meio das sementes, um ponto crucial e ainda não esclarecido, segundo os presentes na reunião.

 

Parceria - Também foi sugerida uma avaliação em âmbito nacional, por meio de parceria que deve ser estruturada com a Embrapa e as empresas obtentoras de cultivares.

 

Sobrevivência - Já se sabe que a bactéria pode sobreviver de uma safra para outra na palhada, em restos de culturas e em outras plantas hospedeiras que podem funcionar como inóculo da doença – espécies invasoras ou cultivadas, como arroz, aveia e forrageiras. “São temas para a pesquisa, sobretudo em nossa região, onde a produção é intensiva e diversificada, com duas e até três safras por ano”, acrescenta Custódio.

 

Clima - Outro ponto que deve merecer estudos é a relação da doença com o clima. “Ao contrário da Argentina e Estados Unidos, onde a doença também está presente, no Brasil há condições de umidade e temperatura favoráveis à bactéria ao longo de todo o ano, e precisamos entender melhor o comportamento da bactéria em função das chuvas”, explicou o pesquisador Rui Pereira Leite, do Iapar.

 

Recomendação - Com tantas questões ainda em aberto, a recomendação para a próxima safra é que os produtores usem sementes idôneas e mantenham permanente contato com a assistência técnica.

 

Informe técnico - O Iapar preparou o boletim técnico “Estria Bacteriana do Milho no Paraná”, publicação que apresenta as características da doença, do patógeno, seu modo de disseminação, potencial de danos econômicos e discute potenciais medidas de prevenção e controle.

 

Pedido - Interessados devem fazer o pedido pelo e-mail publicacoes@iapar.br. A publicação é gratuita. Também há uma versão em PDF, que pode ser baixada no endereço www.iapar.br. (Assessoria de Imprensa do Iapar)

 

NORMATIZAÇÃO: Aberta consulta pública sobre normas de monitoramento de carcaças bovinas e suínas

 

normatizacao 16 07 2018O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) está submetendo à Consulta Pública, desde sexta-feira (13/07), a proposta de Instrução Normativa que estabelece o controle e o monitoramento microbiológico em carcaças de suínos e de bovinos em abatedouros frigoríficos.

 

Objetivo - O objetivo dessa Instrução Normativa é avaliar a higiene do processo e reduzir a prevalência de agentes patogênicos, entre os quais Enterobacteriaceae e Salmonella.

 

Controle e monitoramento - O controle e monitoramento será exercido nos abatedouros frigoríficos registrados no Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal (DIPOA).

 

Sugestões - As sugestões de alteração, inclusão ou exclusão nos textos deverão ser enviadas para o endereço: cnt.dipoa@agricultura.gov.br, no prazo de 60 (sessenta) dias a contar da publicação no Diário Oficial da Portaria 75  da Secretaria de Defesa Agropecuária do Mapa. (Mapa)

 

BALANÇA COMERCIAL: Saldo do agro em junho é de US$ 8,17 bilhões

 

balanca comercial 16 07 2018A Secretaria de Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento divulgou na sexta-feira (13/07) o resultado das exportações do agronegócio brasileiro, que alcançaram US$ 9,21 bilhões, em junho, recuando 0,7% em comparação com os US$ 9,27 bilhões exportados em junho do ano passado. O agro representou 45,6% do total das vendas externas brasileiras no mês. As importações no setor totalizaram US$ 1,04 bilhão em junho, com retração de 10,1% em relação ao mesmo período de 2017. Como resultado, o saldo da balança comercial do agronegócio no mês foi de US$ 8,17 bilhões (+0,7%).

 

Principais segmentos - Além da soja, com participação de 53,5% das exportações do setor em junho, os outros quatro principais segmentos foram: produtos florestais (14,4%), carnes (8,3%), complexo sucroalcooleiro (7%) e café (3,9%). Em conjunto, as vendas externas dos cinco setores apresentaram participação de 87% do total exportado pelo agro brasileiro em junho de 2018.

 

Ásia - A região asiática, com destaque para a China, continuou como principal destino das exportações do setor nos últimos 12 meses (julho/2017 a junho/2018), como também no primeiro semestre do ano (janeiro a junho) e, em junho deste ano, com embarques, sobretudo, de soja em grãos e celulose.

 

União Europeia - O segundo principal mercado de destino das exportações do agronegócio brasileiro, em junho, foi a União Europeia, com incremento das vendas, principalmente, de farelo de soja (+US$ 94,70 milhões), celulose (+US$ 60,36 milhões), suco de laranja (+US$ 35,40 milhões) e café verde (+US$ 17,64 milhões).

 

Destaque - O boletim da Balança Comercial do Agronegócio destaca cenário favorável para as vendas externas do complexo soja (grãos, farelo e óleo), com base no último levantamento da Safra 2017/2018 realizado pela Companhia Brasileira de Abastecimento (Conab), que estima que a produção de soja alcançará 119 milhões de toneladas, em alta de 4,2% sobre a safra anterior.

 

Estimativa - A Conab também estima que a exportação total brasileira para este ano atinja 72 milhões de toneladas de soja, o que superaria em 5,6% o volume do período anterior. No primeiro semestre (janeiro a junho), o Brasil já embarcou 46,27 milhões de toneladas do grão, gerando receita de US$ 18,43 bilhões. Os aumentos frente ao mesmo período de 2017 foram de 5,2% em quantidade e de 10,6% no valor exportado, resultado da elevação do preço médio em 5,1%, que proporcionou registros de novos recordes de valor e quantidade. (Mapa)

 

Confira a Balança comercial do Agronegócio resumida

 

COMÉRCIO EXTERIOR: Exportações de US$ 1,1 trilhão: onde o agro brasileiro vai crescer mais em 10 anos

 

comercio exterior 16 07 2018A partir de projeções do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), o professor Marcos Fava Neves, da Faculdade de Administração da USP em Ribeirão Preto, estimou os setores do agronegócio brasileiro que mais devem crescer nos próximos dez anos, rendendo ao País um faturamento acumulado de US$ 1,1 trilhão. Na conta não entram o provável crescimento em papel e celulose e outros produtos florestais, café, frutas, flores, açúcar, etanol, arroz e outras commodities. Se estas agregarem mais US$ 100 bilhões acumulados, o valor na década chegará a US$ 1,2 trilhão. (Gazeta do Povo)

 

Clique aqui para conferir os gráficos com as projeções de crescimento

 

FOCUS: Projeção do mercado financeiro para inflação cai para 4,15%

focus 16 07 2018Depois de oito altas consecutivas, instituições financeiras consultadas pelo Banco Central (BC) reduziram projeção para a inflação deste ano. A estimativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) caiu de 4,17% para 4,15%, segundo a pesquisa Focus, publicação elaborada todas as semanas pelo BC, com projeções de instituições financeiras para os principais indicadores econômicos.

Próximos anos - Para as instituições financeiras, o IPCA em 2019 será 4,10%, mesma estimativa de há quatro semanas, e 4% em 2020 e em 2021.

Abaixo do centro da meta - Essas estimativas estão abaixo do centro da meta que deve ser perseguida pelo BC, com exceção de 2020 e 2021. Neste ano, o centro da meta é 4,5%, com limite inferior de 3% e superior de 6%. Para 2019, a previsão é 4,25%, com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%. Para 2020, a meta é 4% e 2021, 3,75%, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para os dois anos (2,5% a 5,5% e 2,25% a 5,25%, respectivamente).

Selic - Para alcançar a meta de inflação, o BC usa como instrumento a taxa básica de juros, a Selic, atualmente 6,5% ao ano.

Expectativa - Para as instituições financeiras, a Selic deve permanecer em 6,5% ao ano até o final de 2018. Para 2019, a expectativa é aumento da taxa básica, terminando o período em 8% ao ano.

Demanda aquecida - Quando o Copom aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Tendência - Quando o Copom diminui os juros básicos, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação.

Indicação - A manutenção da Selic, como prevê o mercado financeiro neste ano, indica que o Copom considera as alterações anteriores suficientes para chegar à meta de inflação.

Atividade econômica - A projeção para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – caiu de 1,53% para 1,50%, neste ano. Para 2019, a estimativa segue em 2,50%. As instituições financeiras também projetam crescimento de 2,50% do PIB em 2020 e 2021.

Dólar - A previsão do mercado financeiro para a cotação do dólar permanece em R$ 3,70 no final deste ano. Para o fim de 2019, passou de R$ 3,60 para R$ 3,68. (Agência Brasil)

 

IBC-BR: Economia brasileira cai 3,34% em maio com impacto de greve, aponta BC

 

Sob o impacto da paralisação dos caminhoneiros, a atividade econômica brasileira sofreu retração de 3,34% em maio, apontou o Índice de Atividade Econômica (IBC-Br) do Banco Central (BC) pela série com ajuste sazonal, atualizada nesta segunda-feira (16/07).

Inversão de rumo - O resultado representa uma inversão de rumo em relação a abril, quando houve crescimento de 0,50% (dado revisado). A queda de maio, contudo, veio em linha com as estimativas de economistas colhidas pelo Valor Data. A previsão média era de recuo de 3,3%, com projeções indo de queda de 2,2% a 5,7%.

Doze meses - Nos 12 meses até maio, o indicador do BC aponta crescimento de 1,13% na série sem ajuste. Ante maio de 2017, o índice registrou recuo de 2,90% na série sem ajuste. No ano, a variação é positiva, em 0,73%.

IBGE - Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para a indústria, varejo e serviços refletidos no IBC-Br já haviam apontado o baque na atividade causado pelo bloqueio das estradas em todo o país, que teve início em 21 de maio e durou 11 dias. Naquele mês, a produção industrial caiu 10,9%, segundo maior retração da série, iniciada em 2002. As vendas no varejo sofreram queda de 0,6% em maio, no primeiro recuo registrado no ano, e os serviços recuaram 3,8%.

Projeção revisada - No fim de junho, o BC revisou sua projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2018, de 2,6% para 1,6%, e apontou o efeito da greve como uma das razões para esse movimento. O Ministério da Fazenda anunciou que também revisará seu número para 1,6% de expansão.

Média móvel - Na média móvel trimestral, indicador utilizado para captar tendência, o IBC-Br teve queda de 1,52% em maio, frente ao trimestre findo em abril. Na comparação com o mesmo período do ano anterior, houve discreto avanço, de 0,08%.

Metodologias distintas - Embora seja anunciado como “PIB do BC”, o IBC-Br tem metodologia de cálculo distinta das chamadas Contas Nacionais do IBGE. O índice do BC é calculado a partir de outros indicadores econômicos setoriais, de agricultura, indústria, comércio e serviços — acrescido de impostos. Já o PIB é a soma dos bens e serviços produzidos no país durante certo período. (Valor Econômico)

 


Versão para impressão


RODAPE